Linguagem Fílmica: Fundamentando as Práticas de Desenvolvimento Profissional

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Linguagem Fílmica: Fundamentando as Práticas de Desenvolvimento Profissional"

Transcrição

1 Linguagem Fílmica: Fundamentando as Práticas de Desenvolvimento Profissional Marcos Aurélio de Araujo Ferreira 1 1 FEA USP Resumo. A linguagem fílmica tem demonstrado ser uma ferramenta didática de relevante impacto no processo de reflexão e percepção de alunos em cursos de graduação, mas com maior influência nas discussões de executivos em cursos de pós-graduação. Resultados significativos têm sido obtidos no uso de filmes para discutir temas complexos em reduzido número de encontros. Dentre estes temas estão os programas de desenvolvimento profissional, como o mentoring e o executive coaching. Haja vista a ausência de um corpo teórico de referência sobre os temas os filmes Encontrando Forrester e Lendas da Vida contribuem para a diferenciação e assimilação destes conceitos. 1. Introdução O presente artigo se propõe a discutir o uso da linguagem fílmica na introdução, reflexão e discussão de temas atinentes à gestão de pessoas em cursos de pós-graduacão, orientados a alunos com experiência profissional. A prática do uso de filmes de longa metragem como ferramenta pedagógica parece ter crescido nas últimas décadas, como observado na reportagem de Van Ness (2005). Neste artigo, publicado no The New York Times, a jornalista discute a dicotomia entre o novo e crescente interesse dos candidatos aos curso de cinema e a reduzida oferta de oportunidades de trabalho para diretores recém formados. Sugere a autora que tal descompasso entre o crescente número de formandos na área e a respectiva redução da oferta de oportunidades para o desempenho da atividade pode vir a ser o prelúdio de desenvolvimento de uma nova ferramenta pedagógica na formação e desenvolvimento de profissionais em organizações. Corrobora neste pensamento Wood Jr. (2008) ao trabalhar a hipótese da introdução da linguagem fílmica em cursos de MBA como uma forma de compreender as formas de poder e as forças políticas nas organizações. Observa-se na reflexão de Van Ness (2005) e Wood Jr. (2008) uma provocação, ao sugerirem que os cursos de cinema podem substituir os cursos de MBA na formação dos futuros executivos. Não obstante, pode-se observar o crescente, apesar de incipiente, uso da linguagem fílmica como recurso pedagógico complementar ao uso de textos didáticos, estudos de casos e outros recursos (WOOD JR., 2008). Nesse sentido, complementa Leite et al (2006) ao afirmar que o uso de filmes comerciais em cursos tradicionais ou treinamentos organizacionais torna-se um recurso como instrumento didático no processo de ensinoaprendizagem à disposição do que chamaram de formador-docente-facilitador. No presente artigo, a linguagem fílmica é utilizada como um instrumento pedagógico complementar na introdução do conceito e do uso de duas diferentes práticas

2 de desenvolvimento profissional, denominadas de Developmental Relationship Programs. O propósito do uso de filmes comerciais é ilustrar, por meio de situações que passam a ser comuns no cotidiano profissional dos alunos, ou seja, a impossibilidade de distinguir entre a oferta e as práticas do mentoring e do executive coaching. O uso dos filmes, após a introdução conceitual e das particularidades que caracterizam cada uma das práticas, busca-se complementar a fundamentação teorica ainda incipiente sobre o tema. A associação propicia concretizar a discussão inicial a partir de textos complementando-a por cenas vividas pelos personagens, possibilitando, dessa forma, a associação entre teoria e prática. Logo, a discussão sobre as diferenças e sobre especificadas de cada tipo de iniciativa que compõem os programas de desenvolvimento profissional suscita esclarecimento aos alunos, identificando os diferentes propósitos, objetivos e resultados esperados para cada iniciativa. O recurso pedagógico da linguagem fílmica vem minimizar as dificuldades iniciais observadas pelo pesquisador-docente em introduzir aos alunos dos cursos de MBA em Liderança e Coaching da Universidade Anhembi-Morumbi e de Liderança e Coaching da FIA os pressupostos de cada prática. A situação decorre essencialmente da confusão feita por consultores e alguns autores sobre os temas, assim como dos profissionais de recursos humanos e executivos, ao apresentarem ou discorrerem sobre o mentoring e o executive coaching, como observado em pesquisa prévia por Ferreira (2008). A fim de atender ao objetivo deste artigo, nas seções seguintes discutir-se-á a linguagem fílmica e as práticas de desenvolvimento profissional, em seguida como dois filmes comerciais complementam a fundamentação conceitual discutida nos cursos de pósgraduação anteriormente mencionados. 2. Linguagem Fílmica Pode-se observar na literatura e em artigos científicos a ênfase do uso da linguagem fílmica nas discussões sobre a realidade e os problemas organizacionais (WOOD JR. 2008). Apesar do caráter ficcional, autores como Leite et al (2006), Vanoye e Goliot-Lété (2008), Xavier (2008) e Champoux (2001) enfatizam a contribuição deste método didáticopedagógico na educação e formação de jovens graduandos e experientes profissionais em funções gerenciais. Nesse sentido, Wood Jr. (2008) esclarece que apesar da discussões, eventuais críticas, sobre o uso da ficção nas considerações sobre problemas organizacionais, pode ser atribuídas também a própria literatura sobre gestão de organizações, por muitos considerada como tal. Considerando-se o uso desta técnica na formação e desenvolvimento de profissionais organizacionais, observa-se a busca do estímulo aos estudos críticos em gestão, expondo aos alunos situações do cotidiano sob a perspectiva de artistas e diretores de cinema. Para Vanoye e Goliot-Lété (2008) a sétima arte, quando assistida e analisada com um objetivo definido exige do expectador-analista uma postura diferente daquela do expectador comum. A análise pressupõe, segundo estes autores, assistir-se às películas várias vezes, observando, refletindo e analisando o conjunto e o contexto, ou seja, o todo que é composto pelos sons, imagens, características (perfil) dos personagens, tom de voz, expressões, o drama explícito e aquele subjacente à trama. A busca da compreensão da mensagem do filme é obtida a partir de um olhar amplo, própria quando analisada com um propósito definido (neste estudo a diferenciação

3 das práticas de desenvolvimento profissional) que deve considerar alguns cuidados e limitações. Primeiramente é recomendado ao expectador-analista que assista o filme repetidas vezes, objetivando dessa forma minimizar os enganos e vieses da memória. Aliás, a exemplo do que é observado no cotidiano quando o indivíduo registra e complementa a narrativa a partir de sua própria experiência, adicionando o que lhe agrada ou desconsiderando o que lhe causa desagrado (VANOYE & GOLIOT-LÉTÉ, 2008). Certamente, o processo de análise considera, ou é considerado, pelo espectadoranalista, tendo em conta as percepções decorrentes da primeira interação deste com o filme. Estas primeiras impressões podem fazer suscitar ideias, hipóteses e emoções, importantes para as fases seguintes do processo de análise. Nesse aspecto considera-se o segundo cuidado e limitação a que o aluno no papel de expectador-analista é chamado à atenção, pois muitas das vezes a reação do aluno-analista é o dizer mais do processo do que do próprio filme. Por último, o formador-docente-facilitador deve orientar os alunos quanto aos cuidados de projeção de suas experiências, expectativas e preocupações sobre o que estão vendo-analisando. O envolvimento do aluno-analista com a situação dramatizada, observada nas reações e emoções destes, que afloram enquanto expectadores, deve ser utilizada pelo formador-docente-facilitador na discussão sobre o como? tal experiência provocou tais reações e o sentido associado, ao invés do por quê?. Dessa forma, uma primeira lição é aprendida, ou seja, que a análise fílmica, na essência, pode significar duas coisas: a atividade de analisar; e, o resultado da atividade, envolvendo o analistaexpectador que passa a participar do contexto do filme (VANOYE & GOLIOT-LÉTÉ, 2008, pg. 14). No intuito de uma análise, em contrapartida ao simples assistir, é indicado o domínio do processo de análise fílmica, composto de duas fases: (i) desconstrução do filme; e, (ii) estabelecimento dos elos entre os fragmentos isolados, buscando um novo significante. Cabe ressaltar, contudo, a importância da análise começar e terminar no próprio filme, devendo-se evitar a tentação de superar a obra original (ibid, pg. 15). Dessa forma, procurar-se-á na primeira fase restringir-se na descrição da cena e na segunda interpretá-la. Corrobora este pensamento Wood Jr (2008) ao descrever o uso da análise fílmica em cursos de gestão de organizações, comentando sobre o crescente uso de métodos alternativos em contrapartida a aula tradicional por meio de preleção. O uso de múltiplos recursos possibilita a análise a partir de novas perspectivas, estimulando a busca e emprego de técnicas inovadoras no pensamento organizacional. Segundo Champoux (2001), não há a prevalência de um método didático sobre os demais, contudo é possível obter melhores resultados no uso de múltiplas mídias para mostrar e/ou demonstrar conceitos, seus usos e práticas. O processo de desconstrução e reconstrução atinente à análise fílmica contribui na capacidade de abstração do aluno-analista de forma a acelerar sua familiaridade com uma situação estranha, podendo assim preparar-se para lidar com situações complexas, por meio de associações às situações reais (HEDLUND e STERNBERG, 2002). Os autores (ibid 2002) enfatizam a ênfase no desenvolvimento de habilidades práticas nos alunos, denominando-as de Inteligência Prática, atribuindo a estas relevância maior para o sucesso de seus empreendimentos do que ao Coeficiente de Inteligência (QI). Para Wood Jr. (2008) os filmes podem contribuir sobremaneira na compreensão da complexidade e da dinâmica

4 das situações organizacionais, dentre elas as relações interpessoais, logo estrapolação da ficção para a realidade. O uso de meios visuais facilita o aprendizado de conceitos novos e abstratos e facilita a lembrança posterior. Filmes permitem o acesso a realidades diferentes daquelas dos estudantes. Eles também podem expor lógicas e perspectivas novas para a audiência e despertar para novas formas de ver o mundo e de perceber fenômenos específicos (WOOD JR., 2008, pg. 33). A linguagem fílmica constitui-se, nesse sentido, como uma das ferramentas pedagógicas facilitadoras à disposição dos formador-docente-facilitador na introdução de temas recentes, sem um corpo teórico definido, a exemplo das práticas de desenvolvimento profissional. Não obstante, na possibilidade de submeter os alunos a situações-problema em um ambiente controlado, possibilitando que pelo hábito de análise, reflexão e argumentação possa obter domínio mínimo para uma situação real e aplicada. Na seção seguinte será apresentado brevemente o conceito adotado pelo pesquisador referente a cada uma das práticas (mentoring e executive coaching), permitindo ao aluno, a partir destes, diferenciar compreender a diferença, propósito e contexto onde são indicadas suas práticas. 3. Práticas de Desenvolvimento Profissional Com intuito de desenvolver de forma mais efetiva suas lideranças as organizações têm adotado as práticas de mentoring e executive coaching como alternativas aos programas formais oferecidos pelas instituições de ensino. Estas práticas crescem em popularidade nas organizações com vistas ao desenvolvimento daqueles profissionais organizacionais. Segundo Hall et al (1999), o ensino com intuito de aplicação organizacional, assim como o treinamento e a formação exclusivamente tradicionais, têm se revelado de pouca efetividade, seja na percepção dos executivos-alunos como dos executivos-contratantes, por exemplo, cursos de MBA. Corrobora este pensamento Mintzberg (2004) ao criticar a ideia de formação de gestores apenas por meio de discussões em sala de aula, sem a exposição e vivência de problemas reais. Diante da necessidade de acelerar o desenvolvimento dos profissionais as organizações buscam estas alternativas, complementares àquelas oferecidas pelas instituições de ensino. O uso de consultores externos à organização no desenvolvimento de profissionais de alto potencial materializa-se na contratação de escritórios especializados que oferecem algumas das práticas mencionadas. Observa-se, contudo, a multiplicidade de abordagens, propostas e promessas de resultados, por autores e consultores, com uso de modelos proprietários, o que dificulta o reconhecimento da contribuição daquelas práticas, estabelecendo entre os participantes dúvidas quanto a efetividade das mesmas. Ferreira (2008) verifica a ocorrência de confusão e dificuldades na distinção pelos envolvidos em programas de mentoring e executive coaching sobre o que é contratado pelas organizações e o que efetivamente ocorre na prática entre consultor externo e o profissional interno. Nesse sentido, observa Hall et al (1999) observa que as organizações contratam programas que originalmente estariam orientados a eficácia da atividade executiva de seus profissionais, no entanto, sequer suspeitam do que ocorre por trás das portas de suas salas de reunião. Ferreira (2008) constata ainda que diferentes práticas são denominadas a

5 partir de um mesmo conceito ou práticas semelhantes apresentadas sob diferentes denominações. Observa-se, contudo, que tal situação não se restringe à ação de consultorias, mas o que é mais preocupante, a de autores que cometem equívoco semelhante (eg. HUDSON, 1999; MINOR, 2001). Diante da dificuldade dos alunos em compreender e diferenciar cada uma das práticas o pesquisador-docente, após vários experimentos, adotou a condução da reflexão sobre o tema introduzindo os conceitos sobre mentoring e executive coaching, para em seguida fundamentá-los por meio da observação de dois filmes. A primeira etapa foi orientar os alunos a assistirem os filmes (Lendas da Vida e Encontrando Forrester) e em momentos diferentes analisaram cada um deles à luz da respectiva teoria. Por meio da análise de conteúdo (BARDIN, 1977) foram estabelecidas categorias que distinguem e explicitam características especificas de cada uma das práticas estudadas. A seguir serão apresentados os conceitos adotados neste artigo para os tópicos discutidos, segundo Ferreira (2008): Mentoring é a relação entre indivíduos com experiência e conhecimento em uma área de especialidade (mentores) que se comprometem a construir o relacionamento com seu protégé (orientado) a fim de prover ascensão e suporte deste na carreira (DINGMAN, 2004); Executive coaching é uma relação de assessoramento entre um executivo com autoridade e responsabilidade gerencial e um consultor que usa práticas e métodos comportamentais para assessorar seu cliente na conquista de um conjunto de metas que possibilitem incrementar seu desempenho profissional e sua satisfação pessoal, contribuindo para a efetividade da organização, por meio de um acordo formal entre os envolvidos (KILBURG, 2001). Tomando como base os conceitos apresentados, leituras complementares são indicadas e discussões presenciais conduzidas de forma a preparar os alunos para uma observação crítica dos filmes. O processo seguinte é constituído pela combinação das métodos de análise fílmica e de análise de conteúdo, neste último com uso da técnica de análise categorial. As fases que compõem o processo de análise categorial se assemelham às fases de análise fílmica, uma vez que buscam desconstruir o objetivo de pesquisa para em seguida estabelecer elos de forma a encontrar seu significado. Na próxima seção serão apresentados dois dos filmes utilizados com o intuito de fundamentação conceitual do tema proposto nos cursos de Liderança e Coaching nos cursos de pós-graduação onde o uso da linguagem fílmica concomitante à análise de conteúdo foram empregadas. 4. Filmes analisados Os filmes escolhidos como material complementar nas discussões sobre o processo de orientação foram: Encontrando Forrester Lendas da Vida

6 Nos Quadros 1 e 2, será apresentado uma sinopse de cada um dos filmes e, a seguir, no Quadro 3 um resumo das categorias identificadas por 18 grupos de três diferentes turmas, à luz do referencial teórico sobre o tema. Sinopse Ficha Técnica Quadro 1. Filme Encontrando Forrester O vencedor do OSCAR Sean Connery estrela este poderoso e inesquecível drama do aclamado diretor Gus Van Sant (Gênio Indomável, Um Sonho Sem Limites). Com um elenco grandioso incluindo os vencedores do Oscar F. Murray Abrahan (Amadeus, O Último Grande Herói) e Anna Paquin (O Piano, X-MEN), o filme também apresenta o super astro da música rap Busta Rhymes (Shaft) e uma incrível atuação do talentoso estreante Rob Brown. Jamal Wallace (Brown) é um habilidoso jogador de basquete de 16 anos em Nova Iorque cuja paixão secreta é escrever. Willian Forrester (Connery) é um recluso romancista vencedor do prêmio Pulitzer que nunca deu ao mundo um segundo livro. Depois de um encontro acidental, Jamal passa a contar com o apoio e orientação de Forrester, simultaneamente a oportunidade recebida por meio de uma bolsa de estudos para uma das prestigiadas escolas de Nova Iorque. Forrester exige de Jamal uma dedicação e desafios nunca experimentados pelo jovem Jamal que responde com entusiasmo a possibilidade de ter seu potencial submetido à refinada erudição de Forrester. Não obstante, também o mentor é influenciado pelo encontro, sendo a dura visão do mundo de Forrester confrontada à medida que os dois iniciam uma troca de experiências sobre a vida - e a importância da amizade. Gus Van Sant Diretor; Sean Connery, Laurence Mark, Rhonda Tollefson Produtor; Mike Rich Roteiro; Harris Savides Fotografia; Valdis Oskarsdottir Edição; Jane Musky - Desenhista de produção;darrell K. Keister - Direção de arte; Jonathan King, Dany Wolf - Produtor executivo; Ann Roth Figurino; Susan Tyson Cenário; David Webb - Primeiro assistente diretor; Brian Miksis Som; Francine Maisler, Bernie Telsey, David Vaccari - Elenco

7 Sinopse (2001) Ficha Técnica Quadro 2. Filme Lendas da Vida O diretor vencedor do Oscar, Robert Redford (Nada É Para Sempre, O Encantador de Cavalos), dá vida à história de Rannulph Junuh (Matt Damon - O Talentoso Ripley, O Resgate do Soldado Ryan), um promissor jogador de golfe que perde seu swing (ginga) após ter vivido amargas experiências na guerra. Considerado anteriormente um dos maiores desportistas de Savannah e sua mais ilustre celebridade, Junuh era o eleito do coração da mais bela herdeira da cidade, Adele Invergordon (Charlize Theron - Homens de Honra, Advogado do Diabo). Mas quando retorna da guerra, ele é um homem derrotado, desistindo tanto do golfe quanto de Adele em favor da bebida. Quando é dada a chance para Junuh se redimir competindo em um torneio de golfe para celebridades, ele primeiro precisa redescobrir sua ginga e seu amor próprio. Será necessário um verdadeiro milagre, na forma de um misterioso carregador de tacos chamado Bagger Vance (Will Smith - As Loucas Aventuras de James West, MIB - Homens de Preto) para que Junuh recupere seu sucesso no jogo bem como na vida. Desde o primeiro encontro é possível observar a sutileza de Bagger ao confrontar Junuh, seja com suas questões desconcertantes quanto com sua própria habilidade no golfe. Imediatamente, Bagger inicia um processo que induz Junuh a tomar consciência de suas barreiras pessoais que impedem de reconquistar sua ginga. Uma vez que Junuh reconhece seu jogo interno como seu maior adversário é hora de Bagger ajudá-lo a assumir a responsabilidade pelas mudanças desejadas. Robert Redford - Diretor / Produtor; Jake Eberts, Michael Nozik Produção; Jeremy Leven Roteiro; Michael Ballhaus Fotografia; Rachel Portman - Trilha Sonora; Hank Corwin Editor; Stuart Craig - Desenhista de produção; Angelo P. Graham - Direção de arte; W. Steven Graham - Supervisão de direção de arte; Chris Brigham - Co-produtor; Karen Tenkhoff - Produtor executivo; John Bissell - Supervisão e direção musical; Jack Ballance, Geoffrey S. Grimsman, Thomas Minton, Julia Starr Sanford, Adam Scher Cenário; Jim Erickson - Cenário / Designer; Judianna Makovsky Figurino; Michael Seirton - Cenário / Designer; Joseph P. Reidy - Co-produtor / Primeiro assistente de diretor; Peter Kurland - Som Ao analisar o primeiro filme, Encontrando Forrester, é possível uma imediata associação da relação entre mentor e orientado, sendo o primeiro o mais velho e experiente, com notório reconhecimento na produção de textos. Por outro lado Jamal é bem mais jovem e por sua vez um potencial escritor, com determinação e qualidades que impressionam o renomado e recluso escritor. A relação transcorre contemplando as fases do plantio, cultivo e colheita, quando então a separação é necessária, permitindo ao jovem orientado passar a fazer suas próprias escolhas. No segundo filme, Lendas da Vida, observa-se a aproximação de um profissional que por uma remuneração acordada entre ambos, coach (Bagger) e coachee (Junuh) passa a confrontar este com questões de reflexão interior. O objetivo da relação é que o Junuh possa superar seu jogo e obstáculos internos a fim de permitir que todo seu potencial seja realizado. Dessa forma, considerando o contexto da trama pode-se observar todos os pressupostos de um programa de executive coaching. No Quadro 3 é apresentado um resumo das categorias observadas em cada um dos filmes e a respectiva associação com as práticas do Mentoring e do Executive Coaching.

8 Quadro 3. Análise Fílmica e Categorial Categorias Mentoring Executive Coaching Definição Propósito Objetivos Orientação Função Educação Relacionamento Mentores são indivíduos com experiência e conhecimento em uma área de especialidade que se comprometem a construir o relacionamento com seu orientado a fim de prover ascensão e suporte na carreira e no projeto de vida. Aconselhamento e apoio quando necessário Partilhar conhecimento e experiências profissionais Orientado no relacionamento Mentor partilha seus conhecimentos e experiências próprias, nas quais é reconhecido como notável Sem exigência de educação formal na atividade, habilidades exclusivamente informais ou conhecimento reconhecido Relação de superioridade hierárquica ou equivalente (pares), sistemática e estruturada: um arquétipo do tipo aprendiz Coaching executivo é uma relação de apoio entre um executivo organizacional e o coach, o qual faz uso do processo de seis componentes de coaching combinados com três comportamentos do coach. Assim, o coach facilita os objetivos conjuntamente identificados para melhora de aspectos pessoais e relativos à organização Pró-atividade, descoberta e crescimento Alcançar/atingir objetivos pessoais Autodesenvolvimento e orientado a resultados Coach proporciona uma oferta autêntica de experiências enquanto assessorando o coachee na conquista de suas metas Sem exigências, muitas escolas oferecem certificação e licença para programas de nove a vinte e quatro meses Processo no qual o coach facilita a tomada de consciência das atitudes relativas à atividade profissional Prazo Longo prazo, sessões flexíveis Curto prazo, sessões estruturadas Agenda Interação Definido pelo mentee e o mentor estrutura informal Presencial, telefone ou correspondência, Definida pelo coach e pelo executivo, os quais, em conjunto, determinam as metas a serem alcançadas Presencial ou por telefone Foco Foco no presente e no futuro Foco no presente e no futuro Intervenção Transferir conhecimento em uma área de domínio específico Abordagem Colaborativa e unidirecional Colaborativa Estado clínico Resultados Orientado é estável e busca um relacionamento de aprendizagem Ascensão na carreira e desenvolvimento pessoal Desenvolvimento de um plano de ação que, por meio de interações alcance os resultados definidos Coachee é estável e capaz de receber feedback e definir metas Objetiva novos conhecimentos, habilidades e valores com resultados pessoais e profissionais

9 Referências 2001 Vídeo. (2009) consultado em dezembro de Bardin, Laurance. (1977) Análise de conteúdo, Edições 70, Lisboa. Champoux, Joseph E. (2001) Animated Films as a Teaching Resource Em: Journal of Management Education, Vol. 25, No. 1, pg Dingman, M. E. (2004) The effects of executive coaching on job-related attitudes, Tese (Doutorado em Organizational Leadership) School of Leadership Studies, Regent University. Ferreira, Marcos A. Araújo. (2008) Coaching: Um Estudo Exploratório sobre a Percepção dos Envolvidos: Organização, Executivo e Coach, Dissertação de Mestrado apresentada na FEA USP. Hall, D. T.; Otazo, K. L.; Hallenbeck, G. P. (1999) Behind closed doors: what really happens in executive coaching. Organizational Dynamics, v. 27, n. 3, p Hedlund, Jennifer & Sternberg, Robert J. (2002) Inteligência Social, Emocional e Prática Em: Bar-on, R. & Parker, J. D. A. (2002) Manual de inteligência emocional, Porto Alegre: ArtMed. HUDSON, F.M. (1999) The handbook of coaching. San Francisco: Jossey-Bass Publishers. Kilburg, R. R. (2001) Facilitating Intervention Adherence in Executive Coaching: a model and methods, Consulting Psychology Journal: Practice and Research, v. 53, n. 4, p Leite, Nildes Pitombo & Chang Jr., João & Santos, Ralph da Silva. (2006) A Linguagem Fílmica na Formação e no Fortalecimento de Grupos, Equipes e Times de Trabalho, Em: EnEO ANPAD, Porto Alegre RS. Minor, M. (2001) Coaching e aconselhamento: um guia prático para gerentes. Rio de Janeiro. Qualitymark. Mintzberg, Henry. (2004) Managers Not MBAs: A Hard Look at the Soft Practice of Managing and Management Development, Berrett-Koehler Publishers, USA. Vanoye, Francis & Goliot-Lété, Anne, (2008) Ensaio sobre a Análise Fílmica, Papirus Editora, 5a Edição, Campinas SP. Wood Jr., Thomaz. (2008) Pedagogia Critica e o uso de Filmes de Longa Metragem em Sala de Aula, Em: GV Pesquisa - Relatório 09/2008, São Paulo SP. Xavier, Ismail. (2008) O Discurso Cinematográfico: a opacidade e a transparência, Paz e Terra, 4 a Edição, Rio de Janeiro.

Competências Essenciais de Coaching. Nick Cheong 张 炳 栋 Sócio - Diretor Berners Coaching 2010 BERNERSCONSULTING

Competências Essenciais de Coaching. Nick Cheong 张 炳 栋 Sócio - Diretor Berners Coaching 2010 BERNERSCONSULTING Competências Essenciais de Coaching Nick Cheong 张 炳 栋 Sócio - Diretor Berners Coaching 2010 BERNERSCONSULTING Por que estamos aqui? Estamos aqui para: Conhecer quais são as competências essências do um

Leia mais

COACHING E MENTORING APLICADOS A PROJETOS

COACHING E MENTORING APLICADOS A PROJETOS COACHING E MENTORING APLICADOS A PROJETOS CONHEÇA OS FUNDAMENTOS O QUE É O COACHING? Coaching é um processo de aceleração de resultados que consiste no desenvolvimento de competências e habilidades profissionais

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

Quem Contratar como Coach?

Quem Contratar como Coach? Quem Contratar como Coach? por Rodrigo Aranha, PCC & CMC Por diversas razões, você tomou a decisão de buscar auxílio, através de um Coach profissional, para tratar uma ou mais questões, sejam elas de caráter

Leia mais

Como combinado segue proposta para o coaching executivo com foco na preparação e caminhos para o seu crescimento e desenvolvimento profissional.

Como combinado segue proposta para o coaching executivo com foco na preparação e caminhos para o seu crescimento e desenvolvimento profissional. Belo Horizonte, 28 de março de 2013. Cara Grayce, Como combinado segue proposta para o coaching executivo com foco na preparação e caminhos para o seu crescimento e desenvolvimento profissional. Estamos

Leia mais

CLÍNICA DE COACHING EMPRESARIAL. Bomfin & Hastenreiter. David Bomfin

CLÍNICA DE COACHING EMPRESARIAL. Bomfin & Hastenreiter. David Bomfin CLÍNICA DE COACHING EMPRESARIAL Bomfin & Hastenreiter A Clínica de Coaching Empresarial é conduzida por: David Bomfin e Flávio Hastenreiter Rua dos Goitacazes, 375, sala 1004, Belo Horizonte, MG, Centro.

Leia mais

Executive MBA. em Liderança e Gestão de RH

Executive MBA. em Liderança e Gestão de RH Executive MBA em Liderança e Gestão de RH B.I. INTERNATIONAL O B.I. International é uma escola de educação executiva que propõe um Modelo Único de Educação. Nossa premissa é desenvolver em cada aluno,

Leia mais

Desenvolvimento Humano

Desenvolvimento Humano ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Desenvolvimento Humano ADVISORY Os desafios transformam-se em fatores motivacionais quando os profissionais se sentem bem preparados para enfrentá-los. E uma equipe

Leia mais

06/10/2015. A Clínica de Coaching Empresarial é conduzida por: David Bomfin e Flávio Hastenreiter

06/10/2015. A Clínica de Coaching Empresarial é conduzida por: David Bomfin e Flávio Hastenreiter 1 A Clínica de Coaching Empresarial é conduzida por: David Bomfin e Flávio Hastenreiter 2 David Bomfin É Pedagogo Empresarial, Mestre em Pedagogia do Treinamento e Doutor em Aprendizagem Organizacional.

Leia mais

Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento.

Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento. Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento. Por PAULA FRANCO Diante de um cenário empresarial extremamente acirrado, possuir a competência atitude

Leia mais

Desenvolvendo Capacidades de PDSA

Desenvolvendo Capacidades de PDSA Desenvolvendo Capacidades de PDSA Karen Martin Como com qualquer habilidade, desenvolver as capacidades do PDSA (planejar fazer estudar agir) tem tudo a ver com a prática. Para conquistar a disciplina

Leia mais

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE COACHING EDUCATION By José Roberto Marques Diretor Presidente - Instituto Brasileiro de Coaching Denominamos de Coaching Education a explicação, orientação e aproximação

Leia mais

A EXTENSÃO EM MATEMÁTICA: UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE ESCOLAR. GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância

A EXTENSÃO EM MATEMÁTICA: UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE ESCOLAR. GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância A EXTENSÃO EM MATEMÁTICA: UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE ESCOLAR GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância Nilce Fátima Scheffer - URI-Campus de Erechim/RS - snilce@uri.com.br

Leia mais

www.idsingular.com.br

www.idsingular.com.br Business and Executive Coach ID Coach Seu mundo do tamanho do seu conhecimento Tel. 31 3681 6117 ID COACH No que diz respeito ao desempenho, ao compromisso, ao esforço, à dedicação, não existe meio termo.

Leia mais

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral III Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação PUCRS Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral Marcelo Cavasotto, Prof.ª Dra. Ruth Portanova (orientadora) Mestrado em Educação

Leia mais

Business & Executive Coaching - BEC

Business & Executive Coaching - BEC IAC International Association of Coaching Empresas são Resultados de Pessoas José Roberto Marques - JRM O Atual Cenário no Mundo dos Negócios O mundo dos negócios está cada vez mais competitivo, nesse

Leia mais

Equipe com mais de 17 anos de experiência em Avaliação de Executivos, Coaching e Desenvolvimento de Lideranças

Equipe com mais de 17 anos de experiência em Avaliação de Executivos, Coaching e Desenvolvimento de Lideranças Equipe com mais de 17 anos de experiência em Avaliação de Executivos, Coaching e Desenvolvimento de Lideranças Responsável pela elaboração e realização de projetos em empresas de porte que foram reconhecidos

Leia mais

NOSSA MISSÃO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES

NOSSA MISSÃO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES Desde 1999 NOSSA MISSÃO AÇÕES DE TREINAMENTO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES MISSÃO Inspirar nossos clientes para a expansão de ideias e formação de relacionamentos saudáveis e duradouros no ambiente

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA GT-1 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA RESUMO Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. PARFOR E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança

Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança Apresentação CAMPUS IGUATEMI Inscrições em Breve Turma 02 --> *Alunos matriculados após o início das aulas poderão cursar as disciplinas já realizadas,

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PLANO DE T&D

AVALIAÇÃO DO PLANO DE T&D AVALIAÇÃO DO PLANO DE T&D Ariadne Cedraz 1 Léa Monteiro Rocha 2 Luciana Cristina Andrade Costa Franco 3 A quarta e última etapa do processo refere-se à avaliação que tem por objetivo averiguar se os resultados

Leia mais

Gestão da Mudança nas Organizações. Leila Oliva

Gestão da Mudança nas Organizações. Leila Oliva Gestão da Mudança nas Organizações Leila Oliva O roteiro Conduzir a mudança e o papel da liderança: Os papeis que vivemos; Jornada emocional da mudança. Conduzir a mudança organizacional: Os 8 passos do

Leia mais

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Introdução A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional afirma que cabe aos estabelecimentos de ensino definir

Leia mais

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO Apesar de as empresas brasileiras estarem despertando para o valor das ações de educação corporativa em prol dos seus negócios, muitos gestores ainda

Leia mais

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação O artigo fala sobre os vários aspectos e desafios que devem ser levados em consideração quando se deseja transformar ou fortalecer uma cultura organizacional, visando a implementação de uma cultura duradoura

Leia mais

Catálogo de treinamentos

Catálogo de treinamentos Catálogo de treinamentos 11 3892-9572 www.institutonobile.com.br Desenvolvendo seus Talentos O Instituto Nobile desenvolve as mais modernas soluções em treinamento e desenvolvimento. Oferecemos programas

Leia mais

O PROCESSO DE COACHING EXECUTIVO E EMPRESARIAL: PERCEPÇÕES DE GESTORES DE RECURSOS HUMANOS PSICÓLOGOS E DE OUTRAS FORMAÇÕES

O PROCESSO DE COACHING EXECUTIVO E EMPRESARIAL: PERCEPÇÕES DE GESTORES DE RECURSOS HUMANOS PSICÓLOGOS E DE OUTRAS FORMAÇÕES 26 a 29 de outubro de 2010 ISBN 978-85-61091-69-9 O PROCESSO DE COACHING EXECUTIVO E EMPRESARIAL: PERCEPÇÕES DE GESTORES DE RECURSOS HUMANOS PSICÓLOGOS E DE OUTRAS FORMAÇÕES Dione Nunes Franciscato 1 ;

Leia mais

FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS

FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS ROGERIO LEME rogerio@lemeconsultoria.com.br /rogeriolemeoficial PUBLICAÇÕES ALGUNS DOS NOSSOS CLIENTES SETOR PÚBLICO SERVIÇOS

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 INVESTIGAÇÃO MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO Bruno Rodrigo Teixeira 1 Universidade Estadual de Londrina - UEL bruno_matuel@yahoo.com.br Camila Rosolen 2 Universidade Estadual de Londrina - UEL camilarosolen@yahoo.com.br

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Competências avaliadas pela ICF

Competências avaliadas pela ICF Competências avaliadas pela ICF ð Estabelecendo a Base: 1. Atendendo as Orientações Éticas e aos Padrões Profissionais Compreensão da ética e dos padrões do Coaching e capacidade de aplicá- los adequadamente

Leia mais

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados Aperfeiçoamento Gerencial para Supermercados Liderança Liderança é a habilidade de influenciar pessoas, por meio da comunicação, canalizando seus esforços para a consecução de um determinado objetivo.

Leia mais

Position Paper. As Melhores Práticas Globais no Desenvolvimento de Trainees e Jovens Talentos. Edição Nº1. www.ipledu.com +55 11 2364 9355

Position Paper. As Melhores Práticas Globais no Desenvolvimento de Trainees e Jovens Talentos. Edição Nº1. www.ipledu.com +55 11 2364 9355 Position Paper Edição Nº As Melhores Práticas Globais no Desenvolvimento de Trainees e Jovens Talentos www.ipledu.com +55 64 955 O ipl Institute of Performance and Leadership é uma empresa especializada

Leia mais

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO ESTRUTURA GERAL DOS ROTEIROS DE ESTUDOS QUINZENAL Os roteiros de estudos, cujo foco está destacado nas palavras chaves, estão organizados em três momentos distintos: 1º MOMENTO - FUNDAMENTOS TEÓRICOS -

Leia mais

Estudo de um Sistema de Gêneros em um Curso Universitário

Estudo de um Sistema de Gêneros em um Curso Universitário Departamento de Letras Estudo de um Sistema de Gêneros em um Curso Universitário Aluna: Esther Ruth Oliveira da Silva Orientadora: Profª. Bárbara Jane Wilcox Hemais Introdução O presente projeto se insere

Leia mais

Coaching Executivo: Coaching como instrumento fundamental do Líder

Coaching Executivo: Coaching como instrumento fundamental do Líder Coaching Executivo: Coaching como instrumento fundamental do Líder I Simpósio Coaching - Arte e Ciência CRA-SP 28 de maio de 2013 1 COACH Sentido original da palavra: veículo para transporte de pessoas.

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO CONSELHO DE CLASSE O Conselho de Classe é um órgão colegiado, de cunho decisório, presente no interior da organização escolar, responsável pelo processo de avaliação do desempenho pedagógico do aluno.

Leia mais

Programação Novas turmas INSTITUIÇÕES CERTIFICADORAS: PROMOVEM: CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM COACHING. Certificado Europeu. Formadora: Cris Carvalho

Programação Novas turmas INSTITUIÇÕES CERTIFICADORAS: PROMOVEM: CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM COACHING. Certificado Europeu. Formadora: Cris Carvalho Programação Novas turmas INSTITUIÇÕES CERTIFICADORAS: PROMOVEM: CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM COACHING Certificado Europeu Formadora: Cris Carvalho Apresentação Este curso foi desenvolvido através da experiência

Leia mais

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr.

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr. Construindo o Conteúdo da Liderança José Renato S. Santiago Jr. Gestão Estratégica de RH Módulo 1: Alinhando Gestão de Pessoas com a Estratégia da Empresa Módulo 2: Compreendendo e Dinamizando a Cultura

Leia mais

PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS INTEGRADAS ÀS ESTRATÉGIAS ORGANIZACIONAIS

PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS INTEGRADAS ÀS ESTRATÉGIAS ORGANIZACIONAIS PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS INTEGRADAS ÀS ESTRATÉGIAS ORGANIZACIONAIS Marino, Reynaldo Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde - FASU/ACEG GARÇA/SP-

Leia mais

LIDERANÇA, COACHING E MENTORING

LIDERANÇA, COACHING E MENTORING , COACHING E MENTORING SEMINÁRIO APRESENTADO NO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS E SERVIÇOS. DISCIPLINA: GESTÃO DE PESSOAS Profa.Dra. Margareth Bianchini Diferenças entre Gerente e Líder GERENTE

Leia mais

Sua Escola, Nossa Escola

Sua Escola, Nossa Escola Sua Escola, Nossa Escola Episódio: Andréa Natália e o Ensino na Fronteira Ponta Porã Resumo Esse vídeo integra a série Sua Escola, Nossa Escola, composta por dezessete programas, os quais mostram experiências

Leia mais

NOSSO OLHAR QUEM SOMOS NOSSA ATUAÇÃO RESULTADOS OBTIDOS NOSSA ABORDAGEM APRESENTAÇÃO CLIENTES E PARCEIROS

NOSSO OLHAR QUEM SOMOS NOSSA ATUAÇÃO RESULTADOS OBTIDOS NOSSA ABORDAGEM APRESENTAÇÃO CLIENTES E PARCEIROS QUEM SOMOS NOSSO OLHAR NOSSA ATUAÇÃO NOSSA ABORDAGEM RESULTADOS OBTIDOS CLIENTES E PARCEIROS APRESENTAÇÃO QUEM SOMOS O trabalho daassssssso consiste em atuar no desenvolvimento de grupos e indivíduos,

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Recursos Humanos Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos 1.

Leia mais

Programa de Excelência em Atendimento aos Clientes

Programa de Excelência em Atendimento aos Clientes Programa de Excelência em Atendimento aos Clientes PROPOSTA TÉCNICA COMERCIAL Versão 2.0 Setembro de 2014 Agosto de 2008 Índice ÍNDICE...2 1. CONTEXTO...3 2. VISÃO, ESCOPO E ATIVIDADES DESTE PROJETO...5

Leia mais

Formação Analista DISC

Formação Analista DISC Formação Analista DISC Metodologia DISC Os Fatores DISC representam reações comportamentais a partir da percepção que o indivíduo tem do ambiente. Marston precisava medir de algum modo os estilos de comportamento.

Leia mais

A EXPLORAÇÃO DE SITUAÇÕES -PROBLEMA NA INTRODUÇÃO DO ESTUDO DE FRAÇÕES. GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental

A EXPLORAÇÃO DE SITUAÇÕES -PROBLEMA NA INTRODUÇÃO DO ESTUDO DE FRAÇÕES. GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental A EXPLORAÇÃO DE SITUAÇÕES -PROBLEMA NA INTRODUÇÃO DO ESTUDO DE FRAÇÕES GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental Adriele Monteiro Ravalha, URI/Santiago-RS, adrieleravalha@yahoo.com.br

Leia mais

PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO

PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL MBA e Pós-Graduação Cursos inovadores e alinhados às tendências globais Nossos cursos seguem modelos globais e inovadores de educação. Os professores

Leia mais

O ENSINO DAS FUNÇÕES ATRAVÉS DO JOGO BINGO DE FUNÇÕES

O ENSINO DAS FUNÇÕES ATRAVÉS DO JOGO BINGO DE FUNÇÕES O ENSINO DAS FUNÇÕES ATRAVÉS DO JOGO BINGO DE FUNÇÕES Marcos Aurélio Alves e Silva- UFPE/CAA Alcicleide Ramos da Silva- UFPE/CAA Jucélia Silva Santana- UFPE/CAA Edelweis José Tavares Barbosa- UFPE/CAA

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Pessoas tem por objetivo o fornecimento de instrumental que possibilite

Leia mais

Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching

Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counsuling: Desmistificando o Coaching Inquietações... O que é? Para que serve? Quem

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA

EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA Q U E S T Õ E S E R E F L E X Õ E S Suraya Cristina Dar ido Mestrado em Educação Física, na Escola de Educação Física da Universidade de São Paulo, SP, 1987 1991 Doutorado em

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial

O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial Sumário executivo À medida que as organizações competem e crescem em uma economia global dinâmica, um novo conjunto de pontos cruciais

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Alfabetização de Crianças O Professor Alfabetizador é o profissional responsável por planejar e implementar ações pedagógicas que propiciem,

Leia mais

Coach / Coach Treinador

Coach / Coach Treinador Coach / Coach Treinador Um Processo de Autodescoberta / Descoberta Guiada Isabel Lourenço e Maria João Martins Psicólogas e Coaches Objetivos e Programa Objetivo: Caracterizar e identificar as diferenças

Leia mais

Blue Mind Desenvolvimento Humano

Blue Mind Desenvolvimento Humano Conhecendo o Coaching Por Fábio Ferreira Professional & Self Coach pelo Instituto Brasileiro de Coaching, com certificação internacional pela European Coaching Association e Global Coaching Community,

Leia mais

Metodologia de relacionamento para você desenvolver pessoas e se valorizar pessoal e profissionalmente

Metodologia de relacionamento para você desenvolver pessoas e se valorizar pessoal e profissionalmente FORMAÇÃO em mentoring com Paulo Erlich Aracaju Metodologia de relacionamento para você desenvolver pessoas e se valorizar pessoal e profissionalmente Auditório da Humana Desenvolvimento de Pessoas 24 a

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

OS SIGNIFICADOS DA DOCÊNCIA NA FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA - A PERSPECTIVA DOS PROFISSIONAIS DAS ESCOLAS FAMILIA AGRÍCOLA

OS SIGNIFICADOS DA DOCÊNCIA NA FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA - A PERSPECTIVA DOS PROFISSIONAIS DAS ESCOLAS FAMILIA AGRÍCOLA OS SIGNIFICADOS DA DOCÊNCIA NA FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA - A PERSPECTIVA DOS PROFISSIONAIS DAS ESCOLAS FAMILIA AGRÍCOLA SILVA, Lourdes Helena da - UFV GT: Educação Fundamental /n.13 Agência Financiadora:

Leia mais

FORMAÇÃO. Metodologia de relacionamento para você desenvolver pessoas e se valorizar pessoal e profissionalmente

FORMAÇÃO. Metodologia de relacionamento para você desenvolver pessoas e se valorizar pessoal e profissionalmente FORMAÇÃO em mentoring com Paulo Erlich porto alegre Metodologia de relacionamento para você desenvolver pessoas e se valorizar pessoal e profissionalmente Centro de Eventos da AMRIGS: Av. Ipiranga, 5311,

Leia mais

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS 1 FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS MAURICIO SEBASTIÃO DE BARROS 1 RESUMO Este artigo tem como objetivo apresentar as atuais

Leia mais

FORMAÇÃO DE MENTORES ORGANIZACIONAIS Como desenvolver a si mesmo para desenvolver os outros no trabalho e na vida

FORMAÇÃO DE MENTORES ORGANIZACIONAIS Como desenvolver a si mesmo para desenvolver os outros no trabalho e na vida FORMAÇÃO DE MENTORES ORGANIZACIONAIS Como desenvolver a si mesmo para desenvolver os outros no trabalho e na vida Facilitador: Paulo Erlich 15 e 16 de maio de 2014, das 9h às 18h Hotel Best Western Manibu,

Leia mais

APRESENTAÇÃO. www.get-pt.com 1

APRESENTAÇÃO. www.get-pt.com 1 APRESENTAÇÃO www.get-pt.com 1 -2- CULTURA GET -1- A nossa Visão Acreditamos que o elemento crítico para a obtenção de resultados superiores são as Pessoas. A nossa Missão A nossa missão é ajudar a melhorar

Leia mais

TURMAS ABERTAS BELO HORIZONTE

TURMAS ABERTAS BELO HORIZONTE TURMAS ABERTAS BELO HORIZONTE Apresentação A Academia de Lideranças tem foco prático no desenvolvimento das competências essenciais dos líderes de pessoas, processos e metas. As competências técnicas e

Leia mais

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior.

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Josimar de Aparecido Vieira Nas últimas décadas, a educação superior brasileira teve um expressivo

Leia mais

A Ser Humano Consultoria

A Ser Humano Consultoria A Ser Humano Consultoria é uma empresa especializada na gestão estratégica de pessoas. Utilizando programas de assessoramento individual, baseados na avaliação e desenvolvimento de suas competências, buscamos

Leia mais

1 SEPAGE Seminário i Paulista de Gestão em Enfermagem. Liderança Coaching e Desenvolvimento de Pessoas

1 SEPAGE Seminário i Paulista de Gestão em Enfermagem. Liderança Coaching e Desenvolvimento de Pessoas 1 SEPAGE Seminário i Paulista de Gestão em Enfermagem Liderança Coaching e Desenvolvimento de Pessoas Maria Lúcia Alves Pereira Cardoso GEPAG UNIFESP abril / 2009 CONTEXTO Características do Trabalho no

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Apresentação O programa de MBA em Estratégia e Liderança Empresarial tem por objetivo preparar profissionais para

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Educação Física Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 7º 1 - Ementa (sumário, resumo) Educação

Leia mais

A ABORDAGEM DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHO NOS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA. Palavras-chave: Ensino de química; histórias em quadrinhos; livro didático.

A ABORDAGEM DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHO NOS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA. Palavras-chave: Ensino de química; histórias em quadrinhos; livro didático. A ABORDAGEM DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHO NOS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA Fabricio Santos Almeida 1 Márcia Cristiane Eloi Silva Ataide 2 1 Licenciando em Química, Universidade Federal do Piauí - UFPI. 2 Professora

Leia mais

Curso Balanced Scorecard como ferramenta de Gestão por Indicadores

Curso Balanced Scorecard como ferramenta de Gestão por Indicadores Curso Balanced Scorecard como ferramenta de Gestão por Indicadores O Planejamento Estratégico deve ser visto como um meio empreendedor de gestão, onde são moldadas e inseridas decisões antecipadas no processo

Leia mais

Trabalhando Matemática: percepções contemporâneas

Trabalhando Matemática: percepções contemporâneas DOMÍNIO E IMAGEM DE UMA FUNÇÃO: UMA ABORDAGEM POR MEIO DO JOGO BINGO DAS FUNÇÕES Educação Matemática nos Anos Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio (EMAIEFEM) GT 10 ADELSON CARLOS MADRUGA Universidade

Leia mais

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO: PEDAGOGIA

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO: PEDAGOGIA SUBPROJETO: PEDAGOGIA Alfabetizar letrando com as tecnologias INTRODUÇÃO A escola necessita formar seu aluno a aprender a ler o mundo, ter autonomia para buscar seu conhecimento, incentivá-lo a ser autor

Leia mais

ANO 1 EDIÇÃO 2 DEZ 2013. Academia Coaching, Mentoring, Tutoria ou Career Couseling. Carreira em foco Frente a frente com a oportunidade.

ANO 1 EDIÇÃO 2 DEZ 2013. Academia Coaching, Mentoring, Tutoria ou Career Couseling. Carreira em foco Frente a frente com a oportunidade. ANO 1 EDIÇÃO 2 DEZ 2013 Academia Coaching, Mentoring, Tutoria ou Career Couseling Carreira em foco Frente a frente com a oportunidade Coaching EDITORIAL EXPEDIENTE A revista M&M Desenvolvimento Humano

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES AVALIAÇÃO DE COLABORADORES RESUMO A preocupação com o desempenho dos colaboradores é um dos fatores que faz parte do dia-a-dia da nossa empresas. A avaliação de desempenho está se tornando parte atuante

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

COACHING: UMA NOVA FERRAMENTA PARA O SUCESSO E QUALIDADE DE VIDA.

COACHING: UMA NOVA FERRAMENTA PARA O SUCESSO E QUALIDADE DE VIDA. COACHING: UMA NOVA FERRAMENTA PARA O SUCESSO E QUALIDADE DE VIDA. Prof. Dr. Edson Marques Oliveira, Doutor em Serviço Social pela Unesp-Franca-SP, mestre em Serviço Social pela PUC-SP e bacharel em Serviço

Leia mais

FAÇA AGORA SUA FORMAÇÃO EM COACHING COM CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL A MAIOR ESCOLA DE COACHING DE MINAS.

FAÇA AGORA SUA FORMAÇÃO EM COACHING COM CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL A MAIOR ESCOLA DE COACHING DE MINAS. FAÇA AGORA SUA FORMAÇÃO EM COACHING COM CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL A MAIOR ESCOLA DE COACHING DE MINAS. IWRCOACHING É uma empresa jovem e dinâmica que continua crescendo e se expandindo a cada dia, com

Leia mais

Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos Humanos e das Comunicações

Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos Humanos e das Comunicações ENAP Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gerência de Projetos - Teoria e Prática Conteúdo para impressão Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Marketing Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Marketing. 1. Introdução Os Projetos

Leia mais

Desenvolvimento de Liderança Motivação e Trabalho em Equipe

Desenvolvimento de Liderança Motivação e Trabalho em Equipe Desenvolvimento de Liderança Motivação e Trabalho em Equipe Eduardo Rocha Diretor da DSG Consultoria Capacitar seus colaboradores, do gerente aos coordenadores é o melhor caminho para melhorar a eficácia

Leia mais

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar Colégio La Salle São João Professora Kelen Costa Educação Infantil Educação Infantil- Brincar também é Educar A importância do lúdico na formação docente e nas práticas de sala de aula. A educação lúdica

Leia mais

Seminários Públicos Hay Group 2010

Seminários Públicos Hay Group 2010 Seminários Públicos Hay Group 2010 São Paulo, outubro de 2009 É com grande satisfação que estamos lhe apresentando nosso portfólio de seminários abertos Hay Group 2010. Esclarecemos que todos os seminários

Leia mais

Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1

Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1 Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1 É comum hoje entre os educadores o desejo de, através da ação docente, contribuir para a construção

Leia mais

Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais. Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail.

Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais. Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail. Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail.com Perspectivas de análise: EAD e mudança Perspectivas de análise:

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

Porque Educação Executiva Insper

Porque Educação Executiva Insper 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo atual exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

I Simpósio COACHING - Arte e Ciência CRASP

I Simpósio COACHING - Arte e Ciência CRASP I Simpósio COACHING - Arte e Ciência CRASP COACHING EMPRESARIAL: A IMPORTÂNCIA DO COACHING COMO SUPORTE ÀS EMPRESAS ROSA R. KRAUSZ CONTRIBUIÇÃO DAS PMEs NO BRASIL (IBGE-2010) 20% do PIB brasileiro (R$

Leia mais

REFLEXÃO. (Warren Bennis)

REFLEXÃO. (Warren Bennis) RÉSUMÉ Consultora nas áreas de Desenvolvimento Organizacional e Gestão de Pessoas; Docente de Pós- Graduação; Coaching Experiência de mais de 31 anos na iniciativa privada e pública; Doutorado em Administração;

Leia mais

Mário Rocha. A contribuição do Coaching no desenvolvimento das competências

Mário Rocha. A contribuição do Coaching no desenvolvimento das competências Mário Rocha A contribuição do Coaching no desenvolvimento das competências Missão Visão Objetivos estratégicos Competências Organizacionais Competências Conhecimento o que saber Habilidades - saber fazer

Leia mais

SEJAM BEM-VINDOS! COACHING DE ALTA PERFORMANCE

SEJAM BEM-VINDOS! COACHING DE ALTA PERFORMANCE SEJAM BEM-VINDOS! COACHING DE ALTA PERFORMANCE APRESENTAÇÃO ATENÇÃO DESLIGUE Facebook Celular E-mail ESTA AULA PODE MUDAR SUA CARREIRA ASSUNTOS O que você espera? EXPECTATIVAS Quais são os desafios para

Leia mais

EXECUTIVE EDUCAÇÃO EXECUTIVA NOSSA ABORDAGEM. www.executivebc.com.br

EXECUTIVE EDUCAÇÃO EXECUTIVA NOSSA ABORDAGEM. www.executivebc.com.br EXECUTIVE EDUCAÇÃO EXECUTIVA NOSSA ABORDAGEM www.executivebc.com.br NOSSA ABORDAGEM Nós da Executive acreditamos que necessidades específicas de educação devam ser atendidas por soluções específicas. Desse

Leia mais

PERFIL EMPREENDEDOR DE ALUNOS DE GRADUAÇÃO EM DESIGN DE MODA

PERFIL EMPREENDEDOR DE ALUNOS DE GRADUAÇÃO EM DESIGN DE MODA PERFIL EMPREENDEDOR DE ALUNOS DE GRADUAÇÃO EM DESIGN DE MODA Alini, CAVICHIOLI, e-mail¹: alini.cavichioli@edu.sc.senai.br Fernando Luiz Freitas FILHO, e-mail²: fernando.freitas@sociesc.org.br Wallace Nóbrega,

Leia mais

CONGRESSO CARIOCA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º FEP RJ ABERTURA DO FÓRUM: CONTEXTO GERAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

CONGRESSO CARIOCA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º FEP RJ ABERTURA DO FÓRUM: CONTEXTO GERAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR CONGRESSO CARIOCA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º FEP RJ ABERTURA DO FÓRUM: CONTEXTO GERAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR Acreditamos ser relevante abordar de forma rápida o contexto atual da Educação Física Escolar

Leia mais

A importância dos Registros de Representação Semiótica no Ensino da Matemática

A importância dos Registros de Representação Semiótica no Ensino da Matemática A importância dos Registros de Representação Semiótica no Ensino da Matemática PROF. MS. JOSÉ JOÃO DE MELO (josejoaomelo@gmail.com) PROF ESP. AUGUSTO RATTI FILHO (gutoratti@outlook.com.br) PROF DR. ROGERIO

Leia mais

Como transformar a sua empresa numa organização que aprende

Como transformar a sua empresa numa organização que aprende Como transformar a sua empresa numa organização que aprende É muito interessante quando se fala hoje com profissionais de Recursos Humanos sobre organizações que aprendem. Todos querem trabalhar em organizações

Leia mais

Gui Coaching. Despertando consciência e habilidades

Gui Coaching. Despertando consciência e habilidades Gui Coaching Despertando consciência e habilidades Conteúdo 01 Gui Coaching 04 Clientes A jornada Atendidos 02 Serviços 05 Sobre mim O que eu faço Guilherme França 03 Depoimentos De quem já se transformou

Leia mais