Consumidor de Seguros

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Consumidor de Seguros"

Transcrição

1 4ª Conferência Proteção do Consumidor de Seguros Iniciativas de educação financeira o que é o seguro, para que serve, qual o valor para o segurado Sandro Leal Alves 7 de maio de 2014

2 O que é saúde suplementar, qual a importância para o segurado e para a sociedade

3 Pauta 1) FenaSaúde 2) Setor de Saúde Suplementar - Relevância Econômica e Social 3) Quatro equívocos financeiros comuns na saúde suplementar: - Mutualismo versus Acumulação (Poupança) - Variação do Custo Médico Hospitalar VCMH versus Inflação - Reajuste Anual e Reajuste por Faixa Etária - Uso consciente dos serviços versus restrição de acesso 4) Canais de informações para consumidor 5) Conclusão 3

4 Grupos associados a FenaSaúde FenaSaúde ALLIANZ SAÚDE S.A CARE PLUS MEDICINA ASSISTENCIAL LTDA CAIXA SEGURADORA ESPESCIALIZADA EM SAÚDE S.A GRUPO AMIL SAÚDE GRUPO BRADESCO SAÚDE GRUPO INTERMÉDICA GRUPO SUL AMÉRICA SAÚDE GOLDEN CROSS ASSISTENCIA INTERNACIONAL DE SAÚDE LTDA ITAUSEG SAÚDE S.A MARÍTIMA SAÚDE SEGUROS S.A METLIFE PLANOS ODONTOLÓGICOS LTDA ODONTOPREV OMINT SERVIÇOS DE SAÚDE LTDA PORTO SEGURO - SEGURO SAÚDE S.A SALUTAR SAÚDE SEGURADORA S.A TEMPO SAÚDE UNIMED SEGUROS SAÚDE S.A

5 FenaSaúde Associadas à FenaSaúde: 17 grupos empresariais 31 operadoras 13 seguradoras 12 medicinas de grupo 6 odontologias de grupo Beneficiários : 27,1 milhões de pessoas 38,1% do total (Dez/2013) Despesas assistenciais : R$ 35,7 bilhões - 38,9% do total do mercado

6 Setor de saúde suplementar Panorama da saúde suplementar - FenaSaúde e Mercado Modalidade Operadoras 1 Beneficiários 2 Despesa Total 3 Sinistralidade 4 (%) Medicina de grupo ,8 32,0 32,0 80,9 Cooperativa médica ,0 38,5 38,4 82,2 Seguradora especializada em saúde 12 7,5 24,4 23,0 81,2 Autogestão 188 5,3 12,1 13,1 92,4 Filantropia 75 1,6 2,3 3,6 82,3 Odontologia de grupo ,8 2,0 1,5 39,8 Cooperativa odontológica 115 3,1 0,5 0,5 59,4 FenaSaúde ,1 44,3 42,3 80,5 Mercado ,0 112,8 112,7 81, Receita Taxa de cobertura (26%), crescimento acima do crescimento populacional, mais da metade do financiamento do setor é privado Fontes: DIOPS/ANS - Extraído em 11/4/14. TABNET/ANS - Extraído em 18/03/14. Notas: ¹Quantidade de operadoras com registro ativo e com beneficiários em dez/13. ²Quantidade em milhões - dez/13. ³Considera as despesas assistenciais, administrativas, com comercialização e impostos. 4 Razão entre despesa assistencial e a receita de contraprestações. 5 Inclui todas as operadoras associadas à FenaSaúde em dez/13 - Resultado em R$ bilhões. 6 Contempla os dados das Administradoras de Benefícios - Resultado em R$ bilhões. 6

7 Setor de saúde suplementar Quantidade de eventos na assistência médica - FenaSaúde Eventos 2013 Δ(%) (mil) 2013/2012 Total¹ ,9 Consultas médicas ,4 Exames complementares ,0 Terapias ,2 Outros atendimentos ambulatoriais² ,2 Internações ,1 Beneficiários de Assist. Médica ,6 Fonte: SIP/ANS - Extraído em 28/3/14. Notas: ¹Não inclui procedimentos odontológicos. ²Atendimentos realizados em regime ambulatorial de caráter eletivo, urgência ou emergência. Inclui atendimentos com profissionais de nível superior. Crescimento dos exames e internações. 7

8 Indicadores Assistenciais Taxas de RNM, TC e consultas Brasil e países selecionados OCDE País Ressonância nuclear magnética por hab. Tomografia computadorizada por hab. Consultas per capita Brasil Sistema Público (SUS)¹ (2012) 4,5 18,4 3,5 Saúde Suplementar (2012) 90,1 95,1 5,6 FenaSaúde² (2013) 144,9 145,7 5,3 Média OCDE 48,3 128,2 6,5 Alemanha (2009) 95,2 117,1 9,7 Austrália (2012) 26,1 104,3 6,9 Canadá (2011) 49,8 127,0 7,4 Estados Unidos (2011) 102,7 273,8 4,1 França (2011) 67,5 154,5 6,8 Reino Unido (2010) 41,4 77,5 5,0 Fontes: FenaSaúde - SIP/ANS - Extraído em 28/3/14. SUS - DATASUS - Extraído em 28/12/13. IBGE - Projeção da população do Brasil por sexo e idade para o período Organisation for Economic Co-operation and Development (OECD) Health Data 2013 Notas: ¹Não inclui a população beneficiária de planos médicos da Saúde Suplementar. ²Os valores apurados para o Brasil nesta edição são diferentes daqueles apresentados na 4ª edição em razão da atualização do número de beneficiários realizada pela ANS e da nova projeção da população do IBGE. 8

9 Mutualismo versus Acumulação (Poupança)

10 Modelo de Financiamento Despesas per capita Baixas Muitos beneficiários com pouca utilização Mutualismo Receitas Operadora de Planos de Saúde Pagamento do Total de Despesas Poucos beneficiários com muita utilização Despesas per capita Elevadas Fonte de arrecadação: Prêmios ou Contraprestações Mensais 10

11 Variação do Custo Médico Hospitalar VCMH versus Inflação

12 VCMH: Preço x Quantidade (Frequência) Evolução dos indicadores de utilização Evento: internação 0,140 0,120 0,100 0,080 0,060 0,040 0,020 Nº eventos por segurado/ano Sinistro médio - R$ 0,13 0, ,00 0,12 4º/3º 4º/3º 0, ,00-3,87% 13,69% 4º/1º -8,96% 8.025, , , , , , , ,58 4º/1º 59,87% 0,000 1º Período 2º Período 3º Período 4º Período 25,00 1º Período 2º Período 3º Período 4º Período 100,00 Prêmio de risco per capita/mês R$ 90,00 80,00 70,00 60,00 50,00 65,32 86,22 86,99 95,07 4º/3º 9,29% 40,00 30,00 20,00 4º/1º 45,55% 10,00 1º Período 2º Período 3º Período 4º Período Obs.: valores ajustados para manter o perfil etário

13 Percent Annual Increase in National Health Expenditures (NHE) per Capita vs. Increase in Consumer Price Index (CPI), % 14% 12% Annual Increase in NHE per Capita Annual Increase in CPI 10% 8% 6% 4% 2% 0% 818,0% 216,3% -2% SOURCE: Kaiser Family Foundation calculations using NHE data from Centers for Medicare and Medicaid Services, Office of the Actuary, National Health Statistics Group, at (see Historical; National Health Expenditures by type of service and source of funds; file nhe12.zip), and CPI data from Bureau of Labor Statistics at ftp://ftp.bls.gov/pub/special.requests/cpi/cpiai.txt (All Urban Consumers, All Items, =100, Not Seasonally Adjusted, U.S. city average).

14 Variação anual acumulada da despesa assistencial (DA) e do IPCA 100,5 Diferença entre a variação acumulada da despesa assistencial per capita e o IPCA em 11 anos é de 100,5% Fontes: Documento de informações periódicas das operadoras de planos de assistência à saúde - DIOPS/ANS. SIB Tabnet. IBGE. Elaboração FenaSaúde

15 Reajuste Anual e Reajuste por Faixa Etária

16 Proporção de pessoas que referiram doenças crônicas Fonte: Pesquisa Unidas Nota: Segmento de Autogestão (Custo médio assistencial/beneficiário/ano, por faixa etária (RN N 63/2003) 10 faixas etárias.) 16

17 Precificação Custo assistencial por faixa etária preço único = custo médio Optam Não optam Risco médio 17

18 Precificação Pacto entre gerações: Jovens contribuem mais que custo para que idosos possam contribuir menos que o custo 18

19 Preços por faixa etária Normas e vigência Faixas Outras regras Res. CONSU nº 06/98 Res. RN nº 63/03 Até a em diante Não definidas Fixado em contrato 0 a 18 0 a a a a a a a a a a a 69; 44 a ou mais 49 a a ou mais Valor da última faixa 6 vezes o valor da primeira Veda variação aos 60, para quem tem plano há 10+ anos variação da 7ª a10ª variação da 1ª a 7ª 19

20 Uso consciente dos serviços versus restrição de acesso

21 Uso consciente do seguro saúde Aspirações do indivíduo Vida longa, prazerosa, saudável, sem dor Diagnóstico rápido e preciso Tratamento para recuperação segura, rápida e sem sofrimento Acesso ao último grito da tecnologia preferência pelas mais sofisticadas e caras Uso cada vez mais frequente dos recursos da medicina: Estamos usando mais serviços médicos: mais cuidados, mais diagnósticos, mais prescrições... Mas estamos tendo mais saúde? Promoção da saúde e prevenção da doença Em tese, deseja, pois está convencido da importância Na prática sucumbe às tentações do prazer imediato ás custas do amanhã

22 Uso consciente do seguro saúde Consumerismo consumo responsável - avalia consequências do consumo busca de valor serviços por real Medir valor precisa construir indicadores e medi-los Responsabilização do indivíduo o indivíduo é sempre o pagador em última instância, mas nem sempre é o que lhe parece racionalidade individual difere da coletiva (Tragédia dos Comuns) Em consequência Tende a consumir em excesso, pressionando custos Menospreza a adoção de hábitos saudáveis de vida Hábitos inadequados afetam a ele no futuro e também toda a coletividade

23 Canais de informações para consumidor Hotsite Facebook Boletins de Indicadores Guia do Consumidor

24 Link: Hotsite

25 Uso consciente DIREITOS E DEVERES Ser auxiliado por um médico no preenchimento de sua declaração de saúde, quando admitido no plano; Ter acesso aos serviços de saúde contratados e à relação atualizada da rede credenciada; Ter acesso a informações claras sobre seu plano de saúde, por intermédio do corretor, do RH de sua empresa, do contrato e dos diversos canais de atendimento da operadora; Ter a garantia de que as informações sobre a sua condição de saúde serão mantidas em sigilo; Receber o reembolso de atendimentos prestados fora da rede de serviços da operadora nos limites estabelecidos no contrato, quando tiver direito;. Não ser discriminado no agendamento ou realização de serviços na rede credenciada, por ser beneficiário de plano de saúde. Fazer uso consciente do seu plano de saúde; Não emprestar o Cartão de Identificação para o atendimento a outras pessoas, o que é considerado fraude, e poderá acarretar o cancelamento do contrato; Ser responsável, colaborar e seguir as orientações do profissional de saúde para o êxito do tratamento prescrito; Fornecer informações corretas sobre seu estado de saúde e/ou de seus dependentes à operadora de planos de saúde. Essas informações devem ser tratadas de forma confidencial preservando o sigilo profissional; Apresentar recibos originais e outros documentos necessários para reembolso das despesas realizadas com a assistência à saúde; Comunicar à operadora as situações que possam indicar fraude ou desperdício ao plano, bem como qualquer intercorrências que comprometam a qualidade do atendimento; Fonte: Hotsite: Plano de Saúde O que Saber -

26 Mutualismo O mutualismo tem como princípio a solidariedade entre pessoas diferentes mas que têm um interesse em comum. No caso da saúde suplementar, para viabilizar o acesso aos serviços, os interessados se associam em uma carteira de beneficiários, contribuindo para um fundo comum, administrado pelas operadoras de planos de saúde. Os valores das mensalidades que você e outras pessoas, ou as empresas contratantes pagam como mensalidade a um plano de saúde são geridos pelas operadoras de planos de saúde, que têm o papel de administrar esse fundo comum. Fonte: Hotsite: Plano de Saúde O que Saber -

27 Canais de informações para consumidor Hotsite: Plano de Saúde O que saber Conteúdo fixo sobre o funcionamento dos planos de saúde, contratos e uso consciente do seu plano Conteúdo dinâmico (2 atualizações semanais) com informações sobre: Colunas da FenaSaúde publicadas nos períodos Hábitos de vida Legislação da saúde suplementar

28 Link: https://www.facebook.com/planodesaudeoquesaber Facebook

29 Facebook Fanpage: Plano de Saúde O que saber Atualização diária Conteúdo informativo sobre: Hábitos de vida Uso consciente do seu plano de saúde Legislação dos planos de saúde

30 Boletins da FenaSaúde 30

31 Guia do Consumidor

32 Obrigado Sandro Leal Alves Gerente-Geral

CÂMARA DOS DEPUTADOS - CSSF Audiência Pública

CÂMARA DOS DEPUTADOS - CSSF Audiência Pública CÂMARA DOS DEPUTADOS - CSSF Audiência Pública Discutir a situação da pediatria no âmbito do Sistema Único de Saúde SUS e na Saúde Suplementar José Cechin 27 maio 2014 Agenda FenaSaúde Crescimento dos custos

Leia mais

8ª Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos - Hospitalar

8ª Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos - Hospitalar 8ª Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos - Hospitalar Impactos da Contratualização na Saúde Suplementar e as várias visões do Relacionamento Comercial Sandro Leal Alves 22 de maio de

Leia mais

MERCADO DE SAÚDE SUPLEMENTAR

MERCADO DE SAÚDE SUPLEMENTAR MERCADO DE SAÚDE SUPLEMENTAR RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO TRIMESTRAL (Versão Final) Data base: 4º trimestre/ Versão 4: 16/5/2014 Informações de beneficiários (SIB) disponibilizadas em 18/3/2014 Informações

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO TRIMESTRAL Econômico-financeiro. Competência: 2014 Versão 2: 28/5/15 DIOPS disponível em 30/4/15

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO TRIMESTRAL Econômico-financeiro. Competência: 2014 Versão 2: 28/5/15 DIOPS disponível em 30/4/15 RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO TRIMESTRAL Econômico-financeiro Competência: 2014 Versão 2: 28/5/15 DIOPS disponível em 30/4/15 SUMÁRIO EXECUTIVO O Relatório de Acompanhamento do Mercado de Saúde Suplementar

Leia mais

Audiência Pública. DF, 10mai2011

Audiência Pública. DF, 10mai2011 Audiência Pública DF, 10mai2011 FENASAÚDE Associadas 15 grupos empresariais Beneficiários 2010 20,2 milhões 33,6% do mercado planos médicos e odontológicos R$ 21,7 bilhões Despesas Assistenciais: (37,5%)

Leia mais

Variação da Despesa Assistencial

Variação da Despesa Assistencial Por Dentro da saúde suplementar Variação da Despesa Assistencial per capita Um dos maiores desafios para a sustentabilidade do mercado de saúde suplementar é o aumento progressivo dos custos médico-hospitalares

Leia mais

Não Conformidade Combatendo o OVER USE no Sistema de Saúde Suplementar

Não Conformidade Combatendo o OVER USE no Sistema de Saúde Suplementar Construindo Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável das Autogestões Não Conformidade Combatendo o OVER USE no Sistema de Saúde Suplementar José Cechin FenaSaúde FENASAÚDE Federação Nacional de Saúde

Leia mais

Perspectivas do Setor Privado da Saúde e os Planos Populares GVSaúde

Perspectivas do Setor Privado da Saúde e os Planos Populares GVSaúde Perspectivas do Setor Privado da Saúde e os Planos Populares GVSaúde José Cechin FGV, SP, 29.09.2016 FenaSaúde 2 FenaSaúde Junho de 2016 18 grupos empresariais 23 operadoras associadas Beneficiários 28,8

Leia mais

Desperdícios na Saúde

Desperdícios na Saúde XI CONGRESSO NACIONAL e XV SIMPÓSIO DE AUDITORIA E GESTÃO EM SAÚDE Desperdícios na Saúde Roberto Márcio Viana Porto Alegre, 14 outubro 2016 FenaSaúde 2 FenaSaúde Junho de 2016 18 grupos empresariais 24

Leia mais

Fórum Nacional do Judiciário para Monitoramento e Resolução das Demandas de Assistência à Saúde 19 de novembro de 2010

Fórum Nacional do Judiciário para Monitoramento e Resolução das Demandas de Assistência à Saúde 19 de novembro de 2010 Os planos de saúde privados e o Código do Consumidor Principais questões geradoras de conflito e análise econômica: reajuste Fórum Nacional do Judiciário para Monitoramento e Resolução das Demandas de

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar 1. Informações Gerais Os números divulgados pela ANS, com database de setembro de 2009, mostram crescimento de 1,6% no número de beneficiários

Leia mais

Audiência Pública Financiamento da Saúde. Comissão sobre o Financiamento do Sistema de Saúde do Brasil Brasília (DF), 23 de maio de 2013

Audiência Pública Financiamento da Saúde. Comissão sobre o Financiamento do Sistema de Saúde do Brasil Brasília (DF), 23 de maio de 2013 Audiência Pública Financiamento da Saúde Comissão sobre o Financiamento do Sistema de Saúde do Brasil Brasília (DF), 23 de maio de 2013 1 Federação Nacional de Saúde Suplementar Associadas: 17 grupos empresariais

Leia mais

FINANCIAMENTO PÚBLICO E PRIVADO DA SAÚDE NO BRASIL

FINANCIAMENTO PÚBLICO E PRIVADO DA SAÚDE NO BRASIL FINANCIAMENTO PÚBLICO E PRIVADO DA SAÚDE NO BRASIL Gabriel Tannus FGV -NOVEMBRO DE 2013 A RESPONDER Alinhamento do setor privado às políticas e diretrizes do SUS Ações do Estado que impactam diretamente

Leia mais

BOLETIM DA SAÚDE SUPLEMENTAR. Indicadores Econômico-Financeiros e de Beneficiários

BOLETIM DA SAÚDE SUPLEMENTAR. Indicadores Econômico-Financeiros e de Beneficiários BOLETIM DA SAÚDE SUPLEMENTAR Indicadores Econômico-Financeiros e de Beneficiários SUMÁRIO Apresentação 03 04 08 12 16 20 24 28 38 42 APRESENTAÇÃO CAPÍTULO 1 A FenaSaúde no mercado de saúde suplementar

Leia mais

Boletim da Saúde Suplementar

Boletim da Saúde Suplementar Boletim da Saúde Suplementar Indicadores Assistenciais 2 a Edição - Agosto 2012 SUMÁRIO 4 5 9 13 15 19 21 26 Apresentação Fontes e usos da receita Consultas ou sessões - atendimento ambulatorial Internações

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS 32ª Edição Junho de 2015 Sumário Executivo Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (dez/14): 50.819.735; Taxa

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS 35ª Edição Sumário Executivo Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (set/15): 50.261.602; Crescimento do número

Leia mais

Agência Nacional de Saúde Suplementar. A agência reguladora dos planos de saúde do Brasil

Agência Nacional de Saúde Suplementar. A agência reguladora dos planos de saúde do Brasil Agência Nacional de Saúde Suplementar A agência reguladora dos planos de saúde do Brasil O que é a ANS A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) é uma agência reguladora do Governo Federal vinculada

Leia mais

Sustentabilidade da Saúde Suplementar

Sustentabilidade da Saúde Suplementar Sustentabilidade da Saúde Suplementar Rafael Pedreira Vinhas Gerente-Geral Gerência-Geral Regulatória da Estrutura dos Produtos Fórum de Regulação do Sistema Unimed - Maceió, 11 de maio de 2016. Agência

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS E DE BENEFICIÁRIOS. Boletim da saúde suplementar

INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS E DE BENEFICIÁRIOS. Boletim da saúde suplementar INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS E DE BENEFICIÁRIOS Boletim da saúde suplementar 2 a edição Dezembro 2012 SUMÁRIO 03 APRESENTAÇÃO 04 06 SUMÁRIO EXECUTIVO BENEFICIÁRIOS 1 1.1 - Planos médicos por cobertura

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO TRIMESTRAL Beneficiários

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO TRIMESTRAL Beneficiários RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO TRIMESTRAL Beneficiários Competência: Março/15 Versão 2: 28/5/15 SIB disponível em 21/4/15 SU MÁRIO EXECUTIVO O Relatório de Acompanhamento do Mercado de Saúde Suplementar apresenta

Leia mais

VGBL/PGBL/Capitalização

VGBL/PGBL/Capitalização VGBL/PGBL/Capitalização Marcelo Motta Gerente-Geral Gerência-Geral Econômico-Financeira e Atuarial dos Produtos GGEFP/DIPRO Agenda Regulatória Eixo 1: Modelo de Financiamento do Setor (Envelhecimento e

Leia mais

Desafios e Perspectivas para a Saúde Suplementar

Desafios e Perspectivas para a Saúde Suplementar Desafios e Perspectivas para a Saúde Suplementar Lenise Barcellos de Mello Secchin Chefe de Gabinete São Paulo, 06 de maio de 2016. Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS Agência reguladora federal

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS E DE BENEFICIÁRIOS

INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS E DE BENEFICIÁRIOS INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS E DE BENEFICIÁRIOS Boletim da Saúde Suplementar ed. 03 fevereiro 2013 Apresentação A FenaSaúde Federação Nacional de Saúde Suplementar apresenta a terceira edição, em

Leia mais

8º Congresso Brasileiro de Gestão em Clínicas de Serviço de Saúde. José Cechin SP, 24.mai.2013

8º Congresso Brasileiro de Gestão em Clínicas de Serviço de Saúde. José Cechin SP, 24.mai.2013 8º Congresso Brasileiro de Gestão em Clínicas de Serviço de Saúde José Cechin SP, 24.mai.2013 1 Gestão da Qualidade Adote o processo, escolha depois 2 FENASAUDE 3 FenaSaúde Associadas: 17 grupos empresariais

Leia mais

Farias Pereira de Sousa Brasilia, 25 de Novembro de 2011. O Corretor no Cenário da Saúde Suplementar

Farias Pereira de Sousa Brasilia, 25 de Novembro de 2011. O Corretor no Cenário da Saúde Suplementar Farias Pereira de Sousa Brasilia, 25 de Novembro de 2011 O Corretor no Cenário da Saúde Suplementar A Saúde Privada no Brasil A Lei 9.656/98 Corrigiu distorções, introduziu regras e obrigações importantes

Leia mais

6º Seminário SINDHOSP e Grupo Fleury

6º Seminário SINDHOSP e Grupo Fleury 6º Seminário SINDHOSP e Grupo Fleury Saúde Suplementar Oportunidades e Desafios para o Crescimento São Paulo 16.abril.2013 Federação Nacional de Saúde Suplementar FENASAÚDE 2 Federação Nacional de Saúde

Leia mais

A regulação estatal. Lei nº 9.656/1998 dispõe sobre planos e seguros privados de assistência à saúde

A regulação estatal. Lei nº 9.656/1998 dispõe sobre planos e seguros privados de assistência à saúde Saúde Suplementar Cadernos EBAPE, Vilarinho, P.F, 2010 A regulação estatal Lei nº 9.656/1998 dispõe sobre planos e seguros privados de assistência à saúde Conselho de Saúde Suplementar CONSU Órgão colegiado,

Leia mais

SINDHOSP e Grupo Fleury. Diretoria de Desenvolvimento Setorial DIDES/ANS Abril de 2013

SINDHOSP e Grupo Fleury. Diretoria de Desenvolvimento Setorial DIDES/ANS Abril de 2013 SINDHOSP e Grupo Fleury Diretoria de Desenvolvimento Setorial DIDES/ANS Abril de 2013 (R$ bilhões) Receita de Contraprestações e Despesa Assistencial Operadoras Médico-Hospitalares (Brasil 2003-125,0 100,0

Leia mais

Variação dos Custos Médico-Hospitalares Setembro 2009

Variação dos Custos Médico-Hospitalares Setembro 2009 Variação dos Custos Médico-Hospitalares Setembro 2009 Equipe técnica: José Cechin - Superintendente Executivo Carina Burri Martins Francine Leite 1 Introdução O VCMH é uma medida da variação das despesas

Leia mais

Audiência Pública sobre a venda da AMIL para a UNITED HEALTH

Audiência Pública sobre a venda da AMIL para a UNITED HEALTH Audiência Pública sobre a venda da AMIL para a UNITED HEALTH Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados Brasília (DF), 21 de maio de 2013 1 Federação Nacional de Saúde Suplementar

Leia mais

GT INTERÁREAS MECANISMOS DE REGULAÇÃO

GT INTERÁREAS MECANISMOS DE REGULAÇÃO GT INTERÁREAS MECANISMOS DE REGULAÇÃO Clique para editar o nome do autor Clique para editar o cargo do autor GERÊNCIA GERAL REGULATÓRIA DA ESTRUTURA DOS PRODUTOS DIRETORIA DE PRODUTOS Clique para NOVEMBRO/2016

Leia mais

CMB - X Congresso Nacional das Operadoras e Hospitais em Saúde Suplementar Painel: Melhorando a Gestão em Operadoras e Hospitais - Operadoras

CMB - X Congresso Nacional das Operadoras e Hospitais em Saúde Suplementar Painel: Melhorando a Gestão em Operadoras e Hospitais - Operadoras CMB - X Congresso Nacional das Operadoras e Hospitais em Saúde Suplementar Painel: Melhorando a Gestão em Operadoras e Hospitais - Operadoras 22/07/2015 4º no Ranking nacional Medicina de Grupo 1º Empresa

Leia mais

Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor. Brasília 03.abril.2013

Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor. Brasília 03.abril.2013 Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor Brasília 03.abril.2013 Federação Nacional de Saúde Suplementar Associadas: 15 grupos empresariais Beneficiários: 25 milhões (37.2%)

Leia mais

A Abramge e os Desafios da Saúde Suplementar no Brasil FRANCISCO SANTA HELENA CENTRO CLINICO GAUCHO ABRAMGE RS/SINAMGE

A Abramge e os Desafios da Saúde Suplementar no Brasil FRANCISCO SANTA HELENA CENTRO CLINICO GAUCHO ABRAMGE RS/SINAMGE A Abramge e os Desafios da Saúde Suplementar no Brasil FRANCISCO SANTA HELENA CENTRO CLINICO GAUCHO ABRAMGE RS/SINAMGE Outubro/2016 Planos de Saúde no Brasil Assim começou no país o sistema privado de

Leia mais

ENCONTRO NACIONAL UNIMED DE VENDAS

ENCONTRO NACIONAL UNIMED DE VENDAS Atenção Primária à Saúde A experiência da Unimed-BH Triple Aim Como está nosso modelo tradicional de plano de saúde nestes 3 quesitos? Custos do cuidado http://www.iess.org.br/?p=publicacoes&id_tipo=13

Leia mais

Cenário do Mercado de Saúde de Saúde Suplementar. Problemas e Soluções

Cenário do Mercado de Saúde de Saúde Suplementar. Problemas e Soluções Cenário do Mercado de Saúde de Saúde Suplementar Problemas e Soluções Contratos Pessoa Jurídica Atuação Comercial Os Contratos serão comercializados respeitando-se integralmente o Manual de Intercâmbio

Leia mais

15 anos da ANS O desafio de regular um mercado imperfeito

15 anos da ANS O desafio de regular um mercado imperfeito 15 anos da ANS O desafio de regular um mercado imperfeito Angélica Villa Nova De Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 13 de abril de 2015 Sumário Sobre a

Leia mais

BOLETIM DA SAÚDE SUPLEMENTAR Beneficiários de Planos e Seguros Privados de Saúde

BOLETIM DA SAÚDE SUPLEMENTAR Beneficiários de Planos e Seguros Privados de Saúde BOLETIM DA SAÚDE SUPLEMENTAR Beneficiários de Planos e Seguros Privados de Saúde Uma análise da distribuição geográfica e a influência do mercado de trabalho no desempenho do setor (2005-2015) EDIÇÃO ESPECIAL

Leia mais

COMISSÃO PARITÁRIA CUSTEIO DO PLANO DE SAÚDE ACT 2016/2017 (Continuação) 28/nov/2016

COMISSÃO PARITÁRIA CUSTEIO DO PLANO DE SAÚDE ACT 2016/2017 (Continuação) 28/nov/2016 COMISSÃO PARITÁRIA CUSTEIO DO PLANO DE SAÚDE ACT 2016/2017 (Continuação) 28/nov/2016 Planos de Saúde Beneficiários de Planos de Saúde Eu acho que estamos vivendo um momento crítico. Temos custos assistenciais

Leia mais

Encontro Nacional Unimed de Vendas 19 de maio de 2016

Encontro Nacional Unimed de Vendas 19 de maio de 2016 Encontro Nacional Unimed de Vendas 19 de maio de 2016 CENTRAL NACIONAL UNIMED Dr. Aiodair Martins Junior Diretor Superintendente Unimed de Ribeirão Preto CONTRATOS COLETIVOS POR ADESÃO Conceito São contratados

Leia mais

BENEFÍCIOS E LONGEVIDADE

BENEFÍCIOS E LONGEVIDADE BENEFÍCIOS E LONGEVIDADE Preparando-se para o futuro José Cechin CONARH, 21 agosto 2008 São Paulo Temas a desenvolver Conceitos Demografia O que vem junto com a maior longevidade Solidariedade em cheque

Leia mais

Conjuntura - Saúde Suplementar

Conjuntura - Saúde Suplementar Conjuntura - Saúde Suplementar 31º Edição - Junho de 2016 Sumário Conjuntura da Saúde Suplementar 1) Emprego e Planos coletivos 3 2) Renda e Planos individuais 4 3) PIB e Receita/Despesa das operadoras

Leia mais

Relatório Mensal - janeiro a julho

Relatório Mensal - janeiro a julho ACOMPANHE NOSSA GESTÃO 2016 Relatório Mensal - janeiro a julho ANS nº 30731-9 BALANÇO DOS PRIMEIROS SETE MESES A partir desse mês, a Cabergs Saúde apresentará, periodicamente, os seus principais números.

Leia mais

GESTÃO DE NEGÓCIOS DE SAÚDE Unifor Mar/14

GESTÃO DE NEGÓCIOS DE SAÚDE Unifor Mar/14 GESTÃO DE NEGÓCIOS DE SAÚDE Unifor Mar/14 1. Evolução da saúde suplementar no Brasil 2. Aspectos legais e gerenciais de planos de saúde Prof. Galba Freire Moita PhD Student -Univ Coimbra Gestão e Decisão

Leia mais

AVM Faculdade Integrada MBA em Regulação Pedro Henrique de Moraes Papastawridis ESTUDO DESCRITIVO AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR (ANS)

AVM Faculdade Integrada MBA em Regulação Pedro Henrique de Moraes Papastawridis ESTUDO DESCRITIVO AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR (ANS) AVM Faculdade Integrada MBA em Regulação Pedro Henrique de Moraes Papastawridis ESTUDO DESCRITIVO AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR (ANS) Rio de Janeiro 2016 AVM Faculdade Integrada MBA em Regulação

Leia mais

ANS divulga teto de reajuste autorizado para planos individuais

ANS divulga teto de reajuste autorizado para planos individuais ANS divulga teto de reajuste autorizado para planos individuais Publicado em: 03/06/2016 (ans.gov.br) A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) fixou em até 13,57% o índice de reajuste a ser aplicado

Leia mais

CONSIDERAÇÕES PARA A ASSEMBLEIA DE 22/06/2016

CONSIDERAÇÕES PARA A ASSEMBLEIA DE 22/06/2016 CONSIDERAÇÕES PARA A ASSEMBLEIA DE 22/06/2016 1 INFORMES 1.1- Demonstrações contábeis 2015: Na reunião do Conselho Curador, ocorrida em Brasília/DF no período de 01 e 03 de março de 2016, os Conselheiros

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar 1. Informações Gerais No primeiro semestre de 2008, o número de beneficiários de planos médico-assistenciais cresceu fortemente, 2,6%,

Leia mais

Especificação de Produtos do Plano Brasil de Saúde. Universidade Federal de Uberlândia - UFU

Especificação de Produtos do Plano Brasil de Saúde. Universidade Federal de Uberlândia - UFU Especificação de Produtos do Plano Brasil de Saúde Universidade Federal de Uberlândia - UFU PLANOS COM ABRANGÊNCIA NACIONAL AMIL ASSISTÊNCIA MÉDICA INTERNACIONAL S.A. a) Plano Básico (Amil 120) Plano Ambulatorial

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS E DE BENEFICIÁRIOS

INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS E DE BENEFICIÁRIOS INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS E DE BENEFICIÁRIOS Boletim da Saúde Suplementar ed. 04 junho 2013 Apresentação A FenaSaúde Federação Nacional de Saúde Suplementar apresenta a quarta edição do Boletim

Leia mais

COMISSÃO PARITÁRIA CUSTEIO DO PLANO DE SAÚDE ACT 2016/2017. Novembro/2016

COMISSÃO PARITÁRIA CUSTEIO DO PLANO DE SAÚDE ACT 2016/2017. Novembro/2016 COMISSÃO PARITÁRIA CUSTEIO DO PLANO DE SAÚDE ACT 2016/2017 Novembro/2016 SUMÁRIO Evolução do CorreiosSaúde Situação Atual do Plano Comparativo do Mercado Estudo Atuarial Projeção Atuarial 2017 Evolução

Leia mais

X CONGRESSO NACIONAL DAS OPERADORAS FILANTROPICAS DE PLANOS DE SAÚDE. Economia e Longevidade: Cenários que Precisam ser trabalhados

X CONGRESSO NACIONAL DAS OPERADORAS FILANTROPICAS DE PLANOS DE SAÚDE. Economia e Longevidade: Cenários que Precisam ser trabalhados X CONGRESSO NACIONAL DAS OPERADORAS FILANTROPICAS DE PLANOS DE SAÚDE Economia e Longevidade: Cenários que Precisam ser trabalhados Mundo dos grisalhos O envelhecimento da população brasileira está relacionado

Leia mais

Padrão de Terminologia/TISS

Padrão de Terminologia/TISS Padrão de Terminologia no âmbito da Saúde Suplementar Parte integrante da TISS Padrão de Terminologia/TISS Agência Nacional de Saúde Suplementar Autarquia vinculada ao Ministério da Saúde Finalidade institucional

Leia mais

Reajuste anual de planos de saúde

Reajuste anual de planos de saúde Sindicato dos Laboratórios de Minas Gerais Nº : 204 Data: 08/06/2015 Fale conosco: (31) 3213-2738 - Fax (31) 3213-0814 - secretaria@sindlab.org.br - www.sindlab.org.br Reajuste anual de planos de saúde

Leia mais

Índice. 1. Os preços dos planos de saúde são controlados? 2. Como funcionam as regras de reajuste. 3. Quais as regras de reajuste dos planos

Índice. 1. Os preços dos planos de saúde são controlados? 2. Como funcionam as regras de reajuste. 3. Quais as regras de reajuste dos planos Índice FenaSaúde na Redação Reajuste dos Planos de Saúde Apresentação 6 1. Os preços dos planos de saúde são controlados? 8 2. Como funcionam as regras de reajuste dos planos de saúde? 3. Quais as regras

Leia mais

Seminário de atualização das Ouvidorias da UNIMED

Seminário de atualização das Ouvidorias da UNIMED Seminário de atualização das Ouvidorias da UNIMED Luiz Gustavo Meira Homrich Ouvidor São Paulo, 18 de março de 2016. Roteiro Situação e avanços das Ouvidorias no Setor de Saúde Suplementar; Aspectos fundamentais

Leia mais

Of. N 128/2017 APUFPR-SSIND Curitiba, 2 de junho de 2017

Of. N 128/2017 APUFPR-SSIND Curitiba, 2 de junho de 2017 Of. N 128/2017 APUFPR-SSIND Curitiba, 2 de junho de 2017 Assunto: Esclarecimentos sobre Reajuste 2017 Plano de Saúde Corporativo Unimed Curitiba para a APUFPR-SSind Prezado(a) associado(a), Em nome da

Leia mais

TERMO ADITIVO (RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 279 ANS)

TERMO ADITIVO (RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 279 ANS) TERMO ADITIVO (RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 279 ANS) Contrato Coletivo Empresarial com até 29 (vinte e nove) beneficiários, e 30 (trinta) a 99 (noventa e nove) beneficiários e a partir de 100 (cem) beneficiários

Leia mais

Treinamento de vendas V.02

Treinamento de vendas V.02 Treinamento de vendas V.02 Quem pode contratar o PME? Empresas a partir de 3 vidas até 199 vidas. Quem são os elegíveis? Empresa: LTDA, ME, EPP ou S/A, MEI e CEI. Beneficiários: Titulares: Sócios, Empregados

Leia mais

IMPACTO DAS RESOLUÇÕES NORMATIVAS 195, 200 e 204 EDITADAS PELA ANS

IMPACTO DAS RESOLUÇÕES NORMATIVAS 195, 200 e 204 EDITADAS PELA ANS IMPACTO DAS RESOLUÇÕES NORMATIVAS 195, 200 e 204 EDITADAS PELA ANS RN 195 Vigência: 03.11.2009 (alterada pelas RNs 200 e 204); Objetivos: a) classificar e disciplinar as características dos planos privados

Leia mais

REAJUSTE ANUAL DAS MENSALIDADES JULHO DE 2016 a JUNHO DE 2017

REAJUSTE ANUAL DAS MENSALIDADES JULHO DE 2016 a JUNHO DE 2017 PERGUNTAS E RESPOSTAS REAJUSTE ANUAL DAS MENSALIDADES JULHO DE 2016 a JUNHO DE 2017 REAJUSTE ANUAL 1. O que é um reajuste anual e qual é sua base legal? O reajuste anual é um mecanismo para corrigir os

Leia mais

Caros servidores com Convênio Unimed,

Caros servidores com Convênio Unimed, Caros servidores com Convênio Unimed, O reajuste anual do Convênio com a Unimed ocorre sempre no mês de julho de cada ano. Para os planos individuais a Agência Nacional de Saúde (ANS) define o reajuste.

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 412, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2016

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 412, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2016 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 412, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2016 Dispõe sobre a solicitação de cancelamento do contrato do plano de saúde individual ou familiar, e de exclusão de beneficiário de contrato coletivo

Leia mais

Proposta de Indicadores Globais

Proposta de Indicadores Globais Proposta de es Globais Panorama da Cooperativa 2014 Meta 2014 Carteira de clientes 1.273.648 1.255.000 Índice de utilização (projetado) 85% Distribuição do custo assistencial 36% 17% 15% 13% 13% 7% HONORÁRIOS

Leia mais

KIT NASCIMENTO. ALTERAÇÕES NOS PLANO DE SAÚDE Para cada movimentação deverá ser preenchido 1(um) formulário;

KIT NASCIMENTO. ALTERAÇÕES NOS PLANO DE SAÚDE Para cada movimentação deverá ser preenchido 1(um) formulário; KIT NASCIMENTO Reunimos neste kit os principais formulários para que você possa realizar as alterações necessárias decorrentes do seu casamento nos programas da companhia: IMPOSTO DE RENDA Deverá ser preenchido

Leia mais

PRODUTO BRADESCO FENACOR EXTRAMED SANTA CATARINA

PRODUTO BRADESCO FENACOR EXTRAMED SANTA CATARINA PRODUTO BRADESCO FENACOR EXTRAMED SANTA CATARINA SEGURO SAÚDE COLETIVO POR ADESÃO COMO FUNCIONA UMA ADMINISTRADORA DE BENEFÍCIOS? Operadora Extramed Estipulante Entidades Sub-Estipulantes O Seguro Saúde

Leia mais

ANS suspende venda de 87 planos de saúde; veja a lista! Objetivo da medida é garantia do atendimento aos consumidores, diz órgão

ANS suspende venda de 87 planos de saúde; veja a lista! Objetivo da medida é garantia do atendimento aos consumidores, diz órgão ANS suspende venda de 87 planos de saúde; veja a lista! Objetivo da medida é garantia do atendimento aos consumidores, diz órgão Matéria publicada em 19 de Maio de 2015 A Agência Nacional de Saúde Suplementar

Leia mais

Manual TISS Troca de Informações em Saúde Suplementar

Manual TISS Troca de Informações em Saúde Suplementar Manual TISS Troca de Informações em Saúde Suplementar Instruções para preenchimento Grupo 5 - Clínicas e Laboratórios Unimed Sorocaba Cooperativa de Trabalho Médico Av. Pres. Juscelino Kubitscheck de Oliveira,

Leia mais

Módulo: Experiência das Autogestões no Gerenciamento de Assistência à Saúde, Painel da Promoção da Saúde à Verticalização do Atendimento.

Módulo: Experiência das Autogestões no Gerenciamento de Assistência à Saúde, Painel da Promoção da Saúde à Verticalização do Atendimento. Módulo: Experiência das Autogestões no Gerenciamento de Assistência à Saúde, Painel da Promoção da Saúde à Verticalização do Atendimento. Ricardo Ayache Diretor de Comunicação da Unidas Presidente da Caixa

Leia mais

Recursos Próprios 2013

Recursos Próprios 2013 Recursos Próprios 2013 " Serviços Próprios de Atendimento Pré-Hospitalar (SOS) e Assistência Domiciliar ( Home- Care): reconhecendo a importância destas modalidades assistenciais para o cliente e para

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2012

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2012 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2012 Altera a Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998, que dispõe sobre os planos e seguros privados de assistência à saúde, para tornar obrigatória a cobertura de assistência

Leia mais

Planos de Caráter Previdenciário Dados Estatísticos Maio

Planos de Caráter Previdenciário Dados Estatísticos Maio Planos de Caráter Previdenciário Dados Estatísticos Maio - 2014 Rua Senador Dantas, nº 74 11º andar Cep 20.031-205 Rio de Janeiro RJ Brasil Tel: +55 21 2510-7914 Fax: +55 21 2510-7930 e-mail: fenaprevi@fenaprevi.org.br

Leia mais

Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde

Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde Diferenças entre planos individuais e coletivos Operadora: Caixa Seguradora Especializada em Saúde CNPJ: 13.223.975/0001-20 Nº de registro da ANS:

Leia mais

ORIENTAÇÕES OPERACIONAIS RN 412/16 CANCELAMENTOS DE PLANOS DE SAÚDE

ORIENTAÇÕES OPERACIONAIS RN 412/16 CANCELAMENTOS DE PLANOS DE SAÚDE ORIENTAÇÕES OPERACIONAIS RN 412/16 CANCELAMENTOS DE PLANOS DE SAÚDE Foi publicada no Diário Oficial da União - DOU de 11/11/16 a RN 412/16 que dispõe sobre a solicitação de cancelamento do contrato do

Leia mais

Oportunidades e desafios da saúde privada com a retomada da economia em 2017/18. Bradesco Healthcare Day Solutions.

Oportunidades e desafios da saúde privada com a retomada da economia em 2017/18. Bradesco Healthcare Day Solutions. Oportunidades e desafios da saúde privada com a retomada da economia em 2017/18 Bradesco Healthcare Day - 2017 Janeiro, 1 2017 Reconhecimento Premiação Prêmio Benchmarketing Pela sexta vez consecutiva,

Leia mais

4ª Conferência de Proteção do Consumidor de Seguros. As Ouvidorias do Mercado Segurador - Transparência na Relação com os Consumidores

4ª Conferência de Proteção do Consumidor de Seguros. As Ouvidorias do Mercado Segurador - Transparência na Relação com os Consumidores 4ª Conferência de Proteção do Consumidor de Seguros As Ouvidorias do Mercado Segurador - Transparência na Relação com os Consumidores Silas Rivelle Presidente da Comissão de Ouvidoria (CNseg) 07 de maio

Leia mais

Planos de Caráter Previdenciário Dados Estatísticos Agosto

Planos de Caráter Previdenciário Dados Estatísticos Agosto Planos de Caráter Previdenciário Dados Estatísticos Agosto - 2014 Rua Senador Dantas, nº 74 11º andar Cep 20.031-205 Rio de Janeiro RJ Brasil Tel: +55 21 2510-7914 Fax: +55 21 2510-7930 e-mail: fenaprevi@fenaprevi.org.br

Leia mais

Envelhecimento Populacional e seus impactos sobre Previdência: A necessidade de reforma

Envelhecimento Populacional e seus impactos sobre Previdência: A necessidade de reforma Envelhecimento Populacional e seus impactos sobre Previdência: A necessidade de reforma Paulo Tafner CÂMARA FEDERAL Brasília Novembro de 2016. Previdência Social Os fatos COMECEMOS POR UMA EXCELENTE NOTÍCIA

Leia mais

SAÚDE CORPORATIVA: ASSOCIAÇÃO ENTRE A MEDICINA ASSISTENCIAL A MEDICINA PREVENTIVA E A SAÚDE OCUPACIONAL

SAÚDE CORPORATIVA: ASSOCIAÇÃO ENTRE A MEDICINA ASSISTENCIAL A MEDICINA PREVENTIVA E A SAÚDE OCUPACIONAL SAÚDE CORPORATIVA: ASSOCIAÇÃO ENTRE A MEDICINA ASSISTENCIAL A MEDICINA PREVENTIVA E A SAÚDE OCUPACIONAL A expansão do mercado de equipamentos hospitalares quase triplicou seu faturamento nos últimos cinco

Leia mais

Planos de Caráter Previdenciário Dados Estatísticos Novembro

Planos de Caráter Previdenciário Dados Estatísticos Novembro Planos de Caráter Previdenciário Dados Estatísticos Novembro - 2013 Rua Senador Dantas, nº 74 11º andar Cep 20.031-205 Rio de Janeiro RJ Brasil Tel: +55 21 2510-7914 Fax: +55 21 2510-7930 e-mail: fenaprevi@fenaprevi.org.br

Leia mais

VCMH/IESS. Variação de Custos Médico-Hospitalares. Edição: Janeiro de 2016 Data-base: Junho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO

VCMH/IESS. Variação de Custos Médico-Hospitalares. Edição: Janeiro de 2016 Data-base: Junho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO Variação de Custos Médico-Hospitalares Edição: Janeiro de 2016 Data-base: Junho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO O VCMH/IESS O índice VCMH/IESS para planos individuais atingiu 17,1% no período de 12 meses terminados

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº xxx, de xx de xxxxxx DE 2016

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº xxx, de xx de xxxxxx DE 2016 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº xxx, de xx de xxxxxx DE 2016 Dispõe sobre a contratação de planos coletivos empresariais de planos privados de assistência à saúde por microempreendedores individuais e por

Leia mais

AMIL SAÚDE PARA EMPRESAS Tabelas de preços 30 a 99 vidas. Tabela de preços 30 a 99 vidas plano com coparticipação

AMIL SAÚDE PARA EMPRESAS Tabelas de preços 30 a 99 vidas. Tabela de preços 30 a 99 vidas plano com coparticipação AMIL SAÚDE PARA EMPRESAS Tabelas de preços 30 a 99 vidas Julho 2016 Amil 400 Amil 400 Amil 500 Amil 700 Faixa Etária Enfermaria Apartamento Apartamento Apartamento 00 a 18 anos 202,75 230,51 254,40 314,64

Leia mais

TISS PADRÃO DE TROCA DE INFORMAÇÕES NA SAÚDE SUPLEMENTAR. Regras de negocio. JORNADA NACIONAL de SAÚDE SUPLEMENTAR para HOSPITAIS E OPERADORAS

TISS PADRÃO DE TROCA DE INFORMAÇÕES NA SAÚDE SUPLEMENTAR. Regras de negocio. JORNADA NACIONAL de SAÚDE SUPLEMENTAR para HOSPITAIS E OPERADORAS JORNADA NACIONAL de SAÚDE SUPLEMENTAR para HOSPITAIS E OPERADORAS Regras de negocio TISS PADRÃO DE TROCA DE INFORMAÇÕES NA SAÚDE SUPLEMENTAR CONCEITO As funções de Estado são fundamentais para a regulação

Leia mais

Agenda Regulatória. Secretário Executivo da ANS. São Paulo, 05 de novembro de Debates GVSaúde João Luis Barroca

Agenda Regulatória. Secretário Executivo da ANS. São Paulo, 05 de novembro de Debates GVSaúde João Luis Barroca Agenda Regulatória ANS Debates GVSaúde João Luis Barroca Secretário Executivo da ANS São Paulo, 05 de novembro de 2012 Evolução do Processo de Regulação Até 1997 1997 1998 1999 2000 Debates no Congresso

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde Diferenças entre planos individuais e coletivos Operadora: MetLife Planos Odontológicos

Leia mais

INTRODUÇÃO DA CONCEPÇÃO CLÁSSICA AO RECONHECIMENTO DA SUA FUNÇÃO SOCIAL: A LONGA TRAJETÓRIA DA TEORIA CON- TRATUAL...

INTRODUÇÃO DA CONCEPÇÃO CLÁSSICA AO RECONHECIMENTO DA SUA FUNÇÃO SOCIAL: A LONGA TRAJETÓRIA DA TEORIA CON- TRATUAL... SUMÁRIO INTRODUÇÃO.......................................... 15 1. NORTE CONSTITUCIONAL DO TEMA... 19 1.1 Noção de sistema jurídico............... 26 1.2 A normatividade dos princípios constitucionais...

Leia mais

Os Pontos-Chave contêm importantes informações que visam facilitar a compreensão das principais características dos produtos comercializados pelo

Os Pontos-Chave contêm importantes informações que visam facilitar a compreensão das principais características dos produtos comercializados pelo Os Pontos-Chave contêm importantes informações que visam facilitar a compreensão das principais características dos produtos comercializados pelo mercado segurador. Para tanto, foram utilizados ícones

Leia mais

GUIA PARA GESTÃO DE BENEFICIÁRIOS

GUIA PARA GESTÃO DE BENEFICIÁRIOS saúde GUIA PARA GESTÃO DE BENEFICIÁRIOS Conheça o perfil dos seus pacientes e descubra como melhorar o atendimento para promover a saúde e a gestão de pagamentos 1 Sumário 10 REDUÇÃO DE CUSTOS 12 Conheca

Leia mais

DESTAQUES OPERACIONAIS E FINANCEIROS DO 3T05 E 9M05

DESTAQUES OPERACIONAIS E FINANCEIROS DO 3T05 E 9M05 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$74,5 milhões ou R$0,97 por ação no 3T05 e R$167,9 milhões ou R$2,18 por ação em 9M05 Crescimento de 12,1% dos Prêmios Auferidos na comparação trimestral e 19,3%

Leia mais

*Informativo de caráter referencial. Todos os dados estão sujeitos à alteração, sem aviso prévio, por parte da operadora.

*Informativo de caráter referencial. Todos os dados estão sujeitos à alteração, sem aviso prévio, por parte da operadora. www.planodesaudejcb.com.br seguros@jcbcorretor.com.br Corretor JOAO CARLOS Fone: 11 9 5390-1250 Fone: 11 4232-5897 INDIVIDUAL *Informativo de caráter referencial. Todos os dados estão sujeitos à alteração,

Leia mais

Impacto do Envelhecimento sobre os gastos com saúde no setor de saúde Suplementar

Impacto do Envelhecimento sobre os gastos com saúde no setor de saúde Suplementar Impacto do Envelhecimento sobre os gastos com saúde no setor de saúde Suplementar Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar O rápido envelhecimento populacional

Leia mais

Cartilha de Extensão de Benefício do Plano De Saúde Empresarial aos Beneficiários Contributários Demitidos ou Exonerados Sem Justa Causa e Aposentados

Cartilha de Extensão de Benefício do Plano De Saúde Empresarial aos Beneficiários Contributários Demitidos ou Exonerados Sem Justa Causa e Aposentados Cartilha de Extensão de Benefício do Plano De Saúde Empresarial aos Beneficiários Contributários Demitidos ou Exonerados Sem Justa Causa e Aposentados JUNHO DE 2012 JUNHO / 2.012 1 ÍNDICE POR ASSUNTO ASSUNTO

Leia mais

Plano de Saúde Amil Empresarial ou PME

Plano de Saúde Amil Empresarial ou PME AMIL SAÚDE PARA EMPRESAS Tabelas 02 a 29 vidas Amil Saúde 400, 500, 700 para 02 a 29 vidas AMIL SAÚDE PARA EMPRESAS QUEM PODE SER DEPENDENTE = DEPENDENTES LEGAIS ATÉ O TERCEIRO GRAU DE PARENTESCO LIMITADOS

Leia mais

CONGRESSO BRASILEIRO DE HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA

CONGRESSO BRASILEIRO DE HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA CONGRESSO BRASILEIRO DE HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA 26 o Congresso da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia FINANCIAMENTO DE SERVIÇOS PRIVADOS DE HEMOTERAPIA Maria Cristina Coimbra Lages Balestrin

Leia mais

Boa leitura. Conselho de Administração

Boa leitura. Conselho de Administração 1 A prestação de contas da Unimed Salto/Itu é representada neste material independente de qualquer que seja o resultado. A gestão consciente e transparente preza pela verdade para que o crescimento aconteça

Leia mais

ESTADO RICARDO CERCEAU

ESTADO RICARDO CERCEAU SAUDE ESTADO REGIONAL SUPLEMENTAR DO ESPIRITO SANTO DE SAÚDE VITÓRIA LUIS ALFREDO VIDAL DE CARVALHO RICARDO CERCEAU RENATO CERCEAU Brasil, 2013-1ª edição LUIS ALFREDO VIDAL DE CARVALHO RICARDO CERCEAU

Leia mais

Macro ambiente, Mercado de Saúde Suplementar e o Sistema Unimed

Macro ambiente, Mercado de Saúde Suplementar e o Sistema Unimed Macro ambiente, Mercado de Saúde Suplementar e o Sistema Unimed Jania D'Amario Gestão Estratégica, Relacionamento com Unimeds e Ouvidoria Institucional CONTEXTO MACROAMBIENTE Otimismo com economia tem

Leia mais

VCMH/IESS. Variação de Custos Médico-Hospitalares. Edição: Maio de 2016 Data-base: Dezembro de Sumário Executivo

VCMH/IESS. Variação de Custos Médico-Hospitalares. Edição: Maio de 2016 Data-base: Dezembro de Sumário Executivo Variação de Custos Médico-Hospitalares Edição: Maio de 2016 Data-base: Dezembro de 2015 Sumário Executivo O VCMH/IESS O índice VCMH/IESS para planos individuais atingiu 19,3% no período de 12 meses terminados

Leia mais