mém^abémtim^ fk méèmltâ&làé&iv*to&\ LEIA NESTA EDIÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "mém^abémtim^ fk méèmltâ&làé&iv*to&\ LEIA NESTA EDIÇÃO"

Transcrição

1 - k -*~i. W^rõr CENIRODE PASIORAI DA COMUNrACAO Rua: Iugoslávia, 384 Tel : Santo André/SP Feverei ro ^ 1 7 MAR 1388 S ü» Pt DOCUMi < AçAO X -3%vz.\ mém^abémtim^ fk méèmltâ&làé&iv*to&\ LEIA NESTA EDIÇÃO Sindicalismo de resultados, pág. 2 Tudo pelo Social, pág. 3 Negro: quatro séculos de Luta. pãg. 4 Escola de Direitos Humanos, pág. 5

2 M, Sindicalismo )L de resultados só resulta em prejuízo Trabalhador brasâfeiro, cuidado: o chamado "sindlcalisíiio ds ressaltados" sé traz prejuízo e atraso. Esta anáüse de Pedro Scmo Neto, do Instituto Roberto (Morena, prova isso. O triste espetáculo promovido a 30 de janeh» passado, por Medeiros, Magri, JoaquinzSo e PC do B, na plenária da CGT, foi o prenuncio de tempos trágicos que podem estar por vir para o sindicalismo brasileiro de nossos dias. Foi a plenária dos que querem ser os primos pobres do capitalismo, daqueles pobres de dinheiro e de espírito que deliram contra a "partidarizaçao" do movimento sindical, em favor de um "sindicalismo de resultados", por "negociações" com o governo e com os monopólios, sem saber, em momento algum, o significado real daquilo que dizem. Magri e Medeiros em particular, por razões virtualmente inconfessáveis, querem que os trabalhadores brasileiros sigam o modelo de sindicalismo da AFL (Americam Federation of Labor), para que assim tenhamos sindicatos fortes e influentes. Mas, qual é mesmo a força do sindicalismo "de resultados"? Politicamente, nenhuma: via de regra, a AFL nao apoia candidatos à presidõncia dos Estados Unidos, mas, quando o fez, como foi o caso com Walter Mondale, lançado em 1984 pela AFL mesmo antes dele ter sido indicado na convenção de seu partido, sofreu contundente derrota em 49 dos 50 estados norte-americanos. Como diz Magri, quando nüo se pode negociar com um governo que nos é favorável, negocia-se com o adversário, como ele próprio tenta fazer com o "Centrão". Para um sindicalista de resultados, governo, político, é tudo igual. Derrotado, seu candidato a AFL foi "negociar" com Ronald Reagan. E o que deu? Os pragmáticos sindicalistas americanos propuseram-se a viabilizar o projeto neoliberal, reanimar o capitalismo, fazê-lo mais competitivo, aumentar os lucros dos monopólios e o dinheiro no bolso dos ricos, subir a produtividade e reduzir os custos de mso-de-obra. Os "resultados" da AFL foram decepcionantes. A indústria automobilística dos EUA, por exemplo, que, em 1979, ocupava mais de 700 mil pessoas, hoje não tem mais de 500 mil, apesar do tempo de montagem de um veículo ter diminuído de três vezes. Nesse mesmo período, a indústria metalúrgica perdeu metade dos seus empregos. Diminuiu a ocupação na indústria e cresceu no setor de serviços, onde freqüentemente ela é apenas temporária, não exige qualificação e, por conseguinte, é muito mal remunerada. Cerca de 19 milhões de norte-americanos trabalhavam, em 1986, segundo dados oficiais, apenas em regime de meio período. Quanto a salários, os "resultados" dos sócios americanos de Medeiros e Magri, são ainda piores: nos acordos salariais, por exemplo, cada vez mais vigora nos EUA um sistema de dois ou mesmo três níveis, que permite reduções de 10 a 80 por cento na remuneração de empregados novos ou readmitidos. Diminui, também, o número de contratos coletivos assinados pelos grandes sindicatos, onde se fixam pisos salariais tendo por referência o aumento do custo de vida (que os americanos chamam de cola, "cost of living allowances", um refresco bem amargo!). Os grandes sindicatos americanos, aliás, estão cada vez menores, pois não representam hoje mais que 6 milhões de empregados, enquanto nos anos 70 representavam 10 mihões. Outro grande "resultado": transferência de capacidade industrial americana para os países de mão-de- obra barata. Em 1985, por exemplo, cerca de 80% da produção norte-americana de microcomputadores (à exceção dos destinados a fins militares) foi transferida para Taiwan, Coréia do Sul, Malásia, Singapura c Hong Kong. Isso explica, aliás, o "sucesso" econômico desses países, tão elogiado e repetido pelos políticos do "Centrão". As pressões dos monopólios e do goverr.o dos EUA contra a reserva de mercado da informática no Brasil têm suas raízes, precisamente, na intenção dos gringos em aplicar transferência semelhante também em nosso País. Na verdade, o íjue é bastante curioso é que enquanto Magri c Medeiros querem nos fazer imitar os americanos, o próprio vice-presidente da Goodyear dos Estados Unidos afirma: "Sc não baixarmos os salários reais (nos EUA) a níveis muito idênticos aos da Coréia do Sul ou do Brasil, não poderemos aumentar os níveis de produtividade ao ponto de considerarmos nossa indústria realmente competitiva" Mas, numa coisa os primos pobres do nosso capitalismo podem realmente invejar seus primos pobres nos EUA: perguntamos, no começo, qual era a força do "sindicalismo de resultados" naquele país, e agora revelamos que ela está mesmo é na relação privilegiad.a das lideranças da AFL com os serviços de informação, com o crime organizado e os órgãos de repressão dos EUA. Tudo isso para impedir que qualquer tipo de oposição possa se desenvolvei contra os objetivos dos monopólios e seus aliados, em qualquer parte do mundo capitalista. Este, sim, é um "resultado" bastante palpável, do qual já tivemos um lamentável exemplo no dia 30. UM BALANÇO E PERSPECTIVAS DO MOVIMENTO SINDICAL K==c*r ==ís=3=: = = = = s====s===r= =s==r==s5 «E5F.5 H0MENS- DIAS PARALISADOS =is«==«e*a- SUHERO CE GREVES 1V Var.d) Vir.m Oan ,5 Fev , Mar , ,3 Abr , ttii , Jun , Jul , Ago Sst , ,4 Out , » 2.0 Hov Doz Primeiro fiem , Secundo uenogtre ,S 7oUl Ooral ' * Com «stibiuví» rtrí novímbro dtteabro que qua s Este o f u t e s mun i Ia p tos nao r en c b 1 em r em t e rm e p e Ia r i s i n d para p o s s Dos real e 44 ai t nc i o t rab c i pa oi í t nao tem ia d a s n 1 imi i na d Io C os d As i ca 1 um ibil 55 milhões i zar am grev % er am serv o nu me ro de na 1 1 smo pub a lha dores ( 1) f oram mu i c a tive nem e Pr a ho t ado os p on se as E pe r s ne s quad idad de a rro ram os mesmo a ecos (U ra de n s aos í elo Min l h o I n t s t a t a i s pec t iva te in íc r o de d es de m de t ra balh adores es no a no d e 1987, idore s do g overno. p a r a 1 i 1ico mo federal i t o p r e cho sal ga t i 1 ho s Unida RP) e e egoc iaç n d i c e s i s t e r i o erm in i s (CISE) s para io de a i f i c u I d u i t a mo saçõ s t r a, es j udi ária s, a de s n f r e a o, o f i c da t e r i es entre que estadual e ca dos pe 1: mui-' ma ior ia de Re f e- ntam pr por fica ia is de- Fa zenda' ai de Sa o movimento' no apontam ' a d e s, com ' bilização. fontt: HtnilUtl* do Tnbjlho.

3 IEGROI QUATRO SÉCULOS DE LUTA E SONHO APAGADOS PELA HISTORIA A Campanha da Fraternidade estende-se pelos 40 dias da Quaresma. Neste tempo a Igreja do Bra- 1 sil promove uma reflexão sobre um determinado assunto que desta vez é "0 Negro". Em seu texto-base a Conferen-' cia Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) explica a escolha do tema: trata-se^ isto sim, de reconhecer ã ' luz da fé, que os traços deste passado permanecem ainda hoje e são contrários a luz da dignidade do homem, ã fraternidade e ã justiça". E esta situação ' de injustiça em que vivem os negros, ' no Brasil, será debatida nos encontros durante a Campanha da Fraternidade e,' esperamos durante todo o ano de Mas, não basta discutir^sobre a questão social, sendo também importante lembrar dos dados da historia que ' foram destruídos por Rui Barbosa quando mandou queimar todos os arquivos so bre a escravidão negra para apagar esta "mancha" do nosso passado. São poucos os que conhecem, realmen ESCOLA SUPERIOR DE GUERRA Pctrópolis (AGEM) - O teólogo írunciscano Leonardo Boff já aceitou, em princípio, convite da Escola Superior de Guerra (ESG), principal formuiadora das políticas governamentais com base na ideologia de segurança nacional, para fazer palestra na sede da ESG, em março próximo, sohre Teologia da Libertação e suas expressões concretas na atividade pastoral das Igrejas no Brasil. Os detalhes finais para a palestra de Boff na ESG estão sendo acertados entre o teólogo c membros do grupo de trabalho da Escola Superior de Guerra que vem estudando a atuação da Igreja Católica no país, particularmente a atividade pastoral das Comunidades Eclesiais de Base, CEBs. Leonardo Boff será o primeiro teólogo da libertação a comparecer à Escola Superior de Guerra. O primeiro político de esquerda a fazer palestra para os militares e civis da ÈSG, já sob a chamada "Nova República"', foi o presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), deputado federal Luís Inácio Lula da Silva. A motivação de Boff para comparecer à ESG, segundo disse o próprio teólogo à AGl.N. na ultima semana cie janeiro, cm Goiânia (GO), durante o 5- Encontro Nacional dos Direitos Humanos, é a de tentar contribuir para desfazer informações e interpretações distorcidas, sobre o trabalho pastoral das CEBs e o significado da Teologia da Libertação. Entre os dignatáriòs da Igreja Católica no país, o único a ter comparecido à ESG para palestra foi o cardeal arcebispo de Salvador (BA) c prima/ do Brasil. d.avelar Brandão Vilela, falecido cm te, a h i s t o r i Por exe mpl o, de impo r t a n c i pois ti nhám u dade e eram a para es ta gen destes q u i 1 o m como er guiam f a dos os qu a na ma no espe te. V bos? a a vi da do ug i r p ara e negros do Brasil, ilombos tiveram gra época da escravidão va proposta de soei rança de 1i bertação océjá ouviu falar Você sabe o que era s escravos que cons stes 1 oca i s? Outr o fato impo rtan te sã o as pai a- vra s qu e hoje usam os e que fora m traz i das par a o no s so v ocab u 1 á r i o pe los. ' a f r i c a n os. Sã o tan tas e tão com uns co mo bala i o, b a nze, batu que, cach aça, c a çula, m acaco, mand inga, qui abo, quita n da, j a m bo, ma mbemb e, g anda i a, p apagai patuã, pi l^equ e, sa mba, seza Ia, etc., a gente nao s abe d i sto. Voe é co nhece outras pai avr as de or i gem a f r i c ana qu fai amos no no sso d i a-a» dia? Ten te fazer uma rei aç ão de stas pai a vras. Apro v e i t e, também e re 1 ac i one a s co m i d a s que ele s t r o u xeram par a nós Participando da Campanha da Fratern i dade, todos nos, poderemos trabalhar no sentido de recu perar nossas ratzes. NOVA ENCICLICA PAPAL A nova encíclica escrita cm latim, "Sollicitudo Rei Socialis" ("Preocupação ' com os Problemas Sociais") c uma espécie de continuação da "Populorum Progressio" ("Progresso dos Povos) de Paulo 69, que trata daquestão do desenvolvimento e foi divulgada em 26 de ' março de O Papa João Paulo 2? divulgou, este mês, sua primeira encíclica sobre quês toes sociais, na qual condena o sistema de blocos ' políticos e militares e ' acusa os países capitalistas e comunistas desenvolvidos de serem igualmente responsáveis pela exploração dos países pobres, ignorando o dever "ético e ' moral" de ajudarem a alivi ar a "miséria humana". O documento analisa os' problemas dos países em de s e n v o 1 v i m e n t o, a confronta ç ã o I e s t e- o e s t e e norte-' sul, o imperialismo, a opção pelos pobres, a mise-' ria e a opressão e critica a produção de armas, etc.: No ultimo capítulo, o ' papa afirma que a Igreja ' não tem "soluções técnicas para o desenvolvimento e ' pede que todos, trabalhem inspirados pela "solidarie^ dade pelos pobres". PONTOS PRINCIPAIS DO DOCUMENTO Os bens deste mundo»õo destinados a todos. Faz parte do ensinamento e da prática mais antigo da Igreja a convicção de seu dever de ai iviar a miséria dos sofredores, próximos ou distantes, nâo só com o supértluo, mas também com o necessário. Amplio-se o abismo econômico e social, cultural e de valores entre o norte desenvolvido e o sul em vias de desenvolvimento. Sâo indicadores desse abismo a negação ou limitação dos direitos humanos, o desemprego, o subemprego e a dívida externa, que de mecanismo de ajuda ao desenvolvimento passou o' meconismo contraproducente". Diante do "desequíbrio internacional" é preciso reformar o sistema internacional de comércio, hipotecado pelo protecionismo e bilaterolismo, e o sistema monetário e financeiro mundial. Uma das causas do subdesenvolvimento j é o "existência de blocos contrapostos", político o ideologicamente, cada um "ocultando internamente a tendência ao imperialismo ou a formas de neocolonialismo". A Igreja tom um posição critica tantediante do capitalismo liberal coma do colctivismo marxista. Os dois sistemas precisam de reformo. A produção e o comércio de armas, o "perigo tremendo" das armas atômicos, o problema dos refugiados, o terrorismo e o queda da taxo de natalidade nos poises desenvolvidos constituem uma situação que ao invés de levar ao desenvolvimento "nos encaminha rapidamente para a morte". O verdadeiro desenvolvimento implica no respeito oos direitos de todos e de cada um, tanto no ordem nacional como internacional. É necessário incentivar o solidariedade para conseguir "o desenvolvimento e a libertação" de "todo forma de escravidão relativa ao homem e ò sociedade". o, e

4 Nestes últimos dois meses, a crise do Executivo se agravou. Os fatos se sucederam em rápida se-' quencia, mostrando claramente a ' face de um governo que se afastou e continua se afastando dos interesses de nossa sociedade, apegado ao poder pelo poder, a serviço do interesse de um grupo de pes-' soas e das minorias que controlam o próprio governo. 0 uso de dinheiro publico pa ra organizar uma base de apoio para ' prolongar o período de governo do presidente Sarney passou a ser uma pratica corriqueira. Estão aí o ministro ' Prisco Viana e o ex-ministro Aníbal ' Teixeira, que foram pródigos na pratica da compra por baixo preço. Isto sem falar nas concessões de canais de TV e emissoras de radio, sob o comando de ' TUDO PELO SOCIAL Uma analise mais detida dos fa-' tos que ocorreram nestes dois meses,' na vetdade, revela uma política decididamente subversiva por parte do governo, ou seja, o governo nao governa para atender às necessidades da socie dade. Vejamos alguns fatos: Habitação: A política de financiamento da casa própria se reorienta para',a classe média, aumenta a faixa de re cursos de OTNs por mutuário, pa ra OTNs e, em certos casos ate" r OTNs. Além de utilizar este mecanismo para a cooptação (nome elegar^ te do suborno), pensando em ganhar ' apoio de prefeitos, governadores e da classe média. Pobre classe media, que ficara mais pobre. De fato, com esta' reorientação, os programas de casas ' populares e de habitações do baixo ' custo receberão menos recursos propor cionalmente, o que é reconhecido ate pelos corretores de imóveis. Esta eli tização representa, de fato, um privi légio para os possuidores de terrenos (que irão se valorizar), para as em-' presas construtoras (maiores lucros ' com a especulação imobiliária) e para algumas indústrias de materiais de construção civil. Tudo pelo social! mo D* ri i de 5íO%! ÍA(VU! eur De* De Tefi. ÜM iimofomb fot-lissimoi CENAS DE VILANIAS EXPLICITAS Antõnio Carlos Magalhães. Estão aí, também, os constituintes do "Centrão" que desrespeitam a vontade popular. Tudo isso em nome de uma política de "arroz-com-feijão" que faz supor a' prioridade para os programas de nutrição, num país de desnutridos. E em nome de uma austeridade em relação aos ' gastos públicos. Ambos os discursos, ' verdadeiras peças da mais deslavada ' mentira. 0 "arroz-com-feijão" quer dizer nao fazer nada que possa mudar alguma coisa e o controle do orçamento ' quer dizer mais recursos para aqueles que apoiarem o mandato de cinco anos. Isto sem falar na mentira maior deste governo: "Tudo pelo social!..." Saúde: 0 novo ministro está levando a cabo uma política de repressão ideolo gica sem precedentes, promovendo a de missão de Sérgio Arouca da Fundação ' r Oswaldo Cruz (a menos que ele não fale de política). Aqui, também, é preciso' deixar claro que a gente não se esqueça que o ministro Borges da Silveira ' foi do PDS. E ainda, esta ligado aos ' interesses dos donos de hospitais particulares. Telecomunicações: 0 ministro das comunicações, tem sido muito eficiente na' concessão rápida de canais de TV e de' emissoras de radio para a compra de vo tos de constituintes (um deputado fede ral chegou a declarar que a concessão"*" por ele obtida só valia Cz$ 2,5milhões, ou seja, quase nada diante dos recur-' sos de outros parlamentares). Alias, o ministro Magalhães admitiu, em entrevista exclusiva, o uso político de con cessão de radio e TV, com a maior natu ral idade. Tudo pelo Social! Ciência e Tecnologia, Previdência Social, Educação, Cultura, Agricultura, Reforma Agraria, etc.: Nada acontece ' digno de menção, o que e grave. Isto ' significa que estamos praticamente sem políticas publicas nestas áreas.? CENTRAO NAO E DO POVO, Até hoje não se avaliou exatamente quantos votos teve o "Centra"o" nas' eleições. Os meios de comunicação fa-' zem crer que este movimento represente^ a maioria dos eleitores. Não e verdade" São 317 constituintes que representam 24,6 milhões de votos. Somando-se a vq tação dos demais constituintes, o to-'"" tal alcança 56,4 milhões de votos. Ou seja, o "Centrão" representa 30% do ' eleitorado. E se somarmos o número dos votos dos principais lideres do "Centrão" teríamos 293 mil votos no seu ' conjunto, quando se sabe que somente' os votos do Lula sao de 650 mil.

5 Iw f ort.»ia soe & P*íO"1 ~ Hlf-52 8Z NEGO JORNAL NACIONAL DO MOVIMENTO NEGRO UNIFICADO Redação: MNU/Bahia CP Salvador - Bahia A violência hoje, na sociedade brasileira, é um fato corriqueiro. A grande imprensa, escrita e falada, estampa todos os dias notícias tenebrosas. Mas não dá para continuar falando de vio- Wncia como o faz a imprensa empresarial, colocando a violência policial desvinculada da estrutura de poder no país, que faz da agressão um dos seus sustentòculos político e econômico. Este é o conteúdo do primeiro artigo do n9 13 do NEGO. Tem mais: nas páginas seguintes, duas importantes entrevistas: uma com o Embaixador Francisco Romão de Oliveira e Silva, primeiro Embaixador da República Popular de Angola no Brasil; a outra, com Benedita dasilva, a primeira deputada federal negra no Brasil. Traz ainda uma matéria sobre a política do apanheid em Moçambique. Para assinatura de apoio, envie cheque nominal ao Movimento Negro Unificado, no endereço acima, no valor de cem cruzados, o que lhe dá dueito a 3 L, dlçòl,, ". do NEGO. ACORDA PEÃO 1 CAMPANHA SALARIAL 88 DÍPORIÍMÍNIO DOS MÍTOLURCICOS S P ^ A ex pres são "Direitos Humanos" vem sofrendo, junto a op in iã o pública, um processo de degradação que convém anal i sar. E co em meio os d ire h i s t o r i 0 fa r e i t o s 1 o, ond a c i r r a d b 1 e m a d Há o do que da pela a c o n t i r i f e r i a mum s un i tos a de to é huma e se a en e se s qu a v i v i o nuaç de ESCOLA DE DIREITOS HUMANOS ouvir, i v e r s i human direi que d izer-se abertamente "contra os nos" t em uma história peculiar a São vem t ravando, desde os anos 70, uma tre os dois modos de ver e tratar o guranç a. e prop 0 1 e n c i 1 ê n c i a ão da nossas não so da boca do "povão" mas ate 1 tãrios, frases do tipo: "sou contra os", ou "e preciso acabar com essa tos humanos!" di-' Pau- 1 uta pro- ' oem voltar ã lei do Talião, exigina difusa na sociedade seja respond^ institucional: defendem, portanto, surda guerra suja que conflaga a pe cidades. A esse espirito de "olho por olho" contrapõem-se' os que desejam manter os princípios de um pacto so-' ciai civilizado pelo qual todo e qualquer delito deve ser julgado e punido na forma da lei. Para estes, lutar pelos direitos humanos significa, a rigor, cojn solidar os mecanismos de um estado de direito em todas as frentes. Como sempre, quando o objetivo parece colocar-se' muito além das nossas forças atuais (tão grande é o poder dos fatores que geram a violência), apela-se ' para projetos a longo prazo, entre os quais teria lu^ gar de relevo um "programa de educação" realizado no interior dos movimentos populares, entidades e socie d a d e civil. Pensa-se então em "educar para os Direitos Huma-' nos", uma das prioridades, hoje, da Comissão de Justiça e Paz que o Centro de Pastoral da Comunicação - Pacom; Cristãos pelos Direitos Humanos na América La^ tina-cdhal e o Centro de Estudos Políticos e Sociais- CEPS estão tentando concretizar no ABC. 0 objetivo principal desta Escola i de ser um espaço de aprofundamento sobre as mais diversas dimensões dos direitos humanos, servindo a uma formação in tensiva dos militantes nessa área e dos agentes pastorais que começam a dar os primeiros passos nesse ' campo. 0 primeiro ciclo de 1988 (etapa-piloto) serã' realizado de março a junho, todos os sábados das 14 as 17 horas no CEPS - Av: Alfredo Flaquer, San to André. Os professores são militantes de Centros, Comissões e organismos de Direitos Humanos, além de' especialistas nos temas incluídos no programa. PROGRAMA: - 05/0 3 - Bases Históricas e Filosóficas dos DH. - 12/03 - DH e a Questão do Negro no Brasil. - 19/03 - Aspectos Jurídicos. - 26/0 3 - Aspectos Teológicos. - 02/04 - DH e Relações de Produção - 09/04 - Aspectos Políticos - 16/04 - Comunicação e Direitos Humanos, - 23/04 - DH e Reforma Agrária. '- 30/04 - DH e Solo Urbano. - 07/05 - Ecologia e DH. - 14/05 - Direitos Humanos e Violência. - 21/05 - DH e a Situação da Mulher. - 28/05 - DH e Instituições Fechadas. - 04/06 - Menor e os DH. - 11/06 - Direitos Humanos e Saúde. - 18/06 - Direitos Humanos e Educação. 25/06 - DH e a Solidariedade La tinoamericana.

6 TUDO PELO SOCIAL O orçamento das Forças Armadas M para 1988 é de Cz$ 274 bilhões. É ^JQ cerca de 25% mais do que o Minis-.. tério dos Transportes e 100 vezes ^ imais do que o total de gastos do' Ministério do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente com habita-' jjjção (Cz$ 2,7 5 bilhões) e 12 vezes ^^lo que o governo vai gastar com a merenaa escolar. CAMILO TORRES, Sao Pa dia 15 de da morte d colombiano PROFETA E MÁRTIR frentament o com 0 exerci sião, Cami Io Tor res havi sua primei ra arm a, como membro cito de L i bertaç ao Nac i o nal. Na nidade tam bem pr ocurava ajudar companheir o que estava f er i do. de uma fam T1 i a d a alta b u r g u e s 1 tourou-se em Lou va i n, na B e 1 g i c Universida de Nac ional. F oi tecn programa d a Refo rma Agra ria. Seu m os jovens, de 1Tder. descobrind povo. Esta opção radi do os i dea pos Latino própri a Co C a m 11 to, márt i r tã nascend tãs revere tismo numa na Igreja seus prime ulo (A GEN) - C fevere iro o 22 e C a m i Io Torre de 37 anos fa a i o r a dos q Viajou 0 a mi desço cal pe i s da -Ame ri 1 o m b i a postolad ua i s tor por tod séria em berta le 1 os pobr Conferên canos re em Mede o Torres torno e profeta da o. Hoje as com n c i a m Camilo p época em que Católica apena i ros passos. eiebrou 9 a n i v e s, sace 1ec i do to. Na a receb -se no rsãri o rdote ' num en oca- -1 " ido ; do Exer oportíj a um V Filho 1 a, dou a, nã i co do o foi entre ' nou-se um grajn 0 país e foi 1 que vivia o vou-o a uma ' es, antecipan cia dos Bis- T a 1i za d a na ' 1 1 Tn em u-se, portan- Igreja que es unidades c r i s elo seu profé as mudanças ^ s ensa T ayam ' A s cos e , mos o c ebemo Ago 14 4,39 gem de te 7 0% t a o as de seu CARTA ABERTA AOS PAIS Tod os o s t r abalhador sando um p e r ío do de ach a L imp o s t o pe 1 a p o 1 í t i c Govern o Fe dera 1, pois a repond o os sal arios cor fiação, c o mo t o d o s os s tido e m se u p r oprio boi i t ua ção dos fune i a i n d a pi o r ; pois q uan do c om mu i t a últi mo g atilho sa s ma i s n enhum rea juste. ra, com a defasag em salarial de %, o gov ervo Quer nos a f r de reaj sim redu valor r o n t a r, o f u s t e. Nos z id o s em ea 1. es vem atravesatamento salari a econômica do U.R.P. não vem roídos pela in- enhores tem sen so. onarios publi- 1 desde julho de luta consegui-' larial, não re- cia teve a cora erecendo somensos salários es 1/4 (um quartot Alem disso, somos obrigados a assis tir a propagandas demagógicas e mentirosas, pagas com dinheiro publico, em' que o governador diz estar resolvendo' os graves problemas de educação, saúde e segurança em nosso Estado. o s Contamos com a colaboração de todos senhores contra esta injustiça: Pelos 144 ai já. 3 9% + 15% de aumento re Pela manutenção das conquistas con seguidas pelo estatuto do magistério. QUANTO OS GOVERNADORES GASTARAM COM PUBLICIDADE* TAO trrapo, ^^E $o' PA' CERTO, PE CABfeÇA?KA BAIXO. 1 HYFtRlMEWTE VI^AMDo o TO-RMAL. agoslavid, J84 -' das Nações Santc André - SP uarez vollet Filhi. José Sebastião.. etánc - Mar ia ie Ji > Darigues. Pechtoll. Nascimento itana Rodrigue: ' s Sar.tos

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

DIREÇÃO NACIONAL DA CUT APROVA ENCAMINHAMENTO PARA DEFESA DA PROPOSTA DE NEGOCIAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, DAS APOSENTADORIAS E DO FATOR PREVIDENCIÁRIO

DIREÇÃO NACIONAL DA CUT APROVA ENCAMINHAMENTO PARA DEFESA DA PROPOSTA DE NEGOCIAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, DAS APOSENTADORIAS E DO FATOR PREVIDENCIÁRIO DIREÇÃO NACIONAL DA CUT APROVA ENCAMINHAMENTO PARA DEFESA DA PROPOSTA DE NEGOCIAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, DAS APOSENTADORIAS E DO FATOR PREVIDENCIÁRIO A CUT e as centrais sindicais negociaram com o governo

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI REFORMA POLÍTICA Capítulo VI REFORMA QUE O GOVERNO LULA E O CONGRESSO NACIONAL DEVEM PRIORIZAR [espontânea e única, em %] Pe so 1 0 0 % Re fe rê ncia s a re form a s Re form a Agrá ria 7 Re form a Tra

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

ACS Assessoria de Comunicação Social

ACS Assessoria de Comunicação Social O tempo e a espera Ministro fala de projetos em andamento e ações do governo para a área educacional Entrevista do ministro publicada na Revista Educação no dia 26 de maio de 2004. Tarso Genro é considerado

Leia mais

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA sumário executivo w w w. v o c e s a. c o m. b r w w w. e x a m e. c o m. b r melhores empresas para você trabalhar São Pau lo, setembro de 2010. Pre za do(a) Sr(a)., SEFAZ BAHIA Em pri mei ro lu gar,

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

Correção da fuvest ª fase - Matemática feita pelo Intergraus

Correção da fuvest ª fase - Matemática feita pelo Intergraus da fuvest 009 ª fase - Matemática 08.0.009 MATEMÁTIA Q.0 Na figura ao lado, a reta r tem equação y x no plano cartesiano Oxy. Além dis so, os pontos 0,,, estão na reta r, sendo 0 = (0,). Os pontos A 0,

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

país. Ele quer educação, saúde e lazer. Surge então o sindicato cidadão que pensa o trabalhador como um ser integrado à sociedade.

país. Ele quer educação, saúde e lazer. Surge então o sindicato cidadão que pensa o trabalhador como um ser integrado à sociedade. Olá, sou Rita Berlofa dirigente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Brasil, filiado à Contraf e à CUT. Quero saudar a todos os trabalhadores presentes e também àqueles que, por algum motivo, não puderam

Leia mais

PARECE IGUAL... MAS, DO OUTRO LADO, É O BRASIL QUE DÁ CERTO. FICA DO OUTRO LADO DESSE ESPELHO. DESTE LADO, POUCO DINHEIRO NO BOLSO...

PARECE IGUAL... MAS, DO OUTRO LADO, É O BRASIL QUE DÁ CERTO. FICA DO OUTRO LADO DESSE ESPELHO. DESTE LADO, POUCO DINHEIRO NO BOLSO... CADÊ O BRASIL RICO? FICA DO OUTRO LADO DESSE ESPELHO. DESTE LADO, POUCO DINHEIRO NO BOLSO... PARECE IGUAL... MAS, DO OUTRO LADO, É O BRASIL QUE DÁ CERTO.... E AQUI, DINHEIRO SOBRANDO NO FIM DO MÊS. DESTE

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos.

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos. PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos. Na pessoa física as taxas de juros tiveram uma pequena elevação sendo esta a décima quinta

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca VISITA A ANGOLA Encontro com Deputados

Leia mais

CASO 7 A evolução do balanço de pagamentos brasileiro no período do Real

CASO 7 A evolução do balanço de pagamentos brasileiro no período do Real CASO 7 A evolução do balanço de pagamentos brasileiro no período do Real Capítulo utilizado: cap. 13 Conceitos abordados Comércio internacional, balanço de pagamentos, taxa de câmbio nominal e real, efeitos

Leia mais

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT Brasília-DF, 30 de outubro de 2006 Jornalista Ana Paula Padrão: Então vamos às perguntas, agora ao vivo, com

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL Pesquisa e Consultoria Relatório Síntese PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL RODADA 89 CNT 18 a 22 de Junho de 2007 SAS Q 06 - Lote 03 - Bloco J Rua Grão Pará, 737-4º andar Ed. Camilo Cola - 2 o andar

Leia mais

Vamos Subir Nova Voz

Vamos Subir Nova Voz c c Vamos Subir Nova Voz 2 Letra e Música: Lucas Pimentel Arr: Henoch Thomas 2 5 2 to Eu-pos tem - po te-nho ou vi - do a pro- 2 g g 8 mes - sa de que vi - rás pra res -ga -tar os fi-lhos Teus Nem sem-pre

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA MCC

REVOLUÇÃO FRANCESA MCC REVOLUÇÃO FRANCESA MCC REVOLUÇÃO FRANCESA. MOVIMENTO BURGUÊS França antes da revolução TEVE APOIO DO POVO Monarquia absolutista Economia capitalista.(costumes feudais) sociedade estamental. 1º Estado-

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Maio/ 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Apresentaremos 4 lições, que mostram algum personagem Bíblico, onde as ações praticadas ao longo de sua trajetória abençoaram a vida de muitas

Leia mais

www.anefac.com.br Rua 7 de abril. 125 - conj. 405 - CEP 01043-000 República - São Paulo-SP - Telefone: 11 2808-320 PESQUISA DE JUROS

www.anefac.com.br Rua 7 de abril. 125 - conj. 405 - CEP 01043-000 República - São Paulo-SP - Telefone: 11 2808-320 PESQUISA DE JUROS PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em maio/2014, sendo esta a décima segunda elevação seguida, quinta elevação no ano. Estas elevações podem ser atribuídas

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano.

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano. PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano. Esta elevação é reflexo da elevação da Taxa Básica de Juros (Selic)

Leia mais

Jornalista: Eu queria que o senhor comentasse (incompreensível)?

Jornalista: Eu queria que o senhor comentasse (incompreensível)? Entrevista concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após cerimônia de apresentação dos resultados das ações governamentais para o setor sucroenergético no período 2003-2010 Ribeirão

Leia mais

Aula 10.1. Avaliação da Unidade II Pontuação: 7,5 pontos

Aula 10.1. Avaliação da Unidade II Pontuação: 7,5 pontos Aula 10.1 Avaliação da Unidade II Pontuação: 7,5 pontos 1ª QUESTÃO (1,0) Em seu discurso de despedida do Senado, em dezembro de 1994, o presidente Fernando Henrique Cardoso anunciou o fim da Era Vargas,

Leia mais

IMA Institute of Management Accountants PESQUISA DE JUROS

IMA Institute of Management Accountants PESQUISA DE JUROS PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em outubro/2013, sendo esta a sexta elevação no ano. Esta elevação pode ser atribuída à última elevação da Taxa de Juros

Leia mais

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades PNV 289 Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades Orides Bernardino São Leopoldo/RS 2012 Centro de Estudos Bíblicos Rua João Batista de Freitas, 558 B. Scharlau Caixa Postal 1051 93121-970

Leia mais

Aprofundar mudanças rumo a um modelo de desenvolvimento sustentável

Aprofundar mudanças rumo a um modelo de desenvolvimento sustentável Este artigo é cópia fiel do publicado na revista Nu e va So c i e d a d especial em português, junho de 2012, ISSN: 0251-3552, . Aprofundar mudanças rumo a um modelo de desenvolvimento sustentável

Leia mais

Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC

Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC Todas as linhas de crédito para pessoas jurídicas subiram. Para pessoas físicas, houve aumento nos juros do comércio,

Leia mais

Datafolha, propaganda e eleitores nos estados

Datafolha, propaganda e eleitores nos estados Datafolha, propaganda e eleitores nos estados 23 de agosto de 2010 1. Vitória de Dilma no 1º turno Bastou uma semana de horário eleitoral gratuito em rádio e televisão ao lado do presidente Lula para Dilma

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

Qual o Sentido do Natal?

Qual o Sentido do Natal? Qual o Sentido do Natal? Por Sulamita Ricardo Personagens: José- Maria- Rei1- Rei2- Rei3- Pastor 1- Pastor 2- Pastor 3-1ª Cena Uma música de natal toca Os personagens entram. Primeiro entram José e Maria

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR

UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR Nas contas do ex-reitor da USP, anteprojeto da reforma não atende ao acordo com os reitores REFORMA UNIVERSITÁRIA Gabriel Manzano Filho O aumento de recursos

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em setembro/2013, sendo esta a quinta elevação no ano. Esta elevação

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 40 Discurso no encontro com representantes

Leia mais

Defesa dos Serviços e Trabalhadores Públicos Brasileiros e o. Não Pagamento da Dívida Pública

Defesa dos Serviços e Trabalhadores Públicos Brasileiros e o. Não Pagamento da Dívida Pública Defesa dos Serviços e Trabalhadores Públicos Brasileiros e o Não Pagamento da Dívida Pública O endividamento público vem pautando a vida do povo brasileiro sob diversas formas, especialmente a partir da

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

Apoio. Patrocínio Institucional

Apoio. Patrocínio Institucional Patrocínio Institucional Parceria Apoio InfoReggae - Edição 83 Papo Reto com José Junior 12 de junho de 2015 O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura

Leia mais

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2013 (Do Deputado Rubens Bueno)

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2013 (Do Deputado Rubens Bueno) REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2013 (Do Deputado Rubens Bueno) Requer informações ao Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Sr. Fernando Damata Pimentel sobre a contratação pelo

Leia mais

UNICAMP 2012 (2ª Fase)

UNICAMP 2012 (2ª Fase) 1. Re so lu ção (se rá con si de ra do ape nas o que es ti ver den tro des te es pa ço). a)...in te res se do pú bli co (L1): Tra ta-se de um subs tan ti vo pos to que de ter mi na do pe lo ar ti go o,

Leia mais

"É possível levar energia renovável para todos"

É possível levar energia renovável para todos "É possível levar energia renovável para todos" Por Daniela Chiaretti De Nairóbi, Quênia Connie Hedegaard: "Acho que quando temos uma crise global como a que estamos vivendo, é uma oportunidade excelente

Leia mais

Por ocasião da Marcha para Jesus, o deputado Wasny de Roure. (PT-DF) pronuncia o seguinte discurso: No próximo dia 11 de

Por ocasião da Marcha para Jesus, o deputado Wasny de Roure. (PT-DF) pronuncia o seguinte discurso: No próximo dia 11 de 1 06.06.05 Por ocasião da Marcha para Jesus, o deputado Wasny de Roure (PT-DF) pronuncia o seguinte discurso: No próximo dia 11 de junho teremos mais uma Marcha para Jesus em Brasília, evento que acontece

Leia mais

Marcos Leôncio suka02@uol.com.br 1 VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio. Elenco: Olga Barroso. Renato Beserra dos Reis

Marcos Leôncio suka02@uol.com.br 1 VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio. Elenco: Olga Barroso. Renato Beserra dos Reis VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio Elenco: Olga Barroso Renato Beserra dos Reis Zilânia Filgueiras Sérgio Francatti Dodi Reis Preparação de Atores e Direção: Dodi Reis Coordenação

Leia mais

Essa modalidade de texto tem por objetivo esclarecer e orientar a população em geral e persuadi-la a colaborar. Sua estrutura é bastante variável.

Essa modalidade de texto tem por objetivo esclarecer e orientar a população em geral e persuadi-la a colaborar. Sua estrutura é bastante variável. Profa. Katiuscia Essa modalidade de texto tem por objetivo esclarecer e orientar a população em geral e persuadi-la a colaborar. Sua estrutura é bastante variável. Costuma apresentar, entretanto, algumas

Leia mais

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário Capítulo 10 Controle Orçamentário Essa etapa acon te ce após a exe cu ção das tran sa ções dos even tos eco nô mi cos pre vis - tos no plano orça men tá rio. Não se con ce be um plano orça men tá rio sem

Leia mais

CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO

CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO HQ se lga! i CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO Defender a CONSTITUINTE é um erro! Erro, por que? A direita vai aproveitar uma Constituinte

Leia mais

coleção Conversas #20 - MARÇO 2015 - t t o y ç r n s s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #20 - MARÇO 2015 - t t o y ç r n s s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. Vocês acham possam a coleção Conversas #20 - MARÇO 2015 - cer d o t t o a r que ga cr ia n y ç a s s? Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora

Leia mais

"Dorme enquanto eu velo"

Dorme enquanto eu velo poesia: Fernando Pessoa q = 60 6 "Dorme enquanto eu velo" para voz e piano legato Dor Patrícia Lopes J - me en. quan - to eu ve - lo Dei - xa me -. - so nhar 11. Na - da'em mim é ri - so - nho. 1. Que

Leia mais

*8D22119A17* 8D22119A17

*8D22119A17* 8D22119A17 Senhor Presidente, Sras. e Srs. Deputados, sabemos que o poder de transformação ocorre graças à educação e cultura, principalmente, através dos ensinamentos entre as gerações, passados no âmbito familiar

Leia mais

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 25 A 31 DE AGOSTO SEMANA 25 A 31 DE AGOSTO

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 25 A 31 DE AGOSTO SEMANA 25 A 31 DE AGOSTO ONG registra aumento no desmatamento Guatemala pede saída de presidente às vésperas de pleito ATUALIDADES PROFESSOR MARCOS JOSÉ Tropeço da China eleva apostas de que EUA adiarão aumento nos juros ONG registra

Leia mais

Plano de lutas PLENO EMPREGO

Plano de lutas PLENO EMPREGO Plano de lutas PLENO EMPREGO a) Impulsionar, junto com as outras centrais sindicais, a campanha nacional pela redução constitucional da jornada de trabalho sem redução de salários; b) Exigir a restrição

Leia mais

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEGMENTOS DE ASSOCIADOS

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEGMENTOS DE ASSOCIADOS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEGMENTOS DE ASSOCIADOS Joel Queiroz 1 COOPERATIVAS DE CRÉDITO INSTRUMENTO DE ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Associação voluntária de pessoas para satisfação de necessidades econômicas,

Leia mais

27/11/2009. Entrevista do Presidente da República

27/11/2009. Entrevista do Presidente da República Entrevista exclusiva concedida por escrito pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, para o jornal Metro, edição São Paulo e edição ABC Publicada em 27 de novembro de 2009 Jornalista: Muitos

Leia mais

PERÍODO MILITAR (1964/1985) PROF. SORMANY ALVES

PERÍODO MILITAR (1964/1985) PROF. SORMANY ALVES PERÍODO MILITAR (1964/1985) PROF. SORMANY ALVES INTRODUÇÃO Período governado por GENERAIS do exército brasileiro. Adoção do modelo desenvolvimento dependente, principalmente dos EUA, que subordinava a

Leia mais

10 motivos para investir e se apaixonar

10 motivos para investir e se apaixonar 10 motivos para investir e se apaixonar CONHEçA UM POUCO MAIS SObRE A CIDADE que NãO PARA DE CRESCER E que TEM TUDO PARA fazer O MESMO PELA SUA EMPRESA. o Brasil está se firmando como um gigante do desenvolvimento

Leia mais

o bje tiv o f in a l d o C oa c h in g é fa z e r c o m qu e o s c lie n te s t o rn e m -s e a u tô no m o s.

o bje tiv o f in a l d o C oa c h in g é fa z e r c o m qu e o s c lie n te s t o rn e m -s e a u tô no m o s. O r ie n ta ç õ e s In i ci ai s E u, R ic k N e ls o n - P e rs on a l & P rof e s s io n al C o a c h - a c re dito qu e o o bje tiv o f in a l d o C oa c h in g é fa z e r c o m qu e o s c lie n te

Leia mais

A Lição de Lynch. O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros

A Lição de Lynch. O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros A Lição de Lynch O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros Por Laura Somoggi, de Marblehead (EUA) É muito provável que o nome Peter Lynch não lhe seja familiar. Ele

Leia mais

Sebastião Salgado atribui culpa a EUA e Europa por atual crise dos refugiados

Sebastião Salgado atribui culpa a EUA e Europa por atual crise dos refugiados Sebastião Salgado atribui culpa a EUA e Europa por atual crise dos refugiados POR ENTRETEMPOS, JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO, 04.10.2015 Tião, como é chamado pelos amigos, não toma café. Ainda assim, motivado

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 106 Discurso na cerimónia de entrega

Leia mais

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Ministério das Comunicações Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD Suplementar 2013 Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular

Leia mais

2º CONCURSO DE REDAÇÃO CAMPANHA: ELEIÇÕES LIMPAS PELO VOTO LIVRE E CONSCIENTE. CATEGORIA I 5ª e 6ª Série do Ensino Fundamental

2º CONCURSO DE REDAÇÃO CAMPANHA: ELEIÇÕES LIMPAS PELO VOTO LIVRE E CONSCIENTE. CATEGORIA I 5ª e 6ª Série do Ensino Fundamental CATEGORIA I 5ª e 6ª Série do Ensino Fundamental Tema: Voto livre e consciente, escolha que liberta 1º LUGAR: IZABEL ALINE DE ARAÚJO MATOS 6ª Série Educandário Madre Paulina Título (facultativo): A importância

Leia mais

22/05/2006. Discurso do Presidente da República

22/05/2006. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de assinatura de protocolos de intenções no âmbito do Programa Saneamento para Todos Palácio do Planalto, 22 de maio de 2006 Primeiro, os números que estão no

Leia mais

O Sacrifício da Cruz

O Sacrifício da Cruz O Sacrifício da ruz 6 ø 4 4 Intenso q = 61 9. r. r m b sus4 6 Ó. m Œ. r J 1.u ø. r o - lho pa - ra_o céu, bus - M7.. can - do com - preen-der o sa - cri - fí - cio do Sal - va - dor em meu lu - gar ø ø

Leia mais

Portaria Interministerial N 416, de 23 de Abril de 2004

Portaria Interministerial N 416, de 23 de Abril de 2004 Portaria Interministerial N 416, de 23 de Abril de 2004 Portaria Interministerial N 416, de 23 de abril de 2004 Presidência da República Casa Civil OS MINISTROS DE ESTADO CHEFE DA CASA CIVIL DA PRESIDÊNCIA

Leia mais

Crianças comemoraram Dia C com piquenique cooperativo

Crianças comemoraram Dia C com piquenique cooperativo cogem news Desde 1974, estimulando a poupança e ajudando a realizar sonhos! Julho de 2015 Crianças comemoraram Dia C com piquenique cooperativo A data de 4 de julho, quando se comemorou em todo o país

Leia mais

mudanças qualitativas radicais na vida econômica, social e política das nações.

mudanças qualitativas radicais na vida econômica, social e política das nações. PRONUNCIAMENTO DO MINISTRO EDUARDO CAMPOS NA SOLENIDADE DE INSTALAÇÃO DA III ASSEMBLÉIA GERAL DA ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DE PARLAMENTARES PARA A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (IPAIT), NA CÂMARA DOS DEPUTADOS,

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em fevereiro/2015. Estas elevações podem ser atribuídas aos seguintes

Leia mais

N : PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Entrevistador: Nome do entrevistado: (xx)xxxxxxxx. Endereço: Cidade: Situação do domicílio: 1.Urbano 2.

N : PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Entrevistador: Nome do entrevistado: (xx)xxxxxxxx. Endereço: Cidade: Situação do domicílio: 1.Urbano 2. Entrevistador: Nome do entrevistado: Telefone: (xx)xxxxxxxx N : Endereço: Cidade: Situação do domicílio: 1.Urbano 2.Rural Estado: AC AP DF MA MT PE RJ RR SE AL BA ES MG PA PI RN RS SP AM CE GO MS PB PR

Leia mais

cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 1 CAPA

cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 1 CAPA cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 1 CAPA cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 2 TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI* *Artigo 5º da Constituição Brasileira

Leia mais

Ano 1 - nº 1 - Set/15

Ano 1 - nº 1 - Set/15 Ano 1 - nº 1 - Set/15 Conversando sobre a REALIDADE social do BRASIL Partido da Social Democracia Brasileira Presidente: Senador Aécio Neves Instituto Teotônio Vilela Presidente: José Aníbal créditos

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

Gostaria de ressaltar o papel da mulher como figura estabilizadora da família e, em decorrência, da própria vida social.

Gostaria de ressaltar o papel da mulher como figura estabilizadora da família e, em decorrência, da própria vida social. O deputado Ivo José (PT-MG) profere o seguinte discurso: Senhor Presidente, nobres colegas deputados, demais presentes, ouvintes e telespectadores da Rádio Câmara e da TV Câmara, nesta data especial, em

Leia mais

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 618, DE 2004 (Nº 885/2003, na Câmara dos Deputados)

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 618, DE 2004 (Nº 885/2003, na Câmara dos Deputados) Maio de 2004 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Quinta-feira 27 16139 1) De acordo 2) Encaminhe-se o processo ao Departamento de Fiscalização e Outorgas para prosseguimento. São Paulo, 26 de junho de 1997. Eduardo

Leia mais

Acredito ter sido escolhido para recebê-lo porque os senhores também queriam homenagear o Brasil e o povo brasileiro.

Acredito ter sido escolhido para recebê-lo porque os senhores também queriam homenagear o Brasil e o povo brasileiro. Discurso de Luiz Inácio Lula da Silva Prêmio Lech Walesa Gdansk, Polônia 29 de setembro de 2011 É uma grande honra, para mim, receber este prêmio da fundação que leva o nome do companheiro Lech Walesa,

Leia mais

Quero um Novo Lar پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 0 پ0 0 پ0 3پ0 0 پ0 3 پ0 0

Quero um Novo Lar پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 0 پ0 0 پ0 3پ0 0 پ0 3 پ0 0 1 3 پ0 7 _ پ0 7 _ پ0 7 _ & 4 7 A. ز E 7 1 j j پ0گ7? 4 n #_ n _ L? Mi - nha ca -sa e -ra ve - ha nپ0ٹ0o po - di - a su - por - tar پ0ˆ7. _ eu me 4 پ0 7 پ0 8 & E 7 G 6 /A A _.. nnn_ n پ0ˆ7_ j j j j G j پ0گ7

Leia mais

Estado do Rio Grande do Norte Câmara Municipal de Natal Palácio Padre Miguelinho GABINETE DA VEREADORA AMANDA GURGEL

Estado do Rio Grande do Norte Câmara Municipal de Natal Palácio Padre Miguelinho GABINETE DA VEREADORA AMANDA GURGEL PROJETO DE LEI 103/2015 Dispõe sobre a redução do subsídio do(a) prefeito(a), do(a) vice-prefeito(a), e dos(as) vereadores(as), para o equivalente ao dobro do fixado como piso salarial nacional para os(as)

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em janeiro/2015. Estas elevações podem ser atribuídas aos seguintes

Leia mais

Os direitos dos trabalhadores no Brasil não caíram do céu, não

Os direitos dos trabalhadores no Brasil não caíram do céu, não Por que esta cartilha? Os direitos dos trabalhadores no Brasil não caíram do céu, não foram concessões patronais ou de governos, como os patrões tentam nos fazer parecer. A história da classe trabalhadora

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 77 Discurso na cerimónia de lançamento

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 101 Discurso na cerimónia de inauguração

Leia mais

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Copenhague-Dinamarca, 01 de outubro de 2009 Bem, primeiro dizer a vocês da alegria de poder estar

Leia mais

Comunicar PAPA. Jornal. Bento XVI recebe José Maria Neves no Vaticano. Administração Pública. www.governo.cv

Comunicar PAPA. Jornal. Bento XVI recebe José Maria Neves no Vaticano. Administração Pública. www.governo.cv Jornal Comunicar Administração Pública Governo de Cabo Verde Edição Gratuita Mensal nº18 Setembro de 2010 Edição Especial www.governo.cv www.governo.cv PAPA Bento XVI recebe José Maria Neves no Vaticano

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A O capitalismo teve origem na Europa, nos séculos XV e XVI, e se expandiu para outros lugares do mundo ( Ásia, África,

Leia mais

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA ( 44.ª EDIÇÃO ) AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PRESIDENTE Ronaldo Mota Sardenberg CONSELHEIROS Emília

Leia mais

Diálogo, bem comum, dignidade para todos - Papa no Congresso dos EUA 9

Diálogo, bem comum, dignidade para todos - Papa no Congresso dos EUA 9 Diálogo, bem comum, dignidade para todos - Papa no Congresso dos EUA 9 57 Imprimir 2015-09-24 Rádio Vaticana Francisco no Congresso Americano acolhido com grandes aplausos. É a primeira vez que um Papa

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca INAUGURAÇÃO DA NOVA CIDADE DE CANINDÉ

Leia mais

PO 813734A AVALIAÇÃO DA PRESIDENTE DILMA PO 813734B INTENÇÃO DE VOTO PRESIDENTE PO 813734C 50 ANOS DA DITADURA MILITAR Nº CIDADE:

PO 813734A AVALIAÇÃO DA PRESIDENTE DILMA PO 813734B INTENÇÃO DE VOTO PRESIDENTE PO 813734C 50 ANOS DA DITADURA MILITAR Nº CIDADE: PO 813734A AVALIAÇÃO DA PRESIDENTE DILMA PO 813734B INTENÇÃO DE VOTO PRESIDENTE PO 813734C 50 ANOS DA DITADURA MILITAR Nº CPD: Nº CIDADE: CHECAGEM: 1 CHECADO 2 SEM TELEFONE 3 TELEFONE ERRADO 4 NÃO ENCONTRADO

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 49 Discurso no encontro com grupo

Leia mais

2. (PT) - TSF - Notícias, 17/07/2013, PS acusa maioria de «intransigência» no corte de 4,7 ME na despesa do Estado

2. (PT) - TSF - Notícias, 17/07/2013, PS acusa maioria de «intransigência» no corte de 4,7 ME na despesa do Estado Rádios _17 Julho Revista de Imprensa 18-07-2013 1. (PT) - - Notícias, 17072013, Personalidades assinam manifesto a pedir entendimento entre os partidos 1 2. (PT) - - Notícias, 17072013, PS acusa maioria

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito ficaram praticamente estáveis em janeiro/2013 frente a dezembro/2012. Pessoa Física Das seis

Leia mais

Curso: A Agricultura no Contexto da Crise - Perspectivas

Curso: A Agricultura no Contexto da Crise - Perspectivas Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA Curso: A Agricultura no Contexto da Crise - Perspectivas TEMA III: A CONSTRUÇÃO DO MOVIMENTO SINDICAL DE TRABALHADORES COMO SUPERAÇÃO DE EXCLUSÃO DO

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 40 Discurso na cerimónia comemorativa

Leia mais

ELEIÇÕES 2008 A RELAÇÃO ENTRE VEREADORES, ADMINISTRAÇÕES PETISTAS E O MOVIMENTO SINDICAL SUGESTÕES

ELEIÇÕES 2008 A RELAÇÃO ENTRE VEREADORES, ADMINISTRAÇÕES PETISTAS E O MOVIMENTO SINDICAL SUGESTÕES ELEIÇÕES 2008 A RELAÇÃO ENTRE VEREADORES, ADMINISTRAÇÕES PETISTAS E O MOVIMENTO SINDICAL 1) INTRODUÇÃO SUGESTÕES Ao longo dos seus vinte e oito anos e com a experiência de centenas de administrações que

Leia mais

Aspásia Camargo (PV) e Rodrigo Dantas (DEM) debatem com médicos o futuro da saúde pública do Rio de Janeiro

Aspásia Camargo (PV) e Rodrigo Dantas (DEM) debatem com médicos o futuro da saúde pública do Rio de Janeiro Aspásia Camargo (PV) e Rodrigo Dantas (DEM) debatem com médicos o futuro da saúde pública do Rio de Janeiro Os temas saúde pública e exercício profissional médico foram debatidos nesta 5ª (30/8), na sede

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 094/2015-CONSET/SEHLA/G/UNICENTRO, DE 11 DE AGOSTO DE 2015. Altera os Anexos I e II, da Resolução Nº 133/2012- CONSET/SEHLA/G/UNICENTRO, de 23 de novembro de 2012, e aprova o relatório final.

Leia mais