Reunião Matinal. Análise Análise XP. Abertura. Índice

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Reunião Matinal. Análise Análise XP. Abertura. Índice"

Transcrição

1 Análise Análise XP Reunião Matinal Abertura Dólar pode reagir à decisão do BC de fazer leilão de linha de US$ 3,5 bi no câmbio, ao mesmo tempo em que deixa US$ 1,31 bi em swaps sem rolagem. BC deve anunciar déficit fiscal primário, segundo economistas. Agenda ainda traz encontro de Mantega com Anfavea e pesquisa Focus. EUA divulgam dados de moradia e atividade, abrindo semana com feriado e payroll. À noite, saem PMI na China e Tankan no Japão. Ações emergentes sobem com sinais de que juro permanecerá baixo nos EUA. Petróleo recua com conflito no Iraque não atingindo maioria das instalações. Fechamento Resultado do governo central reforçou mau humor na bolsa, que já caía com NY, puxada por Petrobras, Vale, bancos e siderúrgicas, na segunda semana de queda. -0,7%, ,30. Índice Resumo Cotações Macroeconomia Proventos Carteiras Recomendadas Disclaimer (+) Itaú Unibanco (ITUB4): Avaliada em R$ 1 bi, carteira de grandes riscos do Itaú está prestes a ser vendida. (=) Bancos: BC vai ao STJ por ação contra sistema de avaliação de crédito. (-) Concessões Rodoviárias: Reajuste de pedágio em SP gera reação e pode parar na Justiça. (=) Focus: Destaques. (=) Eleições: Pesquisa Datafolha. (=) Elétrico (Eletropaulo e Copel): Aneel no radar. (=) Petrobras (PETR4): Empresa garante que não fará nova emissão de ações. (-) Minério: Preço cai 1,2% para US$ 93,8/ton. (=) Real Estate e o MCMV: 3ª etapa será anunciada essa semana. Agenda do Dia Hora Local Indicador Data Exp. Ant. segunda-feira, 30 de junho de :00 EUR Oferta monetária M3 (a.a.) Maio 0.8% 0.8% 06:00 EUR IPC principal (a.a.) Jun 0.7% 0.7% 09:30 BRA Balança orçamentária nominal Maio B 09:30 BRA Balança orçamentária primária Maio -8.4B 16.9B 11:00 EUA Vendas imóveis pendentes (a.a.) Maio -9.6% -9.4% 22:00 CHI PMI manufatura Jun :45 CHI PMI Manufatura China HSBC Jun BRA Abras May Supermarket Sales Ricardo Kim Analista, CNPI Fontes dos textos: AE, Bloomberg, InfoMoney e Reuters.

2 Cotações Mercado de Ações Bolsa Origem Pontos Mês P/L Mercado de Commodities Commodity Cotação Dia Mês Ano Ibovespa Brasil ,7 3,7 11,0x Soja ,3-0,3-0,5 7,1 Dow Jones EUA ,6 0,8 15,1x Milho 447 0,9-1,1-2,2-0,8 S&P 500 EUA ,1 1,9 16,6x Trigo 594 1,5 0,1-7,2-4,6 MEXBOL México ,9 2,7 20,1x Açucar 18-2,2-2,3 0,7 7,8 FTSE 100 Reino Unido ,0-1,3 14,2x Algodão 75 0,3-2,9-3,4-4,1 CAC 40 França ,3-1,8 15,1x Café 173-4,6-1,7-4,1 42,6 DAX Alemanha ,7-1,3 13,8x Petróleo (WTI) 106-0,1-1,0 3,7 10,1 IBEX Espanha ,7 1,5 17,5x RBOB Gasolina 310 0,4-0,9 4,3 6,9 NIKKEI 225 Japão ,7 3,2 17,1x Ouro ,2 0,3 5,9 9,5 SHASHR Shangai ,1 0,6 10,8x Prata 300-0,5-1,8 3,8-0,4 HANG SENG Hong Kong ,5-0,1 8,0x Cobre 310 0,4-0,9 4,3 6,9 Mercado de Ações - Índices Índice Pontos Dia Mês Ano Mercado de Câmbio Divisa Ratio Dia Mês Ano IBX ,6-2,7 3,6 3,0 Dólar/Real 2,19-0,1-1,6-2,1-7,0 SMLL ,8-1,8 2,8-2,8 Euro/Real 3,00 0,2-1,2-2,0-8,0 IMOB 662-0,7-1,5 2,5-2,0 Euro/Dolar 1,36 0,3 0,4 0,1-1,1 ICON ,1-0,8 4,1 5,2 Yuan/Dólar 0,16 0,1 0,1 0,5-2,5 INDX ,4-2,1 1,7-9,3 Yen/Dólar 0,01 0,3 0,7 0,4 3,7 Mercado de Ações - Maiores Altas Empresa Ticker Setor Mercado de Ações - Maiores Baixas Empresa Ticker Setor LUPATECH SA LUPA3 Bens de Capital 28,6 MMX MINERACAO MMXM3 Mineração & Siderurgia -21,3 INEPAR TEL INET3-28,6 VIVER INCORPORAD VIVR ,7 CHIARELLI SA CCHI3-22,2 OI SA-PREF OIBR4 Telecom -15,0 IDEIASNET IDNT3 Tecnologia 19,7 WETZEL SA-PREF MWET ,8 INEPAR-PREF INEP4-17,2 PLASCAR PART PLAS3 Bens de Capital -13,5 BICBANCO - PREF BICB4 Financeiro 15,2 RENAR MACAS RNAR ,9 CONTAX PART CTAX3-12,9 ENEVA SA MPXE3 Energia Elétrica -11,5 OLEO E GAS PART OGXP3 Petróleo & Gás 10,3 MINUPAR MNPR ,4

3 Macroeconomia Investidores devem ter cautela nesta semana cheia de dados econômicos que vão testar as esperanças de investidores sobre uma retomada da economia global. A semana é mais curta no Brasil e nos Estados Unidos, por causa do jogo da Seleção pela Copa do Mundo e do feriado norte-americano de 4 de julho, ambos na sexta-feira. Mas, até lá, a agenda econômica será pesada. Ásia: A maioria dos mercados da região teve altas modestas, com o índice de Seul avançando 0,7% e o de Xangai subindo 0,6%. O índice japonês Nikkei se recuperou de uma queda no começo da sessão e terminou com alta de 0,4%. Europa: A inflação na zona do euro repetiu em junho a taxa do mês anterior, mostraram dados oficiais nesta segunda-feira, aliviando a pressão imediata sobre o Banco Central Europeu (BCE) para agir de novo em breve com o objetivo de combater a lenta alta dos preços. A taxa inflação anual nos 18 países que compartilham o euro permaneceu em 0,5% pelo segundo mês seguido em junho, informou a agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat. Foi o nono mês seguido em que a inflação permaneceu dentro do que o presidente do BCE, Mario Draghi, chamou de "zona de perigo", abaixo de 1%. EUA: Entre hoje e amanhã, serão conhecidos os índices ISM e Markit de atividade industrial neste mês nos EUA. Brasil: O Índice de Confiança da Indústria (ICI) brasileira caiu 3,9% em junho sobre o final de maio, sexta queda consecutiva. Assim, o indicador passou a 87,2 pontos, sobre 90,7 pontos no mês anterior, quando teve recuo de 5,1%.

4 (+) Itaú Unibanco (ITUB4): Avaliada em R$ 1 bi, carteira de grandes riscos do Itaú está prestes a ser vendida. Na reta final. Com a saída da japonesa Tokio Marine na semana passada, disputa pela operação de seguros de grandes riscos do banco brasileiro está entre a francesa Axa, a alemã HDI e a americana Ace; negociações devem ser concluídas neste fim de semana. As negociações para a venda da carteira de seguros de grandes riscos do Itaú Unibanco chegaram na fase final e devem ser concluídas neste fim de semana. Para a última etapa da disputa, conforme fonte com conhecimento no assunto, ficaram a francesa Axa, a americana Ace e a alemã HDI. A japonesa Tokio Marine saiu da concorrência na semana passada, segundo fontes de mercado. Na reta final, o que deve fazer a diferença para o vencedor é o apetite financeiro de cada concorrente. As propostas giram em torno de R$ 1 bilhão. Em jogo está uma carteira de cerca de R$ 1,8 bilhão em prêmios, lucro anual entre R$ 45 milhões e R$ 65 milhões, conforme fonte, e que reúne clientes de peso como Petrobrás, Vale, Odebrecht e outros. No fim de abril, em teleconferência para comentar os resultados do primeiro trimestre, Marcelo Kopel, da área de relações com investidores do Itaú, disse que o banco esperava ter novidades em relação à venda da sua carteira de seguros de grandes riscos dali dois ou três meses. "O processo está avançando. Tem companhias mais interessadas que outras no começo, mas ainda não temos nada para anunciar", afirmou ele, na ocasião. A medida é considerada racional e positiva para a instituição financeira, devido ao retorno que o segmento tem entregue (abaixo do apresentado pelos demais segmentos), contribuindo para a elevação significativa para o patrimônio do Itaú. A venda da carteira foi confirmada pelo banco, em comunicado ao mercado, em janeiro. Em linha com a sua estratégia de atuar em segmentos de menor risco. Procurado, o ItaúUnibanco não comentou sobre o andamento das negociações. HDI, Axa, Ace e Tokio também não se pronunciaram. (=) Bancos: BC vai ao STJ por ação contra sistema de avaliação de crédito. O Banco Central (BC) está preocupado com ações de indenização propostas por consumidores contra empresas que fazem avaliação de crédito e ingressou, ao lado da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), num processo em que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) vai dar orientação geral sobre o assunto. Segundo estimativas do BC, há mais de 100 mil pedidos de indenização por dano moral em que consumidores questionam os sistemas de classificação de crédito usados por bancos e empresas, os chamados "scores", após terem sido mal avaliados. Mais de um terço dessas ações - 36 mil - está no Rio Grande do Sul, onde os consumidores conseguiram vitórias contra empresas que recorreram a instâncias superiores da Justiça. Diante dessa quantidade de processos, o STJ marcou uma audiência pública para debater o assunto, em 25 de agosto. O score de crédito é um programa de computador que calcula o risco de inadimplência de determinada pessoa a partir de informações pessoais, como renda, endividamento, idade, escolaridade e outras. No limite, um cliente mal pontuado pode ter sua proposta de crédito negada por ser considerado um mau pagador. A instituição financeira pode cobrar uma taxa de juro mais alta ou limitar o valor a ser emprestado a um cliente com risco maior. Em termos de risco da causa, consideramos reduzida a possibilidade de alteração sistemática do modelo utilizado, dado que suas premissas são baseadas em aspectos técnicos e relacionados a análise de crédito pessoal/individual. (-) Concessões Rodoviárias: Reajuste de pedágio em SP gera reação e pode parar na Justiça. Os reajustes de pedágio concedidos pelo governo de São Paulo neste ano despertaram a fúria de companhias de concessões de rodovias, que já ameaçam ir à Justiça para se defender. Na maioria dos casos, o aumento permitido ficou abaixo da inflação - diferentemente do que determinam os 19 contratos do tipo entre empresas e Estado. Executivos das empresas passaram o fim de semana reunidos com equipes de advogados para definir qual seria a reação à política estabelecida pelo governo do Estado de São Paulo. As empresas estão preparando medidas administrativas para se defender e já falam em judicializar a questão caso não tenham sucesso. A medida elaborada pelo governo de São Paulo para o reajuste de 2014 é uma consequência direta do congelamento de preços do ano passado: em 2013, em meio aos protestos populares sobre tarifas de mobilidade urbana, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) decidiu suspender o reajuste anual nas estradas. Mas as medidas elaboradas em 2013 teriam beneficiado a maior parte das empresas além do que era necessário, segundo interpreta a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). Para tirar essa suposta "vantagem" que as empresas teriam recebido com as medidas do governo, 17 das 19 concessionárias de rodovias no Estado receberam em 2014 um reajuste abaixo da inflação. As companhias, no entanto, questionam sobretudo a concepção do reajuste de Segundo elas, o governo quer, por meio de um reajuste anual, realizar um reequilíbrio econômicofinanceiro prejudicado desde Todo reequilíbrio deve ser, conforme os contratos, negociado entre empresas e poder concedente. Nesse caso, empresas dizem que não houve negociação. A Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) também criticou o governo paulista. "A decisão representa mais uma ação unilateral do Governo do Estado de São Paulo e, por não ter respaldo jurídico, é entendida pela ABCR como quebra do contrato de concessão", diz em nota. E completa: "A ABCR tomará todas as medidas cabíveis para preservar os direitos de suas associadas, e, neste caso, a aplicação do índice contratualmente previsto". Na sexta-feira o governo de São Paulo estabeleceu os reajustes dos pedágios para as concessões rodoviárias do Estado. O reajuste médio foi de 5,29%, valor abaixo do valor definido por contrato (inflação no período). As empresas já demonstraram a insatisfação via fato relevante, uma vez que segundo elas, a decisão foi tomada unilateralmente pelo governo do estado. Notícia ruim para o setor como um todo, pois além do reajuste ser menor do que o valor definido por contrato, mostra o governo agindo de forma unilateral, trazendo desconfiança se os termos dos atuais e futuros contratos serão respeitados. A ABCR (Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias) diz que tomará as medidas cabíveis e poderá até entrar na justiça contra o governo de SP.

5 (=) Focus: Destaques. Expansão do PIB em 2014 cai de 1,16% para 1,10%; Expansão do PIB em 2015 cai de 1,60% para 1,50%; IGP-DI para 2014 cai de 5,50% para 5,45%; IGP-M 2014 recua de 5,94% para 5,44%; Alta de administrados em 2015 recua de 7% para 6,75%; Produção Industrial para 2015 cai de 2,30% para 2,20%. (=) Eleições: Pesquisa Datafolha. Está previsto para divulgação a partir do dia 02/07, a Pesquisa Eleitoral - BR-00194/2014, que foi contratada pela Empresa Folha da Manhã com abrangência nacional e com entrevistados. (=) Elétrico (Eletropaulo e Copel): Aneel no radar. Expectativa de que a Aneel aprove o reajuste nas tarifas solicitado pela companhia, de 16,69%. Depois do pedido e do anúncio da Aneel em relação ao reajuste da Copel, o anúncio de reajuste, por parte da Eletropaulo, pode até superar o solicitado. Vale monitorar Vale ressaltar ainda que a agência de classificação de risco Fitch Ratings rebaixou os ratings em moeda estrangeira e local de 'BB+' para 'BB', enquanto o rating nacional de longo prazo passou de 'AA(bra)' para 'A+(bra)'. A perspectiva foi revisada de negativa para estável. De acordo com a Fitch, o rebaixamento dos ratings reflete o enfraquecimento do perfil de crédito da Eletropaulo desde a implementação do 3ºterceiro ciclo de revisão tarifária, em julho de 2012, que reduziu "significativamente" a geração de caixa operacional da empresa e impactou de forma negativa seus indicadores de crédito. Ainda no setor de energia, a Fitch também rebaixou o rating nacional de longo prazo da AES Tietê de 'AA(bra)' para 'A+(bra)'. A perspectiva do rating foi alterada de negativa para estável. Ao mesmo tempo, a agência rebaixou o rating nacional de longo prazo de 'AA-(bra)' para 'A(bra)' da primeira emissão de debêntures da companhia, da espécie subordinada, no montante de R$ 900 milhões. Ambos os ratings foram retirados. "A Fitch decidiu descontinuar os ratings, pelos quais a agência não era compensada." Outra companhia do setor que vale a pena mencionar é a Copel, que pode apresentar contraproposta para o pedido de reajuste da tarifa de energia elétrica, após o governo do Paraná ter pedido à Aneel suspensão da aplicação do aumento. O conselho da distribuidora postergou a reunião para tratar do assunto, ainda sem data definida. (=) Petrobras (PETR4): Empresa garante que não fará nova emissão de ações. A direção da Petrobras foi "enfática" na sexta-feira ao garantir que a companhia não fará nenhuma nova emissão de ações para fazer frente à novas despesas com a aquisição dos excedentes de petróleo e gás no pré-sal. A diretoria da estatal defendeu a transação com o governo, que repassa por contratação direta entre 10 bi e 15 bi de barris de óleo e gás do pré-sal, localizados em campos onde a Petrobras já tem acordos de produção por meio do contrato de cessão onerosa, assinado após a capitalização da companhia. Sobre o momento do anúncio, muito criticado, já que a Petrobras vai explorar essas áreas pelas quais pagará adiantado daqui há uma década, a explicação da diretoria foi que era necessário fazer o plano de desenvolvimento de toda a área, não apenas da cessão onerosa, e não apenas dos 5 bilhões de barris originais, para que se pudesse obter ganhos de escala. A Petrobras calcula que a adição de novos barris exigirá um aumento de 3,5% no investimentos programado para , de US$ 207 bilhões. Esse impacto, que inclui o pagamento de bônus de R$ 2 bilhões ainda este ano, é 0,5% maior do que estimado terça-feira. "Como sempre, tanto Graça quanto o diretor Formigli conseguem mostrar um monte de [justificativas] racionais. Só que existe um caminhão de premissas preocupantes. Entre o risco de custos, o preço do petróleo, o ritmo da produção e, finalmente, a curva de produção da cessão onerosa que não está no contrato e será negociada com a ANP", resumiu a fonte, que pediu para falar sem ter seu nome divulgado. A dúvida maior agora continua sendo como repartir a participação governamental em relação à produção de cada área. Nos cinco bilhões de barris iniciais da cessão onerosa já foram pagos por exemplo a Participação Especial (PE) e o royalty é menor, de 10%. A resolução do Conselho Nacional de Política Energética diz que volumes que excederem a curva de produção da cessão onerosa (ou seja, a partir de 5 bi de barris) serão tratados como partilha, de onde o governo terá direito à média de 47% do óleo e o royalty incidente é de 15%. Essas curvas de produção, por sua vez, serão negociadas entre a Petrobras e a ANP quando for feito o Plano de Desenvolvimento da Produção (PAD) de cada área. Até o momento os campos da cessão onerosa já declarados comerciais foram Franco e Sul de Tupi, renomeados como Búzios e Sul de Lula em dezembro do ano passado e para esses o processo de revisão do contrato com a União já começou, as demais serão feitas até o fim deste ano. Na sexta-feira, duas agências de avaliação de risco de crédito, com Moody's e Fitch mostraram preocupação. Segundo a Fitch, o desembolso de R$ 15 bilhões vai criar maior pressão sobre o já negativo fluxo de caixa livre, o que combinado às perdas com a distribuição e comercialização de combustíveis, e ao moderado crescimento da produção em 2014 "devem ter impacto significativo na geração interna de fluxo de caixa da companhia e aumentar a dependência de crédito".

6 (-) Minério: Preço cai 1,2% para US$ 93,8/ton. O preço do minério de ferro no mercado spot chinês está cotado nesta segunda-feira em US$ 93,8/tonelada seca, o que representa queda de 1,2% em relação à última sexta No acumulado de 2014, o preço do insumo apresenta queda de 30,5%. O valor mais elevado do minério de ferro neste ano foi registrado logo no primeiro dia útil, quando estava em US$ 135 a tonelada. (=) Real Estate e o MCMV: 3ª etapa será anunciada essa semana. A expectativa agora é em relação ao anúncio da 3ª fase do MCMV, que havia sido prometido pela própria presidente para o final de maio, mas que acabou sendo adiada e deverá ser divulgado nesta semana. Na semana passada, a presidente Dilma disse que a nova fase deverá ser anunciada "entre o dia 1º e 2". "Quem não teve ainda acesso à casa própria, pode ficar tranquilo, vamos lançar nacionalmente ou no dia 1 ou no dia 2, e isso vai ser muito importante, porque as pessoas que não tiveram acesso à casa própria vão ter essa oportunidade", disse a presidente. Dilma adiou o anúncio da 3ª etapa após o pré-candidato do partido à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, prometer construir 4 milhões de casas populares em quatro anos. Acreditamos que as ações que mais se favorecem com a 3ª etapa, como Direcional, MRV e Tenda (Gafisa), já estejam precificadas, com Direcional negociando a 1,1x P/BV, MRV 0,8x e Gafisa a 0,45x. No setor de real estate, preferimos não ter exposição, devido ao cenário mais desafiador, com vendas menores, menores lançamentos, estoques aumentando, junto com distratos.

7 Proventos Empresa Código Data Ex Próximos Proventos Data de PGTO Líquido Bruto Tipo Frequência Yield do Provento Dividend Yield (12m) AREZZO INDUSTRIA ARZZ3 22/12/ /12/2014 0,09 0,11 JCP Irregular 0,3% 2,5% BANESTES BEES3 01/07/ /08/2014 0,00 0,00 JCP Anual 0,4% 6,2% BRADESCO SA BBDC3 02/07/ /08/2014 0,02 0,02 JCP Irregular 0,0% 3,4% BRADESCO SA-PREF BBDC4 02/07/ /08/2014 0,02 0,02 JCP Irregular 0,1% 3,8% BRF SA BRFS3 01/07/ /08/2014 0,35 0,41 JCP Irregular 0,7% 1,6% ITAU UNIBANCO ITUB3 01/07/ /08/2014 0,02 0,02 Dividendo Mensal 0,0% 3,6% ITAU UNIBAN-PREF ITUB4 01/07/ /08/2014 0,02 0,02 Dividendo Mensal 0,0% 3,4% MARCOPOLO POMO3 23/09/ /12/2014 0,01 0,02 JCP Anual 0,3% 3,4% MARCOPOLO-PREF POMO4 23/09/ /12/2014 0,01 0,02 JCP Anual 0,3% 3,4% SANEPAR-PREF SAPR4 01/07/ /01/1900 0,16 0,18 JCP Irregular 2,7% 7,6% Fonte: Análise XP e Bloomberg 1 - Dividend Yield estimado da empresa no ano em questão, com base no consenso das previsões do Bloomberg. 2 - Yield do provento a ser distribuído (valor bruto do provento preço de fechamento) Atenção: A lista de empresa descrita acima tem caráter informativo, aconselhamos a verificação das informações junto a empresa (fato relevante) para a validação de qualquer informação.

8 Carteiras Recomendadas Performance: Carteiras XP Portfólio Últimos 12 m Últimos 24 m Inicial* Carteira XP 7,6-2,8 37,5-12,1 15,9 76,5 20,1 19,5 146,3 dif. p.p. 4,4 p.p. 12,7 p.p. 30,1 p.p. 6,0 p.p. 14,8 p.p. 31,5 p.p. 8,1 p.p. 21,7 p.p. 133,9 p.p. Carteira XP Dividendos 13,7 14,1 16,4 3,6 29,3 41,8 24,1 43,1 164,5 dif. p.p. 10,5 p.p. 29,6 p.p. 9,0 p.p. 21,7 p.p. 28,3 p.p. -32,7 p.p. 12,1 p.p. 45,3 p.p. 129,3 p.p. Carteira XP Small Caps -11,1-9,0 28,4-19, ,8-5,8-16,3 dif. p.p. -14,3 p.p. 6,5 p.p. 21,0 p.p. -0,4 p.p ,8 p.p. -3,6 p.p. 7,7 p.p. Carteira XP Alpha -4,5-3, ,6 dif. p.p. -7,7 p.p. -11,8 p.p ,6 p.p. Ibovespa 3,2-15,5 7,4-18,1 1,0 45,0 12,0-2,2 12,4 Portfólio jan/14 fev/14 mar/14 abr/14 mai/14 jun/14 jul/14 ago/14 set/14 out/14 nov/14 dez/14 Carteira XP -6,5 2,5 3,7 3,7-0, dif. p.p. 1,0 p.p. 3,7 p.p. -3,3 p.p. 1,3 p.p. 0,7 p.p Carteira XP Dividendos -4,1 0,0 6,0 2,8 2, dif. p.p. 3,4 p.p. 1,1 p.p. -1,1 p.p. 0,4 p.p. 3,5 p.p Carteira XP Small Caps -9,6-1,4-3,4 0,4 2, dif. p.p. -2,1 p.p. -0,2 p.p. -10,4 p.p. -2,0 p.p. 3,2 p.p Carteira XP Alpha -9,3 2,5 8,9-5,3-5, dif. p.p. -1,8 p.p. 3,6 p.p. 1,8 p.p. -7,7 p.p. -4,5 p.p Ibovespa -7,5-1,1 7,1 2,4-0, *Inicial: Carteira XP 30/4/2009, Carteira XP Dividendos 2/1/2009, Carteira XP Small Caps 30/12/2010, Carteira XP Alpha 28/6/ ,0 DESEMPENHO ANUAL 5,0 0,0 abr-13 mai-13 jun-13 jul-13 ago-13 set-13 out-13 nov-13 dez-13 jan-14 fev-14 mar-14 abr-14 mai-14-5,0-10,0-15,0 Carteira XP Carteira XP Divdendos Carteira XP Small Caps Carteira XP Alpha Ibovespa

9 Disclaimer 1. O atendimento de nossos clientes pessoas físicas e jurídicas (não institucionais) é realizado por agentes de investimento. Todos os agentes de investimento que atuam através da XP Investimentos CCTVM S/A ( XP Investimentos Corretora ) encontram-se devidamente registrados na Comissão de Valores Mobiliários. A relação completa de agentes de investimento da XP Investimentos Corretora pode ser consultada no site > Agentes Autônomos > Relação dos Agentes Autônomos contratados por uma Instituição Financeira > Corretoras > XP Investimentos e no site da XP Investimentos. Na forma da legislação da CVM, o agente autônomo de investimento não pode administrar ou gerir o patrimônio de investidores. O agente de investimento é um intermediário e depende da autorização prévia do cliente para realizar operações no mercado financeiro. 2. Este relatório foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A ( XP Investimentos Corretora ) e tem como único propósito fornecer informações que possam ajudar o investidor a tomar sua decisão de investimento. Este relatório não constitui oferta ou solicitação de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data da divulgação deste relatório e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. 3. O analista de investimento responsável pela elaboração deste relatório, em conformidade ao artigo 17, I, da Instrução Normativa CVM n. 483/10, declara que as recomendações expressas neste relatório refletem única e exclusivamente suas opiniões pessoais e foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à pessoa ou a instituição à qual está vinculado. 4. O analista de investimento está indiretamente envolvido na intermediação dos valores mobiliários objeto deste relatório, em conformidade ao artigo 17, II, c, da Instrução Normativa CVM n. 483/ A remuneração do analista de investimento responsável por este relatório é indiretamente influenciada pelas receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela pessoa a que esteja vinculado, em conformidade ao artigo 17, II, e, da Instrução Normativa CVM n, 483/ Os instrumentos financeiros discutidos neste relatório podem não ser adequados para todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de cada investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. A rentabilidade de instrumentos financeiros pode apresentar variações, e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste relatório em relação a desempenhos futuros. A XP Investimentos Corretora se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. 7. Este relatório não pode ser reproduzido ou redistribuído para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento por escrito da XP Investimentos Corretora. Informações adicionais sobre os instrumentos financeiros discutidos neste relatório se encontram disponíveis quando solicitadas. 8. A Ouvidoria da XP Investimentos Corretora tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. Para contato, ligue O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da Corretora: 10. Inexistem situações de conflitos de interesses entre a XP Investimentos e a utilização desse produto. 11. Este relatório é baseado na avaliação dos fundamentos de determinadas empresas e dos diferentes setores da economia. A análise do ativo objeto do relatório utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento. 12. Este produto é indicado, sobretudo, a investidores cujo perfil haja sido definido como Moderado, Moderado-agressivo, Agressivo, de acordo com a Política de Suitability empregada pela XP Investimentos. 13. Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, dependendo das cotações nos mercados. O investimento em ações é um investimento de risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. O patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto.

A Hora do Gráfico. Análise Gráfica. Índice. Ibovespa - Diário. Ibovespa (gráfico de 15 minutos) Índice Ibovespa. Top 5. Fique de Olho.

A Hora do Gráfico. Análise Gráfica. Índice. Ibovespa - Diário. Ibovespa (gráfico de 15 minutos) Índice Ibovespa. Top 5. Fique de Olho. quinta-feira, 3 de outubro de 2013 Análise Gráfica A Hora do Gráfico Ibovespa - Diário Índice Índice Ibovespa Top 5 Fique de Olho Disclosure Hoje tivemos um dia de queda, no começo até testamos novamente

Leia mais

Reunião Matinal. Análise Análise XP. Abertura. Índice

Reunião Matinal. Análise Análise XP. Abertura. Índice Análise Análise XP Reunião Matinal Abertura Dólar pode reagir ao início da rolagem de swaps pelo BC com 7.000 contratos, ante 10.000 na maior parte de junho. DI tende a refletir produção industrial, que

Leia mais

Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa

Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa Análise XP Fundamentos Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa A Empresa A Senior Solution está presente, há mais de 17 anos, no segmento de Tecnologia da Informação no mercado brasileiro, sendo uma

Leia mais

Carteira Top Pick Dezembro 01.12.13

Carteira Top Pick Dezembro 01.12.13 CARTEIRA COMENTÁRIO Carteira Top Pick Dezembro 01.12.13 A carteira direcional recomendada pela equipe de analistas da Socopa Corretora é mensalmente avaliada buscando relacionar as cinco melhores opções

Leia mais

Bom Dia Commodities. Commodities. 12 de Agosto, 2013. Café

Bom Dia Commodities. Commodities. 12 de Agosto, 2013. Café Bom Dia Café Semana positiva para o café. Finalmente saiu a medida que os produtores estavam esperando. A presidente Dilma anunciou que enxugará do mercado 3 milhões de sacas em março/14 a R$346,00/saca

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa O Ibovespa não conseguiu sustentar o movimento de alta do começo da tarde e terminou o dia em queda de 0,15% aos 53.100 pontos, com baixo volume financeiro de R$ 4,7 bilhões, acumulando

Leia mais

Reunião Matinal. Análise XP. Abertura. Índice. Fechamento. Painel Corporativo. Agenda do Dia. 4 de janeiro de 2016

Reunião Matinal. Análise XP. Abertura. Índice. Fechamento. Painel Corporativo. Agenda do Dia. 4 de janeiro de 2016 Análise XP Reunião Matinal Abertura O ano começa com dados de PMI da China preocupantes, que impulsionaram uma liquidaça o de aço es nas bolsas chinesas, acionando o circuit breaker. As bolsas pelo mundo

Leia mais

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento 12 de janeiro de 2015 Relatório Semanal de Estratégia de Investimento Destaques da Semana Economia internacional: Deflação na Europa reforça crença no QE (22/11); Pacote de U$1 trilhão em infraestrutura

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A queda das bolsas internacionais não ajudou a pressionar o mercado doméstico em dia de indicadores fracos na China e nos Estados Unidos. A aversão ao risco aumentou nos últimos dias com

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa registrou o terceiro pregão em alta na terça-feira, (+1,53%) fechando aos 50.890 pontos, mais uma vez ajudada pelas ações de Petrobras e Vale. O volume financeiro fraco (R$ 4,56

Leia mais

Reunião Matinal. Análise XP. Índice. Abertura

Reunião Matinal. Análise XP. Índice. Abertura Análise XP Reunião Matinal Abertura Mercados oscilam antes de decisão do BCE. Enquanto bolsas sobem e euro recua levemente com expectativa de QE trilionário, juros de títulos soberanos avançam com investidores

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa já iniciou o ano novo indicando que será mais um período de muita volatilidade para as ações. Diante de um cenário de grandes incertezas do lado doméstico e de olho nos acontecimentos

Leia mais

Extrato de Fundos de Investimento

Extrato de Fundos de Investimento São Paulo, 04 de Maio de 2015 Prezado(a) FUNDO DE PENSAO MULTIPATR OAB 01/04/2015 a 30/04/2015 Panorama Mensal Abril 2015 No cenário internacional, o mês de abril foi marcado por surpresas negativas em

Leia mais

Reunião Matinal. Análise XP. Índice. Abertura

Reunião Matinal. Análise XP. Índice. Abertura Análise XP Reunião Matinal Abertura Mercado reage à troca do ortodoxo Hamilton por Awazu Pereira, que votou contra alta da Selic em outubro, e à ida para o BC de Volpon, que tem visão positiva sobre inflação

Leia mais

Spinelli Panorama Diário

Spinelli Panorama Diário Spinelli Panorama Diário 09 de fevereiro de 2010 Indicadores Variação - % Pontos dia semana mês Bolsas Ibovespa 63.153 0,62 0,62-3,44 IBX 19.989 0,47 0,47-3,70 S&P500 1.056-0,89-0,89-1,60 Dow Jones 9.908-1,04-1,04-1,58

Leia mais

Sexta-feira 06 de Fevereiro de 2015. DESTAQUES

Sexta-feira 06 de Fevereiro de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa tem pregão volátil Poupança tem em janeiro maior saque em duas décadas IPCA tem maior alta para o mês em 12 anos, aponta IBGE Planalto quer nome do mercado na Petrobras Cade marca data

Leia mais

Reunião Matinal. Análise Análise XP. Abertura. Índice

Reunião Matinal. Análise Análise XP. Abertura. Índice Análise Análise XP Reunião Matinal Abertura Bolsas europeias caem com ações do BES renovando mínima histórica, já que vence hoje prazo para Rioforte, companhia do Grupo Espírito Santo, reembolsar empréstimo

Leia mais

Carteira de Dividendos Maio/15

Carteira de Dividendos Maio/15 A Carteira de Dividendos Planner encerra abril com valorização de 5,23% acumulando ganho de 4,53% no ano A Carteira de Dividendos leva em consideração os seguintes itens na escolha das ações: i) forte

Leia mais

Reunião Matinal. Análise Análise XP. Abertura. Índice. Fechamento. Painel Corporativo. Agenda do Dia. Tom do dia: Hora Local Indicador Data Exp. Ant.

Reunião Matinal. Análise Análise XP. Abertura. Índice. Fechamento. Painel Corporativo. Agenda do Dia. Tom do dia: Hora Local Indicador Data Exp. Ant. Análise Análise XP Reunião Matinal Tom do dia: Abertura Iene se enfraquece com desaceleração das exportações no Japão. Dólar sobe contra maioria das principais moedas. Maioria das ações europeias avança.

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Bolsa. Índices, Câmbio e Commodities. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Bolsa. Índices, Câmbio e Commodities. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa Ontem a Bovespa não seguiu o ritmo dos mercados internacionais que tiveram dia de alta. A queda de Vale, Petrobras e dos principais bancos, contribuiu para o fechamento em baixa de 0,53%,

Leia mais

EconoWeek Relatório Semanal. EconoWeek 18/05/2015

EconoWeek Relatório Semanal. EconoWeek 18/05/2015 18/05/2015 EconoWeek DESTAQUE INTERNACIONAL Semana bastante volátil de mercado, com uma agenda mais restrita em termos de indicadores macroeconômicos. Entre os principais destaques, os resultados de Produto

Leia mais

Sexta-feira, 06 de Maio de 2013. DESTAQUES

Sexta-feira, 06 de Maio de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bolsa encerra semana em alta Mercado aguarda IPCA para ajustar cenários Divisão Consumo da Hypermarcas cresce 10% M.Dias Branco tem lucro de R$108 mi Contax aprovou R$ 55,4 milhões em dividendos

Leia mais

Extrato de Fundos de Investimento

Extrato de Fundos de Investimento São Paulo, 01 de Abril de 2015 Prezado(a) FUNDO DE PENSAO MULTIPATR OAB 02/03/2015 a 31/03/2015 Panorama Mensal Março 2015 Os mercados financeiros seguiram voláteis ao longo do mês de março, em especial

Leia mais

Trading Idea (BBRK3 Compra)

Trading Idea (BBRK3 Compra) Trading Idea (BBRK3 Compra) Destaques/ Operação Sob a ótica fundamentalista, recomendamos a compra das ações da Brasil Brokers vislumbrando um posicionamento de médio/longo prazo. Entrada: até R$ 6,60

Leia mais

DESTAQUES DO DIA. Sua opção de Renda Fixa na Bolsa. Belo Horizonte, 05 de Janeiro de 2011 INFLAÇÃO

DESTAQUES DO DIA. Sua opção de Renda Fixa na Bolsa. Belo Horizonte, 05 de Janeiro de 2011 INFLAÇÃO Belo Horizonte, 05 de Janeiro de 2011 DESTAQUES DO DIA INFLAÇÃO A inflação de janeiro, medida pelo IPC- Fipe fechou com alta de 0,54%, acumulando 6,4% em 2010. Outros índices de inflação, o IGP- DI e o

Leia mais

Reunião Matinal. Análise XP. Abertura. Índice. Fechamento. Painel Corporativo. Agenda do Dia Hora Local Indicador Data Exp. Ant. 21 de junho de 2016

Reunião Matinal. Análise XP. Abertura. Índice. Fechamento. Painel Corporativo. Agenda do Dia Hora Local Indicador Data Exp. Ant. 21 de junho de 2016 Análise XP Reunião Matinal Abertura Novas pesquisas confirmam menor probabilidade de Brexit, o que faz bolsas avançarem pelo mundo. Mercados devem monitorar hoje as falas de Yellen e Draghi, em busca de

Leia mais

Reunião Matinal. Análise Análise XP. Abertura. Índice

Reunião Matinal. Análise Análise XP. Abertura. Índice Análise Análise XP Reunião Matinal Abertura Rendimento dos treasuries e commodities sobem com expectativa de que o dado hoje mostre aumento do emprego nos EUA. Dólar se fortalece. Rublo recua com tensão

Leia mais

04 de maio de 2015. A Carteira Dinâmica apresentou valorização de 5,03% em abril, acumulando alta de 5,24% em 2015

04 de maio de 2015. A Carteira Dinâmica apresentou valorização de 5,03% em abril, acumulando alta de 5,24% em 2015 A apresentou valorização de 5,03% em abril, acumulando alta de 5,24% em 2015 Período: 04/05 a 08/05 Com base em análises fundamentalistas, apresentamos alternativas de investimento no curto prazo. Acreditamos

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Tópicos Economia Americana: Confiança em baixa Pág.3 EUA X Japão Pág. 4 Mercados Emergentes: China segue apertando as condições monetárias Pág.5 Economia Brasileira:

Leia mais

Relatório Mensal Agosto/2015

Relatório Mensal Agosto/2015 1. Cenário Econômico Relatório Mensal GLOBAL: A ata da reunião de julho do FOMC (Federal Open Market Committee) trouxe um tom mais conciliador. Embora a avaliação em relação à atividade econômica tenha

Leia mais

Commodities são produtos básicos padronizados. A palavra deriva do inglês e

Commodities são produtos básicos padronizados. A palavra deriva do inglês e Commodities são produtos básicos padronizados. A palavra deriva do inglês e significa mercadoria. É usado para designar bens sem diferenciação (por não possuírem valor agregado), e são habitualmente extraídas

Leia mais

Terça-feira, 03 de Setembro de 2013. DESTAQUES

Terça-feira, 03 de Setembro de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa beira os 52 mil pontos Estrangeiros ampliam aposta na alta Produção da Petrobras no Brasil cai 4,6% Produção industrial muda de direção e cai 2% ATS tenta acelerar estreia no Brasil Disputa

Leia mais

Quinta-feira, 07 de Janeiro de 2016. DESTAQUES

Quinta-feira, 07 de Janeiro de 2016. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa cai ao menor nível desde março de 2009 "Pedaladas" podem virar crédito IPCA subiu 10,78% em 2015 ADRs da Gerdau fecham cotados a US$ 1 Queda pode levar Petrobras a rever preço da gasolina

Leia mais

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão Kinea Rendimentos Imobiliários - FII Relatório de Gestão Maio de 2013 Palavra do Gestor Prezado investidor, O Kinea Rendimentos Imobiliários FII ( Fundo ) é dedicado ao investimento em Ativos de renda

Leia mais

Extrato de Fundos de Investimento

Extrato de Fundos de Investimento Extrato de Fundos de Investimento São Paulo, 01 de Outubro de 2012 Prezado(a) Período de Movimentação FUNDO DE PENSAO MULTIPATR OAB 03/09/2012 a 28/09/2012 Panorama Mensal Setembro de 2012 O mês de setembro

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa registrou, na sexta-feira, mais um pregão de baixo volume financeiro (R$ 5,5 bilhões) em dia de agenda fraca. O mercado já vem há vários dias operando com baixo volume e com predomínio

Leia mais

Petrobras, Poupança e Inflação. 16 de Abril de 2015

Petrobras, Poupança e Inflação. 16 de Abril de 2015 Petrobras, Poupança e Inflação 16 de Abril de 2015 Tópicos Poupança e Cenário Econômico Petrobras Fundos Poupança e Cenário Econômico Caderneta de Poupança 1990: Data do confisco:16 de março de 1990. Cenário

Leia mais

Sexta-feira, 09 de Maio de 2014. DESTAQUES

Sexta-feira, 09 de Maio de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa passa por correção após 4 altas Aécio avança e cresce chance de eleição B2W reduz prejuízo do trimestre em 5,7% Lucro da Marisa cresce 57,3% no 1º tri Lucro da Raia Drogasil dobra no

Leia mais

Carteira Top Pick. Comentário. Carteira Sugerida para Agosto. Carteira Sugerida de Julho

Carteira Top Pick. Comentário. Carteira Sugerida para Agosto. Carteira Sugerida de Julho A carteira direcional recomendada pela equipe de analistas da Socopa Corretora é mensalmente avaliada buscando relacionar as cinco melhores opções de investimento para o mês subseqüente dentro dos ativos

Leia mais

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

Panorama Econômico. Principais Fatos da Semana. 04 de Maio de 2015. Sumário. Acompanhamento De 27 de Abril a 01 de Maio

Panorama Econômico. Principais Fatos da Semana. 04 de Maio de 2015. Sumário. Acompanhamento De 27 de Abril a 01 de Maio Panorama Econômico 04 de Maio de 2015 Sumário Principais Fatos da Semana 1 Economia EUA 2 Economia Brasileira 3 Índices de Mercado 5 Calendário Semanal 5 Acompanhamento Principais Fatos da Semana Nos Estados

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa O Ibovespa voltou a subir ontem refletindo os dados positivos da China que vieram na contramão da expectativa do mercado e também os indicadores dos Estados Unidos, que ajudaram a Bovespa

Leia mais

Informativo Semanal de Economia Bancária

Informativo Semanal de Economia Bancária 1 Comentário Semanal A semana começa ainda sob impacto do debate acerca da evolução do quadro fiscal e seus possíveis efeitos sobre o crescimento da economia e, conseqüentemente, sobre os juros em 2010.

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Maio/ 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

RENDA FIXA TESOURO DIRETO 09/10/2012

RENDA FIXA TESOURO DIRETO 09/10/2012 DESTAQUES DO RELATÓRIO: Carteira Recomendada A nossa carteira para este mês de Outubro continua estruturada considerando a expectativa de aumento da taxa de juros a partir do próximo ano. Acreditamos que

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa voltou a mostrar força ontem, suportada pelo mesmo motivo: a corrida eleitoral. Enquanto os mercados internacionais mostram espaço para a continuidade da realização de lucros a

Leia mais

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 SUMÁRIO Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita de

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Spinelli Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

Commodities são produtos básicos padronizados. A palavra deriva do inglês e

Commodities são produtos básicos padronizados. A palavra deriva do inglês e Commodities são produtos básicos padronizados. A palavra deriva do inglês e significa mercadoria. É usado para designar bens sem diferenciação (por não possuírem valor agregado), e são habitualmente extraídas

Leia mais

Sexta-feira 30 de Janeiro de 2015. DESTAQUES

Sexta-feira 30 de Janeiro de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Ibovespa fecha com ligeira alta Moody's rebaixa ratings da Petrobras Cielo deve investir R$ 500 milhões em 2015 Meganavios da Vale conseguem atracar na China Marfrig propõe manter frigorífico

Leia mais

Extrato de Fundos de Investimento

Extrato de Fundos de Investimento Extrato de Fundos de Investimento São Paulo, 02 de Janeiro de 2015 Prezado(a) Período de Movimentação FUNDO DE PENSAO MULTIPATR OAB 01/12/2014 a 31/12/2014 Panorama Mensal Dezembro 2014 A volatilidade

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Vida Feliz Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

Boletim Planner. Investment Research. Mercados... Altas e baixas do Ibovespa. Mercado Futuro. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Planner. Investment Research. Mercados... Altas e baixas do Ibovespa. Mercado Futuro. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) out-10 dez-10 fev-11 abr-11 jun-11 ago-11 out-11 dez-11 fev-12 abr-12 Investment Research Sexta-feira, 20 de Abril de 2012 Mercados... Bolsa - A aversão ao risco dominou os mercados nesta quinta-feira

Leia mais

Reunião Matinal. Análise Análise XP. Abertura. Índice. Fechamento. Painel Corporativo. Agenda do Dia. Tom do dia: Indefinição é a tônica.

Reunião Matinal. Análise Análise XP. Abertura. Índice. Fechamento. Painel Corporativo. Agenda do Dia. Tom do dia: Indefinição é a tônica. Análise Análise XP Reunião Matinal Tom do dia: Indefinição é a tônica. Abertura Mercado acompanha Tombini, que fala em Londres novamente, após dizer ontem que quer IPCA mais perto possível da meta, levando

Leia mais

Reunião Matinal. Análise XP. Abertura. Índice. Fechamento. Painel Corporativo. Agenda do Dia. Hora Local Indicador Data Exp. Ant. 15 de junho de 2016

Reunião Matinal. Análise XP. Abertura. Índice. Fechamento. Painel Corporativo. Agenda do Dia. Hora Local Indicador Data Exp. Ant. 15 de junho de 2016 Análise XP Reunião Matinal Abertura Expectativa de estímulos na reunião do BoJ interrompem quedas nas bolsas globais, mesmo com MSCI adiando decisão de adicionar ações chinesas no índice, e com reunião

Leia mais

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão Kinea Rendimentos Imobiliários - FII Relatório de Gestão Janeiro de 2013 Palavra do Gestor Prezado investidor, O Kinea Rendimentos Imobiliário FII ( Fundo ) é dedicado ao investimento em Ativos de renda

Leia mais

Produtos Estruturados

Produtos Estruturados Sales Sales Trading Produtos Estruturados Research & Best Ideas A equipe de Research, juntamente com a equipe de Sales Trading, vem trabalhando para criar grandes oportunidades, unindo macroeconomia e

Leia mais

Reunião Matinal. Análise XP. Abertura. Índice. Fechamento. Painel Corporativo. Agenda do Dia. 14 de setembro de 2015

Reunião Matinal. Análise XP. Abertura. Índice. Fechamento. Painel Corporativo. Agenda do Dia. 14 de setembro de 2015 Análise XP Reunião Matinal Abertura Mercados seguem cautelosos com a decisão do Fed na quinta-feira. No exterior, dados de produção industrial surpreenderam positivamente na Europa, e desapontaram na China.

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Fundo GBX Viena FIC de FIA Carta Mensal do Gestor/ Junho 2013

Fundo GBX Viena FIC de FIA Carta Mensal do Gestor/ Junho 2013 Fundo GBX Viena FIC de FIA Carta Mensal do Gestor/ Junho 2013 Prezados Investidores, O Ibovespa encerrou o mês de Junho com queda de 11,30%. No acumulado do ano de 2013, a queda alcança 22,14%. É o 6º

Leia mais

Relatório Econômico Mensal JANEIRO/13

Relatório Econômico Mensal JANEIRO/13 Relatório Econômico Mensal JANEIRO/13 Índice INDICADORES FINANCEIROS 3 PROJEÇÕES 4 CENÁRIO EXTERNO 5 CENÁRIO DOMÉSTICO 7 RENDA FIXA 8 RENDA VARIÁVEL 9 Indicadores Financeiros Projeções Economia Global

Leia mais

Relatório Econômico Mensal JULHO/13

Relatório Econômico Mensal JULHO/13 Relatório Econômico Mensal JULHO/13 Índice INDICADORES FINANCEIROS 3 PROJEÇÕES 4 CENÁRIO EXTERNO 5 CENÁRIO DOMÉSTICO 7 RENDA FIXA 8 RENDA VARIÁVEL 9 Indicadores Financeiros BOLSA DE VALORES AMÉRICAS mês

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ALFA II AÇÕES - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES DA PETROBRAS CNPJ: 03.919.927/0001-18

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ALFA II AÇÕES - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES DA PETROBRAS CNPJ: 03.919.927/0001-18 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ALFA II AÇÕES - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES DA PETROBRAS Informações referentes à Dezembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre

Leia mais

Segunda-feira 01 de Dezembro de 2014. DESTAQUES

Segunda-feira 01 de Dezembro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa tem queda, mas encerra mês em alta Mercado vê inflação maior e PIB baixo em 2015 Casino vai acelerar expansão do Pão de Açúcar Minério de ferro cai 48% e tem pior cenário Brokers fecha

Leia mais

Relatório Mensal. 2015 Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

Relatório Mensal. 2015 Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal 2015 Março Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Composição da Carteira Ativos Mobiliários, Imobiliários e Recebíveis

Leia mais

1 - BTG Pactual Corporate Office Fund BRCR11

1 - BTG Pactual Corporate Office Fund BRCR11 1 - BTG Pactual Corporate Office Fund BRCR11 O FII BTG Pactual Corporate Office Fund é um fundo de investimento imobiliário do tipo corporativo, ou seja, tem como objetivo investir em ativos imobiliários

Leia mais

Reunião Matinal. Análise XP. Abertura. Índice. Fechamento. Painel Corporativo. Agenda do Dia. 10 de julho de 2015

Reunião Matinal. Análise XP. Abertura. Índice. Fechamento. Painel Corporativo. Agenda do Dia. 10 de julho de 2015 Análise XP Reunião Matinal Abertura Mercados locais retomam negociação após feriado, pressionados negativamente por uma nova derrota do governo com a aprovação do Senado à regra que estende o reajuste

Leia mais

SINCOR-SP 2015 OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

NUTRIPLANT ON (NUTR3M)

NUTRIPLANT ON (NUTR3M) NUTRIPLANT ON (NUTR3M) Cotação: R$ 1,79 (18/06/2014) Preço-Alvo (12m): R$ 2,10 Potencial de Valorização: 18% 4º. Relatório de Análise de Resultados (1T14) Recomendação: COMPRA P/L 14: 8,0 Min-Máx 52s:

Leia mais

Classificação da Informação: Uso Irrestrito

Classificação da Informação: Uso Irrestrito Cenário Econômico Qual caminho escolheremos? Cenário Econômico 2015 Estamos no caminho correto? Estamos no caminho correto? Qual é nossa visão sobre a economia? Estrutura da economia sinaliza baixa capacidade

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 008 PIB avança e cresce 6% Avanço do PIB no segundo trimestre foi o maior desde 00 A economia brasileira cresceu mais que o esperado no segundo trimestre, impulsionada

Leia mais

Operações Crédito do SFN

Operações Crédito do SFN Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nacional Dez/14 e 2014 O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados somou R$ 3.022 bilhões em dezembro de 2014, após expansão

Leia mais

Reunião Matinal. Análise XP. Abertura. Índice. Fechamento. Painel Corporativo. Agenda do Dia. 22 de setembro de 2015

Reunião Matinal. Análise XP. Abertura. Índice. Fechamento. Painel Corporativo. Agenda do Dia. 22 de setembro de 2015 Análise XP Reunião Matinal Abertura Mal humor no exterior após escândalo da Volkswagen, e maior temor com o Fed, derruba bolsas. Mercado preocupado com montadoras na Europa, e Futuros de NY apreensivos

Leia mais

Carteira Top Pick. Comentário. Carteira Sugerida para Julho. Carteira Sugerida de Junho

Carteira Top Pick. Comentário. Carteira Sugerida para Julho. Carteira Sugerida de Junho A carteira direcional recomendada pela equipe de analistas da Socopa Corretora é mensalmente avaliada buscando relacionar as cinco melhores opções de investimento para o mês subseqüente dentro dos ativos

Leia mais

Especial Lucro dos Bancos

Especial Lucro dos Bancos Boletim Econômico Edição nº 90 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Especial Lucro dos Bancos 1 Tabela dos Lucros em 2014 Ano Banco Período Lucro 2 0 1 4 Itaú Unibanco

Leia mais

Carta ao Cotista Abril 2015. Ambiente Macroeconômico. Internacional

Carta ao Cotista Abril 2015. Ambiente Macroeconômico. Internacional Carta ao Cotista Abril 2015 Ambiente Macroeconômico Internacional O fraco resultado dos indicadores econômicos chineses mostrou que a segunda maior economia mundial continua em desaceleração. Os dados

Leia mais

Terça-feira, 28 de Abril de 2015. DESTAQUES

Terça-feira, 28 de Abril de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Petrobras é alvo de vendas e puxa correção da bolsa Hypermarcas prevê aumento de preços de produtos de consumo Lopes vende participação majoritária na Dall'Oca Tractebel vê tendência de crescimento

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa encerrou ontem em queda de 0,34% aos 50.993 pontos com volume reduzido de R$ 4,2 bilhões. Os investidores estão fora do mercado aproveitando o noticiário fraco e agenda econômica

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa Ontem, a Bovespa não conseguiu acompanhar os mercados internacionais, com o peso das principais ações do índice - OGX, Vale e Petrobras - além de bancos e siderúrgicas. O Ibovespa encerrou

Leia mais

ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base

ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base Cenário Econômico Internacional & Brasil Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda antonio.lacerda@siemens.com São Paulo, 14 de março de 2007

Leia mais

SOJA COMENTÁRIO. Médias no Profitchart utilizando o after market. SUPORTE 1 $ 22,60 MARGEM: R$ 2.473,00. MÉDIAS 16 Exp. e 51 Exp SUPORTE 2 $ 22,00

SOJA COMENTÁRIO. Médias no Profitchart utilizando o after market. SUPORTE 1 $ 22,60 MARGEM: R$ 2.473,00. MÉDIAS 16 Exp. e 51 Exp SUPORTE 2 $ 22,00 SOJA GRÁFICO SOJA MAIO BM&F (SOJK10) Análise Gráfica - SOJA Médias Móveis - SOJA MÉDIAS NOVAS!!! Tempo 60 minutos. Médias no Profitchart utilizando o after market. SUPORTE 1 $ 22,60 MÉDIAS 16 Exp. e 51

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Julho de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Julho de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Julho de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: Inflação e Salários...Pág.3 Europa: Grexit foi Evitado,

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) 13 de Junho de 2013 MERCADOS Bolsa A Bovespa seguiu em queda ontem, desta vez influenciada pelo exercício de Ibovespa futuro e de opções sobre o Ibovespa e mau humor no mercado externo, com as bolsas norte-americanas

Leia mais

Macro Local 17 de maio de 2013

Macro Local 17 de maio de 2013 Macro Local 17 de maio de 2013 Mercados Retorno Jan/12 a Mai/13 70,0% 67,7% 50,0% 30,0% 10,0% 25,5% 20,1% 15,3% 12,2% -10,0% -30,0% -13,5% -3,3% Fonte: Bloomberg / AE Broadcast 2 A bolsa brasileira apresenta

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV CENÁRIO ECONÔMICO EM OUTUBRO São Paulo, 04 de novembro de 2010. O mês de outubro foi marcado pela continuidade do processo de lenta recuperação das economias maduras, porém com bons resultados no setor

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: PIB e Juros... Pág.3 Europa: Recuperação e Grécia... Pág.4

Leia mais

Cenário Econômico como Direcionador de Estratégias de Investimento no Brasil

Cenário Econômico como Direcionador de Estratégias de Investimento no Brasil Cenário Econômico como Direcionador de Estratégias de Investimento no Brasil VII Congresso Anbima de Fundos de Investimentos Rodrigo R. Azevedo Maio 2013 2 Principal direcionador macro de estratégias de

Leia mais

Quinta-feira, 23 de Abril de 2015. DESTAQUES

Quinta-feira, 23 de Abril de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa sobe com disparada de Vale Usiminas reverte lucro e tem prejuízo Petrobras faz baixa contábil total de R$ 51 bi e de R$ 6,2 bi Vale fecha 1º tri com recorde na produção BRF fecha acordo

Leia mais

Commodities são produtos básicos padronizados. A palavra deriva do inglês e

Commodities são produtos básicos padronizados. A palavra deriva do inglês e Commodities são produtos básicos padronizados. A palavra deriva do inglês e significa mercadoria. É usado para designar bens sem diferenciação (por não possuírem valor agregado), e são habitualmente extraídas

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014 ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014 Data: 29/04/2014 Participantes Efetivos: Edna Raquel Rodrigues Santos Hogemann Presidente, Valcinea Correia da Silva Assessora Especial,

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Novembro 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Integração ESG. Raquel Costa. 27/maio/2015 PUBLIC

Integração ESG. Raquel Costa. 27/maio/2015 PUBLIC Integração ESG Raquel Costa 27/maio/2015 Integração em todas as atividades Política de Sustentabilidade Avaliação de Sustentabilidade na Gestão de Renda Variável e Renda Fixa Avaliação de Sustentabilidade

Leia mais

Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV

Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV INVESTIMENTOS Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV Uma questão de suma importância para a consolidação e perenidade de um Fundo de Pensão é a sua saúde financeira, que garante

Leia mais

Operações Crédito do SFN

Operações Crédito do SFN Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nacional em fev/2015 O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados somou R$ 3,03 trilhões em fev/15, após alta de 0,5% no mês

Leia mais

Monitoramento: Fundo de Investimento em Direitos Creditórios CEEE

Monitoramento: Fundo de Investimento em Direitos Creditórios CEEE Data de Publicação: 14 de outubro de 2009 Relatório de Monitoramento Monitoramento: Fundo de Investimento em Direitos Creditórios CEEE Ratings em Outubro de 2009 Instrumento Rating Atual Rating Inicial

Leia mais

Perspectivas para a Inflação

Perspectivas para a Inflação Perspectivas para a Inflação Carlos Hamilton Araújo Setembro de 213 Índice I. Introdução II. Ambiente Internacional III. Condições Financeiras IV. Atividade V. Evolução da Inflação 2 I. Introdução 3 Missão

Leia mais

Terça-feira 02 de Setembro de 2014. DESTAQUES

Terça-feira 02 de Setembro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Após pesquisa, Ibovespa testa 62 mil pontos Produção industrial avança em julho Empresas do país têm valor comercial recorde Marcopolo entra na nova carteira do Ibovespa Óleo e Gás conclui etapa

Leia mais

CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013

CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013 CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013 CENÁRIO GLOBAL Crescimento global de 3,4 % em 2013 O mundo retoma a média histórica de crescimento (3,4% a.a) Zona do Euro sai da recessão Os EEUU

Leia mais