Formação. As escolas devem ser geridas como empresas e não ficar dependentes do Orçamento de Estado. para executivos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Formação. As escolas devem ser geridas como empresas e não ficar dependentes do Orçamento de Estado. para executivos"

Transcrição

1 Formação para executivos VidaEconómica ESTE SUPLEMENTO FAZ PARTE INTEGRANTE DA VIDA ECONÓMICA Nº 1391, DE 15 ABRIL DE 2011, E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE António Gomes Mota, director da ISCTE Business School, deixa o alerta Sob a designação de MBA oferecem-se programas que na realidade não o são Página VII As escolas devem ser geridas como empresas e não ficar dependentes do Orçamento de Estado página IV-V Bancos cada vez mais interessados em financiar cursos dirigidos aos executivos Página XII MBA Atlântico: um instrumento ao serviço das empresas em ambiente de internacionalização Página VI EM TEMPOS DE CRISE Empresas procuram formações com aplicação prática imediata Página VIX

2 II Cotec aposta em programas ligados à gestão da inovação SANDRA RIBEIRO A Cotec e a Associação Portuguesa de Certificação (APCER) acabam de lançar o programa de Formação de Gestor IDI. O objectivo é claro: formar gestores de actividades ligadas à investigação, desenvolvimento e inovação (IDI). O curso vai dar aos participantes a oportunidade de desenvolverem as competências que os ajudarão a obter uma maior eficácia na gestão de projectos de IDI levados a cabo pelas empresas em que se encontram inseridos, destaca o coordenador científico do programa, João Caraça. Para tal, vão ter acesso a um conjunto variado de temas. A concepção de uma estratégia de inovação, a promoção de ideias dentro das organizações que potenciam a inovação são alguns dos exemplos. A Cotec destaca ainda o conhecimento de aspectos como o networking, a propriedade intelectual ou a aplicação de metodologias de auditoria a sistemas de gestão de IDI. A isto junta-se a análise de casos práticos com abordagens de empresas nacionais de relevo. Mas há mais para oferecer ao mercado. Exemplo disto é a reedição, já a sexta, do Programa Executivo para a Gestão da Inovação (PEGI). Com inscrições abertas, até ao dia de publicação desta edição, 15 de Abril o curso vai realizarse de 9 a 12 de Maio, no hotel CampoReal em Torres Vedras -, este curso pretende desenvolver um conjunto de competências interdisciplinares ligadas à gestão da inovação, bem como analisar alguns casos práticos. Dirigido a gestores de programas ou projectos de investigação, desenvolvimento e inovação (IDI), o PEGI vai abordar temas como a inovação na economia do conhecimento, a propriedade intelectual, a inovação em rede ou ainda as metodologias e principais efeitos da implementação de sistemas de gestão de IDI. Este programa surge para ajudar os nossos executivos a gerirem os processos ligados à inovação pois não existem dúvidas que quem não inovar, acabará por sair do circuito competitivo, revela o coordenador da formação e também director do Serviço de Ciência da Fundação Calouste Gulbenkian, João Caraça. A Cotec, Associação Empresarial para a Inovação, foi criada, em Abril de 2003, com a missão de promover o aumento da competitividade das empresas localizadas, em Portugal. Como? Através da difusão de uma cultura e de uma prática de inovação, bem como do conhecimento residente no país. Sendo uma associação sem fins lucrativos, a Cotec conta com o apoio dos seus associados e das instituições do Sistema Nacional de Inovação (SNI) para a realização das suas iniciativas. Desde sempre, o cargo de presidente da Assembleia Geral é exercido pelo Presidente da República. ESCOLA DE NEGÓCIOS NOVACAIXAGALICIA REEDITA INTERNATIONAL EXECUTIVE MBA A Escola de Negócios novacaixagalicia prepara-se para lançar mais uma edição do International Executive MBA (iemba). Com o início previsto para Janeiro de 2012 e término a Abril de 2013, este curso vai decorrer no Porto, Vigo e Georgetown, em Washington, nos Estados Unidos. Trata-se de um programa de nível pós-graduado o curso tem um preço indicativo de 12,5 mil euros, sendo que existe um serviço de financiamento proporcionado pela novacaixagalicia, com 510 horas de formação em regime presencial, e que visa dotar os gestores das competências necessárias ao contexto de mudança que vivemos na actualidade. Além do desenvolvimento das suas competências de gestão, o formando encontra no iemba um instrumento apropriado e idóneo para o seu desenvolvimento pessoal que lhe proprica, em permanência, uma atitude pró-activa e aberta para se adaptar e aproveitar as mudanças que ocorrem nas envolventes locais ou internacionais, destacam as fontes da escola. Os candidatos ao iemba deverão possuir um título universitário superior, português ou estrangeiro, e comprovar que têm uma experiência profissional em cargos de direcção de, pelo menos, dois anos, ou técnicos de cinco anos. Ao pedido de admissão seguem-se os testes, entrevista e entrega da documentação. A Escola de Negócios novacaixagalicia foi criada, em 1987, pertence à obra social da novacaixagalicia, tendo já passado pelos seus programas mais de 41 mil alunos. ISGB lança pós-graduação em Gestão Bancária O Instituto Superior de Gestão Bancária (ISGB) apresentou, recentemente, uma pós-graduação em Gestão Bancária. A decorrer em Lisboa e Porto, em horário pós-laboral, o novo curso o seu valor aproxima-se dos 4300 euros, podendo, no entanto, ser pago em cinco tranches visa, entre outros aspectos, esclarecer os alunos sobre as tendências de supervisão e da regulação na gestão dos bancos e aconselhamento financeiro ou treinar a escolha e utilização de metodologias de análise de risco. A isto junta-se o desenvolvimento de competências pessoais e de liderança. Novo curso aproxima-se dos 4300 euros A nova pós-graduação destina-se aos actuais e potenciais colaboradores do sector bancário, em particular, das áreas de aconselhamento financeiro, gestão de unidades de negócio ou análise. E ainda àqueles que estão ligados ao report e investigação da actividade bancária. Com uma duração de 180 horas, distribuídas por três trimestres, este curso vai tratar de matérias como a regulação e supervisão do sector financeiro, auditoria financeira, análise de investimentos e gestão de créditos, futuros, opções e outros derivados, qualidade dos serviços financeiros. Ou ainda a negociação e aconselhamento financeiro e técnicas de coaching. O Instituto Superior de Gestão Bancária que assinala, este ano, o seu vigésimo aniversário, é um instituto superior politécnico criado pela Associação Portuguesa de Bancos para satisfazer as necessidades específicas do sector financeiro. No momento, o ISGB conta com uma oferta de oito pós-graduações divididas pelos campos da gestão, finanças, marketing e vendas, planeamento e suporte à decisão, auditoria e compliance.

3

4 IV REPRESENTANTES DAS PRINCIPAIS ESCOLAS DE EXECUTIVOS EM PORTUGAL CONSIDERAM As escolas devem ser geri e não ficar dependentes do A Formação de Executivos em Portugal ainda representa uma gota no oceano do Ensino Superior. Contudo, e segundo os intervenientes no Pequeno- Almoço/Debate sobre A formação de executivos como factor de competitividade das empresas, encontro promovido pela Vida Económica com o apoio do Hotel Tiara Park, apresenta um elevado potencial de crescimento, desde que as escolas consigam atrair maior número de alunos estrangeiros. Mas, para isso, ainda faltam apoios, reclamam. A escolas estão preparadas. Afinal, a qualidade do ensino conheceu um grande impulso nos últimos anos. A formação de base é cada vez melhor, dizem os especialistas participantes no debate. Há dez anos, a percentagem de formação de executivos era mínima. Hoje, qualquer executivo de topo já fez um MBA, acrescentam. Há, no entanto, que promover a diversidade dos cursos. A lógica que antes existia, de um programa que se ajustava a todos os figurinos, é cada vez menos razoável, afirma o director Associado da School of Economics and Management da Universidade Católica de Lisboa, José Filipe Rafael. Sendo o mercado nacional limitado em termos de dimensão, as escolas de negócios portuguesas não têm alternativa senão internacionalizarem a sua oferta, consideram os intervenientes do debate. FÁTIMA FERRÃO Hoje, as escolas de gestão portuguesas já aparecem muito bem cotadas nos rankings internacionais em termos de professores e cursos A formação de executivos como factor de competitividade das empresas foi o mote para a conversa que juntou à mesma mesa Cândida Santos, da Escola de Gestão do Porto, José Filipe Rafael, da School of Economics and Management da Universidade Católica de Lisboa, e Nadim Habib, da Nova School of Business and Economics. Mas este foi apenas o ponto de partida para uma conversa que acabou por fazer o retrato completo do sector em Portugal. Partilha de experiências, estratégias e até de dúvidas ou ansiedades marcaram o debate. Portugal está muito atrasado em relação a outros países na criação de estratégias para atrair alunos estrangeiros para os seus cursos, refere Nadim Habib, CEO da Nova School of Business & Economics. Segundo aquele responsável, que citava dados da OCDE, este ano, mais de seis milhões de estudantes vão tirar mestrados fora dos seus países de origem. Na Alemanha foi aprovado um orçamento de 380 milhões para as universidades desenvolverem estratégias de atracção de novos alunos, exemplificou, acrescentando que em Portugal não há apoios do Estado para tal. Fui ao AICEP, mas não adiantou, disse. Opinião partilhada em parte por José Filipe Rafael, associate director da School of Economics and Management da Universidade Católica de Lisboa. O sector da formação tem que ser apoiado e desenvolvido para melhorar a capacidade de atrair melhores talentos. O grande problema, referem os convidados, é que o Governo não vê a formação como um sector. O ensino superior e a formação em gestão e economia têm um grande peso no sector, lembra Nadim Habib. E aponta: nos EUA, o ensino superior é o sexto maior sector de exportação, e no Reino Unido está acima do aeroespacial. Temos três escolas muito boas a concorrer entre si, todas presentes nos rankings, e grandes empresas a trabalhar connosco. Se existe mercado internacional, oferta portuguesa com capacidade de atrair docentes internacionais, alunos internacionais, porque não apoiar a presença em feiras e eventos de divulgação como se faz, por exemplo, com o calçado?, questiona. Deve olhar-se para os sectores em já temos alguma competência e provas dadas. O ensino deve ser visto como um negócio, mas não é, refere José Filipe Rafael. E acrescenta: Só quem nunca esteve numa universidade americana não consegue perceber o negócio que gira ali à volta. As escolas devem ser geridas como empresas e não devem estar dependentes do Orçamento de Estado. Apesar disso, ao nível dos mestrados, a procura por cursos em Lisboa é já bastante elevada, especialmente depois de o Wall Street Journal ter elegido a cidade como uma das mais interessantes para jovens na Europa. Quando o aluno percebe que a qualidade do ensino é igual à das outras escolas, o clima, a segurança e a qualidade de vida tornam-se elementos fundamentais para a escolha de Lisboa, assegura Nadim Habib. Crescer pela internacionalização Sendo o mercado nacional limitado em

5 V das como empresas Orçamento de Estado O que mudou na última década? INTERVENIENTES A qualidade da oferta formativa foi resposta unânime de todos os participantes quando questionados sobre o que mudou durante a última década. Para mim, foi a concorrência nacional que melhorou a qualidade dos cursos. Daqui a três/cinco anos isso vai trazer benefícios, disse Nadim Habib. Hoje, acrescenta, as escolas de gestão portuguesas já aparecem muito bem cotadas nos rankings internacionais em termos de professores e cursos. Por isso tenho muita pena quando vejo o país à procura de uma economia do mar que não sabe muito bem o que é, quando construir e apoiar as escolas de gestão podia trazer outros benefícios. A formação de base é também cada vez melhor dizem os especialistas presentes. Há dez anos a percentagem de formação de executivos era mínima. Hoje qualquer executivo de topo já fez um MBA. O que é preciso é sobretudo ter uma oferta mais diversificada, diz José Filipe Rafael. Segundo o professor, cada vez há mais segmentos diferentes pelo que a oferta tem que ser reajustada e adequada. No fundo a lógica que antes existia de um programa que se ajustava a todos os figurinos é cada vez menos razoável. Devemos ter programas desenhados especificamente para diferentes perfis em termos de base, de nível de maturidade, de senioridade na carreira ou até mesmo de segmentos de actividade. termos de dimensão, as escolas de negócios portuguesas não têm alternativa senão internacionalizarem a sua oferta. Muitas vezes esta internacionalização surge sob a forma de parcerias com universidades de outros países, através de programas desenvolvidos em conjunto. Na Católica, por exemplo, existe uma joint-venture com a Universidade de Kellogs, em Chicago, para um programa de direcção de topo que não existe em Portugal. Destina-se essencialmente a CEO e membros de conselhos de administração, decorre inteiramente em inglês, uma semana em Lisboa e uma semana em Chicago. O ano passado tivemos participantes estrangeiros e este ano também já temos, explica José Filipe Rafael. Acreditamos que será um programa de sucesso. Para o responsável da Católica, é preciso fazer mais parcerias deste tipo, porque este é, de facto, o caminho. Se vemos as grandes universidades americanas a fazer parcerias para formação de executivos porque não fazer o mesmo?, questiona. Esse é o nosso caminho também, afirma Cândida Santos, da EGP. Iniciámos este mês um programa de internacionalização em conjunto com a Business School de Roterdão. O programa dura dez semanas, duas são de aulas, uma em Roterdão e uma no Porto, e as outras oito semanas são passadas a trabalhar em projectos com tutores. Além das aulas, explica ainda Cândida Santos, na Holanda há visitas a empresas, encontros com CEO, seminários, e uma série de actividades além da transmissão de conhecimento. O nosso objectivo é fazermos este cruzamento e trazer pessoas de outras nacionalidades ao programa. Esse será sem dúvida o próximo passo, adianta. Nadim Habib discorda. O nosso caminho não é esse. Segundo ele, um dos grandes problemas de fazer parcerias com escolas internacionais é que ou se escolhe uma escola grande e se é o parceiro minoritário, ou se opta por uma escola pequena com sinergias mais limitadas. Nós escolhemos o caminho mais difícil: procurar onde podemos criar competências específicas a nível nacional que a longo prazo sejam atractivas internacionalmente, explica, salientando que a aposta em África é prova disso e está a abrir-nos muitas portas internacionais. A escola de negócios da Nova em Angola abriu há um ano, depois de um grande esforço de investimento e com donativos de empresas. Lançámos os primeiros papers específicos sobre o mercado africano e agora pretendemos chegar a uma posição de relevância em Portugal e lá fora através das áreas em que somos bons, salienta. Ainda sobre a questão da dimensão, José Filipe Rafael, acredita que neste tipo de parcerias cada escola tem o seu mercado, distinto, até em termos de espaços geográficos. Em relação ao projecto que temos em mãos, estamos em parceria plena. Sentimo-nos de igual para igual a discutir o programa, os conteúdos, as horas de formação. Para mim, esse modelo faz apenas sentido a curto prazo, contraria Nadim Habib. Nós queremos trabalhar a médio/longo prazo. Segundo o CEO, muitas empresas portuguesas acreditam que são credíveis por estarem associadas a um logótipo de uma marca internacional, e isso não é verdade. Nos contactos internacionais que tive havia discussão sim, mas nunca senti que a organização estivesse envolvida. Por isso, a escola de negócios da Nova optou por um caminho diferente: ou criamos competências que façam com que numa reunião internacional alguém olhe para nós como especialistas, ou corremos o risco de a médio prazo sermos meros distribidores de produtos internacionais. No nosso caso aconteceu o oposto. Fomos nós que criámos e desenhámos o produto e que o levámos para Roterdão, refere Cândida Santos. Independentemente da estratégia escolhida, Nadim Habib defende que haverá espaço para todos. As parcerias são importantes, mas é fundamental ultrapassar o problema português de nos associarmos com quem está mais próximo. Mais depressa se vê uma universidade portuguesa associar-se a uma espanhola do que a outra portuguesa, reforça. José Filipe Rafael, director Associado, School of Economics and Management, Universidade Católica de Lisboa Neste momento Portugal está a oferecer uma boa formação mas poucas oportunidades de colocação, afirma o professor da Católica. Contudo, a verdade é que as empresas estrangeiras vêm a Portugal buscar talentos. Numa altura destas a palavra de ordem é flexibilidade e capacidade de resposta no curto prazo. Isso exige mais disponibilidade mental para lidar com novos modelos. A formação ajuda muito. Algumas empresas já perceberam isso e aumentaram a sua formação. Nadim Habid, CEO, Nova School of Business & Economics O preço da formação para Executivos é uma das questões que preocupa o CEO da Nova School of Business & Economics. O valor que alguém está disposto a pagar pela formação está relacionado com a importância que lhe dá, diz. Para o CEO, a noção de que a formação tem que ser barata é difícil de aceitar, assim como a ideia de que qualquer formação é melhor do que nenhuma formação. Hoje temos preços que são metade dos do INSEAD mas seria bom conseguirmos aproximarnos destes valores. Contudo, aponta, como justificar aumentos de preços na ordem dos 100% nos próximos 5/6 anos?. Cândida Santos, responsável pela Formação para Executivos, Escola de Gestão do Porto Algumas empresas perceberam que entraram em crise por falta de formação dos seus executivos, acredita a responsável pela formação de executivos da EGP. Houve uma tomada de consciência sobre a diferença entre ter executivos bem preparados ou não. Sentimos que as empresas estão a preparar-se. Este é o timing para nos preparmos para o que aí vem de mudança e de novo modelo.

6 VI MBA Atlântico: um instrumento ao serviço das empresas em ambiente de internacionalização TERESA SILVEIRA Os 20 alunos angolanos, brasileiros e portugueses que integraram a primeira edição do MBA Atlântico das universidades católicas do Porto, S. Paulo (Brasil) e Angola não são mais os mesmos após esta exigente formação em gestão repartida pelos três países de outros tantos continentes. Daqui saem diferentes, com a capacidade de explorar negócios em rede e aptos, também, a poderem desempenhar funções de excelência em qualquer país do mundo, frisa Álvaro Nascimento, director da Escola de Gestão Empresarial (EGE) da Universidade Católica do Porto. Durante um debate com a Vida Económica que juntou à mesma mesa, no Porto, além do professor português, Justino Pinto de Andrade, Director da Faculdade de Economia da Universidade Católica de Angola, e Vico Mañas, Vice-Reitor da Universidade Católica de S. Paulo (Brasil), o Director da EGE teve oportunidade de realçar que o MBA Atlântico é uma mais-valia para aqueles 20 alunos. Certo é que, além de o MBA fornecer ferramentas aos 20 jovens dos três países aderentes, ele também pode ser um instrumento ao serviço das empresas que precisam de quadros qualificados num ambiente de internacionalização, realça Álvaro Nascimento. O papel da formação cabe às universidades. E cabe-nos a nós, até numa óptica de inovação, identificar de que forma podemos ajudar as empresas a encontrar esses quadros com essas competências, diz o director da EGE. A verdade é que, quando desenhámos este MBA, sabíamos que estávamos a criar um espaço que permitisse responder a um conjunto de necessidades latentes das empresas, ou seja, à procura que fazem de quadros num ambiente de internacionalização, que vivam os mercados externos, conheçam determinadas geografias importantes do ponto de vista do crescimento económico e vejam o potencial de relações que lá existem, nota o professor da Católica do Porto. Questionado pela Vida Económica sobre se, depois desta formação, já é possível perceber se são ou não gestores de topo, o Director da EGE é cauteloso. Esperamos que sim, mas se vão ser mesmo só o futuro o dirá. Álvaro Nascimento (à esquerda), director da Escola de Gestão Empresarial (EGE) da Universidade Católica do Porto, Justino Pinto de Andrade (ao centro), director da Faculdade de Economia da Universidade Católica de Angola, e Vico Mañas (à direita), vice-reitor da Universidade Católica de S. Paulo (Brasil). Angola não prescinde de quadros com o MBA Atlântico Angola tem aqui uma visão privilegiada, porque está a criar o tecido empresarial e estas empresas que estão a constituir-se precisam de quadros cada vez mais qualificados, refere, por seu lado, Justino Pinto de Andrade, no debate com a Vida Económica. Diz, por isso, não acreditar, até pelo que conhece da realidade angolana, que se prescinda de quadros com este tipo de formação. Questionado sobre como se pode tirar o melhor proveito destes jovens, Justino Pinto de Andrade diz que eles têm esta formação geral, de gestão, mas agora é preciso que nas empresas como a Sonangol ou a TAAG, de onde provêm alguns dos jovens deste primeiro MBA -, que operam áreas específicas de actuação, continuem o processo de formação, para virem a ser quadros de topo no O objectivo é que o programa do MBA consiga atender às necessidades das empresas dos três países futuro. Salientando que é preciso ser também um pouco modesto nas suas ambições, isto é, não pensar que aos 23 ou 24 anos se vai atingir o topo das empresas, o director da Faculdade de Economia da Universidade de Angola dá, também, novos conselhos aos alunos e às empresas: é preciso ter suficiente ambição também para poderem melhorar a sua qualificação e, sobretudo, para se poderem enquadrar numa área bastante específica nas áreas onde pensam trabalhar. E se Justino Pinto de Andrade tem a certeza de que as empresas irão tirar o melhor proveito desta formação que está a ser dada, para Vico Mañas, vice-reitor da Universidade Católica de S. Paulo (Brasil), o objectivo é que o programa do MBA consiga realmente atender às necessidades das empresas dos três países. A ideia, diz o professor brasileiro, é colocar os alunos frente a conhecimentos de gestão genéricos, mas, ao mesmo tempo, apropriados a estas realidades. A incógnita, diz, ainda permanece, dado que esta é a primeira edição do MBA Atlântico e há o investimento do aluno, o investimento de alguns parceiros, mas não sabemos quantos parceiros estão a interpretar isto desta forma. Partimos é do princípio de que o MBA é muito bem-vindo e que vai ser muito bem aceite, conclui, optimista, Vico Mañas. Universidade Católica de Angola cria curso de Medicina TERESA SILVEIRA A Universidade Católica de Angola, sediada em Luanda, recebeu homologação superior e vai arrancar com um novo curso privado de Medicina já no próximo ano lectivo, que tem início em Março de A notícia foi revelada à Vida Económica por Justino Pinto de Andrade, Director da Faculdade de Economia da Universidade Católica de Angola, à margem da cerimónia de entrega de diplomas aos alunos do primeiro MBA Atlântico. Questionado sobre se poderão vir a captar alunos portugueses para esse curso de Medicina, o professor angolano não descarta essa possibilidade se forem para lá, muito bem, vendo igualmente como certo o recrutamento de docentes portugueses para ministrar o curso. Seguramente irão também para lá professores portugueses, adianta Justino Pinto de Andrade, acreditando que a Universidade Católica não vai prescindir de um concurso de professores portugueses para iniciar este novo curso de Medicina, afirmou o professor angolano à Vida Económica. A par deste novo curso, também no próximo ano lectivo vão arrancar novos cursos de Sociologia e de Agronomia, este último homologado, aliás, há apenas alguns dias. Uma estratégia de consolidação da Universidade em Luanda, que também passa por apostar nesta fase mais avançada, que é a formação pós-graduada, explicou o professor. Exemplo disso, refere, é o arranque programado de uma pós-graduação na área das políticas públicas na Faculdade de Economia, da qual Justino Pinto de Andrade é director. Questionado pela Vida Económica sobre o papel das universidades privadas na formação de quadros portugueses que residem no país, o professor reconhece que a Universidade Católica de Angola tem vindo a fornecer quadros para as empresas portuguesas que operam no mercado angolano. Aliás, diz ainda, tenho tido informação de que muitas empresas portuguesas, embora sejam sociedades de direito angolano, têm absorvido muito bons quadros, nomeadamente no ramo das engenharias e na área da gestão. Salientando que o ensino superior, em termos numéricos, cresceu muito em Angola, quer do ponto de vista das universidades privadas, quer das universidades públicas, o professor de Economia dá exemplos: até há dois anos atrás, havia apenas uma universidade pública (Universidade Agostinho Neto) e agora há sete. Também até dois anos atrás havia duas universidades privadas: a Católica e a Lusíada e, hoje, refere Justino Pinto de Andrade, há seguramente umas dez ou doze, o que quer dizer que, do ponto de vista da expansão, se cresceu muito, sobretudo para fora de Luanda. O principal problema, refere, é o recrutamento de docentes. É que o corpo docente não cresce com a velocidade com que cresce o número de alunos.

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Centro Cultural de Belém, Lisboa, 11 de Outubro de 2006 Intervenção do Secretário

Leia mais

PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA

PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA 2015 CONSTITUIÇÃO DO JÚRI Joaquim Sérvulo Rodrigues Membro da Direcção da COTEC Portugal, Presidente do Júri; Carlos Brazão Director Sénior de Vendas

Leia mais

O Fórum Económico de Marvila

O Fórum Económico de Marvila Agenda O Fórum Económico de Marvila A iniciativa Cidadania e voluntariado: um desafio para Marvila A Sair da Casca O voluntariado empresarial e as políticas de envolvimento com a comunidade Tipos de voluntariado

Leia mais

IPAM reforça no Porto. Pdg. 76. Por M." João Vieira Pinto

IPAM reforça no Porto. Pdg. 76. Por M. João Vieira Pinto IPAM reforça no Porto Pdg. 76 Por M." João Vieira Pinto IPAM reforça no Porto Afirma-se como lhe Marketing School e ambiciona ser a referência do ensino nesta área. Por isso, ejá a partir do próximo ano,

Leia mais

o Empresa Internacional de Executive Search e Consultoria em Gestão Estratégica de Recursos Humanos.

o Empresa Internacional de Executive Search e Consultoria em Gestão Estratégica de Recursos Humanos. o Empresa Internacional de Executive Search e Consultoria em Gestão Estratégica de Recursos Humanos. o Formada por uma Equipa de Consultores com uma consolidada e diversificada experiência, quer na área

Leia mais

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Neste curso serão abordadas as melhores práticas que permitem gerir estrategicamente a informação, tendo em vista a criação de valor para

Leia mais

Plano Geral de Formação

Plano Geral de Formação Plano Geral de Formação 2 0 1 6 A Católica Business Schools Alliance é constituída por: Índice Mensagem de boas vindas Católica Business Schools Alliance 10 razões para nos escolher MBA Atlântico Oficina

Leia mais

Portugal é 4 0. na criação de empresas na

Portugal é 4 0. na criação de empresas na Portugal é 4 0. na criação de empresas na Europa, mas está também no topo do 'ranking' dos países em que as empresas têm maior taxa de mortalidade, soube-se no "VIII Encontro PT Negócios/Diário Económico",

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012 Apoio à Internacionalização CENA 3 de Julho de 2012 Enquadramento Enquadramento Comércio Internacional Português de Bens e Serviços Var. 13,3% 55,5 68,2 57,1 73,4 48,3 60,1 54,5 66,0 67,2 61,7 Exportação

Leia mais

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança)

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) 1 - Apresentação Grau Académico: Mestre Duração do curso: : 2 anos lectivos/ 4 semestres Número de créditos, segundo o Sistema

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços Curso de Gestão Empresarial para Comércio e Serviços PROMOÇÃO: COLABORAÇÃO DE: EXECUÇÃO: APRESENTAÇÃO: > A aposta na qualificação dos nossos recursos humanos constitui uma prioridade absoluta para a Confederação

Leia mais

Curso de Gestão Para Empresários e Directores

Curso de Gestão Para Empresários e Directores Curso de Gestão Para Empresários e Directores Sob a direcção do Doutor José Nunes Maia, Professor Aposentado do ISCTE Lisboa, a MoreData pretende dar início à 1ª edição do Curso de Gestão para Empresários

Leia mais

EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação)

EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação) EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação) Rua Castilho 90 2ºesq 1250-071 Lisboa, Portugal Rua José Gomes Ferreira nº219 - Aviz 4150-442 Porto, Portugal info@beill.pt / www.beill.pt Sobre A Beill

Leia mais

MBA MASTER BUSINESS ADMINISTRATION E MBAH MASTER EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISTICA

MBA MASTER BUSINESS ADMINISTRATION E MBAH MASTER EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISTICA MBA MASTER BUSINESS ADMINISTRATION E MBAH MASTER EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISTICA Angra do Heroísmo 2007 1 MBA MASTER BUSINESS ADMINISTRATION MBAH MASTER EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISTICA Objectivos dos dois

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA INTERVENÇÃO DE SUA EXCIA, MINISTRA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, PROFª. DOUTORA, MARIA CÂNDIDA PEREIRA, DURANTE A SESSÃO DE ABERTURA DO WORKSHOP SOBRE

Leia mais

90,5% dos perfis de TI disponível para mobilidade profissional

90,5% dos perfis de TI disponível para mobilidade profissional Michael Page lança Barómetro de TI 90,5% dos perfis de TI disponível para mobilidade profissional Lisboa, 21 de Julho de 2015 A Michael Page, empresa líder em recrutamento de quadros médios e superiores,

Leia mais

Perto de si, mudamos consigo! www.wechange.pt

Perto de si, mudamos consigo! www.wechange.pt Hotel Alvalade LUANDA 16 a 27 de RH Os Ciclos de RH, consistem em planos de desenvolvimento de competências no domínio da gestão de Recursos Humanos, nomeadamente ao nível das áreas de Selecção, Formação

Leia mais

Master in Management for Human Resources Professionals

Master in Management for Human Resources Professionals Master in Management for Human Resources Professionals Em colaboração com: Master in Management for Human Resources Professionals Em colaboração com APG Um dos principais objectivos da Associação Portuguesa

Leia mais

Percepção de Portugal no mundo

Percepção de Portugal no mundo Percepção de Portugal no mundo Na sequência da questão levantada pelo Senhor Dr. Francisco Mantero na reunião do Grupo de Trabalho na Aicep, no passado dia 25 de Agosto, sobre a percepção da imagem de

Leia mais

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU Programas de MESTRADO Online MBA Master in Business Administration Mestrado em Direcção de Empresas Mestrado em Direcção de Marketing e Vendas Mestrado em Direcção Financeira Mestrado em Comércio Internacional

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO F O R M A Ç Ã O A V A N Ç A D A CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA MEMBROS DA ORDEM DOS ENGENHEIROS ENQUADRAMENTO O CEGE/ISEG é um centro de investigação e projectos do ISEG Instituto

Leia mais

SE CHALLENGE. Ideias e projectos de empreendedores sociais ATREVE-TE A CONCORRER! És interessado, dedicado e comprometido com a transformação social?

SE CHALLENGE. Ideias e projectos de empreendedores sociais ATREVE-TE A CONCORRER! És interessado, dedicado e comprometido com a transformação social? SE SIM És interessado, dedicado e comprometido com a transformação social? Ideias e projectos de empreendedores sociais És um agente de mudança social? Se sim, este concurso é a oportunidade ideal para

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

Empreendedorismo aprende-se?

Empreendedorismo aprende-se? Empreendedorismo aprende-se? O tempo do empresário self made man parece ter os dias contados. A forte concorrência, cada 1 vez mais global, e a exigência do cliente obrigam os 'candidatos a empreendedores

Leia mais

Programa Avançado de Gestão para o Setor do Pós Venda Automóvel

Programa Avançado de Gestão para o Setor do Pós Venda Automóvel Programa Avançado de Gestão para o Setor do Pós Venda Automóvel ACAP de Portas Abertas para a Universidade RAZÃO DE SER Antes da Agenda O que sabe hoje chega para garantir a SUSTENTABILIDADE e o SUCESSO

Leia mais

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS. Coerência das Políticas: O Desafio do Desenvolvimento. Sessão Pública ABERTURA

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS. Coerência das Políticas: O Desafio do Desenvolvimento. Sessão Pública ABERTURA MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS Coerência das Políticas: O Desafio do Desenvolvimento Sessão Pública 19.01.2011 Assembleia da República ABERTURA Senhor Presidente da Comissão dos Negócios Estrangeiros

Leia mais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Sines Tecnopolo Pós-Graduação MBA em Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2012-2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é

Leia mais

Nas condições a seguir mencionadas, os cursos só poderão, porém, ser realizados com um mínimo de 15 inscrições.

Nas condições a seguir mencionadas, os cursos só poderão, porém, ser realizados com um mínimo de 15 inscrições. Sob a direcção do Doutor José Nunes Maia, Professor Aposentado do ISCTE Lisboa, a MoreData pretende dar início à 1ª edição do Curso Básico de Gestão (CBG) destinado a chefias intermédias e do Curso de

Leia mais

MBA especialização em GesTão De projectos

MBA especialização em GesTão De projectos MBA especialização em GESTão DE projectos FORMEDIA Instituto Europeu de Empresários e Gestores FORMEDIA e INSTITUTO EUROPEO DE POSGRADO FORMEDIA - Instituto Europeu de Empresários e Gestores A FORMEDIA

Leia mais

SERVIÇO DA MERCAL CONSULTING GROUP PARA VENDA OU ASSOCIAÇÃO ( JOINT VENTURE OU MERGER ) DA SUA EMPRESA

SERVIÇO DA MERCAL CONSULTING GROUP PARA VENDA OU ASSOCIAÇÃO ( JOINT VENTURE OU MERGER ) DA SUA EMPRESA SERVIÇO DA MERCAL CONSULTING GROUP PARA VENDA OU ASSOCIAÇÃO ( JOINT VENTURE OU MERGER ) DA SUA EMPRESA O primeiro requisito para venda de uma empresa, total ou parcialmente, é apresentá-la de forma atraente,

Leia mais

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE A LINK THINK AVANÇA COM PROGRAMA DE FORMAÇÃO PROFISSONAL PARA 2012 A LINK THINK,

Leia mais

POWER-RH. organizacional e individual - OS NOSSOS SERVIÇOS

POWER-RH. organizacional e individual - OS NOSSOS SERVIÇOS POWER-RH Gestão estratégica a de mudança organizacional e individual - OS NOSSOS SERVIÇOS PARA EMPRESAS - A Power-rh Somos peritos em gestão estratégica de mudança organizacional e desenvolvimento humano.

Leia mais

Dinâmicas de exportação e de internacionalização

Dinâmicas de exportação e de internacionalização Dinâmicas de exportação e de internacionalização das PME Contribuição da DPIF/ Como fazemos? 1. Posicionamento e actuação da DPIF A DPIF tem como Missão: Facilitar o acesso a financiamento pelas PME e

Leia mais

MASTER EM DIRECÇÃO DE COMÉRCIO INTERNACIONAL E DE MARKETING OBJECTIVOS DO PROGRAMA A Escola de Negócios EUDEM apresenta o seu programa MCIM - Master em Direcção de Comércio Internacional e de Marketing,

Leia mais

ce tec CURSO DE EMPREENDEDORISMO 3ª Edição-Internacional CENTRO DE EMPREENDEDORISMO / ISMAI - TECMAIA

ce tec CURSO DE EMPREENDEDORISMO 3ª Edição-Internacional CENTRO DE EMPREENDEDORISMO / ISMAI - TECMAIA ce tec CENTRO DE EMPREENDEDORISMO / ISMAI - TECMAIA CURSO DE EMPREENDEDORISMO 3ª Edição-Internacional O CEITEC (Centro de Empreendedorismo ISMAI-Tecmaia) apresenta a 3ª edição do Curso em Empreendedorismo,

Leia mais

Compromissos na educação

Compromissos na educação Compromissos na educação Comentário Paulo Santiago Direcção da Educação e das Competências, OCDE Ciclo de Seminários Sextas da Reforma Lisboa, 23 de Maio de 2014 Organização do Banco de Portugal, do Conselho

Leia mais

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 Factores Determinantes para o Empreendedorismo Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 IAPMEI Instituto de Apoio às PME e à Inovação Principal instrumento das políticas económicas para Micro e Pequenas

Leia mais

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Pedro Jorge Richheimer Marta de Sequeira Marília Oliveira Inácio Henriques 1 P á g i n a 1. Enquadramento da Candidatura

Leia mais

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 3 Hemisfério esquerdo responsável pelo pensamento lógico e pela competência

Leia mais

Bom dia, Senhoras e Senhores. Introdução

Bom dia, Senhoras e Senhores. Introdução Bom dia, Senhoras e Senhores Introdução Gostaria de começar por agradecer o amável convite que o Gabinete do Parlamento Europeu em Lisboa me dirigiu para participar neste debate e felicitar os organizadores

Leia mais

Health Management Future

Health Management Future 2012 Health Management Future COM O PATROCÍNIO DE O grupo BIAL tem como missão desenvolver, encontrar e fornecer novas soluções terapêuticas na área da Saúde. Fundado em 1924, ao longo dos anos BIAL conquistou

Leia mais

Inscrições. As inscrições para os cursos realizam-se em Setembro de 2012. O Sector Empresarial do Estado não se encontra abrangido por esta Aliança.

Inscrições. As inscrições para os cursos realizam-se em Setembro de 2012. O Sector Empresarial do Estado não se encontra abrangido por esta Aliança. Caderno de s 2 Objectivos A formação de executivos é, hoje em dia, uma necessidade incontornável, sendo um importante factor do sucesso, da competitividade e da sustentabilidade das organizações. Considerando

Leia mais

Universidades. Já há mais. superioresem Portugal que são dados. de 170 cursos. só em inglês ATUALPÁGS.4ES

Universidades. Já há mais. superioresem Portugal que são dados. de 170 cursos. só em inglês ATUALPÁGS.4ES Universidades Já há mais de 170 cursos superioresem Portugal que são dados só em inglês ATUALPÁGS.4ES Universidades portuguesas já têm mais de 1 70 cursos em inglês Internacionalização. Atrair novos estudantes

Leia mais

Portugal está quase lá ENTREVISTA

Portugal está quase lá ENTREVISTA Pág: 12 Área: 19,00 x 26,00 cm² Corte: 1 de 6 ENTREVISTA DeF Portugal está quase lá Não somos os melhores na produtividade, na riqueza, na organização empresarial, na capacidade de confiarmos uns nos outros,

Leia mais

FORMAÇÃO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NOS SECTORES HOTELEIRO E TURÍSTICO (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Março/Abril 2004)

FORMAÇÃO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NOS SECTORES HOTELEIRO E TURÍSTICO (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Março/Abril 2004) FORMAÇÃO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NOS SECTORES HOTELEIRO E TURÍSTICO (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Março/Abril 2004) por António Jorge Costa, Presidente do Instituto de Planeamento

Leia mais

Perfil Profissional de Treinador

Perfil Profissional de Treinador Programa Nacional de FORMAÇÃO de Treinadores Grau4 Perfil Profissional de Treinador Perfil Profissional - GRAU IV A formação de Grau IV consubstancia o topo da hierarquia profissional da actividade de

Leia mais

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014 MBA Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2013-2014 Sines, Junho de 2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é um curso de pós-graduação desenvolvido pela Escola Superior de Ciências Empresariais

Leia mais

Pós-Graduação em. MARKETING E GESTÃO COMERCIAL de Serviços Financeiros INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO BANCÁRIA

Pós-Graduação em. MARKETING E GESTÃO COMERCIAL de Serviços Financeiros INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO BANCÁRIA BSUPERIOR DE GESTÃO INSTITUTO Pós-Graduação em MARKETING E GESTÃO COMERCIAL de Serviços Financeiros 2005 2006 Associação Portuguesa de Bancos INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO B ISGB THE PORTUGUESE SCHOOL OF

Leia mais

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Criada em Setembro de 2005 em Sacavém, a Explicolândia Centros de Estudo tem sido ao longo dos anos, uma

Leia mais

CONFERÊNCIA VENCENDO EM TEMPO DE CRISE. 24 de Março de 2010

CONFERÊNCIA VENCENDO EM TEMPO DE CRISE. 24 de Março de 2010 CONFERÊNCIA VENCENDO EM TEMPO DE CRISE ALGUMAS ESTRATÉGIAS PARA O SUCESSO DAS EMPRESAS 24 de Março de 2010 Caro Industrial, No seguimento das diversas reuniões sectoriais do passado ano, que permitiram

Leia mais

1. (PT) - Turisver, 20/09/2012, Pedro Duarte 1. 3. (PT) - Diário Económico, 25/09/2012, Unicer antecipa crescimento de 15% das vendas em Angola 5

1. (PT) - Turisver, 20/09/2012, Pedro Duarte 1. 3. (PT) - Diário Económico, 25/09/2012, Unicer antecipa crescimento de 15% das vendas em Angola 5 Tema de pesquisa: Internacional 25 de Setembro de 2012 Revista de Imprensa 25-09-2012 1. (PT) - Turisver, 20/09/2012, Pedro Duarte 1 2. (PT) - Jornal de Negócios - Negócios Mais, 25/09/2012, Bluepharma

Leia mais

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO Bem-vindo aos Programas Executivos do ISAG. A experiência adquirida ao longo dos anos e a atualização de conceitos, permitiu ao ISAG European Business School desenvolver

Leia mais

Programa Avançado de Gestão

Programa Avançado de Gestão PÓS GRADUAÇÃO Programa Avançado de Gestão Com o apoio de: Em parceria com: Nova School of Business and Economics Com o apoio de: PÓS GRADUAÇÃO Programa Avançado de Gestão A economia Angolana enfrenta hoje

Leia mais

1 - Rádio Ocidente.pt, 29-10-2010, Mais de cem empresas criadas pela DNA Cascais desde 2006. 2 - Diário Económico, 28-10-2010, A não perder

1 - Rádio Ocidente.pt, 29-10-2010, Mais de cem empresas criadas pela DNA Cascais desde 2006. 2 - Diário Económico, 28-10-2010, A não perder Revista de Imprensa 08-11-2010 DNA 1 - Rádio Ocidente.pt, 29-10-2010, Mais de cem empresas criadas pela DNA Cascais desde 2006 2 - Diário Económico, 28-10-2010, A não perder 3 - Diário Económico, 28-10-2010,

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA INTEGRAR POOL DE VOLUNTÁRIOS INTERNACIONAIS PARA MISSÕES DE EMERGÊNCIA

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA INTEGRAR POOL DE VOLUNTÁRIOS INTERNACIONAIS PARA MISSÕES DE EMERGÊNCIA TERMOS DE REFERÊNCIA PARA INTEGRAR POOL DE VOLUNTÁRIOS INTERNACIONAIS PARA MISSÕES DE EMERGÊNCIA A AMI é uma Organização Não Governamental (ONG) portuguesa, privada, independente, apolítica e sem fins

Leia mais

FORMAÇÃO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NOS SECTORES HOTELEIRO E TURÍSTICO

FORMAÇÃO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NOS SECTORES HOTELEIRO E TURÍSTICO FORMAÇÃO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NOS SECTORES HOTELEIRO E TURÍSTICO (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Março/Abril 2004) por António Jorge Costa, Presidente do Instituto de Planeamento

Leia mais

Plano de Actividades do CEA para 2006

Plano de Actividades do CEA para 2006 Plano de Actividades do CEA para 2006 A Direcção do CEA propõe-se preparar as condições para atingir diferentes objectivos e procurar apoios para a sua realização. 1. Objectivos Prioritários 1.1 Redesenhar

Leia mais

Proposta / Ponto 4. DOCUMENTOS PREPARATÓRIOS ASSEMBLEIA GERAL Porto 8 maio 2013. Exmo. Senhor. Presidente da Mesa da Assembleia Geral

Proposta / Ponto 4. DOCUMENTOS PREPARATÓRIOS ASSEMBLEIA GERAL Porto 8 maio 2013. Exmo. Senhor. Presidente da Mesa da Assembleia Geral DOCUMENTOS PREPARATÓRIOS ASSEMBLEIA GERAL Porto 8 maio 2013 Proposta / Ponto 4 Exmo. Senhor Presidente da Mesa da Assembleia Geral Grupo Soares da Costa, SGPS,S.A. Exmo. Senhor Presidente, Relativamente

Leia mais

Pós-Graduação. Mercados Internacionais e Diplomacia Económica. 1ª Edição

Pós-Graduação. Mercados Internacionais e Diplomacia Económica. 1ª Edição Pós-Graduação Mercados Internacionais e Diplomacia Económica 1ª Edição 2011/2012 Mercados Internacionais e Diplomacia Económica Coordenação Científica Prof. Doutor Joaquim Ramos Silva Prof. Doutor Manuel

Leia mais

Formação de Executivos / Executive Business Education

Formação de Executivos / Executive Business Education Formação de Executivos / Executive Business Education 2 ÍNDICE 05 06 07 08 09 09 11 12 13 14 15 15 15 Mensagem de Boas Vindas Apresentação Advisory Board Porquê Formação executiva? 7 razões para escolher

Leia mais

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Participamos num processo acelerado de transformações sociais, políticas e tecnológicas que alteram radicalmente o contexto e as

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL INTERNACIONAL E DIPLOMACIA ECONÓMICA

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL INTERNACIONAL E DIPLOMACIA ECONÓMICA PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL INTERNACIONAL E DIPLOMACIA ECONÓMICA Gestão Empresarial Internacional e Diplomacia Económica International Management and Economic Diplomacy 2 O aumento das exportações

Leia mais

Human Resources Human Resources. Estudos de Remuneração 2012

Human Resources Human Resources. Estudos de Remuneração 2012 Human Resources Human Resources Estudos de Remuneração 2012 3 Michael Page Page 4 Apresentamos-lhe os Estudos de Remuneração 2012, realizados pela Michael Page. O objectivo dos nossos Estudos de Remuneração

Leia mais

47% em I&D duplicou. numa década. Portugal investe 1,52% do PB em Investigação e Desenvolvimento Investimento. última década" e lembra que "é preciso

47% em I&D duplicou. numa década. Portugal investe 1,52% do PB em Investigação e Desenvolvimento Investimento. última década e lembra que é preciso Portugal investe 1,52% do PB em Investigação e Desenvolvimento Investimento numa década em I&D duplicou I&D, a sigla que sintetiza a expressão Investigação e Desenvolvimento é hoje, e mais do que nunca,

Leia mais

VALORES DE FUTURO INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO FISCALIDADE PROGRAMAS EXECUTIVOS

VALORES DE FUTURO INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO FISCALIDADE PROGRAMAS EXECUTIVOS VALORES DE FUTURO INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMAS EXECUTIVOS UM COMPROMISSO DE DUAS INSTITUIÇÕES Bem-vindo aos Programas Executivos do ISAG e da IFACC. A união de sinergias

Leia mais

Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS FERREIRA ROCHA & ASSOCIADOS Em parceria: Portugal Moçambique. Consolidar o Futuro

Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS FERREIRA ROCHA & ASSOCIADOS Em parceria: Portugal Moçambique. Consolidar o Futuro Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS FERREIRA ROCHA & ASSOCIADOS Em parceria: Portugal Moçambique Consolidar o Futuro Abreu Advogados Ferreira Rocha & Associados 2012 PORTUGAL

Leia mais

Uma conversa entre empresas e professores - os desafios da empregabilidade

Uma conversa entre empresas e professores - os desafios da empregabilidade Uma conversa entre empresas e professores - os desafios da empregabilidade No passado dia 15 de Novembro, a Share Associação para a Partilha de Conhecimento e a Faculdade de Ciências da Universidade de

Leia mais

A Formação Pós-Graduada na Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto

A Formação Pós-Graduada na Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto Universidade Agostinho Neto Faculdade de Direito Workshop sobre Formação Pós-Graduada e Orientação A Formação Pós-Graduada na Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto Por: Carlos Teixeira Presidente

Leia mais

MASTER INNOVATION MANAGEMENT SYSTEMS SGS. Duração 112 Horas / 3 meses. Edição 1ª Edição. Calendário outubro dezembro 2015

MASTER INNOVATION MANAGEMENT SYSTEMS SGS. Duração 112 Horas / 3 meses. Edição 1ª Edição. Calendário outubro dezembro 2015 Edição 1ª Edição Calendário outubro dezembro 2015 Duração 112 Horas / 3 meses Regime Pós-laboral e ao sábado MASTER INNOVATION MANAGEMENT SYSTEMS Em parceria com: SGS ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS COORDENAÇÃO

Leia mais

1ª Semana Europeia das PME Workshop Internacionalização

1ª Semana Europeia das PME Workshop Internacionalização 1ª Semana Europeia das PME Workshop Internacionalização Faro, 7 de Maio de 2009 Índice Posicionamento AICEP AICEP - Produtos e Serviços Apoios à Internacionalização Posicionamento AICEP Posicionamento

Leia mais

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Empreendedorismo

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Empreendedorismo O Social pela Governança Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Empreendedorismo 2 ÍNDICE EMPREENDEDORISMO... 3 OBJECTIVOS... 3 DESTINATÁRIOS... 4 CONDIÇÕES DE ACESSO E SELECÇÃO DOS CANDIDATOS...

Leia mais

www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015

www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015 54 CAPA www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015 CAPA 55 ENTREVISTA COM PAULO VARELA, PRESDIDENTE DA CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA PORTUGAL ANGOLA O ANGOLA DEVE APOSTAR NO CAPITAL HUMANO PARA DIVERSIFICAR

Leia mais

Processo nº2-responsável de Projetos (2 vagas Empresas diferentes)

Processo nº2-responsável de Projetos (2 vagas Empresas diferentes) Processo nº1-project Manager Construction Company Engenheiro Civil para ser Gerente de Projetos - Experiência de 5 anos em empresas relevantes (construção); Alto nível de habilidades organizacionais e

Leia mais

Comemorações do 35º Aniversário do Banco de Cabo Verde. Conferência internacional sobre A mobilização de oportunidades no pós-crise

Comemorações do 35º Aniversário do Banco de Cabo Verde. Conferência internacional sobre A mobilização de oportunidades no pós-crise Comemorações do 35º Aniversário do Banco de Cabo Verde Conferência internacional sobre A mobilização de oportunidades no pós-crise Senhora Ministra das Finanças, Senhores Representantes Diplomáticos, Senhores

Leia mais

Planeamento de Actividades e Orçamentos - 2012 -

Planeamento de Actividades e Orçamentos - 2012 - Planeamento de Actividades e Orçamentos - 2012 - WACT We Are Changing Together A WACT é uma Organização Não Governamental para o Desenvolvimento (ONGD), apolítica, laica, e sem fins lucrativos, com a missão

Leia mais

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Lisboa A.1.a. Outras Instituições

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS EMPRESARIAIS Departamento de Economia e Gestão Gestão da Distribuição e da Logística Gestão de Recursos Humanos Gestão de Sistemas de Informação

Leia mais

Estudo sobre os diplomados pelo ISCTE-IUL. Perspectiva das Entidades Empregadoras

Estudo sobre os diplomados pelo ISCTE-IUL. Perspectiva das Entidades Empregadoras Estudo sobre os diplomados pelo ISCTE-IUL Perspectiva das Entidades Empregadoras Julho 2011 Ficha Técnica ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Edição Gabinete de Estudos, Avaliação, Planeamento e Qualidade

Leia mais

Pós-Graduação em Sistemas e Tecnologias de Informação para as organizações

Pós-Graduação em Sistemas e Tecnologias de Informação para as organizações Curso de Pós-Graduação em Sistemas e Tecnologias de Informação para as organizações Instituto Superior de Economia e Gestão Universidade Técnica de Lisboa 2 A globalização da Sociedade da Informação em

Leia mais

NEWSLETTER. Uma nova dimensão Gescar. Uma parceria pelas PME. Buscando a excelência a cada passo ANO I SETEMBRO-NOVEMBRO 2011

NEWSLETTER. Uma nova dimensão Gescar. Uma parceria pelas PME. Buscando a excelência a cada passo ANO I SETEMBRO-NOVEMBRO 2011 NEWSLETTER ANO I SETEMBRO-NOVEMBRO 2011 Uma nova dimensão Gescar A Gescar Comunicação existe para dar uma nova dimensão à sua empresa, destacando-a da concorrência e dotando-a de uma identidade única.

Leia mais

A Concepção da Ideia

A Concepção da Ideia A Concepção da Ideia Inov@emprego - Fórum do emprego, formação e empreendedorismo do litoral alentejano Tiago Santos Sines, 7 de Novembro de 2008 Sines Tecnopolo O Sines Tecnopolo é uma associação de direito

Leia mais

Quatro gestores e um engenheiro

Quatro gestores e um engenheiro Tiragem: 26368 Pág: VIII Área: 26,85 x 36,48 cm² ID: 30707498 22-06-2010 Universidades Âmbito: Economia, Negócios e. Corte: 1 de 2 PRÉMIOS Foto cedida Os cinco finalistas do Prémio Primus Inter Pares,

Leia mais

Escola de Lisboa. Relatório de Actividades 2012/13 Elaborado por Direcção e aprovado por Administração e Conselho Cientifico

Escola de Lisboa. Relatório de Actividades 2012/13 Elaborado por Direcção e aprovado por Administração e Conselho Cientifico Escola de Lisboa Relatório de Actividades 2012/13 Elaborado por Direcção e aprovado por Administração e Conselho Cientifico Índice 1. Cumprimento do plano estratégico e anual 2. Realização dos Objectivos

Leia mais

HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES

HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES 2011 HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES COM O PATROCÍNIO DE: ÍNDICE A NOSSA PROPOSTA DE VALOR 3 HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES 4 Estrutura e Coordenação 5 Conteúdos e Corpo Docente 6 Introdução: Health Servuction

Leia mais

O Ensino Superior na Região da África Austral Tendências, desafios e recomendações actuais

O Ensino Superior na Região da África Austral Tendências, desafios e recomendações actuais O Ensino Superior na Região da África Austral Tendências, desafios e recomendações actuais Apresentação feita durante a Reunião Extraordinária dos Ministros do Ensino Superior e Formação realizada em Joanesburgo,

Leia mais

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO Bem-vindo aos Programas Executivos do ISAG. A experiência adquirida ao longo dos anos e a atualização de conceitos, permitiu ao ISAG European Business School desenvolver

Leia mais

BE POSITIVE LEAVE YOUR MARK. ege. Programa de Especialização em Gestão Empresarial

BE POSITIVE LEAVE YOUR MARK. ege. Programa de Especialização em Gestão Empresarial BE POSITIVE LEAVE YOUR MARK ege Programa de Especialização em Gestão Empresarial Edição Centro 2014 É melhor ter muitas ideias e algumas estarem erradas do que nunca errar por falta de ideias. Edward de

Leia mais

Membro da direcção da Revista Intervenção Social Investigadora do CLISSIS Doutoranda em Serviço Social

Membro da direcção da Revista Intervenção Social Investigadora do CLISSIS Doutoranda em Serviço Social A investigação do Serviço Social em Portugal: potencialidades e constrangimentos Jorge M. L. Ferreira Professor Auxiliar Universidade Lusíada Lisboa (ISSSL) Professor Auxiliar Convidado ISCTE IUL Diretor

Leia mais

A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas

A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas A aicep Portugal Global A aicep Portugal Global aicep Portugal Global missão é: é uma agência pública de natureza empresarial, cuja Atrair investimento

Leia mais

ÍNDICE PERFIL MERCADOS ONDE A A400 ESTÁ PRESENTE VOLUME DE NEGÓCIOS CERTIFICAÇÕES PROJECTOS DE REFERÊNCIA CONTACTOS

ÍNDICE PERFIL MERCADOS ONDE A A400 ESTÁ PRESENTE VOLUME DE NEGÓCIOS CERTIFICAÇÕES PROJECTOS DE REFERÊNCIA CONTACTOS DOSSIER DE IMPRENSA ÍNDICE 1 PERFIL - A Empresa - Os Colaboradores - Os serviços 2 MERCADOS ONDE A A400 ESTÁ PRESENTE - A Internacionalização VOLUME DE NEGÓCIOS 4 CERTIFICAÇÕES 5 PROJECTOS DE REFERÊNCIA

Leia mais

COOPERAÇÃO ENTRE PORTUGAL E ANGOLA EM C&T

COOPERAÇÃO ENTRE PORTUGAL E ANGOLA EM C&T A cooperação Bilateral Angola - Portugal: estado atual e reforço futuro WORKSHOP PROGRAMA HORIZONTE 2020: COOPERAÇÃO EM INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO ENTRE ANGOLA E A UNIÃO EUROPEIA Luanda, 3 e 4 de outubro

Leia mais

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades.

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades. A Protteja Seguros surge da vontade de contribuir para o crescimento do mercado segurador nacional, através da inovação, da melhoria da qualidade de serviço e de uma política de crescimento sustentável.

Leia mais

Pós-Graduação em INOVAÇÃO E SISTEMAS INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO BANCÁRIA ISGB THE PORTUGUESE SCHOOL OF BANK MANAGEMENT

Pós-Graduação em INOVAÇÃO E SISTEMAS INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO BANCÁRIA ISGB THE PORTUGUESE SCHOOL OF BANK MANAGEMENT BSUPERIOR DE GESTÃO INSTITUTO 0101011010101001010 0101011010101001010 Pós-Graduação em INOVAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO no Sector Financeiro 2005 2006 Associação Portuguesa de Bancos INSTITUTO SUPERIOR

Leia mais

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Identificação

Leia mais

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Da União Europeia vão chegar até 2020 mais de 20 mil milhões de euros a Portugal. Uma pipa de massa, nas palavras do ex-presidente da Comissão

Leia mais

Primeira Unidade Empresarial de Serviços Partilhados em Saúde arranca em Portugal

Primeira Unidade Empresarial de Serviços Partilhados em Saúde arranca em Portugal Primeira Unidade Empresarial de Serviços Partilhados em Saúde arranca em Portugal É hoje apresentada publicamente a primeira Unidade Empresarial de Serviços Partilhados em Saúde a funcionar em Portugal.

Leia mais

BOLSA DO EMPREENDEDORISMO 2015. Sara Medina saramedina@spi.pt. IDI (Inovação, Investigação e Desenvolvimento) - Algumas reflexões

BOLSA DO EMPREENDEDORISMO 2015. Sara Medina saramedina@spi.pt. IDI (Inovação, Investigação e Desenvolvimento) - Algumas reflexões BOLSA DO EMPREENDEDORISMO 2015 INSERIR IMAGEM ESPECÍFICA 1 I. Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI) Missão: Apoiar os nossos clientes na gestão de projetos que fomentem a inovação e promovam oportunidades

Leia mais

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade

Leia mais