Edição I ^ Ano I ^ Julho de 201 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Edição I ^ Ano I ^ Julho de 201 1"

Transcrição

1 Edição I ^ Ano I ^ Julho de D e b ra ç o s a b e r to s CDC Instituto Camargo Corrêa traz articulação inovadora na área da infância e adolescência pág. 5 Fluxos operacionais Metodologia ajuda a enfrentar violação dos direitos de crianças e adolescente pág. 4 Artigo Participação da sociedade civil é fundamental para o fortalecimento do Comitê pág. 7

2 EDITORIAL EDITORIAL Por Suely Porto Leão, da Secretaria Municipal de Saúde É com imensa satisfação que nós, que fazemos o Comitê de Desenvolvimento Comunitário do Ca^ bo de Santo Agostinho, lançamos o primeiro nú^ mero de nosso informativo, o CDC em ação. Gostaríamos de acolher todos os parceiros, cola^ boradores e sociedade em geral, convidando^os para esta viagem através da notícia. Viagem de troca de experiências, interações, conquistas, en^ contros. A aventura de produzir notícia nos inte^ gra, contando histórias, repartindo sonhos. Sejam bem^vindos, leitores. Esperamos tocar vo^ cês, abrindo portas, tecendo redes em prol das crianças. Afinal, a proposta deste boletim está inserida no âmbito do programa Infância Ideal no nosso Cabo de Santo Agostinho. Este infor^ mativo quer divulgar as ações e os projetos de^ senvolvidos pelo Comitê de Desenvolvimento Comunitário (CDC) e discutir temas relacionados aos direitos de crianças e adolescentes. Fortale^ cendo nossos vínculos, construindo uma identi^ dade própria, aproximando a comunidade para sensibilização em torno da infância em nosso município. Vale ressaltar que nós mesmos desenvolvemos as matérias, em sintonia com a estratégia criada pelo Instituto Camargo Corrêa de articular e for^ talecer as organizações que contribuem para a formação integral de crianças, adolescentes e jo^ vens, na perspectiva do desenvolvimento comu^ nitário sustentável. As empresas Camargo Corrêa, parceiras da [comunidade Colaboram com o desenvolvimento das grandes e [pequenas cidades Respeitando sua história, cultura e potencialidade Visando o crescimento com sustentabilidade Atua em vários países e de pronto pactua Programas sociais suprindo as necessidades Envolvendo as crianças, com o INFÂNCIA IDEAL E dando seguimento que é o fundamental Criou^se o programa da ESCOLA IDEAL Com olhar visionário do que é integral Surgiu naquele momento o FUTURO IDEAL Inserido nos programas um sistema solidário Criou^se com colaboração o IDEAL VOLUNTÁRIO É aí que a gente espia exemplo de cidadania Dado com sabedoria amor e muito entender E para melhor atender os projetos pactuados Criou^se o ICC, Instituto Camargo Corrêa De IDEAL tão avançado que pra ele não tem [pareia Diante de tanta atitude dessa grande empresa Investindo no social, educação e saúde As várias secretarias do CABO DE SANTO [AGOSTINHO Acataram com carinho essa bela parceria Assumindo compromisso com responsabilidade Pra melhor desenvolver a nossa comunidade Que Deus sempre abençõe essa nobre união Dando potencial, força e determinação Para O DESENVOLVIMENTO SAUDÁVEL DA [NOSSA GRANDE NAÇÃO! EXPEDIENTE Este boletim faz parte do projeto CDC Comunica, realizado pelo Instituto Camargo Corrêa em parceria com a Oficina de Imagens Instituto Camargo Corrêa: Diretor executivo: Francisco de Assis Azevedo. Coordenadora de Comunicação: Clarissa Kowalski. Contato: Comitê de Desenvolvimento Comunitário de Cabo de Santo Agostinho: Associação Casa de Maria, Associação Cultural Clarins Independentes, Associação de Pais, Responsáveis, Amigos e Portadores de HIV (Ampare), Academia de Serviço Social, Associação dos Educadores em 2 Educação Especial (AEEE), Associação Marta de Judô, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Conselho Tutelar, InterCement, Mulheres Empreendedoras, Pastoral da Catequese Oficina de Imagens: Secretário Executivo: Adriano Guerra. Edição: Eliziane Lara, Filipe Motta. Produção: Jordânia Furbino. Apoio: Adriana Mitre e Carolina Silveira. Site: Projeto gráfico: Renato Kimo. Diagramação: Filipe Motta Foto da Capa: Membros do CDC participam de oficina de comunicação para elaboração do boletim ^ Adriana Mitre/Oficina de Imagens Impressão: Formato. Tiragem: exemplares

3 CDC EM FOCO Comitê de Desenvolvimento Comunitário compõe rede que fortalece a defesa dos direitos da infância no município Iniciativa do Instituto Camargo Corrêa reúne sociedade civil, InterCement e poder público Foto: Adriana Mitre/ Oficina de Imagens Por Gildete dos Santos, Zuleide da Silva e Lúcia Santana Há um ano e meio, em fevereiro de 201 0, o Instituto Camargo Corrêa (ICC) convidou o poder público e a socieda^ de civil de Cabo de Santo Agostinho a construir o Comitê de Desenvolvimento Comunitário (CDC). O grupo nasceu ancorado ao programa Infância Ideal, inciativa do ICC de for^ talecimento da Educação Infantil. O primeiro passo do CDC foi a realização de oficinas de diagnóstico sobre o ce^ nário da infância no município e para a definição dos três projetos base. A realização de oficinas com espaços para discussão é base para as ações do CDC Um dos projetos foca na qualificação do trabalho pedagógico das creches e no desenvolvimento de competências familiares, en^ volvendo educadores, agentes comunitários de saú^ de e pais. Até julho, está sendo elaborado um diagnóstico formativo e participativo em 1 30 equi^ pamentos de educação infantil do município, envol^ vendo 31 4 profissionais ^ 1 82 professores da rede municipal, 42 professores da rede conveniada, dez técnicos da Secretaria de Educação, 60 gestores de escolas e 20 agentes de saúde. Esse projeto terá como resultado final a elaboração de uma proposta de formação para os profissionais de Educação Infantil de Cabo de Santo Agostinho, a ser executada na segunda fase. Outra frente de atuação do CDC é o projeto Preven^ ção da Gravidez na Adolescência para uma Infância Ideal. O entendimento é que, fortalecendo o plane^ jamento familiar e reduzindo os índices de gravidez na adolescência na maioria das vezes não planeja^ da, é possível melhorar a qualidade de vida na pri^ meira infância. Para o desenvolvimento desse projeto são envolvi^ dos os profissionais da Saúde da Família, a rede de apoio representada pelo Centro de Referência de Saúde do Adolescente, Centros de Referência da Mu^ lher, Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas e Coordenação da Criança e do Adolescente. Essa rede de apoio tem como missão desenvolver ações que possam contribuir para o empoderamento dos adolescente e seus familiares fazendo com que se sintam mais seguros, amados e respeitados. Um terceiro grupo do CDC tem se dedicado ao forta^ lecimento do Sistema de Garantia dos Direitos de Crianças e Adolescentes (SGDCA) numa parceria com a Associação Brasileira de Magistrados, Promo^ tores de Justiça e Defensores Públicos da Infância e da Juventude (ABMP). Pessoas atuantes na área da infância, como os conselheiros de políticas públicas, têm participado das capacitações. Também estão sendo aplicados instrumentos para a efetivação de direitos humanos a partir de modelos de fluxos ope^ racionais sistêmicos, de forma articulada e em rede (leia mais na página 4). 3

4 PRINCIPAL Fluxos operacionais são ferramentas para diagnóstico e ação na área da infância e adolescência Projeto em parceria com ABMP propõe novos caminhos para enfrentar violações de direitos O uso de fluxos operacio^ nais para garantir direitos das crianças e adolescen^ tes é a proposta de um projeto da ABMP (Associ^ ação Brasileira de Magis^ trados, Promotores de Justiça e Defensores Pú^ blicos da Infância e da Juventude). A ideia é que com os flu^ xos se realizem radiogra^ fias das etapas a serem percorridas na garantia dos direitos básicos de meninos e meninas. Em junho, a ABMP reali^ zou uma oficina em Cabo Modelo de fluxograma sobre gravidez na adolescência retirado do Caderno de Fluxos da ABMP de Santo Agostinho junto Para orientar o trabalho, a ABMP organizou, no ano à rede municipal de atenção à criança e ao adoles^ passado, um caderno de fluxos que está disponível cente, membros do Judiciário, do Ministério Público e no site da Associação. Para a construção dos mode^ representantes da sociedade civil organizada. A ofici^ los foram consultadas diversas instituições com atua^ na integra o projeto Definindo Fluxos Operacionais ção na área da infância, como Unicef, Instituto C&A para a Garantia de Direitos de Crianças e Adolescen^ e Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança e do tes, que está sendo realizada em várias cidades do Adolescente. país. Na introdução do caderno, o juiz Eduardo Rezende A metodologia do projeto prevê que as radiografias Melo explica que ele serve não só para os profissio^ desenhadas pelos fluxos sejam feitas em sete eixos nais que atuam na defesa da infância e da adoles^ temáticos: direito à vida, à saúde e às condições dig^ cência. Os fluxos também se prestam como material nas de sobrevivência; direito à educação; direito de consulta a todo e qualquer cidadão comprometi^ à convivência familiar e comunitária; direito ao de do com a defesa de direitos de crianças e adolescen^ senvolvimento sexual saudável; direito à liberdade, à tes, argumenta o magistrado. (leia mais na página dignidade, ao respeito e à diversidade; direito à pro^ ao lado). fissionalização e à proteção contra o trabalho infan^ til; direitos e garantias de adolescentes em conflito >>Serviço: com a lei e execução de medidas socioeducativas. Baixe o caderno de fluxos pelo atalho: is.gd/caderno 4 Reprodução Caderno de Fluxos ABMP Por Jacione Amaral, do CREAS, e Marcionila Carneiro, do CMDCA

5 Sistema de Garantia dos Direitos ganha projeto de fortalecimento envolvendo CDC e órgãos de defesa da infância e da adolescência Ação capacita atores e permite maior articulação entre envolvidos na área Por Jacione Amaral, psicóloga do CREAS Muitos desafios envolvem os órgãos que trabalham com a área da infância em nosso municipio. O CDC em Ação conversou sobre a situação do Sistema de Garantia dos Direitos (SGD) em Cabo de Santo Agostinho com a secretária do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Maria Marcionila Gomes Carneiro. Ela traça um pa^ norama e fala dos projetos que estão sendo imple^ mentados para fortalecer o setor. Foto: Adriana Mitre/ Oficina de Imagens Reprodução Caderno de Fluxos ABMP ENTREVISTA Quais desafios os órgãos que trabalham com a temática da infância no município enfrentam? As fragilidades identificadas estão relacionadas à necessidade de termos técnicos qualificados para o atendimento de qualidade ao conjunto de direitos humanos. Também há desarticulação dos órgãos que compõem o Sistema de Garantia dos Direitos: ór^ gãos governamentais, sociedade civil organizada, Ministério Público, Poder Judiciário, Polícia, Conse^ lhos de Direito, de Assistência e Tutelar. Qual a importância do projeto de Fortale2 cimento do Sistema de Garantia dos Direi2 tos de Crianças e Adolescentes? O projeto permite a qualificação e ampliação dos ór^ gãos que integram esse sistema como o Conselho Tutelar e o CMDCA, possibilitando elevar sua atu^ ação e cobertura na garantia da integralidade dos direitos humanos do público infanto^juvenil. Como surgiu esse projeto? O fortalecimento do SGD é uma das ações prioritári^ as no Plano de Ação do CMDCA. No ano passado houve uma reunião com representantes do Instituto Camargo Corrêa. Nela fizemos um levantamento das ações e projetos realizados pela Secretaria Mu^ nicipal de Programas Sociais e da Mulher e pelo " O projeto permite a qualificação e ampliaçao dos órgãos" CMDCA em prol das crianças deste município e ficou evidenciado que o SGD necessita de um trabalho pa^ ra a melhoria de suas ações. Quais são ações de atendimento às criança e adolescentes do município hoje? No programa de atenção à criança são atendidas crianças por mês. Elas são cuidadas por seis instituições envolvidas e também pela Casa Abrigo Recanto da Criança. O Bolsa Família beneficia 1 9,6 mil famílias. Temos também o programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Infanto^Juvenil que atende crianças de 3 a 1 2 anos. O Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) se destina às crianças de 7 a 1 1 anos e atende a crianças da zona urbana e rural. No Programa Municipal Cabo^ Criança atendemos 503 crianças e adolescentes, no Projeto Camarada, 306, e temos ainda o Projeto Mu^ nicipal Centro da Juventude. 5

6 EXPRESSÃO Combate ao abuso e à exploração sexual mobiliza população de Cabo de Santo Agostinho Milhares se reuniram para debater o assunto no mês de maio; blog vira canal de informação e denúncia Foto: Instituto Camargo Corrêa Por Sterphany Araújo, advogada do CREAS Caminhada contra abuso e exploração sexual, em Cabo de Santo Agostinho, reuniu pais e estudantes no dia 1 8 de maio Em 1 8 de maio de 1 973, a menina Araceli Cabrera Crespo desapareceu da escola onde estudava em Vitó^ ria (ES). O sofrimento da menina, que foi violenta da, submetida ao uso de drogas e morta, transformou^se em símbolo da luta contra a violência. Em maio de 2000, uma lei instituiu a data 1 8 de maio como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Em 201 1, durante a campanha de conscientização do dia 1 8 de maio, a Secretaria Municipal de Programas Sociais divulgou uma nova ferramenta de combate à violência. O blog Novo Sentido é um canal de comuni^ cação para a troca de informações e realização de de^ núncias de violência sexual contra crianças e adolescentes no município. Técnicos do Centro de Referência Especializado de As^ sistência Social (Creas) em parceria com os Conselhos Tutelares e o Conselho Municipal dos Direitos da Cri^ ança e do Adolescente (CMDCA), estarão diariamente à disposição dos internautas para responder a questio^ namentos, trocar informações e receber denúncias. 6 O CMDCA, em parceria com a prefeitura, movimen^ tou vários segmentos da sociedade cabense durante a semana do dia 1 8 de maio. Houve panfletagem, divulgação das ações municipais para prevenção do abuso e exploração e discussão da importância da participação da sociedade. O tema ganhou espaço em programas de rádio, palestras em escolas e foi motivo de uma grande caminhada em defesa das crianças e adolescentes. Na quarta^feira, 1 8 de maio, a Secretaria de Progra^ mas Sociais reuniu, no Teatro Barreto Júnior, crian^ ças e jovens de 27 escolas municipais, que participaram de apresentações de grupos musicais, de dança, e da discussão para o fortalecimento e le^ gitimação do Plano Municipal de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, que está sendo implementado no município neste ano. >>Serviço Acesse o blog através do site da Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho (www.cabo.pe.gov.br) ou no endereço

7 ARTIGO A importância da sociedade civil para o fortalecimento do Comitê de Desenvolvimento Comunitário Consolidação do grupo depende do envolvimento de novos parceiros com poder público e empresa Por Roberto Vieira de Lira, coordenador do Sarte (Saúde, Arte e Educação) da Secretaria de Saúde O Comitê de Desenvolvimento Comunitário (CDC) é uma metodologia de ação para implementação dos projetos do programa Infância Ideal, proposta pelo Instituto Camargo Corrêa. A configuração do CDC reúne a troca de olhares e saberes, integrando funcionários voluntários do Gru^ po Camargo Corrêa, secretarias municipais de go^ verno e sociedade civil. Esse espaço privilegiado de construção coletiva de co^ nhecimento deve ser constantemente fortaleci^ do para o aprimoramento da qualidade dos projetos desenvolvidos, com foco em educação e cuidados. Mas para que de fato o CDC seja um coletivo, te^ mos que proporcionar aos atores sociais e políticos envolvidos o sentimento de pertencimento e co^ gestão. Se por um lado a responsabilidade social das empresas do Grupo Camargo Corrêa articula o poder público, por outro como fica o empoderamento das organizações soci^ ais voltadas para os direitos da infância? Esse cená^ rio só tem sentido com a efetiva participação da sociedade civil. No caso do Cabo de Santo Agostinho, agregar lide^ ranças e pessoas comprometidas em seus diversos segmentos é desafiador. Seja por tensões na estrutu^ ra das instituições, seja pelo poder de articulação que o CDC ainda está construindo. Mas devemos ver os desafios como facetas instigantes de um projeto sonho por um viver melhor. Os movimentos sociais no Brasil são fruto de contex^ tos históricos e sociais. Pernambuco tem uma partici^ pação muito atuante na construção dos marcos^lógicos para efetivação das políticas públicas do país. Nesse contexto, Cabo de Santo Agostinho não é mero coadjuvante, mas um município presente em diversos momentos da história para construção da cidadania. Com várias instituições que são refe^ rência nos seus segmentos/movimentos e um con^ trole social instituído em Intervenção sobre imagem de arquivo vários setores dos direitos humanos e sociais. Se o ICC pensa em rede, em Rede dos Municípios pelos Direitos da Infância, para o fortalecimento do CDC não descartaremos o empoderamento das orga^ nizações sociais atores fundamentais nesse pro^ cesso. Nos movimentos em redes as estruturas não podem se dissolver. Uma organização em rede requer distribuição e democratização dos centros de poder. O poder se redistribui, dialoga afirmando sua identidade e vocação com seus pares: ONGs, conse^ lhos, lideranças, ativistas... Todos transversalizando ideias em torno do que é comunitário, do que é pú^ blico, para um desenvolvimento saudável para as fu^ turas gerações. O fortalecimento do CDC está diretamente ligado à efetiva participação de todos os atores envolvidos na forma da gestão solidária e corresponsável. Afi^ nal, a construção da teia pelo direito a uma infância digna é uma construção coletiva. 7

8 Primeira reunião do CDC Cabo, em encontro realizado em feveiro de 2009 ANOTE AÍ >>CONFERÊNCIAS: Alguns conselhos nacionais de políticas públicas já definiram as datas de suas conferências, espaços participativos para se discutir diretrizes de suas áreas: ^ Infância e Adolescência Conferências Municipais: agosto a novembro de Conferências Estaduais: fevereiro a maio de Conferência Nacional: 1 1 a 1 4 de julho de ^ Assistência Social Conferências Estaduais: até 1 4 de outubro de Conferência Nacional: 7 a 1 0 de dezembro de ^ Políticas Públicas de Juventude Conferência Nacional: 8 a 1 1 de setembro de Realização: Parceria: 8 Foto: Arquivo CDC REGISTRO EXPRESSÃO Novas regras para Conselhos Tutelares O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Co^ nanda) publicou uma nova diretriz em março, a Resolução nº Seu objetivo é regularizar e esta^ belecer novas normas para a cria^ ção e funcionamento de Conselhos Tutelares ainda precários ou ine^ xistentes em vários municípios brasileiros. O documento prevê que na lei or^ çamentária de cada município ha^ ja uma dotação específica para o custeio do Conselho Tutelar. A par^ tir de agora, os Conselhos também devem construir um regimento in^ terno que deverá ser apreciado pe^ lo Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente. A Resolução ainda sugere que os municípios se atentem para a pro^ porção mínima de um Conselho Tutelar para cada 1 00 mil habitan^ tes, na busca de se manter a equi^ dade de acesso ao público atendido. INTERCEMENT A Camargo Corrêa Cimentos está com uma nova identidade e passa a ser denominada InterCement. Com mais de 1 6 fábricas e cinco mil profissionais, a empresa está presente no Brasil e na Argentina com as marcas Cauê, Cimento Brasil e Loma Negra, que serão mantidas. Este boletim é parte do projeto CDC Comunica, realizado pelo Instituto Camargo Corrêa (ICC) em parceria com a Oficina de Imagens. O CDC do Cabo de Santo Agostinho faz parte da estratégia de implantação dos programas sociais do ICC. Informações:

Edição I ^ Ano I ^ Julho de 201 1

Edição I ^ Ano I ^ Julho de 201 1 Edição I ^ Ano I ^ Julho de 201 1 D e b ra ç o s a b e r to s CDC Instituto Camargo Corrêa traz articulação inovadora na área da infância e adolescência pág. 5 Fluxos operacionais Metodologia ajuda a enfrentar

Leia mais

em ação Edição VI Ano III Março de 2013 Nas cores da infância

em ação Edição VI Ano III Março de 2013 Nas cores da infância em ação Edição VI Ano III Março de 2013 Nas cores da infância 1 editorial Por Beto Vieira, do Sarte Fique Ligado Assistência técnica aos agricultores Por Jesaias de França, Diretor Executivo Coobtec mata

Leia mais

Edição 1 - Ano 1 - Setembro de 201 1

Edição 1 - Ano 1 - Setembro de 201 1 Edição 1 - Ano 1 - Setembro de 201 1 Uma nova infância Poder público, sociedade civil e InterCement juntos na defesa dos direitos das crianças em Ijaci EDITORIAL A informação chega até você! COLUNA DA

Leia mais

Fortalecimento Comitê de Desenvolvimento Comunitário inicia parceria com jovens do Futuro Ideal pág. 3

Fortalecimento Comitê de Desenvolvimento Comunitário inicia parceria com jovens do Futuro Ideal pág. 3 Edição II \ Ano I \ Outubro 201 1de 201 1 Edição I \ Ano I de \ Julho Bem fa zer e i n t e g ra ç ã o Participação social direitos A importância das conferências para a garantia de políticas públicas para

Leia mais

Envolver. Edição V Ano II Outubro de 2012. Um caso. de sucesso

Envolver. Edição V Ano II Outubro de 2012. Um caso. de sucesso Envolver Edição V Ano II Outubro de 2012 Um caso de sucesso 1 editorial primeiras letras O ano de 2012 vai chegando ao fim com boas notícias para Pedro Leopoldo. As várias ações de investimento social

Leia mais

em ação Pela primeira infância Edição XI Ano IV Maio de 2015

em ação Pela primeira infância Edição XI Ano IV Maio de 2015 em ação Edição XI Ano IV Maio de 2015 Pela primeira infância 1 editorial Semana do Bebê Este ano, Cabo de Santo Agostinho realiza a sua 3ª Semana do Bebê (p.3) e o boletim CDC em ação está recheado de

Leia mais

em ação Cuidando das nossas crianças Edição IX Ano III Maio de 2014

em ação Cuidando das nossas crianças Edição IX Ano III Maio de 2014 em ação Edição IX Ano III Maio de 2014 Cuidando das nossas crianças 1 editorial Por Beto Vieira, Coordenador de Educação em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde Semana do Bebê É muito simbólico retornar

Leia mais

em ação Tocando os direitos Edição X Ano III Novembro de 2014

em ação Tocando os direitos Edição X Ano III Novembro de 2014 em ação Edição X Ano III Novembro de 2014 Tocando os direitos 1 editorial Os cuidados com a gestante e o bebê desde o início da gravidez são essenciais para o desenvolvimento da criança. Por isso, nesta

Leia mais

Edição III - Ano I - Dezembro de 201 1

Edição III - Ano I - Dezembro de 201 1 Edição III - Ano I - Dezembro de 201 1 Novos olhares EDITORIAL Santana do Paraíso termina 201 1 com um novo olhar para a infância e a adolescência. Acreditamos que isso se deve a uma forte contribuição

Leia mais

interação coletivo Trabalho Edição VI Ano II Dezembro de 2012

interação coletivo Trabalho Edição VI Ano II Dezembro de 2012 interação Edição VI Ano II Dezembro de 2012 Trabalho coletivo 1 editorial Por Renata de Aquino, da Secretaria de Assistência Social Neste último Boletim Interação do ano de 2012, sentimos que mais uma

Leia mais

Seminário Rede de Cidades pela Defesa dos Direitos da Infância - 201 1. Cidades. em conexão

Seminário Rede de Cidades pela Defesa dos Direitos da Infância - 201 1. Cidades. em conexão Seminário Rede de Cidades pela Defesa dos Direitos da Infância - 201 1 Cidades em conexão EDITORIAL Todos juntos Nos dias 21 a 24 de setembro, na cidade de Guararema, São Paulo, foi realizado o 4º Seminário

Leia mais

CDC. De olho. no Futuro. em foco. Edição VII Ano III Agosto de 2013

CDC. De olho. no Futuro. em foco. Edição VII Ano III Agosto de 2013 CDC em foco Edição VII Ano III Agosto de 2013 De olho no Futuro 1 editorial A segunda edição do boletim CDC em Foco deste ano traz novidades e relembra ações que contribuíram para a melhoria da qualidade

Leia mais

Os Atores do Sistema de Garantia aos Direitos da Criança e do Adolescente e o Significado do Controle Social

Os Atores do Sistema de Garantia aos Direitos da Criança e do Adolescente e o Significado do Controle Social Os Atores do Sistema de Garantia aos Direitos da Criança e do Adolescente e o Significado do Controle Social INGRID CATARINA SOLEDADE CALASANS ingridcalasans@gmail.com ARYADNE MARTINS SOARES BOHRER aryadneadv@gmail.com

Leia mais

Mobiliza CDC. Edição II Ano II Junho de 2015. Magia. da infância

Mobiliza CDC. Edição II Ano II Junho de 2015. Magia. da infância Mobiliza CDC Edição II Ano II Junho de 2015 Magia da infância 1 editorial No ano passado, Bodoquena instituiu a Semana do Bebê como lei no município (p. 3), então, este ano, mais uma semana repleta de

Leia mais

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS 8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS DOCUMENTO FINAL EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Ações de mobilização: 1. Ampla mobilização, por

Leia mais

interação brincar Tempo de Edição VII Ano III Maio de 2013

interação brincar Tempo de Edição VII Ano III Maio de 2013 interação Edição VII Ano III Maio de 2013 Tempo de brincar 1 editorial Por Eliana Fiorentino Ordonhes, cedecista de Jacareí O Estatuto da Criança e do Adolescente enfatiza a importância da educação, um

Leia mais

Paraíso. Nos passos. da educação. em foco. Edição VI Ano II Dezembro de 2012

Paraíso. Nos passos. da educação. em foco. Edição VI Ano II Dezembro de 2012 Paraíso em foco Edição VI Ano II Dezembro de 2012 Nos passos da educação 1 editorial primeiras letras O boletim Paraíso em Foco encerra o ano falando de muitos projetos importantes desenvolvidos pelo Comitê

Leia mais

Edição IV - Ano II - Abril de 201 2

Edição IV - Ano II - Abril de 201 2 Edição IV - Ano II - Abril de 201 2 Olhar para o futuro Trabalho coletivo Parceria estimula a formação de rede de atendimento a crianças e adolescentes pág. 3 Escola Ideal Programa traça diagnóstico e

Leia mais

O Desafio da Implementação das Políticas Transversais

O Desafio da Implementação das Políticas Transversais O Desafio da Implementação das Políticas Transversais Professora: Juliana Petrocelli Período: Novembro de 2013 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS SECRETARIA NACIONAL DE PROMOÇÃO DOS

Leia mais

em ação Edição V Ano II Outubro de 2012 Com carinho

em ação Edição V Ano II Outubro de 2012 Com carinho em ação Edição V Ano II Outubro de 2012 Com carinho 1 Um Click - Futuro Ideal Foto: Instituto Camargo Corrêa O ICC promoveu, em junho, o IV Seminário Futuro Ideal. O encontro ocorreu em Belo Horizonte

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO PEDREGAL PROJETO OFICINA ESCOLA

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO PEDREGAL PROJETO OFICINA ESCOLA Relatório das Ações Desenvolvidas pelo Projeto Oficina Escola 1. Apresentação Companheiros (as) da Associação Tremembé estamos concluindo mais um ano missão e com isso somos convidados (as) a socializar

Leia mais

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis PARÂMETROS PARA A CONSTITUIÇÃO DAS COMISSÕES INTERSETORIAIS DE ACOMPANHAMENTO DO PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO, PROTEÇÃO E DEFESA DO DIREITO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA

Leia mais

Você precisa. saber. Edição IV Ano II Dezembro de 2012. No balanço. Outras cores. da educação. na cidade

Você precisa. saber. Edição IV Ano II Dezembro de 2012. No balanço. Outras cores. da educação. na cidade Você precisa saber Edição IV Ano II Dezembro de 2012 No balanço Outras cores da educação na cidade 1 editorial primeiras letras O CDC Ijaci finaliza o ano falando de um assunto muito importante no boletim

Leia mais

CDC. Unidos. pela infância. em foco. Edição VIII Ano III Dezembro de 2013

CDC. Unidos. pela infância. em foco. Edição VIII Ano III Dezembro de 2013 CDC em foco Edição VIII Ano III Dezembro de 2013 Unidos pela infância 1 editorial O mês de novembro foi especial para Apiaí! Realizamos nossa primeira Semana do Bebê, com muitas atividades entre os dias

Leia mais

EIXO 2 PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS: PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS

EIXO 2 PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS: PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS EIXO 2 PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS: PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS Garantir a elaboração e implementação da Política e do Plano Decenal de Direitos Humanos de Criança e Adolescente

Leia mais

PLANO DE AÇÃO E DE APLICAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE REDE CARDUME GUARUJÁ SÃO PAULO

PLANO DE AÇÃO E DE APLICAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE REDE CARDUME GUARUJÁ SÃO PAULO PLANO DE AÇÃO E DE APLICAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE REDE CARDUME GUARUJÁ SÃO PAULO ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 LINHAS DE AÇÃO... 4 AÇÕES ESPECÍFICAS... 5 CAMPANHAS... 6

Leia mais

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2008 CAMPANHA * COMPROMISSO PELA CRIANÇA E PELO ADOLESCENTE

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2008 CAMPANHA * COMPROMISSO PELA CRIANÇA E PELO ADOLESCENTE ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2008 CAMPANHA * COMPROMISSO PELA CRIANÇA E PELO ADOLESCENTE Carta Aberta aos candidatos e candidatas às Prefeituras e Câmaras Municipais: Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos,

Leia mais

A ponte. Entre lutas. e conquistas. Pela proteção dos direitos de crianças e adolescentes. Edição I Ano I Julho de 2013

A ponte. Entre lutas. e conquistas. Pela proteção dos direitos de crianças e adolescentes. Edição I Ano I Julho de 2013 A ponte Pela proteção dos direitos de crianças e adolescentes Edição I Ano I Julho de 2013 Entre lutas e conquistas 1 editorial Olá, leitor! Você está recebendo a primeira edição do boletim A ponte pela

Leia mais

O tempo da cinfância. CDC Instituto Camargo Corrêa traz articulação inovadora na área da infância e adolescência pág. 3

O tempo da cinfância. CDC Instituto Camargo Corrêa traz articulação inovadora na área da infância e adolescência pág. 3 Edição I Y IAno I Y IJulho dede 201201 1 1 Edição Y Ano Y Julho O tempo é Troca r a da cinfância hamada CDC Instituto Camargo Corrêa traz articulação inovadora na área da infância e adolescência pág. 3

Leia mais

em ação Edição VII Ano III Julho de 2013 No ritmo da cultura

em ação Edição VII Ano III Julho de 2013 No ritmo da cultura em ação Edição VII Ano III Julho de 2013 No ritmo da cultura 1 editorial Por Beto Vieira, do Sarte Fique Ligado 18 de Maio Por Marilia Melo, da InterCement Julho é mês de férias da criançada, tempo de

Leia mais

É TEMPO DE CONSTRUIR A 9 a CONFERÊNCIA

É TEMPO DE CONSTRUIR A 9 a CONFERÊNCIA 09 BOLETIM INFORMATIVO DO PROGRAMA NOVAS ALIANÇAS n SETEMBRO DE 2011 vas ALIANÇAS Conferências dos Direitos da Criança e do Adolescente vão reunir representantes do SGD e da população em geral. Objetivo

Leia mais

Paraíso. Em cena. Toques da infância. em foco. Edição X Ano III Maio de 2014

Paraíso. Em cena. Toques da infância. em foco. Edição X Ano III Maio de 2014 Paraíso em foco Edição X Ano III Maio de 2014 Em cena Toques da infância 1 editorial O primeiro Paraíso em Foco do ano traz muitas informações importantes! Você já deve ter ouvido falar da campanha de

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS, DISTRITAL E ESTADUAIS DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE GUIA NÚMERO 1

ORIENTAÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS, DISTRITAL E ESTADUAIS DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE GUIA NÚMERO 1 ORIENTAÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS, DISTRITAL E ESTADUAIS DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE GUIA NÚMERO 1 SUMÁRIO Apresentação 03 Tema 06 Objetivos 06 Cronograma de realização

Leia mais

Histórico Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS) agosto de 2010 no Recife Transformando a sociedade a partir da igreja local

Histórico Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS) agosto de 2010 no Recife Transformando a sociedade a partir da igreja local Histórico Esta campanha tem sua origem no contexto do V Encontro Nacional da Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS) em agosto de 2010 no Recife PE. Nessa ocasião, o enfoque do evento foi: Transformando

Leia mais

Política Nacional sobre Drogas e o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Crack, é possível vencer. SALVADOR/BA ABRIL de 2012

Política Nacional sobre Drogas e o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Crack, é possível vencer. SALVADOR/BA ABRIL de 2012 Política Nacional sobre Drogas e o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Crack, é possível vencer SALVADOR/BA ABRIL de 2012 MARCOS HISTÓRICOS 1998: Adesão do Brasil aos princípios diretivos

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

em ação Festa para os pequenos Edição VIII Ano III Dezembro de 2013

em ação Festa para os pequenos Edição VIII Ano III Dezembro de 2013 em ação Edição VIII Ano III Dezembro de 2013 Festa para os pequenos 1 editorial Por Beto Vieira, do Sarte Eu queria avançar para o começo. Chegar ao criançamento das palavras. Lá onde elas ainda urinam

Leia mais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos, 18 Compromissos A criança e o adolescente no centro da gestão municipal O Estatuto

Leia mais

A Política Nacional de Assistência Social na Perspectiva do Sistema Único - SUAS

A Política Nacional de Assistência Social na Perspectiva do Sistema Único - SUAS A Política Nacional de Assistência Social na Perspectiva do Sistema Único - SUAS Deliberação da IV Conferência Nacional; Garantia de acesso aos direitos socioassistenciais; Modelo democrático e descentralizado

Leia mais

Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos. Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO

Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos. Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO Relatório Consolidado Programa de Fortalecimento e Barro Alto -

Leia mais

ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA

ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA Área Temática: Direitos Humanos e Justiça Liza Holzmann (Coordenadora da Ação de Extensão) Liza Holzmann 1 Palavras Chave:

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Projovem em Ação

Mostra de Projetos 2011. Projovem em Ação Mostra de Projetos 2011 Projovem em Ação Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Prefeitura Municipal Santa Cecilia

Leia mais

Centro de Criação de Imagem Popular Largo de São Francisco de Paula, 34 / 4º andar 20.051-070070 Rio de Janeiro RJ Tel./ Fax.: (21) 2509.3812 cecip@cecip.org.br www.cecip.org.br Nossa missão Contribuir

Leia mais

como Política Pública de Estado

como Política Pública de Estado como Política Pública de Estado Brasil 27 estados 5.565 municipios 190 milhoes ha 60 milhoes de 0 a 18 anos. Constituicao Federal de 1988 Art. 227. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar

Leia mais

Relatório do 1º Seminário Regional da Rede de Atenção à Criança e ao Adolescente em Situação de Rua - Região Norte Manaus.

Relatório do 1º Seminário Regional da Rede de Atenção à Criança e ao Adolescente em Situação de Rua - Região Norte Manaus. Relatório do 1º Seminário Regional da Rede de Atenção à Criança e ao Adolescente em Situação de Rua - Região Norte Manaus. 1. Resumo Descritivo Data: 31 de outubro de 2013. Local: Assembleia Legislativa

Leia mais

PROJETO Construção da sede do Conselho Tutelar de Cachoeira Alta Proponente: Prefeitura Municipal de Cachoeira de Alta Fevereiro 2015

PROJETO Construção da sede do Conselho Tutelar de Cachoeira Alta Proponente: Prefeitura Municipal de Cachoeira de Alta Fevereiro 2015 PROJETO Construção da sede do Conselho Tutelar de Cachoeira Alta Proponente: Prefeitura Municipal de Cachoeira de Alta Fevereiro 2015 Página 1 de 11 SUMÁRIO 1. Resumo do projeto... 3 2. Em que realidade

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES PAIR

PROGRAMA NACIONAL DE ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES PAIR Presidência da República Secretaria de Direitos Humanos Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente Departamento de Políticas Temáticas dos Direitos da Criança e do Adolescente

Leia mais

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social PAPÉIS COMPETÊNCIAS

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social PAPÉIS COMPETÊNCIAS PAPÉIS E COMPETÊNCIAS O SERVIÇO PSICOSSOCIAL NO CREAS... O atendimento psicossocial no serviço é efetuar e garantir o atendimento especializado (brasil,2006). Os profissionais envolvidos no atendimento

Leia mais

Eixos do Plano de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes do Município de Palmas

Eixos do Plano de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes do Município de Palmas Eixos do Plano de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes do Município de Palmas Período de execução 2015/2019 EIXO PREVENÇÃO EIXO - PREVENÇÃO Objetivo: Assegurar ações preventivas

Leia mais

EDITORIAL EXPRESSÃO. Retrospectiva 201 1

EDITORIAL EXPRESSÃO. Retrospectiva 201 1 Edição III Z Edição Ano I Z IDezembro de 201 Z Ano I Z Julho de1 201 1 Bem fa zer e i n t e g ra ç ã o Am p l i a n d o p e r s p e c t i va s EDITORIAL EXPRESSÃO Por Suely Porto Leão, da Secretaria Municipal

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos Atores do Sistema de Garantia de Direitos participantes das Oficinas em São Paulo

RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos Atores do Sistema de Garantia de Direitos participantes das Oficinas em São Paulo RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos Atores do Sistema de Garantia de Direitos participantes das Oficinas em São Paulo APRESENTAÇÃO A SaferNet Brasil é uma associação civil de direito privado, com

Leia mais

Políticas Públicas Sobre Drogas, Um Compromisso de Todos! Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente)

Políticas Públicas Sobre Drogas, Um Compromisso de Todos! Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Políticas Públicas Sobre Drogas, Um Compromisso de Todos! Mostra Local de: Piraí do Sul Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Prefeitura

Leia mais

FORTALECENDO E ARTICULANDO A REDE DE ATENÇÃO A CRIANÇA E O ADOLESCENTE

FORTALECENDO E ARTICULANDO A REDE DE ATENÇÃO A CRIANÇA E O ADOLESCENTE FORTALECENDO E ARTICULANDO A REDE DE ATENÇÃO A CRIANÇA E O ADOLESCENTE Fazer laços é ligar, entrelaçar o que está separado. Literal e metaforicamente falando. A inclusão do trabalho sobre o tema da sexualidade

Leia mais

Envolver. Ao som da infância. Diversão, Cultura e Arte. Edição VIII Ano III Dezembro de 2013

Envolver. Ao som da infância. Diversão, Cultura e Arte. Edição VIII Ano III Dezembro de 2013 Envolver Edição VIII Ano III Dezembro de 2013 Ao som da infância Diversão, Cultura e Arte 1 editorial primeiras letras O último Envolver do ano chega cheio de novidades e ações, principalmente voltadas

Leia mais

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes.

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes. Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes. Crescendo junto com o Brasil. Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente Secretaria

Leia mais

EDUCAÇÃO NÃO FORMAL NA CONCEPÇÃO DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS: UM UNIVERSO AINDA DESCONHECIDO

EDUCAÇÃO NÃO FORMAL NA CONCEPÇÃO DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS: UM UNIVERSO AINDA DESCONHECIDO EDUCAÇÃO NÃO FORMAL NA CONCEPÇÃO DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS: UM UNIVERSO AINDA DESCONHECIDO Resumo SANTA CLARA, Cristiane Aparecida Woytichoski de- UEPG-PR cristianesclara@yahoo.com.br PAULA, Ercília Maria

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome PETI. Programa de Erradicação do Trabalho Infantil

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome PETI. Programa de Erradicação do Trabalho Infantil Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome PETI Programa de Erradicação do Trabalho Infantil Brasil livre do trabalho infantil, todos juntos nesse desafio! O Governo Federal e a sociedade brasileira

Leia mais

PENSANDO NA PRÁTICA: AS AÇÕES E ATIVIDADES EXECUTADAS NOS CRAS/CREAS FACILITADORA: INÊS DE MOURA TENÓRIO

PENSANDO NA PRÁTICA: AS AÇÕES E ATIVIDADES EXECUTADAS NOS CRAS/CREAS FACILITADORA: INÊS DE MOURA TENÓRIO a Área da Assistência Social PENSANDO NA PRÁTICA: AS AÇÕES E ATIVIDADES EXECUTADAS NOS CRAS/CREAS FACILITADORA: INÊS DE MOURA TENÓRIO Assistência Social na PNAS Situada como proteção social não contributiva;

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DE JUSTIÇA, DIREITOS HUMANOS E DESENVOLVIMENTO SOCIAL Superintendência de Apoio e Defesa aos Direitos Humanos

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DE JUSTIÇA, DIREITOS HUMANOS E DESENVOLVIMENTO SOCIAL Superintendência de Apoio e Defesa aos Direitos Humanos TERMO DE REFERÊNCIA EDITAL DE SELEÇÃO DE ENTIDADES PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS N /2015: EXECUÇÃO DO PROGRAMA DE PROTEÇÃO A CRIANÇAS E ADOLESCENTES AMEAÇADOS DE MORTE NO ESTADO DA BAHIA (PPCAAM/BA).. 1.

Leia mais

Comunidades preparadas e comprometidas com a superação de seus desafios.

Comunidades preparadas e comprometidas com a superação de seus desafios. Apresentação O Instituto Camargo Corrêa, criado em dezembro de 2000 para orientar o investimento social privado das empresas do Grupo Camargo Corrêa, é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público

Leia mais

PROJETO: ATITUDE POSITIVA ITAPIRAPUÃ GOIÁS

PROJETO: ATITUDE POSITIVA ITAPIRAPUÃ GOIÁS PROJETO: ATITUDE POSITIVA ITAPIRAPUÃ GOIÁS Itapirapuã Goiás, 23 de março de 2010 1 INTRODUÇÃO 2 JUSTIFICATIVA 3 OBJETIVO 3.1 OBJETIVOS GERAIS 3.2 OBJETIVOS ESPECIFICOS 4 AÇÕES 5 RESULTADOS ESPERADOS 6

Leia mais

Edição XI Ano IV Novembro de 2015. Pela. infância

Edição XI Ano IV Novembro de 2015. Pela. infância Edição XI Ano IV Novembro de 2015 Pela infância 1 editorial Por Misael Elias, integrante do CDC O ano de 2015 vai chegando ao fim e demonstra o quanto foi produtivo para o CDC de Pedro Leopoldo. O investimento

Leia mais

PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ

PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ MINISTÉRIO DA SAÚDE IMPACTO DA VIOLÊNCIA NA SAÚDE DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ VOCÊ É A PEÇA PRINCIPAL PARA ENFRENTAR ESTE PROBLEMA Brasília - DF 2008

Leia mais

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2014. Carta Compromisso dos candidatos à Prefeitura Municipal de Americana

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2014. Carta Compromisso dos candidatos à Prefeitura Municipal de Americana ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2014 Carta Compromisso dos candidatos à Prefeitura Municipal de Americana A CRIANÇA E O ADOLESCENTE NO CENTRO DA GESTÃO MUNICIPAL O Estatuto da Criança e do Adolescente ECA (Lei nº

Leia mais

interação Edição XI Ano III Novembro de 2014 A leveza da infância

interação Edição XI Ano III Novembro de 2014 A leveza da infância interação Edição XI Ano III Novembro de 2014 A leveza da infância 1 editorial Por Cidinha Lima, coordenadora do projeto Conquistar Espaços Vamos falar nesta edição do boletim Interação sobre geração de

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN ESPÍRITO SANTO/RN, OUTUBRO DE 2014. FRANCISCO ARAÚJO DE SOUZA PREFEITO MUNICIPAL DE ESPÍRITO SANTO/RN ELIZANGELA FREIRE DE

Leia mais

Proteção Infanto-Juvenil no campo: uma Colheita para o Futuro

Proteção Infanto-Juvenil no campo: uma Colheita para o Futuro Proteção Infanto-Juvenil no campo: uma Colheita para o Futuro A Campanha Nacional pela Proteção Infanto-Juvenil no campo: uma colheita para o futuro, é uma ação estratégica do Movimento Sindical de Trabalhadores

Leia mais

I Oficina com os Estados: Fortalecer a Gestão para Concretizar a Proteção Social

I Oficina com os Estados: Fortalecer a Gestão para Concretizar a Proteção Social I Oficina com os Estados: Fortalecer a Gestão para Concretizar a Proteção Social OFICINAS DO XIV ENCONTRO NACIONAL DO CONGEMAS ENFRENTAMENTO AO TRABALHO INFANTIL NO PLANO BRASIL SEM MISÉRIA Nivia Maria

Leia mais

Edição IVZ Ano II Z Abril de 201 2

Edição IVZ Ano II Z Abril de 201 2 Edição IVZ Ano II Z Abril de 201 2 H i s tó r i a s re d e s e n h a d a s EDITORIAL Para retomar nossos trabalhos com o Comitê de Desenvolvimento Comunitário de Ipojuca, nada melhor do que começar um

Leia mais

FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS. Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília

FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS. Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília Nome do Evento: Fórum Mundial de Direitos Humanos Tema central: Diálogo e Respeito às Diferenças Objetivo: Promover um

Leia mais

GUIA DE SUGESTÕES DE ATIVIDADES SEMANA SAÚDE NA ESCOLA TEMA: PARTICIPAÇÃO JUVENIL/INFANTIL

GUIA DE SUGESTÕES DE ATIVIDADES SEMANA SAÚDE NA ESCOLA TEMA: PARTICIPAÇÃO JUVENIL/INFANTIL MINISTÉRIO DA SAÚDE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GUIA DE SUGESTÕES DE ATIVIDADES SEMANA SAÚDE NA ESCOLA TEMA: PARTICIPAÇÃO JUVENIL/INFANTIL Brasília - DF 2013 GUIA DE SUGESTÕES DE ATIVIDADES SEMANA SAÚDE NA

Leia mais

REGIÃO SUL. Grupo 1 EXPLORAÇÃO SEXUAL Políticas Envolvidas. Assistência Social. Saúde. Segurança pública. Sistema de justiça. Turismo.

REGIÃO SUL. Grupo 1 EXPLORAÇÃO SEXUAL Políticas Envolvidas. Assistência Social. Saúde. Segurança pública. Sistema de justiça. Turismo. REGIÃO SUL Eixos de Atuação 1. Informação e Mobilização Planejamento das Ações Intersetoriais 1.1 Realizar campanhas articuladas entre as políticas para prevenção do turismo sexual (agentes de saúde, professores

Leia mais

Violação dos Direitos da Criança e do Adolescente

Violação dos Direitos da Criança e do Adolescente Vara da Infância e da Juventude do Distrito Federal Violação dos Direitos da Criança e do Adolescente Conceito Onde denunciar Procedimentos Renato Rodovalho Scussel Juiz de Direito Simone Costa Resende

Leia mais

O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968

O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968 O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968 Com a Constituição Federal de 1988, a Assistência Social passa

Leia mais

CARTA ABERTA DE INTENÇÕES DO II ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS PARA COORDENAÇÃO DO ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO AO ADOLESCENTE EM CASA

CARTA ABERTA DE INTENÇÕES DO II ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS PARA COORDENAÇÃO DO ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO AO ADOLESCENTE EM CASA CARTA ABERTA DE INTENÇÕES DO II ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS PARA COORDEN DO ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO AO ADOLESCENTE EM CASA Aos trinta dias do mês de novembro do ano de dois mil e sete, reuniram-se no município

Leia mais

Espaço Criança Esperança São Paulo CEE Oswaldo Brandão

Espaço Criança Esperança São Paulo CEE Oswaldo Brandão Espaço Criança Esperança São Paulo CEE Oswaldo Brandão OS RECURSOS FINANCEIROS DO ESPAÇO CRIANÇA ESPERANÇA TV GLOBO realiza CAMPANHA CRIANÇA ESPERANÇA com programa na TV UNESCO recebe DOAÇÃO e apóia diferentes

Leia mais

CDC. Cuidados. na infância. em foco. Edição XI Ano IV Maio de 2015

CDC. Cuidados. na infância. em foco. Edição XI Ano IV Maio de 2015 CDC em foco Edição XI Ano IV Maio de 2015 Cuidados na infância 1 editorial Mais uma Semana do Bebê está chegando em Apiaí e Itaoca. E é claro que não podíamos deixar esse encontro passar batido! Na 11º

Leia mais

Você precisa. saber. Edição V Ano III Abril de 2013. Colhendo frutos 1

Você precisa. saber. Edição V Ano III Abril de 2013. Colhendo frutos 1 Você precisa saber Edição V Ano III Abril de 2013 Colhendo frutos 1 editorial O município de Ijaci já começou o ano com boas ideias, novidades e continuidade para as ações que fizeram a diferença em 2012.

Leia mais

CANDIDATOS DA MICRORREGIÃO 2

CANDIDATOS DA MICRORREGIÃO 2 CANDIDATOS DA MICRORREGIÃO 2 Nome de urna: Elda Clavé Número: 2413 - Exerceu o cargo de Conselheira Tutelar Substituta; - Membro da Rede de Leitura para Crianças em Bibliotecas Comunitárias; - Serviço

Leia mais

Rede Solidária Anjos do Amanhã

Rede Solidária Anjos do Amanhã Vara da Infância e da Juventude do Distrito Federal Rede Solidária Anjos do Amanhã Voluntariado Beneficiando crianças e adolescentes com direitos violados Como funciona a Rede Solidária Como se tornar

Leia mais

RESOLUÇÃO CONJUNTA CNAS/CONANDA Nº 001 DE 09 DE JUNHO DE 2010

RESOLUÇÃO CONJUNTA CNAS/CONANDA Nº 001 DE 09 DE JUNHO DE 2010 RESOLUÇÃO CONJUNTA CNAS/CONANDA Nº 001 DE 09 DE JUNHO DE 2010 Estabelece parâmetros para orientar a constituição, no âmbito dos Estados, Municípios e Distrito Federal, de Comissões Intersetoriais de Convivência

Leia mais

ANEXO II CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA APOIO E/ OU IMPLANTAÇÃO DE ÓRGÃOS COLEGIADOS E APOIO A FÓRUNS E REDES

ANEXO II CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA APOIO E/ OU IMPLANTAÇÃO DE ÓRGÃOS COLEGIADOS E APOIO A FÓRUNS E REDES ANEXO II CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA APOIO E/ OU IMPLANTAÇÃO DE ÓRGÃOS COLEGIADOS E APOIO A FÓRUNS E REDES I ÁREAS DE INTERESSE Criança e Adolescente Apoio aos Fóruns, Comitês, Associações

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL O Instituto Guma é uma organização sem fins lucrativos, qualificada como OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), formada por pessoas com sensibilidade social

Leia mais

e você Edição VI Ano III Abril de 2013 Costurando o futuro

e você Edição VI Ano III Abril de 2013 Costurando o futuro e você Edição VI Ano III Abril de 2013 Costurando o futuro 1 editorial O CDC Ipojuca começou bem o ano de 2013! Muitas ações estão planejadas para este ano que está apenas começando. O Boletim CDC e Você

Leia mais

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE MARANGUAPE-CE

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE MARANGUAPE-CE EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE MARANGUAPE-CE EDITAL N 20/2015 1. INTRODUÇÃO A ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE LUZIA LOPES GADÊLHA, por meio do Termo Convênio nº 05/2015, como parte integrante

Leia mais

PROJETO REDE ITINERANTE CONTRA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA DIVULGAÇÃO E MEMORIAL FOTOGRÁFICO DO PROJETO

PROJETO REDE ITINERANTE CONTRA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA DIVULGAÇÃO E MEMORIAL FOTOGRÁFICO DO PROJETO Veículo: Site Institucional do Ministério Público do Pará http://www.mppa.mp.br/index.php?action=menu.interna&id=4963&class=n Principal SANTARÉM: Rede itinerante de serviços de combate à violência doméstica

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE

PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE APRESENTAÇÃO: A violência sexual contra a criança e o adolescente tem sido um problema de difícil enfrentamento por

Leia mais

Câmara Municipal de Uberaba A Comunidade em Ação LEI Nº 7.904

Câmara Municipal de Uberaba A Comunidade em Ação LEI Nº 7.904 A Comunidade em Ação LEI Nº 7.904 Disciplina a Política Municipal de Enfrentamento à Violência Sexual e dá outras providências. O Povo do Município de Uberaba, Estado de Minas Gerais, por seus representantes

Leia mais

Ações de Pactuação do Juventude Viva para a Paraíba

Ações de Pactuação do Juventude Viva para a Paraíba Ações de Pactuação do Juventude Viva para a Paraíba O Plano de Prevenção à Violência contra a Juventude Negra - Juventude Viva é uma iniciativa do Governo Federal e conta com a participação de 11 ministérios.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE FUNDAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE FUNDAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE FUNDAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA 1 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PROJETO TÉCNICO: ACESSUAS TRABALHO / PRONATEC EQUIPE RESPONSÁVEL: Proteção Social Básica PERÍODO: Setembro

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Projeto de Implantação da Rede de Proteção Social de Araucária

Mostra de Projetos 2011. Projeto de Implantação da Rede de Proteção Social de Araucária Mostra de Projetos 2011 Projeto de Implantação da Rede de Proteção Social de Araucária Mostra Local de: Araucária. Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa:

Leia mais

CARTA DA BAHIA. Tema: ENFRENTAMENTO AO ABUSO E A EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

CARTA DA BAHIA. Tema: ENFRENTAMENTO AO ABUSO E A EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES CARTA DA BAHIA O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente- CONANDA, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Federal no 8.242, de 12 de outubro de 1991, e pelo seu Regimento

Leia mais

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes Mostrando que a proteção de nossas crianças e adolescentes também está em fase de crescimento Subsecretaria de Promoção

Leia mais

Transmissão do HIV/aids e sífilis de mães para seus bebês

Transmissão do HIV/aids e sífilis de mães para seus bebês 09 dezembro de 2010 Transmissão do HIV/aids e sífilis de mães para seus bebês Mais da metade das novas infecções pelo HIV/aids que ocorrem no Brasil atinge adolescentes e jovens com idade entre 15 e 24

Leia mais

Articular o Conselho Escolar, os Grêmios Estudantis, os trabalhadores de educação, as Associações de Pais e Mestres e a comunidade em geral.

Articular o Conselho Escolar, os Grêmios Estudantis, os trabalhadores de educação, as Associações de Pais e Mestres e a comunidade em geral. EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Garantir a elaboração e implementação da Política e do Plano Decenal de Direitos Humanos de Criança e Adolescente nos âmbitos federal, estadual,

Leia mais

Breve Cronologia das Ações

Breve Cronologia das Ações A ECPAT nasce como campanha de mobilização contra o turismo sexual nos países asiáticos e, a partir de 1995, torna-se referência mundial no combate à exploração sexual comercial, à pornografia e ao tráfico

Leia mais

A PROGRAMAÇÃO DA MOBILIZAÇÃO PARA O 18 DE MAIO - DIA NACIONAL DE COMBATE AO ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇA E ADOLESCENTE.

A PROGRAMAÇÃO DA MOBILIZAÇÃO PARA O 18 DE MAIO - DIA NACIONAL DE COMBATE AO ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇA E ADOLESCENTE. A PROGRAMAÇÃO DA MOBILIZAÇÃO PARA O 18 DE MAIO - DIA NACIONAL DE COMBATE AO ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇA E ADOLESCENTE. O 18 de Maio foi instituído pela Lei Federal No. n. º 9970/00 como do Dia

Leia mais

CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável Missão:

CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável Missão: O CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável, é uma Instituição Social Sem Fins Lucrativos, de Utilidade Pública Federal, fundada em 1998, com sede na cidade do Rio de

Leia mais