O ESTATUTO DO IDOSO E O ATENDIMENTO PÚBLICO NO MUNICÍPIO DE TOLEDO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O ESTATUTO DO IDOSO E O ATENDIMENTO PÚBLICO NO MUNICÍPIO DE TOLEDO"

Transcrição

1 O ESTATUTO DO IDOSO E O ATENDIMENTO PÚBLICO NO MUNICÍPIO DE TOLEDO Karina Aparecida Feliciano da Silva ¹ Veronica Mareth ² Roseli Odorizzi ³ INTRODUÇÃO: No Estatuto do idoso (Lei , de outubro de 2003), estabelece que os direitos sociais são assegurados às pessoas com idade igual ou superior a sessenta anos e que tem como objetivo promover a inclusão social do idoso; garantir e ampliar os direitos dos cidadãos idosos; promove o reconhecimento e a regulamentação das garantias sociais, a plena cidadania do idoso e para acabar com o preconceito e os maus tratos sofridos por eles e, ainda, para reduzir as desigualdades sociais e promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação. Podemos considerar que o Estatuto é bem mais abrangente que a própria Política Nacional do Idoso (A Lei 8.842, de 4 de Janeiro de 1994 que dispõe sobre a Política Nacional do Idoso), pois determina as responsabilidades dos órgãos a quem compete às ações, bem como, as penalidades para os que descumprirem essa legislação. Segundo o Estatuto o idoso goza de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sem prejuízo da proteção integral de que trata esta lei, assegurando-se-lhe, por lei ou por outros meios, todas as oportunidades e facilidades para a preservação de sua saúde física e mental e seu aperfeiçoamento moral, intelectual, espiritual e social em condições de liberdade (BRASIL, Lei nº /03). Com a aprovação do Estatuto do Idoso se tem algumas garantias estabelecidas para idosos como a determinação de que a família, a comunidade e o Poder público têm a responsabilidade e o dever de garantir ao idoso a absoluta prioridade e preferência na formulação de políticas sociais; o privilégio para a destinação de recursos públicos; a viabilização de forma eficaz de convívio, ocupação e participação dos jovens com idosos; a prioridade no atendimento público e privado; a manutenção do idoso com sua própria família e criação de mecanismos que esclareçam a população do que é o envelhecimento e a garantia de acesso à rede de saúde e a assistência social. A lei 1

2 oferece exclusividade total aos idosos em todas as políticas públicas, sendo que seu atendimento tem que ser de forma prioritária, preferencial e emergencial. A lei é clara e define desde quem é o idoso até quais são os crimes e o que é considerado crime contra o idoso. O Estatuto do Idoso (Lei nº ) é composto por 118 artigos, disposto em sete títulos, sendo eles: Disposições Preliminares; Dos Direitos Fundamentais; Das Medidas de Proteção; da Política de Atendimento ao Idoso; do Acesso a Justiça; Dos Crimes e as Disposições Finais e Transitórias. A família tem como dever prover a alimentação, quando comprovado não ter condições o Estado é responsável por essa garantia, através do beneficio de prestação continuada. O idoso é assegurado pelo Sistema Único de Saúde SUS tendo prioridade no atendimento, sendo um direito por Lei a visitas e tratamentos domiciliares àqueles com dificuldade de locomoção. O poder público tem a obrigação de fornecer medicamentos de uso contínuo ou não, próteses e órteses para a habilitação ou reabilitação do idoso. Conforme é assegurado pelo Estatuto do Idoso, o idoso tem direito a se inserir em diversos programas sociais (atividades de lazer, cultural, esporte, educação), visando à saúde e o bem estar da pessoa idosa. Esta Lei também garante 50% (cinqüenta por cento) de desconto nos locais onde são cobrados ingressos. Ao Estado compete incentivar a abertura das universidades abertas á Terceira Idade, bem como, a publicação de livros e periódicos, adequados ás pessoas dessa faixa etária. O idoso tem o direito do acesso ao exercício profissional, que respeite seus limites físicos e psíquicos, sem discriminação por idade inclusive em concursos públicos onde um dos critérios de desempate usado é a idade, cabendo ao Poder Público estimular a iniciativa privada a contratarem idosos. O transporte coletivo público urbano e semi-urbano é assegurado gratuitamente ás pessoas com idade superior a 65 (sessenta e cinco) anos. Para comprovar sua idade é necessário um documento de identificação. No transporte interestadual lhes será garantido 2 (duas) vagas e quando excederem será concedido um desconto de 50%. Porém, para usufruir desses benefícios sua renda mensal não pode ultrapassar de 2 (dois) salários mínimos. Qualquer ato que coloque em risco a proteção do idoso deverá ser comunicado aos órgãos responsáveis como: Autoridade Policial, Ministério Público, Conselho Municipal e Estadual do Idoso. Os profissionais de saúde e os responsáveis por instituição de longa permanência ou qualquer pessoa que presenciar alguma agressão e ocultar informações sobre crime que 2

3 afete fisicamente ou moralmente o idoso serão indiciados a responder pelo Código Penal, uma vez que estes estão mais próximos ao idoso. OBJETIVO: Analisar o atendimento direcionado ao idoso no município procurando elucidar as lacunas existentes ente o desenvolvimento da política de atendimento ao idoso no Município e a aplicação do Estatuto do Idoso promulgado a partir de outubro de METODOLOGIA: A metodologia contempla estudo exploratório sobre a temática com levantamento de dados junto ao departamento de Atendimento ao idoso no Município e pesquisa bibliográfica realizadas no decorrer da disciplina. RESULTADOS 1 : O envelhecimento populacional e o aumento da longevidade é uma realidade presente também em nosso Município que segundo estimativas, já se têm em Toledo aproximadamente uma população de idosos entre e idosos. Hoje existem várias ações, serviços, programas e projetos desenvolvidos em Toledo, com a intenção de atender e diminuir as demandas reivindicadas pelos cidadãos idosos, sendo eles; Centro de Referencia da Assistência Social - CRAS, Secretaria Municipal da Assistência Social - SMAS, Unidade Básica de Saúde - UBS, Proteção Social Básica - PSB, Conselho Municipal de Direitos do Idoso - CMDI, Casas-Lares, Secretária da Saúde, Grupos de Idosos, Universidade Aberta a Terceira Idade, Bancos e nos programas da Habitação. A Secretaria Municipal de Assistência Social juntamente com outros órgãos públicos desenvolve ações com a terceira idade em Toledo. Estas entidades auxiliam os programas de atendimento, visando suprir as necessidades dos idosos em situações de fragilidades ou para manter e até mesmo alcançar melhor qualidade de vida para a população de idosos no município. O Programa Mão amiga, desenvolvido pelo Centro de Referencia da Assistência Social - CRAS tem como 1 Dados fornecidos pelo Departamento de proteção básica da Secretaria de Assistência Social do Município de Toledo-PR, no ano de 2009 ; entrevista com a Diretora do CERTI/ Vila Pioneira e Coopagro; palestra com a Assistente Social/Diretora do Departamento de proteção social básica e Secretária do Conselho do Idoso de Toledo, por ocasião do Núcleo Temático. 3

4 prioridade o atendimento especial a família, de forma que venham suprir as suas necessidades quanto ao consumo de fraldas, para pessoas em situações de vulnerabilidade, debilitadas e em situação oriundas de acidentes e enfermidades; O Programa de Apoio à Pessoa com Necessidades Especiais é desenvolvido pela Secretaria da Saúde, voltado à pessoa idosa que necessita de equipamentos e acessórios em forma de empréstimo, proporcionando uma melhoria na locomoção desta parcela desprovida; O Programa Suco de Soja é desenvolvido pela Secretaria da Saúde e produzido na Cozinha Social. Tem o papel de orientar a terceira idade sobre a importância do consumo de suco de soja para prevenção e tratamento de osteoporose e sua distribuição ocorre no CRAS, no Centro de Saúde e no Centro de revitalização da Terceira Idade - CERTI s; O Programa Jóia Rara é desenvolvido pela Secretaria da Saúde e realizado no Centro de Atendimento Integral à Criança CAIC. O objetivo é fornecer orientações e trabalhos informativos que facilita o acesso dos idosos aos meios de atendimento na área da saúde como: consultas, exames, medicamentos, internamento, próteses, etc. Este atendimento é realizado por profissionais competentes da área da saúde, que fazem periodicamente avaliação do estado geral, estabelecendo um aumento à expectativa de vida com dignidade, incluindo nível de mobilidade, coordenação neuromuscular, problemas odontogeriátricos, deficiências visuais e auditivas, estado nutricional e auxílio com medicamentos; O Projeto Fitofármaco desenvolvido pela Secretaria da Saúde tem por objetivo manter vivo o conhecimento das pessoas, através de estudo para que possam utilizar adequadamente as ervas medicinais no seu cotidiano; O Programa de Hipertensão Arterial e Diabetes HIPERDIA, desenvolvido pela Secretaria da Saúde juntamente com as Unidades Básicas de Saúde - UBS executam atividades educativas e de controle das pessoas que tem problema de hipertensão arterial e diabetes e fornecimento de medicamentos, de acordo com o protocolo; O Programa de Prevenção do Câncer de Mama e de Útero desenvolvido pela Secretaria da Saúde, juntamente com as Unidades Básicas de Saúde tem em vista prevenir o câncer de mama e de útero, realizando os exames de controle anuais. O Programa de Imunização Tétano, Influenza e Outras, desenvolvido pela Secretaria da Saúde, juntamente com as Unidades Básicas de Saúde - UBS e Epidemiologia visam prevenir doenças transmissíveis; A Secretaria da Saúde, 4

5 juntamente com as Unidades Básicas de Saúde desenvolvem o agendamento de consultas para pessoas acima de 60 anos para que não necessitem enfrentar filas nas UBS, com preferência no agendamento de consultas. Considerando o respeito à organização da Unidade (número de consultas a serem agendadas), sendo que consultas de rotina poderão aguardar organização da Unidade Básica de Saúde UBS; O Programa de Prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis e AIDS são desenvolvidos pela Secretaria da Saúde, em função do aumento de doenças sexualmente transmissíveis e AIDS na terceira idade. É efetivado nas Unidades Básicas de Saúde - UBS e Centro de Testagem e Aconselhamento - CTA que é um programa de orientação e acompanhamento; O Programa de Atenção Domiciliar - PAD é desenvolvido pela Secretaria da Saúde com o intuito de acompanhar pessoas acamadas em sua própria residência, sendo que o encaminhamento destas pessoas deverá ser através da Unidade Básica de Saúde - UBS; A Odontologia Preventiva na Terceira Idade é desenvolvida pela Secretaria da Saúde, juntamente com as Unidades Básicas de Saúde UBS e CERTI s tem por objetivo educar as pessoas para uma higienização correta e melhor visando à saúde bucal; O Programa Laboratório é desenvolvido pela Secretaria da Saúde, e realiza uma variedade de exames e o idoso tem preferência nas cotas, além de que o atendimento é diferenciado. Conforme vimos, os programas citados acima são, na maioria, realizados pela Secretaria da Saúde, juntamente com a Secretaria Municipal de Assistência Social e Unidades Básicas de Saúde - UBS, e outros ainda são realizados em várias unidades ou instituições da comunidade. Conforme o Estatuto, o idoso tem direito a moradia digna, por isso, é desenvolvido pela Secretaria da Habitação o Programa denominado Doce Lar que está proporcionando moradia para idosos de baixa renda, destinando 3% de moradias nos projetos habitacionais, como também a isenção do IPTU para idosos com renda igual a um salário mínimo. O Estatuto do Idoso recomenda que o transporte gratuito seja assegurado a partir dos 65 anos de idade, ficando a critério de o município alterá-la através da Lei Orgânica municipal. No município de Toledo o Transporte Carteira Passe-livre destinado à Pessoa Idosa passa a ser gratuito a partir dos 65 anos. Já a Carteira Passe-livre Interestadual à Pessoa Idosa é destinada aqueles com idade igual ou superior a 60 anos (dependendo da empresa), que possuam renda de até 2 salários mínimos, sendo que para o aposentado, o INSS emite 5

6 uma declaração. E para os que não têm como comprovar renda a Assistência Social emite a carteirinha para o transporte. No município há uma atuação efetiva do Ministério Público que é uma instituição independente, responsável pela defesa de direitos dos cidadãos, direitos estes coletivos e pela fiscalização do cumprimento da lei. Assim, uma de suas funções é preservar os direitos das pessoas idosas. O departamento de atendimento ao idoso existe desde 1993, porém a organização de grupos de idosos é desde Este departamento é responsável por programa de revitalização e implementação de centros comunitários que compreende a construção, reformas e aquisição de equipamentos para o espaço físico e para o desenvolvimento de atividades laborativas. No total existem em Toledo 37 grupos/associações (cidade e interior), porém somente 27 são associados. O Conviver é um programa que tem em vista atividades de lazer e sócio-educativas, através da formação de grupos organizados visando à participação produtiva da pessoa idosa, proporcionando o bem estar psicossocial, atendendo os 33 grupos existentes. Os grupos de idosos recebem um repasse de recurso mensal para garantir o acesso a bens e serviços públicos, estabelecendo sua regulamentação, definindo sua forma de financiamento, qualidade de atendimento, profissionalização dos serviços e planejamento das ações desenvolvidas pelos grupos. Para atender alguns dos diretos fundamentais como; educação, cultura, esporte, lazer, a previdência social tem-se no município Centro de Revitalização da Terceira Idade CERTI s que é um projeto de proteção básica, têm por regime interno viabilizar e atender idosos com idade igual ou superior a sessenta anos, mas eles também abrem vagas para pessoas com idade igual ou superior a 50 anos com fila de espera para atendimento preventivo. Através dos CERTI s é realizado visitas institucionais, orientações e acompanhamento, elaboração de projetos, apoio, orientação e organização dos grupos e do Conselho Municipal de Direito do Idoso - CMDI, levantamento e análise de dados. A capacidade dos CERTI s possibilita o atendimento de 300 idosos/dia, além viabilizar aos cidadãos idosos ações diferenciadas, preconizando o favorecimento da qualidade de vida por meio de atividades culturais, educacionais, físicas, sociais, lazer e atendimento especializado, independente deste ser ou não membro de grupo de idosos. A atividade de turismo e lazer na terceira idade, desenvolvida pelos CERTI s, proporciona à pessoa idosa o acesso a locais históricos, 6

7 culturais e turísticos do município de Toledo e região, bem como, facilitar o acesso a execução das atividades/ações e serviços oferecidos nos CERTI s; As atividades de esporte compreendem: Jogos de bocha, cartas, bolãozinho, campeonatos e atividades físicas com hidroginástica e ginástica aeróbica. Compete às oficinas de artesanato, o intuito de desenvolver atividades diferenciadas na busca da geração de renda e incentivo a atividade psicomotora; Há ainda aulas de canto, uma vez por semana, em parceria com a Secretaria da Cultura; O projeto Bem Envelhecer visa o tratamento fisioterápico apropriado para indivíduos com idade cronológica acima de 50 anos como: atendimento Médico, consultas e palestras informativas. Ao setor de enfermagem compete fazer préconsulta e triagem para encaminhamentos de consultas médicas, acompanhamento das atividades de ginástica, hidroterapia e hidroginástica, palestras e orientações. Já o Serviço Social fica responsável pelas entrevistas; atendimentos individuais (caso) ou grupais (grupos de idosos, famílias); orientações; encaminhamentos; informações; visitas domiciliares; levantamento de dados; palestras sócio-educativas; realização de estudos sociais, pareceres, relatórios e laudos. Além disso, o município fornece ao ar livre onze academias da terceira idade. O Conselho Municipal de Direitos do Idoso CMDI de Toledo existe desde 1987 quando foi instituído o Conselho de Promoção do Idoso, mesmo não havendo estrutura de gestão de trabalho para implantação de programas voltados a área do idoso. Em 1993 foi instituído o Departamento de Atendimento ao Idoso, pois já havia muitos grupos da terceira idade em funcionamento nos diferentes bairros do município. No decorrer de 1994 a 2006 o Conselho do Idoso passa por diversas reestruturações com alterações na sua composição e legislação que o rege. Casa Asilar é instituição regulamentada por lei que tem a licença da vigilância sanitária e o registro nos Conselhos Municipal dos Direito do Idoso e da Secretaria de Assistência Social que abriga idosos. No município temos duas casas-lares regulamentadas pela vigilância e com registros, sendo elas; Associação Promocional e Assistencial de Toledo - APA e irmãos Dentzer. Compondo a rede de atendimento ao idoso no Município têm-se, ainda, o programa Universidade Aberta á Terceira Idade UNATI desenvolvido pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná/UNIOESTE, que já atendeu em torno de 400 pessoas adultas e idosas do município de Toledo e região cujo objetivo é o de criar espaço na Universidade de inserção da população adulta e/ou 7

8 idosa para formação política, social, econômica e cultural no desenvolvimento de suas potencialidades para que, tendo consciência de seu protagonismo no exercício da cidadania, que atue e interaja no contexto em que vivem promovendo a conquista de uma maior participação social e política na melhoria da sua qualidade de vida; Promover ações de inserção dos idosos em programas e projetos sociais no Município e Região e estimular para que sejam multiplicadores de ações e informações na comunidade e subsidiar, ainda, as pessoas adultas na faixa etária de 55 a 59 anos com conhecimento acadêmico e o desenvolvimento de habilidades para o enfrentamento do processo de envelhecimento e preparação para a aposentadoria (ODORIZZI, 2003). CONCLUSÕES: Apesar de todas as ações, programas e projetos desenvolvidos pelos diferentes órgãos do Município que possuem ações com o público idoso, citados acima, nota-se que algumas medidas previstas no Estatuto do Idoso ainda não são praticadas no município como: rapidez nos processos judiciais, devido à inexistência de uma vara especifica a este segmento uma vez que é elevado o número de procedimentos judiciais existentes. O artigo 70 do estatuto prevê que o poder público poderá criar varas especializadas e exclusivas do idoso (ESTATUTO DO IDOSO, 2003, p.29). Segundo o Estatuto do Idoso é assegurada à gratuidade no transporte coletivo para idade igual ou superior a 65 anos, ficando a critério de cada município dispor sobre estas condições de gratuidade, podendo diminui - lá para 60 anos, desta forma a diminuição da idade de 65 para 60 anos no transporte coletivo urbano de Toledo, facilitaria a participação dos idosos aos programas fornecidos, visto que estes têm um gasto semanal elevados por suas freqüências. Também é necessário melhorar os atendimentos nas Unidades Básicas de Saúde, do município, visto que os profissionais poderiam estar melhor preparados para atender este público, sendo que, muitas vezes, não é realizado de forma prioritária, preferencial e emergencial. E neste sentido o artigo 18 do Estatuto preconiza que as instituições de saúde devem atender aos critérios mínimos para o atendimento às necessidades do idoso, promovendo o treinamento e capacitação dos profissionais, assim como orientação a cuidadores familiares e grupos de auto-ajuda.(estatuto DO IDOSO, 2003, p.14). O parágrafo 4 do artigo 3 do Estatuto, prevê a viabilização de formas alternativas de participação, ocupação e convívio do idoso com as demais 8

9 gerações. No município esta medida ainda deixa muito a desejar, pois esta deveria permear todas as ações do município com a terceira idade. Outro problema confirmado é a inexistência de projetos ou programas que incentive as empresas privadas para admitir a terceira idade, pois, o Estatuto afirma no seu artigo 28, que o poder público é encarregado de criar e estimular empresas privadas para a admissão de idosos ao mercado de trabalho. Observamos que vivemos com enormes problemas de violência que envolve o idoso e no município de Toledo não é diferente, conforme dados fornecidos pela secretária do Conselho de Direito do Idoso estes números estão cada vez maiores, uma vez que anos anteriores não existia um órgão responsável por estas denúncias. Pode-se inferir inexistência ou a falta de planejamento nas políticas públicas, causando um enorme déficit na construção de programas eficientes voltado para o denominado público da terceira idade, ou seja, estas medidas poderiam provocar mudanças significativas no tratamento que é dado hoje às pessoas da terceira idade. Fazse necessário e urgente que se instituam políticas públicas voltadas para essa população, privilegiando a prevenção e tratamento próprio da idade, propiciando-lhes eficiência, vitalidade, comodidade e respeito no atendimento para melhor qualidade de vida. No entanto, em face do acentuado crescimento do número de idosos em relação à população total, um atendimento público especializado é muitas vezes incompatível com os recursos financeiros disponíveis. Existe, portanto, uma lacuna ainda muito grande a ser preenchida e um elevado déficit no atendimento, que deve ser tratado como prioridade pelo poder público. Neste sentido, acreditamos que os responsáveis pelo atendimento público têm que buscar recursos para que suas ações sejam cada vez mais eficazes e oportunas para que toda a população idosa do município tenha acesso e que esta faixa etária cresça não só em temos quantitativos, mas também qualitativo. Para que isto se torne realidade, é necessário que a sociedade como um todo participe desse propósito, diagnosticando os problemas e sugerindo melhorias como campanhas de reflexão. Esta iniciativa deve partir não só do idoso, mas também da família e da sociedade, visto que, esta reivindicação é vital para que haja mudanças significativas no município, onde se tenha uma preocupação com a qualidade de vida dos idosos. Pode-se perceber que no Brasil, as ações governamentais destinadas a esta parcela da população ainda se encontra muito limitadas. Apesar da existência de uma política que beneficie os idosos e que 9

10 recomenda cada vez mais que se desenvolva a rede de serviços e programas voltados para atender à população idosa e as demais gerações, esta ainda não é cumprida. Deparamo-nos com uma questão social que pode colocar em desequilíbrio econômico toda a sociedade e, por isso, exige ações imediatas. Cada vez mais estudos evidenciam a necessidade de nos conscientizar para que as soluções aconteçam de imediato em favor desta demanda social. Com o objetivo de reconhecer e regulamentar as garantias a plena cidadania do idoso, acabar com o preconceito e os maus tratos sofridos por eles e para reduzir as desigualdades sociais e promover o bem-estar de todos, bem como, possibilitar ao idoso uma qualidade de vida ativa. REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS: BRASIL, Estatuto do Idoso (2003). Estatuto do Idoso: Lei nº , de 2003, que dispõe sobre o Estatuto do Idoso. Brasília: Senado Federal, Secretaria de Editoração e Publicações; Câmara dos Deputados, Coordenação de Publicação, pág.(serie fonte de referências. Legislação; n.53). BRASIL. Lei Federal nº de 19 de Setembro de Dispõem sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes. In: Coletâneas de Legislações: Direitos de Cidadania. Curitiba - Pr: CRESS 11ª Região gestão 2002/ Lei Federal nº8.842 de 04 de janeiro de Dispõe sobre a Política Nacional do Idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências. In: Coletâneas de Legislações: Direitos de Cidadania. Curitiba - Pr: CRESS 11ª Região gestão 2002/2005. CAMARANO, Ana Amélia; Uso de dados censitários e de pesquisas domiciliares para a construção de um sistema de indicadores sociais sobre condições de vida da população idosa. Rio de Janeiro, ODORIZZI, Roseli & ENGELBRECHT, M. R &. Universidade Aberta à Terceira Idade UNATI. Projeto de Extensão Universitária/ UNIOESTE/Toledo,

11 ODORIZZI, Roseli. A Universidade Aberta à Terceira Idade da Unioeste/ Toledo: Construindo espaços de inserção social do idoso. Dissertação (Mestrado em Serviço Social e Política Social), Universidade Estadual de Londrina UEL, Londrina PR,

MINISTÉRIO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL ATENDIMENTO À PESSOA IDOSA

MINISTÉRIO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL ATENDIMENTO À PESSOA IDOSA MINISTÉRIO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL ATENDIMENTO À PESSOA IDOSA BRASIL Ü 2025 32 milhões de idosos 6º LUGAR NO MUNDO 2002 15 milhões de Idosos LEGISLAÇÃO DE PROTEÇÃO SOCIAL PARA O IDOSO Lei Orgânica da Assistência

Leia mais

Estatuto do Idoso: considerações sobre o direito a. alimentos, à saúde, à habitação e ao transporte

Estatuto do Idoso: considerações sobre o direito a. alimentos, à saúde, à habitação e ao transporte Estatuto do Idoso: considerações sobre o direito a alimentos, à saúde, à habitação e ao transporte Material didático destinado à sistematização do conteúdo da disciplina Direito da Infância Juventude e

Leia mais

Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. CAPÍTULO I. Da Finalidade

Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. CAPÍTULO I. Da Finalidade Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:

Leia mais

Estatuto do Idoso. Resumido. anos

Estatuto do Idoso. Resumido. anos Estatuto do Idoso Resumido 60 anos ESTATUTO DO IDOSO RESUMIDO O aumento da expectativa de vida do brasileiro representa um grande desafio para os governos bem como para a sociedade civil. O implemento

Leia mais

LEI Nº.1015 DE 11 DE NOVEMBRO DE 2013.

LEI Nº.1015 DE 11 DE NOVEMBRO DE 2013. LEI Nº.1015 DE 11 DE NOVEMBRO DE 2013. Dispõe sobre a Política Municipal de Atendimento ao Idoso do Município de São Gonçalo do Rio Abaixo, Cria o Conselho Municipal do Idoso e dá outras providências.

Leia mais

Disciplina: modernidade e Envelhecimento Curso de Serviço Social 3º e 5º Semestre Políticas públicas para idosos 1 Marco Legal Nacional Constituição Federal (1988) Art. 202 Inciso I Ao idoso é assegurado

Leia mais

DECRETO Nº 1948 QUE REGULAMENTA A POLÍTICA NACIONAL DO IDOSO

DECRETO Nº 1948 QUE REGULAMENTA A POLÍTICA NACIONAL DO IDOSO DECRETO Nº 1948 QUE REGULAMENTA A POLÍTICA NACIONAL DO IDOSO Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 1.948, DE 3 DE JULHO DE 1996. Regulamenta a Lei n 8.842, de 4 de janeiro

Leia mais

Curso: Reflexões sobre o papel dos conselhos estadual e municipais do idoso

Curso: Reflexões sobre o papel dos conselhos estadual e municipais do idoso Curso: Reflexões sobre o papel dos conselhos estadual e municipais do idoso Novembro de 2014 Apoio: A Garantia de Proteção Integral da Pessoa Idosa e a Fiscalização das ILPIS Cláudia Maria Beré Promotora

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 826, DE 2011 (Do Sr. José Priante)

PROJETO DE LEI N.º 826, DE 2011 (Do Sr. José Priante) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 826, DE 2011 (Do Sr. José Priante) Altera dispositivos da Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003, que dispõe sobre o Estatuto do Idoso, para assegurar às pessoas

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I Da Finalidade. CAPÍTULO II Dos Princípios, Objetivos e Metas Seção I Dos Princípios

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I Da Finalidade. CAPÍTULO II Dos Princípios, Objetivos e Metas Seção I Dos Princípios LEI N. 1.343, DE 21 DE JULHO DE 2000 Institui a Política Estadual do Idoso - PEI e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que a Assembléia Legislativa do Estado

Leia mais

SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS PARA IDOSOS

SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS PARA IDOSOS CARTILHA INFORMATIVA DA SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL EXTREMA MG SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS PARA IDOSOS Cuidar dos idosos é cuidar de nós mesmos, do nosso próprio futuro, pois

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº de de 2015.

PROJETO DE LEI Nº de de 2015. PROJETO DE LEI Nº de de 2015. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DO IDOSO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE GOIÁS, nos termos do artigo 10 da Constituição Estadual, decreta e eu

Leia mais

Conselho Municipal dos Direitos do Idoso

Conselho Municipal dos Direitos do Idoso Conselho Municipal dos Direitos do Idoso Av. Duque de Caxias, 635 Jd. Mazzei II Londrina-PR Fone: (43) 3372-4046 / Fax: (43) 3372-4547 cmdi@londrina.pr.gov.br / cmdi_londrina@yahoo.com.br 7ª CONFERÊNCIA

Leia mais

Defensoria Pública do Estado de São Paulo Núcleo Especializado dos Direitos do Idoso e da pessoa com Deficiência

Defensoria Pública do Estado de São Paulo Núcleo Especializado dos Direitos do Idoso e da pessoa com Deficiência Defensoria Pública do Estado de São Paulo Núcleo Especializado dos Direitos do Idoso e da pessoa com Deficiência O que é a Defensoria Pública? A Defensoria Pública do Estado é uma Instituição permanente

Leia mais

LEI Nº 8.842, DE 4 DE JANEIRO DE 1994. Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.

LEI Nº 8.842, DE 4 DE JANEIRO DE 1994. Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências. LEI Nº 8.842, DE 4 DE JANEIRO DE 1994 Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional

Leia mais

LEI Nº 4.963, DE 9 DE SETEMBRO DE 2003

LEI Nº 4.963, DE 9 DE SETEMBRO DE 2003 PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 4.963, DE 9 DE SETEMBRO DE 2003 Dispõe sobre a Política Social do Idoso, dá nova regulamentação ao Conselho Municipal do Idoso e revoga a Lei

Leia mais

LEI Nº 6559 DE 16 DE OUTUBRO DE 2013. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DO IDOSO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

LEI Nº 6559 DE 16 DE OUTUBRO DE 2013. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DO IDOSO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 6559 DE 16 DE OUTUBRO DE 2013. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DO IDOSO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de

Leia mais

Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte lei:

Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte lei: Reestrutura a Política Municipal de Assistência ao Idoso, cria o Conselho Municipal do Idoso, cria o Fundo Municipal do Idoso e dá outras providências. Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades

Leia mais

RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA nº 01/2012

RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA nº 01/2012 RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA nº 01/2012 CONSIDERANDO: 1. A existência do Procedimento Preparatório n. 0089.11.000011-7, cujo objeto é apurar eventual irregularidade em casa de abrigo para idosos na Rua

Leia mais

O ENEM de 2014 teve 15 mil candidatos idosos inscritos, o que mostra a vontade dessa população em investir em formação superior.

O ENEM de 2014 teve 15 mil candidatos idosos inscritos, o que mostra a vontade dessa população em investir em formação superior. IDOSOS O Solidariedade, ciente da importância e do aumento população idosa no País, defende o reforço das políticas que priorizam este segmento social. Neste sentido, destaca-se a luta pela consolidação

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES Projeto de Lei n 340/99 464 LEI N 4.864 DE 12 DE MARÇO DE 1999 Dispõe sobre a Política Municipal do Idoso, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES; FAÇO SABER QUE A CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

O PROGRAMA UNATI DA UNIOESTE/CAMPUS DE TOLEDO: CONSTRUINDO A CIDADANIA DO IDOSO

O PROGRAMA UNATI DA UNIOESTE/CAMPUS DE TOLEDO: CONSTRUINDO A CIDADANIA DO IDOSO O PROGRAMA UNATI DA UNIOESTE/CAMPUS DE TOLEDO: CONSTRUINDO A CIDADANIA DO IDOSO Roseli Odorizzi 1 Andreia Correa da Silva 2 Clariane de A.Toledo de Godoy Claudia Grun Cristhiane Loiva Novello Elizane Aparecida

Leia mais

A ÉTICA PROFISSIONAL E OS DIREITOS DOS IDOSOS

A ÉTICA PROFISSIONAL E OS DIREITOS DOS IDOSOS A ÉTICA PROFISSIONAL E OS DIREITOS DOS IDOSOS Franciele Brazoli LUCHETTI 1 Andréia Cristina da Silva ALMEIDA 2 RESUMO: Desafios postos ao Serviço Social com relação à ética profissional em termos do compromisso

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA. PROJETO DE LEI N o 6.845, DE 2010 (Apenso o Projeto de Lei n o 6.887, de 2010) I - RELATÓRIO

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA. PROJETO DE LEI N o 6.845, DE 2010 (Apenso o Projeto de Lei n o 6.887, de 2010) I - RELATÓRIO COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI N o 6.845, DE 2010 (Apenso o Projeto de Lei n o 6.887, de 2010) Institui o Programa Nacional do Esporte Solidário para o Idoso PNESI, e dá outras

Leia mais

Proposta de ações para elaboração do. Plano Estadual da Pessoa com Deficiência;

Proposta de ações para elaboração do. Plano Estadual da Pessoa com Deficiência; 1 Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação das diretrizes e metas na garantia de direitos às pessoas com deficiência

Leia mais

CAPÍTULO I DA FINALIDADE

CAPÍTULO I DA FINALIDADE LEI Nº 1.392, DE 11 DE SETEMBRO DE 2009. DISPÕE SOBRE A POLÍTICA MUNICIPAL DO IDOSO, CRIA O CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO E O FUNDO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. (Alterado pela

Leia mais

Prefeitura Municipal de Nova Mutum

Prefeitura Municipal de Nova Mutum LEI Nº 1.854, DE 20 DE ABRIL DE 2015. Dispõe sobre a Política Municipal dos Direito da Pessoa Idosa e cria o Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa e dá outras providências. O Sr. Leandro Félix

Leia mais

Projetos Sociais da Faculdade Campo Real CIDADANIA REAL 1. O que é o projeto? 2. Em que consistem as atividades do projeto?

Projetos Sociais da Faculdade Campo Real CIDADANIA REAL 1. O que é o projeto? 2. Em que consistem as atividades do projeto? Projetos Sociais da Faculdade Campo Real A promoção da cidadania é qualidade de toda instituição de ensino consciente de sua relevância e capacidade de atuação social. Considerando a importância da Faculdade

Leia mais

Conselho Estadual do Idoso de Minas Gerais

Conselho Estadual do Idoso de Minas Gerais Conselho Estadual do Idoso de Minas Gerais O Conselho Estadual do Idoso - CEI - foi criado pela Lei nº 13.176 de 20 de janeiro de 1999, como um órgão deliberativo e controlador das políticas e das ações

Leia mais

LEI Nº 310/2009, DE 15 DE JUNHO DE 2009.

LEI Nº 310/2009, DE 15 DE JUNHO DE 2009. LEI Nº 310/2009, DE 15 DE JUNHO DE 2009. DISPÕE SOBRE A REESTRUTURAÇÃO DO DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE SAÚDE, CRIAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL, DA DIVISÃO DE MEIO-AMBIENTE E

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR Cacildo Baptista Palhares Júnior: advogado em Araçatuba (SP) Questões comentadas de Direito do Idoso da prova objetiva do concurso de 2009 para Defensor do Maranhão 92. O Estatuto do Idoso, e suas alterações

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 11.620 DE 14 DE MAIO DE 2001. (publicada no DOE nº 91, de 15 de maio de 2001) Institui o Programa de Garantia

Leia mais

LEI Nº 3.612, DE 13/09/2012.

LEI Nº 3.612, DE 13/09/2012. LEI Nº 3.612, DE 13/09/2012. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO PROGRAMA FAMÍLIA ACOLHEDORA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE ARACRUZ, ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS,

Leia mais

CARTA DE BRASÍLIA. Com base nas apresentações e debates, os representantes das instituições e organizações presentes no encontro constatam que:

CARTA DE BRASÍLIA. Com base nas apresentações e debates, os representantes das instituições e organizações presentes no encontro constatam que: CARTA DE BRASÍLIA Contribuições do I Seminário Internacional sobre Políticas de Cuidados de Longa Duração para Pessoas Idosas para subsidiar a construção de uma Política Nacional de Cuidados de Longa Duração

Leia mais

CARTILHA DO IDOSO. Secretaria de Assistência Social

CARTILHA DO IDOSO. Secretaria de Assistência Social CARTILHA DO IDOSO Secretaria de Assistência Social ANOTAÇÕES: O Estatuto do Idoso foi aprovado em 1º de outubro de 2003, fruto da organização e mobilização dos aposentados, pensionistas e idosos vinculados

Leia mais

EIXO I - Política de saúde na seguridade social, segundo os princípios da integralidade, universalidade e equidade

EIXO I - Política de saúde na seguridade social, segundo os princípios da integralidade, universalidade e equidade 10ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE: OO"TODOS USAM O SUS! SUS NA SEGURIDADE SOCIAL - POLÍTICA PÚBLICA, PATRIMÔNIO DO POVO BRASILEIRO" EIXO I - Política de saúde na seguridade social, segundo os princípios

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS Art. 1. A Política de Assistência Estudantil da Pós-Graduação da UFGD é um arcabouço de princípios e diretrizes

Leia mais

Das diretrizes gerais

Das diretrizes gerais PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 (Do Sr. Anderson Ferreira) Dispõe sobre o Estatuto da Família e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta Lei institui o Estatuto da Família e dispõe

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO, RESPONSABILIDADE E AJUSTE DE CONDUTA

TERMO DE COMPROMISSO, RESPONSABILIDADE E AJUSTE DE CONDUTA TERMO DE COMPROMISSO, RESPONSABILIDADE E AJUSTE DE CONDUTA Pelo presente instrumento, denominado TERMO DE COMPROMISSO, RESPONSABILIDADE E AJUSTAMENTO DE CONDUTA, com supedâneo no disposto no artigo 5º,

Leia mais

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 132

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 132 PROGRAMA Nº - 132 Benefícios Eventuais SUB-FUNÇÃO: 244 ASSISTÊNCIA COMUNITÁRIA Implantar e implementar serviços de Benefícios Eventuais. Operacionalização para concessão dos Benefícios Eventuais - Art.

Leia mais

Prefeitura Municipal de Chácara Rua: Heitor Candido, 60 Centro 36.110-000 Chácara Minas Gerais Telefax: (32) 3277-1014 E-mail; pchacara@acessa.com.

Prefeitura Municipal de Chácara Rua: Heitor Candido, 60 Centro 36.110-000 Chácara Minas Gerais Telefax: (32) 3277-1014 E-mail; pchacara@acessa.com. LEI 646 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2005 Dispõe sobre a Política Municipal do Idoso. O Prefeito Municipal de Chácara, MG, faço saber que a Câmara Municipal de Chácara decreta e eu sanciono a seguinte Lei: INSTITUI

Leia mais

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE EDUCACAO INFANTIL INCLUSIVA EM CURITIBA VEJA COMO SUA EMPRESA PODE TRANSFORMAR ESTA IDEIA EM REALIDADE { Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura

Leia mais

O PACTO PELA VIDA É UM DOS SUBCOMPONENTES DO PACTO PELA SAÚDE PORTARIA 399/06. É O MARCO JURÍDICO DA PRIORIZAÇÃO DA SAÚDE DO IDOSO NO BRASIL

O PACTO PELA VIDA É UM DOS SUBCOMPONENTES DO PACTO PELA SAÚDE PORTARIA 399/06. É O MARCO JURÍDICO DA PRIORIZAÇÃO DA SAÚDE DO IDOSO NO BRASIL SAÚDE DO IDOSO CURSO ESPECÍFICOS ENFERMAGEM - A Saúde do Idoso aparece como uma das prioridades no Pacto pela Vida, o que significa que, pela primeira vez na história das políticas públicas no Brasil,

Leia mais

SERVIÇOS DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS SCFV

SERVIÇOS DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS SCFV SERVIÇOS DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS SCFV SOCIOASSISTENCIAL X SOCIOEDUCATIVO SOCIOASSISTENCIAL apoio efetivo prestado a família, através da inclusão em programas de transferência de renda

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFMS

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFMS POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFMS O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul, de acordo com as atribuições previstas no seu Estatuto e Regimento Geral e em consonância

Leia mais

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Realização: Ágere Cooperação em Advocacy Apoio: Secretaria Especial dos Direitos Humanos/PR Módulo III: Conselhos dos Direitos no

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Pessoa Idosa

Curso de Especialização em Saúde da Pessoa Idosa Curso de Especialização em Saúde da Pessoa Idosa Módulo Unidade 01 Tópico 01 Políticas na Atenção do Idoso Introdução as Políticas Públicas Políticas Públicas Ao longo do tempo o papel do Estado frente

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013

PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013 PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013 Institui as diretrizes gerais de promoção da saúde do servidor público federal, que visam orientar os órgãos e entidades do Sistema de Pessoal Civil da Administração

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva. Ações Inclusivas de Sucesso

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva. Ações Inclusivas de Sucesso Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Anais III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva Ações Inclusivas de Sucesso Belo Horizonte 24 a 28 de maio de 2004 Realização: Pró-reitoria de Extensão

Leia mais

I Fórum Políticas Públicas do Idoso"

I Fórum Políticas Públicas do Idoso I Fórum Políticas Públicas do Idoso" O idoso no mundo Em 2050, a Organização das Nações Unidas (ONU) estima que 30% da população mundial será de idosos; 2 bilhões dos habitantes do planeta terão mais de

Leia mais

6ª Conferência Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa de Maringá. Sandra Regina Gomes Fonoaudióloga e Gerontóloga

6ª Conferência Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa de Maringá. Sandra Regina Gomes Fonoaudióloga e Gerontóloga 6ª Conferência Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa de Maringá Sandra Regina Gomes Fonoaudióloga e Gerontóloga TEMA Protagonismo e Fotografo Paulo Pepe Empoderamento da Pessoa Idosa Por um Brasil de

Leia mais

Proteção Social Básica para Juventude

Proteção Social Básica para Juventude Proteção Social Básica para Juventude Orientação para a implantação do Projeto Agente Jovem de Desenvolvimento Social e Humano Tem esta orientação para implantação do projeto Agente Jovem de Desenvolvimento

Leia mais

PENSANDO NA PRÁTICA: AS AÇÕES E ATIVIDADES EXECUTADAS NOS CRAS/CREAS FACILITADORA: INÊS DE MOURA TENÓRIO

PENSANDO NA PRÁTICA: AS AÇÕES E ATIVIDADES EXECUTADAS NOS CRAS/CREAS FACILITADORA: INÊS DE MOURA TENÓRIO a Área da Assistência Social PENSANDO NA PRÁTICA: AS AÇÕES E ATIVIDADES EXECUTADAS NOS CRAS/CREAS FACILITADORA: INÊS DE MOURA TENÓRIO Assistência Social na PNAS Situada como proteção social não contributiva;

Leia mais

O PROGRAMA SAÚDE DA FAMILIA NA COMPREENSÃO DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE

O PROGRAMA SAÚDE DA FAMILIA NA COMPREENSÃO DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE O PROGRAMA SAÚDE DA FAMILIA NA COMPREENSÃO DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE VIDAL, Kiussa Taina Geteins; LIMA, Flávia Patricia Farias; SOUZA, Alcy Aparecida Leite; LAZZAROTTO, Elizabeth Maria; MEZA, Sheila

Leia mais

Como se Tornar um Município Amigo do Idoso. Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso

Como se Tornar um Município Amigo do Idoso. Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso Como se Tornar um Município Amigo do Idoso Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso 2 3 GERALDO ALCKMIN Governador do Estado de São Paulo ROGERIO HAMAM Secretário de Estado de Desenvolvimento

Leia mais

ANEXO I PROGRAMA ESTADUAL DE PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA E ESPECIAL, DA REDE SOCIAL SÃO PAULO

ANEXO I PROGRAMA ESTADUAL DE PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA E ESPECIAL, DA REDE SOCIAL SÃO PAULO ANEXO I PROGRAMA ESTADUAL DE PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA E ESPECIAL, DA REDE SOCIAL SÃO PAULO I- DA PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA. II- DA PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL. III- DO CO-FINANCIAMENTO E DOS REQUISITOS, PARA O

Leia mais

ESTATUTO DO IDOSO - PONTOS FUNDAMENTAIS Ednalva Maria Guimarães Farias de David Consultora Legislativa da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário ESTUDO OUTUBRO/2003 Câmara dos Deputados Praça dos

Leia mais

LEI Nº. 1917 LEI. Art. 2º. O Programa será vinculado ao Departamento Municipal de Ação Social e tem por objetivos:

LEI Nº. 1917 LEI. Art. 2º. O Programa será vinculado ao Departamento Municipal de Ação Social e tem por objetivos: LEI Nº. 1917 SÚMULA: Institui o Programa de Guarda Subsidiada de Crianças e Adolescentes, denominado "Programa Família Acolhedora e dá outras providências. A Câmara Municipal de Palmas, Estado do Paraná,

Leia mais

ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA

ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA Área Temática: Direitos Humanos e Justiça Liza Holzmann (Coordenadora da Ação de Extensão) Liza Holzmann 1 Palavras Chave:

Leia mais

DIRETRIZES NACIONAIS DE PROMOÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS DOS PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA PÚBLICA

DIRETRIZES NACIONAIS DE PROMOÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS DOS PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA PÚBLICA DIRETRIZES NACIONAIS DE PROMOÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS DOS PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA PÚBLICA PORTARIA INTERMINISTERIAL No- 2, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2010 Estabelece as Diretrizes Nacionais de Promoção

Leia mais

SEMANA DO IDOSO 2013

SEMANA DO IDOSO 2013 SEMANA DO IDOSO 2013 Itens para reflexão Experiências anteriores A mobilização em 2013 O envelhecimento nos tempos atuais Idoso sem autonomia Excluído do mercado de trabalho Gera dependência Exclusão das

Leia mais

O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968

O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968 O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968 Com a Constituição Federal de 1988, a Assistência Social passa

Leia mais

SALA DE ESPERA DIREITOS DOS IDOSOS: SUBPROJETO DO NÚCLEO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, JURÍDICA E DE ESTUDOS SOBRE A PESSOA IDOSA

SALA DE ESPERA DIREITOS DOS IDOSOS: SUBPROJETO DO NÚCLEO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, JURÍDICA E DE ESTUDOS SOBRE A PESSOA IDOSA 110. ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( x ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA SALA DE ESPERA DIREITOS DOS IDOSOS: SUBPROJETO DO NÚCLEO

Leia mais

O Envelhecimento Populacional e as Repercussões na Política de Saúde e nas Famílias

O Envelhecimento Populacional e as Repercussões na Política de Saúde e nas Famílias O Envelhecimento Populacional e as Repercussões na Política de Saúde e nas Famílias Daiana de Aquino Hilario Machado * RESUMO: Neste artigo estaremos discutindo sobre as repercussões do envelhecimento

Leia mais

Projetos Financiados em 2008. CMDCA de Santos

Projetos Financiados em 2008. CMDCA de Santos Projetos Financiados em 2008 CMDCA de Santos ACMD Associação Comunidade de Mãos Dadas Projeto: Oficinas Querô. Objetivo: As Oficinas QUERÔ tem por objetivo oferecer um programa de capacitação em produção

Leia mais

Ações do Conselho Municipal dos Direitos do Idoso CMDI. Gestão 2012 2014

Ações do Conselho Municipal dos Direitos do Idoso CMDI. Gestão 2012 2014 Ações do Conselho Municipal dos Direitos do Idoso CMDI Gestão 2012 2014 AÇÕES: Acompanhou, orientou e fiscalizou instituições de longa permanência de atendimento ao idoso, inclusive realizando a averiguação

Leia mais

Ações Socioeducativas

Ações Socioeducativas AÇÕES SOCIOEDUCATIVAS NA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Assistência Social Ações Socioeducativas Garantia dos direitos Inclusão social Desenvolvimento do protagonismo Desenvolvimento da autonomia individual

Leia mais

MUNICÍPIO DE CARAPEBUS LDO 2015 ANEXO DE METAS E PRIORIDADES METAS E PRIORIDADES 2015

MUNICÍPIO DE CARAPEBUS LDO 2015 ANEXO DE METAS E PRIORIDADES METAS E PRIORIDADES 2015 - 1350 Página 1 PROGRAMA 0000 ENCARGOS ESPECIAIS OBJETIVO DAR SUPORTE A DIVIDA CONTRATADA ORIUNDA DE PARCELAMENTOS, SUBVENÇÕES E DEMAIS OPERAÇÕES ESPECIAIS. 0010 AMORTIZAÇÃO PARCELAMENTO/ENCARGOS SOBRE

Leia mais

DIREITOS DA PESSOA IDOSA E A SUA DIVULGAÇÃO

DIREITOS DA PESSOA IDOSA E A SUA DIVULGAÇÃO DIREITOS DA PESSOA IDOSA E A SUA DIVULGAÇÃO Maria Luiza Deschamps (UEPG) E-mail: maludeschamps12@hotmail.com Nathalia Luiza Schedler Calza (UEPG) nathaliacalza@hotmail.com Elisa Stroberg Schultz (UEPG)

Leia mais

SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, IDOSAS E SUAS FAMÍLIAS NO SUAS Tipificação Nacional dos Serviços SUAS/2009

SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, IDOSAS E SUAS FAMÍLIAS NO SUAS Tipificação Nacional dos Serviços SUAS/2009 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SNAS DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL - DPSE SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL PARA PESSOAS COM

Leia mais

DELIBERAÇÕES DA IV CONFERÊNCIA MUNICIPAL DO IDOSO

DELIBERAÇÕES DA IV CONFERÊNCIA MUNICIPAL DO IDOSO DELIBERAÇÕES DA IV CONFERÊNCIA MUNICIPAL DO IDOSO EIXO SAÚDE SAÚDE MEDICAÇÃO E ALIMENTAÇÃO 1. Ampliar o número de medicamentos ofertados pelo SUS. 2. Garantir medicação contínua e medicações especiais

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA SUPERINTENDÊNCIA DOS SERVIÇOS PENITENCIÁRIOS DEPARTAMENTO DE TRATAMENTO PENAL

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA SUPERINTENDÊNCIA DOS SERVIÇOS PENITENCIÁRIOS DEPARTAMENTO DE TRATAMENTO PENAL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA SUPERINTENDÊNCIA DOS SERVIÇOS PENITENCIÁRIOS DEPARTAMENTO DE TRATAMENTO PENAL POLÍTICA DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE PRISIONAL A Política de Atenção

Leia mais

III- DADOS DO PRESIDENTE

III- DADOS DO PRESIDENTE PLANO DE AÇÃO 2014 I- IDENTIFICAÇÃO Nome: Associação dos Deficientes Físicos de Lençóis Paulista - ADEFILP Endereço: Pernambuco, 333, Jardim Cruzeiro Lençóis Paulista SP CEP 18680470 Telefone: (014) 3264-9700

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 027/2014 DE 25 DE ABRIL DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 027/2014 DE 25 DE ABRIL DE 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 027/2014 DE 25

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 040/2015, de 22 de setembro de 2015. CAPITULO I Das Disposições Preliminares

PROJETO DE LEI Nº 040/2015, de 22 de setembro de 2015. CAPITULO I Das Disposições Preliminares PROJETO DE LEI Nº 040/2015, de 22 de setembro de 2015. DISPOE SOBRE A POLITICA MUNICIPAL DO IDOSO, CRIA O CONSELHO MUNICPAL DO IDOSO-CMI E DA OUTRAS PROVIDENCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE PIRATUBA, Estado

Leia mais

Art. 2º - São diretrizes da Política Municipal de Educação Alimentar e Combate à Obesidade:

Art. 2º - São diretrizes da Política Municipal de Educação Alimentar e Combate à Obesidade: PROJETO DE LEI N. 426/2013 ESTADO DO AMAZONAS ESTABELECE diretrizes para a Política Municipal de Educação Alimentar Escolar e Combate à Obesidade, e dá outras providências. Art.1º - O Poder Público Municipal,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL SANTANA DA VARGEM www.santanadavargem.cam.mg.gov.br

CÂMARA MUNICIPAL SANTANA DA VARGEM www.santanadavargem.cam.mg.gov.br LEI Nº 1342 /2014 Dispõe sobre a criação e regulamentação do Programa Social de Garantia aos Direitos Fundamentais de Moradia, Alimentação e Saúde no Município de Santana da Vargem, a organização e o funcionamento

Leia mais

CARAVANA ESPORTIVA. Projetos Esportivos Educacionais

CARAVANA ESPORTIVA. Projetos Esportivos Educacionais CARAVANA ESPORTIVA Seleção Pública P de Projetos Esportivos Educacionais Programa Petrobras Esporte & Cidadania Fomentar o desenvolvimento do esporte olímpico brasileiro; Democratizar o acesso ao esporte

Leia mais

5 Direito do Idoso. Direito do Idoso. Documentação básica. Conteúdo Programático. Direitos e Garantias Fundamentais (Parte III) Direitos Fundamentais

5 Direito do Idoso. Direito do Idoso. Documentação básica. Conteúdo Programático. Direitos e Garantias Fundamentais (Parte III) Direitos Fundamentais Aula 04/07 Curso ministrado na Escola de Administração Judiciária do Estado do Rio de Janeiro Prof a. Mabel Christina Castrioto Juíza de Direito Direitos Fundamentais mabelcastrioto@globo.com Parte III

Leia mais

V Simpósio da ARELA-RS sobre Esclerose Lateral Amiotrófica ELA

V Simpósio da ARELA-RS sobre Esclerose Lateral Amiotrófica ELA V Simpósio da ARELA-RS sobre Esclerose Lateral Amiotrófica ELA Geneviève Lopes Pedebos Assistente Social Mestre em Serviço Social pela PUCRS Porto Alegre, 08/05/2010 Na área da saúde, o Assistente Social

Leia mais

JOVEM COM DEFICIÊNCIA

JOVEM COM DEFICIÊNCIA JOVEM COM DEFICIÊNCIA 1. Promover cursos de educação profissional de nível básico (técnico e tecnológico nos termos da Lei 9.394/96) e superior em espaços públicos e privados, respeitando a inclusão de

Leia mais

Cadastro Único: um cadastro, vários programas sociais.

Cadastro Único: um cadastro, vários programas sociais. Cadastro Único: um cadastro, vários programas sociais. Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social. O CADASTRO ÚNICO é a porta de entrada para os Programas Sociais do Governo Federal e

Leia mais

GRUPO 3 - TRABALHO e REABILITAÇÃO PROFISSIONAL

GRUPO 3 - TRABALHO e REABILITAÇÃO PROFISSIONAL GRUPO 3 - TRABALHO e REABILITAÇÃO PROFISSIONAL Nº PROPOSTA UF e Nº Original da Proposta 01 Garantir os 20% das vagas, e a efetivação das condições de acesso e permanência AC/08 necessárias para pessoas

Leia mais

Carvalho Goretti Moreira Leal de, Themis; Ribas Almeida, Milene. Brasil RESUMO

Carvalho Goretti Moreira Leal de, Themis; Ribas Almeida, Milene. Brasil RESUMO ID:862 PROJETO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA AMPLIANDO AS AÇÕES DE PREVENÇÃO EM DST/AIDS E HEPATITES VIRAIS JUNTO À POPULAÇÃO ESCOLAR: UM ESPAÇO PARA FORMAÇÃO PROFISSIONAL E PROMOÇÃO DA SAÚDE Carvalho Goretti

Leia mais

6ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO PROPOSTAS APROVADAS EM PLENÁRIA

6ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO PROPOSTAS APROVADAS EM PLENÁRIA 6ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO PROPOSTAS APROVADAS EM PLENÁRIA EIXO I PROPOSTAS MUNICIPAL ESTADUAL FEDERAL 1. Que a Secretaria Municipal de Saúde implante juntamente com o sistema de informação

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS P.L.L. Nº 082/02 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS A Constituição Federal, o Código de Defesa do Consumidor e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), em diferentes artigos, trazem a discussão que subsidia a argumentação

Leia mais

LEGISLAÇÃO CITADA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988

LEGISLAÇÃO CITADA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 LEGISLAÇÃO CITADA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 TÍTULO VIII Da Ordem Social CAPÍTULO VII DA FAMÍLIA, DA CRIANÇA, DO ADOLESCENTE E DO IDOSO Art. 227. É dever da família, da sociedade

Leia mais

Instituições de Longa Permanência: Desafios e Modelos Possíveis. Neuma Nogueira Coordenadora do Grupo Vida - Brasil

Instituições de Longa Permanência: Desafios e Modelos Possíveis. Neuma Nogueira Coordenadora do Grupo Vida - Brasil Instituições de Longa Permanência: Desafios e Modelos Possíveis Neuma Nogueira Coordenadora do Grupo Vida - Brasil Há 17 anos promovendo os direitos dos idosos com qualidade de vida. Nossa História O Grupo

Leia mais

Instrução Normativa nº 01/2011

Instrução Normativa nº 01/2011 Instrução Normativa nº 01/2011 Institui e normatiza o Programa de Assistência Estudantil do Instituto Federal de Minas Gerais - IFMG. As PRÓ-REITORIAS DE ADMINISTRAÇÃO; ENSINO; EXTENSÃO; PESQUISA, INOVAÇÃO

Leia mais

Projeto Cardume CMDCA

Projeto Cardume CMDCA Projeto Cardume CMDCA Objetivo: Estabelecer rede de proteção integral a criança e ao adolescente,, bem como suas famílias, reunindo ações governamentais e atividades das organizações da sociedade civil,

Leia mais

DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CENTRO DE VALORIZAÇÃO

DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CENTRO DE VALORIZAÇÃO PROJETO DE LEI Nº DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CENTRO DE VALORIZAÇÃO DO IDOSO (CEVI), EM ATENÇÃO ESPECIAL DO ESTADO AO IDOSO COM SESSENTA ANOS OU MAIS, EM SITUAÇÃO DE VULNERABILIDADE OU RISCO SOCIAL, OBJETIVANDO

Leia mais

Câmara Municipal de Uberaba A Comunidade em Ação LEI Nº 7.904

Câmara Municipal de Uberaba A Comunidade em Ação LEI Nº 7.904 A Comunidade em Ação LEI Nº 7.904 Disciplina a Política Municipal de Enfrentamento à Violência Sexual e dá outras providências. O Povo do Município de Uberaba, Estado de Minas Gerais, por seus representantes

Leia mais

LEI Nº 12.947 DE 10 DE FEVEREIRO DE 2014. Institui a Política Estadual para a População em Situação de Rua e dá outras providências.

LEI Nº 12.947 DE 10 DE FEVEREIRO DE 2014. Institui a Política Estadual para a População em Situação de Rua e dá outras providências. Salvador, Bahia Terça-feira 11 de Fevereiro de 2014 Ano XCVIII N o 21.355 LEI Nº 12.947 DE 10 DE FEVEREIRO DE 2014 Institui a Política Estadual para a População em Situação de Rua e dá outras providências.

Leia mais

O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO

O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO Maria Salete da Silva Josiane dos Santos O Programa Assistência Sócio-Jurídica, extensão do Departamento de Serviço Social, funciona no Núcleo

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 030/2013.

PROJETO DE LEI N.º 030/2013. PROJETO DE LEI N.º 030/2013. Institui o Programa Menor Aprendiz no âmbito do Município de Bela Vista de Minas e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Bela Vista de Minas, Estado de Minas Gerais,

Leia mais