ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO II EDUCAÇÃO ESPECIAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO II EDUCAÇÃO ESPECIAL"

Transcrição

1 CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Portaria de Reconhecimento nº. 286 de 21 de dezembro de 2012 ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO II EDUCAÇÃO ESPECIAL Pedagogia LICENCIATURA

2 CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Portaria de Reconhecimento nº. 286 de 21 de dezembro de 2012 E N V E L O P E Folha de identificação*; Folha carga horária e avaliação do professor orientador*; Cadastro da escola*; Atestado da escola, com a firma reconhecida*; Folha resumo das atividades do estágio*. C A D E R N O Capa; Folha de identificação; Carga Horária e Avaliação do professor; Cópia da Folha Resumo das Atividades do Estágio; Cópia do Cadastro da Escola e do atestado com firma reconhecida; Relatório 1 - A escola; Relatório 2 Analise do Projeto Pedagógico; Relatório 3 Questões sobre as determinações sobre a Educação Especial contidas na LDBEN; Relatório 4 Questões sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Especial; Relatório 5 - Entrevista com o Professor da Educação Especial; Relatório 6 - Entrevista com alunos da Educação Especial; Relatório 7 - Entrevista com alunos da sala; Relatório 8 - Relatório conclusivo sobre as entrevistas; Relatório 9 - Observação do trabalho em sala de aula; Relatório 10 Estudo de Caso; Relatório 11 - Preparo e aplicação de atividade para aluno com necessidade especial Relatório 12 - Relatório Final ATENÇÃO: os itens assinalados com asterisco (*) devem ser colocados separados num envelope. Por fora do envelope deve vir escrito: nome do aluno, número de matrícula, a etapa correspondente a este estágio (EDUCAÇÃO ESPECIAL). Sugerimos tirar uma cópia da primeira folha deste caderno. Esses documentos serão colocados no prontuário do aluno. O caderno, após correção, será devolvido para ser arquivado pelo próprio aluno.

3 EDUCAÇÃO ESPECIAL Ano Letivo: Clique aqui para digitar texto. Nome do aluno: Clique aqui para digitar texto. Nº de Matrícula: Clique aqui para digitar texto. Professor Orientador: Clique aqui para digitar texto.

4 CURSO DE PEDAGOGIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO EDUCAÇÃO ESPECIAL ANO LETIVO: Clique aqui para digitar texto. Aluno: Clique aqui para digitar texto. RA: Clique aqui para digitar texto. Semestre: Clique aqui para digitar texto. Turma: Clique aqui para digitar texto. Endereço Completo: Rua: Clique aqui para digitar texto. Cep: Clique aqui para digitar texto. Telefone: Clique aqui para digitar texto. Cel.: Clique aqui para digitar texto. Clique aqui para digitar texto. Avaliação do Coordenador do Núcleo de Estágios: O Estágio Supervisionado tem o Parecer Favorável Desfavorável. Carga Horária Cumprida: horas. Coordenador do Núcleo de Estágios Data: / /

5 Orientações Gerais O Estágio Supervisionado de Ensino Fundamental, direcionado aos alunos com necessidades especiais deve ser realizado pelos (as) alunos (as) que estão matriculados no curso de Pedagogia. Tal estágio ocorrerá obrigatoriamente em Escolas públicas e/ou particulares do Estado de São Paulo nas turmas de 1º, 2º, 3º, 4º e 5º anos do Ensino Fundamental cumprindo a seguinte carga horária: Carga horária de estágio desta etapa: 50 h. ATIVIDADES DO ESTÁGIO A escola e seu contexto Aspectos físicos e infraestrutura Características da população escolar Análise do Projeto Pedagógico Determinações sobre a Educação Especial contidas na LDBEN Determinações das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Especial - Questões Entrevista com Professor da Classe Entrevista com alunos com necessidades especiais Entrevista com alunos da sala Relatório conclusivo sobre as entrevistas Observação do trabalho em sala de aula/ Educ. Inf. ou E.Fund.I Estudo do Caso/ Preparo e aplicação de atividade p/ aluno Relatório Final TOTAL CARGA HORÁRIA 01h 01h 01h 01h 01h 01h 01h 01h 50h 02h 10h 70h AVALIAÇÃO FINAL DO PROFESSOR ORIENTADOR Estágio Supervisionado Educação Especial CONCEITO: ÓTIMO MUITO BOM BOM SUFICIENTE REGULAR INSUFICIENTE DATA: / / ASSINATURA DO PROFESSOR ORIENTADOR:

6 Para iniciar o estágio você deverá apresentar ao Diretor (a) da Escola a carta de apresentação devidamente assinar pelo Professor Orientador de Estágio ou pelo Coordenador do Núcleo de Estágios Supervisionados. CARTA DE APRESENTAÇÃO DE ESTAGIÁRIO São Paulo, de de Ilmo. Sr. (a) Diretor(a) da ESCOLA Apresento a V.Sª. o (a) aluno (a) Matrícula nº desta Instituição de Ensino, que deverá cumprir 70 horas de Estagio Supervisionado nas classes de ( ) Educação Infantil e/ou ( ) Ensino Fundamental I (1º ao 5º ano) com ênfase na Educação Especial. Este Estágio, além de atender a uma exigência legal, visa proporcionar ao aluno o treinamento em situação real, levando-o à vivência de situações do cotidiano de uma escola. Para cumprir tal objetivo, a Direção da FACULDADE DE MAUÁ - FAMA estabelecida à Rua Vitorino Dell` Antonia, nº 349,Vila Noêmia Mauá, tel , vem, através do Professor Coordenador de Estágio, solicitar a V.S.a a devida autorização para a realização deste estágio. Contando com a sua inestimável colaboração, colocamo-nos à sua disposição para quaisquer informações que julgue necessárias. Orientador de Estágio Supervisionado

7 CADASTRO DA ESCOLA NOME DA ESCOLA: ENDEREÇO DA ESCOLA: BAIRRO: CIDADE: CEP: TELEFONE: FAX: DIRETOR(A): VICE-DIRETOR(A): COORDENADOR(A): MANTENEDORA: OUTRAS INFORMAÇÕES: Se a escola for particular colocar a número e data de autorização AUTORIZAÇÃO PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO. CARIMBO E ASSINATURA DO DIRETOR DA ESCOLA: DATA: / /

8 (Carimbo da escola) ATESTADO Atesto para fins de comprovação de cumprimento de Estágio, que o(a) aluno RA: do Curso de Pedagogia da FACULDADE DE MAUÁ - FAMA compareceu a esta Instituição de Ensino na qual desenvolveu atividades de Estágio cumprindo um total de horas no período de / / a / / junto à alunos com necessidades especiais do Ensino Fundamental deste estabelecimento. Por ser verdade, firmo o presente. São Paulo, de de Assinatura e Carimbo do DIRETOR (Reconhecer firma em Cartório)

9 ALUNO: Nº de Matrícula: RESUMO DAS ATIVIDADES DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DATA NÚMERO DE HORAS ATIVIDADE DESENVOLVIDA ASSINATURA DO DIRETOR T O T A L São Paulo, de de Carimbo da Escola Carimbo e Assinatura do Diretor Assinatura do Estagiário Carimbo e Assinatura do Prof. Orientador

10 1. A ESCOLA 1.1 A escola e seu contexto Localize a escola no guia de ruas. Descreva a infraestrutura existente no entorno da escola. Anexe Xerox do guia destacando o bairro e a localização da escola. 1.2 Aspectos físicos e infraestrutura Descreva os aspectos físicos da escola como: Tipo de prédio, conservação externa e interna, limpeza externa e interna, dependências de merenda, banheiros, bibliotecas, salas ambiente, sala de informática, sala de professores, gabinete dentário, espaço para estudos de formação continuada, etc. 1.3 Caracterização da População Escolar Descreva o tipo de alunos atendidos pela escola. Observe o seu comportamento nos espaços coletivos, o material escolar que utiliza o linguajar. Pergunte se gostam ou não da escola. Por quê? Como são recebidos os alunos com necessidades especiais? Qual a idade deles? Relate como eles são acolhidos pela comunidade escolar. 2. ANALISE DA PROPOSTA PEDAGÓGICA A Proposta Pedagógica é o documento no qual a escola detalha o seu trabalho. Sua elaboração é um momento de reflexão da equipe escolar para a tomada de decisão sobre as ações que devem ser desenvolvidas para a solução de dificuldades identificadas. Elabore um relatório orientando-se pelas perguntas abaixo: A Proposta Pedagógica foi elaborada pelo coletivo da escola? Quais os profissionais que participaram da sua construção? Em que ano a proposta foi elaborada? Qual a duração prevista? Há, no Projeto Pedagógico uma parte específica para a educação de alunos com necessidades especiais? Quais os objetivos previstos para os alunos com necessidades especiais?

11 A escola desenvolve algum projeto voltado para estes alunos? Descreva-o e comente os resultados esperados. Para a elaboração da sua Proposta Pedagógica, a escola considerou as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Especial? 3. DETERMINAÇÕES SOBRE A A EDUCAÇÃO ESPECIAL CONTIDAS NA LDBEN (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional) (Lei Federal 9394 de ) Consulte a LDBEN e responda as seguintes questões: 1. O que determina a LDBEN no seu artigo.58 sobre o inicio da Educação Especial? 2. No art. 59 a LDBEN prevê a terminalidade específica para a Educação Especial. Explique o que isto significa. 4. DETERMINAÇÕES SOBRE A EDUCAÇÃO ESPECIAL CONTIDAS NAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO ESPECIAL Resolução CNE/CEB nº 2/2001 Consulte as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Especial e responda as seguintes questões: Qual o objetivo das Diretrizes Curriculares Nacionais? O que propõem as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Especial no seu artigo 5º?. Quem são considerados alunos com necessidades especiais? Leia o artigo 6º e explique com suas palavras como deve ser feita a identificação de alunos com necessidades especiais.

12 Segundo o artigo 8º, Inciso II, como as escolas da rede regular de ensino devem prever e prover a organização de suas classes comuns para atender os alunos com necessidades especiais? Destaque e comente um inciso do artigo 8º que você considera importante. Segundo o artigo 12 como os sistemas de ensino devem assegurar a acessibilidade dos alunos que apresentam necessidades especiais? 5. ENTREVISTA COM O PROFESSOR DE EDUCAÇÃO ESPECIAL Sexo: Idade: Formação Profissional: Na sua formação teve alguma disciplina específica para trabalhar com alunos com necessidades especiais? Como você percebe o atendimento dos alunos com necessidades especiais no ensino regular? Quais os recursos que mais utiliza nas suas aulas para o atendimento dos alunos com necessidades especiais? Quais as principais dificuldades que encontra para trabalhar com alunos com necessidades especiais? 6. ENTREVISTA COM ALUNOS COM NECESSIDADES ESPECIAIS Quais as atividades que você gosta de participar na escola? 7. ENTREVISTA COM ALUNOS DA SALA (MÍNIMO 3) Quais as atividades que você gosta de desenvolver na escola?

13 Quais as atividades que você tem dificuldades? Como você se relaciona com colegas com necessidades especiais? 8. RELATÓRIO CONCLUSIVO SOBRE AS ENTREVISTAS Faça um relatório com da análise das entrevistas: O que você pensa sobre a Educação Especial? 9. OBSERVAÇÃO DO TRABALHO EM SALA DE AULA Faça um relato de cada dia de aula assistida: conteúdos trabalhados, procedimentos, materiais utilizados, formas de avaliação, comportamento dos alunos e do professor, etc. 10. ESTUDO DE CASO/ PREPARO E APLICAÇÃO DE ATIVIDADE PARA ALUNO COM NECESSIDADE ESPECIAL. Selecione um aluno com necessidade especial e descreva a sua situação. Cite a idade, o ano que está frequentando, as dificuldades apresentadas, como o Professor da sala está trabalhando com ele, como os demais alunos o percebem, etc Cite qualquer fato que tenha observado PREPARO E APLICAÇÃO DE ATIVIDADE PARA ALUNO COM NECESSIDADE ESPECIAL. Prepare um Plano para as atividades que pretende desenvolver com aluno com necessidade especial. O Plano deve ter os seguintes itens: Matéria escolhida, Atividade pretendida, Objetivos a serem alcançados, Procedimentos, Recursos necessários, Avaliação. Elabore um texto relatando como foi o desenvolvimento da atividade: O desempenho do aluno foi o esperado? Como foi que você se sentiu? Os objetivos foram alcançados? Os recursos foram suficientes?

14 RELATÓRIO FINAL Além da descrição das atividades desenvolvidas, apresente o seu parecer sobre o estágio realizado quanto a: Receptividade no campo de estágio. Coerência entre a teoria estudada e a prática realizada no estágio. Importância e aproveitamento para a sua formação. Outras considerações que julgar interessantes. Relate como foi a realização deste estágio para você. As dificuldades, os pontos positivos e as conclusões a que você chegou.

15 DECLARAÇÃO DE RECEBIMENTO DECLARO que, nesta data, recebi do aluno: RA nº do CURSO de PEDAGOGIA o CADERNO DE ESTÁGIO correspondente a EDUCAÇÃO ESPECIAL. Mauá, de de Assinatura do responsável pelo recebimento

16 ANEXO I ESTÁGIOS DO CURSO DE PEDAGOGIA LICENCIATURA FAMA Para ingresso nos estágios do Curso de Pedagogia Licenciatura da Faculdade de Mauá Fama UNIESP, o aluno deverá estar regularmente matriculado, em situação acadêmica regularizada e cursando a partir do 4º Semestre, como segue: Os alunos do 5º Semestre deverão cumprir estágio conforme manual de orientações sendo 70 (setenta) horas na Educação Infantil) e 80 (oitenta) horas no Ensino Fundamental I, totalizando 150 (cento e cinquenta) horas. Essas horas serão divididas em 50 (cinquenta) horas de Observação na Educação Infantil em sala de aula, 10 (dez) horas de elaboração de relatório e 10 (dez) horas de socialização com um Professor Orientador no semestre. No Ensino Fundamental, o aluno deverá cumprir 60 (sessenta) horas de Observação em sala de aula, distribuídas nos cinco anos iniciais do Ensino Fundamental, 10 (dez) horas de elaboração de relatório e 10 (dez) horas de socialização com um Professor Orientador no semestre. Os alunos do 6º Semestre, deverão cumprir 100 (cem) horas de estágio, sendo 70 (setenta) horas na Educação Inclusiva e 30 (trinta) horas na Educação de Jovens e Adultos EJA. estágios no Ensino Fundamental II com um total de 100 (cem) horas. Esse total de horas será dividido da seguinte maneira: 50 (cinquenta) horas Observação em sala de aula inclusiva (na modalidade Educação Infantil ou Ensino Fundamental I), 10 (dez) horas de elaboração de relatório e 10 (dez) horas de socialização com Professor Orientador. Na EJA, o aluno deve cumprir 20 (vinte) horas de Observação em sala de aula correspondente a EJA I -/Alfabetização, 5 (cinco) horas de elaboração de relatório e 5 (cinco) horas de socialização com Professor Orientador no semestre. Os alunos do 7º Semestre cumprirão 50 (cinquenta) horas de estágio em Gestão Escolar. Esse total de horas será dividido em 30 (trinta) horas de Observação na Gestão Escolar (na modalidade de Educação Infantil ou Ensino Fundamental I), 10 (dez) horas de elaboração de relatório e 10 (dez) horas de socialização com Professor Orientador no semestre. de

17 O professor orientador será o responsável pela elaboração, leitura e correção do relatório e pelo momento de socialização, que ficarão registrados em impressos separados e ao qual, o professor poderá atribuir uma nota de atividade para compor a média N2. Devem também cumprir 100 horas de atividades complementares, sendo distribuídas ao longo do curso ou do 5º ao 8º semestres conforme orientações do Manual de horas complementares. Cabe ressaltar que os estágios contribuem com a formação do Pedagogo e estão sempre inseridos num componente disciplinar como forma de enriquecer o aprendizado. Os prazos para entrega dos Estágios ocorrerão 15 (quinze) dias antes do encerramento do semestre, de acordo com o calendário acadêmico e o não cumprimento da entrega e prazo, gerará dependência. Os estágios serão realizados nas modalidades de Regência, Observação, Participação e, conforme roteiro. Profª. Dra. Ana Maria Affonso Cunha Coordenadora do Curso

18 CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA ESTÁGIO SUPERVISONADO 6º SEMESTRE EDUCAÇÃO ESPECIAL ALUNO (A): 6ºSEMESTRE PEDAGOGIA Ano: PARECER Pela análise das atividades previstas e realizadas para o estágio supervisionado do 6º Semestre, Educação Especial, o aluno (a) atingiu o conceito/nota/cumpriu. Mauá, de de 201 Assinatura do Professor.

ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO II EDUCAÇÃO ESPECIAL

ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO II EDUCAÇÃO ESPECIAL 0 ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO II EDUCAÇÃO ESPECIAL Pedagogia LICENCIATURA Versão Novembro 2016 E N V E L O P E 1 Folha de identificação; Folha carga horária e avaliação

Leia mais

ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO I. Educação Física LICENCIATURA Portaria de Reconhecimento nº. 428 de 28 de julho de 2014

ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO I. Educação Física LICENCIATURA Portaria de Reconhecimento nº. 428 de 28 de julho de 2014 ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO I Educação Física LICENCIATURA Portaria de Reconhecimento nº. 428 de 28 de julho de 2014 E N V E L O P E Folha de identificação*; Capa; Folha carga horária

Leia mais

ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I EDUCAÇÃO INFANTIL

ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I EDUCAÇÃO INFANTIL 0 ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I EDUCAÇÃO INFANTIL Pedagogia LICENCIATURA Versão Novembro de 2016 E N V E L O P E 1 Folha de identificação; Folha carga horária e avaliação

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ILHA SOLTEIRA CNPJ: / FACULDADE DE ILHA SOLTEIRA - FAISA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ILHA SOLTEIRA CNPJ: / FACULDADE DE ILHA SOLTEIRA - FAISA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ILHA SOLTEIRA CNPJ: 03.117.139/0001-08 FACULDADE DE ILHA SOLTEIRA - FAISA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA EDUCAÇÃO INFANTIL Ilha Solteira SP

Leia mais

ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO I ENSINO FUNDAMENTAL. Pedagogia LICENCIATURA

ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO I ENSINO FUNDAMENTAL. Pedagogia LICENCIATURA 0 ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO I ENSINO FUNDAMENTAL Pedagogia LICENCIATURA Versão novembro 2016 1 E N V E L O P E Folha de identificação; Folha carga horária e avaliação do professor orientador;

Leia mais

Pedagogia LICENCIATURA

Pedagogia LICENCIATURA Portaria de Reconhecimento nº. 286 de 21 de dezembro de 2012 ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO I ENSINO FUNDAMENTAL Pedagogia LICENCIATURA Portaria de Reconhecimento nº. 286 de 21 de dezembro

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ILHA SOLTEIRA CNPJ: / FACULDADE DE ILHA SOLTEIRA - FAISA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ILHA SOLTEIRA CNPJ: / FACULDADE DE ILHA SOLTEIRA - FAISA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ILHA SOLTEIRA CNPJ: 03.117.139/0001-08 FACULDADE DE ILHA SOLTEIRA - FAISA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA ENSINO FUNDAMENTAL Ilha Solteira SP

Leia mais

PROJETO DE ESTÁGIO DO CURSO DE PEDAGOGIA

PROJETO DE ESTÁGIO DO CURSO DE PEDAGOGIA PROJETO DE ESTÁGIO DO CURSO DE PEDAGOGIA APRESENTAÇÃO Segundo a legislação vigente, os Estágios constituem parte integrante do ensino e, conforme as Diretrizes Curriculares Nacionais devem ter um total

Leia mais

Pedagogia LICENCIATURA

Pedagogia LICENCIATURA CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Portaria de Reconhecimento nº. 286 de 21 de dezembro de 2012 ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I EDUCAÇÃO INFANTIL Pedagogia LICENCIATURA CURSO

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTOS DE ESTÁGIOS. Rua Luís Otávio, 1281 Parque Santa Cândida - CEP Campinas SP - Tel.

CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTOS DE ESTÁGIOS. Rua Luís Otávio, 1281 Parque Santa Cândida - CEP Campinas SP - Tel. CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTOS DE ESTÁGIOS 1 ANEXO I - REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA APRESENTAÇÃO O Estágio é o campo de treinamento, espaço de aprendizagem do fazer concreto

Leia mais

Pedagogia LICENCIATURA

Pedagogia LICENCIATURA CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Portaria de Reconhecimento nº. 286 de 21 de dezembro de 2012 ROTEIRO DE ORGANIZAÇÃO DO CADERNO DE ESTÁGIO III GESTÃO ESCOLAR Pedagogia LICENCIATURA CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

Diretrizes gerais do estágio supervisionado

Diretrizes gerais do estágio supervisionado Diretrizes gerais do estágio supervisionado O estágio supervisionado é uma atividade exigida pela DCN e previsto no projeto pedagógico do curso. Os estudantes deverão realizá-lo em instituições idôneas

Leia mais

ASSOCIAÇÃO TABOÃO DA SERRA DE EDUCAÇÃO E CULTURA FACULDADE SUDOESTE PAULISTANO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

ASSOCIAÇÃO TABOÃO DA SERRA DE EDUCAÇÃO E CULTURA FACULDADE SUDOESTE PAULISTANO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO ASSOCIAÇÃO TABOÃO DA SERRA DE EDUCAÇÃO E CULTURA FACULDADE SUDOESTE PAULISTANO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS - EJA PEDAGOGIA Diretrizes e Orientações Coordenador

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO I EDUCAÇÃO INFANTIL CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ANO LETIVO :

ESTÁGIO SUPERVISIONADO I EDUCAÇÃO INFANTIL CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ANO LETIVO : ESTÁGIO SUPERVISIONADO I EDUCAÇÃO INFANTIL Aluno: CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ANO LETIVO : RA: Semestre: Turma: Endereço Completo: _ R. Cep: Telefone: E-MAIL Avaliação do Professor Orientador de Estágio:

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ILHA SOLTEIRA CNPJ: 03.117.139/0001-08 FACULDADE DE ILHA SOLTEIRA - FAISA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ILHA SOLTEIRA CNPJ: 03.117.139/0001-08 FACULDADE DE ILHA SOLTEIRA - FAISA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ILHA SOLTEIRA CNPJ: 03.117.139/0001-08 FACULDADE DE ILHA SOLTEIRA - FAISA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA GESTÃO ESCOLAR Ilha Solteira SP 2014

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO MANTIDA PELA INSTITUIÇÃO PAULISTA DE ENSINO E CULTURA - IPEC REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO: LICENCIATURA EM PEDAGOGIA TUPÃ SP 2016 LEGISLAÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO ESTÁGIO

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DE RIBEIRÃO PIRES

FACULDADES INTEGRADAS DE RIBEIRÃO PIRES FACULDADES INTEGRADAS DE RIBEIRÃO PIRES CURSO DEMATEMÁTICA - LICENCIATURA Versão 2016.1 Manual de Estágio Supervisionado Ribeirão Pires Prezado acadêmico Este manual destina-se a orientar o aluno de Licenciatura

Leia mais

CARTA DE APRESENTAÇÃO

CARTA DE APRESENTAÇÃO CARTA DE APRESENTAÇÃO Para cumprir as exigências legais e pedagógicas, dispostas na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB 9394/96) e na Resolução do Conselho Nacional de Educação nº 02/02,

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Arte (Teatro Artes Visuais Música - Dança)

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Arte (Teatro Artes Visuais Música - Dança) MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Arte (Teatro Artes Visuais Música - Dança) FACULDADE PAULISTA DE ARTES FPA Av. Brigadeiro Luís Antônio, 1224 Bela Vista CEP: 01318-001 São Paulo/ SP Tel.:/Fax

Leia mais

ASSOCIAÇÃO TABOÃO DA SERRA DE EDUCAÇÃO E CULTURA FACULDADE SUDOESTE PAULISTANO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EDUCAÇÃO ESPECIAL

ASSOCIAÇÃO TABOÃO DA SERRA DE EDUCAÇÃO E CULTURA FACULDADE SUDOESTE PAULISTANO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EDUCAÇÃO ESPECIAL ASSOCIAÇÃO TABOÃO DA SERRA DE EDUCAÇÃO E CULTURA FACULDADE SUDOESTE PAULISTANO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EDUCAÇÃO ESPECIAL Diretrizes e Orientações Coordenador de Estágio Profª Adil

Leia mais

FICHA DE ESTAGIO. Nome do Estagiário (a): Endereço: Tel.: R.A.: Sexo: M ( ) F ( ) Data de Nascimento: / / Natural de: Estado: Curso:

FICHA DE ESTAGIO. Nome do Estagiário (a): Endereço: Tel.: R.A.: Sexo: M ( ) F ( ) Data de Nascimento: / / Natural de: Estado: Curso: FICHA DE ESTAGIO Nome do Estagiário (a): Endereço: Tel.: R.A.: Sexo: M ( ) F ( ) Data de Nascimento: / / Natural de: Estado: Curso: Professor (a) Orientador (a) do Estágio (Professor (a) da FMR): Local

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO MINUTA RESOLUÇÃO/UEPB/CONSEPE/XX/2013 Regulamenta e define a carga horária e a ementa do componente curricular Estágio Supervisionado,

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO I - ORIENTAÇÕES ETAPAS

ESTÁGIO SUPERVISIONADO I - ORIENTAÇÕES ETAPAS ESTÁGIO SUPERVISIONADO I - ORIENTAÇÕES 2011.1 ETAPAS 1) Entrega do Plano de Estágio Entregar (impresso) até o dia 30.04.11 o plano de estágio supervisionado em Engenharia Civil, através do preenchimento

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA EAD/UFMS TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS CAPÍTULO I DA NATUREZA DO ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA EAD/UFMS TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS CAPÍTULO I DA NATUREZA DO ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA EAD/UFMS TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS CAPÍTULO I DA NATUREZA DO ESTÁGIO Art. 1º - O Estágio Obrigatório, pela sua natureza, é

Leia mais

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Ciências Sociais REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Ciências Sociais REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Ciências Sociais REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - O Estágio

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE FILOSOFIA DA USJT CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE FILOSOFIA DA USJT CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE FILOSOFIA DA USJT CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este Regulamento estabelece as normas para o cumprimento da carga horária mínima em Estágio

Leia mais

ESTÁGIO OBRIGATÓRIO EM MATEMÁTICA

ESTÁGIO OBRIGATÓRIO EM MATEMÁTICA ESTÁGIO OBRIGATÓRIO EM MATEMÁTICA Como funciona o Estágio no curso de matemática? O Curso de Licenciatura em Matemática atende também a essa determinação, pois integra em seu currículo as disciplinas Prática

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Fixa as normas que regulamentam as Atividades Complementares no âmbito do curso de Bacharelado em Administração da FAPPES Faculdade Paulista de Pesquisa e Ensino

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO

CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO CAPÍTULO I - DA DEFINIÇÃO DO ESTÁGIO Artigo 01 - O Estágio Supervisionado constitui disciplina obrigatória do Currículo dos Cursos de Licenciatura.

Leia mais

Licenciatura em Matemática MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Licenciatura em Matemática MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Matemática MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 2012 APRESENTAÇÃO Este manual tem como objetivo principal auxiliar você a cumprir o estágio supervisionado obrigatório e as Atividades Complementares

Leia mais

ACEITE DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO. Eu ocupando por função/ cargo, na () Instituição / (X) Escola

ACEITE DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO. Eu ocupando por função/ cargo, na () Instituição / (X) Escola Av. Leonardo Villas Boas, 351 Botucatu SP CEP 18.608-901 Fone/fax (0xx14) 3815-2500 ACEITE DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Eu ocupando por função/ cargo, na () Instituição / (X) Escola aceito a realização de

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS CADERNO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO I

CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS CADERNO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO I CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS CADERNO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO I Aluno (a): R.A.: Período Letivo: Ano/Sem.: Ribeirão Preto 2015 SUMARIO 1. APRESENTAÇÃO 3 2. O ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

Leia mais

CADASTRO EMERGENCIAL- CEL /Idioma Japonês 2017

CADASTRO EMERGENCIAL- CEL /Idioma Japonês 2017 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE PRESIDENTE PRUDENTE Av. Manoel Goulart, 2651 Bairro Centro Universitário CEP: 19060-000- Presidente Prudente.

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICO- CIENTÍFICO-CULTURAIS DO CURSO DE LETRAS DA FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE - FAPEPE

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICO- CIENTÍFICO-CULTURAIS DO CURSO DE LETRAS DA FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE - FAPEPE REGULAMENTO DAS ACADÊMICO- CIENTÍFICO-CULTURAIS DO CURSO DE LETRAS DA FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE - FAPEPE REGULAMENTO DAS ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS CURSO DE LETRAS - LICENCIATURA LÍNGUA PORTUGUESA

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogando a Resolução CONSEACC/BP 76/2009 e demais disposições contrárias.

R E S O L U Ç Ã O. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogando a Resolução CONSEACC/BP 76/2009 e demais disposições contrárias. RESOLUÇÃO CONSEACC/BP 20/2017 ALTERA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DO CAMPUS BRAGANÇA PAULISTA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. A Presidente do Conselho Acadêmico de Campus

Leia mais

Orientações para a realização dos estágios de observação de aulas

Orientações para a realização dos estágios de observação de aulas "Campus de São José do Rio Preto Departamento: Educação Curso: Licenciatura em Letras (diurno e noturno) Disciplina: Estágios Curriculares Supervisionados I: Língua Estrangeira obrigatória /anual Carga

Leia mais

ASSOCIAÇÃO TABOÃO DA SERRA DE EDUCAÇÃO E CULTURA FACULDADE SUDOESTE PAULISTANO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

ASSOCIAÇÃO TABOÃO DA SERRA DE EDUCAÇÃO E CULTURA FACULDADE SUDOESTE PAULISTANO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO ASSOCIAÇÃO TABOÃO DA SERRA DE EDUCAÇÃO E CULTURA FACULDADE SUDOESTE PAULISTANO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EDUCAÇÃO INFANTIL - PEDAGOGIA Diretrizes e Orientações Coordenador de Estágio

Leia mais

Planilha de Conceito

Planilha de Conceito Planilha de Conceito Nome do Estagiário QUADRO DA PONTUAÇÃO OBTIDA Matrícula (cartão UFRGS) TABELA DE CONCEITOS Pontos do Grupo I (Multiplicado por 2) Pontos do Grupo II (Multiplicado por 2) de 51 a 179

Leia mais

Serviço Público Federal FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão. RESOLUÇÃO ConsEPE Nº 158

Serviço Público Federal FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão. RESOLUÇÃO ConsEPE Nº 158 Regulamenta as normas gerais para a realização de Estágio Curricular e Estágio Não Curricular nos Cursos de Graduação em Engenharia da UFABC e revoga as Resoluções ConsEP nº 76, 77, 78, 79, 80, 81, 82

Leia mais

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE FONOAUDIOLOGIA

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE FONOAUDIOLOGIA UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE FONOAUDIOLOGIA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES COORDENADORA Susana Elena Delgado ELABORAÇÃO Conselho do Curso 20 2 INTRODUÇÃO A Lei de Diretrizes e Bases

Leia mais

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE LETRAS MANUAL DE ESTÁGIO

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE LETRAS MANUAL DE ESTÁGIO FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE LETRAS MANUAL DE ESTÁGIO 1. APRESENTAÇÃO Este manual traz as orientações necessárias ao cumprimento das atividades de Estágio Curricular Supervisionado de

Leia mais

O Estágio é uma atividade curricular obrigatória desenvolvida a partir da inserção do aluno no espaço

O Estágio é uma atividade curricular obrigatória desenvolvida a partir da inserção do aluno no espaço O Estágio é uma atividade curricular obrigatória desenvolvida a partir da inserção do aluno no espaço socioinstitucional, objetivando oportunizar a experiência do supervisão direta e sistemática. exercício

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CATEGORIAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Art. 2 o As Atividades Complementares do currículo do Curso de Direito, que devem ser cursadas após o ingresso

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ORIENTAÇÕES SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO I,II E III

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ORIENTAÇÕES SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO I,II E III ORIENTAÇÕES SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO I,II E III DIAMANTINA 2010 ORIENTAÇÕES SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II e III O Estágio Supervisionado do Curso de Licenciatura da Educação Física da Universidade

Leia mais

MANUAL ATIVIDADES ACADÊMICAS CIENTÍFICAS CULTURAIS (AACCs) LICENCIATURA E BACHARELADO

MANUAL ATIVIDADES ACADÊMICAS CIENTÍFICAS CULTURAIS (AACCs) LICENCIATURA E BACHARELADO MANUAL ATIVIDADES ACADÊMICAS CIENTÍFICAS CULTURAIS (AACCs) ESTÁGIO SUPERVISIONADO LICENCIATURA E BACHARELADO ATIVIDADES ACADÊMICAS CIENTÍFICAS CULTURAIS (AACC) LICENCIATURA / BACHARELADO Ementa: As Atividades

Leia mais

RESOLUÇÃO TGT Nº 04/2015

RESOLUÇÃO TGT Nº 04/2015 ANO XLV N. 078 26/05/2015 SEÇÃO II PÁG. 028 RESOLUÇÃO TGT Nº 04/2015 Niterói, 06 de maio de 2015 O Colegiado do Curso de Graduação em Engenharia de Telecomunicações, em reunião ordinária de 06/05/2015,

Leia mais

Manual de Estágio Supervisionado Curso de Serviço Social - UniÍtalo

Manual de Estágio Supervisionado Curso de Serviço Social - UniÍtalo Manual de Estágio Supervisionado Curso de Serviço Social - UniÍtalo Manual de Estágio Supervisionado Curso de Serviço Social - UniÍtalo O aluno/a, apto a realizar o estágio obrigatório em Serviço Social

Leia mais

EDITAL N 001/2015 ENFERMAGEM PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO

EDITAL N 001/2015 ENFERMAGEM PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS CÂMPUS DE PALMAS CURSO DE ENFERMAGEM Av. NS 15, ALCNO 14, Bloco IV, 109 Norte Palmas/TO (63) 3232-8318 www.uft.edu.br enfermagem@uft.edu.br EDITAL N 001/2015 ENFERMAGEM

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA Anexo à Resolução nº 06 de 16 de maio de 2011. REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA CAPÍTULO I DA NATUREZA E DAS FINALIDADES 2 CAPÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS 2 CAPÍTULO

Leia mais

Orientações - Estágio Curricular Obrigatório

Orientações - Estágio Curricular Obrigatório Orientações - Estágio Curricular Obrigatório 1. Apresentação O estágio curricular é obrigatório para as Licenciaturas e está baseado na seguinte Legislação: 1.A - LICENCIATURAS EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS,

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Empresarial. Prof. Me. Vitor Paulo Boldrin Organizador. ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS Regulamento

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Empresarial. Prof. Me. Vitor Paulo Boldrin Organizador. ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS Regulamento Curso Superior de Tecnologia em Gestão Empresarial Prof. Me. Vitor Paulo Boldrin Organizador ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS Regulamento Jales 2016 APRESENTAÇÃO E EMENTA O presente texto visa

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA Belo Horizonte 2016 Presidente do Grupo Splice Antônio Roberto Beldi Reitor João Paulo Barros Beldi Secretária-Geral Jacqueline Guimarães Ribeiro

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE CENECISTA DE VARGINHA Administração e Ciências Contábeis: Reconhecimento pelo Decreto Federal Nº 76177/75 - D.O. 02/09/75 Ciências Econômicas: Reconhecimento através da Portaria Ministerial Nº

Leia mais

Orientações para a realização dos estágios de observação de aulas

Orientações para a realização dos estágios de observação de aulas "Campus de São José do Rio Preto Departamento: Educação Curso: Licenciatura em Letras (diurno e noturno) Disciplina: Estágios Curriculares Supervisionados I: Língua Materna obrigatória /anual Carga horária:

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL (SUPERVISIONADO)

REGULAMENTO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL (SUPERVISIONADO) REGULAMENTO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL (SUPERVISIONADO) GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA PROFª MS. ELAINE CRISTINA SIMOES BRAGANÇA PAULISTA 2013 O estágio é um ato educativo supervisionado, desenvolvido no ambiente

Leia mais

RESUMO DAS ORIENTAÇÕES PARA O ESTÁGIO DA GRADUAÇÃO. (Essas orientações estão disponíveis em

RESUMO DAS ORIENTAÇÕES PARA O ESTÁGIO DA GRADUAÇÃO. (Essas orientações estão disponíveis em 1 RESUMO DAS ORIENTAÇÕES PARA O ESTÁGIO DA GRADUAÇÃO (Essas orientações estão disponíveis em http://sites.google.com/site/efcidadeuniversitaria) - O estágio somente poderá ser iniciado a partir da segunda

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO ESCOLA PAULISTA DE POLÍTICA, ECONOMIA E NEGÓCIOS CURSO DE CIÊNCIAS ATUARIAIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES BACHARELADO EM CIÊNCIAS ATUARIAIS Regulamento das

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA PRATICA DE DOCÊNCIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGEd) DA UNOESC CAPÍTULO I

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA PRATICA DE DOCÊNCIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGEd) DA UNOESC CAPÍTULO I MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA PRATICA DE DOCÊNCIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGEd) DA UNOESC CAPÍTULO I DA FINALIDADE E DO OBJETIVO DA PRÁTICA DE DOCÊNCIA Art. 1º A Prática de Docência constitui

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DA INDÚSTRIA IEL

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DA INDÚSTRIA IEL REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DA INDÚSTRIA IEL CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 As Atividades Complementares são componentes da

Leia mais

COORDENAÇÃO DO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS

COORDENAÇÃO DO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS REGIMENTO GERAL DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E NÃO-OBRIGATÓRIO DO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS DA UFPR O estágio visa oportunizar situações de aprendizagem em campo para a preparação profissional do aluno, atendendo

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA PARA PROFESSOR SUBSTITUTO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SME EDITAL Nº 13/2012 ANEXO I (INTEGRANTE DO EDITAL Nº 13/2012)

SELEÇÃO PÚBLICA PARA PROFESSOR SUBSTITUTO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SME EDITAL Nº 13/2012 ANEXO I (INTEGRANTE DO EDITAL Nº 13/2012) ANEXO I (INTEGRANTE DO ) DA ÁREA DE ATUAÇÃO/DISCIPLINA, DA CARGA HORÁRIA E DA REMUNERAÇÃO BÁSICA ÁREA / DISCIPLINA CARGA HORÁRIA REMUNERAÇÃO PROFESSOR PEDAGOGO 200 R$ 1.942,69 (hum mil, novecentos e quarenta

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de São Paulo Campus Osasco

Ministério da Educação Universidade Federal de São Paulo Campus Osasco Ministério da Educação Universidade Federal de São Paulo Campus Osasco UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO UNIFESP ESCOLA PAULISTA DE POLÍTICA, ECONOMIA E NEGÓCIOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS ATUARIAIS

Leia mais

Perguntas e respostas mais frequentes sobre ESTÁGIOS 1. POR QUAL ÓRGÃO DEVO INICIAR A FORMALIZAÇÃO DE INÍCIO DE ESTÁGIO?

Perguntas e respostas mais frequentes sobre ESTÁGIOS 1. POR QUAL ÓRGÃO DEVO INICIAR A FORMALIZAÇÃO DE INÍCIO DE ESTÁGIO? Perguntas e respostas mais frequentes sobre ESTÁGIOS 1. POR QUAL ÓRGÃO DEVO INICIAR A FORMALIZAÇÃO DE INÍCIO DE ESTÁGIO? O Setor de Estágio (SESTA) da Diretoria de Ensino da Pró -Reitoria de Graduação

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUIMICA SECÃO I

INSTRUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUIMICA SECÃO I INSTRUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUIMICA SECÃO I DA DEFINIÇÃO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º - A Coordenação do Curso de Licenciatura em Química da UTFPR Campus

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL I - Introdução O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental, aprovado através da Resolução nº

Leia mais

CARTA DE APRESENTAÇÃO DO ESTUDANTE

CARTA DE APRESENTAÇÃO DO ESTUDANTE ANEXO I CARTA DE APRESENTAÇÃO DO ESTUDANTE Senhor (a) Diretor (a):, de de. O Curso de PEDAGOGIA UNITINS/2007 apresenta a Vossa Senhoria o (a) estudante, que tem interesse em cumprir suas atividades práticas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA

Leia mais

EDITAL PIBIC O PROGRAMA CONFERE

EDITAL PIBIC O PROGRAMA CONFERE EDITAL PIBIC 2018 O Instituto de Ensino Superior Múltiplo IESM, através da Coordenação de Pesquisa e Extensão torna pública a abertura das inscrições para o seu Programa de Iniciação Científica e convoca

Leia mais

FATEC-CARAPICUÍBA. Doc. 1 REGIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

FATEC-CARAPICUÍBA. Doc. 1 REGIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO FATEC-CARAPICUÍBA Doc. 1 REGIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO ASTI (Jogos, Segurança, Bacharel, SI) CURSO ADS (Análise e Desenvolvimento de Sistemas) 2 1. DA NATUREZA DO ESTÁGIO 1.1 O estágio curricular

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS SUPERIORES DE LICENCIATURA

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS SUPERIORES DE LICENCIATURA REGULAMENTO DE ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS SUPERIORES DE LICENCIATURA Normatiza a realização dos estágios supervisionados previstos nas Matrizes Curriculares dos Cursos Superiores de Licenciatura

Leia mais

Projeto do Estágio Supervisionado da Licenciatura em Ciências Biológicas (Parte do Projeto Pedagógico do Curso )

Projeto do Estágio Supervisionado da Licenciatura em Ciências Biológicas (Parte do Projeto Pedagógico do Curso ) Projeto do Estágio Supervisionado da Licenciatura em Ciências Biológicas (Parte do Projeto Pedagógico do Curso ) De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de professores - Art

Leia mais

CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA - Manual de Horas Complementares

CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA - Manual de Horas Complementares CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA Manual de Horas Complementares Prezado acadêmico Este manual destinase a orientar o aluno do Curso de Educação Física Licenciatura da Faculdade de Mauá FAMA na realização

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DE ESTAGIO CURSO DE GRADUAÇÃO EM HISTORIA LICENCIATURA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO

REGIMENTO INTERNO DE ESTAGIO CURSO DE GRADUAÇÃO EM HISTORIA LICENCIATURA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO REGIMENTO INTERNO DE ESTAGIO CURSO DE GRADUAÇÃO EM HISTORIA LICENCIATURA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Dispõe sobre o cumprimento da carga horária de Estágio Supervisionado

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA. Manual de Horas Complementares

CURSO DE PEDAGOGIA. Manual de Horas Complementares FACULDADES INTEGRADAS DE RIBEIRÃO PIRES CURSO DE PEDAGOGIA Versão 2016 Manual de Horas Complementares Ribeirão Pires 2 Prezado acadêmico Este manual destina-se a orientar o aluno de Licenciatura em pedagogia

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ENERGIA I INTRODUÇÃO II CARACTERÍSTICAS GERAIS

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ENERGIA I INTRODUÇÃO II CARACTERÍSTICAS GERAIS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ENERGIA I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Engenharia de Energia é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares

Leia mais

ANEXO I REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO TÍTULO I DAS FINALIDADES

ANEXO I REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO TÍTULO I DAS FINALIDADES ANEXO I REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Regulamenta o Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Licenciatura em Pedagogia da Universidade de Sorocaba UNISO. TÍTULO I DAS FINALIDADES Art.1º. O

Leia mais

PROCEDIMENTOS DAS DISCIPLINAS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS EAD DE LICENCIATURA

PROCEDIMENTOS DAS DISCIPLINAS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS EAD DE LICENCIATURA PROCEDIMENTOS DAS DISCIPLINAS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS EAD DE LICENCIATURA (LETRAS, HISTÓRIA, MATEMÁTICA E PEDAGOGIA) 1 - Diretrizes Gerais As disciplinas de Estágio Supervisionado contemplam

Leia mais

2 DOS CURSOS, DOS TURNOS, ÁREA AFIM AO CURSO PRETENDIDO E DO NÚMERO DE VAGAS OFERECIDAS

2 DOS CURSOS, DOS TURNOS, ÁREA AFIM AO CURSO PRETENDIDO E DO NÚMERO DE VAGAS OFERECIDAS Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Porto Alegre EDITAL Nº 160, DE 20 DE OUTUBRO DE

Leia mais

UniBrasil Centro Universitário

UniBrasil Centro Universitário 1 UniBrasil Centro Universitário REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA CURITIBA MARÇO DE 2014 2 SUMÁRIO CAPÍTULO 1 Do estágio e sua finalidade...3 CAPÍTULO 2 Das condições...3

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO - ANO LETIVO DE 2014

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO - ANO LETIVO DE 2014 A Escola de Sociologia e Política de São Paulo, a Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação e a Faculdade de Administração, faculdades mantidas pela FESPSP (Fundação Escola de Sociologia e Política

Leia mais

Alterações no Regime Didático 2016

Alterações no Regime Didático 2016 Alterações no Regime Didático 2016 Art. 41 - Ao Orientador Acadêmico compete: I - exercer o acompanhamento acadêmico dos seus orientados. II - zelar para que sejam cumpridas as determinações e recomendações

Leia mais

NORMATIVA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE HISTÓRIA LICENCIATURA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO

NORMATIVA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE HISTÓRIA LICENCIATURA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO NORMATIVA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE HISTÓRIA LICENCIATURA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Os estágios curriculares no curso de História-Licenciatura

Leia mais

EDITAL DE MONITORIA no. 02/2016

EDITAL DE MONITORIA no. 02/2016 EDITAL DE MONITORIA no. 02/2016 Dispõe sobre o procedimento de seleção de alunos ao Programa de Monitoria do Curso de Pedagogia da Faculdade Única de Contagem e dá outras providências. A COORDENAÇÃO DO

Leia mais

UNIABEU CENTRO UNIVERSITÁRIO EDITAL DE 28 DE MARÇO DE 2013 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO POR TRANSFERÊNCIA EXTERNA

UNIABEU CENTRO UNIVERSITÁRIO EDITAL DE 28 DE MARÇO DE 2013 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO POR TRANSFERÊNCIA EXTERNA UNIABEU CENTRO UNIVERSITÁRIO EDITAL DE 28 DE MARÇO DE 2013 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO POR TRANSFERÊNCIA EXTERNA 2013-2 O Reitor do UNIABEU Centro Universitário, no uso de suas atribuições

Leia mais

Dúvidas frequentes Estágios Curriculares

Dúvidas frequentes Estágios Curriculares 1 Dúvidas frequentes Estágios Curriculares 1) O que é estágio curricular e extracurricular? O estágio curricular é um ato educativo e agente integrador acadêmico profissional, configurado para ser um componente

Leia mais

EDITAL Nº 03/2016, de 07 de março de O cadastro de reserva será formado pelos estudantes-candidatos aprovados no processo seletivo.

EDITAL Nº 03/2016, de 07 de março de O cadastro de reserva será formado pelos estudantes-candidatos aprovados no processo seletivo. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO CAMPUS BOM JESUS DA LAPA EDITAL Nº 03/2016, de 07 de março de 2016. O

Leia mais

FACULDADE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E MEIO AMBIENTE - FAMA. REGULAMENTO DAS ATIVIDADES CURRICULARES COMPLEMENTARES- ACCs

FACULDADE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E MEIO AMBIENTE - FAMA. REGULAMENTO DAS ATIVIDADES CURRICULARES COMPLEMENTARES- ACCs FACULDADE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E MEIO AMBIENTE - FAMA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES CURRICULARES COMPLEMENTARES- ACCs CLEVELÂNDIA PR 2016 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES CURRICULARES COMPLEMENTARES- ACCs CURSO

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO Turma. Da: Universidade Estadual de Goiás Câmpus Jussara Para:

CURSO DE LICENCIATURA EM ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO Turma. Da: Universidade Estadual de Goiás Câmpus Jussara Para: CURSO DE LICENCIATURA EM ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO Turma Da: Universidade Estadual de Goiás Câmpus Jussara Para: CARTA DE APRESENTAÇÃO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I O acadêmico (a),,

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS- CCL Coordenação do Curso de Letras

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS- CCL Coordenação do Curso de Letras REGULAMENTO DE MONITORIA TÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS OBJETIVOS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO Art. 1 o A Monitoria no Centro de Comunicação e Letras (CCL) será regida por este regulamento e corresponderá ao conjunto

Leia mais

Manual de Estágio Obrigatório. Lei nº de 25/09/2008. Design Gráfico Design de Produtos

Manual de Estágio Obrigatório. Lei nº de 25/09/2008. Design Gráfico Design de Produtos Manual de Estágio Obrigatório Lei nº 11.788 de 25/09/2008 Design Gráfico Design de Produtos Limeira 2015 Sumário 1. O que é Estágio?... 3 1.1. Estágio em empresas... 3 1.1.1. Documentos necessários...

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DESEMBARGADOR SÁVIO BRANDÃO - FAUSB

FACULDADES INTEGRADAS DESEMBARGADOR SÁVIO BRANDÃO - FAUSB FACULDADES INTEGRADAS DESEMBARGADOR SÁVIO BRANDÃO - FAUSB REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES VÁRZEA GRANDE - 2015 A Diretora Acadêmica da Faculdade Integradas Desembargador Sávio Brandão - FAUSB,

Leia mais

NORMAS GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA

NORMAS GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NORMAS GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA As presentes normas têm por objetivo disciplinar e orientar os alunos do curso de Educação Física da Universidade

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS CANGUARETAMA EDITAL 08/2015 DG/CANG/IFRN

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS CANGUARETAMA EDITAL 08/2015 DG/CANG/IFRN MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS CANGUARETAMA EDITAL 08/2015 DG/CANG/IFRN COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO BR-101, Km 160, S/N, Areia Branca,

Leia mais

Art. 8º - A duração do Estágio Supervisionado Obrigatório será estipulado no projeto pedagógico de cada curso.

Art. 8º - A duração do Estágio Supervisionado Obrigatório será estipulado no projeto pedagógico de cada curso. REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO IFPR- CÂMPUS CURITIBA CAPITULO I DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO E SUAS FINALIDADES Art. 1º - O Estágio Supervisionado Obrigatório, previsto na Lei

Leia mais

EDITAL 16/2017 SELEÇÃO DE ESTÁGIO PARA O SERVIÇO DE FISIOTERAPIA NO CENTRO DE SAÚDE DA FACULDADE GUANAMBI

EDITAL 16/2017 SELEÇÃO DE ESTÁGIO PARA O SERVIÇO DE FISIOTERAPIA NO CENTRO DE SAÚDE DA FACULDADE GUANAMBI EDITAL 16/2017 SELEÇÃO DE ESTÁGIO PARA O SERVIÇO DE FISIOTERAPIA NO CENTRO DE SAÚDE DA FACULDADE GUANAMBI A Direção Acadêmica Administrativa da Faculdade Guanambi torna pública a abertura de inscrições

Leia mais

2 DOS CURSOS, DOS TURNOS, ÁREA AFIM AO CURSO PRETENDIDO E DO NÚMERO DE VAGAS OFERECIDAS

2 DOS CURSOS, DOS TURNOS, ÁREA AFIM AO CURSO PRETENDIDO E DO NÚMERO DE VAGAS OFERECIDAS Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Porto Alegre EDITAL Nº 63, DE 14 DE OUTUBRO DE 26

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 02/2017 CONCURSO PARA INGRESSO DE MONITOR

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 02/2017 CONCURSO PARA INGRESSO DE MONITOR 1 CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 02/2017 A Coordenação do Curso de ARQUITETURA E URBANISMO, da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, no uso de suas atribuições

Leia mais

MANUAL DO PROJETO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO AMERICANA

MANUAL DO PROJETO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO AMERICANA FACULDADE DE AMERICANA 1 Mantida pela Associação Educacional Americanense Credenciamento Portaria MEC N 766/99 DOU 18/05/99 MANUAL DO PROJETO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO AMERICANA Fevereiro 2017 2 FICHA

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Dispõe sobre o Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso de Pedagogia da Faculdade Capivari. CAPÍTULO I - DAS

Leia mais