PARA FAZER DE JOINVILLE UM MODELO PARA O BRASIL.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PARA FAZER DE JOINVILLE UM MODELO PARA O BRASIL."

Transcrição

1 PARA FAZER DE JOINVILLE UM MODELO PARA O BRASIL.

2

3

4 Vamos fazer uma Revol Este plano de governo apresenta várias propostas revolucionárias para nossa cidade. Dentre elas, destacamos três grandes prioridades, que representam soluções integrais e multidisciplinares: a Frente Social, a Frente Administrativa e a Frente Urbana. A Frente Social será feita por meio de uma de nossas propostas mais inovadoras: a Mega-Secretaria de Segurança e Desenvolvimento Social. Essa mega-solução consiste na criação de Parques da Cidadania, onde as pessoas de cada região, especialmente os mais jovens, terão acesso a novas opções de educação, cultura, esporte e lazer. Por outro lado, cada localidade beneficiada por um Parque da Cidadania vai contar com expressivo reforço policial, seja por novos convênios com a Polícia Militar, seja pela criação da Guarda Municipal de Joinville. A Frente Administrativa consiste, fundamentalmente, numa mudança de métodos na gestão pública. No lugar da acomodação, do jeitinho e da politicagem, vamos estabelecer metas e cobrar resultados de cada secretaria, divisão ou autarquia da Prefeitura de Joinville. E vamos governar com transparência total, publicando a movimentação das contas públicas. Além disso, vamos informatizar o fluxo de recursos, especialmente o de remédios e insumos para a saúde, para acabar com as fraudes e desvios. Para nós, sanear as contas será o primeiro passo para oferecermos um serviço de saúde mais eficiente e digno aos joinvilenses. Pois só com mais recursos poderemos ampliar os leitos nos hospitais, construir e reformar postos de saúde, intensificar programas preventivos como Saúde da Família e contratar mais profissionais da área médica.

5 evolução em Joinville. A Frente Urbana representa uma transformação física importante na cidade. Joinville está se tornando uma metrópole, com demandas cada vez maiores em saneamento e mobilidade. Nós temos feito contatos internacionais no sentido de obter financiamentos importantes para a despoluição do Cachoeira e para a construção de um metrô de superfície. Defendemos um novo modelo para o transporte coletivo, com maior agilidade para os usuários e passe livre para os estudantes. E propomos a viabilização de novas ciclovias, além da pavimentação de mais 300 quilômetros de ruas nos bairros de Joinville. Afinal, pavimentação também significa desenvolvimento e qualidade de vida. Essas propostas revelam não só novas idéias para a comunidade joinvilense, mas sobretudo novos conceitos e métodos de gestão pública. E não poderia ser de outro modo. Afinal, nossa candidatura se posiciona como a mais inovadora e a mais independente de todas. Pois, acima de tudo, temos consciência de uma coisa: nós só dependemos de você, eleitor. E nossa vida como homens públicos só tem sentido se governarmos por você e para você. Com a mais absoluta correção, honestidade e espírito público. Assim fomos educados por nossos pais. Assim agimos em toda a nossa vida. Assim faremos de Joinville um modelo para o Brasil. Vem comigo, vamos com Rodrigo e Gaspar! COLIGAÇÃO FORÇA, JOINVILLE!

6

7 Para apresentar este Plano de Governo, diferentes setores da sociedade foram consultados e participaram ativamente de sua construção. Após um diagnóstico de cada área de atuação do poder público municipal, os participantes formataram as ações inovadoras que agora propomos para Joinville. Joinville é modelo em diversas áreas de atuação. Somos reconhecidos por nossa dedicação ao trabalho e à família. Temos a garra dos imigrantes e migrantes que construíram nossa cidade. Mas também temos a consciência de que ela pode melhorar muito, principalmente em qualidade de vida. A receita é simples: eficiência e transparência na atuação do poder público, ações inovadoras integradas e a garantia de uma gestão verdadeiramente democrática, na qual o controle social e o poder da comunidade sejam uma realidade. Por entendermos que a excessiva segmentação das ações do poder público tem dificultado a resolução de questões interdisciplinares, este Plano de Governo ousa inovar em sua estruturação, propondo 12 eixos estratégicos abrangentes, que permitirão a análise e a resolução conjuntas de questões intersetoriais, que se relacionam em causas e efeitos. O Plano quer retratar a nossa capacidade de enfrentar os desafios de uma cidade que se desenvolve sob novos paradigmas, levando em consideração que cidades inteligentes são aquelas que criam melhores condições para viver o presente, valorizar o passado e preparar o futuro. Trata-se de uma visão que difere da abordagem tradicional das políticas públicas, em que estas são formuladas e implantadas isoladamente, gerando atendimentos fragmentados, muitas vezes sem atuar na prevenção dos problemas geradores. Este modo diferenciado de planejar e agir será um avanço conceitual na gestão pública municipal, e promoverá conquistas perenes para nossa cidade. Na Prefeitura Municipal de Joinville, seremos o diferencial, a alternativa técnica e viável para um governo popular, participativo, que valoriza as comunidades na consolidação do desenvolvimento humano para todos e por todos. Mais do que um apanhado de ações possíveis, tecnicamente e cuidadosamente elaboradas, este plano de governo participativo é um compromisso que assumimos, desde já, com todos os joinvilenses. Rodrigo Bornholdt - Prefeito João Gaspar da Rosa - Vice-Prefeito

8

9 Missão Garantir um modelo de gestão pública transparente, ética, participativa e inovadora. Estimular a consolidação de uma sociedade democrática, livre, justa e solidária. Erradicar a marginalidade, reduzindo preconceitos e desigualdades sociais. Transformar a cidade para a melhoria da qualidade de vida.

10

11 Doze Eixos Estratégicos 01. Programa Decidir Programa Educar Programa Saúde para Todos...20 Programa de Segurança Alimentar e Nutricional Programa Parques da Cidadania...25 Quatro Parques da Cidadania...25 Parques de Lazer...26 Parques Ambientais Programa Viver Joinville...29 Cultura...29 Esporte e lazer Programa Cidade Legal...36 Habitação...37 Mobilidade Urbana Programa Cidade da Gente...42 Comunidades em risco social e grupos especiais Programa Desenvolver...46 Economia Criativa...48 Turismo Programa Cidade Rural Programa Preservar...58 Patrimônio Natural...58 Patrimônio Cultural Programa de Segurança Participativa Programa de Qualidade Total...67

12

13 P L A N O R E V O LU Ç Ã O 1. Programa Decidir (Programa de Administração Participativa) A participação comunitária é estratégica para a construção de uma democracia efetiva, que possa representar os interesses da sociedade e que seja um espaço de tolerância e de reconhecimento. É também estratégica para a universalização de direitos humanos, econômicos, sociais, culturais e ambientais, assim como para a promoção do desenvolvimento humano, em todos os seus aspectos. Um governo verdadeiramente democrático precisa garantir a participação dos cidadãos nas discussões, decisões e avaliações de suas ações. O Programa Decidir vai beneficiar a população de Joinville com a realização de ações em todas as regiões e bairros da cidade, desenvolvidas com a interferência e priorização das comunidades interessadas. Para que isso se torne realidade, a Prefeitura Municipal de Joinville vai garantir a orientação, a regulamentação e a infra-estrutura necessárias. Principais ações: Orçamento Participativo Regional - Destinar até 40% do orçamento de investimentos do município para o programa de orçamento participativo, iniciativa integrada à Conferência e aos Conselhos Comunitários Independentes. Conferência da Cidade - Realizar a Conferência da Cidade no primeiro e terceiro anos da gestão, na qual os moradores de Joinville, divididos em regiões administrativas, e estimulados por associações de moradores, escolas, clubes e igrejas, participarão de plenárias onde serão discutidas e listadas as demandas locais. Conselhos Comunitários Independentes - Incentivar e apoiar a criação de um conselho comunitário independente em cada bairro da cidade, formado pelas diversas instituições presentes no bairro (APPs, associação de moradores, clubes, igrejas, conselhos municipais e outras organizações sociais). São os Conselhos Comunitários que decidirão, por voto, as ações prioritárias para o Orçamento Participativo Regional. Conselho da Cidade - Ampliar o Conselho da Cidade, atualmente composto por representantes de instituições da sociedade civil e administrado pelo Instituto Joinville. O Conselho da Cidade terá 13

14 P L A N O R E V O LU Ç Ã O membros de todos os Conselhos Comunitários Independentes, tendo como objetivo discutir e fiscalizar as ações definidas para o Orçamento Participativo Regional, dentre outras funções consultivas. Casa dos Conselhos - Construir um espaço de socialização e administração de todos os conselhos municipais de Joinville, dotado de infra-estrutura e recursos humanos. Conselhos Municipais - Fortalecer todos os conselhos municipais vinculados à administração pública, como espaços de representação da sociedade civil, para definição e avaliação de suas ações. Garantir a presença paritária ou majoritária dos representantes da sociedade civil como membros dos conselhos municipais. Capacitação de delegados e conselheiros - Promover cursos de capacitação dos delegados do Conselho da Cidade e membros dos conselhos municipais sobre orçamento público, associativismo, políticas sociais, domínio da máquina pública, gestão e criação de pequenos negócios, entre outros. Secretarias Regionais - Dotar as secretarias regionais de infra-estrutura e autonomia para a execução das ações priorizadas pela população, com o acompanhamento e fiscalização dos Conselhos Comunitários Independentes. FAC - Valorizar e ampliar o Fundo de Apoio às Ações Comunitárias e de Vizinhança, inclusive como possibilidade de integração ao Programa Decidir. O FAC deve estimular a produção e execução de projetos sociais de estímulo à boa vizinhança e de integração comunitária em diversas áreas. Feiras de Projetos - Realizar feiras destinadas à apresentação e discussão de propostas para uma determinada região do município, um tema setorial ou um público específico, organizadas pelos cidadãos, universidades e demais entidades, com apoio da administração municipal. Projetos Câmara-mirim e Prefeito-mirim - Incentivar e fortalecer os programas de participação das crianças na construção da cidadania e definição das políticas de atuação do poder público. Cartilha do Agente Participativo - Oferecer publicação com informações e serviços aos cidadãos que queiram contribuir na gestão da cidade e na escolha de políticas públicas no Programa de Administração Participativa. 14

15 SC P L A N O R E V O LU Ç Ã O 2. Programa Educar (Programa de Priorização à Educação) A educação é a prioridade absoluta de um governo popular. Educar é garantir o desenvolvimento humano sob todos os aspectos. Da educação depende o futuro de uma sociedade, refletindo seu presente e caracterizando os fatos que marcaram seu passado. Para Joinville, o Programa Educar prevê o investimento maciço em estratégias educativas que possam ir além das necessidades básicas previstas na Constituição Federal. Deve garantir que a totalidade das crianças e jovens freqüente a escola, mas também erradicar o analfabetismo entre jovens e adultos, oferecendo melhores condições de escolaridade e educação profissionalizante. Principais ações: Conselho e Conferência de Educação - Garantir a estrutura necessária para o funcionamento e participação da sociedade no Conselho Municipal de Educação. Organizar conferências de educação a cada dois anos da gestão. Centro de Formação Continuada - Implantar centro de formação continuada de servidores, em convênio com as instituições de ensino superior. Criar espaços de socialização e troca entre os professores, de experiências vivenciadas em sala de aula e de pesquisas em educação. Educação básica - Ampliar o número de vagas na rede pública, objetivando uma oferta de ensino com qualidade. Priorizar o plano de construção e ampliação de escolas, atendendo os bairros de maior demanda. Construir no mínimo 20 novas escolas municipais e ampliar ou reformar outras 40 unidades em quatro anos. Educação infantil - Integrar a educação infantil à educação básica como ensino obrigatório. Ampliar a oferta de vagas com atendimento integral para as mães trabalhadoras, oportunizando a permanência o dia todo na escola. Melhorar a distribuição geográfica e a estrutura dos Centros de Educação Infantil (CEIs) na cidade. Construir no mínimo 20 novos centros e ampliar outras 30 unidades em quatro anos. Escolas em tempo integral - Implementar pólos de ensino integral em pelo menos uma escola de cada bairro de maior carência, 15

16 P L A N O R E V O LU Ç Ã O disponibilizando oficinas de arte, esporte, educação ambiental, questões de gênero, etnia etc, em parceria com o terceiro setor e iniciativa privada já no primeiro ano de governo. Creches domiciliares - Ampliar o programa de creches domiciliares e comunitárias, garantindo apoio financeiro e pedagógico. Turno intermediário - Erradicar o turno intermediário nas escolas públicas municipais, ampliando os espaços físicos e redistribuindo a oferta de vagas conforme a demanda de cada região. Para garantir o cumprimento desta proposta desde o primeiro ano de mandato serão utilizados todos os recursos de contratação (professores, espaço físico e outros) previstos na legislação. Salas de aula - Adequar o mobiliário de acordo com o desenvolvimento físico e necessidades especiais dos alunos, principalmente nas séries finais. Reduzir o número de alunos atendidos em cada sala, em atenção ao estipulado em lei. Ensino fundamental - Realizar um levantamento minucioso para a comprovação da universalização do ensino fundamental, diagnosticando a população de 6 a 14 anos que ainda esteja fora da escola. Atender 100% das crianças nessa faixa etária em quatro anos. Evasão escolar - Integrar-se com os programas de assistência social para levantar causas das evasões, apresentando soluções imediatas, como, por exemplo, intervenção eficaz junto à família. Fluxo escolar - Manter e ampliar o programa de correção de fluxo escolar para alunos defasados em série/idade. Capacitar anualmente 100% dos professores que atendem estes alunos. Fornecer material didático específico às salas de aceleração. Transporte escolar - Garantir e ampliar o programa de transporte escolar, especialmente para alunos que não possuem vagas em escolas próximas de sua residência e para os portadores de necessidades especiais. Bibliotecas escolares - Disponibilizar recursos para a aquisição e renovação dos acervos bibliográficos nas escolas municipais. Dotar todas as bibliotecas escolares de equipamentos de informática, acessíveis aos estudantes. Rede de bibliotecas públicas nos parques - Construir quatro bibliotecas públicas setoriais, localizadas nos parques de lazer, 16

17 SC P L A N O R E V O LU Ç Ã O em diferentes bairros da cidade, integradas à biblioteca Rolf Colin, reformada e ampliada. Materiais pedagógicos - Ampliar a distribuição de materiais pedagógicos às unidades escolares, como jogos, brinquedos, livros e equipamentos de informática. Uniforme, merenda e material - Garantir os programas de fornecimento de uniformes, merenda e material pedagógico. Acessibilidade - Agilizar o cumprimento do Decreto nº em todo o município. Reformar, ampliar ou construir escolas prevendo condições que atendam os padrões exigidos pela legislação. Disponibilizar livros didáticos falados, em braile e em caracteres visuais, em todos os níveis e modalidades de ensino. Educação especial - Intensificar a política de integração dos alunos portadores de necessidades educativas especiais nas escolas regulares, possibilitando sua inserção na comunidade escolar. Estimular os professores com formação continuada e ampliar os Núcleos de Apoio Pedagógico (NAPE) para atendimento de alunos com necessidades especiais. Segurança nas escolas - Garantir a presença de vigilantes presenciais em todas as escolas municipais nos horários de atividades escolares. Escola aberta nos finais de semana - Abrir as escolas nos finais de semana para atividades comunitárias, garantindo toda infra-estrutura e recursos humanos específicos para esta finalidade. Participação comunitária - Criar programas educativos enfatizando a co-responsabilidade dos pais e da comunidade em geral, objetivando a maior participação da família na educação dos filhos. Definir com a comunidade as prioridades de gestão da unidade escolar. Grêmios estudantis - Criar projetos de incentivo junto às escolas para promover a fundação de grêmios estudantis. APPs - Garantir maior envolvimento e divulgação para as eleições das Associações de Pais e Professores. Eleições para direção - Criar modos de escolha da direção escolar, com participação dos grupos vinculados à escola, e a exigência de requisitos mínimos para ocupação do cargo. 17

18 P L A N O R E V O LU Ç Ã O Gestão escolar - Promover a descentralização financeira para manutenção da gestão escolar nas pequenas demandas. Parcerias público-privadas - Elaborar projetos escolares que busquem a participação e colaboração das instituições privadas, sem prejuízo do papel fundamental e dirigente do poder público. Ônibus da Leitura - Manter e ampliar a ação do Ônibus da Leitura na área rural e nos bairros onde não há bibliotecas. Cultura e esporte nas escolas - Incentivar e ampliar os projetos de cultura e esporte nas escolas, como estratégia de educação integral e combate à criminalidade precoce. Realizar editais para a contratação temporária de projetos especiais criados por artistas e atletas, especificamente para a circulação nas escolas. Estimular a execução de projetos atendidos pelo FAC. Projetos sócio-educacionais - Ampliar, retomar ou diversificar iniciativas nas escolas, como o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI), o Núcleo de Prevenção à Gravidez na Adolescência (NUPEGA), o Programa Aluno Guia e os projetos de prevenção e combate ao uso de drogas. Preservação - Incorporar nos currículos escolares temas que objetivem a preservação, conservação e recuperação da riqueza e diversidade ambiental, social e cultural. Ampliar e fortalecer a atuação do Núcleo de Educação Ambiental (NEAM), e criar o Núcleo de Educação Patrimonial (NEPAT), na estrutura da Secretaria Municipal de Educação. Ônibus da Sustentabilidade - Criar ônibus temático de suporte às atividades conjuntas do NEAM e NEPAT, visando conscientizar os cidadãos sobre a necessidade de preservar o meio ambiente e o patrimônio cultural. Diversidade - Capacitar os profissionais de educação para fortalecer as identidades étnicoraciais de Joinville, bem como para minimizar as problemáticas de gênero e acessibilidade. Fortalecer ações educativas contra o preconceito de qualquer espécie e favoráveis à pluralidade e à convivência solidária. Cumprir as orientações previstas na legislação no que concerne ao respeito à diversidade humana. 18

19 SC P L A N O R E V O LU Ç Ã O Alfabetização e educação de jovens e adultos - Ampliar a oferta de programas educacionais de qualidade para jovens e adultos nas diversas modalidades: presencial, modularizado e telesalas. Capacitar os professores envolvidos neste processo de ensino, em todas as modalidades anualmente. Educação Profissional - Fortalecer e ampliar os programas de educação profissionalizante para jovens e adultos, em parceria com a Fundamas e instituições privadas. Bolsas de Ensino Superior - Articular edital público para, em parceria com as instituições de ensino superior, conceder bolsas de estudo custeadas com recursos do ISSQN. Parcerias com Instituições Superiores - Fortalecer as parcerias com as instituições de ensino superior de Joinville, ampliando a oferta de vagas para estagiários na administração pública e estabelecendo convênios para atuação conjunta. Univille - Cumprir integralmente o repasse de verbas à Univille, determinado pela lei orgânica municipal, permitindo a ampliação na oferta de bolsas de estudo e o conseqüente acesso ao ensino superior. Universidade Federal - Articular e agilizar políticas públicas visando à implantação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em Joinville, com vistas a promover um ensino superior público e gratuito, articulado com pesquisa e extensão. Universidade Municipal - Iniciar estudos para a implantação de uma universidade municipal, que ofereça cursos universitários gratuitos a estudantes com carência comprovada. 19

20 P L A N O R E V O LU Ç Ã O 3. Programa Saúde para Todos (Programa Sentir Bem) Uma administração pública deve consolidar um programa de saúde que resolva e ultrapasse as necessidades de atendimento imediato dos problemas físicos dos cidadãos. Um plano de saúde deve ser encarado como um compromisso pela melhoria da qualidade de vida. Somente com essa visão serão minimizadas as necessidades pontuais de saúde geradas pela falta de condições adequadas de vida ou de programas preventivos e educativos. Ações pontuais promovem políticas curativas, importantes, porém nunca suficientes porque não combatem os problemas geradores. São as ações preventivas que melhor resolvem os problemas a curto ou médio prazo. E prevenção não se faz apenas com campanhas de mídia, mas com o envolvimento de equipes intersetoriais. A falta de comunicação entre as diferentes áreas envolvidas desorganiza e onera os serviços de saúde. Pensando nisso, estamos propondo uma revolução no sistema de saúde de Joinville, mantendo as boas iniciativas, mas inovando e corrigindo muitas outras, visando otimizar o uso dos recursos públicos, personalizar e humanizar o sistema e valorizar as parcerias. Principais ações: Conselhos e Conferência de Saúde - Garantir a estrutura necessária para o funcionamento e participação da sociedade nos conselhos de saúde. Organizar conferências de saúde a cada dois anos da gestão. Promover a ampliação da participação popular no controle social da área da saúde. Saneamento básico - Priorizar, em parceria com o Governo Federal, as ações de saneamento básico como vetor da saúde pública e da preservação do meio ambiente. Qualidade de vida - Valorizar e intensificar as ações de urbanismo, educação, acessibilidade, lazer, esporte e cultura como atividades fundamentais à promoção da saúde. Campanhas de prevenção - Valorizar e ampliar as campanhas de prevenção de problemas de saúde em todos os meios de comunicação, órgãos públicos e escolas do município, 20

21 SC P L A N O R E V O LU Ç Ã O oficializando-as em calendário anual de prevenção. Plano de Carreira - Elaborar, em conjunto com os servidores, o Plano de Carreira, Cargos e Salários do Sistema Único de Saúde, seguindo normas do Ministério da Saúde. Centro de Formação Continuada - Criar o Centro de Formação Continuada e Avaliação de Procedimentos dos profissionais da rede pública. Promover cursos de capacitação e atualização dos profissionais, inclusive de humanização dos atendimentos prévios. Humanização - Priorizar ações de valorização do ser humano e respeito às carências individuais de cada paciente em todos os serviços e unidades de saúde minimizando os constrangimentos e frustrações. Consórcio de saúde - Resolver definitivamente a questão da falta de médicos especialistas com medidas efetivas e duradouras, criando uma rede de profissionais compatíveis com a demanda, com remuneração adequada. Criar rede pública de profissionais e serviços de saúde para atender, em consórcio, os municípios da região. Propor parceria com municípios vizinhos para ampliação da capacidade de atendimentos e leitos regionais. Plano Consulta Já - Atender demandas reprimidas de consultas médicas com especialistas, com contratações, convênios com clínicas particulares e mutirões médicos. Criar uma central telefônica como alternativa de marcação de consultas. Equipes de atendimento - Criar equipes de atendimento nos postos e hospitais, que mantenham os profissionais unidos (médico, enfermeiro, auxiliares de enfermagem, assistente social), conduzindo os plantões por equipe e não por profissional isoladamente. Esse procedimento pode minimizar erros, humanizar o atendimento, facilitar a avaliação e otimizar os serviços prestados. Hospital São José - Ampliar o número de leitos e adquirir equipamentos necessários. Solucionar imediatamente os problemas de gestão do Hospital São José. Complexo Emergencial Ulysses Guimarães - Continuar as etapas de implantação do complexo emergencial, garantindo seu funcionamento adequado. Hospital Materno-Infantil - Buscar alternativas com os governos Estadual e Federal, bem como com o terceiro setor, para viabilizar o imediato funcionamento do Hospital Materno-Infantil de Joinville, 21

22 P L A N O R E V O LU Ç Ã O com infra-estrutura, recursos humanos e equipamentos necessários. Ampliar a vocação do hospital para atendimento à saúde da mulher, com a possível transferência da Maternidade Darci Vargas, que funcionará como uma unidade descentralizada do São José. Hospital Bethesda - Ampliar a capacidade de atendimento do Hospital Bethesda em mais 30 leitos com equipamentos adequados e ampliação dos leitos de UTI. Hospital Sul - Iniciar as tratativas para a construção de um novo hospital na Zona Sul, com 100 novos leitos em sua primeira etapa de implantação. Hospital Regional - Iniciar tratativas com o Governo do Estado para a ampliação efetiva da capacidade instalada do hospital (leitos, centros de diagnósticos de imagens e análises clínicas). PAs / Hospitais-Dia e Postos de Saúde - Terminar e implantar o Pronto Atendimento 24 Horas do Aventureiro. Ampliar a estrutura dos PAs 24 horas para que possam funcionar como hospitais-dia equipados para a realização de pequenas cirurgias e internações para observação. Garantir o funcionamento, reformar e readequar os postos de saúde em todos os bairros da cidade. Equipamentos - Adequar e atualizar os equipamentos médico-hospitalares em todas as unidades de saúde. Pequenos procedimentos e exames - Garantir o atendimento a pequenos procedimentos e exames nos PAs e postos de saúde, priorizando atendimentos mais complexos nos hospitais. Medicamentos - Garantir o acesso a medicamentos básicos e específicos, determinados por lei. Aprimorar a coordenação da política de gestão de medicamentos (licitação, aquisição, armazenamento e distribuição), mediante adequada informatização de todo o sistema, visando controle de estoque e distribuição. Programa Saúde da Família - Incentivar e ampliar o programa para que os profissionais atuem prioritariamente como agentes de informação e orientação voltada à prevenção e detecção dos problemas de saúde. Manter integração dos postos de saúde ao programa. Buscar maior participação dos Agentes Comunitários de Saúde. Informatização do sistema de informação em saúde - Implantar sistema de informação em saúde e cadastro de pacientes em rede, integrando todas as unidades de atendimento, disponibilizando-o 22

23 SC P L A N O R E V O LU Ç Ã O aos profissionais de saúde em todos os serviços e procedimentos. Integrar a rede ao Cartão Saúde, fornecido pelo Sistema Único de Saúde - SUS. Cadastro no SUS - Cadastrar todos os cidadãos de Joinville no Sistema Único de Saúde - SUS. Ouvidoria - Divulgar e intensificar a atuação da Ouvidoria do Sistema Único de Saúde - SUS, administrada pela Secretaria Municipal de Saúde. Vigilância sanitária - Manter as ações de educação e regularização de procedimentos sanitários. Serviços de Referência - Ampliar e humanizar os Serviços de Referência ofertados a segmentos da sociedade, como idosos, portadores de necessidades especiais, trabalhadores e portadores de doenças comportamentais. Doenças sexualmente transmissíveis - Humanizar e minimizar os constrangimentos nos atendimentos de pacientes com DSTs, principalmente aos portadores de HIV. Atendimento psicológico - Ampliar a oferta de atendimentos psicológicos e psiquiátricos nas escolas, hospitais, centros de referência e postos de saúde. Dependentes químicos - Ampliar as unidades de atendimento de dependentes químicos. Investir em campanhas educativas de combate ao uso de drogas, cigarro e bebidas alcoólicas. Centro de Controle de Zoonoses - Implantar o novo centro, com equipamentos e recursos humanos adequados. Programa de Segurança Alimentar e Nutricional (SAN) O Programa de Segurança Alimentar e Nutricional será uma ação paralela e prioritária no Programa Saúde para Todos. Segurança alimentar e nutricional é a realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais. Tem como base práticas alimentares promotoras de saúde, que respeitem a diversidade cultural e que sejam social, econômica e ambientalmente sustentáveis. 23

24 P L A N O R E V O LU Ç Ã O Principais ações: Conselho Municipal - Valorizar e oferecer estrutura às ações do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional de Joinville. Restaurantes populares - Construir mais quatro grandes restaurantes populares em bairros carentes, e auxiliar na manutenção, por convênio e em parcerias público-privadas, das cozinhas comunitárias já existentes. Assistência materno-infantil - Apoiar e atender mães carentes, orientando procedimentos de saúde e planejamento familiar, garantindo o fornecimento de cestas básicas durante a gestação e leite em pó para crianças de até dois anos que não estejam em aleitamento materno. Educação nutricional - Implantar equipes de orientação nutricional para crianças e adultos, junto ao Programa Saúde da Família, para estímulo ao aleitamento materno e nutrição adequada à idade. Programa Sacolão - Construir três centros de comercialização de hortifrutigranjeiros a preço único popular, integrado a um programa de estímulo à produção agrícola local. (Ver detalhes no Programa Desenvolver ). Hortas escolares integradas - Implantar hortas escolares, especialmente em bairros carentes, orientadas pela Fundação 25 de Julho, que deverão fornecer alimentos frescos para complementação da merenda escolar. Os excedentes serão distribuídos às famílias dos estudantes carentes envolvidos no programa. Cultura alimentar - Criar programas escolares de pesquisa e orientação à gastronomia de referência, valorizando e preservando hábitos e saberes relacionados à preparação dos alimentos das diferentes etnias formadoras da cidade. Feira Gastronômica Escolar - Realizar evento público para universalização dos conhecimentos gerados nas pesquisas escolares de cultura alimentar. Árvores frutíferas - Distribuir gratuitamente mudas de árvores frutíferas para plantio em casas populares e bairros carentes, estimulado e orientado em programas escolares. 24

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos, 18 Compromissos A criança e o adolescente no centro da gestão municipal O Estatuto

Leia mais

MINIFÓRUM CULTURA 10. Fórum Permanente para Elaboração do Plano Municipal de Cultura 2012 a 2022 RELATÓRIA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA

MINIFÓRUM CULTURA 10. Fórum Permanente para Elaboração do Plano Municipal de Cultura 2012 a 2022 RELATÓRIA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA MINIFÓRUM CULTURA 10 Fórum Permanente para Elaboração do Plano Municipal de Cultura 2012 a 2022 RELATÓRIA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA Orientação aprovada: Que a elaboração do Plano Municipal de Cultura considere

Leia mais

PLANO DE GOVERNO TULIO BANDEIRA PTC 36

PLANO DE GOVERNO TULIO BANDEIRA PTC 36 PLANO DE GOVERNO TULIO BANDEIRA PTC 36 GESTÃO PÚBLICA Garantir ampla participação popular na formulação e acompanhamento das políticas públicas; Criação do SOS Oprimidos, onde atenda desde pessoas carentes

Leia mais

CULTURA OBJETIVOS E METAS

CULTURA OBJETIVOS E METAS CULTURA OBJETIVOS E METAS 1. Garantir a participação juvenil na elaboração das políticas públicas na área de cultura com a participação de mais entidades e partidos políticos, via projetos e via mobilização

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS Art. 1. A Política de Assistência Estudantil da Pós-Graduação da UFGD é um arcabouço de princípios e diretrizes

Leia mais

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012

Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012 Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012 1. Patrocínios 1.1 Patrocínio a Eventos e Publicações Data limite: 60 dias de antecedência da data de início do evento

Leia mais

Conhecendo a Fundação Vale

Conhecendo a Fundação Vale Conhecendo a Fundação Vale 1 Conhecendo a Fundação Vale 2 1 Apresentação Missão Contribuir para o desenvolvimento integrado econômico, ambiental e social dos territórios onde a Vale atua, articulando e

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE KUBITSCHEK Estado de Minas Gerais MENSAGEM Nº

PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE KUBITSCHEK Estado de Minas Gerais MENSAGEM Nº MENSAGEM Nº Senhores membros da Câmara Municipal, Submeto à elevada deliberação de V. Exªs. o texto do projeto de lei que institui o Plano Plurianual para o período de 2002 a 2005. Este projeto foi elaborado

Leia mais

Guia para Boas Práticas

Guia para Boas Práticas Responsabilidade Social Guia para Boas Práticas O destino certo para seu imposto Leis de Incentivo Fiscal As Leis de Incentivo Fiscal são fruto da renúncia fiscal das autoridades públicas federais, estaduais

Leia mais

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI A implementação do Plano de Desenvolvimento Institucional, envolve além dos objetivos e metas já descritos, o estabelecimento de indicadores, como forma de se fazer o

Leia mais

Cultura Oficina Litoral Sustentável

Cultura Oficina Litoral Sustentável Cultura Oficina Litoral Sustentável 1 ESTRUTURA DA AGENDA REGIONAL E MUNICIPAIS 1. Princípios 2. Eixos 3. Diretrizes 4. Ações 4.1 Natureza das ações (planos, projetos, avaliação) 4.2 Mapeamento de Atores

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação

Leia mais

Núcleo Regional de Rio Branco do Sul

Núcleo Regional de Rio Branco do Sul Núcleo Regional de Rio Branco do Sul Municípios participantes Adrianópolis Bocaiúva do Sul Cerro Azul Doutor Ulysses Rio Branco do Sul Tunas do Paraná Itaperuçu Campo Magro Colombo Almirante Tamandaré

Leia mais

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais).

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais). PLANO DE GOVERNO - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARTICIPATIVA PARA 2013/2016 COLIGAÇÃO O PRESENTE NOS PERMITE SEGUIR EM FRENTE - CANDIDATO A PREFEITO PEDRINHO DA MATA 11 Ações a serem realizadas por Secretarias:

Leia mais

PROPOSTA DE GOVERNO DA COLIGAÇÃO BLUMENAU: QUEM AMA CUIDA.

PROPOSTA DE GOVERNO DA COLIGAÇÃO BLUMENAU: QUEM AMA CUIDA. PROPOSTA DE GOVERNO DA COLIGAÇÃO BLUMENAU: QUEM AMA CUIDA. PARTIDOS COLIGADOS: 1. Partido dos Trabalhadores PT; 2. Partido Progressista PP; 3. Partido Democrático Trabalhista PDT; 4. Partido Comunista

Leia mais

EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL

EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL Proposta I Fomentar a criação de grêmios estudantis, fóruns de juventude, diretórios centrais de estudantes,

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES Projeto de Lei n 340/99 464 LEI N 4.864 DE 12 DE MARÇO DE 1999 Dispõe sobre a Política Municipal do Idoso, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES; FAÇO SABER QUE A CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL BOQUEIRÃO 18/03/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Realizações no dia

Leia mais

PROAC PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL

PROAC PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL PROAC PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL Permite o apoio financeiro a projetos culturais credenciados pela Secretaria de Cultura de São Paulo, alcançando todo o estado. Segundo a Secretaria, o Proac visa a: Apoiar

Leia mais

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo:

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo: Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade Entrevista cedida à FGR em Revista por Gustavo de Faria Dias Corrêa, Secretário de Estado de Esportes e da Juventude de Minas Gerais. FGR: A Secretaria

Leia mais

Plano de Ação. Colégio Estadual Ana Teixeira. Caculé - Bahia Abril, 2009.

Plano de Ação. Colégio Estadual Ana Teixeira. Caculé - Bahia Abril, 2009. Plano de Ação Colégio Estadual Ana Teixeira Caculé - Bahia Abril, 2009. IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR Unidade Escolar: Colégio Estadual Ana Teixeira Endereço: Av. Antônio Coutinho nº 247 bairro São

Leia mais

COLIGAÇÃO INOVAR É PRECISO PROPOSTA DE GOVERNO 2013/2016

COLIGAÇÃO INOVAR É PRECISO PROPOSTA DE GOVERNO 2013/2016 COLIGAÇÃO INOVAR É PRECISO PROPOSTA DE GOVERNO 2013/2016 ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL Implantar o Plano Diretor. Implantar o Orçamento participativo. Valorização pessoal do funcionário público municipal. Implantação

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Meta e Estratégias. Meta

EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Meta e Estratégias. Meta EDUCAÇÃO AMBIENTAL Meta e Estratégias Meta Universalizar a educação socioambiental em todos os níveis e modalidades de ensino, como uma prática inter, multi e transdisciplinar, contínua e permanente nos

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I Da Finalidade. CAPÍTULO II Dos Princípios, Objetivos e Metas Seção I Dos Princípios

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I Da Finalidade. CAPÍTULO II Dos Princípios, Objetivos e Metas Seção I Dos Princípios LEI N. 1.343, DE 21 DE JULHO DE 2000 Institui a Política Estadual do Idoso - PEI e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que a Assembléia Legislativa do Estado

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE

Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE IV. CÂMARA TEMÁTICA DA EDUCACÃO, CULTURA E DESPORTOS Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE Meta 1 Toda criança e jovem de 4 a 17 anos na escola; Meta 2 Até 2010, 80% e,

Leia mais

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais Secretaria Nacional de Programas Urbanos CONCEITOS Área Urbana Central Bairro ou um conjunto de bairros consolidados com significativo acervo edificado

Leia mais

Inclusão Social - mudanças K A T I A C A V A L C A N T E 2 0 1 4

Inclusão Social - mudanças K A T I A C A V A L C A N T E 2 0 1 4 Inclusão Social - mudanças K A T I A C A V A L C A N T E 2 0 1 4 Sumário Assistência Social Saúde Educação Infraestrutura - Comunicação e Energia Moradia Bolsa Família Bolsa Verde Direitos Culturais A

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO Ações de Inclusão Social e de Combate à Pobreza Modelo Próprio de Desenvolvimento Infra-estrutura para o Desenvolvimento Descentralizado Transparência na Gestão

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO

DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO POR UM CEARÁ MELHOR PRA TODOS A COLIGAÇÃO POR UM CEARA MELHOR PRA TODOS, com o objetivo de atender à Legislação Eleitoral e de expressar os compromissos

Leia mais

EIXO I GESTÃO CULTURAL DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVA

EIXO I GESTÃO CULTURAL DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVA PLANO MUNICIPAL DE CULTURA DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ Comissão de Elaboração do Plano Municipal de Cultura: Anderson Beluzzo, Celso Peixoto, Dagma Castro, Elias Alcides Luciano, Guilhermina Stuker, João Alexandre

Leia mais

Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente

Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente p Relatório Consulta Bico do Papagaio Oficinas 279 pessoas se credenciaram para participar das oficinas na cidade de Tocantinópolis. Foi solicitado à elas que elencassem as demandas e problemas regionais.

Leia mais

ANEXO IX - DEMONSTRATIVO VII METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZAÇÃO DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL

ANEXO IX - DEMONSTRATIVO VII METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZAÇÃO DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZ DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL TÍTULO PRODUTO TIPO DE META 2013 2001 Administração Legislativa Serviços Realizados ORÇAMENTÁRIA 95% 0001 GESTÃO

Leia mais

Implementação de Centro de Reabilitação para Dependentes Químicos; Criação de Consultório Odontológico no PSF de Itapema do Norte;

Implementação de Centro de Reabilitação para Dependentes Químicos; Criação de Consultório Odontológico no PSF de Itapema do Norte; PROPOSTA DE GOVERNO ITAPOÁ SC * 2013-2016 A presente proposta de governo é apresentada em linha gerais, com a finalidade de compor o acervo documental para o pedido de registro de candidatura aos cargos

Leia mais

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA!

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! NOSSA VISÃO Um mundo mais justo, onde todas as crianças e todos os adolescentes brincam, praticam esportes e se divertem de forma segura e inclusiva. NOSSO

Leia mais

SÃO BERNARDO DO CAMPO

SÃO BERNARDO DO CAMPO 1 PPA Participativo 2014-2017 Prestação de Contas O PPA Participativo 2014-2017 em números 21 plenárias 13.471 participantes 200 grupos de trabalho 400 diretrizes 55 programas e ações R$ 18,6 bilhões 3

Leia mais

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013 Relatório Despertar 2013 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

Capacitação Gerencial PST

Capacitação Gerencial PST Capacitação Gerencial PST Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social SNELIS Ministério do Esporte Direito Social É dever do estado fomentar práticas desportivas formais e não formais:

Leia mais

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade.

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade. No programa de governo do senador Roberto Requião, candidato ao governo do estado pela coligação Paraná Com Governo (PMDB/PV/PPL), consta um capítulo destinado apenas à universalização do acesso à Saúde.

Leia mais

PREFEITURA DE XINGUARA

PREFEITURA DE XINGUARA 50/000-20 Anexo IV - Programas, Metas e Ações - (PPA Inicial) Página de 5 Programa: 000 AÇÃO LEGISLATIVA Manutenção da CMX através do apoio financeiro às atividades legislativas, custeio de despesas administrativas,

Leia mais

JOVEM COM DEFICIÊNCIA

JOVEM COM DEFICIÊNCIA JOVEM COM DEFICIÊNCIA 1. Promover cursos de educação profissional de nível básico (técnico e tecnológico nos termos da Lei 9.394/96) e superior em espaços públicos e privados, respeitando a inclusão de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL PORTÃO 25/03/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Propostas do dia 25

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO FUNÇÃO: 01 - LEGISLATIVA 031 Ação Legislativa 0001 - Execução da Ação Legislativa Manutenção das Atividades Legislativas FUNÇÃO: 02 - JUDICIÁRIA 122 Administração Geral 0006 - Defesa Jurídica do Município

Leia mais

Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres. 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento;

Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres. 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Objetivo geral Promover a igualdade no mundo do trabalho e a autonomia

Leia mais

PODER EXECUTIVO - PROGRAMAS ESTRUTURADORES PLANO PLURIANUAL - 2010/2013 - Lei 6.716, de 22 de dezembro de 2010.

PODER EXECUTIVO - PROGRAMAS ESTRUTURADORES PLANO PLURIANUAL - 2010/2013 - Lei 6.716, de 22 de dezembro de 2010. 2001 Administração Legislativa Serviços Realizados Percentual 95% 0001 GESTÃO LEGISLATIVA E CIDADANIA 2002 Processamento Legislativo Ações Realizadas Percentual 95% 2003 Modernização Administrativa Gestão

Leia mais

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR...o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff Julho/2014 0 APRESENTAÇÃO Se fôssemos traduzir o Plano de Governo 2015-2018

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PROGRAMA DE METAS Gestão 2013/2016 APRESENTAÇÃO... 2 I - VISÃO DO MUNICÍPIO... 3 II COMPROMISSO... 3 III PRINCÍPIOS DE GESTÃO... 3 IV DIRETRIZES ESTRATÉGIAS... 4 PROGRAMA DE METAS DESENVOLVIMENTO URBANO...

Leia mais

FORMAÇÃO DA CIDADANIA OBJETIVOS E METAS

FORMAÇÃO DA CIDADANIA OBJETIVOS E METAS FORMAÇÃO DA CIDADANIA OBJETIVOS E METAS 1. Garantir a participação juvenil na elaboração e acompanhamento das políticas públicas na área de cidadania, em nível municipal, estadual e nacional, promovendo

Leia mais

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diretriz 01 - Promoção da cultura do respeito e da garantia dos direitos humanos de

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ELEMENTOS PARA O NOVO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ELEMENTOS PARA O NOVO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ELEMENTOS PARA O NOVO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO BÁSICA: EDUCAÇÃO BÁSICA: 1. Definir os padrões mínimos de qualidade estabelecidos pela LDB, considerando as especificidades

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

Plataforma dos Consumidores para as Eleições Municipais 2012

Plataforma dos Consumidores para as Eleições Municipais 2012 Plataforma dos Consumidores para as Eleições Municipais 2012 Plataforma dos Consumidores para as Eleições 2012 1 O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) é uma associação de consumidores sem

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.374, DE 08 DE ABRIL DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1.425. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins Faço

Leia mais

II - obrigatoriedade de participação quando realizados no período letivo; III - participação facultativa quando realizados fora do período letivo.

II - obrigatoriedade de participação quando realizados no período letivo; III - participação facultativa quando realizados fora do período letivo. Capítulo II DA EDUCAÇÃO Art. 182. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada pelo Município, com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PLANO DE GOVERNO 2009 / 2012 EDUCAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PLANO DE GOVERNO 2009 / 2012 EDUCAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PLANO DE GOVERNO 2009 / 2012 EDUCAÇÃO O que buscamos Proporcionar educação com qualidade social para todas as crianças. Erradicar o analfabetismo, ampliar o nível

Leia mais

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense 1. DISCRIMINAÇÃO DO PROJETO Título do Projeto Educação de Qualidade: direito de todo maranhense Início Janeiro de 2015 Período de Execução Término

Leia mais

Gestão Pública em BH Programa BH Metas e Resultados e BH 2030

Gestão Pública em BH Programa BH Metas e Resultados e BH 2030 Gestão Pública em BH Programa BH Metas e Resultados e BH 2030 5º Congresso de Gerenciamento de Projetos 10 de novembro de 2010 Belo Horizonte Planejamento Estratégico Longo Prazo período 2010-2030 - planejamento

Leia mais

FORMAS DE CONTRIBUIÇÃO. O presente anteprojeto de proposta está estruturado a partir de três níveis de organização.

FORMAS DE CONTRIBUIÇÃO. O presente anteprojeto de proposta está estruturado a partir de três níveis de organização. FORMAS DE CONTRIBUIÇÃO O presente anteprojeto de proposta está estruturado a partir de três níveis de organização. O primeiro deles se refere aos eixos norteadores da política. Este nível compreende os

Leia mais

50 pontos do programa de governo do PSOL - Ivanete Prefeita para transformar Duque de Caxias:

50 pontos do programa de governo do PSOL - Ivanete Prefeita para transformar Duque de Caxias: 50 pontos do programa de governo do PSOL - Ivanete Prefeita para transformar Duque de Caxias: Duque de Caxias nas mãos do Povo: contra a corrupção e pela mudança 1) Garantir a participação popular e a

Leia mais

Conceitos básicos: Cuidar, Inovar e Avançar

Conceitos básicos: Cuidar, Inovar e Avançar PROGRAMA DE GOVERNO PAULO ALEXANDRE BARBOSA Conceitos básicos: Cuidar, Inovar e Avançar O programa de governo do candidato Paulo Alexandre Barbosa está baeado em três palavras-conceito: cuidar, inovar

Leia mais

3.1 Ampliar o número de escolas de Ensino Médio de forma a atender a demanda dos bairros.

3.1 Ampliar o número de escolas de Ensino Médio de forma a atender a demanda dos bairros. Meta 1 - Universalizar, até 2016, o atendimento escolar da população de quatro e cinco anos, e ampliar, até 2025, a oferta de Educação Infantil de forma a atender a 50% da população de até 3 anos. Estratégias:

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim - ES PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Introdução O Programa Municipal de Educação Ambiental estabelece diretrizes, objetivos, potenciais participantes, linhas

Leia mais

Atuando com responsabilidade para. colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos

Atuando com responsabilidade para. colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos Atuando com responsabilidade para colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos Compromisso com um futuro melhor. Com o nosso trabalho, somos parte da solução para uma agricultura mais sustentável.

Leia mais

Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido.

Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido. Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido. Criar novos mecanismos de intercâmbio e fortalecer os programas de intercâmbio já existentes,

Leia mais

Programa de Governo. Chiara Prefeita. Bauru 2013-2016. Vice Gilson. Coligação BAURU MERECE MUITO MAIS DEM-PSDB

Programa de Governo. Chiara Prefeita. Bauru 2013-2016. Vice Gilson. Coligação BAURU MERECE MUITO MAIS DEM-PSDB Programa de Governo Bauru 2013-2016 Chiara Prefeita Vice Gilson Coligação BAURU MERECE MUITO MAIS DEM-PSDB APRESENTAÇÃO As eleições de 2012 vão definir o dia a dia de cada um dos eleitores bauruenses pelos

Leia mais

PROGRAMA DE GOVERNO Massapê do piauí. Esta MUDANÇA INCLUE VOCÊ. Chico carvalho prefeito

PROGRAMA DE GOVERNO Massapê do piauí. Esta MUDANÇA INCLUE VOCÊ. Chico carvalho prefeito PROGRAMA DE GOVERNO Massapê do piauí Esta MUDANÇA INCLUE VOCÊ Chico carvalho prefeito É com o 11 que vamos avançar! Plano de ações do Prefeito Chico Carvalho para uma nova Massapê em 2013 11 Ações na Saúde

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 8ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DE TOCANTINS

DOCUMENTO FINAL 8ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DE TOCANTINS DOCUMENTO FINAL 8ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DE TOCANTINS EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE DIRETRIZ: Ampliação da cobertura e qualidade dos serviços de saúde, com o aprimoramento

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS EDUCAÇÃO BÁSICA ENSINO SUPERIOR EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL EDUCAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO SISTEMA DE JUSTIÇA E SEGURANÇA EDUCAÇÃO E MÍDIA Comitê Nacional de Educação

Leia mais

PLANO SETORIAL DE DANÇA. DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Dança

PLANO SETORIAL DE DANÇA. DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Dança PLANO SETORIAL DE DANÇA DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Dança MARÇO DE 2009 CAPÍTULO I DO ESTADO FORTALECER A FUNÇÃO DO ESTADO

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SEAS

SECRETARIA DE ESTADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SEAS SECRETARIA DE ESTADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SEAS VISÃO Ser referência na região norte na efetivação de políticas sociais que promovam o desenvolvimento regional com inclusão social. MISSÃO Contribuir

Leia mais

Prefeitura Municipal de AJURICABA LDO - Lei de Diretrizes Orçamentárias - 2016 Anexo V - Meta Fiscal da Despesa - Rol de Programas

Prefeitura Municipal de AJURICABA LDO - Lei de Diretrizes Orçamentárias - 2016 Anexo V - Meta Fiscal da Despesa - Rol de Programas Página: 1 0000 OPERAÇÕES ESPECIAIS 101 Restituição de Recursos 4.000,00 5.000,00 6.000,00 201 Contribuição PASEP 290.000,00 300.000,00 310.000,00 301 Sentenças Judiciais e Precatórios 6.000,00 8.000,00

Leia mais

Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente

Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente p Relatório Consulta Pública Região Sudeste Oficinas 274 pessoas se credenciaram para participar das oficinas na cidade de Natividade. Foi solicitado à elas que elencassem as demandas e problemas regionais.

Leia mais

DEMOCRACIA, ÉTICA E RENOVAÇÃO

DEMOCRACIA, ÉTICA E RENOVAÇÃO PLANO DE GESTÃO CANDIDATURA A DIREÇÃO GERAL DO IFSC CÂMPUS CHAPECÓ ROBERTA PASQUALLI DIRETORA GERAL LUIS FERNANDO POZAS DIRETOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO ELIANDRO LUIZ MINSKI DIRETOR DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Compromissos com o Meio Ambiente e a Qualidade de Vida Agenda Socioambiental para o Desenvolvimento Sustentável do Amapá

Compromissos com o Meio Ambiente e a Qualidade de Vida Agenda Socioambiental para o Desenvolvimento Sustentável do Amapá Compromissos com o Meio Ambiente e a Qualidade de Vida Agenda Socioambiental para o Desenvolvimento Sustentável do Amapá Eu, ( ) (sigla do partido) me comprometo a promover os itens selecionados abaixo

Leia mais

Banco Interamericano de Desenvolvimento. Instrução Operacional CAMPANHAS DE CONSCIENTIZAÇÃO

Banco Interamericano de Desenvolvimento. Instrução Operacional CAMPANHAS DE CONSCIENTIZAÇÃO Instrução Operacional CAMPANHAS DE CONSCIENTIZAÇÃO CAMPANHAS DE CONSCIENTIZAÇÃO SUMÁRIO Página INTRODUÇÃO 3 1. ÁREA DE ATUAÇÃO 4 2. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS AO BNB 4 3. RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS 5

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Elaborada pela Diretoria de Assuntos Estudantis 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa e Extensão nos dias

Leia mais

Programas Sociais Federais de. transferência de renda. Programas Sociais Municipais de. transferência de renda. Geração de emprego e renda

Programas Sociais Federais de. transferência de renda. Programas Sociais Municipais de. transferência de renda. Geração de emprego e renda Programas Sociais Federais de transferência de renda Programa Bolsa Família: 2.994 beneficiários; Programa Projovem Adolescente: 125 beneficiários; PETI: 650 beneficiários; Programa Seguro-Safra: 1.221

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

Rompendo os muros escolares: ética, cidadania e comunidade 1

Rompendo os muros escolares: ética, cidadania e comunidade 1 PROGRAMA ÉTICA E CIDADANIA construindo valores na escola e na sociedade Rompendo os muros escolares: ética, cidadania e comunidade 1 Ulisses F. Araújo 2 A construção de um ambiente ético que ultrapasse

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO SEBASTIÃO DO OESTE ESTADO DE MINAS GERAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO SEBASTIÃO DO OESTE ESTADO DE MINAS GERAIS LEI COMPLEMENTAR Nº 38, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2011. Altera dispositivos e Cria Secretaria de Esporte, Cultura, Lazer e Turismo na Lei Complementar nº 24, de 23 de abril de 2009, que dispõe sobre a Organização

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009 DOU de 05/10/09 seção 01 nº 190 pág. 51 MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009 Estabelece orientações relativas à Política de Saneamento Básico e

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BETÂNIA Estado de Pernambuco LEI Nº 636 /2012 DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS 2013 Anexo de Prioridades e Metas ( Sintético )

PREFEITURA MUNICIPAL DE BETÂNIA Estado de Pernambuco LEI Nº 636 /2012 DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS 2013 Anexo de Prioridades e Metas ( Sintético ) Anexo de Prioridades e s ( Sintético ) s Processo Legislativo Administração Legislativa Planejamento Governamental Gestão Política Administrativa Suporte Administrativo Garantir o exercício da função legislativa

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades

Leia mais

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de:

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de: Relatório Despertar 2014 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

Pólos da Paz e Praças da Paz SulAmérica

Pólos da Paz e Praças da Paz SulAmérica A iniciativa O projeto Praças é uma iniciativa do Instituto Sou da Paz, em parceria com a SulAmérica, que promove a revitalização de praças públicas da periferia de São Paulo com a participação da comunidade

Leia mais

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO POLITICA PPS PR Curso Haj Mussi Tema Sustentabilidade

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO POLITICA PPS PR Curso Haj Mussi Tema Sustentabilidade APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO POLITICA PPS PR Curso Haj Mussi Tema Sustentabilidade Desenvolvido por: Neuza Maria Rodrigues Antunes neuzaantunes1@gmail.com AUMENTO DA POPULAÇÃO URBANA 85% NO BRASIL (Censo

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE Prioritária 1: Manter o incentivo aos Programas do Núcleo Apoio da Saúde da Família

Leia mais

Carta-Compromisso pela. Garantia do Direito à Educação de Qualidade. Uma convocação aos futuros governantes e parlamentares do Brasil

Carta-Compromisso pela. Garantia do Direito à Educação de Qualidade. Uma convocação aos futuros governantes e parlamentares do Brasil 1 Carta-Compromisso pela Garantia do Direito à Educação de Qualidade Uma convocação aos futuros governantes e parlamentares do Brasil Para consagrar o Estado Democrático de Direito, implantado pela Constituição

Leia mais

LEI Nº 310/2009, DE 15 DE JUNHO DE 2009.

LEI Nº 310/2009, DE 15 DE JUNHO DE 2009. LEI Nº 310/2009, DE 15 DE JUNHO DE 2009. DISPÕE SOBRE A REESTRUTURAÇÃO DO DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE SAÚDE, CRIAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL, DA DIVISÃO DE MEIO-AMBIENTE E

Leia mais

Resoluções sobre Financiamento das três edições da Conferência Nacional do Esporte

Resoluções sobre Financiamento das três edições da Conferência Nacional do Esporte SEMINÁRIO NACIONAL DO ESPORTE EM CONSTRUÇÃO: SISTEMAS PÚBLICOS NACIONAIS E MODELOS ESPORTIVOS INTERNACIONAIS Resoluções sobre Financiamento das três edições da Conferência Nacional do Esporte Prof. Dr.

Leia mais

PROGRAMA TEMPO DE ESCOLAO

PROGRAMA TEMPO DE ESCOLAO PROGRAMA TEMPO DE ESCOLAO O Programa Tempo de Escola foi iniciado em junho de 2010, com a participação de Escolas Municipais e ONGs executoras. O Programa Tempo de Escola, que inclui o Programa Mais Educação

Leia mais

A REGIÃO METROPOLITA NA NA REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE CURITIBA

A REGIÃO METROPOLITA NA NA REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE CURITIBA A REGIÃO METROPOLITA NA NA REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE CURITIBA SITUAÇÃO ATUAL INTEGRAÇÃO METROPOLITANA NA LEI ORGÂNICA DE CURITIBA TÍTULO IV - DA ORDEM ECONÔMICA E SOCIAL CAPÍTULO I - DA ORDEM ECONÔMICA

Leia mais

Prefeitura Municipal de Botucatu

Prefeitura Municipal de Botucatu I- Identificação: Projeto Empresa Solidária II- Apresentação : O Fundo Social de Solidariedade é um organismo da administração municipal, ligado ao gabinete do prefeito, que atua em diversos segmentos

Leia mais

Propostas dos GTs da Conferência Municipal de São Paulo. Princípios e diretrizes de Segurança Pública

Propostas dos GTs da Conferência Municipal de São Paulo. Princípios e diretrizes de Segurança Pública Propostas dos GTs da Conferência Municipal de São Paulo Princípios e diretrizes de Segurança Pública Eixo 1 1. Fortalecimento do pacto federativo; 2. Municipalização da Segurança Pública; 3. Estabelecer

Leia mais

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas.

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. Quando o campo se expande, mais profissionais chegam ao mercado, mais áreas de atuação se formam e a categoria conquista mais visibilidade.

Leia mais

Nossos Valores Quem Somos? Nossa Missão Nossa Visão Nossa Atuação Nossos Resultados Modelos de Ecovilas e Projetos Sustentáveis.

Nossos Valores Quem Somos? Nossa Missão Nossa Visão Nossa Atuação Nossos Resultados Modelos de Ecovilas e Projetos Sustentáveis. Nossos Valores Quem Somos? Nossa Missão Nossa Visão Nossa Atuação Nossos Resultados Modelos de Ecovilas e Projetos Sustentáveis Localização Missão, Valores e Visão Os 5 Pilares Objetivos e estratégias

Leia mais