PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS ESTADO DO PARANÁ

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS ESTADO DO PARANÁ"

Transcrição

1 TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO PARA PREVENÇÃO E CONTROLE DA DENGUE (PGPCD) EM PINHAIS. Este Termo de Referência tem como finalidade orientar os responsáveis pelos imóveis, cuja atividade propicia condições ambientais favoráveis para a proliferação dos mosquitos das espécies Aedes aegypti e Aedes albopictus, na elaboração do Plano de Gerenciamento para Prevenção e Controle da Dengue (PGPCD) no Município de Pinhais. O Plano de Gerenciamento se apresenta em formato de formulário simplificado específico dirigido aos responsáveis por imóveis classificados como de risco potencial. Este formulário estará disponível na página da Prefeitura Municipal de Pinhais no link da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Vigilância Ambiental, área temática DENGUE. Objetivo: Prover diretrizes aos responsáveis dos imóveis classificados como de risco potencial para a elaboração do PGPCD, contribuindo para a redução do risco de proliferação dos mosquitos das espécies Aedes aegypti e Aedes albopictus no Município. O PGPCD deve caracterizar o imóvel, indicar responsáveis pela elaboração e implementação do Plano, descrever o local, as rotinas e procedimentos para o armazenamento, o acondicionamento, o transporte e a destinação final dos materiais recebidos, armazenados e/ ou comercializados com potencial de acumular água. Os proprietários são responsáveis pelo gerenciamento dos materiais existentes em seu imóvel e deverão realizar o manejo adequado do ambiente e materiais estabelecendo rotinas e procedimentos para a eliminação de potenciais criadouros dos mosquitos das espécies Aedes aegypti e Aedes albopictus. Qualquer mudança significativa na estrutura ou funcionamento do estabelecimento deve ser atualizada no PGPCD. Conteúdo: No PGPCD deverão constar os seguintes itens: 1

2 1. Identificação do Responsável pelo Imóvel: Nome Endereço Completo Telefone 2. Identificação da Pessoa Jurídica se tiver estabelecimento empresarial na área: Razão Social Nome Fantasia Endereço Completo CPF/CNPJ Alvará Responsável Legal pela Empresa (nome, CPF, telefone, fax e ) 3. Responsável pela Elaboração e Implementação do PGPCD, caso não seja o responsável pelo imóvel: Nome Endereço Completo Função ou cargo na empresa Telefone/Fax 4. Croqui Apresentar um croqui da área total do imóvel especificando: Identificação dos diversos ambientes existentes; Metragem de área coberta e descoberta; Identificar as áreas de recebimento, armazenamento, manipulação e expedição. Descrição sucinta da atividade desenvolvida. 4. Rotinas e procedimentos 4.1 Tipos de depósito, origem e tempo de permanência: 2

3 Procedência dos materiais: O responsável deverá descrever o local (município, estado) de origem e/ ou procedência dos materiais adquiridos. Triagem de materiais: O responsável deverá descrever os procedimentos quanto à segregação/separação dos materiais a partir do recebimento dos mesmos. Acondicionamento / armazenagem dos materiais: O responsável deverá informar os procedimentos adotados para acondicionamento dos materiais, citando o tempo médio de permanência no local, desde o recebimento até a destinação final. 4.2 Ações de Prevenção, e manejo dos potenciais criadouros do mosquito Aedes aegypti e Aedes albopictus. O responsável deverá relacionar e descrever os procedimentos para a prevenção, tratamento e manejo dos potenciais criadouros. OBS: É vedado o uso de produtos químicos para combate ao mosquito em todas as suas fases, salvo em situações de autorização da Autoridade de Vigilância em Saúde. 4.3 Prazo para a realização das ações: Informar a periodicidade com que as ações de prevenção e manejo são realizadas. 4.4 Destinação Final No PGPCD o responsável deverá informar a destinação final para cada tipo de material e manter documentação comprobatória arquivada no local para pronta consulta pela Autoridade de Vigilância em Saúde. 3

4 PLANO DE GERENCIAMENTO PARA PREVENÇÃO E CONTROLE DA DENGUE Nome ou Razão Social: Nome Fantasia 1. IDENTIFICAÇÃO DO RESPONSÁVEL CPF/CNPJ: 2. RESPONSÁVEL PELA ELABORAÇÃO Nº do E IMPLEMENTAÇÃO alvará: DO PGPCD Endereço Nome: Completo: 3. CROQUI DO LOCAL Indicação Endereço Fiscal: Completo: CEP: Função ou cargo na empresa: Telefone: Telefone/Fax: Responsável Legal: Documento de Identidade: Telefone/Fax: CPF: 4

5 5 PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS

6 Grupos A Tipos de depósitos, origem e tempo de permanência: 4. ROTINAS E PROCEDIMENTOS Ações de prevenção e manejo. Prazo para realização das ações (dias/mês) Destinação Final Armazenamento de água para consumo humano B Depósitos Móveis C Depósitos Fixos D Passíveis de remoção / proteção E Depósitos Naturais 6

7 ÍNDICE: Grupo A Depósito elevado de água, ligado à rede pública e/ou sistema de captação mecânica em poço, cisterna ou mina d água (ex.: caixas d água, tambores). Depósito ao nível do solo para armazenamento doméstico (ex.: tonel, tambor, barril, cisternas, caixas d água, captação de água em poço/cacimba /cisterna). Ao elaborar o PGPCD, descrever as rotinas e procedimentos para os depósitos elevados e ao nível do solo. Grupo B - Vasos/frascos com água, prato, garrafas, pingadeira, recipientes de degelo e geladeiras, bebedouros em geral, pequenas fontes ornamentais, matérias de depósito de construção (sanitários estocados, etc) objetos religiosos, rituais Grupo C - Tanques em obras, borracharias e hortas, calhas, lajes e toldos em desníveis, ralos, sanitários em desuso, piscinas não tratadas, fontes ornamentais, folheiras/ vasos em cemitérios, cacos de vidro em muros, outras obras arquitetônicas (caixas de inspeção / passagens) Grupo D - Pneus e outros materiais rodantes (câmara de ar, manchões), llixo (recipientes plásticos, garrafas, latas), sucatas em pátios e ferro velhos (PE), entulhos de construção. Grupo E - Axilas de folhas (bromélias, etc.), buracos em árvores e rochas, restos de animais (cascas, carapaças, etc.). Anexo 1 Termo de referência para PGPCD doc - 7 -

RESOLUÇÃO SESA Nº 0029/2011

RESOLUÇÃO SESA Nº 0029/2011 RESOLUÇÃO SESA Nº 0029/2011 Dispõe sobre a Norma Técnica de Prevenção à Proliferação do mosquito Aedes aegypti, agente transmissor da Dengue e Febre Amarela, no Estado do Paraná. O Secretário de Estado

Leia mais

Informação, mobilização e responsabilidade social na dengue: espaço para ações educativas

Informação, mobilização e responsabilidade social na dengue: espaço para ações educativas Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde Equipe de Vigilância de Roedores e Vetores Informação, mobilização e responsabilidade social na dengue: espaço para ações educativas Porto Alegre, agosto de 2015

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) 1 - Justificativa: Este Termo de Referência tem como finalidade orientar os Geradores para a elaboração

Leia mais

INFORME SEMANAL DE DENGUE, ZIKA E CHIKUNGUNYA

INFORME SEMANAL DE DENGUE, ZIKA E CHIKUNGUNYA INFORME SEMANAL DE DENGUE, ZIKA E CHIKUNGUNYA 1. 1 minutos, uma vez por semana, em nome de sua saúde. Você sabia que com apenas 1 minutos por semana você pode afastar o perigo da dengue, chikungunya e

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Comunicado CVS 162, de 29/07/ 2009 A Diretora Técnica do Centro de Vigilância

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vila Velha Estado do Espírito Santo Secretaria de Desenvolvimento Sustentável

Prefeitura Municipal de Vila Velha Estado do Espírito Santo Secretaria de Desenvolvimento Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) 1 OBJETIVO Este Termo de Referência tem como finalidade orientar os geradores de resíduos sólidos provenientes

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPO LARGO

CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPO LARGO CÂMARA MUNICIPAL PROJETO DE LEI N.o01 DATA: 03 de fevereiro de 2016 SÚMULA: Dispõe sobre medidas a serem tomadas para prevenir e combater a proliferação do mosquito Aedes Aegypti. Artigo 1 - Aprovar a

Leia mais

INFORME SEMANAL DE DENGUE, ZIKA E CHIKUNGUNYA

INFORME SEMANAL DE DENGUE, ZIKA E CHIKUNGUNYA INFORME SEMANAL DE DENGUE, ZIKA E CHIKUNGUNYA 1. O Agente de Controle de Endemias: aliado de sua saúde Vistoria de imóveis, depósitos, terrenos baldios para buscar foco de doenças transmitidas por vetores,

Leia mais

PORTARIA Nº 188, DE 14 DE MARÇO DE 2011.

PORTARIA Nº 188, DE 14 DE MARÇO DE 2011. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL PORTARIA Nº 188, DE 14 DE MARÇO DE 2011. regimentais, e O Reitor da Universidade Federal de Lavras, no uso de suas atribuições CONSIDERANDO a importância de prevenção da dengue

Leia mais

Aedes: criadouros e soluções

Aedes: criadouros e soluções Aedes: criadouros e soluções Prefeitura Municipal de Porto Alegre Secretaria Municipal de Saúde Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde Equipe de Vigilância de Roedores e Vetores Porto Alegre - 2016

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ANGRA DOS REIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE ANGRA DOS REIS 1 Estado do Rio de Janeiro PREFEITURA MUNICIPAL DE ANGRA DOS REIS Secretaria de Saúde de Angra dos Reis Superintendência de Vigilância em Saúde Diretoria de Vigilância Ambiental Coordenação de Fatores

Leia mais

CONTROLE DE VETORES Procedimentos para eliminar cenários de riscos propícios ao desenvolvimento do mosquito Aedes aegypti no Porto do Rio Grande.

CONTROLE DE VETORES Procedimentos para eliminar cenários de riscos propícios ao desenvolvimento do mosquito Aedes aegypti no Porto do Rio Grande. CONTROLE DE VETORES Procedimentos para eliminar cenários de riscos propícios ao desenvolvimento do mosquito Aedes aegypti no Porto do Rio Grande. A Superintendência do Porto do Rio Grande, por meio da

Leia mais

PANORAMA DO SANEAMENTO BÁSICO NO BRASIL

PANORAMA DO SANEAMENTO BÁSICO NO BRASIL PANORAMA DO SANEAMENTO BÁSICO NO BRASIL Johnny Ferreira dos Santos Diretor Ministério das Cidades São Paulo, 15 de Março de 2016 Itens 1. Saneamento: Aspectos Gerais 2. Importância do Saneamento para a

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo Campus Itapina EDUCAÇÃO AMBIENTAL Ações Educativas Culturais de Combate a Dengue 2011 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

Diretriz SNCC nº 3 Saneamento Básico

Diretriz SNCC nº 3 Saneamento Básico Diretriz SNCC nº 3 Saneamento Básico 1 Referências Normativas - Lei 12.305/2010 e Decreto 7.404/2010 - Lei 11.445/2007 e Decreto 7.217/2010 - Lei 8080/1990 Fica estabelecida a Diretriz SNCC nº 3/2016,

Leia mais

LEVANTAMENTO RÁPIDO DO ÍNDICE DE INFESTAÇÃO POR AEDES AEGYPTI (LIRAA) DA ZONA OESTE DE LONDRINA/PR PARA O PERÍODO

LEVANTAMENTO RÁPIDO DO ÍNDICE DE INFESTAÇÃO POR AEDES AEGYPTI (LIRAA) DA ZONA OESTE DE LONDRINA/PR PARA O PERÍODO ELIEZER ALVES FERREIRA Universidade Estadual de Londrina, eli_ezer2006@hotmail.com GILNEI MACHADO Universidade Estadual de Londrina, gilmachad@gmail.com CRISTINA BURATTO GROSS MACHADO Universidade Estadual

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (PGRSS) ODONTOLOGIA O gerenciamento dos RSS constitui-se em um conjunto de procedimentos de gestão, planejados e implementados a partir de bases

Leia mais

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL TERMO DE REFÊRENCIA PARA ELABORACÃO DE PROJETO AMBIENTAL DE MATADOUROS, ABATEDOUROS, FRIGORÍFICOS, CHARQUEADOS E DERIVADOS DE ORIGEM ANIMAL Este Termo de Referência visa orientar na elaboração de PROJETO

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS CETAM. Centro de Educação Tecnológica do Amazonas

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS CETAM. Centro de Educação Tecnológica do Amazonas GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS CURSO INTRODUTÓRIO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA PARA AGENTES DE COMBATE AS ENDEMIAS ALUNO (A): PROFESSOR (A): CETAM Centro de Educação Tecnológica do Amazonas SUMÁRIO

Leia mais

LEI MUNICIPAL N.º1.067, DE 06 DE JUNHO DE 2017

LEI MUNICIPAL N.º1.067, DE 06 DE JUNHO DE 2017 LEI MUNICIPAL N.º1.067, DE 06 DE JUNHO DE 2017 Sumula: "Dispõe sobre a regulamentação do programa de combate e erradicação do Mosquito Aedes Aegypti, e dá outras providências". O SR. SIRINEU MOLETA, PREFEITO

Leia mais

DENGUE ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA DE ZOONOSES

DENGUE ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA DE ZOONOSES ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA DE ZOONOSES DENGUE O QUE É DENGUE? É uma doença infecciosa causada por um arbovírus

Leia mais

AÇÕES DE PREVENÇÃO E COMBATE À DENGUE

AÇÕES DE PREVENÇÃO E COMBATE À DENGUE AÇÕES DE PREVENÇÃO E COMBATE À DENGUE Atitudes e práticas de prevenção não só estarão contribuindo para que não ocorra transmissão de dengue, mas proporcionarão melhor qualidade de vida para todos. Nos

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA BELA DA SS. TRINDADE. <> ADMINISTRAÇÃO 2009/2012 LEI Nº.

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA BELA DA SS. TRINDADE. <<BERÇO DE ESTADO>> ADMINISTRAÇÃO 2009/2012 LEI Nº. LEI Nº. 907/2010 DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DE UM PROGRAMA DE PREVENÇÃO E COMBATE A DENGUE E FEBRE AMARELA Wagner Vicente da Silveira, Prefeito Municipal de Vila Bela da Santíssima Trindade, Estado de Mato

Leia mais

Como elaborar um MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO (6ª PARTE)

Como elaborar um MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO (6ª PARTE) Como elaborar um MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO (6ª PARTE) Passo a passo para a elaboração do manual de BPF - Condições ambientais Controle integrado de pragas Conjunto de ações preventivas e corretivas

Leia mais

Câmara Municipal de Pinheiral

Câmara Municipal de Pinheiral LEI Nº 740, de 20 de dezembro de 2013. Estabelece normas para controle à endemias de dengue no Município de Pinheiral e determina outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PINHEIRAL; Faço saber que

Leia mais

ESTUDO ENTOMOLÓGICO DA DISTRIBUIÇÃO DE LARVAS DE AEDES AEGYPTI E AEDES ALBOPICTUS CONFORME OS CRIADOUROS, NO MUNICÍPIO DE URUAÇU, GOIÁS

ESTUDO ENTOMOLÓGICO DA DISTRIBUIÇÃO DE LARVAS DE AEDES AEGYPTI E AEDES ALBOPICTUS CONFORME OS CRIADOUROS, NO MUNICÍPIO DE URUAÇU, GOIÁS ESTUDO ENTOMOLÓGICO DA DISTRIBUIÇÃO DE LARVAS DE AEDES AEGYPTI E AEDES ALBOPICTUS CONFORME OS CRIADOUROS, NO MUNICÍPIO DE URUAÇU, GOIÁS Dilza Floripes Aparecida Jasem 1 Cleuton Araújo do Carmo 2 Luciane

Leia mais

Boletim Semanal da Dengue

Boletim Semanal da Dengue Prefeitura de Nova Lima Secretaria Municipal de Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Vigilância em Saúde Boletim Semanal da Dengue Semana Epidemiológica Este boletim tem por objetivo apresentar o

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº. DE O CONGRESSO NACIONAL decreta,

PROJETO DE LEI Nº. DE O CONGRESSO NACIONAL decreta, CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI Nº. DE 2015. (Do Senhor Luiz Lauro Filho) Cria a Política Nacional de Combate à Dengue, a Chikungunya e à febre Zika O CONGRESSO NACIONAL decreta, Art. 1º - A Política

Leia mais

SAUDE.BA.GOV.BR Inimigo N 1 AGORA E TODO MUNDO CONTRA O MOSQUITO

SAUDE.BA.GOV.BR Inimigo N 1 AGORA E TODO MUNDO CONTRA O MOSQUITO SAUDE.BA.GOV.BR Inimigo N 1 o AGORA E TODO MUNDO CONTRA O MOSQUITO 7Se for guardar pneus velhos em casa, retire toda a água e mantenha-os em locais cobertos, protegidos da chuva. 8 Limpe as calhas com

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE

SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE Página 1 de 5 SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE A Secretaria Municipal da Agricultura, Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, através do Departamento de

Leia mais

Resposta Coordenada de Monitoramento da Dengue MT Informe técnico n 12 Atualizado em 11/05/2010 ás 11:00 h.

Resposta Coordenada de Monitoramento da Dengue MT Informe técnico n 12 Atualizado em 11/05/2010 ás 11:00 h. Governo Federal Ministério da Saúde Governo do Estado de Mato Grosso Secretaria de Estado de Saúde Distribuição restrita aos gestores e técnicos das secretarias de saúde, com o objetivo de monitorar a

Leia mais

Escrito por Assessoria de Comunicação Sex, 13 de Maio de :23 - Última atualização Sex, 13 de Maio de :56

Escrito por Assessoria de Comunicação Sex, 13 de Maio de :23 - Última atualização Sex, 13 de Maio de :56 O verão acabou, mas a luta contra o mosquito Aedes aegypti está longe de terminar. Com casos cada vez mais frequentes de doenças transmitidas pelo mosquito, como Dengue, Zika, Chikungunya e Febre Amarela,

Leia mais

Of. nº. 008/2015 Guaporé, 26 de novembro de Senhor Presidente Senhores Vereadores

Of. nº. 008/2015 Guaporé, 26 de novembro de Senhor Presidente Senhores Vereadores Of. nº. 008/2015 Guaporé, 26 de novembro de 2015. Senhor Presidente Senhores Vereadores Encaminho para apreciação e votação de Vossas Excelências, o projeto de lei legislativa nº. 015/2015, que dispõe

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA PREFEITURA E DOS VIZINHOS NO COMBATE À DENGUE!

A IMPORTÂNCIA DA PREFEITURA E DOS VIZINHOS NO COMBATE À DENGUE! A IMPORTÂNCIA DA PREFEITURA E DOS VIZINHOS NO COMBATE À DENGUE! O mosquito da Dengue se prolifera em "em silêncio". Gosta de "sombra e água limpa". O melhor jeito de combatê-lo é eliminando os criadouros

Leia mais

Orientar sobre o combate ao mosquito da Dengue? Conta Comigo!

Orientar sobre o combate ao mosquito da Dengue? Conta Comigo! Orientar sobre o combate ao mosquito da Dengue? Conta Comigo! DENGUE: O PERIGO REAL A Dengue é uma doença infecciosa, de gravidade variável, causada por um vírus e transmitida pela picada do mosquito Aedes

Leia mais

Ações de Combate à Dengue

Ações de Combate à Dengue Ações de Combate à Dengue 2015-2016 Dengue no Brasil Dengue no Brasil Evolução da Dengue em Sorocaba/SP 250 200 Nº de Casos 150 100 50 0 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez 2010 2011 2012 2013

Leia mais

Títulos e Valores Mobiliários Nome do Arquivo Registro de CDA/WA. Header. Seq. Campo

Títulos e Valores Mobiliários Nome do Arquivo Registro de CDA/WA. Header. Seq. Campo Versão: 25/10/2010 Títulos e Valores Mobiliários Nome do Arquivo 1.1.1 Registro de CDA/WA Header Seq. Campo Formato Posição Descrição/conteúdo 0 ID X(10) Codificação do Tipo do Instrumento Financeiro Veja

Leia mais

A Presença de Aedes aegypti na Região Autónoma da Madeira medidas de prevenção.

A Presença de Aedes aegypti na Região Autónoma da Madeira medidas de prevenção. Escola Básica e Secundária Prof. Dr. Francisco de Freitas Branco, Porto Santo Ano letivo 2012 2013 A Presença de Aedes aegypti na Região Autónoma da Madeira medidas de prevenção. PowerPoint elaborado a

Leia mais

Secretaria Municipal de Saúde Diretoria de Vigilância à Saúde Vigilância Sanitária

Secretaria Municipal de Saúde Diretoria de Vigilância à Saúde Vigilância Sanitária LICENCIAMENTO DE ESTABELECIMENTOS QUE COMERCIALIZAM ARTIGOS DE CONVENIÊNCIA E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM FARMÁCIAS E DROGARIAS - "DRUGSTORE" Dispositivo legal: Lei Federal 5991/73 alterada pela Lei 9069/95,

Leia mais

Aedes aegypti: temos competência para controlar

Aedes aegypti: temos competência para controlar Aedes aegypti: temos competência para controlar Dra. Dalva Marli Valério Wanderley Superintendência de Controle de Endemias-Sucen-SES-SP 23/09/2016 1º Painel Agentes de Saúde COMPETÊNCIAS - PORTARIA 1378

Leia mais

1. Identificação do Empreendimento Razão Social: Endereço completo: Áreas: Terreno (m²): Construída (m²):

1. Identificação do Empreendimento Razão Social: Endereço completo: Áreas: Terreno (m²): Construída (m²): PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS PGRI Página 1/5 1. Identificação do Empreendimento Razão Social: Endereço completo: Classificação Fiscal: 2. Caracterização do Empreendimento Contato (Fone

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº... /LEGISLATIVO 2012

PROJETO DE LEI Nº... /LEGISLATIVO 2012 PROJETO DE LEI Nº... /LEGISLATIVO 2012 Dispõe sobre a definição de locais públicos para recebimento de pneus velhos descartados ou inutilizados pelas borracharias estabelecidas no Município e dá outras

Leia mais

Vigilância epidemiológica da Dengue no município de Natal

Vigilância epidemiológica da Dengue no município de Natal Prefeitura do Natal Secretaria Municipal de Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Centro de Controle de Zoonoses Data de produção: 17/2/215 Ano 8 Número 6 - Dados referente as Semanas Epidemiológica

Leia mais

1. DENGUE. Gráfico 1 Incidência de casos de dengue por Distrito Sanitário em Goiânia-GO, até a SE 48, 2015.

1. DENGUE. Gráfico 1 Incidência de casos de dengue por Distrito Sanitário em Goiânia-GO, até a SE 48, 2015. 1. DENGUE Em 2015, até a 48ª semana epidemiológica foram notificados 78.040 casos, com incidência de 5.525,5/100.000 habitantes. Quando comparado ao mesmo período do ano anterior observa-se um aumento

Leia mais

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES Informativo da EEL/SUBE/CED/GPEC (Gerência de Projetos de Extensão Curricular) Ano XI Março abril - 2017 Coordenação: Denise Palha Redação: Waleria de Carvalho JUNTOS SOMOS MAIS FORTES Diga não ao mosquito

Leia mais

LAVAGEM AUTOMOTIVA. Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax:

LAVAGEM AUTOMOTIVA. Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: LAVAGEM AUTOMOTIVA 1. Identificação Empresa/Interessado: Endereço: Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: E-mail: Atividade: Localização do empreendimento (Endereço): Bairro: CEP: Contato: Cargo/Função:

Leia mais

1.2 RECOMENDAÇÕES PARA O CONTROLE MECÂNICO E ALTERNATIVO (PRODUTOS CASEIROS) E CONCEITO DE RECIPIENTE EXISTENTE ESPECIFICADO PARA CADA TIPO.

1.2 RECOMENDAÇÕES PARA O CONTROLE MECÂNICO E ALTERNATIVO (PRODUTOS CASEIROS) E CONCEITO DE RECIPIENTE EXISTENTE ESPECIFICADO PARA CADA TIPO. 1.2 RECOMENDAÇÕES PARA O CONTROLE MECÂNICO E ALTERNATIVO (PRODUTOS CASEIROS) E CONCEITO DE RECIPIENTE EXISTENTE ESPECIFICADO PARA CADA TIPO. Recipiente existente: Considera-se recipiente existente, todo

Leia mais

Notas: Aprovada pelo Conselho Diretor, em 14 de junho de OBJETIVO

Notas: Aprovada pelo Conselho Diretor, em 14 de junho de OBJETIVO IT-1043.R-1 - INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA SUBSIDIAR OS ÓRGÃOS MUNICIPAIS NO LICENCIAMENTO DE ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS E DE SERVIÇOS QUANTO AO CONTROLE DE VETORES E OUTROS ANIMAIS NOCIVOS Notas: Aprovada

Leia mais

Boletim Semanal da Dengue

Boletim Semanal da Dengue Prefeitura de Nova Lima Secretaria Municipal de Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Vigilância em Saúde Boletim Semanal da Dengue Semana Epidemiológica 09 Este boletim tem por objetivo apresentar

Leia mais

FORMULÁRIO DE CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO

FORMULÁRIO DE CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO FORMULÁRIO DE CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO É expressamente proibido qualquer tipo de intervenção em Área de Preservação Permanente. Deverá ser observada rigorosamente a formatação deste formulário,

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CONTROLE E IMPACTO AMBIENTAL DCIA SETOR DE ANÁLISE AMBIENTAL (SAA) CHECK-LIST PARA REQUERIMENTO DE CERTIDÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO

DEPARTAMENTO DE CONTROLE E IMPACTO AMBIENTAL DCIA SETOR DE ANÁLISE AMBIENTAL (SAA) CHECK-LIST PARA REQUERIMENTO DE CERTIDÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO DEPARTAMENTO DE CONTROLE E IMPACTO AMBIENTAL DCIA SETOR DE ANÁLISE AMBIENTAL (SAA) CHECK-LIST PARA REQUERIMENTO DE CERTIDÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA (Preenchido por Analista na

Leia mais

Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil.

Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil. Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de 2002. Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil. Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. O CONSELHO

Leia mais

WORKSHOP RESÍDUOS SÓLIDOS DESAFiOS PARA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA SAÚDE E LIMPEZA PÚBLICA

WORKSHOP RESÍDUOS SÓLIDOS DESAFiOS PARA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA SAÚDE E LIMPEZA PÚBLICA WORKSHOP RESÍDUOS SÓLIDOS DESAFiOS PARA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA SAÚDE E LIMPEZA PÚBLICA 2 CONDICIONANTES E DETERMINANTES DE SAÚDE: Conceito de Saúde para a Organização Mundial de Saúde, a OMS: Saúde é

Leia mais

INFORME TÉCNICO SEMANAL: DENGUE, CHIKUNGUNYA, ZIKA E MICROCEFALIA RELACIONADA À INFECÇÃO PELO VÍRUS ZIKA

INFORME TÉCNICO SEMANAL: DENGUE, CHIKUNGUNYA, ZIKA E MICROCEFALIA RELACIONADA À INFECÇÃO PELO VÍRUS ZIKA 1. DENGUE Em 2016, até a 6ª semana epidemiológica (SE) foram notificados 7.478 casos suspeitos de dengue. No ano de 2015, o município superou o registro de número de casos de anos anteriores, revelando

Leia mais

FAZ SABER, que a Câmara de Vereadores de Picuí - PB, votou, aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei:

FAZ SABER, que a Câmara de Vereadores de Picuí - PB, votou, aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei: PROJETO DE LEI Nº 041/2016. DISPÕE SOBRE A INSTITUIÇÃO DO PROGRAMA MUNICIPAL DE COMBATE E PREVENÇÃO A DENGUE, CHIKUNGUNYA E ZIKA VÍRUS, CONFORME ESPECIFICA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito Municipal

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE

SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE Página 1 de 5 SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE A Secretaria Municipal da Agricultura, Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, através do Departamento de

Leia mais

Plano de Contingência Contra a Dengue, Febre Chikungunya e Zika Vírus

Plano de Contingência Contra a Dengue, Febre Chikungunya e Zika Vírus 2016 Plano de Contingência Contra a Dengue, Febre Chikungunya e Zika Vírus Sumário 1 DENGUE... 2 2 FEBRE CHIKUNGUNYA... 4 3 ZIKA VÍRUS... 4 4 RESUMO SINTOMÁTICO... 5 5 MÉTODOS PREVENTIVOS... 6 6 ANEXO

Leia mais

Legislações voltadas ao uso racional e à conservação da água

Legislações voltadas ao uso racional e à conservação da água Legislações voltadas ao uso racional e à conservação da água Lei N 10785 de 18 de Setembro de 2003 Aprovada pela câmara municipal de Curitiba, Sr. Prefeito Cássio Taniguchi No município de Curitiba, o

Leia mais

Dispõe sobre os procedimentos de licenciamento ambiental de estabelecimentos destinados ao recebimento de embalagens vazias de agrotóxicos

Dispõe sobre os procedimentos de licenciamento ambiental de estabelecimentos destinados ao recebimento de embalagens vazias de agrotóxicos Ministério do Meio Ambiente Conselho Nacional do Meio Ambiente RESOLUÇÃO N o 334, DE 3 DE ABRIL DE 2003 Dispõe sobre os procedimentos de licenciamento ambiental de estabelecimentos destinados ao recebimento

Leia mais

Gestão de Resíduos de Construção Civil. Plano de Gerenciamento de RCD. Profa. Ma. Tatiana Vilela Carvalho

Gestão de Resíduos de Construção Civil. Plano de Gerenciamento de RCD. Profa. Ma. Tatiana Vilela Carvalho Gestão de Resíduos de Construção Civil Plano de Gerenciamento de RCD Profa. Ma. Tatiana Vilela Carvalho Construção Civil do ponto de vista ambiental LELA CARVALHO Reflexão: De onde vêm os recursos naturais

Leia mais

Sistemas de Gestão Ambiental. Gestão de Resíduos. Vídeo. Contextualização. Soluções. Instrumentalização. Aula 5. Prof. Esp.

Sistemas de Gestão Ambiental. Gestão de Resíduos. Vídeo. Contextualização. Soluções. Instrumentalização. Aula 5. Prof. Esp. Sistemas de Gestão Ambiental Aula 5 Gestão de Resíduos Prof. Esp. Felipe Luiz Vídeo Contextualização Lixão no Oceano Pacífico. Disponível em:

Leia mais

Implantar o Relatório de Acompanhamento das Atividades de Empresas RAAE, para empresas de limpeza e higienização de reservatórios de água.

Implantar o Relatório de Acompanhamento das Atividades de Empresas RAAE, para empresas de limpeza e higienização de reservatórios de água. 1. OBJETIVO Implantar o Relatório de Acompanhamento das Atividades de Empresas RAAE, para empresas de limpeza e higienização de reservatórios de água. 2. CAMPO DE APLICAÇÃO Estão submetidas a esta norma

Leia mais

Boletim da Vigilância em Saúde MARÇO 2013

Boletim da Vigilância em Saúde MARÇO 2013 Boletim da Vigilância em Saúde MARÇO 2013 Boletim da Vigilância em Saúde MARÇO 2013 Prefeito Municipal Marcio Lacerda Secretário Municipal de Saúde Marcelo Gouvêa Teixeira Secretário Municipal Adjunto

Leia mais

DIVISÃO DE VIGILÂNCIA AMBIENTAL EM SAÚDE PROGRAMA ESTADUAL DE CONTROLE DA DENGUE

DIVISÃO DE VIGILÂNCIA AMBIENTAL EM SAÚDE PROGRAMA ESTADUAL DE CONTROLE DA DENGUE DIVISÃO DE VIGILÂNCIA AMBIENTAL EM SAÚDE PROGRAMA ESTADUAL DE CONTROLE DA DENGUE Área de dispersão do vetor Aedes aegypti Originário da África tropical e introduzido nas Américas durante a colonização

Leia mais

Diagnóstico Rápido nos Municípios para Vigilância Entomológica do Aedes aegypti no Brasil LIRAa

Diagnóstico Rápido nos Municípios para Vigilância Entomológica do Aedes aegypti no Brasil LIRAa MINISTÉRIO DA SAÚDE DIAGNÓSTICO RÁPIDO NOS MUNICÍPIOS PARA VIGILÂNCIA ENTOMOLÓGICA DO AEDES AEGYPTI NO BRASIL LIRAa METODOLOGIA PARA AVALIAÇÃO DOS ÍNDICES DE BRETEAU E PREDIAL BRASÍLIA - DF MINISTÉRIO

Leia mais

PREND Programa de Recebimento de Efluentes Não Domésticos

PREND Programa de Recebimento de Efluentes Não Domésticos SEUS ESGOTOS TRATADOS POR QUEM MAIS ENTENDE DO ASSUNTO Uma das grandes preocupações das empresas hoje em dia é o tratamento e a destinação de seus esgotos. A Sabesp está preparada para receber e tratar

Leia mais

Relatório de Vistoria Semanal de Prevenção e Combate ao Mosquito da Aedes Aegypti

Relatório de Vistoria Semanal de Prevenção e Combate ao Mosquito da Aedes Aegypti Relatório de Vistoria Semanal de Prevenção e Combate ao Mosquito da Aedes Aegypti Instalação Vistoriada: SERPRO Regional Fortaleza (EdifícioSede e seus 3 Anexos) Data: 3/3/16 (quintafeira) Nº Itens Área

Leia mais

PORTARIA N 126, DE 30 DE JULHO DE 1999

PORTARIA N 126, DE 30 DE JULHO DE 1999 PORTARIA N 126, DE 30 DE JULHO DE 1999 Estabelece a regulamentação para a atividade de produção ou importação de óleo lubrificante acabado a ser exercida por pessoa jurídica sediada no País, organizada

Leia mais

Tecnologia em Gestão Ambiental

Tecnologia em Gestão Ambiental Tecnologia em Gestão Ambiental PADRÃO DE RESPOSTA O estudante deve elaborar um texto dissertativo a respeito dos movimentos migratórios para o continente europeu. A respeito dos argumentos na perspectiva

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA PARAÍBA SUDEMA Superintendência de Administração do Meio Ambiente

GOVERNO DO ESTADO DA PARAÍBA SUDEMA Superintendência de Administração do Meio Ambiente RELAÇAO DE DOCUMENTOS PARA PEQUENAS INDÚSTRIAS MICROS, MÉDIAS EMPRESAS E ILARES. LICENÇA PRÉVIA 01 - Requerimento de Licença; 02 - Cadastro devidamente preenchido; 03 - Guia do Recolhimento devidamente

Leia mais

Termo de Responsabilidade Técnica

Termo de Responsabilidade Técnica Termo de Responsabilidade Técnica Senhor Presidente do Conselho Regional de Química XVI Região, Conforme determina o artigo 350 do Decreto-lei nº 5.452/43 - C.L.T. e respeitadas a Resolução Ordinária nº

Leia mais

Programa de Capacitação de Agentes Fiscais SANTA MARIA: 14/08/2013

Programa de Capacitação de Agentes Fiscais SANTA MARIA: 14/08/2013 Programa de Capacitação de Agentes Fiscais SANTA MARIA: 14/08/2013 CONCEITOS RESÍDUO: Resíduos nos estados sólido, semi-sólido ou líquido resultantes de atividades industriais, domésticas, hospitalar,

Leia mais

Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Domínio Atendimento Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio

Leia mais

Limpeza urbana e a proliferação de animais sinantrópicos

Limpeza urbana e a proliferação de animais sinantrópicos Limpeza urbana e a proliferação de animais sinantrópicos Instituto de Engenharia SP Divisão Técnica de Engenharia Sanitária do Instituto de Engenharia DTES/I.E 06 de abril de 2011 Francisco Luiz Rodrigues

Leia mais

Visita Domiciliar. Lucivaldo Farias Maciel

Visita Domiciliar. Lucivaldo Farias Maciel Visita Domiciliar Lucivaldo Farias Maciel Educador em Saúde e Mob. Social 3ªCRES/SESA Lucivaldo.maciel@saude.ce.gov.br 1 Visita Domiciliar 2 Abordagem Primeiro contato com os atores responsáveis pelo cuidado

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente SISTEMA DE INFORMAÇÃO E DIAGNÓSTICO É expressamente proibido qualquer tipo de intervenção em Área de Preservação Permanente. Deverá ser observada rigorosamente a formatação deste formulário, não sendo

Leia mais

Luta Antivectorial Orientações Técnicas

Luta Antivectorial Orientações Técnicas Luta Antivectorial Orientações Técnicas Versão revista em 11 de Novembro de 2008 As presentes Orientações Técnicas destinam-se a operacionalizar as estratégias que visam minimizar o risco de importação

Leia mais

Manual de Orientações. Recadastramento

Manual de Orientações. Recadastramento Manual de Orientações Recadastramento PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ITATIBA SECRETARIA DE PLANETAMENTO E DESENVOLVIMENTO SUMÁRIO 1. ACESSO... 4 1.1 INÍCIO DO RECADASTRAMENTO... 5 1.2 LOGIN... 6 2 RECADASTRAMENTO...

Leia mais

Questionário - Levantamento de Dados Municípios do Estado do Tocantins 1. Requisitos Legais / Estudos Específicos

Questionário - Levantamento de Dados Municípios do Estado do Tocantins 1. Requisitos Legais / Estudos Específicos MUNICÍPIO RESPONSÁVEL CONTATO (tel. e e-mail) Questionário - Levantamento de Dados Municípios do Estado do Tocantins 1. Requisitos Legais / Estudos Específicos Existem Planos Setoriais / Planos de Integração

Leia mais

MODELO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE PGRSS.

MODELO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE PGRSS. MODELO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE PGRSS. 1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDIMENTO Razão Social / Nome completo: C.N.P.J. / C.P.F.: Endereço: Bairro: Classificação

Leia mais

Aedes aegypti: temos competência para controlar, afinal somos Agentes de Saúde

Aedes aegypti: temos competência para controlar, afinal somos Agentes de Saúde Aedes aegypti: temos competência para controlar, afinal somos Agentes de Saúde Paulo Roberto Urbinatti Laboratório de Entomologia em Saúde Pública/FSP/USP urbinati@usp.br Aedes aegypti - fêmea BIOECOLOGIA

Leia mais

Considerando as diretrizes do Código Municipal de Meio Ambiente aprovado através da Lei Complementar nº 138, de 28 de dezembro de 2011 e alterações;

Considerando as diretrizes do Código Municipal de Meio Ambiente aprovado através da Lei Complementar nº 138, de 28 de dezembro de 2011 e alterações; Portaria Conjunta SEMUSB Nº 30 DE 17/05/2016 Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil na cidade de Porto Velho e disciplinando as ações mínimas necessárias

Leia mais

NR-32 SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE

NR-32 SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE Instituto Superior de Tecnologia NR-32 SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira NR-32 Tem por finalidade estabelecer as diretrizes básicas para a implementação

Leia mais

Período de incubação nos seres humanos, varia de 3 a 15 dias, mais comum de 5 a 6 dias, isto significa que o paciente vai sentir os sintomas depois

Período de incubação nos seres humanos, varia de 3 a 15 dias, mais comum de 5 a 6 dias, isto significa que o paciente vai sentir os sintomas depois DENGUE DENGUE : DOENÇA QUE MATA DENGUE FORMAS CLÍNICAS DA DENGUE Assintomática Oligossintomática Dengue clássica Dengue grave Febre hemorrágica Dengue com Complicações transmissão Dengue é transmitida

Leia mais

RESPOSTA À IMPUGNAÇÃO DO PREGÃO PRESENCIAL N. 02/2015

RESPOSTA À IMPUGNAÇÃO DO PREGÃO PRESENCIAL N. 02/2015 RESPOSTA À IMPUGNAÇÃO DO PREGÃO PRESENCIAL N. 02/2015 Processo Licitatório 03/2015, referente ao Edital do Pregão Presencial n. 02/2015, do Conselho Regional de Administração de Minas Gerais CRA-MG, para

Leia mais

Resolução Nº. 011/2008

Resolução Nº. 011/2008 ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE PALHOÇA SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E ADOLESCENTE Resolução Nº. 011/2008 Dispõe sobre o registro

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução incorpora ao ordenamento jurídico nacional a Resolução GMC MERCOSUL n. 46/15.

Art. 2º Esta Resolução incorpora ao ordenamento jurídico nacional a Resolução GMC MERCOSUL n. 46/15. RESOLUÇÃO - RDC Nº 108, DE 6 DE SETEMBRO DE 2016 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe conferem o art. 15, III e IV aliado ao art. 7º, III, e IV,

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL. Profa. Dra. Silvia Bertani. Profa. Dra. Silvia Bertani -

DIREITO EMPRESARIAL. Profa. Dra. Silvia Bertani. Profa. Dra. Silvia Bertani - DIREITO EMPRESARIAL Profa. Dra. Silvia Bertani A empresa Empresário (Individual) trabalha no comércio ou com serviços não intelectuais, ou seja, que não dependam de graduação superior para seu desempenho.

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vila Velha Estado do Espírito Santo Secretaria de Desenvolvimento Sustentável

Prefeitura Municipal de Vila Velha Estado do Espírito Santo Secretaria de Desenvolvimento Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL PARA AS SEGUINTES ATIVIDADES: DESDOBRAMENTO DE ROCHAS ORNAMENTAIS, QUANDO EXCLUSIVO; POLIMENTO DE ROCHAS ORNAMENTAIS, QUANDO EXCLUSIVO;

Leia mais

*Módulo 1 - IDENTIFICAÇÃO

*Módulo 1 - IDENTIFICAÇÃO 24 - REBAIXAMENTO DE NÍVEL DE ÁGUA SUBTERRÂNEA (para obras civis) Definição: O rebaixamento de nível de água é um procedimento que tem por objetivo manter o nível d água em uma determinada cota que permita

Leia mais

RELATO DAS ATIVIDADES DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE NO COMBATE A DENGUE EM SANTA MARIA

RELATO DAS ATIVIDADES DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE NO COMBATE A DENGUE EM SANTA MARIA RELATO DAS ATIVIDADES DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE NO COMBATE A DENGUE EM SANTA MARIA A dengue é um dos principais problemas de saúde pública no mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que entre 50

Leia mais

Anexo III INFORME PRÉVIO. IMPORTADORA De Medicamentos. Nome da Empresa /RS, 20

Anexo III INFORME PRÉVIO. IMPORTADORA De Medicamentos. Nome da Empresa /RS, 20 Anexo III INFORME PRÉVIO IMPORTADORA De Medicamentos Nome da Empresa /RS, 20 NOTA: 1. Para fins de inspeção para verificação de cumprimento de boas práticas de fracionamento é imprescindível que a empresa

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente SISTEMA DE INFORMAÇÃO E DIAGNÓSTICO É expressamente proibido qualquer tipo de intervenção em Área de Preservação Permanente. Deverá ser observada rigorosamente a formatação deste formulário, não sendo

Leia mais

Legislação Sanitária aplicada à agroindústria de alimentos

Legislação Sanitária aplicada à agroindústria de alimentos Legislação Sanitária aplicada à agroindústria de alimentos LEGISLAÇÃO SANITÁRIA APLICADA À AGROINDÚSTRIA DE ALIMENTOS 1 Agroindústria de alimentos A agroindustrialização de alimentos deve ser compreendida

Leia mais

Inimigo N 1 AGORA E TODO MUNDO CONTRA O MOSQUITO

Inimigo N 1 AGORA E TODO MUNDO CONTRA O MOSQUITO Inimigo N 1 o AGORA E TODO MUNDO CONTRA O MOSQUITO O mosquito esta muito mais perigoso A Bahia está em alerta com a epidemia de três doenças: Dengue, Chikungunya e Zika. Elas são transmitidas pela picada

Leia mais

PO - Procedimento Operacional Revisão: 02 Folha: 1 de 6

PO - Procedimento Operacional Revisão: 02 Folha: 1 de 6 PO - Procedimento Operacional Revisão: 02 Folha: 1 de 6 1. OBJETIVO Orientar a condução dos processos de de forma a garantir a uniformidade e eficiência dos procedimentos, ferramentas e técnicas utilizadas,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04/2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04/2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04/2015 Regulamentação do descarte de vidros oriundos das diversas atividades acadêmicas e serviços do Centro de Ciências da Saúde. 1. Objetivo e aplicação Conforme as resoluções

Leia mais

Projeto. Associação Educa. Objetivo. Bases legais

Projeto. Associação Educa. Objetivo. Bases legais Projeto Associação Educa Objetivo Instalação de uma escola direcionada à educação e inserção de crianças e jovens com necessidades especiais de aprendizado no sistema regular de ensino. Bases legais LDB

Leia mais

Resolução nº 55 de 17/03/2005 / ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária (D.O.U. 21/03/2005)

Resolução nº 55 de 17/03/2005 / ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária (D.O.U. 21/03/2005) Resolução nº 55 de 17/03/2005 / ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária (D.O.U. 21/03/2005) Fica estabelecidos, por meio do presente regulamento, os requisitos mínimos relativos à obrigatoriedade,

Leia mais

Art. 5º A SDA manifestar-se-á dentro do prazo máximo de 15 (quinze) dias corridos da data de recebimento da solicitação de autorização.

Art. 5º A SDA manifestar-se-á dentro do prazo máximo de 15 (quinze) dias corridos da data de recebimento da solicitação de autorização. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 15 DE MARÇO DE 2013 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais