Danny Silvério Ferreira Sousa 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Danny Silvério Ferreira Sousa 1"

Transcrição

1 BUSCA SOCIAL DE LIMITE AGRÁRIO BUSSOLA: POR UMA CONQUISTA LIVRE E DIRETA NA POLÍTICA DE ACESSO À INFORMAÇÃO CARTOGRÁFICA AGRÁRIA, FUNDIÁRIA E INSTITUCIONAL NA INTERNET. Danny Silvério Ferreira Sousa 1 1 Instituto de Terras do Pará - ITERPA Gerência de Cartografia e Geoprocessamento Geógrafo, Técnico em Gestão de Desenvolvimento Agrário e Fundiário 2 Faculdade Integrada Brasil Amazônia - FIBRA Curso de Geografia Licenciatura Professor das Disciplinas Cartografia Aplicada Ensino e Geotecnologias Aplicadas ao Ensino RESUMO OBJETIVO: Demonstrar a importância do acesso as informações cartográficas fundiárias do Estado do Pará, oriundas do Instituto de Terras do Pará ITERPA, para uso da sociedade, independentemente de expedientes burocráticos de solicitação, acesso, livre e diretamente, por meio de mapas temáticos prontos para análise e tomada de decisão, através de ambiente virtual denominado de Busca Social de Limite Agrário BUSSOLA. A iniciativa faz parte de uma política de tendência ao acesso livre de informações cartográficas agrárias e fundiárias, de excepcional importância para a sociedade, para os seguimentos empresarias, para os movimentos sociais, para as administrações públicas e para academia (universidades e faculdades) no suporte a pesquisa cientifica. As informações disponibilizadas na BUSSOLA são referentes as áreas arrecadadas, glebas estaduais, colônias estaduais, comunidades remanescentes de quilombolas, projetos estaduais de assentamento, áreas desmembradas do patrimônio público estadual, regularizações de terras onerosa (compra) e não-onerosa (doação) no Estado do Pará. REFERENCIAL TEÓRICO: A lei federal de nº de 18 de Novembro de 2011, apresenta-se como o principal instrumento à sociedade para o acesso às informações no âmbito das instituições públicas e privadas no Brasil, nas mais variadas e diferentes questões relacionadas ao que as entidades produzem, ofertam e aplicam seus recursos financeiros. O estudo denominado Avaliação de Transparência das Informações no Instituto de Terras do Pará, produzido pelo IMAZON (2013), destaca a necessidade do acesso as informações cartográficas do órgão e a discordância do mesmo em relação a lei nº12.527/2011. MÉTODOS: A construção do ambiente virtual da BUSSOLA, obedeceu as seguintes etapas nesta ordem: Elaboração de mapas temáticos agrários e fundiários no software ARCGIS 9.2 com acesso ao banco de dados denominado BDF-Base Digital Fundiária, no qual encontravam-se à disposição para análise/seleção/edição 736 arquivos vetoriais de pontos, linhas e polígonos diversos, na extensão padrão SHP (shapefile). Criação de subdomínio em site de hospedagem gratuita na WEB através do portal Elaboração de layout da página no software livre NVU. Finalizando, a transferência dos arquivos HTML gerados no NVU através do software FTP32, protocolo de transferência de arquivos HTML, nas dependências da Gerência de Cartografia e Geoprocessamento do Instituto de Terras do Pará ITERPA, utilizando estação de trabalho CPU/processador Intel 1.6 Ghz/HD 320 GB; 1GB RAM. RESULTADOS: Dos 144 municípios paraenses, 13,88% (20) já estão representados dentro da bussola, os demais 86,12%, ainda estão em processo de elaboração. Todos os mapas possuem informações relativas a legislação com os perímetros de glebas, colônias, assentamentos e áreas quilombolas. Em função de uma demanda inicial ampliou-se a oferta de mapas na BUSSOLA, acrescentando além das informações agrarias e fundiárias, informações de apoio científico. CONCLUSÕES: A demanda inicial, oriunda de diversos segmentos da sociedade, indicam a necessidade e importância da Bussola, indicando a necessidade de ampliar para os demais municípios paraenses, o deverá ser feito em breve, a partir da disponibilidade do setor de cartografia do ITERPA. Palavras chaves: Transparência. Cartografia, Bussola, Acesso, Informação.

2 ABSTRACT OBJECTIVE: To demonstrate the importance of access to land cartographic information from the State of Pará, coming from the Land Institute of Pará - ITERPA for use of society, regardless of bureaucratic expedients request, free and directly through thematic maps ready for analysis and decision-making through virtual environment called Social Search Limit Agrarian - COMPASS. The initiative is part of a political tendency to free access to agricultural land and cartographic information of exceptional importance for society, for the entrepreneurial segments, for social movements to the government and academia (universities and colleges) in support scientific research. The information provided in COMPASS are collected regarding the areas, state tracts, state colonies, remaining Quilombo communities, state settlement projects, dismembered areas of the state public equity, costly settlements of land (buying) and nonburdensome (donation) in the State Para THEORETICAL: Federal law No. 12,527 of November 18, 2011, is presented as the main instrument to society for access to information in the public and private institutions in Brazil, in more varied and different issues Related entities that produce, proffer and apply its financial resources. The study entitled "Evaluation of Information Transparency in Land Institute of Pará", produced by IMAZON (2013), highlights the need for access to map information of the organ and the disagreement of the same in relation to Law No /2011. METHODS: The construction of the virtual environment of COMPASS, followed the following steps in order: Preparation of agrarian and land thematic maps in ArcGIS 9.2 software with access to a database called BDF Digital Land-Base, which were at the disposal for analysis / selection / editing 736 files vector of points, lines and polygons many, the default extension SHP (shapefile). Creating subdomain on free hosting site on the web through the portal Preparation of layout on free software Nvu. Finally, the transfer of the Nvu generated through FTP32 software Transfer Protocol HTML files, the dependencies of Management Mapping & GIS of Land Institute of Pará HTML files - ITERPA using workstation CPU / Intel 1.6 Ghz processor / 320GB HD; 1GB RAM. RESULTS: Of the 144 municipalities in Pará, 13.88% (20) are already represented within the "compass", the remaining 86.12% are still in the drafting process. All maps contain information on the legislation with the perimeters of plots, colonies, settlements and maroon areas. Depending on an initial demand was expanded supply of maps in COMPASS, adding beyond the agrarian and land information, scientific information support. CONCLUSIONS: The initial demand, arising from different segments of society, indicate the need and importance of COMPASS, indicating the need to expand to other Pará municipalities, should be done soon, as the availability of mapping sector ITERPA. Keywords: Transparency. Cartography, COMPASS, Access, Info.

3 1. CONTEXTO DA BUSCA SOCIAL DE LIMITE AGRÁRIO BUSSOLA, NA INTERNET A informação cartográfica apresenta-se com destaque no cenário atual da internet, uma vez que a cartografia historicamente sempre carregou uma áurea de mistério e segredo, que nos dias atuais diminuem gradativamente por meio de inúmeras opções de acesso aos dados cartográficos de maneira ampla, tanto em órgão públicos como em instituições privadas. Porém, a informação cartográfica final, ou simplesmente o mapa propriamente dito, mesmo com as facilidades proporcionadas pelas tecnologias, ainda são inacessíveis e necessitam por parte dos usuários da rede mundial de computadores, de um conhecimento específico e técnico mínimo para sua elaboração, principalmente os produtos relacionados as temáticas agrárias e fundiárias. As diversas soluções disponíveis na web direcionadas à cartografia, remetem a uma acessibilidade relativa, que depende do nível de conhecimento cartográfico de cada usuário para o sucesso da consulta. Nem todos os usuários da internet tem a mesma capacidade de elaboração cartográfica e visão espacial que um técnico especializado detém, que trabalha diariamente com dados cartográficos, assim ainda é imprescindível o produto final pronto e finalizado (o mapa) independentemente de sua temática. A Busca Social de Limite Agrário - BUSSOLA, acessível no endereço eletrônico coloca-se como alternativa dentro desse universo de soluções, porém uma solução finalizada, pronta, acabada, direcionada as informações fundiárias e informações básicas dos municípios paraenses, um canal de acesso a informações cartográficas, diretas, sem intermediários, sem burocracia, como dever ser o acesso aos dados públicos, independentemente de sua origem e finalidade. O Instituto de Terras do Pará ITERPA, fundado em 08 de Outubro de 1975 através da lei estadual nº4.584, tem papel de destaque na elaboração das políticas agrárias no Estado do Pará, possuindo uma demanda crescente por informações cartográficas diversas nos últimos oito anos, além das informações rotineiras de regularização fundiária, sendo de grande valia para a sociedade paraense toda a iniciativa de facilitar o acesso a dados e informações cartográficos, mesmo que ainda extraoficiais, uma vez que a BUSSOLA ainda não se encontra referendada legalmente como parte integrante de sua política de acesso a informação dentro dos parâmetros da lei federal nº de 18 de Novembro de É dentro desse contexto de reconhecimento e ao mesmo tempo de contribuição gratuita e de forma voluntária que a BUSSOLA vem consolidando sua atuação, como uma fonte de informação oriunda de repartição pública, executada por profissional qualificado, habilitado e funcionário concursado do órgão, o que dá confiabilidade aos produtos disponibilizados, mesmo que ainda extraoficiais. No artigo nº23 da lei /2011, qualifica as informações que são imprescindíveis à segurança da sociedade e do Estado: (...) São consideradas imprescindíveis à segurança da sociedade ou do Estado e, portanto, passíveis de classificação as informações cuja divulgação ou acesso irrestrito possam: I - pôr em risco a defesa e a soberania nacionais ou a integridade do território nacional; II - prejudicar ou pôr em risco a condução de negociações ou as relações internacionais do País, ou as que tenham sido fornecidas em caráter sigiloso por outros Estados e organismos internacionais; III - pôr em risco a vida, a segurança ou a saúde da população; IV - oferecer elevado risco à estabilidade financeira, econômica ou monetária do País; V - prejudicar ou causar risco a planos ou operações estratégicos das Forças Armadas; VI - prejudicar ou causar risco a projetos de pesquisa e desenvolvimento científico ou tecnológico, assim como a sistemas, bens, instalações ou áreas de interesse estratégico nacional; VII - pôr em risco a segurança de instituições ou de altas autoridades nacionais ou estrangeiras e seus familiares; ou VIII - comprometer atividades de inteligência, bem como de investigação ou fiscalização em andamento, relacionadas com a prevenção ou repressão de infrações (...). Desta forma, não faz sentido guardar segredo de informações fundiárias como glebas de terras, projetos de assentamento, áreas tituladas atuais e antigas, lotes colônias dentre outros. Portanto um informação de uso da terra, em situação de compra ou venda não se enquadra numa classificação de acesso restrito, podendo a mesma estar disponível para a sociedade. O documento Avaliação da Transparência de Informações no Instituto de Terras do Pará publicado pelo IMAZON / Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia, publicado em 2013, reforça como uma de suas recomendações o trabalho cartográfico, em especial a disponibilidade de mapas de terras públicas arrecadadas pelo Estado. A finalidade do trabalho de desenvolvimento da BUSSOLA vai além das áreas públicas arrecadadas, procura disponibilizar uma informação fundiária mais completa e abrangente, para o seu bom uso. A segmentação da BUSSOLA, por meio do produto cartográfico mapa é uma tendência de futuro ainda incipiente, porém essencial no futuro sendo dentro dessa linha de pensamento que o ITERPA põe-se como sujeito neste momento, com um dos, se não o primeiro órgão de terras no país a disponibilizar suas informações pelo meio da representação cartográfica, se não totalmente ainda, mas significativas possibilidades de estar na vanguarda dessa modalidade de opção na internet.

4 2. MATERIAL E MÉTODOS A construção do ambiente virtual da Busca Social de Limite Agrário- BUSSOLA, obedeceu as seguintes etapas nesta ordem: Elaboração de mapas temáticos agrários e fundiários no software proprietário ARCGIS 9.2, utilizando o banco de dados denominado BDF-Base Digital Fundiária, no qual encontravam-se à disposição para análise/seleção/edição arquivos vetoriais de pontos, linhas e polígonos, na extensão padrão SHP (shapefile) utilizados em SIG -Sistema de Informação Geográficas. Dentre os arquivos disponibilizados na BDF-ITERPA, destacamos os limites municipais do IBGE 2013; rios principais e secundários, estradas, localidades, cidades, glebas estaduais, glebas federais, colônias estaduais, assentamentos estaduais e federais, quilombos federais e estaduais, reservas indígenas, áreas das forças armadas brasileiras, unidades de conservação de proteção integral e de uso sustentável. Criação de subdomínio em site de hospedagem gratuita na WEB através do portal depois, elaboração de layout da página no software livre (de código fechado) Nvu. Abaixo vemos a janela principal deste software livre de edição de arquivos HTML (Hyper Text Markup Language), utilizado no processo de construção do site. Fig. 01 Janela principal do software Nvu. Fonte: O Nvu é um software livre, editor de arquivos HTML, intuitivo, de fácil operação, com recursos satisfatórios para a finalidade do produto final. A utilização sofisticada com diversos recursos de edição dos softwares proprietários, não foram necessárias nesse primeiro momento de elaboração da BUSSOLA, por isso a opção em trabalhar com software livre. A transferência dos arquivos HTML gerados no Nvu, foram executadas no software FTP32 (File Transfer Protocol 32bits) da empresa Softtronic, protocolo de transferência de arquivos HTML, nas dependências da Gerência de Cartografia e Geoprocessamento do Instituto de Terras do Pará ITERPA, utilizando estação de trabalho CPU/processador Intel 1.6 Ghz/HD 320 GB; 1GB RAM. Fig. 02 Janela principal do software FTP 32. Fonte:

5 3. RESULTADOS A partir da utilização dos softwares Nvu e FTP 32, construiu-se a página da BUSCA SOCIAL DE LIMITE AGRÁRIO- BUSSOLA. A página é leve, com fundo branco, rápida na busca das informações, sem necessidade do usuário abrir novas páginas desnecessariamente. O site é constituído de uma única página principal, da qual outras páginas são abertas em janelas separadas, sempre mapas em arquivo JPEG, prontos para impressão, no tamanho A4. Foram desenvolvidas quatro seções em destaque, denominadas pelas indicações de 1- NORTE, Cartografia de Interesse Público Institucional/CIPI; 2-SUL, Transparência Eficiência e Produtividade/TEP; 3-LESTE, Projetos de Interesse Público-Institucional e 4-OESTE, Cartografia de Interesse Científico-Acadêmico/CICA, numa alusão aos quatro pontos cardeais da rosa dos ventos de uma bússola mecânica tradicional. Dos 144 municípios paraenses, 13,8% ou 20 municípios já se encontram representados dentro do site da BUSSOLA, restando ainda um quantitativo significativo de 86,12% a serem disponibilizado no site. Abaixo veremos os resultados parciais da iniciativa até o presente momento, bem como uma breve descrição. 3.1 TOPO DE PÁGINA - CUMPRINDO À LEGISLAÇÃO DE ACESSO A INFORMAÇÃO Na parte superior da página, observa-se os créditos da iniciativa de elaboração do site. Identificação básica com nome do executor, cargo, lotação do órgão, formação profissional, registro no CREA-PA, e telefones de contato e aviso da situação jurídico/legal das informações e seu caráter atual. Fig.03 Apresentação da página da BUSSOLA Fonte: 3.2 CARTOGRADIA DE INTERESSE PÚBLICO-INSTITUCIONAL - CIPI JURISDIÇÃO DE TERRAS NO ESTAO DO PARÁ E REGIÕES DE VALOR DA TERRA NUA - VTN A finalidade da CIPI Jurisdição de Terras no Estado e Regiões de Valor da Terra Nua VTN, dentro da BUSSOLA é disponibilizar de forma ampla e irrestrita todas as informações fundiárias do Instituto de Terras do Pará ITERPA para a sociedade, de forma direta, livre, sem intermediação. Existem imagens de dois (02) mapas, um de jurisdição das terras no Estado do Pará e outro com as regiões de integração do Estado associadas à cobrança do VTN (Valor da Terra Nua) para servir de referência no processo de regularização onerosa (compra de terras). Fig. 04 Cartografia de interesse público-institucional CIPI. Em destaque na parte superior direita os instrumentos legais da BUSSOLA. Fonte:

6 3.3 CARTOGRADIA DE INTERESSE PÚBLICO INSTITUCIONAL CIPI INFORMAÇÃO FUNDIÁRIA BÁSICA DE APOIO A finalidade da CIPI Informação Fundiária Básica de Apoio, esta na possibilidade de acesso as principais informações cartográficas do Instituto de Terras do Pará ITERPA. Existe acesso aos mapas das glebas estaduais regularizadas, colônias estaduais, áreas quilombolas, terras indígenas, projetos estaduais de assentamento, e áreas destacadas do patrimônio público estadual (títulos de terras). Fig. 05 Opções de Produtos Cartográficos Fundiários. Fonte: 3.4 CARTOGRADIA DE INTERESSE PÚBLICO INSTITUCIONAL CIPI INFORMAÇÃO FUNDIÁRIA BÁSICA MUNICIPA I A finalidade da CIPI Informação Fundiária Básica Municipal I, destina-se especificamente as prefeituras dos municípios paraenses, muitas ainda carentes de informações cartográficas próprias. É possível acessar mapas do município com informações básicas de drenagem, estradas, localidades, povoados, vilas juntamente com dados fundiários e situação de jurisdição de terras. Fig. 06 Opções de Produtos Cartográficos Fundiários por Município dentro das Regiões de Integração do Estado. (regiões 1,2,3,4,5 e 6) Fonte:

7 Fig. 07 Opções de Produtos Cartográficos Fundiários por Município dentro das Regiões de Integração do Estado (regiões 7,8,9,10,11 e 12). Fonte: 3.5 TRANSPARENCIA EFICIÊNCIA E PRODUTIVIDADE - TEP CANAL DE APOIO AO INTERESSADO A finalidade da Transparência Eficiência e Produtividade TEP Canal de Apoio ao Interessado, destina-se a proporcionar aos interessados que possuem processos em tramitação dentro do Instituto de Terras do Pará ITERPA, a possibilidade de visualizar e avaliar de forma qualitativa o andamento e desenvolvimento das atividades desenvolvidas pelo técnico responsável no setor denominado de Gerência de Cartografia e Geoprocessamento GCG. Existe um canal dentro do próprio site do ITERPA no qual o interessado pode consultar e verificar o trâmite interno de seu processo, os setores por onde passou, o dia e hora de entrada e saída de cada setor e período de tempo que o processo ficou em cada setor, porém não detalha a situação do processo em nenhum dos setores. Na TEP é possível visualizar todo o procedimento de execução do processo pelo técnico responsável, suas dificuldades, suas rotinas e o andamento dentro de um modelo de grade, adaptado do Diagrama de Henry Gantt (1917). Fig. 08 Transparência eficiência e produtividade TEP. Fonte:

8 3.6 PROJETOS DE INTERESSE PÚBLICO-INSTITUCIONAL E CARTOGRAFIA DE INTERESSE CIENTÍFICO-ACADÊMICO APOIO À PRODUÇÃO CIENTÍFICA A finalidade do Projetos de Interesse Público-Institucional e da Cartografia de Interesse Científico- Acadêmico CICA, destina-se a divulgar projetos de interesse do executivo e da sociedade. O destaque inicial é a proposta de regulamentação a concessão de diárias no serviço público estadual, matéria polêmica, delicada e grande interesse pro o Executivo Estadual. A CICA, destina-se as iniciativas cartográficas dentro da academia de uma forma geral. Fig. 09 Projetos de interesse público institucional e Cartografia de interesse científico-acadêmico CICA Fonte: 4. CONCLUSÕES O desafio maior da BUSSOLA é ampliar a difusão das informações cartográficas, os mapas fundiários no formato pronto, o produto final, direto, rápido e de fácil acesso, sem intermediários, atendo as demandas tanto de grandes empreendedores rurais, pequenos agricultores familiares, movimentos sociais, gestores públicos e pesquisadores do ensino superior e outros que se interessem pelas questões agrárias. Não é uma tarefa fácil, principalmente quando não existe um apoio ou valorização as iniciativas desenvolvidas pelos próprios servidores públicos dentro de uma instituição dominada pelos interesses e políticas de governo, em detrimento das políticas de Estado. Desenvolver iniciativas desse tipo nessas condições de adversidade aliadas às condições estruturais que não são as ideias, especificamente no ITERPA, requer determinação, perseverança, teimosia e foco, jamais se deixar abalar pelas criticas desestimulantes e buscar sempre motivação na possibilidade de poder proporcionar solução para problemas e questões onde as respostas estão dentro do Instituto de terras. Ser o elemento chave nessas soluções para outros órgãos públicos, profissionais especializados e para as parcelas mais desprovidas de acesso a informação cartográfica da sociedade, fazem valer todo o esforço empreendido na elaboração do site da BUSSOLA. O site BUSSOLA como ferramenta ágil se apresenta como uma materialização de um instrumento poderoso na perspectiva da conquista livre e direta no acesso a informação cartográfica agrária e fundiária, nesses tempos de fartura de acesso a dados cartográficos na internet, que necessitam de recursos e trabalho especializado para se tornarem mapas e informações cartográficas confiáveis. Poder ofertar gratuitamente o mapa fundiário, dispensa qualquer solução on line por mais intuitiva e fácil se seja. Como perspectiva de curto a médio prazo, a ampliação deste serviço e a sua regulamentação interna, por instrução normativa ou portaria são os maiores desafios a serem alcançados junto a administração interna do ITERPA, principalmente em ano eleitoral, onde a possibilidade de mudanças administrativas nos próximos meses se colocam como uma possibilidade potencialmente real. Mesmo com as incertezas na gestão do órgão no curto prazo, atingir 50% dos municípios paraenses é uma meta pessoal de compromisso até o final do mês de Novembro de 2014 e 100% dos municípios até o final de Janeiro Essas metas são realistas, visto que as atividades funcionais e o tempo diário restante destinado a essa finalidade é curto, onde as tarefas processuais internas na Gerencia de Cartografia e Geoprocessamento demandam quase que integralmente o tempo de trabalho, sem contar as viagens para realização de vistorias em processos judiais que demandam a integralidade de todo o tempo de serviço em campo e no escritório. Assim, a BUSSOLA procurará dentro de suas possibilidades, manter sua regularidade de atualização de informações.

9 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CARDOSO, JR DARIO & BRITO, BRENDA. Avaliação da Transparência de Informações no Instituto de Terras do Pará. Belém, PARÁ: Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (IMAZON), BRASIL. Controladoria-Geral da União Acesso à Informação Pública: Uma introdução à Lei nº , de 18 de novembro de 2011, 26 p. Disponível em: <http://www.cgu.gov.br/acessoainformacao/materiais-interesse/ CartilhaAcessoaInformacao.pdf>. Acesso em: 27 Setembro Lei nº , de 18 de novembro de Regula o acesso à informações previsto no inciso XXXIII do art. 5o, no inciso II do 3o do art. 37 e no 2o do art. 216 da Constituição Federal; altera a Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990; revoga a Lei no , de 5 de maio de 2005, e dispositivos da Lei no 8.159, de 8 de janeiro de 1991; e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato /2011/ Lei/L12527.htm>. Acesso em: 03 maio 2013.

10 ANEXO I CIPI 01

11 ANEXO II CIPI 02

12 ANEXO III CIPI 03

13 ANEXO IV CIPI 04

14 ANEXO V CICA

Portal de Dados Abertos elaborado pela Emprel lança iniciativas que aproximam Prefeitura e cidadãos no Recife

Portal de Dados Abertos elaborado pela Emprel lança iniciativas que aproximam Prefeitura e cidadãos no Recife Portal de Dados Abertos elaborado pela Emprel lança iniciativas que aproximam Prefeitura e cidadãos no Recife Perfil A Empresa Municipal de Informática Emprel é uma empresa pública, dotada de personalidade

Leia mais

Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso

Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso Considerando que a informação arquivística, produzida, recebida, utilizada e conservada em sistemas informatizados,

Leia mais

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII)

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII) PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO Secretaria-Executiva Diretoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Plano de Integridade Institucional (PII) 2012-2015 Apresentação Como

Leia mais

DECRETO Nº 2.134, DE 24 DE JANEIRO DE

DECRETO Nº 2.134, DE 24 DE JANEIRO DE DECRETO Nº 2.134, DE 24 DE JANEIRO DE 1997 (Revogado Pelo Decreto nº 4.553, de 27.12.2002) Regulamenta o art. 23 da Lei nº 8.159, de 8 de janeiro de 1991, que dispõe sobre a categoria dos documentos públicos

Leia mais

A ATUAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO FAZENDÁRIA APÓS A LEI Nº 12.527/2011 - ACESSO ÀS INFORMAÇÕES FISCAIS

A ATUAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO FAZENDÁRIA APÓS A LEI Nº 12.527/2011 - ACESSO ÀS INFORMAÇÕES FISCAIS A ATUAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO FAZENDÁRIA APÓS A LEI Nº 12.527/2011 - ACESSO ÀS INFORMAÇÕES FISCAIS DENISE LUCENA CAVALCANTE Pós-Doutora pela Universidade de Lisboa. Doutora pela PUC/SP Mestre pela UFC. Procuradora

Leia mais

Utilização da plataforma Ning para o desenvolvimento de rede social temática para o agronegócio do leite

Utilização da plataforma Ning para o desenvolvimento de rede social temática para o agronegócio do leite Utilização da plataforma Ning para o desenvolvimento de rede social temática para o agronegócio do leite Leonardo Mariano Gravina Fonseca 1, Myriam Maia Nobre 1, Denis Teixeira da Rocha 1, Elizabeth Nogueira

Leia mais

Cooperação científica e técnica e o mecanismo de intermediação de informações

Cooperação científica e técnica e o mecanismo de intermediação de informações Página 144 VIII/11. Cooperação científica e técnica e o mecanismo de intermediação de informações A Conferência das Partes, Informando-se sobre o relatório do Secretário Executivo sobre as atividades do

Leia mais

Modernização da Gestão e Tecnologia

Modernização da Gestão e Tecnologia Modernização da Gestão e Tecnologia Gestão Municipal? i. Economicidade e Eficiência: reduzir custos e ampliar a receita que é de direito do ente municipal ii. Processos: etapas de realização e fluxo de

Leia mais

Centro de Trabalho Indigenista CTI

Centro de Trabalho Indigenista CTI Centro de Trabalho Indigenista CTI Termo de Referência para Contratação de Consultoria Técnica Junho de 2015 Projeto Proteção Etnoambiental de Povos Indígenas Isolados e de Recente Contato na Amazônia

Leia mais

UNIVERSIDADE LIVRE DO MEIO AMBIENTE

UNIVERSIDADE LIVRE DO MEIO AMBIENTE UNIVERSIDADE LIVRE DO MEIO AMBIENTE A INSTITUIÇÃO A Universidade Livre do Meio Ambiente - Unilivre, instalada em Curitiba, Paraná, é uma organização não governamental sem fins lucrativos, recentemente

Leia mais

TRANSPARÊNCIA E ACESSO À INFORMAÇÃO COMO ESTRATÉGIAS DE PREVENÇÃO DA CORUPÇÃO

TRANSPARÊNCIA E ACESSO À INFORMAÇÃO COMO ESTRATÉGIAS DE PREVENÇÃO DA CORUPÇÃO TRANSPARÊNCIA E ACESSO À INFORMAÇÃO COMO ESTRATÉGIAS DE PREVENÇÃO DA CORUPÇÃO Mário Vinícius Spinelli Secretário de Prevenção da Corrupção e Informações Estratégicas Controladoria-Geral da União Transparência

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial. Sistema de Gestão Estratégica. Documento de Referência

Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial. Sistema de Gestão Estratégica. Documento de Referência Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial Sistema de Gestão Estratégica Brasília - 2010 SUMÁRIO I. APRESENTAÇÃO 3 II. OBJETIVOS DO SGE 4 III. MARCO DO SGE 4 IV. ATORES

Leia mais

FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO URBANO

FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO URBANO FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO URBANO As condições para o financiamento do desenvolvimento urbano estão diretamente ligadas às questões do federalismo brasileiro e ao desenvolvimento econômico. No atual

Leia mais

ACESSO AO PORTAL DE PERIÓDICOS DA CAPES APRESENTAÇÃO

ACESSO AO PORTAL DE PERIÓDICOS DA CAPES APRESENTAÇÃO Tutorial de Pesquisa do Portal de Periódicos da CAPES Manaus 2014 ACESSO AO PORTAL DE PERIÓDICOS DA CAPES APRESENTAÇÃO A Biblioteca Aderson Dutra da Universidade Nilton Lins disponibiliza um moderno conjunto

Leia mais

Sistema de Declaração Pessoal de Saúde Descritivo

Sistema de Declaração Pessoal de Saúde Descritivo Sistema de Declaração Pessoal de Saúde Descritivo Comp Line A empresa Criada em 1996, tem por filosofia associar tecnologia, parceria e transparência, através da disponibilização de painéis de controle,

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO FEAR -Faculdade de Engenharia e Arquitetura FEAR CAMPUS Fig.1 Mapa Campus I (Adaptado pela autora) Fonte: WebSite www.upf.com.br FEAR ENSINO O curso de Arquitetura e Urbanismo da UPF, iniciou suas atividades

Leia mais

Sistema de Armazenamento de Dados Eleitorais - SisElege

Sistema de Armazenamento de Dados Eleitorais - SisElege Faculdade de Tecnologia Senac DF Sistema de Armazenamento de Dados Eleitorais - SisElege Documento de Visão Versão 4.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 05/09/2014 1.0 Versão Inicial do

Leia mais

MANUAL DE NAVEGAÇÃO. O Portal de Transparência do Estado do Rio de Janeiro possui:

MANUAL DE NAVEGAÇÃO. O Portal de Transparência do Estado do Rio de Janeiro possui: MANUAL DE NAVEGAÇÃO Este é o Manual de Navegação do Portal de Transparência do Estado do Rio de Janeiro. Foi elaborado para que você, cidadão, encontre as informações desejadas. Seu objetivo é facilitar

Leia mais

SIG VOLTADO PARA A FISCALIZAÇÃO DA ATIVIDADE PROFISSIONAL DE ARQUITETO E URBANISTA

SIG VOLTADO PARA A FISCALIZAÇÃO DA ATIVIDADE PROFISSIONAL DE ARQUITETO E URBANISTA www.caubr.gov.br SIG VOLTADO PARA A FISCALIZAÇÃO DA ATIVIDADE PROFISSIONAL DE ARQUITETO E URBANISTA Máximo Miqueles Coordenador de Geotecnologia CAU/BR São Paulo, SP 07 de maio de 2014 SISTEMA IGEO OBJETIVO

Leia mais

O acesso a informações públicas será assegurado mediante:

O acesso a informações públicas será assegurado mediante: SIMRECI Sistema de Relacionamento com o Cidadão O SIMRECI é um programa de computador que oferece ferramentas para a gestão do relacionamento com o cidadão e, especialmente garante ao poder público atender

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 Institui a Política de Integração e Segurança da Informação do Sistema de Cadastro Ambiental Rural e dá outras providências. A MINISTRA DE ESTADO DO

Leia mais

EDITAL Nº 02/2012 TERMO DE REFERÊNCIA N 013 PROJETO PNUD BRA/05/021

EDITAL Nº 02/2012 TERMO DE REFERÊNCIA N 013 PROJETO PNUD BRA/05/021 EDITAL Nº 02/2012 TERMO DE REFERÊNCIA N 013 PROJETO PNUD BRA/05/021 1. Função no Projeto Consultoria especializada para propor e subsidiar junto ao GT Temático - Juventude e Meio Ambiente, - Grupo de Trabalho

Leia mais

Programa de Apoio Aos Municípios em Tributação Imobiliária

Programa de Apoio Aos Municípios em Tributação Imobiliária Oficina de Apoio Técnico às Questões Cadastrais: Discussão, Análise e Identificação de Soluções para Problemas e Casos Práticos Apresentação dos Painéis, Questões Debatidas, Síntese das Diretrizes, Conclusões

Leia mais

Gestão e preservação de documentos digitais

Gestão e preservação de documentos digitais Gestão e preservação de documentos digitais I Congresso Nacional de Arquivologia Brasília novembro 2004 Contexto Internacional Na década de 90, a comunidade arquivística internacional dá início aos primeiros

Leia mais

Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura

Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura Termo de Referência para Contratação de Consultoria - TR Modalidade Pessoa Física Vaga Código TR/PF/IICA-005/2010 PCT BRA/09/001 - Acesso e uso da energia elétrica como fator de desenvolvimento de comunidades

Leia mais

11 - Q34826 ( FCC - 2010 - DPE - SP - Oficial de Defensoria Pública / Noções de Informática / Internet e intranet; )

11 - Q34826 ( FCC - 2010 - DPE - SP - Oficial de Defensoria Pública / Noções de Informática / Internet e intranet; ) 11 - Q34826 ( FCC - 2010 - DPE - SP - Oficial de Defensoria Pública / Noções de Informática / Internet e intranet; ) Algumas Regras Gerais de Uso do Computador I. Sempre feche todas as aplicações abertas

Leia mais

Palavras chave Sistema de Informações Geográficas, Banco de Dados, Geoprocessamento

Palavras chave Sistema de Informações Geográficas, Banco de Dados, Geoprocessamento IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS PARA O MUNICÍPIO DE TERESÓPOLIS, EM LABORATÓRIO DO UNIFESO José Roberto de C. Andrade Professor do Centro de Ciências e Tecnologia, UNIFESO Sergio Santrovitsch

Leia mais

Implantação de Sistema Integrado de Gerenciamento da Execução da Reforma Agrária e Agricultura Familiar

Implantação de Sistema Integrado de Gerenciamento da Execução da Reforma Agrária e Agricultura Familiar Programa 0139 Gestão da Política de Desenvolvimento Agrário Objetivo Coordenar o planejamento e a formulação de políticas setoriais e a avaliação e controle dos programas na área de desenvolvimento agrário

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Sustentável da Unidade Familiar. 9 de agosto de 2011

Plano de Desenvolvimento Sustentável da Unidade Familiar. 9 de agosto de 2011 Plano de Desenvolvimento Sustentável da Unidade Familiar 9 de agosto de 2011 Agricultura familiar é a forma de produção em que predominam: interação entre gestão, trabalho e direção do processo produtivo;

Leia mais

Orientações para o Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural

Orientações para o Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural Orientações para o Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural 1. Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural no bioma Amazônia... 2 2. Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento

Leia mais

Política de Patrocínio

Política de Patrocínio SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...02 1. OBJETIVO INSTITUCIONAL...03 2. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS...04 3. LINHAS DE ATUAÇÃO...05 3.1 Projetos prioritários...05 3.2 Projetos que não podem ser patrocinados...05 4. ABRANGÊNCIA...06

Leia mais

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas 1. Apresentação do Problema Epitácio José Paes Brunet É cada vez mais expressiva, hoje, nas cidades brasileiras, uma nova cultura que passa

Leia mais

PLANO SETORIAL DE DANÇA. DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Dança

PLANO SETORIAL DE DANÇA. DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Dança PLANO SETORIAL DE DANÇA DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Dança MARÇO DE 2009 CAPÍTULO I DO ESTADO FORTALECER A FUNÇÃO DO ESTADO

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia OUVIDORIA

Universidade Federal de Uberlândia OUVIDORIA Universidade Federal de Uberlândia OUVIDORIA 2008 Universidade Federal de Uberlândia Ouvidoria Avenida João Naves de Ávila, nº. 2121 Sala 14, Bloco 1A - Bairro Santa Mônica Uberlândia-MG CEP: 38400-902

Leia mais

Guia Como Baixar e Usar Dados Geográficos do IBGE

Guia Como Baixar e Usar Dados Geográficos do IBGE Guia Como Baixar e Usar Dados Geográficos do IBGE Guia Como Baixar e Usar Dados Geográficos do IBGE Este guia vai ajudar você a pesquisar e encontrar dados geoespaciais no Portal de Mapas do Instituto

Leia mais

PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012

PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012 PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012 Estabelece diretrizes para a implementação da política de Gestão da Informação Corporativa no âmbito do Ministério da Previdência Social e de suas entidades vinculadas

Leia mais

FileMaker Pro 14. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 14

FileMaker Pro 14. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 14 FileMaker Pro 14 Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 14 2007-2015 FileMaker, Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara,

Leia mais

POLÍTICA DE ACESSO A DADOS E INFORMAÇÕES

POLÍTICA DE ACESSO A DADOS E INFORMAÇÕES INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS DA AMAZÔNIA PROGRAMA DE COLEÇÕES E ACERVOS CIENTÍFICOS POLÍTICA DE ACESSO A DADOS E INFORMAÇÕES Esta política trata do acesso aos dados, metadados e informações das coleções

Leia mais

PROJETO BRA/04/029. Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* MAPEAMENTO DE

PROJETO BRA/04/029. Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* MAPEAMENTO DE PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* MAPEAMENTO DE Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico seguranca.cidada@mj.gov.br até o dia 20 de dezembro de 2015.

Leia mais

Realizar pesquisas de satisfação da comunidade frente aos serviços prestados e torná-las públicas

Realizar pesquisas de satisfação da comunidade frente aos serviços prestados e torná-las públicas PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE GESTÃO PÚBLICA - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS" Visão: Que em 2020 Santa Maria seja um município que preste Serviços de Qualidade a seus cidadãos, com base

Leia mais

ENTIDADES AUTO-REGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO

ENTIDADES AUTO-REGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO BM&FBOVESPA A BM&FBOVESPA é muito mais do que um espaço de negociação: lista empresas e fundos; realiza negociação de ações, títulos, contratos derivativos; divulga cotações; produz índices de mercado;

Leia mais

Apresentação Comercial Gestão Documental

Apresentação Comercial Gestão Documental Apresentação Comercial Gestão Documental Gestão Documental Como é possível administrar sua empresa de forma eficiente? Quais os passos para tornar seu empreendimento mais competitivo? Como é possível saber

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA RESOLUÇÃO COEMA N 116, DE 03 DE JULHO DE 2014. Dispõe sobre as atividades de impacto ambiental

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE ESTUDOS SÓCIOAMBIENTAIS LABORATÓRIO DE PROCESSAMENTO DE IMAGENS E GEOPROCESSAMENTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE ESTUDOS SÓCIOAMBIENTAIS LABORATÓRIO DE PROCESSAMENTO DE IMAGENS E GEOPROCESSAMENTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE ESTUDOS SÓCIOAMBIENTAIS LABORATÓRIO DE PROCESSAMENTO DE IMAGENS E GEOPROCESSAMENTO MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PÁGINA WEB DO LAPIG WANESSA CAMPOS SILVA Goiânia Junho

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da

Leia mais

RELATO DA INICIATIVA OU PROJETO

RELATO DA INICIATIVA OU PROJETO Prefeitura Municipal de Vitória Controladoria Geral do Município RELATO DA INICIATIVA OU PROJETO Nome da Iniciativa ou Projeto Portal de Transparência Vitória Caracterização da situação anterior O Portal

Leia mais

Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO

Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO Versão Março 2008 1 Introdução Este documento tem por objetivo

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

www.avantassessoria.com.br

www.avantassessoria.com.br www.avantassessoria.com.br Nossa Empresa A AVANT Assessoria Contábil e Tributária é uma empresa de contabilidade especializada em consultoria e assessoria de empresas e profissionais liberais, oferecendo

Leia mais

O QUE SÃO AS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE? O que é uma Organização Social?

O QUE SÃO AS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE? O que é uma Organização Social? O que é uma Organização Social? É uma entidade sem fins lucrativos ou seja, é uma sociedade civil sem fins lucrativos ou uma fundação - que atende às exigências da Lei Estadual nº 2.675/2011, sendo regulamentada

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. Projeto: Aprimoramento da sistemática de gestão

Leia mais

público Informação apoio:

público Informação apoio: público Entendendo a Lei Geral de Acesso à Informação apoio: ? Expediente texto Arthur Serra Massuda revisão Laura Tresca e Paula Martins arte e diagramação Cadu Elmadjian Entendendo a Lei Geral de Acesso

Leia mais

OFICINA USO DO I3GEO. Levindo Cardoso Medeiros. levindocm@gmail.com

OFICINA USO DO I3GEO. Levindo Cardoso Medeiros. levindocm@gmail.com OFICINA USO DO I3GEO Levindo Cardoso Medeiros levindocm@gmail.com ESTRUTURA INTRODUÇÃO UTILIZANDO O I3GEO Aprendendo a navegar pelo I3Geo Propriedades do mapa ADICIONANDO E MANIPULANDO CAMADAS Adicionando

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 4 DE JANEIRO DE 205 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Projeto BRA/07/004 Seleciona: Consultor para identificação das melhores

Leia mais

Tabelas Resumo das Diretrizes e Critérios para Aplicação do Fundo Amazônia Consolidação: 26.03.2010

Tabelas Resumo das Diretrizes e Critérios para Aplicação do Fundo Amazônia Consolidação: 26.03.2010 Tabelas Resumo das Diretrizes e Critérios para Aplicação do Fundo Amazônia Consolidação: 26.03.2010 Distribuição dos Recursos entre Áreas de Aplicação Área de Aplicação Limite de ção do total dos recursos

Leia mais

Sistema de Supervisão de Mercados 17.06.2015

Sistema de Supervisão de Mercados 17.06.2015 Sistema de Supervisão de Mercados 7.06.205 AGENDA Modelo de Autorregulação da ANBIMA Descrição da ferramenta e seus principais módulos Módulo I Cadastro de Usuários Módulo II Solicitação de Informações

Leia mais

EDITAL 03/2012/COMUNICAÇÃO BOLSA VERDE TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATO POR PRODUTO

EDITAL 03/2012/COMUNICAÇÃO BOLSA VERDE TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATO POR PRODUTO EDITAL 03/2012/COMUNICAÇÃO BOLSA VERDE TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATO POR PRODUTO I. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO PROJETO BRA/11/021 - PROGRAMA DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS COM INCLUSÃO SOCIAL (PSA)

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA SECOM-PR N o 8 DE 19 DE DEZEMBRO DE 2014 Disciplina a implantação e a gestão da Identidade Padrão de Comunicação Digital das

Leia mais

CHAMADA DE PROPOSTAS Nº 1/2015

CHAMADA DE PROPOSTAS Nº 1/2015 Programa Áreas Protegidas da Amazônia Departamento de Áreas Protegidas Secretaria de Biodiversidade e Florestas Ministério do Meio Ambiente CHAMADA DE PROPOSTAS Nº 1/2015 APOIO FINANCEIRO AO PROCESSO DE

Leia mais

Funcionalidades do Sistema de Negociação de Créditos de Carbono. Anexo VIII

Funcionalidades do Sistema de Negociação de Créditos de Carbono. Anexo VIII Anexo VIII Este Manual do Usuário possui caráter informativo e complementar ao Edital do Leilão de Venda de Reduções Certificadas de Emissão nº 001/2012, promovido pela Prefeitura da Cidade de São Paulo

Leia mais

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Superior

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Superior Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará Eixo Temático Educação Superior Ceará, 2015 1 Socioeconômico Diagnóstico Para compreender a situação da educação no estado do Ceará é necessário também

Leia mais

SESI. Empreendedorismo Social. Você acredita que sua idéia pode gerar grandes transformações?

SESI. Empreendedorismo Social. Você acredita que sua idéia pode gerar grandes transformações? SESI Empreendedorismo Social Você acredita que sua idéia pode gerar grandes transformações? REGULAMENTO SESI Empreendedorismo Social A inovação social é o ponto de partida para um novo modelo que atende

Leia mais

02. A extensão padrão para arquivos de áudio digital no ambiente Windows é:

02. A extensão padrão para arquivos de áudio digital no ambiente Windows é: Prova sobre informática para concursos. 01 A definição de Microcomputador é: a) Equipamento com grade capacidade de memória principal (256 Megabytes), vários processadores, alta velocidade de processamento.

Leia mais

INVENTÁRIO DAS FONTES POLUIDORAS/CONTAMINANTES DOS RECURSOS VIVOS MARINHOS DO BRASIL

INVENTÁRIO DAS FONTES POLUIDORAS/CONTAMINANTES DOS RECURSOS VIVOS MARINHOS DO BRASIL INVENTÁRIO DAS FONTES POLUIDORAS/CONTAMINANTES DOS RECURSOS VIVOS MARINHOS DO BRASIL ANTECEDENTES Em continuidade aos trabalhos do Programa Nacional de Gerenciamento Costeiro (GERCO), o Ministério do Meio

Leia mais

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de estatísticas do sistema iseries. sysstat série 1.1

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de estatísticas do sistema iseries. sysstat série 1.1 CA Nimsoft Monitor Guia do Probe Monitoramento de estatísticas do sistema iseries sysstat série 1.1 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se somente

Leia mais

OFICINA Observatório Litoral Sustentável. Gestão da orla, regularização fundiária e os bens da União

OFICINA Observatório Litoral Sustentável. Gestão da orla, regularização fundiária e os bens da União OFICINA Observatório Litoral Sustentável Gestão da orla, regularização fundiária e os bens da União Cristiane Siggea Benedetto Coordenação Geral de Habitação e Regularização Fundíária Secretaria Nacional

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO ARQUIVO PÚBLICO MUNICIPAL DE BAGÉ

REGIMENTO INTERNO DO ARQUIVO PÚBLICO MUNICIPAL DE BAGÉ REGIMENTO INTERNO DO ARQUIVO PÚBLICO MUNICIPAL DE BAGÉ Art. 1 - O Arquivo Público Municipal de Bagé, criado pela lei nº 3.399/97, de julho/97 alterado e complementado pelas leis 3.817/2001 e 3.935/2002,

Leia mais

GESTÃO. Educacional. www.semeareducacional.com.br. Sistema Municipal de Excelência ao Atendimento da Rede

GESTÃO. Educacional. www.semeareducacional.com.br. Sistema Municipal de Excelência ao Atendimento da Rede GESTÃO Educacional A P R E S E N T A Ç Ã O www.semeareducacional.com.br Sistema Municipal de Excelência ao Atendimento da Rede A EXPANSÃO TECNOLOGIA Nossa MISSÃO: Transformação de Dados em Informação Transformação

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA-RDC N 49, DE 31 DE OUTUBRO DE 2013

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA-RDC N 49, DE 31 DE OUTUBRO DE 2013 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA-RDC N 49, DE 31 DE OUTUBRO DE 2013

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Local PRODEL. Programa de Extensão Institucional

Programa de Desenvolvimento Local PRODEL. Programa de Extensão Institucional Programa de Desenvolvimento Local PRODEL Programa de Extensão Institucional Programa de Extensão Institucional Um programa de extensão universitária é o conjunto de projetos de extensão desenvolvido por

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. www.anvisa.gov.br. Consulta Pública n 37, de 26 de agosto de 2013. D.O.U de 27/08/2013

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. www.anvisa.gov.br. Consulta Pública n 37, de 26 de agosto de 2013. D.O.U de 27/08/2013 Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública n 37, de 26 de agosto de 2013. D.O.U de 27/08/2013 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLOGICA NIT

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLOGICA NIT RESOLUÇÃO CONSU Nº. 33/21 DE 3 DE AGOSTO DE 21. A Presidente do Conselho Superior Universitário da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, no uso de suas atribuições regimentais, e consequente

Leia mais

Documento de Visão. O sistema atual se baseia no método padrão de ensino, onde a presença física dos alunos é essencial para um bom aprendizado.

Documento de Visão. O sistema atual se baseia no método padrão de ensino, onde a presença física dos alunos é essencial para um bom aprendizado. UFF Universidade Federal Fluminense Instituto de Computação Engenharia de Software II Professora: Bianca Zadrozny 1º Trabalho Prático: Documento de Visão Alunos: Diego Soares, Felipe Maia e Leandro Feijó.

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

Prefeitura Municipal de Botucatu

Prefeitura Municipal de Botucatu I- Identificação: Projeto Empresa Solidária II- Apresentação : O Fundo Social de Solidariedade é um organismo da administração municipal, ligado ao gabinete do prefeito, que atua em diversos segmentos

Leia mais

Agenda. A Empresa História Visão Conceito dos produtos

Agenda. A Empresa História Visão Conceito dos produtos Agenda A Empresa História Visão Conceito dos produtos Produto Conceito Benefícios Vantagens: Criação Utilização Gestão Segurança Integração Mobilidade Clientes A empresa WF História Em 1998, uma ideia

Leia mais

Portfolio de Produtos

Portfolio de Produtos Introdução O Guia de Produtos e Serviços da Assessoria de Comunicação (ASCOM) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) foi elaborado com o objetivo de apresentar os produtos e serviços prestados

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE. www.ucp.fazenda.gov.br

PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE. www.ucp.fazenda.gov.br COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE www.ucp.fazenda.gov.br PROGRAMAS EM ANDAMENTO Programa Nacional de Apoio à Gestão Administrativa e Fiscal dos Municípios Brasileiros - PNAFM

Leia mais

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Sumário Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial do Portal WEB Criando um

Leia mais

Análise dos Indicadores de Sustentabilidade na Cidade de Serafina Corrêa - RS

Análise dos Indicadores de Sustentabilidade na Cidade de Serafina Corrêa - RS Análise dos Indicadores de Sustentabilidade na Cidade de Serafina Corrêa - RS Daniela Maroni (1) Denize Fabiani (2) Malu Durante (3) Tatiana Chiodi (4) (1) Aluna da Escola de Arquitetura e Urbanismo, IMED,

Leia mais

OBTENÇÃO DE IMAGEM DO GOOGLE EARTH PARA CLASSIFICAÇÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO

OBTENÇÃO DE IMAGEM DO GOOGLE EARTH PARA CLASSIFICAÇÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO OBTENÇÃO DE IMAGEM DO GOOGLE EARTH PARA CLASSIFICAÇÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO ROGER TORLAY 1 ; OSVALDO T. OSHIRO 2 N 10502 RESUMO O sensoriamento remoto e o geoprocessamento trouxeram importantes avanços

Leia mais

Cria e regulamenta sistema de dados e informações sobre a gestão florestal no âmbito do Sistema Nacional do Meio Ambiente - SISNAMA.

Cria e regulamenta sistema de dados e informações sobre a gestão florestal no âmbito do Sistema Nacional do Meio Ambiente - SISNAMA. RESOLUÇÃO CONAMA Nº 379, de 19/10/2006 Cria e regulamenta sistema de dados e informações sobre a gestão florestal no âmbito do Sistema Nacional do Meio Ambiente - SISNAMA. CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À CONSULTA PÚBLICA N. 34/2015 NOME DA INSTITUIÇÃO: FUNDAÇÃO PROCON-SP AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À CONSULTA PÚBLICA N. 34/2015 NOME DA INSTITUIÇÃO: FUNDAÇÃO PROCON-SP AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À CONSULTA PÚBLICA N. 34/2015 NOME DA INSTITUIÇÃO: FUNDAÇÃO PROCON-SP AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: Consulta Pública n. 034/2015 Processo n. 48500.002276/2014-21

Leia mais

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades.

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades. A Protteja Seguros surge da vontade de contribuir para o crescimento do mercado segurador nacional, através da inovação, da melhoria da qualidade de serviço e de uma política de crescimento sustentável.

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

1 de 9 ESPELHO DE EMENDAS DE ACRÉSCIMO DE META

1 de 9 ESPELHO DE EMENDAS DE ACRÉSCIMO DE META S AO PLN0002 / 2006 - LDO Página: 2355 de 2392 1 de 9 ESPELHO DE S DE AUTOR DA 27 Valorizar a diversidade das expressões culturais nacionais e regionais 1141 Cultura, Educação e Cidadania 5104 Instalação

Leia mais

Pendências fundiárias no Pará

Pendências fundiárias no Pará Pendências fundiárias no Pará Brenda Brito*, Sara Baima, Jamilye Salles No Estado do Pará, a situação fundiária é confusa e associada a conflitos no campo. Apesar de avanços nos últimos anos com a criação

Leia mais

SERFAL Secretaria Extraordinária ria de Regularização Fundiária da Amazônia Legal

SERFAL Secretaria Extraordinária ria de Regularização Fundiária da Amazônia Legal SERFAL Secretaria Extraordinária ria de Regularização Fundiária da Amazônia Legal SIPAM INCRA Ministérios do Desenvolvimento Agrário e da Defesa Programa Terra Legal Em 2009: Programa Terra Legal é criado,

Leia mais

PROJETO DE LEI. A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO PARÁ estatui e eu sanciono a seguinte CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

PROJETO DE LEI. A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO PARÁ estatui e eu sanciono a seguinte CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS PROJETO DE LEI Dispõe sobre a regulamentação e o funcionamento do Sistema de Organização Modular de Ensino SOME, no âmbito da Secretaria de Estado de Educação - SEDUC, e dá outras Providências. Lei: A

Leia mais

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida Apresentação Institucional Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida A empresa que evolui para o seu crescimento A VCN Virtual Communication Network, é uma integradora de Soluções Convergentes

Leia mais

Você pode não perceber, mas nós estamos sempre presentes

Você pode não perceber, mas nós estamos sempre presentes Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina Você pode não perceber, mas nós estamos sempre presentes Missão Marco Legal Atuação do CIASC Sistemas Data Center Rede Governo Responsabilidade

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA n o 379, de 19 de outubro de 2006 Publicada no DOU nº 202, de 20 de outubro de 2006, Seção 1, página 175 e 176

RESOLUÇÃO CONAMA n o 379, de 19 de outubro de 2006 Publicada no DOU nº 202, de 20 de outubro de 2006, Seção 1, página 175 e 176 RESOLUÇÃO CONAMA n o 379, de 19 de outubro de 2006 Publicada no DOU nº 202, de 20 de outubro de 2006, Seção 1, página 175 e 176 Cria e regulamenta sistema de dados e informações sobre a gestão florestal

Leia mais

Conselho Administrativo DE DEFESA ECONÔMICA

Conselho Administrativo DE DEFESA ECONÔMICA Conselho Administrativo DE DEFESA ECONÔMICA 135 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA DO CONSUMIDOR Conselho Administrativo DE DEFESA ECONÔMICA Horário de funcionamento: de segunda a

Leia mais

SISTEMA ELETRÔNICO DE EDITORAÇÃO DE REVISTAS: SEER

SISTEMA ELETRÔNICO DE EDITORAÇÃO DE REVISTAS: SEER SISTEMA ELETRÔNICO DE EDITORAÇÃO DE REVISTAS: SEER O Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER/OJS) foi customizado pelo IBICT, e o objetivo principal do projeto foi organizar a informação científica

Leia mais

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada PROJETO BÁSICO

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada PROJETO BÁSICO _.- f Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada PROJETO BÁSICO 1-0BJETO Definir as bases de uma proposta de ação com vistas à criação de um plano de atividades para a Livraria do IPEA. 2-OBJETIVO distribuição

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

REESTRUTURAÇÃO DO CADASTRO

REESTRUTURAÇÃO DO CADASTRO REESTRUTURAÇÃO DO CADASTRO VISANDO À MULTIFINALIDADE: Aspectos técnicos, legais e administrativos Profª Andrea F. T. Carneiro Programa de Pós-graduação em Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação

Leia mais

Arquivos Públicos e Transparência. Aurora Maia Dantas

Arquivos Públicos e Transparência. Aurora Maia Dantas Arquivos Públicos e Transparência Aurora Maia Dantas Informação Dados, processados ou não, que podem ser utilizados para produção e transmissão de conhecimento, contidos em qualquer meio, suporte ou formato

Leia mais