Editorial. Índice UMA VISÃO DO PRESENTE E PARA O FUTURO DA UMA CAMPUS UNIVERSITÁRIO DA SAÚDE E DOS DESPORTOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Editorial. Índice UMA VISÃO DO PRESENTE E PARA O FUTURO DA UMA CAMPUS UNIVERSITÁRIO DA SAÚDE E DOS DESPORTOS"

Transcrição

1 Editorial UMA VISÃO DO PRESENTE E PARA O FUTURO DA UMA CAMPUS UNIVERSITÁRIO DA SAÚDE E DOS DESPORTOS Actualmente a UMA tem onze cursos de licenciatura a funcionar, todos eles devidamente homologados e com os seus planos de estudo aprovados e publicados, sendo o presente ano lectivo (2011) aquele em que, pela primeira vez, haverá licenciados em todos os cursos. A qualidade e a seriedade do trabalho desenvolvido granjeou para a Universidade Metodista de Angola um merecido prestígio que teve como consequência uma importante procura das formações por si oferecidas, pelo que a Universidade tem, no presente ano lectivo, mais de estudantes efectivamente a frequentá-la. Tudo isto significa que a Universidade se encontra verdadeiramente em consolidação efectiva. A construção de novos espaços, aliada a um programa ambicioso mas ajustado, será um dos elementos necessários desse salto qualitativo. Mas não são principalmente os edifícios que fazem a Universidade. Por isso, um alargamento da oferta formativa, um programa de qualificação do corpo docente, uma estratégia de inclusão da UMA numa rede de instituições nacionais e internacionais de formação e ciência, são também elementos estruturantes do necessário salto qualitativo. Em Angola, na próxima década, há necessidades próprias, determinadas pelas condições concretas do seu processo histórico de desenvolvimento. Por isso, o grande desafio que se põe às formações ministradas pela UMA, mais do que emular o que se possa fazer nesta ou naquela escola internacional de referência, é ousar definir planos de formação subordinados aos perfis de saída que o mercado e o país necessitam. Neste quadro, há um leque importante de novas formações - Eng.ª Agro-pecuária; Biologia; Economia; Turísmo; Reabilitação Psicomotora e Psico- Social; Cardiopneumologia; Ciências do Desporto e Educação Física - que a UMA vai implementar num novo espaço: Campus Universitário da Saúde e dos Desportos no KAOP PARK, em Caope Velha, Cacuaco Luanda. É manifesto o interesse público deste novo espaço de ensino e aprendizagem, a assim como das formações superiores que vão ser ministradas. Esperamos o apoio e a colaboração do governo e de todos os agentes do desenvolvimento de Angola. A Universidade Metodista de Angola merece! Prof. Doutor Diogo Figueiredo Director do CEIC - Centro de Estudos e Investigação Científica Índice p. 03 Universo UMA [ p. 04 ] UMA.Reportagem 2º Encontro Luso-Angolano sobre Economia, Sociologia, Ambiente e Desenvolvimento Rural [ p. 09 ] UMA.Caras Entrevista com Vice PCA da UMA Pedro Sebastião [ p. 13 ] UMA.Solidária No dia da Criança Africana [ p. 14 ] UMA.Em Foco Destaque: Magnífica Reitora apresenta História da Educação e Cultura de Angola Outras [ p. 22 ] UMA.Informa Campus Universitário da Saúde e dos Desportos [ p. 25 ] UMA.Entrevista Exclusiva Doutor Gonçalves Manuel Muandumba Ministro da Juventude e Desportos p. 29 p. 43 p. 49 Dossier Ciência [ p. 30 ] Contributo da Antropologia para a fundamentação do Desporto [ p. 38 ] Fundistas africanos de sucesso Os africanos do leste são superiores? [ p. 40 ] Futsal - Uma modalidade de futuro em Angola Portal de Notícias Portal da AAUMA [ p. 51 ] Associação de Estudantes com novo fôlego [ p. 51 ] Comissão restruturadora [ p. 52 ] Novo presidente da AAUMA [ p. 54 ] Perfil Estudante UMA MAGAZINE - Revista da Universidade Metodista de Angola. Conselho de Administração: Vasco Duarte, Pedro Sebastião, Teresa Silva Neto, Maria Helena Dória, Sabino Paulo Pinheiro. Edição: UMA Magazine. Director da Edição: Diogo Figueiredo. Coordenadora Geral: Ana Leyva. Especial Colaboração: Rui Proença Garcia, Paulo Catarro e Benvindo Inácio. Produção Gráfica: Zaina Internacional (Luanda). Design e Paginação: Garrido Artes Gráficas (Alpiarça - Portugal). Impressão: Garrido Artes Gráficas (Alpiarça - Portugal). Tiragem: exemplares. Publicidade: Tel.: Ficha técnica Universidade Metodista de Angola Revista - Magazine Dezembro 2011 N.º 4 01

2

3 Universo UMA UMA Reportagem 2º ENCONTRO LUSO-ANGOLANO sobre Economia, Sociologia, Ambiente e Desenvolvimento Rural UMA Caras ENTREVISTA - Vice PCA da UMA - Pedro Sebastião UMA Solidária No dia da Criança Africana UMA Em Foco Magnífica Reitora apresenta "História da Educação e Cultura de Angola" Jornadas Científicas da Associação Nacional de Técnicos de Laboratório de Análises Clínicas e Saúde Pública de Angola Mais Protocolos entre a UMA e a Universidade de Évora UMA Informa Campus Universitário da Saúde e dos Desportos UMA Entrevista Exclusiva Doutor Gonçalves Manuel Muandumba Ministro da Juventude e Desportos

4 UMA Reportagem 2º Encontro Luso-Angolano sobre Economia, Sociologia, Ambiente e Desenvolvimento Rural Agricultura em Angola: um desafio com futuro O investimento forte na agricultura pode ser o grande motor para diversificar a economia angolana e torná-la menos dependente dos rendimentos do petróleo. Esta ideia foi defendida em Luanda, nos dias 6 e 7 de Outubro, no 2º Encontro Luso-Angolano sobre Economia, Sociologia e Desenvolvimento Rural, organizado pela Universidade Metodista de Angola, e que juntou uma centena de especialistas de Angola, Portugal e Brasil. A diversificação da economia tem sido uma das prioridades do governo angolano e este encontro veio proporcionar um intenso debate e apontar soluções para o desenvolvimento de um sector que todos consideram como estruturante da nova economia angolana. Esta iniciativa foi organizada conjuntamente pelo Centro de Estudos e Investigação da Universidade Metodista de Angola, pela Associação das Instituições de Ensino Superior Privadas de Angola e pelo Instituto de Ciências Agrárias e A m b i e n t a i s e M e d i t e r r â n e a s d a Universidade Évora. Para o sucesso deste evento contribuíram as várias entidades que decidiram colaborar e que estiveram corporizadas nas Comissões de Honra, Científica e Organizadora. A Comissão de Honra, foi constituída por membros do Governo de Angola (Ministros da Agricultura, do Ambiente, da Administração do Território, da Assistência e Reinserção Social, do Comércio, da Cultura, da Economia, da Educação, do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia, da Energia e Águas, da Família e Promoção da Mulher, da Hotelaria e Turismo e do Planeamento) e por responsáveis de organizações que têm desempenhado um papel fundamental no aprofundamento das relações de cooperação entre Angola e Portugal. Integraram igualmente esta Comissão de Honra o Embaixador de Portugal em Angola, o Presidente e Vice Presidente do C o n s e l h o d e A d m i n i s t r a ç ã o d a Universidade Metodista de Angola, a Magnífica Reitora da Universidade Metodista de Angola e os Reitores das Universidades de Évora, Agostinho Neto, José Eduardo dos Santos, Belas, Católica d e A n g o l a, G r e g ó r i o S e m e d o, Independente de Angola, Lusíada de Angola, Privada de Angola, Técnica de Angola e Instituto Piaget de Angola. Traçar e coordenar as orientações sobre as questões de natureza científica deste encontro foi a missão da Comissão Científica constituída por personalidades de reconhecido mérito como Adalberto Nascimento, Adélio Chiteculo, Esteves Hilário, Fernando Pacheco, João Ferreira Neto, Joaquim Lauriano, José de Sousa Vieira Jordão, Kelusodi Eduardo Filemon, Lisete Valle, Martha Sambanje, Ricardo Queirós, Vicente Agostinho, Walter Viegas, António Cipriano Pinheiro, Carlos Pinto Gomes, Diogo Figueiredo, Eduardo Figueira, José Pinotes, Maria Leonor da Sessão de Abertura Presidente da Comissão Organizadora - Doutor Joaquim Laureano 04 Universidade Metodista de Angola Revista - Magazine Dezembro 2011 N.º 4

5 UMA Reportagem Convidados Embaixador de Portugal em Angola Doutor Francisco Ribeiro Teles Magnífica Reitora da UMA - Prof. Doutora Teresa da Silva Neto Magnífico Reitor da UE - Prof. Doutor Carlos Braumann Director Nacional do Desenvolvimento Rural Doutor Altemiro Director Geral Adjunto do INCA Mestre José Mahinga Professor Emérito da UE - Doutor Francisco Ramos Silva Carvalho, Maria do Rosário Oliveira, Raul Xisto Bruno de Sousa e Ricardo Serralheiro. À Comissão Organizadora foi confiado o planeamento e concretização de todas as tarefas conducentes à boa realização do encontro. Esta comissão recebeu o contributo de representantes das instituições vocacionadas para as áreas de Economia, Sociologia, Ambiente e Desenvolvimento Rural como Joaquim Lauriano, Joaquim Caeiro, Osvaldo Mendes, Kelusodi Eduardo Filemon, António da Conceição Manuel, José de Sousa Vieira Jordão, Maria Salvadora Magalhães, Teresa Almada, Jaime Jerónimo, Carlos Silva Carvalho, Marcos Olímpio, Maria da Graça Morais, Maria Leonor da Silva Carvalho, Pedro Damião Henriques e Vanda Narciso. A sessão de abertura foi presidida pela Magnífica Reitora da Universidade Metodista de Angola, que esteve acompanhada na mesa de honra pelo Embaixador de Portugal em Angola, pelo Magnífico Reitor da Universidade de Évora e pelo Presidente da Comissão Organizadora do encontro que foi estruturado em sessões plenárias e paralelas, orientadas para as temáticas da Economia, Sociologia, Ambiente e Desenvolvimento Rural. O futuro da Agricultura em Angola A primeira sessão plenária foi dedicada ao tema do Desenvolvimento Rural, foi apresentada pelo Doutor Altemiro, Director Nacional do Desenvolvimento Rural e foi moderada por Joaquim Lauriano e teve como relator José Jordão, da Universidade Agostinho Neto. O investimento na agricultura foi considerado como aposta fulcral para diversificar a economia angolana. A importância da Produção de Café na Sustentabilidade da Agricultura Angolana foi o tema da segunda sessão plenária que teve como principal orador o Mestre José Mahinga, Director Geral Adjunto do Instituto Nacional do Café (INCA), e foi moderada por Maria Leonor da Silva Carvalho sendo relator Cláudio Bernardo. Francisco Ramos, Professor Emérito da Universidade de Évora, apresentou as Universidade Metodista de Angola Revista - Magazine Dezembro 2011 N.º 4 05

6 UMA Reportagem grandes linhas de uma área vasta e decisiva como é o Turismo e o Desenvolvimento Rural num tema em que a relatora foi Sofia Pires. O Director do Centro de Estudos e Investigação Científica da Universidade Católica de Angola, Prof. Doutor Manuel José Alves da Rocha, apresentou uma dissertação sobre as Desigualdades e Assimetrias Regionais em Angola, numa sessão moderada por Maria Raquel Lucas e que teve como relator Joaquim Laureano. Estas sessões compreenderam ainda uma Mesa Redonda subordinada ao tema Agricultura e Desenvolvimento Sustentável da Economia Angolana em que intervieram o investigador e consultor Fernando Pacheco, José Baptista, da Sociedade de Desenvolvimento dos Perímetros Irrigados, José Jordão, da Universidade Agostinho Neto e Joaquim Laureano, da Universidade Metodista de Angola. Rui Fragoso foi o moderador desta sessão onde Marcos Olímpio desempenhou o papel de relator. Desenvolvimento e Políticas Agrícolas As sessões paralelas foram divididas em duas grandes áreas: o desenvovimento por um lado e as políticas agrícolas, ambiente e sustentabilidade por outro. A área do desenvolvimento foi moderada por José Rebelo dos Santos, do Instituto Politécnico de Setúbal, e que teve como relatora Terezinha Filgueiras de Pinho, do Brasil, e nela abordaram-se temas tão diversos como as mulheres licenciadas e a promoção do desenvolvimento em Angola; a pesca, piscicultura e economia solidária; o acesso à água e o desenvolvimento em África; reflexões em torno de perspectivas sobre questões teóricas e práticas relacionadas com o desenvolvimento, a logística e distribuição com incidência nas variáveis vitais para alavancar a produção, o escoamento dos produtos agrícolas e o desenvolvimento integrado e sustentável do meio rural angolano. Quanto às políticas agrícolas, ambiente e sustentabilidade tiveram no primeiro dia sessões moderadas por António Zacarias da Costa, aluno de mestrado na Universidade Metodista de Angola, com Maria de Fátima Oliveira, da Escola Superior Agrária de Coimbra, a desempenhar o papel de relatora, e registou intervenções sobre a avaliação económica de tarifas de água no uso agrícola; o Director do CEIC da UCA - Doutor Manuel José Alves da Rocha Sessão Paralela "Políticas Agrícolas, Ambiente e Sustentabilidade" Doutor Rui Fragoso, Dr. António Zacarias da Costa e Doutora Maria de Fátima Oliveira Directora do Departamento de Gestão da UE Doutora Maria Raquel Lucas 06 Universidade Metodista de Angola Revista - Magazine Dezembro 2011 N.º 4

7 UMA Reportagem Doutora Maria Leonor da Silva Carvalho Departamento de Economia da UE Sessão de Encerramento Mesa Redonda "Agricultura e desenvolvimento sustentável da economia Angolana" Vice Reitor da UMA - Prof. Doutor Luís Sebastião sistema multimunicpal de gestão; tratamento e reciclagem de resíduos sólidos; a tipologia comunitária das explorações agrícolas; a importância da floresta indígena e exótica no desenvolvimento económico e social de Angola; e a interdependência dos preços do feijãovulgar em cinco dos principais mercados de Moçambique. No segundo dia de trabalhos as intervenções nas sessões paralelas, no que concerne às políticas agrícolas e sustentabilidade versaram temas como a competitividade da mandioca em Angola; as mudanças sociais por meio do ensino profissionalizante; a contribuição para o debate da sustentabilidade da agricultura angolana; o planeamento de canais de comercialização; a produção de café em Timor-Leste e a sua comercialização; a produção de biocombustíveis em Angola os prós e os contras ambientais. Estas sessões foram moderadas pelo professor brasileiro Gilson Garófalo e tiveram como relator Estêvão Chaves. Quanto ao tema central desenvolvimento este segundo dia foi moderado por Maria Emília Pepeka, do ISCED do Huambo, tendo pertencido o papel de relatora a Maria do Socorro Rosário, do Ministério da Agricultura de Portugal. Contributos para o estudo do diagnóstico de desenvolvimento económico da cidade do Huambo; caracterização da comunidade angolana imigrante em Portugal e a sua importância na dinâmica populacional portuguesa; empregos verdes no desenvolvimento local; fomento da produção de café em Angola e desenvolvimento rural; economia social e cooperativismo enquanto pilares fundamentais do desenvolvimento integrado e sustentável da sociedade angolana; e o desenvolvimento, agora, em Angola e Portugal, foram os temas que estiveram em discussão. A sessão de encerramento foi presidida pelo Vice Reitor da Universidade Metodista de Angola, Doutor Luís Sebastião, que na sua alocução final agradeceu os enormes contributos prestados por todos os participantes. Universidade Metodista de Angola Revista - Magazine Dezembro 2011 N.º 4 07

8

9 UMA Caras ENTREVISTA Com Pedro Sebastião Vice PCA da UMA B.I. Pedro Sebastião Naturalidade: Kaxicane Icolo-e-Bengo Local de Residência: Luanda Data de Nascimento: 02/02 Função Actual: Vice PCA da Universidade Metodista de Angola Função Profissional Anterior: Agente Económico Função na Igreja Metodista Unida: Presidente do Conselho de Finanças e Administração da Conferência Anual do Oeste de Angola da IUMA e Tesoureiro Geral da Conferência Central de Africa da IMUA. Hobbie: Cantor P Quais os resultados que a Universidade Metodista de Angola pretende alcançar no curto e médio prazo na formação de especialistas nas áreas de saúde e desporto? R Educação e ensino é um elemento fundamental na acção missionária da Igreja. A Igreja é parceira do Estado nos esforços que faz para melhorar as condições de vida do povo e, neste caso particular, na melhoria da qualidade do ensino. A prática do desporto é uma das expressões da saúde, e o vínculo do desporto com a educação é de longa data. Se o ideal do Governo da República de Angola é resgatar esse vínculo, quer dizer, reactivar a prática do desporto nas escolas e cuidar da saúde das crianças e do cidadão, a partir da escola, então nós contribuiremos na formação dos especialistas que o país precisa nestas áreas. P Um laboratório e uma clínica, que se pretendem sejam de referência, é um Vice PCA Pedro Sebastião projecto demasiado ambicioso quando ainda falta ainda formar técnicos angolanos especializados nestas áreas? R O processo é simultâneo. Abre-se o laboratório e a clínica e estão em processo de formação os técnicos. É verdade que numa primeira fase sentiremos uma certa desvantagem, por não entrarmos de imediato para este projecto, com técnicos formados por nós. Mas está aí a vantagem das parcerias que temos firmado ao longo destes anos com outras universidades. P Os novos cursos e as novas instalações são as resposta lógica às necessidades do país nestes domínios... R Com certeza e sem sombra de dúvidas. A sociedade está cada vez mais dinâmica e aberta à inovações técnicas, científicas, pedagógicas, etc, num processo onde desponta a Universidade, como o espaço do saber, saber científico, que recebe e direcciona essas inovações, acomodando-as no seu currículo e, por isso mesmo, no seu dia-a-dia. Então surgem novos cursos, novas cadeiras, novas práticas, novas maneiras de abordagem da questão do ensino superior e seus horizontes. P A Universidade Metodista tem cada vez maior procura. As obras são inevitáveis. E depois de Cacuaco, serão necessários outros pólos? R Ela se tornou uma referência, daí a procura. E isto traz consigo as suas consequências que, para nós, são os resultados da nossa actuação positiva no mercado e, em primeira instância, da nossa participação no projecto de Universidade Metodista de Angola Revista - Magazine Dezembro 2011 N.º 4 09

10 UMA Caras construção de uma Universidade nova, com uma mentalidade nova, que determinam não só a procura, mas a adesão da sociedade ao nosso projecto. Isto determina o crescimento e, com o crescimento vem a expansão. Deste modo, é inevitável a criação de novos pólos universitários e de novas obras que consolidem e justifiquem a expansão. P Existe ainda alguma desconfiança em relação à qualidade do ensino superior em Angola. O que se pode fazer para inverter essa tendência? R O que tem que ser feito é continuar com os esforços que têm vindo a ser feitos sob a tutela do Ministério do Ensino Superior, nos quais despontam as exigências e o rigor que têm que ser observados e levados com a devida seriedade, para que se cumpram e se efectivem as orientações emanadas a partir das Linhas Mestras Para a Melhoria da Gestão do Subsistema do Ensino Superior. P A excelência do ensino advirá da qualidade dos professores, dos meios colocados à disposição dos alunos?... O processo ensino-aprendizagem é uma combinação de todos estes factores. São elementos intervenientes e preponderantes, porém existe a destreza da funcionalidade da máquina administrativa, com todos os serviços que ela oferece, além do próprio papel desempenhado pelas faculdades e os respectivos decanos, as actividades extra escolares e extra curriculares, enfim. Tudo contribui para a melhoria da qualidade do ensino. P No seu entender há necessidade de ter legislação mais completa para o ensino superior em Angola? Nesse caso particular, o Governo da República de Angola já deu o passo Vice PCA Pedro Sebastião 10 Universidade Metodista de Angola Revista - Magazine Dezembro 2011 N.º 4

11 UMA Caras decisivo e necessário que se impunha. Falo exactamente da criação do Ministério do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia, uma entidade com missão e objectivos específicos, e que lida directamente com as questões inerentes ao ensino superior. Isto sem desmerecer o papel que a antiga Secretaria de Estado do Ensino Superior cumpriu, enquanto existiu, e até mesmo do contributo que o Ministério da Educação deu, a seu tempo. P A Universidade Metodista de Angola pode tornar-se uma referência no ranking das Universidades do continente africano? Ela é uma referência, tanto em Angola como em África. Os encontros mais recentes, ao mais alto nível, em que a U.M.A. participou deixaram isso bem claro. As parcerias firmadas por nós estão a ser cada vez mais alargadas, isto é, estão indo além do âmbito restrito que haviamos proposto. Para ser mais claro, a nossa parceria é com a Universidade de Évora, mas mesmo em Portugal, já temos hoje a Universidade de Coimbra como parceira e também a Universidade do Porto; no Brasil temos a UMESP e nos Estados Unidos, a Universidade Americana em Washington. Isto faz o fiel da balança pender para o lado da qualidade. De resto, faz com que sejamos esta referência. P O que representa para si participar tão directamente na construção de uma universidade em Angola com as características próprias da Universidade Metodista de Angola? Definitivamente, para mim, a U.M.A. não é mais uma Universidade; ela é uma referência no ensino superior em Angola. É gratificante que ela tenha se tornado nessa referência, tão cedo, oferecendo uma qualidade de ensino que lhe permita ombrear com as melhores universidades em África, e que lhe coloca no patamar em Vice PCA Pedro Sebastião que está, por ser exactamente, esta referência. O nível da maioria dos nossos docentes e o rigor no qual se pautam, contribuem claramente para isso, juntando-se a qualidade dos nossos serviços, que tendem a melhorar ainda mais e a cada dia. Tudo isto nos ajuda a criar um clima pedagógico ou ambiente académico salutar, no qual o estudante se integra facilmente e assuma a sua parte de responsabilidade no processo. Por isso é que a U.M.A. tem uma palavra a dizer, no processo de construção de uma universidade nova em Angola. P Como define a sua intervenção pessoal no processo de construção de uma nova sociedade angolana que é no fundo o papel de uma Universidade de referência?" Minha intervenção pessoal em todo este processo está na esteira daquilo que é o testemunho cristão que a Igreja dá, no cumprimento da sua tarefa no campo da educação e do ensino, uma área na qual possui uma longa tradição. Revejo-me com muita satisfação e, com agradecimento a Deus, por permitir que meu envolvimento pessoal seja parte integrante e decisiva do testemunho que a Igreja Metodista Unida, aqui em Angola, dá e sempre deu, pois é um elemento determinante no cumprimento da sua missão de esclarecer as mentes ofuscadas pela ignorância, libertando-as das amarras do obscurantismo. P Que características estão claramente delineadas no seu auto-retrato? É uma questão de âmbito pessoal e, por isso, difícil de ser respondida por mim mesmo. Mas os traços marcantes que destaco em mim, permitam-me, são os de um homem empreendedor, persistente, e sempre com uma actuação decisiva. A luta constante pela busca de um objectivo traçado é algo que me acompanha desde a infância, etapa da minha vida em que comecei a descobrir e a aprender que é preciso lutar e ser constante, para alcançar o que se pretende. P Quando um dia se aposentar que memória gostaria de guardar do seu trabalho na Universidade Metodista de Angola? As principais recordações que guardarei comigo são, acima de tudo, o senso do dever cumprido e a eterna satisfação de ter participado activa e decisivamente na criação deste grande projecto, que é a Universidade Metodista de Angola, um empreendimento sólido e uma referência válida, no processo de mudança que o ensino superior tem vindo a experimentar no nosso país, com toda a contribuição positiva que ela dá e continuará a dar. E ainda ter tido a oportunidade de encontrar Parceiros portugueses e Universidades Públicas de Portugal que confiaram na Igreja Metodista e na sua equipa, entregando-se com imenso carinho a este projecto magnífico. Universidade Metodista de Angola Revista - Magazine Dezembro 2011 N.º 4 11

12 Preços de lançamento de até Usd Prioridade a Docentes Universitários * Crédito à habitação garantido a 15 e 20 anos RESERVAS Telf Tlmv E mail kp kaoppark com PRAZO DA OBRA: 12 MESES * PROJECTISTAS: VHM PORTUGAL, SA * CONSTRUÇÃO: SOARES DA COSTA, SA E GRINER SA * FISCALIZAÇÃO: VHM ANGOLA, LDA

13 UMA Solidária NO DIA DA CRIANÇA AFRICANA Os alunos finalistas do Curso de Análises Clínicas e Saúde Pública viveram de forma diferente o Dia da Criança Africana. Numa iniciativa conjunta com a Fundação Sagrada Esperança, os alunos passaram o dia no Hospital Pediátrico, Dr. David Bernardino, em Luanda, convivendo com os doentes internados e com dezenas de crianças doentes que neste dia necessitaram de consulta externa. A alegria dos mais novos acentuou-se quando os alunos, na presença da Decana da Faculdade de Ciências da Saúde, Dra. Martha Sambanje, entregaram pacotes alimentares e brinquedos que ajudaram a suportar de forma mais doce a necessidade de assistência hospitalar. O convívio entre os alunos da Universidade Metodista e as crianças do Hospital Dr. David Bernardino incluiu música, dança e jogos que proporcionaram momentos de grande alegria e satisfação. O sucesso da iniciativa foi tal que os responsáveis do Hospital pediátrico solicitaram aos estudantes a realização de outras actividades similares o que ficou desde logo prometido. Universidade Metodista de Angola Revista - Magazine Dezembro 2011 N.º 4 13

14 UMA Em Foco PROF. DOUTORA TERESA DA SILVA NETO, MAGNÍFICA REITORA DA UMA, APRESENTA O SEU LIVRO HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO E CULTURA DE ANGOLA" Prof. Doutora Teresa da Silva Neto A Prof. Doutora Teresa da Silva Neto, Magnífica Reitora da Universidade Metodista de Angola, apresentou no passado 24 de Maio, no Anfiteatro da UMA, a sua obra mais recente intitulada História da Educação e Cultura de Angola. Editada pela Zaina Editores, a obra foi apresentada pela Ministra do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia, Prof. Doutora Cândida Teixeira, e analisa a história da educação em Angola recorrendo a extensa bibliografia para traçar um retrato da formação histórica e cultural do povo angolano desde as origens pré-coloniais. A contribuição dos principais grupos etnolinguísticos e a divisão por reinos, que perdurou durante séculos, são também referenciados como factores decisivos na formação do povo de Angola. O livro de Teresa da Silva Neto percorre um longo caminho histórico, desde a chegada dos colonizadores europeus ao território angolano, passando pelo processo de colonização, com o fenómeno de conflitualidade que surgiu e que gerou a institucionalização de práticas educativas europeias, e que tiveram forte apoio na acção evangelizadora da Igreja Católica e x p r e s s a s o b r e t u d o a t r a vé s d a Companhia de Jesus. As lutas pela independência dos países africanos por parte dos movimentos de resistência que eclodiram nas décadas de 1950 e 1960, e que conduziram à independência de Angola em 11 de Novembro de 1975, ocupam também destaque importante na obra de Teresa da Silva Neto que aborda igualmente as incidências em redor da institucionalização de um sistema educativo adequado à realidade angolana no pós-independência, concluindo com uma reflexão sobre as actuais condições da educação em Angola. Na apresentação a Ministra do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia, Prof. 14 Universidade Metodista de Angola Revista - Magazine Dezembro 2011 N.º 4

15 UMA Em Foco Sessão de apresentação, presidida por sua Ex.ª a Ministra do Ensino Superior, da Ciência e Tecnologia Prof. Doutora Cândida Teixeira. Na mesa estiveram ainda presentes o PCA - Vasco Duarte, Sua Ex.ª Reverendíssima Bispo Gaspar João Domingos, e Vice-PCA - Pedro Sebastião Doutora Cândida Teixeira, destacou a importância dos jovens angolanos em criarem hábitos de leitura para que, com obras como História da Educação e Cultura de Angola compreendam as raízes históricas do seu povo. O perfil da autora foi destacado pelo Dr. Pedro Sebastião, Vice Presidente do C o n s e l h o d e A d m i n i s t r a ç ã o d a Universidade Metodista de Angola, que sublinhou a possibilidade que Teresa da Silva Neto concede aos leitores de perceberem e viajarem por um processo histórico que marcou indelevelmente as vidas de todos os angolanos, mesmo aqueles que nasceram após a conquista da independência. Teresa da Silva Neto nasceu em Luanda, em O seu percurso académico pautou-se por enorme brilhantismo consubstanciado na Licenciatura em Pedagogia, em 1995, pela UMESP, S.B. Campo, de São Paulo, Brasil. Nesta instituição fez também o grau de Bacharel em Teologia e tornou-se Mestre em Ciências da Religião, em 1999, com a dissertação Experiência do Reino de Deus Através do Lúdico. É Doutorada em História e Filosofia da Educação pela Faculdade de Educação UNICAMP, da Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, Brasil, com a tese Contribuição à História da Educação e Cultura de Angola: Grupos Nativos, Colonização e Independência, concluída em Actualmente, Teresa da Silva Neto, é Magnífica Reitora da Universidade Metodista de Angola onde exerce funções de docência em Teologia Africana. É quadro docente da Faculdade de Letras da Universidade Agostinho Neto e participou Sessão de autógrafos de forma muito activa na fundação da Associação das Instituições de Ensino Superior Privadas de Angola tendo sido eleita presidente da direcção. A par da sua actividade docente, Teresa da Silva Neto, tem participado em diversos eventos científicos como palestrante e colabora em várias publicações e revistas do meio intelectual angolano. Com este livro de 215 páginas, que teve uma tiragem de 200 mil exemplares, Teresa da Silva Neto dá a conhecer aspectos fundamentais da história de Angola que ajudam os leitores, angolanos e estrangeiros, a compreender melhor porque existe a Angola que hoje todos conhecemos. Universidade Metodista de Angola Revista - Magazine Dezembro 2011 N.º 4 15

16

17 UMA Em Foco JORNADAS CIENTÍFICAS DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE TÉCNICOS DE LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS E SAÚDE PÚBLICA DE ANGOLA A Universidade Metodista de Angola acolheu nos dias 11 e 12 de Julho as primeiras Jornadas Científicas da Associação Nacional de Técnicos de Laboratório de Análises Clínicas e Saúde Pública de Angola. Este encontro, organizado pela Faculdade de Ciências da Saúde da UMA, reuniu 204 participantes, na maioria técnicos de análises clínicas que representavam todos os escalões: técnicos superiores, médios e básicos, enfermeiros, médicos, estudantes. Participaram ainda neste evento, que decorreu sob o lema Análises Clínicas, Diagnóstico Seguro no Sistema de Saúde gestores hospitalares e responsáveis clínicos, bem como decisores políticos. O objectivo destas jornadas científicas foi a partilha de experiências entre quadros profissionais oriundos da maior parte das províncias do país e convidados dos países lusófonos, a fim de desenvolver a área das análises clínicas, o diagnóstico e a prevenção de doenças infecciosas como o VIH/SIDA. A sessão de abertura no Anfiteatro II foi presidida pela Magnífica Reitora da Universidade Metodista de Angola, Dra. Teresa da Silva Neto, que deu as boas vindas aos participantes convidando-os a reflectir sobre o desenvolvimento de uma área de saúde que é absolutamente decisiva para que seja prestado um bom serviço público. O discurso inicial esteve a cargo da Dra. Adelaide Cardoso Matias, Presidente da Associação Nacional de Técnicos de Laboratório de Análises Clínicas e Saúde Pública ANTLACSP. As intervenções ao longo dos dois dias das Jornadas versaram temas tão variados como o perfil do técnico de análises clínicas, o líquido cefalo raquidiano, a urina sumária, a organização de um laboratório de análises clínicas, a biossegurança, a prova laboratorial para diagnóstico de diabetes, a etiologia de doenças diarreicas agudas, a biologia molecular e o diagnóstico laboratorial do HIV. Dr.ª Adelaide Neto C. Matias - Presidente da ANTLASCSP, Prof.ª Doutora Teresa da Silva Neto - Magnífica Reitora da UMA, Dr. António de Oliveira - Inspector Geral de Saúde e Jacinto Félix - Presidente do NEACLISP Dr. Ivan A. P. Tarquino - Director do Laboratório do Hospital Divina Providência Dr.ª Balbina Feliciano - Directora do Laboratório do Hospital Américo Boavida Universidade Metodista de Angola Revista - Magazine Dezembro 2011 N.º 4 17

18 UMA Em Foco Participante e convidados na Jornadas Científicas Esta iniciativa veio ao encontro das preocupações da Associação Nacional de Técnicos de Laboratório de Análises Clínicas e Saúde Pública, fundada em 12 de Julho de 2008, que pretende criar condições para um desempenho de elevada qualidade dos seus profissionais sem colocar em perigo a saúde de doentes e técnicos profissionais de laboratório. As palestras motivaram muitas discussões e acesos debates com os técnicos de laboratório de análises clínicas e saúde pública a chegarem a conclusões que foram encaminhadas para os órgãos competentes a fim de serem estudadas e implementadas. Essas ideias passam por uma melhoria do sistema de colheita de amostras biológicas com a garantia de biossegurança para os técnicos; a padronização dos princípios de privacidade e garantia de eficiência e confiança no diagnóstico clínico; a organização dos laboratórios em função da especificidade da unidade sanitária devendo a edificação dos mesmos ser acompanhada por um técnico da ANTLACSP; a solicitação junto do Ministério da Saúde de formação e requalificação do pessoal técnico; a colocação nas hierarquias dos laboratórios de apenas técnicos de laboratórios de análises clínicas ou biomédicos; a organização de eventos de formação com carácter provincial e municipal de modo a garantir a capacitação dos técnicos e a distribuição equilibrada dos profissionais habilitados pelo território angolano. As jornadas técnico científicas concluíramse com uma intervenção do Dr. António de Oliveira, Inspector Geral da Saúde, em representação da Vice Ministra da Saúde para a Área Hospitalar, Dra. Evelize Freitas. O sucesso da iniciativa ficou patente na vontade demonstrada pela Associação Nacional de Técnicos de Laboratórios de Análises Clínicas e Saúde Pública em organizar dentro de pouco tempo outro evento onde os técnicos e responsáveis desta área da saúde possam discutir os problemas que os preocupam e apontar soluções para o futuro. Dr.ª Teresa Mancebo Librato - Directora do Laboratório Mediag e Sr. Jacinto Félix - Presidente do NEACLISP 18 Universidade Metodista de Angola Revista - Magazine Dezembro 2011 N.º 4

19 zainainternacional TIPOGRAFIAS E EDIÇÕES DE ANGOLA Tipografia Comunicação Publicidade Editores Rua Nossa Senhora da Muxima, N.º 14 LUANDA TELEFONE: (+244) FAX: (+244)

20 UMA Em Foco UNIVERSIDADE METODISTA DE ANGOLA E A UNIVERSIDADE DE ÉVORA ASSINAM NOVOS PROTOCOLOS DE COLABORAÇÃO Dr. Vasco Duarte - PCA da UMA, Prof. Doutor Manuel Cancela d Abreu - Vice Reitor da UE, Prof.ª Doutora Teresa da Silva Neto - Magnífica Reitora da UMA, Prof. Doutor Carlos Braumann - Magnífico Reitor da UE, Dr. Pedro Sebastião - Vice-PCA da UMA e Prof. Doutor Luís Sebastião - Vice Reitor da UMA A Universidade Metodista de Angola e a Universidade de Évora reforçaram a sua parceria científica com a assinatura de mais três protocolos que vão permitir estudos mais aprofundados em áreas essenciais do desenvolvimento curricular das duas instituições. Na cerimónia realizada em Luanda no dia 7 de Outubro foram rubricados o Protocolo de Mestrado em Relações Internacionais e Estudos Europeus, o Protocolo de Mestrado em Administração e Gestão Educacionais e ainda um Protocolo com os Serviços de Informática de Évora para fornecerem apoio técnico especializado aos Serviços Informáticos da Universidade Metodista de Angola. Participaram neste acto de grande importância para as duas instituições, por parte da Universidade Metodista de Angola, o Presidente do Conselho de Administração, Vasco Duarte, o Vice Presidente, Pedro Sebastião, e a Magnífica Reitora, Teresa da Silva Neto. Da parte da Universidade de Évora prestigiaram a cerimónia o Magnífico Reitor, Carlos Braumann e o Vice Reitor, Manuel Cancela D'Abreu. Com estes protocolos a Universidade Metodista concede oportunidade aos alunos de alcançarem um patamar de excelência nas áreas das Relações Internacionais e Estudos Europeus, Administração e Gestão Educacional. CLUBE DO LIVRO HISTÓRIA NATURAL 12 Volumes Rua Nossa Senhora da Muxima, 22 R/c - LUANDA Telf.: Fax: Encomendas Telefónicas: (Entregas em 24 Horas) 20 Universidade Metodista de Angola Revista - Magazine Dezembro 2011 N.º 4

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Centro Cultural de Belém, Lisboa, 11 de Outubro de 2006 Intervenção do Secretário

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO AMBIENTE REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO AMBIENTE O Ministério do Ambiente tem o prazer de convidar V. Exa. para o Seminário sobre Novos Hábitos Sustentáveis, inserido na Semana Nacional do Ambiente que terá

Leia mais

ILUSTRES PARTICIPANTES DO FÓRUM EM CIÊNCIAS

ILUSTRES PARTICIPANTES DO FÓRUM EM CIÊNCIAS DISCURSO PRONUNCIADO POR SUA EXCELÊNCIA JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS, PRESIDENTE DA REPÚBLICA DE ANGOLA, NA SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO FÓRUM EM CIÊNCIAS DO DESPORTO APLICADAS AO FUTEBOL Luanda, 29 de Agosto

Leia mais

A Formação Pós-Graduada na Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto

A Formação Pós-Graduada na Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto Universidade Agostinho Neto Faculdade de Direito Workshop sobre Formação Pós-Graduada e Orientação A Formação Pós-Graduada na Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto Por: Carlos Teixeira Presidente

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2014

PLANO DE ACTIVIDADES 2014 PLANO DE ACTIVIDADES 2014 A - INTRODUÇÃO O ano de 2013 que agora termina, foi decisivo para a continuidade da Fundação do Desporto. O Governo, através do Sr. Ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares,

Leia mais

DECLARAÇÃO EMPRESARIAL DE LUANDA

DECLARAÇÃO EMPRESARIAL DE LUANDA DECLARAÇÃO EMPRESARIAL DE LUANDA Por iniciativa da Confederação Empresarial da CPLP e das associações empresariais dos PALOP, realizou-se em Luanda, República de Angola, a 17 de Julho de 2014, o Fórum

Leia mais

Federação Portuguesa de Canoagem

Federação Portuguesa de Canoagem Federação Portuguesa de Canoagem Eleições Ciclo Olímpico 2012 a 2016 Carlos Cunha de Sousa Este documento serve para apresentar a todos, as linhas orientadoras para o mandato que me proponho fazer enquanto

Leia mais

Sua Excelência, Doutor Abrahão Gourgel, Ministro da Economia,

Sua Excelência, Doutor Abrahão Gourgel, Ministro da Economia, ANGOLA NO CONTEXTO DA INTEGRAÇAO ECONÓMICA REGIONAL 29 de Setembro, 2015 Intervenção do Doutor Paolo Balladelli, Representante Residente do PNUD em Angola Sua Excelência, Doutor Abrahão Gourgel, Ministro

Leia mais

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL República de Moçambique Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico-Profissional (MCTESTP) INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL

Leia mais

DEMOCRACIA E GESTÃO AUTÁRQUICA

DEMOCRACIA E GESTÃO AUTÁRQUICA DEMOCRACIA E GESTÃO AUTÁRQUICA DURAÇÃO / COMPONENTE / DIPLOMA CURSO DE FORMAÇÃO AVANÇADA I Edição 2014 30 Horas lectivas / Teórica / Curso de Formação Avançada COORDENAÇÃO Coordenação Científica Prof.

Leia mais

MLM Master in Law and Management

MLM Master in Law and Management MLM Master in Law and Management diploma CONJUNTO novaforum.pt MLM Master in Law and Management Os participantes que completem com aproveitamento a componente lectiva do Programa receberão um Diploma de

Leia mais

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL República de Moçambique Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico-Profissional (MCTESTP) INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL

Leia mais

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Pedro Jorge Richheimer Marta de Sequeira Marília Oliveira Inácio Henriques 1 P á g i n a 1. Enquadramento da Candidatura

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 62 30 de março de 2015 7769 INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE

Diário da República, 2.ª série N.º 62 30 de março de 2015 7769 INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE Diário da República, 2.ª série N.º 62 30 de março de 2015 7769 Doutor Bruno Filipe Rama Travassos, Professor Auxiliar da Universidade da Beira Interior; Doutor Victor Manuel de Oliveira Maças, Professor

Leia mais

REDE LUTA CONTRA POBREZA URBANA RLCPU PLANO ESTRATÉGICO,2015-2017

REDE LUTA CONTRA POBREZA URBANA RLCPU PLANO ESTRATÉGICO,2015-2017 REDE LUTA CONTRA POBREZA URBANA RLCPU PLANO ESTRATÉGICO,2015-2017 Adão Augusto, Consultor 12-02-2015 1. Contextualização. Os projectos sociais fazem parte de um sistema complexo de relações que envolvem

Leia mais

Perfil Profissional de Treinador

Perfil Profissional de Treinador Programa Nacional de FORMAÇÃO de Treinadores Grau4 Perfil Profissional de Treinador Perfil Profissional - GRAU IV A formação de Grau IV consubstancia o topo da hierarquia profissional da actividade de

Leia mais

Prefácio Prefácio Ao fim de uma década de seminários de investigação dedicados à apresentação de trabalhos empíricos e teóricos e à análise de temas específicos de educação matemática como a resolução

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas

Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas À semelhança do que acontece nas sociedades contemporâneas mais avançadas, a sociedade portuguesa defronta-se hoje com novos e mais intensos

Leia mais

MINISTÉRIO DOS NEGóCIOS ESTRANGEIROS DIRECÇÃO GERAL DOS ASSUNTOS MULTILATERAIS Direcção de Serviços das Organizações Económicas Internacionais

MINISTÉRIO DOS NEGóCIOS ESTRANGEIROS DIRECÇÃO GERAL DOS ASSUNTOS MULTILATERAIS Direcção de Serviços das Organizações Económicas Internacionais MINISTÉRIO DOS NEGóCIOS ESTRANGEIROS DIRECÇÃO GERAL DOS ASSUNTOS MULTILATERAIS Direcção de Serviços das Organizações Económicas Internacionais Intervenção de SEXA o Secretário de Estado Adjunto do Ministro

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

as quais permitem desenvolver novos saberes e potenciar a sua utilização e difusão.

as quais permitem desenvolver novos saberes e potenciar a sua utilização e difusão. 2011- O contributo do QREN para a competitividade e a coesão da região centro Intervenção do senhor Reitor, Prof. Doutor Manuel Assunção Centro Cultural da Gafanha da Nazaré Rua Prior Guerra 14 de Dezembro

Leia mais

Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009. 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda

Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009. 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda Formação em Gestão de Fundos Imobiliários A formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário

Leia mais

V COLÓQUIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS

V COLÓQUIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS V COLÓQUIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS ANGOLA 40 ANOS DE INDEPENDÊNCIA: MEMÓRIA, IDENTIDADES, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO Luanda, Anfiteatro da Faculdade de Ciências Sociais (FCS) da Universidade

Leia mais

ÍNDICE PERFIL MERCADOS ONDE A A400 ESTÁ PRESENTE VOLUME DE NEGÓCIOS CERTIFICAÇÕES PROJECTOS DE REFERÊNCIA CONTACTOS

ÍNDICE PERFIL MERCADOS ONDE A A400 ESTÁ PRESENTE VOLUME DE NEGÓCIOS CERTIFICAÇÕES PROJECTOS DE REFERÊNCIA CONTACTOS DOSSIER DE IMPRENSA ÍNDICE 1 PERFIL - A Empresa - Os Colaboradores - Os serviços 2 MERCADOS ONDE A A400 ESTÁ PRESENTE - A Internacionalização VOLUME DE NEGÓCIOS 4 CERTIFICAÇÕES 5 PROJECTOS DE REFERÊNCIA

Leia mais

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos Os Desafios da Fileira da Construção As Oportunidades nos Mercados Externos Agradeço o convite que me foi dirigido para participar neste Seminário e felicito a AIP pela iniciativa e pelo tema escolhido.

Leia mais

3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA. Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas. 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa PARCERIA

3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA. Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas. 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa PARCERIA 3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA ORGANIZAÇÃO PARCERIA UMA PUBLICAÇÃO Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa APRESENTAÇÃO Depois de duas edições,

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA INTERVENÇÃO DE SUA EXCIA, MINISTRA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, PROFª. DOUTORA, MARIA CÂNDIDA PEREIRA, DURANTE A SESSÃO DE ABERTURA DO WORKSHOP SOBRE

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL INTERNACIONAL E DIPLOMACIA ECONÓMICA

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL INTERNACIONAL E DIPLOMACIA ECONÓMICA PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL INTERNACIONAL E DIPLOMACIA ECONÓMICA Gestão Empresarial Internacional e Diplomacia Económica International Management and Economic Diplomacy 2 O aumento das exportações

Leia mais

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades.

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades. A Protteja Seguros surge da vontade de contribuir para o crescimento do mercado segurador nacional, através da inovação, da melhoria da qualidade de serviço e de uma política de crescimento sustentável.

Leia mais

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 Factores Determinantes para o Empreendedorismo Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 IAPMEI Instituto de Apoio às PME e à Inovação Principal instrumento das políticas económicas para Micro e Pequenas

Leia mais

Maio 2013 PE2020. O papel da Engenharia como fator de competitividade. Iniciativa

Maio 2013 PE2020. O papel da Engenharia como fator de competitividade. Iniciativa Maio 2013 PE2020 O papel da Engenharia como fator de competitividade Iniciativa Agenda 1. Apresentação da Proforum e do PE2020 como plataforma colaborativa relevante e integradora 2. Contributo do PE2020

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de Dezembro de 2003

Rio de Janeiro, 5 de Dezembro de 2003 Intervenção de Sua Excelência a Ministra da Ciência e do Ensino Superior, na II Reunião Ministerial da Ciência e Tecnologia da CPLP Comunidade dos Países de Língua Portuguesa Rio de Janeiro, 5 de Dezembro

Leia mais

Um mar de oportunidades. Mestrado em Gestão Portuária. Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique.

Um mar de oportunidades. Mestrado em Gestão Portuária. Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Um mar de oportunidades Mestrado em Gestão Portuária Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique A ENIDH é a Escola Superior pública portuguesa que assegura a formação de

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89 N 9º15'50. AGENDA 21 escolar Pensar Global, agir Local Centro de Educação Ambiental Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.84" O 918 773 342 cea@cm-tvedras.pt Enquadramento A Agenda

Leia mais

O Grupo EXISTENCE, S.A., criou e desenvolve um projecto que engloba um conjunto de RESIDÊNCIAS ASSISTIDAS MEDICALIZADAS quatro estrelas, em rede, e

O Grupo EXISTENCE, S.A., criou e desenvolve um projecto que engloba um conjunto de RESIDÊNCIAS ASSISTIDAS MEDICALIZADAS quatro estrelas, em rede, e O Grupo EXISTENCE, S.A., criou e desenvolve um projecto que engloba um conjunto de RESIDÊNCIAS ASSISTIDAS MEDICALIZADAS quatro estrelas, em rede, e em todo o território nacional (cerca de 70% da capacidade

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA ALBERTO CHIPANDE Rua: Correia do Brito, N º 952, Ponta - Gêa / Telefax n º 843366531 Gabinete do Reitor

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA ALBERTO CHIPANDE Rua: Correia do Brito, N º 952, Ponta - Gêa / Telefax n º 843366531 Gabinete do Reitor INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA ALBERTO CHIPANDE Rua: Correia do Brito, N º 952, Ponta - Gêa / Telefax n º 843366531 Gabinete do Reitor IV CERIMÓNIA DE GRADUAÇÃO DISCURSO DO REITOR DO ISCTAC

Leia mais

6º Congresso Nacional da Administração Pública

6º Congresso Nacional da Administração Pública 6º Congresso Nacional da Administração Pública João Proença 30/10/08 Desenvolvimento e Competitividade: O Papel da Administração Pública A competitividade é um factor-chave para a melhoria das condições

Leia mais

Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios

Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios Outubro de 2009 Agenda EM DESTAQUE Estágios e Suplemento ao Diploma- uma aposta no futuro! Índice Nota Editorial Eventos/Notícias Na Primeira Pessoa Manz

Leia mais

Temos assim que, ao longo do século XX, as tarefas tradicionais do Estado registaram um incremento extraordinário.

Temos assim que, ao longo do século XX, as tarefas tradicionais do Estado registaram um incremento extraordinário. Palavras do Presidente do Supremo Tribunal Administrativo Conselheiro Manuel Fernando dos Santos Serra Na Sessão de Abertura do Colóquio A Justiça Administrativa e os Direitos Administrativos Especiais

Leia mais

Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP

Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP Lisboa, 10 janeiro 2014 António Rendas Reitor da Universidade Nova de Lisboa Presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas Queria começar

Leia mais

INFORMAÇÕES PARA A PÁGINA DA ESCOLA FRASE DE ABERTURA NOVOS TESTEMUNHOS DE EX-ALUNOS A INCLUIR

INFORMAÇÕES PARA A PÁGINA DA ESCOLA FRASE DE ABERTURA NOVOS TESTEMUNHOS DE EX-ALUNOS A INCLUIR INFORMAÇÕES PARA A PÁGINA DA ESCOLA FRASE DE ABERTURA De acordo com os últimos dados disponíveis do Observatório para a inserção profissional da Universidade Nova de Lisboa, a taxa de emprego dos alunos

Leia mais

Bem vindos a este novo passo do projeto CIP - FAZER ACONTECER A REGENERAÇÃO URBANA.

Bem vindos a este novo passo do projeto CIP - FAZER ACONTECER A REGENERAÇÃO URBANA. CIP FAZER ACONTECER A REGENERAÇÃO URBANA UM NOVO PASSO Seminário 16 de abril de 2012 Intervenção do Presidente da CIP Bem vindos a este novo passo do projeto CIP - FAZER ACONTECER A REGENERAÇÃO URBANA.

Leia mais

Ciência na Cidade de Guimarãeswww.ciencianacidade.com

Ciência na Cidade de Guimarãeswww.ciencianacidade.com Ciência na Cidade de Guimarãeswww.ciencianacidade.com Cidade de Guimarães Faixas Etárias do Concelho 65 ou mais 24-64 anos 15-24 anos 0-14 anos 0 20000 40000 60000 80000 100000 População do Concelho 159.576

Leia mais

1º Congresso de Controlo da Qualidade Laboratorial dos países de Língua Portuguesa. 21 a 24 de junho de 2015, no Rio de Janeiro

1º Congresso de Controlo da Qualidade Laboratorial dos países de Língua Portuguesa. 21 a 24 de junho de 2015, no Rio de Janeiro 1º Congresso de Controlo da Qualidade Laboratorial dos países de Língua Portuguesa 21 a 24 de junho de 2015, no Rio de Janeiro Começo por saudar a realização deste 1º Congresso de Controlo da Qualidade

Leia mais

Os Empresários, as Empresas e a Inclusão Social. João Oliveira Rendeiro Presidente da Associação EIS Empresários pela Inclusão Social

Os Empresários, as Empresas e a Inclusão Social. João Oliveira Rendeiro Presidente da Associação EIS Empresários pela Inclusão Social Os Empresários, as Empresas e a Inclusão Social João Oliveira Rendeiro Presidente da Associação EIS Empresários pela Inclusão Social Conferência "Compromisso Cívico para a Inclusão" Santarém, 14 de Abril

Leia mais

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços Curso de Gestão Empresarial para Comércio e Serviços PROMOÇÃO: COLABORAÇÃO DE: EXECUÇÃO: APRESENTAÇÃO: > A aposta na qualificação dos nossos recursos humanos constitui uma prioridade absoluta para a Confederação

Leia mais

O encontro de reflexão estratégica dos sectores do ambiente e da energia em Portugal

O encontro de reflexão estratégica dos sectores do ambiente e da energia em Portugal O encontro de reflexão estratégica dos sectores do ambiente e da energia em Portugal APRESENTAÇÃO Organizada pelo Jornal água&ambiente, a 11.ª Grande Conferência do Jornal água&ambiente realiza-se no dia

Leia mais

CENTRO DE FORMAÇÃO DESPORTIVA DE XADREZ

CENTRO DE FORMAÇÃO DESPORTIVA DE XADREZ CENTRO DE FORMAÇÃO DESPORTIVA DE XADREZ Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia Gaianima, E. M., Equipamentos Municipais Departamento do Desporto Escolar Escola Profissional de Gaia Academia de Xadrez de

Leia mais

Um percurso formativo Fátima Fonseca (*)

Um percurso formativo Fátima Fonseca (*) 1 Um percurso formativo Fátima Fonseca (*) Este trabalho prende-se com o estudo que fizemos na formação na área das Competências Interpessoais, sendo que o grande objectivo é o de sermos capazes, nas nossas

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às Câmara Municipal da Departamento de Educação e Desenvolvimento Sociocultural Divisão de Intervenção Social Plano Municipal contra a Violência Rede Integrada de Intervenção para a Violência na Outubro de

Leia mais

MINISTÉRIO DA HOTELARIA E TURISMO

MINISTÉRIO DA HOTELARIA E TURISMO República de Angola MINISTÉRIO DA HOTELARIA E TURISMO DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA, DR. PAULINO BAPTISTA, SECRETÁRIO DE ESTADO PARA A HOTELARIA DA REPÚBLICA DE ANGOLA, DURANTE A VIII REUNIÃO DE MINISTROS

Leia mais

Dinamização das Zonas Rurais

Dinamização das Zonas Rurais Dinamização das Zonas Rurais Dinamização das Zonas Rurais A Abordagem LEADER A Europa investe nas Zonas Rurais As zonas rurais caracterizam-se por condições naturais e estruturais que, na maioria dos

Leia mais

Comunicar PAPA. Jornal. Bento XVI recebe José Maria Neves no Vaticano. Administração Pública. www.governo.cv

Comunicar PAPA. Jornal. Bento XVI recebe José Maria Neves no Vaticano. Administração Pública. www.governo.cv Jornal Comunicar Administração Pública Governo de Cabo Verde Edição Gratuita Mensal nº18 Setembro de 2010 Edição Especial www.governo.cv www.governo.cv PAPA Bento XVI recebe José Maria Neves no Vaticano

Leia mais

(Só faz fé a versão proferida)

(Só faz fé a versão proferida) Exmo. Senhor Presidente do Centro Desportivo e Cultural de Londres, Exmo. Senhor Embaixador, Exmo. Senhor Cônsul Geral, Exmo. Senhor Adido Social, Exmo. Senhor Conselheiro das Comunidades Madeirenses,

Leia mais

Discurso do Ministro do Ensino Superior, Ciência e Inovação no acto de abertura da 1ª Edição da Inter-universidade Cabo- Verdiana de Verão 26/09/2011

Discurso do Ministro do Ensino Superior, Ciência e Inovação no acto de abertura da 1ª Edição da Inter-universidade Cabo- Verdiana de Verão 26/09/2011 Discurso do Ministro do Ensino Superior, Ciência e Inovação no acto de abertura da 1ª Edição da Inter-universidade Cabo- Verdiana de Verão 26/09/2011 Senhor Representante da OMS em Cabo Verde, Magnífico

Leia mais

Avaliação do Projecto Curricular

Avaliação do Projecto Curricular Documento de Reflexão Avaliação do Projecto Curricular 2º Trimestre Ano Lectivo 2006/2007 Actividade Docente desenvolvida Actividade não lectiva Com base na proposta pedagógica apresentada no Projecto

Leia mais

Câmara Municipal de Estarreja PREÂMBULO

Câmara Municipal de Estarreja PREÂMBULO PREÂMBULO O projecto Estarreja COMpartilha surge da necessidade que se tem verificado, na sociedade actual, da falta de actividades e práticas de cidadania. Traduz-se numa relação solidária para com o

Leia mais

E F P D E G PALOP Eduardo Cruz

E F P D E G PALOP Eduardo Cruz E F P D E G PALOP Eduardo Cruz Formedia edcruz@formedia.pt 312 Experiências de formação presencial e à distância de empresários e gestores nos PALOP Desde 2001, a Formedia Instituto Europeu de Formação

Leia mais

Desporto e Hábitos de Vida Saudável

Desporto e Hábitos de Vida Saudável Desporto e Hábitos de Vida Saudável SRA PRESIDENTE SRAS E SRS DEPUTADOS SR PRESIDENTE SRA E SRS MEMBROS DO GOVERNO Em primeiro lugar gostaria de cumprimentar a Srª Presidente da Assembleia, desejando-lhe

Leia mais

APRENDER COM A DIVERSIDADE CURSO DE FORMAÇÃO APRENDER COM A DIVERSIDADE. Promoção da Aprendizagem Intercultural em Contextos de Educação Não Formal

APRENDER COM A DIVERSIDADE CURSO DE FORMAÇÃO APRENDER COM A DIVERSIDADE. Promoção da Aprendizagem Intercultural em Contextos de Educação Não Formal CURSO DE FORMAÇÃO APRENDER Promoção da Aprendizagem Intercultural em Contextos de Educação Não Formal 18 DE FEVEREIRO A 13 DE MARÇO DE 2008 A inducar (http://www.inducar.pt) é uma organização de direito

Leia mais

Painel Temático 2: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável Sala G4 10H45 12H15 Moderadora: Cristina Gomes Ferreira Relatora: Elizabeth Silva

Painel Temático 2: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável Sala G4 10H45 12H15 Moderadora: Cristina Gomes Ferreira Relatora: Elizabeth Silva Painel Temático 2: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável Sala G4 10H45 12H15 Moderadora: Cristina Gomes Ferreira Relatora: Elizabeth Silva Apresentação dos seguintes projectos: 1) Câmara de Lobos.

Leia mais

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia:

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia: GRUPO FERREIRA A GFH, é um Grupo sólido e inovador, detendo um curriculum de projectos de qualidade reconhecida, com um portfólio de negócios diversificado, e que aposta no processo de internacionalização,

Leia mais

REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE MINISTROS DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA (CPLP)

REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE MINISTROS DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA (CPLP) REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE MINISTROS DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA (CPLP) Lisboa, 29 de Agosto de 2009 DECLARAÇÃO FINAL Os Ministros responsáveis

Leia mais

Centros Desportivos para a Preparação Olímpica

Centros Desportivos para a Preparação Olímpica Centros Desportivos para a Preparação Olímpica Exposição de motivos A prática desportiva de alto rendimento é pautada por critérios de excelência o que a obriga a padrões de exigência elevados. Essas exigências

Leia mais

CONFERÊNCIA PLANO DE ACÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TURISMO EM PORTUGAL

CONFERÊNCIA PLANO DE ACÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TURISMO EM PORTUGAL Parceiros Estratégicos: Hospital Particular do Algarve CONFERÊNCIA TURISMO 2020 PLANO DE ACÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TURISMO EM PORTUGAL Turismo e Fundos Comunitários. Que futuro? O caso do Algarve

Leia mais

REPENSAR O TURISMO EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

REPENSAR O TURISMO EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE REPENSAR O TURISMO EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Num contexto de modernização e inovação constante, torna-se imperioso e urgente criar uma legislação turística em São Tomé e Príncipe, sendo este um instrumento

Leia mais

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Gostaria de começar por agradecer o amável convite que a FCT me dirigiu para

Leia mais

Discurso de Sua Excelência o Presidente da República

Discurso de Sua Excelência o Presidente da República Continuarei a percorrer o País, de Norte a Sul, a apelar à união de esforços, a levar uma palavra de esperança e a mostrar bons exemplos de resposta à crise. Discurso de Sua Excelência o Presidente da

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO Alocução de Sua Excelência Kay Rala Xanana Gusmão Primeiro-Ministro da República Democrática de Timor-Leste por ocasião da Primeira Conferência

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO, FORMAÇÃO PROFISSIONAL E SOLIDARIEDADE SOCIAL

MINISTÉRIO DO TRABALHO, FORMAÇÃO PROFISSIONAL E SOLIDARIEDADE SOCIAL MINISTÉRIO DO TRABALHO, FORMAÇÃO PROFISSIONAL E SOLIDARIEDADE SOCIAL PROGRAMA NACIONAL DE LUTA CONTRA A POBREZA (PNLP) PROGRAMA DE LUTA CONTRA A POBREZA NO MEIO RURAL(PLPR) C.P. 236, Praia, Tel.: 238/61-36-50,

Leia mais

Contribuir para o desenvolvimento da região em que se inserem;

Contribuir para o desenvolvimento da região em que se inserem; SIPIE SISTEMA DE INCENTIVOS A PEQUENAS INICIATIVAS EMPRESARIAIS FICHA DE MEDIDA Apoia projectos com investimento mínimo elegível de 15.000 e a um máximo elegível de 150.000, que visem a criação ou desenvolvimento

Leia mais

Pequenas e médias empresas:

Pequenas e médias empresas: Pequenas e médias empresas: Promovendo ligações empresariais efectivas entre as grandes e as pequenas e médias empresas para o desenvolvimento de Moçambique Comunicação de Sua Excelência Armando Emílio

Leia mais

INVESTIR NO FUTURO CONTRATO DE CONFIANÇA ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL. Janeiro de 2010

INVESTIR NO FUTURO CONTRATO DE CONFIANÇA ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL. Janeiro de 2010 INVESTIR NO FUTURO UM CONTRATO DE CONFIANÇA NO ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL Janeiro de 2010 UM CONTRATO DE CONFIANÇA NO ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL No seu programa, o Governo

Leia mais

I SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA CPLP CARTA DE PORTO ALEGRE

I SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA CPLP CARTA DE PORTO ALEGRE I SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA CPLP CARTA DE PORTO ALEGRE O I Seminário Internacional de Educação Superior na Comunidade de Países de Língua

Leia mais

Membro da direcção da Revista Intervenção Social Investigadora do CLISSIS Doutoranda em Serviço Social

Membro da direcção da Revista Intervenção Social Investigadora do CLISSIS Doutoranda em Serviço Social A investigação do Serviço Social em Portugal: potencialidades e constrangimentos Jorge M. L. Ferreira Professor Auxiliar Universidade Lusíada Lisboa (ISSSL) Professor Auxiliar Convidado ISCTE IUL Diretor

Leia mais

A ASSISTÊNCIA SANITÁRIA NO TURISMO EM CABO VERDE. Cidade da Praia, 24 de Janeiro de 2013

A ASSISTÊNCIA SANITÁRIA NO TURISMO EM CABO VERDE. Cidade da Praia, 24 de Janeiro de 2013 A ASSISTÊNCIA SANITÁRIA NO TURISMO EM CABO VERDE Cidade da Praia, 24 de Janeiro de 2013 Formação APRESENTAÇÃO Graduada em Planeamento e Desenvolvimento do Turismo ULHT Lisboa Portugal Pós-graduada e especialista

Leia mais

UNIVERSIDADE AGOSTINHO NETO FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS III COLÓQUIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS TERMOS DE REFERÊNCIA

UNIVERSIDADE AGOSTINHO NETO FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS III COLÓQUIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS TERMOS DE REFERÊNCIA UNIVERSIDADE AGOSTINHO NETO FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS III COLÓQUIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS ESTADO, NAÇÃO, NACIONALISMO E IDENTIDADE NACIONAL NOS PAÍSES AFRICANOS DE LÍNGUA OFICIAL PORTUGUESA

Leia mais

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Na parte final da fase 1 do projecto Processo de Avaliação em Contextos Inclusivos foi discutido o conceito processo de avaliação inclusiva e prepararam-se

Leia mais

MENSAGEM DE ANO NOVO. Palácio de Belém, 1 de Janeiro de 2008

MENSAGEM DE ANO NOVO. Palácio de Belém, 1 de Janeiro de 2008 MENSAGEM DE ANO NOVO Palácio de Belém, 1 de Janeiro de 2008 Portugueses No primeiro dia deste Novo Ano, quero dirigir a todos uma saudação amiga e votos de boa saúde e prosperidade. Penso especialmente

Leia mais

Feira Internacional do Maputo (FACIM) 2015. e do Dia do Exportador

Feira Internacional do Maputo (FACIM) 2015. e do Dia do Exportador REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Discurso de Sua Excelência Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da República de Moçambique, por Ocasião da Abertura da 51ª. Edição da Feira Internacional do

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA

PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA Janeiro de 2012 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESTINATÁRIOS... 4 3. FINALIDADE... 4 4. OBJECTIVOS GERAIS... 4 5. PLANO CURRICULAR... 5 6.

Leia mais

MINISTERIO DA ECONOMIA DIRECÇÃO DO TURISMO E HOTELARIA (Unidade-Disciplina-Trabalho)

MINISTERIO DA ECONOMIA DIRECÇÃO DO TURISMO E HOTELARIA (Unidade-Disciplina-Trabalho) REPUBLICA DEMOCRATICA DE S. TOMÉ E PRINCIPE MINISTERIO DA ECONOMIA DIRECÇÃO DO TURISMO E HOTELARIA (Unidade-Disciplina-Trabalho) CONCLUSÕES E PROPOSTAS DA 1ª CONFERÊNCIA DO TURISMO DE S. TOMÉ E PRÍNCIPE

Leia mais

Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO. (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007)

Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO. (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007) Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007) Excelentíssimos membros do Conselho Directivo, excelentíssimos professores, caríssimos alunos, É com enorme satisfação que

Leia mais

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS ENCONTRO DA COMISSÃO SECTORIAL PARA A EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO CS/11 ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS OPORTUNIDADES, DESAFIOS E ESTRATÉGIAS DE QUALIDADE APRESENTAÇÃO DO TRABALHO GT2 - Ensino Superior

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO FUNDÃO + ESCOLA + PESSOA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA 2013-2017 Agrupamento de Escolas do Fundão Página 1 Perante o diagnóstico realizado, o Agrupamento assume um conjunto de prioridades

Leia mais

Universidade do Algarve. Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente

Universidade do Algarve. Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente Universidade do Algarve Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente Licenciatura (1º Ciclo) em Engenharia do Ambiente: Duração: 3 anos Grau: Licenciatura Directores de Curso: Prof.ª Doutora Maria João Bebianno

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO F O R M A Ç Ã O A V A N Ç A D A CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA MEMBROS DA ORDEM DOS ENGENHEIROS ENQUADRAMENTO O CEGE/ISEG é um centro de investigação e projectos do ISEG Instituto

Leia mais

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO PLANO DE MELHORIA DO 2015-2017 Conservatório de Música do Porto, 30 de outubro de 2015 1. Introdução... 3 2. Relatório de Avaliação Externa... 5 Pontos Fortes... 5 Áreas de Melhoria... 6 3. Áreas Prioritárias...

Leia mais

MBA em Gestão de Unidades de Saúde. 2ª Edição

MBA em Gestão de Unidades de Saúde. 2ª Edição MBA em Gestão de Unidades de Saúde 2ª Edição Funchal Junho de 2011 CURSO DE GESTÃO DE UNIDADES DE SAÚDE Justificação Num contexto de especial complexidade socio-económica, encontram fundamento as preocupações

Leia mais

Health Management Future

Health Management Future 2012 Health Management Future COM O PATROCÍNIO DE O grupo BIAL tem como missão desenvolver, encontrar e fornecer novas soluções terapêuticas na área da Saúde. Fundado em 1924, ao longo dos anos BIAL conquistou

Leia mais

CONFERÊNCIA DOS MINISTROS DO TRABALHO E SEGURANÇA SOCIAL E DOS ASSUNTOS SOCIAIS DA CPLP

CONFERÊNCIA DOS MINISTROS DO TRABALHO E SEGURANÇA SOCIAL E DOS ASSUNTOS SOCIAIS DA CPLP CONFERÊNCIA DOS MINISTROS DO TRABALHO E SEGURANÇA SOCIAL E DOS ASSUNTOS SOCIAIS DA CPLP INTERVENÇÃO DO SENHOR EMBAIXADOR DOMINGOS DIAS PEREIRA MASCARENHAS, CHEFE DA DELEGAÇÃO, SOBRE O TEMA CENTRAL OS DESAFIOS

Leia mais

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique Programa de Acção Luis Filipe Baptista ENIDH, Setembro de 2013 Motivações para esta candidatura A sociedade actual está a mudar muito

Leia mais

Programa da Rede Social CLAS Mesão Frio. Plano de Acção. O Plano de Acção do CLAS de Mesão Frio é a componente do Plano de

Programa da Rede Social CLAS Mesão Frio. Plano de Acção. O Plano de Acção do CLAS de Mesão Frio é a componente do Plano de O do CLAS de Mesão Frio é a componente do Plano de Desenvolvimento Social, onde estão definidos alguns Projectos (com o desejo de uma projecção num futuro próximo), a serem desenvolvidos para se concretizarem

Leia mais

Ganhar o Futuro com (a) Educação

Ganhar o Futuro com (a) Educação Começo por congratular todos os deputados, na pessoa da nossa Presidente, e, todos os membros do XI Governo, na pessoa do seu Presidente, certa que em conjunto faremos um trabalho profícuo para bem das

Leia mais

A UNIVERSIDADE E OS PROJETOS SOCIAIS: PROJETO RONDON COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E COMUNIDADES DO ESTADO DO MATO GROSSO / MT

A UNIVERSIDADE E OS PROJETOS SOCIAIS: PROJETO RONDON COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E COMUNIDADES DO ESTADO DO MATO GROSSO / MT A UNIVERSIDADE E OS PROJETOS SOCIAIS: PROJETO RONDON COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E COMUNIDADES DO ESTADO DO MATO GROSSO / MT Myrian Lucia Ruiz Castilho André Luiz Castilho ** A educação é um direito

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DO LIVRO

ORGANIZAÇÃO DO LIVRO Prefácio A performance dos serviços públicos constitui um tema que interessa a todos os cidadãos em qualquer país. A eficiência, a quantidade e a qualidade dos bens e serviços produzidos pelos organismos

Leia mais

ORGANOGRAMA DO SISTEMA EDUCATIVO - ANGOLA (reforma educativa - fase de transição. ão) 12ª 11ª 10ª 12ª 11ª 10ª 9ª 8ª 7ª 9ª 8ª 7ª 6ª 5ª 4ª 3ª 2ª 1ª

ORGANOGRAMA DO SISTEMA EDUCATIVO - ANGOLA (reforma educativa - fase de transição. ão) 12ª 11ª 10ª 12ª 11ª 10ª 9ª 8ª 7ª 9ª 8ª 7ª 6ª 5ª 4ª 3ª 2ª 1ª Prosseguimento de estudos 12ª 11ª 10ª 12ª 11ª 10ª 9ª 8ª 7ª 9ª 8ª 7ª 6ª 5ª 4ª 3ª 2ª 1ª 9ª Classe (Transição) Mercado de trabalho Formação Média-Técnica Mercado de trabalho Ensino Ensino Secundário (1º Ciclo)

Leia mais