SÁBADO 15 de Junho de 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SÁBADO 15 de Junho de 2013"

Transcrição

1 DIRECTOR SALAS NETO SÁBADO 15 de Junho de 2013 Kz 250,00 EDIÇÃO 519 ANO VII CRÉDITO BANCÁRIO Grande trafulha no BPC do Zengá MIA COUTO, PRÉMIO CAMÕES DE LITERATURA «A escrita é casa que visito mas onde não quero morar» A vez de António Sita no «caldeirão» de Luanda MAIKE-ALFA-LIMA Embora seja bem apetitoso, o cadeirão de comandante da Polícia de Luanda acaba por se transformar num «caldeirão», em face da complexidade dos problemas que o seu ocupante tem de enfrentar, numa cidade em que os níveis de criminalidade são sazonalmente assustadores, como agora, em que a situação está verdadeiramente «maike-alfa-lima». Não há nenhum que se tenha saído em grande na senda pela ordem e tranquilidade da capital. Será que António Maria Sita o conseguirá? É o que vamos ver. «Bravo Tango», Comandante!

2 2 Sábado, 15 de Junho de Em Foco Teimosas esperanças A selecção nacional de futebol hipotecou em grande as suas possibilidades de qualificação ao Mundial de 2014, no Brasil, depois de não ter conseguido melhor que um empate (1-1) na recepção à sua similar senegalesa, sábado último, em Luanda. Neste desafio, os angolanos jogavam a liderança do seu grupo de qualificação na zona africana da competição, que integra ainda ugandeses e liberianos, todos então com possibilidades de chegarem à fase ulterior das eliminatórias regionais. Em caso de vitória, a selecção nacional assumiria a primazia no grupo, desde que os liberianos não chegassem a um triunfo na sua deslocação à casa dos ugandeses. Os jogos contavam para a quarta jornada da competição e o desfecho era importante para o início da definição das eventuais posições finais. Os angolanos tinham necessidade imperiosa do triunfo no jogo de Luanda, para dependerem exclusivamente de si no que faltaria disputar até ao fim desta penúltima fase do torneio africano de qualificação, mas o melhor que fizeram foi a repartição de pontos, um resultado favorável aos senegaleses, já que lhes permitiu seguir na liderança, com seis pontos, beneficiando da vitória (1-0) dos ugandeses sobre os liberianos. Os ugandeses, por seu lado, foram quem melhor tirou proveito da ronda, descolando da última para a segunda posição, agora com cinco pontos. Os angolanos não se moveram, continuando na terceira posição, agora com quatro pontos, igual pecúlio dos liberianos, que saíram do segundo posto para a cauda do grupo. Embora precisassem vitalmente da vitória diante dos senegaleses, os angolanos pouco fizeram para consegui-la, ao protagonizarem uma actuação descabelada, sem tino nem nexo, enfim, desastrada. E isto muito por conta de erros de concepção graves do próprio selecionador, que continua a espelhar incompetência para armar uma equipa com algum jeito. O futebol que a selecção nos tem apresentado não é muito diferente do que qualquer do girabairro é capaz de produzir, passe o exagero. O combinado nacional (se assim se lhe pode chamar, uma vez que tudo parece descombinado) continua sem a ligação desejada entre os três sectores (defesa, meio e ataque) e denota alguma falta de ambição e mesmo empenhamento. Os jogadores mais pareciam estar numa «passarela» ou a tratar das unhas num salão de beleza. Em face disso, era impossível que os angolanos se impusessem Depois desta ronda, os angolanos passaram para aquela velha condição em que gostam de estar nos torneios qualificativos do continente, quer para provas de âmbito africano, como para as de cariz mundial (caso vertente): a depender de terceiros Director: Salas Neto Editores Editor Chefe: Ilídio Manuel; Economia: Nelson Talapaxi Samuel Sociedade: Pascoal Mukuna; Desporto: Paulo Possas; Cultura: Salas Neto; Grande Repórter: joaquim Alves Redacção: Rui Albino, Baldino Miranda, Adriano de Sousa, Teresa Dias, Romão Brandão, e Edgar Nimi Colaboradores Permanentes: Sousa Jamba, Kanzala Filho, Kajim-Bangala, António Venâncio, Celso Malavoloneke, Tazuary Nkeita, Makiadi, Inocência Mata, e António dos Santos «Kidá» Correspondentes: Nelson Sul D Angola (Benguela) e Laurentino Martins (Namibe). Paginação e Design: Sónia Júnior (Chefe), Patrick Ferreira, Carlos Inácio Fotografia: Nunes Ambriz e Hélder Simões Impressão: Lito Tipo Secretário de Redacção: Dominigos Júnior Adminstracção: Marta Pisaterra António Feliciano de Castilho n. o 119 A Luanda Registro MCS337/B/03 Contribuinte n. o Propriedade: Media Investe, SA. República de Angola Direcção: Edição: Política: Economia: Sociedade: Cultura: Desporto: Redacção: Administracção e Vendas: Publicidade e Marketing: sítio: As opiniões expressas pelos colunistas e colaboradores do SA não engajam o Jornal. a uma equipa bem arrumada como a dos senegaleses, de longe superior em todos os capítulos. No fundo, o empate conseguido até acabou por ser um resultado lisonjeiro para os anfitriões. Depois desta ronda, os angolanos passaram para aquela velha condição em que gostam de estar nos torneios qualificativos do continente, quer para provas de âmbito africano, como para as de cariz mundial (caso vertente): a depender de terceiros. E está assim: para reacenderem as esperanças na qualificação, além de precisarem de ganhar em Kampala já neste sábado, os angolanos têm ainda que esperar que os senegaleses percam pontos na deslocação à Monróvia. A situação não está nada simpática. Primeiro, porque Kampala não traz boas recordações aos angolanos, já que quase sempre regressam de lá com derrota. Algumas bem pesadas mesmo. E depois porque não é lógico esperar que os senegaleses se deixem praticamente morrer na praia, pelo que é suposto que os liberianos sequer conseguirão respirar mesmo a contarem com os benefícios que a condição caseira lhes oferece. No entanto, o fundamental, para já, é ganhar em Kampala. Sendo possível, não nos parece provável, mais ainda quando não acreditamos em milagre. Mas, como o futebol não quer saber de lógicas, tudo ainda pode acontecer. E lá vão os angolanos (agora em menor número) ainda com esperanças de irem ao Brasil em Sonhos teimosos que alguém continua a querer alimentar, ao invés de caírem já na real, como diriam os manos do país do samba. Nota: mais logo, a situação estará já mais clarificada uma derrota significaria o fim dessas teimosas esperanças. QUI 06 JUN SEX 07 JUN SÁB 08 JUN DOM 09 JUN SEG 10 JUN TER 11 JUN QUA 12 JUN QUI 13 JUN JES FALOU São raras a vezes em que o presidente da República fala em publico. Para os jornalistas então!... Neste dia JES falou à SIC e suscitou muitas reacções. A corrupção, pobreza, sucessão presidencial e manifestações dos jovens foram alguns do temas abordados. CAUSAS DE CRIMES A Polícia Nacional no Huambo apontou como causas principais da criminalidade, o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e de liamba. Revelou-se ainda que ali surgem a cada dia novos grupos de marginais. É já «epidemia» nacional o crescimento do fenómeno? NGONGO DE LUTO Maria Eulália Leal Monteiro, mãe do deputado e general Roberto Monteiro «Ngongo», faleceu neste dia, aos 106 anos. A anciã repousa no Alto das Cruzes. Descrita como optimista, que gostava de viver e sempre transmitiu isso ao resto da família, teve oito filhos, 20 netos e 34 bisnetos. «DIMIXIS» EM FORMAÇÃO O Instituto de Formação da Administração Local (IFAL) encerrou neste dia um curso sobre contratos administrativos, em que participaram 23 funcionários da Administração Municipal de Menongue. O curso foi dirigido a directores das repartições municipais, chefes de secção e técnicos. MBANZA CONGO EM ALTA A classificação de Mbanza Congo como Património Cultural Nacional aconteceu neste dia, em cerimónia presidida pela ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva. O próximo passo será elevar a localidade a Património da Humanidade. Para tal, Rosa Cruz e Silva já pediu apoio à Itália. MENOS IMPOSTOS A taxa do imposto industrial vai ser reduzida de 35 para 30 por cento, uma das propostas apresentadas pela equipa que coordena a reforma tributária. O Conselho de Ministros já apreciou um conjunto de diplomas da reforma do Sistema Fiscal. BÓNUS NO BIC O BIC vai em breve bonificar as taxas de juros dos créditos aos funcionários públicos, para permitir que estes adiram massivamente aos financiamentos que esse banco oferece aos clientes. Fernando Teles, o seu PCA, revelou isso no Huambo. MANIF DE CENTRALIDADES Dezenas de pessoas que adquiriram casas nas centralidades de Cacuaco e o Kilamba manifestaram-se à entrada da Sonangol, reivindicando a entrega das chaves dos seus apartamentos. «Por telefone, não explicam as razões do atraso, agora, a SONIP aguenta-se com as manif s.»

3

4 4 Sábado, 15 de Junho de Em Foco Para manter-se como de director de gabinete do Governador José Filipe diz ter recusado convite de Isaac dos Anjos Nelson Sul D Angola Um mês depois de Armando da Cruz Neto ter visto confirmado o seu pedido de demissão do cargo de governador provincial de Benguela, José Chilonga Filipe, até então director do seu gabinete, sai a terreiro para revelar que acabava de declinar o convite de Isaac Maria dos Anjos, o novo titular, para se manter no posto. José Chilonga Filipe reagia assim ao artigo publicado na nossa última, em que ele também era referenciado como um dos «órfãos» Armando da Cruz Neto. No artigo, referia-se que este coronel das FAA «emprestado» ao executivo benguelense era uma das figuras que mais se ressentia da saída do general da governação local, de quem era um dos principais colaboradores. Interrogávamos-nos igualmente se José Chilonga Filipe conseguiria fazer corredores para ser manter como director do gabinete do actual governador ou se não seria melhor antecipar-se, pedindo a sua demissão, antes que fosse afastado por Isaac dos Anjos, cenário apontado como o mais provável. Entre as diversas cogitações, sustentávamos que a melhor saída para ele seria o regresso ao activo nas Forças Armadas. E esta foi mesmo a melhor saída que José ChilongaFilipe encontrou, como ele próprio confirmou ao Semanário Angolense, reiterando, no entanto, que fora convidado para manter-se, ao que acabou por declinar, sem apontar as razões da sua decisão. Antes disso, refutou categoricamente que estivesse a ressentir no «bolso» com a saída de Armando da Cruz Neto, como indicáramos no mesmo artigo. «Não tenho porquê estar a ressentir no bolso com saída do general Armando, até porque, se quer que lhe diga, ganho melhor nas forças armadas do que no governo. E mais: se há coisas que ganhei durante a minha passagem pelo governo, gostaria de destacar as boas amizades que fiz com as pessoas com quem privei durante esses anos todos, assim como o prestígio grangeado. Fora disso, nada mais ganhei», disse José Chilonga Filipe. E confirma: «Irei sim voltar às Forças Armadas Angolanas, donde havia sido requisitado pelo governador cessante para que pudesse dar o meu contributo na função executiva do Estado». José Chilonga Filipe e Armando da Cruz Neto têm uma relação antiga, tendo já sido director de gabinete do general ao tempo em que ele era embaixador de Angola em Espanha. (*) Em Benguela Crise na CASA-CE Com apenas dez meses na função de secretario provincial executivo da CASA-CE em Benguela, Florêncio Canjamba está em vias de ser exonerado do cargo, por alegada má gestão financeira e incapacidade para desempenhar cabalmente o seu papel como representante da coligação na oposição política local, soube o Semanário Angolense de boa fonte. Florêncio Canjamba é ainda acusado de violação dos estatutos da organização, ao proceder a exonerações «anárquicas» dos quadros da coligação, com base no amiguismo, trocando militantes experientes por figuras próximas a si, apenas por isso mesmo, o que tem causado um mal-estar no seio da CASA-CE em Benguela, com evidentes prejuízos para os seus interesses políticos. O mal-estar é tanto que muitos militantes estão já a preparar as «imbambas» para baterem com a porta, com destino ao Galo Negro, o maior partido da oposição angolana, que verá com bons olhos esta crise entre os «casados» de Benguela. As fontes do SA dizem ainda que há muito que o conselho presidencial da CASA-CE vinha protelando a exoneração de Florêncio Canjamba, devido às noticias publicadas por este jornal, dando conta da «inoperância» da coligação de Abel Chivukuvuku em Benguela. Contudo, após um grupo de militantes ter, alegadamente, enviado a Luanda um dossier que detalhava o clima de crispação reinante no secretariado de Benguela, o conselho presidencial da coligação passou a encarar a manutenção de Canjamba no posto como sendo um risco, dado o facto de Benguela ser considerada como segunda praça política do país. A vinda a Benguela do inspector nacional da CASA-CE, Rui Isaac, para as nossas fontes, será a prova mais evidente de que a exoneração de Florêncio Canjamba é uma questão de dias, podendo vir a ser substituído por um antigo deputado da UNITA identificado apenas por Caetano. Contactado pelo SA, Florêncio Canjamba, refutou as acusações sobre as alegadas exonerações «anárquicas» que procedera, afirmando mesmo que, à luz dos estatutos, estão proibidas defecções de quadros por iniciativa do secretário provincial da coligação. «A única coisa que os estatutos admitem é mudarmos um quadro de um sector para outro e nunca exonerá-lo. Portanto, essa acusação não corresponde à verdade, até porque não fizemos sair nenhum comunicado publico que indique isso», disse. Questionado sobre as razões que estariam na base da vinda do inspector nacional da CASA-CE a Benguela, Florêncio Canjamba afirmou que a sua visita se enquadrava nas actividades domesticas rotineiras da estrutura de fiscalização da coligação, para averiguar apenas o funcionamento da sua representação em Benguela, sem ter algo a ver com supostas crises no seu seio. NSA, em Benguela

5 Sábado, 15 de Junho de Em Foco Por alegada campanha difamatória MPLA de Luanda contra semanário «O Continente» O comité provincial de Luanda do MPLA distribuiu à imprensa nesta semana um comunicado em que se manifesta indignado com uma alegada campanha de calúnia e difamação empreendida pelo jornal «O Continente», para sujar a imagem da instituição, em particular a do seu primeiro secretário, o «cda» Bento Bento. Há dias, Bento Bento fora citado pela publicação como estando a subverter o processo de renovação das estruturas municipais do partido no poder em Luanda, referindo que ele estaria mesmo a inibir, em meio a ameaças, os potenciais candidatos aos postos em disputa, para que eles sejam ocupados por figuras da sua conveniência. Mas, a direcção do partido dos camaradas em Luanda contesta as alegações, considerando-as como absolutamente infundadas, uma vez que o processo assembleário nos diversos distritos da circunscrição estará a decorrer normalmente ao nível local, sem intromissões de quaisquer espécies da estrutura partidária provincial no que toca às candidaturas que se têm apresentado para a disputa dos cargos em jogo. Segundo o comunicado, produzido a meio desta semana, tão logo foram criadas as condições procedimentais, conducentes à realização do processo constitutivo dos comités dos distritos, as subcomissões de candidaturas estiveram prontas e disponíveis para receberem as intenções dos concorrentes ao cargo electivo de 1.º secretário distrital, avaliando-se depois se eles reuniam os requisitos exigidos pelos Estatutos e demais Regulamentos do Partido, facto que ocorreu sem qualquer problema. Entretanto, diz o comunicado, o Comité Central do MPLA, o Bureau Político e o Comité Provincial trataram desta matéria, orientando que o processo assembleiario fosse levado a cabo sob obediência das normas estatutárias, regulamentos e demais directivas do MPLA, no sentido de adequar a sua estrutura à nova divisão político-administrativa da província. Diz ainda o comunicado que o Grupo de Acompanhamento do Secretariado do Bureau Político à província de Luanda visitou os comités municipiais e os distritais em formação, para constatar o seu estado de organização e processos de candidaturas, tendo concluido com satisfação que tudo estava a decorrer bem, Segundo o comite provincial do MPLA em Luanda, diante de «factos tão inéquivocos como estes», não restam dúvidas de que o jornal de Henriques Miguel continua incessante a sua campanha especial contra a instituição, dirigida especialmente contra o seu 1.º secretário, Bento Bento, considerado, ao contrário, como um «fiel cumpridor das orientações superiores» do MPLA. «Quer o 1.º secretário províncial, quer os demais integrantes da direcção do partido na província deram autonomia para que as subcomissões de candidaturas decidissem por si sobre o processo ao nível das suas circuncrições territóriais, cabendo apenas ao respectivo orgão superior o papel de fiscalizador e aconselhador, ali onde algo estivesse errado», sublinha o comunicado. A concluir, garante queo espírito democrático e a transparência no processo de candidaturas decorreu com a maior normalidade e sem sobresalto algum. «O que nos leva a caracterizar o comportamento do Jornal O Continente como sendo não sério, caluniador e (...) nocivo ao estado democrático e de direito, que se quer justo, equilibrado e eficaz, aonde o cidadão deve ser informado com verdade», remata o comunicado do «M» de Luanda.

6 6 Sábado, 15 de Junho de Capa Cidadãos estão cada vez mais intranquilos Bandidos «mijam» em Luanda A cidade capital está, desde há umas semanas, fortemente policiada, particularmente nas zonas urbanas. O aparato policial que se vê nas ruas, que incluiu forças especiais, assim como a polícia militar, deixa alarmada a população, quase se parecendo com uma cidade em estado de sítio Kim Alves A província de Luanda, nomeadamente as suas zonas urbana e periférica, tem sido assolada, nos últimos dias, por uma crescente onda de criminalidade que está a tomar contornos alarmantes. A população está assustada e não sabe ao certo a que se deve tal situação, que preocupa também as autoridades. Estas foram, no entanto, apanhadas de surpresa quando, há cerca de duas semanas, três agentes policiais foram mortos por homens armados não identificados no seu posto de trabalho, ao Kikolo. Uma semana depois, mais dois policiais foram igualmente mortos em diferentes zonas da cidade: um, por atropelamento criminoso, já que os seus autores acabaram por levar a sua arma, ao Cazenga, e outro, a tiro, por ter resistido a uma abordagem de bandidos que lhe queriam a sua motorizada. A população sente que a cidade está militarizada, o que a deixa apreensiva, por carência de uma informação concreta. A preocupação das pessoas que trabalham no centro da cidade e habitam na periferia, principalmente em zonas mais distantes, é regressar à casa tão logo terminem as suas actividades. Diversas pessoas têm sido molestadas e algumas mortas em acções de delinquentes que visam, geralmente, os seus bens materiais ou monetários. Em algumas áreas da cidade, viaturas paradas no engarrafamento têm sido abordadas, em pleno dia, por bandidos armados, que exigem dos utentes dinheiro, telemóveis e joias, entre outros bens. A resistência pode custar a vida ou, no mínimo, um ferimento e a destruição dos vidros da viatura. Os transeuntes têm sido igualmente alvos de assalto pelos mesmos motivos, tanto nas zonas urbanas, como na periferia. Com o cair da noite, a insegurança aumenta e o perigo espreita em qualquer esquina ou passagem menos iluminada. Para além dos assaltos, há ainda a violação de mulheres e espancamento quando alguém assaltado não tenha nada que interesse aos bandidos. Transportes nocturnos A falta de transporte público de passageiros a noite agrava a situação, principalmente de trabalhadores e estudantes nocturnos. Ultimamente, muitos trabalhadores e não só aproveitam os cursos nocturnos para aumentar o seu conhecimento e quando saem dos estabelecimentos escolares para regressarem à casa, não há autocarros ou outro meio de transporte que facilite o seu trajecto. Os autocarros públicos e de empresas privadas similares recolhem-se com o cair da noite. Alguns táxis ainda fazem umas corridas durante a noite e, apesar do preço elevado, vão ajudando os que podem. Com o estado de insegurança dos últimos dias, também esses vão ficando raros e os que labutam até mais tarde, assim como os estudantes, nada mais podem fazer senão caminhar, enfrentando os perigos da via. O problema da falta de circulação de transportes públicos de noite na cidade de Luanda e periferias não é novo e dificulta imenso a vida da população, sobretudo em caso de uma emergência por questões de saúde ou outra. O incremento de crimes diversos em Luanda verifica-se, sobretudo, nas zonas periféricas, onde diversas jovens têm sido molestadas e violadas, quando não são mortas também. Há cerca de duas semanas, entre as 21 e as 22 horas, um jovem foi morto por espancamento no bairro das Mangueirinhas, zona da Caop A, município de Viana, quando regressava à sua casa. De acordo com a vizinhança, os meliantes queriam apoderar- -se do seu telemóvel e possíveis valores que o malogrado teria em sua posse. Como ele opôs resistência, seria forte e barbaramente espancado, acabando por falacer horas depois por obra da violência que os bandidos descarregaram sobre ele. Foi o quarto caso do género no bairro só neste ano. A população daquela área atira as culpas para a falta de policiamento nocturno naquele bairro. «Durante o dia, aparecem muitos agentes da Polícia aqui só para pentearem os que fazem táxi e prender as motas, que nem vão para a unidade; mas, das dezoito horas em diante se, só se vê agentes por aqui a beberem nesta ou naquela barraca», acusa um morador do bairro. Na mesma esteira, um outro cidadão foi morto nesta terça- -feira, 11 do corrente, no bairro da Boa Fé, município de Viana, por meliantes que lhe roubaram a mota em que se fazia transportar. Moradores locais dizem que a vítima resistiu ao assalto, o que derivou na sua morte.

7 Sábado, 15 de Junho de Capa Para contrapor-se à sofisticação do «modus operandi» dos bandidos Adaptação policial precisa-se Os bandidos, geralmente armados, estão cada vez mais destemidos, ao ponto de enfrentarem os agentes da polícia. Porém, a população, sobretudo a que reside em bairros de risco, diz que a corporação faz muito pouco para conter a situação, apontando mesmo o dedo acusador a certos agentes por alegada conivência com os bandidos. Actualmente, já se fala de crime organizado em Angola, sobretudo em Luanda. Esses delinquentes estão ligados ao tráfico de droga e à crimes de «colarinho branco», em que são geralmente apoiados por figuras bem cotadas no país. Essa delinquência, não admite interferências nas suas actividades e age com extrema crueldade. Ela está a crescer e a enraizar-se a uma velocidade estonteante que, brevemente, será muito difícil controlar. Neste contexto, os métodos de trabalho e actuação da Polícia Nacional tem que se adaptar à evolução da própria criminalidade. Hoje por hoje, salvo em alguns casos, o policial, agente ou oficial, age como um mero funcionário público: apresenta-se ao local de trabalho pela manhã e a meio da tarde vai-se embora para casa ou para outros caminhos. Os poucos que ficam destacados nas unidades, em caso de alguma ocorrência durante a noite, em regra, sob os mais variados pretextos (não temos isso, não temos aquilo), não acodem aos cidadãos, não patrulham coisa alguma e alguns até fogem ao choque com os delinquentes. Os cidadãos questionam esta postura e comentam: «Actualmente, a polícia já não paga tão mal assim. É mesmo dos sectores públicos que melhores ordenados oferece. Em contrapartida, é só normal ver-se agentes na rua durante o dia. Depois da hora de expediente público, eles também vão desaparecendo e, ao cair da noite, já não se vê nenhum polícia nas ruas de Luanda, salvo raras excepções. Tudo fica entregue aos lobos. E na periferia então, já nem adianta falar. Se aparecem de dia, é mais para pentear do que outra coisa. E com o seu desaparecimento, os bandidos fazem a festa». Viana, Cacuaco e Ingombota Perigo em alta Chefe de Estado quer melhor desempenho Os populares dos bairros da Caop A e B, no município de Viana, que segundo uma fonte da Polícia, é um dos mais afectados actualmemente pela criminalidade, queixam-se dos chamados ralis de motas de duas e quatro rodas, que fazem um barulho infernal, estendendo-se pela noite e madrugada. Queixam-se também da poluição sonora causada por inspirados «dj s» que não querem saber do sossego dos seus concidadãos, incluindo doentes, que são incomodados pela barulheira, Quem reclama é violentado. «A Polícia nunca aparece, nunca vimos um só carro de patrulha nas ruas deste bairro, nem de dia nem de noite e há mesmo polícias que aqui vivem e que deviam fazer o chamado trabalho de sector, mas nada fazem, apesar de conhecerem os delinquentes e prevaricadores», conta Alberto Ngalula, funcionário público. O cidadão acrescenta que nesse bairro, associada às «rachas» de motas e de carros, a delinquência fala alto, incluindo a violação de meninas. «Há dias, mataram aqui um jovem, junto da entrada para a passagem aérea que dá para a Vila, passava pouco das 19 horas, mas a Polícia só apareceu no dia seguinte de manhã», lamentou. É assim em outros bairros de Viana, mas também igual acontece no Cazenga, em Cacuaco, no Rangel, Sambizanga, Prenda, e um pouco por toda Luanda. De acordo com a fonte da Polícia Nacional já citada, os municípios de Viana e Cacuaco e o distrito urbano da Ingombota são os mais afectados pela criminalidade. A fonte explicou que há áreas específicas nessas localidades em que o crime é alto e violento. Em Viana distinguiu os bairros da Caop A e B, Capalanga e Boa-fé, especialmente na área conhecida como «Rasta». No Cacuaco, referiu o Kikolo em toda a sua extensão, o Paraíso e o Mulenvos como zonas onde o crime é que manda. Quanto à Ingombota, a nossa fonte diz que há focos criminosos um pouco por todo o distrito, embora a Polícia conheça as mais críticas. Face ao estado de inquietação e insegurança em Luanda, o Chefe de Estado, José Eduardo dos Santos, ao exonerar a comissária-chefe Elisabeth Rank Frank «Bety» do cargo de comandante provincial de Luanda e nomear para o seu lugar, o agora comissário-chefe António Maria Sita, terá querido implantar uma nova dinâmica no desempenho da Polícia Nacional na província que alberga a capital do país e, em consequência, as mais altas instâncias do Governo e do Estado. Certamente, não terão faltado orientações precisas do Chefe de Estado ao titular da pasta do Interior, Ângelo Veiga, e ao novo comandante, porque o seu trabalho não será fácil. É grande a expectativa em torno do eventual desempenho do novo comandante de Luanda. «A população espera por si para enriquecer a mensagem de segurança que pretendemos passar (...) e para isso deverá também interagir com ela», referiu o ministro, realçando que «os grupos que ousam, de armas na mão, procurar alterar de forma profunda a ordem e a tranquilidade públicas, para esses a nossa mensagem é clara: devemos ser implacáveis. A corporação será bastante implacável com os que se dedicam ao crime, ao invés de trabalharem de forma honesta».

8 8 Sábado, 15 de Junho de Capa Para, finalmente, colocar ordem em Luanda Será o comissário-chefe António Sita o homem de quem se estava à espera? Nelson Sul D Angola (*) Tido como um dos melhores comandantes que já passaram por Benguela, o agora comissário-chefe António Maria Sita, fora nomeado comandante provincial da policia nacional e delegado do Ministério do Interior, no ano de 2007, em substituição do comissário-chefe Mário de Oliveira Santos, actual Director Nacional para Ordem Pública da Policia Nacional. Antes de dirigir a corporação na província de Benguela, António Maria Sita exercera iguais funções na província mais a norte do país, em Cabinda. Quando chegou à Benguela, a criminalidade apresentava um quadro preocupante, não apenas para as autoridades, mas, sobretudo, para a população em geral. Entre 2007 e 2009, Benguela chegou mesmo a ser considerada a segunda província mais insegura do país, em termos de criminalidade, depois da capital. Assaltos à mão armada e violações sexuais constavam no topo dos crimes registados pelas autoridades policiais naquela altura, cujos autores, à semelhança de outras paragens, eram jovens de tenra idade. Há 4 anos, o terror fazia parte do quotidiano dos benguelenses. Se, no centro das cidades do Lobito e Benguela, os assaltos eram praticados descaradamente à luz do dia, nas zonas O Comando Provincial da Polícia de Luanda (CPL), pela especificidade do território em que se encontra, é o de maior responsabilidade e consequentemente o que detém o maior efectivo. Dispõe igualmente de instalações condignas para o seu funcionamento e que prestigiam a sua condição de mais importante comando do país. Pelo CPL já passaram diversos comandantes, alguns deles carismáticos oficiais de carreira policial. O SA tentou por diversos meios obter o nome e o tempo em que estiveram ao leme do CPL, mas mesmo altos e antigos oficiais da corporação disseram não Já na «era moderna» O 8.º Comandante periféricas o panorama piorava. Por alguma influência de Luanda, Benguela também já foi morada das chamadas «squad s», cuja actividade principal era (é) realizar acções criminosas nos bairros e comunidades, com os assaltos a residências a liderarem as estatísticas. Contudo, em Benguela, foram prontamente combatidos pela corporação, então liderada pelo comandante António Maria Sita, tido como um policial de boa competência operativa. saber, lembrando-se apenas de um ou outro nome. Também o próprio site da Polícia Nacional não tem nenhuma referência sobre o assunto. Contudo, o SA saber que já chefiaram o CPL, desde a passagem da corporação para o Comando-Geral, os seguintes comandantes: Gaspar da Silva, Ferreira Neto, Mussolo, Panda, António P. J. Candela, Quim Ribeiro e Elizabeth Rank Frank. Portanto, António Maria Sita é o oitavo titular da corporação na «era moderna». Kim Alves Um dos grupos de delinquentes mais temidos na província de Benguela e que fora desmantelado na vigência do agora comandante de Luanda, respondia pelo nome de BF. A actuação dessa «squad» era forte que quase colocava a província numa situação de instabilidade social muito grave. Para acabar ou diminuir com o alto nível de criminalidade que se registava na província de Benguela, o agora comandante de Luanda, muito mais do que impor o uso da força, havia adoptado a fórmula do diálogo para se alcançar a solução do problema. E uma das fórmulas encontradas pelo comissário-chefe, António Maria Sita foi promover a reinserção social de boa parte dos elementos desses grupos que, um pouco mais tarde, eles se descompuseram. Alguns chegaram mesmo a fazer parte da corporação, com resultados animadores. Mas, em face das características específicas de Luanda, a partir da sua grandeza, os observadores acreditam que a fórmula aplicada em Benguela não teria muitas hipóteses de vingar. No campo político, o comissário-chefe António Maria Sita teve um desempenho positivo, se tivermos em conta as declarações favoráveis ao seu desempenho dos líderes dos partidos políticos (situação e oposição), se bem que não tenha conseguido acabar com a instrumentalização da polícia ao nível dos municípios do interior da província, nos quais os agentes da corporação mais pareciam activistas do partido no poder ou criados dos administradores. Agora nas vestes de novo comandante da Polícia de Luanda e delegado do Ministério do Interior, há pouco menos de 3 semanas, em substituição da comissária-chefe Elizabeth Ranque Frank (Bety), os luandenses procuram saber o que é que António Maria Sita irá fazer para tirar a cidade capital do sufoco em termos de criminalidade em que se encontra. Vamos esperar pela concretização dos planos que ele tem preparado, no afã de tentar sair-se melhor que os seus antecessores, na sua maioria sem histórias bem sucedidas para contar. Será que António Maria Sita conseguirá quebrar o «enguiço»? (*) Em Benguela

TV Ciência: Que modelos de ajuda para a eliminação da pobreza em Moçambique propõe?

TV Ciência: Que modelos de ajuda para a eliminação da pobreza em Moçambique propõe? TV Ciência: É considerado que as forças da globalização e marginalização são responsáveis por criarem dificuldades ao desenvolvimento. Pode concretizar esta ideia? Jessica Schafer: A globalização como

Leia mais

José Epifânio da Franca (entrevista)

José Epifânio da Franca (entrevista) (entrevista) Podemos alargar a questão até ao ensino secundário Eu diria: até à chegada à universidade. No fundo, em que os jovens já são maiores, têm 18 anos, estarão em condições de entrar de uma maneira,

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO ALOCUÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTRO, MINISTRO DA DEFESA E SEGURANÇA KAY RALA XANANA GUSMÃO POR OCASIÃO DA VISITA À ACADEMIA

Leia mais

O R A D O R E S B R E V Í S S I M O C U R R Í C U L O

O R A D O R E S B R E V Í S S I M O C U R R Í C U L O O R A D O R E S B R E V Í S S I M O C U R R Í C U L O P R I M E I R O P A I N E L Jorge Querido Nasceu na vila de Assomada em Santiago de Cabo Verde. Foi ativista e dirigente na CEI e coordenador da Secção

Leia mais

R I T A FERRO RODRIGUES

R I T A FERRO RODRIGUES E N T R E V I S T A A R I T A FERRO RODRIGUES O talento e a vontade de surpreender em cada projecto deixou-me confiante no meu sexto sentido, que viu nela uma das pivôs mais simpáticas da SIC NOTÍCIAS.

Leia mais

28 DOSSIER MODELO DE NEGÓCIO PERSPECTIVAS DE GESTÃO NO

28 DOSSIER MODELO DE NEGÓCIO PERSPECTIVAS DE GESTÃO NO 28 DOSSIER MODELO DE NEGÓCIO PERSPECTIVAS DE GESTÃO NO APÓS-VENDA DOSSIER 29 JORGE ZÓZIMO DA FONSECA Se fosse um concessionário, o meu negócio era o após-venda Ao longo das duas últimas décadas o mercado

Leia mais

Curso de Direito Atividades de aprofundamento acadêmico nº 04 2S2015

Curso de Direito Atividades de aprofundamento acadêmico nº 04 2S2015 Curso de Direito Atividades de aprofundamento acadêmico nº 04 2S2015 Professor responsável: Ricardo Lorenzi Pupin Aluno: Semestre/turma: Disciplina: Geral Tema da atividade: Arrastões nas praias do Rio

Leia mais

RECEPÇÃO AO EMBAIXADOR DE ANGOLA

RECEPÇÃO AO EMBAIXADOR DE ANGOLA INTERVENÇÃO DO SENHOR PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE OEIRAS Dr. Isaltino Afonso Morais RECEPÇÃO AO EMBAIXADOR DE ANGOLA LOCAL: Tagus Parque REALIZADO A: 12 de Fevereiro de 2010 Pelas: 12,00 Horas Senhor

Leia mais

coleção Conversas #26 Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #26 Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. Saí da prisão volto coleção Conversas #26 - setembro 2015 - e estou ou não desempregado, para o crime? Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS, da

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 5

Transcrição de Entrevista nº 5 Transcrição de Entrevista nº 5 E Entrevistador E5 Entrevistado 5 Sexo Feminino Idade 31 anos Área de Formação Engenharia Electrotécnica e Telecomunicações E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

Orçamento do Estado 2016 Uma Perspectiva Pessoal

Orçamento do Estado 2016 Uma Perspectiva Pessoal Aese Orçamento do Estado 2016 Uma Perspectiva Pessoal Quando o Fórum para a Competitividade me convidou para esta intervenção, na qualidade de empresário, já se sabia que não haveria Orçamento de Estado

Leia mais

I n q u é r i t o a o s J o v e n s A d v o g a d o s

I n q u é r i t o a o s J o v e n s A d v o g a d o s I n q u é r i t o a o s J o v e n s A d v o g a d o s 1) Encontra-se actualmente a trabalhar? 20% 80% Sim Não 2) Se respondeu sim, como descreveria a sua estabilidade profissional? 22% 17% 28% 33% Excelente

Leia mais

A Kudumba Investments Lda. considera e respeita a todos os níveis, os DH proclamados internacionalmente.

A Kudumba Investments Lda. considera e respeita a todos os níveis, os DH proclamados internacionalmente. AREA DO PACTO GLOBAL PRINCIPIOS DO PACTO GLOBAL ACÇOES REALIZADAS IMPACTO ALCANÇADO ACÇOES PLANEADAS DIREITOS HUMANOS 1. Respeitar e proteger os direitos humanos; A Kudumba Investments Lda. considera e

Leia mais

dinha, a Alvorada, a Matinha, a Grota, a Chatuba, o Caracol, o morro da Baiana, o morro dos Mineiros, a Nova Brasília, a Pedra do Sapo, a Palmeiras,

dinha, a Alvorada, a Matinha, a Grota, a Chatuba, o Caracol, o morro da Baiana, o morro dos Mineiros, a Nova Brasília, a Pedra do Sapo, a Palmeiras, Introdução O Complexo do Alemão é um morro na zona norte do Rio de Janeiro, a cerca de quinze quilómetros do centro, que reúne cerca de quinze favelas, nas quais vive um número impressionante de pessoas:

Leia mais

AJUDA DE MÃE. APOIO DO FUNDO SOCIAL EUROPEU: Através do Programa Operacional da Região de Lisboa e Vale do Tejo (PORLVT)

AJUDA DE MÃE. APOIO DO FUNDO SOCIAL EUROPEU: Através do Programa Operacional da Região de Lisboa e Vale do Tejo (PORLVT) AJUDA DE MÃE APOIO DO FUNDO SOCIAL EUROPEU: Através do Programa Operacional da Região de Lisboa e Vale do Tejo (PORLVT) Objectivos: Informar, apoiar, encaminhar e acolher a mulher grávida. Ajudar cada

Leia mais

Quero, também, que os Estaleiros Navais de Viana do Castelo sejam capazes de colocar no exterior noutros mercados, projectos

Quero, também, que os Estaleiros Navais de Viana do Castelo sejam capazes de colocar no exterior noutros mercados, projectos DECLARAÇÕES AOS JORNALISTAS DO MINISTRO PAULO PORTAS, EM VIANA DO CASTELO, APÓS REUNIÕES DE TRABALHO COM O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO E COM A COMISSÃO DE TRABALHADORES DOS ESTALEIROS NAVAIS DE VIANA DO

Leia mais

Introdução Conselhos para educadores

Introdução Conselhos para educadores Introdução Conselhos para educadores INTRODUÇÃO A utilização da Internet constitui um desafio para a educação dos nossos filhos e dos nossos alunos. Acontece muito frequentemente que os deixamos a navegar

Leia mais

ANEXO I: QUESTIONÁRIO DO INQUÉRITO

ANEXO I: QUESTIONÁRIO DO INQUÉRITO ANEXO I: QUESTIONÁRIO DO INQUÉRITO 1. Inquérito 1.1 Número de Questionário 1.2 Nome do entrevistador 1.3 Data da entrevista dd/mm/yyyy 1.4 Local da entrevisa 1.5 Lugar da entrevista 1 = lugar público 2

Leia mais

Eduardo Branco, presidente da APAN. É preciso. regressar. ao consumo. Pág. 30

Eduardo Branco, presidente da APAN. É preciso. regressar. ao consumo. Pág. 30 Eduardo Branco, presidente da APAN É preciso regressar ao consumo Pág. 30 Fátima de Sousa jornalista fs@briefing.pt "A quadratura do círculo é sermos mais eficientes, ou seja, conseguirmos fazer mais com

Leia mais

se formaram, viveram, fizeram e o pouco que aprenderam ou muito foi dentro daquele órgão confuso, terrível, que talvez não seja o melhor para

se formaram, viveram, fizeram e o pouco que aprenderam ou muito foi dentro daquele órgão confuso, terrível, que talvez não seja o melhor para Sidnei Possuelo Eu em primeiro lugar queria agradecer a universidade por propiciar esse espaço hoje muito importante, muito importante, porque vivemos realmente uma crise, e esse espaço aqui é um espaço

Leia mais

«A Sociedade tem todas as hipóteses de ser mais solidária!»

«A Sociedade tem todas as hipóteses de ser mais solidária!» «A Sociedade tem todas as hipóteses de ser mais solidária!» Entrevista com Idália Moniz, Secretária de Estado Adjunta e da Reabilitação 1 Num momento em que a situação económica exige uma maior atenção

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 37 Discurso na cerimónia de retomada

Leia mais

www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015

www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015 54 CAPA www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015 CAPA 55 ENTREVISTA COM PAULO VARELA, PRESDIDENTE DA CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA PORTUGAL ANGOLA O ANGOLA DEVE APOSTAR NO CAPITAL HUMANO PARA DIVERSIFICAR

Leia mais

CARTA DENÚNCIA: VIOLAÇÃO DE DIREITOS - DESPEJO FAMÍLIAS JD. DA UNIÂO

CARTA DENÚNCIA: VIOLAÇÃO DE DIREITOS - DESPEJO FAMÍLIAS JD. DA UNIÂO CARTA DENÚNCIA: VIOLAÇÃO DE DIREITOS - DESPEJO FAMÍLIAS JD. DA UNIÂO Viemos a partir dessa, denunciar e solicitar ações em relação às violações de direitos sofridas no dia 16 de setembro pelas FAMÍLIAS

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 4

Transcrição de Entrevista nº 4 Transcrição de Entrevista nº 4 E Entrevistador E4 Entrevistado 4 Sexo Masculino Idade 43 anos Área de Formação Engenharia Electrotécnica E - Acredita que a educação de uma criança é diferente perante o

Leia mais

ser difundida para a população: ainda há esperança. Somos capazes de alterar o destino das gerações futuras, dar-lhes um futuro melhor.

ser difundida para a população: ainda há esperança. Somos capazes de alterar o destino das gerações futuras, dar-lhes um futuro melhor. Um futuro melhor Várias vezes me questiono se algum dia serei capaz de me sentir completamente realizada, principalmente quando me encontro entregue somente aos meus pensamentos mais profundos. E posso

Leia mais

3 - Seleccionar e responder a Anúncios de Emprego ou redigir uma Carta de Candidatura Espontânea.

3 - Seleccionar e responder a Anúncios de Emprego ou redigir uma Carta de Candidatura Espontânea. Mercado de Emprego Etapas a Percorrer 1 - Estabelecer o Perfil Profissional Fazer a avaliação de si mesmo: - Competências - Gostos - Interesses Elaboração de uma lista do tipo de empregos que correspondem

Leia mais

As ilustrações desta cartilha foram efetuadas por Carlos Myrria (092-236-5568 e 092-985-5420)

As ilustrações desta cartilha foram efetuadas por Carlos Myrria (092-236-5568 e 092-985-5420) Fica autorizada a reprodução do texto e ilustrações, no todo ou em parte, desde que se não altere o sentido, bem como seja citada a fonte. As ilustrações desta cartilha foram efetuadas por Carlos Myrria

Leia mais

SISTEMA DE PROTECÇÃO SOCIAL EM ANGOLA

SISTEMA DE PROTECÇÃO SOCIAL EM ANGOLA SISTEMA DE PROTECÇÃO SOCIAL EM ANGOLA I- CONTEXTO 1- A assistência social é uma abordagem que visa proteger os grupos mais vulneráveis tendo em conta critérios rigorosos para uma pessoa se habilitar a

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL Gabinete do Presidente

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL Gabinete do Presidente Diário da Sessão n.º 070 de 18/03/03 Presidente: Passamos ao ponto seguinte da nossa ordem de trabalhos Proposta de Decreto Legislativo Regional que aplica à Região Autónoma dos Açores o Decreto-Lei nº

Leia mais

Ana Maria Be encourt 1

Ana Maria Be encourt 1 ABERTURA Ana Maria Be encourt 1 Senhor Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Senhor Embaixador Presidente da Comissão Nacional da UNESCO, Senhora Secretária Regional da Educação

Leia mais

omo ser um bom cidadão?

omo ser um bom cidadão? C omo ser um bom cidadão? Conhecer os processos para denunciar o crime Cooperação entre polícia e cidadãos 993 Prevenção e combate à criminalidade Índice Quando souber de um crime... P. 2 Como efectuar

Leia mais

Gabinetes de Atendimento da Mulher e da Criança: a análise dos casos registados. Margarita Mejia, Conceição Osório, Maria José Arthur

Gabinetes de Atendimento da Mulher e da Criança: a análise dos casos registados. Margarita Mejia, Conceição Osório, Maria José Arthur Gabinetes de Atendimento da Mulher e da Criança: análise dos casos registados Margarita Mejia, Conceição Osório, Maria José Arthur Publicado em Outras Vozes, nº 7, Maio de 2004 A WLSA Moçambique concluiu

Leia mais

Danilo Nascimento Fundador do Segredos de Concurso www.segredosdeconcurso.com.br

Danilo Nascimento Fundador do Segredos de Concurso www.segredosdeconcurso.com.br Olá, concurseiro! É um grande prazer poder lhe dar algumas dicas básicas a respeito da sua preparação para um Concurso Público. Sei que esse é um grande sonho, e ter a oportunidade de colaborar com a construção

Leia mais

ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA

ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Nós, representantes democraticamente eleitos dos Parlamentos de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné- Bissau, Moçambique, Portugal,

Leia mais

República de Moçambique. Presidência da República

República de Moçambique. Presidência da República República de Moçambique Presidência da República Discurso de Sua Excelência Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da República de Moçambique e Comandante-Chefe das Forças de Defesa e Segurança, por ocasião

Leia mais

As Crianças, a Guerra e os Meios de Comunicação

As Crianças, a Guerra e os Meios de Comunicação As Crianças, a Guerra e os Meios de Comunicação Sara Pereira Instituto de Estudos da Criança Universidade do Minho Maio de 2003 No mundo de hoje, pais, professores e outros agentes educativos enfrentam

Leia mais

Canadá. Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país. Leia a nossa história e descubra...

Canadá. Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país. Leia a nossa história e descubra... Canadá Você sabia que... Os indivíduos e as comunidades têm o direito a exprimir as próprias opiniões e a participar, com os governos locais, na tomada de decisões e ações que afetem o seu direito à alimentação.

Leia mais

Apoio. Patrocínio Institucional

Apoio. Patrocínio Institucional Patrocínio Institucional Parceria Apoio InfoReggae - Edição 83 Papo Reto com José Junior 12 de junho de 2015 O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura

Leia mais

DECLARAÇÃO POLÍTICA DO PRESIDENTE DO GRUPO PARLAMENTAR DO PS/AÇORES

DECLARAÇÃO POLÍTICA DO PRESIDENTE DO GRUPO PARLAMENTAR DO PS/AÇORES DECLARAÇÃO POLÍTICA DO PRESIDENTE DO GRUPO PARLAMENTAR DO PS/AÇORES Senhoras e Senhores Deputados, Senhora e Senhores Membros do Governo, No uso duma faculdade regimental, o Grupo Parlamentar do PS resolve

Leia mais

Entrevistada por Maria Augusta Silva [EM 1999, NA OCASIÃO DO LANÇAMENTO DO LIVRO ROSAS DA CHINA ]

Entrevistada por Maria Augusta Silva [EM 1999, NA OCASIÃO DO LANÇAMENTO DO LIVRO ROSAS DA CHINA ] ANA MAFALDA LEITE Entrevistada por Maria Augusta Silva [EM 1999, NA OCASIÃO DO LANÇAMENTO DO LIVRO ROSAS DA CHINA ] Um dizer poético pleno. Professora e poeta luso-moçambicana encantada por Florbela Espanca,

Leia mais

Intervenção Fórum de Empresas para a Igualdade de Género 27/03/14. Senhora Presidente da CITE, Dra. Sandra Ribeiro,

Intervenção Fórum de Empresas para a Igualdade de Género 27/03/14. Senhora Presidente da CITE, Dra. Sandra Ribeiro, Intervenção Fórum de Empresas para a Igualdade de Género 27/03/14 Senhor Secretário de Estado do Emprego, meu caro colega Senhora Presidente da CITE, Dra. Sandra Ribeiro, Senhor Vice- Presidente Executivo

Leia mais

Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007

Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007 Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007 Meus queridos brasileiros e brasileiras, É com muita emoção

Leia mais

RESOLUÇÃO SOBRE O CONTEÚDO DE TRABALHO NAS ORGANIZAÇÕES DE BASE DO PARTIDO

RESOLUÇÃO SOBRE O CONTEÚDO DE TRABALHO NAS ORGANIZAÇÕES DE BASE DO PARTIDO RESOLUÇÃO SOBRE O CONTEÚDO DE TRABALHO NAS ORGANIZAÇÕES DE BASE DO PARTIDO 1 FICHA TÉCNICA Regulamento Geral de Organização e Funcionamento das Estruturas do MPLA Edição: COMITÉ CENTRAL DO MPLA Ano de

Leia mais

Assim nasce uma empresa.

Assim nasce uma empresa. Assim nasce uma empresa. Uma história para você que tem, ou pensa em, um dia, ter seu próprio negócio. 1 "Non nobis, Domine, non nobis, sed nomini Tuo da gloriam" (Sl 115,1) 2 Sem o ar Torna-te aquilo

Leia mais

Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada

Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada Terça-feira, 11 de março de 2014 Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada Nádia Junqueira Goiânia - Dalila tem 15 anos, estuda o 2º ano no Colégio

Leia mais

Violência homicida. Diferenças regionais

Violência homicida. Diferenças regionais 1 de 6 31/01/2014 23:35 Aumentar a fonte Diminuir a fonte VIOLÊNCIA CORPO NO CHÃO Morto em outubro de 2012, em Itaquera, Zona Leste paulistana: mais uma entre as mais de 40 mil pessoas assassinadas no

Leia mais

A. Sobre a acusação de ocorrência de plágio. 1 Avaliação do texto principal e da caixa

A. Sobre a acusação de ocorrência de plágio. 1 Avaliação do texto principal e da caixa O Conselho de Redacção reuniu-se na passada quarta-feira, dia 11, a pedido do director do jornal para analisar a última crónica do Provedor do Leitor e um documento que entretanto lhe foi entregue pela

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

PACTO SOCIAL DO MONTE DESENVOLVIMENTO ALENTEJO CENTRAL, A.C.E. CAPTULO PRIMEIRO DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO PRIMEIRO. (Denominação)

PACTO SOCIAL DO MONTE DESENVOLVIMENTO ALENTEJO CENTRAL, A.C.E. CAPTULO PRIMEIRO DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO PRIMEIRO. (Denominação) PACTO SOCIAL DO MONTE DESENVOLVIMENTO ALENTEJO CENTRAL, A.C.E. CAPTULO PRIMEIRO DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO PRIMEIRO (Denominação) O Agrupamento adopta a denominação de Monte - Desenvolvimento Alentejo Central,

Leia mais

Charles é um ser totalmente atrasado em relação à sociedade em que vive. Veio do interior e fica admirado com a imensidão da cidade grande.

Charles é um ser totalmente atrasado em relação à sociedade em que vive. Veio do interior e fica admirado com a imensidão da cidade grande. TEMPOS MODERNOS UM FILME DE Jeander Cristian, baseado na obra original de Charlie Chaplin. Pessoas apressadas andam pela cidade grande Tempo é dinheiro! Pessoas acessam informações em tempo recorde na

Leia mais

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos.

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos. 1) Como está sendo a expectativa do escritor no lançamento do livro Ser como um rio que flui? Ele foi lançado em 2006 mas ainda não tinha sido publicado na língua portuguesa, a espera do livro pelos fãs

Leia mais

O Ponto entrevista Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para ATRFB!

O Ponto entrevista Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para ATRFB! O Ponto entrevista Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para ATRFB! A história da Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para Analista Tributário da Receita Federal do Brasil, é mais uma das histórias

Leia mais

5948 DIÁRIO DA REPÚBLICA. Decreto Presidencial n.º 232/12 de 4 de Dezembro. administrativa das actividades do Ministério,

5948 DIÁRIO DA REPÚBLICA. Decreto Presidencial n.º 232/12 de 4 de Dezembro. administrativa das actividades do Ministério, 5948 DIÁRIO DA REPÚBLICA Decreto Presidencial n.º 232/12 de 4 de Dezembro Havendo necessidade de se dotar o Ministério do Urbanismo e Habitação do respectivo Estatuto Orgânico, na sequência da aprovação

Leia mais

pedreiros, carpinteiros, Arquitectos, Pilotos, Motoristas, do amanhã.

pedreiros, carpinteiros, Arquitectos, Pilotos, Motoristas, do amanhã. Caro Presidente do Parlamento Infantil, Senhora Ministra do Género, Criança e Acção Social Excelência, Distintos Parlamentares de Palmo e Meio, Excelências, Suas Excelências Senhores Ministros e Vice-Ministros,

Leia mais

LIGA DOS COMBATENTES

LIGA DOS COMBATENTES LIGA DOS COMBATENTES NÚCLEO DISTRITAL DE VIANA DO CASTELO DISCURSO EVOCATIVO DO 95º ANIVERSÁRIO DO ARMISTÍCIO DA 1ª GUERRA MUNDIAL, O 90º ANIVERSÁRIO DA FUNDAÇÃO DA LIGA DOS COMBATENTES E O 39º ANIVERSÁRIO

Leia mais

MENSAGEM DE ANO NOVO. Palácio de Belém, 1 de Janeiro de 2008

MENSAGEM DE ANO NOVO. Palácio de Belém, 1 de Janeiro de 2008 MENSAGEM DE ANO NOVO Palácio de Belém, 1 de Janeiro de 2008 Portugueses No primeiro dia deste Novo Ano, quero dirigir a todos uma saudação amiga e votos de boa saúde e prosperidade. Penso especialmente

Leia mais

Brasileira percorre 7 mil quilômetros para contar histórias de refugiados africanos

Brasileira percorre 7 mil quilômetros para contar histórias de refugiados africanos Brasileira percorre 7 mil quilômetros para contar histórias de refugiados africanos por Por Dentro da África - quarta-feira, julho 29, 2015 http://www.pordentrodaafrica.com/cultura/brasileira-percorre-7-mil-quilometros-para-contar-historias-derefugiados-africanos

Leia mais

Exposição Mandela: de Prisioneiro a Presidente Angola 2014

Exposição Mandela: de Prisioneiro a Presidente Angola 2014 Exposição Mandela: de Prisioneiro a Presidente Angola 2014 1 Eu sou dono e senhor de meu destino; Eu sou o comandante de minha alma. Invictus - William E Henley «Nos ficávamos um bocado aborrecidos com

Leia mais

MENSAGEM DOS PRESIDENTES MASTER 2015

MENSAGEM DOS PRESIDENTES MASTER 2015 MENSAGEM DOS PRESIDENTES MASTER 2015 RL: Rodrigo Luna CB: Claudio Bernardes CB Senhoras e senhores. Sejam bem-vindos à solenidade de entrega do Master Imobiliário. É uma honra poder saudar nossos convidados

Leia mais

Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país

Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país Brasil Você sabia que... A pobreza e a desigualdade causam a fome e a malnutrição. Os alimentos e outros bens e serviços básicos que afetam a segurança dos alimentos, a saúde e a nutrição água potável,

Leia mais

INSTITUTO PORTUGUÊS DE ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING DE MATOSINHOS Diário da República, 2.ª série N.º 186 26 de Setembro de 2006

INSTITUTO PORTUGUÊS DE ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING DE MATOSINHOS Diário da República, 2.ª série N.º 186 26 de Setembro de 2006 INSTITUTO PORTUGUÊS DE ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING DE MATOSINHOS Diário da República, 2.ª série N.º 186 26 de Setembro de 2006 Regulamento n.º 185/2006 Regulamento de provas de avaliação da capacidade para

Leia mais

De Profundis.indd 25 20/05/15 18:01

De Profundis.indd 25 20/05/15 18:01 Janeiro de 1995, quinta feira. Em roupão e de cigarro apagado nos dedos, sentei me à mesa do pequeno almoço onde já estava a minha mulher com a Sylvie e o António que tinham chegado na véspera a Portugal.

Leia mais

Brújula Volume 10 Spring 2015. Topographies. Santiago Nazarian e a literatura brasileira underground. Alexandre Lima University of Texas at Austin

Brújula Volume 10 Spring 2015. Topographies. Santiago Nazarian e a literatura brasileira underground. Alexandre Lima University of Texas at Austin Brújula Volume 10 Spring 2015 Topographies Santiago Nazarian e a literatura brasileira underground Alexandre Lima University of Texas at Austin Santiago Nazarian é um escritor brasileiro, além de tradutor

Leia mais

EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL

EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL Entrevista com Eng.º Victor Sá Carneiro N uma época de grandes transformações na economia dos países, em que a temática do Empreendedorismo assume uma grande relevância

Leia mais

O que não posso, porque não tenho esse direito, é calar-me, seja sob que pretexto for. Francisco Sá Carneiro, Lisboa, 1972

O que não posso, porque não tenho esse direito, é calar-me, seja sob que pretexto for. Francisco Sá Carneiro, Lisboa, 1972 JAIME O que não posso, porque não tenho esse direito, é calar-me, seja sob que pretexto for Francisco Sá Carneiro, Lisboa, 1972 RAMOS As Razões para uma candidatura à liderança do PPD/PSD Madeira As eleições

Leia mais

Tel. (11) 5592-5592 / www.fortknox.com.br. Manual de Segurança

Tel. (11) 5592-5592 / www.fortknox.com.br. Manual de Segurança Tel. (11) 5592-5592 / www.fortknox.com.br Segurança no dia-a-dia Vol. X Manual de Segurança Apresentação N ão há estratégias ou sistemas de segurança intransponíveis. Isso é o que dizem todos os especialistas

Leia mais

Ministério da Ciência e Tecnologia

Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia Conselho de Ministros DECRETO nº.../07 de... de... Considerando que as aplicações pacíficas de energia atómica assumem cada vez mais um papel significativo no desenvolvimento

Leia mais

A INVESTIGAÇÃO CRIMINAL EM PORTUGAL NO SÉCULO XXI

A INVESTIGAÇÃO CRIMINAL EM PORTUGAL NO SÉCULO XXI A INVESTIGAÇÃO CRIMINAL EM PORTUGAL NO SÉCULO XXI REFLEXÃO (DIVAGAÇÕES?) SOBRE O MODELO IDEAL PARA PORTUGAL: CORPO DE POLÍCIA CRIMINAL, CORPO SUPERIOR DE POLÍCIA CRIMINAL OU CORPO SUPERIOR DE POLÍCIA?

Leia mais

Educação Integral Relatório em Junho/2013

Educação Integral Relatório em Junho/2013 Comunidade Escola Família Educação Integral Relatório em Junho/2013 Objetivo 3 O principal objetivo desta pesquisa é avaliar o conhecimento da população brasileira sobre educação integral. Metodologia

Leia mais

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE ENXAMES ACTA N.º 8

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE ENXAMES ACTA N.º 8 ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE ENXAMES ACTA N.º 8 Aos vinte dias do mês de Abril do ano de dois mil e sete, reuniu a Assembleia de freguesia de Enxames não se registando nenhuma falta. Ao iniciar a sessão

Leia mais

Quem Desiste num momento de crise é porque realmente é um fraco!

Quem Desiste num momento de crise é porque realmente é um fraco! Paixão do Povo de Cristo x Paixão de Cristo Texto Base: provérbios 24.10 na Linguagem de Hoje: Quem é fraco numa crise, é realmente fraco. Na Bíblia A Mensagem : Quem Desiste num momento de crise é porque

Leia mais

R U I P E D R O R E I S

R U I P E D R O R E I S Quem: Rui Pedro Reis Idade: 30 anos Pretexto: É coordenador da SIC Notícias e editor do programa Música do Mundo Outros trabalhos: Foi uma das figuras de uma rádio nacional Imagem: Fanático pelos media

Leia mais

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil O Voluntariado e a Protecção Civil 1. O que é a Protecção Civil A 03 de Julho de 2006, a Assembleia da Republica publica a Lei de Bases da Protecção Civil, que no seu artigo 1º dá uma definição de Protecção

Leia mais

Enquanto há vida, há sexualidade! Perspectivas dos profissionais de saúde quanto à comunicação sobre sexualidade em cuidados paliativos

Enquanto há vida, há sexualidade! Perspectivas dos profissionais de saúde quanto à comunicação sobre sexualidade em cuidados paliativos Enquanto há vida, há sexualidade! Perspectivas dos profissionais de saúde quanto à comunicação sobre sexualidade em cuidados paliativos Entrevista de Estudo E06 Sexo Masculino Profissão - Médico Data 6

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 62 Discurso na cerimónia de apresentação

Leia mais

Programa de Candidatura Eleições da FPAMC 2012

Programa de Candidatura Eleições da FPAMC 2012 Programa de Candidatura Eleições da FPAMC 2012 O candidato a Presidente Paulo Araújo Fundador da Federação Portuguesa de Artes Marciais Chinesas - 1992 Cidadão português, nascido em Angola (uma das antigas

Leia mais

Polícia e o Natal das Crianças

Polícia e o Natal das Crianças Nº 4 - Março 2010 Assinatura de Protocolo - SES da PN e SS da PSP Polícia e o Natal das Crianças A o longo de muitos anos, o Serviço Social vem programando, conjuntamente com as unidades policiais e serviços,

Leia mais

Angola. Liberdade de Expressão JANEIRO DE 2015

Angola. Liberdade de Expressão JANEIRO DE 2015 JANEIRO DE 2015 RESUMO DO PAÍS Angola O presidente José Eduardo dos Santos, no poder há 35 anos, tem enfrentado um crescente número de críticas sobre a corrupção desenfreada, má governança e repressão

Leia mais

Entrevista de António Paiva menção qualidade poesia

Entrevista de António Paiva menção qualidade poesia Entrevista de António Paiva menção qualidade poesia A poesia é útil na sua vida ou o poeta sente-se serviçal da palavra? (Dionísio) Tal como já escrevi; Às palavras tudo darei, até a minha vida. Não diria

Leia mais

SEGURANÇA PÚBLICA ASSUNTO DE TODOS

SEGURANÇA PÚBLICA ASSUNTO DE TODOS SEGURANÇA PÚBLICA ASSUNTO DE TODOS Minhas áreas de atuação são, pela ordem de número de eventos: Gestão de Projetos; Gestão de Ativos; Gestão de Segurança Industrial e Gestão Estratégica de empresas. Considero-me,

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Prova de certificação de nível de proficiência linguística no âmbito do Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro,

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Presidência do Governo Secretário Regional Adjunto da Presidência Gabinete do Secretário

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Presidência do Governo Secretário Regional Adjunto da Presidência Gabinete do Secretário Excelência, Em resposta ao Requerimento em epígrafe, cumpre-me transmitir a V. Exª. a seguinte informação: 1. Repondo a verdade histórica da constituição do Clube de Golfe da Ilha Terceira, designado também

Leia mais

PASSADO, PRESENTE E FUTURO DAS DIVISÕES DE BASE NO FUTEBOL DO BRASIL

PASSADO, PRESENTE E FUTURO DAS DIVISÕES DE BASE NO FUTEBOL DO BRASIL PASSADO, PRESENTE E FUTURO DAS DIVISÕES DE BASE NO FUTEBOL DO BRASIL Tenho lido e ouvido muitos comentários nos últimos dias sobre o trabalho de formação no Brasil. Algumas pessoas, alguns profissionais

Leia mais

Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público. Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio

Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público. Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio Tendo em conta a história económica do nosso País após a independência, a propriedade pública ainda ocupa um lugar muito

Leia mais

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade Colégio Cenecista Nossa Senhora dos Anjos Gravataí RS. São Geraldo/Barnabé

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade Colégio Cenecista Nossa Senhora dos Anjos Gravataí RS. São Geraldo/Barnabé Campanha Nacional de Escolas da Comunidade Colégio Cenecista Nossa Senhora dos Anjos Gravataí RS São Geraldo/Barnabé Data: 29/04/2015 Nomes: Nícolas Christmann João Marcelo Paulo Francisco Matheus Valadares

Leia mais

INTELIGÊNCIA POLICIAL NAS DELEGACIAS SECCIONAIS DE SÃO PAULO(*)

INTELIGÊNCIA POLICIAL NAS DELEGACIAS SECCIONAIS DE SÃO PAULO(*) INTELIGÊNCIA POLICIAL NAS DELEGACIAS SECCIONAIS DE SÃO PAULO(*) O presente artigo aborda pontos de reflexão a respeito da implantação e desenvolvimento de unidades de Inteligência Policial de base. Toma

Leia mais

B) GENERAL HÉLDER MANUEL VIEIRA DIAS JÚNIOR Kopelipa, Ministro de

B) GENERAL HÉLDER MANUEL VIEIRA DIAS JÚNIOR Kopelipa, Ministro de À PROCURADORIA- GERAL DA REPÚBLICA DE ANGOLA RUA 17 DE SETEMBRO, CIDADE ALTA LUANDA DIGNÍSSIMO PROCURADOR- GERAL DA REPÚBLICA GENERAL JOÃO MARIA MOREIRA DE SOUSA Rafael Marques de Morais, [dados pessoais

Leia mais

Como tornar a ansiedade nossa aliada?

Como tornar a ansiedade nossa aliada? Edifício do Colégio dos Jesuítas Rua do Castanheiro, Funchal E mail: servicoconsultapsicologica@uma.pt Workshop: 6 e 13 de Janeiro de 2010 Como tornar a ansiedade nossa aliada? A Ansiedade nos Exames *

Leia mais

PARA QUEM CURSA O 7.O ANO EM

PARA QUEM CURSA O 7.O ANO EM Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 7.O ANO EM 2014 Disciplina: Prova: PoRTUGUÊs desafio nota: Analise o cartaz abaixo e responda às questões 1 e 2. 1 PORTUGUÊS DESAFIO

Leia mais

9.ª EDIÇÃO 24 Fevereiro a 02 Março ORGANIZAÇÃO SINDICATO DOS JOGADORES PROFISSIONAIS DE FUTEBOL PRODUÇÃO RM PREMIUM EVENTS

9.ª EDIÇÃO 24 Fevereiro a 02 Março ORGANIZAÇÃO SINDICATO DOS JOGADORES PROFISSIONAIS DE FUTEBOL PRODUÇÃO RM PREMIUM EVENTS 9.ª EDIÇÃO 24 Fevereiro a 02 Março ORGANIZAÇÃO SINDICATO DOS JOGADORES PROFISSIONAIS DE FUTEBOL PRODUÇÃO RM PREMIUM EVENTS conceito O futebol, fonte de paixão e emoção, continua a potenciar extremismos

Leia mais

Ministério da Justiça. Um guia para os. Procuradores. e para os Inquéritos

Ministério da Justiça. Um guia para os. Procuradores. e para os Inquéritos Ministério da Justiça Um guia para os Procuradores e para os Inquéritos Um guia para os Procuradores e para os Inquéritos Conteúdo 1. O que é um procurador? 3 2. O que é que os procuradores fazem? 4 3.

Leia mais

mdic.empauta.com Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior Clipping da imprensa Brasília, 15 de abril de 2008 às 14h20

mdic.empauta.com Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior Clipping da imprensa Brasília, 15 de abril de 2008 às 14h20 Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior Clipping da imprensa Brasília, 15 de abril de 2008 às 14h20 Diário de Cuiabá MT Novo perfil trará mudanças à Casa Civil...............................................

Leia mais

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade...

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade... Entrevista com PEDRO MANDELLI Consultor na área de mudança organizacional, Pedro Mandelli é um dos maiores especialistas em desenho e condução de processos de mudança em organizações. É professor da Fundação

Leia mais

Freitas, Rogério Orlando de Gouveia. Rua da Cafusa, nº31, 9100-188 Santa Cruz Madeira. orlandofreitas35@hotmail.com

Freitas, Rogério Orlando de Gouveia. Rua da Cafusa, nº31, 9100-188 Santa Cruz Madeira. orlandofreitas35@hotmail.com Europass Curriculum vitae Informação pessoal Orlando de Gouveia Rua da Cafusa, nº31, 9100-188 Santa Cruz Madeira 96 2708274 orlandofreitas35@hotmail.com Experiência profissional De Novembro 1986 até Novembro

Leia mais

MENOS ASSISTENCIALISMO, MAIS PEDAGOGIA. Moysés Kuhlmann: carências da educação infantil vão desde instalações à formação dos professores.

MENOS ASSISTENCIALISMO, MAIS PEDAGOGIA. Moysés Kuhlmann: carências da educação infantil vão desde instalações à formação dos professores. MENOS ASSISTENCIALISMO, MAIS PEDAGOGIA Moysés Kuhlmann: carências da educação infantil vão desde instalações à formação dos professores. 2 Ao lado das concepções do trabalho pedagógico para a infância,

Leia mais

Sessã o de Aberturã do VII Congresso dos Portos de Lí nguã Portuguesã

Sessã o de Aberturã do VII Congresso dos Portos de Lí nguã Portuguesã Sessã o de Aberturã do VII Congresso dos Portos de Lí nguã Portuguesã Excelência, Senhor Vice Governador da Província de Benguela, Dr. João Felizardo em representação do Engº Isaac Francisco Maria dos

Leia mais

Arquivos dos Serviços de Informações em Portugal. Leonor Calvão Borges

Arquivos dos Serviços de Informações em Portugal. Leonor Calvão Borges Arquivos dos Serviços de Informações em Portugal Leonor Calvão Borges A omnipresença da PIDE levanta obrigatoriamente a questão de quem informou. Nos meses a seguir ao 25 de Abril de 1974, a Comissão de

Leia mais

Estímulo Experimental: Texto para filmagem dos discursos políticos (Brasil Thad Dunning)

Estímulo Experimental: Texto para filmagem dos discursos políticos (Brasil Thad Dunning) Estímulo Experimental: Texto para filmagem dos discursos políticos (Brasil Thad Dunning) DISCURSOS 1, 2, 3 e 4 sem mensagem de raça ou classe (o texto do discurso é para ser lido duas vezes por cada ator,

Leia mais

Excelência, Senhor Secretário de Estado dos Transportes Terrestres,

Excelência, Senhor Secretário de Estado dos Transportes Terrestres, DISCURSO DA SESSÃO DE ABERTURA DO SEMINÁRIO SOBRE O SISTEMA FERROVIÁRIO NACIONAL: SITUAÇÃO PRESENTE E PERSPECTIVAS DE EVOLUÇÃO, PROFERIDO POR SUA EXCELÊNCIA O SR. DR. AUGUSTO DA SILVA TOMÁS, MINISTRO DOS

Leia mais