Papel: contribuir para a compreensão da natureza e funcionamento da tradição humana.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Papel: contribuir para a compreensão da natureza e funcionamento da tradição humana."

Transcrição

1 1 Antropologia, a Ciência do homem A ciência - antropologia divide-se em dois campos: 1) Antropologia Física - Refere-se à forma Física do Homem (biologia humana); 2) Antropologia Social - Comportamento Apreendido. Compreende também: - Arqueologia pré-histórica subdivisão da antropologia cultural a lingüística comparada. O arqueólogo/historiador: investiga e analisa os aspectos do estudo do homem que lança uma luz sobre o desenvolvimento primitivo da espécie humana. Lingüista: trata das muitas variedades do atributo humano a palavra (sistemas fonéticos, os vocabulários)... Papel: contribuir para a compreensão da natureza e funcionamento da tradição humana. Objeto de estudo da Antropologia: Centra sua atenção no homem. Leva em conta todos os aspectos da existência humana, biológica e cultural, passada e presente, combinando esses diversos materiais, integrado do problema da existência humana.

2 Pressuposto: A vida não se vive por categorias, mas é uma corrente contínua. Antropologia carrega antagonismos: disciplina especializada (ex: antropologia física) (ampla antropologia cultural). Implicações: A grande amplitude do tema impõe à Antropologia o desenvolvimento de técnicas e objetivos especiais para dar unidade a seus propósitos e métodos. Relação orgânica com diversas disciplinas: que difere pelo grau de intimidade e pelo gênero da que existe entre essas outras disciplinas. As descobertas e a expansão européia no Próximo e Extremo Oriente, nas Américas e na África possibilitou o contato com culturas nãohegemônicas. Antes disso, as especulações e as teorias, baseavam-se mais em erros que em fatos, porque muita informação a respeito dos povos distantes consistia principalmente em relatos arbitrários de observadores de ocasião. Particularidades: A maior parte das disciplinas insere-se em uma das três ou quatro categorias: ciências exatas e naturais, 2

3 humanidades e ciências sociais. O mesmo não ocorre com a Antropologia porque é a ciência do homem que desafia toda e qualquer delimitação. Os que tentam entendê-la devem preparar-se para desligar-se das limitações convencionais ao estudar seus problemas em qualquer que seja o campo a que possam conduzir. 3 Curiosidades: Devido a sua grande diversidade, a antropologia tropeçou até mesmo para fixar nomenclatura. Na Europa o termo só é usado para estudos que se dedicam ao tipo físico. Nos Estados Unidos, a antropologia cultural divide-se: - Etnologia (estudo comparado de cultura); - Etnografia (estudo de culturas concretas). Laços estreitos entre: antropologia cultural e sociologia. Especificamente quando se trata de questões do desenvolvimento e função de instituições dos princípios gerais do comportamento de grupos humanos e de problemas de teoria social. Contribuições ao estudo das religiões: As origens das religiões: intercâmbio contínuo, pois todas elas contém conceitos acerca do universo e práticas

4 rituais que se podem também achar em muitos lugares do mundo, fora da área em que essa religiões predominam. No campo da arte especialistas buscaram conhecimento mais amplo de toda a espécie de expressão estética entre todos os povos da terra. Artistas criadores visitaram como atração e estudo muitas províncias não européias da arte. Ex: o papel social da arte. Explicação para o simbolismos de formas de arte exótica enfim, o significado da arte para o povo, o impulso sobre o artista e a função exercida pela arte na sociedade que se desenvolve. Formas literárias antropólogo folclore. Ex: questão do estilo, sucessão das narrativas, artifícios para produzir ansiedade ou alcançar uma culminância... Variação de uma fábula ao passar de um a outro povo... Musicologia comparada: área relacionada com o estudo convencional da música em suas técnicas e problemas proporciona a quem estuda a vida social do homem uma ferramenta de precisão em que se pode confiar... espera-se dela uma ferramenta de precisão em que se pode confiar... encontrar uma contribuição efetiva. Ex: Todos os povos fazem música, e fazem-na obedecendo a padrões que lhes merecem tão pouca atenção consciente como a que 4

5 emprestam os homens aos sistemas gramaticais ou fonéticos das línguas que falam. Relação importante: antropologia física e o estudo dos outros seres vivos. A paleontologia desempenha um papel importante na análise da evolução do homem. Outra conexão: arqueologia (história da evolução do homem) pré-histórica associada às ciências geológicas. Ponto crítico em qualquer trabalho arqueológico é a relação no tempo de um achado com os outros. Enfim, o arqueólogo se beneficia com os achados de várias especialidades, embora o que o distinga seja sua intenção especial ao escrever a história da evolução do homem e suas civilizações. Destaque especial para três disciplinas: - História; - Psicologia; - Filosofia. Alerta: Tal como a Antropologia essas três disciplinas se interessam por áreas de experiência humana. Todas elas possuem ponto de partida e objetivos comuns, o que acrescenta significação aos resultados de sua cooperação. 5

6 6

FACULDADE INTERDISCIPLINAR DE HUMANIDADES CURSO: BACHARELADO EM HUMANIDADES CURSOS: LICENCIATURAS GEOGRAFIA, HISTÓRIA, LETRAS PORTUGUÊS/INGLÊS,

FACULDADE INTERDISCIPLINAR DE HUMANIDADES CURSO: BACHARELADO EM HUMANIDADES CURSOS: LICENCIATURAS GEOGRAFIA, HISTÓRIA, LETRAS PORTUGUÊS/INGLÊS, FACULDADE INTERDISCIPLINAR DE HUMANIDADES CURSO: BACHARELADO EM HUMANIDADES CURSOS: LICENCIATURAS GEOGRAFIA, HISTÓRIA, LETRAS PORTUGUÊS/INGLÊS, LETRAS PORTUGUÊS/ESPANHOL, PEDAGOGIA EIXO DE FORMAÇÃO DE

Leia mais

horário sala atribuída (GAE) atribuído (GAE) 2h00 14:00 CP h00 09:00 CP h00 11:00 CP h00 11:00 CP h00 11:00 CP1-208

horário sala atribuída (GAE) atribuído (GAE) 2h00 14:00 CP h00 09:00 CP h00 11:00 CP h00 11:00 CP h00 11:00 CP1-208 Nome do Curso: Licenciatura Arqueologia Civilização Grega Introdução à Arqueologia Civilizações Antigas Arqueologia da Pré-História Recente e da proto-história Introdução à Informática Pré-História Arte

Leia mais

Material de divulgação da Editora Moderna

Material de divulgação da Editora Moderna Material de divulgação da Editora Moderna Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

CURSO: JORNALISMO EMENTAS º PERÍODO

CURSO: JORNALISMO EMENTAS º PERÍODO CURSO: JORNALISMO EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: TEORIAS DA COMUNICAÇÃO Estudo do objeto da Comunicação Social e suas contribuições interdisciplinares para constituição de uma teoria da comunicação.

Leia mais

MAPA DE EXAMES CONVENCIONAIS MÊS DE JANEIRO 2011

MAPA DE EXAMES CONVENCIONAIS MÊS DE JANEIRO 2011 MP DE EXMES CONVENCIONIS MÊS DE JNEIRO 0.00h DT DI PERÍODO COD DISCIPLINS Nº LUNOS LOCL Salas 0/0 ªf 0 Educação e Sociedade 0/0 ªf 0 Gestão de Conflitos na Escola 0/0 ªªf 0 Práticas e Tecnologias da Informação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO LICENCIATURA EM LÍNGUA PORTUGUESA EDU236 Fundamentos da Educação: Sociologia - 30 36 2 0 3º EDU237 Fundamentos da Educação: Filosofia - 30 36 2 0 3º LET812 Estudos de Leitura - 60 72 2 2 3º LET872 Teoria

Leia mais

antropologia & cultura

antropologia & cultura antropologia & cultura carlos joão correia estudos africanos filosofia artes & humanidades 2011-2012/2ºsemestre As inúmeras culturas no mundo não são tentativas falhadas de serem modernas, de serem como

Leia mais

INTRODUÇÃO A PSICOLOGIA

INTRODUÇÃO A PSICOLOGIA INTRODUÇÃO A PSICOLOGIA Objetivos Definir Psicologia Descrever a trajetória historica da psicologia para a compreensão de sua utilização no contexto atual Definir Psicologia Organizacional A relacão da

Leia mais

Bacharelado em Ciências Biológicas Biofísica. Disciplina BMB 119 Boas Práticas de Laboratório.

Bacharelado em Ciências Biológicas Biofísica. Disciplina BMB 119 Boas Práticas de Laboratório. Bacharelado em Ciências Biológicas Biofísica Disciplina BMB 119 Boas Práticas de Laboratório http://ltc.nutes.ufrj.br/constructore/ Objetivos da Disciplina Temas associados às Boas Práticas de Laboratório

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

CURSO DE HISTÓRIA - LICENCIATURA

CURSO DE HISTÓRIA - LICENCIATURA ICHLA INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES CURSO DE HISTÓRIA - LICENCIATURA Currículo Novo - 2010/02 - Noturno. RECONHECIMENTO RENOVADO PELA PORTARIA Nº 1.657, DE 07/10/2010 - D.O.U. DE 08/10/2010

Leia mais

SOCIOLOGIA. Prof. Carlos Eduardo Foganholo. Colégio CEC

SOCIOLOGIA. Prof. Carlos Eduardo Foganholo. Colégio CEC SOCIOLOGIA Prof. Carlos Eduardo Foganholo Colégio CEC Cultura - Conceitos Todos os seres humanos possuem cultura. Ninguém tem mais cultura que outra pessoa Não existe cultura superior ou inferior, uma

Leia mais

Taxonomia. Profa. Lillian Alvares, Faculdade de Ciência da Informação. Universidade de Brasília

Taxonomia. Profa. Lillian Alvares, Faculdade de Ciência da Informação. Universidade de Brasília Taxonomia Profa. Lillian Alvares, Faculdade de Ciência da Informação. Universidade de Brasília Origem O termo taxonomia tem sua origem no grego Táxis (ordem) Nomos (lei, norma) e...... derivou-se de um

Leia mais

Quando o ENEM foi criado? O Exame Nacional do Ensino Médio foi criado em 1998.

Quando o ENEM foi criado? O Exame Nacional do Ensino Médio foi criado em 1998. Quando o ENEM foi criado? O Exame Nacional do Ensino Médio foi criado em 1998. Qual era o objetivo inicial do ENEM? Avaliar o desempenho do estudante ao fim da educação básica. Qual é o objetivo do ENEM

Leia mais

Gabarito Avaliação Nacional 1/2014

Gabarito Avaliação Nacional 1/2014 4 o ano Ensino Fundamental 1 C Matemática 7 B Matemática 13 A Ciências 19 C Português 25 B História 2 E Matemática 8 C Matemática 14 C Ciências 20 A Português 26 C História 3 D Matemática 9 E Matemática

Leia mais

EXAMES ÉPOCA RECURSO E MELHORIA

EXAMES ÉPOCA RECURSO E MELHORIA Artes Visuais e Tecnologias Artísticas Dia Hora Ano Unidade Curricular Sala 09.30 h 2º HA: do Renascimento ao Barroco 3 1º Desenho e Imagem por Computador 16 14.30 h 3º Educação e Dinâmicas Sociais 3 14.30

Leia mais

Currículo - Versão para Imprimir

Currículo - Versão para Imprimir Currículo BACHARELADO EM FILOSOFIA s Obrigatorios: 144 s Eletivos: 28 s Complementares: 6 Semestre selecionado: 2013/1 Etapa 1 HUM01059 HUM01502 HUM01060 HISTÓRIA DA FILOSOFIA GREGA LÓGICA I - A Etapa

Leia mais

ARTES E HUMANIDADES Instruções para as Inscrições 2014/2015 (2.º ANO e 3.º ANO)

ARTES E HUMANIDADES Instruções para as Inscrições 2014/2015 (2.º ANO e 3.º ANO) ARTES E HUMANIDADES Instruções para as Inscrições 2014/2015 (2.º ANO e 3.º ANO) Cumprido o tronco comum, para perfazer os 180 créditos ECTS, o aluno pode optar por um ou dois majors, por um major e dois

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS N.º 010/2011 EDITAL

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS N.º 010/2011 EDITAL ANEXO VII PLANILHA ESTIMATIVA DE QUANTITATIVOS E PREÇOS MÁXIMOS ACEITÁVEIS ITEM ESPECIFICAÇÃO UNID. QUANT. 01 MÓDULO: I VOLUME I, DISCIPLINA: CIENCIAS. VALOR UNITÁRIO VALOR GLOBAL 02 MÓDULO: I VOLUME II,

Leia mais

Noções de etnologia indígena. Teresa Cristina Silveira Antropóloga, Indigenista

Noções de etnologia indígena. Teresa Cristina Silveira Antropóloga, Indigenista Noções de etnologia indígena Teresa Cristina Silveira Antropóloga, Indigenista Antropologia Antropologia Empírica Antropologia Física Antropologia Cultural Antropologia Filosófica Arqueologia Etnologia

Leia mais

EGC - Engenharia e gestão do conhecimento Disciplina: Complexidade, conhecimento e sociedades em rede Professor: Aires Rover Aluna: Desirée Sant Anna

EGC - Engenharia e gestão do conhecimento Disciplina: Complexidade, conhecimento e sociedades em rede Professor: Aires Rover Aluna: Desirée Sant Anna OSHO - INTUIÇÃO EGC - Engenharia e gestão do conhecimento Disciplina: Complexidade, conhecimento e sociedades em rede Professor: Aires Rover Aluna: Desirée Sant Anna Maestri 2016/1 O LIVRO três partes

Leia mais

Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil. Centro Sergio Vieira de Mello

Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil. Centro Sergio Vieira de Mello Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil Centro Sergio Vieira de Mello Unidade 4 Parte 3 Respeito pela Diversidade Valores Organizacionais Essenciais da ONU Integridade Profissionalismo Respeito pela

Leia mais

Currículo do Curso de História

Currículo do Curso de História Currículo do Curso de História Licenciatura ATUAÇÃO O licenciado em História formado na UFV poderá atuar no ensino fundamental (séries finais: 5ª a 8ª séries), ensino médio e universitário. O curso está

Leia mais

Imagem 1 disponível em: Imagem 2 disponível em: HTTP.www.folha.uol.com.br. Acesso em 07/02/2014.

Imagem 1 disponível em:  Imagem 2 disponível em: HTTP.www.folha.uol.com.br. Acesso em 07/02/2014. 6º Fabiana Unidade I História Leia a letra da música de Lulu Santos: Como uma onda. Após a leitura dedicada, utilize a letra da música como ponto de reflexão para responder as questões 01 e 02. Pontuação

Leia mais

Corpo e Emoções: Uma Resenha

Corpo e Emoções: Uma Resenha Corpo e Emoções: Uma Resenha LE BRETON, David, 2009. As Paixões Ordinárias: Antropologia das Emoções. Petrópolis, Vozes. David Le Breton possui doutorado em Antropologia e é professor na Universidade de

Leia mais

Unidade 01. Prof.ª Fernanda Mendizabal Instituto de Educação Superior de Brasília

Unidade 01. Prof.ª Fernanda Mendizabal Instituto de Educação Superior de Brasília Unidade 01 Prof.ª Fernanda Mendizabal Instituto de Educação Superior de Brasília Afirmar a importância do estudo da história para a compreensão da Psicologia contemporânea. Destacar a relevância das forças

Leia mais

Sumário. Apresentação A SOCIOLOGIA DOS PAÍSES SUBDESENVOLVIDOS

Sumário. Apresentação A SOCIOLOGIA DOS PAÍSES SUBDESENVOLVIDOS Sumário Apresentação... 11 A SOCIOLOGIA DOS PAÍSES SUBDESENVOLVIDOS 1. Razões de nosso interesse por este assunto. Por que usamos a imagem do vale de lágrimas... 21 2. A geologia do vale de lágrimas e

Leia mais

Descobertas sociocientíficas: refletindo sobre o currículo

Descobertas sociocientíficas: refletindo sobre o currículo Descobertas sociocientíficas: refletindo sobre o currículo Fabiana Chinalia Professora de Metodologia para o Ensino de Ciências Naturais e Meio Ambiente Data: 05 e 06/04/2011 Descobertas sociocientíficas

Leia mais

Grupo de Informática Disciplina de Pl PLANO CURRICULAR 12º ANO /2016

Grupo de Informática Disciplina de Pl PLANO CURRICULAR 12º ANO /2016 Curso Formação Geral Formação específica Matemática A (disciplina Curso Ciências e Tecnologia A - Biologia Química Física Geologia B - Psicologia B Inglês Aplicações Informáticas B (ver síntese pp. 4 e

Leia mais

Livros Grátis. Milhares de livros grátis para download.

Livros Grátis.  Milhares de livros grátis para download. Livros Grátis http://www.livrosgratis.com.br Milhares de livros grátis para download. Milhares de Livros para Download:

Leia mais

RELAÇÃO DE HORÁRIOS POR TURMA. Segunda Terça Quarta Quinta Sexta PESQUISA E PRÁTICA EM DIREITO - V / ATIVIDADES

RELAÇÃO DE HORÁRIOS POR TURMA. Segunda Terça Quarta Quinta Sexta PESQUISA E PRÁTICA EM DIREITO - V / ATIVIDADES Turma: DID101-20162 DIREITO EMPRESARIAL III ÉTICA PROFISSIONAL DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS DIREITO PROCESSUAL CONSTITUCIONAL E DIREITO EMPRESARIAL III DIREITO EMPRESARIAL III ÉTICA PROFISSIONAL DIREITO

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL - LICENCIATURA

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL - LICENCIATURA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL - LICENCIATURA Campus de Realeza Turno Noturno Fase Nº. Ordem Código COMPONENTE CURRICULAR Créditos Horas Pré Requisito 1. GLA001

Leia mais

AULA 02 O Conhecimento Científico

AULA 02 O Conhecimento Científico 1 AULA 02 O Conhecimento Científico Ernesto F. L. Amaral 06 de agosto de 2010 Metodologia (DCP 033) Fonte: Aranha, Maria Lúcia de Arruda; Martins, Maria Helena Pires. 2003. Filosofando: introdução à filosofia.

Leia mais

VISÃO DE MUNDO E CTS

VISÃO DE MUNDO E CTS VISÃO DE MUNDO E CTS Visão de mundo A visão de mundo caracteriza-se como um conjunto pré-estabelecido de suposições que dá suporte para a formação da visão da realidade (CORBEN, 1991,1996) e constitui

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DEPARTAMENTO DE BIBLIOTECONOMIA E HISTÓRIA CONCURSO PÚBLICO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DEPARTAMENTO DE BIBLIOTECONOMIA E HISTÓRIA CONCURSO PÚBLICO CRONOGRAMA DAS PROVAS ARQUEOLOGIA PROVA DATA HORÁRIO Prova Escrita 26 de maio 14h Entrega da proposta de 26 de maio 14h Resultado da prova escrita e 27 de maio 14h sorteio de pontos Prova didática 28 de

Leia mais

161-1 LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA Regime Regular NÚMERO MÍNIMO DE PERÍODOS 1 DISCIPLINA CARGA HORÁRIA TIPO

161-1 LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA Regime Regular NÚMERO MÍNIMO DE PERÍODOS 1 DISCIPLINA CARGA HORÁRIA TIPO PÁGINA: 1 INGRESSOS DE 20041 161-1 LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA Regime Regular NÚMERO MÍNIMO DE PERÍODOS 1 NÚMERO MÁXIMO DE PERÍODOS 9 CARGA HORÁRIA 3640 1 132 FUNDAMENTOS ÉTICOS DE EDUCAÇÃO 30 OBRIGATORIA

Leia mais

HOMEM E SOCIEDADE. Professor Guilherme Paiva

HOMEM E SOCIEDADE. Professor Guilherme Paiva HOMEM E SOCIEDADE Professor Guilherme Paiva Antropologia Antropologia Antropologia Antropologia 1.1 - Principais visões sobre a origem humana: o evolucionismo e o debate das determinações biológicas versus

Leia mais

GRADE HORÁRIA 2º SEMESTRE DE 2016

GRADE HORÁRIA 2º SEMESTRE DE 2016 1º PERÍODO/SEMESTRE # TURNO Noite # SALA # Nº DE ALUNOS Sociologia e Sociologia e Jurídica Jurídica Língua Portuguesa História do Língua Portuguesa Sociologia e Jurídica Sociologia e Jurídica Língua Portuguesa

Leia mais

Livros Grátis. Milhares de livros grátis para download.

Livros Grátis.  Milhares de livros grátis para download. Livros Grátis http://www.livrosgratis.com.br Milhares de livros grátis para download. ε ε Milhares

Leia mais

VAGAS SEGUNDOS CICLOS

VAGAS SEGUNDOS CICLOS VAGAS SEGUNDOS CICLOS 2014-2015 CICLO DE ESTUDOS FACULDADE(S) / UNIVERSIDADE(S) EM COLABORAÇÃO TOTAL DE VAGAS VAGAS 2º ANO FACULDADE DE BELAS ARTES Arte e Design para o Espaço Público 21 5 Desenho e Técnicas

Leia mais

FILOSOFIA - 2 o ANO MÓDULO 14 O POSITIVISMO DE COMTE

FILOSOFIA - 2 o ANO MÓDULO 14 O POSITIVISMO DE COMTE FILOSOFIA - 2 o ANO MÓDULO 14 O POSITIVISMO DE COMTE Fixação 1) Para Comte, o que define a sociedade? Fixação 2) A filosofia de Comte considera a humanidade como uma unidade essencial; para compreender

Leia mais

Grau Curso Ato Normativo Nivel de Ensino

Grau Curso Ato Normativo Nivel de Ensino Escola Artística do Porto - Guimarães Animação Digital n.º 6535/2008 de 06-03-08 240 600 Escola Artística do Porto - Guimarães Desenho - Áreas de especialização: Prática Artística; Desenho Científico e

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE SERVIÇO SOCIAL Introdução ao Serviço Social A prática profissional no Serviço Social na atualidade: o espaço sócioocupacional que a particulariza e identifica;

Leia mais

HISTÓRIA DA ARTE. Pré-História e Antiguidade Das cavernas para o mundo. Professor Isaac Antonio Camargo

HISTÓRIA DA ARTE. Pré-História e Antiguidade Das cavernas para o mundo. Professor Isaac Antonio Camargo HISTÓRIA DA ARTE Pré-História e Antiguidade Das cavernas para o mundo Professor Isaac Antonio Camargo 1 1 DAS CAVERNAS PARA O MUNDO A Pintura Rupestre, assim denominada por por usar a rocha como suporte

Leia mais

Curso PROEJA FIC ENSINO FUNDAMENTAL BILÍNGUE LIBRAS/PORTUGUÊS COM PROFISSIONALIZAÇÃO EM FOTOGRAFIA DIGITAL: EDIÇÃO DE IMAGENS

Curso PROEJA FIC ENSINO FUNDAMENTAL BILÍNGUE LIBRAS/PORTUGUÊS COM PROFISSIONALIZAÇÃO EM FOTOGRAFIA DIGITAL: EDIÇÃO DE IMAGENS Curso PROEJA FIC ENSINO FUNDAMENTAL BILÍNGUE LIBRAS/PORTUGUÊS COM PROFISSIONALIZAÇÃO EM FOTOGRAFIA DIGITAL: EDIÇÃO DE IMAGENS CÂMPUS PALHOÇA BILÍNGUE MATRIZ CURRICULAR Módulo/Semestre 1 Carga horária total:

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Classificações dos últimos colocados pelo contingente geral Código Instit.

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Classificações dos últimos colocados pelo contingente geral Código Instit. Classificações dos últimos s pelo contingente geral 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Pretórios) PM 15 15 1 0 154,0 0 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA DISCIPLINAS DE PESQUISA PROF. DR. LUÍS EDUARDO ALMEIDA

REFLEXÕES SOBRE METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA DISCIPLINAS DE PESQUISA PROF. DR. LUÍS EDUARDO ALMEIDA REFLEXÕES SOBRE METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA DISCIPLINAS DE PESQUISA 2016-2 PROF. DR. LUÍS EDUARDO ALMEIDA CIÊNCIA Etimologia: Ciência vem da palavra latina scientia, que significa conhecimento;

Leia mais

SOCIOLOGIA PRINCIPAIS CORRENTES.

SOCIOLOGIA PRINCIPAIS CORRENTES. SOCIOLOGIA PRINCIPAIS CORRENTES Augusto Comte 1798-1 857 Lei dos três estados: 1ª) Explicação dos fenômenos através de forças comparáveis aos homens. 2ª) Invocação de entidades abstratas (natureza). 3ª)

Leia mais

Sociologia. Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues Escola Cenecista Dr. José Ferreira

Sociologia. Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues   Escola Cenecista Dr. José Ferreira Sociologia Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues E-mail: matheus.bortoleto@cnec.edu.br Escola Cenecista Dr. José Ferreira Cultura Objetivo: Problematizar o desenvolvimento das diferentes sociedades humanas

Leia mais

Integridade Familiar na velhice: o caso de ex-emigrantes Portugueses

Integridade Familiar na velhice: o caso de ex-emigrantes Portugueses Integridade Familiar na velhice: o caso de ex-emigrantes Portugueses Filipa Marques e Liliana Sousa Secção Autónoma de Ciências da Saúde - Universidade de Aveiro II Congresso Internacional A voz dos avós:

Leia mais

Escola Principais autores Abordagens teóricas Metodologia

Escola Principais autores Abordagens teóricas Metodologia Revisão Antropologia II Escola Principais autores Abordagens teóricas Metodologia Evolucionismo Tylor, Fraser, Morgan Unidade humana, compreensão das diferenças através de uma linha evolutiva da humanidade,

Leia mais

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 8º Ano

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 8º Ano PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR Ciências Naturais 8º Ano COMPETÊNCIAS TEMAS/UNIDADES CONTEÚDOS 1º Período SUSTENTABILIDADE NA TERRA 28 Compreender o significado dos conceitos: espécie, população, comunidade,

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Livros Grátis. Milhares de livros grátis para download.

Livros Grátis.  Milhares de livros grátis para download. Livros Grátis http://www.livrosgratis.com.br Milhares de livros grátis para download. P< 2 0 & 2 H # $ 2 %! % + 1 : FGH FG + H, #, % I J ) # > < # % % ' ' % #:

Leia mais

Teoria da Informação. Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação Universidade de Brasília

Teoria da Informação. Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação Universidade de Brasília Teoria da Informação Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação Universidade de Brasília Claude Elwood Shannon, 1948 Autor que estabeleceu os fundamentos da Teoria da Informação Teoria da

Leia mais

Instituto de Educação Superior de Boituva

Instituto de Educação Superior de Boituva CURSOS DE DIREITO MATRIZ 2016 1º PERÍODO = 0 horas aulas Leitura e Interpretação de Textos COMPL Introdução ao Estudo do Direito Sociologia Geral e Jurídica Ciência Política Direito Penal I História do

Leia mais

Livro Os Ciganos: História e Cultura - crianças e jovens - 12/15 anos

Livro Os Ciganos: História e Cultura - crianças e jovens - 12/15 anos Sugestões pedagógicas para orientar a leitura dos livros da Biblioteca Digital Livro Os Ciganos: História e Cultura - crianças e jovens - 12/15 anos Atividades para trabalhar os temas: Tolerância intercultural

Leia mais

HORÁRIO DE PROVA NPC I DIREITO HORÁRIO DE INÍCIO

HORÁRIO DE PROVA NPC I DIREITO HORÁRIO DE INÍCIO DE PROVA NPC I DIREITO DIREITO ADMINISTRATIVO II DIREITO CIVIL IV DIREITO EMPRESARIAL IV 9:00 305 DIREITO CIVIL VI DIREITO DO TRABALHO II DIREITO INTERNACIONAL PRIVADO DIREITO PREVIDENCIARIO DIREITO PROCESSUAL

Leia mais

CONTEÚDOS DA 1ª VERIFICAÇÃO DE APRENDIZAGEM* 1ª UNIDADE (2015) - 6º ANO A/B/C

CONTEÚDOS DA 1ª VERIFICAÇÃO DE APRENDIZAGEM* 1ª UNIDADE (2015) - 6º ANO A/B/C PORTUGUÊS 1ª UNIDADE (2015) - 6º ANO A/B/C Interpretação Textual págs. 14 à 20 e 34 à 37 Linguagem ação e interação-págs 24 à 27 As variedades linguísticas págs. 41 à 48 REDAÇÃO O conto maravilhoso Narrador

Leia mais

Material de divulgação da Editora Moderna

Material de divulgação da Editora Moderna Material de divulgação da Editora Moderna Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES / USP SERVIÇO DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO SEÇÃO DE MONOGRAFIAS E OUTROS MATERIAIS NÃO PERIÓDICOS

ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES / USP SERVIÇO DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO SEÇÃO DE MONOGRAFIAS E OUTROS MATERIAIS NÃO PERIÓDICOS ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES / USP SERVIÇO DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO SEÇÃO DE MONOGRAFIAS E OUTROS MATERIAIS NÃO PERIÓDICOS Orientações simplificadas para a elaboração de fichas catalográficas : Teses,

Leia mais

Português. 1. Signo natural

Português. 1. Signo natural Português Ficha de apoio 1 1 os anos João Cunha fev/12 Nome: Nº: Turma: Signos O signo é objeto de estudo de ciências como a Semiologia, a Semiótica e a Linguística, entre outras. Existem várias teorias

Leia mais

FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I DESAFIO DO DIA ARTES. Conteúdo: Danças Folclóricas brasileiras.

FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I DESAFIO DO DIA ARTES. Conteúdo: Danças Folclóricas brasileiras. CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA INTERATIVA I Conteúdo: Danças Folclóricas brasileiras. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA INTERATIVA I Habilidades:

Leia mais

UTILIZAÇÃO DAS CLASSIFICAÇÕES NNN E O PROCESSO DE ENFERMAGEM IV JORNADA DE ENFERMAGEM EM ONCOLOGIA PEDIÁTRICA PALESTRANTE: ENF.

UTILIZAÇÃO DAS CLASSIFICAÇÕES NNN E O PROCESSO DE ENFERMAGEM IV JORNADA DE ENFERMAGEM EM ONCOLOGIA PEDIÁTRICA PALESTRANTE: ENF. UTILIZAÇÃO DAS CLASSIFICAÇÕES NNN E O PROCESSO DE ENFERMAGEM IV JORNADA DE ENFERMAGEM EM ONCOLOGIA PEDIÁTRICA PALESTRANTE: ENF.CLAUDIA MAINENTI UTILIZAÇÃO DAS CLASSIFICAÇÕES NNN e o PROCESSO DE ENFERMAGEM

Leia mais

regulação e comunicação nos seres vivos e nas máquinas. c. apenas pode ser visualizada; arte se resume apenas a obras que podem ser vistas.

regulação e comunicação nos seres vivos e nas máquinas. c. apenas pode ser visualizada; arte se resume apenas a obras que podem ser vistas. Atividade extra Arte e cotidiano Exercício 1 A arte é um conjunto de procedimentos que são utilizados para realizar obras e no qual aplicamos nossos conhecimentos. Apresenta-se sob variadas formas, como

Leia mais

Sumário. Nota do Editor... xv Introdução: O quarto quadrante do círculo de Álvaro Vieira Pinto... 1

Sumário. Nota do Editor... xv Introdução: O quarto quadrante do círculo de Álvaro Vieira Pinto... 1 Sumário VOLUME I Nota do Editor.................................................. xv Introdução: O quarto quadrante do círculo de Álvaro Vieira Pinto............. 1 Parte Um Análise de algumas noções fundamentais

Leia mais

Índice. 1. O Alfabetizador Ao Desenhar, A Criança Escreve?...5

Índice. 1. O Alfabetizador Ao Desenhar, A Criança Escreve?...5 GRUPO 5.4 MÓDULO 2 Índice 1. O Alfabetizador...3 1.1. Contribuições ao Educador-Alfabetizador... 4 1.2. Ações do professor alfabetizador... 4 2. Ao Desenhar, A Criança Escreve?...5 2 1. O ALFABETIZADOR

Leia mais

ANTROPOLOGIA MÉDICA Breve Contextualização

ANTROPOLOGIA MÉDICA Breve Contextualização ANTROPOLOGIA MÉDICA Breve Contextualização Reunião da Unidade de Epidemiologia 4 de Junho de 2008 Marta Godinho A génese desta apresentação Curso de Antropologia Médica, leccionado na Faculdade de Medicina

Leia mais

sala atribuída (GAE) nome da UC comum "mãe" ou "filha" sala atribuída (GAE) nome da UC comum "mãe" ou "filha" sala atribuída (GAE)

sala atribuída (GAE) nome da UC comum mãe ou filha sala atribuída (GAE) nome da UC comum mãe ou filha sala atribuída (GAE) Calendário de Exames 1º Ciclo ICS 2015/2016-2º Semestre 13 junho a 2 julho Nome do Curso: Licenciatura em Arqueologia 13-jun Arte Clássica 09:00/11:30 CP1/A3 Arte Clássica 16-jun Civilização Romana 09:00/11:30

Leia mais

O Trabalho e as Formações Sociais nos/na: Povos Primitivos. Idade Antiga. Idade Média. Idade Moderna. Tema da aula de hoje! Idade Contemporânea.

O Trabalho e as Formações Sociais nos/na: Povos Primitivos. Idade Antiga. Idade Média. Idade Moderna. Tema da aula de hoje! Idade Contemporânea. O Trabalho e as Formações Sociais nos/na: Povos Primitivos. Idade Antiga. Idade Média. Idade Moderna. Tema da aula de hoje! Idade Contemporânea. Professor: Danilo Borges A Idade Média não alterou substancialmente

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação GRADE DE HORÁRIOS 2017/1 08/12/ :04

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação GRADE DE HORÁRIOS 2017/1 08/12/ :04 Curso: 1 Ciências Sociais (Noturno) Licenciatura ADM.515..1-8 ADM.516..1-1 ADM.518..1-9 ADM.5..1- EDU.1..1-3 EDU.16..1-1 HIS.77.1.1-8 1 LET.135.1.3-1 1 SOC.3.1.1-6 1 SOC.35.1.1-1 SOC.16..1-1 SOC.18.1.1-6

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSORES SUBSTITUTOS EDITAL

PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSORES SUBSTITUTOS EDITAL EDUCAÇÃO FÍSICA 01) Revendo as várias concepções que nortearam a Educação Física no Brasil, assinale a alternativa que IDENTIFICA a concepção competitivista. A( ) A ludicidade, a cooperação, o desporto,

Leia mais

GRADE HORÁRIA 1º SEMESTRE DE 2016

GRADE HORÁRIA 1º SEMESTRE DE 2016 1º PERÍODO/SEMESTRE # TURNO Noite_ Sociologia Geral e Ciência Política e Sociologia Geral e Língua Portuguesa Língua Portuguesa Jurídica Teoria Geral do Estado Jurídica Sociologia Geral e Jurídica Ciência

Leia mais

O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho), ainda que contenha os mesmos componentes do romance.

O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho), ainda que contenha os mesmos componentes do romance. Ensino Médio 1º ano O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho), ainda que contenha os mesmos componentes do romance. Entre suas principais características,

Leia mais

6º ANO A 6º ANO B. São Paulo, 09 de março de São Paulo, 09 de março de COMUNICADO Nº /2016. COMUNICADO Nº /2016.

6º ANO A 6º ANO B. São Paulo, 09 de março de São Paulo, 09 de março de COMUNICADO Nº /2016. COMUNICADO Nº /2016. 6º ANO A HISTÓRIA 16/3 APOSTILA 1 CAP 1, 2 e 3. GEOGRAFIA 17/3 CAPÍTULOS 1 E 2 + ATIVIDADES NO CADERNO INGLÊS 18/3 CAPÍTULOS 1 E 2 - VOCABULÁRIO (PERMITIDO O USO DE MATEMÁTICA 21/3 CAPITULOS 1, 2, 3, 4

Leia mais

A Educação Médica entre o Tecnicismo e o Humanismo

A Educação Médica entre o Tecnicismo e o Humanismo A Educação Médica entre o Tecnicismo e o Humanismo Abram Eksterman A. Einstein Nem tudo que conta pode ser contado; e nem tudo que pode ser contado, conta. A. Einstein Educação é o que permanece depois

Leia mais

Exames da Universidade Aberta - Julho 2010

Exames da Universidade Aberta - Julho 2010 ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL Data 02-Jul 06-Jul 07-Jul Horário Exames da Universidade Aberta - Julho 2010 Disciplinas Cód. Descrição 11009 Conhecimento do Mundo Social

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Psicologia Disciplina: Fundamentos Sócio-Antroplógicos da Psicologia Professor: Salomão David Vergne e-mail: vergne07@gmail.com Cardoso Código:

Leia mais

HORÁRIO DAS AVALIAÇÕES BIMESTRAIS (SIMULADO) SETEMBRO/2016 6º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II

HORÁRIO DAS AVALIAÇÕES BIMESTRAIS (SIMULADO) SETEMBRO/2016 6º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II 6º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II Voz Passiva x Ativa / Invenções e Inventores / Pronomes Possessivos / VOC U5 e U6 / Passado CIÊNCIAS MATÉMATICA Capítulos 1 e 2, mais exercícios Páginas 6, 7, 9, 10 a 13 +

Leia mais

Tipo do produto: Plano de aula

Tipo do produto: Plano de aula Edital Pibid n 11 /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID Plano de Atividades (PIBID/UNESPAR) Tipo do produto: Plano de aula 1 IDENTIFICAÇÃO NOME DO SUBPROJETO: POPULARIZANDO

Leia mais

EJA 3ª FASE PROF.ª GABRIELA ROCHA PROF.ª QUEILA POLTRONIERI

EJA 3ª FASE PROF.ª GABRIELA ROCHA PROF.ª QUEILA POLTRONIERI EJA 3ª FASE PROF.ª GABRIELA ROCHA PROF.ª QUEILA POLTRONIERI ÁREA DO CONHECIMENTO Linguagens Matemática Ciências Humanas 2 TEMA 1º Bimestre Conhecendo a nossa história. 3 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 7

Leia mais

1 - Administração de Marketing (Administração Integrado ao Ensino Médio);

1 - Administração de Marketing (Administração Integrado ao Ensino Médio); 1 - de Marketing ( Integrado ao Ensino Médio); (EII) - Habilitação em de Empresas - Habilitação em de Negócios - Habilitação em Geral - Habilitação em Hoteleira - Habilitação em Comércio Exterior - Habilitação

Leia mais

Conscientização sociolinguística

Conscientização sociolinguística L.E. Semana 2 Segunda Feira Conscientização sociolinguística Relação entre a estrutura linguística e os aspectos sociais e culturais da produção linguística o português não é homogêneo Produção linguística

Leia mais

GRUPO I POPULAÇÃO E POVOAMENTO. Nome N. o Turma Avaliação. 1. Indica, para cada conceito, o número da definição que lhe corresponde.

GRUPO I POPULAÇÃO E POVOAMENTO. Nome N. o Turma Avaliação. 1. Indica, para cada conceito, o número da definição que lhe corresponde. Nome N. o Turma Avaliação GRUPO I 1. Indica, para cada conceito, o número da definição que lhe corresponde. Conceito Definição a. Cultura 1. Discriminação de povos ou pessoas, por certos grupos de indivíduos,

Leia mais

PESQUISA CIENTÍFICA -Aula 4-

PESQUISA CIENTÍFICA -Aula 4- PESQUISA CIENTÍFICA -Aula 4- Prof. Alexandre Paiva da Silva Pombal PB SUMÁRIO Pesquisa Conceitos Características Objetivos Finalidades Requisitos Qualidades do pesquisador Tipos de pesquisa científica

Leia mais

Planificação Curricular Anual Ano letivo 2014/2015

Planificação Curricular Anual Ano letivo 2014/2015 Terra, um planeta com vida Sistema Terra: da célula à biodiversidade 1. Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o único planeta com vida conhecida no Sistema Solar 1.1. Identificar a posição

Leia mais

O CONTEXTO HISTÓRICO DO SURGIMENTO DA SOCIOLOGIA

O CONTEXTO HISTÓRICO DO SURGIMENTO DA SOCIOLOGIA O CONTEXTO HISTÓRICO DO SURGIMENTO DA SOCIOLOGIA CENÁRIO HISTÓRICO A Sociologia surge como conseqüência das mudanças trazidas por duas grandes revoluções do século XVIII. As mudanças trazidas pelas duas

Leia mais

Os Sociólogos Clássicos Pt.2

Os Sociólogos Clássicos Pt.2 Os Sociólogos Clássicos Pt.2 Max Weber O conceito de ação social em Weber Karl Marx O materialismo histórico de Marx Teoria Exercícios Max Weber Maximilian Carl Emil Weber (1864 1920) foi um intelectual

Leia mais

ASTROBIOLOGIA: UMA CIÊNCIA EMERGENTE NO CONTEXTO DO ENSINO FUNDAMENTAL.

ASTROBIOLOGIA: UMA CIÊNCIA EMERGENTE NO CONTEXTO DO ENSINO FUNDAMENTAL. ASTROBIOLOGIA: UMA CIÊNCIA EMERGENTE NO CONTEXTO DO ENSINO FUNDAMENTAL. Autor: André Mandelli de Carvalho Marques Orientador: Ivan Paulino Gláucio Lima RELEVÂNCIA A sociedade em geral não possui familiaridade

Leia mais

DANÇA E PSICOMOTRICIDADE

DANÇA E PSICOMOTRICIDADE DANÇA E PSICOMOTRICIDADE Sabrina Toledo Instituto de Medicina Social (IMS/UERJ) sabrinaptoledo@gmail.com Resumo O curso livre Dança e Psicomotricidade para adultos desenvolvido na Escola Angel Vianna desde

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR. Os Eixos Temáticos que organizam os Componentes Curriculares são:

MATRIZ CURRICULAR. Os Eixos Temáticos que organizam os Componentes Curriculares são: MATRIZ CURRICULAR Os Eixos Temáticos que organizam os Componentes Curriculares são: EIXO TEMÁTICO I: Compreendendo os Diferentes Usos de Linguagens EIXO TEMÁTICO II: Compreendendo e Refletindo a Teoria:

Leia mais

Museu de Arqueologia e Etnologia/ Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas São Paulo-SP-Brasil. Versión digital en : [155]

Museu de Arqueologia e Etnologia/ Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas São Paulo-SP-Brasil. Versión digital en : [155] Versión digital en : http://www.uam.es/mikel.asensio Pesquisa de público no Museu Histórico e Cultural de Jundiaí- Jundiaí, São Paulo, SP, Brasil. Mariana Alves Pereira Cristante y Marília Xavier Cury

Leia mais

Aristóteles. (384 a.c 347 a.c)

Aristóteles. (384 a.c 347 a.c) Aristóteles (384 a.c 347 a.c) Trajetória histórica Nasce em Estagira império macedônio Encontro com Platão academia aos 17 anos (fica 20 anos) Preceptor de Alexandre Muito estudo biblioteca e investigação

Leia mais

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Ensino Medio - BNC / PD

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Ensino Medio - BNC / PD Habilitação: Ensino Medio - BNC / PD Aviso: Este catálogo é constantemente atualizado pelo Centro Paula Souza para obter informações atualizadas consulte o site: www.cpscetec.com.br/crt Ensino Medio -

Leia mais

antropologia & cultura

antropologia & cultura antropologia & cultura carlos joão correia estudos africanos filosofia artes & humanidades 2011-2012/2ºsemestre Cultura é o termo sociológico para o comportamento aprendido [learned behaviour]; comportamento

Leia mais

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Espanhol

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Espanhol Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Espanhol 1 Os exercícios deverão ser feitos no caderno. Leitura do texto: A borboleta de asas de fogo

Leia mais

Decifrar as formas. Nesta aula, vamos acompanhar o trabalho

Decifrar as formas. Nesta aula, vamos acompanhar o trabalho A UU L AL A Decifrar as formas Nesta aula, vamos acompanhar o trabalho do geógrafo na interpretação das formas que as diferentes paisagens assumem. Vamos perceber que a crosta terrestre, ou litosfera,

Leia mais

Você conhece a sua Bíblia?

Você conhece a sua Bíblia? Você conhece a sua Bíblia? Atividade da última aula Vamos praticar?? Compare a introdução de Paulo em Gálatas 1.6-10 com outras introduções nas cartas aos Romanos 1. 8-10 e 1 Coríntios 1. 4-9. Há algum

Leia mais

Livros Grátis. Milhares de livros grátis para download.

Livros Grátis.  Milhares de livros grátis para download. Livros Grátis http://www.livrosgratis.com.br Milhares de livros grátis para download. C512 Chaves, Maria Margarete Pinto Rumos do brincar na família média urbana de Coronel Xavier Chaves / Maria Margarete

Leia mais

DIURNO I SEMESTRE HORAS EIXO: FALAR/OUVIR CÓDIGO ATIVIDADES/COMPONENTES CURRICULARES C.H.

DIURNO I SEMESTRE HORAS EIXO: FALAR/OUVIR CÓDIGO ATIVIDADES/COMPONENTES CURRICULARES C.H. Universidade Estadual da Paraíba Monteiro - Campus VI Curso de Graduação em Letras - Licenciatura Plena - Habilitação: Língua Espanhola Resolução de Aprovação do Projeto Pedagógico UEPB/CONSEPE/002/2009

Leia mais