Saúde Suplementar em Exame nº 4

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Saúde Suplementar em Exame nº 4"

Transcrição

1 Edição No. 4 - Maio 2015 Esta é a quarta edição do Saúde Suplementar em Exame, um boletim preparado pelos integrantes da Área Especializada em Saúde Suplementar de Pinheiro Neto Advogados, que tem como objetivo reunir informações relevantes a respeito do mercado de saúde suplementar brasileiro, e que possam ter impacto aos seus diversos players. DESTAQUES DO BOLETIM Seminário - Desafios Legais e Regulatórios dos Planos de Saúde Coletivos Empresariais, em , às 8h 30min, no Auditório de Pinheiro Neto Advogados, em São Paulo/SP. Informações sobre a programação e forma de inscrição. Legislação e Regulamentação - Lei Estadual nº , de 25 de março de Assegura o direito ao parto humanizado nos estabelecimentos públicos de saúde do Estado de São Paulo. Decisões administrativas e judiciais - Agravo Regimental no Recurso Especial nº STJ autoriza reajuste nas mensalidades de beneficiários com idade superior a 60 anos. Seleção de notícias relevantes TJ-SP cria núcleo para mediar ações contra os planos de saúde. Enunciados aprovados na II Jornada de Direito da Saúde. Caso Você tenha indicação de outros destinatários que possam se interessar pelo conteúdo deste boletim, envie o nome e para Com os cumprimentos de, PINHEIRO NETO ADVOGADOS Este Boletim foi redigido meramente par a fins de informação e debate, não devendo ser considerado opinião legal para qualquer operação ou negócio específico Direitos autorais reservados a Pinheiro Neto Advogados.

2 CURSOS E SEMINÁRIOS Data: 12 de junho de 2015 Horário: 8h 30min Pinheiro Neto Advogados promoverá o Seminário Desafios Legais e Regulatórios dos Planos de Saúde Coletivos Empresariais, no Auditório do escritório de São Paulo/SP. Palestrantes: - Dr. Leandro Reis Tavares (Diretor DIOPE/ANS) - Exmo. Sr. Dr. Francisco Loureiro (Desembargador TJ/SP, Coordenador EPM e Professor da Escola de Direito da FGV) - Théra van Swaay De Marchi e Maria Silvia L. A. Marques (Sócia e Associada Senior de Pinheiro Neto Advogados) Inscrições com Angela Baptista no (enviar nome completo, cargo, e telefone). Inscrição gratuita sujeita a confirmação. Vagas Limitadas. LEGISLAÇÃO E REGULAMENTAÇÃO Lei Estadual nº , de 25 de março de 2015 São Paulo Resolução Normativa - RN Nº 372, de 30 de março de 2015 Assegura o direito ao parto humanizado nos estabelecimentos públicos de saúde do Estado e dá outras providências. Clique aqui para acessar a Lei na íntegra Dispõe sobre a celebração do Termo de Compromisso de Ajuste de Conduta -TCAC previsto no artigo 29 da Lei nº 9.656, de 03 de junho de Clique aqui para acessar a Resolução na íntegra -2-

3 Resolução Normativa - RN Nº 373, de 7 de abril de 2015 Altera e revoga dispositivos da Resolução Normativa - RN n 209, de 22 de dezembro de 2009, que dispõe sobre os critérios de manutenção de Recursos Próprios Mínimos e constituição de Provisões Técnicas a serem observados pelas operadoras de planos privados de assistência à saúde. Clique aqui para acessar a Resolução na íntegra Resolução Normativa - RN Nº 374, de 16 de abril de 2015 Altera o Regimento Interno da Agência Nacional de Saúde Suplementar instituído pela Resolução Normativa - RN nº 197, de 16 de julho de 2009; e a RN nº 198, de 16 de julho de 2009, que define o quadro de cargos comissionados e cargos comissionados técnicos da ANS. Clique aqui para acessar a Resolução na íntegra Resolução Normativa - RN Nº 375, de 28 de abril de 2015 Altera a Resolução Normativa nº 227, de 19 de agosto de 2010, que dispõe sobre a constituição, vinculação e custódia dos ativos garantidores das Provisões Técnicas, especialmente da Provisão de Eventos / Sinistros a Liquidar. Clique aqui para acessar a Resolução na íntegra Resolução Normativa - RN Nº 376, de 28 de abril de 2015 Altera a Resolução Normativa - RN nº 295, de 9 de maio de 2012, que dispõe, em especial, sobre a geração, a transmissão e o controle de dados cadastrais de beneficiários do Sistema de Informações de Beneficiários da Agência Nacional de Saúde Suplementar - SIB/ANS; e a RN nº 360, de 3 de dezembro de 2014, que estabelece o conteúdo mínimo obrigatório a ser observado pelas operadoras de planos privados de assistência à saúde para identificação unívoca de seus beneficiários, bem como sua disponibilização obrigatória de forma individualizada da Identificação Padrão da Saúde Suplementar. Clique aqui para acessar a Resolução na íntegra -3-

4 Resolução Normativa - RN Nº 377, de 8 de maio de 2015 Altera a Resolução Normativa nº 358, de 27 de novembro de 2014 que dispõe sobre os procedimentos físicos e híbridos de ressarcimento ao SUS, previsto no art. 32 da Lei n 9.656, de 3 de junho de 1998, e estabelece normas sobre a cobrança referente ao ressarcimento ao SUS. Clique aqui para acessar a Resolução na íntegra Instrução Normativa - IN Nº 57, de 28 de abril de 2015 DIDES Altera a Instrução Normativa - IN nº 50, de 25 de setembro de 2012, que dispõe sobre o formato XML (Extensible Markup Language) para a transmissão das informações para o Sistema de Informações de Beneficiários da Agência Nacional de Saúde Suplementar - SIB/ANS e sobre procedimentos para a geração, validação, transmissão e controle de dados cadastrais de beneficiários do SIB/ANS. Clique aqui para acessar a Instrução na íntegra Instrução Normativa - IN Nº 58, de 8 de maio de 2015 DIDES Altera a Instrução Normativa nº 54 da Diretoria de Desenvolvimento Setorial, de 27 de novembro de 2014, que dispõe sobre os procedimentos físicos e híbridos de ressarcimento ao SUS, previsto no artigo 32 da Lei n 9.656, de 3 de junho de 1998, e na Resolução Normativa n 358, de 27 de novembro de 2014 Clique aqui para acessar a Instrução na íntegra Instrução Normativa - IN Nº 51, de 18 de maio de 2015 DIOPE Altera e acrescenta dispositivos na Instrução Normativa - IN n 14, de 27 de dezembro de 2007, que regulamenta os critérios e diretrizes para substituição da formulação de cálculo da Margem de Solvência pela utilização de modelo próprio baseado nos riscos das operadoras de planos de saúde. Clique aqui para acessar a Instrução na íntegra -4-

5 Retificação Anexo da Resolução Normativa - RN nº 374, de 16 de abril de Recurso Especial nº RS Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça JURISPRUDÊNCIA SELECIONADA A Quarta Turma, por unanimidade de votos, negou provimento ao recurso especial, afirmando que o artigo 31 da Lei nº 9.656/98 não exige que a extinção do contrato de trabalho em razão da aposentadoria se dê no exato momento em que ocorrer o pedido de manutenção das condições de cobertura assistencial. Exige apenas que, no momento de requerer o benefício, já tenha preenchido os requisitos legais, dentre as quais ter a a condição de aposentado, independentemente de ser este o motivo do desligamento da empresa. Clique aqui para acessar a íntegra do acórdão Agravo Regimental no Recurso Especial nº Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça A Terceira Turma, por maioria de votos, deu parcial provimento ao agravo regimental no âmbito da ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Estado de São Paulo, para autorizar a operadora a aumentar o valor das mensalidades de clientes com idade superior a 60 anos de idade. Conforme voto vencedor prolatado pelo Ministro João Otávio de Noronha, a cláusula de reajuste por faixa etária nos planos de saúde são legais quando guardam proporção com o aumento da demanda dos serviços prestados. Portanto, o reajuste aplicado aos beneficiários idosos não é discriminatório, na medida que estes utilizam o serviço ofertado com maior frequência. Clique aqui para acessar a íntegra do acórdão -5-

6 Agravo de Instrumento nº ª Turma do TST O Itaú Unibanco S.A. interpôs agravo de instrumento em recurso de revista visando a reforma da decisão proferida pelo Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, que entendeu pela impossibilidade de mudança no plano de saúde oferecido aos empregados da empresa antes da fusão entre o Itaú e o Unibanco. A Sexta Turma do Tribunal Superior do Trabalho deixou de apreciar o mérito da questão por demandar reexame de provas, mantendo a decisão proferida pela instância inferior que declarou lesiva a alteração unilateral do plano de saúde, e determinou a manutenção do benefício oferecido aos empregados antes da fusão entre as instituições financeiras. Clique aqui para acessar a íntegra do acórdão NOTÍCIAS Expansão médica A DG Participações, que administra planos de saúde, investirá R$ 45 milhões em um pacote de ações ao longo deste ano. A companhia, que controla as administradoras de benefícios Unifocus e PrevQuali, aportará R$ 24 milhões para ampliar seu programa de vendas em parceria com 18 operadoras de planos. A meta é chegar em cinco novos mercados: Bahia, Espírito Santo, Piauí, Paraíba e Rio Grande do Norte. Hoje, o grupo possui 250 mil beneficiários em dez Estados, além do Distrito Federal. "O plano é intensificar o número de corretores terceirizados para vendermos mais planos. Também faremos parcerias com operadoras regionais que ainda têm possibilidade de crescer", diz José Luiz Júnior, diretor-presidente da empresa. -6-

7 Os R$ 21 milhões restantes serão alocados em ferramentas de TI e na reestruturação do departamento de call center, que terá 140 posições de atendimento --o dobro da estrutura atual. R$ 115 milhões foi o faturamento em 2014 R$ 240 milhões é o faturamento projetado para este ano 600 são os funcionários do grupo 250 mil são os beneficiários pelo país Fonte: Folha de S. Paulo - Caderno Mercado - pg.b UnitedHealth faz aquisição de quase US$ 13 bi A maior seguradora de saúde americana deverá gastar quase US$ 13 bilhões na compra de uma gestora de medicamentos vendidos sob receita médica a 35 milhões de pacientes. Esse é o maior negócio registrado na enxurrada de fusões e aquisições de empresas de saúde, em meio a uma consolidação no setor que continua em ritmo desenfreado. A UnitedHealth anunciou que vai adquirir a Catamaran Rx, quarta maior administradora americana de benefícios farmacêuticos, por US$ 61,50 por ação em dinheiro e a fundirá à OptumRx, sua própria companhia do segmento. A proposta, totalizando US$ 12,8 bilhões, representa um prêmio de 27% sobre o preço das ações no fechamento de sexta-feira. As gestoras de benefícios farmacêuticos atuam como intermediárias entre as indústrias farmacêuticas e as seguradoras de saúde, um papel que se tornou cada vez mais importante, à medida que o sistema de saúde americano tenta enfrentar a inflação galopante no preço dos medicamentos. Juntas, a Optum e a Catamaran controlarão cerca de 1 bilhão de prescrições médicas por ano, o que, -7-

8 esperam elas, lhes dará força para conseguir grandes descontos das empresas farmacêuticas em troca de acesso a seus pacientes. Os medicamentos representam cerca de 10% das despesas com saúde nos EUA, mas os preços estão subindo rapidamente. Os preços dos medicamentos de marca subiram 15,4% no ano passado, segundo a Express Scripts, maior gestora de benefícios farmacêuticos, em comparação com uma alta de 5,6% nos custos gerais com saúde, em parte pelo fato de que uma nova geração de caros remédios especiais está chegando ao mercado. A Teva entrou na onda de fusões e aquisições ao adquirir, ontem, por US$ 3,2 bilhões em dinheiro, a Auspex, uma desenvolvedora californiana de medicamentos focados em distúrbios do sistema nervoso central, inclusive o mal de Huntington. A empresa israelense vem buscando identificar novos ativos para preparar-se para a iminente concorrência de genéricos ao Copaxone, seu medicamento mais vendido para o tratamento de esclerose múltipla, responsável por um quinto de seu faturamento e metade de seu lucro. Seu executivo-chefe, Erez Vigodam, descreveu o negócio como "um primeiro passo importante" no sentido de incrementar o crescimento, sugerindo que poderá haver mais aquisições. A proposta de US$ 101 por ação ficou 42% acima da cotação de fechamento da Auspex na sexta-feira, evidenciando os substanciais prêmios que companhias farmacêuticas estão aceitando pagar, em meio à onda de crescimento via aquisições que já dura um ano. Em outro negócio, a Horizon Pharmaceuticals, uma empresa com sede na Irlanda, disse que pagará US$ 1,1 bilhão em dinheiro ao comprar a Hyperion Therapeutics, uma empresa de biotecnologia sediada -8-

9 na Califórnia e especializada em doenças raras, muitas vezes negligenciadas pelos grandes grupos farmacêuticos devido ao número reduzido de pacientes. A oferta de US$ 46 por ação pela Hyperion representa um prêmio de 35% sobre o preço médio ponderado pelo volume negociado nos últimos 60 dias e um prêmio de 7,6% sobre a cotação de fechamento na sexta-feira. Em outro negócio, a Novartis, da Suíça, anunciou uma parceria com a Aduro Biotech, que receberá US$ 750 milhões. As duas empresas vão colaborar em imunooncologia, tipo de tratamento contra o câncer. No Brasil A americana UnitedHealth é dona da Amil, maior operadora de planos de saúde e dental do país com cerca de 6 milhões de usuários. A aquisição foi fechada em outubro de 2012 numa transação de quase R$ 10 bilhões e ainda colocou o fundador da Amil, Edson Bueno, entre os maiores acionistas individuais da UnitedHealth. Adepta de uma política discreta, a empresa americana está promovendo uma reestruturação na Amil que inclui mudanças na contabilidade de seu balanço. Em 2014, a operadora brasileira teve prejuízo de R$ 259,4 milhões, o que representa quase sete vezes mais do que o apurado em A UnitedHealth também está promovendo na Amil mudanças no alto escalão e implantando uma plataforma tecnológica dedicada à saúde, um dos seus principais negócios nos Estados Unidos. Fonte: Valor Econômico - David Crow; Andrew Ward - Caderno Serviços e Tecnologia - pg.b

10 Plano de saúde individual: mais raro e caro De 12 operadoras consultadas pelo GLOBO, apenas quatro vendem produtos voltados para pessoa física O aumento do desemprego e o envelhecimento da população trazem um problema adicional para quem é demitido ou se aposenta e perde plano de saúde da empresa: os planos individuais estão cada vez mais raros e caros. Em pesquisa com corretores de 12 planos e seguros-saúde comercializados no Rio, o GLOBO só encontrou oferta de planos individuais da Unimed-Rio, Assim, Medial e Omint. A Unimed-Rio, que enfrenta problemas financeiros e está sob supervisão da Agência Nacional de Saúde (ANS), tem opções com mensalidades de R$ 604 a R$ 843, na simulação feita para uma mulher autônoma, de 45 anos, moradora da Zona Sul. A Assim oferece preço menor (R$ 399,29), mas a rede de atendimento é restrita, sobretudo para consultas médicas. No caso da Omint, operadora que oferece produtos considerados top, a barreira é o preço que cabe no bolso de muito poucos: para o mesmo perfil da consumidora, as mensalidades vão de R$ 3.695,35 a R$ ,84, dependendo das características do plano. Já na Medial o valor ficou em R$ 1.267,86, além das franquias. COLETIVOS POR ADESÃO Com o sumiço dos planos individuais, o vácuo é ocupado pelos planos coletivos por adesão amplamente ofertados há corretoras dedicadas apenas a eles e preços, inicialmente, menores. Não é difícil entender o porquê. Nos planos individuais, a ANS fixa o valor do reajuste anual. Nos coletivos, as operadoras negociam os índices com a empresa ou associação contratante, levando em conta a sinistralidade, ou seja, os gastos de seus participantes. Além do mais, há regras rígidas para a rescisão dos contratos individuais. Para os coletivos, -10-

11 não. Podem ser cancelados unilateralmente, ou seja, por decisão de uma das partes. Outra razão para o desinteresse das empresas pelo plano individual é característica da carteira. Como os preços são altos, a maioria das pessoas só paga plano de saúde por conta própria quando envelhece, sofre de alguma doença que exija tratamento constante ou tem filhos pequenos. São clientes considerados caros, porque usam muito os serviços. Segundo dados da ANS, dos 50,6 milhões de planos e seguros-saúde em vigor no Brasil, menos de 20% ou cerca de dez milhões, são individuais. E a fatia do produto no mercado continua encolhendo. Segundo a agência, o número de planos individuais cresceu cerca de 7,5% desde 2010, quando eram 9,3 milhões. No mesmo período, o número total de planos, que era de 44,9 milhões, subiu 12,6%. As empresas vêm pressionando pela venda de planos coletivos no lugar de individuais conta Ronaldo Carvalho, presidente da Associação dos Vendedores de Planos de Saúde do Rio de Janeiro. A advogada Renata Vilhena, especialista na área de saúde, frisa que o tipo de contrato é o X da questão para as operadoras, que não são obrigadas a oferecer planos individuais e familiares. Os individuais e familiares estão quase extintos e são pouco comercializados, restando ao consumidor os planos empresariais, quando trabalha em uma empresa que oferece o benefício, ou os coletivos por adesão. Foi o que aconteceu com a organizadora de eventos Nilza Briggs, que há três anos migrou de um plano individual para um coletivo: Estava ficando muito caro. Mudei para o coletivo a fim de manter a rede de atendimento e as -11-

12 mensalidades em linha com o que tinha antigamente. Ao ser empurrado para o segmento por adesão, o consumidor fica sujeito a levar gato por lebre, já que muitos vendedores tentam convencer os clientes de que as regras são equivalentes às dos planos individuais, o que não é verdade. No primeiro momento, o coletivo é mais barato. Com a maior liberdade para reajustes, porém, tende a ficar caro a longo prazo analisa Rafael Couto, assessor jurídico do Procon-RJ. Para se ter uma ideia, enquanto a ANS autoriza, em média, aumento anual de 9% nos planos individuais, as mensalidades dos coletivos por adesão ou empresariais sofrem reajustes médios de 15% a 20%, afirma Renata: No plano coletivo, o reajuste é aplicado sempre que as despesas da operadora com o grupo ultrapassam 70% do valor que ela arrecada com mensalidades. E como, em geral, são grupos menores, isso pode ocorrer, por exemplo, quando um dos beneficiários passa por tratamento contra o câncer explica Renata. E eles têm cláusulas que autorizam a rescindir o contrato de forma unilateral e imotivada acrescenta. Além do mais, para conquistar clientes e estimular a assinatura de contratos coletivos, o setor lança mão de estratégias que se aproveitam da zona cinzenta da regulação. Uma delas é sugerir às famílias que um dos membros abra uma empresa, para dar ao grupo a possibilidade de contratar com um plano empresarial. Não é ilegal, a não ser que empresa seja aberta exclusivamente para driblar a regulação. Daí é fraude diz Couto. Outro caminho são os convênios com entidades, independentemente de sua representatividade e, às -12-

13 vezes, sem que o usuário tenha, de fato, relação com o grupo. Assim, quem tem um diploma de nível médio ou superior consegue acesso por meio de associações de classe ou de profissionais liberais. Crianças a partir de 4 anos podem ter contratos por meio de entidades estudantis. Parentes nos diversos graus inclusive netos, bisnetos, noras, genros, sogros e sogras têm acesso a associações de servidores públicos conveniadas às operadoras. Se a pessoa precisar de tratamento de custo mais alto, a operadora vai estudar o caso mais a fundo e, verificando que a pessoa não tem verdadeiramente um vínculo com a entidade conveniada, como tem sido visto, vai negar o atendimento alerta o diretor do Procon-RJ. O QUE DIZEM AS EMPRESAS Entre as empresas consultadas no levantamento do GLOBO, Alianz, Amil, Amico, Bradesco Saúde, Dix, Golden Cross, Hapvida e SulAmérica só trabalham com planos empresarias ou coletivos. A Bradesco Saúde (maior do país, conforme a ANS) informou que desde 2007 não comercializa mais os planos individuais, pois seu foco estratégico está voltado para o segmento corporativo. A Amil (segunda maior), que controla também a Medial, Dix e Amico, não quis se manifestar. A Hapvida (terceira) informou que só oferece planos individuais no Norte e Nordeste, onde tem rede de atendimento própria, que viabiliza o negócio, afirma a diretora de marketing, Simone Varella. A SulAmérica (quarta no ranking) deixou de comercializar planos individuais em 2008, por uma decisão estratégica, afirmou a empresa por meio de nota. A Allianz frisou que, desde que foi fundada, em 1992, nunca atuou no ramo de planos individuais, tendo sempre sua carteira composta apenas por planos empresariais. Por sua vez, a Golden Cross (cuja carteira de clientes individuais foi comprada -13-

14 pela Unimed-Rio) informa que, desde 2013, tem foco em coletivos e pretende continuar prestando serviços só para esses nichos. Procurada, a Associação Brasileira de Medicina de Grupo (Abramge), que congrega 240 operadoras, afirmou que os planos individuais tiveram expansão de 0,9% no ano passado. A Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde), que representa 17 grupos de seguradoras, informou que suas associadas desconhecem práticas restritivas na comercialização de planos de saúde e não aprovam essa conduta. Fonte: O Globo Juliana Garçon - Caderno Economia - pg Aparelhos vestíveis e apps de saúde geram novo filão de dados pessoais Monitoramento de hábitos e dados de saúde se populariza pelo mundo; em entrevista ao Estado, Dave Eggers, autor de 'O Círculo', prevê que empresas coletarão dados para reduzir custos. No livro O Círculo, do escritor americano Dave Eggers, a protagonista, uma jovem recém-formada, entra na maior empresa de tecnologia do mundo. Além de trabalhar com as principais mentes do país e estar na vanguarda de todas as discussões tecnológicas e sociais, a moça terá direito a privilégios como um refeitório de primeira linha, eventos exclusivos para os funcionários do Círculo e um plano de saúde que cobre praticamente tudo. A única condição para ter acesso a esse benefício é engolir um sensor que, uma vez dentro do corpo, passa a monitorar todos os sinais do indivíduo. A empresa tem acesso a essa informação 24 horas por dia. É fato que ainda estamos muito longe dessa realidade imaginada, mas o cenário atual parece apontar nessa direção. -14-

15 Com o lançamento do Apple Watch e a incorporação do app Saúde ao ios 8, a maior empresa do mundo entrou de vez em um mercado que vem crescendo nos últimos anos e deve dominar as atenções pelos próximos: o da coleta de dados a respeito de nosso corpo e saúde. Os médicos vêm usando acelerômetros para estudar atividades físicas desde os anos 80, mas a partir da revolução dos smartphones, eles passaram a ser item quase obrigatório nos chamados wearables, dispositivos tecnológicos de vestir. Usando relógios, pulseiras, garfos e até meias (veja abaixo), é possível acompanhar alguns dados como a distância caminhada, número de passos, estimar a queima de calorias e a rotina de atividades físicas em geral. Dotados de acelerômetros esses dispositivos podem dar uma ideia do nível de atividade realizada por seus usuários. Nós olhamos para vários aspectos dos dados, por exemplo, os passos que uma pessoa deu, horas dormidas, refeições registradas e mais, explica Patrick Sebastian Henkel, coordenador internacional de relações públicas da Jawbone. A empresa produz o UP, monitor de pulso que se liga ao smartphone através de um aplicativo. O coração do nosso sistema é registrar, entender e agir. Nossa função é ajudar as pessoas a entender os dados que estão gerando compreendê-los, saber o que fazer com isso e mudar suas vidas. Hoje existem diversas opções de apps, aparelhos e sistemas de leituras desses dados disponíveis no mercado, ao alcance de esportistas profissionais e amadores. Segundo Henkel, espera-se que o crescimento global desse mercado seja muito grande, de acordo com diversas fontes de pesquisa na indústria. No ano passado, nos EUA, foram vendidas 70 milhões -15-

16 de unidades de fitness trackers, segundo a Gartner. Em 2014, foram gerados mais de US$ 2 bilhões; a previsão é que até 2019 esse ramo movimente US$ 5,4 bilhões, segundo a consultoria Parks Associates. Percebemos que, universalmente, as pessoas querem viver melhor, mas isso pode ter diferentes significados para diferentes pessoas. Portanto, cada um pode ter benefícios únicos ao acompanhar sua saúde, diz. Mas o self-tracking na saúde não é novidade para os portadores de certos problemas. Quem tem pressão alta e diabetes tem de monitorar constantemente o corpo para garantir o controle sobre essas doenças. Porém aparelhos medidores de glicose, por exemplo, atendem a especificações exigidas pelas associações médicas. Existe sempre uma questão quando falamos sobre a precisão dos aparelhos que usamos para acompanhar nossas vidas, afirma Ernesto Ramirez, diretor do Quantified Self, organização que se dedica a espalhar a cultura da autoquantificação ao redor do mundo. A questão é saber o quão precisa a informação precisa ser. Se você está acompanhando problemas médicos, é importante ter leituras muito precisas, e é por isso que existem regulamentações e testes exaustivos nesses aparelhos, diz. A Jawbone, por exemplo, reconhece que seus produtos são feitos para o consumidor e não para uso médico. Apesar de não fornecerem dados 100% precisos, esses gadgets estão ajudando cientistas a compreender melhor os hábitos das pessoas. Antes, usava-se questionários para entender melhor como era a rotina de um determinado indivíduo. Com os trackers, é possível reunir dados mais precisos e ricos a respeito de como as pessoas se relacionam com os exercícios físicos. Com o tipo de equipamento que se usa hoje, captura-se toda a atividade física todos os perfis de movimentos, em contextos diferentes. As -16-

17 perguntas (que os pesquisadores faziam) pegavam apenas uma parte das atividades, disse ao site LiveScience Richard Troiano, epidemiologista do programa de pesquisa aplicada do National Cancer Institute, nos EUA. No mundo pós-edward Snowden, a questão da privacidade invadiu também o nosso corpo. Com tantos dados sobre hábitos, capacidade física e males de saúde sendo armazenados em servidores de empresas, estamos correndo o risco de termos nossas entranhas expostas ao mundo? As empresas, claro, não creem em problemas. Na Jawbone nós respeitamos totalmente a privacidade de nossos usuários. Somente compartilhamos o dados se eles assim desejarem por exemplo, na integração com um app de terceiros. Temos a custódia dos dados dos usuários. Coletamos, analisamos e os apresentamos ao usuário com significado. Se o usuário quiser, nós deletamos tudo, afirma Henkel. Para Ramirez, não faz sentido manter os dados privados, já que eles podem fornecer dados a pesquisas. Muitas pessoas usam a privacidade como um escudo sem realmente discutir o que significa. Hoje, com a enorme quantidade de dados que é coletada, sempre vemos uma variedade de histórias sobre vazamentos e privacidade das informações. Não devemos ter medo de uma base de dados, diz. No entanto, devemos ter atenção quando formos dar as chaves do reino aos apps de terceiros que podem não ter os melhores interesses. Nossos dados não deveriam ser selados numa base de dados a qual não podemos ver, a qual não temos acesso, não podemos controlar. Nós, como consumidores e criadores de dados, precisamos lutar pelo acesso. Ainda não está claro que tipo de consequências o acompanhamento de nosso corpo em tempo real pode -17-

18 ter, tanto para a melhora de nossa saúde, quanto para a nossa privacidade. A julgar pela visão de Dave Eggers (leia entrevista abaixo), esse é o só o começo de uma era de monitoramento mais do que íntimo. Em seu livro, a empresa O Círculo monitora a saúde dos empregados usando sensores que ficam dentro do corpo. De onde veio sua inspiração para criar esse cenário? Aqui nos EUA, a maioria das pessoas tem segurosaúde através das empresas nas quais trabalham. E elas dão descontos se você se exercita com regularidade, se não fuma etc. Você ganha descontos por bom comportamento. Dada a habilidade de monitorar dados de saúde, pensei que seria apenas lógico que uma empresa como o Círculo começaria a monitorar os dados de saúde de seus empregados, e os recompensaria ou puniria por seus comportamentos. Acho que isso tem chance de virar parte da política de saúde das empresas num futuro próximo. Existe muito dinheiro em jogo. Quais podem ser as consequências dessa coleta de dados de saúde? É uma preocupação muito grande. Quando dados são coletados, é possível que ele sejam espalhados e usados inapropriadamente. Logo veremos vazamentos de dados de saúde a começar pelo tipo de invasão que almeja celebridades e se tornou muito comum. Quando essas bases de dados se tornam mais e mais centralizadas, então os hackers serão capazes de encontrar qualquer tipo de informação. E quando essa informação inclui DNA, entramos num território muito perigoso. Os empregadores poderiam escolher alguém com um DNA por conta do que ele diz a respeito do futuro de sua saúde, níveis de risco para certas doenças, aptidão para certas tarefas etc. O caso do Círculo é extremo, mas não é impossível que empresas, escolas e governos passem a obrigar a coleta de dados tudo em nome de prover o melhor cuidado com o menor preço. O estranho é que se -18-

19 tivéssemos dados minuto a minuto em todo mundo, o cuidado médico iria de fato melhorar e os custos diminuiriam de maneira significativa, porque problemas poderiam ser antecipados. Mas, claro, todos esses dados viriam com um custo alto: a eliminação da pessoa privada. Fonte: O Estado de São Paulo Diogo Antonio Rodriguez- Caderno Economia - pg. B Atendimento terceirizado é saída para planos Empresas perceberam que a melhor forma de reduzir custos é com o cuidado prévio dos clientes. A prevenção de doenças, acompanhamento de casos crônicos e conscientização são estratégicos Para reduzir o uso desnecessário do plano de saúde, operadoras e empresas estão adotando ferramentas de atendimento a distância que permitem a conscientização e o acompanhamento do paciente até o pré-atendimento. Um exemplo é o da AzimuteMed, que garante reduzir em 25% os custos desnecessários dos planos. O serviço consiste em acompanhar pacientes com doenças crônicas, ou ainda conscientizar as pessoas de que elas podem desenvolver algum problema de saúde devido às suas condições físicas. Atualmente, a empresa atende quatro empresas e três operadoras de saúde, entre elas a SulAmérica. Entre os profissionais estão: nutricionista, enfermeira, educador físico e fisioterapeuta. "Temos 30 mil pacientes", diz a sócia da AzimuteMed, Luciana Lauretti. O acompanhamento inclui contato telefônico, visita em domicílio e, recentemente, contato pela internet. "O que é ideal para quem está distante". A ferramenta foi iniciada em março, com 200 pacientes. Apesar de não ser o foco da empresa, os serviços da -19-

20 AzimuteMed são muito procurados pela indústria farmacêutica e tem 12 clientes do ramo. "As companhias perceberam que muitos clientes deixavam de comprar os medicamentos por descontinuar o tratamento. Oferecendo o sistema, as fabricantes agregam serviços ao produto e aumentam ainda mais a retenção de freguês." Pré-atendimento A empresa Axismed também realiza o acompanhamento de doenças crônicas, em que localiza os clientes dos planos e depois passa a monitorá-los, através de ligações telefônicas. Mas, um dos diferenciais, afirma a empresa, tem sido o serviço de pré-atendimento Axisline. Antes de ir ao hospital, o paciente faz uma ligação à central de atendimento e explica os sintomas a uma enfermeira, que lançará os dados em um sistema e classificará a gravidade da ocorrência. "A enfermeira sob supervisão médica realiza perguntas para descartar as possibilidades mais graves, até verificar se o paciente deve ir a um pronto-socorro ou se pode localizar posteriormente um especialista", ressalta o diretor executivo da Axismed, Fábio Abreu. Ele ainda explica que o sistema não realiza diagnóstico, mas ajuda no pré-atendimento. Segundo Abreu, o sistema foi criado na Inglaterra e já trouxe resultados. "Uma pesquisa realizada no país mostrou que 59% dos pacientes que pensavam em ir a um pronto-socorro não precisavam e que 11% dos que foram encaminhados para emergência não iriam ao hospital. "Ir ao pronto-socorro sem necessidade gera um alto custo e o sistema elimina este desperdício", completa. A empresa recebe 6 mil contatos por mês, dos 22 clientes, entre eles Abet e Unimed. A perspectiva de crescimento da companhia varia entre 10% e 15% do -20-

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO PROJETO DE LEI Nº 10, DE 2015

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO PROJETO DE LEI Nº 10, DE 2015 PROJETO DE LEI Nº 10, DE 2015 Altera o art. 2º do Decreto-Lei nº 2.296, de 21 de novembro de 1986, a alínea p do 9º do art. 28 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991 e o art. 63 da Medida Provisória nº

Leia mais

Como harmonizar a relação entre cidadãos/consumidores e sus/operadoras de planos de saúde e reduzir as demandas judiciais

Como harmonizar a relação entre cidadãos/consumidores e sus/operadoras de planos de saúde e reduzir as demandas judiciais Como harmonizar a relação entre cidadãos/consumidores e sus/operadoras de planos de saúde e reduzir as demandas judiciais João Baptista Galhardo Júnior Membro do Comitê Estadual da Saúde do Conselho Nacional

Leia mais

03 DE DEZEMBRO/2014 - SP

03 DE DEZEMBRO/2014 - SP QUESTÕES JURÍDICAS E LEGAIS EM SAÚDE 03 DE DEZEMBRO/2014 - SP Realização: Quarta-feira, dia 03 de Dezembro de 2014 08h30 Recepção dos Participantes 08h50 - Abertura da Conferência pelo Presidente de Mesa

Leia mais

UNIDAS. Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014

UNIDAS. Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014 UNIDAS Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014 Saúde no Brasil Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado,

Leia mais

Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde

Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde Operadora: Unimed Curitiba Sociedade Cooperativa de Médicos CNPJ: 75.055.772/0001-20 Nº de registro na ANS: 30470-1 Site: http://www.unimedcuritiba.com.br Tel:(41) 3019-2000 Exclusivo para liberações de

Leia mais

Saúde Suplementar em Exame nº 1

Saúde Suplementar em Exame nº 1 Esta é a primeira edição do Saúde Suplementar em Exame, um boletim preparado pelos integrantes da Área Especializada em Saúde Suplementar de Pinheiro Neto Advogados, que tem como objetivo reunir informações

Leia mais

LEI 13003 Manual Perguntas e Respostas

LEI 13003 Manual Perguntas e Respostas LEI 13003 Manual Perguntas e Respostas APRESENTAÇÃO A Federação Baiana de Hospitais e a Associação de Hospitais e Serviços de Saúde do Estado da Bahia, cumprindo com a função de orientar e assessorar hospitais,

Leia mais

ADITIVO CONTRATUAL DE MANUTENÇÃO DE SEGURADOS DEMITIDOS OU APOSENTADOS

ADITIVO CONTRATUAL DE MANUTENÇÃO DE SEGURADOS DEMITIDOS OU APOSENTADOS ADITIVO CONTRATUAL DE MANUTENÇÃO DE SEGURADOS DEMITIDOS OU APOSENTADOS Este aditivo é parte integrante do Seguro Saúde contratado pelo Estipulante abaixo indicado, bem como de suas Condições Gerais. Número

Leia mais

PLANOS, DESAUD. Aspectos Jurídi e Econômicos. Luiz Augusto Ferreira. Angélica Lúcia Carlini Desembargador Carlos Augusto Guimarães e Souza Junior

PLANOS, DESAUD. Aspectos Jurídi e Econômicos. Luiz Augusto Ferreira. Angélica Lúcia Carlini Desembargador Carlos Augusto Guimarães e Souza Junior ORGANIZAÇAO E COORDENAÇAO Luiz Augusto Ferreira Carneiro PLANOS, DESAUD Aspectos Jurídi e Econômicos Angélica Lúcia Carlini Desembargador Carlos Augusto Guimarães e Souza Junior Carlos Ernesto Henningsen

Leia mais

02 a 05 de junho de 2009. Eventos Oficiais:

02 a 05 de junho de 2009. Eventos Oficiais: 02 a 05 de junho de 2009 Expo Center Norte - SP Eventos Oficiais: 1 A Saúde Rompendo Paradigmas para o Crescimento Sustentável Saúde Suplementar : Modelo,Regulação e Intervenção Estatal Alceu Alves da

Leia mais

Manual de Orientação para contratação de Plano de Saúde

Manual de Orientação para contratação de Plano de Saúde Operadora: Allianz Saúde CNPJ: 04.439.627/0001-0 Nº de registro na ANS: 00051-5 Nº de registro do produto: conforme contratado pelo estipulante Site: www.allianz.com.br Telefone: 0800 7228148 Manual de

Leia mais

SulAmérica Saúde PME Folheto de Apoio às Vendas. Atualização: Nov/2007

SulAmérica Saúde PME Folheto de Apoio às Vendas. Atualização: Nov/2007 SulAmérica Saúde PME Folheto de Apoio às Vendas Atualização: Nov/2007 Folheto de Apoio às Vendas Este folheto contém as principais informações, regras e características pra facilitar a venda do SulAmérica

Leia mais

Manual de Orientação para contratação de planos de saúde

Manual de Orientação para contratação de planos de saúde Manual de Orientação para contratação de planos de saúde nós somos a casembrapa Funcionamento de um plano de autogestão: Somos uma operadora de saúde de autogestão. Uma entidade sem fins lucrativos, mantida

Leia mais

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA?

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? Que nome estranho! O que é isso? Essa expressão, Margem de Contribuição, pode soar estranha aos ouvidos, mas entender o que significa ajudará muito

Leia mais

COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR?

COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR? COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR? Descubra os benefícios que podem ser encontrados ao se adaptar as novas tendências de mercado ebook GRÁTIS Como o investimento em TI pode

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR. Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos (CNCC)

A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR. Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos (CNCC) 1 A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR 2 CONCEITOS 3 SAÚDE SUPLEMENTAR: atividade que envolve a operação de planos privados de assistência à saúde sob regulação do Poder

Leia mais

PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA

PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA Mensagem ao Associado Caro Associado, A maior preocupação do profissional que compõe o Sistema Confea / Crea / Mútua talvez

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE DIFERENÇAS ENTRE PLANOS INDIVIDUAIS E COLETIVOS

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE DIFERENÇAS ENTRE PLANOS INDIVIDUAIS E COLETIVOS Operadora: ELOSAÚDE - CNPJ: 11.593.821/0001-03 03 - N ANS: 41729-7 - Site: www.elosaude.com.br - Tel.: (48) 3298-5555 MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE DIFERENÇAS ENTRE PLANOS INDIVIDUAIS

Leia mais

IV FÓRUM ÉTICO LEGAL EM ANÁLISES CLÍNICAS

IV FÓRUM ÉTICO LEGAL EM ANÁLISES CLÍNICAS IV FÓRUM ÉTICO LEGAL EM ANÁLISES CLÍNICAS Brasília, 08 de junho de 2010. Cumprimento de Contratos das Operadoras com os Laboratórios Clínicos. DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO SETORIAL - DIDES Gerência de

Leia mais

A QUESTÃO DOS PLANOS DE SAÚDE NO BRASIL Professor Romulo Bolivar. www.proenem.com.br

A QUESTÃO DOS PLANOS DE SAÚDE NO BRASIL Professor Romulo Bolivar. www.proenem.com.br A QUESTÃO DOS PLANOS DE SAÚDE NO BRASIL Professor Romulo Bolivar www.proenem.com.br INSTRUÇÃO A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua

Leia mais

UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR

UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR Nas contas do ex-reitor da USP, anteprojeto da reforma não atende ao acordo com os reitores REFORMA UNIVERSITÁRIA Gabriel Manzano Filho O aumento de recursos

Leia mais

Em defesa da Saúde pública para todos

Em defesa da Saúde pública para todos Boletim Econômico Edição nº 57 março de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Em defesa da Saúde pública para todos 1 A saúde pública faz parte do sistema de Seguridade Social

Leia mais

CPI da OPME 6.Abr. 2015. Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil

CPI da OPME 6.Abr. 2015. Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil CPI da OPME 6.Abr. 2015 Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil SISTEMA UNIMED 351 Cooperativas contribuindo com a interiorização dos médicos da medicina de qualidade no Brasil. SISTEMA

Leia mais

CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Ministério da Saúde ANS Resolução Normativa RN Nº. 279, de 24.11.2011: Dispõe sobre a regulamentação dos artigos 30 e 31 da Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998, e revoga as Resoluções do CONSU Nº. 20 e

Leia mais

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA ABRAMGE-RS Dr. Francisco Santa Helena Presidente da ABRAMGE-RS Sistema ABRAMGE 3.36 milhões de internações; 281.1 milhões de exames e procedimentos ambulatoriais; 16.8

Leia mais

ANS. Eixos Temáticos da Regulamentação e Garantia de Acesso à Informação como o empregador pode participar. Bruno Sobral de Carvalho

ANS. Eixos Temáticos da Regulamentação e Garantia de Acesso à Informação como o empregador pode participar. Bruno Sobral de Carvalho ANS Eixos Temáticos da Regulamentação e Garantia de Acesso à Informação como o empregador pode participar. Bruno Sobral de Carvalho Diretor de Desenvolvimento Setorial São Paulo, maio de 2011 Plano Coletivo

Leia mais

Agência Nacional de Saúde Suplementar. Chile, Agosto 2011

Agência Nacional de Saúde Suplementar. Chile, Agosto 2011 Agência Nacional de Saúde Suplementar Chile, Agosto 2011 Dados do Setor Planos de Saúde Planos de Saúde Médico Hospitalares Exclusivamente Odontológicos Consumidores Número de Operadoras Faturamento em

Leia mais

Manual de Orientação para contratação de planos de saúde

Manual de Orientação para contratação de planos de saúde Manual de Orientação para contratação de planos de saúde nós somos a casembrapa Somos uma operadora de saúde de autogestão. Uma entidade sem fins lucrativos, mantida com recursos dos associados e da patrocinadora

Leia mais

Remuneração de Sócios e Advogados. Lara Selem

Remuneração de Sócios e Advogados. Lara Selem Remuneração de Sócios e Advogados Lara Selem Lara Selem Advogada, Escritora e Consultora em Gestão de Serviços Jurídicos. Executive MBA pela B-W College (EUA), especialista em Gestão de Serviços Jurídicos

Leia mais

DIRETORIA DE NORMAS E HABILITAÇÃO DE PRODUTOS DIPRO

DIRETORIA DE NORMAS E HABILITAÇÃO DE PRODUTOS DIPRO PRES 161/14 São Paulo, 03 de setembro de 2014. À AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR ANS: DIRETORIA DE NORMAS E HABILITAÇÃO DE PRODUTOS DIPRO At. Dr. André Longo e Dr. João Luis Barroca. Assunto: Contribuições

Leia mais

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE - PAS/SERPRO PERGUNTAS E RESPOSTAS

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE - PAS/SERPRO PERGUNTAS E RESPOSTAS PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE - PAS/SERPRO PERGUNTAS E RESPOSTAS Para que todos os empregados possam ter suas dúvidas esclarecidas, os questionamentos recebidos pela Comissão Saúde serão respondidos

Leia mais

WORKSHOP Registro e Manutenção dos Produtos RN 356 IN-DIPRO 45 IN-DIPRO 46

WORKSHOP Registro e Manutenção dos Produtos RN 356 IN-DIPRO 45 IN-DIPRO 46 WORKSHOP Registro e Manutenção dos Produtos RN 356 IN-DIPRO 45 IN-DIPRO 46 NORMATIVOS Resolução Normativa nº 356, de 2014 Altera a RN nº 85, de 2004. Altera a RN nº 89, de 2003. Altera a RN nº 309, de

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE.

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE. MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE. Operadora: Unimed Campo Grande MS Cooperativa de Trabalho Médico. CNPJ: 03.315.918/0001-18 Nº de registro na ANS: 312851 Site: http://www.unimedcg.com.br

Leia mais

Manual Explicativo. Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev

Manual Explicativo. Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev Manual Explicativo Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev 1. MANUAL EXPLICATIVO... 4 2. A APOSENTADORIA E VOCÊ... 4 3. PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR: O que é isso?... 4 4. BOTICÁRIO

Leia mais

Oidoso que quiser contratar um plano de saúde. Nem vem que

Oidoso que quiser contratar um plano de saúde. Nem vem que Nem vem que não tem Pesquisa do Idec revela que as poucas operadoras que comercializam planos de saúde individuais cobram mensalidades caras e adotam procedimentos para barrar usuários com mais de 60 anos

Leia mais

ANS Papel Institucional e Competência do Rol de Procedimentos

ANS Papel Institucional e Competência do Rol de Procedimentos 201 ANS Papel Institucional e Competência do Rol de Procedimentos Luciana Gomes de Paiva 1 Da palestra do Dr. Franklin Padrão, de início, destacam-se os princípios doutrinários de universalidade, equidade

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 279 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 279 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 279 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre a regulamentação dos artigos 30 e 31 da Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998, e revoga as Resoluções do CONSU nºs 20 e 21, de 7 de

Leia mais

Paraná se destaca no cenário brasileiro de sistemas de segurança eletrônica

Paraná se destaca no cenário brasileiro de sistemas de segurança eletrônica Rogério Reis Paraná se destaca no cenário brasileiro de sistemas de segurança eletrônica CRESCIMENTO ECONÔMICO DA REGIÃO SUL IMPULSIONA MERCADO PARANAENSE POR ADRIANE DO VALE redacao@cipanet.com.br FOTOS

Leia mais

OPERADORAS DE SAÚDE. Mariana Braga Shoji Barbosa Enfermagem UNIFESP mariana_shoji@yahoo.com.br

OPERADORAS DE SAÚDE. Mariana Braga Shoji Barbosa Enfermagem UNIFESP mariana_shoji@yahoo.com.br OPERADORAS DE SAÚDE Mariana Braga Shoji Barbosa Enfermagem UNIFESP mariana_shoji@yahoo.com.br O que são Operadoras de saúde? O que são Operadoras de saúde? Operadora é a pessoa jurídica que opera ( administra,

Leia mais

Com 30 participantes ou mais

Com 30 participantes ou mais MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE CUNHA ODONTOLOGIA S/S LTDA CNPJ n : 06.216.938/0001-20 N de registro na ANS: 41695-9 Site: www.cunhaodontologia.com.br Tel: Serviços: (62) 3945.5673

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 Aprova a NBC T 11.8 Supervisão e Controle de Qualidade. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Considerando que as Normas

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999

PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999 Dispõe sobre o atendimento obrigatório aos portadores da Doença de Alzheimer no Sistema Único de Saúde - SUS, e dá outras providências.

Leia mais

2013 Inventta Todos os direitos reservados.

2013 Inventta Todos os direitos reservados. Agenda Quem Somos Gerindo a Inovação nas Empresas Estímulos Governamentais à Inovação Resultados da pesquisa FDC/Inventta Conclusões O GRUPO A Inventta é uma consultoria especializada em gestão da inovação,

Leia mais

1. Tipos de contratação: QUE TIPO DE PLANO DE SAÚDE VOCÊ PODE TER?

1. Tipos de contratação: QUE TIPO DE PLANO DE SAÚDE VOCÊ PODE TER? FIQUE ATENTO! A operadora é obrigada a divulgar os planos de saúde que comercializa em sua página na internet. 1. Tipos de contratação: QUE TIPO DE PLANO DE SAÚDE VOCÊ PODE TER? Individual ou Familiar

Leia mais

Fortaleza, 4 de novembro de 2013.

Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, no V Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira Senhoras e senhores, boa tarde a todos.

Leia mais

Antonio Bulhões Deputado Federal - PRB/SP

Antonio Bulhões Deputado Federal - PRB/SP Caros amigos e amigas, Comemoramos, no último dia 1º de Outubro, o Dia Internacional da Terceira Idade. Por essa razão, estamos trazendo uma matéria referente ao Estatuto do Idoso, que contém informações

Leia mais

Guia Prático. do seu PLANO DE SAÚDE. Rio

Guia Prático. do seu PLANO DE SAÚDE. Rio Guia Prático do seu PLANO DE SAÚDE Rio Bem -vindo à ALIANÇA ADMINISTRADORA! Sumário Informações Importantes...3 Guia de Leitura Contratual...6 Manual de Orientação para Contratação de Plano de Saúde...8

Leia mais

Análise CADERNOS DE SEGURO. Seguro e doença preexistente. Lauro Vieira de Faria

Análise CADERNOS DE SEGURO. Seguro e doença preexistente. Lauro Vieira de Faria 16 Seguro e doença preexistente Lauro Vieira de Faria Um dos temas mais polêmicos no mercado de seguros são as limitações e até recusas de cobertura decorrentes das chamadas doenças preexistentes. Em diversos

Leia mais

Perguntas e respostas sobre o Pronatec

Perguntas e respostas sobre o Pronatec Perguntas e respostas sobre o Pronatec 1 O que é o Pronatec? Pronatec é o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego. Foi criado em 26 de outubro de 2011 por meio da Lei 12.513. Seu funcionamento

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 497 SRF, DE 24/01/2005 (DO-U, DE 09/02/2005)

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 497 SRF, DE 24/01/2005 (DO-U, DE 09/02/2005) INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 497 SRF, DE 24/01/2005 (DO-U, DE 09/02/2005) Dispõe sobre plano de benefício de caráter previdenciário, Fapi e seguro de vida com cláusula de cobertura por sobrevivência e dá outras

Leia mais

SUSEP. Regulatory Practice Insurance News. Corretagem

SUSEP. Regulatory Practice Insurance News. Corretagem Regulatory Practice Insurance News Fevereiro 2012 SUSEP Corretagem Resolução CNSP 249, de 15.02.2012 Atividade dos corretores de seguros Dispõe sobre a atividade dos corretores de seguros de ramos elementares

Leia mais

Relatório de Seguridade

Relatório de Seguridade Re Relatório de Seguridade Relatório de Seguridade Relatório Maio/2015 O relatório da área de seguridade tem por finalidade apresentar as principais atividades desenvolvidas no mês, informando os números

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS 29ª Edição Agosto de 214 SUMÁRIO EXECUTIVO Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (Mar/14): 5.722.522; Taxa

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANO DE SAÚDE COLETIVO POR ADESÃO. Edição: 25/02/14

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANO DE SAÚDE COLETIVO POR ADESÃO. Edição: 25/02/14 MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANO DE SAÚDE COLETIVO POR ADESÃO Edição: 25/02/14 Direito de migrar para plano individual ou familiar aproveitando carência do plano coletivo empresarial Os beneficiários

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar 1. Informações Gerais No segundo trimestre de 2010, o número de beneficiários de planos de saúde cresceu 1,9%, totalizando 44.012.558

Leia mais

Material Explicativo Centrus

Material Explicativo Centrus Material Explicativo Centrus De olho no futuro! É natural do ser humano sempre pensar em situações que ainda não aconteceram. Viagem dos sonhos, o emprego ideal, casar, ter filhos, trocar de carro, comprar

Leia mais

Lei nº 13.003/2014. Jacqueline Torres Gerente Executiva. GERAR Gerência Executiva de Aprimoramento do Relacionamento entre Operadoras e Prestadores

Lei nº 13.003/2014. Jacqueline Torres Gerente Executiva. GERAR Gerência Executiva de Aprimoramento do Relacionamento entre Operadoras e Prestadores Lei nº 13.003/2014 Jacqueline Torres Gerente Executiva GERAR Gerência Executiva de Aprimoramento do Relacionamento entre Operadoras e Prestadores O porquê de uma nova lei O mercado de planos de saúde organiza-se

Leia mais

DIREITO PREVIDENCIÁRIO

DIREITO PREVIDENCIÁRIO Curso DIREITO PREVIDENCIÁRIO Turma 4 Local: Santa Maria - RS Dias 28 e 29 de agosto de 2008 (quinta e sexta-feira) SUMÁRIO: 1. Informações Gerais 2. Programa 3. Currículo da Ministrante 1. Informações

Leia mais

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS Resultados dos estudos sobre a redução de taxas de juros praticadas por bancos públicos e privados. Orientações aos consumidores. Face aos diversos anúncios de redução de juros veiculados na mídia a partir

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 389, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015 (Em vigor a partir de 01/01/2016) Dispõe sobre a transparência das informações no âmbito da saúde suplementar, estabelece a obrigatoriedade da

Leia mais

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo Sinog Dezembro/ 2011 Press Kit para Imprensa Sinog Sindicato Nacional das Empresas

Leia mais

CONVÊNIO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA E FINANCEIRA QUE ENTRE SI CELEBRAM O BANCO DO BRASIL S.A. E A ABIMAQ - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA

CONVÊNIO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA E FINANCEIRA QUE ENTRE SI CELEBRAM O BANCO DO BRASIL S.A. E A ABIMAQ - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA CONVÊNIO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA E FINANCEIRA QUE ENTRE SI CELEBRAM O BANCO DO BRASIL S.A. E A ABIMAQ - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E, VISANDO AO ESTABELECIMENTO DE CONDIÇÕES PARA O FINANCIAMENTO

Leia mais

Reajuste de mensalidade

Reajuste de mensalidade Reajuste de mensalidade Conceitos básicos Reajuste por variação de custos Reajuste por mudança de faixa etária SÉRIE PLANOS DE SAÚDE CONHEÇA SEUS DIREITOS Reajuste de mensalidade SÉRIE PLANOS DE SAÚDE

Leia mais

GUIA DE CONTRATAÇÃO DE PLANOS ODONTOLÓGICOS

GUIA DE CONTRATAÇÃO DE PLANOS ODONTOLÓGICOS GUIA DE CONTRATAÇÃO DE PLANOS ODONTOLÓGICOS GUIA DE CONTRATAÇÃO DE PLANOS ODONTOLÓGICOS 2 Diferenças entre planos individuais e coletivos: Os planos com contratação individual ou familiar são aqueles contratados

Leia mais

Longo caminho. Acontece no mundo inteiro. Os doentes crônicos

Longo caminho. Acontece no mundo inteiro. Os doentes crônicos Gestão Foto: dreamstime.com Longo caminho Medida da ANS inicia discussão sobre a oferta de medicamentos ambulatoriais para doentes crônicos pelas operadoras de saúde Por Danylo Martins Acontece no mundo

Leia mais

Decreto 8.573/15 e Consumidor.gov.br Fonte: Unimed do Estado do Paraná

Decreto 8.573/15 e Consumidor.gov.br Fonte: Unimed do Estado do Paraná Decreto 8.573/15 e Consumidor.gov.br Fonte: Unimed do Estado do Paraná É com satisfação que informamos que em 20 de novembro do corrente ano, tendo em vista o tendo em vista o disposto no art. 4º, caput,

Leia mais

Cartilha de Extensão de Benefício do. Beneficiários Contributários Demitidos. ou Exonerados Sem Justa Causa e/ou. Aposentados

Cartilha de Extensão de Benefício do. Beneficiários Contributários Demitidos. ou Exonerados Sem Justa Causa e/ou. Aposentados Cartilha de Extensão de Benefício do Seguro-saúde Empresarial aos Beneficiários Contributários Demitidos ou Exonerados Sem Justa Causa e/ou Aposentados Dezembro / 2013 Índice Introdução... 02 1. Definições...

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 2.295, DE 2015 (Do Sr. Rodrigo Garcia)

PROJETO DE LEI N.º 2.295, DE 2015 (Do Sr. Rodrigo Garcia) *C0054719A* C0054719A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 2.295, DE 2015 (Do Sr. Rodrigo Garcia) Estabelece diretrizes gerais para política de reajustes do setor de saúde suplementar visando à proteção

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO

MANUAL DE ORIENTAÇÃO MANUAL DE ORIENTAÇÃO Operadora: GreenLine Sistema de Saúde - LTDA CNPJ: 61.849.980/0001-96 Nº de Registro na ANS: 32.507-4 Site: http://www.greenlinesaude.com.br Tel: 0800-776 - 7676 Manual de Orientação

Leia mais

ANEXO I GLOSSÁRIO A SER UTILIZADO PARA PREENCHIMENTO E ENVIO PELA INTERNET DAS INFORMAÇÕES DE QUE TRATA ESTA INSTRUÇÃO NORMATIVA.

ANEXO I GLOSSÁRIO A SER UTILIZADO PARA PREENCHIMENTO E ENVIO PELA INTERNET DAS INFORMAÇÕES DE QUE TRATA ESTA INSTRUÇÃO NORMATIVA. ANEXO I GLOSSÁRIO A SER UTILIZADO PARA PREENCHIMENTO E ENVIO PELA INTERNET DAS INFORMAÇÕES DE QUE TRATA ESTA INSTRUÇÃO NORMATIVA. 1. Nome do Plano Para os planos contratados após 1º de janeiro de 1999

Leia mais

DOU N 250, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2014 SEÇÃO I, PÁG 23. SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DIRETORIA COLEGIADA

DOU N 250, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2014 SEÇÃO I, PÁG 23. SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DIRETORIA COLEGIADA DOU N 250, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2014 SEÇÃO I, PÁG 23. SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DIRETORIA COLEGIADA INSTRUÇÃO Nº 18, DE 24 DE DEZEMBRO DE 2014 Estabelece orientações e procedimentos

Leia mais

A representação institucional do mercado segurador

A representação institucional do mercado segurador A representação institucional do mercado segurador A Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização CNseg é a entidade de representação

Leia mais

DIREÇÃO NACIONAL DA CUT APROVA ENCAMINHAMENTO PARA DEFESA DA PROPOSTA DE NEGOCIAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, DAS APOSENTADORIAS E DO FATOR PREVIDENCIÁRIO

DIREÇÃO NACIONAL DA CUT APROVA ENCAMINHAMENTO PARA DEFESA DA PROPOSTA DE NEGOCIAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, DAS APOSENTADORIAS E DO FATOR PREVIDENCIÁRIO DIREÇÃO NACIONAL DA CUT APROVA ENCAMINHAMENTO PARA DEFESA DA PROPOSTA DE NEGOCIAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, DAS APOSENTADORIAS E DO FATOR PREVIDENCIÁRIO A CUT e as centrais sindicais negociaram com o governo

Leia mais

I Jornada Científica Outubro de 2012. Planos de saúde no Brasil: Uma análise da regulação econômica.

I Jornada Científica Outubro de 2012. Planos de saúde no Brasil: Uma análise da regulação econômica. I Jornada Científica Outubro de 2012 Planos de saúde no Brasil: Uma análise da regulação econômica. Doutorando do PPED/IE/UFRJ: Rodrigo Mendes Leal (RMendesleal@gmail.com) Orientadora: Dra. Maria Lucia

Leia mais

2014 SETEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos

2014 SETEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos 2014 SETEMBRO Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários,

Leia mais

Política de Atenção à Saúde do Servidor

Política de Atenção à Saúde do Servidor MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Recursos Humanos Política de Atenção à Saúde do Servidor um projeto em construçã ção o coletiva Após 2003 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO INICIATIVAS INSTITUCIONAIS

Leia mais

SUBCHEFIA DE ASSUNTOS PARLAMENTARES

SUBCHEFIA DE ASSUNTOS PARLAMENTARES SUBCHEFIA DE ASSUNTOS PARLAMENTARES PROJETO DE LEI Institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego - PRONATEC; altera as Leis n os 7.998, de 11 de janeiro de 1990, que regula o Programa

Leia mais

COOPERATIVISMO ANS AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR

COOPERATIVISMO ANS AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR COOPERATIVISMO ANS AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR LEI DOS PLANOS DE SAÚDE A Lei Federal nº 9.656/98 - regulamenta os planos privados de assistência à saúde, foi sancionada em 03 de junho de 1998.

Leia mais

REGULAÇÃO DAS RELAÇÕES ENTRE AS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE E OS PRESTADORES DE SERVIÇOS E A GARANTIA DA QUALIDADE DA ATENÇÃO À SAÚDE

REGULAÇÃO DAS RELAÇÕES ENTRE AS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE E OS PRESTADORES DE SERVIÇOS E A GARANTIA DA QUALIDADE DA ATENÇÃO À SAÚDE ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DE SÃO PAULO - EAESP FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV REGULAÇÃO E QUALIDADE NO SETOR DE SAÚDE SUPLEMENTAR REGULAÇÃO DAS RELAÇÕES ENTRE AS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE E

Leia mais

LUCIENI PEREIRA Auditora Federal de Controle Externo do TCU Professora de Gestão Fiscal Presidente da ANTC Diretora da CNSP

LUCIENI PEREIRA Auditora Federal de Controle Externo do TCU Professora de Gestão Fiscal Presidente da ANTC Diretora da CNSP LUCIENI PEREIRA Auditora Federal de Controle Externo do TCU Professora de Gestão Fiscal Presidente da ANTC Diretora da CNSP Fortaleza, 25 de novembro de 2015 combate à corrupção na gestão dos serviços

Leia mais

Regulação 15 anos depois O papel da ANS: fiscalizar ou contribuir na produção da saúde? O que mudou e o que poderia ter mudado?

Regulação 15 anos depois O papel da ANS: fiscalizar ou contribuir na produção da saúde? O que mudou e o que poderia ter mudado? Regulação 15 anos depois O papel da ANS: fiscalizar ou contribuir na produção da saúde? O que mudou e o que poderia ter mudado? Mauricio Ceschin Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS Agência reguladora

Leia mais

Por Denize BACOCCINA. Isto é Dinheiro - sexta-feira, 03 de maio de 2013 Seção: Economia / Autor: Por Denize BACOCCINA

Por Denize BACOCCINA. Isto é Dinheiro - sexta-feira, 03 de maio de 2013 Seção: Economia / Autor: Por Denize BACOCCINA O poder de compra alimenta o dragão A persistência da inflação em torno de 6,5% ao ano tem um componente virtuoso: o crescimento do setor de serviços, que lidera a criação de empregos e aumenta a renda

Leia mais

FINANCIAMENTO ESTUDANTIL Helena Heller D. de Barros Consultora Legislativa da Área XV Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia ESTUDO SETEMBRO/2003 Câmara dos Deputados Praça dos 3 Poderes Consultoria

Leia mais

Avaliação dos planos de saúde no estado de São Paulo

Avaliação dos planos de saúde no estado de São Paulo Artigo original Avaliação dos pl de saúde no estado de São Paulo Jorge Carlos Machado-Curi I, Tomás Patricio Smith-Howard II, Jarbas Simas III, Marcos Eurípedes Pimenta IV, Paulo Manuel Pêgo-Fernandes

Leia mais

Segundo o disposto na lei dos planos de saúde, o direito de permanência no contrato coletivo requer a presença de três requisitos:

Segundo o disposto na lei dos planos de saúde, o direito de permanência no contrato coletivo requer a presença de três requisitos: Blumenau, 01 de Junho de 2.012 Às Empresas Contratantes Ref.: Novas Regras para demitidos e aposentados Prezados Senhores A Lei dos Planos de Saúde (Lei n 9.656/98) confere direito de permanência nos contratos

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 3.998, de 2012

PROJETO DE LEI N.º 3.998, de 2012 1 COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR PROJETO DE LEI N.º 3.998, de 2012 Altera a Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998, que "dispõe sobre os planos e seguros privados de assistência à saúde", para incluir os

Leia mais

Judicialização da Saúde Indústria de Liminares O que fazer para evitá-las? Sérgio Parra 17/10/2013

Judicialização da Saúde Indústria de Liminares O que fazer para evitá-las? Sérgio Parra 17/10/2013 Judicialização da Saúde Indústria de Liminares O que fazer para evitá-las? Sérgio Parra 17/10/2013 LIMINAR = ORDEM JUDICIAL PROVISÓRIA CONCEDIDA NO CURSO DE UM PROCESSO JUDICIAL Fundamentação legal: Art.

Leia mais

um país digital & continental A realidade do setor nos Estados Brasileiros Como entender e interagir com o novo consumidor na hora da compra

um país digital & continental A realidade do setor nos Estados Brasileiros Como entender e interagir com o novo consumidor na hora da compra REVISTA DIGITALKS. ano 01. número 02 um país digital & continental A realidade do setor nos Estados Brasileiros Como entender e interagir com o novo consumidor na hora da compra #Content marketing 11 passos

Leia mais

CONTRATO PARA A GESTÃO DE CURSOS DE LINGUA ITALIANA DO ISTITUTO ITALIANO DI CULTURA DI SAN PAOLO

CONTRATO PARA A GESTÃO DE CURSOS DE LINGUA ITALIANA DO ISTITUTO ITALIANO DI CULTURA DI SAN PAOLO 1 CONTRATO PARA A GESTÃO DE CURSOS DE LINGUA ITALIANA DO ISTITUTO ITALIANO DI CULTURA DI SAN PAOLO (A) Istituto Italiano di Cultura di San Paolo, com sede na Av. Higienópolis, 436 São Paulo SP, CEP 01238-000,

Leia mais

PLANOS DE SAÚDE. O que é preciso saber?

PLANOS DE SAÚDE. O que é preciso saber? PLANOS DE SAÚDE O que é preciso saber? Queridos amigos, Estamos muito felizes por concluir a nossa segunda cartilha sobre direitos atrelados à saúde. Este trabalho nasceu com o propósito de levar informações

Leia mais

Lei nº 13.003/2014. Novembro de 2015

Lei nº 13.003/2014. Novembro de 2015 Lei nº 13.003/2014 Novembro de 2015 Informações Gerais 1173 operadoras com beneficiários cadastrados 72 milhões de beneficiários - planos de assistência médica e/ou planos odontológicos Receita bruta de

Leia mais

Verifique sempre se o seu plano oferece reembolso, antes mesmo de agendar a consulta. Se a resposta for positiva, não se esqueça de

Verifique sempre se o seu plano oferece reembolso, antes mesmo de agendar a consulta. Se a resposta for positiva, não se esqueça de TX DE IMPLANTAÇÃO: R$ 20,00 CONDIÇÕES: Crianças de 0 a 5 anos e adultos com mais de 58 anos, necessário avaliação médica ( marcado pela operadora ) DOCUMENTOS NECESSÁRIOS: CPF, RG ou Certidão de nascimento

Leia mais

Agora gostaria de passar a palavra ao Sr. Heráclito Brito Gomes, que fará a abertura da teleconferência. Por favor, Sr. Gomes, pode prosseguir.

Agora gostaria de passar a palavra ao Sr. Heráclito Brito Gomes, que fará a abertura da teleconferência. Por favor, Sr. Gomes, pode prosseguir. Boa tarde, senhoras e senhores, e obrigada por aguardarem. Sejam bem-vindos à teleconferência da Qualicorp para discussão da aquisição da Aliança Administradora de Benefícios de Saúde Ltda. Estão presentes

Leia mais

Manual de Orientação para Contratação de Plano de Saúde

Manual de Orientação para Contratação de Plano de Saúde Manual de Orientação para Contratação de Plano de Saúde Manual de Orientação para Contratação de Plano de Saúde Operadora: Prodent Assistência Odontológica Ltda CNPJ: 61.590.816/0001-07 N de registro na

Leia mais

A pesquisa de campo foi realizada com questões para os núcleos administrativo, pessoal e acadêmico e procura explorar duas situações distintas:

A pesquisa de campo foi realizada com questões para os núcleos administrativo, pessoal e acadêmico e procura explorar duas situações distintas: 4 Pesquisa de campo Neste capitulo será apresentado o resultado dos questionários da pesquisa de campo que serviu para o estudo de caso. A coleta de dados será dividida em: Núcleo administrativo Núcleo

Leia mais

ONG BRASI O DIÁLOGO ABRE CAMINHOS PARA O DESENVOLVIMENTO. Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil

ONG BRASI O DIÁLOGO ABRE CAMINHOS PARA O DESENVOLVIMENTO. Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil ONG BRASI 2012 O DIÁLOGO ABRE CAMINHOS PARA O DESENVOLVIMENTO Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil Dezembro de 2013 3 EXPEDIENTE Presidenta

Leia mais

Material Explicativo

Material Explicativo Material Explicativo Material Explicativo Índice Introdução 4 Sobre o Plano Previplan 5 Adesão 5 Benefícios do Plano 6 Entenda o Plano 7 Rentabilidade 8 Veja como funciona a Tributação 9 O que acontece

Leia mais

Regulação da ANS ANS entre hospital, planos e seguros saúde. Atibaia, 21 de abril de 2010

Regulação da ANS ANS entre hospital, planos e seguros saúde. Atibaia, 21 de abril de 2010 Regulação da ANS ANS entre hospital, planos e seguros saúde Atibaia, 21 de abril de 2010 Cenário atual DESAFIOS Desafios da Sustentabilidade Pressão constante sobre os custos Incorporação de novas tecnologias

Leia mais

SENADO FEDERAL Comissão de Assuntos Sociais

SENADO FEDERAL Comissão de Assuntos Sociais SENADO FEDERAL Comissão de Assuntos Sociais AUDIÊNCIA PÚBLICA REALIZADA NA COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS EM 28 DE JUNHO DE 2006 PARA INSTRUIR O PROJETO DE LEI DO SENADO Nº25, DE 2002, QUE DISPÕE SOBRE O

Leia mais