ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010"

Transcrição

1 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001133/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/09/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR040514/2009 NÚMERO DO PROCESSO: / DATA DO PROTOCOLO: 28/08/2009 SIN DOS TRAB NA IND FABRI E DISTR EM PANIF ETC P ALEGRE, CNPJ nº / , neste ato representado (a) por seu Presidente, Sr(a). WALDIR CANIBAL DE AVILA, CPF nº E FLORESTAL ALIMENTOS S/A, CNPJ sob nº / , neste ato representado(a) por seu Diretor, Sr(a). VERNO AREND, CPF nº ; celebram o presente ACORDO COLETIVO DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes: CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência do presente Acordo Coletivo de Trabalho no período de 1º de maio de 2009 a 30 de abril de 2010 e a data-base da categoria em 1º de maio. CLÁUSULA SEGUNDA - ABRANGÊNCIA O presente Acordo Coletivo de Trabalho, aplicável no âmbito da(s) empresa(s) acordante(s), a- brangerá a(s) categoria(s) trabalhadores na indústria de produtos de cacau e balas, com a- brangência territorial em Porto Alegre/RS. SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL CLÁUSULA TERCEIRA PISO SALARIAL Fica assegurado a todos os Empregados, exceto os menores aprendizes na forma da lei, inclusive àqueles Empregados admitidos a partir de 1º de maio de 2009, um piso salarial de R$ 624,96 (seiscentos e vinte e quatro reais e noventa e seis centavos) mensais. O piso salarial será alterado de acordo com os reajustes salariais que, por via legal ou espontânea, beneficiarem de forma geral os Empregados da Empresa. REAJUSTES/CORREÇÔES SALARIAIS CLÁUSULA QUARTA VARIAÇÃO SALARIAL

2 Os salários válidos para maio de 2009, dos empregados abrangidos por este Acordo Coletivo de Trabalho, serão reajustados, para fins de revisão de acordo coletivo, em 1º de maio de 2009, com o percentual de 6,83%(seis virgula oitenta e três por cento). CLÁUSULA QUINTA PROPORCIONALIDADE DA VARIAÇÃO SALARIAL Os Empregados admitidos entre 01 de maio de 2008 e 30 de abril de 2009, terão seus salários alterados pelo único critério da tabela de escalonamento abaixo, entendido para o efeito, exclusivamente, como mês completo a fração igual ou superior a 15 (quinze) dias de efetividade, contados da data de admissão até a data da presente revisão (01 de maio de 2009), percentuais incidentes sobre o salário de admissão. TABELA DE PROPORCIONALIDADE Admissão Percentual Admissão Percentual Maio/2008 6,83% Novembro/2008 3,36% Junho/2008 6,24% Dezembro/2008 2,79% Julho/2008 5,66% Janeiro/2009 2,23% Agosto/2008 5,08% Fevereiro/2009 1,67% Setembro/2008 4,50% Março/2009 1,11% Outubro/2008 3,93% Abril/2009 0,55% Em hipótese alguma resultante do reajustamento proporcional acima, poderá o salário do empregado mais novo no emprego ultrapassar o salário do empregado mais antigo na Empresa, considerando o mesmo cargo ou função. Da mesma forma não poderá empregado que na data de sua admissão percebia salário igual ou inferior ao de outros, passar a perceber, por força do ora estabelecido, salário superior ao daquele. PAGAMENTO DE SALÁRIO - FORMAS E PRAZOS CLÁUSULA SEXTA PAGAMENTO DE VARIAÇÃO SALARIAL As eventuais diferenças decorrentes das variações aqui previstas serão praticadas juntamente com a folha de pagamento do mês de junho de CLÁUSULA SÉTIMA ADIANTAMENTO QUINZENAL A empresa concederá, mensalmente a seus Empregados, um adiantamento salarial quinzenal no valor equivalente a 35% (trinta e cinco por cento) do salário base do mês de pagamento do adiantamento, até o dia 15 (quinze) de cada mês Caso o dia 15 (quinze) coincida com sábado, domingo ou feriado, o pagamento será realizado a partir do primeiro dia útil subseqüente. CLÁUSULA OITAVA - PAGAMENTO DE SALÁRIO A Empresa efetuará o pagamento dos salários em dinheiro ou através de depósito em conta corrente aberta em nome do empregado para este fim com acesso dentro do horário de trabalho. CLÁUSULA NONA RECIBO DE PAGAMENTO A Empresa fornecerá contra-recibo de pagamento com discriminação das parcelas pagas e descontos efetuados.

3 DESCONTOS SALARIAS CLÁUSULA DÉCIMA DESCONTOS EM FOLHA A Empresa poderá descontar da remuneração mensal de seus Empregados, as parcelas relativas a subsídios de benefícios indiretos concedidos, bem como de mensalidades ou débitos com as Associações dos Empregados, que sejam diretamente administradas por eles, desde que esses descontos sejam autorizados individualmente pelos Empregados. OUTRAS NORMAS REFERENTES A SALÁRIOS, REAJUSTES, PAGAMENTOS E CRITÉRIOS PARA CÁLCULOS CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA - QUITAÇÃO DO PERÍODO REVISANDO Com a concessão da variação salarial mencionada acima, fica integralmente cumprida pela Empresa toda a legislação salarial aplicável de 01 de maio de 2008 até 30 de abril de CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA COMPENSAÇÃO DE REAJUSTES NO PERÍODO REVI- SANDO Quaisquer variações salariais concedidas entre 1º de maio de 2008 e 30 de abril de 2009, poderão ser utilizadas para compensação com a variação salarial prevista acima, de vez que a variação salarial ora concedida, incorpora todos os reajustes salariais, espontâneos, coercitivos, acordados ou abonados previstos de 01 de maio de 2008 até 30 de abril de 2009, inclusive, zerando quaisquer índices inflacionários aplicáveis à categoria até 30 de abril de Não serão compensados, contudo, os aumentos salariais, espontâneos ou compulsórios, concedidos no período revisando e durante o prazo de vigência do acordo, decorrentes de término de aprendizagem, promoção por merecimento e antiguidade, transferência de cargo, função, estabelecimento ou de localidade, bem como decorrentes de equiparação salarial determinada por sentença transitada em julgado. CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA - COMPENSAÇÃO DE REAJUSTES FUTUROS As variações salariais espontâneas ou coercitivas, com exceção da concedida neste acordo(cláusula 01 e 02), praticadas a partir de 1º de maio de 2009 e na vigência do presente acordo poderão ser utilizadas como antecipações e para compensação em procedimento coletivo futuro, de natureza legal ou não, de feitio revisional ou ainda decorrentes de política salarial. CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA - SALÁRIO SUBSTITUTO Será garantido ao empregado admitido para a mesma função de outro, dispensado sem justa causa, igual salário ao do empregado de menor salário na mesma função, sem considerar vantagens pessoais. GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS 13º SALÁRIO CLÁUSULA DÉCIMA QUINTA GRATIFICAÇÃO NATALINA

4 Aos Empregados afastados em Auxílio-Doença ou por Acidente de trabalho, será assegurado no primeiro ano civil de seu afastamento, o 13º (décimo terceiro) salário, na mesma proporção a qual faria jus se estivesse em atividade, mediante o pagamento da diferença entre a sua remuneração e o valor recebido da Previdência Social a título de 13º salário. ADICIONAL DE HORA-EXTRA CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA HORAS EXTRAORDINÁRIAS As horas que forem trabalhadas em domingos e feriados terão um acréscimo de 100% (cem por cento), sobre o valor da hora normal. Serão também remuneradas com adicional de 100% (cem por cento) as horas que forem trabalhadas nos dias destinados a folgas, desde que a Empresa não conceda outro dia de folga em substituição As horas extras diárias serão remuneradas com um adicional de 50% (cinqüenta por cento) sobre o salário base do empregado. CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA INTEGRAÇÃO DE HORAS EXTRAS E SERÕES As horas extras e os pagamentos de domingos e feriados trabalhados, integrarão pela média, os pagamentos de férias e gratificações natalinas (13º salário). CLÁUSULA DÉCIMA OITAVA - QUINQUENIO ADICIONAL DE TEMPO DE SERVIÇO A Empresa pagará mensalmente a seus Empregados o adicional de tempo de serviço de 4% (quatro por cento), denominado qüinqüênio, calculado sobre o salário básico do empregado, para cada período de 5(cinco) anos de trabalho para a empresa A partir de 01 de fevereiro de 2005, em qualquer hipótese, fica limitado em 04 (quatro) o número de quinqüênios que os Empregados poderão receber em decorrência do tempo de serviço prestado para a Empresa Apenas os Empregados que até o dia 31 de janeiro de 2005 percebiam qüinqüênios em número acima de 04 (quatro), continuarão a perceber, de forma destacada, o valor correspondente ao percentual de qüinqüênios superior a 04 (quatro), não havendo que se falar em equiparação salarial para qualquer fim Exceção feita ao previsto no subitem imediatamente anterior, não há que se falar, em qualquer hipótese, em número de quinqüênios superior a 04 (quatro) para quem quer que seja, tampouco em direito adquirido. CLÁUSULA DÉCIMA NONA ADICIONAL NOTURNO A Empresa pagará aos empregados que desenvolvem suas atividades profissionais em horário noturno, assim considerado aquele compreendido entre às 22:00 (vinte e duas) horas de um dia e às 05:00 (cinco) horas do dia seguinte, com o adicional de 35% (trinta e cinco por cento) do valor do salário hora respectivo, sem prejuízo da contagem reduzida do horário noturno. AUXÍLIO EDUCAÇÃO

5 CLÁUSULA VIGÉSIMA - AUXÍLIO ESCOLAR A Empresa pagará um auxílio-escolar no valor total de R$ 335,45 ((trezentos e trinta e cinco reais e quarenta e cinco centavos), conforme estabelecido por este instrumento, com pagamento até o dia 30 de abril de 2009, para cada trabalhador, que estiver cursando o 1º e 2º (mesmo que a nível de supletivo) ou 3º graus, ou que tenha filho dependente e que estiver estudando, mediante a comprovação de matrícula para o ano letivo corrente e freqüência escolar do ano letivo imediatamente anterior Cada trabalhador terá direito somente a 01 (um) auxílio-escolar A Empresa ficará desobrigada do pagamento deste auxílio-escolar na hipótese de conceder eventual benefício com igual fim e em valor igual ou superior ao previsto nesta cláusula. AUXÍLIO MORTE/FUNERAL CLÁUSULA VIGÉSIMA PRIMEIRA AUXILIO FUNERAL Ocorrendo falecimento de um empregado, a Empresa pagará um Auxílio Funeral no valor de 3 (três) salários normativos vigentes na Empresa à data do óbito, a quem, de forma induvidosa, comprovar com a apresentação de documentos hábeis, ter suportado, às suas expensas, as despesas com o funeral. AUXÍLIO CRECHE CLÁUSULA VIGÉSIMA SEGUNDA - AUXÍLIO CRECHE A obrigação contida nos parágrafos primeiro e segundo do artigo 389 da C.L.T., de acordo com o parecer MTB 196/86, aprovado em 16/07/87 e Portaria MTB nº 670 de 20/08/97, por opção da empregada, poderá ser substituída, pela concessão de auxílio pecuniário, no valor mensal correspondente a 20% (vinte por cento) do salário normativo previsto na cláusula 07 (sete) e observadas as seguintes condições: O pagamento será feito às empregadas ativas mães de crianças com até 05 (cinco) anos de idade, na forma do reembolso, a partir do retorno do afastamento por licença maternidade do artigo 392 da C.L.T.; Para receber este reembolso é obrigatório que a empregada apresente à EMPRESA os comprovantes das despesas efetuadas O reembolso creche não terá configuração salarial, ou seja, não terá reflexos para efeito de férias, 13º salário, aviso prévio e FGTS, etc.; O objeto desta cláusula poderá deixar de existir caso a Empresa instale creche própria ou firme convênio com creche com efetivo funcionamento e compatível com o horário de trabalho das empregadas, cabendo à Empresa a divulgação interna e comunicação ao Sindicato dos Trabalhadores. CONTRATO DE TRABALHO - ADMISSÃO, DEMISSÃO, MODALIDADES

6 NORMAS PARA ADMISSÃO/CONTRATAÇÃO CLÁUSULA VIGÉSIMA TERCEIRA CONTRATO DE TRABALHO Os contratos a prazo determinado, inclusive de experiência, que a Empresa ajustar com os Empregados que admitir na vigência deste Acordo, deverão ser obrigatoriamente celebrados por escrito, com fornecimento de cópia ao empregado contratado, sob pena de, na omissão, ser o pacto laboral considerado como sendo a prazo indeterminado. CLÁUSULA VIGÉSIMA QUARTA - HOMOLOGAÇÕES DE RESCISÕES CONTRATUAIS Os contratos de trabalho sujeitos a assistência legal na rescisão tomarão esta preferencialmente no Sindicato dos Trabalhadores. DESLIGAMENTO/DEMISSÃO CLÁUSULA VIGÉSIMA QUINTA - PAGAMENTO DAS PARCELAS RESCISÓRIAS O pagamento das parcelas rescisórias será efetivado no máximo até 10(dez) dias do término do aviso prévio, sob pena de pagamento de multa diária de 1(um) dia de salário até o cumprimento da obrigação. Em caso de aviso prévio indenizado a contagem deste prazo se inicia na dação do aviso. O valor da multa terá o limite máximo de 1(um) mês de salário do empregado. AVISO PRÉVIO CLÁUSULA VIGESIMA SEXTA DISPENSA FINAL DO AVISO PRÉVIO O Empregado pré-avisado de rescisão de contrato de trabalho, que não for dispensado totalmente do trabalho, será liberado de restante ou final do aviso prévio ao comprovar a obtenção de outro emprego, sem prejuízo da remuneração correspondente ao valor integral do aviso prévio e da repercussão deste nas verbas indenizatórias legalmente cabíveis. CLÁUSULA VIGESIMA SÉTIMA AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL O aviso prévio da rescisão contratual será acrescido de 02 (dois)dias por ano de tempo de serviço prestado à Empresa, quando o empregado contar com 05 (cinco) anos ou mais de contrato de trabalho com a Empresa, acréscimo este limitado a 20 (vinte) dias. OUTRAS NORMAS REFERENTES A ADMISSÃO, DEMISSÃO E MODALIDADES DE CONTRATAÇÃO CLÁUSULA VIGÉSIMA OITAVA ANOTAÇÃO NA CARTEIRA DE TRABALHO A Empresa anotará na CTPS de seus Empregados a função exercida pelos mesmos. CLÁUSULA VIGÉSIMA NONA FECHAMENTO ANTECIPADO DO CARTÃO PONTO Com a finalidade de permitir a manutenção da prática do pagamento dos salários no último dia útil de cada mês, a Empresa poderá efetuar o fechamento dos cartões de ponto antes que se encerre o mês, fazendo-o no décimo - quinto dia útil de cada mês. Neste caso, o pagamento das horas extras e do adicional sobre horas noturnas realizadas, assim como o desconto das faltas ao servi-

7 ço que forem constatadas após o referido fechamento e até o último dia do mês, serão feitos no mês subseqüente àquele a que se referirem essas horas e faltas, com os respectivos valores calculados com base no salário percebido no mês em que haverá o pagamento das horas e/ou o desconto das faltas. CLÁSULA TRIGÉSIMA - CONTRA RECIBO DA CTPS Toda vez que o empregado entregar sua Carteira de Trabalho à Empresa, para anotações e quaisquer outros fins, ser-lhe-á fornecido recibo deste ato. CLÁUSULA TRIGÉSIMA PRIMEIRA - RELÇÃO DE SALÁRIOS DE CONTRIBUIÇÃO A Empresa fornecerá ao empregado demitido, quando requerida, a relação de seus salários de contribuição durante o período trabalhado, até o máximo daquele período incorporado no formulário oficial do INSS, intitulado Relação de Salários de Contribuição RSC. CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEGUNDA CÓPIAS DAS RESCISÕES CONTRATUAIS A Empresa encaminhará ao Sindicato dos Trabalhadores cópias de todas as rescisões de contrato de trabalho, que não estejam submetidas à assistência legal, fazendo constar junto a mesma o último endereço do empregado de que tenha conhecimento. CLÁUSULA TRIGÉSIMA TERCEIRA PAGAMENTO DOS MESES COM 31 DIAS A Empresa pagará aos empregados mensalistas que a tanto fizeram jus, 02 (dois) dias de salário como contraprestação pelo trabalho nos dias 31 (trinta e um) dos meses de janeiro, março, maio, julho, agosto, outubro e dezembro de cada ano O pagamento se dará sempre na folha de pagamento do mês de aniversário do contrato de trabalho do empregado, sendo devido somente a partir de 01 (um) ano de contrato de trabalho ininterrupto com a empresa. RELAÇÃO DE TRABALHO CONDIÇÕES DE TRABALHO, NORMAS DE PESSOAL E ESTABILIDADES ESTABILIDADE MÃE CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUARTA - ESTABILIADE GESTANTE Às empregadas gestantes é assegurada estabilidade provisória, com garantia dos salários desde o início da gravidez e até 90 (noventa) dias após o término do benefício-maternidade e previdenciário, exceto nos casos de contrato a prazo determinado, inclusive de experiência e rescisão por justa causa As empregadas comprovarão sua condição de gestante por atestado médico ou exame laboratorial identificado. No caso de serem demitidas, terão o prazo de 60 (sessenta) dias para trazer a dita comprovação, sob pena de perda do direito à estabilidade desta cláusula e aos salários e demais consectários legais vencidos e vincendos A empregada que manifestar expressamente o desejo de rescindir o contrato de trabalho com a Empresa, após o retorno do benefício-maternidade, o que equivaleria a um pedido de demissão, será convertido, pela Empresa, em demissão sem justa causa com o pagamento das par-

8 celas rescisórias correspondentes, mas sem a obrigação de indenizar o restante do período de estabilidade ou garantia de emprego Quando a Empresa demitir uma empregada após o retorno do benefício-maternidade, indenizará o prazo final de estabilidade ora ajustado. ESTABILIDADE SERVIÇO MILITAR CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUINTA - ESTABILIDADE DO EMPREGADO ALISTADO NO SERVI- ÇO MILITAR Ao empregado menor alistado no serviço militar, é assegurada estabilidade provisória, desde o alistamento e até a incorporação e nos 30(trinta) dias subseqüentes ao desligamento da Unidade Militar em que servir, exceto nos casos de contrato a prazo determinado, inclusive de experiência, rescisão por justa causa e pedido de demissão. ESTABILIDADE PORTADORES DOENÇA NÃO PROFISSIONAL CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEXTA - ESTABILIDADE AO EMPREGADO AFASTADO EM AUXÍ- LIO DOENÇA Excetuando-se as hipóteses de falta grave, pedido de demissão e rescisão contratual por mútuo consenso, assistida pelo Sindicato dos Trabalhadores, aos empregados afastados por doença, fica garantida estabilidade de 90 (noventa) dias no emprego e salário, a partir da alta do INSS. ESTABILIDADE APOSENTADORIA CLÁUSULA TRIGÉSIMA SÉTIMA ESTABILIDADE DO EMPREGADO EM VIAS DE SE APO- SENTAR Ao empregado, ao qual falte o máximo de até 12(doze) meses para se aposentar por tempo de serviço ou por idade, a Empresa garantirá estabilidade no emprego pelo prazo máximo correspondente a até 12(doze) meses, exceto nos casos de contrato a prazo determinado, inclusive de experiência, rescisão por justa causa e pedido de demissão e adquirido o direito a aposentadoria extingue-se a garantia aqui prevista O benefício referido nesta cláusula, somente será concedido uma única vez Na hipótese de dispensa sem justa causa, caso o empregado se encontre nas condições previstas nesta cláusula, fica o mesmo obrigado a fazer prova à Empresa, do respectivo tempo de serviço, no prazo de 30(trinta) dias contados da data do recebimento da notificação de dispensa, extensível para 60(sessenta) dias na hipótese de aposentadoria especial, sob pena de perda da garantia estabelecida nesta cláusula. OUTRAS ESTABILIDADES CLÁUSULA TRIGÉSIMA OITAVA ESTABILIDADE AOS SUPLENTES DA CIPA A Empresa reconhece aos empregados candidatos e eleitos como suplentes da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA a garantia provisória de emprego prevista o art. 10, inciso II, alínea a, do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias que é parte da Constituição Federal de 1988.

9 JORNADA DE TRABALHO DURAÇÃO, DISTRIBUIÇÃO, CONTROLE, FALTAS COMPENSAÇÃO DE JORNADA CLÁUSULA TRIGÉSIMA NONA - REGIME DE COMPENSAÇÃO A Empresa poderá contratar com seus Empregados menores, regime de compensação de jornada de trabalho, ficando autorizada a fazê-lo, observadas as seguintes condições: As horas de trabalho correspondentes aos sábados serão compensadas no decurso da semana e, de comum acordo com os seus Empregados menores, a Empresa fixará a jornada de trabalho para efeito de compensação total do expediente aos sábados Assim, tem-se por cumpridas as exigências legais, sem outras formalidades, observados os critérios de proteção ao trabalho do menor, levando-se o termo a registro na DRT, instruído com cópia do presente Acordo Coletivo de trabalho, no prazo de 5 (cinco) dias úteis, após a formalização do ajuste. FALTAS CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA - ABONO DE FALTAS POR FALECIMENTO Abono de faltas ao serviço com pagamento da respectiva remuneração de até 3 (três) dias consecutivos em caso de falecimento de cônjuge ou companheiro (a), ascendente, descendente, ou pessoa que viva sob a dependência econômica do (a) empregado (a). CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA PRIMEIRA ABONO DE FALTAS PARA INTERNAÇÃO HOS- PITALAR Abono de faltas ao serviço com pagamento da respectiva remuneração de 1(um) dia a cada mês nos casos de internação hospitalar de filhos menores, cônjuge ou companheiro (a) do (a) empregado (a), tudo mediante comprovação escrita. CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA SEGUNDA ABONO DE FALTAS - ESTUDANTES Abono de faltas ao serviço do empregado que estiver regularmente matriculado em estabelecimento oficial de ensino, autorizado ou reconhecido, pré-avisada a Empresa com o mínimo de 24 (vinte e quatro) horas, para fins de prestação de exames, ou para os casos de provas em cursos supletivos ou vestibulares, desde que o horário de sua jornada de trabalho seja coincidente com horário dos exames ou provas, mediante comprovação posterior. OUTRAS DISPOSIÇÕES SOBRE JORNADA CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA TERCEIRA - ATRASOS Tolerância de atraso no início da jornada de trabalho, de no máximo 30 (trinta) minutos no mês, desde que o número de atrasos não exceda de 4 (quatro) dentro do mês civil, sem prejuízo do repouso semanal remunerado.

10 CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA QUARTA - DIAS PONTES Fica facultado à Empresa a liberação do trabalho em dias úteis intercalados com feriados e fins de semana, através de compensação, anterior ou posterior, dos respectivos dias, desde que aceita a liberação e a forma de compensação por, no mínimo, 50% (cinqüenta por cento) dos seus empregados, inclusive menores e mulheres, consultados com antecedência mínima de 15(quinze) dias do evento e com assistência sindical. CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA QUINTA REDUÇÃO DO HORÁRIO DE TRABALHO DE RE- FEIÇÕES E ALTERAÇÃO DO HORÁRIO DOS TURNOS A Empresa desenvolverá estudos para melhor adequar os horários de início e fim dos turnos e jornada de trabalho, sobre as quais se houver a concordância de ampla maioria dos empregados envolvidos e for realizada com a devida compreensão e busca de solução para situações individuais, poderá resultar na alteração dos horários de trabalho e, inclusive, em relação ao tempo de descanso e refeições. FÉRIAS E LICENÇAS DURAÇÃO E CONCESSÃO DE FÉRIAS CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA SEXTA - ANTECIPAÇÃO DAS FÉRIAS A Empresa poderá antecipar as férias de seus Empregados com períodos aquisitivos incompletos, efetuando as devidas compensações nas hipóteses em que o vínculo empregatício se desfaça por iniciativa de qualquer uma das partes, antes que o período aquisitivo se complete. OUTRAS DISPOSIÇÕES SOBRE FÉRIAS E LICENÇAS CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA SÉTIMA LICENÇA CASAMENTO Os empregados gozarão de licença remunerada por 3 (três) dias úteis consecutivos, quando contraírem matrimônio oficialmente. CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA OITAVA - ABONO PECUNIÁRIO NAS FÉRIAS COLETIVAS Na concessão de férias coletivas, permite-se aos Empregados da Empresa, que gozarão férias coletivas, a conversão de 1/3 (um terço) do período de férias a que tiverem direito, em Abono Pecuniário, do valor da remuneração que lhes for devida nos dias correspondentes. Este abono, a Empresa pagará no prazo estipulado no artigo 145 da CLT, em sua redação atual, aos empregados que pelo seu recebimento manifestarem sua opção livremente e com assistência sindical, ficando, por esta forma, cumprida a exigência legal a que se refere o parágrafo 2º do artigo 143 da CLT, sem necessidade de outras formalidades Optando ou não pelo recebimento do Abono Pecuniário, todos os empregados terão as férias coletivas iniciadas e terminadas num mesmo período, a fim de que todos possam retornar simultaneamente ao trabalho após o seu decurso. Para tornar possível o regresso simultâneo, a Empresa acrescentará na remuneração das férias dos empregados que optarem pelo recebimento do Abono Pecuniário, o valor equivalente a 1/3 (um terço) dos dias de férias, arredondando a fração decimal para mais 1(um) dia, de maneira que, quando em decorrência de concessão coletiva, as férias forem gozadas em dois períodos anuais, os períodos de gozo e de Abono Pecuniário

11 concedidos possam, somados, corresponder à proporção estabelecida no artigo 130 do Diploma Consolidado. SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR UNIFORME CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA NONA - UNIFORMES A Empresa fornecerá uniforme, gratuitamente, aos Empregados, quando exigir seu uso obrigatório em serviço Extinto ou rescindido seu contrato de trabalho, o empregado deverá devolver os uniformes de seu uso, que continuam de propriedade da Empresa, qualquer que seja o estado de conservação que se encontrarem, sob pena de dever indenizar cada peça não devolvida pelo valor equivalente a última compra efetuada pela Empresa, atualizada com aplicação dos índices de reajuste salarial coletivo compreendido entre a data da última compra e a da rescisão ou extinção contratual. CIPA COMPOSIÇÃO, ELEIÇÃO, ATRIBUIÇÕES, GARANTIAS AOS CIPEIROS CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA - ELEIÇÕES DA CIPA A Empresa comunicará ao Sindicato dos Trabalhadores com antecedência de 45(quarenta e cinco) dias a data da eleição da CIPA. ACEITAÇÃO DE ATESTADOS MÉDICOS CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA PRIMEIRA - ATESTADOS MÉDICOS E ODONTOLÓGICOS Em razão da Empresa dispor de serviço médico próprio e também em convênio, cabe a ela, prioritariamente, o exame de saúde e o abono das faltas, dos seus Empregados, até o limite máximo dos primeiros 15 (quinze) dias. Entretanto, a Empresa também aceitará os atestados médicos e odontológicos que forem emitidos por profissionais do Sindicato dos Trabalhadores, onde o abono da falta fica condicionado à homologação do serviço médico da Empresa. RELAÇÕES SINDICAIS SINDICALIZAÇÃO ( CAMPANHAS E CONTRATAÇÃO DE SINDICALIZADOS) CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA SEGUNDA - SINDICALIZAÇÃO DE EMPREGADOS A Empresa e o Sindicato dos Trabalhadores, em consenso, convencionarão um determinado dia dentro da vigência deste instrumento, para que, no local de trabalho, possa o Sindicato Profissional promover a sindicalização dos empregados que manifestarem interesse em fazer parte de seu quadro associativo. LIBERAÇÃO DE EMPREGADOS PARA ATIVIDADES SINDICAIS

12 CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA TERCEIRA - LIBERAÇÃO DE EMPREGADOS PARA PARTI- CIPAREM DE ASSEMBLÉIAS Sempre que o Sindicato dos Trabalhadores desejar a liberação de empregados da Empresa, que estejam em horário de trabalho, para participar de Assembléias e para deliberar sobre assuntos de interesse mútuo entre Empregados e Empresa e a fim de que tal liberação se processe ordenadamente, o Sindicato fará prévia comunicação à Empresa, por escrito, com antecedência de 5 (cinco) dias da data prevista para a realização das Assembléias. CONTRIBUIÇÕES SINDICAIS CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA QUARTA - CONTRIBUIÇÃO SINDICAL A Empresa obriga-se em nome do Sindicato dos Trabalhadores, e por conta e responsabilidade deste, em promover o desconto, a título de Contribuição Assistencial, em prol do Sindicato Profissional, de todos os empregados, beneficiados com o presente acordo, sindicalizados ou não, da importância equivalente a 01(um) dia de salário do mês de julho de 2009 e 0,5(meio) dia de salário no mês de janeiro de O valor resultante dos descontos aos quais se alude, será encaminhado ao Sindicato no máximo de até 10 (dez) de agosto de 2009 e 10 (dez) de fevereiro de 2010, respectivamente. CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA QUINTA - CONTRIBUIÇÃO CONFEDERATIVA De conformidade com o aprovado em Assembléia Geral Extraordinária promovida pelo Sindicato dos Trabalhadores, por conta, risco e responsabilidade do mesmo e a vista da expressa deliberação, a Empresa descontará de todos os seus empregados associados ao Sindicato Profissional, contratados direta ou indiretamente, em favor deste Sindicato, mensalmente, o valor correspondente a R$ 9,30(nove reais e trinta centavos), com recolhimento até o dia 10(dez) do mês subseqüente ao desconto Fica assegurado aos Empregados o direito de oposição a este desconto, manifestada através de carta diretamente entregue no departamento pessoal da Empresa, em 03 (três) vias, devendo este fornecer ao Sindicato uma das vias no prazo de 10(dez) dias, contados a partir da data do seu recebimento. OUTRAS DISPOSIÇÕES SOBRE RELAÇÃO ENTRE SINDICATO E EMPRESA CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA SEXTA - QUADRO DE AVISOS A Empresa permitirá a colocação, nos seus quadros de avisos, de comunicações, circulares e avisos do Sindicato dos Trabalhadores, após previamente aprovados pela Direção da Empresa e desde que assinados por um Diretor do Sindicato Profissional. CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA SÉTIMA - NEGOCIAÇÃO DIRETA O Sindicato dos Trabalhadores sempre formalizará previamente à Empresa os conflitos coletivos de trabalho, que entender existentes, sobre os quais receberá resposta no prazo de 10(dez) dias. OUTRAS DISPOSIÇÕES SOBRE REPRESENTAÇÃO E ORGANIZAÇÃO CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA OITAVA ABONO DE FALTAS DE DIRIGENTES SINDICAIS Quando convocados para desenvolverem atividades sindicais, os empregados legalmente empossados como dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores, terão suas faltas remuneradas pela Em-

13 presa, com base no salário nominal e proporcionalmente ao respectivo tempo do afastamento. Entretanto, para que tais afastamentos se processem ordenadamente, o Sindicato Profissional fará prévia comunicação a Empresa, por escrito, com antecedência de 48 (quarenta e oito) horas, ficando certo, outrossim, que tais ausências, considerados todos os empregados integrantes da Diretoria do Sindicato, não deverão ultrapassar a somatória limite de 21(vinte e um) dias por ano, contados estes a partir de 1º de maio de 2009, independente de que ao dirigente-tesoureiro do Sindicato, empregado da Empresa, Sr. Vilson Rodrigues Pereira, serão abonadas diariamente todas as horas de trabalho que lhe sejam excedentes ao horário das 12:00 (doze) horas, bem como a jornada de trabalho integral aos sábados. DISPOSIÇÕES GERAIS MECANISMOS DE SOLUÇÃO DE CONFLITOS CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA NONA - DIVERGÊNCIAS Qualquer divergência na aplicação das normas do presente Acordo Coletivo de Trabalho poderá ser resolvida em reunião convocada pela parte interessada, mediante prévia comunicação à parte adversa com 15 (quinze) dias de antecedência. Permanecendo a divergência quanto à aplicabilidade deste Acordo, a parte poderá, buscar a intermediação de mediador, ou recorrer à Justiça do Trabalho. Nesta hipótese, fica reconhecida a legitimidade dos acordantes para ajuizar ação visando o cumprimento do presente. DESCUMPRIMENTO DO INSTRUMENTO COLETIVO CLÁUSULA SEXAGÉSIMA - COMINAÇÕES Na vigência do presente Acordo Coletivo de Trabalho as comunicações para eventuais infrações serão as aqui estipuladas e/ou que tenham previsão legal específica. OUTRAS DISPOSIÇÕES CLÁUSULA SEXAGÉSIMA PRIMEIRA - REFEIÇÕES A Empresa fornecerá a todos os seus Empregados alimentação constituída de desjejum mais uma refeição principal a preço subsidiado segundo os critérios já praticados em sua política interna e em decorrência de convênio com o PAT. CLÁUSULA SEXAGÉSIMA SEGUNDA - ALIMENTAÇÃO - HORA EXTRA Antes do início de prorrogação da jornada de trabalho em regime extraordinário, que exceder ao tempo de 1 (uma) hora, o empregado receberá 1 (um) lanche constituído de café, pão e margarina, concedido como complemento do vale-refeição fornecido nos termos do convênio com o PAT e cláusula anterior (15), não se considerando como salário in-natura. CLÁUSULA SEXAGÉSIMA TERCEIRA - MULTA POR DESCUMPRIMENTO DE CLÁUSULA COM OBRIGAÇÃO DE FAZER

14 Fica estipulado uma multa equivalente a 10% (dez por cento) do salário base do empregado e em seu benefício para cada caso de infração de cláusulas com obrigação de fazer, estabelecidas neste acordo, excluindo-se desta cláusula as infrações que já possuam cominações previstas em lei ou convenção. CLÁUSULA SEXAGÉSIMA QUARTA - EFICÁCIA DO ACORDO A eficácia do presente Acordo Coletivo de Trabalho fica condicionada ao prévio depósito de uma via no órgão Regional do Ministério do Trabalho e Emprego, o que as partes comprometem-se a fazê-lo conjuntamente. CLÁUSULA SEXAGÉSIMA QUINTA - FORMA O presente Acordo Coletivo de Trabalho, instruído com os documentos necessários, é formalizado em quatro (04) vias de igual teor e forma e uma só finalidade. WALDIR CANIBAL DE AVILA PRESIDENTE SIN DOS TRAB NA IND FABRI E DISTR EM PANIF ETC P ALEGRE VERNO AREND DIRETOR FLORESTAL ALIMENTOS S/A A autenticidade deste documento poderá ser confirmada na página do Ministério do Trabalho e Emprego na Internet, no endereço

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002511/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053502/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.005004/2012-32 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 8 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000792/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 25/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR016119/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 47193.000049/2012-58

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001633/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/04/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017942/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.001682/2013-16 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001621/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/05/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR020706/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.008089/2011-29 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 10 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC001530/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR022315/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.004377/2013-77 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000812/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 19/06/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017988/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.002440/2009-54 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000145/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 31/01/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR080680/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.001357/2014-74 DATA

Leia mais

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/resumo/resumovisualizar?nrsolicitacao...

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/resumo/resumovisualizar?nrsolicitacao... Página 1 de 5 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000542/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 13/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024046/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46290.001101/2013-11 DATA DO PROTOCOLO: 23/05/2013 CONVENÇÃO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000953/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029282/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009097/2013-02 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001254/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/04/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017099/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.006142/2011-57 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL 1 de 5 05/11/2014 10:02 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002761/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 04/11/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR066410/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.007110/2014-12

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP008079/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/09/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR044195/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46261.004278/2009-22 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PA000361/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 02/06/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR031936/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46222.003478/2015-72 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 SINDICATO DOS TECNICOS EM SEGURANCA TRABALHO DO ESTADO DE MINAS GERAIS, CNPJ n. 25.578.642/0001-01, neste ato representado por seu Presidente, Sr. CLÁUDIO FERREIRA SANTOS;

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG005003/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 05/12/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR079528/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.007490/2014-02 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 7 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR003924/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053747/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.011188/2014-31 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 6 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RN000390/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 25/10/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR060523/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46217.008181/2013-19

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002716/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/11/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064091/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.006426/2015-78 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR034439/2012 SINDICATO DOS FARMACEUTICOS DO ESTADO DE M GROSSO DO SU, CNPJ n. 15.939.572/0001-08, neste ato representado(a) por seu Presidente,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE AUTOMÓVEIS E ACESSÓRIOS DE BELO HORIZONTE, CNPJ n. 17.265.893/0001-08, neste ato representado por seu Presidente, Sr. HELTON

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP000528/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/01/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024421/2008 NÚMERO DO PROCESSO: 46255.000080/2009-59 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 6 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG004008/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR057851/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.008943/2011-67 DATA

Leia mais

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005/2006 PELO PRESENTE INSTRUMENTO DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO DE UM LADO O SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE RÁDIODIFUSÃO DO ESTADO DO PARANÁ, A SEGUIR DENOMINADO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO, que celebram de um lado, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo SESCOOP NACIONAL - CNPJ N.º 03.087.543/0001-86,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PB000202/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/06/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021878/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46224.002474/2009-17 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001554/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 12/08/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR032670/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.023032/2010-49 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 1 de 6 18/06/2014 08:16 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC001241/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/06/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR025405/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.003285/2014-51

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002285/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/10/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR055933/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.001820/2011-96 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PB000247/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 01/07/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021198/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46224.001800/2010-02 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 6 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001428/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021439/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.003413/2010-41 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 6 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000276/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/02/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR005346/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.024928/2011-26

Leia mais

GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS

GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001902/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR019390/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46236.000751/2012-13 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR002151/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/08/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR026676/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.010071/2009-72 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001092/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/06/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR005184/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.004081/2014-14 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000433/2008 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/10/2008 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR015947/2008 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.032963/2008-13 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 5 Imprimir Salvar TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001556/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/04/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR076938/2014

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/resumo/resumovisualii.. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001782/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 04/09/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO:

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PI000036/2008 DATA DE REGISTRO NO MTE: 11/09/2008 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR015042/2008 NÚMERO DO PROCESSO: 46214.002894/2008-23 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG002058/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR018377/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.004510/2012-13 DATA DO

Leia mais

Celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes:

Celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes: SINDICATO TRABALHADORES MOV MERC EM GERAL DE PASSOS, CNPJ n. 64.480.692/0001-03, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). Manoel Messias dos Reis Silva; E FEDERACAO DO COMERCIO DE BENS, SERVICOS

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002408/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 05/10/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR058446/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.001895/2015-09 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2007/2008 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MS000146/2007 DATA DE REGISTRO NO MTE: 29/10/2007 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR001271/2007 NÚMERO DO PROCESSO: 46312.005618/2007-28 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000096/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/01/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064426/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.042751/2011-40 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG000363/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/02/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR002753/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.000337/2015-27 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA 2014

CONVENÇÃO COLETIVA 2014 CONVENÇÃO COLETIVA 2014 SINDICATO DOS MENSAGEIROS MOTOCICLISTAS E CICLISTAS, MOTO- FRETE, MOTOBOYS E MOTO-TAXISTAS DE CURVELO E REGIÃO, CNPJ n 17.437.757/0001-40, NESTE ATO REPRESENTADO POR SEU PRESIDENTE,

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000787/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/05/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024630/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.008066/2015-98 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. A imagem vinculada não pode ser exibida. Talvez o arquivo tenha sido movido, renomeado ou excluído. Verifique se o vínculo aponta para o arquivo e o local corretos. NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001738/2013

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG002515/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/07/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR038779/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.004745/2014-77 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: AM000415/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/09/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR044279/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46202.014239/2014-03 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG000637/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR004928/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.001229/2011-48 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000776/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/05/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR015125/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46305.000402/2014-94 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 9 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: DF000736/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR067570/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46206.023448/2012-38 DATA DO

Leia mais

Convenção Coletiva de Trabalho 2016/2016

Convenção Coletiva de Trabalho 2016/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000921/2016 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/05/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR023133/2016 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.002652/2016-61 DATA DO PROTOCOLO: 24/05/2016 Convenção Coletiva

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 10 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000427/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 08/04/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR002132/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.005035/2010-71

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE AUTOMÓVEIS E ACESSÓRIOS DE BELO HORIZONTE, CNPJ n. 17.265.893/0001-08, neste ato representado por seu Presidente, Sr. HELTON ANDRADE;

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP010191/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/09/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR054036/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46262.003848/2010-91 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. Convenção Coletiva De Trabalho 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000317/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 28/02/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR010344/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.000931/2014-28 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR003439/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/08/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR046249/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.012779/2015 14 DATA DO

Leia mais

Convenção Coletiva 2014

Convenção Coletiva 2014 Convenção Coletiva 2014 SINDICATO DOS MENSAGEIROS MOTOCICLISTAS E CICLISTAS, MOTO- FRETE, MOTOBOYS E MOTO-TAXISTAS DE CURVELO E REGIÃO, CNPJ n 12.512.993/0001-60, NESTE ATO REPRESENTADO POR SEU PRESIDENTE,

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC001615/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 06/07/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR039038/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.003927/2015-01 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS002341/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/10/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR056758/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.016381/2014-16 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000007/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 09/01/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR072509/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46208.000014/2014-10 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MS000015/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/01/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR000163/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46312.000147/2011-48 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MS000212/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/05/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021394/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46312.003027/2013-64 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC001710/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/07/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR042733/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.004077/2015-50 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG002667/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 29/06/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR027436/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.005491/2011-61 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2017 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR072168/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 11/11/2015 ÀS 17:47 SINDICATO DOS EMPREG VEND E VIAJ DO COM NO ESTADO DO RS, CNPJ n. 92.997.394/0001

Leia mais

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SENAC-DF

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SENAC-DF PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SENAC-DF CLÁUSULA PRIMEIRA VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência do presente Acordo Coletivo de Trabalho no período

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL 1 de 7 20/3/2014 10:43 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000166/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/03/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR001874/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46208.003144/2014-04

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002217/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/10/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053080/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.035134/2010-15 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001069/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/07/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR034655/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009004/2011-70 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000955/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR028972/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009094/2013-61 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001508/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 08/08/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR042435/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46271.002617/2013-01 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Mediador - Extrato Instrumento Coletivo CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PB000236/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/06/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR023908/2011 NÚMERO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002443/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/11/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR061733/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.043450/2011-33 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000422/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/06/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR028733/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46208.005494/2011-54 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 10 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RN000052/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 27/02/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR001722/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46217.001204/2012-75

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000170/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/02/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR000920/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.000168/2015-16

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS 1 de 7 25/07/2014 09:03 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001369/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/07/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR038747/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.014791/2014-44

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Page 1 of 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002293/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR056684/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46303.001097/2014-78 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000285/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/02/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR002993/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.003256/2014-68 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: AL000089/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/04/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR002498/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46201.000506/2014-67 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP012425/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 08/10/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR060338/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46263.004405/2014-31 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR018199/2009 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO SINDICATO DOS TRABALHADORES NA INDÚSTRIA DO CIMENTO, CAL E GESSO DE SÃO PAULO, CNPJ 62.708.417/0001-60, neste ato representado por seu Presidente,

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP007066/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 12/07/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR034444/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46266.004449/2011-98 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2013

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2013 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000022/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 08/01/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR079004/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46273.001163/2013-23 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001711/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 06/05/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR016575/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.005146/2014-61 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 RS001648/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 05/09/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR048052/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.012138/2011-78 DATA DO PROTOCOLO: 01/09/2011 Confira

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002547/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 29/11/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR069674/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.031201/2012-86 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001762/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/05/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR023628/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.008636/2011-76 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002450/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/10/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR055380/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.005486/2013-10 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 FEDERACAO DO COMERCIO DE BENS, SERVICOS E TURISMO DO ESTADO DE MINAS GERAIS - FECOMERCIO-MG, CNPJ n. 17.271.982/0001-59, neste ato representado(a) por seu Presidente,

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001393/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/07/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR033584/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46271.001879/2015-11 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 POR ESTE INSTRUMENTO, QUE ENTRE SI CELEBRAM, POR SEUS RESPECTIVOS REPRESENTANTES LEGAIS, DE UM LADO A ARCELORMITTAL CARIACICA, INSCRITA NO CNPJ/MF SOB O Nº 17.469.701/0053-06

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 10 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001328/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR032173/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.014915/2013-19 DATA

Leia mais

SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTAÇÃO E AFINS DO ESTADO DA BAHIA

SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTAÇÃO E AFINS DO ESTADO DA BAHIA PAUTA DE REIVINDICAÇÕES 2014-2015 DOS EMPREGADOS DA EMPRESA ADINOR INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ADITIVOS LTDA. 1ª Cláusula - REAJUSTE SALARIAL A Empresa reajustará o salário de seus empregados em 100% (cem

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000742/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/08/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR016555/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46208.008711/2013-20 DATA DO PROTOCOLO: 09/08/2013 CONVENÇÃO COLETIVA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 7 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001746/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 21/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR020832/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.005849/2012-27

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001620/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 04/09/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR052914/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46271.003060/2015-80 DATA

Leia mais