UTILIZANDO JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UTILIZANDO JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA"

Transcrição

1 UTILIZANDO JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA Débora de Jesus Bezerra Universidade Metodista de São Paulo Silvana Pucetti Colégio Metodista Vânia Cristina da Silva Rodrigues Universidade Metodista de São Paulo Resumo: Este mini-curso tem o objetivo de fornecer subsídios aos professores de Matemática do Ensino Fundamental e Médio para trabalhar alguns conteúdos de Matemática de forma diferenciada, despertando no aluno o interesse e o gosto pelo estudo da Matemática. Apresentaremos aos professores uma dessas formas: a Metodologia de Jogos. Compartilharemos com os professores a importância dos jogos no Ensino da Matemática que podem fornecer instrumentos para a construção das estratégias de resolução de problemas e permite, a partir de debates, o exercício da argumentação e a organização do pensamento. Ainda, com a intenção de auxiliar a prática do professor apresentaremos uma seqüência didática de jogos com conteúdos que poderão ser explorados e sugestões de atividades que poderão ser aplicadas em sala de aula. Recentemente este mini-curso foi ministrado a um grupo de vinte professores de Matemática da rede estadual de ensino, pertencente à Diretoria de Ensino da região de Registro, no Estado de São Paulo. Palavras-chave: Jogos matemáticos; Situações-problema; Ensino de Matemática. 1. Introdução O ensino da Matemática tem sido foco de inúmeras pesquisas e debates dentro do cenário educacional, a ponto de, muitas vezes, ser encarado como o grande vilão causador de altos índices de retenção e evasão escolar. Diante de tais dificuldades, acredita-se ser pertinente a pesquisa de formas diferenciadas de ensinar a Matemática. Esta oficina tem como objetivo fornecer subsídios que permitam um incentivo a mudança no referido cenário. É consensual a idéia de que não existe um caminho que possa ser identificado como único e melhor para o ensino de qualquer disciplina, em particular, da Matemática. No entanto, conhecer diversas possibilidades de trabalho em sala de aula é fundamental 1

2 para que o professor construa sua prática (PCN, 1998, p. 29). Dentre elas destacam-se como recurso os jogos que podem fornecer instrumentos para a construção das estratégias de resolução e permite, a partir de debates, o exercício da argumentação e a organização do pensamento. Os jogos constituem uma forma interessante de propor problemas, pois permitem que estes sejam apresentados de modo atrativo e favorecem a criatividade na elaboração de estratégias de resolução e busca de soluções. Propiciam a simulação de situações-problema que exigem soluções vivas e imediatas, o que estimula o planejamento das ações; possibilitam a construção de uma atitude positiva perante os erros, uma vez que as situações sucedem-se rapidamente e podem ser corrigidas de forma natural, no decorrer da ação, sem deixar marcar negativas. (PCN, 1998, p.29) A matemática estudada através dos jogos ou materiais concretos simula a realidade, serve de motivação para o indivíduo pensar, questionar, representar o pensamento e passar para a linguagem simbólica. A linguagem, por exemplo, pode surgir da representação de um jogo ou de um material concreto e ser significativo para o aluno de tal forma que facilite o desenvolvimento de fórmulas ou expressões algébricas. A construção de conceitos através de jogos matemáticos visa o desenvolvimento da percepção, atenção, concentração, memória, análise e síntese, raciocínio lógico matemático, habilidade viso-motora e criatividade, linguagem oral e escrita. A linguagem aqui utilizada pode ser entendida pelo aluno como um conjunto de códigos, uma representação do real, permitindo o estabelecimento de relações entre as linguagens simbólica, algébrica e geométrica. A linguagem matemática utilizada para representar o conceito construído a partir de um jogo não precisa necessariamente do rigor matemático nem precisa apresentar uma matemática acadêmica, mas sim, caracterizar um conhecimento matemático. Há jogos de matemática que integram na sua essência uma concepção teórica profunda e uma concepção prática atuante e concreta. Seus objetivos são: estimulação das relações cognitivas, afetivas, verbais, psicomotoras e sociais. A socialização do conhecimento provoca uma reação crítica, ativa, criativa dos alunos. Podemos conseguir através dos jogos e materiais concretos o prazer de interiorizar o conhecimento. É possível construir argumentação como diferenciar, seriar, ampliar, dividir, subdividir, classificar, combinar e sintetizar. 2

3 Jogos em grupo fornecem caminhos para um jogo estruturado no qual eles são intrinsecamente motivados a pensar... jogos incentivam interação social, competição e desenvolvem a autonomia. A possibilidade de fazer regras, tomar decisões juntos é essencial para o desenvolvimento da autonomia... A interação social implícita nos jogos de matemática fornece alternativa para o professor como recurso do encontro de respostas certas. Quando as crianças discutem quais respostas estão certas, elas se tornam fontes da verdade e as crianças desenvolvem confiança em suas próprias habilidades para descobrir as coisas. (KAMII, 1991, p. 172) A participação ativa dos alunos em atividades de jogos e experimentos ajuda a despertar a curiosidade sobre o assunto, fazendo com que busquem soluções mais criativas. A criatividade é uma forma de pensamento muito significativa e os jogos e materiais concretos são instrumentos que levam o aluno a ela. A criatividade passa a ser algo intencional, na medida em que quebra com as estruturas rígidas do pensamento formal. Assim sendo, o aluno construindo conceitos através de jogos e materiais concretos passa a compreender melhor seus significados. Para um trabalho com jogos é necessário que os mesmos sejam escolhidos e trabalhados com o intuito de fazer o aluno ultrapassar a fase da mera tentativa e erro, ou de jogar pela diversão apenas. Por isso, é essencial a escolha de uma metodologia de trabalho que permita a exploração do potencial dos jogos no desenvolvimento de habilidades como raciocínio lógico e intuitivo. 2. A Importância dos Registros nos Jogos Um jogo não deve ser jogado apenas uma vez. Primeiro, joga-se para ver como funciona e para esclarecer as dúvidas, sem preocupação com registros. Depois joga-se, observando os objetivos para os quais foi planejado. Joga-se também, para fazer descobertas, fazer registros e sistematizar o conhecimento que foi construído. Um mesmo jogo pode ser jogado varias vezes, até que os alunos demonstrem que não está mais interessante, que já não há desafio. Um aspecto importante é o registro das jogadas, tanto as eficientes como as frustradas, pois tendo mãos a história dos lances experimentados, torna-se mais fácil a análise do jogo. Há uma grande variedade de formas de registrar um jogo. È interessante que, inicialmente, os alunos façam registros espontâneos, para, em seguida, serem 3

4 socializados no grupo e após análise, ser escolhida a forma (ou as formas) mais clara(s) ou mais prática(s) de se registrar. No trabalho com os alunos é interessante propor, sempre que possível, diferentes possibilidades de análise, apresentado novos obstáculos a serem superados. A análise das ações, neste contexto, permite que os alunos enriqueçam suas estruturas mentais e rompa com o sistema cognitivo. Pressupõe MACEDO et al (2000) que esta situação, possa servir de modelo, possibilitando transferir as estratégias utilizadas no contexto do jogo para outras situações. Há muito maior interesse dos alunos em resolver situações-problemas se lhe são propostas em situações reais de um jogo. O professor que coordena o jogo, não pode perder a oportunidade de criar várias delas ou de pedir aos alunos que as criem uns para os outros. 3. Papel do Professor nos Jogos O uso de jogos para o ensino representa uma mudança de postura do professor em relação ao o que é ensinar matemática, ou seja, o papel do professor muda de comunicador de conhecimento para o de observador, organizador, consultor, mediador, interventor, controlador e incentivador da aprendizagem, do processo de construção do saber pelo aluno, e só irá interferir, quando isso se faz necessário, através de questionamentos, que levem os alunos a mudanças de hipóteses, apresentando situações que forcem a reflexão ou para a socialização das descobertas dos grupos. Dessa forma, a presença do professor é essencial no uso dos jogos no ensino de matemática porque é ele que: Analisa os conteúdos matemáticos que estão por trás do jogo. Faz hipóteses sobre as possíveis soluções e estratégias que os alunos farão durante o jogo. Mapeia previamente os possíveis momentos da construção que darão sentido à solução. Está de olho aberto às situações especiais ou inesperadas para intervir. È importante que o professor, antes de levar os jogos para a sala de aula, estude previamente cada jogo, o que só é possível jogando. Através da exploração e análise de 4

5 suas próprias jogadas e da reflexão sobre seus erros e acertos é que o professor terá condições de colocar questões que irão auxiliar seus alunos. Assim, o professor é fundamental em sala de aula, é ele quem dá o tom do desafio proposto e deve ser o líder da situação, saber gerenciar o que acontece, tornando o meio o mais favorável possível, desencadeando reflexões e descobertas. 4. Apresentação de Alguns Jogos Com a intenção de auxiliar o trabalho do professor na escolha dos jogos apresentamos conteúdos que poderão ser explorados em alguns deles e algumas atividades I. AVANÇANDO COM O RESTO 1 Material: Tabuleiro a seguir, um dado e marcadores ( um para cada jogador) Figura 1: Tabuleiro do Jogo Avançando com o Resto Regras: 1. O jogo inicia-se na casa 39. Realiza-se um sorteio para escolher o jogador que inicia o jogo. 2. Cada jogador, na sua vez, joga o dado e faz uma divisão onde: - o dividendo é o numero da casa onde o seu marcador está; - o divisor é o numero de pontos obtidos no dado. 3. Em seguida, efetua a divisão e movimenta o marcador o número de casas igual ao resto da divisão. 4. O jogador que na sua vez, efetuar um calculo errado perde a sua vez de jogar. 5. Cada jogador deverá obter um resto que faça chegar exatamente a casa marcada FIM sem ultrapassá-la, mas se isso não for possível, ele perde a vez e fica no mesmo lugar. 6. Vence aquele que chegar primeiro ao espaço com a palavra FIM. 1 Variação do jogo apresentado em SILVA, A. F.; KODAMA, H. M.Y Poliminós Núcleo de Ensino, vol 1 UNESP. 5

6 Conteúdos Relacionados: Divisão de números naturais, números primos, divisibilidade e linguagem matemática Sugestão de Atividades: Primeira Proposta: Registrar as divisões efetuadas no jogo; observar quais as melhores casas para se cair; discutir as observações dos jogadores levando-os a deduzir os porquês. Segunda Proposta: Registrar as divisões efetuadas no jogo; observar os restos obtidos nas divisões de mesmo divisor; discutir as observações dos jogadores levando-os a estabelecer as possibilidades para o resto. II - ALGEPLAN Material: Quadrados pequenos que representarão os quadrados de medidas 1 cm x 1 cm. Retângulos que representarão os retângulos de medidas 1 cm X x cm. Um dos lados com a mesma medida dos quadrados pequenos e outro lado com uma medida qualquer x. Quadrados grandes que representarão os quadrados de medidas x cm X x cm. Os lados devem ter a mesma 1 medida escolhida para o lado não unitário do retângulo. Regras: Construir um retângulo cuja área total seja a soma das áreas de cada figura. Conteúdos Relacionados: Operações com Monômios e polinômios, equação do Segundo Grau. Sugestão de Atividades: Primeira Proposta: Montar um retângulo cuja área total seja a soma das áreas de cada figura que você precisará, para montar o polinômio. Segunda Proposta: Calcular a divisão de polinômios sabendo que o dividendo é a área total do retângulo que você deverá forma com as figuras, o divisor é a medida de um dos lados do retângulo formado e o quociente será o outro lado de medida diferente. III - DOMINÓ DAS QUATRO CORES 2 2 Apresentado no livro MACEDO, L. Quatro cores, senha e dominó: oficinas de jogos em uma perspectiva construtivista e psicopedagógica. São Paulo: Casa do Psicológo,

7 Material: Um tabuleiro 35 cm x 35cm 6 peças retangulares grandes de medidas 5 cm X 15 cm sendo três pares de cores diferentes. 6 peças retangulares médias de medidas 5 cm X 10 cm sendo três pares de cores diferentes (utilizar duas cores já utilizadas para fazer os retângulos 5x15 e uma cor diferente). 6 peças quadradas de medida 5 cm sendo três da cor que foi utilizado nos retângulos grandes e médios, um da cor que foi utilizada no retângulo grande e não foi utilizada no retângulo médio e dois da cor que foi utilizada no retângulo médio e não foi utilizada no retângulo grande. Regra: Construir um quadrado usando todas as peças de modo que peças de mesma cor não se tocam nem mesmo pelo vértice. Conteúdos Relacionados: Perímetro de quadriláteros, áreas de quadriláteros por composição e decomposição, simetria, frações. Sugestão de Atividades: Primeira Proposta: Verificar quantos quadrados cabe em um retângulo grande; observar qual fração corresponde cada quadrado em relação ao retângulo grande; observar qual fração corresponde dois quadrados em relação ao retângulo grande; realizar a soma fracionária de um quadrado mais dois quadrados. Segunda Proposta: Escolher algumas peças que componha um quadrado; montar todos os quadrados possíveis com essas peças; anotar as soluções obtidas e verificar quais movimentos foram realizados com as peças. VI MÚLTIPLOS E DIVISORES Material: Tabuleiro e 40 marcadores para cada jogador. 7

8 Figura 2: Tabuleiro do Jogo Múltiplos e Divisores Regras: 1. Decide-se qual será o primeiro jogador a jogar. 2. O primeiro jogador escolhe um número e coloca um de seus marcadores sobre ele. 3. O outro jogador deve marcar divisores do número escolhido e cobrir mais uma casa que esteja descoberta. 4. Se o jogador marcar um número que não é divisor do último número assinalado pela outra equipe, então este número será considerado o escolhido. 5. Cada número só poderá ser marcado uma única vez. 6. A partida termina quando todos os números são marcados. 7. Os pontos de cada jogador é a soma dos números das casas que ele marcou. 8. Vence a equipe que obtiver o maior número de pontos. Conteúdos Relacionados: Divisibilidade; Múltiplos; Números Primos Sugestão de Atividade: Escolha um marcador de uma cor e coloque sobre o número dois; pegue outros marcadores de outras cores e coloque sobre todos os múltiplos de dois; pegue um marcador da mesma cor que você colocou sobre o número dois e coloque sobre o número três; pegue outros marcadores de outras cores e coloque sobre todos os múltiplos de três; repita esse processo até o número 50; o que você observou. 5. Resultados Esperados: Com o desenvolvimento das atividades propostas no decorrer do mini-curso esperamos alcançar os seguintes resultados: (1) Problematização da temática por parte dos alunos; (2) Análise das variáveis envolvidas na utilização do jogo como recurso pedagógico em sala de aula; (3) Aprofundamento da compreensão dos conteúdos abordados em cada um dos jogos. 6. Considerações Finais Temos a convicção de que jogos e situações-problema podem ser recursos úteis para uma aprendizagem diferenciada e significativa. Diferenciada porque atribui à criança e ao professor outras posições na relação com o saber escolar. Segundo MOREIRA (2000) os jogos funcionam em uma estrutura de projeto em que propósitos, recursos, processos e 8

9 resultados articulam-se no contexto das regras, do tabuleiro e das peças, da organização das jogadas, nos desafios, nos desafios, nos desfechos e encruzilhadas que enredam e dão sentido ao jogo. Além disso, segundo BORIM (1996) outro motivo para a introdução de jogos nas aulas de matemática é a possibilidade de diminuir bloqueios apresentados por muitos de nossos alunos que temem a matemática e sentem-se incapacitados para aprendêla. 6. Referencias Bibliográficas BORIN, J. Jogos e resolução de problemas: uma estratégia para as aulas de matemática. São Paulo: IME-USP;1996. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: (5ª a 8ª séries). Brasília: MEC, KAMIL, C. S.; CLARK, G. Reinventando a aritmética: implicações do livro de Piaget. Campinas: Papirus, MACEDO, L.; PETTY, A. L. S.; PASSO, N. C. Aprender com jogos e situações problema. São Paulo: Artmed,

Oficina sobre jogos no ensino da matemática. Antonio José Lopes Bigode

Oficina sobre jogos no ensino da matemática. Antonio José Lopes Bigode Oficina sobre jogos no ensino da matemática Antonio José Lopes Bigode Porque jogos (PCN) Os jogos se constituem numa forma interessante de propor problemas, pois permitem que esses sejam apresentados de

Leia mais

O USO DE JOGOS NAS AULAS DE MATEMÁTICA: TRABALHANDO COM AS OPERAÇÕES COM NÚMEROS NATURAIS E INTEIROS

O USO DE JOGOS NAS AULAS DE MATEMÁTICA: TRABALHANDO COM AS OPERAÇÕES COM NÚMEROS NATURAIS E INTEIROS na Contemporaneidade: desafios e possibilidades O USO DE JOGOS NAS AULAS DE MATEMÁTICA: TRABALHANDO COM AS OPERAÇÕES COM NÚMEROS NATURAIS E INTEIROS José Márcio da Silva Ramos Diniz Universidade Estadual

Leia mais

CUBRA 12: CONTRIBUIÇÕES PARA O CÁLCULO MENTAL COM AS QUATRO OPERAÇÕES NO 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

CUBRA 12: CONTRIBUIÇÕES PARA O CÁLCULO MENTAL COM AS QUATRO OPERAÇÕES NO 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL CUBRA 12: CONTRIBUIÇÕES PARA O CÁLCULO MENTAL COM AS QUATRO OPERAÇÕES NO 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL (Francinaldo de Meireles Silveira - Autor; Franciclaudio de Meireles Silveira - Coautor; Eduardo da

Leia mais

1ª Ana e Eduardo. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade

1ª Ana e Eduardo. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade Matemática 1ª Ana e Eduardo 8º Ano E.F. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade Competência 1 Foco: Leitura Compreender e utilizar textos, selecionando dados, tirando conclusões, estabelecendo relações,

Leia mais

APLICAÇÃO DE EQUAÇÃO DO SEGUNDO GRAU COM MATERIAIS MANIPULÁVEIS: JOGO TRILHA DAS EQUAÇÕES

APLICAÇÃO DE EQUAÇÃO DO SEGUNDO GRAU COM MATERIAIS MANIPULÁVEIS: JOGO TRILHA DAS EQUAÇÕES APLICAÇÃO DE EQUAÇÃO DO SEGUNDO GRAU COM MATERIAIS MANIPULÁVEIS: JOGO TRILHA DAS EQUAÇÕES Rafael Pereira da Silva Universidade Estadual da Paraíba rafaelpereira.jt@hotmail.com Jailson Lourenço de Pontes

Leia mais

Introdução. Variações Sobre um Mesmo Tema: Zigue-Zague e as Expressões Numéricas. Pró Reitoria de Graduação - Núcleos de Ensino da UNESP

Introdução. Variações Sobre um Mesmo Tema: Zigue-Zague e as Expressões Numéricas. Pró Reitoria de Graduação - Núcleos de Ensino da UNESP Resumo: Variações Sobre um Mesmo Tema: Zigue-Zague e as Expressões Numéricas Com o objetivo de permitir ao aluno o desenvolvimento de competências como disciplina, concentração, perseverança e flexibilidade,

Leia mais

Matemática PROFESSOR: Francisco Monteiro OBJETIVO GERAL

Matemática PROFESSOR: Francisco Monteiro OBJETIVO GERAL ANO DE ESCOLARIDADE: 8º ano (A e B matutino e A vespertino) DISCIPLINA: Matemática PROFESSOR: Francisco Monteiro OBJETIVO GERAL Resolver situações-problema, construindo estratégias e fazendo uso de diversas

Leia mais

PLANO DE ENSINO Disciplina: Matemática 8º ano Professor(a): Gracivane Pessoa

PLANO DE ENSINO Disciplina: Matemática 8º ano Professor(a): Gracivane Pessoa PLANO DE ENSINO 2016 Disciplina: Matemática 8º ano Professor(a): Gracivane Pessoa Competências e Habilidades Gerais da Disciplina Desenvolver a responsabilidade e o gosto pelo trabalho em equipe; Relacionar

Leia mais

PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTÍNUA EM MATEMÁTICA PARA PROFESSORES DO 1º E 2º CICLOS. PLANO DE AULA ASSISTIDA (Síntese)

PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTÍNUA EM MATEMÁTICA PARA PROFESSORES DO 1º E 2º CICLOS. PLANO DE AULA ASSISTIDA (Síntese) PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTÍNUA EM MATEMÁTICA PARA PROFESSORES DO 1º E 2º CICLOS PLANO DE AULA ASSISTIDA (Síntese) Formador: Dr. Miguel Silva Formanda: Conceição Aguiar Sernancelhe Fevereiro de 2007 Temas

Leia mais

MATEMÁTICA ATRAENTE: A APLICAÇÃO DE JOGOS COMO INSTRUMENTO DO PIBID NA APRENDIZAGEM MATEMÁTICA

MATEMÁTICA ATRAENTE: A APLICAÇÃO DE JOGOS COMO INSTRUMENTO DO PIBID NA APRENDIZAGEM MATEMÁTICA MATEMÁTICA ATRAENTE: A APLICAÇÃO DE JOGOS COMO INSTRUMENTO DO PIBID NA APRENDIZAGEM MATEMÁTICA Camila Sampaio Nogueira camila.snog@hotmail.com Maria Aparecida Galdino de Souza cindysouza@hotmail.com Luiza

Leia mais

Universidade dos Açores Campus de angra do Heroísmo Ano Letivo: 2013/2014 Disciplina: Aplicações da Matemática Docente: Ricardo Teixeira 3º Ano de

Universidade dos Açores Campus de angra do Heroísmo Ano Letivo: 2013/2014 Disciplina: Aplicações da Matemática Docente: Ricardo Teixeira 3º Ano de Universidade dos Açores Campus de angra do Heroísmo Ano Letivo: 2013/2014 Disciplina: Aplicações da Matemática Docente: Ricardo Teixeira 3º Ano de Licenciatura em Educação Básica - 1º Semestre O jogo é

Leia mais

MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 2º BIMESTRE º B - 11 Anos

MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 2º BIMESTRE º B - 11 Anos PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO/ SEÇÃO DE ENSINO FORMAL Centro de Formação Pedagógica CENFOP MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 2º

Leia mais

Grupo de pesquisa: CIEI Cultura, infância e educação infantil

Grupo de pesquisa: CIEI Cultura, infância e educação infantil Educação Infantil e o Lúdico na Matemática: pontos cardeais para o trabalho docente. Acadêmicas: Alessandra Medeiros dos Santos Sônia Maria Simões Gonsalves Orientadora: Dra. Elisa dos Santos Vanti Grupo

Leia mais

DOMINÓ DAS QUATRO CORES

DOMINÓ DAS QUATRO CORES DOMINÓ DAS QUATRO CORES Aparecida Francisco da SILVA 1 Hélia Matiko Yano KODAMA 2 Resumo: O jogo Quatro Cores tem sido objeto de estudo de muitos profissionais que se dedicam à pesquisa da aplicação de

Leia mais

Vamos brincar de construir as nossas e outras histórias

Vamos brincar de construir as nossas e outras histórias MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA Vamos brincar de construir as nossas e outras histórias Ano 02

Leia mais

CONEXÕES E REGULARIDADES NO ENSINO DA MATEMÁTICA. Rudinei José Miola

CONEXÕES E REGULARIDADES NO ENSINO DA MATEMÁTICA. Rudinei José Miola CONEXÕES E REGULARIDADES NO ENSINO DA MATEMÁTICA Rudinei José Miola rmiola@positivo.com.br PARA INÍCIO DE CONVERSA ATIVIDADE MATEMÁTICA Por atividade matemática deve entender-se uma mescla entre tarefa,

Leia mais

PLANO DE ENSINO Disciplina: Matemática 8º ano Professor(a): Gracivane Pessoa. Competências Habilidades Conteúdos. I Etapa

PLANO DE ENSINO Disciplina: Matemática 8º ano Professor(a): Gracivane Pessoa. Competências Habilidades Conteúdos. I Etapa PLANO DE ENSINO 2015 Disciplina: Matemática 8º ano Professor(a): Gracivane Pessoa I Etapa Competências Habilidades Conteúdos Revisão (breve) de conteúdos trabalhados anteriormente Construir significados

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos Habilidades Avaliação Disciplina: Matemática Trimestre: 1º PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos Fundamentais de Matemática Sistema de Numeração decimal As quatro operações fundamentais Compreender problemas Números

Leia mais

PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA: UMA AÇÃO DO PIBID/MATEMÁTICA/CCT/UFCC

PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA: UMA AÇÃO DO PIBID/MATEMÁTICA/CCT/UFCC PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA: UMA AÇÃO DO PIBID/MATEMÁTICA/CCT/UFCC Dhiego Vieira do Amaral (UFCG); Késia de Mélo Hermenegildo (UFCG); Severino Horácio da Silva

Leia mais

MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 3º BIMESTRE º B - 11 Anos

MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 3º BIMESTRE º B - 11 Anos PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO/ SEÇÃO DE ENSINO FORMAL Centro de Formação Pedagógica CENFOP MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 3º

Leia mais

Probabilidade. Bruno Jürgensen Marina Massocco Sérgio Daltoso Jr. Instrumentação para o Ensino. Prof Dr Tomaz Catunda.

Probabilidade. Bruno Jürgensen Marina Massocco Sérgio Daltoso Jr. Instrumentação para o Ensino. Prof Dr Tomaz Catunda. Probabilidade Bruno Jürgensen Marina Massocco Sérgio Daltoso Jr Instrumentação para o Ensino Prof Dr Tomaz Catunda Novembro de 2011 Introdução As propostas curriculares: necessidade de aprendizagem significativa

Leia mais

Eduardo. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade

Eduardo. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade Matemática Eduardo 3ª 8 Ano E.F. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade Competência 2 Foco: Os conjuntos numéricos Construir significados para os números naturais, inteiros, racionais e reais. Competência

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO. Professor(a):Denise Capuchinho Nonato 2017

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO. Professor(a):Denise Capuchinho Nonato 2017 INSTITUTO EDUCACIONAL MANOEL PINHEIRO www.manoelpinheiro.com.br MATEMÁTICA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO Ensino Médio Etapa:2ª Série:1ª Tipo: U Professor(a):Denise Capuchinho Nonato 2017 Aluno(a): Nota: Caro

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Habilidades Avaliação Disciplina: Matemática Trimestre: 1º PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Fundamentais de Matemática Sistema de Numeração decimal As quatro operações fundamentais Compreender problemas Números

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA MATEMÁTICA

ORIENTAÇÃO TÉCNICA MATEMÁTICA ORIENTAÇÃO TÉCNICA DE MATEMÁTICA 28-03-2017 Objetivos do encontro; Plataforma Foco Aprendizagem; Mapa de Habilidades; Números Racionais; PCN Matemática; Oficina; Exercícios; Plano de Ação e Sequência

Leia mais

ABORDAGEM A CONSTRUÇÃO DO PENSAMENTO MULTIPLICATIVO DESENVOLVIDO PELA CRIANÇA

ABORDAGEM A CONSTRUÇÃO DO PENSAMENTO MULTIPLICATIVO DESENVOLVIDO PELA CRIANÇA ABORDAGEM A CONSTRUÇÃO DO PENSAMENTO MULTIPLICATIVO DESENVOLVIDO PELA CRIANÇA Hélio Oliveira Rodrigues Faculdades Integradas da Vitória de Santo Antão FAINTVISA Instituto Federal de Educação, Ciência e

Leia mais

KIT DOMINÓS E O DOMÍNIO DAS FRAÇÕES. GT 01 - Educação matemática no ensino fundamental: anos iniciais e anos finais

KIT DOMINÓS E O DOMÍNIO DAS FRAÇÕES. GT 01 - Educação matemática no ensino fundamental: anos iniciais e anos finais KIT DOMINÓS E O DOMÍNIO DAS FRAÇÕES GT 01 - Educação matemática no ensino fundamental: anos iniciais e anos finais José Vilani de Farias, IFRN, vilani.farias@ifrn.edu.br Amilde Martins da Fonseca, IFRN,

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS MANIPULÁVEIS NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES: JOGO CARA A CARA DE POLIEDROS

A UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS MANIPULÁVEIS NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES: JOGO CARA A CARA DE POLIEDROS A UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS MANIPULÁVEIS NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES: JOGO CARA A CARA DE POLIEDROS Formação de Professores e Educação Matemática (FPM) GT 08 Jailson Lourenço de PONTES jail21.jlo@gmail.com

Leia mais

MATEMÁTICA 5º ANO UNIDADE 1. 1 NÚMEROS, PROBLEMAS E SOLUÇÕES Sistema de numeração Operações com números grandes

MATEMÁTICA 5º ANO UNIDADE 1. 1 NÚMEROS, PROBLEMAS E SOLUÇÕES Sistema de numeração Operações com números grandes MATEMÁTICA 5º ANO UNIDADE 1 CAPÍTULOS 1 NÚMEROS, PROBLEMAS E SOLUÇÕES Sistema de numeração Operações com números grandes 2 IMAGENS E FORMAS Ângulos Ponto, retas e planos Polígono Diferenciar o significado

Leia mais

O JOGO DOMINÓ DA ÁLGEBRA COMO ESTRATÉGIA FACILITADORA DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

O JOGO DOMINÓ DA ÁLGEBRA COMO ESTRATÉGIA FACILITADORA DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM O JOGO DOMINÓ DA ÁLGEBRA COMO ESTRATÉGIA FACILITADORA DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM Olívia Sobreira Gomes Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba IFPB olivia_sobreira@hotmail.com

Leia mais

A APRENDIZAGEM MATEMÁTICA INTERMEDIADA POR JOGOS MATEMÁTICOS

A APRENDIZAGEM MATEMÁTICA INTERMEDIADA POR JOGOS MATEMÁTICOS A APRENDIZAGEM MATEMÁTICA INTERMEDIADA POR JOGOS MATEMÁTICOS Autor (Italo Pereira Da Silva Medeiros); Coautor (Antônio Carlos Belarmino Segundo)¹; Coautor (Rodolfo Moreira Cabral)²; Coautor (Yan Ynácio

Leia mais

O ENSINO DOS CONCEITOS DE MÉDIA, MEDIANA E MODA ATRAVÉS DE UM JOGO DE CARTAS

O ENSINO DOS CONCEITOS DE MÉDIA, MEDIANA E MODA ATRAVÉS DE UM JOGO DE CARTAS O ENSINO DOS CONCEITOS DE MÉDIA, MEDIANA E MODA ATRAVÉS DE UM JOGO DE CARTAS José Marcos Lopes Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho jmlopes@mat.feis.unesp.br Renato Sagiorato Corral Resende

Leia mais

RELATÓRIO DE GRUPO APOIO PEDAGÓGICO 1º Semestre/2016 Turma: 2º ao 5º ano Professora: Izabela Moreira Alves Coordenação pedagógica: Lucy Ramos Torres

RELATÓRIO DE GRUPO APOIO PEDAGÓGICO 1º Semestre/2016 Turma: 2º ao 5º ano Professora: Izabela Moreira Alves Coordenação pedagógica: Lucy Ramos Torres RELATÓRIO DE GRUPO APOIO PEDAGÓGICO 1º Semestre/2016 Turma: 2º ao 5º ano Professora: Izabela Moreira Alves Coordenação pedagógica: Lucy Ramos Torres Nesse ano de 2016 a Escola do Sítio passou a oferecer

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL MATEMÁTICA 7º ANO. Nome: Nº - Série/Ano. Data: / / Professor(a): Eloy/Marcello/Renan

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL MATEMÁTICA 7º ANO. Nome: Nº - Série/Ano. Data: / / Professor(a): Eloy/Marcello/Renan ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL MATEMÁTICA 7º ANO Nome: Nº - Série/Ano Data: / / Professor(a): Eloy/Marcello/Renan Os conteúdos essenciais do semestre. Capítulo 1 Números inteiros Ideia de número positivo

Leia mais

O JOGO DAMA DE SINAIS COMO UMA ALTERNATIVA DE ESTUDO DAS EXPRESSÕES NUMÉRICAS COM NÚMEROS INTEIROS

O JOGO DAMA DE SINAIS COMO UMA ALTERNATIVA DE ESTUDO DAS EXPRESSÕES NUMÉRICAS COM NÚMEROS INTEIROS O JOGO DAMA DE SINAIS COMO UMA ALTERNATIVA DE ESTUDO DAS EXPRESSÕES NUMÉRICAS COM NÚMEROS INTEIROS Leonardo Silva Santos Universidade Estadual da Paraíba leonardoufcg2@gmail.com Patrícia de Medeiros Silva

Leia mais

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância Colégio Valsassina Modelo pedagógico do jardim de infância Educação emocional Aprendizagem pela experimentação Educação para a ciência Fatores múltiplos da inteligência Plano anual de expressão plástica

Leia mais

UMA PROPOSTA CONSTRUTIVISTA PARA O ENSINO DE NÚMEROS RACIONAIS POSITIVOS E SUAS OPERAÇÕES UTILIZANDO O MATERIAL COUSINIERE

UMA PROPOSTA CONSTRUTIVISTA PARA O ENSINO DE NÚMEROS RACIONAIS POSITIVOS E SUAS OPERAÇÕES UTILIZANDO O MATERIAL COUSINIERE Sociedade Brasileira de Matemática Matemática na Contemporaneidade: desafios e possibilidades UMA PROPOSTA CONSTRUTIVISTA PARA O ENSINO DE NÚMEROS RACIONAIS POSITIVOS E SUAS OPERAÇÕES UTILIZANDO O MATERIAL

Leia mais

PEGUE 10. Quantidade: 08 unidades

PEGUE 10. Quantidade: 08 unidades 1 PEGUE 10 Materiais Um tabuleiro e 66 cartas redondas com os numerais de 1 a 7 nas seguintes quantidades: 1 22 cartas; 6-2 cartas; 2-16 cartas; 7-2 cartas; 3-12 cartas; Coringa 1 carta. 4-7 cartas; 5-4

Leia mais

APRENDENDO GEOMETRIA ATRAVÉS DE ATIVIDADES LÚDICAS

APRENDENDO GEOMETRIA ATRAVÉS DE ATIVIDADES LÚDICAS 27 a 30 de agosto de 2014. APRENDENDO GEOMETRIA ATRAVÉS DE ATIVIDADES LÚDICAS CALABREZ, Mayara Caetano Instituto Federal do Espírito Santo - Cachoeiro mayaracalabrez@hotmail.com MOREIRA, Michelli Rodrigues

Leia mais

SEAM - SOCIEDADE EDUCACIONAL DO AMANHÃ

SEAM - SOCIEDADE EDUCACIONAL DO AMANHÃ SEAM - SOCIEDADE EDUCACIONAL DO AMANHÃ MÚLTIPLOS E DIVISORES PROFª EDNALVA DOS SANTOS Um Objeto de Aprendizagem é um arquivo digital (imagem, filme, etc.) que pretende ser utilizado para fins pedagógicos

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE JOGOS COMO RECURSO DIDÁTICO

A UTILIZAÇÃO DE JOGOS COMO RECURSO DIDÁTICO A UTILIZAÇÃO DE JOGOS COMO RECURSO DIDÁTICO Cristiane Machado Pereira Felício Instituto Federal Catarinense cristianemachadop@hotmail.com Fabiana Policarpo Instituto Federal Catarinense Poli,policarpo@gmail.com

Leia mais

6º ano 1 o TRIMESTRE

6º ano 1 o TRIMESTRE ESCOLA ESTADUAL DE BOA VISTA E.F. Disciplina: Matemática Curso: Ensino Fundamental Anos: 6º, 7º, 8º e 9º anos Professores: Eliane R. Vicente Ano Letivo: 2012 II JUSTIFICATIVA PLANO DE TRABALHO DOCENTE

Leia mais

3ª Eduardo e Ana. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade

3ª Eduardo e Ana. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade Matemática 3ª Eduardo e Ana 8 Ano E.F. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade Competência 3 Foco: Espaço e Forma Utilizar o conhecimento geométrico para realizar a leitura e a representação da realidade

Leia mais

4º. ano 1º. VOLUME. Projeto Pedagógico de Matemática 1. AS OPERAÇÕES E AS HABILIDADES DE CALCULAR MENTALMENTE. Números e operações.

4º. ano 1º. VOLUME. Projeto Pedagógico de Matemática 1. AS OPERAÇÕES E AS HABILIDADES DE CALCULAR MENTALMENTE. Números e operações. 4º. ano 1º. VOLUME 1. AS OPERAÇÕES E AS HABILIDADES DE CALCULAR MENTALMENTE Realização de compreendendo seus significados: adição e subtração (com e sem reagrupamento) Multiplicação (como adição de parcelas

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE MATEMÁTICA (1º SEMESTRE) 7º ANO. Nome: Nº - Série/Ano. Data: / / Professor(a): Marcello, Eloy e Décio.

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE MATEMÁTICA (1º SEMESTRE) 7º ANO. Nome: Nº - Série/Ano. Data: / / Professor(a): Marcello, Eloy e Décio. ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE MATEMÁTICA (1º SEMESTRE) 7º ANO Nome: Nº - Série/Ano Data: / / 2017. Professor(a): Marcello, Eloy e Décio. Os conteúdos essenciais do semestre. Capítulo 1 Números inteiros Ideia

Leia mais

Anais da Semana de Integração Acadêmica 02 a 06 de setembro de 2013

Anais da Semana de Integração Acadêmica 02 a 06 de setembro de 2013 A UTILIZAÇÃO DO JOGO DE DOMINÓ NA FACILITAÇÃO DA APROPRIAÇÃO DAS TÉCNICAS E CONCEITOS UTILIZADOS NAS OPERAÇÕES DE ADIÇÃO E INTRODUÇÃO SUBTRAÇÃO BELONSI, Marcelo Henrique UEG/UnU Goiás - marcelobelonsi@bol.com.br

Leia mais

à situação. à situação.

à situação. à situação. Unidade 1 Números naturais 1. Números naturais 2. Sistemas de numeração 3. Tabela simples Reconhecer os números naturais. Identificar o antecessor e o sucessor numa sequência de números naturais. Identificar

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2012 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2012 Conteúdos Habilidades Avaliação COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA Disciplina: Matemática Trimestre: 1º Números Naturais: - Sistema de numeração - Adição e subtração - Multiplicação e divisão - Traduzir em palavras números representados por algarismos

Leia mais

JOGOS ONLINE, UMA PROPOSTA DE UTILIZAÇÃO NAS SÉRIES INICIAIS NO ENSINO DE MATEMÁTICA

JOGOS ONLINE, UMA PROPOSTA DE UTILIZAÇÃO NAS SÉRIES INICIAIS NO ENSINO DE MATEMÁTICA JOGOS ONLINE, UMA PROPOSTA DE UTILIZAÇÃO NAS SÉRIES INICIAIS NO ENSINO DE MATEMÁTICA Bruno Grilo Honorio Universidade Luterana do Brasil brunoghonorio@yahoo.com.br Lucas Gabriel Seibert Universidade Luterana

Leia mais

PIBID DE MATEMÁTICA EM ARRAIAS (TO) UMA EXPERIÊNCIA DIFERENTE

PIBID DE MATEMÁTICA EM ARRAIAS (TO) UMA EXPERIÊNCIA DIFERENTE PIBID DE MATEMÁTICA EM ARRAIAS (TO) UMA EXPERIÊNCIA DIFERENTE Aricléia Damasceno Rodrigues aricleia2009@uft.edu.br Luciana Tavares de Sousa LUADAIL@uft.edu.br Kaled Sulaiman Khidir kaled@uft.edu.br Severino

Leia mais

5. Objetivo geral (prever a contribuição da disciplina em termos de conhecimento, habilidades e atitudes para a formação do aluno)

5. Objetivo geral (prever a contribuição da disciplina em termos de conhecimento, habilidades e atitudes para a formação do aluno) ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 1. Curso: Missão do Colégio: Promover o desenvolvimento do cidadão e, na sua ação educativa,

Leia mais

Projeto: Brincando Eu também Aprendo.

Projeto: Brincando Eu também Aprendo. VÁRZEA GRANDE MATO GROSSO Parceria: OSC- ASSOCIAÇÃO SOCIAL CIVIL ABAIUC- ASCA E EMEB SENHORA DIRCE LEITE DE CAMPOS Projeto: Brincando Eu também Aprendo. Introdução Durante muito tempo, a brincadeira no

Leia mais

CONTEÚDOS E DIDÁTICA DE MATEMÁTICA

CONTEÚDOS E DIDÁTICA DE MATEMÁTICA Oper ações Ao realizar operações com números naturais, os alunos ampliam seu conhecimento sobre os números e o sistema de numeração decimal. Por isso, operar com o sistema de numeração decimal a partir

Leia mais

CAIXINHA DOS NÚMEROS INTEIROS

CAIXINHA DOS NÚMEROS INTEIROS CAIXINHA DOS NÚMEROS INTEIROS Claudimara da Silva Pfiffer Universidade Regional de Blumenau claudimara.mat@gmail.com Martiela Bispo Eilert Universidade Regional de Blumenau-Bolsista CAPES-PIBID martybe84@hotmail.com

Leia mais

ESCOLA EMEF PROFª MARIA MARGARIDA ZAMBON BENINI - PIBID 08/10/2014, 29/10/2014 e 05/11/2014

ESCOLA EMEF PROFª MARIA MARGARIDA ZAMBON BENINI - PIBID 08/10/2014, 29/10/2014 e 05/11/2014 ESCOLA EMEF PROFª MARIA MARGARIDA ZAMBON BENINI - PIBID 08/10/2014, 29/10/2014 e 05/11/2014 Bolsistas: Mévelin Maus, Milena Poloni Pergher e Odair José Sebulsqui. Supervisora: Marlete Basso Roman Disciplina:

Leia mais

Planejamento Anual. Componente Curricular: Matemática Ano: 7º ano Ano Letivo: Professor(s): Eni e Patrícia

Planejamento Anual. Componente Curricular: Matemática Ano: 7º ano Ano Letivo: Professor(s): Eni e Patrícia Planejamento Anual Componente Curricular: Matemática Ano: 7º ano Ano Letivo: 2016 Professor(s): Eni e Patrícia OBJETIVO GERAL Desenvolver e aprimorar estruturas cognitivas de interpretação, análise, síntese,

Leia mais

MÚLTIPLOS E DIVISORES

MÚLTIPLOS E DIVISORES MÚLTIPLOS E DIVISORES 6º ANO - Prof. Patricia Caldana Múltiplos e divisores são números que resultam da multiplicação por um número natural e que dividem um número deixando resto zero, respectivamente.

Leia mais

ADEDANHA MATEMÁTICA: UMA DIVERSÃO EM SALA DE AULA

ADEDANHA MATEMÁTICA: UMA DIVERSÃO EM SALA DE AULA ADEDANHA MATEMÁTICA: UMA DIVERSÃO EM SALA DE AULA Elizabethe Gomes Pinheiro Secretaria Municipal de Educação- Cabo Frio - RJ bethematica@hotmail.com Resumo: Este trabalho tem por objetivo mostrar um pouco

Leia mais

JOGO MANCALA E AS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO

JOGO MANCALA E AS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO JOGO MANCALA E AS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO INTEGRAÇÃO 2015 Professor(a): Nome do Professor Disciplina: Nome Matemática da Disciplina Título Binômios da Aula Objetivo Possibilitar por meio do jogo a

Leia mais

BINGO COM PRODUTOS NOTÁVEIS

BINGO COM PRODUTOS NOTÁVEIS BINGO COM PRODUTOS NOTÁVEIS Francieli Pedroso Gomes Padilha 1 Fernando Carvalho Padilha 2 Siomara Cristina Broch 3 Resumo: Este trabalho apresenta uma atividade didática em forma de um jogo de bingo, ou

Leia mais

1. Introdução. 2. Formas diferenciadas de ensinar matemática. Débora de Jesus Bezerra Universidade Metodista de São Paulo

1. Introdução. 2. Formas diferenciadas de ensinar matemática. Débora de Jesus Bezerra Universidade Metodista de São Paulo Sociedade na Contemporaneidade: desafios e possibilidades JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS: CONTRIBUIÇÕES SIGNIFICATIVAS NO DESEVOLVIMENTO DOS BLOCOS DE CONTEÚDOS DE MATEMÁTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL

Leia mais

APRENDIZAGEM DE GEOGRAFIA FÍSICA ATRAVÉS DO USO DE MAQUETES

APRENDIZAGEM DE GEOGRAFIA FÍSICA ATRAVÉS DO USO DE MAQUETES APRENDIZAGEM DE GEOGRAFIA FÍSICA ATRAVÉS DO USO DE MAQUETES Daniela Pedraschi Universidade Luterana do Brasil (dani_geopedraschi@gmail.com) Stefani Caroline Bueno Rosa Universidade Luterana do Brasil (tefibueno@gmail.com)

Leia mais

A ATIVIDADE DE MONITORIA NO LABORATÓRIO DE ENSINO DE MATEMÁTICA: A TORRE DE HANÓI

A ATIVIDADE DE MONITORIA NO LABORATÓRIO DE ENSINO DE MATEMÁTICA: A TORRE DE HANÓI A ATIVIDADE DE MONITORIA NO LABORATÓRIO DE ENSINO DE MATEMÁTICA: A TORRE DE HANÓI Ayze Jammylle Batista Ferreira IFPB ayzeifpb@gmail.com Resumo: Este pôster é resultado do trabalho de monitoria no Laboratório

Leia mais

UNINDO O LÚDICO E A APRENDIZAGEM ATRAVÉS DA CONSTRUÇÕES DE MATERIAIS DIDÁTICOS

UNINDO O LÚDICO E A APRENDIZAGEM ATRAVÉS DA CONSTRUÇÕES DE MATERIAIS DIDÁTICOS UNINDO O LÚDICO E A APRENDIZAGEM ATRAVÉS DA CONSTRUÇÕES DE MATERIAIS DIDÁTICOS Anderson Daniel Stochero, aluno do IF Farroupilha Campus Santo Ângelo, curso Tecnológico em Sistemas para Internet, anderson_stochero@yahoo.com.br

Leia mais

1.0. Conceitos Utilizar os critérios de divisibilidade por 2, 3, 5 e Utilizar o algoritmo da divisão de Euclides.

1.0. Conceitos Utilizar os critérios de divisibilidade por 2, 3, 5 e Utilizar o algoritmo da divisão de Euclides. Conteúdo Básico Comum (CBC) Matemática - do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano Os tópicos obrigatórios são numerados em algarismos arábicos Os tópicos complementares são numerados em algarismos romanos

Leia mais

EXPLORANDO OS POLINÔMIOS E OS GRÁFICOS DAS FUNÇÕES POLINOMIAIS

EXPLORANDO OS POLINÔMIOS E OS GRÁFICOS DAS FUNÇÕES POLINOMIAIS EXPLORANDO OS POLINÔMIOS E OS GRÁFICOS DAS FUNÇÕES POLINOMIAIS Educação Matemática nos Anos Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio (Emaiefem) GT 10 Marcelino Jose de CARVALHO Universidade Federal

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA PSICOMOTRICIDADE NA SUPERAÇÃO DE DIFICULDADES ESCOLARES REFERENTES A LEITURA E ESCRITA.

CONTRIBUIÇÕES DA PSICOMOTRICIDADE NA SUPERAÇÃO DE DIFICULDADES ESCOLARES REFERENTES A LEITURA E ESCRITA. CONTRIBUIÇÕES DA PSICOMOTRICIDADE NA SUPERAÇÃO DE DIFICULDADES ESCOLARES REFERENTES A LEITURA E ESCRITA. Eduardo Oliveira Sanches (DTP/UEM) Andrey Amorim Sargi (G Educação Física/UEM) Felippe Hakaru Hirayama

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NA SUPERAÇÃO DAS DIFICULDADES DOS ALUNOS COM A MATEMÁTICA

CONTRIBUIÇÕES DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NA SUPERAÇÃO DAS DIFICULDADES DOS ALUNOS COM A MATEMÁTICA CONTRIBUIÇÕES DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NA SUPERAÇÃO DAS DIFICULDADES DOS ALUNOS COM A MATEMÁTICA Daniele André da Silva Universidade Estadual da Paraíba daniandre2011@gmail.com RESUMO: O objetivo deste

Leia mais

JOGOS MATEMATICOS INTRODUÇÃO

JOGOS MATEMATICOS INTRODUÇÃO JOGOS MATEMATICOS Brena Tavares Andrade (1); Merian Fonseca Batista (1); Kamile Oliveira Gadelha (2); Jean Claude da Silva Gonçalves (3) Roberto Oliveira (4). RESUMO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 MATEMÁTICA (2º ciclo)

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 MATEMÁTICA (2º ciclo) (2º ciclo) 5º ano Operações e Medida Tratamento de Dados Efetuar com números racionais não negativos. Resolver problemas de vários passos envolvendo com números racionais representados por frações, dízimas,

Leia mais

MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 4º BIMESTRE º B - 11 Anos

MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 4º BIMESTRE º B - 11 Anos PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO/ SEÇÃO DE ENSINO FORMAL Centro de Formação Pedagógica CENFOP MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 4º

Leia mais

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS EBIAH 8º ANO PLANIFICAÇÃO A MÉDIO PRAZO 1.º Período Integração dos alunos 1 tempo Set. 14 GEOMETRIA a aptidão para visualizar e descrever propriedades e relações geométricas, através da análise e comparação

Leia mais

AS RELAÇÕES INTERATIVAS EM SALA DE AULA: O PAPEL DOS PROFESSORES E DOS ALUNOS. Zabala, A. A prática Educativa. Porto Alegre: Artmed, 1998

AS RELAÇÕES INTERATIVAS EM SALA DE AULA: O PAPEL DOS PROFESSORES E DOS ALUNOS. Zabala, A. A prática Educativa. Porto Alegre: Artmed, 1998 AS RELAÇÕES INTERATIVAS EM SALA DE AULA: O PAPEL DOS PROFESSORES E DOS ALUNOS Zabala, A. A prática Educativa. Porto Alegre: Artmed, 1998 QUEM É O PROFESSOR? QUEM É O ALUNO? COMO DEVE SER O ENSINO? COMO

Leia mais

DOMINÓS. Aparecida Francisco da SILVA 1 Hélia Matiko Yano KODAMA 2

DOMINÓS. Aparecida Francisco da SILVA 1 Hélia Matiko Yano KODAMA 2 DOMINÓS Aparecida Francisco da SILVA Hélia Matiko Yano KODAMA Resumo: Algumas propostas da utilização dos dominós no ensino de Matemática já são conhecidas. Neste artigo, apresentamos propostas que complementam

Leia mais

Documento curricular. 2º Trimestre

Documento curricular. 2º Trimestre Documento curricular 6º ano 2º Trimestre - 2017 Matemática Caros pais, Relacionamos nos quadros abaixo os conteúdos que serão trabalhados com os alunos neste 2º trimestre. Entenda-se por conteúdos o que

Leia mais

CONSTRUINDO CONCEITOS GEOMÉTRICOS E ALGÉBRICOS ATRAVÉS DA LUDICIDADE

CONSTRUINDO CONCEITOS GEOMÉTRICOS E ALGÉBRICOS ATRAVÉS DA LUDICIDADE CONSTRUINDO CONCEITOS GEOMÉTRICOS E ALGÉBRICOS ATRAVÉS DA LUDICIDADE Justificativa Autores: Antônio Vital Kalline Stéfani Leandro Novais Mônica Cunha No final dos anos 60 e início dos anos 70, surge como

Leia mais

CUBO MÁGICO: uma estratégia pedagógica utilizada nas aulas de matemática 1

CUBO MÁGICO: uma estratégia pedagógica utilizada nas aulas de matemática 1 CUBO MÁGICO: uma estratégia pedagógica utilizada nas aulas de matemática 1 Renata Cleiton Piacesi Corrêa 2 ; Vitoria Cardoso Batista 3 INTRODUÇÃO O ensinar e aprender a matemática nas salas de aula da

Leia mais

PLANO DE ENSINO OBJETIVOS

PLANO DE ENSINO OBJETIVOS Atlas, 2007. MOISÉS, Massaud. A literatura brasileira através dos textos. 19th ed. São Paulo: Cultrix, 1996. SÁ, Jorge de. A Crônica. São Paulo: Editora Ática, 1999. TUFANO, Douglas. Guia prático da nova

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD PLANO DE ENSINO I IDENTIFICAÇÃO Curso: Pedagogia a Distância Departamento: Departamento de Pedagogia a Distância Disciplina:

Leia mais

Resolução de problemas não numéricos

Resolução de problemas não numéricos Resolução de problemas não numéricos Ler e buscar informações Em Panizza (2006), a didática da matemática define os problemas como aquelas situações que criam um obstáculo a vencer, que promovem a busca

Leia mais

Brincando com Palitos: Aprendendo a Racionar

Brincando com Palitos: Aprendendo a Racionar Página 26 Brincando com Palitos: Aprendendo a Racionar Categoria: Ensino Fundamental - Anos Finais (6º ao 9º ano) Beatriz Silva da Silva 1 Sandro Rogério Brabo Souza 2 Iris Maciel Pantoja 3 Jaimiro Oliveira

Leia mais

TRIGONOMETRIA EM CARTAS E CARTELAS

TRIGONOMETRIA EM CARTAS E CARTELAS TRIGONOMETRIA EM CARTAS E CARTELAS MarinêsYolePoloni Universidade Bandeirante Anhanguera - UNIBAN marines.poloni@cda.colegiodante.com.br NielceMeneguelo Lobo da Costa Universidade Bandeirante Anhanguera

Leia mais

DIFICULDADES DOS ALUNOS DO 6º ANO NA RESOLUÇÃO DE QUESTÕES PROBLEMATIZADAS ENVOLVENDO ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO COMO NÚMEROS NATURAIS: COMO PODEMOS INTERVIR?

DIFICULDADES DOS ALUNOS DO 6º ANO NA RESOLUÇÃO DE QUESTÕES PROBLEMATIZADAS ENVOLVENDO ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO COMO NÚMEROS NATURAIS: COMO PODEMOS INTERVIR? DIFICULDADES DOS ALUNOS DO 6º ANO NA RESOLUÇÃO DE QUESTÕES PROBLEMATIZADAS ENVOLVENDO ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO COMO NÚMEROS NATURAIS: COMO PODEMOS INTERVIR? Introdução Renata Karla da Silva Oliveira Universidade

Leia mais

DOMINÓ E OPERAÇÕES COM FRAÇÕES: UMA COMBINAÇÃO POSSÍVEL. Apresentação: Pôster

DOMINÓ E OPERAÇÕES COM FRAÇÕES: UMA COMBINAÇÃO POSSÍVEL. Apresentação: Pôster 1 DOMINÓ E OPERAÇÕES COM FRAÇÕES: UMA COMBINAÇÃO POSSÍVEL Apresentação: Pôster Ticiano Sousa 1 ; Manassés da Silva Batista 2 ; João Alves da Silva 3 ; Francismar Holanda 4 Introdução A implementação dos

Leia mais

PLANO DE ENSINO OBJETIVOS

PLANO DE ENSINO OBJETIVOS PLANO DE ENSINO DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR Nome do Componente Curricular: Matemática I Curso: Técnico de Nível Médio Integrado em Mineração Série/Período: 1º ano Carga Horária: 4 a/s - 160 h/a - 133

Leia mais

O USO DO JOGO TANGRAM COMO METODOLOGIA NO ENSINO DE FRAÇÕES. INTRODUÇÃO

O USO DO JOGO TANGRAM COMO METODOLOGIA NO ENSINO DE FRAÇÕES. INTRODUÇÃO O USO DO JOGO TANGRAM COMO METODOLOGIA NO ENSINO DE FRAÇÕES. ARAMBULA, Lucilene Alexandre Pereira (1) ; PEREIRA, Daniela Roxo (2) ; ROCHO, Valdirene da Rosa (3). (1) Acadêmica do Curso de Licenciatura

Leia mais

O JOGO E A VIDA: AS RELEVÂNCIAS DOS ELEMENTOS TRABALHADOS, ATRAVÉS DOS JOGOS, PARA O PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM E PARA O COTIDIANO INFANTIL

O JOGO E A VIDA: AS RELEVÂNCIAS DOS ELEMENTOS TRABALHADOS, ATRAVÉS DOS JOGOS, PARA O PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM E PARA O COTIDIANO INFANTIL O JOGO E A VIDA: AS RELEVÂNCIAS DOS ELEMENTOS TRABALHADOS, ATRAVÉS DOS JOGOS, PARA O PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM E PARA O COTIDIANO INFANTIL Vitor Martins Menezes; Luís Paulo de Carvalho Piassi Universidade

Leia mais

Índice. 1. Representação Escrita dos Números Operações com Números Naturais...4. Grupo Módulo 14

Índice. 1. Representação Escrita dos Números Operações com Números Naturais...4. Grupo Módulo 14 GRUPO 5.4 MÓDULO 14 Índice 1. Representação Escrita dos Números...3 2. Operações com Números Naturais...4 2 1. REPRESENTAÇÃO ESCRITA DOS NÚMEROS Desde os primórdios da humanidade, o homem utiliza diferentes

Leia mais

MÉTODO DE UTILIZAÇÃO DE JOGOS PARA O APRENDIZADO PRÁTICO E EFICIENTE DA MATEMÁTICA

MÉTODO DE UTILIZAÇÃO DE JOGOS PARA O APRENDIZADO PRÁTICO E EFICIENTE DA MATEMÁTICA MÉTODO DE UTILIZAÇÃO DE JOGOS PARA O APRENDIZADO PRÁTICO E EFICIENTE DA MATEMÁTICA Resumo: Arlete Cherobini Orth 1 O artigo apresenta o relato de uma experiência que utiliza os jogos matemáticos como estratégia

Leia mais

Israel 1994 mundo 2004 Brasil 2006

Israel 1994 mundo 2004 Brasil 2006 AS ORIGENS Os primeiros estudos e aplicações de uma metodologia para desenvolvimento de habilidades cognitivas, sociais, emocionais e éticas por meio de jogos de raciocínio foram iniciados em Israel em

Leia mais

ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 1. Curso: Missão do Colégio: Promover o desenvolvimento do cidadão e, na sua ação educativa,

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE ENSINO: Jogos Matemáticos

ESTRATÉGIAS DE ENSINO: Jogos Matemáticos Trabalho apresentado no CMAC-Sul, Curitiba-PR, 2014. ESTRATÉGIAS DE ENSINO: Jogos Matemáticos Arlete Cherobini Faculdade La Salle 78455-000, Lucas do Rio Verde, MT E-mail: arlete@faculdadelasalle.edu.br

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS MATEMÁTICA 7.º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL Planificação 7º ano 2010/2011 Página 1 DOMÍNIO TEMÁTICO: NÚMEROS

Leia mais

UMA EXPERIÊNCIA COM O JOGO DA BATALHA NAVAL NO ENSINO DA MATEMÁTICA

UMA EXPERIÊNCIA COM O JOGO DA BATALHA NAVAL NO ENSINO DA MATEMÁTICA UMA EXPERIÊNCIA COM O JOGO DA BATALHA NAVAL NO ENSINO DA MATEMÁTICA Simone Pereira Dias UNIFEV-Centro Universitário de Votuporanga - SP siperdias@yahoo.com.br Milena Aparecida Batelo Ramos UNIFEV Centro

Leia mais

O ESTUDO DA CONCEPÇÃO CLÁSSICA DE PROBABILIDADE ATRAVÉS DO JOGO MINI-BOZÓ

O ESTUDO DA CONCEPÇÃO CLÁSSICA DE PROBABILIDADE ATRAVÉS DO JOGO MINI-BOZÓ O ESTUDO DA CONCEPÇÃO CLÁSSICA DE PROBABILIDADE ATRAVÉS DO JOGO MINI-BOZÓ José Marcos Lopes UNESP/Ilha Solteira - SP jmlopes@mat.feis.unesp.br Resumo: Apresentamos neste minicurso uma proposta didático-pedagógica

Leia mais

Aluno(a): / / Cidade Polo: CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA

Aluno(a): / / Cidade Polo:   CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA Aluno(a): / / Cidade Polo: E-mail: CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA Preencha o GABARITO: 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 Observação: Nesta atividade há 10 (dez) questões de múltipla

Leia mais

MATERIAIS CONCRETOS: buscando alternativas para a o trabalho com a tabuada

MATERIAIS CONCRETOS: buscando alternativas para a o trabalho com a tabuada MATERIAIS CONCRETOS: buscando alternativas para a o trabalho com a tabuada Orientação: Profa. Ms. Lidônia Maria Guimarães Cleber David Mendes Cleberdavid40gmail.com, FUPAC/FEESU Linha de trabalho: Materiais

Leia mais

A coleção está organizada em cinco séries temáticas, por faixa etária:

A coleção está organizada em cinco séries temáticas, por faixa etária: Coleção GIRA MUNDO Educação Infantil Na coleção Gira Mundo o brincar, o cantar e o fazer artístico são os eixos que atuam como forma de expressão da cultura da infância. São os grandes articuladores do

Leia mais

OPERANDO NÚMEROS INTEIROS COM O ÁBACO. Letícia Ramos Rodrigues 1 Tássia Oliveira de Oliveira 2

OPERANDO NÚMEROS INTEIROS COM O ÁBACO. Letícia Ramos Rodrigues 1 Tássia Oliveira de Oliveira 2 OPERANDO NÚMEROS INTEIROS COM O ÁBACO Letícia Ramos Rodrigues 1 Tássia Oliveira de Oliveira 2 Resumo O aprendizado das operações fundamentais, sendo elas a adição, a subtração, a multiplicação e a divisão,

Leia mais

G A B A R I T O G A B A R I T O

G A B A R I T O G A B A R I T O Prova Anglo P-2 G A B A R I T O Tipo D-8-05/2011 01. B 07. A 13. C 19. B 02. D 08. C 14. A 20. C 03. A 09. B 15. D 21. C 04. D 10. D 16. B 22. D 05. C 11. A 17. D 00 06. B 12. C 18. B 00 841201711 PROVA

Leia mais