PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA AGROINDÚSTRIA DE FARINHA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA AGROINDÚSTRIA DE FARINHA"

Transcrição

1 PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA AGROINDÚSTRIA DE FARINHA PROGRAMA DE AÇÕES À JUSANTE

2 02 SUMÁRIO RECEPÇÃO DAS RAIZES ÁGUA DA LAVAGEM CASCAS MANIPUEIRA CRUEIRA CRUEIRA PARTICULADOS EMBALAGENS, INUTILIZADOS E PARTICULADOS CARVÃO QUEIMADO MANEJO DOS RESÍDUOS E DO LIXO Centro de Informação Porto Velho ESBR: Rua Joaquim Nabuco, 3200, salas 102/104 e 106 Bairro São João Bosco Porto Velho RO Tel.: (69) Ligação Gratuita: Escritório Arcadis Logos Porto Velho: Rua Rui Barbosa, nº 1368 Bairro: Arigolândia Porto Velho RO

3 03 RECEPÇÃO DAS RAIZES: A terra retirada das raízes será descartada na área ao redor da agroindústria. Será recolhida através de limpeza na área suja da agroindústria e posteriormente descartada. ÁGUA DA LAVAGEM: As aguas da lavagem serão descartadas de forma adequada levadas direto para piscina de decantação. Será destinada através do sistema de drenagem da agroindústria direto para piscina de decantação. CASCAS: Cascas produzidas pelo processo do descascamento serão transformadas em adubos. 1. Será recolhida na área suja, colocado em carrinhos de mão depois levado para o campo de compostagem da casca de mandioca próximo a agroindústria. 2. Será Utilizado esterco, serragem, poda de capim e casca de mandioca recolhida processamento da farinha. As proporções dos materiais não afetam as características químicas do composto. 3. Montar pilhas desses produtos, em camadas, alternando os materiais, sempre colocando a poda de capim ou palhada na primeira camada.

4 04 4. Irrigar sempre cada camada. 5. Montar pilhas mais altas (1 m a 2 m) que facilitam o processo de eliminação de organismos patogênicos. 5. Fazer o reviramento sempre que a temperatura da leira estiver muito alta, ou baixa, ou a cada 3 dias para pilhas pequenas. 6. Monitorar a temperatura utilizando termômetros ou inserindo uma barra de ferro no interior da pilha. Muita atenção: O composto estará pronto quando a leira apresentar temperatura constante, coloração marrom-escura, cheiro de bolor, sem a presença de restos vegetais. A qualidade final do composto à base de casca de mandioca é adequada para uso agrícola baseada na legislação brasileira para compostos orgânicos. Após aplicação de diferentes compostos à base de casca de mandioca no solo, verificou que não houve diferença na atividade microbiana e na fertilidade do solo após 90 dias da aplicação. Isso significa que a aplicação do resíduo influencia pouco as propriedades do solo, devido à ciclagem rápida dos compostos, mas pode auxiliar na produção de biomassa vegetal e no descarte sustentável da casca de mandioca. MANIPUEIRA: No processo de pubação produz a manipueira que será utilizada para fertilizar o solo, tornando-o mais rico em nutrientes e microrganismos, servindo também para controlar os vermes que prejudicam o desenvolvimento das plantas, a manipuera será levada para uma piscina de decantação. Para servir como fertilizante, a manipueira deve ser usada após 24 horas de sua produção. Veja as recomendações: 1. Na prensagem a manipueira escoa para tanque de coleta e colocado manualmente em vasilhames de plástico de 20 litros (será necessário 02 unidades) e entregue para outro colaborador fora da área de produção e descartado na piscina de decantação. 2. Recomenda-se o uso na diluição de 1 para 1 (1 litro de manipueira para 1 litro de água). Aplicar a diluição na quantidade de 2 a 4 litros por metro de sulco de cultivo, deixando o solo descansar por 8 ou mais dias após a aplicação. Para a semeadura deve-se revolver bem o solo. 3. Será feito um decantador para manipueira: 1 tubo de PVC de 100 mm com cerca de 1,20 m de comprimento, 1 torneira de PVC, 1 tampão (tap) para tubo PVC de 100mm, 1 tubo de cola para PVC, Colocar o tampão em uma das extremidades do tubo, a 20 cm dessa extremidade, furar o tubo de PVC de 100 mm com uma faca ou canivete aquecido, de forma a

5 05 introduzir a torneira de PVC e fixa-la. Dica; evite mexer ou mudar a posição do decantador quando estiver decantando a manipueira. CRUEIRA: A crueira produzida no peneiramento será levada para trituração e posteriormente para torração evitando desperdício e agregando valor. A crueira será colocada em recipientes de plástico ou alumínio inox e levado para a trituração. CRUEIRA PARTICULADOS: Será transformado em adubo para as áreas de produção de mandioca. 1. A crueira particulados que cai ao chão durante o processo de torração e peneiramento será recolhida na limpeza, com a utilização de uma vassoura, separada exclusivamente para este fim e retirada com o auxílio de uma pá (que pode ser de material plástico ou alumínio). 2. Os resíduos são depositados em um conteiner de plástico e retirados do local pela área de descarte (Esse contêiner não pode sair da área de processamento para evitar contaminação), e descartado em sacos de ráfia em carrinhos de mão que levará até o campo de compostagem, onde permanecerá por 60 dias. 3. Após esse período o material, transformado em adubo, será retirado nos mesmos sacos de ráfia e entregue aos produtores.

6 06 EMBALAGENS, INUTILIZADOS E PARTICULADOS: Será destinada diretamente no container de resíduos descartáveis da agroindústria. 1. Todo material produzido pelo processo de envase das embalagens, inutilizados e particulados será recolhida na limpeza com a utilização de uma vassoura, separada exclusivamente para este fim e retirada com o auxílio de uma pá (que pode ser de material plástico ou alumínio). 2. O material será acondicionado em sacos de lixos de 100 litros e encaminhado para o container de resíduos descartá- CARVÃO QUEIMADO: 1. Adubo 2. Comercialização 1. Todo carvão produzido no processo de torração da farinha, será recolhido através de um rastelo de dentro do forno, transportado através de um carrinho de mão até a área separada para este destino onde ficará a disposição dos produtores. 2. Para a comercialização, o carvão produzido no processo de torração da farinha, será recolhido através de um rastelo de dentro do forno, transportado através de um carrinho de mão até a área separada para este destino onde será acondicionado em embalagens de papel, lacrada com grampos e dispostas para comercialização no local ou enviada para o comercio.

7 07 MANEJO DOS RESÍDUOS E DO LIXO: Será destinada diretamente no container de resíduos descartáveis da agroindústria. 1. Todo material produzido pelo processo de produção da agroindústria será recolhida na limpeza com a utilização de uma vassoura, separada exclusivamente para este fim e retirada com o auxílio de uma pá (que pode ser de material plástico ou alumínio). 2. Será colocado recipiente para coleta de resíduos no interior da agroindústria. 3. O material será acondicionado em sacos de lixos de 100 litros e encaminhado para o container de resíduos descartáveis.

8 08

9 09

Projeto. Reciclagem de resíduos orgânicos urbanos utilizando composteiros de tela de arame. Realização:

Projeto. Reciclagem de resíduos orgânicos urbanos utilizando composteiros de tela de arame. Realização: Projeto Reciclagem de resíduos orgânicos urbanos utilizando composteiros de tela de arame Realização: Projeto Iniciativa de compostagem urbana desenvolvida em Visconde de Mauá, Resende RJ, a partir de

Leia mais

Materiais: Folhas secas de serapilheira ou serragem; Resíduos orgânicos devidamente triturados; Regador; Termômetro digital (opcional).

Materiais: Folhas secas de serapilheira ou serragem; Resíduos orgânicos devidamente triturados; Regador; Termômetro digital (opcional). A compostagem é um processo de decomposição da matéria orgânica pela ação de fungos, bactérias e outros microrganismos que, em condições ótimas de umidade, temperatura e aeração, são capazes de transformar

Leia mais

Profª. Klícia Regateiro. O lixo

Profª. Klícia Regateiro. O lixo Profª. Klícia Regateiro O lixo Tipos de lixo O Definem-se resíduos sólidos como o conjunto dos produtos não aproveitados das atividades humanas: O domésticas, comerciais, industriais, de serviços de saúde

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JUÍNA MT SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA, MINERAÇÃO E MEIO AMBIENTE SAMMA

PREFEITURA MUNICIPAL DE JUÍNA MT SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA, MINERAÇÃO E MEIO AMBIENTE SAMMA Palestra: Como fazer uma horta Ildamir Teixeira de Faria/Diretor de Meio Ambiente SAMMA; Roselaine Mezz/Estudante de agropecuária IFMT/Estagiaria SAMMA; PREFEITURA MUNICIPAL DE JUÍNA MT SECRETARIA MUNICIPAL

Leia mais

A compostagem é um processo de decomposição de matéria. orgânica, na presença de oxigénio, feita através de micro

A compostagem é um processo de decomposição de matéria. orgânica, na presença de oxigénio, feita através de micro A compostagem é um processo de decomposição de matéria orgânica, na presença de oxigénio, feita através de micro organismos (fungos e bactérias). Esta decomposição é feita num compostor, (recipiente apropriado

Leia mais

COMPOSTO ORGÂNICO Materiais Quantidade no composto

COMPOSTO ORGÂNICO Materiais Quantidade no composto Composto Orgânico COMPOSTO ORGÂNICO A quantidade de esterco produzida pelas criações é muito pequena. Não chega para toda a terra que se deseja estercar. Mas é possível aumentar essa quantidade, ajuntando-se

Leia mais

Actividade Prática nº 3 O Guião da Compostagem

Actividade Prática nº 3 O Guião da Compostagem Actividade Prática nº 3 O Guião da Compostagem Página 1 de 7 O que é a compostagem? A compostagem é um processo biológico em que os microrganismos transformam a matéria orgânica, como estrume, folhas,

Leia mais

APROVEITAMENTO SUSTENTÁVEL DA MANIPUEIRA. È um líquido de cor amarelada que sai da mandioca depois dela ralada e prensada, durante a

APROVEITAMENTO SUSTENTÁVEL DA MANIPUEIRA. È um líquido de cor amarelada que sai da mandioca depois dela ralada e prensada, durante a APROVEITAMENTO SUSTENTÁVEL DA MANIPUEIRA Antonio Paixão e SILVA A Manipueira: È um líquido de cor amarelada que sai da mandioca depois dela ralada e prensada, durante a fabricação da farinha. Se ela for

Leia mais

Agroindústria Processamento Artesanal da Fabricação da Farinha de Mandioca

Agroindústria Processamento Artesanal da Fabricação da Farinha de Mandioca 1 de 5 10/16/aaaa 10:34 Agroindústria Processamento artesanal da fabricação da farinha de mandioca Processamento Nome artesanal da fabricação da farinha de mandioca Produto Informação Tecnológica Data

Leia mais

CADERNOS MANIPUEIRA SE APROVEITA?

CADERNOS MANIPUEIRA SE APROVEITA? CADERNOS Recife 2007 nº03 MANIPUEIRA série SE APROVEITA? A CASA DE FARINHA E A MANIPUEIRA As casas de farinha fazem parte da paisagem e da história de grande parte dos municípios de Pernambuco. Na bacia

Leia mais

Compostagem Caseira. por José Furtado

Compostagem Caseira. por José Furtado Compostagem Caseira por José Furtado 1 O que é compostagem Compostagem é o processo de decomposição aeróbica de matéria orgânica (restos de frutas, verduras, jardinagem, poda, etc). Se auxiliamos este

Leia mais

n novembro

n novembro n. 73 - novembro - 2009 mostragem de solo para o cultivo da bananeira 1 Maria Geralda Vilela Rodrigues 2 lex Teixeira ndrade 3 Maurício Mendes Cardoso 4 Otacílio Gomes Filho 5 INTRODUÇÃO Uma amostra de

Leia mais

Compostagem e adubos orgânicos

Compostagem e adubos orgânicos CAPÍTULO 8 8.1 Composto orgânico Compostagem e adubos orgânicos Carvalho Carlos Ecole Hipólito Alberto Malia Ronessa Bartolomeu de Souza Francisco Vilela Resende A compostagem é um processo de transformação

Leia mais

Corretivos Adubos e Adubações. Prof. ELOIR MISSIO

Corretivos Adubos e Adubações. Prof. ELOIR MISSIO Corretivos Adubos e Adubações Prof. ELOIR MISSIO ADUBAÇÃO ORGÂNICA Fertilidade dos solos e manejo da adubação de culturas. Carlos A. Bissani; Clesio Gianello; Marino J. Tedesco; Flávio A. O. Camargo. Porto

Leia mais

MODELO: /10 (VOLUME: LITROS; ESPESSURA DO MATERIAL: 1,00 MM)

MODELO: /10 (VOLUME: LITROS; ESPESSURA DO MATERIAL: 1,00 MM) MODELO: 274.500/10 (VOLUME: 274.500 LITROS; ESPESSURA DO MATERIAL: 1,00 MM) MANUAL DE ESCAVAÇÃO E DE INSTALAÇÃO DO KIT RESERVATÓRIO A instalação é muito simples e pode ser feita sem a presença de técnicos

Leia mais

Realização: Guia de Descarte. Residuos. Centro de Ciências Rurais

Realização: Guia de Descarte. Residuos. Centro de Ciências Rurais Realização: Guia de Descarte de Residuos Guia de Descarte de Residuos Os resíduos sólidos recicláveis são depositados nas coletoras localizadas nos corredores e em frente aos prédios e são recolhidos pelos

Leia mais

TÉCNICA SIMPLIFICADA DE COLHEITA DE MATERIAL EM ANIMAIS PARA O DIAGNÓSTICO DA RAIVA

TÉCNICA SIMPLIFICADA DE COLHEITA DE MATERIAL EM ANIMAIS PARA O DIAGNÓSTICO DA RAIVA TÉCNICA SIMPLIFICADA DE COLHEITA DE MATERIAL EM ANIMAIS PARA O DIAGNÓSTICO DA RAIVA (Fotos gentilmente cedidas pelo KwaZulu-Natal Rabies Project e pelo Serengueti Carnivore Disease Project) Preparação

Leia mais

IRGA 424 OPÇÃO DE PRODUTIVIDADE

IRGA 424 OPÇÃO DE PRODUTIVIDADE IRGA 424 OPÇÃO DE PRODUTIVIDADE A IRGA 424 apresenta como diferencial o alto potencial produtivo, responde muito bem ao manejo e às altas adubações. Origem: cruzamento IRGA 370-42-1-1F-B5/BR IRGA 410//IRGA

Leia mais

Tecnologia EM no Manejo de Resíduos Sólidos

Tecnologia EM no Manejo de Resíduos Sólidos Tecnologia EM no Manejo de Resíduos Sólidos Os Microorganismos Benéficos podem fazer muito mais do que bons vinhos e queijos, eles também podem ajudar no manejo dos resíduos sólidos. O EM 1 tem uma ampla

Leia mais

Análise química do solo: amostras para análise

Análise química do solo: amostras para análise Análise química do solo: Amostragem de solos e Preparo das amostras para análise Análise do solo A análise de solo conjunto de procedimentos físicos e químicos que visam avaliar as características e propriedades

Leia mais

produção de adubo a partir de resíduos orgânicos

produção de adubo a partir de resíduos orgânicos Série Fruticultura - N. 2 Compostagem produção de adubo a partir de resíduos orgânicos GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESPECIAL DE ESTADO DE PRODUÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E

Leia mais

Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Rurais Departamento de Solos Disciplina de Biologia do Solo VERMICOMPOSTAGEM 26/05/2009

Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Rurais Departamento de Solos Disciplina de Biologia do Solo VERMICOMPOSTAGEM 26/05/2009 Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Rurais Departamento de Solos Disciplina de Biologia do Solo VERMICOMPOSTAGEM 26/05/2009 Minhocultura e Vermicompostagem Minhocultura e Vermicompostagem

Leia mais

TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - LIXO

TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - LIXO RÁDIO AULA DE QUÍMICA TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - LIXO Prof. Carlos Alberto 01. Relacione: 1. Depósito a céu aberto (lixão) 2. Aterro controlado 3. Aterro sanitário 4. Compostagem 5. Incineração 6.

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO FCI INOX

MANUAL DE INSTALAÇÃO FCI INOX MANUAL DE INSTALAÇÃO FCI INOX Parabéns você acaba de adquirir um filtro central de inox. A seguir lhe mostraremos o passo a passo para fazer a correta instalação do seu filtro central de inox, garantindo

Leia mais

FERTILIZANTES ORGÂNICOS E SEU EMPREGO

FERTILIZANTES ORGÂNICOS E SEU EMPREGO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ Departamento de Ciência do Solo LSO-810 Adubos e Adubação FERTILIZANTES ORGÂNICOS E SEU EMPREGO Prof. Dr. Rafael Otto Piracicaba/SP

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Tema Transversal: Casa comum, nossa responsabilidade. Disciplina: Ciências / ESTUDOS AUTÔNOMOS Série: 4ª - Ensino Fundamental Aluno(a): N o : Turma: Professora: Data: 17 / 10 / 2016

Leia mais

Processamento do azeite

Processamento do azeite Processamento Geral dos Alimentos Processamento do azeite Trabalho realizado por: Vanessa Ferraz 20090165 Ano lectivo 2009/2010 Objectivo do trabalho: Com a realização deste trabalho pretende-se fazer

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE COMPOSTAGEM DE RESÍDUOS ORGÂNICOS

AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE COMPOSTAGEM DE RESÍDUOS ORGÂNICOS AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE COMPOSTAGEM DE RESÍDUOS ORGÂNICOS Gabriel Monteiro da Silva¹; Elituane Sousa da Siva² ; Valmara Silva Araújo³; Júlia Maria Orleans da Silva 4 ; Cibele Medeiros de Carvalho¹ ¹Universidade

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE LIMPEZA:

PROCEDIMENTOS DE LIMPEZA: CLÍNICAS: 1. Recolher o lixo todos os turnos 2. Teto (1x por semana) 3. Paredes (1x por semana) - Com água e sabão utilizando esponja ou pano - Limpar pia e bancadas com água e sabão e depois hipoclorito

Leia mais

Postura, ética, higiene e coleta seletiva no ambiente de trabalho

Postura, ética, higiene e coleta seletiva no ambiente de trabalho Postura, ética, higiene e coleta seletiva no ambiente de trabalho Importância do funcionário da copa no Senado Federal A eficiência e satisfação das pessoas no nosso ambiente passam por você! Dependemos

Leia mais

PROGRAMA RECEBE PILHAS CARTILHA INFORMATIVA

PROGRAMA RECEBE PILHAS CARTILHA INFORMATIVA PROGRAMA RECEBE PILHAS CARTILHA INFORMATIVA 1 Sobre o Programa ABINEE Recebe Pilhas Em 2010, foi publicada pelo Governo Federal, a Política Nacional de Resíduos Sólidos, na qual consta, entre outros objetivos,

Leia mais

GUIA PARA OPERAR UMA COMPOSTAGEM DE AVES MORTAS Fonte: Circular ANR-580, Alabama Cooperative Extension Service, Auburn University, Alabama - USA

GUIA PARA OPERAR UMA COMPOSTAGEM DE AVES MORTAS Fonte: Circular ANR-580, Alabama Cooperative Extension Service, Auburn University, Alabama - USA GUIA PARA OPERAR UMA COMPOSTAGEM DE AVES MORTAS Fonte: Circular ANR-580, Alabama Cooperative Extension Service, Auburn University, Alabama - USA Texto traduzido e adaptado por: Doralice Pedroso de Paiva

Leia mais

IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS PELO USO IRREGULAR DE DEJETOS DE SUÍNOS NO SOLO

IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS PELO USO IRREGULAR DE DEJETOS DE SUÍNOS NO SOLO IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS PELO USO IRREGULAR DE DEJETOS DE SUÍNOS NO SOLO Rodrigo de Almeida Silva (1) ; Rita Maria de Souza (2) ; Érica Nacif Rufino Vieira (3) ; (1) Graduando do curso de Gestão Ambiental,

Leia mais

RECEPÇÃO DE CALOUROS COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE

RECEPÇÃO DE CALOUROS COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE RECEPÇÃO DE CALOUROS 2017-1 COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE RECEPÇÃO DE CALOUROS 2017-1 Dr. Anderson Lopes Peçanha Professor da Universidade Federal do Espírito Santo Departamento

Leia mais

Ensaio de aceleração de compostagem de resíduos de podas de árvores urbanas através da adição de RINENBAC.

Ensaio de aceleração de compostagem de resíduos de podas de árvores urbanas através da adição de RINENBAC. Ensaio de aceleração de compostagem de resíduos de podas de árvores urbanas através da adição de RINENBAC. INFORMAÇÕES: Definições e Descrições do processo de compostagem: A compostagem é considerada um

Leia mais

144 - Utilização de minhoca gigante africana para tratamento de resíduos orgânicos sólidos provenientes de agroindústrias e atividades rurais

144 - Utilização de minhoca gigante africana para tratamento de resíduos orgânicos sólidos provenientes de agroindústrias e atividades rurais 144 - Utilização de minhoca gigante africana para tratamento de resíduos orgânicos sólidos provenientes de agroindústrias e atividades rurais LIMA, Redner Costa, Universidade para o Desenvolvimento do

Leia mais

mandamentos mandamentos do produtor de lixo

mandamentos mandamentos do produtor de lixo 10 mandamentos mandamentos do produtor de lixo 1 Reduzo o lixo que produzo Quando vou às compras, levo sacos reutilizáveis. Prefiro produtos concentrados, com pouca embalagem. Entrego os bens que já não

Leia mais

COMO DESCARTAR SEUS RESÍDUOS DE MANEIRA CONSCIENTE

COMO DESCARTAR SEUS RESÍDUOS DE MANEIRA CONSCIENTE COMO DESCARTAR SEUS RESÍDUOS DE MANEIRA CONSCIENTE O PROBLEMA - O descarte de resíduos é uma das práticas mais impactantes do ponto de vista socioambiental. Além de sobrecarregar os aterros, ele ocasiona

Leia mais

Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos

Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos 1. COMPETÊNCIAS E RESPONSABILIDADES 1.1 COMPANHIA DOCAS DO PARÁ Cabe a CDP, enquanto Autoridade Portuária, a implantação, o gerenciamento e a fiscalização de

Leia mais

Issáo Ishimura Eng. Agr., Dr., PqC da Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento em Agricultura Ecológica /APTA

Issáo Ishimura Eng. Agr., Dr., PqC da Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento em Agricultura Ecológica /APTA PRODUÇÃO DE MUDAS DE LOURO E SEU PLANTIO Issáo Ishimura Eng. Agr., Dr., PqC da Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento em Agricultura Ecológica /APTA issao@apta.sp.gov.br Sebastião Wilson Tivelli Eng. Agr.,PhD.,

Leia mais

Aula 23.2 Conteúdo Compostagem, reciclagem.

Aula 23.2 Conteúdo Compostagem, reciclagem. Aula 23.2 Conteúdo Compostagem, reciclagem. Habilidades Verificar a importância do correto descarte através do reaproveitamento, reciclagem e reutilização de bens de consumo. 1 Reaproveitamento do Lixo

Leia mais

Passo-a-passo Sementeira - Bandeja de Isopor

Passo-a-passo Sementeira - Bandeja de Isopor 44 Passo-a-passo Sementeira - Bandeja de Isopor Materiais necessários: Nesta etapa é necessário utilizar materiais de excelente qualidade, é o início de todo processo. Material necessário:.01 bandeja de

Leia mais

Dimensionamento de viveiros. Iane Barroncas Gomes Engenheira Florestal, M.Sc. IFAM-CITA

Dimensionamento de viveiros. Iane Barroncas Gomes Engenheira Florestal, M.Sc. IFAM-CITA Dimensionamento de viveiros Iane Barroncas Gomes Engenheira Florestal, M.Sc. IFAM-CITA Conteúdo Conteúdo: Conceito de viveiro Tipos de viveiros Planejamento da instalação de um viveiro Local ideal Estruturas

Leia mais

COMPOSTAGEM. Produção de adubo a partir de resíduos orgânicos

COMPOSTAGEM. Produção de adubo a partir de resíduos orgânicos COMPOSTAGEM Produção de adubo a partir de resíduos orgânicos Produzir adubo na propriedade rural é uma prática fácil porque a matéria prima a ser usada éobtida de resíduos orgânicos como o lixo doméstico

Leia mais

Preparo de Composto Orgânico sem Esterco Animal

Preparo de Composto Orgânico sem Esterco Animal 81 ISSN 1517-3887 Dezembro, 2009 Manaus, AM Preparo de Composto Orgânico sem Esterco Animal 1 José Nestor de Paula Lourenço 2 Silas Garcia Aquino de Sousa Francisneide de Sousa Lourenço 4 Rosângela dos

Leia mais

GESTÃO DE DEJETOS DE BOVINOS, CASCA SECA E ÚMIDA DE CAFÉ ( Coffea arabica L.) ATRAVÉS DO PROCESSO DE VERMICOMPOSTAGEM

GESTÃO DE DEJETOS DE BOVINOS, CASCA SECA E ÚMIDA DE CAFÉ ( Coffea arabica L.) ATRAVÉS DO PROCESSO DE VERMICOMPOSTAGEM GESTÃO DE DEJETOS DE BOVINOS, CASCA SECA E ÚMIDA DE CAFÉ ( Coffea arabica L.) ATRAVÉS DO PROCESSO DE VERMICOMPOSTAGEM Rildo Araújo Leite 1 Roberta de Castro Pereira 2 João Augusto Ferreira Marques 2 Pedro

Leia mais

Análise SWOT. Resíduos Sólidos Domiciliares e Comerciais

Análise SWOT. Resíduos Sólidos Domiciliares e Comerciais Análise SWOT Resíduos Sólidos Domiciliares e Comerciais Implantação de associação de catadores, melhorando a coleta seletiva. Disponibilização de quantidade maior de lixeiras na cidade. Geração de empregos

Leia mais

PROJETO DE LEI N o 4137, DE 2004

PROJETO DE LEI N o 4137, DE 2004 PROJETO DE LEI N o 4137, DE 2004 (Do Sr. Julio Lopes) Estabelece normas gerais para utilização e disposição de biossólidos gerados por estações de tratamento de esgotos e de lixo, e dá outras providências.

Leia mais

Comunicado Técnico 05

Comunicado Técnico 05 Comunicado Técnico 05 ISSN 2177-854X Julho. 2010 Uberaba - MG Amostragem do Solo para Recomendação de Calagem e Adubação Instruções Técnicas Responsável: Ricardo Moreira de Mendonça Agrônomo; MSc.Fitotecnia

Leia mais

GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS ORGÂNICOS PRODUZIDOS POR UM ESTABELECIMENTO COMERCIAL EM TERESINA-PI

GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS ORGÂNICOS PRODUZIDOS POR UM ESTABELECIMENTO COMERCIAL EM TERESINA-PI GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS ORGÂNICOS PRODUZIDOS POR UM ESTABELECIMENTO COMERCIAL EM TERESINA-PI Amanda Alves Feitosa (*), Dinael David Ferreira Lima * Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia

Leia mais

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Promoção SEST / SENAT Conteúdo Técnico ESCOLA DO TRANSPORTE JULHO/2007 O que é Lixo? Lixo

Leia mais

Farinhas de Mandioca Seca e Mista

Farinhas de Mandioca Seca e Mista Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Amapá Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Farinhas de Mandioca Seca e Mista Valéria Saldanha Bezerra Embrapa Informação Tecnológica Brasília,

Leia mais

Recursos minerais explorados para a obtenção de um determinado elemento metálico que faz parte da sua constituição.

Recursos minerais explorados para a obtenção de um determinado elemento metálico que faz parte da sua constituição. Recursos minerais explorados para a obtenção de um determinado elemento metálico que faz parte da sua constituição. Ouro Prata Ferro Magnésio Manganês Cobre Exemplos: ouro, prata, cobre, alumínio, ferro,

Leia mais

Curso de Licenciatura em Ciências da Natureza Componente Curricular: Educação e Saúde. Prof. Vanderlei Folmer / Msc. Maria Eduarda de Lima

Curso de Licenciatura em Ciências da Natureza Componente Curricular: Educação e Saúde. Prof. Vanderlei Folmer / Msc. Maria Eduarda de Lima Curso de Licenciatura em Ciências da Natureza Componente Curricular: Educação e Saúde Prof. Vanderlei Folmer / Msc. Maria Eduarda de Lima O que é lixo? Latim Lix : cinza ; Europa : resíduos domésticos

Leia mais

TRATAMENTO DE ÁGUA: SISTEMA FILTRO LENTO ACOPLADO A UM CANAL DE GARAFFAS PET

TRATAMENTO DE ÁGUA: SISTEMA FILTRO LENTO ACOPLADO A UM CANAL DE GARAFFAS PET TRATAMENTO DE ÁGUA: SISTEMA FILTRO LENTO ACOPLADO A UM CANAL DE GARAFFAS PET Maick Sousa Almeida (1); Anderson Oliveira de Sousa (1); Ana Paula Araújo Almeida (2) (1) Universidade Estadual da Paraíba;

Leia mais

115 - Compostagem - Recanto Ecológico Rio da Prata, Município de Jardim, Mato Grosso do Sul

115 - Compostagem - Recanto Ecológico Rio da Prata, Município de Jardim, Mato Grosso do Sul 115 - Compostagem - Recanto Ecológico Rio da Prata, Município de Jardim, Mato Grosso do Sul ESTERQUILE, Osvaldo Júnior. Japacanim Ecoturismo, osvaldo@gruporiodaprata.com.br; SOUZA, Valdenir Roberto. Japacanim

Leia mais

MICROPROPAGAÇÃO A DESINFECÇÃO DOS INSTRUMENTOS

MICROPROPAGAÇÃO A DESINFECÇÃO DOS INSTRUMENTOS MICROPROPAGAÇÃO A DESINFECÇÃO DOS INSTRUMENTOS Como indicado no Guia 8 0: Micropropagação no laboratório de ensino, as técnicas de cultivo de tecidos vegetais consistem na transferência de um explante

Leia mais

UM MODELO DE GESTÃO DE RESÍDUOS MUNICIPAIS PROF. DR. SABETAI CALDERONI INDUSTRIALIZAÇÃO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS

UM MODELO DE GESTÃO DE RESÍDUOS MUNICIPAIS PROF. DR. SABETAI CALDERONI INDUSTRIALIZAÇÃO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS UM MODELO DE GESTÃO DE RESÍDUOS MUNICIPAIS PROF. DR. SABETAI CALDERONI INDUSTRIALIZAÇÃO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS SABETAI CALDERONI Presidente do Instituto Brasil Ambiente Consultor da Organização das Nações

Leia mais

Compostagem para pequena escala e/ou para demonstração.

Compostagem para pequena escala e/ou para demonstração. Conteúdo Compostagem para pequena escala e/ou para demonstração.... 1 Material.... 1 Compostagem em grande escala.... 2 Material.... 3 Montagem.... 3 Problemas contornáveis... 4 O que pode ser compostado....

Leia mais

ANÁLISE GRANULOMÉTRICA (Dispersão Total)

ANÁLISE GRANULOMÉTRICA (Dispersão Total) 12 ANÁLISE GRANULOMÉTRICA (Dispersão Total) 12.1 Método do densímetro 12.2.1 Princípio Baseia-se na sedimentação das partículas que compõem o solo. Após a adição de um dispersante químico, fixa-se um tempo

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA COLETA E ENVIO DE MATERIAL PARA LABORATÓRIO

PROCEDIMENTOS PARA COLETA E ENVIO DE MATERIAL PARA LABORATÓRIO PROCEDIMENTOS PARA COLETA E ENVIO DE MATERIAL PARA LABORATÓRIO 1 AVICULTURA COMERCIAL 1.1 Aves vivas para necropsia 1.1.1 Identificação: identificar empresa remetente, lote, tipo de exploração, linhagem,

Leia mais

Compostagem doméstica

Compostagem doméstica Compostagem doméstica Na Natureza tudo se transforma 1 2 3 Este guia vai ser-lhe útil! Com este pequeno guia pode, finalmente, tirar partido do seu lixo e sentir-se bem por isso! Os restos de comida, as

Leia mais

Quadro 1 - Fatores para conversão de unidades antigas em unidades do Sistema Internacional de Unidades.

Quadro 1 - Fatores para conversão de unidades antigas em unidades do Sistema Internacional de Unidades. Informação sobre interpretação de Análise de Solo, segundo o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Solos e Recursos Ambientais, Instituto Agronômico de Campinas. Quadro 1 - Fatores para conversão de

Leia mais

Ecopavimento para Grama Ecotelhado

Ecopavimento para Grama Ecotelhado Ecopavimento para Grama Ecopavimento para Grama Objetivo A aplicação do Ecopavimento é indicada para locais onde requer alta permeabilidade ou em locais onde haja trânsito de pessoas e/ou veículos leves,

Leia mais

Manual da economia no trabalho. Ariane Roma

Manual da economia no trabalho. Ariane Roma Manual da economia no trabalho Ariane Roma Curriculum Autora Ariane Roma Tecnóloga em Gestão Logística, formada em 2008 pela Universidade Metodista de São Paulo, Pós Graduada em Gestão Ambiental pelo Centro

Leia mais

Município de Visconde do Rio Branco 1. Aspectos Gerais

Município de Visconde do Rio Branco 1. Aspectos Gerais Projeto Preparatório para o Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Paraíba do Sul Município de Visconde do Rio Branco 1. Aspectos Gerais O município de Visconde do Rio Branco tem uma população total de

Leia mais

Bem Vindo. Temos a consciência que devemos Reciclar no presente para, dessa forma, proteger o nosso futuro.

Bem Vindo. Temos a consciência que devemos Reciclar no presente para, dessa forma, proteger o nosso futuro. Bem Vindo Temos a consciência que devemos Reciclar no presente para, dessa forma, proteger o nosso futuro www.unilixeiras.com.br 3 Quem somos Somos uma empresa que comercializa lixeiras e equipamentos

Leia mais

COMPOSTAGEM DE RESÍDUOS AGRÍCOLAS

COMPOSTAGEM DE RESÍDUOS AGRÍCOLAS COMPOSTAGEM DE RESÍDUOS AGRÍCOLAS Gabriel José de Carvalho 1 1 - INTRODUÇÃO A utilização adequada dos fertilizantes químicos e/ou orgânicos na agricultura brasileira é importante para elevar o nível de

Leia mais

Kits Reservatórios de Água Inovageo

Kits Reservatórios de Água Inovageo Kits Reservatórios de Água Inovageo Kits Reservatórios de Água Inovageo Sistema desenvolvido para a construção rápida e eficiente de um reservatório de água ou efluentes. São confeccionados para atender

Leia mais

Informações básicas para fazer compostagem 1.

Informações básicas para fazer compostagem 1. Educação Ambiental Desenvolvimento Sustentável. www.ecophysis.com.br Informações básicas para fazer compostagem 1. COMPOSTAR para reduzir a quantidade de resíduos orgânicos 2. REUSAR os resíduos compostados

Leia mais

Produção de sementes Espaçamento entre as linhas (cm)

Produção de sementes Espaçamento entre as linhas (cm) Adubação Verde ADUBAÇÃO VERDE O que é adubação verde Consiste no cultivo e na incorporação ao solo de plantas (principalmente as leguminosas) que contribuem para a melhoria das condições físicas, químicas

Leia mais

18 Comercialização e Agregração de Valor

18 Comercialização e Agregração de Valor 18 Comercialização e Agregração de Valor Sérgio Agostinho Cenci Daniel Trento do Nascimento André Luis Bonnet Alvarenga 314 Quais os possíveis canais de comercialização do maracujá? Os principais canais

Leia mais

MANEJO DE NUTRIENTES NO ALGODOEIRO Solos de Goiás

MANEJO DE NUTRIENTES NO ALGODOEIRO Solos de Goiás MANEJO DE NUTRIENTES NO ALGODOEIRO Solos de Goiás Ana Luiza Dias Coelho Borin Engenheira agrônoma, D.Sc. em Ciência do Solo Pesquisadora da Embrapa Algodão Adubação de sistemas intensivos de produção Conceitos

Leia mais

Curso de Ensino à Distância - CERAT

Curso de Ensino à Distância - CERAT Curso de Ensino à Distância - CERAT PRODUÇÃO DE MANDIOCA DESCASCADA E SANITIZADA (MINIMAMENTE PROCESSADA) Educador: Dr. Marcelo Álvares de Oliveira Pesquisador CERAT 2006 DETALHES DA CONSTRUÇÃO, DA INSTALAÇÃO

Leia mais

Cultura do lixo. Premissas. Modelo Linear

Cultura do lixo. Premissas. Modelo Linear Premissas Ecossistemas naturais Produção de bens e serviços Sociedade: uso e descarte Modelo Linear O modelo de produção e gestão de resíduos pode ser definido como linear, onde extraímos os recursos naturais

Leia mais

1. Escolhendo o local certo para o plantio.

1. Escolhendo o local certo para o plantio. Além de ser uma atitude que contribui com o meio ambiente, plantar uma árvore requer alguns cuidados. Assim, para que o plantio ocorra da maneira correta é preciso pensar no espaço disponível, no tamanho

Leia mais

TÉCNICA CULTURAL PARA PRODUÇÃO DE SEMENTES

TÉCNICA CULTURAL PARA PRODUÇÃO DE SEMENTES 1 TÉCNICA CULTURAL PARA PRODUÇÃO DE SEMENTES 1. Introdução Silvio Moure Cicero Instalação de campos de produção de sementes requer planejamento muito criterioso: diferentes espécies requerem técnicas especiais;

Leia mais

GERAÇÃO DE RESÍDUOS. Planejamento e Gestão de Resíduos

GERAÇÃO DE RESÍDUOS. Planejamento e Gestão de Resíduos GERAÇÃO DE RESÍDUOS Planejamento e Gestão de Resíduos FONTES GERADORAS ORIGEM DE ACORDO COM A CLASSIFICAÇÃO Domiciliar Comercial Institucional Serviços Públicos (limpeza pública) Serviços de saúde Indústria

Leia mais

TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) COMPOSTAGEM. Profa. Margarita María Dueñas Orozco

TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) COMPOSTAGEM. Profa. Margarita María Dueñas Orozco TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) COMPOSTAGEM Profa. Margarita María Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com TRATAMENTO Série de procedimentos destinados a reduzir a quantidade ou o potencial

Leia mais

Tabela 10 Equipamento e respectivas características para cada operação. Fase / Operação Equipamento Características

Tabela 10 Equipamento e respectivas características para cada operação. Fase / Operação Equipamento Características A escolha do equipamento deverá ser criteriosa, uma vez que existem várias escolhas no mercado e ir de encontro às necessidades das explorações seja em termos de produção de resíduos, seja indirectamente

Leia mais

COMO SÃO CLASSIFICADOS OS RESÍDUOS EM GERAL?

COMO SÃO CLASSIFICADOS OS RESÍDUOS EM GERAL? RESÍDUOS SÓLIDOS COMO SÃO CLASSIFICADOS OS RESÍDUOS EM GERAL? RESÍDUO CLASSE I: São aqueles que apresentam periculosidade ou uma das seguintes características, inflamabilidade, corrosividade, reatividade,

Leia mais

Apresentação. SEBRAE - O Aproveitamento Sustentável da Rama da Mandioca e da Manipueira

Apresentação. SEBRAE - O Aproveitamento Sustentável da Rama da Mandioca e da Manipueira O Aproveitamento Sustentável da Rama da Mandioca e da Manipueira SEBRAE - O Aproveitamento Sustentável da Rama da Mandioca e da Manipueira Apresentação A busca por aprimoramentos no sistema de produção

Leia mais

Composição do solo e relação entre as fases. Atributos físicos e químicos do solo -Aula 3- Prof. Alexandre Paiva da Silva.

Composição do solo e relação entre as fases. Atributos físicos e químicos do solo -Aula 3- Prof. Alexandre Paiva da Silva. Composição do solo e relação entre as fases Atributos físicos e químicos do solo -Aula 3- Prof. Alexandre Paiva da Silva Introdução Conceito de solo Formação e tipos de solo Importância dos solos Função

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL EDGAR BARBOSA OFICINA: QUÍMICA AMBIENTAL E RECICLAGEM NATAL/RN 2013

ESCOLA ESTADUAL EDGAR BARBOSA OFICINA: QUÍMICA AMBIENTAL E RECICLAGEM NATAL/RN 2013 ESCOLA ESTADUAL EDGAR BARBOSA OFICINA: QUÍMICA AMBIENTAL E RECICLAGEM NATAL/RN 2013 LIXO 2º ENCONTRO OBJETIVO: Relatar a composição química do lixo e os prováveis danos causados, além de discutir principais

Leia mais

Gestão De D Resídu d os

Gestão De D Resídu d os Gestão De Resíduos COLETA SELETIVA Projeto Gestão de Resíduos EcoMalzoni Como funcionava a coleta de resíduos antes do Projeto de Gestão de Resíduos? - 85% dos sacos retirados eram pretos, com

Leia mais

MUNICÍPIO D AVENCHES GESTÃO DO LIXO DIRECTIVAS MUNICIPAIS

MUNICÍPIO D AVENCHES GESTÃO DO LIXO DIRECTIVAS MUNICIPAIS MUNICÍPIO D AVENCHES GESTÃO DO LIXO DIRECTIVAS MUNICIPAIS Avenches, 30 de junho de 2012 RECOMENDAÇÕES No saco do lixo, eu posso deitar : Embalagens alimentares de, Carne, Peixe, etc Lenços de papel e guardanapos

Leia mais

Alguns processos erosivos que contribuem para o empobrecimento do solo

Alguns processos erosivos que contribuem para o empobrecimento do solo SOLO CONSERVAÇÃO Erosão Alguns processos erosivos que contribuem para o empobrecimento do solo Assoreamento: Depósito de acúmulo de sedimentos nos cursos d água, geralmente provocada, principalmente, pela

Leia mais

31/08/2016. Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações.

31/08/2016. Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações. 6º Anos Prof. Leonardo F. Stahnke Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações. Para se alimentar, o ser humano abate

Leia mais

Núcleo Proecco Em parceria com as empresas. Centro de Referências para Triagem e Tratamento de Resíduos Orgânicos e Inorgânicos.

Núcleo Proecco Em parceria com as empresas. Centro de Referências para Triagem e Tratamento de Resíduos Orgânicos e Inorgânicos. Núcleo Proecco Em parceria com as empresas. Centro de Referências para Triagem e Tratamento de Resíduos Orgânicos e Inorgânicos. 12/08/2015 1 12/08/2015 2 Profissionais envolvidos no projeto Biologia ;Geografia

Leia mais

Amostragem do solo em Pastagens manejadas intensivamente

Amostragem do solo em Pastagens manejadas intensivamente Amostragem do solo em Pastagens manejadas intensivamente Por que fazer análise do solo? Para: Conhecer a diversidade das características químicas do solo; Avaliar sua fertilidade; Recomendar adubação e

Leia mais

Tratamento de resíduos

Tratamento de resíduos Tratamento de resíduos Resíduo: Um resíduo é qualquer substância ou objecto de que o ser humano pretende desfazer-se por não lhe reconhecer utilidade. Prioridades a seguir no tratamento de resíduos sólidos:

Leia mais

Tecnologia EM na Compostagem. Os Microorganismos Benéficos podem fazer muito mais do que bons vinhos e queijos, eles também

Tecnologia EM na Compostagem. Os Microorganismos Benéficos podem fazer muito mais do que bons vinhos e queijos, eles também Tecnologia EM na Compostagem Os Microorganismos Benéficos podem fazer muito mais do que bons vinhos e queijos, eles também mbém podem ajudar na compostagem de resíduos orgânicos O EM 1 tem uma ampla gama

Leia mais

Pilhas / Baterias e Divertidas. Diversos

Pilhas / Baterias e Divertidas. Diversos Com Pedal Escritório Pilhas / Baterias e Divertidas Porta Copos e Cinzeiros Chão ou Suporte Diversos s Com Pedal» para ambiente interno» Com cantos arredondados» Resistente» Ótimo custo x benefício» Utilizada

Leia mais

Produção de plantas para arborização urbana. Hoje O EMPREGO DE SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE PLANTAS O EMPREGO DE SUBSTRATO

Produção de plantas para arborização urbana. Hoje O EMPREGO DE SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE PLANTAS O EMPREGO DE SUBSTRATO X CBAU - 5 a 8 de novembro de 2006 Maringá / PR Oficina: O EMPREGO DE SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE PLANTAS O EMPREGO DE SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE PLANTAS PARA ARBORIZAÇÃO URBANA Atelene N. Kämpf http://chasqueweb.ufrgs.br/~atelene.kampf

Leia mais

Procedimento NSHS 07/2011

Procedimento NSHS 07/2011 1. OBJECTIVO O presente procedimento tem como objectivo estabelecer regras para os aspectos de gestão dos resíduos produzidos nos campus do IST. 2. DESTINATÁRIOS Todos os trabalhadores e colaboradores

Leia mais

grandes geradores de lixo

grandes geradores de lixo grandes geradores de lixo Novas responsabilidades de quem produz mais de 120 litros de resíduos por dia grandes geradores de lixo grandes geradores de lixo Uma publicação do Governo de Brasília novembro

Leia mais

Geração de Renda a Partir dos Dejetos da Suinocultura: Biofertilizante, Biogás e Energia Elétrica

Geração de Renda a Partir dos Dejetos da Suinocultura: Biofertilizante, Biogás e Energia Elétrica APROVEITAMENTO ECONÔMICO DOS RESÍDUOS DA PRODUÇÃO DE SUÍNOS Geração de Renda a Partir dos Dejetos da Suinocultura: Biofertilizante, Biogás e Energia Elétrica Fabiano Coser Fabrício Oliveira Leitão MINISTÉRIO

Leia mais

ANÁLISE DE INDICADORES FINANCEIROS DE AGROINDÚSTRIAS DE MANDIOCA: ESTUDO DE CASOS NO NORDESTE DO PARÁ

ANÁLISE DE INDICADORES FINANCEIROS DE AGROINDÚSTRIAS DE MANDIOCA: ESTUDO DE CASOS NO NORDESTE DO PARÁ ANÁLISE DE INDICADORES FINANCEIROS DE AGROINDÚSTRIAS DE MANDIOCA: ESTUDO DE CASOS NO NORDESTE DO PARÁ Raimundo Nonato Brabo Alves 1 ; Moisés de Souza Modesto Junior 2 ; Admar Bezerra Alves 3 1 Engº. Agrº,

Leia mais

Separação de Resíduos

Separação de Resíduos Separação de Resíduos Tipos de Resíduos Orgânicos Rejeitos Papéis Recicláveis Plásticos Metais Isopor Plástico Existem 7 tipos de resinas plásticas: - PET: polietileno tereftalato: Frascos de refrigerantes

Leia mais

Para Centros, Departamentos, Coordenações e Unidades da UFSM

Para Centros, Departamentos, Coordenações e Unidades da UFSM Of. 12/COMPLANA/2016 Santa Maria, 23 de setembro de 2016. Para Centros, Departamentos, Coordenações e Unidades da UFSM De Profa. Dra. Marta Tocchetto Coord. das Comissões de Planejamento Ambiental e Coleta

Leia mais