AULA 07: FUNÇÕES OXIGENADAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AULA 07: FUNÇÕES OXIGENADAS"

Transcrição

1 AULA 07: FUNÇÕES OXIGENADAS 1) ÁLCOOL 6)Ácido Carboílico Ácido (nome do hidrocarboneto correspondente) + ÓICO (Nome do hidrocarboneto + OL) CH 3OH CH 3CH 2OH CH 3CH 2CH 2OH CH 3CHCH 3 OH ) FENOL (nome dos radicais ligados ao anel aromático + benzeno)... ou ou ou ) ÉSTER Ácido carboílico + Álcool (nome de R + ATO) de (nome do radical R ) 3)ÉTER... (nome do menor R + OXI) (nome do maior R ) CH 3 O CH 2CH 3 CH 3CH 2 - O CH 2CH EXERCÍCIOS INDIQUE AS FUNÇÕES PRESENTES NOS COMPOSTOS DE FUNÇÃO MISTA ABAIXO: 4) ALDEÍDO (nome do hidrocarboneto correspondente) + AL ) CETONA (nome do hidrocarboneto correspondente) + ONA, ou (nome dos radicais em ordem alfabética) + CETONA... ou... 1

2 AULA 08: Funções Nitrogenadas e demais funções 1)AMINAS 4) HALETOS ONDE X =...,...,... ou... NOME DO HIDROCARBONETO CORRESPONDENTE MAS INICIANDO A NuMERAÇÃO PELO HALOGÊNIO CH 3 CH CH CH 3... Cl CH 3 EXERCÍCIOS Nome dos radiais em ordem alfabética + AMINA INDIQUE AS FUNÇÕES PRESENTES NOS COMPOSTOS DE FUNÇÃO MISTA ABAIXO: 2)AMIDAS: As amidas derivam dos ácidos orgânicos por substituição do grupo OH da carboila por NH2. Sua fórmula geral é R CONH2, sua nomenclatura é feita da seguinte forma: (nome do hidrocarboneto correspondente)+ AMIDA CH3 CH2 C = O... NH2 3) NITRO COMPOSTOS NOME DO HIDROCARBONETO CORRESPONDENTE MAS INICIANDO A NuMERAÇÃO PELO GRUPO NITRO, NO2 CH 3NO

3 Equação Eponencial Equação eponencial é uma equação em que a incógnita apresenta-se no epoente da potência. A resolução de uma equação eponencial baseia-se em dois casos importantes: 1º) transformar a equação em igualdade de potências de mesma base. E: = = = 5 = 4 S = { 4 } 2º) as equações eigem transformações e artifícios. E: = 0 (2 ) = 0, Substituir na equação 2 = y y 2 5y + 4 = 0 y = = = y 4, como 2 = y, temos: 2 y 1 2 = 4 2 = 2 2 = 2 2 = 1 2 = 2 0 = 0 Função Eponencial Toda função f : IR IR, definida por f() = a, sendo a positivo e diferente de 1 é uma função eponencial. Toda função f : IR IR, f() = a, com a 1 é crescente e sua imagem é f() 0. E: f() = 2 y Y 3 1/8 2 1/4 1 1/ S = {0, 2} Toda função f : IR IR, f() = a, com 0 a 1 é decrescente e sua imagem é f() 0. 1 E: f() = 2 Y /2 2 1/4 3 1/ A vigilância sanitária, em certo dia, constatou que, em uma cidade 167 pessoas estavam infectadas por uma doença contagiosa. Estudos mostram que, pelas condições sanitárias e ambientais dessa cidade, a quantidade (Q) de pessoas infectadas por essa doença pode ser estimada pela função Q( t), t onde t é o tempo, em dias, contado a partir da data de constatação da doença na cidade. Nesse conteto, é correto afirmar que, 360 dias depois que constatada a doença, o número estimado de pessoas, nessa cidade, infectadas pela doença é de: (A) 520 (B) 500 (C) 480 (D) 460 (E) Num período prolongado de seca, a variação da quantidade de água de certo reservatório é dada pela função: ( 0,1)t q(t) = q 0 2 sendo q 0 a quantidade inicial de água no reservatório e q(t) a quantidade de água no reservatório após t meses. Em quantos meses a quantidade de água do reservatório se reduzirá à metade do que era no início? (A) 5 (B) 7 (C) 8 (D) 9 (E) 10 GABARITO: 01. B 02. E y 3

4 Aula 08: FUNÇÃO LOGARITMICA Definição Dados os números reais a e b, ambos positivos com b 1, eiste sempre um único real tal que b = a. O epoente, que deve ser colocado na base b para que o resultado seja a, recebe o nome de logaritmo de a na base b, ou seja: a 0 log a b b a, paraisso deve - se ter b 0, b 1 b a Neste caso, dizemos que b é a base do sistema de logaritmos, a é o logaritmando ou antilogaritmo e é o logaritmo. Eemplos: a) log 2 8 3, porque b) log 41 0, porque c) log , porque Consequências da Definição É fácil demonstrar as seguintes propriedades imediatas dos logaritmos, todas decorrentes da definição: P1) O logaritmo da unidade em qualquer base que satisfaça a condição de eistência, é nulo, ou seja, log b 1 = 0 porque b 0 = 1. P2) O logaritmo da base é sempre igual a 1, ou seja, log b b = 1, porque b 1 = b. P3) log b b k = k, porque b k = b k. P4) Se log b M = log b N, então podemos concluir que M = N. Esta propriedade é muito utilizada na solução de eercícios envolvendo equações onde aparecem logaritmos (equações logarítmicas). log M P5) b b M, ou seja, b elevado ao logaritmo de Satisfeitas as condições de eistência dos logaritmos, tem-se: M na base b é igual a M. Propriedades dos logaritmos P 1 ) Logaritmo de um Produto logb ( M N) logb M logb N P 2 ) Logaritmo de um Quociente M logb logb M logb N N P 3 ) Logaritmo de uma Potência logb P 4 ) Mudança de Base M k k log M log a log a c b logc b 01. A altura média do tronco de certa espécie de árvore, que se destina à produção de madeira, evolui, desde que é plantada, segundo o seguinte modelo matemático: h( t ) = 1,5 + log 3 (t 1), com h(t) em metros e t em anos. Se uma dessas árvores foi cortada quando seu tronco atingiu 3,5 m de altura, o tempo (em anos) transcorrido do momento da plantação até o do corte foi de: (A) 2 (B) 4 (C) 5 (D) 8 (E) O ph de uma solução aquosa é definido pela epressão b ph = log[h + ], em que [H + ] indica a concentração, em mol/l, de íons de Hidrogênio na solução e log, o logaritmo na base 10 Ao analisar uma determinada solução, um pesquisador verificou que, nela, a concentração de íons de Hidrogênio era [H + ] = 5, mol/l. Para calcular o ph dessa solução, ele usou os valores aproimados de 0,30, para log2, e de 0,48, para log3. Então, o valor que o pesquisador obteve para o ph dessa solução foi: (A) 7,26 (B) 7,32 (C) 7,58 (D) 7,74 (E) 8,05 GABARITO: 01. B 02. A 4

5 Aula 07: CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS AULA 7 Conjunções Subordinativas Subordinativas - ligam duas orações dependentes, subordinando uma à outra. Apresentam dez tipos: causais: porque, visto que, já que, uma vez que, como, desde que; comparativas: como, (tal) qual, assim como, (tanto) quanto, (mais ou menos +) que; condicionais: se, caso, contanto que, desde que, salvo se, sem que (= se não), a menos que; consecutivas (consequência, resultado, efeito): que (precedido de tal, tanto, tão etc. - indicadores de intensidade), de modo que, de maneira que, de sorte que, de maneira que, sem que; conformativas (conformidade, adequação): conforme, segundo, consoante, como; concessiva: embora, conquanto, posto que, por muito que, se bem que, ainda que, mesmo que; temporais: quando, enquanto, logo que, desde que, assim que, mal (= logo que), até que; finais - a fim de que, para que, que; proporcionais: à medida que, à proporção que, ao passo que, quanto mais (+ tanto menos); EXERCÍCIOS 1 No período: "Da própria garganta saiu um grito de admiração, que Cirino acompanhou,embora com menos entusiasmo", a palavra destacada epressa uma ideia de: a) eplicação. b) concessão. c) comparação. d) modo. e) consequência. 2) Assinale a alternativa que possa substituir, pela ordem, as partículas de transição dos períodos abaio, sem alterar o significado delas. "Em (primeiro lugar), observemos o avô. (Igualmente), lancemos um olhar para a avó. (Também) o pai deve ser observado. Todos são altos e morenos. (Consequentemente), a filha também será morena e alta." a) primeiramente, ademais, além disso, em suma b) acima de tudo, também, analogamente, finalmente c) primordialmente, similarmente, segundo, portanto d) antes de mais nada, da mesma forma, por outro lado, por conseguinte e) sem dúvida, intencionalmente, pelo contrário, com efeito. 3)Na frase Quando ocorreu o encontro entre as civilizações précolombianas e pré-cabralianas, os colonizadores foram capazes de superar a tragédia do enfrentamento..., a conjunção destacada pode ser substituída, sem alteração de sentido, por: a) assim que b) contudo c) sempre que d) à medida que e) antes que 4) A palavra como tem o valor de conjunção subordinativa conformativa na opção: a) Indaguei-lhe como Rubião tinha assumido aquela postura de contemplação. b) Como não tivesse condições financeiras suficientes, Rubião viveu com parentes. c) Como estava agravável a manhã, Rubião resolveu passear na enseada. d) As más notícias chegam tão rápidas como as chuvas de verão. e) Como ele mesmo disse, mana Piedade não se casou. Gabarito: 1b, 2d, 3a, 4e 5

6 Aula 08: TEXTO INTERATIVO EXERCÍCIOS Ao falarmos em narração, logo nos remete à ideia do ato de contar histórias, sejam estas verídicas ou fictícias. E para que essa história seja dotada de sentido, ela precisa atender a critérios específicos no que se refere aos seus elementos constitutivos. Dentre eles destacam-se Espaço - É o local onde acontecem os fatos, onde as personagens se movimentam. Eiste o espaço físico, que é aquele que caracteriza o enredo, e o psicológico, que retrata a vivência subjetiva dos personagens. Tempo - Caracteriza o desencadear dos fatos. É constituído pelo cronológico, que, como o próprio nome diz, é ligado a horas, meses, anos, ou seja, marcado pelos ponteiros do relógio e pelo calendário. O outro é o psicológico, ligado às lembranças, aos sentimentos interiores vividos pelos personagens e intrinsecamente relacionados com a característica pessoal de cada um. Personagens - São as peças fundamentais, pois sem elas não haveria o próprio enredo. Há a predominância de personagens que se destacam pelos atos heroicos, chamadas de principais, outras que se relacionam pelo seu caráter de oposição, as antagonistas, e as secundárias, que não se destacam tanto quanto as primárias, funcionando apenas como suporte da trama em si. Narrador - É aquele que narra a história, atuando como um mediador entre a história narrada e o leitor/ouvinte. Classifica-se em três modalidades Narrador-personagem - Ele conta e participa dos fatos ao mesmo tempo. Neste caso a narrativa é contada em 1ª pessoa. Narrador-observador - Apenas limita-se em descrever os fatos sem se envolver com os mesmos. Aí predomina-se o uso da 3ª pessoa. Narrador Onisciente - Esse sabe tudo sobre o enredo e os personagens, revelando os sentimentos e pensamentos mais íntimos, de uma maneira que vai além da própria imaginação. Muitas vezes sua voz se confunde com a dos personagens, é o que chamamos de Discurso Indireto Livre. Todos estes elementos correlacionam entre si, formando o que denominamos de enredo, que é o desencadear dos fatos, a essência da história, a qual se constituirá para um desfecho imprevisível que talvez não corresponderá às epectativas do leitor. Este, portanto, poderá ser triste, alegre, cômico ou trágico, dependo do ponto de vista do narrador. Leia o teto a seguir para responder à questão: A outra noite Outro dia fui a São Paulo e resolvi voltar à noite, uma noite de vento sul e chuva, tanto lá como aqui. Quando vinha para casa de tái, encontrei um amigo e o troue até Copacabana; e contei a ele que lá em cima, além das nuvens, estava um luar lindo, de lua cheia; e que as nuvens feias que cobriam a cidade eram, vistas de cima, enluaradas, colchões de sonho, alvas, uma paisagem irreal. Depois que o meu amigo desceu do carro, o chofer aproveitou o sinal fechado para voltar-se para mim: - O senhor vai desculpar, eu estava aqui a ouvir sua conversa. Mas, tem mesmo luar lá em cima? Confirmei: sim, acima da nossa noite preta e enlamaçada e torpe havia uma outra pura, perfeita e linda. - Mas, que coisa... Ele chegou a pôr a cabeça fora do carro para olhar o céu fechado de chuva. Depois continuou guiando mais lentamente. Não sei se sonhava em ser aviador ou pensava em outra coisa. - Ora, sim senhor... E, quando saltei e paguei a corrida, ele me disse um boa noite e um muito obrigado ao senhor tão sinceros, tão veementes, como se eu lhe tivesse feito um presente de rei. Rubem Braga Analisando as principais características do teto lido, podemos dizer que seu gênero predominante é: a) Conto. b) Poesia. c) Prosa. d) Crônica. e) Diário. Gabarito: 1d 6

7 AULA 7- DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO Após a fecundação, o ovo... a se dividir. EXERCÍCIOS 1. As células do polo vegetativo achatam-se a migram para o interior da blastocela, ficando, agora, o embrião com dois folhetos germinativos e um orifício aberto para o meio ambiente. O fenômeno descrito chama-se: a) morulação c) gastrulação e) neurulação b) blastulação d) invaginação As divisões(...) prosseguem até formar-se um aglomerado maciço de células denominado... (64 células). Apesar do maior número de células, a mórula tem um volume quase igual ao do zigoto que a originou. Em seguida, as células da mórula vão-se posicionando na porção periférica enquanto secretam... que se instala no..., ocupando uma cavidade. O estágio embrionário nessa fase denomina-se... É nesse estágio de desenvolvimento que, nos seres humanos, o ovo chega à cavidade uterina. Geralmente por volta do seto dia após a fecundação.a seguir ocorre a... ou formação da gástrula. Um dos pólos se dobra para dentro formando duas camadas de células: o ectoderma e o endoderma,...,blastóporo e crescimento do...embrionário. Nos seres mais evoluídos, a gástrula evolui para um novo estágio. Surge um terceiro folheto embrionário, o mesoderma. Nos animais vertebrados, ocorre a neurulação ou formação da nêurula, onde se formará o...e a notocorda que darão origem ao sistema nervoso central e à coluna vertebral, respectivamente. 2.. Logo após a fecundação, inicia-se o desenvolvimento embrionário nos animais, passando, na ordem, pelas seguintes fases: a) organogênese gastrulação segmentação b) organogênese segmentação gastrulação c) segmentação gastrulação organogênese d) segmentação organogênese gastrulação e) gastrulação segmentação organogênese 3.. (ENG. SANTOS) Assinale a sequência correta no processo de desenvolvimento do zigoto: a) blástula mórula gástrula b) gástrula blástula mórula c) mórula blástula gástrula d) gástrula mórula blástula e) mórula gástrula blástula. 4.(UFRGS-RS) O celoma é a cavidade delimitada diretamente: a) apenas pela endoderme. b) pela ectoderme e mesoderme. c) apenas pela ectoderme. d) pela endoderme e mesoderme. e) apenas pela mesoderme. 5.Em relação ao desenvolvimento embrionário nos animais, foram feitos os seguintes comentários: I. Ovos telolécitos são ovos com grande quantidade de vitelo, formando um grande polo vegetativo em que o núcleo ocupa um espaço mínimo chamado de polo animal. São encontrados em celenterados, poríferos, equinodermos, protocordados e mamíferos. II. Durante o estágio de segmentação, o zigoto, por divisão de suas células, origina blastômeros que formam uma mórula. Da mórula, origina-se a blástula, caracterizada por uma camada de células que compõe a blastoderme, e por uma cavidade conhecida como blastocela, que se apresenta cheia de líquido. III. A blástula origina a gástrula, caracterizada por quatro folhetos germinativos (ectoderma, endoderma, mesoderma e deuteroderma) que são gerados por embolia ou epistasia. É correto o que se afirma em apenas: a) II. b) I e II. c) I. d) II e III. e) III. GABARITO 1.C 2.C 3.C 4.E 5.A 7

8 Aula 8 : ANEXOS EMBRIONÁRIOS Os aneos embrionários são estruturas provenientes dos folhetos germinativos que têm a função de proteger e nutrir o embrião, armazenar ecretas e promover trocas gasosas. São eles: a) Saco vitelínico É uma estrutura em forma de saco, revestida eternamente pela mesoderme e, internamente, pela endoderme, cuja função é armazenar reservas nutritivas durante o desenvolvimento do embrião. Está presente em peies, répteis, aves e nos mamíferos esse aneo é reduzido, pois a placenta assume a função de nutrição do embrião. b) Alantoide É uma estrutura em forma de saco ou vesícula, ligada a parte posterior do intestino do embrião. Assim como o saco vitelínico, o alantoide é formado pela mesoderme e endoderme, e ocorre nos répteis, aves e mamíferos. A principal função do alantoide é remover e armazenar ecretas produzidas pelo metabolismo do embrião. c) Âmnio É uma fina membrana, formada pela ectoderme e a mesoderme, que envolve o embrião delimitando uma cavidade preenchida pelo líquido amniótico. Isso porque protege o embrião da dessecação e torna a reprodução independente da presença de água. d) Córion. É o aneo mais eterno; que envolve e protege as demais estruturas. Em répteis e aves, o córion se une ao alantóide, formando o alantocórion. Nos mamíferos, o córion se une ao endométrio formando a placenta. e) Placenta Por ser formada pela união de aneos embrionários fetais mais tecidos maternos, diversos autores consideram a placenta como um órgão, e não como um aneo embrionário é formada pela união do córion e alantoide, do embrião, mais o endométrio materno. É a placenta que permite a fiação do embrião na parede do útero, 1.Nem todas as estruturas geradas durante o desenvolvimento embrionário dos vertebrados farão parte do seu corpo, como, por eemplo, os aneos embrionários. Essas estruturas estão presentes em alguns peies, répteis, aves e mamíferos, sendo originadas dos folhetos germinativos. Os aneos embrionários não são mantidos por toda a vida dos seres vivos, mas são fundamentais para o desenvolvimento do embrião. Por eemplo, eles fornecem uma reserva nutritiva ou proteção mecânica ao embrião em formação. Dependendo do animal, considerando principalmente seu modo de vida, cada aneo tem um nível de importância. Assinale a alternativa correta. a) A vesícula vitelina é bem desenvolvida nos peies, répteis e aves, ao contrário da maioria dos mamíferos. b) Na maioria dos mamíferos, o alantoide tem a função de armazenar ecretas nitrogenadas, pois estas são muito tóicas para o embrião. c) A vesícula vitelina dos vertebrados contém, no seu interior, o vitelo, uma substância líquida cuja principal função é proteger o embrião contra choques mecânicos. d) O âmnio é uma membrana que delimita a cavidade amniótica e está presente em todos os vertebrados. e) A notocorda é um aneo embrionário presente apenas nos vertebrados cordados. 2. (PUC-PR) O desenvolvimento embrionário nos vertebrados leva à formação, em determinado estágio, de certas estruturas que não farão parte do futuro animal. Tais estruturas, os aneos embrionários, desempenham funções variadas. A seu respeito, poderíamos afirmar: I. O saco vitelino, ligado ao tubo digestivo do embrião, tem função de armazenar material nutritivo (vitelo); pode ser encontrado nas aves e mamíferos. II. O alantoide, envolve e protege o embrião contra dessecação e choques mecânicos (pois sua cavidade é cheia de líquido pode ser encontrado em répteis, aves e mamíferos. III. O âmnio, tem como principal função acumular os produtos de ecreção produzidos pelo embrião; pode ser encontrados em peies, répteis, aves e mamíferos. Está ou estão corretas: a) Apenas I. c) Apenas II. e) Apenas I e III. b) I, II, III. d) Apenas I e II. 3. (UEL) A placenta, uma das principais estruturas envolvidas no processo de desenvolvimento embrionário, surge precocemente, estabelecendo as relações materno-fetais até o nascimento. Com base no teto e nos conhecimentos sobre o tema, analise as afirmativas a seguir. I. O transporte de oigênio e dióido de carbono, através da placenta, se dá por simples difusão. II. O sangue materno e o fetal se mesclam nas vilosidades coriônicas da placenta. III. A placenta é uma estrutura de origem mista, com um componente fetal e um materno. IV. O vírus da rubéola pode atravessar a placenta e causar anomalias congênitas no feto. Estão corretas apenas as afirmativas: a) I e II. b) III e IV. c) II e IV. d) I, II e III. e) I, III e IV. GABARITO 1.A 2. A 3 8

ANEXOS EMBRIONÁRIOS EMBRIOLOGIA

ANEXOS EMBRIONÁRIOS EMBRIOLOGIA ANEXOS EMBRIONÁRIOS EMBRIOLOGIA Embriologia A embriologia é a parte da Biologia que estuda o desenvolvimento dos embriões animais. Há grandes variações, visto que os animais invertebrados e vertebrados

Leia mais

TEXTO NARRATIVO: COMO É ESSE GÊNERO?

TEXTO NARRATIVO: COMO É ESSE GÊNERO? AULAS 9 À 12 Prof. Sabrina Moraes TEXTO NARRATIVO: COMO É ESSE GÊNERO? A narração é um tipo de texto que conta uma sequência de fatos, sejam eles reais ou imaginários, nos quais as personagens atuam em

Leia mais

01) (UFRRJ/2003) Os óvulos apresentam diferentes quantidades e distribuição do vitelo ou deutoplasma (substância de reserva).

01) (UFRRJ/2003) Os óvulos apresentam diferentes quantidades e distribuição do vitelo ou deutoplasma (substância de reserva). 01) (UFRRJ/2003) Os óvulos apresentam diferentes quantidades e distribuição do vitelo ou deutoplasma (substância de reserva). Considerando-se o vitelo das aves, podemos afirmar que, ao longo do desenvolvimento

Leia mais

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS EMBRIOLOGIA

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS EMBRIOLOGIA UFRGS EMBRIOLOGIA 1. (Ufrgs 2012) Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do enunciado abaixo, na ordem em que aparecem. Em mamíferos, o... e as células trofoblásticas interagem com

Leia mais

Aulas 21 à 24 TEXTO NARRATIVO

Aulas 21 à 24 TEXTO NARRATIVO Aulas 21 à 24 Prof. Sabrina Moraes TEXTO NARRATIVO Maioritariamente escrito em prosa, o texto narrativo é caracterizado por narrar uma história, ou seja, contar uma história através de uma sequência de

Leia mais

Bio. Semana 17. Rubens Oda Alexandre Bandeira (Hélio Fresta) (Rebeca Khouri)

Bio. Semana 17. Rubens Oda Alexandre Bandeira (Hélio Fresta) (Rebeca Khouri) Semana 17 Rubens Oda Alexandre Bandeira (Hélio Fresta) (Rebeca Khouri) Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos

Leia mais

Embriologia. Prof. César Lima

Embriologia. Prof. César Lima Embriologia A embriologia é a parte da Biologia que estuda o desenvolvimento dos embriões animais. Há grandes variações, visto que os animais invertebrados e vertebrados apresentam muitos diferentes aspectos

Leia mais

Embriogênese. Natália A. Paludetto

Embriogênese. Natália A. Paludetto Embriogênese Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com Embriogênese Após fusão dos núcleos durante a fecundação, formase uma célula ovo ou zigoto. Zigoto primeira célula de um novo ser vivo (2n).

Leia mais

Em Biologia, o desenvolvimento envolve diversos aspectos:

Em Biologia, o desenvolvimento envolve diversos aspectos: Embriologia A embriologia é a parte da Biologia que estuda o desenvolvimento dos embriões animais. Há grandes variações, visto que os animais invertebrados e vertebrados apresentam muitos diferentes aspectos

Leia mais

REPRODUÇÃO. Prof. Edgard Manfrim - Biologia

REPRODUÇÃO. Prof. Edgard Manfrim - Biologia REPRODUÇÃO Prof. Edgard Manfrim - Biologia REPRODUÇÃO ASSEXUADA BROTAMENTO OU GEMIPARIDADE ESPONGIÁRIO E CELENTERADO ESTROBILIZAÇÃO MEDUSAS REGENERAÇÃO PLANÁRIAS Prof. Edgard Manfrim - Biologia Prof. Edgard

Leia mais

02)(UFPEL-2007) O desenvolvimento embrionário dos vertebrados é dividido nas seguintes etapas: segmentação, gastrulação e organogênese.

02)(UFPEL-2007) O desenvolvimento embrionário dos vertebrados é dividido nas seguintes etapas: segmentação, gastrulação e organogênese. COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO REVISÃO DE EMBRIOLOGIA PROFESSOR NANNI (TERCEIRÃO 2012) 01)(UFPR-modificado) Os diferentes modos

Leia mais

COLÉGIO MONS. JOVINIANO BARRETO

COLÉGIO MONS. JOVINIANO BARRETO GABARITO DISCIPLINA: QUÍ. II/ BIO. II COLÉGIO MONS. JOVINIANO BARRETO 52 ANOS DE HISTÓRIA ENSINO E DISCIPLINA QUEM NÃO É O MAIOR TEM QUE SER O MELHOR Rua Frei Vidal, 1621 São João do Tauape/Fone/Fax: 3272-1295

Leia mais

ATIVIDADE: PLANTÃO DATA: 03/05/2011

ATIVIDADE: PLANTÃO DATA: 03/05/2011 ATIVIDADE: PLANTÃO DATA: 03/05/2011 Professor(a): Nanni Turma: 3º/EXT Disciplina: Biologia 01º Material deste professor para esta atividade 35º Material para esta turma 01) Tomando como referência o embrião

Leia mais

Exercícios de Embriogênese e Anexos

Exercícios de Embriogênese e Anexos Exercícios de Embriogênese e Anexos Material de apoio do Extensivo 1. (VUNESP) Uma senhora deu à luz dois gêmeos de sexos diferentes. O marido, muito curioso, deseja saber informações sobre o desenvolvimento

Leia mais

REPRODUÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO. Professor Heverton Alencar

REPRODUÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO. Professor Heverton Alencar REPRODUÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO Professor Heverton Alencar Sistema reprodutor masculino Testículo - produção de espermatozoides e também a produção de testosterona (hormônio sexual masculino);

Leia mais

CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO

CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO Desenvolvimento animal Indirecto - Metamorfoses Directo Forma definitiva - ovo - fase embrionária - fase juvenil - fase adulta ou de maturidade Transformações no desenvolvimento

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 46 ANEXOS EMBRIONÁRIOS

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 46 ANEXOS EMBRIONÁRIOS BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 46 ANEXOS EMBRIONÁRIOS Como pode cair no enem? (PUC) O desenvolvimento embrionário nos vertebrados leva à formação, em determinado estágio, de certas estruturas que não

Leia mais

ANATOMIA DE UM ESPERMATOZÓIDE

ANATOMIA DE UM ESPERMATOZÓIDE EMBRIOLOGIA ANATOMIA DE UM ESPERMATOZÓIDE Acrossomo: vesícula formada por lisossomos, com função de romper as barreiras do óvulo. Gameta masculino Responsável pela determinação do sexo do bebê. Região

Leia mais

Embriologia. Prof. Mateus Grangeiro

Embriologia. Prof. Mateus Grangeiro Embriologia Prof. Mateus Grangeiro OBJETIVOS DA AULA Comparar a espermatogênese com a ovulogênese. Descrever os principais eventos da fecundação. Introduzir os processos básicos do desenvolvimento embrionário,

Leia mais

Reprodução e Embriologia. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA

Reprodução e Embriologia. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA Reprodução e Embriologia. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA Ciclo Menstrual Menstruação - fluxo de sangue e restos de mucosa uterina periodicamente eliminados pela vagina. Ciclo Menstrual Menstruação

Leia mais

EMBRIOLOGIA. Prof. André Maia. Conceito. 1. Ovos Isolécitos

EMBRIOLOGIA. Prof. André Maia. Conceito. 1. Ovos Isolécitos EMBRIOLOGIA Prof. André Maia Conceito É a parte da Biologia que estuda os processos através dos quais se forma o embrião, a partir da célula ovo ou zigoto (embriogênese). Períodos de desenvolvimento Clivagem

Leia mais

Etapas de desenvolvimento embrionário. Prof. Weber

Etapas de desenvolvimento embrionário. Prof. Weber Etapas de desenvolvimento embrionário. Prof. Weber Etapas de desenvolvimento embrionário. A embriologia compreende o estudo do desenvolvimento do embrião a partir da célula-ovo, ou zigoto, até a formação

Leia mais

Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos

Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos narrados. Tempo histórico - refere-se à época ou momento histórico

Leia mais

EMBRIOLOGIA. Prof. Kauê Costa 2014

EMBRIOLOGIA. Prof. Kauê Costa 2014 EMBRIOLOGIA Prof. Kauê Costa kaue.costa@ymail.com 2014 Zigoto Ocorre variação na reserva nutricional (vitelo) dos zigotos de diferentes seres vivos. Clivagem É o nome que se dá à divisão, por mitose, do

Leia mais

Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos

Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos narrados. Tempo histórico - refere-se à época ou momento histórico

Leia mais

Gametogênese e Embriologia

Gametogênese e Embriologia Material de apoio para Aula ao Vivo 1. (Fuvest) Um pesquisador fez o seguinte desenho de uma célula observada ao microscópio óptico. Pode tratar-se de uma célula de a) ovário. b) sangue. c) linfa. d) medula

Leia mais

Tipos de Ovos ou. óvulos ou. ovócitos ou. gametas femininos. Onde Ficam?

Tipos de Ovos ou. óvulos ou. ovócitos ou. gametas femininos. Onde Ficam? Tipos de Ovos ou óvulos ou ovócitos ou gametas femininos Onde Ficam? Nos ovários ou gônadas (glândulas) das fêmeas. artropodes Total blastômeros Holoblástica ocorre em todo o ovo; Meroblástica ocorre em

Leia mais

BIOLOGIA FOLHETOS EMBRIONÁRIOS. a) Hydra. b) Planária. c) Actínea. d) Esponja. e) Obélia.

BIOLOGIA FOLHETOS EMBRIONÁRIOS. a) Hydra. b) Planária. c) Actínea. d) Esponja. e) Obélia. BIOLOGIA Prof. Fred FOLHETOS EMBRIONÁRIOS 1. Observe a figura ao lado, que representa um corte transversal de um cordado. A estrutura apontada pela seta está presente a) na galinha. b) na minhoca c) no

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 2º EM Biologia B Marli Av. Trimestral 06/03/15 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos. 2. Esta prova

Leia mais

EMBRIOLOGIA. Prof. Leonardo F. Stahnke. Embriologia (Ontogênese)

EMBRIOLOGIA. Prof. Leonardo F. Stahnke. Embriologia (Ontogênese) EMBRIOLOGIA Prof. Leonardo F. Stahnke Embriologia (Ontogênese) São os processos de transformação que ocorrem no zigoto após a fecundação e que levam à formação de um indivíduo. 1 Embriologia (Ontogênese)

Leia mais

Tipos de óvulos: os óvulos possuem uma substancia de reserva nutritiva chamada vitelo, de acordo com a quantidade e a distribuição do vitelo, os

Tipos de óvulos: os óvulos possuem uma substancia de reserva nutritiva chamada vitelo, de acordo com a quantidade e a distribuição do vitelo, os Embriologia Embriologia é a parte da Biologia que estuda as transformações que se processa no embrião, desde a formação da célula-ovo até o nascimento. Tipos de óvulos: os óvulos possuem uma substancia

Leia mais

Aula II Organização geral do corpo dos animais, Embriologia

Aula II Organização geral do corpo dos animais, Embriologia ZOOLOGIA E PARASITOLOGIA Aula II Organização geral do corpo dos animais, Embriologia Professora: Luciana Alves de Sousa Padrões de Simetria SIMETRIA Partes do corpo com correspondência, em grandeza, forma

Leia mais

BIOLOGIA FOLHETOS EMBRIONÁRIOS. a) Hydra. b) Planária. c) Actínea. d) Esponja. e) Obélia.

BIOLOGIA FOLHETOS EMBRIONÁRIOS. a) Hydra. b) Planária. c) Actínea. d) Esponja. e) Obélia. BIOLOGIA Prof. Fred/Vitor FOLHETOS EMBRIONÁRIOS 1. Observe a figura ao lado, que representa um corte transversal de um cordado. A estrutura apontada pela seta está presente a) na galinha. b) na minhoca

Leia mais

Prof.: Carolina Bossle

Prof.: Carolina Bossle Prof.: Carolina Bossle EVOLUÇÃO Acredita-se que o grupo mais primitivo, seja o das esponjas cujos representantes não apresentam tecidos. Os cnidárias são animais diploblástico (diblástico) = apenas 2 folhetos

Leia mais

ENSINO MÉDIO TRABALHO DE RECUPERAÇÃO

ENSINO MÉDIO TRABALHO DE RECUPERAÇÃO ENSINO MÉDIO Valor da prova/atividade: 2,0 Nota: Data: / /2017 Professora: Barbara Disciplina: Biologia Nome: n o : Série: 3ª TRABALHO DE RECUPERAÇÃO 3º Bimestre APRESENTAR JUSTIFICATIVA DE CADA EXERCÍCIO.

Leia mais

VERBO. Pessoa e número O verbo sofre flexões de acordo com a pessoa do discurso a que se refere, podendo apresentar formas no singular e no plural.

VERBO. Pessoa e número O verbo sofre flexões de acordo com a pessoa do discurso a que se refere, podendo apresentar formas no singular e no plural. VERBO Definição é a palavra que indica ação, fenômeno, estado ou mudança de estado, fato. ação: Chamei meus amigos. fenômeno: Garoava naquela noite. estado ou mudança de estado: Estava resfriada. Fiquei

Leia mais

FIM DA NIDAÇÃO (IMPLANTAÇÃO) E FORMAÇÃO DOS ANEXOS EMBRIONÁRIOS 2ª SEMANA. Valeska Silva Lucena

FIM DA NIDAÇÃO (IMPLANTAÇÃO) E FORMAÇÃO DOS ANEXOS EMBRIONÁRIOS 2ª SEMANA. Valeska Silva Lucena FIM DA NIDAÇÃO (IMPLANTAÇÃO) E FORMAÇÃO DOS ANEXOS EMBRIONÁRIOS 2ª SEMANA Valeska Silva Lucena valeskasl@hotmail.com EMBRIOGÊNESE Zigoto Mórula Blástula Gástrula Nêurula NIDAÇÃO A implantação do blastocisto

Leia mais

BIOLOGIA ANEXOS EMBRIONÁRIOS

BIOLOGIA ANEXOS EMBRIONÁRIOS BIOLOGIA Prof. Fred/Vitor ANEXOS EMBRIONÁRIOS 1. A eficácia do uso de células-tronco retiradas do cordão umbilical para o tratamento de leucemia e outras doenças do sangue já foi comprovada. A grande questão

Leia mais

01/06/2014. Deve ser: - Escrita a mão. - Incluir bibliografia (preferencialmente LIVRO).

01/06/2014. Deve ser: - Escrita a mão. - Incluir bibliografia (preferencialmente LIVRO). Trabalho a ser entregue no dia da prova (escrita a mão): Este trabalho terá valor de 3,0 na prova prática. Deve ser: - Escrita a mão. - Incluir bibliografia (preferencialmente LIVRO). Escolha uma malformação

Leia mais

Atividades de Embriologia

Atividades de Embriologia DISCIPLINA: Biologia I DATA: 13/09/2017 Atividades de Embriologia 01 - (Cefet MG 2015) Analise a representação da sequência de eventos que ocorrem no aparelho reprodutor feminino humano. 03 - (Mackenzie

Leia mais

Introdução à Biologia. Profª Laís F. O.

Introdução à Biologia. Profª Laís F. O. Introdução à Biologia Profª Laís F. O. SERES VIVOS Organização celular Composição química Reprodução Metabolismo Hereditariedade Adaptação ao meio Variabilidade Excitabilidade... BIOLOGIA CITOLOGIA HISTOLOGIA

Leia mais

BIOLOGIA. 3ª série LISTA: Ensino Médio. Aluno(a): Professor(a): Renato (feijão) DIA: MÊS: 08. Segmento temático: Turma: A ( ) / B ( )

BIOLOGIA. 3ª série LISTA: Ensino Médio. Aluno(a): Professor(a): Renato (feijão) DIA: MÊS: 08. Segmento temático: Turma: A ( ) / B ( ) BIOLOGIA LISTA: 3ª série Ensino Médio Professor(a): Renato (feijão) Turma: A ( ) / B ( ) Aluno(a): Segmento temático: DIA: MÊS: 08 2017 01 - (UFJF MG/2015) Após a segmentação do zigoto, inicia-se a gastrulação,

Leia mais

Utilize-se das informações acima e de seus conhecimentos sobre esse assunto e assinale a melhor resposta a ser fornecida pelo ginecologista:

Utilize-se das informações acima e de seus conhecimentos sobre esse assunto e assinale a melhor resposta a ser fornecida pelo ginecologista: Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Biologia Questão 1 A questão da fertilização é muito discutida hoje na mídia, principalmente em programas que visam a informação para leigos interessados

Leia mais

A função orgânica caracteriza o composto, agrupando e facilitando os estudos na química, pois ela leva em consideração as suas propriedades físicas e

A função orgânica caracteriza o composto, agrupando e facilitando os estudos na química, pois ela leva em consideração as suas propriedades físicas e Professor: Bob A função orgânica caracteriza o composto, agrupando e facilitando os estudos na química, pois ela leva em consideração as suas propriedades físicas e químicas. Hidrocarbonetos- Compostos

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA SUBSTITUTIVA DE BIOLOGIA

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA SUBSTITUTIVA DE BIOLOGIA COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 1ª PROVA SUBSTITUTIVA DE BIOLOGIA Aluno(a): Nº Ano: 1º Turma: Data: Nota: Professor(a): Regina Volpato e Gabriela Valor da Prova: 65 pontos Orientações

Leia mais

Porque EMBRIOLOGIA? 02-Sep Malformações craniofaciais tem origem embriológica. 2. Vão achar que você saberá responder:

Porque EMBRIOLOGIA? 02-Sep Malformações craniofaciais tem origem embriológica. 2. Vão achar que você saberá responder: 1. A interação do EPITÉLIO com o MESÊNQUIMA é necessária para odontogênese Porque EMBRIOLOGIA? 2. Malformações craniofaciais tem origem embriológica 2. Vão achar que você saberá responder: O que é placenta?

Leia mais

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Módulo 1 EMBRIOLOGIA 1 Atualmente já existem protocolos de pesquisa utilizando células-tronco embrionárias na busca de tratamento para várias doenças humanas,

Leia mais

Característica exclusiva dos seres vivos. Fundamental para a manutenção da espécie e não do indivíduo. Em nível molecular a reprodução está associada

Característica exclusiva dos seres vivos. Fundamental para a manutenção da espécie e não do indivíduo. Em nível molecular a reprodução está associada Prof. Júlio Característica exclusiva dos seres vivos. Fundamental para a manutenção da espécie e não do indivíduo. Em nível molecular a reprodução está associada à capacidade do DNA se autoduplicar. SEXUADA

Leia mais

Tio Ton Ciências. Cap Gravidez e Parto

Tio Ton Ciências. Cap Gravidez e Parto Tio Ton Ciências Cap. 17 - Gravidez e Parto Reprodução É a capacidade de gerar descendentes, uma propriedade da vida que pode ser realizada de diferentes formas. Reprodução Assexuada Reprodução sexuada

Leia mais

Biologia. Rubens Oda (Julio Junior) Embriologia

Biologia. Rubens Oda (Julio Junior) Embriologia Embriologia Embriologia 1. Recentemente pesquisadores brasileiros conseguiram produzir a primeira linhagem de células-tronco a partir de embrião humano. As células-tronco foram obtidas de um embrião em

Leia mais

Segmentação ou clivagem

Segmentação ou clivagem Universidade de Brasília (UnB) Universidade Aberta do Brasil (UAB) Aula 4: Segmentação ou clivagem Síntese: Tipos de ovos e processos de segmentação e blastulação 1 Sumário Informações gerais da aula 1-

Leia mais

Profª Priscila F Binatto

Profª Priscila F Binatto Profª Priscila F Binatto Multicelulares Eucariontes Ausência de parede celular Heterotróficos Mobilidade em pelo menos um estágio LOPES, S.; MENDONÇA, V. L. Bio: volume 2. São Paulo: Saraiva, 2006, p.

Leia mais

Reprodução e Noções de Embriologia. Professora: Emmanuelle Disciplina: Biologia Turma: 2º Médio

Reprodução e Noções de Embriologia. Professora: Emmanuelle Disciplina: Biologia Turma: 2º Médio Reprodução e Noções de Embriologia Professora: Emmanuelle Disciplina: Biologia Turma: 2º Médio São Paulo, 2013 Estrutura da Aula Tipos de Reprodução Processos assexuados de Reprodução Ciclos de vida Gametogênese

Leia mais

EBMSP PROSEF ª FASE MEDICINA PADRÃO DE RESPOSTAS

EBMSP PROSEF ª FASE MEDICINA PADRÃO DE RESPOSTAS EBMSP PROSEF 2017.1 2ª FASE MEDICINA PADRÃO DE RESPOSTAS QUESTÃO 1 Espera-se que o candidato identifique a fase do desenvolvimento embrionário no qual ocorre a nidação (blastocisto) e caracterize a organização

Leia mais

Universidade de Brasília (UnB) Universidade Aberta do Brasil (UAB) Aula 5: Gastrulação em ouriço do mar e Anfioxo

Universidade de Brasília (UnB) Universidade Aberta do Brasil (UAB) Aula 5: Gastrulação em ouriço do mar e Anfioxo Universidade de Brasília (UnB) Universidade Aberta do Brasil (UAB) Aula 5: Gastrulação em ouriço do mar e Anfioxo Síntese: Definição, territórios presuntivos e características da formação dos tecidos embrionários

Leia mais

Segunda semana: morfologia. Professor: Arturo Arnáez Vaella

Segunda semana: morfologia. Professor: Arturo Arnáez Vaella Segunda semana: morfologia Professor: Arturo Arnáez Vaella Introdução Diferenciação do trofoblasto Formação do âmnio e a cavidade amniótica Formação do disco embrionário bilaminar Formação do saco vitelino

Leia mais

Gametogênese e Embriogênese

Gametogênese e Embriogênese Gametogênese e Embriogênese Material de Apoio para Monitoria 1. Analisando o processo de gametogênese em mamíferos, é correto afirmar que: 01. O gameta feminino é uma célula grande e imóvel cujo citoplasma

Leia mais

01. Você aprendeu que há diferença entre pleonasmo semântico e pleonasmo vicioso.

01. Você aprendeu que há diferença entre pleonasmo semântico e pleonasmo vicioso. PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA 3º TRIMESTRE DE 2010 PROFª GICÉLIA NOME Nº 7º ANO A compreensão do enunciado faz parte da questão. Não faça perguntas ao examinador. A prova deve ser feita com caneta azul ou

Leia mais

Embriologia: É a parte da Biologia que estuda as transformações que se tem no embrião, desde a formação da célula-ovo até o nascimento.

Embriologia: É a parte da Biologia que estuda as transformações que se tem no embrião, desde a formação da célula-ovo até o nascimento. Embriologia Embriologia: É a parte da Biologia que estuda as transformações que se tem no embrião, desde a formação da célula-ovo até o nascimento. Fecundação Mitoses sucessivas; Crescimento celular: Zigoto:

Leia mais

Segmentação ou clivagem; Gastrulação; Organogênese.

Segmentação ou clivagem; Gastrulação; Organogênese. A embriologia é o estudo do crescimento e da diferenciação sofridos por um organismo no curso de seu desenvolvimento, desde o estágio de ovo até o de um ser altamente complexo, de vida independente e semelhante

Leia mais

ACERVO DIGITAL FASE II. Embriologia. I Anfíbios. Lâmina F Mórula da Rã

ACERVO DIGITAL FASE II. Embriologia. I Anfíbios. Lâmina F Mórula da Rã ACERVO DIGITAL FASE II Embriologia I Anfíbios Lâmina F2-01 1.Mórula da Rã de 40x: Observar os macrômeros (células maiores) e os micrômeros (células menores). Nesta fase ainda não há cavidade na figura

Leia mais

Noções de Embriologia Geral

Noções de Embriologia Geral Noções de Embriologia Geral EMBRIOLOGIA É o estudo do desenvolvimento de um ser pluricelular desde o estágio de uma célula (zigoto) até a diferenciação e especialização das células, tecidos e órgãos que

Leia mais

9/1/2016. O evento mais importante da sua vida não é o seu nascimento, seu casamento, sequer a sua morte. É a Gastrulação

9/1/2016. O evento mais importante da sua vida não é o seu nascimento, seu casamento, sequer a sua morte. É a Gastrulação A MASSA CELULAR INTERNA se diferencia em duas camadas: EPIBLASTO E HIPOBLASTO O Epiblasto é banhado na CAVIDADE AMNÓTICA E o Hipoblasto é contínuo com o SACO VITELÍNICO It is not birth, marriage or death,

Leia mais

Colégio XIX de Março Educação do jeito que deve ser

Colégio XIX de Março Educação do jeito que deve ser Colégio XIX de Março Educação do jeito que deve ser 2017 2ª PROVA PARCIAL DE BIOLOGIA Aluno(a): Nº Ano: 1º Turma: Data: 24/06/2017 Nota: Professor(a): Regina Volpato Valor da Prova: 40 pontos Orientações

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 60 CORDADOS

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 60 CORDADOS BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 60 CORDADOS ixação F ) Um aluno esquematizou um anfioxo, indicando, com legendas, os principais caracteres do 2 lo Chordata. p Indique a legenda que aponta o ERRO cometido

Leia mais

01) [1,00 ponto] Analise a figura a seguir que representa a gástrula, uma estrutura embrionária.

01) [1,00 ponto] Analise a figura a seguir que representa a gástrula, uma estrutura embrionária. MOGI GUAÇU Pré-vestibular Ensino Médio Ensino Fundamental Educação Infantil Nome: 1ª Avaliação de Biologia - GABARITO Prof.: Chico 1º Ano E.M. Valor: 2º Trimestre 2015 10,0 Nº: Instruções para a prova:

Leia mais

Anexos embrionários. Universidade de Brasília (UnB) Universidade Aberta do Brasil (UAB) Aula 7:

Anexos embrionários. Universidade de Brasília (UnB) Universidade Aberta do Brasil (UAB) Aula 7: Universidade de Brasília (UnB) Universidade Aberta do Brasil (UAB) Aula 7: Anexos embrionários síntese: Origem, função e destino das vesículas vitelina, amniótica e alantoidiana/alantoide 1 Sumário Informações

Leia mais

a) multiplicação de células, através de mitoses sucessivas.

a) multiplicação de células, através de mitoses sucessivas. Embbr ri iiool llooggi iiaa Huumaannaa... 1 Introdução... 1 Gastrulação... 1 Tipos de óvulos (ovos): classificação e ocorrência.... 2 Tipos de clivagem:... 2 Fases do Desenvolvimento... 3 Destino dos Folhetos

Leia mais

Professor: Fernando Stuchi

Professor: Fernando Stuchi Professor: Fernando Stuchi Reprodução Sexuada Ação de células especiais chamadas de gametas, que possuem em seu núcleo metade do material genético de uma célula normal do indivíduo; Com a união dos gametas

Leia mais

Desenvolvimento Embrionário e Anexos Embrionários. Prof. Msc. Roberpaulo Anacleto

Desenvolvimento Embrionário e Anexos Embrionários. Prof. Msc. Roberpaulo Anacleto Desenvolvimento Embrionário e Anexos Embrionários Prof. Msc. Roberpaulo Anacleto 1 a Semana de Desenvolvimento embrionário Massa Celular Interna Blastocisto Blastocele Trofoblasto 2 a Semana de Desenvolvimento:início

Leia mais

Bio. Semana 12. Nelson Paes (Rebeca Khouri) (Hélio Fresta)

Bio. Semana 12. Nelson Paes (Rebeca Khouri) (Hélio Fresta) Semana 12 Nelson Paes (Rebeca Khouri) (Hélio Fresta) Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados. CRONOGRAMA

Leia mais

EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO FINAL

EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO FINAL INSTITUTO GEREMÁRIO DANTAS Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Fone: (21) 21087900 Rio de Janeiro RJ www.igd.com.br Aluno(a): 1º Ano: Nº Professora: Marcella Braga COMPONENTE CURRICULAR: BIOLOGIA

Leia mais

Resoluções de Exercícios

Resoluções de Exercícios Resoluções de Exercícios BIOLOGIA IV 01 Embriologia Humana I) espermatócitos II, espermátides e espermatozoides J) acrossomo complexo de Golgi K) centríolos mitocôndrias As espermatogônias são células

Leia mais

Prof. MSc MARCOS FABIO DE LIMA

Prof. MSc MARCOS FABIO DE LIMA PRINCÍPIOS BÁSICOS DE INCUBAÇÃO Prof. MSc MARCOS FABIO DE LIMA marcosfabiovet@uol.com.br 01.INTRODUÇÃO: O desenvolvimento do embrião no interior do ovo se dá em duas etapas, a saber: Desenvolvimento antes

Leia mais

Cordados I. Peixes, Anfíbios e Répteis. Cursinho Popular de Ensino Pré-Vestibular TRIU Pela popularização da universidade pública

Cordados I. Peixes, Anfíbios e Répteis. Cursinho Popular de Ensino Pré-Vestibular TRIU Pela popularização da universidade pública Cursinho Popular de Ensino Pré-Vestibular TRIU Pela popularização da universidade pública Cordados I Peixes, Anfíbios e Répteis Prof. Rafael Rosolen T. Zafred Revisão Peixes ; Anfíbios; Répteis; Aves;

Leia mais

BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 42 EMBRIOLOGIA: ANEXOS EMBRIONÁRIOS

BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 42 EMBRIOLOGIA: ANEXOS EMBRIONÁRIOS BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 42 EMBRIOLOGIA: ANEXOS EMBRIONÁRIOS Mesoderme alantoidiano Vilosidades coriônicas Vesícula vitelínica - não contém vitelo e sim solução fisiológica Celoma extraembrionário Cório

Leia mais

Neurulação. Neurulação? 28/04/2016. Sistema nervoso dos echinoderma. Características Evolutivas. Principais eventos em Biologia do Desenvolvimento

Neurulação. Neurulação? 28/04/2016. Sistema nervoso dos echinoderma. Características Evolutivas. Principais eventos em Biologia do Desenvolvimento Principais eventos em Biologia do Desenvolvimento Neurulação Gametogênese e Fertilização Clivagem Gastrulação Neurulação Organogênese MSc. Carolina Purcell Laboratório de Embriologia Molecular de Vertebrados

Leia mais

Solução Comentada Prova de Química

Solução Comentada Prova de Química 34. A histamina, estrutura mostrada abaixo, é uma substância orgânica que provoca inchaço e coceira, e que é liberada pelas células de defesa, quando somos picados por insetos. N NH 2 N H Se quisermos

Leia mais

Ano Lectivo 2009/2010

Ano Lectivo 2009/2010 Ano Lectivo 2009/2010 Feito por: Carlos Grilo Caracteres sexuais primários e secundários.3 Sistema reprodutor masculino.4 Sistema reprodutor feminino.5 Ciclo ovário.5 Ciclo uterino.7 Fecundação 9 Caracteres

Leia mais

14/03/2017 DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIA PRÉ-IMPLANTACIONAL, NIDAÇÃO E EMBRIOGÊNESE PROFª MSC. TATIANE DA SILVA POLÓ 1ª E 2ª SEMANAS DE DESENVOLVIMENTO

14/03/2017 DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIA PRÉ-IMPLANTACIONAL, NIDAÇÃO E EMBRIOGÊNESE PROFª MSC. TATIANE DA SILVA POLÓ 1ª E 2ª SEMANAS DE DESENVOLVIMENTO DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIA PRÉ-IMPLANTACIONAL, NIDAÇÃO E EMBRIOGÊNESE PROFª MSC. TATIANE DA SILVA POLÓ 1ª E 2ª SEMANAS DE DESENVOLVIMENTO 1 FECUNDAÇÃO Fusão dos pronúcleos = ZIGOTO ATIVAÇÃO DA MITOSE

Leia mais

Lista de exercícios Função Logaritmica

Lista de exercícios Função Logaritmica Lista de exercícios Função Logaritmica 1- Calcule os logaritmos: ) log 36 ) log 216 ) log 243 ) log ) log 128 )log10000 )log 16 h)ln )ln 2- Assumindo que x, y, e z são números positivos, use as propriedades

Leia mais

SETOR 1301 AULA 11 NOMENCLATURA DOS COMPOSTOS ORGÂNICOS

SETOR 1301 AULA 11 NOMENCLATURA DOS COMPOSTOS ORGÂNICOS SETOR 1301 AULA 11 NOMENCLATURA DOS COMPOSTOS ORGÂNICOS ÁLCOOL São compostos orgânicos que apresentam o grupo funcional hidroxila ( OH) ligado a carbono saturado. ÁLCOOL Classificação Quanto ao número

Leia mais

R4 - GABARITO Profº Almir Química. 126 mg 0,126g 126 mg/ dl 0,126 g/ 0,10L 1,26 g/l 1dL 0,10 L Em 1L : 1 mol (glicos e) n.

R4 - GABARITO Profº Almir Química. 126 mg 0,126g 126 mg/ dl 0,126 g/ 0,10L 1,26 g/l 1dL 0,10 L Em 1L : 1 mol (glicos e) n. Gabarito: Resposta da questão 1: [Resposta do ponto de vista da disciplina de Biologia] a) As células β das ilhotas pancreáticas produzem e secretam o hormônio insulina. Esse hormônio determina a redução

Leia mais

10/06/2013 PLACENTA E PLACENTAÇÃO. placenta. placentação. Placenta. Componentes fetais

10/06/2013 PLACENTA E PLACENTAÇÃO. placenta. placentação. Placenta. Componentes fetais UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Campus Curitibanos Medicina Veterinária ANATOMIA II Órgão de troca entre a mãe e o feto PLACENTA E PLACENTAÇÃO placenta Organização das membranas com locais para

Leia mais

FUNÇÃO EXPONENCIAL. e) f(x) = 10 x. 1) Se a > 1 2) Se 0 < a < 1. Observamos que nos dois casos, a imagem da função exponencial é: Im = R + *.

FUNÇÃO EXPONENCIAL. e) f(x) = 10 x. 1) Se a > 1 2) Se 0 < a < 1. Observamos que nos dois casos, a imagem da função exponencial é: Im = R + *. FUNÇÃO EXPONENCIAL Definição: Dado um número real a, com a > 0 e a, chamamos função eponencial de base a a função f de R R que associa a cada real o número a. Podemos escrever, também: f: R R a Eemplos

Leia mais

Exercícios de Aprofundamento Biologia - Embriologia

Exercícios de Aprofundamento Biologia - Embriologia 1. (Fgv 2015) A figura ilustra os vasos sanguíneos maternos e fetais na região da placenta, responsável pela troca dos gases respiratórios oxigênio e dióxido de carbono. Como a circulação e a ventilação

Leia mais

GABARITO QUESTÕES OBJETIVAS

GABARITO QUESTÕES OBJETIVAS MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DECEx - DEPA COLÉGIO MILITAR DO RIO DE JANEIRO (Casa de Thomaz Coelho/1889) CONCURSO PARAPROFESSOR DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO - CIÊNCIAS FÍSICAS E

Leia mais

Embriologia Geral BMH-120. Clivagem e Implantação

Embriologia Geral BMH-120. Clivagem e Implantação Embriologia Geral BMH-120 Clivagem e Implantação Rodrigo A. P. Martins ICB -UFRJ A fertilização é só o começo Fertilização Clivagem Gastrulação Organogênese Determinação/Formação de eixos AP antero-posterior

Leia mais

FUNÇÃO EXPONENCIAL E FUNÇÃO LOGARÍTMICA

FUNÇÃO EXPONENCIAL E FUNÇÃO LOGARÍTMICA Equações Eponenciais: FUNÇÃO EXPONENCIAL E FUNÇÃO LOGARÍTMICA Chamamos de equações eponenciais toda equação na qual a incógnita aparece em epoente. Para resolver equações eponenciais, devemos realizar

Leia mais

31. Com relação aos principais componentes orgânicos celulares, assinale a afirmativa INCORRETA.

31. Com relação aos principais componentes orgânicos celulares, assinale a afirmativa INCORRETA. PASES 1 a ETAPA TRIÊNIO 2004-2006 1 o DIA GABARITO 1 19 BIOLOGIA QUESTÕES DE 31 A 40 31. Com relação aos principais componentes orgânicos celulares, assinale a afirmativa INCORRETA. a) Proteínas, quando

Leia mais

FUNÇÕES ORGÂNICAS NITROGENADAS e HALETOS Os compostos orgânicos nitrogenados são moléculas orgânicas que apresentam em sua constituição o heteroátomo

FUNÇÕES ORGÂNICAS NITROGENADAS e HALETOS Os compostos orgânicos nitrogenados são moléculas orgânicas que apresentam em sua constituição o heteroátomo NITROGENADAS e HALETOS Os compostos orgânicos nitrogenados são moléculas orgânicas que apresentam em sua constituição o heteroátomo nitrogênio. O conjunto de átomos que possui o nitrogênio como heteroátomo

Leia mais

Anexos Embrionários. Placenta. Placenta 05/10/2017. Anexos Embrionários. Placenta Cordão umbilical Âmnio Córion Saco vitelino Alantóide

Anexos Embrionários. Placenta. Placenta 05/10/2017. Anexos Embrionários. Placenta Cordão umbilical Âmnio Córion Saco vitelino Alantóide Anexos Embrionários Anexos Embrionários Cordão umbilical Âmnio Córion Saco vitelino Alantóide Prof. a Dr. a Sara Tatiana Moreira Embriologia Humana e Comparada CB54B COBIO - UTFPR Campus Santa Helena Função:

Leia mais

1. (Ufg 2014) Analise a figura a seguir que representa a gástrula, uma estrutura embrionária.

1. (Ufg 2014) Analise a figura a seguir que representa a gástrula, uma estrutura embrionária. 1. (Ufg 2014) Analise a figura a seguir que representa a gástrula, uma estrutura embrionária. Considerando a figura: a) denomine os folhetos embrionários primordiais X, Y e Z, respectivamente, e identifique

Leia mais

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS Início da implantação embrioblasto trofoblasto Prof. Dr. Wellerson Rodrigo Scarano Disciplina de Embriologia -Após a adesão, o trofoblasto se diferencia em: Citotrofoblasto Sinciciotrofoblasto sinciciotrofoblasto

Leia mais

Aula Prática No 1. Introdução aos conceitos gerais de Biologia do Desenvolvimento

Aula Prática No 1. Introdução aos conceitos gerais de Biologia do Desenvolvimento Aula Prática No 1. Introdução aos conceitos gerais de Biologia do Desenvolvimento A palavra "Desenvolvimento" está relacionada com mudanças progressivas que ocorrem na vida dos organismos. Essas mudanças

Leia mais

Disco embrionário bilaminar

Disco embrionário bilaminar Origem do embrião 1 Disco embrionário bilaminar 2 3 GASTRULAÇÃO - 3 a semana Aparecimento da linha primitiva Desenvolvimento da notocorda Diferenciação das três camadas germinativas (disco bilaminar trilaminar)

Leia mais