Política de Representação. Comercial e Institucional

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Política de Representação. Comercial e Institucional"

Transcrição

1 Política de Representação Comercial e Institucional 2012

2 2 Política de Representação SUMÁRIO 1. SOBRE A DENAI 3 2. VALORES CORPORATIVOS 3 MISSÃO 3 VISÃO 4 VALORES 4 3. CÓDIGO DE ÉTICA E COMPROMETIMENTO 6 4. REPRESENTAÇÃO PESSOA JURÍDICA PESSOA FÍSICA 7 5. PROCESSO DE CREDECIAMENTO PESSOA JURÍDICA PESSOA FÍSICA 8 6. DOCUMENTAÇÃO 8 7. AVALIAÇÃO E ENTREVISTA FLUXOGRAMA DO PROCESSO DE CREDENCIAMENTO 9 8. ATUAÇÃO MÉTODO SEGMENTOS DE MERCADO ÁREAS DE ATUAÇÃO REGIÃO NORTE 07 ESTADOS REGIÃO NORDESTE 09 ESTADOS REGIÃO CENTRO-OESTE 03 ESTADOS REGIÃO SUDESTE 04 ESTADOS REGIÃO SUL 03 ESTADOS POLÍTICA DE PREÇOS PREVISÃO DE VENDAS COMISSIONAMENTO FORMA DE PAGAMENTO CONDIÇÕES FECHAMENTO VENCIMENTO FORMA DE COMUNICAÇÃO TREINAMENTO MARKETING MATERIAL PROMOCIONAL PARTICIPAÇÃO EM FEIRAS E EVENTOS OUTRAS INICIATIVAS DE MARKETING 15

3 3 Política de Representação 1. SOBRE A DENAI A Denai foi fundada em 1982 como a primeira fabricante de selos mecânicos engenheirados do estado do Rio de Janeiro com projetos e desenvolvimentos próprios. Durante seus mais de vinte cinco anos de mercado, a Denai adquiriu um grande know-how técnico da indústria de selos mecânicos. Nossa gestão busca a melhoria continua sempre com soluções técnicas, eficientes e de custo reduzido para nossos clientes. O compromisso com a qualidade, a transparência e a responsabilidade empregada em nossas atividades, tornou a Denai reconhecida nacionalmente como sinônimo de qualidade em selos mecânicos. Com uma gestão sempre focada em princípios éticos, integridade, confiança, desenvolvimento social e proteção ambiental a Denai se tornou uma das maiores marcas no segmento de selagem. A empresa tem atrelada a sua história grandes cases de sucesso, como: Casa da Moeda, Refinaria de Petróleo de Manguinhos, Ipiranga petróleo, Transpetro, Coca-Cola, AmBev, Laboratórios Roche e Mantecorp, Clariant, Corn Products, Michelin entre outros. Mantemos uma retenção superior a 95 % de nossos clientes em função dos resultados de nosso trabalho. Nossos produtos são produzidos rigorosamente dentro das normas e padrões de qualidade internacionais. Atualmente a DENAI atua em todo o território nacional através de suas filiais e representações. Nossos produtos abrangem diversas áreas como: Manutenção de Equipamentos; Contratos de manutenção integrada - PMI; Treinamentos; Suporte e assistência técnica; Usinagem de precisão Contando com um corpo técnico e gerencial altamente qualificado, com total conhecimento do mercado e de seus clientes, a DENAI possui condições de atender qualquer porte de empresa fornecendo soluções customizadas para cada cliente. O mercado potencial para estas soluções é muito grande, o que torna a representação da DENAI um negócio bastante promissor. O objetivo primordial deste trabalho é apresentar às empresas interessadas na representação, não só o potencial do negócio, mas também os requisitos necessários por parte do representante, visando fornecer um atendimento de qualidade na comercialização das soluções. 2. VALORES CORPORATIVOS Descritos no Plano Estratégico, os valores são a forma como a empresa pauta suas estratégias, ações e projetos. Eles devem estar presentes na condução das atividades e refletir o jeito de ser da Denai.

4 4 Política de Representação Desenvolvimento Sustentável; Cliente Satisfeito; Pessoas realizadas; Segurança no Ambiente de Trabalho; Qualidade em tudo o que faz; Segurança e Solidez; Seriedade com todos os públicos; Lucro como Medida de Desempenho. Desenvolvimento sustentável Perseguimos o sucesso dos negócios com uma perspectiva de longo prazo, contribuindo para o desenvolvimento econômico e social e para um meio ambiente saudável nas comunidades onde atuamos. Cliente satisfeito Acreditamos que a qualidade de seus produtos e serviços é julgada pelos clientes, a partir de suas percepções. Estas se formam a partir do valor adicionado pelas características e atributos dos produtos e serviços e definem sua satisfação, preferências e fidelidade. O conhecimento das necessidades atuais e futuras dos clientes é o ponto de partida na busca da excelência do desempenho da Denai. Assim, atender a estas necessidades deve ser compromisso essencial de todos. Pessoas realizadas O sucesso da empresa depende de conhecimento, habilidades, criatividade e motivação de sua equipe. A realização das pessoas, por sua vez, depende de seu esforço próprio, de oportunidades de aprendizado e de um ambiente favorável ao pleno desenvolvimento de suas potencialidades. É fundamental que as pessoas sejam incentivadas a trabalhar em equipe, participar em todos os aspectos do trabalho e que recebam autonomia e responsabilidade para alcançar metas definidas. A gestão das pessoas leva em consideração a diversidade de anseios e necessidades que são identificados e utilizados na definição de estratégias, planos e práticas organizacionais. Desta forma se promove o desenvolvimento, o bem-estar e a satisfação de todas as pessoas que fazem parte da Denai. Segurança total no ambiente de trabalho Para a Denai, o ser humano, em sua integridade, é um valor que está acima dos demais objetivos e prioridades da Empresa. Nenhuma situação e emergência, produção ou resultados pode justificar a falta de segurança das pessoas.

5 5 Política de Representação A empresa é responsável por propiciar os meios e recursos adequados para que todas as atividades sejam executadas com segurança. Cabe à empresa e a cada um garantir que sejam realizados todos os esforços necessários para preservar a segurança das pessoas. O gestor é o principal responsável pela segurança de todas as pessoas que atuam em sua área. A equipe de segurança do trabalho deve atuar, de forma preventiva, como apoio e suporte técnico aos gestores. Cada colaborador tem a responsabilidade de zelar por sua segurança e pela segurança de seus colegas. É dever de todos identificarem tarefas inseguras e obter, com persistência e determinação, sua solução junto aos níveis superiores. Qualidade em tudo o que faz A busca da qualidade com suas dimensões de qualidade intrínseca, custo, entrega, moral e segurança, exige de toda equipe da Denai um forte sentimento da necessidade de ser o melhor e uma orientação de longo prazo. A antecipação às novas tendências de mercado, aos novos cenários, às novas necessidades dos clientes, aos desenvolvimentos tecnológicos, aos requisitos legais, às mudanças estratégicas dos concorrentes e aos anseios da sociedade é essencial para o sucesso da organização a longo prazo. A empresa precisa superar a concorrência, tanto por meio da geração de valor para o cliente, quanto pela atração de talentos e de capital. Neste ambiente competitivo, a Empresa deve ser capaz de equacionar e minimizar os conflitos entre resultados, tais como volume e preço, entregas rápidas e baixos estoques, ganhos de escala e flexibilidade e operação e manutenção. Segurança e solidez O sucesso em longo prazo é o objetivo maior da Denai. A empresa busca um equilíbrio entre as suas necessidades de curto e longo prazo, de modo a satisfazer as necessidades de todos os seus públicos (clientes, equipe e comunidade) agora e no futuro. A otimização das operações busca a combinação centralização-descentralização mais adequada em função de conjunturas, garantindo a flexibilidade e segurança do negócio. Desta forma, cada novo passo a ser dado é avaliado para que ele signifique o efetivo fortalecimento das atividades da empresa, melhoria e qualidade dos produtos e benefício de longo alcance. Seriedade com todos os públicos Compreendendo o seu papel no desenvolvimento da sociedade, a Denai cumpre as obrigações legais decorrentes de suas atividades e exercita sua consciência moral e cívica. Com relação à saúde pública e a proteção ambiental, a empresa executa ações preventivas para evitar os possíveis impactos adversos decorrentes de suas atividades. No exercício da cidadania, a Denai apoia e lidera ações relativas à educação e à assistência comunitária; à proteção dos ecossistemas; à adoção de políticas não discriminatórias; à promoção da cultura, do esporte e do lazer e à participação ativa no desenvolvimento nacional, regional ou setorial. A Denai estimula seus colaboradores a se engajarem em atividades sociais, bem como outras organizações a se tornarem parceiras nestas ações.

6 6 Política de Representação Lucro como medida de desempenho O lucro é a medida do desempenho da Denai, sendo fundamental para o processo de crescimento e desenvolvimento. O lucro é buscado de maneira determinada, por meio de estratégias, planos de ação e metas desafiadoras de receitas e custos, definidas de forma clara e objetiva, sendo resultado de um forte envolvimento e comprometimento das pessoas, atuando em sintonia com os objetivos e valores da Denai. 3. CÓDIGO DE ÉTICA E COMPROMETIMENTO A DENAI pauta suas ações sempre de acordo com o código de Ética e Comprometimento. O cumprimento do código tem a função de sustentar a boa reputação da empresa e ajudar cada negócio da empresa a atingir seu potencial máximo através do recrutamento e conservação de pessoas talentosas e honestas. O mesmo está disponível no link: 4. REPRESENTAÇÃO O Contrato de Representação da DENAI poderá ser firmado tanto com Pessoas Jurídicas como Físicas. Em caso de cidades ou regiões com maiores concentrações de clientes potenciais (capitais ou grandes cidades), deverá ser dada preferência às Pessoas Jurídicas interessadas, quando elas existirem. Os requisitos desejáveis para os representantes interessados são:

7 7 Política de Representação 4.1 PESSOA JURÍDICA Empresa legalmente constituída e, preferencialmente, com algumas das características citadas a seguir: Experiência e conhecimentos na área de manutenção; Atuação ou contatos nas áreas de manutenção, compras e gerência das indústrias; Possuam em seu quadro funcional pessoas com conhecimentos técnicos mecânicos ou afins; Possuam vendedores/representantes comerciais registrados no CORE; Possuir automóveis e disponibilidade para viagens; CNPJ deve estar regular; Emitir nota fiscal; Possuir conta aberta em nome da pessoa jurídica; 4.2 PESSOA FÍSICA Preferencialmente, com algumas das características citadas a seguir: Bons conhecimentos da área de manutenção ou afins; Contatos ou atuação na área; Possua automóvel próprio e disponibilidade para pequenas viagens; Seja dinâmica e atuante; Com autonomia (pagamento por RPA). 5. PROCESSO DE CREDECIAMENTO A política de credenciamento baseia-se em níveis ou categorias diferenciadas de representantes. Estes níveis são em função direta dos serviços prestados pelo representante. A empresa ou pessoa física interessada em credenciar-se como representante deve atender à pré-requisitos de equipamentos, mão de obra e treinamento visando habilitar-se a executar os serviços necessários à comercialização, implantação e manutenção da carteira de clientes. Os níveis de representação são os seguintes: 5.1 PESSOA JURÍDICA Nível E1 - Representante Master Serviços que o representante Master deve estar habilitado a prestar: a) Na Comercialização Visitar clientes potenciais fazendo prospecção de mercado com o uso do material promocional disponível; Realizar levantamento, identificação dos equipamentos e necessidades dos clientes interessados; Ofertar a implantação de contratos; b) Na Manutenção e Suporte Técnico Colher os dados necessários; Fazer atendimentos para serviços de manutenção e suporte; Realizar relatórios de atendimento dos clientes.

8 8 Política de Representação Pré-Requisitos a) Na área Comercial Disponibilizar ao menos um representante para o Treinamento Comercial Master (TCM); Possuir 1 notebook ou computador ligado a Internet para recebimento e envio de arquivos. b) Na Área de Manutenção e Suporte Técnico Disponibilizar ao menos um técnico, no Treinamento Técnico Master (TTM); 5.2 PESSOA FÍSICA Nível F1 - Finder Standard (Comercial) - Deverá desempenhar funções comerciais de prospecção e acompanhamento das suas negociações, apoiado pela equipe comercial e técnica da DENAI. Trata-se da simples indicação de uma oportunidade qualificada no qual o Prospect (Cliente) indicado formalmente e, que recebeu as informações do Representante sobre as soluções da DENAI se disponibilize a nos atender e, caso contrate as nossas soluções, o Representante receberá as comissões a que tiver direito. Nível F2 - Finder Master (Comercial e Técnico) - Deverá desempenhar funções e obedecer à pré-requisitos equivalentes ao Nível E1 - Representante Master. Suas atribuições incluem abrir frentes de negócios (prospectar), realizar demonstrações, levantar dados técnicos para implementar e programar, servir de canal de contato (verificar satisfação, sugestões e reclamações) com os clientes no pós-venda. 6. DOCUMENTAÇÃO O interessado deverá enviar o formulário de credenciamento disponibilizado no site, informando o nível de interesse de representação. Os documentos relacionados abaixo deverão ser encaminhados por correio ou por e- mail. Informações e Documentos - Pessoa Jurídica Cópia do Contrato Social e atualizações; Cartão do CNPJ; Inscrição Estadual e Municipal se houver; Informar o nome do Diretor Comercial com CPF, telefone e ; Informar os dados dos demais contatos (Endereços, telefones, nomes dos responsáveis, s, site); Listar as filiais que possuir, informando as regiões de atuação com relação das principais cidades; Listar os principais clientes; Listar as Certificações da Empresa como: ISO 9000 e outras se tiverem; Relacionar as referências bancárias, indicando qual a conta para depósito das comissões. Informações e Documentos - Pessoa Física Dados completos de contato; Número do CPF; Currículo Atualizado escolaridade e especializações; Listar os principais clientes e contatos; Relacionar as referências bancárias, indicando qual a conta para depósito das comissões.

9 9 Política de Representação 7. AVALIAÇÃO E ENTREVISTA Posteriormente, com a aprovação do formulário do Representante, um Diretor ou Gerente da DENAI visitará o site do futuro representante, para realizar uma entrevista e poderá responder questões e dúvidas do interessado. Estando tudo esclarecido e acertado, o Contrato de Representação será formulado com os dados do representante e termo de concordância das políticas de representação comercial da empresa. Observação: Somente após envio do termo de concordância das políticas de representação comercial devidamente assinado com firma reconhecida o mesmo ficará pronto para ser assinado. 7.1 FLUXOGRAMA DO PROCESSO DE CREDENCIAMENTO FORMULÁRIO DE CREDENCIAMENTO OPÇÃO PESSOA FÍSICA PESSOA JURÍDICA OPÇÃO REPRESENTANTE MASTER - NÍVEL E1 FINDER COMERCIAL - NÍVEL F1 FINDER COMERCIAL E TECNICO - NÍVEL F2 ANÁLISE DE CREDENCIAMENTO ANÁLISE DE CREDENCIAMENTO ANÁLISE DE CREDENCIAMENTO VISITA DA DENAI ASSINATURA DO CONTRATO DE REPRESENTAÇÃO ASSINATURA DO CONTRATIO DE REPRESENTAÇÃO ASSINATURA DE CONTRATO DE REPRESENTAÇÃO TREINAMENTO COMERCIAL TREINAMENTO COMERCIAL TREINAMENTO COMERCIAL E TÉCNICO ÍNICIO DA REPRESENTAÇÃO ÍNICIO DA REPRESENTAÇÃO ÍNICIO DA REPRESENTAÇÃO

10 10 Política de Representação 8. ATUAÇÃO A área de atuação recomendada para o representante é constituída das cidades nas quais o representante mantém sua sede e filiais, e/ou cidades próximas e segmentos no qual possui penetração. Não existe nenhum tipo de restrição quanto à ampliação da área e segmentos de atuação. O fator determinante para esta recomendação são os custos, a necessidade de visitas normalmente é incluída no preço do produto, e as despesas de viagem para deslocamento a locais distantes poderiam, em alguns casos, até inviabilizar economicamente a venda. 8.1 MÉTODO Os representantes deverão atuar através da prospecção segmentada que é baseada na abertura de novas oportunidades de negócios por segmentos de mercado. Sua principal atribuição será fazer a prospecção de clientes potenciais, separando aqueles efetivamente interessantes da enorme massa de compradores aparentes. Em outras palavras, identificar os prospects entre os suspects. Também será de sua atribuição identificar todas as pessoas-chaves na cadeia decisória de compra do produto ou serviço para atingi-los com informações que dêem sequência ao processo de vendas. 8.2 SEGMENTOS DE MERCADO Aeroespacial Aeronáutico Usinas de Álcool e Açúcar Alimentício Automobilístico Bebidas Cimentos e Derivados Cosmética e Health Care Fabricantes - OEM Farmacêutico Fertilizantes Frigoríficos Gás Geração de Energia Laticínios Mineração e Minerais Naval Papel e Celulose, Petróleo Prestadores de serviço Química Refrigeração Distribuidores e Revendas Saneamento Siderurgia Têxtil e Tinturaria Universidades Vinhos e Vinícolas 8.3 ÁREAS DE ATUAÇÃO As áreas de atuação serão divididas por segmentos de negócio dentro de cada região REGIÃO NORTE 07 ESTADOS Amazonas (AM) Roraima (RR) Amapá (AP) Pará (PA) Tocantins (TO) Rondônia (RO) Acre (AC)

11 11 Política de Representação REGIÃO NORDESTE 09 ESTADOS Maranhão (MA) Piauí (PI) Ceará (CE) Rio Grande do Norte (RN) Pernambuco (PE) Paraíba (PB) Sergipe (SE) Alagoas (AL) Bahia (BA) REGIÃO CENTRO-OESTE 03 ESTADOS Mato Grosso (MT) Mato Grosso do Sul (MS) Goiás (GO) REGIÃO SUDESTE 04 ESTADOS São Paulo (SP) Rio de Janeiro (RJ) Espírito Santo (ES) Minas Gerais (MG) 8.4 REGIÃO SUL 03 ESTADOS Paraná (PR) Rio Grande do Sul (RS) Santa Catarina (SC) 9. POLÍTICA DE PREÇOS A política de preços da DENAI baseia-se, inicialmente, em alguns preceitos que visam unificar as ações de marketing e manter um padrão de qualidade nos produtos e serviços. A DENAI se reserva o direito de não fornecer sua tabela de preços para seus representantes. A DENAI pode alterar a qualquer momento a sua tabela de preços visando adequação às necessidades de lucratividade, custos e ao mercado. As negociações em andamento, na medida do possível (não sendo mudança de impostos), terão os preços mantidos durante a validade das propostas. Todas as propostas serão enviadas pela própria DENAI aos clientes, sempre com cópia aos representantes.

12 12 Política de Representação 10. PREVISÃO DE VENDAS As previsões de vendas serão elaboradas conjuntamente pela DENAI e pela representante, levando-se em consideração aspectos como: Mercado Potencial da região, concorrência local, estrutura da representante, estratégia de marketing local, etc. A previsão de vendas, assim como a estratégia de marketing para a região, será elaborada durante o processo de credenciamento do representante. 11. COMISSIONAMENTO Nível E1 - Representante Master Selos mecânicos - Comissionamento de 10% sobre o valor liquidado. Usinagem - Comissionamento de 10% sobre o valor liquidado. Manutenção de Equipamentos - Comissionamento de 10% sobre o valor liquidado. Contratos de manutenção PMI até anual 10% sob a fatura mensal liquidada. Contratos de manutenção PMI acima anual 20% sob a fatura mensal liquidada. Contratos de Kanban PMI até anual 10% sob a fatura mensal liquidada. Contratos de Kanban PMI acima anual 20% sob a fatura mensal liquidada. Nível F1 Finder Standard Selos mecânicos - Comissionamento de 10% sobre o valor liquidado. Usinagem - Comissionamento de 10% sobre o valor liquidado. Manutenção de Equipamentos - Comissionamento de 10% sobre o valor liquidado. Contratos de manutenção PMI até anual 10% sob a fatura mensal liquidada. Contratos de manutenção PMI acima anual 20% sob a fatura mensal liquidada. Contratos de Kanban PMI até anual 10% sob a fatura mensal liquidada. Contratos de Kanban PMI acima anual 20% sob a fatura mensal liquidada. Nível F2 Finder Master Selos mecânicos - Comissionamento de 10% sobre o valor liquidado. Usinagem - Comissionamento de 10% sobre o valor liquidado. Manutenção de Equipamentos - Comissionamento de 10% sobre o valor liquidado. Contratos de manutenção PMI até anual 10% sob a fatura mensal liquidada. Contratos de manutenção PMI acima anual 20% sob a fatura mensal liquidada.

13 13 Política de Representação Contratos de Kanban PMI até anual 10% sob a fatura mensal liquidada. Contratos de Kanban PMI acima anual 20% sob a fatura mensal liquidada. Observações: Os percentuais de comissão acima mencionados aplicam-se no caso da comercialização de peças e serviços, baseados nos preços fornecidos pela DENAI. Para negociações especiais em que haja a necessidade de concessão de descontos, como por exemplo, nos casos de vendas grandes, redes ou grupos; os percentuais de comissão poderão ser revistos, visando garantir uma margem de contribuição mínima nos serviços. Para o caso de criação de: Novos sistemas de fornecimento, novos módulos ou componentes de uma solução ou novas modalidades de comercialização de uma mesma solução, poderão ser fornecidos novos percentuais de comissionamento visando adequar a margem de contribuição à estrutura de custos e política de preços estabelecida para a nova solução ou forma de comercialização. Em ambos os casos acima, a DENAI se compromete a tentar manter percentuais compatíveis com a estrutura de custos e margens de contribuição do representante. A realização de qualquer contrato e/ou pagamento de comissões, não gerará qualquer vínculo empregatício com a DENAI. A Política de Representação não contempla o pagamento de Ajuda de Custo para os Representantes. 12. FORMA DE PAGAMENTO 12.1 CONDIÇÕES Os pagamentos somente serão realizados através da emissão de NF-e e boleto em nome da DENAI. O valor do boleto deverá corresponder ao somatório a receber referente às comissões dos boletos liquidados FECHAMENTO Será enviado aos representantes o documento de controle de comissões liquidadas até o dia 25 de cada mês. Neste documento contém as seguintes informações: Nome do Cliente Nome do Representante Valor da NF Percentual de comissão Data da venda Data da liquidação Valor a Receber Total a receber A emissão dos boletos e fechamento das comissões deverá acontecer todo dia 25 de cada mês.

14 14 Política de Representação 12.3 VENCIMENTO O vencimento dos boletos deverá atender aos seguintes critérios: Notas fiscais liquidadas Boleto com vencimento 01 a 25 de cada mês 10 DDL Do dia 26 em diante 30 DDL 13. FORMA DE COMUNICAÇÃO De maneira formalizada por Telefones diretos: Ramal TREINAMENTO Os profissionais do novo representante deverão participar dos treinamentos da área comercial e de suporte técnico via Internet ou nas instalações da DENAI no Rio de Janeiro. Para aperfeiçoar o treinamento, a seu critério e custos, o novo parceiro poderá solicitar que o treinamento seja realizado em suas instalações. 15. MARKETING O planejamento de Marketing para o mercado regional da área de atuação do representante deverá ser executado conjuntamente pela DENAI e pelo representante visando: Observar os preceitos básicos da política comercial da DENAI; Manter o nível de Qualidade no atendimento aos clientes; Unificar o padrão de imagem e comunicação visual; Atender às características diferenciadas do mercado na região de atuação; Para isto a DENAI coloca à disposição do representante o seu departamento de Marketing visando auxiliá-lo na elaboração de um plano de ação para o mercado regional. O representante, por sua conta, poderá sugerir ou adotar iniciativas regionais visando melhor atender o seu público alvo. Tais medidas deverão, no entanto, ser submetidas à apreciação do departamento de marketing da EMBRADA que será encarregado de observar o atendimento aos padrões acima citados MATERIAL PROMOCIONAL A DENAI colocará à disposição do representante o material promocional e de apoio disponível dos serviços e produtos, hoje constituído de: Pasta com bolsa com mensagem Institucional

15 15 Política de Representação CD com apresentação multimídia (FLASH) Lâmina de divulgação sobre Usinagem Catalogo em 3 idiomas de selos mecânicos Calendários Canetas Blocos para anotação Adesivos Além disso, a DENAI poderá também: Divulgar o nome, dados e link para o site dos representantes na internet e em seu site; Autorizar a colocação do Logo da DENAI no site e cartões de visita do Representante; Acesso por senha a ÁREA RESTRITA do site da DENAI para lançamento e acompanhamento das oportunidades; Indicar clientes e usuários como referência; 15.2 PARTICIPAÇÃO EM FEIRAS E EVENTOS O representante deverá sugerir em sua região a participação conjunta em feiras e eventos específicos da área. A DENAI poderá disponibilizar seu material promocional ou ainda, de acordo com seu critério, estudar algum tipo de apoio financeiro para estes eventos OUTRAS INICIATIVAS DE MARKETING A DENAI poderá fornecer apoio a outras iniciativas de marketing sugeridas pelo representante, tais como: marketing e mala direta para clientes, promoções de vendas, feiras, palestras, treinamentos, apresentações e etc.

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial.

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. visão, missão e valores corporativos visão Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma Organização empresarial focada em siderurgia, com a missão de satisfazer

Leia mais

Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012

Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012 Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012 Informações Básicas Recursos Humanos Foram pesquisadas as pessoas que trabalhavam na administração direta e indireta por vínculo empregatício e escolaridade;

Leia mais

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX SUMÁRIO 1 ICMS 1.1 CONTRIBUINTE 1.2 FATO GERADOR DO IMPOSTO 1.3 BASE DE CÁLCULO DO IMPOSTO 1.4 REDUÇÃO DA BASE DE CÁLCULO 1.5 CARTA DE CORREÇÃO 1.6 CÓDIGO DA SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA

Leia mais

Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio.

Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio. Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio. Participe da rede de distribuição dos produtos exclusivos da

Leia mais

FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing

FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing Edson José de Lemos Júnior Ermeson Gomes da Silva Jardson Prado Coriolano da Silva Marcos Antonio Santos Marinho Rosinaldo Ferreira da Cunha RELATÓRIO GERENCIAL

Leia mais

Edital do Processo Seletivo para o Curso Micropolítica da Gestão e Trabalho em Saúde Ênfase na Gestão Estadual do Sistema Único de Saúde

Edital do Processo Seletivo para o Curso Micropolítica da Gestão e Trabalho em Saúde Ênfase na Gestão Estadual do Sistema Único de Saúde 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO COORDENADORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Rio de Janeiro, em 06 de outubro

Leia mais

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia Sublimites estaduais de enquadramento para o ICMS no Simples Nacional 2012/2013 Vamos acabar com essa ideia 4 CNI APRESENTAÇÃO Os benefícios do Simples Nacional precisam alcançar todas as micro e pequenas

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: PROBLEMAS E PRIORIDADES DO BRASIL PARA 2014 FEVEREIRO/2014

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: PROBLEMAS E PRIORIDADES DO BRASIL PARA 2014 FEVEREIRO/2014 16 RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: PROBLEMAS E PRIORIDADES DO BRASIL PARA 2014 FEVEREIRO/2014 16 Retratos da Sociedade Brasileira: Problemas e Prioridades do Brasil para 2014 CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA

Leia mais

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Novembro/2015

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Novembro/2015 Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Novembro/2015 Copyright Boa Vista SCPC 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: Pesquisa para mapear os hábitos de consumo e compras para época

Leia mais

Pesquisa Hábitos do Consumidor da Classe C. 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1

Pesquisa Hábitos do Consumidor da Classe C. 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Pesquisa Hábitos do Consumidor da Classe C 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Índice Objetivo, metodologia e amostra... 03 Perfil dos Respondentes... 04 Principais constatações sobre os hábitos de consumo

Leia mais

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015. Perspectivas da economia / Comprometimento de renda. Novembro/2015. Copyright Boa Vista SCPC 1

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015. Perspectivas da economia / Comprometimento de renda. Novembro/2015. Copyright Boa Vista SCPC 1 Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Perspectivas da economia / Comprometimento de renda Novembro/2015 Copyright Boa Vista SCPC 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: Pesquisa para

Leia mais

PESQUISA de HONORÁRIOS e TENDÊNCIAS da CONSULTORIA no BRASIL 11ª edição- 2011 / 2012

PESQUISA de HONORÁRIOS e TENDÊNCIAS da CONSULTORIA no BRASIL 11ª edição- 2011 / 2012 Member of ICMCI International Council of Management Consulting Institutes PESQUISA de HONORÁRIOS e TENDÊNCIAS da CONSULTORIA no BRASIL 11ª edição 2011 / 2012 Av. Paulista, 326 Conj. 77 Bela Vista CEP 01310902

Leia mais

PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES

PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES Brasília, janeiro/2011 Objetivos específicos da pesquisa 2 Avaliar a quantidade e a qualidade da rede credenciada. Avaliar os serviços oferecidos: o Plano CASSI Família

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012 CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012 Tributos incluídos no Simples Nacional Brasília 19 de setembro de 2013 ROTEIRO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS

Leia mais

Inventar com a diferenca,

Inventar com a diferenca, Inventar com a diferenca, cinema e direitos humanos PATROCÍNIO APOIO REALIZAÇÃO Fundação Euclides da Cunha O que é Inventar com a diferença: cinema e direitos humanos O projeto visa oferecer formação e

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP PAPPE SUBVENÇÃO 02/2006

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP PAPPE SUBVENÇÃO 02/2006 CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP PAPPE SUBVENÇÃO 02/2006 SELEÇÃO E CREDENCIAMENTO DE PARCEIROS PARA OPERAÇÃO DESCENTRALIZADA DO PROGRAMA DE APOIO À PESQUISA EM EMPRESAS NA MODALIDADE SUBVENÇÃO A MICRO E PEQUENAS

Leia mais

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr Imagem: Santa Casa de Santos fundada em 1543 Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr ópicos Filantró Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Objetivos do Projeto Governança Metodologia Seleção

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2010

Contas Regionais do Brasil 2010 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2010 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 23/11/2012 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr Imagem: Santa Casa de Santos fundada em 1543 Atualização: 26/outubro Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr ópicos Filantró Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Objetivos do Projeto Governança

Leia mais

Índice da apresentação

Índice da apresentação Cenário da reparação de veículos 2013 Índice da apresentação 1. Indicadores 2. Ameaças e oportunidades 3. Cenário futuro Indicadores Total 5.565 Municípios NORTE 449 Amazonas 62 Pará 143 Rondônia 52 Acre

Leia mais

14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro Supermercados

14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro Supermercados 14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro Supermercados Apresentação Este relatório apresenta os resultados da 14ª Avaliação de Perdas realizada com os principais supermercados do Brasil. As edições

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010 ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL PROFESSORES DAS REDES ESTADUAIS NO BRASIL A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES

Leia mais

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados Norte 0 0,00 0 0 0 0,00 Rondônia

Leia mais

Pesquisa Hábitos de Consumo Dia dos Pais 2015

Pesquisa Hábitos de Consumo Dia dos Pais 2015 Pesquisa Hábitos de Consumo Dia dos Pais 2015 Agosto de 2015 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Índice o Objetivo, metodologia e amostra... 03 o Sumário... 04 o Perfil dos respondentes... 05 o Pretensão

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Setembro/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

FRANQUIA HOME OFFICE

FRANQUIA HOME OFFICE FRANQUIA HOME OFFICE SUMÁRIO QUEM SOMOS PREMIAÇÕES ONDE ESTAMOS NOSSO NEGÓCIO MULTIMARCAS MULTISERVIÇOS PERFIL DO FRANQUEADO VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE TURISMO DESCRITIVO DO INVESTIMENTO PROCESSO DE SELEÇÃO

Leia mais

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA -

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Junho/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

nacional; Comissionamento diferenciado na venda e pós-venda em todos os produtos e

nacional; Comissionamento diferenciado na venda e pós-venda em todos os produtos e PROGRAMA DE PARCERIA Objetivo do Programa de Parceria Atuando no mercado de CRM (Customer Relationship Manager) desde 1994, a KANKEI é uma empresa de capital Nacional que oferece soluções de marketing

Leia mais

Emissão de Nota Fiscal Eletrônica

Emissão de Nota Fiscal Eletrônica Emissão de Nota Fiscal Eletrônica DANFE - Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica. É um documento que serve para acobertar a circulação da mercadoria. Impresso em via única; Validade em meio digital

Leia mais

Faça parte do. quadro de sócios da Abendi

Faça parte do. quadro de sócios da Abendi Faça parte do quadro de sócios da Abendi A Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção (Abendi) é uma entidade técnico-científica, sem fins econômicos, de direito privado, fundada em 1979,

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (dezembro/13) Janeiro de 2014 Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica

Nota Fiscal Eletrônica Receita Federal do Brasil Ricardo Rezende Barbosa nfe@sefaz.pi.gov.br 06 de dezembro de 2007 Secretaria da Fazenda do Estado do Piauí Nota Fiscal Eletrônica Nota Fiscal Eletrônica Luiz Antonio Baptista

Leia mais

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos Unidades da Federação 1980 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002

Leia mais

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil...

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil... ...... PRODUÇÃO DAS LAVOURAS EM MARÇO DE 2012 SUMÁRIO 1 - Lavouras... 5 TABELAS DE RESULTADOS Safra 2012 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra

Leia mais

AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE. Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional

AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE. Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional Desafio Fomentar o Uso do Poder de Compra do Governo Junto aos Pequenos Negócios para Induzir

Leia mais

Programas de Apoio à Exportação

Programas de Apoio à Exportação INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL Programas de Apoio à Exportação ENCOMEX JARAGUÁ DO SUL Flávio Martins Pimentel Coordenação-Geral de Programas de Apoio à Exportação MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO,

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Perguntas e Respostas Conselho de Usuários VIVO

Perguntas e Respostas Conselho de Usuários VIVO Perguntas e Respostas Conselho de Usuários VIVO Resolução n o 623, de 18 de Outubro de 2013 1. Qual a Resolução que trata sobre Conselho de Usuários e onde ela está disponível? Trata-se da Resolução n

Leia mais

Estratégia de fortalecimento dos Pequenos Negócios Maria Aparecida Bogado

Estratégia de fortalecimento dos Pequenos Negócios Maria Aparecida Bogado Estratégia de fortalecimento dos Pequenos Negócios Maria Aparecida Bogado Consultor Sebrae Nacional PARCERIAS MPOG - Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão/SLTI CONSAD Conselho Nacional de Secretários

Leia mais

Impactos da Lei Geral (LG) nas Micro e Pequenas Empresas no Brasil

Impactos da Lei Geral (LG) nas Micro e Pequenas Empresas no Brasil Impactos da Lei Geral (LG) nas Micro e Pequenas Empresas no Brasil Observatório das MPEs SEBRAE-SP Março/2008 1 Características da pesquisa Objetivos: Identificar o grau de conhecimento e a opinião dos

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO Nota Técnica elaborada em 01/2014 pela CGAN/DAB/SAS. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NOTA TÉCNICA Nº15/2014-CGAN/DAB/SAS/MS

Leia mais

TELEFONIA FIXA E MÓVEL

TELEFONIA FIXA E MÓVEL DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TELEFONIA FIXA E MÓVEL NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS PLANTA DE TELEFONIA NO BRASIL 2011 Acessos fixos 14,4% Acessos móveis 85,6% FONTE: ANATEL dez/10 PLANTA

Leia mais

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008 (continua) Produção 5 308 622 4 624 012 4 122 416 3 786 683 3 432 735 1 766 477 1 944 430 2 087 995 2 336 154 2 728 512 Consumo intermediário produtos 451 754 373 487 335 063 304 986 275 240 1 941 498

Leia mais

Boletim Informativo. Junho de 2015

Boletim Informativo. Junho de 2015 Boletim Informativo Junho de 2015 Extrato Geral Brasil 1 EXTRATO BRASIL ÁREA ** 397.562.970 ha 227.679.854 ha 57,27% Número de Imóveis cadastrados: 1.727.660 Observações: Dados obtidos do Sistema de Cadastro

Leia mais

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS Nota Técnica 7/13 (7 de Maio) Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira Núcleo de Assuntos Econômico-Fiscais NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS IMPACTOS DA DIVISÃO DO

Leia mais

Relatório Gerencial TECNOVA

Relatório Gerencial TECNOVA Relatório Gerencial TECNOVA Departamento de Produtos Financeiros Descentralizados - DPDE Área de Apoio à Ciência, Inovação, Infraestrutura e Tecnologia - ACIT Fevereiro de 2015 Marcelo Nicolas Camargo

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. As Políticas Públicas de Emprego no Brasil

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. As Políticas Públicas de Emprego no Brasil As Políticas Públicas de Emprego no Brasil 1 Índice 1. Mercado de Trabalho no Brasil 2. FAT Fundo de Amparo ao Trabalhador 2.1. Programas e Ações 2.2. Principais avanços na execução dos Programas e Ações

Leia mais

Entendendo custos, despesas e preço de venda

Entendendo custos, despesas e preço de venda Demonstrativo de Resultados O empresário e gestor da pequena empresa, mais do que nunca, precisa dedicar-se ao uso de técnicas e instrumentos adequados de gestão financeira, para mapear a situação do empreendimento

Leia mais

A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA. -feira

A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA. -feira A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA -feira EM 2014, A ECONOFARMA RETORNA COM UM NOVO OLHAR SOBRE O VAREJO FARMACÊUTICO CENÁRIO ATUAL O varejo nacional projeta otimismo de crescimento para os

Leia mais

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO

Leia mais

Boletim Informativo. Maio de 2015. * Errata: Tabela Fonte de Dados - Por Estado

Boletim Informativo. Maio de 2015. * Errata: Tabela Fonte de Dados - Por Estado Boletim Informativo Maio de 2015 * Errata: Tabela Fonte de Dados - Por Estado Extrato Geral Brasil EXTRATO BRASIL ÁREA ** 397.562.970 ha 212.920.419 ha 53,56 % Número de Imóveis cadastrados: 1.530.443

Leia mais

As Compras Públicas, Simplificação, Sustentabilidade e Micro e Pequenas Empresas. Maurício Zanin Consultor SEBRAE Nacional

As Compras Públicas, Simplificação, Sustentabilidade e Micro e Pequenas Empresas. Maurício Zanin Consultor SEBRAE Nacional As Compras Públicas, Simplificação, Sustentabilidade e Micro e Pequenas Empresas Maurício Zanin Consultor SEBRAE Nacional OBJETIVO DAS NORMAS (linhas da esquerda para a direita) 8.666/93 Lei Geral de

Leia mais

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS SETEMBRO DE 2015 1 2 PRODUTOS PARTICIPAÇÃO NO PIB 2013 Outros Serviços 33,7% Administração, saúde e educação públicas

Leia mais

Termômetro da Consultoria Organizacional e Pesquisa Rápida de Honorários. 9ª edição

Termômetro da Consultoria Organizacional e Pesquisa Rápida de Honorários. 9ª edição Termômetro da Consultoria Organizacional e Pesquisa Rápida de Honorários 9ª edição Av Paulista, 6 Conj 77 Bela Vista CEP -9 São Paulo SP Fone/Fax: 89-5/6 897 ibco@ibcoorgbr - wwwibcoorgbr Agosto de 8 Índice

Leia mais

Também organizamos eventos, seminários, palestras e encontros, de acordo com as possibilidades e necessidades dos nossos associados.

Também organizamos eventos, seminários, palestras e encontros, de acordo com as possibilidades e necessidades dos nossos associados. APRESENTAÇÃO O FDJUR - Fórum de Departamentos Jurídicos tem como objetivo disseminar modelos e ferramentas de gestão para o mercado jurídico empresarial e incentivar os associados ao estudo, desenvolvimento,

Leia mais

Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy

Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy Tabulação dos Resultados da Pesquisa Objetivos: Diagnosticar a situação atual dos municípios

Leia mais

Release Notes. A seguir são apresentadas as funções implementadas na linha de produto TOTVS Service SOA, expedidas neste pacote de atualização.

Release Notes. A seguir são apresentadas as funções implementadas na linha de produto TOTVS Service SOA, expedidas neste pacote de atualização. TSS Notas de Release 2.26 Produto TOTVS Service SOA Versão 11 Data 10/02/14 A seguir são apresentadas as funções implementadas na linha de produto TOTVS Service SOA, expedidas neste pacote de atualização.

Leia mais

Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE

Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE Um total de 131 municípios da região Norte participou do Levantamento Nacional do Transporte Escolar. No Acre, 36% dos municípios responderam

Leia mais

Objetivo do Projeto Articular, organizar e animar uma Rede Nacional

Objetivo do Projeto Articular, organizar e animar uma Rede Nacional Objetivo do Projeto Articular, organizar e animar uma Rede Nacional de Comercialização Solidária constituída por empreendimentos econômicos comerciais feiras permanentes, lojas e centrais/centros públicos

Leia mais

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA ( 44.ª EDIÇÃO ) AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PRESIDENTE Ronaldo Mota Sardenberg CONSELHEIROS Emília

Leia mais

NÚMERO DE ACIDENTES POR DIA DA SEMANA

NÚMERO DE ACIDENTES POR DIA DA SEMANA RODOVIÁRIAS Quadro 13 - UF: ACRE Ano de 211 82 5 6 8 9 5 3 14 4 11 9 4 4 63 2 4 7 6 6 9 4 8 4 4 3 6 68 4 2 8 3 1 8 4 9 2 6 7 5 63 3 6 3 2 13 9 8 7 5 1 5 1 67 4 2 9 6 8 5 5 7 6 6 4 5 85 3 7 1 1 4 7 9 6

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

PROGRAMAS HABITACIONAIS DESENVOLVIMENTO PARA OS MUNICIPIOS. Moradia para as famílias Renda para os trabalhadores Desenvolvimento para Alagoas

PROGRAMAS HABITACIONAIS DESENVOLVIMENTO PARA OS MUNICIPIOS. Moradia para as famílias Renda para os trabalhadores Desenvolvimento para Alagoas Superintendência Regional Alagoas PROGRAMAS HABITACIONAIS DESENVOLVIMENTO PARA OS MUNICIPIOS Moradia para as famílias Renda para os trabalhadores Desenvolvimento para Alagoas ALTERNATIVAS DE SOLUÇÕES PARA

Leia mais

2014 DEZEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos

2014 DEZEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos 2014 DEZEMBRO Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos Elaboração, distribuição e informações: MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Diretoria

Leia mais

1. Consulta de Certificado Digital 1. 2. Modelo de faturamento por Central de Serviços 3. 3 Configuração de informações para Faturamento de pedidos 4

1. Consulta de Certificado Digital 1. 2. Modelo de faturamento por Central de Serviços 3. 3 Configuração de informações para Faturamento de pedidos 4 CONFIGURAÇÃO PEDIDOS 1. Consulta de Certificado Digital 1 2. Modelo de faturamento por Central de Serviços 3 3 Configuração de informações para Faturamento de pedidos 4 4 Faturamento de NF-e pela SEFAZ

Leia mais

I M P O R T A Ç Ã O & E X P O R T A Ç Ã O. www.jetlog.com.br + 55(31) 2551-8240

I M P O R T A Ç Ã O & E X P O R T A Ç Ã O. www.jetlog.com.br + 55(31) 2551-8240 I M P O R T A Ç Ã O & E X P O R T A Ç Ã O EMPRESA INSTITUCIONAL A Jetlog Serviços Empresariais Ltda tem por objetivo oferecer a seus clientes consultoria em logística internacional, despacho aduaneiro,

Leia mais

FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS TRANSPORTES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS TRANSPORTES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Governança Pública. O Desafio do Brasil. Contra a corrupção e por mais desenvolvimento. Governança de Municípios. Março/2015

Governança Pública. O Desafio do Brasil. Contra a corrupção e por mais desenvolvimento. Governança de Municípios. Março/2015 Governança Pública O Desafio do Brasil Contra a corrupção e por mais desenvolvimento Governança de Municípios Março/2015 João Augusto Ribeiro Nardes Ministro do TCU Sumário I. Introdução-OTCUeocombateàcorrupção

Leia mais

Serviço de Acolhimento para Adultos e Famílias: expansão e reordenamento

Serviço de Acolhimento para Adultos e Famílias: expansão e reordenamento Serviço de Acolhimento para Adultos e Famílias: expansão e reordenamento Brasília, 06/03/2014 Contextualização Em 2008, a Pesquisa Nacional sobre a População em Situação de Rua apontou que 76,15% da população

Leia mais

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE?

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? Instrumento que permite o financiamento, por meio de incentivos fiscais, de projetos esportivos aprovados pelo Ministério do Esporte. BASE LEGAL: Lei 11.438/06 -

Leia mais

FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Número 24. Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no Brasil

Número 24. Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no Brasil Número 24 Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no 29 de julho de 2009 COMUNICADO DA PRESIDÊNCIA Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no 2 1. Apresentação Este

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009)

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) População Ocupada 5 a 17 anos 2008 Taxa de Ocupação 2008 Posição no Ranking 2008 População Ocupada 5 a 17

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (julho/2015) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações: SIPNI (nominal e procedência)

Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações: SIPNI (nominal e procedência) Imunizações: SIPNI (nominal e procedência) Desenvolvido a partir de 2009: integra as bases de dados dos Sistemas de registros de aplicadas doses (SI-API), Eventos adversos (SI-EAPV), usuários de imunobiológicos

Leia mais

REGULAMENTO OFERTA PAIS 2013 - OI INTERNET MÓVEL SEM FIDELIZAÇÃO

REGULAMENTO OFERTA PAIS 2013 - OI INTERNET MÓVEL SEM FIDELIZAÇÃO TNL PCS S.A., sociedade com sede na Rua Jangadeiros, n.º 48, cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, inscrita no CNPJ sob o nº. 04.164.616/0001-59, doravante denominada simplesmente Oi, autorizatária

Leia mais

Resultados do 2T09. Teleconferência de Resultados

Resultados do 2T09. Teleconferência de Resultados Resultados do 2T09 Teleconferência de Resultados Destaques do 2T09 2 Destaques do 2T09 em linha com a estratégia geral da Companhia Nossas conquistas do 2T09 são refletidas nos resultados da Companhia

Leia mais

Regulamento Prêmio Sebrae de Jornalismo 6ª edição Nacional

Regulamento Prêmio Sebrae de Jornalismo 6ª edição Nacional Regulamento Prêmio Sebrae de Jornalismo 6ª edição Nacional 1. DOS OBJETIVOS DO PRÊMIO 1.1. O Prêmio Sebrae de Jornalismo (PSJ) é um concurso jornalístico instituído pelo Sebrae Nacional Serviço Brasileiro

Leia mais

Simpósio Estadual Saneamento Básico e Resíduos Sólidos: Avanços Necessários MPRS 20.08.2015

Simpósio Estadual Saneamento Básico e Resíduos Sólidos: Avanços Necessários MPRS 20.08.2015 Simpósio Estadual Saneamento Básico e Resíduos Sólidos: Avanços Necessários MPRS 20.08.2015 O saneamento básico no Brasil não condiz com o país que é a 7ª. economia do mundo da população não possui coleta

Leia mais

CISPED 2013. Álvaro Bahia. Coord Técnico Sistema NF-e. Coordenação Técnica

CISPED 2013. Álvaro Bahia. Coord Técnico Sistema NF-e. Coordenação Técnica CISPED 2013 Álvaro Bahia Coord Técnico Sistema NF-e Coordenação Técnica Tema de Nossa Palestra! Projeto A Terceira Geração da NF-e O Que há de novo por vir? Projeto Visão da Diretoria e Controladores das

Leia mais

EDITAL DE ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DOS CONSELHOS DE USUÁRIOS DA SKY

EDITAL DE ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DOS CONSELHOS DE USUÁRIOS DA SKY EDITAL DE ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DOS CONSELHOS DE USUÁRIOS DA SKY São convocados os senhores Usuários dos serviços de Telecomunicações e as associações ou entidades que possuam em seu objeto social características

Leia mais

PROGRAMA LÍDERES INTERNACIONAIS EM EDUCAÇÃO

PROGRAMA LÍDERES INTERNACIONAIS EM EDUCAÇÃO PROGRAMA LÍDERES INTERNACIONAIS EM EDUCAÇÃO (INTERNATIONAL LEADERS IN EDUCATION PROGRAM ILEP) DESCRIÇÃO DO PROGRAMA: O Programa Líderes Internacionais em Educação (International Leaders in Education Program

Leia mais

e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Associação e a cooperação Micro e Pequeno Empreendedorismo

e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Associação e a cooperação Micro e Pequeno Empreendedorismo e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Micro e Pequeno Empreendedorismo e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Micro e Pequeno Empreendedorismo

Leia mais

Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil. Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas

Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil. Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas As diretrizes estratégicas dão foco ao negócio Perspectivas Simplificar e agilizar a utilização

Leia mais

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - MAIO/2015

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - MAIO/2015 ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - MAIO/2015 O COMÉRCIO VAREJISTA NO BRASIL A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tem

Leia mais

Departamento de Pesquisas Judiciárias RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS. SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009

Departamento de Pesquisas Judiciárias RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS. SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009 RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009 1. Introdução O presente relatório objetiva apresentar os resultados estatísticos obtidos durante o período

Leia mais

EDITAL BOLSA FUNARTE DE INCENTIVO À CRIAÇÃO OU AO APERFEIÇOAMENTO DE NÚMEROS CIRCENSES

EDITAL BOLSA FUNARTE DE INCENTIVO À CRIAÇÃO OU AO APERFEIÇOAMENTO DE NÚMEROS CIRCENSES EDITAL BOLSA FUNARTE DE INCENTIVO À CRIAÇÃO OU AO APERFEIÇOAMENTO DE NÚMEROS CIRCENSES O Presidente da Fundação Nacional de Artes - Funarte, no uso das Atribuições que lhe confere o inciso V artigo 14

Leia mais

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011 SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL COINT - Coordenação-Geral de Análise e Informações das Transferências Financeiras Intergovernamentais TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011

Leia mais

O QUE É. Uma política de governo para redução da pobreza e da fome utilizando a energia como vetor de desenvolvimento. Eletrobrás

O QUE É. Uma política de governo para redução da pobreza e da fome utilizando a energia como vetor de desenvolvimento. Eletrobrás O QUE É Uma política de governo para redução da pobreza e da fome utilizando a energia como vetor de desenvolvimento 1 QUEM SÃO Total de Pessoas: 12.023.703 84% Rural 16% Urbano Total: 10.091.409 Total:

Leia mais

Proposta de Ação nº 987/2014 (Processo nº 48610.008961/2014-14) e nº 988/2014 (Processo nº 48610.006853/2014-15)

Proposta de Ação nº 987/2014 (Processo nº 48610.008961/2014-14) e nº 988/2014 (Processo nº 48610.006853/2014-15) Nota Técnica n o 151 /SAB Rio de Janeiro, 18 de maio de 2015 Assunto: Minutas de resoluções que estabelecem os requisitos necessários à autorização para o exercício da atividade de distribuição e de revenda

Leia mais

Data Custos/Techno Training

Data Custos/Techno Training Apresentação A Data Custos é uma empresa de consultoria e tem como objetivo oferecer soluções integradas, precisas e de fácil aplicabilidade por meio de processos de alinhamento de seus métodos de trabalho

Leia mais

FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE

FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE SUMÁRIO QUEM SOMOS 02 PREMIAÇÕES 03 ONDE ESTAMOS 04 O MODELO QUIOSQUE 06 NOSSO NEGÓCIO 07 MULTIMARCAS 07 MULTISERVIÇOS 08 PERFIL DO FRANQUEADO 09 VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE

Leia mais

Psicólogo: o seu fazer nos interessa!

Psicólogo: o seu fazer nos interessa! Serviço de Enfrentamento à Violência, Abuso e Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes Pesquisa Online Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas Psicólogo: o seu fazer nos

Leia mais

Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional. Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011

Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional. Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011 Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011 Quem ganha com a Guerra Fiscal? O país perde Porque grande parte dos incentivos é concedido a importações

Leia mais

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais