ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar."

Transcrição

1 ATENÇÃO: O material a seguir é parte de uma das aulas da apostila de MÓDULO 3 que por sua vez, faz parte do CURSO de ELETRO ANALÓGICA -DIGITAL que vai do MÓDULO 1 ao 4. A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar. Você poderá adquirir o arquivo digital da apostila completa (16 aulas), ou ainda na forma impressa que será enviada por por correio. Entre na nova loja virtual CTA Eletrônica e veja como: Além de ter a apostila e estuda-la, torne-se aluno e assim poderá tirar dúvidas de cada uma das questões dos blocos atrelados a cada uma das aulas da apostila, receber as respostas por , fazer parte do ranking de módulos e após a conclusão do módulo com prova final, participar do ranking geral e poder ser chamado por empresas do ramo de eletroeletrônica. Saiba mais como se tornar um aluno acessando nossa página de cursos:

2 AULA 11 RÁDIO-RECEPTOR DE AM Uma breve história do rádio e o receptor AM Os estágios do rádio AM Os indutores e capacitores variáveis de sintonia Captação de sinais e heterodinagem A análise detalhada do receptor AM UMA BREVE HISTÓRIA DO RÁDIO Educação a distância Devido à facilidade de acesso, à ampla cobertura e à flexibilidade, o rádio oferece inúmeras possibi- lidades para a educação a distância no desenvol- vimento de programas de educação formal e não formal. Ao utilizar esse recurso aliado às escolas públicas, amplia-se a capacidade de estratégias criativas para uma educação de qualidade chegar o mais longe possível. Esse veículo de comunicação tem como característica seu apelo da fala direta com o público, o contato íntimo entre o ouvinte e o locutor. O rádio cria a oportunidade para uma identificação mútua com a população, integrando-se à rotina cotidiana do ambiente familiar da comunidade, com grande potencial de mobilização e divulgação. Assim, motivado pela cultura da oralidade, pelo seu grande poder de penetração nas áreas rurais - grande parte sem acesso a energia elétrica - e pelos custos mais baixos em relação a outros meios, o rádio é ainda o principal meio de comunicação, justificando-se seu grande potencial de parceria pela educação. Seu uso educacional pode ser realizado utilizando músicas e textos em sessões pedagógicas, auxiliando em diversos conteúdos professores e alunos, que a partir de suas realidades locais, vão definindo estratégias de ensino em suas escolas. Um dos pontos positivos de se ter esse recurso na escola é poder fazer uso das peculiaridades locais Entre as décadas de 1930 a 1950, o rádio viveu sua chamada Era de Ouro, como o principal meio para divulgação de informações, artistas e talentos, junto ao Cinema. A autorização do governo Vargas para a veiculação de publicidade no rádio, em 1932, deu ao novo meio um impulso comercial e popular. No mesmo ano, o governo começou a distribuir concessões de canais a indivíduos e empresas privadas. Em 1934, surgiu a Rádio Mayrink Veiga, no Rio de Janeiro, uma das mais importantes do país por três décadas seguintes. No ano seguinte, foram criadas a Rádio Jornal do Brasil e a Rádio Tupi, duas emissoras históricas que existem até hoje. Em 1936, aparece a Rádio Nacional, que liderou audiência por 20 anos e transformou os padrões de linguagem do rádio brasileiro. réplica do 1º rádio-receptor A organização europeia Na mesma época na Europa, as estações que se interferiam eram de países e línguas diferentes, a regulamentação tinha que ser de caráter internacional. Isso foi feito a partir de 1925 pela União Radiotelegráfica Internacional (URI). Os governos uniram-se, definiram as frequências e o emprego mais eficaz da radiodifusão. A primeira regulamentação entrou em vigor em novembro de O transistor Em 1948, com a invenção do transístor aconteceu uma revolução na radiodifusão, apareceram os receptores portáteis. O rádio passou a substituir os jornais como meio de veiculação de notícias, principalmente em países de grande território e população dispersa. AMPLIFICADORES A, B, C, AB - OSCILADORES - SISTEMAS DE TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO 109

3 em seus conteúdos programáticos, dando a professores e alunos a oportunidade melhorar sua auto estima. Graduação em radialismo Mais recentemente, foi registrado o curso de graduação em Radialismo no qual são formados profissionais aptos a produzir programas de rádio. Segundo o artigo 5 da Constituição Brasileira, que garante a qualquer brasileiro o direito de se comunicar por qualquer meio, e que os meios de comunicação jamais devem ser objetos de monopólio e oligopólio. fonte: Wikipedia RECEPTOR DE AM figura 1 RF AF ANTENA BPF AMPLIF. RF MIX BPF 455kHz DETETETOR FI FI PRÉ POTÊNCIA AM SINTONIZADOR OSCILADOR LOCAL CAG VOLUME SINTONIA RECEPTOR DE RÁDIO AM 110 AMPLIFICADORES A, B, C, AB - OSCILADORES - SISTEMAS DE TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO

4 AMPLIFICADORES A, B, C, AB - OSCILADORES - SISTEMAS DE TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO 111

5 112 AMPLIFICADORES A, B, C, AB - OSCILADORES - SISTEMAS DE TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar.

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar. ATENÇÃO: O material a seguir é parte de uma das aulas da apostila de MÓDULO 2 que por sua vez, faz parte do CURSO de ELETRO ANALÓGICA -DIGITAL que vai do MÓDULO 1 ao 4. A partir da amostra da aula, terá

Leia mais

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar.

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar. ATNÇÃO: O material a seguir é parte de uma das aulas da apostila de MÓDULO 2 que por sua vez, faz parte do URSO de LTROLTRÔNIA ANALÓGIA -DIGITAL que vai do MÓDULO 1 ao 4. A partir da amostra da aula, terá

Leia mais

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar.

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar. ATENÇÃO: O material a seguir é parte de uma das aulas da apostila de MÓDULO 3 que por sua vez, faz parte do CURSO de ELETRO ANALÓGICA -DIGITAL que vai do MÓDULO 1 ao 4. A partir da amostra da aula, terá

Leia mais

ATENÇÃO: O bloco de exercício que verá a seguir, é um dos 64 que pertencem ao módulo 1 do Curso de Eletroeletrônica Analógica e Digital.

ATENÇÃO: O bloco de exercício que verá a seguir, é um dos 64 que pertencem ao módulo 1 do Curso de Eletroeletrônica Analógica e Digital. TENÇÃO: O bloco de exercício que verá a seguir, é um dos 64 que pertencem ao módulo 1 do Curso de Eletroeletrônica nalógica e Digital. partir dele terá uma idéia de onde o treinamento poderá lhe levar.

Leia mais

ATENÇÃO: O bloco de exercício que verá a seguir, é um dos 64 que pertencem ao módulo 1 do Curso de Eletroeletrônica Analógica e Digital.

ATENÇÃO: O bloco de exercício que verá a seguir, é um dos 64 que pertencem ao módulo 1 do Curso de Eletroeletrônica Analógica e Digital. ATENÇÃO: O bloco de exercício que verá a seguir, é um dos 64 que pertencem ao módulo 1 do Curso de Eletroeletrônica Analógica e Digital. A partir dele terá uma idéia de onde o treinamento poderá lhe levar.

Leia mais

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar.

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar. TENÇÃO: O material a seguir é parte de uma das aulas da apostila de MÓDULO 2 que por sua vez, faz parte do CURSO de ELETROELETRÔNIC NLÓGIC DIGITL que vai do MÓDULO 1 ao 4. partir da amostra da aula, terá

Leia mais

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar.

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar. ATEÇÃO: O material a seguir é parte de uma das aulas da apostila de MÓDULO 2 que por sua vez, faz parte do CURO de ELETRO AALÓGICA -DIGITAL que vai do MÓDULO 1 ao 4. A partir da amostra da aula, terá uma

Leia mais

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar.

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar. ATENÇÃO: O material a seguir é parte de uma das aulas da apostila de MÓDULO 3 que por sua vez, faz parte do CURSO de ELETRO ANALÓGICA -DIGITAL que vai do MÓDULO 1 ao 4. A partir da amostra da aula, terá

Leia mais

ATENÇÃO: O bloco de exercício que verá a seguir, é um dos 64 que pertencem ao módulo 1 do Curso de Eletroeletrônica Analógica e Digital.

ATENÇÃO: O bloco de exercício que verá a seguir, é um dos 64 que pertencem ao módulo 1 do Curso de Eletroeletrônica Analógica e Digital. ATENÇÃO: O bloco de exercício que verá a seguir, é um dos 64 que pertencem ao módulo 1 do Curso de Eletroeletrônica Analógica e Digital. A partir dele terá uma idéia de onde o treinamento poderá lhe levar.

Leia mais

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar.

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar. ATENÇÃO: O material a seguir é parte de uma das aulas da apostila de MÓDULO 1 que por sua vez, faz parte do CURSO de ELETROELETRÔNICA ANALÓGICA -DIGITAL que vai do MÓDULO 1 ao 4. A partir da amostra da

Leia mais

Comunicação de informação a longas distâncias. Questão 1: Por que foi Marconi tão importante na história das telecomunicações?

Comunicação de informação a longas distâncias. Questão 1: Por que foi Marconi tão importante na história das telecomunicações? APSA Radiação electromagnética e comunicação Questão 1: Por que foi Marconi tão importante na história das telecomunicações? R: Marconi desenvolveu a tecnologia de produção e receção de ondas eletromagnéticas.

Leia mais

RÁDIO UNIVERSIDADE FM

RÁDIO UNIVERSIDADE FM RÁDIO UNIVERSIDADE FM Histórico Criada em 30 de março de 1974, através da Resolução nº 217/74, a Rádio Universidade (UEL) FM, entrou no ar em 06 de junho de 1990. Em 31 de julho de 2009 voltou a ser Órgão

Leia mais

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STR1 MOURA LACERDA

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STR1 MOURA LACERDA PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STR1 MOURA LACERDA TEORIA Princípios básicos de transmissão a. Sinais de radiofreqüência (RF) Possuem freqüências acima de 100 KHz e são usados pelas emissoras para transportar

Leia mais

Comunicações de Rádio

Comunicações de Rádio Comunicações de Radio EFA Comunicações de Rádio AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE OLIVEIRA DO HOSPITAL EFA SOCIEDADE, TECNOLOGIA E CIÊNCIA HELENA OLIVEIRA Página 1 Índice Comunicações de Rádio... 1 Introdução...

Leia mais

ATENÇÃO: O bloco de exercício que verá a seguir, é um dos 64 que pertencem ao módulo 3 do Curso de Eletroeletrônica Analógica e Digital.

ATENÇÃO: O bloco de exercício que verá a seguir, é um dos 64 que pertencem ao módulo 3 do Curso de Eletroeletrônica Analógica e Digital. ATENÇÃO: O bloco de exercício que verá a seguir, é um dos 64 que pertencem ao módulo 3 do Curso de Eletroeletrônica Analógica e Digital. A partir dele terá uma idéia de onde o treinamento poderá lhe levar.

Leia mais

RECEPTOR AM DSB. Transmissor. Circuito Receptor AM DSB - Profº Vitorino 1

RECEPTOR AM DSB. Transmissor. Circuito Receptor AM DSB - Profº Vitorino 1 RECEPTOR AM DSB Transmissor Circuito Receptor AM DSB - Profº Vitorino 1 O receptor super-heteródino O circuito demodulador que vimos anteriormente é apenas parte de um circuito mais sofisticado capaz de

Leia mais

Módulo 3 Técnicas para envolvimento. 3c Comunicação estratégica

Módulo 3 Técnicas para envolvimento. 3c Comunicação estratégica Módulo 3 Técnicas para envolvimento 3c Comunicação estratégica No Módulo 3c... Porquê e o que comunicar? Comunicação eficaz Uso de redes Ser estratégico Sessão de trabalho Porquê e o que comunicar? A comunicação,

Leia mais

Figura - Radio em 1920.

Figura - Radio em 1920. Curiosidade: Muitos dos primeiros receptores AM com alimentação AC (para as válvulas) funcionavam com o chassi ligado ao neutro da rede (como terra), freqüentemente, ao se inverter a posição da tomada,

Leia mais

Teoria Geral de Osciladores

Teoria Geral de Osciladores Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Departamento Acadêmico de Eletrônica Osciladores e Multivibradores Teoria Geral de Osciladores Florianópolis, março de 2012. Prof.

Leia mais

COELBA COMPANHIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA BAHIA REGULAMENTO DE PATROCÍNIO DOS PROJETOS CULTURAIS

COELBA COMPANHIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA BAHIA REGULAMENTO DE PATROCÍNIO DOS PROJETOS CULTURAIS COELBA COMPANHIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA BAHIA REGULAMENTO DE PATROCÍNIO DOS PROJETOS CULTURAIS A Coelba, uma empresa do Grupo Neoenergia, tem consciência do seu importante papel na melhoria da qualidade

Leia mais

Ambientes Virtuais de Aprendizagem na Educação Superior. Por: Diana da Silva Alves Santana

Ambientes Virtuais de Aprendizagem na Educação Superior. Por: Diana da Silva Alves Santana Ambientes Virtuais de Aprendizagem na Educação Superior Por: Diana da Silva Alves Santana INTRODUÇÃO A educação superior presencial vem perdendo espaço para o ciberespaço. As plataformas ou ambientes virtuais

Leia mais

A Rede Gerais de Rádio foi criada com o objetivo de integrar Minas Gerais e unir os mineiros pelo rádio.

A Rede Gerais de Rádio foi criada com o objetivo de integrar Minas Gerais e unir os mineiros pelo rádio. A Rede Gerais de Rádio foi criada com o objetivo de integrar Minas Gerais e unir os mineiros pelo rádio. A REDE Temos atualmente 10 emissoras próprias. Breve vamos instalar mais duas. Fazem parte da REDE

Leia mais

TABAJARA FM. Programação

TABAJARA FM. Programação Janeiro a junho 2017 HISTÓRIA A Rede de Rádios Tabajara é formada por duas emissoras de rádio sediadas em João Pessoa, capital da Paraíba, e transmitem nas frequências 1110 khz AM e 105,5 MHz FM. Esse

Leia mais

Contexto Histórico da Comunicação Social em Caxias do Sul_. Paulo Cancian_

Contexto Histórico da Comunicação Social em Caxias do Sul_. Paulo Cancian_ Contexto Histórico da Comunicação Social em Caxias do Sul_ Paulo Cancian_ ZYOFFSETTV.COM_ Contexto Histórico da Comunicação Social em Caxias do Sul_02 ZYOFFSETTV.COM_ Áreas Meio eletrônico (rádio, TV geração

Leia mais

Interprograma vivendo a arte 1. Sofia Frazão Suplicy 2 Suyanne Tolentino de Souza 3. Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, PR

Interprograma vivendo a arte 1. Sofia Frazão Suplicy 2 Suyanne Tolentino de Souza 3. Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, PR Interprograma vivendo a arte 1 Sofia Frazão Suplicy 2 Suyanne Tolentino de Souza 3 Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, PR 1 Trabalho submetido ao XIX Expocom, na categoria A Audiovisual,

Leia mais

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar.

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar. ATENÇÃO: O material a seguir é parte de uma das aulas da apostila de MÓDULO 3 que por sua vez, faz parte do CURSO de ELETRO ANALÓGICA -DIGITAL que vai do MÓDULO 1 ao 4. A partir da amostra da aula, terá

Leia mais

POWER LINE COMMUNICATION: A rede na tomada

POWER LINE COMMUNICATION: A rede na tomada INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL - IFRS CÂMPUS PORTO ALEGRE CURSO REDES DE COMPUTADORES ELETRICIDADE APLICADA PROFESSOR: SÉRGIO MITTMANN DOS SANTOS POWER LINE COMMUNICATION:

Leia mais

CURSO: JORNALISMO EMENTAS º PERÍODO

CURSO: JORNALISMO EMENTAS º PERÍODO CURSO: JORNALISMO EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: TEORIAS DA COMUNICAÇÃO Estudo do objeto da Comunicação Social e suas contribuições interdisciplinares para constituição de uma teoria da comunicação.

Leia mais

Curso Técnico em Eletrônica Subsequente CAMPUS FLORIANÓPOLIS Instrumentos Regulatórios: Resolução CEPE/IFSC nº 27, de 19 de junho de 2015.

Curso Técnico em Eletrônica Subsequente CAMPUS FLORIANÓPOLIS Instrumentos Regulatórios: Resolução CEPE/IFSC nº 27, de 19 de junho de 2015. Curso Técnico em Eletrônica Subsequente CAMPUS FLORIANÓPOLIS Instrumentos Regulatórios: Resolução CEPE/IFSC nº 27, de 19 de junho de 2015. GRADE CURRICULAR Módulo 1 Carga horária total: 320h Eletricidade

Leia mais

FLEXIBILIZAÇÃO DO PROGRAMA A VOZ DO BRASIL

FLEXIBILIZAÇÃO DO PROGRAMA A VOZ DO BRASIL AUDIÊNCIA PÚBLICA FLEXIBILIZAÇÃO DO PROGRAMA A VOZ DO BRASIL Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Paulo Machado de Carvalho Neto Membro do Conselho Superior Brasília, 24/10/2007

Leia mais

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar.

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar. ATENÇÃO: O material a seguir é parte de uma das aulas da apostila de MÓDULO 1 que por sua vez, faz parte do CURSO de ELETRO ANALÓGICA -DIGITAL que vai do MÓDULO 1 ao 4. A partir da amostra da aula, terá

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA LISTA DE EXERCICIOS #8 (1) FONTE DE CORRENTE a) Determine Io. b) Calcule

Leia mais

AUTOR(ES): FELIPE VALEZI RODRIGUES, HILBERTO EMMANUEL PEREIRA SILVA, LUCAS D`AMICO CHIODA, MARIA CLARA DINIZ BORGES SOARES

AUTOR(ES): FELIPE VALEZI RODRIGUES, HILBERTO EMMANUEL PEREIRA SILVA, LUCAS D`AMICO CHIODA, MARIA CLARA DINIZ BORGES SOARES TÍTULO: FUNÇÃO SOCIAL E LINGUAGEM DO JORNAL NACIONAL CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: COMUNICAÇÃO SOCIAL INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO PRETO AUTOR(ES): FELIPE VALEZI

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS DIRETORIA DE COMUNICAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS DIRETORIA DE COMUNICAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS DIRETORIA DE COMUNICAÇÃO EDITAL Nº 02/2011 CHAMADA PÚBLICA GRUPO DE TRABALHO RÁDIO UFT EDUCATIVA A Universidade Federal do Tocantins, por meio

Leia mais

PROJETO: Projeto Juntando os Cacos :

PROJETO: Projeto Juntando os Cacos : ESCOLA ESTADUAL MARECHAL RONDON PROJETO: Projeto Juntando os Cacos : Produção e Divulgação de Textos, vídeos, entrevistas. Nova Andradina-MS Setembro de 2014 ESCOLA ESTADUAL MARECHAL RONDON PROJETO: Projeto

Leia mais

A VERDES MARES PRESTANDO SERVIÇOS A SOCIEDADE!

A VERDES MARES PRESTANDO SERVIÇOS A SOCIEDADE! A VERDES MARES PRESTANDO SERVIÇOS A SOCIEDADE! RÁDIO AM 810 57 anos no ar, líder entre as rádios AM e uma das maiores audiências entre as rádios FM. Essa é a Rádio Verdes Mares, a rádio AM mais ouvida

Leia mais

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar.

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar. ATENÇÃO: O material a seguir é parte de uma das aulas da apostila de MÓDULO 2 que por sua vez, faz parte do CURSO de ELETRO ANALÓGICA -DIGITAL que vai do MÓDULO 1 ao 4. A partir da amostra da aula, terá

Leia mais

CONTIGO! é referência em premiações artísticas. Prestigia as artes cênicas e a música, assim como o talento de seus artistas, por meio dos prêmios CON

CONTIGO! é referência em premiações artísticas. Prestigia as artes cênicas e a música, assim como o talento de seus artistas, por meio dos prêmios CON CONTIGO! é referência em premiações artísticas. Prestigia as artes cênicas e a música, assim como o talento de seus artistas, por meio dos prêmios CONTIGO!, com o reconhecimento de toda a classe artística.

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCE UFV ENGENHARIA ELÉTRICA. COORDENADOR Leonardo Bonato Félix

Currículos dos Cursos do CCE UFV ENGENHARIA ELÉTRICA. COORDENADOR Leonardo Bonato Félix 264 ENGENHARIA ELÉTRICA COORDENADOR Leonardo Bonato Félix leobonato@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2014 265 Engenheiro Eletricista ATUAÇÃO O curso de Engenharia Elétrica da UFV oferece a seus estudantes

Leia mais

PROGRAMAÇÃO REGIONAL

PROGRAMAÇÃO REGIONAL PROGRAMAÇÃO REGIONAL Quem é a televisão aberta no Brasil? A televisão é o segundo item mais importante na casa do brasileiro(*): Fogão 98,6% Televisão 96,9% Geladeira 95,8% Rádio 83,4% Computador 42,9%

Leia mais

O Planejamento de Mídia é um processo que indica um modo de ação que mostra como o tempo e o espaço publicitário serão usados para atingir os

O Planejamento de Mídia é um processo que indica um modo de ação que mostra como o tempo e o espaço publicitário serão usados para atingir os O Planejamento de Mídia é um processo que indica um modo de ação que mostra como o tempo e o espaço publicitário serão usados para atingir os objetivos de publicidade e de marketing. Do que é basicamente

Leia mais

Sistema de Gestão pela Qualidade Total

Sistema de Gestão pela Qualidade Total Sistema de Gestão pela Qualidade Total Marketing Márcia Elisa Garcia de Grandi megrandi@usp.br Rosa Maria Fischi rmfzani@usp.br Marketing Definições Marketing é a entrega de satisfação para o cliente em

Leia mais

Data: Horário: Turma: Turno: Grupo: Aluno N : Nome: Aluno N : Nome: Aluno N : Nome:

Data: Horário: Turma: Turno: Grupo: Aluno N : Nome: Aluno N : Nome: Aluno N : Nome: Data: Horário: Turma: Turno: Grupo: 3. DIMENSIONAMENTO Esta secção visa preparar os alunos para as experiências que irão realizar no laboratório. Todos os grupos terão de no início da sessão de laboratório

Leia mais

REDE DE PONTOS DE CULTURA DE GOVERNADOR VALADARES - MG

REDE DE PONTOS DE CULTURA DE GOVERNADOR VALADARES - MG TÍTULO DO PROJETO Área Predominante: (Marque um x nas áreas que seu projeto mais se identifica) CULTURAS POPULARES ( ) Tradição Oral ( ) Artesanato ( ) Manifestações culturais ( ) Contador de Histórias

Leia mais

Aluno(a): / / Cidade Polo: CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA PESQUISA E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (PED)

Aluno(a): / / Cidade Polo:   CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA PESQUISA E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (PED) Aluno(a): / / Cidade Polo: E-mail: CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA PESQUISA E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (PED) Preencha o GABARITO: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Observação: Nesta atividade há 10 (dez) questões de múltipla

Leia mais

Currículos dos Cursos UFV ENGENHARIA ELÉTRICA. COORDENADOR Leonardo Bonato Felix

Currículos dos Cursos UFV ENGENHARIA ELÉTRICA. COORDENADOR Leonardo Bonato Felix 134 ENGENHARIA ELÉTRICA COORDENADOR Leonardo Bonato Felix leobonato@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2013 135 Engenheiro Eletricista ATUAÇÃO O curso de Engenharia Elétrica da UFV oferece a seus estudantes

Leia mais

Trabalhe em casa Formula Negócio Online

Trabalhe em casa Formula Negócio Online ÍNDICE SUMARIO Como impulsionar seu blog ecommer... 3 1. Conhecer seu público... 4 2. Conteúdo foco nas necessidades de seus clientes... 5 3. A consistência é crítica... 6 4. Rede... 7 5. Promover o seu

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações Gerência de Certificação - RFCEC/RFCE/SRF SÍNTESE DO ESCOPO DA ACREDITAÇÃO

Agência Nacional de Telecomunicações Gerência de Certificação - RFCEC/RFCE/SRF SÍNTESE DO ESCOPO DA ACREDITAÇÃO Laboratório LABELO/PUCRS Acreditação n CRL 0075 Produto Ensaios acreditados Norma e/ou procedimento Alarme para linha telefônica Modem analógico Equipamento de fac-simile Telefone de assinante Telefone

Leia mais

Projeto de Automação I

Projeto de Automação I Projeto de Automação I 14/06/2010 Paulo Oshiro 1 SISTEMAS AUTOMATIZADOS Evolução da Eletrônica; Substituição da tomada de decisão; Controles e auto-correções através de sensoriamento e ações similares

Leia mais

Nenhum a Menos: Integração de um Povo que viveu debaixo das Estrelas... Comunicação Maria Helena Carvalho Dias Pereira

Nenhum a Menos: Integração de um Povo que viveu debaixo das Estrelas... Comunicação Maria Helena Carvalho Dias Pereira Nenhum a Menos: Integração de um Povo que viveu debaixo das Estrelas... Comunicação Maria Helena Carvalho Dias Pereira Nenhum a Menos: Integração de um Povo que viveu debaixo das Estrelas Objectivo da

Leia mais

REDES COMPUTADORES. Camada Física Parte 2

REDES COMPUTADORES. Camada Física Parte 2 REDES COMPUTADORES Camada Física Parte 2 Agenda Transmissão Digital Analógica 1. Dados Digitais 2. Dados Analógicos 3. Dados Digitais Dados Analógicos Codificação Linha PAM ASK AM Codificação Bloco PCM

Leia mais

ESPECIAL CARNAVAL FEVEREIRO 2017

ESPECIAL CARNAVAL FEVEREIRO 2017 ESPECIAL CARNAVAL FEVEREIRO 2017 Fonte Ipsos: Estudos Marplan EGM Rural Consolidado de 2013 - Universo: Todas as Culturas e Pecuárias (2581) Assistiu Canal Rural nos últimos 7 Dias (1144) Faixas horárias

Leia mais

IMPORTÂNCIA DO TEMA, NA PERSPETIVA DA ORGANIZAÇÃO E DOS SEUS STAKEHOLDERS

IMPORTÂNCIA DO TEMA, NA PERSPETIVA DA ORGANIZAÇÃO E DOS SEUS STAKEHOLDERS Missão POWER UP ÍNDICE ENQUADRAMENTO 3 CONTEXTO 3 IMPORTÂNCIA DO TEMA, NA PERSPETIVA DA ORGANIZAÇÃO E DOS SEUS STAKEHOLDERS 4 DESCRIÇÃO 4 ESTRUTURA DO PROJETO 5 RESULTADOS ATINGIDOS 6 CONCLUSÕES 6 REFERÊNCIAS

Leia mais

A nossa metodologia consegue atender a rotina corrida das pessoas hoje em dia, pois é um curso com método rápido, flexível e 100% prático.

A nossa metodologia consegue atender a rotina corrida das pessoas hoje em dia, pois é um curso com método rápido, flexível e 100% prático. Apresentação A Minds English School é uma Franquia especializada no ensino do idioma inglês, conta atualmente com 80 unidades espalhadas em todo o Brasil e 04 unidades somente no Estado do Espirito Santo,

Leia mais

Comércio Eletrônico. Edy Hayashida

Comércio Eletrônico. Edy Hayashida Comércio Eletrônico Edy Hayashida E-mail: edy.hayashida@uol.com.br Estatística 2 9/14/2011 Estatística 3 9/14/2011 Introdução Comércio: o fato de vender mercadorias; ato de comprar mercadorias para as

Leia mais

Conversão Analógica - Digital. Keylly Eyglys Orientação: Adrião Duarte

Conversão Analógica - Digital. Keylly Eyglys Orientação: Adrião Duarte Conversão Analógica - Digital Keylly Eyglys Orientação: Adrião Duarte Motivação Existem inúmeras técnicas de processamento de digital de sinais Para se armazenar um sinal, ele deve estar na forma digital

Leia mais

Ferramentas de Marketing

Ferramentas de Marketing Pesquisa de Mercado, Treinamento de Vendas, Consultoria em Marketing SMGShare Marketing Group Ferramentas de Marketing O SMG presta consultoria para a adoção de Ferramentas de Marketing, auxiliando na

Leia mais

SISTEMA DE TREINAMENTO EM COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA Modelo: ED-2950

SISTEMA DE TREINAMENTO EM COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA Modelo: ED-2950 SISTEMA DE TREINAMENTO EM COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA Modelo: DESCRIÇÃO O sistema de treinamento em comunicação apresenta experimentos planejados para desenvolver comunicações eletrônicas fundamentais. O é

Leia mais

Kit Educacional Multidisciplinar

Kit Educacional Multidisciplinar Kit Educacional Multidisciplinar - Produto Nacional e inovador. - Ampla cobertura de práticas na execução de cursos nas modalidades de aperfeiçoamento técnico, habilitação técnica e graduação. - Dispõe

Leia mais

MANUAL PASSO-A-PASSO DISCIPLINAS ONLINE

MANUAL PASSO-A-PASSO DISCIPLINAS ONLINE MANUAL PASSO-A-PASSO OPERAÇÕES BÁSICAS DISCIPLINAS ONLINE BARBACENA 2014 2º Semestre 1 Sumário Acessando o Ambiente Virtual de Aprendizagem - AVA... 4 Utilizando o Portal Acadêmico... 6 Avaliação de Desempenho...

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CAMPUS

FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CAMPUS FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Princípios de Comunicações Aulas 05 e 06 Milton Luiz Neri Pereira (UNEMAT/FACET/DEE) 1 Fonte de informação

Leia mais

Radiodifusão Sonora Digital

Radiodifusão Sonora Digital 1 Radiodifusão Sonora Digital Lúcio Martins da Silva AUDIÊNCIA PÚBLICA COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA SENADO FEDERAL ASSUNTO: A ADOÇÃO DE UMA NOVA TECNOLOGIA PARA

Leia mais

Questões abordadas - Comunicação

Questões abordadas - Comunicação AULA 13 Marketing Questões abordadas - Comunicação Quais são as etapas envolvidas no desenvolvimento de um programa de propaganda? Como as decisões sobre promoção de vendas devem ser realizadas? Quais

Leia mais

Pontos importantes da metodologia - EI e EF I

Pontos importantes da metodologia - EI e EF I Pontos importantes da metodologia - EI e EF I Cada segmento tem sua característica Educação Infantil: - desenvolvimento dos padrões de aprendizagem. Ensino Fundamental: - domínio de conceitos essenciais

Leia mais

OPORTUNIDADES DE ESTÁGIO

OPORTUNIDADES DE ESTÁGIO da Vaga Nº da 2003 Curso(s): Administração Auxiliar na preparação de documentos administrativos; Auxiliar na elaboração de relatórios em geral, relativos a informações não protegidas por sigilo fiscal;

Leia mais

Título Povos indígenas e o setor elétrico Veículo Planeta Sustentável- Editora Abril Data 26 Junho 2013 Autor Claudio J. D. Sales

Título Povos indígenas e o setor elétrico Veículo Planeta Sustentável- Editora Abril Data 26 Junho 2013 Autor Claudio J. D. Sales Título Povos indígenas e o setor elétrico Veículo Planeta Sustentável- Editora Abril Data 26 Junho 2013 Autor Claudio J. D. Sales Povos indígenas e o setor elétrico http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/desenvolvimento/povos-indigenas-setor-eletrico-claudiosalles-745157.shtml

Leia mais

Circuitos do Receptor Super-Heteródino de AM: Parte 1

Circuitos do Receptor Super-Heteródino de AM: Parte 1 Circuitos do Receptor Super-Heteródino de AM: Parte 1 Receptor regenerativo Radiodifusão em AM: ondas médias Faixa entre 535 khz e 1650 khz Largura de banda de áudio: W = 5 khz Largura de banda de AM:

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA PLANO DE AÇÃO 2014

ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA PLANO DE AÇÃO 2014 ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA PLANO DE AÇÃO 2014 NOVA ANDRADINA MS DEZEMBRO/2013 ESCOLA IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA PLANO DE AÇÃO 2014 Plano de ações previstas a serem executadas no

Leia mais

Fundamentos da Informática e comunicação de dados

Fundamentos da Informática e comunicação de dados Fundamentos da informática e comunicação de dados Cursos de Tecnologias Aula 4 Modulação Prof. Oswaldo Flório Filho Profª. Alice Flora Madeira Ribeiro Conteúdo 1. Modulação... 3 2. Modulação AM... 4 3.

Leia mais

Streaming. Por Gloria Braga

Streaming. Por Gloria Braga Streaming Por Gloria Braga O STREAMING é uma tecnologia de transmissão O streaming não é uma forma nova de utilização musical, mas tão somente uma nova forma de se transmitir arquivos de conteúdo variável,

Leia mais

20 anos publicidade propaganda design produção de imagem CRIATIVA RÁPIDA

20 anos publicidade propaganda design produção de imagem CRIATIVA RÁPIDA PUBLICIDADE CAMPINAS Atuando há mais de 20 anos no Mercado de Campinas e Região e oferecendo soluções em publicidade, propaganda, design (criação de sites) e produção de imagem (arte gráfica). Nossas soluções

Leia mais

APOSTILA ELETRÔNICA GERAL MÓDULO - 3

APOSTILA ELETRÔNICA GERAL MÓDULO - 3 APOSTILA GERAL figura 20 R1 VOLT/DIV TIME/DIV 0,1V 0,2mS 180W Amplificador de baixa potência com controle de corrente de repouso feito por dois diodos, que equilibram a corrente circulante pelos transistores

Leia mais

COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA SENADO FEDERAL

COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, SENADO FEDERAL AS CONSEQUÊNCIAS DA ALOCAÇÃO DA BANDA DE FREQUÊNCIA EM 700 MHz, ATUALMENTE OCUPADA PELA TV ABERTA, E A ELABORAÇÃO DO EDITAL DE LICITAÇÃO PARA OS

Leia mais

8 de agosto de 2011 Brasília 16/08/2011 1

8 de agosto de 2011 Brasília 16/08/2011 1 MOBILIZAÇÃO SOCIAL, CAMPANHAS E ARTICULAÇÃO EM REDE Daniela Guedes 8 de agosto de 2011 Brasília 16/08/2011 1 Por que mobilizar? Melhores práticas em implantação de políticas públicas eficazes contam com

Leia mais

Renata Benevides e Karla Rodrigues

Renata Benevides e Karla Rodrigues Resultado da união profissional das jornalistas Renata Benevides e Karla Rodrigues, a Capuchino Press traz a experiência de quem já esteve do outro lado da imprensa, trabalhando em jornais, TVs e revistas.

Leia mais

P U B L I C A Ç Ã O N º N O V E M B R O

P U B L I C A Ç Ã O N º N O V E M B R O P U B L I C A Ç Ã O N º 1 1 8 N O V E M B R O 2 0 0 9 Online Marketing PONTOS DE INTERESSE: O que é? Vantagens Marketing Online, também conhecido como I-Marketing, Web Marketing ou E-Marketing, é o marketing

Leia mais

Associado ao que há de melhor. Associado a você.

Associado ao que há de melhor. Associado a você. CAMPANHA nacional Cartilha eletrônica Associado ao que há de melhor. Associado a você. I - APRESENTAÇÃO Simples, prático e objetivo, este guia visa facilitar as consultas e a busca de informações sobre

Leia mais

Seja bem vindo! GIOVANNI MOCKUS Diretor Executivo

Seja bem vindo! GIOVANNI MOCKUS Diretor Executivo Nesse momento de crise política e econômica, percebe-se uma necessidade do mercado, tanto público quanto privado, pela prestação de serviços voltados para a capacitação profissional, técnicas de gestão,

Leia mais

FILTRO PASSA BANDA PARA A FAIXA DE 6 METROS

FILTRO PASSA BANDA PARA A FAIXA DE 6 METROS FILTRO PASSA ANDA PARA A FAIXA DE 6 METROS PU2XEA por Lúcio A. Magalhães Filho 1. INTRODUÇÃO A necessidade de se usar um filtro para a banda de 6 metros ficou evidente quando percebi que certos transceptores

Leia mais

CCNA 1 Conceitos de Rede. Kraemer

CCNA 1 Conceitos de Rede. Kraemer CCNA 1 Conceitos de Rede Conceitos de Rede Breve história das redes de dados Dispositivos de rede Topologias Protocolos de rede Redes locais Redes de longa distância Redes metropolitanas Redes de área

Leia mais

Promoção Comunicação

Promoção Comunicação Promoção Comunicação 1 Propaganda, Promoção de Vendas e Publicidade 2 3 Mix de Comunicação de Marketing ou Mix de Promoção Consiste em uma composição de instrumentos de comunicação como propaganda, venda

Leia mais

Emissora O cial. Dpto. Comercial: (62)

Emissora O cial. Dpto. Comercial: (62) Dpto. Comercial: (62) 3311-9408 www.radio96fm.net Rádio 96fm Líder em audiência há mais de 40 anos, a 96 FM supera como emissora. Presente em mais de 85 municípios do estado, ela possui maior audiência

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA CURRÍCULO PLENO BACHARELADO 1 CICLO/MÓDULO A Ciências Exatas I Cálculo Diferencial 06 0 06 120 Desenho Técnico 0 02 02 40 Física I Mecânica da Partícula 04 02 06 120 Projeto

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA DE HABITAÇÃO E SANEAMENTO AMBIENTAL

PLANO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA DE HABITAÇÃO E SANEAMENTO AMBIENTAL PLANO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA DE HABITAÇÃO E SANEAMENTO AMBIENTAL OUTUBRO/2009 Experiências de Conselhos e Planos Locais de Habitação

Leia mais

LISTA DE REFERÊNCIA DE PRODUTOS PARA TELECOMUNICAÇÕES POR FAMÍLIA CATEGORIA I

LISTA DE REFERÊNCIA DE PRODUTOS PARA TELECOMUNICAÇÕES POR FAMÍLIA CATEGORIA I LISTA DE REFERÊNCIA DE PARA TELECOMUNICAÇÕES POR FAMÍLIA FAMÍLIAS DE CATEGORIA I BATERIAS DE LÍTIO CARREGADORES CARTÃO INDUTIVO PARA TELEFONE DE USO PÚBLICO CENTRAIS PRIVADAS DE COMUTAÇÃO TELEFÔNICA CABOS

Leia mais

Introdução 5. Amplificador em base comum 6. Princípio de funcionamento 8 Com sinal de entrada positivo 8 Com sinal de entrada negativo 10

Introdução 5. Amplificador em base comum 6. Princípio de funcionamento 8 Com sinal de entrada positivo 8 Com sinal de entrada negativo 10 Sumário Introdução 5 Amplificador em base comum 6 Princípio de funcionamento 8 Com sinal de entrada positivo 8 Com sinal de entrada negativo 10 Parâmetros do estágio amplificador em base comum 12 Ganho

Leia mais

PROJETO LIBRAS. 1. TÍTULO Curso de Formação Continuada em Língua Brasileira de Sinais:

PROJETO LIBRAS. 1. TÍTULO Curso de Formação Continuada em Língua Brasileira de Sinais: 3 PROJETO LIBRAS 1. TÍTULO Curso de Formação Continuada em Língua Brasileira de Sinais: 2. NATUREZA DO PROJETO Curso de Extensão 3. IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE Professor Sérgio Vaz Mendes 4. ÁREA RESPONSÁVEL

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA CURRÍCULO PLENO BACHARELADO 1 CICLO/MÓDULO A Ciências Exatas I Álgebra Linear 02 0 02 40 Cálculo Diferencial e Integral I 04 0 04 80 Cálculo Vetorial e Geometria Analítica

Leia mais

PLANO DE COMUNICAÇÃO. Agrupamento de Escolas Rio Arade. Ano letivo 2012/2013 [Escolha a data] Agrupamento de Escolas Rio Arade

PLANO DE COMUNICAÇÃO. Agrupamento de Escolas Rio Arade. Ano letivo 2012/2013 [Escolha a data] Agrupamento de Escolas Rio Arade Agrupamento de Escolas Rio Arade PLANO DE COMUNICAÇÃO Ano letivo 2012/2013 [Escolha a data] 1 / 7 Índice Nota introdutória... 3 O que se pretende?... 4 Instrumentos... 5 Objetivos... 6 Monitorização e

Leia mais

Curso Técnico Subsequente em Materiais Didáticos Bilíngue (Libras/Português) MATRIZ CURRICULAR. Móduloe 1 Carga horária total: 400h

Curso Técnico Subsequente em Materiais Didáticos Bilíngue (Libras/Português) MATRIZ CURRICULAR. Móduloe 1 Carga horária total: 400h Curso Técnico Subsequente em Materiais Didáticos Bilíngue (Libras/Português) CÂMPUS PALHOÇA BILÍNGUE MATRIZ CURRICULAR Móduloe 1 Carga horária total: 400h Projeto Integrador I 40 Não tem Aprendizagem Infantil

Leia mais

Comunicação Empresarial. Prof.: : Alexandre Lozi

Comunicação Empresarial. Prof.: : Alexandre Lozi Comunicação Empresarial Prof.: : Alexandre Lozi Helton Klinthon Lucas Arantes Danilo Divanni Joselito Vila Boa Rafael Comunicação nas empresas Comunicação empresarial Definição: - Comunicação empresarial

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL MARIA JOSÉ Roteiro de Estudos da 2ª Unidade º ANO A

CENTRO EDUCACIONAL MARIA JOSÉ Roteiro de Estudos da 2ª Unidade º ANO A CENTRO EDUCACIONAL MARIA JOSÉ Roteiro de Estudos da 2ª Unidade 2016 8º ANO A 1 Empreendedores são aqueles que entendem que há uma pequena diferença entre obstáculos e oportunidades e são capazes de transformar

Leia mais

Redes de Computadores.

Redes de Computadores. Redes de Computadores www.profjvidal.com REDES PONTO-A-PONTO E CLIENTE-SERVIDOR REDES DE COMPUTADORES Uma rede de computadores é formada por um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações

Leia mais

PROJETO MÚSICA NO CRUZEIRO

PROJETO MÚSICA NO CRUZEIRO PROJETO MÚSICA NO CRUZEIRO Centro de Artes, Esportes e Cultura Integradas do Cruzeiro Esporte Clube Um projeto de cultura e esportes para Honório Bicalho Projeto de captação de patrocinadores O Projeto

Leia mais

Brasília Novembro de Flávio Ferreira Lima Engenheiro do Ministério das Comunicações

Brasília Novembro de Flávio Ferreira Lima Engenheiro do Ministério das Comunicações Brasília Novembro de 2012. Flávio Ferreira Lima Engenheiro do Ministério das Comunicações Oportunidades do Rádio Digital Tendências & Inovações Considerações sobre a Implementação Oportunidades Oportunidades

Leia mais

Construção de FANZINE Nuria Meurer

Construção de FANZINE Nuria Meurer Construção de FANZINE Nuria Meurer Agradecimento. Quero agradecer aos professores que participaram deste trabalho, levando novas formas de aprendizagem, iniciando o processo de autoria na produção da Fanzine

Leia mais

Horário Segunda-Feira Terça-Feira Quarta-Feira Quinta-Feira Sexta-Feira Sábado VESPERTINO NOTURNO

Horário Segunda-Feira Terça-Feira Quarta-Feira Quinta-Feira Sexta-Feira Sábado VESPERTINO NOTURNO Série: 1ª Período: 1º Turno: Noturno Turma: 01 14h:55~15h10 Intervalo Intervalo Intervalo Intervalo Intervalo 06859-INSERÇÃO DO ALUNO NA VIDA UNIVERSITÁRIA 06859-INSERÇÃO DO ALUNO NA VIDA UNIVERSITÁRIA

Leia mais

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar.

ATENÇÃO: A partir da amostra da aula, terá uma idéia de onde o treinamento de eletroeletrônica poderá lhe levar. ATENÇÃO: O material a seguir é parte de uma das aulas da apostila de MÓDULO 1 que por sua vez, faz parte do CURSO de ELETRO ANALÓGICA -DIGITAL que vai do MÓDULO 1 ao 4. A partir da amostra da aula, terá

Leia mais

Normas Gramaticais da Língua Portuguesa AULA 1. Temas: Tipos de Textos Níveis de Linguagens

Normas Gramaticais da Língua Portuguesa AULA 1. Temas: Tipos de Textos Níveis de Linguagens Normas Gramaticais da Língua Portuguesa AULA 1 Temas: Tipos de Textos Níveis de Linguagens Como você deve recordar, iniciamos o módulo de Redação Oficial comentando sobre o que é o texto, isto é, uma unidade,

Leia mais

LAZER E CULTURA DIGITAL

LAZER E CULTURA DIGITAL GESTÃO DESPORTIVA E DO LAZER LAZER E CULTURA DIGITAL Prof. Carlos Café Dias Da cultura oral e escrita à cultura das mídias digitais EVOLUÇÃO DA CULTURA A era digital e as novas tecnologias revolucionaram

Leia mais