Relações ecológicas. Relações intraespecíficas harmônicas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relações ecológicas. Relações intraespecíficas harmônicas"

Transcrição

1 Relações ecológicas Nenhum ser vivo está sozinho neste planeta, todos os seres vivos se relacionam seja com seres da própria espécie ou com seres de outras espécies. Essas relações são muito importantes para o equilíbrio dos ecossistemas, desordens em algumas relações podem ocasionar a superpopulação de algumas espécies ou até mesmo a extinção de outras. Veremos que as relações são variadas e com exemplos curiosos, mas, para classificarmos as relações ecológicas, necessitamos aprender quatro conceitos: Relação intraespecífica ou homotípica são aquelas que ocorrem sempre entre seres da mesma espécie. Relação interespecífica ou heterotípica são aquelas nas quais teremos indivíduos pertencentes a espécies diferentes. Relações harmônicas ou positivas nesse tipo de relação, podemos ter duas situações: na primeira, as duas espécies que se relacionam se beneficiam, esse tipo de relação recebe a simbologia +/+, indicando que é positiva para ambas as espécies; na segunda,uma espécie é beneficiada e a outra não recebe benefícios da relação, para essa, a simbologia é +/0. Relações desarmônicas ou negativas nesse tipo de relação, também podemos ter duas situações: a primeira é mais comum, uma espécie é beneficiada e a outra tem prejuízo, a simbologia para essa relação é +/-; na segunda, Ocorrem situações em que as duas espécies podem sofrer prejuízo, nesse caso, a simbologia usada é -/-. Sempre que uma espécie sofrer prejuízo em uma relação, esta é classificada como desarmônica, mesmo que a outra espécie esteja tendo benefícios. Agora que aprendemos os conceitos básicos das relações ecológicas, vamos conhecê-las: Relações intraespecíficas harmônicas Sociedade Nessa relação, os indivíduos da mesma espécie vivem de modo cooperativo, aumentando a eficiência da sobrevivência da espécie. Por exemplo, as baleias Jubarte, quando vão caçar, o fazem em grupo e, dessa maneira, são mais eficientes do que caçando sozinhas, assim como os lobos quando caçam em matilhas. Existem sociedades que além de divisão de trabalho existe também uma hierarquia entre seus integrantes, é o caso das abelhas, formigas e cupins. Em uma colmeia de abelhas (Apis mellifera), existem três classes: a rainha, que é responsável pela produção de gametas femininos e pela organização da ordem social da colmeia, a partir da produção de ferormônios; a abelha operária, que é estéril, é responsável pela manutenção da colmeia, e os zangões são os que fecundam a rainha. O maior formigueiro descoberto pelo homem fica na Europa e tem uma extensão de 6 mil km. Passando pelo subterrâneo da Espanha, Portugal, França e Itália. O mais interessante é que a espécie de formiga não é natural da região, foi levada para a Europa junto com plantas da Argentina. A formiga é da espécie Linepithema humile, originária da Argentina. Abelhas operárias e abelha rainha (círculo azul).

2 Colônia A colônia também é formada por indivíduos da mesma espécie que, trabalhando de maneira cooperativa, acabam se beneficiando. A grande diferença da colônia para a sociedade é que na colônia os indivíduos estão unidos fisicamente. É o caso das colônias de bactérias ou dos corais que são pólipos unidos fisicamente. Relações Intraespecíficas desarmônicas Canibalismo Corais, exemplo de colônias de pólipos do gênero Anthozoa Também chamado de predação intraespecífica, o canibalismo ocorre quando um animal se alimenta de outro da mesma espécie. Um exemplo são alguns insetos que se alimentam dos ovos dos próprios filhotes. Competição intraespecífica Essa relação na verdade é uma verdadeira disputa entre seres da mesma espécie e costuma ocorrer, principalmente por dois motivos: reprodução e alimentação. O segundo, é claro, ocorre quando o ambiente não têm uma quantidade suficiente de alimento para todos, sendo este um dos fatores que regula o tamanho da população. Na verdade, essa relação é comum até na espécie humana. Quem nunca disputou com o irmão o banco da frente do carro ou um brinquedo novo? Certamente, a maioria de nós já passou por isso. Relações interespecíficas harmônicas Comensalismo O comensalismo é uma relação em que somente uma espécie se beneficia, denominada comensal. A outra espécie não sofre benefício e nem prejuízo, por isso, sua simbologia é +/0. O exemplo clássico dessa relação correspondente às rêmoras que se alimentam dos restos da caça do tubarão. Para a rêmora é uma ótima relação, agora, para o tubarão, não faz a mínima diferença se algum animal vai se alimentar dos restos de sua presa. No início deste capítulo, citamos também o peixe-palhaço, que vive nos tentáculos das anêmonas para se proteger, também é uma relação de comensalismo, visto que só o peixe-palhaço sofre benefícios. Tubarão e rêmoras, um exemplo de comensalismo. Inquilinismo O inquilinismo na verdade é uma modalidade do comensalismo, onde o comensal vive dentro do outro animal para se proteger, mas sem causar benefício ou prejuízo ao seu protetor. Existe um peixe que vive dentro do corpo de pepinos-do-mar saindo somente para se alimentar e depois volta para se proteger de possíveis predadores, esse animal é denominado de fieráster. Epifitismo Outra modalidade do comensalismo é o epifitismo. Nesse caso, a espécie que se beneficia é representada pelas plantas epífitas, um exemplo muito conhecido são as bromélias ou orquídeas que se sustentam em outras plantas somente para terem um acesso mais fácil à luz solar, sem causar quaisquer danos ou benefícios à espécie que a sustenta. Bromélia no galho de outra árvore, exemplo de epifitismo.

3 Forésia Outra modalidade do comensalismo é denominada forésia, na qual um indivíduo é transportado pelo outro, mas o que está realizando o transporte não é prejudicado. Alguns pesquisadores classificam o transporte do vírus da Dengue pelo mosquito Aedes aegypti como um exemplo de forésia. Esse exemplo não é amplamente aceito, pois a classificação dos vírus como seres vivos ainda é incerta. Mutualismo Essa relação é harmônica para as duas espécies, isto é, as duas espécies são beneficiadas, por isso sua simbologia é +/+. Os líquens são os principais exemplos dessa relação, quando você vê um líquen em uma rocha ou no troco de uma árvore, lá existem duas espécies em mutualismo: algas e fungos. As algas necessitam dos fungos para retirar água e sais minerais do substrato e os fungos necessitam das algas como fontes de matéria orgânica que são produzidas pela fotossíntese. Outro exemplo de mutualismo corresponde às bactérias que vivem no rúmen de alguns herbívoros mamíferos, elas são responsáveis pela quebra da celulose e, dessa maneira, o ruminante pode aproveitar um nutriente que ele não conseguiria digerir; em contrapartida, as bactérias utilizam outros nutrientes ingeridos pelo boi, além de ter um habitat ideal para seu desenvolvimento. Mas afinal, qual a diferença entre mutualismo e protocooperação? Você deve estar se perguntando qual a diferença entre essas duas relações visto que elas são benéficas para ambas as espécies. A diferença está na obrigatoriedade da relação. O mutualismo é uma relação obrigatória; sem ele, nenhuma das espécies consegue sobreviver. Já a protocooperação é uma relação facultativa, é benéfica para as espécies, mas, se não for realizada, a espécie conseguirá sobreviver mesmo assim. Protocooperação A protocooperação também é uma relação benéfica para as duas espécies participantes, por isso, tem como simbologia +/+. O anu é um pássaro que se alimenta dos cupins que infestam a pele Liquens, um exemplo de mutualismo. dos bois. Essa relação é uma relação de protocooperação, pois o anu se alimenta e o boi recebe um tratamento contra seus ectoparasitas. Existe um pássaro, denominado popularmente de pássaro-palito, que se alimenta dos restos de comida que ficam nos dentes dos crocodilos, ótimo para o pássaro que está se alimentando e ótimo para o crocodilo que tem um dentista particular. Relações interespecíficas desarmônicas Predatismo Uma das relações ecológicas mais conhecidas, em que o predador se alimenta de um animal denominado predado. É a principal relação para a formação das cadeias alimentares. Por exemplo: quando uma cobra se alimenta de um rato, ou quando leoas atacam um búfalo. Sua classificação é clara, um animal é beneficiado: o predador; e o outro é prejudicado: o predado, pois perde a vida. Sua simbologia é +/-. O predatismo é uma relação tão importante que alguns animais desenvolveram adaptações para conseguir escapar dos predadores ou para facilitar a caça aos predados, vamos conhecer algumas delas: Camuflagem: um animal se parece tanto com o ambiente que consegue ficar imperceptível para sua presa ou para seu predador. Por exemplo, o bicho-pau, que, por se assemelhar tanto a gravetos, às vezes é ignorado por seus predadores. Você consegue achar o inseto na foto acima? Ele está aí! Um exemplo de camuflagem.

4 Mimetismo: uma espécie se assemelha tanto a outra que deixa de ser predada. É o caso da coral-falsa, que, por ter a coloração muito parecida com a coral-verdadeira, acaba se beneficiando disso na relação presa x predador. Aposematismo: um animal apresenta uma cor tão forte ou um sabor tão desagradável que parece ser perigoso. Sendo assim, consegue se proteger de possíveis predadores. Herbivorismo Uma modalidade do comensalismo, realizada por animais que se alimentam de produtores, por exemplo: quando um cavalo come capim, ele está se beneficiando e o capim sofrendo prejuízo. Parasitismo Também é uma relação desarmônica onde uma espécie sofre benefício, o parasita, e a outra prejuízo, o parasitado. Ocorre quando o parasita não chega a matar o animal para se alimentar, pois, na verdade, ele só tira os nutrientes orgânicos do animal parasitado. Os parasitas são divididos em dois grupos: os ectoparasitas, que estão na parte externa do Todas as espécies acima são insetos inofensivos, mas,por se parecem muito com as vespas, acabam afastando os predadores. Um exemplo de mimetismo. animal, como os carrapatos e os piolhos que se alimentam do sangue através de perfurações na pele do parasitado. E os endoparasitas, que se localizam no interior dos animais, como os vermes intestinais que aproveitam dos nutrientes que você ingeriu para se alimentarem. Piolho (Pediculus humanus), ectoparasita humano. Lombriga (Ascaris lumbricoides), endoparasita humano. Esclavagismo Outro tipo de relação desarmônica, onde somente uma espécie se beneficia e a outra sofre prejuízos, ocorrendo quando uma espécie se aproveita das atividades da outra para benefício próprio. Você já comeu mel de abelhas? Caso sua resposta seja sim, saiba que esse é um exemplo de relação de esclavagismo, você se alimentou retirando algo resultante do trabalho de outro animal. Alguns pesquisadores defendem a existência de um esclavagismo intraespecífico, por exemplo, quando o leão se alimenta das presas caçadas pela leoa, se aproveitando do trabalho das fêmeas. Competição interespecífica A competição entre dois animais por território ou por comida não necessariamente é intraespecífica. Isso ocorre quando duas espécies apresentam nichos ecológicos semelhantes e acabam tendo que competir, sendo também um fator limitante para o equilíbrio das populações. O Princípio de Gause, ou princípio de competição interespecífica, defende que, quando duas espécies ocupam nichos muito parecidos e se inicia uma competição interespecífica, passado algum tempo, uma delas irá sempre prevalecer sobre a outra, ocasionando a extinção de uma das espécies, e se mantendo no ambiente, certamente, a espécie mais adaptada ao habitat. Amensalismo Essa relação é um pouco diferente das estudadas até aqui, pois uma das espécies não chega nem a se desenvolver no ambiente. O amensalismo ocorre quando uma espécie libera uma substância no ambiente que impede o crescimento de outras espécies. O fungo Penicillium notatum produz uma substância que, ao ser liberada no ambiente, impede o crescimento de bactérias, impossibilitando, assim, uma possível competição interespecífica. E também foi graças a essa substância que Alexander Fleming, em 1928, desenvolveu o primeiro antibiótico: a penicilina.

5 Exercícios 38. (UNICAMP/SP) A distribuição de uma espécie em uma determinada área pode ser limitada por diferentes fatores bióticos e abióticos. Para testar a influência de interações bióticas na distribuição de uma espécie de alga, um pesquisador observou a área ocupada por ela na presença e na ausência de mexilhões e/ou ouriços-do-mar. Os resultados do experimento estão representados no gráfico abaixo. Porcentagem da área coberta por algas C D Ago/82 Fev/82 Ago/83 Fev/84 Legenda: A: sem ouriços-do-mar e sem mexilhões; B: sem ouriços-do-mar e com mexilhões; C: sem mexilhões e com ouriços-do-mar; D: com ouriços-do-mar e com mexilhões; a) Que tipo de interação biótica ocorreu no experimento? Que conclusão pode ser extraída do gráfico quando se analisam as curvas B e C? b) Cite outros dois fatores bióticos que podem ser considerados como limitadores para a distribuição de espécies. 39. (UFRN) Nas comunidades, os indivíduos interagem entre si, exercendo influências nas populações envolvidas, de maneira positiva ou negativa. A B Nesse contexto, a predação é uma interação ecológica em que a) há perda para ambas as espécies, por se tratar de uma associação interespecífica. b) a especificidade presa-predador é determinante, pois os predadores se alimentam de um único tipo de presa. c) há uma íntima associação entre duas espécies, manifestada por um comportamento canibalístico. d) a população de predadores poderá determinar a população de presas e vice-versa. 40. (FGV) O processo de seleção natural é diretamente responsável pela evolução das espécies e, em alguns casos, pela interdependência de suas relações. Em uma relação ecológica interespecífica harmônica e obrigatória, podemos perceber que, ao longo das gerações, esse processo atua a) na velocidade das onças e na velocidade dos veados. b) no olfato de uma serpente e na taxa reprodutiva de um roedor. c) na eficiência fotossintética de uma folha e na acuidade visual de um pássaro. d) na penetração de raízes parasitas sugadoras e no espessamento do tronco de um ipê. e) na digestão da celulose por bactérias e na capacidade de ruminação por bovinos. 41. (UFG) Leia o texto a seguir. Em um experimento hipotético, visando à obtenção de hortaliças resistentes a altas temperaturas, foram utilizados fungos produtores de proteínas de resistência a choque térmico, presentes em plantas nativas das proximidades de fontes termais. Os fungos foram retirados dessas plantas, identificados e inoculados nas hortaliças estudadas. Os resultados obtidos mostraram que, após serem inoculados com os fungos, as hortaliças conseguiram crescer sob calor de 60 C. O experimento descrito promoveu artificialmente a ocorrência de a) relação de predação. b) relação de parasitismo.

6 c) relação de protocooperação. d) mutação gênica nas hortaliças. e) modificação genética nos fungos. 42. (UECE) Espécies exóticas invasoras são seres vivos que se encontram fora da sua área natural de distribuição, introduzidos por dispersão acidental ou intencional. Esses organismos são uma ameaça à biodiversidade dos diversos ecossistemas, pois se apropriam dos recursos naturais disponíveis para as espécies nativas, em meio a uma competição ferrenha. Com relação aos bioinvasores, pode-se afirmar corretamente que a) as chances de se estabelecer em um determinado ecossistema são proporcionais à baixa capacidade de dispersão. b) esses seres apresentam ciclos reprodutivos com períodos juvenis curtos. c) normalmente produzem poucas estruturas reprodutivas e, consequentemente, pequeno número de descendentes. d) esses organismos só se reproduzem em momentos favoráveis, uma vez que são muito exigentes e não toleram variações ambientais. 43. (UECE) O mundo vivo compreende um sistema complexo de relações classificadas, do ponto de vista didático, como harmônicas ou desarmônicas, que acontecem o tempo todo entre espécies diferentes ou mesmo entre indivíduos da mesma espécie. Sobre essas relações, assinale a opção correta. a) Relações interespecíficas são aquelas estabelecidas entre indivíduos de mesma espécie e relações intraespecíficas são aquelas estabelecidas entre indivíduos de espécies diferentes. b) O mutualismo é um bom exemplo de relação desarmônica interespecífica. c) Sociedades são relações nas quais existe uma associação entre indivíduos da mesma espécie, que se mantêm ligados anatomicamente, formando uma unidade estrutural, como acontece com abelhas e cupins. d) O predatismo é uma relação interespecífica desarmônica importante para a manutenção do equilíbrio do ecossistema. 44. (PUC/RJ) De acordo com o Ministério do Meio Ambiente brasileiro, espécies exóticas invasoras são reconhecidas, atualmente, como uma das maiores ameaças biológicas ao meio ambiente, com enormes prejuízos à economia, à biodiversidade e aos ecossistemas naturais, além dos riscos à saúde humana. Essas espécies são consideradas a segunda maior causa de perda de biodiversidade, após as alterações de hábitats. Assinale a opção que mostra os tipos de relações envolvidas na extinção de espécies nativas por espécies invasoras exóticas. a) Competição intraespecífica, predação e parasitismo. b) Canibalismo, amensalismo e predação. c) Competição interespecífica, predação e comensalismo. d) Canibalismo, mutualismo e predação. e) Competição interespecífica, predação e parasitismo. 45. (PUC/RS) As plantas de maracujá possuem a capacidade de produzir néctar em estruturas localizadas ao longo do caule, pecíolos e folhas. A presença dessas estruturas promove a atração de algumas formigas que se alimentam do néctar. Essas formigas promovem a proteção do maracujazeiro contra herbívoros. A relação ecológica interespecífica existente entre o maracujazeiro e essas formigas pode ser definida como a) Protocooperação. b) Comensalismo. c) Inquilinismo. d) Mutualismo. e) Predação. 46. (UEMG) Observe a imagem a seguir. Crocodilo ataca um gnu herbívoro que tenta atravessar o rio Masai Mara, no Quênia. (Foto: Barcroft Media/Getty Images)

7 Tendo como referência a imagem acima e considerando as relações tróficas, está CORRETO afirmar que o crocodilo está se comportando como um a) predador, consumidor de 1ª ordem. b) parasita, consumidor de 2ª ordem. c) comensal, consumidor de 3ª ordem. d) predador, consumidor de 2ª ordem. 47. (IFPE) Em um Ecossistema, todos os seres vivos interagem, direta ou indiretamente com outros. Essas interações são as mais diversas possíveis, ocorrendo entre indivíduos de mesma espécie (intraespecíficas) ou entre espécies diferentes (interespecíficas). Algumas são vantajosas sem nenhuma forma de prejuízo para a outra (harmônicas), e há aquelas que causam alguma forma de dano ou prejuízo (desarmônicas). Analise as descrições de interações ecológicas a seguir: I. Interação desarmônica interespecífica quando um organismo mata e devora outro. II. Interação desarmônica intraespecífica em que um organismo mata e devora outro. III. Interação harmônica intraespecífica quando os indivíduos se mantêm ligados uns aos outros com ou sem divisão de trabalho. IV. Interação harmônica interespecífica em que um organismo tira benefícios de outro para proteção, alimentação etc., sem lhe causar qualquer forma de dano ou prejuízo. V. Interação harmônica interespecífica necessária à sobrevivência em que as duas espécies são beneficiadas. A opção que apresenta corretamente o nome dessas interações é: a) canibalismo, comensalismo, sociedade, colônia, mutualismo. b) predatismo, canibalismo, colônia, comensalismo, mutualismo. c) mutualismo, predatismo, sociedade, comensalismo, colônia. d) predatismo, canibalismo, colônia, mutualismo, comensalismo. e) canibalismo, predatismo, comensalismo, sociedade, mutualismo. 48. (PUC/RJ) Algumas relações essenciais, na vida de um organismo, são suas interações com indivíduos de outras espécies na comunidade. Essas interações são conhecidas como interações interespecíficas e incluem competição, predação, herbivoria, parasitismo, mutualismo e comensalismo. Explique e exemplifique como o parasitismo e o mutualismo diferem nos seus efeitos sobre populações de duas espécies que interagem. 49. (UECE) Os cupins são insetos sociais, de hábitos subterrâneos, que se organizam em colônias e que vivem em função da sobrevivência do grupo e não do indivíduo. Quando se instalam em árvores e se alimentam da madeira, os cupins são incapazes de digerir a celulose e para isso possuem, em seu intestino, protozoários que realizam esse papel. Nesse caso, pode-se afirmar corretamente que as relações cupim-protozoário e cupim-árvore são respectivamente a) comensalismo e inquilinismo. b) mutualismo e parasitismo. c) predatismo e mutualismo. d) inquilinismo e mutualismo. 50. (UFJF/MG) Ditados populares são frases e expressões que transmitem conhecimentos comuns sobre a vida. Suponha que os itens abaixo não sejam figurativos e assinale a opção que indica a relação ecológica nos seguintes exemplos. I. Tem hora na vida que nós temos que engolir sapos. II. Fui esperto! Em rio que tem piranha, jacaré nada de costa, do contrário... III. Coitado! Em benefício de todos, ele foi boi-depiranha. a) Interespecíficas de predatismo b) Intraespecífica de canibalismo c) Interespecífica de competição d) Intraespecífica de competição e) Interespecífica de parasitismo 51. (UNESP/SP) Nos troncos de várias árvores do quintal de Dona Márcia, crescem exemplares de Oncidium sp, a chuva-de-ouro, uma espécie de orquídea nativa da Mata Atlântica que produz

Conceitos Ecológicos. Prof. Dr. Mauro Parolin

Conceitos Ecológicos. Prof. Dr. Mauro Parolin Conceitos Ecológicos Prof. Dr. Mauro Parolin Hábitat [1] ou habitat (do latim, ele habita) é um conceito usado em ecologia que inclui o espaço físico e os fatores abióticos que condicionam um ecossistema

Leia mais

Ecologia Conceitos Básicos e Relações Ecológicas

Ecologia Conceitos Básicos e Relações Ecológicas Ecologia Conceitos Básicos e Relações Ecológicas MOUZER COSTA O que é Ecologia? É a parte da Biologia que estuda as relações dos seres vivos entre si e com o ambiente. Conceitos Básicos Espécie População

Leia mais

Matéria: Biologia Assunto: Relações Ecológicas Prof. Enrico Blota

Matéria: Biologia Assunto: Relações Ecológicas Prof. Enrico Blota Matéria: Biologia Assunto: Relações Ecológicas Prof. Enrico Blota Biologia Ecologia Relações ecológicas Representam as interações entre os seres vivos em um determinado ecossistema. Podem ser divididas

Leia mais

Ciências Naturais 6º ano Lígia Palácio

Ciências Naturais 6º ano Lígia Palácio Relações Ecológicas Tema: Ecologia Ciências Naturais 6º ano Lígia Palácio 1) Introdução A interação dos diversos organismos que constituem uma comunidade biológica são genericamente denominadas relações

Leia mais

Ecologia: interações ecológicas

Ecologia: interações ecológicas FACULDADES OSWALDO CRUZ Curso: Engenharia Ambiental Disciplina: Microbiologia Aplicada Prof a MsC. Vanessa Garcia Aula 12 (2º semestre): Ecologia: interações ecológicas Objetivos: analisar os principais

Leia mais

Ecossistemas e Saúde Ambiental :: Prof.ª MSC. Dulce Amélia Santos

Ecossistemas e Saúde Ambiental :: Prof.ª MSC. Dulce Amélia Santos Engenharia Civil Disciplina Ecossistemas e Saúde Ambiental Relações Ecológicas Duas Aula- Relações Ecológicas Profª Msc. Dulce Amélia Santos PODEMOS CLASSIFICAR AS RELAÇÕES ECOLÓGICAS EM RELAÇÕES INTRA-ESPECÍFICAS

Leia mais

Relações Ecológicas. Essa interação entre os seres vivos é chamada de relação ecológica.

Relações Ecológicas. Essa interação entre os seres vivos é chamada de relação ecológica. Relações Ecológicas Relações Ecológicas Os seres vivos de diferentes espécies, além de interagirem com o meio abiótico em que vivem, também se interagem com os outros seres vivos presentes num mesmo local.

Leia mais

Relações ecológicas. Professora: Reisila Migliorini Mendes - Biologia 1ª série - Ensino Médio

Relações ecológicas. Professora: Reisila Migliorini Mendes - Biologia 1ª série - Ensino Médio Relações ecológicas Professora: Reisila Migliorini Mendes - Biologia 1ª série - Ensino Médio Classificação Intraespecífica: entre indivíduos da mesma espécie. Interespecífica: entre indivíduos de espécies

Leia mais

ECOLOGIA SERES VIVOS AMBIENTE. estuda as relações entre

ECOLOGIA SERES VIVOS AMBIENTE. estuda as relações entre ECOLOGIA SERES VIVOS estuda as relações entre AMBIENTE Níveis de Organização Molécula Célula Tecido Órgão Sistema Espécie População Comunidade Ecossistema Biosfera Níveis de Organização Espécie Grupo de

Leia mais

Específicas. I. Harmônicas. II. Desarmônicas. I. Harmônicas 1) SOCIEDADE. Estas relações podem ser

Específicas. I. Harmônicas. II. Desarmônicas. I. Harmônicas 1) SOCIEDADE. Estas relações podem ser Relações Ecológicas Os seres vivos mantém constantes relações entre si, exercendo influências recíprocas em suas populações. INTRA ou INTERESPECÍFICAS Estas relações podem ser HARMÔNICAS OU DESARMÔNICAS

Leia mais

Relações Harmônicas (Não há prejuízo)- Homotípicas (Seres da mesma espécie) -Colônia Indivíduos unidos fisicamente.

Relações Harmônicas (Não há prejuízo)- Homotípicas (Seres da mesma espécie) -Colônia Indivíduos unidos fisicamente. RELAÇÕES ECOLÓGICAS RELAÇÕES ECOLÓGICAS - As relações ecológicas são aquelas que se manifestam em diferentes populações de um ecossistema que pode ocorrer em indivíduos de uma mesma espécie ou não. Relações

Leia mais

RELAÇÕES HARMÔNICAS (interações positivas) COLÔNIAS INTRA - ESPECÍFICAS SOCIEDADES

RELAÇÕES HARMÔNICAS (interações positivas) COLÔNIAS INTRA - ESPECÍFICAS SOCIEDADES RELAÇÕES HARMÔNICAS (interações positivas) COLÔNIAS INTRA - ESPECÍFICAS SOCIEDADES SOCIEDADES Diferem das colônias basicamente pela independência física exibida por seus integrantes. Também caracterizam-se

Leia mais

INTERAÇÕES. Guilherme Alfenas Programa de Pós-Graduação em Ecologia PGECOL - UFJF

INTERAÇÕES. Guilherme Alfenas Programa de Pós-Graduação em Ecologia PGECOL - UFJF INTERAÇÕES Guilherme Alfenas Programa de Pós-Graduação em Ecologia PGECOL - UFJF BIBLIOGRAFIA RICKLEFS, R.E. 5ª edição. A Economia da Natureza. Editora Guanabara Koogan. CONCEITO BÁSICO São relações que

Leia mais

COMUNIDADES INTERAÇÕES ECOLÓGICAS

COMUNIDADES INTERAÇÕES ECOLÓGICAS INTERAÇÕES ECOLÓGICAS Harmônicas Desarmônicas INTERAÇÕES ECOLÓGICAS HARMÔNICAS Intraespecíficas positivas Interespecíficas positivas INTERAÇÕES ECOLÓGICAS HARMÔNICAS Intraespecíficas positivas Colônia

Leia mais

Ecologia Relações entre os seres vivos

Ecologia Relações entre os seres vivos O funcionamento de uma comunidade depende das diversas relações ou interações entre os organismos que a compõem. Essas relações podem ser: A)Intra-específicas quando ocorrem entre seres da mesma espécie;

Leia mais

DISCIPLINA: BIOLOGIA PROFª. CRISTINA DE SOUZA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO

DISCIPLINA: BIOLOGIA PROFª. CRISTINA DE SOUZA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO DISCIPLINA: BIOLOGIA PROFª. CRISTINA DE SOUZA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO RELAÇÕES ECOLÓGICAS Interações (relações ou associações) = SIMBIOSE INTRAESPECÍFICAS - entre indivíduos da mesma espécie. INTERESPECÍFICAS

Leia mais

Interações entre os seres vivos

Interações entre os seres vivos Relações Ecológicas Interações entre os seres vivos I. CLASSIFICAÇÃO:. Quanto as espécies participantes: - Intra-espec específicas ou Homotípicas picas: : mesma espécie cie. - Interespecíficas ou Heterotípicas

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO 1ª VP4 de Ciências 6ª SÉRIE 1ª ETAPA. Professora: Alexsandra Ribeiro

EXERCÍCIOS DE REVISÃO 1ª VP4 de Ciências 6ª SÉRIE 1ª ETAPA. Professora: Alexsandra Ribeiro CONTEÚDO: CAP. 1, 2 e 3 EXERCÍCIOS DE REVISÃO 1ª VP4 de Ciências 6ª SÉRIE 1ª ETAPA Professora: Alexsandra Ribeiro 1. O esquema abaixo nos mostra como a vida está organizada no planeta. A complexidade da

Leia mais

Pirâmides de números

Pirâmides de números Fluxo de energia Pirâmides de números COBRA (1) RATO (15) MILHO (100) PROTOZOÁRIOS CUPIM (100) (1) ÁRVORE (1000) ARANHAS (100) MOSCAS (300) (1) BANANA NAO HA PADRAO UNICO!!! - Massa de matéria orgânica

Leia mais

20/5/2014 RELAÇÕES ECOLÓGICAS RELAÇÕES HARMÔNICAS INTRA-ESPECÍFICAS COLÔNIA CLASSIFICAÇÃO

20/5/2014 RELAÇÕES ECOLÓGICAS RELAÇÕES HARMÔNICAS INTRA-ESPECÍFICAS COLÔNIA CLASSIFICAÇÃO RELAÇÕES ECOLÓGICAS RELAÇÕES ECOLÓGICAS Os seres vivos, além de interagirem com o meio abiótico, também interagem com outros seres vivos presentes na mesma comunidade. Estas interações são as relações

Leia mais

Ecologia das comunidades

Ecologia das comunidades Ecologia das comunidades Relações ecológicas Intraespecífica ou interespecífica Harmônica ou desarmônica Intraespecíficas harmônicas Disponível em: .

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE OS SERES VIVOS (ALELOBIOSES) 1- HARMÔNICAS NINGUÉM É PREJUDICADO 3- INTRA-ESPECÍFICAS OU HOMOTÍPICAS OS SERES SÃO DA MESMA ESPÉCIE

RELAÇÕES ENTRE OS SERES VIVOS (ALELOBIOSES) 1- HARMÔNICAS NINGUÉM É PREJUDICADO 3- INTRA-ESPECÍFICAS OU HOMOTÍPICAS OS SERES SÃO DA MESMA ESPÉCIE RELAÇÕES ENTRE OS SERES VIVOS (ALELOBIOSES) 1- HARMÔNICAS NINGUÉM É PREJUDICADO 2- DESARMÔNICAS ALGUÉM É PREJUDICADO 3- INTRA-ESPECÍFICAS OU HOMOTÍPICAS OS SERES SÃO DA MESMA ESPÉCIE 4- INTERESPECÍFICAS

Leia mais

Ecologia. Aula Programada. Biologia. Tema: Ecologia

Ecologia. Aula Programada. Biologia. Tema: Ecologia Aula Programada Tema: Ecologia Biologia 1) Conceitos Básicos Indivíduo: Exemplar de uma espécie qualquer que constitui uma unidade distinta. Espécie: Conjunto de indivíduos muito semelhantes entre si e

Leia mais

IC II - Lab.Geo.Fis. Aula 3. Turma: 2015/1 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com

IC II - Lab.Geo.Fis. Aula 3. Turma: 2015/1 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com IC II - Lab.Geo.Fis Aula 3 Turma: 2015/1 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com Aula de hoje.. Sistemas Teoria Geral dos Sistemas Relações entre os elementos dos Ecossistemas Biogeografia e Sistemas

Leia mais

Fatores Ecológicos. Ciências do Ambinete Módulo 1 Professora: Bartira Brandão da Cunha

Fatores Ecológicos. Ciências do Ambinete Módulo 1 Professora: Bartira Brandão da Cunha Fatores Ecológicos Ciências do Ambinete Módulo 1 Professora: Bartira Brandão da Cunha FATORES ECOLÓGICOS: CONCEITO São conjuntos de fatores físicos e biológicos de um determinado ambiente que atuam sobre

Leia mais

3. Ler atentamente as 3 afirmativas relativas às relações entre os seres vivos,

3. Ler atentamente as 3 afirmativas relativas às relações entre os seres vivos, ATIVIDADE DE RECUPERAÇÃO BIOLOGIA 1º ANO / 3ª etapa Professor: Warley Ferreira 1. Uma população de parasitas e seus hospedeiros estão em interação. Eliminando-se os parasitas, espera-se que a população

Leia mais

FATORES ECOLÓGICOS. Professora: Dayse Luna Barbosa

FATORES ECOLÓGICOS. Professora: Dayse Luna Barbosa FATORES ECOLÓGICOS Professora: Dayse Luna Barbosa Fatores Ecológicos São o conjunto de fatores biológicos e físicos que atuam sobre o desenvolvimento de uma comunidade. Fatores Ecológicos Fatores Ecológicos

Leia mais

ATIVIDADE DE RECUPERAÇÃO PARALELA PREVENTIVA GABARITO - 1º E.M. BIOLOGIA PROFª CLAUDIA LOBO - 1º TRIMESTRE/2015

ATIVIDADE DE RECUPERAÇÃO PARALELA PREVENTIVA GABARITO - 1º E.M. BIOLOGIA PROFª CLAUDIA LOBO - 1º TRIMESTRE/2015 ATIVIDADE DE RECUPERAÇÃO PARALELA PREVENTIVA GABARITO - 1º E.M. BIOLOGIA PROFª CLAUDIA LOBO - 1º TRIMESTRE/2015 Imprimir e responder no caderno. Apresentar no dia 31/03. 1. Observe as tirinhas abaixo,

Leia mais

BIOLOGIA Prof. Fred correta

BIOLOGIA Prof. Fred correta BIOLOGIA Prof. Fred 1. (Ufpr) Pesquisadores da Universidade da Flórida estão realizando testes para introduzir nos Estados Unidos o inseto Calophya latiforceps (conhecido como gralha-da-folha-da-aroeira),

Leia mais

RELAÇÕES ECOLÓGICAS CLASSIFICAÇÃO

RELAÇÕES ECOLÓGICAS CLASSIFICAÇÃO CLASSIFICAÇÃO Tipo de interação A Intraespecíficas 9 relações que ocorrem entre indivíduos da mesma espécie. 9 relações que ocorrem entre indivíduos de espécies diferentes. Tipo de resultado da interação

Leia mais

Biologia LIVRO 3 Unidade 3 Avaliação capítulos 12, 13, 14, 15 e 16 Ecologia

Biologia LIVRO 3 Unidade 3 Avaliação capítulos 12, 13, 14, 15 e 16 Ecologia 1. Durante uma aula de campo, a professora informou que naquela área existiam diversas espécies de formigas, seres que estabelecem uma relação intraespecífica harmônica conhecida como sociedade. Informou

Leia mais

Biologia Fascículo 10 André Eterovic

Biologia Fascículo 10 André Eterovic Biologia Fascículo 10 André Eterovic Índice Ecologia Conceitos Ecológicos...1 Cadeias Alimentares...2 Relações Simbióticas...4 Exercícios...6 Gabarito...8 Ecologia Conceitos Ecológicos Ecologia: definição

Leia mais

Harmôni cas Desarmô nicas. Harmôni cas Desarmô nicas

Harmôni cas Desarmô nicas. Harmôni cas Desarmô nicas biozell Intra - específicas Inter - específicas Harmôni cas Desarmô nicas Harmôni cas Desarmô nicas Colônia Sociedade Competição Canibalismo Protocooperação Mutualismo Comensalismo Foresia Inquilinismo

Leia mais

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS. ECOLOGIA Fluxo de energia e Interações ecológicas

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS. ECOLOGIA Fluxo de energia e Interações ecológicas UFRGS ECOLOGIA Fluxo de energia e Interações ecológicas 1. (Ufrgs 2015) Analise o quadro abaixo que apresenta os componentes de uma cadeia alimentar aquática e de uma terrestre. Ecossistema aquático aguapé

Leia mais

Lista de relações ecológicas, sucessão e dinâmica de pop./ Prof. Karina/ 1º ano

Lista de relações ecológicas, sucessão e dinâmica de pop./ Prof. Karina/ 1º ano 1. (Upf 2015) Considerando as relações ecológicas entre os seres vivos de uma comunidade, as formigas de um formigueiro, os liquens, um coral cérebro e uma bromélia crescendo no galho de uma árvore são,

Leia mais

RELAÇÕES ECOLÓGICAS & DINÂMICA DE POPULAÇÕES.

RELAÇÕES ECOLÓGICAS & DINÂMICA DE POPULAÇÕES. RELAÇÕES ECOLÓGICAS & DINÂMICA DE POPULAÇÕES. (FGV-SP - 2010) Questão 1 Em Umuarama, interior do Paraná, verdadeiros exércitos de formigas saúva vêm atormentando a população e os agricultores. Na cidade,

Leia mais

ORIENTAÇÕES RESUMO TEÓRICO. BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 14.a INTERAÇÕES ECOLÓGICAS

ORIENTAÇÕES RESUMO TEÓRICO. BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 14.a INTERAÇÕES ECOLÓGICAS BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 14.a INTERAÇÕES ECOLÓGICAS ORIENTAÇÕES A lista 14.a é muito importante apresenta questões sobre as interações ecológicas existentes entre os vários seres vivos.

Leia mais

Os seres vivos e o ambiente

Os seres vivos e o ambiente Nas teias alimentares, certos organismos podem ser, ao mesmo tempo, consumidores primários, secundários, etc., dependendo da cadeia alimentar que for selecionada. A eliminação de alguns organismos de uma

Leia mais

Revestimento do Corpo ou tegumento. Proteção contra a ações do Ambiente. - Depende do ambiente e do modo de vida.

Revestimento do Corpo ou tegumento. Proteção contra a ações do Ambiente. - Depende do ambiente e do modo de vida. Sistemas Funcionais Revestimento do Corpo ou tegumento Proteção contra a ações do Ambiente. - Depende do ambiente e do modo de vida. a) Esqueleto Sustentação Invertebrados: esqueletos calcários. Nos artrópodes

Leia mais

A seguir veremos alguns exemplos desses tipos de relações. Relações Harmônicas (relações positivas)

A seguir veremos alguns exemplos desses tipos de relações. Relações Harmônicas (relações positivas) Relações ecológicas Em um ecossistema, os seres vivos relacionam-se com o ambiente físico e também entre si, formando o que chamamos de relações ecológicas. As relações ecológicas ocorrem dentro da mesma

Leia mais

PROFESSOR: Leonardo Mariscal

PROFESSOR: Leonardo Mariscal PROFESSOR: Leonardo Mariscal BANCO DE QUESTÕES BIOLOGIA - 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ============================================================================================== 01- O aumento da poluição

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 25 SIMBIOSES DESARMÔNICAS

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 25 SIMBIOSES DESARMÔNICAS BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 25 SIMBIOSES DESARMÔNICAS Número (em milhares) 160 140 120 100 80 60 40 20 0 Lebre Lince 1845 1935 tempo anos Bactéria Penicillium Como pode cair no enem (UFF) Os itens enumerados

Leia mais

BIOLOGIA. Prof. Fred. RELAÇÕES HARMÔNICAS INTRAESPECÍFICAS Como relações harmônicas intraespecíficas podemos citar a colônia e a sociedade.

BIOLOGIA. Prof. Fred. RELAÇÕES HARMÔNICAS INTRAESPECÍFICAS Como relações harmônicas intraespecíficas podemos citar a colônia e a sociedade. BIOLOGIA Prof. Fred RELAÇÕES ECOLÓGICAS Organismos das diferentes espécies, além de interagirem com o meio abiótico em que vivem, interagem com os outros seres vivos presentes no mesmo ambiente. Há diferentes

Leia mais

2ª Série Biologia Prof o Sérgio Santos

2ª Série Biologia Prof o Sérgio Santos 2ª Série Biologia Prof o Sérgio Santos Aluno(a):...Turma:... 1º) Um indivíduo ao ser picado por uma cobra coral, foi levado ao hospital onde lhe aplicaram: a. Antígenos específico para a citada cobra.

Leia mais

Que tipo de relação há entre o peixe-palhaço e a anêmona? Justifique sua resposta. R.:

Que tipo de relação há entre o peixe-palhaço e a anêmona? Justifique sua resposta. R.: PROFESSOR: EQUIPE DE CIÊNCIAS BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= 01- Nas figuras abaixo

Leia mais

1- Relações ecológicas Relações harmônicas inter-específicas Mutualismo (Simbiose e protocooperação) Exemplos de simbiose

1- Relações ecológicas Relações harmônicas inter-específicas Mutualismo (Simbiose e protocooperação) Exemplos de simbiose Biologia- Profa Estela turmas 179 e 176 4º Bimestre de 2010 Conteúdo: 1- Relações ecológicas. 2- Cadeias e teias alimentares. 3- Ciclos biogeoquímicos. 4- Noções de genética 1- Relações ecológicas Existem

Leia mais

ECOLOGIA GERAL ECOFISIOLOGIA, FATORES ECOLÓGICOS, RELAÇÕES ECOLÓGICAS, FATORES LIMITANTES E O AMBIENTE FÍSICO

ECOLOGIA GERAL ECOFISIOLOGIA, FATORES ECOLÓGICOS, RELAÇÕES ECOLÓGICAS, FATORES LIMITANTES E O AMBIENTE FÍSICO ECOLOGIA GERAL Aula 02 Aula de hoje: ECOFISIOLOGIA, FATORES ECOLÓGICOS, RELAÇÕES ECOLÓGICAS, FATORES LIMITANTES E O AMBIENTE FÍSICO Ecofisiologia (conceito) É o campo da Ecologia que estuda a influência

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES CIÊNCIAS

CADERNO DE ATIVIDADES CIÊNCIAS COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES CIÊNCIAS Aluno (a): 4º ano: Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Este trabalho deverá ser entregue IMPRETERIVELMENTE no dia da prova. Conteúdo de Recuperação

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1G

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1G CADERNO DE EXERCÍCIOS 1G Ensino Fundamental Ciências da Natureza Questão Conteúdo Habilidade da Matriz da EJA/FB 1 Movimentos dos continentes H7 2 Origem dos seres vivos na Terra H17 3 Relações ecológicas

Leia mais

ORIENTAÇÕES RESUMO TEÓRICO. BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 14.b INTERAÇÕES ECOLÓGICAS

ORIENTAÇÕES RESUMO TEÓRICO. BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 14.b INTERAÇÕES ECOLÓGICAS BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 14.b INTERAÇÕES ECOLÓGICAS ORIENTAÇÕES A lista 14.b é a continuação da 14.a, com mais questões sobre relações ecológicas. Essa é uma matéria muito importante

Leia mais

ATIVIDADE INTERAÇÕES DA VIDA. CAPÍTULOS 1, 2, 3 e 4

ATIVIDADE INTERAÇÕES DA VIDA. CAPÍTULOS 1, 2, 3 e 4 ATIVIDADE INTERAÇÕES DA VIDA CAPÍTULOS 1, 2, 3 e 4 Questão 1) Abaixo representa uma experiência com crisântemo, em que a planta foi iluminada, conforme mostra o esquema. Com base no esquema e seus conhecimentos,

Leia mais

EXERCÍCIOS ON LINE 6 ANO - 1 TRIMESTRE

EXERCÍCIOS ON LINE 6 ANO - 1 TRIMESTRE EXERCÍCIOS ON LINE 6 ANO - 1 TRIMESTRE 1- Leia o texto e responda as questões Todos os animais, independentemente do seu estilo de vida, servem como fonte de alimento para outros seres vivos. Eles estão

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 20 ECOLOGIA

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 20 ECOLOGIA BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 20 ECOLOGIA Como pode cair no enem (ENEM) Várias estratégias estão sendo consideradas para a recuperação da diversidade biológica de um ambiente degradado, dentre elas, a criação

Leia mais

Ecologia. Tiago Vianna

Ecologia. Tiago Vianna Ecologia Tiago Vianna O que é Ecologia? É a parte da Biologia que estuda as relações dos seres vivos entre si e com o ambiente. Espécie População Comunidade Fatores Abióticos Ecossistema Biosfera Hábitat

Leia mais

1. O conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que vive numa mesma área geográfica constitui:

1. O conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que vive numa mesma área geográfica constitui: COLÉGIO JOÃO PAULO I ENSINO MÉDIO 2009 ECOLOGIA PROF. XANDI 1. O conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que vive numa mesma área geográfica constitui: a) população b) comunidade c) ecossistema d)

Leia mais

35 Como o berne aparece no boi?

35 Como o berne aparece no boi? A U A UL LA Como o berne aparece no boi? A criação de gado requer dos fazendeiros, entre outras coisas, o cuidado com a saúde dos animais, pois os bois são atingidos por muitas doenças. Nesta aula vamos

Leia mais

FATORES ECOLÓGICOS. biológicos, ou bióticos, e físicos, ou abióticos, de um determinado ambiente, que atuam sobre o desenvolvimento de uma comunidade.

FATORES ECOLÓGICOS. biológicos, ou bióticos, e físicos, ou abióticos, de um determinado ambiente, que atuam sobre o desenvolvimento de uma comunidade. FATORES ECOLÓGICOS FATORES ECOLÓGICOS Fatores biológicos, ou bióticos, e físicos, ou abióticos, de um determinado ambiente, que atuam sobre o desenvolvimento de uma comunidade. Bióticos: relações entre

Leia mais

Quiz 6 a Série. 1. Um cientista estudou o conteúdo do estômago de um animal e descobriu que nele só havia plantas. Este animal deve ser um:

Quiz 6 a Série. 1. Um cientista estudou o conteúdo do estômago de um animal e descobriu que nele só havia plantas. Este animal deve ser um: Quiz 6 a Série Professora: Alexsandra Ribeiro Instruções: Olá queridos alunos e alunas! O quiz é mais uma ferramenta que nos possibilita saber se realmente você está entendendo o conteúdo abordado em sala

Leia mais

ORIENTAÇÕES EXERCÍCIOS PROPOSTOS. BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA DE REVISÃO PARA A UNICAMP

ORIENTAÇÕES EXERCÍCIOS PROPOSTOS. BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA DE REVISÃO PARA A UNICAMP BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA DE REVISÃO PARA A UNICAMP ORIENTAÇÕES Após a mudança do formato da prova da Unicamp (que deixou de cobrar questões discursivas na 1ª fase) Botânica passou a

Leia mais

34 Por que as vacas mastigam o tempo todo?

34 Por que as vacas mastigam o tempo todo? A U A UL LA Por que as vacas mastigam o tempo todo? Nos sítios e fazendas que têm criação de gado, os bois e vacas se espalham pelo pasto e têm hora certa para ir ao cocho receber o trato. O trato pode

Leia mais

Data: /08/14 Bimestr e: Nome: 9 ANO Nº Disciplina Biologia Valor da Prova / Atividade:

Data: /08/14 Bimestr e: Nome: 9 ANO Nº Disciplina Biologia Valor da Prova / Atividade: Data: /08/14 Bimestr e: 2 Nome: 9 ANO Nº Disciplina Biologia : Valor da Prova / Atividade: Professo r: Ângela Nota: Objetivo / Instruções: Lista de Recuperação 1.Explique a principal diferença entre sociedade

Leia mais

III BIMESTRE TRABALHO DE BIOLOGIA 2011

III BIMESTRE TRABALHO DE BIOLOGIA 2011 III BIMESTRE TRABALHO DE BIOLOGIA 2011 INSTRUÇÕES 1. Preencha o cabeçalho e com o nome completo de cada aluno da equipe MÉDIA = 2. Todas as respostas deverão ser apresentadas nos espaços apropriados, com

Leia mais

BIOLOGIA ECOLOGIA - CONCEITOS ECOLÓGICOS

BIOLOGIA ECOLOGIA - CONCEITOS ECOLÓGICOS BIOLOGIA Prof. Fred ECOLOGIA - CONCEITOS ECOLÓGICOS Ecologia: definição e importância Ecologia é o estudo das relações entre os seres vivos e entre estes e o ambiente em que vivem. Envolve aspectos do

Leia mais

Roteiro de Aula Prática 3º ano Prática 28 Predação e Resposta funcional

Roteiro de Aula Prática 3º ano Prática 28 Predação e Resposta funcional Roteiro de Aula Prática 3º ano Prática 28 Predação e Resposta funcional Pergunta: Qual a importância das relações ecológicas? São as formas de interação entre os diferentes organismos de um ecossistema.

Leia mais

Níveis de Organização

Níveis de Organização Níveis de Organização Indivíduo Átomos Moléculas Células Tecidos Órgãos Sistemas capazes de se cruzarem entre si, originando indivíduos férteis. Ex: Cachorro População: grupo de indivíduos da mesma espécie

Leia mais

ECOLOGIA I - CONCEITOS GERAIS

ECOLOGIA I - CONCEITOS GERAIS BIOLOGIA ECOLOGIA I - CONCEITOS GERAIS Ecologia é o estudo das relações entre os seres vivos e o ambiente onde vivem. É uma ciência que estuda os seres vivos acima do nível do organismo individual, estuda,

Leia mais

5ª SÉRIE/6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL UM MUNDO MELHOR PARA TODOS

5ª SÉRIE/6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL UM MUNDO MELHOR PARA TODOS 5ª SÉRIE/6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL UM MUNDO MELHOR PARA TODOS Auno(a) N 0 6º Ano Turma: Data: / / 2013 Disciplina: Ciências UNIDADE I Professora Martha Pitanga ATIVIDADE 01 CIÊNCIAS REVISÃO GERAL De

Leia mais

COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA

COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA A prova de Biologia da UFPR apresentou uma boa distribuição de conteúdos ao longo das nove questões. O grau de dificuldade variou entre questões médias e fáceis, o que está

Leia mais

Introdução à Ecologia Prof. Fernando Belan

Introdução à Ecologia Prof. Fernando Belan Introdução à Ecologia Prof. Fernando Belan Ecologia (oikos = casa; logos = ciência) Estuda as relações entre os seres vivos, e o ambiente em que vivem; Multidisciplinar A Ecologia é complexa, e envolve:

Leia mais

PRA INÍCIO DE CONVERSA

PRA INÍCIO DE CONVERSA SEJA Ciências da Natureza Biologia Autor: Tiago Madruga Módulo 4 Unidade 2: Interações Ecológicas A Teia da Vida Designer instrucional: Aline Beatriz Alves PRA INÍCIO DE CONVERSA Uma das características

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO ADMINISTRAÇÀO DISCIPLINA: MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO PROF: NAZARÉ FERRÀO TURMA: 7-ADN-1

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO ADMINISTRAÇÀO DISCIPLINA: MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO PROF: NAZARÉ FERRÀO TURMA: 7-ADN-1 1 CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO ADMINISTRAÇÀO DISCIPLINA: MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO PROF: NAZARÉ FERRÀO TURMA: 7-ADN-1 I. MEIO AMBIENTE CONCEITOS MEIO AMBIENTE Tudo o que cerca o ser vivo,

Leia mais

ECOLOGIA DE POPULAÇÕES E RELAÇÕES ECOLÓGICAS

ECOLOGIA DE POPULAÇÕES E RELAÇÕES ECOLÓGICAS ECOLOGIA DE POPULAÇÕES E RELAÇÕES ECOLÓGICAS Antes de considerarmos como os ecólogos estudam as populações, precisamos saber de que modo eles definem populações. Uma população consiste nos indivíduos de

Leia mais

Ecologia: definição. OIKOS Casa LOGOS Estudo. Ciência que estuda as relações entre os seres vivos e desses com o ambiente.

Ecologia: definição. OIKOS Casa LOGOS Estudo. Ciência que estuda as relações entre os seres vivos e desses com o ambiente. Profª Kamylla Ecologia: definição OIKOS Casa LOGOS Estudo Ciência que estuda as relações entre os seres vivos e desses com o ambiente. Componentes do Ecossistema Substâncias Abióticas; Componentes Bióticos:

Leia mais

Resoluções das atividades

Resoluções das atividades LIVRO 5 BIOLOGIA 3 Resoluções das atividades Sumário Aula 18 Fluxo de energia no ecossistema...1 Aula 19 Ciclos biogeoquímicos...2 Aula 20 Dinâmica das populações...4 Aula 21 Interações ecológicas I...6

Leia mais

ORIENTAÇÕES DE ESTUDO PARA RECUPERAÇÃO. 2º Semestre - 2015

ORIENTAÇÕES DE ESTUDO PARA RECUPERAÇÃO. 2º Semestre - 2015 Estrada do Açude, 250 - Alto da Boa Vista Rio de Janeiro RJ CEP. 20.531-330 Tels.: 2492-2124 /2492-2243 -www.marcelinas. com.br -email:colegiorj@marcelinas.com.br ORIENTAÇÕES DE ESTUDO PARA RECUPERAÇÃO

Leia mais

Interação interespecífica

Interação interespecífica Interação interespecífica Plano de Aula Objetivos: conhecer os mecanismos de comunicação entre espécies diferentes e os contextos em elas ocorrem e os possíveis mecanismos co-evolutivos Introdução Relações

Leia mais

Maxillaria silvana Campacci

Maxillaria silvana Campacci Ecologia Aula 1 Habitat É o lugar que reúne as melhores condições de vida para uma espécie. Temperatura, quantidade de água, intensidade da luz solar e tipo de solo determinam se o habitat é adequado ao

Leia mais

Cadeia alimentar 3º ano

Cadeia alimentar 3º ano Cadeia alimentar 3º ano O equilíbrio ecológico depende diretamente da interação, das trocas e das relações que os seres vivos estabelecem entre si e com o ambiente. Os seres respiram, vivem sobre o solo

Leia mais

E C O L O G I A. Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que a tornam habitável

E C O L O G I A. Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que a tornam habitável E C O L O G I A Deriva do grego oikos, com sentido de casa e logos com sentido de estudo Portanto, trata-se do estudo do ambiente da casa Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que

Leia mais

FASCÍCULO 3 UNIDADES 12, 13, 14, 15, 16 CIÊNCIAS 6ª SÉRIE

FASCÍCULO 3 UNIDADES 12, 13, 14, 15, 16 CIÊNCIAS 6ª SÉRIE FASCÍCULO 3 UNIDADES 12, 13, 14, 15, 16 CIÊNCIAS 6ª SÉRIE UNIDADE 12 : RELAÇÕES ECOLÓGICAS UNIDADE 13 : Doenças emergentes e reemergentes UNIDADE 14 :Introdução à Ecologia UNIDADE 15 :O que é um bioma?

Leia mais

Entre os seres vivos de um ecossistema, há um inter relacionamento dinâmico e equilibrado, que permite a troca de matéria e de energia.

Entre os seres vivos de um ecossistema, há um inter relacionamento dinâmico e equilibrado, que permite a troca de matéria e de energia. Cadeia alimentar A biosfera, parte do planeta onde vivem os seres vivos, é formado por ecossistemas. O ecossistema é constituído por comunidades (parte biótica) e os fatores físicos e químicos do meio

Leia mais

Ecologia. 1) Níveis de organização da vida

Ecologia. 1) Níveis de organização da vida Introdução A ciência que estuda como os seres vivos se relacionam entre si e com o ambiente em que vivem e quais as conseqüências dessas relações é a Ecologia (oikos = casa e, por extensão, ambiente; logos

Leia mais

No caso da Candida spp. se tornar patogênica, como se denomina a relação interespecífica entre esse fungo e o ser humano? Justifique sua resposta.

No caso da Candida spp. se tornar patogênica, como se denomina a relação interespecífica entre esse fungo e o ser humano? Justifique sua resposta. 1. (Unesp 2013) Texto 1 O biopoder, sem a menor dúvida, foi elemento indispensável ao desenvolvimento do capitalismo, que só pode ser garantido à custa da inserção controlada dos corpos no aparelho de

Leia mais

Aula 11 Cadeia alimentar

Aula 11 Cadeia alimentar Aula 11 Cadeia alimentar A biosfera, parte do planeta onde vivem os seres vivos, é formado por ecossistemas. O ecossistema é constituído por comunidade (parte biótica) e os fatores físicos e químicos do

Leia mais

Seleção Natural e adaptação AULA 6

Seleção Natural e adaptação AULA 6 Seleção Natural e adaptação AULA 6 A teoria da seleção natural! Provavelmente uma das mais importantes ideiasna história da humanidade! Explicação para o surgimento das adaptações dos organismos e para

Leia mais

Atividade extra. Questão 1. Questão 2. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Biologia. A diversidade biológica é o fruto da variação genética.

Atividade extra. Questão 1. Questão 2. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Biologia. A diversidade biológica é o fruto da variação genética. Atividade extra Questão 1 A diversidade biológica é o fruto da variação genética. Falar em biodiversidade e em tempo significa, necessariamente, falar de: a. Degeneração. b. Conservação. c. Evolução. d.

Leia mais

FACULDADES SANTO AGOSTINHO DE SETE LAGOAS FASASETE - CURSO: ENGENHARIA AMBIENTAL UNIDADE IV - DISCIPLINA: ECOLOGIA - Prof.: Ramon L. O.

FACULDADES SANTO AGOSTINHO DE SETE LAGOAS FASASETE - CURSO: ENGENHARIA AMBIENTAL UNIDADE IV - DISCIPLINA: ECOLOGIA - Prof.: Ramon L. O. FACULDADES SANTO AGOSTINHO DE SETE LAGOAS FASASETE - CURSO: ENGENHARIA AMBIENTAL UNIDADE IV - DISCIPLINA: ECOLOGIA - Prof.: Ramon L. O. Junior Nome: 01. Classifique as relações seguintes conforme o modelo

Leia mais

Delza - Ciências 6ª Série RECUPERAÇÂO. QUESTÃO 1 (Descritor: associar características básicas à classificação dos seres vivos.)

Delza - Ciências 6ª Série RECUPERAÇÂO. QUESTÃO 1 (Descritor: associar características básicas à classificação dos seres vivos.) Delza - Ciências 6ª Série RECUPERAÇÂO QUESTÃO 1 (Descritor: associar características básicas à classificação dos seres vivos.) Assunto: Classificação dos seres vivos Os cientistas estabeleceram um sistema

Leia mais

Fascículo 7 Unidades 16, 17 e 18. 2ª Edição

Fascículo 7 Unidades 16, 17 e 18. 2ª Edição 2ª Edição Fascículo 7 Unidades 16, 17 e 18 GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Governador Luiz Fernando de Souza Pezão SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA Secretário de Estado Alexandre Vieira

Leia mais

Peixes e crustaceos Nativos da PVSuL

Peixes e crustaceos Nativos da PVSuL Peixes e crustaceos Nativos da PVSuL Alguns, encobertos pela água. Outros, ativos à noite. A maioria, raramente vista. Os peixes e crustáceos presentes no PV-Sul representam dois grupos de animais presentes

Leia mais

Biologia II. Módulo 5. Questões de aplicação. Trabalhando o ENEM

Biologia II. Módulo 5. Questões de aplicação. Trabalhando o ENEM Biologia II Módulo 5 Questões de aplicação 1. Porque o líquen é uma associação entre algas (de uma determinada espécie) e fungos (de outra espécie). Trata- -se de um mutualismo, uma troca de benefícios

Leia mais

b) a transpiração estomatar e a força de adesão das moléculas de água com as paredes dos vasos liberianos.

b) a transpiração estomatar e a força de adesão das moléculas de água com as paredes dos vasos liberianos. 21 c BIOLOGIA A figura mostra a subida da água, desde a raiz até as folhas. Essa subida envolve principalmente: a) a transpiração cuticular e a força de coesão das moléculas de água. b) a transpiração

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS UNIDADE 1 Conteúdos. UNIDADE 2 Conteúdos

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS UNIDADE 1 Conteúdos. UNIDADE 2 Conteúdos Ser humano: semelhanças e diferenças (características físicas e comportamentais, gostos pessoais) Partes do corpo humano Sentidos humanos: audição, visão, paladar, tato e olfato Cuidados com os órgãos

Leia mais

Centro de Ensino Médio Setor Leste Disciplina: Biologia Professor: João Couto Aluno: Bruce do Souza Melo Turma: 2 N. Ecologia

Centro de Ensino Médio Setor Leste Disciplina: Biologia Professor: João Couto Aluno: Bruce do Souza Melo Turma: 2 N. Ecologia Centro de Ensino Médio Setor Leste Disciplina: Biologia Professor: João Couto Aluno: Bruce do Souza Melo Turma: 2 N Ecologia O que é ecologia? Nenhum ser vivo ou grupo de seres vivos consegue existir em

Leia mais

INTER-ESPECÍFICAS NEGATIVAS (DESARMÔNICAS)

INTER-ESPECÍFICAS NEGATIVAS (DESARMÔNICAS) RELAÇÕES ECOLÓGICAS RELAÇÕES INTRA-ESPECÍFICAS / HARMÔNICAS OU POSITIVAS 1. Sociedade: os organismos sociais podem movimentar-se livremente dentro da sociedade, como também abandonar o substrato de morada

Leia mais

Broca da madeira. Atividade de Aprendizagem 19. Eixo(s) temático(s) Vida e ambiente

Broca da madeira. Atividade de Aprendizagem 19. Eixo(s) temático(s) Vida e ambiente Atividade de Aprendizagem 19 Broca da madeira Eixo(s) temático(s) Vida e ambiente Tema Interações entre os seres vivos / características e diversidade dos seres vivos / manutenção da vida e integração

Leia mais

Comunidade ou biocenose Ecossistemas Ecótone Biosfera Populações

Comunidade ou biocenose Ecossistemas Ecótone Biosfera Populações Comunidade ou biocenose Conjunto de populações (seres de espécies diferentes) que vive em uma determinada área, mantendo relações entre si. Ecossistemas Conjunto de todas comunidades, associadas ao ambiente

Leia mais

NETXPLICA http://forum.netxplica.com TESTE DE AVALIAÇÃO 8º Ano Ciências Naturais Ecossistemas fluxos de energia e ciclos de matéria

NETXPLICA http://forum.netxplica.com TESTE DE AVALIAÇÃO 8º Ano Ciências Naturais Ecossistemas fluxos de energia e ciclos de matéria Classificação Encarregado de Educação Nome nº Turma Data / / 08 GRUPO I (Cotação = 25 pontos: 1.1-10x2=20 + 1.2-5 pontos) 1. Considera a figura seguinte, que representa o fluxo de energia numa cadeia alimentar.

Leia mais

6º ANO Ensino Fundamental

6º ANO Ensino Fundamental E n s in o F o r t e e d e R e s u l t a do s Estudante: Centro Educacio nal Juscelino K ub itschek G u a r á Exercícios Rec. Semestral 2º Bimestre C I Ê N C I A S 6º ANO Ensino Fundamental Data: / / Turno:

Leia mais