Cursos Profissionais de Nível Secundário

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cursos Profissionais de Nível Secundário"

Transcrição

1 Cursos Profissionais de Nível Secundário Técnico de Apoio à infância e Técnico de Turismo Ano Letivo: 2014/2015 Matemática (100 horas) 10º Ano PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO A1 Geometria Resolução de problemas de geometria no plano e no espaço aulas O método das coordenadas para estudar geometria no plano e no espaço aulas Avaliação diagnóstica e sumativa 8 aulas Revisões e correção dos testes 4 aulas Total...54 aulas (40,5 horas) A3 Estatística Organização e interpretação de caracteres estatísticos (qualitativos e quantitativos)..22 aulas Referência a distribuições bidimensionais (abordagem gráfica e intuitiva).. 8 aulas Avaliações diagnóstica e sumativa 8 aulas Revisões e correção dos testes..4 aulas Total...42 aulas (31,5 horas) B5 Jogos e Matemática Experiência de diferentes tipos de jogos aulas Análise de alguns jogos aulas A Matemática por detrás de alguns dos jogos estudados....4 aulas Realização e apresentação dos trabalhos.. 12 aulas Total...48 aulas (36 horas) Total final.144 aulas (108 horas)

2 A1 Geometria Sensibilidade para apreciar a geometria no mundo real e o reconhecimento e a utilização de ideias geométricas em diversas situações e na comunicação; Aptidão para utilizar a visualização, a representação e o raciocínio espacial na análise de situações problemáticas realistas e na resolução de problemas; Aptidão para formular argumentos válidos recorrendo à visualização e ao raciocínio espacial, explicitando-os em linguagem corrente; Aptidão para reconhecer e analisar propriedades de figuras geométricas, nomeadamente recorrendo a materiais manipuláveis e à tecnologia. Construir modelos (maquetes e desenhos) úteis e adequados à resolução de problemas, com recurso a medição e escalas. Mobilizar resultados Matemáticos básicos necessários apropriados para simplificar o trabalho na resolução de problemas; Comunicar, oralmente e por escrito, aspetos dos processos de trabalho e crítica dos resultados; Identificar as vantagens do uso de um referencial; Instalar um referencial numa figura (ou uma figura num referencial) de forma a obter as melhores coordenadas ; Reconhecer as relações entre as coordenadas de pontos simétricos relativamente aos eixos coordenados e, no espaço, relativamente aos planos coordenados; Escrever a equação de uma reta representada graficamente e vice-versa. Resolução de problemas de geometria no plano e no espaço 26 aulas Resolução de problemas envolvendo conhecimentos básicos 8 aulas Os números na resolução de problemas geométricos..10 aulas Semelhanças no plano e no espaço..6 aulas

3 Problema histórico e a sua ligação com a história da Matemática 2 aulas O método das coordenadas para estudar geometria no plano e no espaço..16 aulas Referenciais cartesianos..4 aulas Referenciais cartesianos ortonormados no plano e no espaço. Correspondência entre o plano e 2 3, entre o espaço e. Conjuntos de pontos e condições 5 aulas x x Equação reduzida da reta no plano e equação 0.7 aulas Avaliações diagnóstica, formativa e sumativa (Apresentação, 1 ficha diagnóstico, testes, trabalhos individual / grupo)...12 aulas A3 Estatística Tendência para usar a matemática, em combinação com outros saberes, na compreensão de situações da realidade, bem como o sentido crítico relativamente à utilização de procedimentos e resultados matemáticos; Predisposição para recolher e organizar dados relativos a uma situação ou a um fenómeno e para os representar de modos adequados, nomeadamente através de tabelas e gráficos e utilizando as novas tecnologias; Aptidão para ler e interpretar tabelas e gráficos à luz de situações a que dizem respeito e para comunicar os resultados das interpretações feitas; Tendência para dar resposta a problemas com base na análise de dados recolhidos e de experiências planeadas para o efeito; Aptidão para realizar investigações que recorram a dados de natureza quantitativa, envolvendo a recolha e análise de dados e elaboração de conclusões; Sentido crítico face ao modo como a informação é apresentado. Definir o problema a estudar; Realizar recolhas de dados; Organizar e tratar os dados através do cálculo das medidas estatísticas (de centralidade e dispersão), sua interpretação e representação gráfica; Selecionar as formas de representação gráfica mais adequadas à estatística a trabalhar e interpretá-las criticamente;

4 Desenvolver o sentido crítico face ao modo como a informação é apresentada; Comunicar raciocínios e/ou argumentos matemáticos quer na forma oral e/ou escrita; Realizar um trabalho de projeto, partindo de uma situação problemática da vida real relacionada com percursos profissionais, com necessidades industriais ou comerciais (controle de qualidade da cadeia de produção), com rentabilização de recursos (negociado com os estudantes). Organização e interpretação de caracteres estatísticos...22 aulas Generalidades..3 aulas Tipos de caracteres estatísticos....3 aulas Formas de representação...6 aulas Medidas de localização central....6 aulas Medidas de dispersão....4 aulas Referência a distribuições bidimensionais 8 aulas Diagrama de dispersão; dependência estatística e correlação positiva e negativa.2 aulas Coeficiente de correlação..2 aulas Definição de centro de gravidade de um conjunto finito de pontos...2 aulas Reta de regressão..2 aulas Avaliações diagnóstica e sumativa (1 ficha diagnóstico, 1 trabalho individual / grupo, 2 testes)... 8 aulas Revisões e correção dos testes... 4 aulas B5- Jogos e Matemática Compreensão do valor motivador de jogos de raciocínio; Compreensão de como o desenvolvimento em atividades de jogos representa um desenvolvimento das capacidades de raciocínio; Aptidão para discutir estratégias para os jogos;

5 Aptidão para usar a Matemática como forma de analisar e elaborar estratégias ganhadoras para jogos. Aprender a jogar alguns quebra-cabeças e jogos de raciocínio de diferentes tipos; Aprender a analisar alguns jogos e situações simplificadas dos jogos estudados; Perceber como a Matemática pode ajudar a explicar ou garantir estratégias ganhadoras para alguns jogos. Experiência de cada um dos seguintes jogos de raciocínio..16 aulas Quebra-cabeças 2 aulas Truques de cartas...2 aulas Jogos com números.4 aulas Jogos geométricos..2 aulas Jogos de tabuleiro para um só jogador..2 aulas Jogos de tabuleiro para dois jogadores.4 aulas Análise de alguns jogos..16 aulas Análise de algumas situações simplificadas dos jogos, determinando se conduzem à vitória ou derrota...6 aulas Análise de algumas situações ganhadoras e justificação de que são ganhadoras...5 aulas Prova de que um dos jogadores tem vantagem ou de que existe uma estratégia ganhadora...5 aulas A Matemática por detrás de alguns dos jogos estudados...4 aulas Justificações numéricas...1 aula Justificação dos truques de cartas...1 aula Justificações algébricas...2 aulas Avaliação Realização e apresentação dos trabalhos aulas

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO. Plano da Unidade

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO. Plano da Unidade Unidade de Ensino: OPERAÇÕES COM NÚMEROS RACIONAIS ABSOLUTOS (adição e subtracção). Tempo Previsto: 3 semanas O reconhecimento do conjunto dos racionais positivos, das diferentes formas de representação

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CADAVAL

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CADAVAL AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CADAVAL DEPARTAMENTO: PLANIFICAÇÃO ANUAL - ANO LETIVO: DISCIPLINA: Matemática A (12.º ano) Matemática e Ciências Experimentais 2015/2016 UNIDADE Tema 1 - Probabilidades e Combinatória

Leia mais

Tema 0: Módulo Inicial Nº de Aulas Previstas (90 m): 18

Tema 0: Módulo Inicial Nº de Aulas Previstas (90 m): 18 Planificação Anual Matemática A 0º Ano Ano Lectivo 0/0 Tema 0: Módulo Inicial Nº de Aulas Previstas (90 m): 8 (BLOCOS DE 90M) Revelar espírito crítico, de rigor e confiança nos seus raciocínios. Abordar

Leia mais

Matemática 3º Ciclo. Planificação Anual 7.º ano. N.º de aulas. Objectivos 1.º PERÍODO. Ano Lectivo 2009/2010. Apresentação 1. Teste Diagnóstico 2

Matemática 3º Ciclo. Planificação Anual 7.º ano. N.º de aulas. Objectivos 1.º PERÍODO. Ano Lectivo 2009/2010. Apresentação 1. Teste Diagnóstico 2 i Temas Sub-temas Objectivos 1.º PERÍODO Apresentação 1 Teste Diagnóstico 2 Múltiplos e divisores. Critérios de divisibilidade. Obter números, a partir de outros, por composição e decomposição; Números

Leia mais

2º ANO Reconhecer e utilizar características do sistema de numeração decimal, tais como agrupamentos e trocas na base 10 e princípio do valor posicion

2º ANO Reconhecer e utilizar características do sistema de numeração decimal, tais como agrupamentos e trocas na base 10 e princípio do valor posicion PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO DESCRITORES DE MATEMÁTICA PROVA - 3º BIMESTRE 2011 2º ANO Reconhecer e utilizar

Leia mais

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo Matemática - 6º Ano. Metas/Objetivos. Instrumentos de Avaliação

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo Matemática - 6º Ano. Metas/Objetivos. Instrumentos de Avaliação DOMÍNIOS e subdomínios GEOMETRIA E -Figuras geométricas planas -Medida -Isometrias do plano GM6-1, 5, 6, 9, 10 NÚMEROS E Metas/Objetivos Objetivos gerais Relacionar circunferências com ângulos, retas e

Leia mais

Aulas Previstas. Objectivos Conteúdos Estratégias/Actividades Recursos Avaliação

Aulas Previstas. Objectivos Conteúdos Estratégias/Actividades Recursos Avaliação Escola E.B. 2.3 de Pedro de Santarém PLANIFICAÇÃO ANUAL MATEMÁTICA 5º ANO 2010/2011 Objectivos Conteúdos Estratégias/Actividades Recursos Avaliação Aulas Previstas Preparar e organizar o trabalho a realizar

Leia mais

MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 3º BIMESTRE º B - 11 Anos

MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 3º BIMESTRE º B - 11 Anos PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO/ SEÇÃO DE ENSINO FORMAL Centro de Formação Pedagógica CENFOP MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 3º

Leia mais

Planificação a médio e longo prazo. Matemática B. 11º Ano de escolaridade. Total de aulas previstas: 193. Ano letivo 2015/2016

Planificação a médio e longo prazo. Matemática B. 11º Ano de escolaridade. Total de aulas previstas: 193. Ano letivo 2015/2016 Planificação a médio e longo prazo Matemática B 11º Ano de escolaridade. Total de aulas previstas: 193 Ano letivo 2015/2016 Professor responsável: Paulo Sousa I O programa Matemática B do 11º Ano - Página

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã 0 3 º C I C L O

P L A N I F I C A Ç Ã 0 3 º C I C L O P L A N I F I C A Ç Ã 0 3 º C I C L O 2015-2016 DISCIPLINA / ANO: Matemática / 8º Ano MANUAL ADOTADO: MATEMÁTICA EM AÇÃO 8 (E.B. 2,3) / MATEMÁTICA DINÂMICA 8 (SEDE) GESTÃO DO TEMPO 1º PERÍODO Nº de tempos

Leia mais

Análise dos descritores da APR II 4ª série/5º ano Matemática

Análise dos descritores da APR II 4ª série/5º ano Matemática Análise dos descritores da APR II 4ª série/5º ano Matemática D10 Num problema, estabelecer trocas entre cédulas e moedas do sistema monetário brasileiro, em função de seus valores. O que é? Por meio deste

Leia mais

P L A N O D E E N S I N O A N O D E ÁREA / DISCIPLINA: CIÊNCIAS DA NATUREZA / MÁTEMÁTICA

P L A N O D E E N S I N O A N O D E ÁREA / DISCIPLINA: CIÊNCIAS DA NATUREZA / MÁTEMÁTICA P L A N O D E E N S I N O A N O D E 2 0 1 3 ÁREA / DISCIPLINA: CIÊNCIAS DA NATUREZA / MÁTEMÁTICA Professor(a): ALOÍSIO MOISÉS DAUANNY JÚNIOR ANO: Nº DE HORAS/AULA SEMANAL: TOTAL DE HORAS/AULA/ANO: 1º 03

Leia mais

Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo

Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo A avaliação, como parte integrante do processo de ensino/ aprendizagem, deverá ter em conta: Os programas e as metas curriculares em vigor para o 1º ciclo;

Leia mais

MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 2º BIMESTRE º B - 11 Anos

MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 2º BIMESTRE º B - 11 Anos PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO/ SEÇÃO DE ENSINO FORMAL Centro de Formação Pedagógica CENFOP MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 2º

Leia mais

Plano Curricular de Matemática 4.º Ano - Ano Letivo 2016/2017

Plano Curricular de Matemática 4.º Ano - Ano Letivo 2016/2017 4.º Ano - Ano Letivo 2016/2017 1.º Período - Números naturais Números e operações Contar Estender as regras de construção dos numerais decimais para classes de grandeza indefinida; Conhecer os diferentes

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio ETEC Prof. Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital-SP Área de conhecimento: Ciências da Natureza Matemática e suas Tecnologias Componente Curricular:

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL: ANO LETIVO 2013/2014 DISCIPLINA DE MATEMÁTICA 7 º ANO

PLANIFICAÇÃO ANUAL: ANO LETIVO 2013/2014 DISCIPLINA DE MATEMÁTICA 7 º ANO DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E TECNOLOGIAS ÁREA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA PLANIFICAÇÃO ANUAL: ANO LETIVO 2013/2014 DISCIPLINA DE MATEMÁTICA 7 º ANO CALENDARIZAÇÃO DO ANO LETIVO Período Início Fim Nº Semanas

Leia mais

Critérios de avaliação Geometria Descritiva A 10º/11º

Critérios de avaliação Geometria Descritiva A 10º/11º 1. Finalidades da Disciplina Segundo o programa da disciplina de Geometria Descritiva: http://sitio.dgidc.minedu.pt/recursos/lists/repositrio%20recursos2/attachments/235/geometria_desc_a_10_11.pd f Desenvolver

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DOS DOMÍNIOS POR PERÍODO

DISTRIBUIÇÃO DOS DOMÍNIOS POR PERÍODO DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS Planificação Anual da Disciplina de Matemática 10.º ano Ano Letivo de 2015/2016 Manual adotado: Máximo 10 Matemática A 10.º ano Maria Augusta Ferreira

Leia mais

FORMAÇÃO PROFISSIONAL Inscrições abertas até dia 31/10/2015 em: Formação refª 01/2015. Curso Novo Código do Procedimento Administrativo *

FORMAÇÃO PROFISSIONAL Inscrições abertas até dia 31/10/2015 em: Formação refª 01/2015. Curso Novo Código do Procedimento Administrativo * FORMAÇÃO PROFISSIONAL 2015 Inscrições abertas até dia 31/10/2015 em: https://gesdoc.uevora.pt/pedidos/requisicoes/efetuar/drh_inscricao_em_acao_formacao Formação refª 01/2015 Curso Novo Código do Procedimento

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã 0 E n s i n o S e c u n d á r i o

P L A N I F I C A Ç Ã 0 E n s i n o S e c u n d á r i o P L A N I F I C A Ç Ã 0 E n s i n o S e c u n d á r i o 2015-2016 DISCIPLINA / ANO: Matemática A 10ºano de escolaridade MANUAL ADOTADO: NOVO ESPAÇO 10 GESTÃO DO TEMPO Nº de Nº de Nº de tempos tempos tempos

Leia mais

Desenho Técnico e CAD CAD e Sistemas de Coordenadas. Computação Gráfica. Computação Gráfica

Desenho Técnico e CAD CAD e Sistemas de Coordenadas. Computação Gráfica. Computação Gráfica Desenho Técnico e CAD CAD e Prof. Luiz Antonio do Nascimento Engenharia Ambiental 3º Semestre Computação Gráfica Ramo da computação dedicado à geração, tratamento, apresentação e armazenamento de imagens

Leia mais

NÚMEROS E ÁLGEBRA FUNÇÕES

NÚMEROS E ÁLGEBRA FUNÇÕES Professores: Josiane Caroline Protti Disciplina: Matemática Ano: 1º ano E Período: 1º Bimestre - Atividades com os alunos para - Atividades dos livros didáticos e - Correção das atividades na lousa e individual.

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Velas Planificação Anual

Escola Básica e Secundária de Velas Planificação Anual Escola Básica e Secundária de Velas Planificação Anual MATEMÁTICA 10º ANO (CURSO PROFISSIONAL) ANO LETIVO 201/2014 Módulo I: Estatística Nº de Aulas Previstas (90 m): 18 Conteúdos Objetivos Estratégias/

Leia mais

1 EMENTA 2 OBJETIVOS DO COMPONENTE CURRICULAR 3 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. Cálculo e Raios e comprimentos Plano cartesiano Análise de gráficos

1 EMENTA 2 OBJETIVOS DO COMPONENTE CURRICULAR 3 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. Cálculo e Raios e comprimentos Plano cartesiano Análise de gráficos PLANO DE ENSINO Disciplina Fundamentos de Matemática Código Docente Daniela Macêdo Damaceno Pinheiro Semestre I/2013.1 Carga horária 80h 1 EMENTA Frações Produtos notáveis Funções, equações e inequações

Leia mais

Competência Objeto de aprendizagem Habilidade

Competência Objeto de aprendizagem Habilidade 3ª Matemática 4º Ano E.F. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade BLOCO: ESPAÇO E FORMA C2. Compreender os conceitos relacionados às características, classificações e propriedades das figuras geométricas,

Leia mais

5. Objetivo geral (prever a contribuição da disciplina em termos de conhecimento, habilidades e atitudes para a formação do aluno)

5. Objetivo geral (prever a contribuição da disciplina em termos de conhecimento, habilidades e atitudes para a formação do aluno) ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 1. Curso: Missão do Colégio: Promover o desenvolvimento do cidadão e, na sua ação educativa,

Leia mais

6º ano 1 o TRIMESTRE

6º ano 1 o TRIMESTRE ESCOLA ESTADUAL DE BOA VISTA E.F. Disciplina: Matemática Curso: Ensino Fundamental Anos: 6º, 7º, 8º e 9º anos Professores: Eliane R. Vicente Ano Letivo: 2012 II JUSTIFICATIVA PLANO DE TRABALHO DOCENTE

Leia mais

QUESTÕES PARA O 5º ANO ENSINO FUNDAMENTAL MATEMÁTICA 2º BIMESTRE SUGESTÕES DE RESOLUÇÕES

QUESTÕES PARA O 5º ANO ENSINO FUNDAMENTAL MATEMÁTICA 2º BIMESTRE SUGESTÕES DE RESOLUÇÕES QUESTÕES PARA O 5º ANO ENSINO FUNDAMENTAL MATEMÁTICA 2º BIMESTRE QUESTÃO 01 SUGESTÕES DE RESOLUÇÕES Descritor 27 Ler informações e dados apresentados em tabelas. COMENTÁRIOS Avalia-se, por meio de itens

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL TENENTE JOSÉ LUCIANO Projeto: JOGAR, DIVERTIR E APRENDER COM A DONA MATEMÁTICA

ESCOLA ESTADUAL TENENTE JOSÉ LUCIANO Projeto: JOGAR, DIVERTIR E APRENDER COM A DONA MATEMÁTICA ESCOLA ESTADUAL TENENTE JOSÉ LUCIANO Projeto: JOGAR, DIVERTIR E APRENDER COM A DONA MATEMÁTICA - 2015...o brinquedo desperta interesse e curiosidade... Rubem Alves Autora: Rita Siqueira Público alvo: alunos

Leia mais

EDUCAÇÃO VISUAL 3ºCICLO DO ENSINO BÁSICO

EDUCAÇÃO VISUAL 3ºCICLO DO ENSINO BÁSICO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Os Conteúdos Programáticos estão enunciados segundo o programa em vigor e as Metas Curriculares definidas pelo ministério da Educação e Ciência.* 9.ºANO 1º Período 39/42 aulas previstas

Leia mais

CURRÍCULO DA DISCIPLINA MATEMÁTICA / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014 1º Ciclo Matemática 2º Ano Metas / Objetivos

CURRÍCULO DA DISCIPLINA MATEMÁTICA / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014 1º Ciclo Matemática 2º Ano Metas / Objetivos de Avaliação Números e Operações Números Sistema de numeração decimal Adição e subtração Multiplicação Conhecer os numerais ordinais Contar até mil Reconhecer a paridade Descodificar o sistema de numeração

Leia mais

Colégio de Nossa Senhora de Fátima - Leiria. Geografia 9º ano. Planificação longo prazo. Filipe Miguel Botelho 2012/2013

Colégio de Nossa Senhora de Fátima - Leiria. Geografia 9º ano. Planificação longo prazo. Filipe Miguel Botelho 2012/2013 Colégio de Nossa Senhora de Fátima - Leiria Geografia 9º ano Planificação longo prazo Filipe Miguel Botelho 0/0 TEMA C POPULAÇÃO E POVOAMENTO 6. Áreas de fixação humana Planificação a longo prazo 9º ano

Leia mais

PRINCÍPIOS DA ENGENHARIA DE SOFTWARE- AULA 06. Prof.: Franklin M. Correia

PRINCÍPIOS DA ENGENHARIA DE SOFTWARE- AULA 06. Prof.: Franklin M. Correia 1 PRINCÍPIOS DA ENGENHARIA DE SOFTWARE- AULA 06 Prof.: Franklin M. Correia NOS CAPÍTULOS ANTERIORES... Atividades de Gerenciamento Planejamento de Projetos Programação de Projeto O QUE TEMOS PARA HOJE!!

Leia mais

INFORMAÇÃO- PROVA COMUM

INFORMAÇÃO- PROVA COMUM INFORMAÇÃO- PROVA COMUM 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova comum, do ensino secundário, da disciplina de, a realizar em 2015, conforme decisão do Conselho Pedagógico

Leia mais

Geometria Analítica. Geometria Analítica 28/08/2012

Geometria Analítica. Geometria Analítica 28/08/2012 Prof. Luiz Antonio do Nascimento luiz.anascimento@sp.senac.br www.lnascimento.com.br Conjuntos Propriedades das operações de adição e multiplicação: Propriedade comutativa: Adição a + b = b + a Multiplicação

Leia mais

APROXIMAÇÕES ENTRE O PISA E SAEB

APROXIMAÇÕES ENTRE O PISA E SAEB APROXIMAÇÕES ENTRE O PISA E SAEB PISA Breve histórico Educação comparada: antiga área de investigação Sputinik, 1957 IEA: International Association for the Evaluation of Educational Achievement, 1958 1960:

Leia mais

, a equação. x, y x, y k. u, u, k. x, y 2, 3 k. 1, 2, k. Exemplo: Determina uma equação reduzida da reta que tem declive 3 e ordenada na origem 2.

, a equação. x, y x, y k. u, u, k. x, y 2, 3 k. 1, 2, k. Exemplo: Determina uma equação reduzida da reta que tem declive 3 e ordenada na origem 2. Escola Secundária de lberto Sampaio Ficha Formativa de Matemática Geometria I Inclinação e declive de uma reta no plano; ângulo de duas retas; retas perpendiculares. º no Equação vetorial da reta: Dado

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular BIOMECÂNICA I Ano Lectivo 2016/2017

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular BIOMECÂNICA I Ano Lectivo 2016/2017 Programa da Unidade Curricular BIOMECÂNICA I Ano Lectivo 2016/2017 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Motricidade Humana 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular BIOMECÂNICA

Leia mais

Critérios de Avaliação da Disciplina de Geografia - 3º Ciclo

Critérios de Avaliação da Disciplina de Geografia - 3º Ciclo Critérios de Avaliação da Disciplina de Geografia - 3º Ciclo A função de avaliação corresponde à análise cuidada das aprendizagens conseguidas relativamente às planeadas, devendo traduzir-se numa descrição

Leia mais

Segue, abaixo, o Roteiro de Estudo para a Verificação Global 2 (VG2), que acontecerá no dia 03 de abril de º Olímpico Matemática I

Segue, abaixo, o Roteiro de Estudo para a Verificação Global 2 (VG2), que acontecerá no dia 03 de abril de º Olímpico Matemática I 6º Olímpico Matemática I Sistema de numeração romano. Situações problema com as seis operações com números naturais (adição, subtração, multiplicação, divisão, potenciação e radiciação). Expressões numéricas

Leia mais

ANIMAÇÃO DE LEITURA THEKA

ANIMAÇÃO DE LEITURA THEKA THEKA O que é? Para que serve? Que objectivos queremos alcançar? Que iniciativas utilizar? Que actividades desenvolver? Que estratégias aplicar? Como avaliar? COMO ENTENDÊ-LA ENTUSIASMAR? ANIMAR? DINAMIZAR?

Leia mais

PROJETO E TECNOLOGIAS 10º ANO

PROJETO E TECNOLOGIAS 10º ANO Escola Artística de Soares dos Reis Rua Major David Magno, 4000-191 Porto Tlf.: 225 371 010. Fax: 225 102 187 www.essr.net CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2014 2015 PROJETO E TECNOLOGIAS 10º ANO I - CRITÉRIOS GERAIS

Leia mais

Escola Secundária de Camões

Escola Secundária de Camões Escola Secundária de Camões INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 315 Física Curso Científico-Humanístico de Ciências e Tecnologias- 12ºano Duração da prova escrita: 90 min Duração da prova prática:

Leia mais

AULA 4 OS DESENHOS DE PESQUISA

AULA 4 OS DESENHOS DE PESQUISA AULA 4 OS DESENHOS DE PESQUISA Roteiro da aula 1. Por que planejar a pesquisa? 2. Principais tipos de desenhos de pesquisa - Quantitativos ou qualitativos - Transversais ou longitudinais - Exploratórios,

Leia mais

CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO ANO LETIVO 2015/2016 PLANO DE ESTUDOS. O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados:

CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO ANO LETIVO 2015/2016 PLANO DE ESTUDOS. O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados: PLANO DE ESTUDOS O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados: 1.º PERÍODO DOMÍNIO SUBDOMÍNIO / CONTEÚDOS 1. Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o

Leia mais

Reunião de Pais 3º ano A 2015 Professora: Renata Estagiária: Tatiane

Reunião de Pais 3º ano A 2015 Professora: Renata Estagiária: Tatiane Reunião de Pais 3º ano A 2015 Professora: Renata Estagiária: Tatiane Avaliação Relatório 1º Trimestre 3º ano 2015 Aluno(a): Professora: MATEMÁTICA Não atingiu os objetivos propostos Atingiu minimamente

Leia mais

Cada programa, projeto ou produto possui determinadas fases de desenvolvimento: São as

Cada programa, projeto ou produto possui determinadas fases de desenvolvimento: São as Cada programa, projeto ou produto possui determinadas fases de desenvolvimento: São as chamadas fases do ciclo de vida de um PROJETO Planeamento a) Fase Inicial - concetual b) Fase de planeamento c) Fase

Leia mais

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Planificação Anual das Atividades Letivas

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Planificação Anual das Atividades Letivas Departamento Curricular/Ciclo: 1.º Ciclo Área Curricular: Matemática Ano de escolaridade: 1.º Ano letivo: 2015/2016 Perfil do aluno à saída do 1º ciclo: Participar na vida sala de aula, da escola e da

Leia mais

Atividade 1. Objetivos: Planificação: Etapa 1. Debata: Tempo: 3 horas. Disciplinas: Ciências Naturais, Ciências Sociais, Inglês.

Atividade 1. Objetivos: Planificação: Etapa 1. Debata: Tempo: 3 horas. Disciplinas: Ciências Naturais, Ciências Sociais, Inglês. Atividade 1 Tempo: 3 horas Disciplinas: Ciências Naturais, Ciências Sociais, Inglês. Ciclo de ensino: Ensino secundário da área das ciências. Objetivos: Conseguir decifrar e compreender um artigo científico

Leia mais

Curso Científico-Humanístico de Artes Visuais - Ensino Secundário

Curso Científico-Humanístico de Artes Visuais - Ensino Secundário ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA - ANO LECTIVO 2014/2015 DEPARTMENTO DE EXPRESSÕES GRUPO 600 Planificação Anual Geometria Descritiva A 10º Ano Curso Científico-Humanístico de Artes Visuais - Ensino Secundário

Leia mais

Licenciatura em Matemática

Licenciatura em Matemática Licenciatura em atemática Ano Letivo 2012/2013 Acesso Geral Códigos nstituição/curso: 0300 / 9209 Condições Prova de ingresso: atemática (19) O cálculo da nota de acesso considera: 0% da nota do ensino

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA DISCIPLINA DE FÍSICA E QUÍMICA A

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA DISCIPLINA DE FÍSICA E QUÍMICA A AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LOUSÃ-161391 ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DA LOUSÃ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA DISCIPLINA DE FÍSICA E QUÍMICA A ENSINO SECUNDÁRIO Ano Letivo 2015/2016 A avaliação à disciplina

Leia mais

ESCALAS DE TEMPERATURA (Proporcionalidade Directa)

ESCALAS DE TEMPERATURA (Proporcionalidade Directa) ESCALAS DE TEMPERATURA (Proporcionalidade Directa) Citações: Utilização das tecnologias na aprendizagem da Matemática Todos os alunos devem aprender a utilizar não só a calculadora elementar mas também,

Leia mais

Plano Curricular de Matemática 5ºAno - 2º Ciclo

Plano Curricular de Matemática 5ºAno - 2º Ciclo Plano Curricular de Matemática 5ºAno - 2º Ciclo Domínio Conteúdos Metas Nº de Tempos Previstos Numeros e Operações Números racionais não negativos (Educação Financeira) - Cidadania - Simplificação de frações;

Leia mais

2º Ciclo Planificação Curricular Ano letivo: 2014/15

2º Ciclo Planificação Curricular Ano letivo: 2014/15 Planificação anual Domínios Objetivos Metas Descritores de desempenho Conteúdos Avaliação Aulas (Tempos) Técnica Conhecer a origem e propriedades dos materiais Reconhecer processos de transformação das

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA DEPARTAMENTO DE ENSINO CURSO TÉCNICO INTEGRADO EM ELETROTÉCNICA 1ºANO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA DEPARTAMENTO DE ENSINO CURSO TÉCNICO INTEGRADO EM ELETROTÉCNICA 1ºANO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA DEPARTAMENTO DE ENSINO CURSO TÉCNICO INTEGRADO EM ELETROTÉCNICA 1ºANO DISCIPLINA: Matemática SIGLA: MAT Carga Horária anual:

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TIC) PLANIFICAÇÃO ANUAL 8º ANO ANO LETIVO 2013/2014

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TIC) PLANIFICAÇÃO ANUAL 8º ANO ANO LETIVO 2013/2014 TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TIC) PLANIFICAÇÃO ANUAL 8º ANO ANO LETIVO 2013/2014 Previsão de aulas 8º B Aulas previstas 33 1º Período 14 2º Período 12 3º Período 7 Planificação anual resumida

Leia mais

FÍSICA. Fornece uma compreensão quantitativa de certos fenómenos que ocorrem no Universo.

FÍSICA. Fornece uma compreensão quantitativa de certos fenómenos que ocorrem no Universo. Introdução e Vectores FÍSICA Prof. Marília Peres Adaptado de Serway & Jewett Sobre a Física Fornece uma compreensão quantitativa de certos fenómenos que ocorrem no Universo. Baseia-se em observações experimentais

Leia mais

PROGRAMA e Metas Curriculares Matemática A. Estatística. António Bivar, Carlos Grosso, Filipe Oliveira, Luísa Loura e Maria Clementina Timóteo

PROGRAMA e Metas Curriculares Matemática A. Estatística. António Bivar, Carlos Grosso, Filipe Oliveira, Luísa Loura e Maria Clementina Timóteo PROGRAMA e Metas Curriculares Matemática A Estatística António Bivar, Carlos Grosso, Filipe Oliveira, Luísa Loura e Maria Clementina Timóteo O tema da Estatística nos Cursos Científico-Humanísticos de

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE FRANCÊS Componente de Formação Complementar Curso Vocacional de Informática e Multimédia Ano letivo 2015/2016

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE FRANCÊS Componente de Formação Complementar Curso Vocacional de Informática e Multimédia Ano letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL DE FRANCÊS Componente de Formação Complementar Curso Vocacional de Informática e Multimédia Ano letivo 2015/2016 Competências Transversais Promoção da educação para a cidadania A língua

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Plano de Trabalho Docente 2012

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Plano de Trabalho Docente 2012 Plano de Trabalho Docente 2012 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de

Leia mais

Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos de Português 2 º Ano Ano letivo

Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos de Português 2 º Ano Ano letivo Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos de Português 2 º Ano Ano letivo 2015 2016 1º PERÍODO CONTEÚDOS - COMPREENSÃO DO ORAL manifestar ideias, sensações e sentimentos pessoais mobilizar conhecimentos

Leia mais

TRIANGONÓPOLIS: A CIDADE DA LEI DOS SENOS E LEI DOS COSSENOS

TRIANGONÓPOLIS: A CIDADE DA LEI DOS SENOS E LEI DOS COSSENOS TRIANGONÓPOLIS: A CIDADE DA LEI DOS SENOS E LEI DOS COSSENOS Selau, Suzana Scandolara 1 ; Cardoso, Marleide Coan 2 3 Instituto Federal Catarinense Campus Avançado Sombrio/SC INTRODUÇÃO Este trabalho é

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais.  PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

Mini-curso. Formação de professores e avaliação: instrumentos para avaliação processual em sala de aula

Mini-curso. Formação de professores e avaliação: instrumentos para avaliação processual em sala de aula Mini-curso Formação de professores e avaliação: instrumentos para avaliação processual em sala de aula Professor responsável Prof. Dr. Daniel Abud Seabra Matos (UFOP) Mariana 2014 2 Prezados/as professores/as,

Leia mais

PLANO DE CURSO REFERENCIAL MATEMÁTICA/GESTAR 6ª SÉRIE (7º ANO)

PLANO DE CURSO REFERENCIAL MATEMÁTICA/GESTAR 6ª SÉRIE (7º ANO) PLANO DE CURSO REFERENCIAL MATEMÁTICA/GESTAR 6ª SÉRIE Processo Avaliativo Unidade Didática Competências e Habilidades Conhecimento/Conteúdo Transversalidade/ Diálogos Possíveis Metodologia Forma e Critério

Leia mais

Escola Secundária de Alberto Sampaio Ficha Formativa de Matemática A Geometria II O produto escalar na definição de lugares geométricos

Escola Secundária de Alberto Sampaio Ficha Formativa de Matemática A Geometria II O produto escalar na definição de lugares geométricos Escola Secundária de Alberto Sampaio Ficha Formativa de Matemática A Geometria II O produto escalar na definição de lugares geométricos º Ano No plano Mediatriz de um segmento de reta [AB] Sendo M o ponto

Leia mais

Imagens do (Ensino) Português no Estrangeiro

Imagens do (Ensino) Português no Estrangeiro Estugarda, 25-27 de março de 2013 Imagens do (Ensino) Português no Estrangeiro [da investigação à intervenção] Sílvia Melo Pfeifer Coordenação de Ensino Português na Alemanha [Instituto Camões / Embaixada

Leia mais

Planejamento Anual 2015 Disciplina: Língua Portuguesa: Ação Série: 3º ano Ensino: Médio Professor: André

Planejamento Anual 2015 Disciplina: Língua Portuguesa: Ação Série: 3º ano Ensino: Médio Professor: André Objetivos Gerais: Planejamento Anual 2015 Disciplina: Língua Portuguesa: Ação Série: 3º ano Ensino: Médio Professor: André # Promover as competências necessárias para as práticas de leitura e escrita autônomas

Leia mais

cubo a partir de sua planificação e nele nomear vértices, arestas e faces, além de verificar as posições das diagonais das faces e da diagonal do cubo

cubo a partir de sua planificação e nele nomear vértices, arestas e faces, além de verificar as posições das diagonais das faces e da diagonal do cubo Guia do Professor CAMINHANDO PELAS FACES DE UM CUBO Introdução O estudo das formas geométricas não planas acompanha os alunos desde as séries iniciais do Ensino Fundamental. Todavia, quando no Ensino Médio

Leia mais

MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 4º BIMESTRE º B - 11 Anos

MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 4º BIMESTRE º B - 11 Anos PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO/ SEÇÃO DE ENSINO FORMAL Centro de Formação Pedagógica CENFOP MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 4º

Leia mais

1º Seminário Topologias. Oradora: Margarida Gonçalves

1º Seminário Topologias. Oradora: Margarida Gonçalves 1º Seminário Topologias Oradora: Margarida Gonçalves 1 Curso Profissional de Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos Modalidade de Ensino Profissional Secundário Ano: Área: 10º Ano Informática Disciplina:

Leia mais

Pesquisa, metodologia e métodos (O qué que eu faço...?)

Pesquisa, metodologia e métodos (O qué que eu faço...?) Pesquisa, metodologia e métodos (O qué que eu faço...?) O que é Pesquisa? O que é Metodologia? David González david.epidemio@gmail.com O que é Método? E dai? Pesquisa 1. Indagação; inquirição; busca; investigação;

Leia mais

MONITORIA EAD NA MODALIDADE REMUNERADA

MONITORIA EAD NA MODALIDADE REMUNERADA ANEXO IV - EDITAL Nº. 13/2012 PERÍODO: 2012/02 INSTITUTO INSTITUTO DE CIÊNCIAS DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS LETRAS E ARTES E ARTES - ICHLA MONITORIA EAD NA MODALIDADE REMUNERADA Pedagogia VAGAS DIA Pedagogia

Leia mais

Aula demonstrativa Apresentação... 2 Modelos de questões resolvidas IBFC... 4

Aula demonstrativa Apresentação... 2 Modelos de questões resolvidas IBFC... 4 Aula demonstrativa Apresentação... 2 Modelos de questões resolvidas IBFC... 4 1 Apresentação Olá, pessoal Tudo bem com vocês? Finalmente saiu o edital do TCM/RJ Para quem ainda não me conhece, meu nome

Leia mais

Estatística Aplicada ao Serviço Social

Estatística Aplicada ao Serviço Social Estatística Aplicada ao Serviço Social Módulo 7: Correlação e Regressão Linear Simples Introdução Coeficientes de Correlação entre duas Variáveis Coeficiente de Correlação Linear Introdução. Regressão

Leia mais

Ficha de Trabalho nº 11 Matemática 7º ano Maio / 2011 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ESTATÍSTICA

Ficha de Trabalho nº 11 Matemática 7º ano Maio / 2011 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ESTATÍSTICA Ficha de Trabalho nº 11 Matemática 7º ano Maio / 2011 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ESTATÍSTICA Recorda: A Estatística é um ramo da Matemática que nos ajuda a recolher, organizar e interpretar dados para tirar

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Domínio Cognitivo (Nível dos Conhecimentos) Compreensão oral e escrita; Conhecimento de formas e regras de funcionamento da língua materna; Conhecimento e compreensão de conceitos

Leia mais

TECNOLOGIAS APLICADAS

TECNOLOGIAS APLICADAS ESCOLA SECUNDÁRIA DE VALONGO Ano Lectivo: 2009/2010 CURSO PROFISSIONAL DE ELECTRÓNICA, AUTOMAÇÃO E COMPUTADORES TECNOLOGIAS APLICADAS 12 ANO - Turma TE Professor: Ana Lisa Rodrigues Grupo: 0 Tecnologias

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL ELETRICISTA DE AUTOMÓVEIS

PERFIL PROFISSIONAL ELETRICISTA DE AUTOMÓVEIS PERFIL PROFISSIONAL ELETRICISTA DE AUTOMÓVEIS Publicação e atualizações Publicado no Despacho n.º13456/2008, de 14 de Maio, que aprova a versão inicial do Catálogo Nacional de Qualificações. PERFIL PROFISSIONAL

Leia mais

CURSO NEGOCIAÇÃO E COMUNICAÇÃO COM CLIENTES DIFÍCEIS

CURSO NEGOCIAÇÃO E COMUNICAÇÃO COM CLIENTES DIFÍCEIS CURSO NEGOCIAÇÃO E COMUNICAÇÃO COM CLIENTES DIFÍCEIS ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 03 2. DESENVOLVIMENTO A. Proposta pedagógica B. Investimento C. Condições de participação 03 03 04 04 3. FICHA DE INSCRIÇÃO 05

Leia mais

Estrutura e Referenciais da Prova de Avaliação de Capacidade

Estrutura e Referenciais da Prova de Avaliação de Capacidade Estrutura e Referenciais da Prova de Avaliação de Capacidade Introdução Relativamente ao Curso Técnico Superior Profissional em Assessoria e Comunicação Organizacional, a área a que se refere o n. 1 do

Leia mais

Programa de Estudo do Meio / Ciências da Natureza 2º ano

Programa de Estudo do Meio / Ciências da Natureza 2º ano Programa de Estudo do Meio / Ciências da Natureza 2º ano Introdução: Todas as crianças possuem um conjunto de experiências e saberes que foram acumulando ao longo da sua vida, no contacto com o meio que

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR ANO LETIVO DE 2014/2015 Expressões 1- Educação Pré-escolar 1.1 - Objecto da avaliação 1.1.1 - Parâmetros de avaliação, por áreas curriculares Na educação pré-escolar

Leia mais

CONTEÚDOS CURRICULARES

CONTEÚDOS CURRICULARES CONTEÚDOS CURRICULARES UNIDADES CURRICULARES PROCESSOS DE FABRICAÇÃO RESUMO DE CONTEÚDOS Processos de Usinagem em Máquinas Operatrizes, Usinagem a CNC, Ferramentas e Técnicas para Usinagem com Precisão,

Leia mais

Resolução de problemas não numéricos

Resolução de problemas não numéricos Resolução de problemas não numéricos Ler e buscar informações Em Panizza (2006), a didática da matemática define os problemas como aquelas situações que criam um obstáculo a vencer, que promovem a busca

Leia mais

Estatística Lousã, 07 de Março de 2008

Estatística Lousã, 07 de Março de 2008 Estatística Lousã, 07 de Março de 08 A estatística é um ramo da Matemática que nos ajuda a recolher, organizar e interpretar dados para tirar conclusões e fazer previsões. Recolha, organização e representação

Leia mais

INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA. TIPOS DE ATIVIDADES PEDAGÓGICAS -Introdução -Trabalho Sistemático -Consolidação -Avaliação -Retomada

INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA. TIPOS DE ATIVIDADES PEDAGÓGICAS -Introdução -Trabalho Sistemático -Consolidação -Avaliação -Retomada INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA TIPOS DE ATIVIDADES PEDAGÓGICAS -Introdução -Trabalho Sistemático -Consolidação -Avaliação -Retomada O aprendizado e a progressão da criança dependerão do processo por ela desenvolvido,

Leia mais

Professor conteudista: Renato Zanini

Professor conteudista: Renato Zanini Matemática Básica Professor conteudista: Renato Zanini Sumário Matemática Básica Unidade I 1 OS NÚMEROS REAIS: REPRESENTAÇÕES E OPERAÇÕES... EXPRESSÕES LITERAIS E SUAS OPERAÇÕES...6 3 RESOLVENDO EQUAÇÕES...7

Leia mais

As funções do 1º grau estão presentes em

As funções do 1º grau estão presentes em Postado em 01 / 04 / 13 FUNÇÃO DO 1º GRAU Aluno(: 1.1.2 TURMA: 1- FUNÇÃO DO PRIMEIRO GRAU As funções do 1º grau estão presentes em diversas situações do cotidiano. Vejamos um exemplo: Uma loja de eletrodomésticos

Leia mais

Ação de formação Excel Avançado

Ação de formação Excel Avançado Ação de formação Excel Avançado - Identificar as potencialidades do MS Excel - Aprofundamento dos recursos básicos e conhecimento de recursos avançados do software - Desenvolver capacidades de apresentar

Leia mais

Conservatório Regional de Palmela Sociedade Filarmónica Humanitária

Conservatório Regional de Palmela Sociedade Filarmónica Humanitária Conservatório Regional de Palmela Sociedade Filarmónica Humanitária Formação Musical - 2º Ciclo 1. Domínio Cognitivo (80%) Critérios de Avaliação 2015/2016 Capacidades Essenciais* Instrumentos de Avaliação

Leia mais

Escola Adventista Thiago White

Escola Adventista Thiago White Roteiro de Matemática 6º ano A e B - 1º Bimestre Data Início / / Data Término / / Nota: Tema: Números Primos, MMC e MDC Conceituar um número primo e verificar se um número dado é ou não primo. Obter o

Leia mais

Introdução à Estatística Estatística Descritiva 22

Introdução à Estatística Estatística Descritiva 22 Introdução à Estatística Estatística Descritiva 22 As tabelas de frequências e os gráficos constituem processos de redução de dados, no entanto, é possível resumir de uma forma mais drástica esses dados

Leia mais

Ciclo Trigonomé trico

Ciclo Trigonomé trico Ciclo Trigonomé trico Aluno: Professores: Camila Machado, Joelson Rolino, Josiane Paccini, Rafaela Fidelis, Rafaela Nascimento. Aula 1 As origens da trigonometria Não se sabe ao certo da origem da trigonometria,

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO Direcção Regional de Educação do Centro CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO Domínios Capacidade/Conhecimentos (70%) Critérios Aquisição, compreensão e aplicação Expressão Progressão na aprendizagem Atitudes

Leia mais

GUIA DE PRÉ-REQUISITOS REGULAMENTO DAS PROVAS DE APTIDÃO FUNCIONAL

GUIA DE PRÉ-REQUISITOS REGULAMENTO DAS PROVAS DE APTIDÃO FUNCIONAL CANDIDATURA 2016 GUIA DE PRÉ-REQUISITOS REGULAMENTO DAS PROVAS DE APTIDÃO FUNCIONAL Curso de Gestão de Alojamentos NÍVEL V V.2016 Cidade da Praia, Março 2016 PREÂMBULO O presente documento visa regular

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação UNIDADE VIII Auditoria em Informática Professor : Hiarly Alves www.har-ti.com Fortaleza - 2014 Tópicos Noções gerais de auditoria na empresa em SI Conceito de auditoria Etapas do processo de auditoria

Leia mais

Janeiro. Março/Abril

Janeiro. Março/Abril Outubro Jogos de exploração da voz Planificação Anual Expressão e Educação Musical 1.º ano 1º Período 2º Período 3º Período Dizer e entoar rimas e lengalengas Experimentar sons vocais (todos os que a criança

Leia mais