Como garantir o sucesso nas iniciativas de Migração de Dados

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Como garantir o sucesso nas iniciativas de Migração de Dados"

Transcrição

1 Como garantir o sucesso nas iniciativas de Migração de Dados 1

2 2 Enquadramento

3 Migração de Dados Requisito habitual no Desenvolvimento Desenvolvimento de Aplicações Consolidação Aplicacional Upgrade M&A - Integração Conversão Legacy Outsourcing 54% 20% 13% 7% 5% 2% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% Philip Howard Research Director Setembro

4 Os projectos de Migração têm um alta taxa de insucesso On time/on budget 16% Budget overrun 84% 84% dos projectos de migração de dados falham ou excedem o tempo/budget Metade excede o tempo em 3/4 Os budgets são ultrapassados em 2/3 - desvios, em média, de 30% 1/3 destes falham completamente Bloor Research Data Migration in the Global 2000 Setembro

5 Migration is not just about moving the data It s about making data work. Pressupostos Poucos sistemas Formatos Todos os Interfaces específicosdados estão documentadas Dados válidos fonte dos dados disponíveis Realidade Muitos mais sistemas Dados emnecessitamosinterfaces Qualidade formatos dados desconhecidasdos dados fonte desconhecidos que não fraca estão disponíveis 5

6 Abordagem tradicional Díspares ambientes e processos de desenvolvimento/testes A Migração de Dados é frequentemente encarada como um processo com 4 fases Diferentes ferramentas para cada uma das fases Mainframe / Midrange / ERP / Legacy: diferentes plataformas, cada qual com o seu processo de desenvolvimento e testes Análise Extrair/ Transf. Validação Migração Ferramenta 1 Ferramenta 2 Ferramenta 3 Ferramenta 4 6

7 7 Abordagem da Informatica aos Processos de Migração

8 A abordagem da Informatica aos projectos de Migração de Dados Análise Extrair/ Transf. Validação Análise Extrair/ Transf. Validação Migração Validar Migração* Extrair/ Transf. Análise Plataforma end-to-end para migração de dados, permitindo iterações mais rápidas e frequentes 8

9 Plataforma da INFORMATICA para Migração de Dados Mainframe e Sistemas Midrange 2. Analisar/ Perfilar 3. Desenvolvimento 4. Testes e Validação XML, Messaging, e WebServices 5. Iteração Aplicações (SAP, Siebel, ), Legacy Systems 1. Aceder às fontes/dados 6. Executar a Migração 7. Dados de Destino Aplicação de Destino DBs relacionais e Flat Files 8. Sincronizar 9. Auditar/Lineage Informatica Data Integration Platform 9

10 Plataforma da INFORMATICA para Migração de Dados Mainframe e Sistemas Midrange 2. Analisar/ Perfilar 3. Desenvolvimento 4. Testes e Validação XML, Messaging, e WebServices 5. Iteração Aplicações (SAP, Siebel, ), Legacy Systems 1. Aceder às fontes/dados 6. Executar a Migração 7. Dados de Destino Aplicação de Destino DBs relacionais e Flat Files 8. Sincronizar 9. Auditar/Lineage Informatica Data Integration Platform 10

11 Aceder aos Dados das Fontes/Destinos Desafios Fontes de dados heterogéneas Cada sistema requer a sua equipa de recursos experientes Mainframe, SAP, Siebel, DB2 relacionais, Dados nãoestruturados, etc. Movimentação de Dados distribuídos e remotos Companhias são cada vez mais Globais M&A fusão de empresas; os dados encontram-se dispersos por múltiplas empresas Outsourcing os dados nos sistemas outsourced continuam a ser críticos para a organização Volumes de dados e latência variáveis Conversões (bulk) vs. Interfaces (bi-direccionais, menor latência) 11

12 Aceder aos Dados das Fontes/Destinos A solução da Informatica Acesso nativo e uniforme às fontes e destinos de dados Acesso Local ou Remoto (inclusive através de firewalls) Sem alterar a lógica do desenvolvimento Encriptação e compressão dos dados Acesso on-demand aos dados Batch Change Data Capture Real Time 12

13 Plataforma da INFORMATICA para Migração de Dados Mainframe e Sistemas Midrange 2. Analisar/ Perfilar 3. Desenvolvimento 4. Testes e Validação XML, Messaging, e WebServices 5. Iteração Aplicações (SAP, Siebel, ), Legacy Systems 1. Aceder às fontes/dados 6. Executar a Migração 7. Dados de Destino Aplicação de Destino DBs relacionais e Flat Files 8. Sincronizar 9. Auditar/Lineage Informatica Data Integration Platform 13

14 Definição de Data Profiling Análise dos dados para compreender o seu conteúdo, estrutura, qualidade e dependências DB Ficheiro App DB Ficheiro App SAP DB/2 Perfilamento de colunas Perfilamento de dependências Perfilamento de redundâncias 14

15 15 Perfilamento de dependências/ redundâncias Exemplo de perfilamento Padrões Frequência Valores inválidos Análise de órfãos Perfilamento de colunas

16 Plataforma da INFORMATICA para Migração de Dados Mainframe e Sistemas Midrange 2. Analisar/ Perfilar 3. Desenvolvimento 4. Testes e Validação XML, Messaging, e Web Services 5. Iteração Aplicações (SAP, Siebel, ), Legacy Systems 1. Aceder às fontes/dados 6. Executar a Migração 7. Dados de Destino Aplicação de Destino DBs relacionais e Flat Files 8. Sincronizar 9. Auditar/Lineage Informatica Data Integration Platform 16

17 Desenvolvimento Processo de Migração: Profiling Conversão Profiling Cleanse ETL Planos de DQ Planos de ETL O Perfilamento dá ao analista o nível de detalhe necessário para este formular as regras de conversão adequadas A lógica dos mapeamentos de conversão são desenvolvidos com base nestas regras A Conversão é a aplicação das regras e lógicas de negócio para resolver os problemas nos dados 17

18 Desenvolvimento ETQL DQ perfeitamente integrado com processo de ETL 18 ETQL

19 Desenvolvimento Exemplo de Dados de Nome e Morada As transformações específicas de DQ são um passo natural dentro do processo de integração Normalização de Nomes e Moradas Correcção de Código Postal Input Dout. Dout. Jose Jose MAnuel MAnuel dos dos Santos Santos Silva Silva Santos Santos & & Silva Silva Lisboa, Lisboa, Rua Rua das das Flores, Flores, 3-4D 3-4D Output Título: Título: Dr. Dr. Nome: Nome: José José Manuel Manuel Apelido: Apelido: Silva Silva Outros Outros nomes: nomes: dos dos Santos Santos Empresa: Empresa: Santos Santos & & Silva, Silva, LDA LDA Morada: Morada: Rua Rua das das Flores, Flores, Nº Nº 3, 3, 4D 4D Localidade: Localidade: Lisboa Lisboa Cód. Cód. Postal: Postal:

20 Desenvolvimento Exemplo de Dados de Nome e Morada Parsing e Normalização Dout. Jose MAnuel dos Santos Silva, Lisboa, Rua das Flores, 3-4D 1050 Dr. José Manuel dos Santos Silva Rua das Flores Nº 3 4D Lisboa Cleansing e Validação Rua das Flores, Nº 3, 4D, Lisboa é uma morada correcta? 1050 é um código postal válido? Matching e Householding 3 José Manuel Silva serão o mesmo registo? José Manuel Silva e Carla Silva uma família? 20

21 Plataforma da INFORMATICA para Migração de Dados Mainframe e Sistemas Midrange 2. Analisar/ Perfilar 3. Desenvolvimento 4. Testes e Validação XML, Messaging, e Web Services 5. Iteração Aplicações (SAP, Siebel, ), Legacy Systems 1. Aceder às fontes/dados 6. Executar a Migração 7. Dados de Destino Aplicação de Destino DBs relacionais e Flat Files 8. Sincronizar 9. Auditar/Lineage Informatica Data Integration Platform 21

22 Testes e Validação Qual o suporte da Informatica Possibilita regras de validação baseadas na metadata Estas regras são automaticamente forçadas Segmentos mandatórios vs. opcionais Ocorrências Min/Max entre segmentos pai e filhos Validações ao tipo de dados e tamanho dos campos Validação aquando da análise/desenho vs. descoberta após processo de migração dos dados Aumenta a confiança nos dados a migrar Comparação antes e depois possibilita iterações mais rápidas Perfilar e comparar os dados fonte e destino 22

23 Plataforma da INFORMATICA para Migração de Dados Mainframe e Sistemas Midrange 2. Analisar/ Perfilar 3. Desenvolvimento 4. Testes e Validação XML, Messaging, e Web Services 5. Iteração Aplicações (SAP, Siebel, ), Legacy Systems 1. Aceder às fontes/dados 6. Executar a Migração 7. Dados de Destino Aplicação de Destino DBs relacionais e Flat Files 8. Sincronizar 9. Auditar/Lineage Informatica Data Integration Platform 23

24 Iteração Porquê uma abordagem iterativa 2. Analisar/ Perfilar 3. Desenvolvimento 4. Testes e Validação 5. Iteração O estado dos dados e das regras de negócio durante o projecto de migração são dinâmicos As regras de negócio e os dados/metadados sofrem contínuas alterações (mais frequentemente nos sistemas fonte, mas também no sistema destino) durante a fase de análise do projecto Revalidamos todo o processo Disponibilidade parcial dos dados fonte Podemos ter acesso limitado a samples ou sub-conjuntos dos dados 24

25 Plataforma da INFORMATICA para Migração de Dados Mainframe e Sistemas Midrange 2. Analisar/ Perfilar 3. Desenvolvimento 4. Testes e Validação XML, Messaging, e Web Services 5. Iteração Aplicações (SAP, Siebel, ), Legacy Systems 1. Aceder às fontes/dados 6. Executar a Migração 7. Dados de Destino Aplicação de Destino DBs relacionais e Flat Files 8. Sincronizar 9. Auditar/Lineage Informatica Data Integration Platform 25

26 Execução Desafios desta fase Necessidade de processar grandes volumes de dados Migrar os dados numa janela de tempo limitada As aplicações que suportam o negócio apenas podem ser suspensas durante períodos limitados de tempo Identificar e suportar as dependências entre os dados As interdependências entre as tarefas de migração são complicadas Exemplo: posso carregar todos os dados transaccionais dos Clientes apenas após o carregamento do master de Clientes 26

27 Execução Benefícios e capacidade da Informatica Elevada performance A performance e optimização da plataforma da Informatica garantem uma vantagem decisiva Optimização através do paralelismo (Partitioning) Suporte a arquitecturas distribuídas (Grid) High Availability Push Down Optimization Capacidade de orquestrar os processos envolvidos na migração Suporta processos complexos e automatizados Suporta interdependências entre os diversos processos Alertas e testes de erros out-of-the-box Possibilidade de integrar com outras ferramentas de scheduling (ex. Control-M) 27

28 Plataforma da INFORMATICA para Migração de Dados Mainframe e Sistemas Midrange 2. Analisar/ Perfilar 3. Desenvolvimento 4. Testes e Validação XML, Messaging, e Web Services 5. Iteração Aplicações (SAP, Siebel, ), Legacy Systems 1. Aceder às fontes/dados 6. Executar a Migração 7. Dados de Destino Aplicação de Destino DBs relacionais e Flat Files 8. Sincronizar 9. Auditar/Lineage Informatica Data Integration Platform 28

29 Sincronizar Porquê sincronizar? Scope agressivo do projecto de migração Tentativa de rapidamente utilizar a nova aplicação, enquanto se desligam os sistemas antigos Movimentação bi-direcional de dados Os sistemas antigos (legados) são muitas das vezes mantidos em paralelo com a aplicação destino Leva ao aumento das tarefas de migração e número de recursos 29

30 Sincronizar Benefícios e capacidade da Informatica Reutilização do esforço de conversão batch A lógica é a mesma, diferente latência Movimentação bi-direcional de dados numa plataforma única Sistemas fonte e destino (mainframe, SAP, DBs relacionais) A latência na movimentação dos dados é uma decisão de configuração, não uma decisão de codificação Real-time Change Batch 30

31 Plataforma da INFORMATICA para Migração de Dados Mainframe e Sistemas Midrange 2. Analisar/ Perfilar 3. Desenvolvimento 4. Testes e Validação XML, Messaging, e Web Services 5. Iteração Aplicações (SAP, Siebel, ), Legacy Systems 1. Aceder às fontes/dados 6. Executar a Migração 7. Dados de Destino Aplicação de Destino DBs relacionais e Flat Files 8. Sincronizar 9. Auditar/Lineage Informatica Data Integration Platform 31

32 Auditar Desafios do Projecto Visibilidade limitada do projecto global de migração Plano de projecto baseia-se no acompanhamento das tarefas/progresso, não nos dados/processos Ponto de situação disperso por equipas e ferramentas distintas É difícil provar o sucesso do processo de migração Que dados foram migrados? Como foram convertidos? Que erros ocorreram no processo global de migração? 32

33 Auditoria Linhagem de dados Análise visual de como os dados foram convertidos e migrados Análise end-to-end dos metadados dos mappings/processos de migração Drill in em qualquer elemento para analisar a documentação/descrição, lógica de conversão utilizada ou derivar um where-used report (útil em análises de impacto) 33

34 Auditoria Linhagem de dados Documentação automática dos fluxos de dados Validar os fluxos de dados, desde a fonte até ao destino Forward lineage Aplicações Backwards lineage Aplicações Bases de Dados Bases de Dados 34 Validar todos os detalhes do campo Perfilamento integrado

35 35 Takeaways

36 Takeaways Processo Iterativo Perfilamento Lógica x Desenv. Qualidade Dados Sincronismo Auditoria Única Plataforma Revisão contínua dos dados garantem que aquando da migração não temos surpresas Análise dos dados para compreender o seu conteúdo, estrutura, qualidade e dependências Concentrar na Lógica da Migração e não dificuldades de Desenvolvimento (fontes de dados heterogéneas) Qualidade de Dados, Qualidade de Dados, Qualidade de Dados Avaliar se é necessário assegurar algum processo de replicação de dados Podemos auditar que dados foram migrados e quais as transformações a que foram sujeitos A plataforma de Integração e Qualidade de Dados da Informatica suporta todo o projecto de migração 36

37 Questões Obrigado Daniel Carvalho Account Manager 37

Service Oriented Architectures

Service Oriented Architectures Service Oriented Architectures Uma abordagem evolutiva Manager, IT Middleware Vodafone Portugal Mario.saraiva@vodafone.com Agenda 1. O desafio da Integração O princípio do Middleware, ActiveWorks e Middleware

Leia mais

Open Operational Platform

Open Operational Platform Open Operational Platform Visão Tecnológica 20.01.2009 Agenda Enquadramento Arquitectura Características Diferenciadoras Case Study 2 Enquadramento 3 Mobilidade Optimização Processos Tecnologia Operações

Leia mais

Fábio Giordani. Técnico em Processamento de Dados Adm. Análise de Sistemas. Outros cursos. Coordenador Projetos e Consultoria em Infraestrutura

Fábio Giordani. Técnico em Processamento de Dados Adm. Análise de Sistemas. Outros cursos. Coordenador Projetos e Consultoria em Infraestrutura Fábio Giordani Técnico em Processamento de Dados Adm. Análise de Sistemas Cobol Developer (Caracter mode ;-) DBA (Oracle 7.1...) Developer (GUI) Java Outros cursos Coordenador Projetos e Consultoria em

Leia mais

Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP. Otimize a Gestão do Seu Negócio!

Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP. Otimize a Gestão do Seu Negócio! Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP Otimize a Gestão do Seu Negócio! Universo da Solução de Gestão SENDYS ERP SENDYS - Copyright 2007 SENDYS é uma marca proprietária da Readsystem, Lda. 2 Universo

Leia mais

Documento de ajuda para utilizadores de Office 2010/2007

Documento de ajuda para utilizadores de Office 2010/2007 Documento de ajuda para utilizadores de Office 2010/2007 Pág. 3 - MUDANÇAS NO CORREIO ELETRÓNICO OFFICE 365 Pág. 8 - DIFICULDADES OU DÚVIDAS Este documento destina-se a ajudar utilizadores em migração

Leia mais

Sistema de Tratamento Automático da Declaração de Introdução no Consumo e do Documento Administrativo de Acompanhamento

Sistema de Tratamento Automático da Declaração de Introdução no Consumo e do Documento Administrativo de Acompanhamento AUTOR: DGITA DATA: 2007-02-22 VERSÃO: 1.0 Sistema de Tratamento Automático da Declaração de Introdução no Consumo e do Documento Administrativo de Acompanhamento Sistema de Impostos Especiais sobre o Consumo

Leia mais

Checklist de Projeto de Data Warehouse

Checklist de Projeto de Data Warehouse Checklist de Projeto de Data Warehouse Prof. Dr. Jorge Rady de Almeida Jr. Escola Politécnica da USP F/1 Revisão de Projeto Design Review Após uma área de interesse tenha sido projetada e posta em operação

Leia mais

Auditoria Informática

Auditoria Informática Auditoria Informática ou de sistemas de informação 2 Auditoria Informática O Auditor Informático Funções e Áreas de actuação Objectivos de Auditoria Informática Vantagens e Inconvenientes Metodologia 1

Leia mais

A Importância de gerir ficheiros nas Organizações

A Importância de gerir ficheiros nas Organizações A Importância de gerir ficheiros nas Organizações Transferência de Ficheiros: Porquê? É um suporte acessível para transferência de informação entre aplicações e entre sistemas heterogéneos Possibilita

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CONCEITOS BÁSICOS 1 Necessidade das base de dados Permite guardar dados dos mais variados tipos; Permite

Leia mais

OTIMIZE OS SEUS PROCESSOS! Base sólida para negócios de sucesso

OTIMIZE OS SEUS PROCESSOS! Base sólida para negócios de sucesso OTIMIZE OS SEUS PROCESSOS! Base sólida para negócios de sucesso O SIGA Cloud é um sistema integrado de gestão administrativa que engloba todas as componentes de gestão documental e processos das organizações,

Leia mais

Relatório de Progresso

Relatório de Progresso Luís Filipe Félix Martins Relatório de Progresso Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Preparação para a Dissertação Índice Introdução... 2 Motivação... 2 Cloud Computing (Computação

Leia mais

Tax Declaration Framework esocial & Fiscal setembro/15

Tax Declaration Framework esocial & Fiscal setembro/15 Tax Declaration Framework esocial & Fiscal setembro/15 2014 SAP AG or an SAP affiliate company. All rights reserved. SAP TDF esocial Agenda: Desafios SPED Como o esocial muda o dia a dia das empresas SPED

Leia mais

TIC Unidade 2 Base de Dados. Informação é todo o conjunto de dados devidamente ordenados e organizados de forma a terem significado.

TIC Unidade 2 Base de Dados. Informação é todo o conjunto de dados devidamente ordenados e organizados de forma a terem significado. Conceitos relativos à Informação 1. Informação O que á a informação? Informação é todo o conjunto de dados devidamente ordenados e organizados de forma a terem significado. 2. Dados Em informática designa-se

Leia mais

Dynamic Data Center. A infra-estrutura de suporte às SOA. Francisco Miller Guerra Senior Product Manager Fujitsu Siemens Computers

Dynamic Data Center. A infra-estrutura de suporte às SOA. Francisco Miller Guerra Senior Product Manager Fujitsu Siemens Computers Dynamic Data Center A infra-estrutura de suporte às SOA Francisco Miller Guerra Senior Product Manager Fujitsu Siemens Computers As necessidades do negócio pressionam continuamente as infra-estruturas

Leia mais

Linhas de Negócio Oracle Necessidades de Mão-de-Obra Duarte Filho Account Manager

Linhas de Negócio Oracle Necessidades de Mão-de-Obra Duarte Filho Account Manager 1 Mercado Serviços Oracle Linhas de Negócio Oracle Necessidades de Mão-de-Obra Duarte Filho Account Manager 2 Agenda Objetivo Oracle Linhas de Negócios Bertini Mercado de Consultoria Necessidades de Mão-de-

Leia mais

OPTIMIZANDO A CONFIABILIDADE E A PERFORMANCE DOS PROCESSOS BATCH EM AMBIENTE OS/390 E zos

OPTIMIZANDO A CONFIABILIDADE E A PERFORMANCE DOS PROCESSOS BATCH EM AMBIENTE OS/390 E zos ReEngineering OPTIMIZANDO A CONFIABILIDADE E A PERFORMANCE DOS PROCESSOS BATCH EM AMBIENTE OS/390 E zos A ReEngineering consiste numa metodologia e numa tecnologia que são indispensáveis tanto para optimizar

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil José Monteiro Lysandro Junior Light Serviços de Eletricidade S/A jose.monteiro@light.com.br

Leia mais

Alinhamento de dados com Sync PT Data Pool. Lisboa 2014-03-06

Alinhamento de dados com Sync PT Data Pool. Lisboa 2014-03-06 Alinhamento de dados com Sync PT Data Pool Lisboa 2014-03-06 3 O Alinhamento de dados com a plataforma SYNC PT Data Pool O PROJETO IMPLEMENTAÇÃO O PROCESSO 4 O Alinhamento de dados com a plataforma SYNC

Leia mais

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO DOMINE A 110% ACCESS 2010 A VISTA BACKSTAGE Assim que é activado o Access, é visualizado o ecrã principal de acesso na nova vista Backstage. Após aceder ao Access 2010, no canto superior esquerdo do Friso,

Leia mais

Virtualização e Consolidação de Centro de Dados O Caso da UTAD António Costa - acosta@utad.pt

Virtualização e Consolidação de Centro de Dados O Caso da UTAD António Costa - acosta@utad.pt Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Virtualização e Consolidação de Centro de Dados O Caso da UTAD António Costa - acosta@utad.pt Agenda A UTAD Virtualização Uma definição Introdução e abrangência

Leia mais

Veeam Availability Suite v9 Protecting your path from the DataCenter to the cloud Ricardo Apud, Country Manager

Veeam Availability Suite v9 Protecting your path from the DataCenter to the cloud Ricardo Apud, Country Manager Veeam Availability Suite v9 Protecting your path from the DataCenter to the cloud Ricardo Apud, Country Manager Data: 13/10/2015 Bemvindo à Veeam Veeam foi fundada 2006 Crescimento exponencial da receita

Leia mais

Banco Privado Português Projecto de Consolidação. Apresentação do Case Study Tiago Ferreira, BPP

Banco Privado Português Projecto de Consolidação. Apresentação do Case Study Tiago Ferreira, BPP Banco Privado Português Projecto de Consolidação Apresentação do Case Study Tiago Ferreira, BPP Agenda O Banco Privado Português O Desafio A selecção da Ferramenta O Projecto O Processo Implementado Benefícios

Leia mais

Gestão de Entrada ESTE DOCUMENTO APRESENTA UMA VISÃO GERAL SOBRE A SOLUÇÃO GESTÃO DE ENTRADA.

Gestão de Entrada ESTE DOCUMENTO APRESENTA UMA VISÃO GERAL SOBRE A SOLUÇÃO GESTÃO DE ENTRADA. Gestão de Entrada ESTE DOCUMENTO APRESENTA UMA VISÃO GERAL SOBRE A SOLUÇÃO GESTÃO DE ENTRADA. NECESSIDADE PERCEBIDA As empresas, sejam elas de grande, médio ou pequeno porte, necessitam ter o controle

Leia mais

Nagios XI Soluções de Monitorização

Nagios XI Soluções de Monitorização Nagios XI Soluções de Monitorização O Nagios é uma solução líder de mercado na área da monitorização e alarmística, desenvolvido pela software house Norte Americana com o mesmo nome. O Nagios XI é uma

Leia mais

A sua operação de mina faz uso de uma solução de software de planejamento integrado ou utiliza aplicações de software isoladas?

A sua operação de mina faz uso de uma solução de software de planejamento integrado ou utiliza aplicações de software isoladas? XACT FOR ENTERPRISE A ênfase na produtividade é fundamental na mineração à medida que as minas se tornam mais profundas, as operações se tornam cada vez mais complexas. Empresas de reconhecimento mundial

Leia mais

A CONTINUIDADE DO SEU NEGÓCIO

A CONTINUIDADE DO SEU NEGÓCIO A CONTINUIDADE DO SEU NEGÓCIO Intelligent Business Continuity à dimensão da sua empresa! Logicworks Tecnologias de Informática, Lda. www.logiworks.pt - info@logicworks.pt - +351 214 261 698 Quanto tempo

Leia mais

Modelo Cascata ou Clássico

Modelo Cascata ou Clássico Modelo Cascata ou Clássico INTRODUÇÃO O modelo clássico ou cascata, que também é conhecido por abordagem top-down, foi proposto por Royce em 1970. Até meados da década de 1980 foi o único modelo com aceitação

Leia mais

Plataforma integrada para testes em arquitecturas orientadas a serviços

Plataforma integrada para testes em arquitecturas orientadas a serviços Plataforma integrada para testes em arquitecturas orientadas a serviços Índice Introdução... 2 A solução... 2 Plataforma Integrada (principais características)... 4 Eliminar limitações à execução de testes

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL Automatização do processo de Controlo Ambiental Auto-controlo ambiental Sendo a Indústria que detém fontes poluidoras (Cimenteiras, Produção de energia, Incineradoras, etc.), uma das mais intervenientes

Leia mais

Com a Informatica, a Vale potencializa as relações de parceria

Com a Informatica, a Vale potencializa as relações de parceria Caso de Sucesso Com a Informatica, a Vale potencializa as relações de parceria As inovações na forma como integramos e gerenciamos a relação com parceiros estão ajudando a reduzir o custo dos relacionamentos

Leia mais

Análise de custo projetado da plataforma SAP HANA

Análise de custo projetado da plataforma SAP HANA Um estudo Total Economic Impact da Forrester Encomendado pela SAP Diretora do projeto: Shaheen Parks Abril de 2014 Análise de custo projetado da plataforma SAP HANA Economia de custo proporcionada pela

Leia mais

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Segurança Internet Fernando Albuquerque fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Tópicos Introdução Autenticação Controle da configuração Registro dos acessos Firewalls Backups

Leia mais

Instrumentos de alinhamento do negócio

Instrumentos de alinhamento do negócio Virtualização e Consolidação: Instrumentos de alinhamento do negócio com as TIC José Casinha (Oni Communications) jose.casinha@oni.pt i Alinhamento das TI com o negócio Pessoas Skills Conhecimento Produtividade

Leia mais

Interface Web services

Interface Web services Declarações Electrónicas Interface Web services DGCI, 2008/06/18 Objectivo Promover a integração de aplicações remotas com os Web services fornecidos pela DGITA para a submissão de declarações fiscais

Leia mais

A IMPLEMENTAÇÃO DO KOHA. Luísa Maria Lousã Marques Bibliotecária da Escola Superior de Teatro e Cinema luisamarques@estc.ipl.pt

A IMPLEMENTAÇÃO DO KOHA. Luísa Maria Lousã Marques Bibliotecária da Escola Superior de Teatro e Cinema luisamarques@estc.ipl.pt A IMPLEMENTAÇÃO DO KOHA Luísa Maria Lousã Marques Bibliotecária da Escola Superior de Teatro e Cinema luisamarques@estc.ipl.pt Questões iniciais após a tomada de decisão de instalar o sistema KOHA: O que

Leia mais

Engenharia de Software: Metodologias e Contextualização. Prof. José Eduardo A. de O. Teixeira vqv.com.br / j.edu@vqv.com.br

Engenharia de Software: Metodologias e Contextualização. Prof. José Eduardo A. de O. Teixeira vqv.com.br / j.edu@vqv.com.br Engenharia de Software: Metodologias e Contextualização Prof. José Eduardo A. de O. Teixeira vqv.com.br / j.edu@vqv.com.br Conceitos iniciais Informática: Ciência que tem como objetivo o tratamento da

Leia mais

Gerenciador de Mudanças automatizadas

Gerenciador de Mudanças automatizadas Benefícios para os Negócios Minimizando a dependência em processos manuais e reduzindo risco de erro humano Reduz o tempo, esforço e risco de erro humano que existem ao mudar a configuração em dispositivos

Leia mais

Automidia Service Management Desbloqueio de Contas e Provisionamento via Autoatendimento

Automidia Service Management Desbloqueio de Contas e Provisionamento via Autoatendimento Automidia Service Management Desbloqueio de Contas e Provisionamento via Autoatendimento Automidia Quem Somos Empresa Brasileira, fundada em 1992 Desenvolvimento de Softwares Centrais de Serviços, Service

Leia mais

Otimização de recursos de TI

Otimização de recursos de TI Otimização de recursos de TI Maurício Affonso da Conceição Executivo de Unidade de Negócio, IBM Brasil mauaff@br.ibm.com 2005 IBM Corporation Agenda Systems Sales Estratégias de Otimização de Recursos

Leia mais

Manual do GesFiliais

Manual do GesFiliais Manual do GesFiliais Introdução... 3 Arquitectura e Interligação dos elementos do sistema... 4 Configuração do GesPOS Back-Office... 7 Utilização do GesFiliais... 12 Outros modos de utilização do GesFiliais...

Leia mais

CA ERwin Data Modeling Visualize the Power of Your Data On Premise or in the Cloud

CA ERwin Data Modeling Visualize the Power of Your Data On Premise or in the Cloud CA ERwin Data Modeling Visualize the Power of Your Data On Premise or in the Cloud Luis Alfonso Rey 05 06 2012 Programa 1 O desafio: Lidar com a complexidade dos dados 2 A solução CA ERwin: Visualize o

Leia mais

Data Warehousing Visão Geral do Processo

Data Warehousing Visão Geral do Processo Data Warehousing Visão Geral do Processo Organizações continuamente coletam dados, informações e conhecimento em níveis cada vez maiores,, e os armazenam em sistemas informatizados O número de usuários

Leia mais

Automidia Service Management Provisionamento para o AD integrado ao Service Desk

Automidia Service Management Provisionamento para o AD integrado ao Service Desk Automidia Service Management Provisionamento para o AD integrado ao Service Desk Agenda Objetivos Agenda Histórico e Motivação 05 mins Características da Aplicação 20 mins Apresentação Software 15 mins

Leia mais

Gestão de Configurações II

Gestão de Configurações II Gestão de Configurações II Bibliografia Livro: Software Configuration Management Patterns: Effective Teamwork, Practical Integration Gestão de Projecto 14 Padrões de Gestão Os padrões de gestão de configurações

Leia mais

Quando extrair o ficheiro SAFT

Quando extrair o ficheiro SAFT Conheça o seu ficheiro SAFT Quando extrair o ficheiro SAFT A partir de Janeiro de 2014 muitas empresas que não eram obrigadas a utilizar software de faturação certificado passaram a ser, tendo assim de

Leia mais

Entrega de Folhas de Férias

Entrega de Folhas de Férias Entrega de Folhas de Férias Guia do Utilizador Versão 4.0 Agosto/ 2014 Índice 1. Introdução 2. Criar/ Validar Folhas de Férias 3. Acesso à funcionalidade 4. Inserir/ Consultar Folhas de Férias 5. Comprovativo

Leia mais

Implementação de projetos - Siebel Versão 2.0 / Jan-2013

Implementação de projetos - Siebel Versão 2.0 / Jan-2013 Implementação de projetos - Siebel Versão 2.0 / Jan-2013 DSI Arquitectura Aplicacional COPYRIGHT 2011 Galp Energia, SA 1 de 12 Controlo de Versões Versão Descição da Versão Data Responsável V 1.0 Criação

Leia mais

www.pwc.com/pt IPAI Análise dados nos Testes aos Controlos Novembro 2014

www.pwc.com/pt IPAI Análise dados nos Testes aos Controlos Novembro 2014 www.pwc.com/pt IPAI Análise dados nos Testes aos Controlos Novembro 2014 Enquadramento 1 Exemplo Negócio de vendas pela Internet 10.000 clientes Detalhes de pagamento recebidos quando a ordem é colocada

Leia mais

Responsabilidade Social Corporativa

Responsabilidade Social Corporativa Responsabilidade Social Corporativa e Sistemas de Informação António Sousa Mendes Javier Fernández 12 de Fevereiro de 2007. Slide 1 Global Reporting Initiative Organizações Portuguesas no GRI GRI - Global

Leia mais

CATÁLOGO DE SERVIÇOS. Consultores Associados de Organizações e Informática, Lda

CATÁLOGO DE SERVIÇOS. Consultores Associados de Organizações e Informática, Lda CATÁLOGO DE SERVIÇOS Consultores Associados de Organizações e Informática, Lda ÍNDICE ÍNDICE 2 HISTÓRICO DE ALTERAÇÕES 2 1 INTRODUÇÃO 3 2 A CASO 4 2.1 Apresentação 4 2.2 Visão, Missão e Valores 4 3 SERVIÇOS

Leia mais

TCO Total Cost of Ownership. Custos associados ao TCO Elementos de Custos do Email Reduzindo o TCO com DOMINO Benefícios da Migração para R6

TCO Total Cost of Ownership. Custos associados ao TCO Elementos de Custos do Email Reduzindo o TCO com DOMINO Benefícios da Migração para R6 TCO Total Cost of Ownership Custos associados ao TCO Elementos de Custos do Email Reduzindo o TCO com DOMINO Benefícios da Migração para R6 Custos Associados ao TCO Custos diretos - Orçamento de TI Custos

Leia mais

CSF FasTest SOLUÇÕES DE OUTPUT DE PAGAMENTO

CSF FasTest SOLUÇÕES DE OUTPUT DE PAGAMENTO CSF FasTest SOLUÇÕES DE OUTPUT DE PAGAMENTO CSF FasTest Reduzindo o esforço empregado nos testes Os testes são a faca de dois gumes da composição de documentos: durante o ciclo de vida de seu documento,

Leia mais

Gestão do Risco e da Qualidade no Desenvolvimento de Software

Gestão do Risco e da Qualidade no Desenvolvimento de Software Gestão do Risco e da Qualidade no Desenvolvimento de Software Questionário Taxinómico do Software Engineering Institute António Miguel 1. Constrangimentos do Projecto Os Constrangimentos ao Projecto referem-se

Leia mais

WebSphere MQ. Bruno Miguel de Sousa Gonçalves

WebSphere MQ. Bruno Miguel de Sousa Gonçalves WebSphere MQ Bruno Miguel de Sousa Gonçalves 1.Introdução ao WebSphere Os produtos WebSphere providenciam comunicação entre programas através da interligação entre componentes heterogéneos, processadores,

Leia mais

Plataforma de. Sessões de Esclarecimento. Electrónica BizGov Porto, 30 de Abril de 2009

Plataforma de. Sessões de Esclarecimento. Electrónica BizGov Porto, 30 de Abril de 2009 Plataforma de Sessões de Esclarecimento Contratação Pública "Contratação Electrónica Electrónica BizGov Porto, 30 de Abril de 2009 Agenda 1 Introdução 2 Plataforma de Contratação Pública Electrónica BizGov

Leia mais

Chapter 3. Análise de Negócios e Visualização de Dados

Chapter 3. Análise de Negócios e Visualização de Dados Chapter 3 Análise de Negócios e Visualização de Dados Objetivos de Aprendizado Descrever a análise de negócios (BA) e sua importância par as organizações Listar e descrever brevemente os principais métodos

Leia mais

Índice. 1. Enquadramento 2. Descrição da Solução 3. Pressupostos 4. Serviços incluídos 5. Serviços adicionais 6. Pricing V 1.0

Índice. 1. Enquadramento 2. Descrição da Solução 3. Pressupostos 4. Serviços incluídos 5. Serviços adicionais 6. Pricing V 1.0 Índice 1. Enquadramento 2. Descrição da Solução 3. Pressupostos 4. Serviços incluídos 5. Serviços adicionais 6. Pricing 2 Enquadramento A Autoridade Tributária (AT), desde 2011, que obriga as empresas

Leia mais

Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Threads e Migração de Processos

Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Threads e Migração de Processos Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Threads e Migração de Processos Francisco José da Silva e Silva Laboratório de Sistemas Distribuídos (LSD) Departamento de Informática / UFMA http://www.lsd.deinf.ufma.br

Leia mais

DOCBASE. 1. Conceitos gerais. 2. Estrutura da pasta de associações. 3. A área de documentos reservados. 4. Associação de Imagens

DOCBASE. 1. Conceitos gerais. 2. Estrutura da pasta de associações. 3. A área de documentos reservados. 4. Associação de Imagens Documentação, Informática e Desenvolvimento 1 DOCBASE ASSOCIAÇÔES MULTIMÉDIA 1. Conceitos gerais 2. Estrutura da pasta de associações 3. A área de documentos reservados 4. Associação de Imagens 5. Procedimentos

Leia mais

Integrando SAP e Ferramentas de Gerenciamento de Projeto Primavera e Microsoft EPM. Project Transporter 2.0

Integrando SAP e Ferramentas de Gerenciamento de Projeto Primavera e Microsoft EPM. Project Transporter 2.0 Integrando SAP e Ferramentas de Gerenciamento de Projeto Primavera e Microsoft EPM Project Transporter 2.0 Desafio Técnico: Questionamento Questão: Como Sincronizar Dados entre SAP R/3 e Primavera P3e

Leia mais

www.sysdevsolutions.com Driver Artsoft Versão 1.0 de 07-03-2011 Português

www.sysdevsolutions.com Driver Artsoft Versão 1.0 de 07-03-2011 Português Driver Artsoft Versão 1.0 de 07-03-2011 Português Índice Configuração dos documentos no Backoffice.... 3 Driver ERP Artsoft... 5 Configurações principais... 5 Configurações do vendedor... 6 Configurações

Leia mais

CA Mainframe Chorus for Storage Management Versão 2.0

CA Mainframe Chorus for Storage Management Versão 2.0 FOLHA DO PRODUTO CA Mainframe Chorus for Storage Management CA Mainframe Chorus for Storage Management Versão 2.0 Simplifique e otimize suas tarefas de gerenciamento de armazenamento, aumente a produtividade

Leia mais

SPMS Mail, File Server e Domain Controllers

SPMS Mail, File Server e Domain Controllers SPMS Mail, File Server e Domain Controllers Motivação Redução de Licenciamento. Dar cumprimento a nova legislação que dá prioridade à adocão de software de código aberto. Acumular conhecimento para replicar

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Sistemas Distribuídos Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Processos- Clientes, Servidores, Migração Capítulo 3 Agenda Clientes Interfaces de usuário em rede Sistema X Window Software do lado cliente para

Leia mais

Soluções de Pesquisa. Parceria com a Google. Motivação Produtos Como Googlizar a organização? Q&A 12-03-2007. Soluções de Pesquisa

Soluções de Pesquisa. Parceria com a Google. Motivação Produtos Como Googlizar a organização? Q&A 12-03-2007. Soluções de Pesquisa Parceria com a Google TORRE DE MONSANTO R. AFONSO PRAÇA, 30, 13º MIRAFLORES 1495-046 ALGÉS T: +351210308900 F: +351210308901 E: INFO@SAFIRA.PT WWW.SAFIRA.PT Motivação Produtos Como Googlizar a organização?

Leia mais

Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos com UML UP/RUP: Projeto

Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos com UML UP/RUP: Projeto Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos com UML UP/RUP: Projeto Engenharia de Software I Informática 2009 Profa. Dra. Itana Gimenes RUP: Artefatos de projeto Modelo de Projeto: Use-Case Realization-projeto

Leia mais

Service Oriented Architecture SOA

Service Oriented Architecture SOA Service Oriented Architecture SOA Arquitetura orientada aos serviços Definição: Arquitetura de sistemas distribuídos em que a funcionalidade é disponibilizada sob a forma de serviços (bem definidos e independentes)

Leia mais

Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP

Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP Uma nova visão no Gerenciamento da Aplicação INDICE 1. A Union IT... 3 2. A importância de gerenciar dinamicamente infra-estrutura,

Leia mais

Arquitecturas de Sistemas de Informação

Arquitecturas de Sistemas de Informação Arquitecturas de Sistemas de Informação Arquitectura Tecnológica Arquitectura Tecnológica O que é: É a escolha dos tipos de tecnologia que devem ser utilizados para dar suporte a cada um dos sistemas e

Leia mais

Aplicabilidade: visão geral

Aplicabilidade: visão geral CURSO BÁSICO SAXES 2 Aplicabilidade: visão geral BI Comércio Indústria nf-e Serviços Software house Enterprise Business Bus Banco financeiro Instituição Sindicato ERP html Casos 3 6 Customização: importação

Leia mais

A SOLUÇÃO MAIS DETALHADA E EFICIENTE PARA DOCUMENTAÇÃO TOTAL DA INFORMAÇÃO DA EMPRESA E ANÁLISE DE IMPACTO NA INSTALAÇÃO EM AMBIENTE OS/390 OU zos

A SOLUÇÃO MAIS DETALHADA E EFICIENTE PARA DOCUMENTAÇÃO TOTAL DA INFORMAÇÃO DA EMPRESA E ANÁLISE DE IMPACTO NA INSTALAÇÃO EM AMBIENTE OS/390 OU zos A SOLUÇÃO MAIS DETALHADA E EFICIENTE PARA DOCUMENTAÇÃO TOTAL DA INFORMAÇÃO DA EMPRESA E ANÁLISE DE IMPACTO NA INSTALAÇÃO EM AMBIENTE OS/390 OU zos O DOCET é uma solução que integra toda a informação obtida

Leia mais

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos UNIVERSIDADE Sistemas Distribuídos Ciência da Computação Prof. Jesus José de Oliveira Neto Web Services Web Services Existem diferentes tipos de comunicação em um sistema distribuído: Sockets Invocação

Leia mais

Gestão de Conhecimento - Estudos de caso -

Gestão de Conhecimento - Estudos de caso - Gestão de Conhecimento - Estudos de caso - Irina Saur-Amaral Aveiro, 28 de Abril de 2006 Estudos de caso 1. MKS (consultoria TIC Índia): importância da cultura de conhecimento 2. Siemens AG: implementação

Leia mais

X4D - IRISXtract TM for Documents

X4D - IRISXtract TM for Documents X4D - IRISXtract TM for Documents A Plataforma O portefólio de produtos da I.R.I.S. AG é caracterizado pelo mais elevado grau de flexibilidade, integração eficiência. A plataforma IRISXtract for Documents

Leia mais

Descritivo Técnico. SLAView - Descritivo Técnico Build 5.0 release 4 16/02/2011 Página 1

Descritivo Técnico. SLAView - Descritivo Técnico Build 5.0 release 4 16/02/2011 Página 1 Descritivo Técnico 16/02/2011 Página 1 1. OBJETIVO O SLAview é um sistema de análise de desempenho de redes IP por meio da monitoração de parâmetros de SLA (Service Level Agreement, ou Acordo de Nível

Leia mais

PADI Plataformas para Aplicações Distribuídas na Internet

PADI Plataformas para Aplicações Distribuídas na Internet PADI Plataformas para Aplicações Distribuídas na Internet Apresentação Prof. Luís Veiga IST/INESC-ID https://fenix.ist.utl.pt/lerci-pb/disciplinas/padi pb/disciplinas/padi https://fenix.ist.utl.pt/leic-taguspark

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Desenho de Software Departamento de Matemática Universidade dos Açores Hélia Guerra helia@uac.pt desenho Desenho (dicionário Priberam on-line) do Lat.! designu s. m., arte de representar

Leia mais

Iteração 2 Design inicial

Iteração 2 Design inicial Universidade de Aveiro Departamento de Electrónica, Telecomunicações e Informática Engenharia de Software Iteração 2 Design inicial Projecto: FX-Center Grupo: BEDS David Pacheco (nº 32665) Cesário Lucas

Leia mais

Solução Standard Devolvidos. Apresentação de Solução

Solução Standard Devolvidos. Apresentação de Solução Solução Standard Devolvidos Apresentação de Solução Confidencialidade A informação contida neste documento é propriedade dos CTT e o seu conteúdo é confidencial, não podendo ser reproduzido no todo ou

Leia mais

1 Descrição sumária. Varajão, Santana, Cunha e Castro, Adopção de sistemas CRM nas grandes empresas portuguesas, Computerworld, 2011 1

1 Descrição sumária. Varajão, Santana, Cunha e Castro, Adopção de sistemas CRM nas grandes empresas portuguesas, Computerworld, 2011 1 Adopção de sistemas CRM nas grandes empresas portuguesas João Varajão 1, Daniela Santana 2, Manuela Cunha 3, Sandra Castro 4 1 Escola de Ciências e Tecnologia, Departamento de Engenharias, Universidade

Leia mais

WebSphere_Integration_Developer_D_Jan06 Script

WebSphere_Integration_Developer_D_Jan06 Script WebSphere_Integration_Developer_D_Jan06 Script 1a Nesta demonstração, Will Dunlop, um programador de integração da JK, utiliza o IBM, [ IBM], ou WID para construir um novo serviço orientado para os processos

Leia mais

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código)

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Roteiro Processos Threads Virtualização Migração de Código O que é um processo?! Processos são programas em execução. Processo Processo Processo tem

Leia mais

Laboratório de Sistemas e Redes. Nota sobre a Utilização do Laboratório

Laboratório de Sistemas e Redes. Nota sobre a Utilização do Laboratório Nota sobre a Utilização do Laboratório 1. Introdução O laboratório de Sistemas e Redes foi criado com o objectivo de fornecer um complemento prático de qualidade ao ensino das cadeiras do ramo Sistemas

Leia mais

Em início de nova fase, forumb2b.com alarga a oferta

Em início de nova fase, forumb2b.com alarga a oferta Em início de nova fase, alarga a oferta Com o objectivo de ajudar as empresas a controlar e reduzir custos relacionados com transacções de bens e serviços, o adicionou à sua oferta um conjunto de aplicações

Leia mais

Projeto SCCM Implantação do ClearCase e ClearQuest UCM

Projeto SCCM Implantação do ClearCase e ClearQuest UCM Projeto SCCM Implantação do ClearCase e ClearQuest UCM Leonardo Ventura Nunes Unibanco leonardo.nunes@unibanco.com.br Wilson Roberto Melaré Unibanco wilson.melare@unibanco.com.br Introdução Desafios Visão

Leia mais

GKO-PCF Portal Confirma Fácil

GKO-PCF Portal Confirma Fácil GKO-PCF Portal Confirma Fácil www.confirmafacil.com.br Portal de integração B2B Embarcador/Destinatário Por meio do MD / SEFAZ Manifestação do Destinatário A Solução O Confirma Fácil é uma solução SaaS

Leia mais

Internet of Things e a Telefonica Vivo

Internet of Things e a Telefonica Vivo Internet of Things e a Telefonica Vivo Seminário Internacional BNDES 2014 Internet das Coisas: Oportunidades e Perspectivas da Nova Revolução Digital para o Brasil Antonio Carlos Valente Presidente da

Leia mais

Integração Contínua com Rational Team Concert, Jenkins e SonarQube

Integração Contínua com Rational Team Concert, Jenkins e SonarQube Integração Contínua com Rational Team Concert, Jenkins e SonarQube Agenda 1. Introdução à Integração Contínua 2. Ferramentas 3. Solução de Integração Contínua em Furnas 4. Demonstração O que é a Integração

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 13 Web Services Web Services

Leia mais

Implantando Data Discovery para equipes centralizadas e descentralizadas

Implantando Data Discovery para equipes centralizadas e descentralizadas Implantando Data Discovery para equipes centralizadas e descentralizadas Agenda 1. Self-service Gerenciado» A necessidade de gestão do self-service» Problemas em implementações reais de BI» A solução ideal

Leia mais

Índice 1 INTRODUÇÃO...2 2 PESQUISA DE ENTIDADES...8 3 CRIAÇÃO DE ENTIDADES...12 4 DEPENDÊNCIAS...17 5 BANCOS, SEGURADORAS E CONSERVATÓRIAS...

Índice 1 INTRODUÇÃO...2 2 PESQUISA DE ENTIDADES...8 3 CRIAÇÃO DE ENTIDADES...12 4 DEPENDÊNCIAS...17 5 BANCOS, SEGURADORAS E CONSERVATÓRIAS... Índice 1 INTRODUÇÃO...2 1.1 JANELA ÚNICA DE ENTIDADES...3 1.2 PERMISSÕES POR UTILIZADOR...4 1.3 RESTRIÇÕES À VISUALIZAÇÃO/MANIPULAÇÃO...6 2 PESQUISA DE ENTIDADES...8 2.1 CRITÉRIOS DE PESQUISA...8 2.2 LISTA

Leia mais

A gestão de processos de negócio: conceitos e ferramentas BPM

A gestão de processos de negócio: conceitos e ferramentas BPM FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DO PORTO A gestão de processos de negócio: conceitos e ferramentas BPM Trabalho realizado por: Ana Luisa Veiga Filipa Ramalho Doutora Maria Manuela Pinto GSI 2007 AGENDA:

Leia mais

CONDIÇÕES PARTICULARES ENDEREÇOS IP SUPLEMENTARES. Última versão em data de 29/11/2012

CONDIÇÕES PARTICULARES ENDEREÇOS IP SUPLEMENTARES. Última versão em data de 29/11/2012 CONDIÇÕES PARTICULARES ENDEREÇOS IP SUPLEMENTARES ARTIGO 1: OBJETO Última versão em data de 29/11/2012 As presentes condições particulares complementam as condições gerais de serviço. Estas visam definir

Leia mais

PESQUISA EMPRESARIAL E SOLUÇÕES FAST

PESQUISA EMPRESARIAL E SOLUÇÕES FAST 10 de Março de 2010 PESQUISA EMPRESARIAL E SOLUÇÕES FAST Pedro Moutinho 2 Pesquisa Empresarial e Soluções FAST 3 Pesquisa Empresarial e Soluções FAST AGENDA A marca Web 2.0 Conectar Pessoas, Conteúdos

Leia mais

Sincronização. Tempo e Relógios. Sincronização de Relógios - Algoritmo de Cristian - Algoritmo de Berkeley - Network Time Protocol

Sincronização. Tempo e Relógios. Sincronização de Relógios - Algoritmo de Cristian - Algoritmo de Berkeley - Network Time Protocol Sincronização Tempo e Relógios Sincronização de Relógios - Algoritmo de Cristian - Algoritmo de Berkeley - Network Time Protocol 1 O papel do tempo Crucial na ordenação de eventos Tempo Real? - Função

Leia mais

Plataforma de Gestão de Actualizações de Software Descrição do Problema

Plataforma de Gestão de Actualizações de Software Descrição do Problema Plataforma de Gestão de Actualizações de Software Descrição do Problema Pedro Miguel Barros Morgado Índice Introdução... 3 Ponto.C... 4 Descrição do Problema... 5 Bibliografia... 7 2 Introdução No mundo

Leia mais

IBM Rational change and release management Acelerando o ciclo de vida da delivery de software

IBM Rational change and release management Acelerando o ciclo de vida da delivery de software Melhor visibilidade e controlo sobre projectos de software IBM Rational change and release management Acelerando o ciclo de vida da delivery de software Uma delivery mais rápida de software de alta qualidade

Leia mais

SABiO: Systematic Approach for Building Ontologies

SABiO: Systematic Approach for Building Ontologies SABiO: Systematic Approach for Building Ontologies Ricardo de Almeida Falbo Engenharia de Ontologias Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda Preocupações Principais do

Leia mais