Padrões para o ambiente DW-PBH

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Padrões para o ambiente DW-PBH"

Transcrição

1 Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte S/A PRODABEL Diretoria de Sistema - DS Superintendência de Arquitetura de Sistemas - SAS Gerência de Arquitetura de Informação - GAAS Padrões para o ambiente DW-PBH Belo Horizonte - MG 18 agosto, 2015

2 Sumário 1 PADRÕES DE NOMENCLATURA DOS AMBIENTES DO DW-PBH PADRÕES PARA MODELAGEM DIMENSIONAL TÉCNICA DE MODELAGEM PADRÕES DE UTILIZAÇÃO DO EA PARA MODELAGEM DO DATA WAREHOUSE (DIMENSIONAL) PADRÕES DE NOMENCLATURAS DE TABELAS E ATRIBUTOS NOMENCLATURA DE TABELAS E ATRIBUTOS NA ÁREA DE RECB NOMENCLATURA DE TABELAS E ATRIBUTOS NA ÁREA DE STGA NOMENCLATURA DE TABELAS E ATRIBUTOS NA ÁREA DM NOMENCLATURA DE TABELAS E ATRIBUTOS NOS PROTOCOLOS (MODELO MULTIDIMENSIONAL)..7 4 PADRÕES PARA A DOCUMENTAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE DIRETÓRIOS PADRÕES PARA ETL PROCEDIMENTOS PADRÕES DE NOMECLATURA E CARGA Página 2 de 11

3 1 PADRÕES DE NOMENCLATURA DOS AMBIENTES DO DW-PBH Os ambientes de desenvolvimento, homologação, carga de produção e acesso de produção possuem as seguintes áreas no banco de dados Oracle: RECB_<SIGLA> guarda dados de recebimento de cada projeto de Data Mart. São criados uma RECB para cada data mart. STGA guarda dados da Stage que é única para todos os DMs do DW-PBH. DM_<SIGLA> - uma área para cada data mart. Armazena os dados do DM que serão acessados pelo usuário. Recebimento e Stage existem no servidor de acesso como espelhamento, pois os dados reais que o usuário acessa estão na área DM_<SIGLA>. Obs : Os DMs antigos não seguiram o padrão: Data Mart Área de Recebimento Área de Stage Área de Data Mart DM Execução de Despesas e Contratos RECB STGA DM_EXDP DM Tramitação de Processos X STGA OPUS DM Censo Educação RECB_SMED STGA DM_CSED DM PPAG-LOA RECB_PPAG STGA DM_PPAG DM Dívida Ativa RECB_DVAT STGA DM_DVAT DM Sac Web Serviços RECB_SACWEB STGA DM_SACWEB Página 3 de 11

4 2 PADRÕES PARA MODELAGEM DIMENSIONAL 2.1 Técnica de modelagem Somente é permitida a utilização da modelagem dimensional na forma Estrela (STAR SCHEMA), modelo onde todas as dimensões relacionam-se diretamente com a tabela Fato. É permitida a utilização de chaves artificiais (surrogate key). Para uma dimensão que possui visões diferentes no mesmo fato é criada uma FK para cada visão. Sempre verificar a necessidade de controle de versionamento e histórico da informação. Seguir os padrões de modelagem da GAAS disponível em: https://arquiteturadesistemas.pbh.gov.br/padroes. 2.2 Padrões de utilização do EA para modelagem do Data Warehouse (dimensional) A enciclopédia do DW-PBH fica no servidor de projetos gerenciado pela GESS-PB. Para realizar o acesso verificar o documento Manual de Instalação/Configuração Driver ODBC e Login em Projeto Enterprise Architect disponível no link: https://arquiteturadesistemas.pbh.gov.br/instalacao_ea. RECB: é modelada na ferramenta EA contendo todas as tabelas da área de recebimento. Normalmente é um modelo único, mas para ser inteligível é permitido a criação de submodelos que representam cada assunto que será tratado no data mart. STGA: é modelada na ferramenta EA apenas com as tabelas do contexto do data mart em questão. A stage coorporativa com todas as tabelas existentes possui um modelo próprio. DM: é modelado por Fato tratado no data mart dentro de um assunto específico, se for o caso. Cada tabela fato com suas respectivas dimensões será um submodelo da área de data mart. Página 4 de 11

5 A árvore do projeto na estrutura de modelo físico no EA deverá ficar conforme a estrutura exemplo da figura 1: Figura 1: árvore do projeto no EA Página 5 de 11

6 3 PADRÕES DE NOMENCLATURAS DE TABELAS E ATRIBUTOS 3.1 Nomenclatura de tabelas e atributos na área de RECB Usar os nomes originais do sistema transacional. Caso o dado venha via TXT e não exista uma tabela correspondente no transacional utilizar nomes significativos. Seguir padrão de modelagem da GAAS. 3.2 Nomenclatura de tabelas e atributos na área de STGA Tabelas - S888_NOMEDATABELA onde: 1. S para as tabelas criadas na área de stage é o nº seqüencial do sistema de origem dos dados. Verificar a numeração na lista de sistemas disponível no link: https://arquiteturadesistemas.pbh.gov.br/padroes. 3. NOMEDATABELA usar o mesmo do transacional ou nomes significativos quando não existir no transacional. 4. Atributos das tabelas: usar os mesmos nomes do sistema transacional ou nomes significativos quando não existir no transacional. Ex: S167_REGIONAL (S-stage, 167-sistema SIATU, Regional-nome da tabela no sistema transacional) 5. Acrescentar em cada tabela uma PK única não significativa com a seguinte lei de formação: ID_NOMEDATABELA Obs: a letra que representa a área e o sequencial que representa o sistema de origem do dado não fazem parte do nome da PK que será acrescentada nas tabelas. 3.3 Nomenclatura de tabelas e atributos na área DM Tabelas - D888_NOMEDATABELA onde: 1. D é a letra que indica que a tabela é do ambiente Data Mart é o nº seqüencial do sistema de origem dos dados. Verificar a numeração na lista de sistemas disponível no link: https://arquiteturadesistemas.pbh.gov.br/padroes. 3. NOMEDATABELA a. Fato: nome do fato no plural. Página 6 de 11

7 b. Dimensão: nome da dimensão no singular. 4. Utilizar nomes significativos para fatos e dimensões (que identifique unicamente a tabela dentro do DW-PBH). 5. Atributos: nome completo por extenso. 6. Nomes no Oracle têm limite de 30 bytes. Usar underscore(_) para separar palavras. Não usar acentos, preposições e artigos. 7. Digitar o nome das tabelas e atributos em upper case. Obs : Os primeiros DMs (EXECDESP / OPUS / CONTRATOS / CENSO) não seguem totalmente os padrões de nomenclatura de tabelas e atributos. Casa seja necessário abreviar algum atributo é necessário consultar o documento de Padrão palavra disponível no link: https://arquiteturadesistemas.pbh.gov.br/padroes. Sempre que algo for criado para o data mart (tabela, atributo etc.) deve-se seguir os padrões de modelagem da GAAS para modelos entidade-relacionamento e dimensional. 3.4 Nomenclatura de tabelas e atributos nos protocolos (Modelo multidimensional) Tabelas Fato PF888_NOMEDATABELA onde: 8. PF é a letra que indica que a tabela é um Fato faz parte de um protocolo para modelo multidimensional é o nº seqüencial do sistema de origem dos dados. Verificar a numeração na lista de sistemas disponível no link: https://arquiteturadesistemas.pbh.gov.br/padroes. 10. NOMEDATABELA a. Fato: nome do fato no plural. Tabelas Dimensão PD888_NOMEDATABELA onde: 11. PD é a letra que indica que a tabela é uma dimensão e faz parte de um protocolo para modelo multidimensional é o nº seqüencial do sistema de origem dos dados. Verificar a numeração na lista de sistemas disponível no link: https://arquiteturadesistemas.pbh.gov.br/padroes. Página 7 de 11

8 13. NOMEDATABELA a. Dimensão: nome da dimensão no singular. 14. Utilizar nomes significativos para fatos e dimensões (que identifique unicamente a tabela dentro do DW-PBH). 15. Atributos: nome completo por extenso. 16. Nomes no Oracle têm limite de 30 bytes. Usar underscore(_) para separar palavras. Não usar acentos, preposições e artigos. 17. Digitar o nome das tabelas e atributos em upper case. Obs : Os protocolos não são estruturas separadas e não possuem integração com os data marts existentes no DW-PBH. Não possuem área de recebimento e stage, apenas área de data mart que é carregada diretamente do sistema transacional. Todo o processo de carga, manutenção e sustentação é realizada pelo analista do sistema transacional. Casa seja necessário abreviar algum atributo é necessário consultar o documento de Padrão palavra disponível no link: https://arquiteturadesistemas.pbh.gov.br/padroes. Sempre que algo for criado para o data mart (tabela, atributo etc.) deve-se seguir os padrões de modelagem da GAAS para modelos entidade-relacionamento e dimensional. Página 8 de 11

9 4 PADRÕES PARA A DOCUMENTAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE DIRETÓRIOS A documentação dos projetos encontra-se no repositório da GAAS endereço: https://repositorio.pbh/tecnologia_informacao/gais/trunk/docs/gerenciamento/dw/ Toda documentação produzida para um data mart ou protocolo deve ser armazenada sob um diretório específico para cada data mart. Ex: DM_SACWEB Dentro deste diretório deverá haver no mínimo três pastas Documentação, Produtos e Backups, podendo, diante da necessidade criar outras pastas. Os arquivos de documentação como modelo e dicionário de dados, modelo multidimensional, seqüência de carga, análises de cargas, manuais e outros deverão estar localizados no diretório específico de cada data mart na pasta Documentação. Artefatos produzidos nas diversas fases da metodologia deverão estar localizados no diretório específico de cada data mart na pasta Produtos. Backups realizados pelo analista de DW (Gerados na ferramenta ETL ou na OLAP) deverão estar localizados no diretório específico de cada data mart na pasta Backups. Página 9 de 11

10 5 PADRÕES PARA ETL 5.1 Procedimentos Solicitar a criação da pasta referente ao data mart no repositório do Power Center através da seguinte estrutura do SDM: Serviços de tecnologia de informação Sistema de Informação <Área temática em que o Data Mart está classificado> <nome/sigla/acrônimo do Data Mart> Arquitetura Manutenção Ambiente ETL Solicitar a criação do ambiente de desenvolvimento com as áreas de recebimento, stage e data mart através do script gerado pela ferramenta EA na seguinte estrutra do SDM: Servicos de Tecnologia e Informação Sistemas de Informacao Tecnologia da Informacao Atendimento-Servicos Arquitetura.Arquitetura Informação Apoio 5.2 Padrões de nomeclatura e carga 1. Repositório e tabelas: A pasta no repositório do Power Center sempre deverá ter a seguinte estrutura Datamart_<SIGLA>. Para arquivos de origem txt usar como separador de campos o caracter serquilha (#). 2. Mapeamento: Nomeclatura no Power Center Desing deve seguir a seguinte estrutura m_area_que_esta_sendo_carregada_nometabela (ou um nome significativo). Ex: m_recb_regional Em caso de necessidade de criação de mapplet utilizar a seguinte estrutura mp_nome_significativo. 3. Fluxos de trabalho: Nomeclatura no Power Center Workflow Manager deve seguir a seguinte estrutura wk_nome_significativo. Em caso de necessidade de criação de worklets utilizar a seguinte estrutura wl_nome_significativo. Obs: os nomes significativos ou nomes da tabela devem ser digitados em upper case. Página 10 de 11

11 4. Carga: Inserir em todas as dimensões no ambiente de DM: Código 1 com a descrição Não se aplica para o caso em que o dado da dimensão não é aplicável no que se refere ao registro da tabela Fato. Código -2 com a descrição 'Não Encontrado' para quando um código que vier na tabela Fato não for localizado na dimensão correspondente. Código 3 com a descrição Valor Nulo para quando o valor do atributo não vier preenchido. Página 11 de 11

Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte S/A PRODABEL

Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte S/A PRODABEL Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte S/A PRODABEL Diretoria de Sistema - DS Superintendência de Arquitetura de Sistemas - SAS Gerência de Arquitetura de Informação - GAAS

Leia mais

DATA WAREHOUSE. Introdução

DATA WAREHOUSE. Introdução DATA WAREHOUSE Introdução O grande crescimento do ambiente de negócios, médias e grandes empresas armazenam também um alto volume de informações, onde que juntamente com a tecnologia da informação, a correta

Leia mais

Curso Data warehouse e Business Intelligence

Curso Data warehouse e Business Intelligence Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Apresentação Os projetos de Data Warehouse e Business Intelligence são dos mais interessantes e complexos de desenvolver

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS. 1. Binário: Bit: Menor unidade de dados; dígito binário (0,1) Byte: Grupo de bits que representa um único caractere

LISTA DE EXERCÍCIOS. 1. Binário: Bit: Menor unidade de dados; dígito binário (0,1) Byte: Grupo de bits que representa um único caractere 1. Binário: LISTA DE EXERCÍCIOS Bit: Menor unidade de dados; dígito binário (0,1) Byte: Grupo de bits que representa um único caractere Campo: Grupo de palavras ou um número completo Registro: Grupo de

Leia mais

Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura

Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Apresentação Os projetos de Data Warehouse e Business Intelligence são dos mais interessantes e complexos de desenvolver

Leia mais

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br Data Warehousing Leonardo da Silva Leandro Agenda Conceito Elementos básicos de um DW Arquitetura do DW Top-Down Bottom-Up Distribuído Modelo de Dados Estrela Snowflake Aplicação Conceito Em português:

Leia mais

REQUISIÇÃO DE CERTIFICADO SERVIDOR WEB APACHE PARA MICROSOFT WINDOWS

REQUISIÇÃO DE CERTIFICADO SERVIDOR WEB APACHE PARA MICROSOFT WINDOWS REQUISIÇÃO DE CERTIFICADO SERVIDOR WEB APACHE PARA MICROSOFT WINDOWS Para confecção desse manual, foi usado o Sistema Operacional Windows XP Professional e Servidor Web Apache 2.0. Algumas divergências

Leia mais

Arquiteturas de DW e Abordagens de Implementação. Arquiteturas e Abordagens de Implementação

Arquiteturas de DW e Abordagens de Implementação. Arquiteturas e Abordagens de Implementação Curso de Dwing TecBD-DI PUC-Rio Prof. Rubens Melo Arquiteturas de DW e Abordagens de Implementação Arquiteturas e Abordagens de Implementação Arquitetura adequada é fundamental Infra-estrutura disponível

Leia mais

Data Warehouse Processos e Arquitetura

Data Warehouse Processos e Arquitetura Data Warehouse - definições: Coleção de dados orientada a assunto, integrada, não volátil e variável em relação ao tempo, que tem por objetivo dar apoio aos processos de tomada de decisão (Inmon, 1997)

Leia mais

NORMA TÉCNICA PARA DEFINIÇÃO DE OBJETOS DE BANCO DE DADOS E DE ESTRUTURAS DE ARMAZENAMENTO QUE CONSTITUEM O BANCO DE DADOS CORPORATIVO

NORMA TÉCNICA PARA DEFINIÇÃO DE OBJETOS DE BANCO DE DADOS E DE ESTRUTURAS DE ARMAZENAMENTO QUE CONSTITUEM O BANCO DE DADOS CORPORATIVO NORMA TÉCNICA PARA DEFINIÇÃO DE OBJETOS DE BANCO DE DADOS E DE ESTRUTURAS DE ARMAZENAMENTO QUE CONSTITUEM O BANCO DE DADOS CORPORATIVO Referência: NT-AI.04.04.01 http://www.unesp.br/ai/pdf/nt-ai.04.04.01.pdf

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS 7 ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS OBJETIVOS Por que as empresas sentem dificuldades para descobrir que tipo de informação precisam ter em seus sistemas de informação ão? Como um sistema de gerenciamento

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4.

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4.1 Armazenamento... 5 4.2 Modelagem... 6 4.3 Metadado... 6 4.4

Leia mais

MANUAL DE IMPLEMENTAÇÃO DO MÓDULO NOTA FISCAL ELETRONICA

MANUAL DE IMPLEMENTAÇÃO DO MÓDULO NOTA FISCAL ELETRONICA MANUAL DE IMPLEMENTAÇÃO DO MÓDULO NOTA FISCAL ELETRONICA MARKANTY INFORMÁTICA Sistemas para Automação Comercial Gestão Empresarial e Fábrica de Software (Específicos) Princípios de nossos Profissionais:

Leia mais

BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart.

BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart. 16/08/2013 BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart. Versão 1.0 19/12/2014 Visão Resumida Data Criação 19/12/2014 Versão Documento 1.0 Projeto

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRA/1123 FNDE -EDITAL Nº 01/2009 1. Perfil: Consultor ESPECIALISTA EM PLANO DE METAS ANALISTA PROGRAMADOR DELPHI - Código 1 - CGETI. 2. Nº de vagas:

Leia mais

Paginas em Branco: O sistema possui a possibilidade de configuração, que remove automaticamente as páginas em branco.

Paginas em Branco: O sistema possui a possibilidade de configuração, que remove automaticamente as páginas em branco. GERENCIAMENTO ARQUIVÍSTICA DE DOCUMENTOS. Disponibiliza rotinas para armazenar e gerenciar (incluindo, alterando, excluindo e pesquisando) a documentação física e eletrônica (digitalizada, importada de

Leia mais

Manual do Sistema. SMARSA WEB Atendimento de Processos

Manual do Sistema. SMARSA WEB Atendimento de Processos Manual do Sistema SMARSA WEB Atendimento de Processos Módulo Atendimento ÍNDICE INTRODUÇÃO...1 OBJETIVOS...1 BEM VINDO AO SISTEMA SMARSA WEB MÓDULO ATENDIMENTO...2 TELA DE LOGIN...2 COMO UTILIZAR?... 2

Leia mais

Percio Alexandre de Oliveira Prof. Maurício Capobianco Lopes - Orientador

Percio Alexandre de Oliveira Prof. Maurício Capobianco Lopes - Orientador Percio Alexandre de Oliveira Prof. Maurício Capobianco Lopes - Orientador Índice Introdução Objetivos Data Warehouse Estrutura Interna Características Principais elementos: ETC, Metadados e Modelagem Dimensional

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan

Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 4.3 2 1 BI BUSINESS INTELLIGENCE BI CARLOS BARBIERI

Leia mais

Funções do Arquiteto de Informação

Funções do Arquiteto de Informação Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte S/A PRODABEL Diretoria de Sistema - DS Superintendência de Arquitetura de Sistemas - SAS Gerência de Arquitetura de Informação - GAAS

Leia mais

15/8/2007 Gerencia de Tecnologia da Informação Claudia M.S. Tomaz

15/8/2007 Gerencia de Tecnologia da Informação Claudia M.S. Tomaz 15/8/2007 Gerencia de Tecnologia da Informação Claudia M.S. Tomaz MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEBMAIL GETEC 01 2/13 Como acessar o Webmail da Secretaria de Educação? Para utilizar o Webmail da Secretaria de

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5 Para entender bancos de dados, é útil ter em mente que os elementos de dados que os compõem são divididos em níveis hierárquicos. Esses elementos de dados lógicos constituem os conceitos de dados básicos

Leia mais

Sistema de Informação Gerencial baseado em Data Warehouse aplicado a uma software house

Sistema de Informação Gerencial baseado em Data Warehouse aplicado a uma software house Universidade Regional de Blumenau Centro de Ciências Exatas e Naturais Curso de Sistemas de Informação (Bacharelado) Sistema de Informação Gerencial baseado em Data Warehouse aplicado a uma software house

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE CERTIFICADO SERVIDOR WEB MICROSOFT IIS 5.x

SOLICITAÇÃO DE CERTIFICADO SERVIDOR WEB MICROSOFT IIS 5.x SOLICITAÇÃO DE CERTIFICADO SERVIDOR WEB MICROSOFT IIS 5.x Para confecção desse manual, foi usado o Sistema Operacional Windows XP Professional com SP2 e Servidor Web Microsoft IIS 5.1. Algumas divergências

Leia mais

Data Warehouse. Diogo Matos da Silva 1. Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, MG, Brasil. Banco de Dados II

Data Warehouse. Diogo Matos da Silva 1. Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, MG, Brasil. Banco de Dados II Data Warehouse Diogo Matos da Silva 1 1 Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, MG, Brasil Banco de Dados II Diogo Matos (DECOM - UFOP) Banco de Dados II Jun 2013 1 /

Leia mais

UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO (Bacharelado)

UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO (Bacharelado) UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO (Bacharelado) SISTEMA INTERNO INTEGRADO PARA CONTROLE DE TAREFAS INTERNAS DE UMA EMPRESA DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

5 Estudo de Caso. 5.1. Material selecionado para o estudo de caso

5 Estudo de Caso. 5.1. Material selecionado para o estudo de caso 5 Estudo de Caso De modo a ilustrar a estruturação e representação de conteúdos educacionais segundo a proposta apresentada nesta tese, neste capítulo apresentamos um estudo de caso que apresenta, para

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS Capítulo 7 ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS 7.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Por que as empresas sentem dificuldades para descobrir que tipo de informação precisam ter em seus sistemas de informação?

Leia mais

Como acessar o novo webmail da Educação? Manual do Usuário. 15/9/2009 Gerencia de Suporte, Redes e Novas Tecnologias Claudia M.S.

Como acessar o novo webmail da Educação? Manual do Usuário. 15/9/2009 Gerencia de Suporte, Redes e Novas Tecnologias Claudia M.S. Como acessar o novo webmail da Educação? Manual do Usuário 15/9/2009 Gerencia de Suporte, Redes e Novas Tecnologias Claudia M.S. Tomaz IT.002 02 2/14 Como acessar o Webmail da Secretaria de Educação? Para

Leia mais

MANUAL OPERACIONAL. PTU Web

MANUAL OPERACIONAL. PTU Web MANUAL OPERACIONAL PTU Web Versão 8.0 24/08/2011 ÍNDICE Índice... 2 PTU Web... 4 O que é o PTU Web?... 4 Como acessar o PTU Web?... 4 Listagem de arquivos enviados e recebidos... 5 Unimeds disponíveis

Leia mais

MANUAL DE ENVIO DE ARQUIVOS VIA DUTONET

MANUAL DE ENVIO DE ARQUIVOS VIA DUTONET 1. SISTEMA DUTONET 1.1 OBJETIVO O sistema tem como objetivo o envio de arquivos pelos Agentes de Geração de Energia Elétrica à ANEEL. Os arquivos poderão ter o seu processamento acompanhado pelos agentes,

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE ATIVIDADES DE IDENTIFICAÇÃO, LOCALIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS NA CONSTRUÇÃO DE UM DATA WAREHOUSE

CONSIDERAÇÕES SOBRE ATIVIDADES DE IDENTIFICAÇÃO, LOCALIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS NA CONSTRUÇÃO DE UM DATA WAREHOUSE CONSIDERAÇÕES SOBRE ATIVIDADES DE IDENTIFICAÇÃO, LOCALIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS NA CONSTRUÇÃO DE UM DATA WAREHOUSE Fabio Favaretto Professor adjunto - Programa de Pós Graduação em Engenharia de Produção

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO Plataforma Web de 1ª VIA

MANUAL DO USUÁRIO Plataforma Web de 1ª VIA MANUAL DO USUÁRIO Plataforma Web de 1ª VIA 1 Índice - Site para o envio de mensagens de texto (SMS) de 1ª via... 03 - Centro de Aplicativos(APPs) para o envio de mensagens... 03 - Quick SMS envio de até

Leia mais

Manual do sistema SMARsa WEB

Manual do sistema SMARsa WEB Manual do sistema SMARsa WEB Módulo Solicitação/Ouvidoria SMARsa WEB Solicitação/Ouvidoria Versão 2.7 1 Sumário INTRODUÇÃO...4 OBJETIVOS...4 Bem-vindo ao sistema SMARsa WEB: Módulo solicitação/ouvidoria...5

Leia mais

DATA WAREHOUSE. Rafael Ervin Hass Raphael Laércio Zago

DATA WAREHOUSE. Rafael Ervin Hass Raphael Laércio Zago DATA WAREHOUSE Rafael Ervin Hass Raphael Laércio Zago Roteiro Introdução Aplicações Arquitetura Características Desenvolvimento Estudo de Caso Conclusão Introdução O conceito de "data warehousing" data

Leia mais

Cadastramento de novo funcionário da GAAS

Cadastramento de novo funcionário da GAAS Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte S/A PRODABEL Diretoria de Sistema - DS Superintendência de Arquitetura de Sistemas - SAS Gerência de Arquitetura de Informação - GAAS

Leia mais

Checklist de Projeto de Data Warehouse

Checklist de Projeto de Data Warehouse Checklist de Projeto de Data Warehouse Prof. Dr. Jorge Rady de Almeida Jr. Escola Politécnica da USP F/1 Revisão de Projeto Design Review Após uma área de interesse tenha sido projetada e posta em operação

Leia mais

Procedimentos para Instalação do SISLOC

Procedimentos para Instalação do SISLOC Procedimentos para Instalação do SISLOC Sumário 1. Informações Gerais...3 2. Instalação do SISLOC...3 Passo a passo...3 3. Instalação da Base de Dados SISLOC... 11 Passo a passo... 11 4. Instalação de

Leia mais

Prof. Alexandre Unterstell Banco de Dados I

Prof. Alexandre Unterstell Banco de Dados I Prof. Alexandre Unterstell Banco de Dados I Etapas para o projeto de um BD Análise de requisitos Analista: Entrevista Necessidade do negócio As etapas não consideram ainda nenhuma característica específica

Leia mais

Roteiro do Trabalho Prático

Roteiro do Trabalho Prático Projeto de Sistemas - 2011/2 Roteiro do Trabalho Prático O trabalho prático consta da realização das atividades de Projeto da Arquitetura de Software e Projeto dos Componentes da Arquitetura, devendo ser

Leia mais

Capítulo 1 - A revolução dos dados, da informação e do conhecimento 1 B12 4

Capítulo 1 - A revolução dos dados, da informação e do conhecimento 1 B12 4 Sumário Capítulo 1 - A revolução dos dados, da informação e do conhecimento 1 B12 4 Capítulo 2 - Reputação corporativa e uma nova ordem empresarial 7 Inovação e virtualidade 9 Coopetição 10 Modelos plurais

Leia mais

SAD orientado a DADOS

SAD orientado a DADOS Universidade do Contestado Campus Concórdia Curso de Sistemas de Informação Prof.: Maico Petry SAD orientado a DADOS DISCIPLINA: Sistemas de Apoio a Decisão SAD orientado a dados Utilizam grandes repositórios

Leia mais

Projeto de Data Warehousing sobre Informações em Saúde para dar Suporte a Análise de Faturamento Hospitalar

Projeto de Data Warehousing sobre Informações em Saúde para dar Suporte a Análise de Faturamento Hospitalar Projeto de Data Warehousing sobre Informações em Saúde para dar Suporte a Análise de Faturamento Hospitalar Newton Shydeo Brandão Miyoshi Joaquim Cezar Felipe Grupo de Informática Biomédica Departamento

Leia mais

Plano de Gerência de Configuração

Plano de Gerência de Configuração Plano de Gerência de Configuração Objetivo do Documento Introdução A aplicação deste plano garante a integridade de códigos-fonte e demais produtos dos sistemas do, permitindo o acompanhamento destes itens

Leia mais

TUTORIAL/MANUAL CONFIGURAR E GERAR NOTAS FISCAIS. Document Version: 1.0 Release Date: 19/02/2013

TUTORIAL/MANUAL CONFIGURAR E GERAR NOTAS FISCAIS. Document Version: 1.0 Release Date: 19/02/2013 1 P a g e TUTORIAL/MANUAL CONFIGURAR E GERAR NOTAS FISCAIS Document Version: 1.0 Release Date: 19/02/2013 Author(s) Via Express Informática LTDA. Carlos Belgine Analista de Suporte 2 P a g e OBJETIVO O

Leia mais

TUTORIAL GOOGLE DRIVE

TUTORIAL GOOGLE DRIVE TUTORIAL GOOGLE DRIVE Armazenar e compartilhar arquivos ou pastas no google drive. Para compartilhar e armazenar arquivos no google drive é necessário ter uma conta google ou conta no gmail. Após criar

Leia mais

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Criação de backups importantes... 3 3. Reinstalação do Sisloc... 4 Passo a passo... 4 4. Instalação da base de dados Sisloc...

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA ORGANIZAÇÃO E ENTREGA DE DOCUMENTOS NOVOS

PROCEDIMENTOS PARA ORGANIZAÇÃO E ENTREGA DE DOCUMENTOS NOVOS PROCEDIMENTOS PARA ORGANIZAÇÃO E ENTREGA DE DOCUMENTOS NOVOS Este manual foi elaborado para orientar o Cliente, Órgão/Entidade, sobre os procedimentos necessários a serem seguidos com relação à preparação

Leia mais

Sistema de Controle de Processos ON-LINE-Versão 1.0 Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) Unidade Municipal de Tecnologia da Informação (UMTI)

Sistema de Controle de Processos ON-LINE-Versão 1.0 Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) Unidade Municipal de Tecnologia da Informação (UMTI) O SISTEMA DE CONTROLE DE PROCESSOS ON-LINE O Sistema de Controle de Processos ON-LINE é um Sistema de Protocolo desenvolvido pela da que tem como finalidade gerenciar os processos e solicitações de serviços

Leia mais

- Computador Servidor: É o computador que armazenará o banco de dados do programa. Não necessariamente precisa rodar o Hábil Enterprise.

- Computador Servidor: É o computador que armazenará o banco de dados do programa. Não necessariamente precisa rodar o Hábil Enterprise. Hábil Enterprise Copyright 2009 2010 Koinonia Software Ltda. Fone: 0**46 3225-6234 Suporte: http://www.habilenterprise.com.br/suporte As orientações abaixo devem ser utilizadas para fazer a instalação

Leia mais

PLANO DE ENSINO PRÉ-REQUISITOS: ENS

PLANO DE ENSINO PRÉ-REQUISITOS: ENS UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI PLANO DE ENSINO DEPARTAMENTO: DSI Departamento de Sistema de Informação DISCIPLINA: Data Warehouse

Leia mais

Fases para um Projeto de Data Warehouse. Fases para um Projeto de Data Warehouse. Fases para um Projeto de Data Warehouse

Fases para um Projeto de Data Warehouse. Fases para um Projeto de Data Warehouse. Fases para um Projeto de Data Warehouse Definição escopo do projeto (departamental, empresarial) Grau de redundância dos dados(ods, data staging) Tipo de usuário alvo (executivos, unidades) Definição do ambiente (relatórios e consultas préestruturadas

Leia mais

TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE

TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE Engenharia de Computação Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto OLPT x OLAP Roteiro OLTP Datawarehouse OLAP Operações OLAP Exemplo com Mondrian e Jpivot

Leia mais

Manual Signext Card Explorer

Manual Signext Card Explorer Índice 1. Gerenciador... 1 2. Editar... 4 3. Token... 7 4. Key Pair... 8 5. Certificado... 9 6. Sobre... 10 O Card Explorer é um software desenvolvido para que o usuário possa: gerar par de chaves, inserir/excluir

Leia mais

Modelo de dados do Data Warehouse

Modelo de dados do Data Warehouse Modelo de dados do Data Warehouse Ricardo Andreatto O modelo de dados tem um papel fundamental para o desenvolvimento interativo do data warehouse. Quando os esforços de desenvolvimentos são baseados em

Leia mais

Tecnologias Oracle para DW Índice Bitmap no Oracle 11g EE. Cristiane Yaguinuma Débora Marrach Luana Annibal Vinícius Ferraz

Tecnologias Oracle para DW Índice Bitmap no Oracle 11g EE. Cristiane Yaguinuma Débora Marrach Luana Annibal Vinícius Ferraz Tecnologias Oracle para DW Índice Bitmap no Oracle 11g EE Cristiane Yaguinuma Débora Marrach Luana Annibal Vinícius Ferraz Setembro/29 Agenda Oracle 11g Release 2 - Enterprise Edition Índice Bitmap Conceitos

Leia mais

Manual Wincall Atualizado em 19/09/2007 Pág. 1

Manual Wincall Atualizado em 19/09/2007 Pág. 1 MANUAL CALL CENTER Pág. 1 INTRODUÇÃO AO MODULO CALL CENTER Esse módulo do Sistema gerencia todo relacionamento da empresa com seus clientes, registrando todos os contatos realizados, controlando todo o

Leia mais

Data Mining: Conceitos e Técnicas

Data Mining: Conceitos e Técnicas Data Mining: Conceitos e Técnicas DM, DW e OLAP Data Warehousing e OLAP para Data Mining O que é data warehouse? De data warehousing para data mining Data Warehousing e OLAP para Data Mining Data Warehouse:

Leia mais

Funções. Recebimento, registro, distribuição e movimentação de documentos em curso. Usuários. Servidores públicos.

Funções. Recebimento, registro, distribuição e movimentação de documentos em curso. Usuários. Servidores públicos. Manual Versão 1.1 Armazena e fornece informações sobre a tramitação dos documentos oficiais que envolvem o registro de atos e fatos de natureza administrativa/jurídica de interesse da administração direta

Leia mais

Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence

Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence Juntamente com o desenvolvimento desses aplicativos surgiram os problemas: & Data Warehouse July Any Rizzo Oswaldo Filho Década de 70: alguns produtos de BI Intensa e exaustiva programação Informação em

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

ESTÁGIO DE DOCÊNCIA II

ESTÁGIO DE DOCÊNCIA II FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ Centro de Tecnologia - CTC Departamento de Informática - DIN Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação PCC ESTÁGIO DE DOCÊNCIA II Disciplina: Engenharia

Leia mais

Microsoft Access INTRODUÇÃO. Sumário INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO. O que é Banco de Dados?

Microsoft Access INTRODUÇÃO. Sumário INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO. O que é Banco de Dados? Microsoft Access Sumário 1. 2. ABRINDO UM BANCO DE DADOS PRONTO 3. ASSISTENTE DE BANCO DE DADOS 4. NAVEGANDO PELO BANCO DE DADOS 5. CRIANDO UM BANCO DE DADOS DESDE O INÍCIO 6. CRIANDO COSULTAS 7. CRIANDO

Leia mais

Instalação do Portal PMS Ambiente : Controladoria Data da publicação : 18/11/09 Países : Brasil Autor Wilker Valladares

Instalação do Portal PMS Ambiente : Controladoria Data da publicação : 18/11/09 Países : Brasil Autor Wilker Valladares Instalação do Portal PMS Ambiente : Controladoria Data da publicação : 18/11/09 Países : Brasil Autor Wilker Valladares O objetivo deste documento é capacitar o analista a instalar e configurar o Portal

Leia mais

Uma Arquitetura de Gestão de Dados em Ambiente Data Warehouse

Uma Arquitetura de Gestão de Dados em Ambiente Data Warehouse Uma Arquitetura de Gestão de Dados em Ambiente Data Warehouse Alcione Benacchio (UFPR) E mail: alcione@inf.ufpr.br Maria Salete Marcon Gomes Vaz (UEPG, UFPR) E mail: salete@uepg.br Resumo: O ambiente de

Leia mais

Guia de Referência 0800net

Guia de Referência 0800net Guia de Referência 0800net 1. Apresentação: Com o intuito de melhorar cada vez mais os serviços de atendimento, o Grupo GCI, disponibiliza a Central de Atendimento, através do endereço http://0800net.gci.com.br/.

Leia mais

Elementos. Setores, departamentos, diretorias etc.

Elementos. Setores, departamentos, diretorias etc. O Active Directory Active directory Serviço de diretório extensível para gerenciar recursos da rede de modo eficiente Armazena informações detalhadas sobre cada recurso na rede Possibilidade de armazenar

Leia mais

Conteúdo Store manager... 2

Conteúdo Store manager... 2 Conteúdo Store manager... 2 Instalação StoreManager... 4 Servidor... 4 Estação... 4 Configurações necessárias para acessar o sistema... 4 Servidor... 4 Estações... 5 Configuração dos Importadores... 8

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO Analista Desenvolvedor de ETL OEI/TOR/FNDE/CGETI Nº /09

Leia mais

Sistema de Protocolo. Manual do Usuário

Sistema de Protocolo. Manual do Usuário Sistema de Protocolo Manual do Usuário Atualizado em 05/06/2010 2 Apresentação Módulo Protocolo Está disponível de forma integrada com todos os órgãos para registrar e acompanhar, de modo atualizado e

Leia mais

b. analista: servidor designado para analisar um determinado processo em uma dada iteração.

b. analista: servidor designado para analisar um determinado processo em uma dada iteração. Superintendência de Padrões Operacionais SPO Manual de Procedimentos MPR provação: Portaria n 1555, de 22 de junho de 2015, publicada no Boletim de Pessoal e Serviço v.10, n 26, de 26 de junho de 2015.

Leia mais

OBJETIVO 1 ACESSANDO O SISTEMA 2 - TELA PRINCIPAL 3 MÓDULO ETIQUETAS 4 - CADASTRAR DOCUMENTOS 5 ANEXAR DOCUMENTOS 6 MENU TRÂMITE 6.

OBJETIVO 1 ACESSANDO O SISTEMA 2 - TELA PRINCIPAL 3 MÓDULO ETIQUETAS 4 - CADASTRAR DOCUMENTOS 5 ANEXAR DOCUMENTOS 6 MENU TRÂMITE 6. Sumário OBJETIVO... 2 1 ACESSANDO O SISTEMA... 3 2 - TELA PRINCIPAL (Painel de Controle)... 4 3 MÓDULO ETIQUETAS... 4 4 - CADASTRAR DOCUMENTOS... 7 5 ANEXAR DOCUMENTOS... 15 6 MENU TRÂMITE... 18 6.1 RECEBER

Leia mais

Manual de instrução Gerenciador de Certificados Digitais

Manual de instrução Gerenciador de Certificados Digitais Manual de instrução Gerenciador de Certificados Digitais Proibida a reprodução total ou parcial. Todos os direitos reservados 1 SUMÁRIO CONFIGURAÇÕES DO SISTEMA... 3 INSTALAÇÃO DO GERENCIADOR DE CERTIFICADOS

Leia mais

PRINCIPAIS QUESTÕES DO PROCESSO DO WS SINAL E SINAL 6.0

PRINCIPAIS QUESTÕES DO PROCESSO DO WS SINAL E SINAL 6.0 PRINCIPAIS QUESTÕES DO PROCESSO DO WS SINAL E SINAL 6.0 Observação: FAVOR VERIFICAR A RESOLUÇÃO DA MÁQUINA (RESOLUÇÃO DA TELA DEVERÁ SER 1024 x 768) e liberação das portas 7778 e 7780 no firewall para

Leia mais

e-stf WebServices Processo Eletrônico Smart Client Manual de Instalação

e-stf WebServices Processo Eletrônico Smart Client Manual de Instalação SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Secretaria de Tecnologia da Informação e-stf WebServices Processo Eletrônico Smart Client 1 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 30/07/2008 1.0 Criação do documento

Leia mais

Informática para Concursos 1 leitejuniorbr@yahoo.com.br

Informática para Concursos 1 leitejuniorbr@yahoo.com.br QUESTÕES TRE / TJ FCC 2007 CARGO: TÉCNICO JUDICIÁRIO ÁREA QUESTÃO 11 -. Com relação a hardware, é correto afirmar que: (A) Computadores com placas-mãe alimentadas por fontes ATX suportam o uso do comando

Leia mais

Modelando um Data Warehouse GRIMALDO OLIVEIRA

Modelando um Data Warehouse GRIMALDO OLIVEIRA Modelando um Data Warehouse GRIMALDO OLIVEIRA Sobre Grimaldo Grimaldo Oliveira grimaldo_lopes@hotmail.com Formação Mestre em Tecnologias Aplicadas a Educação pela Universidade do Estado da Bahia. Especialização

Leia mais

Arquitetura física de um Data Warehouse

Arquitetura física de um Data Warehouse É um modo de representar a macroestrutura de, comunicação, processamento e existentes para usuários finais dentro da empresa. Operacionais origem Data / Arquitetura física Serviços Armazenamento de Área

Leia mais

CA SERVICE DESK MANAGER

CA SERVICE DESK MANAGER CA SERVICE DESK MANAGER GUIA RÁPIDO: Abertura de Chamado pelo Portal Web (Ferramenta Service Desk ) 1. CA SERVICE DESK MANAGER... 3 2. CONHECENDO AS TELAS INICIAIS... 4 2.1. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO...

Leia mais

Projeto: Simul-e Documento de Arquitetura de Software

Projeto: Simul-e Documento de Arquitetura de Software Projeto: Simul-e Documento de Arquitetura de Software Versão 1.0 Página 1 de 9 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 12.09.2015 1.0 Criação do Documento Hugo Pazolline 20.10.2015 1.0 Atualização

Leia mais

O Projeto DW/BHTRANS - Uma solução de armazém de dados como ferramenta de planejamento urbano.

O Projeto DW/BHTRANS - Uma solução de armazém de dados como ferramenta de planejamento urbano. O Projeto DW/BHTRANS - Uma solução de armazém de dados como ferramenta de planejamento urbano. Reinaldo Avelar Drumond Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte S.A BHTRANS - Av. Engenheiro Carlos

Leia mais

Manual de Integração

Manual de Integração Manual de Integração Versão 1.0 Conteúdo 1 Obtendo e Instalando o Conhecimento de Transporte... 4 1.1 Obtendo o Instalador... 4 1.2 Instalando Componentes... 4 1.3 Instalando o CT-e... 4 2 Padrão de Pastas

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO DO SIE-SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA O ENSINO

MANUAL DO USUÁRIO DO SIE-SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA O ENSINO MANUAL DO USUÁRIO DO SIE-SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA O ENSINO INTRODUÇÃO Esse manual destina-se a usuários do Sistema de Informação para o Ensino -SIE Módulo Protocolo e tem por finalidade apresentar as

Leia mais

Apache Gerando CSR em Linux SHA256

Apache Gerando CSR em Linux SHA256 Apache Gerando CSR em Linux SHA256 Proibida a reprodução total ou parcial. Todos os direitos reservados 1 Sumário Introdução... 3 O que é CSR?... 4 Gerando chave privada e CSR SHA256... 5 1º Passo: Gerar

Leia mais

COORDENAÇÃO DE SISTEMAS (CODES) MAIO/2013

COORDENAÇÃO DE SISTEMAS (CODES) MAIO/2013 PADRÕES UTILIZADOS NO DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES DO IF BAIANO COORDENAÇÃO DE SISTEMAS (CODES) MAIO/2013 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001.

Leia mais

Manual de Integração

Manual de Integração Manual de Integração Versão 3.10 Conteúdo 1 Obtendo e Instalando o Emissor... 4 1.1 Obtendo o instalador... 4 1.2 Instalando o JAVA e o Framework.NET 2.0... 4 1.3 Instalando o Emissor... 5 2 Padrões de

Leia mais

Manual - Gemelo Backup Online WEB

Manual - Gemelo Backup Online WEB Manual - Gemelo Backup Online WEB É um disco virtual que permite acessar seus dados de qualquer lugar através da Internet. Acesso A Gemelo Storage Solutions e enviará um e-mail confirmando que você é usuário

Leia mais

SISTEMA DE PRODUTOS E SERVIÇOS CERTIFICADOS MÓDULO DO CERTIFICADOR

SISTEMA DE PRODUTOS E SERVIÇOS CERTIFICADOS MÓDULO DO CERTIFICADOR SISTEMA DE PRODUTOS E SERVIÇOS CERTIFICADOS Versão 2.4.6 Índice APRESENTAÇÃO... 3 INSTALAÇÃO DO SISTEMA... 4 INSTALANDO O SISTEMA... 4 CONECTANDO COM A BASE DE DADOS DO... 8 CONFIGURAÇÃO DA BASE DE DADOS

Leia mais

Sistemas Operacionais 3º bimestre. Dierone C.Foltran Jr. dcfoltran@yahoo.com

Sistemas Operacionais 3º bimestre. Dierone C.Foltran Jr. dcfoltran@yahoo.com Sistemas Operacionais 3º bimestre Dierone C.Foltran Jr. dcfoltran@yahoo.com Sistema de Arquivos (1) Todas as aplicações precisam armazenar e recuperar informações. Considerações sobre os processos: Espaço

Leia mais

GUIA DE USUÁRIO - GU-

GUIA DE USUÁRIO - GU- 1/22 Revisão 00 de 20//12 1. OBJETIVO Orientar o usuário para a pesquisa e visualização detalhada de todas as ordens de compra emitidas, emitir confirmações de aceite, submeter solicitação de alteração,

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO

Leia mais

Subsecretaria de Contabilidade Pública. Coordenação-Geral de Contabilidade e Custos da União. Tesouro Gerencial

Subsecretaria de Contabilidade Pública. Coordenação-Geral de Contabilidade e Custos da União. Tesouro Gerencial Subsecretaria de Contabilidade Pública Coordenação-Geral de Contabilidade e Custos da União Tesouro Gerencial Brasília Novembro/2014 Objetivos do Curso O aluno deve ser capaz de: 1) Identificar as diferenças/semelhanças

Leia mais

WebZine Manager. Documento de Projeto Lógico de Rede

WebZine Manager. Documento de Projeto Lógico de Rede WebZine Manager Documento de Projeto Lógico de Rede Versão:1.0 Data: 10 de Setembro de 2012 Identificador do documento: WebZine Manager Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0 Localização: SoftSolut,

Leia mais

M a n u a l d e I n s t a l a ç ã o d o Q u a l i t o r A d v a n c e d

M a n u a l d e I n s t a l a ç ã o d o Q u a l i t o r A d v a n c e d M a n u a l d e I n s t a l a ç ã o d o Q u a l i t o r A d v a n c e d enterprise i t i l advanced Todos os direitos reservados à Constat. Uso autorizado mediante licenciamento Qualitor Porto Alegre RS

Leia mais

Procedimentos para Instalação do Sisloc

Procedimentos para Instalação do Sisloc Procedimentos para Instalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Instalação do Sisloc... 3 Passo a passo... 3 3. Instalação da base de dados Sisloc... 16 Passo a passo... 16 4. Instalação

Leia mais

Prova INSS RJ - 2007 cargo: Fiscal de Rendas

Prova INSS RJ - 2007 cargo: Fiscal de Rendas Prova INSS RJ - 2007 cargo: Fiscal de Rendas Material de Apoio de Informática - Prof(a) Ana Lucia 53. Uma rede de microcomputadores acessa os recursos da Internet e utiliza o endereço IP 138.159.0.0/16,

Leia mais

M a n u a l d e I n s t a l a ç ã o d o Q u a l i t o r A d v a n c e d

M a n u a l d e I n s t a l a ç ã o d o Q u a l i t o r A d v a n c e d M a n u a l d e I n s t a l a ç ã o d o Q u a l i t o r A d v a n c e d enterprise i t i l advanced Todos os direitos reservados à Constat. Uso autorizado mediante licenciamento Qualitor Porto Alegre RS

Leia mais

Arquitetura de Disseminação de Informações baseada em Datawarehouse 05/04/2006

Arquitetura de Disseminação de Informações baseada em Datawarehouse 05/04/2006 Arquitetura de Disseminação de Informações baseada em Datawarehouse 05/04/2006 Agenda A Informal Perspectiva Histórica Modelos de Arquitetura Benefícios para Gestão Caso de Referência Agenda A Informal

Leia mais

CNCT Cadastro Nacional de Cursos Técnicos http://portal.mec.gov.br/setec e-mail: cnct@mec.gov.br Telefone: (61) 2104-9202

CNCT Cadastro Nacional de Cursos Técnicos http://portal.mec.gov.br/setec e-mail: cnct@mec.gov.br Telefone: (61) 2104-9202 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Departamento de Políticas e Articulação Institucional Coordenação-Geral de Avaliação da Educação Profissional e Tecnológica CNCT

Leia mais