ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS"

Transcrição

1 ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS 1

2 ACIDENTES POR LEPDÓPTEROS Envenenamento causado pela penetração de cerdas de lagartas (larvas de lepidópteros) na pele, ocorrendo assim a inoculação de toxinas. ACIDENTES POR LONOMIAS Dermatite urticante Causada por contato com lagartas urticantes de vários gêneros de lepidópteros; Provocada pelo contato com cerdas da mariposahylesia sp. 2

3 ACIDENTES POR LEPDÓPTEROS Lavar o local com água fria e sabão não fazer torniquete ou garrote não furar não cortar não queimar não espremer não fazer sucção no local da ferida Não aplicar folhas, pó de café ou terra A função original das cerdas com venenos está ligada à defesa contra predadores naturais. O acidente é comumente gerado pela compressão das lagartas, quando elas se encontram nos troncos. ACIDENTES POR HIMENÓPTEROS Apidae (abelhas e mamangavas) Vespidae (vespa amarela, vespão e marimbondo ou caba) Formicidae (formigas). 3

4 ACIDENTES POR HIMENÓPTEROS As manifestações clínicas podem ser: dor aguda local Vermelhidão prurido e edema por várias horas ou dias dispnéia, rouquidão prurido no palato ou na faringe edema dos lábios, língua, úvula e epiglote náuseas,cólicas abdominais ou pélvicas vômitos e diarréia hipotensão, tontura ou Podem ocorrerpalpitações e arritmias cardíacas Tratamento ACIDENTES POR HIMENÓPTEROS A retirada dos ferrões da pele deverá ser feita por raspagem com lâmina Analgésico Anti-histaminícos 4

5 ACIDENTE POR ICTISMO ACIDENTE POR ICTISMO 5

6 ACIDENTE POR ICTISMO Acidentes provocados por peixes marinhos ou fluviais Os acidentes acantotóxicos (arraias, por ex.) são de caráter necrosante e a dor é o sintoma proeminente. ferimento puntiforme ou lacerante eritema e edema necrose dos tecidos no local do ferimento infeção bacteriana secundária manifestações gerais como: fraqueza, sudorese,náuseas, vômitos, vertigens, hipotensão, choque e até óbito. ACIDENTE POR ICTISMO Os acidentes sarcotóxicos ocorrem por ingestão de peixes e frutos do mar. Eles produzem um potente bloqueador neuromuscular que pode conduzir a vítima à paralisia consciente e óbito por falência respiratória. Carne de peixes mal conservados, produzindo toxinas capazes de liberar histamina em seres humanos. Acúmulo de metil-mercúrio em peixes pescados em águas contaminadas podem produzir quadros neurológicos em humanos. 6

7 ESCORPIÕES Os escorpiões, dentre os aracnídeos, são os que mais frequentemente causam acidentes. Os mais comuns no Brasil são: Tytius bahiensis (escorpião preto) Tytius serrulatus (escorpião amarelo) Frequentemente, a picada de escorpião é seguida de dor (moderada ou intensa) ou formigamento do local do acidente. Tais sintomas (dor, formigamento) podem ser tratados com analgésico ou bloqueios anestésicos locais, além de observação do surgimento de outros sintomas por, no mínimo, 6 a 12 horas, principalmente em crianças menores de 7 anos e idosos. 7

8 São sintomas de gravidade que merecem ser observados com atenção: Náuseas ou vômito Suor excessivo Agitação Tremores Salivação Aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial, Neste caso, procurar atendimento hospitalar o mais rápido possível, mantendo o paciente em repouso, para avaliação da necessidade de soroterapia anti-escorpiônica, levando o animal para identificação, se possível. ARANHAS As principais aranhas causadoras de acidentes no Brasil, são: Phoneutria (armadeira) Loxosceles (aranha marrom) 8

9 ARANHAS As principais aranhas causadoras de acidentes no Brasil, são: Lycosa (tarântula) Caranguejeira A armadeira quando surpreendida coloca-se em posição de ataque, apoiando-se nas pernas traseiras, ergue as dianteiras e procura picar. A picada causa: dor imediata, inchaço local, formigamento, sudorese no local da picada. Deve-se combater a dor com analgésicos e observação rigorosa de sintomas. 9

10 A preocupação deve ser com o surgimento de: vômitos, aumento da pressão arterial, dificuldade respiratória, tremores, espasmos musculares, caracterizando acidente grave. Assim, há necessidade de internação hospitalar e soroterapia. A aranha marrom provoca menos acidentes, sendo pouco agressiva. Na hora da picada a dor é fraca e despercebida, após 12 a 24 horas: dor local com inchaço, naúseas, mal estar geral, manchas, bolhas e até necrose local. 10

11 Nos casos graves, a urina fica cor de coca-cola. Orienta-se procurar atendimento médico para avaliação. A tarântula (aranha que vive em gramados ou jardins) pode provocar pequena dor local, podendo evoluir para necrose. Utiliza-se analgésicos para tratamento da dor e não há soroterapia específica, assim como para as caranguejeiras. 11

12 COMO EVITAR ACIDENTES POR ARANHAS E ESCORPIÕES Manter jardins limpos. Evitar o acúmulo de entulhos, lixo, material de construção nas proximidades da empresa. Evitar folhagens densas (trepadeiras, bananeiras e outras); manter a grama aparada. Em zonas rurais, sacudir roupas e sapatos antes de usar. Não pôr a mão em buracos, sob pedras, sob troncos "podres". O uso de calçado e de luvas pode evitar acidentes. Cobras 12

13 Serpentes não-peçonhentas As serpentes chamadas não peçonhentas correspondem à maioria das serpentes brasileiras. Entre elas estão as famílias: Boidae (jiboias e sucuris) Leptotyphlopidae (cobracega) Typhlopidae (fura-terra) Aniliidae (falsa coral) Entretanto, representantes da família Colubridae (cobra-verde, cobra- cipó) possuem dentes inoculadores de veneno; os acidentes são leves, apenas com repercussão local. Pode ser necessária a administração de antiinflamatórios e analgésicos. O acidente por essas serpentes pode causar ferimento, com risco de infecção, devendo ser adequadamente tratado com limpeza local e antibióticos, se necessário 13

14 A ação do veneno pode provocar as seguintes reações: Proteolítica: necrose tecidual (morte do tecido lesado) devido à decomposição das proteínas. Neurotóxica: ação no sistema nervoso causando queda palpebral; formigamento no local afetado, alterações de consciência e perturbações visuais. Hemolítica: destruição das hemáceas no sangue. Coagulante: causa deficiência na coagulação sangüínea. COBRAS A jararaca, também conhecida por caiçaca, jararacuçu, urutu ou cotiara, é uma cobra que vive em locais úmidos, sendo responsável pelo maior número de acidentes. O envenamento causado pela jararaca é chamado de botrópico. 14

15 O veneno dessa cobra provoca: Manifestações Precoces - até 3 horas do acidente: Dor imediata Inchaço, calor e vermelhidão no local picado Hemorragia no local da picada ou distante dela. Complicações: Bolhas, gangrena e abscesso Insuficiência renal aguda A surucucu, também chamada de pico de jaca ou surucutinga, provoca reações semelhantes ao veneno das jararacas (hemorragia, inchaço no local da picada, diarréia). Essas cobras causam o chamado envenenamento laquético. 15

16 A cascavel, conhecida também como boicininga ou maracambóia, possui veneno que não provoca importante reação no local da picada, mas pode levar à morte. O envenenamento causado pela cascavel é chamado de crotálico. A pessoa que recebeu uma picada pode apresentar:nas primeiras horas: dificuldade em abrir os olhos "visão dupla"ou "visão turva" dor muscular urina avermelhada Após 6-12 horas: escurecimento da urina Complicações: insuficiência renal aguda 16

17 A ação do veneno das cobras corais no organismo é muito rápida, os sinais e sintomas aparecem em questão de minutos. O envenenamento é denominado de elapídico. Sinais e sintomas: dificuldade em abrir os olhos "cara de bêbado" falta de ar dificuldade em engolir insuficiência respiratória aguda O que fazer Manter a vítima calma e deitada. Localizar a marca da mordedura e limpar o local com água e sabão. Cobrir com um pano limpo. Remover anéis, pulseiras e outros objetos que possam garrotear, em caso de inchaço do membro afetado. Evitar que a vítima se movimente para não favorecer a absorção do veneno. Tentar manter a área afetada no mesmo nível do coração ou, se possível, abaixo dele. Levar a vítima imediatamente ao serviço de saúde mais próximo, para receber o soro anti-ofídico. Se possível, levar o animal para que seja identificado e para que a vítima receba o soro específico. 17

18 O que não fazer NÃO amarrar ou fazer torniquetes, o que impede a circulação do sangue, podendo produzir necrose ou gangrena. NÃO colocar nenhuma substância, folhas ou qualquer produto na picada. NÃO cortar ou chupar o local da picada. NÃO dar bebida alcóolica ou querosene ao acidentado. 18

19 Cicatriz de Acidente - Botrópica Picada de Jararaca - Necrose 19

ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS

ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS Prof. Mariana Lima Arruda ACIDENTES POR LEPDÓPTEROS Envenenamento causado pela penetração de cerdas de lagartas (larvas de lepidópteros) na pele, ocorrendo assim a inoculação

Leia mais

ANIMAIS PEÇONHENTOS DEFINIÇÃO Prof. Fabio Azevedo São acidentes provocados por picadas ou mordeduras de animais que possuem glândulas secretoras e aparelhos inoculadores de veneno, como dentes ocos e ferrões.

Leia mais

Ofidismo: estatísticas nacionais e estaduais

Ofidismo: estatísticas nacionais e estaduais OFIDISMO Ofidismo: estatísticas nacionais e estaduais NE 13,62 CO 15,61 N 12,45 Frequência relativa (%) S 17,7 Acidentes ofídicos por região do país SE 39,88 Diagnóstico n acidentes % Bothrops 59.619 73,1

Leia mais

NR 31. Animais Peçonhentos. Prof. Ariston Alves Afonso. Eng. Agrônomo; Eng. de Segurança do Trabalho

NR 31. Animais Peçonhentos. Prof. Ariston Alves Afonso. Eng. Agrônomo; Eng. de Segurança do Trabalho NR 31 Animais Peçonhentos Prof. Ariston Alves Afonso Eng. Agrônomo; Eng. de Segurança do Trabalho Veneno = Toxina consiste em qualquer tipo de substância tóxica, seja ela sólida, líquida ou gasosa, que

Leia mais

Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari. Curso de Medicina Acidente com animais peçonhentos. Prof. Dr. Alex Miranda Rodrigues

Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari. Curso de Medicina Acidente com animais peçonhentos. Prof. Dr. Alex Miranda Rodrigues Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari. Curso de Medicina Acidente com animais peçonhentos Prof. Dr. Alex Miranda Rodrigues Caso clínico AB, 23 anos, lavrador, natural e procedente de Araguari.

Leia mais

Aula: Acidentes com Animais Peçonhentos

Aula: Acidentes com Animais Peçonhentos Curso de Especialização em Emergências e Terapia Intensiva Aula: Acidentes com Animais Peçonhentos Prof. Enf. Fernando Ramos Gonçalves Msc 1 n ESCORPIÕES n Vivem em baixo de pedras, em casas antigas, cemitérios,

Leia mais

UNIDADES INOCULADORAS DE SORO ANTIPEÇONHENTO MUNICÍPIOS DO TOCANTINS

UNIDADES INOCULADORAS DE SORO ANTIPEÇONHENTO MUNICÍPIOS DO TOCANTINS GOVERNO DO ESTADO DO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE UNIDADES INOCULADORAS DE SORO ANTIPEÇONHENTO MUNICÍPIOS DO EDIÇÃO Nº 07 ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS 1 SERPENTES (COBRAS) A jararaca, também conhecida

Leia mais

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS Protocolo: Nº 81 Elaborado por: Manoel Emiliano Última revisão: 06/09/2011 Revisores: Samantha Vieira Maria Clara Mayrink ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS DEFINIÇÃO: Animais peçonhentos são animais que

Leia mais

9º ano em AÇÃO. Assunção contra o mosquito!

9º ano em AÇÃO. Assunção contra o mosquito! Paz e Bem 9º ano em AÇÃO Assunção contra o mosquito! Informações sobre o mosquito Mosquito doméstico Hábitos Reprodução Transmissão vertical DENGUE Transmissão: principalmente pela picada do mosquito

Leia mais

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS)

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) UNIDADE: 12 PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA - PCR TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) MODALIDADE: ONLINE 12.0 INTRODUÇÃO Em diversos ambientes há presença de animais peçonhentos,

Leia mais

CASCAVEL COBRA-DA-MORTE VÍBORA NAJA SERPENTE-TIGRE MAMBA-PRETA TAIPAN COBRA MARROM

CASCAVEL COBRA-DA-MORTE VÍBORA NAJA SERPENTE-TIGRE MAMBA-PRETA TAIPAN COBRA MARROM CASCAVEL COBRA-DA-MORTE VÍBORA NAJA SERPENTE-TIGRE MAMBA-PRETA TAIPAN COBRA MARROM A cascavel é uma serpente da América facilmente identificável pelo chocalho na ponta de sua cauda. Surpreendentemente,

Leia mais

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS 10 de junho de 2016 Página 1/8 DEFINIÇÃO DE CASO ACIDENTES OFÍDICOS Envenenamento causado pela inoculação de toxinas, por intermédio das presas de serpentes (aparelho inoculador), podendo determinar alterações

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE INSTITUTO BUTANTAN Av. Vital Brasil, São Paulo Brasil

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE INSTITUTO BUTANTAN Av. Vital Brasil, São Paulo Brasil DIZERES DE TEXTO DE BULA - PACIENTE soro antiaracnídico (Loxosceles, Phoneutria e Tityus) imunoglobulinas heterólogas contra venenos de: Loxosceles gaucho: 15,0 DMN/mL Phoneutria nigriventer: 1,5 DMM/mL

Leia mais

Lição 06 HEMORRAGIAS E CHOQUE. 1. Enumerar 5 sinais ou sintomas indicativos de uma hemorragia;

Lição 06 HEMORRAGIAS E CHOQUE. 1. Enumerar 5 sinais ou sintomas indicativos de uma hemorragia; Lição 06 HEMORRAGIAS E CHOQUE OBJETIVOS: Ao final desta lição os participantes serão capazes de: 1. Enumerar 5 sinais ou sintomas indicativos de uma hemorragia; 2. Citar e demonstrar 3 diferentes técnicas

Leia mais

Prof. Sabrina Cunha da Fonseca

Prof. Sabrina Cunha da Fonseca Prof. Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com Corpo humano: Hemorragia: É a perda de sangue através de ferimentos, pelas cavidades naturais como: nariz, boca, ouvido; ela pode ser

Leia mais

AULA 20: ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS. No Brasil há cerca de 250 espécies de serpentes, porém cerca de 20% dessas são perigosas.

AULA 20: ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS. No Brasil há cerca de 250 espécies de serpentes, porém cerca de 20% dessas são perigosas. AULA 20: ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS 1- ACIDENTE OFÍDICO No Brasil há cerca de 250 espécies de serpentes, porém cerca de 20% dessas são perigosas. No Brasil estima-se que ocorre, anualmente, cerca

Leia mais

Procedimentos de Emergência. Profº Ms. Gil Oliveira

Procedimentos de Emergência. Profº Ms. Gil Oliveira Procedimentos de Emergência Obstrução das Vias Aéreas MANOBRA DE HEIMLICH Obstrução das Vias Aéreas Infarto Agudo do Miocárdio Ataque do Coração Infarto Agudo do Miocárdio Ataque do Coração Infarto Agudo

Leia mais

O Escorpião Marrom (TityusBahiensis) tem o tronco marrom, patas amareladas com manchas escuras e cauda marrom-avermelhado.

O Escorpião Marrom (TityusBahiensis) tem o tronco marrom, patas amareladas com manchas escuras e cauda marrom-avermelhado. ESCORPIÕES Pertencentes à classe Arachnida, os escorpiões apresentam o corpo dividido em cefalotórax e abdome, sendo que os últimos 5 segmentos do abdome formam a cauda. No final da cauda está o télson,

Leia mais

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS)

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) UNIDADE: 10 PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA - PCR TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) MODALIDADE: ONLINE 10.0 Introdução O estado de choque se caracteriza pela falta de circulação

Leia mais

ANIMAIS PEÇONHENTOS ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS: ACIDENTES COM SERPENTES

ANIMAIS PEÇONHENTOS ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS: ACIDENTES COM SERPENTES ANIMAIS PEÇONHENTOS Animais peçonhentos são aqueles que possuem glândulas de veneno que se comunicam com dentes ocos, ou ferrões, ou agulhões, por onde o veneno passa ativamente. Portanto, peçonhentos

Leia mais

Corpo de Bombeiros. São Paulo

Corpo de Bombeiros. São Paulo Corpo de Bombeiros São Paulo ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS Será que todos nós conhecemos os animais peçonhentos comuns no Estado de São Paulo? m Dependendo da espécie, uma picada pode tornar-se extremamente

Leia mais

Assustadores e Venenosos

Assustadores e Venenosos Assustadores e Venenosos Assustado e chocado com as plantas tóxicas? Agora o temor e o choque serão ainda maiores. Nos próximos slides, os três animais peçonhentos mais famosos e perigosos que existem

Leia mais

OBJETIVOS Ao final da aula os participantes terão de. Definir:

OBJETIVOS Ao final da aula os participantes terão de. Definir: Estado de Choque OBJETIVOS Ao final da aula os participantes terão de Definir: Estado de Choque; Classificação do Estado de Choque; Sinais e sintomas; Choque compensado / descompensado; Conduta no tratamento

Leia mais

Vertigens, desmaios e crises convulsivas. Prof. Sabrina Cunha da Fonseca Site:

Vertigens, desmaios e crises convulsivas. Prof. Sabrina Cunha da Fonseca   Site: Vertigens, desmaios e crises convulsivas Prof. Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com Site: www.profsabrina.comunidades.net Vertigens: Vertigem refere-se a diminuição da força, visão

Leia mais

Identificar a causa (exaustão de auto, gás, aerossóis) Remoção da cena Manter vias aéreas abertas Suporte básico de vida Ligar para o CCI Chamar

Identificar a causa (exaustão de auto, gás, aerossóis) Remoção da cena Manter vias aéreas abertas Suporte básico de vida Ligar para o CCI Chamar tóxico ou veneno Qualquer substância nociva que, quando introduzida no organismo, provoca alterações em um ou mais sistemas INTOXICAÇÕES E ENVENAMENTOS Prof ª. Dra. Taís Tinucci Socorros de Urgência fisiológicos

Leia mais

Dicas de Segurança IV

Dicas de Segurança IV Dicas de Segurança IV Noções Básicas de Primeiros Socorros Ressuscitação Cardiopulmonar Também conhecida como respiração boca a boca (aeração). Utilizada em casos de paradas respiratórias. Procedimentos:

Leia mais

Centro de Informação Toxicológica do Rio Grande do Sul

Centro de Informação Toxicológica do Rio Grande do Sul Acidentes Tóxicos Prevenir é o melhor remédio Centro de Informação Toxicológica do Rio Grande do Sul Animais Sacuda e examine calçados e roupas antes de usar. Mantenha limpos os locais próximos a residências

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS

CARACTERÍSTICAS GERAIS RÉPTEIS CARACTERÍSTICAS GERAIS Répteis do latim REPTARE= RASTEJAR. Têm cerca de 7 mil espécies. Surgiram há cerca de 300 milhões de anos. Vivem em ambientes terrestres (secos) ou alguns são aquáticos.

Leia mais

Não ficam longe da água. Respiram também pela pele. Ajudam a controlar a população de moscas e mosquitos. primeiras vítimas do desequilíbrio.

Não ficam longe da água. Respiram também pela pele. Ajudam a controlar a população de moscas e mosquitos. primeiras vítimas do desequilíbrio. Não ficam longe da água. Respiram também pela pele. Ajudam a controlar a população de moscas e mosquitos. primeiras vítimas do desequilíbrio. Brasil: 776 espécies no total. O Rio Grande do Sul: 95 espécies

Leia mais

NOME GÊNERO IDADE ENDEREÇO TELEFONE

NOME GÊNERO IDADE ENDEREÇO TELEFONE HISTÓRIA CLÍNICA PARA INVESTIGAÇÃO DE URTICÁRIA DATA / / NOME GÊNERO IDADE ESTADO CIVIL RAÇA ENDEREÇO TELEFONE PROFISSÃO 1. ANTECEDENTES A) história familiar: Urticária angioedema Doenças da tireóide Asma,

Leia mais

HEMORRAGIAS. Não deve tentar retirar corpos estranhos dos ferimentos; Não deve aplicar substâncias como pó de café ou qualquer outro produto.

HEMORRAGIAS. Não deve tentar retirar corpos estranhos dos ferimentos; Não deve aplicar substâncias como pó de café ou qualquer outro produto. HEMORRAGIAS O controle de uma hemorragia deve ser feito imediatamente, pois uma hemorragia abundante e não controlada pode causar morte em 3 a 5 minutos. A hemorragia externa é a perda de sangue pelo rompimento

Leia mais

[ERLICHIOSE CANINA]

[ERLICHIOSE CANINA] [ERLICHIOSE CANINA] 2 Erlichiose Canina A Erlichiose Canina é uma hemoparasitose causada pela bactéria Erlichia sp. Essa bactéria parasita, geralmente, os glóbulos brancos (neste caso, Erlichia canis)

Leia mais

Urgência e Emergência

Urgência e Emergência Urgência e Emergência CHOQUE Choque Um estado de extrema gravidade que coloca em risco a vida do paciente. Dica: Em TODOS os tipos de choques ocorre a queda da pressão arterial e, consequentemente, um

Leia mais

A temperatura, calor ou frio, e os contatos com gases, eletricidade, radiação e produtos químicos, podem causar lesões diferenciadas nocorpo humano.

A temperatura, calor ou frio, e os contatos com gases, eletricidade, radiação e produtos químicos, podem causar lesões diferenciadas nocorpo humano. UNIDADE: 08 PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA - PCR TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) MODALIDADE: ONLINE 8. DISTÚRBIOS CAUSADOS PELA TEMPERATURA: 8.0 INTRODUÇÃO A temperatura,

Leia mais

Avaliação Clínica e Epidemiológica dos acidentes com animais peçonhentos atendidos no Hospital Universitário do Oeste do Paraná

Avaliação Clínica e Epidemiológica dos acidentes com animais peçonhentos atendidos no Hospital Universitário do Oeste do Paraná Avaliação Clínica e Epidemiológica dos acidentes com animais peçonhentos atendidos no Hospital Universitário do Oeste do Paraná 2008-2012 Clinical and Epidemiological Evaluation of accidents with venomous

Leia mais

Artropodologia Médica

Artropodologia Médica Artropodologia Médica Filo Arthropoda Compreende aqueles animais que: - Possuem exoesqueleto quitinoso que envolve todo o corpo; - Crescem por meio de mudas (ecdises) do exoesqueleto; - Apresentam patas

Leia mais

Produto: Amaciante de Roupa

Produto: Amaciante de Roupa 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Empresa: Micheloto Ind. e Com. de Prod. Químicos Ltda EPP Endereço: Est. Vic. Dr. Eduardo Dias de Castro Km 03 B Zona Rural Fernão/SP Telefone: (XX14) 3214-1874

Leia mais

A Bioquímica Da Célula. Alternar entre páginas 0/1 Página Anterior Próxima página

A Bioquímica Da Célula. Alternar entre páginas 0/1 Página Anterior Próxima página A Bioquímica Da Célula Alternar entre páginas 0/1 Página Anterior Próxima página A importância da água em nossa vida A água é indispensável para o nosso planeta. Foi através dela que surgiram as primeiras

Leia mais

CATETERISMO CARDÍACO. Prof. Claudia Witzel

CATETERISMO CARDÍACO. Prof. Claudia Witzel CATETERISMO CARDÍACO CATETERISMO CARDÍACO Método diagnóstico invasivo É avaliada a presença ou não de estreitamentos nas artérias coronárias secundário às "placas de gordura" além do funcionamento das

Leia mais

PRIMEIROS SOCORROS. Enfa Sâmela Cristine Rodrigues de Souza

PRIMEIROS SOCORROS. Enfa Sâmela Cristine Rodrigues de Souza PRIMEIROS SOCORROS Enfa Sâmela Cristine Rodrigues de Souza Primeiros socorros Noções básicas b de sinais vitais Perfil do socorrista Vias aéreas a obstrução Ressuscitação cardiopulmonar RCP Ferimentos,

Leia mais

7º FILO - ARTHROPODA CLASSE ARACNÍDEOS

7º FILO - ARTHROPODA CLASSE ARACNÍDEOS 7º FILO - ARTHROPODA CLASSE ARACNÍDEOS Aracnídeos Exemplos: aranhas, escorpiões e os carrapatos Habitat: terrestre (solos, rochas, teias, matas, desertos e casas) Sarna (Sarcoptes scabiei) e cravos (Demodex

Leia mais

Apresentação. Giselle Agostini Cotta Coleção Científica de Serpentes Fundação Ezequiel Dias

Apresentação. Giselle Agostini Cotta Coleção Científica de Serpentes Fundação Ezequiel Dias Apresentação Os acidentes ocasionados por serpentes, escorpiões, aranhas e abelhas constituem um grave problema de saúde pública no Brasil. Assim, a disponibilização deste guia pretende contribuir para

Leia mais

Fraturas, luxações e contusões

Fraturas, luxações e contusões Fraturas, luxações e contusões 1. Fratura É toda solução de continuidade súbita e violenta de um osso. A fratura pode ser fechada quando não houver rompimento da pele, ou aberta (fratura exposta) quando

Leia mais

FREQUÊNCIA DE ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS OCORRIDOS NO RIO GRANDE DO SUL,

FREQUÊNCIA DE ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS OCORRIDOS NO RIO GRANDE DO SUL, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE MEDICINA SOCIAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA Andressa Linhares Dorneles FREQUÊNCIA DE ACIDENTES POR ANIMAIS

Leia mais

Embolia Pulmonar. Profº. Enf.º Diógenes Trevizan Especialização em urgência e Emergência

Embolia Pulmonar. Profº. Enf.º Diógenes Trevizan Especialização em urgência e Emergência Embolia Pulmonar Profº. Enf.º Diógenes Trevizan Especialização em urgência e Emergência Embolia Pulmonar - Conceito Entre os agravos respiratórios que apresentam elevados índices de morbidade destaca-se

Leia mais

Acidentes por animais peçonhentos

Acidentes por animais peçonhentos Acidentes por animais peçonhentos Secretaria da Saúde do Estado do Ceará Coordenadoria de Promoção e Proteção à Saúde 01 de julho de 2016. Animais Peçonhentos Animais peçonhentos são reconhecidos como

Leia mais

TT-EEFEUSP TT-EEFEUSP

TT-EEFEUSP TT-EEFEUSP emergências ambientais Exposição a condições extremas de temperatura Calor EMERGÊNCIAS AMBIENTAIS Frio Prof ª. Dra. Taís Tinucci Socorros de Urgência queimadura solar Eritema e dor na pele que se inicia

Leia mais

Edição: A Revisão: 1 Data: NOTA TÉCNICA Nº. B00002 Folha - 1 PRIMEIROS SOCORROS INSTRUÇÕES DE PRIMEIROS-SOCORROS.

Edição: A Revisão: 1 Data: NOTA TÉCNICA Nº. B00002 Folha - 1 PRIMEIROS SOCORROS INSTRUÇÕES DE PRIMEIROS-SOCORROS. NOTA TÉCNICA Nº. B00002 Folha - 1 Princípios: É preciso: - Manter a calma - Vencer o seu próprio medo - Primeiro pensar, depois agir - Evitar que se produzam maiores danos - Vedar o local do sinistro ao

Leia mais

VAMOS FALAR SOBRE HEPATITE

VAMOS FALAR SOBRE HEPATITE VAMOS FALAR SOBRE HEPATITE HEPATITE É uma inflamação do fígado provocada, na maioria das vezes, por um vírus. Diferentes tipos de vírus podem provocar a doença, que se caracteriza por febre, icterícia

Leia mais

Aula de OFIDISMO Enfermagem em Urgência e Emergência

Aula de OFIDISMO Enfermagem em Urgência e Emergência Aula de OFIDISMO Enfermagem em Urgência e Emergência Docente Márcio Gomes da Costa Pós Graduação em Unidade de Terapia Intensiva Pós Graduação em Docência Pós Graduando em Gestão Estratégica de Negócios

Leia mais

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS CID 10: X 29 ZOONOSES E ANIMAIS PEÇONHENTOS

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS CID 10: X 29 ZOONOSES E ANIMAIS PEÇONHENTOS ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS CID 10: X 29 RODOLFO BRAGA BARROS SHIRLEY BARBOSA FEITOSA JANAÍNA MENEZES DANIELE DINIZ NEVES ZOONOSES E ANIMAIS PEÇONHENTOS CARACTERISTICAS GERAIS (resumo) DESCRIÇÃO

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32

IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32 IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32 1 PROCEDIMENTOS PARA AVALIAÇÃO E CONTROLE DE AGENTES BIOLÓGICOS Objetivo: Determinar a natureza, grau e o tempo de exposição dos trabalhadores

Leia mais

COLORART IND. e COMERCIO LTDA

COLORART IND. e COMERCIO LTDA Produto: Tinta 1. Identificação do produto e da empresa Nome do produto: COLORART Cores Diversas Nome da empresa: COLORART IND. e COMERCIO LTDA. Endereço: Rua Solimões, 471 Diadema - SP. Telefone: 1140532988

Leia mais

Orientação Medicamentosa para pessas com Hipertensão

Orientação Medicamentosa para pessas com Hipertensão Orientação Medicamentosa para pessas com Hipertensão ORIENTAÇÃO MEDICAMENTOSA PARA PESSOAS COM HIPERTENSÃO Organizadora: Grace Kelly Matos e Silva Este material tem o objetivo de orientar os pacientes

Leia mais

Bula com informações ao Paciente soro anticrotálico

Bula com informações ao Paciente soro anticrotálico soro anticrotálico solução injetável IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO soro anticrotálico APRESENTAÇÃO O soro anticrotálico, heterólogo e hiperimune, é apresentado em ampolas contendo 10 ml de solução injetável

Leia mais

Ferimentos, Hemorragias e Choques

Ferimentos, Hemorragias e Choques Ferimentos, Hemorragias e Choques Ferimentos AGRESSÃO À INTEGRIDADE DO TECIDO PODE SER ABERTO OU FECHADO ABERTO: OCORRE LESÃO ABERTA NA PELE OU MUSOCA, PERMITINDO A COMUNICAÇÃO ENTRE O MEIO INTERNO E EXTERNO.

Leia mais

Cartilha. Doenças e. Complicações de Verão. Queimaduras solares. Desconforto Micoses. Coceira. Desidratação. Fungos. Infecções. Ardência. Manchas.

Cartilha. Doenças e. Complicações de Verão. Queimaduras solares. Desconforto Micoses. Coceira. Desidratação. Fungos. Infecções. Ardência. Manchas. Cartilha Doenças e Complicações de Verão Queimaduras solares. Desconforto Micoses. Coceira. Desidratação. Fungos. Infecções. Ardência. Manchas. Devido às condições climáticas, diversas são as doenças e

Leia mais

[CUIDADOS COM OS ANIMAIS IDOSOS]

[CUIDADOS COM OS ANIMAIS IDOSOS] [CUIDADOS COM OS ANIMAIS IDOSOS] Geriatria é o ramo da Medicina que foca o estudo, a prevenção e o tratamento de doenças e da incapacidade em idosos. Seus objetivos maiores são: manutenção da saúde, impedir

Leia mais

NR-10 CHOQUE ELÉTRICO

NR-10 CHOQUE ELÉTRICO NR-10 CHOQUE ELÉTRICO Prof. Pedro Armando da Silva Jr. Engenheiro Eletricista, Dr. pedroarmando@ifsc.edu.br Definição CHOQUE ELÉTRICO É a perturbação de natureza e efeitos diversos que se manifesta no

Leia mais

Acidentes por animais peçonhentos e uso racional de soros antiveneno.

Acidentes por animais peçonhentos e uso racional de soros antiveneno. Acidentes por animais peçonhentos e uso racional de soros antiveneno. Nota Técnica 1 OBJETO Uso racional de soros antivenenos e atualizações dos protocolos de manejo dos acidentes por animais peçonhentos.

Leia mais

Dengue, Chikungunya, Zika. O que são Transmissão Sintomas Tratamentos Prevenções

Dengue, Chikungunya, Zika. O que são Transmissão Sintomas Tratamentos Prevenções Dengue, Chikungunya, Zika O que são Transmissão Sintomas Tratamentos Prevenções 1 DENGUE O que é? A dengue é uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. No Brasil, foi identificada pela primeira

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO. NICOTINAMIDA Cosmoquimica Indústria e Comércio Ltda

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO. NICOTINAMIDA Cosmoquimica Indústria e Comércio Ltda F0LHA...: 1 / 5 1 Identificação do Produto e da Empresa: Nome do Produto: Nome da Empresa: Endereço: Av. Gupê, 10497 Telefone: 55 11 4772 4900 / 4772-4949 Cosmoquimica Indústria e Comércio Ltda Fax: 55

Leia mais

FEBRE AMARELA - INFORMATIVO À POPULAÇÃO

FEBRE AMARELA - INFORMATIVO À POPULAÇÃO FEBRE AMARELA - INFORMATIVO À POPULAÇÃO A febre amarela é uma doença causada por um vírus, sendo transmitida por mosquitos. A doença pode ocorrer nas regiões de matas e nos ambientes silvestres, por esta

Leia mais

Programa Estadual de Vigilância de Acidentes por Animais Peçonhentos

Programa Estadual de Vigilância de Acidentes por Animais Peçonhentos Secretaria de Programa Estadual de Vigilância de Acidentes por Animais Peçonhentos Enfª Ivânia da Costa Folster Vigilância de Acidentes por Animais Peçonhentos GEZOO/DIVE/SES Secretaria de Histórico da

Leia mais

DOSE EFEITO DO ETANOL

DOSE EFEITO DO ETANOL Alcoolismo Efeitos Os principais efeitos do álcool ocorrem no sistema nervoso central (SNC), onde suas ações depressoras assemelhamse às dos anestésicos voláteis. Os efeitos da intoxicação aguda pelo etanol

Leia mais

Asma Brônquica. Profº. Enfº Diógenes Trevizan Especialização Urgência e Emergência

Asma Brônquica. Profº. Enfº Diógenes Trevizan Especialização Urgência e Emergência Asma Brônquica Profº. Enfº Diógenes Trevizan Especialização Urgência e Emergência Conceito: Doença caracterizada por ataques agudos e recorrentes de dispnéia, tosse e expectoração tipo mucóide. A falta

Leia mais

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS)

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) UNIDADE: 13 CONTUSÃO TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) MODALIDADE: ONLINE 13.01 CONTUSÃO A contusão é uma lesão sem o rompimento da pele, tratando-se de uma forte compressão

Leia mais

Maio, Unidade de Cuidados na Comunidade de Castelo Branco. Hipertensão Arterial

Maio, Unidade de Cuidados na Comunidade de Castelo Branco. Hipertensão Arterial Maio, 2014 Unidade de Cuidados na Comunidade de Castelo Branco Hipertensão Arterial Sumário: O que é a Hipertensão Arterial (HTA)?; Causas da HTA; Fatores de Risco; Como prevenir a HTA; Sintomas; Problemas

Leia mais

ALERGIA A INSETOS PICADORES (CHOQUE ANAFILÁTICO)

ALERGIA A INSETOS PICADORES (CHOQUE ANAFILÁTICO) ALERGIA A INSETOS PICADORES (CHOQUE ANAFILÁTICO) As abelhas do gênero Apis (abelha-europa ou abelha-africana), as vespas (marimbondos) e as formigas lava-pés são insetos do gênero dos himenópteros que

Leia mais

Zika vírus. Confira todos os sintomas para saber se está com Zika vírus

Zika vírus. Confira todos os sintomas para saber se está com Zika vírus Zika vírus Os sintomas da Zika incluem febre baixa, dor nos músculos e articulações, além de vermelhidão nos olhos e manchas vermelhas na pele. A doença é transmitida pelo mesmo mosquito da dengue, e os

Leia mais

AULA: 5 - Assíncrona TEMA: Cultura- A pluralidade na expressão humana.

AULA: 5 - Assíncrona TEMA: Cultura- A pluralidade na expressão humana. : 5 - Assíncrona TEMA: Cultura- A pluralidade na expressão humana. Conteúdo: Doenças relacionadas ao sedentarismo Diabetes. Doenças relacionadas ao sedentarismo Hipertensão arterial e dislipidemias. Habilidades:

Leia mais

- FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ

- FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 01 Stripalene 1/5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: STRIPALENE REMOVEDOR DE TINTAS Fórmula Química: Mistura a base de Diclorometano (CH 2 Cl 2 ). Uso / aplicação do produto: Removedor

Leia mais

Fraturas e Luxações Prof Fabio Azevedo Definição Fratura é a ruptura total ou parcial da estrutura óssea 1 Fraturas Raramente representam causa de morte, quando isoladas. Porém quando combinadas a outras

Leia mais

Bula com informações ao Paciente soro antibotrópico (pentavalente) e antilaquético. solução injetável IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Bula com informações ao Paciente soro antibotrópico (pentavalente) e antilaquético. solução injetável IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO soro antibotrópico (pentavalente) e antilaquético solução injetável IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO soro antibotrópico (pentavalente) e antilaquético APRESENTAÇÃO O soro antibotrópico (pentavalente) e antilaquético,

Leia mais

número 09 - agosto/2015 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

número 09 - agosto/2015 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS número 09 - agosto/2015 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE Este relatório é uma versão resumida

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS HIP- HOSPITAL INFANTIL DE PALMAS

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS HIP- HOSPITAL INFANTIL DE PALMAS PROTOCOLO DE TRATAMENTO Acidentes por animais peçonhentos Objetivos Oferecer à equipe multiprofissional um roteiro básico clínico, laboratorial e terapêutico no atendimento das crianças que buscam o HIP

Leia mais

Processo Inflamatório e Lesão Celular. Professor: Vinicius Coca

Processo Inflamatório e Lesão Celular. Professor: Vinicius Coca Processo Inflamatório e Lesão Celular Professor: Vinicius Coca www.facebook.com/profviniciuscoca www.viniciuscoca.com O que é inflamação? INFLAMAÇÃO - Inflamare (latim) ação de acender, chama FLOGOSE phlogos

Leia mais

Você sabe o que é. ocruz.br click

Você sabe o que é.  ocruz.br  click Produto elaborado a partir do projeto Avaliação da exposição ocupacional ao benzeno em postos de combustíveis no município do Rio de Janeiro: uma abordagem integrada para as ações de vigilância em saúde

Leia mais

COBRAS PEÇONHENTAS E NÃO PEÇONHENTAS Prof. Evandro Marques

COBRAS PEÇONHENTAS E NÃO PEÇONHENTAS Prof. Evandro Marques COBRAS PEÇONHENTAS E NÃO PEÇONHENTAS Prof. Evandro Marques Classificar as cobras como venenosas ou não venenosas é um equívoco, já que todas apresentam veneno, sendo este sua saliva capaz de degradar a

Leia mais

Medidas básicas de socorro aos humanos

Medidas básicas de socorro aos humanos Medidas básicas de socorro aos humanos CONCEITO TODO ANIMAL VENENOSO É PEÇONHENTO? TODO ANIMAL PEÇONHENTO É VENENOSO? Venenoso x peçonhento Brachycephalus ephippium Bothrops jararaca http://planetasustentavel.abril.com.br/album/anfibios-mata-atlantica-626497.shtml

Leia mais

Texto sobre animais aquáticos perigosos nas praias brasileiras (Verão 2017).

Texto sobre animais aquáticos perigosos nas praias brasileiras (Verão 2017). Texto sobre animais aquáticos perigosos nas praias brasileiras (Verão 2017). A entrada do verão faz com que a procura de ambientes aquáticos seja multiplicada, aumentando a freqüência de banhistas, mergulhadores,

Leia mais

Acidentes domésticos podem ser prevenidos. Entre pediatras e especialistas da área de cuidados com as crianças, é senso comum que, se os responsáveis

Acidentes domésticos podem ser prevenidos. Entre pediatras e especialistas da área de cuidados com as crianças, é senso comum que, se os responsáveis Acidentes domésticos podem ser prevenidos. Entre pediatras e especialistas da área de cuidados com as crianças, é senso comum que, se os responsáveis tivessem mais orientações ou tomassem mais cuidado

Leia mais

FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos em acordo com a NBR :2009

FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos em acordo com a NBR :2009 Nome do Produto: NEOBASE Página 1 de 5 1. Identificação do Produto e da Empresa Nome do Produto: NEOBASE Nome da empresa: FARMABASE SAÚDE ANIMAL LTDA. Av. Emílio Marconato, 1000 Galpão A3 Chácara Primavera.

Leia mais

Oliveira, ET, Cogo, JC

Oliveira, ET, Cogo, JC LEVANTAMENTO PRELIMINAR DOS ACIDENTES OFÍDICOS OCORRIDOS EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (SP) E CIDADES ADJACENTES, ATEIDOS NO HOSPITAL MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. XIV INIC / X EPG - UNIVAP 2010 Oliveira,

Leia mais

Aspectos clínicos e epidemiológicos relacionados a acidentes com animais peçonhentos

Aspectos clínicos e epidemiológicos relacionados a acidentes com animais peçonhentos ARTIGO ORIGINAL ISSN 1677-59 215 Revista de Ciências Médicas e Biológicas Aspectos clínicos e epidemiológicos relacionados a acidentes com animais peçonhentos Clinical and epidemiological aspects related

Leia mais

sulfato de neomicina bacitracina zíncica Pomada 5mg/g + 250UI/g

sulfato de neomicina bacitracina zíncica Pomada 5mg/g + 250UI/g sulfato de neomicina bacitracina zíncica Pomada 5mg/g + 250UI/g MODELO DE BULA COM INFORMAÇÕES AO PACIENTE sulfato de neomicina bacitracina zíncica Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. APRESENTAÇÕES

Leia mais

2- DESCREVA a função de cada um dos TIPOS de alimentos da questão anterior.

2- DESCREVA a função de cada um dos TIPOS de alimentos da questão anterior. Atividade de Estudo - Ciências 4º ano Nome: 1- A alimentação é muito importante para manter o corpo forte e saudável. Os alimentos podem ser classificados em 3 tipos: construtores, reguladores e energéticos.

Leia mais

Laca Wideprint BOLETIM TÉCNICO COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES PERIGOSOS SUBSTÂNCIA COMPOSIÇÃO (%) CLASSIFICAÇÃO

Laca Wideprint BOLETIM TÉCNICO COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES PERIGOSOS SUBSTÂNCIA COMPOSIÇÃO (%) CLASSIFICAÇÃO COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES PERIGOSOS SUBSTÂNCIA PRODUTO BASE ÁGUA COMPOSIÇÃO (%) PROPRIETÁRIA CLASSIFICAÇÃO Não contém substâncias ou preparações perigosas, de acordo com as diretrizes

Leia mais

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE FAC CG CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM HEMORRAGIA

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE FAC CG CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM HEMORRAGIA UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE FAC CG CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM HEMORRAGIA Clique para editar o estilo do subtítulo mestre Prof. Esp. Davydson Gouveia Santos

Leia mais

Conceito. Principais Causas. Classificação. Extensão da Queimadura 29/04/2016

Conceito. Principais Causas. Classificação. Extensão da Queimadura 29/04/2016 Queimaduras Conceito Lesão nos tecidos de revestimento do organismo (pele, músculo, vasos sanguíneos, nervos e ossos) geralmente causada por agentes térmicos, eletricidade, produtos químicos, radiação,

Leia mais

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS PRODUTO: ALCOOL ETÍLICO HIDRATADO INDUSTRIAL FLOP S. Liquido Inflamável Inflamável

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS PRODUTO: ALCOOL ETÍLICO HIDRATADO INDUSTRIAL FLOP S. Liquido Inflamável Inflamável 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA NOME DO PRODUTO Nome do comercial: Álcool Etílico Hidratado 92,8º INPM NOME DO FABRICANTE Indústria Comercio de Produtos Químicos Tangara ENDEREÇO Rod. Comte João

Leia mais

Trioxido de Arsênio Página 1 de 5 FISPQ nº: Ultima Revisão: 05/07/2007

Trioxido de Arsênio Página 1 de 5 FISPQ nº: Ultima Revisão: 05/07/2007 Trioxido de Arsênio Página 1 de 5 1. Identificação do Produto e da Empresa Nome do produto : Trióxido de Arsênio Código do produto : 002.076 Empresa Corpo de Bombeiros : 193 Polícia Militar : 190 : Metalloys

Leia mais

4 O que é hemorragia?

4 O que é hemorragia? O que é hemorragia? 4 e-tec Brasil Primeiros Socorros META OBJETIVOS Apresentar o conceito de hemorragia e o atendimento a uma vítima com sintomas hemorrágicos. Ao final desta aula, você deverá ser capaz

Leia mais

Hipertensão Arterial Sistêmica

Hipertensão Arterial Sistêmica Hipertensão Arterial Sistêmica Pressão alta merece atenção. o que É HiPerteNsão ArteriAL sistêmica (HAs)? É uma doença crônica caracterizada por níveis elevados e sustentados de Pressão Arterial (PA),

Leia mais

GUIA PRÁTICO PRIMEIROS SOCORROS

GUIA PRÁTICO PRIMEIROS SOCORROS OBJETIVO Este guia prático tem por objetivo esclarecer de forma sucinta os primeiros atendimentos a serem realizados em situações de emergência, visando a manutenção da vida, até a chegada do socorro especializado.

Leia mais

Programa de Formação Complementar: Fundamentos de Toxicologia para a Prática Clínica ANIMAIS PEÇONHENTOS

Programa de Formação Complementar: Fundamentos de Toxicologia para a Prática Clínica ANIMAIS PEÇONHENTOS Programa de Formação Complementar: Fundamentos de Toxicologia para a Prática Clínica ANIMAIS PEÇONHENTOS Ana Gabriela da Silva Bonacini Farmacêutica e Residente em Análises Clínicas Londrina- 2016 OFIDISMO

Leia mais

Dermatite de Contato. Tipos de Dermatite de Contato: Causada por Irritantes

Dermatite de Contato. Tipos de Dermatite de Contato: Causada por Irritantes Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Dermatite de Contato O QUE É? A Dermatite de Contato é uma doença bastante comum, afetando a pele

Leia mais

Bacterioses: Aula Programada Biologia. Prof. : Chico Pires

Bacterioses: Aula Programada Biologia. Prof. : Chico Pires : Aula Programada Biologia Prof. : Chico Pires Difteria (crupe) Agente Etiológico: Corynebacterium diphtheriae Forma de transmissão: Pelo ar contaminado e pela saliva Sintomas: Inflamação das tonsilas

Leia mais