Acidentes por animais peçonhentos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Acidentes por animais peçonhentos"

Transcrição

1 Acidentes por animais peçonhentos Secretaria da Saúde do Estado do Ceará Coordenadoria de Promoção e Proteção à Saúde 01 de julho de 2016.

2 Animais Peçonhentos Animais peçonhentos são reconhecidos como aqueles que produzem ou modificam algum veneno e possuem algum aparato para injetá-lo na sua presa ou predador. Os animais peçonhentos de interesse em saúde pública podem ser definidos como aqueles que causam acidentes classificados pelos médicos como moderados ou graves.

3 Cenário epidemiológico nacional Casos

4 Cenário epidemiológico nacional - Óbitos

5 Cenário epidemiológico do Ceará No Estado no Ceará, entre os anos 2007 a 2016* houve acidentes por animais peçonhentos notificados, destes 65,1% (18.494) foram acidentes por escorpião e 23,4% (6.169) dos acidentes foram serpentes

6 Cenário epidemiológico do Ceará Acidentes por animais peçonhentos, por sexo, segundo animal agressor, Ceará, 2007 a 2016*. As mulheres representam 51,2% das vítimas de acidentes por animais peçonhentos, sendo o escorpião (63,4%) o principal agressor, seguido pela lagarta (56,6%) e aranha (52,4%). Os homens representam 48,8% dos acidentes registrados, sendo a serpente (79%) o principal agressor, seguido por abelha (63,4%).

7 Cenário epidemiológico do Ceará Acidentes por animais peçonhentos por faixa etária, Ceará, 2007 a 2016*. Ao analisar a faixa etária, observa-se a maioria dos casos, nos últimos 10 anos, ocorreu entre 20 e 49 anos, concentrando-se nesta 50,2% (14.257/28.402) dos casos

8 Cenário epidemiológico do Ceará Acidentes por animais peçonhentos, por mês de ocorrência, segundo animal agressor, Ceará, 2007 a 2016*. O número de acidentes causados por serpentes aumentam durante o mês de julho, já para as abelhas a maior ocorrência se dá no mês agosto e o escorpião entre outubro e janeiro

9 Cenário epidemiológico do Ceará Acidentes por animais peçonhentos por evolução do caso, segundo tempo compreendido entre a picada e o atendimento, Ceará, 2007 a 2016* (92%) evoluíram para a cura e (65,5%) foram atendidos em até 3 horas depois da picada do animal agressor. Dentre os óbitos ocorridos 12,5% (7/56) receberam atendimento após 24 horas do acidente

10 Cenário epidemiológico do Ceará Acidentes por animais peçonhentos, segundo realização da soroterapia, Ceará, 2007 a 2016*. A soroterapia foi realizada em pessoas acometidas, o que corresponde a 7,2% dos casos de acidentes por animais peçonhentos registrados no período em estudo.

11 Cenário epidemiológico do Ceará Acidentes por animais peçonhentos, segundo realização da soroterapia, Ceará, 2007 a 2016*. 64,6% (18.737/28.402) dos casos ocorreram em zona urbana. Para o acidente com serpentes 86,8% (5.433/6.259) dos casos ocorreram em zona rural e das ocorrências de acidentes por escorpião 85,9% aconteceram em meio urbano.

12 Cenário epidemiológico do Ceará Incidência de acidentes por serpentes, escorpião e outros animais peçonhentos, segundo município de ocorrência, Ceará, 2007 a 2016* Serpente Escorpião Outros animais peçonhentos

13 Cenário epidemiológico do Ceará Óbitos por acidentes por animais peçonhentos, segundo animal agressor, Ceará, 2007 a 2016*. Foram registrados 56 óbitos por animais peçonhentos na série histórica de 2007 a 2016*, destes, 55,4% (31/56) foram causados por picada de serpente, 25% (14/56) por escorpião, 12,5% (7/56) por aranha e 7,1% (4/56) por abelha.

14 Cenário epidemiológico do Ceará Acidentes por animais peçonhentos, segundo animal agressor, Ceará, 2016* Até a SE 22, foram registrados acidentes por animais peçonhentos. Em 72% (1.170/1.634) dos acidentes o animal agressor foi o escorpião. Seguido da serpente com 18% (300/1.634), abelha 4% (61/1.634), aranha 3% (47/1.634) e a lagarta 0,4% (7/1.634).

15 Situação atual de soro antibotrópico Ceará (01/07) MACRORREGIÃO RECEBIDO DATA DE RECEBIMENTO SALDO Em 01/07/ ª Macro - Fortaleza 25 ampolas 20/06/ ampolas 2ª Macro Sobral 25 ampolas 10/06/ ampolas 3ª Macro - Cariri 25 ampolas 17/06/ ampolas 4ª Macro - Sertão Central 25 ampolas 17/06/ ampolas 5ª Macro - Litoral Leste 25 ampolas 17/06/ ampolas CEATOX 145 ampolas 10 a 27/06/ ampolas Rede de Frio Estadual 250 ampolas 10/06/ ampolas Total 250 ampolas 10/06/ ampolas

16 VIGILÂNCIA DOS CASOS OBJETIVOS Reduzir a incidência dos acidentes por animais peçonhentos por meio da promoção de ações de educação em saúde. Reduzir a gravidade e, consequentemente, a letalidade dos acidentes por meio do atendimento oportuno e adequado ao acidentado. ETIOLOGIA Além dos sinais e sintomas apresentados pelo acidentado, é requerida a identificação física (por profissional competente) do animal causador do acidente, apresentado pela vítima ou familiar. NOTIFICAÇÃO Agravo de NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA, independentemente de o paciente ter sido submetido à soroterapia Todo acidente por animal peçonhento que evolua para óbito deve ser investigado, visando à identificação de possíveis falhas na assistência, como: atendimento clínico e/ou soroterápico tardio, erros de diagnóstico e tratamento e falta de antiveneno específico para o tipo de acidente.

17 PLANO DE TRABALHO - Articulação Institucional Ação Descrição da atividade Responsável Prazo Local Ofício para MS Elaboração de documento contendo a situação epidemiológica dos acidentes por animais peçonhentos no estado do Ceará, abastecimento de soro, dando ciência e solicitando providência em relação ao desabastecimento NUVEP/NUVET/NUIMU /NUIAS/NUVAM 09/06/2016 SESA Memo para as CRES Elaboração de documento contendo breve relato sobre a situação epidemiológica dos acidentes por animais peçonhentos e desabastecimento de soros no estado do Ceará, explicitando as medidas e ações desencadeadas e reforçando as recomendações sobre a utilização dos soros NUIMU 09/06/2016 SESA Reunião com colegiado Apresentação da situação de desabastecimento e fortalecimento da intersetorialidade. Márcio Junho/2016 SESA Reunião com COSEMS e CIB Articulação com COPAS Apresentação da situação de desabastecimento, das atividades da Coordenação e articulação das CRES/Municípios Articulação para desencadear ações que visam aperfeiçoar a rede de assistência - Hospitais de Referência, Hospitais Polo e Unidades de Pronto Atendimento Márcio Junho/2016 SESA COPROM Junho/2016 SESA = Realizado

18 PLANO DE TRABALHO - Comunicação e informação Ação Descrição da atividade Responsável Prazo Local Boletim Epidemiológico Produção e divulgação periódica de boletins NUVEP/NUVET Semestral 09/06/2016 SESA Nota técnica - Alerta Produção e divulgação de Nota de Alerta sobre a sazonalidade dos acidentes por serpentes NUVEP/NUVET/NUIMU 09/07/2016 SESA Nota técnica fluxo de atendimento Produção e divulgação de Nota técnica sobre o fluxo e atendimento de pacientes vítimas de animais peçonhentos NUVEP/NUVET/NUIMU 09/07/2016 SESA Produção de material educativo para populares Produção, divulgação e reprodução de material educativo para população, escolares, trabalhadores rurais sobre prevenção de acidentes com animais peçonhentos NUVET/ASCOM Em andamento SESA Produção de material profissionais de saúde Produção, divulgação e distribuição de material educativo para profissionais de saúde que enfatizem ações vigilância epidemiológica Produção, divulgação e distribuição de material educativo para profissionais de saúde que enfatizem o fluxo e recomendações para o manejo clínico do paciente NUVEP/NUIMU/NUVET/ COPAS/ASCOM Avançando no fluxo, manejo e educação em saúde: Macro Litoral Leste SESA = Realizado

19 PLANO DE TRABALHO - Capacitação Ação Descrição da atividade Responsável Prazo Local Capacitação de Profissionais da Atenção Básica/Zoonoses/Educação Capacitação para prevenção de acidentes e complicações NUVEP/NUVET/ COPAS Julho/2016 CRES Fortaleza, Canindé, Tianguá, Brejo, Russas e Limoeiro Webpalestra para profissionais de saúde Webpalestra contemplando os aspectos da vigilância epidemiológica, manejo ambiental dos animais peçonhentos e situação do estoque do soro. NUVEP/NUVET/ NUIMU/NUVAM 13/07/2016 SESA Capacitação do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e SAMU Capacitação focada nos primeiros atendimentos ao acidentado e prevenção NUVEP/NUVET/ COPAS Julho/2016 Local a definir = Realizado

20 PLANO DE TRABALHO - Mobilização Ação Descrição da atividade Responsável Prazo Local Campanha de Conscientização de trabalhadores rurais sobre a prevenção de acidentes com animais peçonhentos Campanha de conscientização em áreas urbanas sobre a prevenção de acidentes com animais peçonhentos Articulação com CEREST para mobilização e realização da campanha de conscientização de trabalhadores rurais sobre a prevenção de acidentes com animais peçonhentos, pensando na sazonalidade da ocorrência Articulação com SEDUC, SEMA, Secretaria das Cidades, para mobilização e realização da campanha de conscientização em áreas urbanas, sobre a prevenção de acidentes com animais peçonhentos, pensando na sazonalidade da ocorrência NUVAM/ASCOM Julho 2016 SESA NUVET/ASCOM Julho 2016 SESA = Realizado

21 OBRIGADO

Programa Estadual de Vigilância de Acidentes por Animais Peçonhentos

Programa Estadual de Vigilância de Acidentes por Animais Peçonhentos Secretaria de Programa Estadual de Vigilância de Acidentes por Animais Peçonhentos Enfª Ivânia da Costa Folster Vigilância de Acidentes por Animais Peçonhentos GEZOO/DIVE/SES Secretaria de Histórico da

Leia mais

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA LEPTOSPIROSE NO ESTADO DE SÃO PAULO NO PERÍODO DE 2007 A 2011

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA LEPTOSPIROSE NO ESTADO DE SÃO PAULO NO PERÍODO DE 2007 A 2011 PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA LEPTOSPIROSE NO ESTADO DE SÃO PAULO NO PERÍODO DE 2007 A 2011 Márcia Regina Buzzar Divisão de Zoonoses CVE SES-SP mbuzzar@saude.sp.gov.br INTRODUÇÃO A Leptospirose é doença infecciosa

Leia mais

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS 10 de junho de 2016 Página 1/8 DEFINIÇÃO DE CASO ACIDENTES OFÍDICOS Envenenamento causado pela inoculação de toxinas, por intermédio das presas de serpentes (aparelho inoculador), podendo determinar alterações

Leia mais

Análise da Conjuntura Política e Técnica do COAP no Estado do Ceará. Vera Coelho Fortaleza, Dezembro de 2014

Análise da Conjuntura Política e Técnica do COAP no Estado do Ceará. Vera Coelho Fortaleza, Dezembro de 2014 Análise da Conjuntura Política e Técnica do COAP no Estado do Ceará Vera Coelho Fortaleza, Dezembro de 2014 ESTADO DO CEARÁ Brasil Cobertura de Saúde Suplementar Ce= 14,2% Br= 25,4% ANS-2013 Ceará 8.842.791

Leia mais

Ministério da Saúde Plano Brasileiro de Preparação para uma Pandemia de Influenza

Ministério da Saúde Plano Brasileiro de Preparação para uma Pandemia de Influenza Ministério da Saúde Plano Brasileiro de Preparação para uma Pandemia de Influenza Jarbas Barbosa da Silva Jr Secretário de Vigilância em Saúde Rio de Janeiro, novembro de 2005 Cenário Mundial da Influenza

Leia mais

VIGILÂNCIA AMBIENTAL EM SAÚDE E ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS EM URUGUAIANA - RSENTRE 2006 E 2015

VIGILÂNCIA AMBIENTAL EM SAÚDE E ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS EM URUGUAIANA - RSENTRE 2006 E 2015 1 VIGILÂNCIA AMBIENTAL EM SAÚDE E ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS EM URUGUAIANA - RSENTRE 2006 E 2015 RONIELE SANTANA VALENTE¹, LAURA ILARRAZ MASSIA²; RITA DANIELA QUEVEDO LAMADRIL²; ¹ Acadêmica do curso

Leia mais

OFICINA INTEGRADA VIGILÂNCIA DAS DOENÇAS IMUNOPREVENÍVEIS TÉTANO. Salvador, agosto de 2012

OFICINA INTEGRADA VIGILÂNCIA DAS DOENÇAS IMUNOPREVENÍVEIS TÉTANO. Salvador, agosto de 2012 OFICINA INTEGRADA VIGILÂNCIA DAS DOENÇAS IMUNOPREVENÍVEIS TÉTANO Salvador, agosto de 2012 Vigilância em Saúde Tétano LINHA DE AÇÃO Vigilância de riscos para à saúde individual e coletiva. COMPROMISSO Ampliar

Leia mais

APOIO MATRICIAL COMO FERRAMENTA PARA INSERÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR NA ATENÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE BETIM/MG

APOIO MATRICIAL COMO FERRAMENTA PARA INSERÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR NA ATENÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE BETIM/MG APOIO MATRICIAL COMO FERRAMENTA PARA INSERÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR NA ATENÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE BETIM/MG BETIM Localização: 30 Km de Belo Horizonte. É um dos principais polos de concentração Industrial

Leia mais

EPIDEMIOLOGIA DOS ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS NO MUNICÍPIO DE ITAPIPOCA, CEARÁ.

EPIDEMIOLOGIA DOS ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS NO MUNICÍPIO DE ITAPIPOCA, CEARÁ. EPIDEMIOLOGIA DOS ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS NO MUNICÍPIO DE ITAPIPOCA, CEARÁ. Juliana Maria Rodrigues Pires¹; Maria Andreza Freitas Rodrigues²; Ana Paula da Silva Oliveira³ ¹Licencianda em Ciências

Leia mais

Informe Influenza: julho COVISA - Campinas

Informe Influenza: julho COVISA - Campinas PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE Coordenadoria de Vigilância em Saúde Avenida Anchieta, 200 11º andar Centro CEP: 13015-904 Tel. (19) 2116-0187 / 0286 E-mail: covisa@campinas.sp.gov.br

Leia mais

Vigilância Epidemiológica. Profa. Rachel Sindeaux

Vigilância Epidemiológica. Profa. Rachel Sindeaux Vigilância Epidemiológica Profa. Rachel Sindeaux Vigilância Atividade contínua, permanente e sistemática; Foco para resultados inespecíficos para obtenção de metas; Utilização de dados relacionados com

Leia mais

Nota Técnica nº 13 LEISHIMANIOSE VICERAL

Nota Técnica nº 13 LEISHIMANIOSE VICERAL CENTRO DE INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS E RESPOSTA EM VIGILÂNCIA EM SAÚDE Nota Técnica nº 13 LEISHIMANIOSE VICERAL Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde Departamento de Epidemiologia/

Leia mais

Boletim semanal de Vigilância da Influenza/RS Semana epidemiológica 37/2016

Boletim semanal de Vigilância da Influenza/RS Semana epidemiológica 37/2016 Boletim semanal de Vigilância da Influenza/RS Semana epidemiológica 37/2016 A vigilância da Influenza é realizada por meio de notificação e investigação de casos de internações hospitalares por Síndrome

Leia mais

Boletim Informativo INFLUENZA

Boletim Informativo INFLUENZA CRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE Porto Alegre, 22 de Julho de 16. Boletim Informativo INFLUENZA Até a Semana Epidemiológica () 29 (3//16 a *23/7/16) foram investigados 1841 casos suspeitos de Síndrome Respiratória

Leia mais

Oliveira, ET, Cogo, JC

Oliveira, ET, Cogo, JC LEVANTAMENTO PRELIMINAR DOS ACIDENTES OFÍDICOS OCORRIDOS EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (SP) E CIDADES ADJACENTES, ATEIDOS NO HOSPITAL MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. XIV INIC / X EPG - UNIVAP 2010 Oliveira,

Leia mais

a epidemiologia da doença que mais mata

a epidemiologia da doença que mais mata a epidemiologia da doença que mais mata O Acidente Vascular Cerebral (AVC) caracteriza-se pela perda abrupta de uma função neurológica causada pela interrupção do fluxo de sangue para uma região do cérebro

Leia mais

NOTA TÉCNICA. Vigilância da Influenza ALERTA PARA A OCORRÊNCIA DA INFLUENZA E ORIENTAÇÃO PARA INTENSIFICAÇÃO DAS AÇÕES DE CONTROLE E PREVENÇÃO

NOTA TÉCNICA. Vigilância da Influenza ALERTA PARA A OCORRÊNCIA DA INFLUENZA E ORIENTAÇÃO PARA INTENSIFICAÇÃO DAS AÇÕES DE CONTROLE E PREVENÇÃO 12 de abril de 2016 Página 1/5 VIGILÂNCIA DA INFLUENZA A vigilância da influenza no Ceará é composta pela vigilância sentinela da SG e vigilância universal da SRAG, além da vigilância de surtos de SG.

Leia mais

2 MATERIAIS E MÉTODOS

2 MATERIAIS E MÉTODOS 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 OCORRÊNCIA DE INTOXICAÇÕES MEDICAMENTOSAS NO ANO DE 2009 EM MARINGÁ PR Patrícia Fernanda Premero 1 ; Tanimaria da Silva Lira Ballani 2 ; Silvana Lorenzi

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO TUBERCULOSE

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO TUBERCULOSE 22 de março de 2016 Página 1/6 DEFINIÇÃO DE CASO CONFIRMADO Todo indivíduo com diagnóstico bacteriológico (baciloscopia ou cultura para BK ou teste rápido molecular para tuberculose) E indivíduos com diagnóstico

Leia mais

61,6 milhões cobertos (59,6%)

61,6 milhões cobertos (59,6%) Previdência Social Brasil - 2013 População Residente: 201,4 milhões (2016 205,9) Urbana: 170,7 milhões Rural: 30,7 milhões População Economicamente Ativa - PEA: 103,4 milhões População Desocupada: 6,7

Leia mais

RETRATO DO SETOR SAÚDE

RETRATO DO SETOR SAÚDE COORDENADORIA DE GESTÃO DO TRABALHO E EDUCAÇÃO NA SAÚDE SEMINÁRIO DE PLANEJAMENTO, MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA FORÇA DE TRABALHO EM SAÚDE NO CEARÁ RETRATO DO SETOR SAÚDE Lúcia Arruda GESTÃO DE RECURSOS

Leia mais

Figura 1. Casos notificados de sarampo, segundo classificação final e ano de ocorrência, Ceará, 2013 a 2015*.

Figura 1. Casos notificados de sarampo, segundo classificação final e ano de ocorrência, Ceará, 2013 a 2015*. 1. Descrição do Surto de Sarampo no Ceará, 2013 a 2015. No Estado do Ceará foram notificados 4.094 casos suspeitos de sarampo entre 25/12/2013 e 12/09/2015. Desses, 22% (916/4094) foram confirmados e 78%

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Secretaria da Saúde

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Secretaria da Saúde Considerando a confirmação de um caso de sarampo e quatro fortemente suspeitos no Ceará; Considerando a confirmação de surto de sarampo em Pernambuco e casos confirmados relacionados à importação, nos

Leia mais

CENTRO ESTADUAL DE VIGILÂNCIA DIVISÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO SOBRE A SITUAÇÃO DA INFLUENZA NO RS 24/06/11

CENTRO ESTADUAL DE VIGILÂNCIA DIVISÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO SOBRE A SITUAÇÃO DA INFLUENZA NO RS 24/06/11 BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO SOBRE A SITUAÇÃO DA INFLUENZA NO RS 24/06/11 Em 2009, o mundo enfrentou pandemia de Influenza por um novo subtipo viral, com grande repercussão na saúde das pessoas e sobrecarga

Leia mais

DENGUEDEDENGUE BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DA DENGUE. Dengue é um grave problema de saúde pública enfrentado em diversos países.

DENGUEDEDENGUE BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DA DENGUE. Dengue é um grave problema de saúde pública enfrentado em diversos países. Ano 2 Nº 4 16 de Junho de 2009 BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DA DENGUE Dengue é um grave problema de saúde pública enfrentado em diversos países. A transmissão da doença se dá através da picada do mosquito transmissor

Leia mais

Informe Técnico. Assunto: Informe sobre a situação do sarampo e ações desenvolvidas - Brasil, 2013.

Informe Técnico. Assunto: Informe sobre a situação do sarampo e ações desenvolvidas - Brasil, 2013. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA DAS DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS COORDENAÇÃO-GERAL DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS SCS, Quadra 04, Edifício Principal, 4º andar CEP:

Leia mais

Assunto: Atualização da investigação de caso suspeito de sarampo em João Pessoa/PB - 22 de outubro de 2010

Assunto: Atualização da investigação de caso suspeito de sarampo em João Pessoa/PB - 22 de outubro de 2010 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Departamento de Vigilância Epidemiológica Esplanada dos Ministérios, Edifício Sede, 1º andar 70.058-900 Brasília-DF Tel. 3315 2755/2812 NOTA TÉCNICA

Leia mais

Integração das Ações de Endemias e Atenção Básica no Município de Canindé-CE

Integração das Ações de Endemias e Atenção Básica no Município de Canindé-CE PREFEITURA MUNICIPAL DE CANINDÉ SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE Integração das Ações de Endemias e Atenção Básica no Município de Canindé-CE Aline Macedo de Oliveira Jocélia Maria de Oliveira José Vanderlan

Leia mais

Mudança da concepção da Vigilância Epidemiológica (VE) do HIV/Aids

Mudança da concepção da Vigilância Epidemiológica (VE) do HIV/Aids Mudança da concepção da Vigilância Epidemiológica (VE) do HIV/Aids História da vigilância do HIV e Aids Pré 2004 Múltiplas definições de caso de AIDS (1984-98). A notificação de HIV não era uma recomendação

Leia mais

PORTARIA Nº 2.080, DE 31 DE OUTUBRO DE 2003

PORTARIA Nº 2.080, DE 31 DE OUTUBRO DE 2003 PORTARIA Nº 2.080, DE 31 DE OUTUBRO DE 2003 Institui o Programa Nacional para Prevenção e Controle das Hepatites Virais, o Comitê Técnico de Acompanhamento e Assessoramento do Programa e dá outras providências.

Leia mais

Sistema de Vigilância de Violências e Acidentes

Sistema de Vigilância de Violências e Acidentes Sistema de Vigilância de Violências e Acidentes Dimensão dos acidentes e violências na saúde pública 969.850 internações e 145.093 mortes em 2011 por causas externas (toda causa não natural, como queimadura,

Leia mais

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NA PARAÍBA

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NA PARAÍBA Setembro de 2012 MARCO HISTÓRICO o Desde 1993 a violência contra as mulheres é reconhecida como uma violação aos direitos humanos (Conferência

Leia mais

ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS (COBRAS, ARANHAS E ESCORPIÕES) - AÇÕES EDUCATIVAS E DE ASSISTÊNCIA JUNTO À POPULAÇÃO PARAIBANA.

ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS (COBRAS, ARANHAS E ESCORPIÕES) - AÇÕES EDUCATIVAS E DE ASSISTÊNCIA JUNTO À POPULAÇÃO PARAIBANA. ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS (COBRAS, ARANHAS E ESCORPIÕES) - AÇÕES EDUCATIVAS E DE ASSISTÊNCIA JUNTO À POPULAÇÃO PARAIBANA. Autor(es) BARBOSA JÚNIOR, J. 1 FENANDES, H.K.S. 1 SALVIANO, G.R. 1 MALHEIRO,

Leia mais

CAPACITAÇÃO AGENTE COMUNITÁRIOS

CAPACITAÇÃO AGENTE COMUNITÁRIOS CAPACITAÇÃO AGENTE COMUNITÁRIOS Prefeitura Municipal de Corumbá Paulo Roberto Duarte Secretária Municipal de Saúde Dinaci Vieira Ranzi Gerência de Vigilância em Saúde Viviane Campos Ametlla Coordenação

Leia mais

Mapa da dengue no Brasil

Mapa da dengue no Brasil Mapa da dengue no Brasil Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) Participação de 1.463 municípios Pesquisa realizada em outubro 1600 1400 1438 1463 Identifica focos de infestação do mosquito,

Leia mais

PROJETO VIDA NO TRÂNSITO PARANÁ

PROJETO VIDA NO TRÂNSITO PARANÁ PROJETO VIDA NO TRÂNSITO PARANÁ PACTO NACIONAL PELA REDUÇÃO DE ACIDENTES NO TRÂNSITO Ação do Governo Federal, lançada em 11/05/2011 pelos Ministérios da Saúde e das Cidades; Resposta brasileira à demanda

Leia mais

Escola de Saúde Pública do Ceará - ESP

Escola de Saúde Pública do Ceará - ESP Escola de Saúde Pública do Ceará - ESP 1993-2013 Missão Promover a formação e educação permanente, pesquisa e extensão na área da Saúde, na busca de inovação e produção tecnológica, a partir das necessidades

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BACABEIRA-MA - Plano de Trabalho - PLANO DE TRABALHO. Bacabeira-MA

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BACABEIRA-MA - Plano de Trabalho - PLANO DE TRABALHO. Bacabeira-MA PLANO DE TRABALHO Bacabeira-MA 2015 1. INTRODUÇÃO O presente Plano de Trabalho refere-se ao contrato firmado entre a Prefeitura Municipal de Bacabeira e a empresa de consultoria especializada de razão

Leia mais

Problema para a saúde do homem O Livro dos Acidentes de Cone Jr destinado principalmente às crianças.

Problema para a saúde do homem O Livro dos Acidentes de Cone Jr destinado principalmente às crianças. 1830 - Problema para a saúde do homem O Livro dos Acidentes de Cone Jr destinado principalmente às crianças. CAUSAS EXTERNAS (violência e acidentes) : Importante causa de morbimortalidade infantil, incapacidade

Leia mais

Intoxicações por Praguicidas no Brasil

Intoxicações por Praguicidas no Brasil Intoxicações por Praguicidas no Brasil Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas - SINITOX O Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas SINITOX, coordenado pela FIOCRUZ, tem como

Leia mais

RESULTADO DO LIRAa JANEIRO FEVEREIRO/15

RESULTADO DO LIRAa JANEIRO FEVEREIRO/15 RESULTADO DO LIRAa JANEIRO FEVEREIRO/15 1º LIRAa 2015 - Situação dos municípios brasileiros Participação voluntária de 1.844 municípios Pesquisa realizada entre janeiro/fevereiro de 2015; Identifica focos

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 001/2015

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 001/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL GERÊNCIA DE DOENÇAS TRANSMITIDAS POR VETORES E ZOONOSES -

Leia mais

Ministério Público do Estado de Mato Grosso Promotoria de Justiça de Água Boa

Ministério Público do Estado de Mato Grosso Promotoria de Justiça de Água Boa NOTIFICANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO NOTIFICADO: PREFEITO DO MUNICÍPIO DE ÁGUA BOA, Sr. MAURO ROSA DA SILVA NOTIFICAÇÃO RECOMENDATÓRIA Nº 03/2016 (Simp nº 002493-005/2013) O MINISTÉRIO

Leia mais

Equipe Estadual. Coordenador (a): Adriana Bouças Ribeiro. Equipe técnica: Técnicos da Divisão de DCNT

Equipe Estadual. Coordenador (a): Adriana Bouças Ribeiro. Equipe técnica: Técnicos da Divisão de DCNT ESTADO DE SÃO PAULO Equipe Estadual Coordenador (a): Adriana Bouças Ribeiro Equipe técnica: Técnicos da Divisão de DCNT Contextualização da Coordenação na estrutura e organograma da Secretaria de Estado

Leia mais

IV Seminário Internacional da Primeira Infância Brasília, 5 a 7 de julho de 2016

IV Seminário Internacional da Primeira Infância Brasília, 5 a 7 de julho de 2016 IV Seminário Internacional da Primeira Infância Brasília, 5 a 7 de julho de 2016 Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas Coordenação Geral de

Leia mais

APRIMORAMENTO DO SUS POR MEIO DO CONTRATO ORGANIZATIVO DE AÇÕES PÚBLICAS DE SAÚDE COAP 2013

APRIMORAMENTO DO SUS POR MEIO DO CONTRATO ORGANIZATIVO DE AÇÕES PÚBLICAS DE SAÚDE COAP 2013 APRIMORAMENTO DO SUS POR MEIO DO CONTRATO ORGANIZATIVO DE AÇÕES PÚBLICAS DE SAÚDE COAP 2013 Convento da Penha, Vila Velha/ES CARACTERIZAÇÃO DO ESTADO Espírito Santo Capital - Vitória 78 municípios População

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO Nº 028/2014

EDITAL PROCESSO SELETIVO Nº 028/2014 EDITAL PROCESSO SELETIVO Nº 028/2014 O Instituto Agropolos do Ceará, entidade de direito privado e sem fins econômicos, inscrito no CNPJ sob nº 04.867.567/0001-10, qualificado como Organização Social através

Leia mais

A SITUAÇÃO SOBRE OS CASAMENTOS PREMATUROS EM MOÇAMBIQUE E A LEGISLAÇÃO RELACIONADA. Maputo, Dezembro de 2015

A SITUAÇÃO SOBRE OS CASAMENTOS PREMATUROS EM MOÇAMBIQUE E A LEGISLAÇÃO RELACIONADA. Maputo, Dezembro de 2015 MINISTÉRIO DO GÉNERO, CRIANÇA E ACÇÃO SOCIAL A SITUAÇÃO SOBRE OS CASAMENTOS PREMATUROS EM MOÇAMBIQUE E A LEGISLAÇÃO RELACIONADA Maputo, Dezembro de 2015 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO 1. Introdução; 2. Situação

Leia mais

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO SÍFILIS ano I nº 01

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO SÍFILIS ano I nº 01 B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO SÍFILIS 2 012 ano I nº 01 2012. Ministério da Saúde É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte. Expediente Boletim Epidemiológico - Sífilis

Leia mais

IV Seminário de Iniciação Científica

IV Seminário de Iniciação Científica EPIDEMIOLOGIA DOS ACIDENTES OFÍDICOS NA CIDADE DE ANÁPOLIS GO. Daniene Pimenta da Silva¹, Cynthia Arossa², Mary Joyce Ribeiro da Cruz³, Rafaela Pereira de Lima¹ ¹Bolsista PBIC/UEG ²Pesquisadora/orientadora

Leia mais

Seguem os números da gripe no Estado do Mato Grosso do Sul, considerando os três tipos de vírus de maior circulação (Influenza A, H1N1, Influenza A

Seguem os números da gripe no Estado do Mato Grosso do Sul, considerando os três tipos de vírus de maior circulação (Influenza A, H1N1, Influenza A Seguem os números da gripe no Estado do Mato Grosso do Sul, considerando os três tipos de vírus de maior circulação (Influenza A, H1N1, Influenza A H3N2 e Influenza B): ALERTAMOS QUE OS ÓBITOS RESIDENTES

Leia mais

Vigilância Socioassistencial Estruturada em dois eixos: Vigilância de Riscos e Vulnerabilidades e a Vigilância de Padrões e Serviços.

Vigilância Socioassistencial Estruturada em dois eixos: Vigilância de Riscos e Vulnerabilidades e a Vigilância de Padrões e Serviços. Apresentação Vigilância Socioassistencial Estruturada em dois eixos: Vigilância de Riscos e Vulnerabilidades e a Vigilância de Padrões e Serviços. Diagnóstico Socioterritorial Os indicadores e informações

Leia mais

DEPARTAMENTO LEGISLATIVO DA CÂMARA MUNICIPAL DE fortaleza, em iç" de ckr~uj. de 2011.

DEPARTAMENTO LEGISLATIVO DA CÂMARA MUNICIPAL DE fortaleza, em iç de ckr~uj. de 2011. INDICAÇÃO No02 5/_1_2_~ 11~ "Dispõe sobre a criação do Cargo de Coordenador de Creches no Município de Fortaleza e dá outras providências." o Vereador abaixo signatário, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

VIGILÂNCIA E MONITORAMENTO DOS ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS NO MUNICÍPIO DE PALMAS, TOCANTINS, BRASIL 1

VIGILÂNCIA E MONITORAMENTO DOS ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS NO MUNICÍPIO DE PALMAS, TOCANTINS, BRASIL 1 HYGEIA, ISSN: 1980-1726 Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde - http://www.seer.ufu.br/index.php/hygeia VIGILÂNCIA E MONITORAMENTO DOS ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS NO MUNICÍPIO DE PALMAS,

Leia mais

Escrito por Administrator Seg, 22 de Novembro de :55 - Última atualização Seg, 22 de Novembro de :09

Escrito por Administrator Seg, 22 de Novembro de :55 - Última atualização Seg, 22 de Novembro de :09 MISSÃO O Serviço Social tem como missão dar suporte psico-social e emocional ao colaborador e sua família. Neste sentido, realiza o estudo de casos, orientando e encaminhando aos recursos sociais da comunidade,

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE SECRETARIA ESPECIAL DE SAÚDE INDÍGENA

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE SECRETARIA ESPECIAL DE SAÚDE INDÍGENA MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE SECRETARIA ESPECIAL DE SAÚDE INDÍGENA ORIENTAÇÕES PARA O ACOMPANHAMENTO DAS CONDICIONALIDADES DE SAÚDE DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA DE FAMÍLIAS INDÍGENAS

Leia mais

PUBLICADA NO D.O. DE SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE ATO DO SECRETÁRIO RESOLUÇÃO SES Nº 3088 DE 31 DE JULHO 2006.

PUBLICADA NO D.O. DE SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE ATO DO SECRETÁRIO RESOLUÇÃO SES Nº 3088 DE 31 DE JULHO 2006. PUBLICADA NO D.O. DE 02.08.2006 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE ATO DO SECRETÁRIO RESOLUÇÃO SES Nº 3088 DE 31 DE JULHO 2006. DISPÕE SOBRE A OBRIGATORIEDADE DE INVESTIGAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DE TODOS OS ÓBITOS

Leia mais

VI CONGRESSO DE HIPERTENSÃO DA. HiperDia, desafios futuros e o que esperar?

VI CONGRESSO DE HIPERTENSÃO DA. HiperDia, desafios futuros e o que esperar? VI CONGRESSO DE HIPERTENSÃO DA SBC/DHA HiperDia, desafios futuros e o que esperar? MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção a Saúde - SAS Departamento de Atenção Básica - DAB Coordenação Nacional de Hipertensão

Leia mais

ACIDENTES COM ARTRÓPODES PEÇONHENTOS NA CIDADE DE GOIÂNIA NO PERÍODO DE 2007 À 2011

ACIDENTES COM ARTRÓPODES PEÇONHENTOS NA CIDADE DE GOIÂNIA NO PERÍODO DE 2007 À 2011 ACIDENTES COM ARTRÓPODES PEÇONHENTOS NA CIDADE DE GOIÂNIA NO PERÍODO DE 2007 À 2011 Israel Vilela Pachêco 1 Hélcio Marques Júnior 2 1 Biólogo (israelvilela2@hotmail.com) Goiânia-Brasil 2 Professor Mestre

Leia mais

SISTEMA BRASILEIRO DE SAUDE ANIMAL: Operacionalidade e Competências

SISTEMA BRASILEIRO DE SAUDE ANIMAL: Operacionalidade e Competências SISTEMA BRASILEIRO DE SAUDE ANIMAL: Operacionalidade e Competências ESTRATÉGIA- CONTROLE Sistema de Defesa Sanitária Animal 1992 ESTRATÉGIA - ERRADICAÇÃO 1. Serviço o disperso e frágil 2. Responsabilidade

Leia mais

PERCEPÇÃO DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO SOBRE ANIMAIS PEÇONHENTOS

PERCEPÇÃO DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO SOBRE ANIMAIS PEÇONHENTOS PERCEPÇÃO DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO SOBRE ANIMAIS PEÇONHENTOS Rosângela Moraes Gonçalves ; Guilherme Alexandre Sestito Dias ; Juliana Martinho Saraiva ; Jonatas Loureiro Maciel ; Rosilda Mara Mussury UFGD/FCA

Leia mais

Boletim da Vigilância em Saúde ABRIL 2013

Boletim da Vigilância em Saúde ABRIL 2013 Boletim da Vigilância em Saúde ABRIL 2013 Boletim da Vigilância em Saúde ABRIL 2013 Prefeito Municipal Marcio Lacerda Secretário Municipal de Saúde Marcelo Gouvêa Teixeira Secretário Municipal Adjunto

Leia mais

Convenção 174 da OIT: Melhorando a comunicação de risco. a experiência de Diadema

Convenção 174 da OIT: Melhorando a comunicação de risco. a experiência de Diadema Convenção 174 da OIT: Melhorando a comunicação de risco no nível local - a experiência de Diadema Nilton Freitas Sindicato dos Químicos do ABC ICEM América Latina e Caribe Incêndio seguido de explosões

Leia mais

Dra Hedi Martha Soeder Muraro

Dra Hedi Martha Soeder Muraro Dra Hedi Martha Soeder Muraro hemuraro@sms.curitiba.pr.gov.br Missão da SMS Planejar e executar a política de saúde para o Município de Curitiba, responsabilizando-se pela gestão e regulação dos serviços

Leia mais

Órgão Ministério do Turismo (MTur) Representação Efetiva Câmara Temática de Turismo Sustentável e Infância do CNT Representante Ana Paula de Siqueira

Órgão Ministério do Turismo (MTur) Representação Efetiva Câmara Temática de Turismo Sustentável e Infância do CNT Representante Ana Paula de Siqueira T U R I S M O Órgão Ministério do Turismo (MTur) Representação Efetiva Câmara Temática de Turismo Sustentável e Infância do CNT Representante Ana Paula de Siqueira Assessora Secretaria Geral da CNC Ações

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM. Brasília, 18 de Novembro de 2013 Michelle Leite da Silva

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM. Brasília, 18 de Novembro de 2013 Michelle Leite da Silva POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM Brasília, 18 de Novembro de 2013 Michelle Leite da Silva DAET- Departamento de Atenção Especializada e Temática Secretaria de Atenção à Saúde - SAS

Leia mais

FREQUÊNCIA DE ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS OCORRIDOS NO RIO GRANDE DO SUL,

FREQUÊNCIA DE ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS OCORRIDOS NO RIO GRANDE DO SUL, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE MEDICINA SOCIAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA Andressa Linhares Dorneles FREQUÊNCIA DE ACIDENTES POR ANIMAIS

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde Promoção a Saúde do Trabalhador da Saúde: O uso de Luvas e a lavagem correta das mãos entre os profissionais da

Leia mais

Análise dos casos de meningites em residentes do município do Rio de Janeiro, 2014.

Análise dos casos de meningites em residentes do município do Rio de Janeiro, 2014. Análise dos casos de meningites em residentes do município do Rio de Janeiro, 14. Foram notificados 928 casos suspeitos de meningite em residentes do município do Rio de Janeiro (MRJ) em 14 (início dos

Leia mais

Informe Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 12 de 2016

Informe Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 12 de 2016 Informe Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 12 de 216 A vigilância da influenza no Brasil é composta pela vigilância

Leia mais

Capacitação em Eventos

Capacitação em Eventos Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Coordenação Geral de Vigilância em Saúde Ambiental Capacitação em Eventos VIGILÂNCIA

Leia mais

CONDIÇÕES DE VIDA DA POPULAÇÃO IDOSA NO PARANÁ

CONDIÇÕES DE VIDA DA POPULAÇÃO IDOSA NO PARANÁ CONDIÇÕES DE VIDA DA POPULAÇÃO IDOSA NO PARANÁ GRÁFICO 1 - PARTICIPAÇÃO DA POPULAÇÃO DE 60 ANOS OU MAIS DE IDADE NA POPULAÇÃO TOTAL NO BRASIL, REGIÃO SUL E PARANÁ - 1991/2000 7,30% 8,60% 7,70% 9,20% 6,80%

Leia mais

Visita de Monitoramento ao estado de Santa Catarina

Visita de Monitoramento ao estado de Santa Catarina Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis Programa Nacional de Controle da Tuberculose Visita de Monitoramento ao estado de Santa Catarina

Leia mais

1. Introdução. 2. Objetivos. Geral. Específicos

1. Introdução. 2. Objetivos. Geral. Específicos 0 1. Introdução O crescimento da morbimortalidade pelos acidentes envolvendo motociclistas nos últimos dez anos é uma realidade, conhecida pelos dados divulgados pelas instituições de trânsito, transporte

Leia mais

Coordenadoria de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde. Núcleo de Ciência e Tecnologias em Saúde

Coordenadoria de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde. Núcleo de Ciência e Tecnologias em Saúde Coordenadoria de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde Núcleo de Ciência e Tecnologias em Saúde Comissão de Avaliação de Tecnologias em Saúde do Estado do Ceará 2012 COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS

Leia mais

ANÁLISE DESCRITIVA DAS INTOXICAÇÕES POR MEDICAMENTOS EM GOIÁS

ANÁLISE DESCRITIVA DAS INTOXICAÇÕES POR MEDICAMENTOS EM GOIÁS ANÁLISE DESCRITIVA DAS INTOXICAÇÕES POR MEDICAMENTOS EM GOIÁS Luciana de Melo Borges 1,3 ; Naiana Kelly Silva Bitencourt 1,3 ; Sueli Martins de Freitas Alves 2,3 1 Bolsista PBIC/UEG 2 Pesquisadora - Orientadora

Leia mais

A taxa ou coeficiente de mortalidade representa a intensidade com que os óbitos por uma determinada doença ocorrem em dada população.

A taxa ou coeficiente de mortalidade representa a intensidade com que os óbitos por uma determinada doença ocorrem em dada população. Mortalidade Mortalidade é uma propriedade natural das comunidades dos seres vivos. Refere-se ao conjunto dos indivíduos que morrem em um dado intervalo de tempo e em certo espaço. A taxa ou coeficiente

Leia mais

Boas Práticas em Serviços de

Boas Práticas em Serviços de FEIRA+FÓRUM FÓRUM HOSPITALAR 2011 24 de Maio de 2011 São Paulo SP Boas Práticas em Serviços de Saúde Maria Angela da Paz Gerência Geral de Tecnologia em Serviço de Saúde - GGTES - ANVISA Noção Matemática

Leia mais

Assunto: Atualização dos casos notificados de microcefalia no estado da Bahia.

Assunto: Atualização dos casos notificados de microcefalia no estado da Bahia. NOTA INFORMATIVA Nº 01/2015 - DIVEP//SUVISA/SESAB Assunto: Atualização dos casos notificados de microcefalia no estado da Bahia. Situação epidemiológica atual Na Bahia, até 1º de dezembro de 2015, foram

Leia mais

NQSP - CRONOGRAMA DE AÇÕES PARA 2015: Ação Meta Prazo Responsável Resultado Justificativa Observação. Contínuo NQSP. NUFA, NQSP e colaboradores

NQSP - CRONOGRAMA DE AÇÕES PARA 2015: Ação Meta Prazo Responsável Resultado Justificativa Observação. Contínuo NQSP. NUFA, NQSP e colaboradores - CRONOGRAMA DE AÇÕES PARA 2015: Ação Meta Prazo Responsável Resultado Justificativa Observação Verificação da Notificação Conferir diariamente as notificações on line Identificação do Auditoria da adesão

Leia mais

Surtos e epidemias: Diretrizes estaduais

Surtos e epidemias: Diretrizes estaduais Secretaria de Estado de Saúde Surtos e epidemias: Diretrizes estaduais Gilson Jácome dos Reis Coordenador do CIEVS-RJ PRESSUPOSTOS: Cenário epidemiológico Transição demográfica e epidemiológica Diminuição

Leia mais

Avaliação Clínica e Epidemiológica dos acidentes com animais peçonhentos atendidos no Hospital Universitário do Oeste do Paraná

Avaliação Clínica e Epidemiológica dos acidentes com animais peçonhentos atendidos no Hospital Universitário do Oeste do Paraná Avaliação Clínica e Epidemiológica dos acidentes com animais peçonhentos atendidos no Hospital Universitário do Oeste do Paraná 2008-2012 Clinical and Epidemiological Evaluation of accidents with venomous

Leia mais

número 09 - agosto/2015 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

número 09 - agosto/2015 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS número 09 - agosto/2015 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE Este relatório é uma versão resumida

Leia mais

MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO E CULTURA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MÜLLER

MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO E CULTURA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MÜLLER MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO E CULTURA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MÜLLER REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR CAPÍTULO I DA CATEGORIA

Leia mais

ADINS/ASCOM Divulgação na Imprensa e em Sites Oficiais sobre a Seleção Unificada da Residência Médica no Ceará Página 1 de 8

ADINS/ASCOM Divulgação na Imprensa e em Sites Oficiais sobre a Seleção Unificada da Residência Médica no Ceará Página 1 de 8 ADINS/ASCOM Divulgação na Imprensa e em Sites Oficiais sobre a Seleção Unificada da Residência Médica no Ceará Coletânea das notícias publicadas e divulgadas Página 1 de 8 Veículo: Site Diálogos Políticos

Leia mais

MICHELE CAPUTO NETO Secretário de Estado da Saúde do Paraná

MICHELE CAPUTO NETO Secretário de Estado da Saúde do Paraná MICHELE CAPUTO NETO Secretário de Estado da Saúde do Paraná Setembro/2016 Série Histórica Paraná A incidência de dengue no Paraná aumentou três vezes de 2013 a 2015. Em relação ao último período epidemiológico

Leia mais

IMPORTÂNCIA DOS FOLHETOS EDUCATIVOS SOBRE HANSENÍASE ENTRE ESTUDANTES DO ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E SUPERIOR

IMPORTÂNCIA DOS FOLHETOS EDUCATIVOS SOBRE HANSENÍASE ENTRE ESTUDANTES DO ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E SUPERIOR IMPORTÂNCIA DOS FOLHETOS EDUCATIVOS SOBRE HANSENÍASE ENTRE ESTUDANTES DO ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E SUPERIOR Mariluce Gonçalves Fonseca (Faculdades Integradas FAFIBE) Amanda Fernandes Abbes (G- Faculdades

Leia mais

PROCEDIMENTOS EM SITUAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO

PROCEDIMENTOS EM SITUAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO PROCEDIMENTOS EM SITUAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO 1- PROVIDENCIAR A ASSISTÊNCIA DE URGÊNCIA / EMERGÊNCIA, ACIONANDO O SAMU OU CORPO DE BOMBEIRO. 2- REALIZAR O PREENCHIMENTO DA FICHA E DEPOIS DE PREENCHIDA

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DO SUAS AVANÇOS E DESAFIOS

IMPLEMENTAÇÃO DO SUAS AVANÇOS E DESAFIOS SECRETARIA DE ESTADO DO TRABALHO, EMPREGO E PROMOÇÃO SOCIAL Núcleo de Coordenação da Assistência Social IMPLEMENTAÇÃO DO SUAS AVANÇOS E DESAFIOS POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO VIII CONFERÊNCIA ESTADUAL DE

Leia mais

MENINGITE E DOENÇA MENINGOCÓCICA. Profa. Maria Lucia Penna Disciplina de Epidemiologia IV

MENINGITE E DOENÇA MENINGOCÓCICA. Profa. Maria Lucia Penna Disciplina de Epidemiologia IV MENINGITE E DOENÇA MENINGOCÓCICA Profa. Maria Lucia Penna Disciplina de Epidemiologia IV Quais são os principais agentes da meningite? Etiologia meningites Brasil 2007-2010 (fonte: SINAN) Etiologia

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE CENTRO DE REFERÊNCIA DE SAÚDE DO TRABALHADOR/CEREST

ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE CENTRO DE REFERÊNCIA DE SAÚDE DO TRABALHADOR/CEREST ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE DUQUE DE CAXIAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE CENTRO DE REFERÊNCIA DE SAÚDE DO TRABALHADOR/CEREST REGIONAL PÓLO DUQUE DE CAXIAS Saúde do Trabalhador e Trabalho

Leia mais

Integração das Politicas Públicas

Integração das Politicas Públicas Integração das Politicas Públicas para o Enfrentamento das Arboviroses no Município de Campinas: dengue, Zika vírus e Chikungunya Apresentação: Andrea von Zuben Coordenadora do Programa Municipal de Arboviroses

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009 Altera a Lei nº 11.664, de 29 de abril de 2008, para incluir a pesquisa de biomarcadores entre as ações destinadas à detecção precoce das neoplasias malignas de mama

Leia mais

ANEXO I CARGO, REQUISITOS DE ESCOLARIDADE, DESCRIÇÃO SUMÁRIA, CARGA HORÁRIA e VENCIMENTO BASE.

ANEXO I CARGO, REQUISITOS DE ESCOLARIDADE, DESCRIÇÃO SUMÁRIA, CARGA HORÁRIA e VENCIMENTO BASE. ANEXO I,,, e VENCIMENTO BASE. Auxiliar de Serviços Gerais NÍVEL FUNDAMENTAL Ensino Fundamental Completo. Limpeza dos prédios públicos, móveis e equipamentos e similares. 01 Auxiliar de Serviços Urbanos

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA DE HABITAÇÃO E SANEAMENTO AMBIENTAL

PLANO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA DE HABITAÇÃO E SANEAMENTO AMBIENTAL PLANO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA DE HABITAÇÃO E SANEAMENTO AMBIENTAL OUTUBRO/2009 Experiências de Conselhos e Planos Locais de Habitação

Leia mais

LEVANTAMENTO DE DEMANDA DOS CURSOS DO PRONATEC NOS CENTROS DE REFERÊNCIAS DOS BAIRROS CENTENÁRIO E UNIÃO

LEVANTAMENTO DE DEMANDA DOS CURSOS DO PRONATEC NOS CENTROS DE REFERÊNCIAS DOS BAIRROS CENTENÁRIO E UNIÃO LEVANTAMENTO DE DEMANDA DOS CURSOS DO PRONATEC NOS CENTROS DE REFERÊNCIAS DOS BAIRROS CENTENÁRIO E UNIÃO BOA VISTA/RR 2012 Apresentação Criado no dia 26 de Outubro de 2011 com a sanção da Lei de nº 12.513/2011

Leia mais

Contribuições do SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO para a Melhoria da Qualidade da Assistência e Segurança dos Pacientes

Contribuições do SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO para a Melhoria da Qualidade da Assistência e Segurança dos Pacientes Contribuições do SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO para a Melhoria da Qualidade da Assistência e Segurança dos Pacientes ABRIL/2011 O Universo de Atuação População 190.732.694 habitantes Fonte: IBGE 2010

Leia mais

ESTRATÉGIAS SINGULARES DE IMPLANTAÇÃO DA CADERNETA DO IDOSO NO MUNICÍPIO DE CAXIAS DO SUL - RS

ESTRATÉGIAS SINGULARES DE IMPLANTAÇÃO DA CADERNETA DO IDOSO NO MUNICÍPIO DE CAXIAS DO SUL - RS PREFEITURA MUNICIPAL DE CAXIAS DO SUL SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE ESTRATÉGIAS SINGULARES DE IMPLANTAÇÃO DA CADERNETA DO IDOSO NO MUNICÍPIO DE CAXIAS DO SUL - RS Nadia Peresin Perottoni Enfermeira Atenção

Leia mais

EXPERIÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE OUVIDORIAS DO SUS NO ESTADO DO CEARÁ

EXPERIÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE OUVIDORIAS DO SUS NO ESTADO DO CEARÁ EXPERIÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE OUVIDORIAS DO SUS NO ESTADO DO CEARÁ 2012 LINHA DO TEMPO Criação da Ouvidoria da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará - Sesa com o Alô Saúde (tele atendimento)

Leia mais

Clipping Eletrônico dia 23/06/2014. Jornal Diário do Amazonas Política - Página 05 dia 23 de junho de 2014

Clipping Eletrônico dia 23/06/2014. Jornal Diário do Amazonas Política - Página 05 dia 23 de junho de 2014 Clipping Eletrônico dia 23/06/2014 Av. Mário Ypiranga, 1695 Adrianópolis Jornal Diário do Amazonas Política - Página 05 dia 23 de junho de 2014 Jornal Dez Minutos Caderno Cidades - Página 04 dia 23 de

Leia mais