Experiências Piloto sobre Atenção da Dependência e Autonomia Pessoal

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Experiências Piloto sobre Atenção da Dependência e Autonomia Pessoal"

Transcrição

1 Experiências Piloto sobre Atenção da Dependência e Autonomia Pessoal Relatório Instituto da Segurança Social, I.P.

2 INDICE Introdução P.3 Plataforma de Autonomia Pessoal Beneficiários P.6 Objetivos P.6 Resultados Esperados P.7 Processo de Gestão de Conteúdos P.7 Plataforma de Cuidadores a Pessoas Dependentes Beneficiários P.15 Objetivos P.16 Resultados Esperados P.17 Processo de Gestão de Conteúdos P.17 Formação Caraterização Amostral P.22 Módulos e conteúdos P.26 Instrumentos e ferramentas P.26 Objetivos P.26 Conclusões P.27 Bibliografia P.30 Apêndices/Anexos (ex: cronograma, esquema conteúdos plataformas, etc) P.31 Introdução

3 Desde que foi criada por Tim Berners-Lee em 1989, a World Wide Web, WWW ou simplesmente Web, foi criada no final dos anos 90 por nos laboratórios CERN como uma solução para os problemas de intercâmbio de informações entre os pesquisadores. Desde então, a tecnologia para construção de interfaces Web vem sendo progressivamente incrementada permitindo o desenvolvimento de aplicações cada vez mais complexas. No início, a Web era apenas um ambiente para publicação de documentos no formato texto e HTML (Hypertext Markup Language) e, portanto, a interação dos usuários era limitada a ler/imprimir texto e a selecionar links para outros documentos. Na sequência, vieram os formulários e programas CGIs ( Common Gateway Interface) que permitem a entrada de dados do usuário e a integração com aplicações de banco de dados. Como consequência desta inovação, surgem aplicações complexas que utilizam a Web não apenas para troca de informações, mas como plataforma para aplicações distribuídas como, por exemplo, o comércio eletrônico e intranets (em que empresas usam a Web para gerenciar informações internas). Atualmente, outras tecnologias de interface como por exemplo, ActiveX, Java e JavaScript, entre outras, permitem um tipo de interação do usuário próximo ao encontrado nas tradicionais interfaces WIMP (Windows, Icons, Mouse and Pointers, como MS Windows, por exemplo). Durante este processo evolutivo, o número de usuários e de sites Web cresceram exponencialmente. A Web tornou-se acessível a todas as pessoas, e conta com uma grande variedade de aplicações. Contudo, observa-se que tal popularidade não implica necessariamente em usuários satisfeitos. Muitos sites Web são visitados uma única vez pelos usuários. Em muitos casos, isso ocorre não porque o conteúdo do site não os interessa mas sim porque eles foram incapazes de encontrar a informação desejada. A dificuldade em encontrar informações no site é, sem dúvida, o problema de usabilidade mais relatado por usuários. Usabilidade é o termo técnico usado para descrever a qualidade de uso de uma interface (BEVAN, 1995). Essa é uma qualidade importante pois interfaces com usabilidade aumentam a produtividade dos usuários, diminuem a ocorrência e erros (ou as sua importância) e, não menos importante, contribuem para a satisfação dos usuários.

4 A satisfação é um critério importante, embora não o único, para determinação da qualidade global da aplicação. De um modo geral, este é um critério final para que o usuário adquira um software ou visite regularmente um site. O presente relatório resulta da actividade inerente à adjudicação à Prova de Êxito da Aquisição de Serviços de Gestão de 2 plataformas Web formativas para promoção do envelhecimento activo e cuidado a idosos, no âmbito do POCTEP Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Espanha/Portugal, nos termos das especificações técnicas constantes do ofício P.2001/12/ Neste sentido, foi proposto o roadmap e cronograma anexos a este relatório, para concretização do projecto e seus objectivos: Formação presencial em tecnologias de informação (mínimo de 25h) em competências informáticas e web básicas em: a) Viana do Castelo Associação dos Reformados e Pensionistas de Viana do Castelo; b) Campos Centro Social e Paroquial de Campos; c) Guilhadeses Lar de Guilhadeses Criação e gestão de conteúdos formativos de uma plataforma de autonomia da vida pessoal, destinada a pessoas idosas; - Criação e gestão de conteúdos formativos da plataforma de cuidadores de pessoas dependentes. Neste âmbito, foi definido e implementado o roadmap seguinte do projecto e cujo detalhe se analisa pelos conteúdos de pormenor do presente relatório. ROADMAP DO PROJECTO ETAPA 0 ETAPA 1 ETAPA 2 DESENVOLVIMENTO E ESTRUTURAÇÃO DA PLATAFORMA FORMAÇÃO GESTÃO DE CONTEÚDOS FORMATIVOS NAS PLATAFORMAS Reunião de Arranque (5 de Agosto Desenvolvimento do Projecto Inserção de dados na

5 de 2013) formação Grupo 1 plataforma de apoio a cuidadores de pessoas dependentes Desenvolvimento dos módulos da Desenvolvimento do Projecto plataforma formação Grupo 2 Carregamento da estrutura Desenvolvimento do Projecto Inserção de dados na formativa na plataforma formação Grupo 3 plataforma de autonomia pessoal

6 Plataforma de Autonomia Pessoal Beneficiários O projecto terá como destinatários todos os idosos que detenham conhecimentos básicos de informática (ou adquiridos pela vida da formação desenvolvida no âmbito do projecto), autonomia física e destreza manual. Objectivos No que à Plataforma autonomia pessoal concerne, estavam associadas 6 grandes actividades de produção e gestão de conteúdos, de acordo com o esquema seguinte: a) Nutrição a. Plano pessoal com dieta personalizada b. Conselhos gerais sobre alimentação e confecção de alimentos b) Actividade física a. Plano pessoas (possibilidade de criar calendário indexado Às actividades) b. Vídeo-aulas (por tema) c) Técnicas de relaxamento a. Informação escrita b. Música (sons da natureza possibilitar download) c. Vídeos (relaxamento guiado) d) Registos pessoais de auto cuidado a. Monitorização da situação de saúde por data b. Campo para conselhos personalizados a cada um dos utilizadores e) Formulário para envio de questões f) Jogos online (JAVA) a. Estimulação cognitiva

7 b. Memória c. Raciocínio espacial Resultados Esperados O objectivo principal associado a estes resultados estava directamente associado à inscrição de todos os formandos que frequentaram as acções TIC realizadas. O objectivo foi parcialmente alcançado: das 66 inscrições e frequência das sessões TIC, resultaram 52 inscrições na Plataforma Autonomia Pessoal. Processo de Gestão de Conteúdos Constrangimentos na gestão de conteúdos a) Nutrição a. Plano pessoal com dieta personalizada O objectivo associado a este módulo foi alcançado, por se verificar o normal funcionamento da opção. Não obstante o facto, e de acordo com indicação dos profissionais da área (enfermeiro e psicólogo participantes no projecto) foi totalmente desaconselhada a construção de um plano pessoal com dieta personalizada tendo por referência apenas os indicadores: peso e altura, IMC. Os planos personalizados têm de ser desenvolvidos em função de várias circunstâncias que incluem a história actual e passada de saúde de cada pessoa, antecedentes cirúrgicos, perfil analítico, intolerâncias alimentares e inclusive a respectiva situação económica do utilizador. Paralelamente foram concebidos planos tipo para perfis incidentes em patologias (ex. Alzheimer, Parkinson )

8 Ilustração 1 Nutrição - Dicas Tipo para Perfis em Patologias b. Conselhos gerais sobre alimentação e confecção de alimentos Funcionalidade desenvolvida e concluída de acordo com a solicitação inicial. Para cada um dos campos visíveis no print screen, foram introduzidas recomendações e elaborados guias práticos, acessíveis pela visualização/download dos ficheiros disponibilizados. Ilustração 2 Conselhos Gerais sobre Alimentação e Confecção dos Alimentos b) Actividade física

9 a. Plano pessoais (possibilidade de criar calendário indexado às actividades) O objectivo associado a este módulo foi alcançado, por se verificar o normal funcionamento da opção. Não obstante o facto, e de acordo com indicação dos profissionais da área (professor de educação física e enfermeiro) foi totalmente desaconselhada a construção de um plano pessoal com plano de actividade física personalizado tendo por referência apenas os indicadores: peso e altura, IMC. Os planos personalizados têm de ser desenvolvidos em função de várias circunstâncias que incluem a história actual e passada de saúde de cada pessoa, antecedentes cirúrgicos, perfil analítico e inclusive características pessoais de mobilidade. Paralelamente foram concebidos planos tipo com proposta de exercícios genéricos de cada atividade física. Ilustração 3 Propostas de Exercícios Físicos b. Vídeo-aulas (por tema)

10 Foram autonomizados 10 tipos de exercício, alguns com variantes, perfazendo o total de 15 exercícios, desenvolvidos e produzidos pelo profissional de educação física vinculado ao projecto e por um atleta profissional. Os exercícios foram disponibilizados em vídeo e acompanhados de uma descrição detalhada de execução dos mesmos. Ilustração 4 Exemplo de vídeo-aula.

11 c) Técnicas de relaxamento a. Informação escrita Disponibilizados conteúdos relativos à temática em formato pdf, passíveis de download. b. Música (sons da natureza possibilitar download) Concretizada a alocação de músicas, conforme se verifica pelo print screen abaixo, no entanto, a audição das mesmas está impossibilitada pelas autorizações da plataforma. c. Vídeos (relaxamento guiado) Foram indicados 3 exercícios de relaxamento com as orientações e objectivos previstos para a utilização dos mesmos. Ilustração 5 Técnicas de Relaxamento

12 d) Registos pessoais de auto cuidado a. Monitorização da situação de saúde por data Funcionalidade disponível para cada utilizador proceder ao seu registo individual. Ilustração 6 Campo de Registos Pessoais b. Campo para conselhos personalizados a cada um dos utilizadores Campo disponível para preenchimento do profissional da área ao utilizador, de acordo com print screen já referenciado.

13 e) Formulário para envio de questões Campo disponível para preenchimento, na plataforma. Ilustração 7 Campo de Formulário para envio de perguntas

14 f) Jogos online (JAVA) a. Estimulação cognitiva b. Memória c. Raciocínio espacial Campo disponível através de link, uma vez que a plataforma não permite o alojamento direto de jogos. Ilustração 8 Jogos disponíveis para Plataforma

15 Plataforma de apoio a cuidadores de pessoas dependentes Beneficiários Os beneficiários da plataforma serão cuidadores de pessoas idosas definidos como as pessoas que cuidam de idosos com dependência, desenvolvendo acções que promovam a melhoria de sua qualidade de vida. O desempenho de qualquer actividade profissional, prevê um conjunto de características necessárias ao desempenho da mesma. Quando falamos do profissional que cuida de idosos, surge uma lista exigente, dadas as particularidades do contexto desta atividade. Assim o cuidador, idealmente, deverá reunir: 1. Conhecimentos e capacidade de execução técnica: Conhecimentos teóricos e práticos adquiridos por orientação de profissionais. Esses conhecimentos dão ao cuidador a preparação necessária para que ele possa prestar cuidado ao idoso; 2. Qualidades éticas e morais: ser digno de confiança, capaz de assumir responsabilidades e ter iniciativa. O cuidador deve procurar adaptar-se aos hábitos e intimidade do idoso, respeitar a organização e intimidade da família (evitar interferências e respeitar opções religiosas e políticas do idoso/ família); 3. Qualidades emocionais: bom equilíbrio emocional, facilidade de relacionamento humano, capacidade de compreensão, adaptação e tolerância; 4. Qualidades físicas: as tarefas inerentes a este papel são fisicamente desgastante, pelo que o seu desempenho requer uma boa condição saúde física, incluindo força e energia, necessárias, sobretudo nos cuidados aos idosos mais dependentes; 5. Iniciativa: capacidade de iniciar uma ação, identificar e necessidade, selecionar a intervenção e implementá-la; 6. Responsabilidade: Assegurar a qualidade dos cuidados 7. Autonomia: Capacidade para decidir qual a intervenção mais adequada e implementá-la e avaliá-la;

16 8. Motivação: gostar dos idosos, respeitá-los e valorizá-los enquanto pessoas, considerando o cuidado como um compromisso pessoal. Objectivos No que à Plataforma de apoio a cuidadores de pessoas dependentes concerne, estavam associadas 5 grandes actividades de produção e gestão de conteúdos: a) Formação e-learning a. Módulo 1 prestação de cuidados gerais à pessoa idosa b. Módulo 2 prestação de cuidados a pessoa idosa acamada e dependente c. Módulo 3 - Primeiros socorros d. Módulo 4 - Técnicas de massagem e. Módulo 5 - Actividades da vida diária b) Técnicas de relaxamento a. Informação escrita b. Música (sons da natureza possibilitar download) c. Vídeos (relaxamento guiado) c) Apoio Psicológico a. Disponibilizar web-chat com horário definido de 3 horas dia d) Informação Geral sobre cuidados a pessoas dependentes a. Saúde b. Higiene c. Alimentação e) Profissionalização de Cuidadores familiares a. Legislação Portugal b. Legislação Espanha c. Requisitos Portugal d. Requisitos Espanha Resultados Esperados

17 O objetivo principal associado a estes resultados estava diretamente associado à inscrição de cuidadores ligados às entidades de ação social ligadas ao projecto assim como cuidadores informados através da divulgação do mesmo. O objetivo foi parcialmente alcançado: Resultaram 63 inscrições na Plataforma de Cuidadores a Pessoas Dependentes. Processo de Gestão de Conteúdos Constrangimentos na gestão de conteúdos a) Formação e-learning a. Módulo 1 prestação de cuidados gerais à pessoa idosa b. Módulo 2 prestação de cuidados a pessoa idosa acamada e dependente c. Módulo 3 - Primeiros socorros d. Módulo 4 - Técnicas de massagem e. Módulo 5 - Actividades da vida diária Todos os conteúdos da formação elearning foram carregados, de acordo com print screen anexo. Observações: o acesso à plataforma elearning só é permitido ao utilizador ADMP, de acordo com acesso permitido pelo gestor da plataforma (Xunta da Galicia).

18 Ilustração 9 Plataforma E-leaning b) Técnicas de relaxamento a. Informação escrita Disponibilizados conteúdos relativos à temática em formato pdf, passíveis de download. b. Música (sons da natureza possibilitar download) Concretizada a alocação de músicas, conforme se verifica pelo print screen abaixo, no entanto, a audição das mesmas está impossibilitada pelas autorizações da plataforma. c. Vídeos (relaxamento guiado) Foram indicados 3 exercícios de relaxamento com as orientações e objectivos previstos para a utilização dos mesmos.

19 Ilustração 10 Técnicas de Relaxamento d) Apoio psicológico a. Disponibilizar web chat com horário definido de 3h/dia Funcionalidade não disponível, de acordo com informação veiculada pelo Gestor de Projecto da Segurança Social. e) Informação geral sobre cuidados a pessoas dependentes a. Saúde b. Higiene c. Alimentação Funcionalidade desenvolvida e concluída de acordo com a solicitação inicial.

20 Para cada um dos campos visíveis no print screen, foram introduzidas recomendações e elaborados guias práticos, visualização/download dos ficheiros disponibilizados. Ilustração 11 Informação Geral sobre Cuidados a Pessoas Dependentes acessíveis pela

21 f) Profissionalização de cuidadores familiares a. Legislação Portugal b. Legislação Espanha c. Requisitos Portugal d. Requisitos Espanha Funcionalidade desenvolvida e concluída de acordo com a solicitação inicial. Ilustração 12 Guias informativos e legislação aplicável à Profissionalização de Cuidadores Familiares.

22 Formação Caraterização Amostral No âmbito da formação em TIC, foram elaborados contactos e desenvolvidas sessões de formação junto de 3 entidades, de acordo com detalhe abaixo: As acções da ARPVC (Associação de Reformados e Pensionistas de Viana do Castelo) iniciaram no dia a. Formação Informática/Tecnologias de Informação (3h) (3h) (3h) (3h) (3h) (3h) b. Formação Informática/Módulo Educação Física/Relaxamento (3h) (3h) c. Formação Informática/Módulo Enfermagem (3h) (3h) d. Formação Informática/Técnicas de relaxamento: Yoga do riso (6h)

23 Caracterização amostra em detalhe: inscreveram-se 22 formandos na Formação Informática/Tecnologias de Informação; não foram enfrentados constrangimentos nestas sessões; o grupo está altamente motivado, participativo, atento e cooperante; este grupo é constituído por formandos física e intelectualmente capazes de acompanhar as sessões; cerca de 40% não tem computador pessoal e mais de 50% dos formandos não tem acesso à internet nas suas casas; 85% dos formandos não tinha ; nas sessões de informática/tecnologias da informação (6 sessões) foram transmitidos conhecimentos básicos de informática na óptica do utilizador (ver detalhe das sessões e conteúdos no CD anexo). As acções do Centro Social e Paroquial de Campos iniciaram no dia (junto remetemos fichas de inscrição e folhas de presença): a. Formação Informática/Tecnologias de Informação (3h) (3h) (3h) (3h) (3h) b. Formação Informática/Módulo Educação Física/Relaxamento (3h) (3h) c. Formação Informática/Módulo Enfermagem (3h) (3h)

24 Caracterização amostra em detalhe: Inscreveram-se 23 formandos nas sessões de formação; Grupo com motivação suficiente para que as sessões decorressem com bons resultados; as limitações físicas, como a visão e audição, de alguns dos presentes, dificultam a apreensão dos conteúdos; Cerca de 60% não tem computador pessoal e mais de 70% dos formandos não tem acesso à internet nas suas casas; 95% dos formandos não tinha ; Nas sessões de informática/tecnologias da informação (5 sessões) foram transmitidos conhecimentos básicos de informática na óptica do utilizador (ver detalhe das sessões e conteúdos no CD anexo). As acções do Lar de Guilhadeses iniciaram no dia (junto remetemos fichas de inscrição e folhas de presença): a. Formação Informática/Tecnologias de Informação (3h) (3h) b. Formação Informática/Módulo Enfermagem (3h) (3h) c. Formação Informática/Módulo Educação Física/Relaxamento (3h) (3h) d. Formação Informática/Técnicas de relaxamento: Yoga do riso (6h)

25 Caracterização amostra em detalhe: Inscreveram-se 21 formandos; Grupo com limitações importantes, maior parte com algum grau de dependência desmotivados para alterar hábitos, nenhum dos presentes cozinhava para si e por isso delegavam as responsabilidades em quem os cuida; grande parte do grupo nunca foi à escola, pelo que não sabe ler ou escrever, e não demonstram interesse neste tipo de contacto; alguns indivíduos também apresentam limitações cognitivas/ processos demenciais; Pontos a favor: óptima receptividade da monitora, que se mostrou muito motivada em fazê-los participar (sem grande sucesso); óptima cooperação da instituição; Grupo que pela diminuta autonomia física dificilmente terá condições/capacidade para utilizar um computador e ainda mais difícil um acesso à internet e à plataforma. Nas sessões de informática/tecnologias da informação (2 sessões) foram transmitidos conhecimentos básicos de informática na óptica do utilizador (ver detalhe das sessões e conteúdos no CD anexo).

26 Módulos e conteúdos Ver conteúdos CD anexo. Instrumentos e ferramentas Ver conteúdos CD anexo. Objetivos Ver conteúdos CD anexo.

27 Conclusões A dimensão do Projecto a que a Prova de Êxito se propôs foi totalmente alcançado no que às componentes da formação e produção de conteúdos diz respeito. A inolvidável qualidade da equipa de projecto permitiu que fossem desenvolvidas sessões de formação avaliadas com a classificação excelente, produzindo um contacto permanente entre as instituições onde o projecto foi desenvolvido e a procura de novas soluções de formação, facto que valida a qualidade das actividades desenvolvidas. A dimensão e qualidade do projecto no que à componente gestão de conteúdos diz respeito, directamente relacionada com a plataforma facultada para o projecto, foi parcialmente ocultada pela quase inexistente usabilidade da mesma. Usabilidade é o termo usado para descrever a qualidade da interação do usuário com uma determinada interface (Bevan, 1995). Esta qualidade está associada, segundo Nielsen (1993), aos seguintes princípios: facilidade de aprendizagem; facilidade de lembrar como realizar uma tarefa após algum tempo; rapidez no desenvolvimento de tarefas; baixa taxa de erros; satisfação subjetiva do utilizador. Considera-se que a interface tem um problema de usabilidade se um determinado utilizador ou um grupo de utilizadores encontra dificuldades para realizar uma tarefa com a interface. Tais dificuldades podem ter origens variadas e ocasionar perda de dados, diminuição da produtividade e mesmo a total rejeição do software por parte dos utilizadores. Uma grande parte dos problemas relacionados à interfaces Web diz respeito a navegação, ou seja, os usuários têm dificuldade para encontrar a informação desejada no site ou não sabem como retornar a uma página anteriormente visitada. Outros problemas são ocasionados pelo acesso à mesma. A Figura 1 apresenta um exemplo negativo (contra-exemplo) de interface que pode representar a primeira barreira à navegação no site.

28 Ilustração 13 - Alerta de navegação na interface A Figura 2 apresenta um problema de usabilidade resultado de um funcionamento inadequado de um componente da interface facultada para o projecto. No exemplo mostrado, o usuário deve prencher o campo de formulário e receber um de confirmação da inscrição. De acordo com figura anexa, tal recepção de não é possível. Ilustração 14 - Erro de inscrição

29 Outro exemplo de origem de problemas verificado neste projecto foi a incompatibilidade entre browsers que não suportam da mesma maneira as diferentes tecnologias para construção de interfaces Web; assim, um usuário pode visualizar sem problemas uma interface com o browser Internet Explorer enquanto a mesma interface pode apresentar uma série de problemas sobre o browser Netscape, e viceversa. De uma maneira geral, espera-se contentar e eliminar os problemas de usabilidades graves, frequentes durante a utilização da aplicação e que ocorrem com a maior parte do seu público-alvo. Sendo assim, um dos aspectos mais importantes para determinação do que é um problema de usabilidade é conhecer bem os usuários da aplicação. Este exemplo, verificou-se no acesso à plataforma pelos diferentes usuários que frequentaram as sessões de formação TIC. Desde a invenção da Web, a tecnologia para construção de interfaces Web vem sendo progressivamente incrementada permitindo o desenvolvimento de aplicações cada vez mais complexas que utilizam a Web não apenas para troca de informações, mas como plataforma para aplicações distribuídas tais como comércio eletrônico e intranets. Durante este processo evolutivo, o número de usuários e de sites Web cresceram exponencialmente. A Web tornou-se acessível a todas as pessoas, e conta com uma grande variedade de aplicações. Contudo, observa-se que tal popularidade não implica necessariamente em satisfação dos usuários. Muitos sites Web são visitados uma única vez não porque o conteúdo do site não seja interessante mas sim porque eles foram incapazes de encontrar a informação desejada, um dos problemas de usabilidade típicos mais relatados por usuários. Em síntese, não se pretendendo na conclusão uma abordagem exaustiva às limitações da plataforma (já detalhadas nos pontos de cada uma das unidades desenvolvidas), concluímos que a divulgação do projecto e acessibilidade ao mesmo foi determinada pela reduzida usabilidade e acessibilidade da plataforma facultada para o efeito. No que às componentes formação e produção de conteúdos (escrito e visual) concerne, os objectivos foram totalmente alcançados com sucesso, pela equipa de projecto.

30 Bibliografia BEVAN, N. (1995) Usability is quality of use. In: Anzai & Ogawa (eds) Proc. 6 th International Conference on Human Computer Interaction, July. Elsevier. BEVAN, N. (1998) Usability Issues in web site design. In: Proceedings of UPA'98, Washigton DC, Also available at:

31 Apêndices/Anexos (ex: cronograma, esquema conteúdos plataformas, etc) Anexo 1: Documentos de suporte à formação Alimentação Higiene Saúde Educação Física Primeiros Socorros Técnicas de massagem Técnicas de relaxamento Informática Informação Geral Anexo 2: Dossier Técnico Pedagógico ARPVC 1. Inscrições 2. Formação Informática 3. Formação Educação Física 4. Formação Enfermagem 5. Formação Yoga do riso CSCampos 1. Inscrições 2. Formação Informática 3. Formação Educação Física 4. Formação Enfermagem Lar de Guilhadeses 1. Inscrições 2. Formação Informática 3. Formação Educação Física

32 4. Formação Enfermagem 5. Formação Yoga do riso Anexo 3: Galeria de fotos ARPVC CSCampos Lar de Guilhadeses Anexo 4: Vídeos de Educação Física ARPVC CSCampos Lar de Guilhadeses Anexo 5: Comunicações trocadas no âmbito do projecto Anexo 6: Equipa de projecto

World Wide Web e Aplicações

World Wide Web e Aplicações World Wide Web e Aplicações Módulo H O que é a WWW Permite a criação, manipulação e recuperação de informações Padrão de fato para navegação, publicação de informações e execução de transações na Internet

Leia mais

ServidorEscola Plataforma Web de apoio Administrativo

ServidorEscola Plataforma Web de apoio Administrativo ServidorEscola Plataforma Web de apoio Administrativo Introdução Co-habitamos uma sociedade de informação universal, aliados ao paradigma da evolução tecnológica que se verifica e se revela como um meio

Leia mais

PÁGINAS WEB. António Ginja Carmo

PÁGINAS WEB. António Ginja Carmo PÁGINAS WEB António Ginja Carmo Índice 1 - Titulo 2 2 Enquadramento 2 3 - Descrição 3 4 - Objectivos 3 5 Público-Alvo 3 6 - Conteúdos 4 7 - Calendário das Actividades 5 8 - Estratégias Pedagógicas 8 9

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS 1. APRESENTAÇÃO PRINCÍPIOS E VALORES Acreditamos pela força dos factos que o desenvolvimento desportivo de um Concelho ou de uma Freguesia, entendido na sua vertente quantitativa e qualitativa, exige uma

Leia mais

Guia de Acesso à Formação Online Formando

Guia de Acesso à Formação Online Formando Guia de Acesso à Formação Online Formando Copyright 2008 CTOC / NOVABASE ÍNDICE ÍNDICE...2 1. Introdução...3 2. Metodologia Formativa...4 3. Actividades...5 4. Apoio e Acompanhamento do Curso...6 5. Avaliação...7

Leia mais

Guia de Acesso à Formação Online Formando 2011

Guia de Acesso à Formação Online Formando 2011 Plano [1] Guia de Acesso à Formação Online 2011 [2] ÍNDICE ÍNDICE...2 1. Introdução...3 2. Metodologia Formativa...4 3. Actividades...4 4. Apoio e Acompanhamento do Curso...5 5. Avaliação...6 6. Apresentação

Leia mais

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE Objectivos gerais do módulo No final do módulo, deverá estar apto a: Definir o conceito de Help Desk; Identificar os diferentes tipos de Help Desk; Diagnosticar

Leia mais

Manual de utilização do Moodle

Manual de utilização do Moodle Manual de utilização do Moodle Docentes Universidade Atlântica 1 Introdução O conceito do Moodle (Modular Object Oriented Dynamic Learning Environment) foi criado em 2001 por Martin Dougiamas, o conceito

Leia mais

Vantagem Garantida PHC

Vantagem Garantida PHC Vantagem Garantida PHC O Vantagem Garantida PHC é um aliado para tirar maior partido das aplicações PHC A solução que permite à empresa rentabilizar o seu investimento, obtendo software actualizado, formação

Leia mais

GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP. AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça

GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP. AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP Entidade interlocutora: Identificação do Projecto AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça Nº do projecto: 2001/EQUAL/A2/AD/139 Designação do projecto: Área

Leia mais

3 ao Quadrado - Agenda Web

3 ao Quadrado - Agenda Web 3 ao Quadrado - Agenda Web Relatório de Gestão de Projectos de Software - Grupo A - LEIC 2001/2002 http://gnomo.fe.up.pt/gps01a João Montenegro - ei97023@fe.up.pt André Teixeira - ei97024@fe.up.pt Carlos

Leia mais

PUBLICIDADE DIGITAL E NEW MEDIA 2009-2010 / 6º SEMESTRE

PUBLICIDADE DIGITAL E NEW MEDIA 2009-2010 / 6º SEMESTRE PUBLICIDADE DIGITAL E NEW MEDIA 2009-2010 / 6º SEMESTRE PRÓXIMA AULA: APRESENTAÇÃO DE PLANO DE COMUNICAÇÃO E O FILME DO YOUTUBE? AULA 12 A. EMAIL MARKETING - Objectivos e problemas - Ideias - Vantagens

Leia mais

Direcção-Geral da Solidariedade e Segurança Social

Direcção-Geral da Solidariedade e Segurança Social Direcção-Geral da Solidariedade e Segurança Social Janeiro/2004 INTRODUÇÃO A experiência da acção social no âmbito da intervenção e acompanhamento das famílias em situação de grande vulnerabilidade social,

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE EDUCAÇÃO MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM INFORMÁTICA EDUCACIONAL Internet e Educação Ensaio: A Web 2.0 como ferramenta pedagógica

Leia mais

CARDS - Jogo Educativo na Internet para Ensino a Distância

CARDS - Jogo Educativo na Internet para Ensino a Distância CARDS - Jogo Educativo na Internet para Ensino a Distância 1 Introdução Bruno Astuto Arouche Nunes Sergio Barbosa Villas-Boas 1 Henrique Falleiros Tendo em vista que o processo de ensino, nos dias de hoje,

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online SAÚDE COLETIVA COM ENFOQUE NO GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS Regulamentação de Pós-Graduação Lato-Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para

Leia mais

Manual de Administração Intranet BNI

Manual de Administração Intranet BNI Manual de Administração Intranet BNI Fevereiro - 2010 Índice 1. Apresentação... 3 2. Conceitos... 5 3. Funcionamento base da intranet... 7 3.1. Autenticação...8 3.2. Entrada na intranet...8 3.3. O ecrã

Leia mais

Introdução. Confiabilidade. Conformidade. Segurança. Optimização e Disponibilidade

Introdução. Confiabilidade. Conformidade. Segurança. Optimização e Disponibilidade Introdução Desenvolvido segundo um modelo de bases de dados relacionais, podem ser realizadas personalizações à medida de cada empresa, em conformidade com o Sistema de Informação existente e diversas

Leia mais

CAPÍTULO 2. Este capítulo tratará :

CAPÍTULO 2. Este capítulo tratará : 1ª PARTE CAPÍTULO 2 Este capítulo tratará : 1. O que é necessário para se criar páginas para a Web. 2. A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web 3. Navegadores 4. O que é site, Host,

Leia mais

Secretaria-Geral do MAOT

Secretaria-Geral do MAOT Secretaria-Geral do MAOT Paula Vieira 8 Outubro 2010 SIAP 2010 1 IMPLEMENTAÇÃO DE UMA INTRANET SIAP 2010 2 AGENDA Objectivos do projecto Arranque do projecto Implementação do projecto Resultados: - Conteúdos

Leia mais

Instalar o MarkVision

Instalar o MarkVision Instalando o 1 contas O apresenta diversos componentes instaláveis: Aplicativo - Instala o Utilitário Printer Management. Este aplicativo requer que o Servidor do esteja disponível na rede. Servidor do

Leia mais

Versão 1.0. [08.02.2012] 2012, Portugal - Efacec Sistemas de Gestão S.A. Todos os direitos reservados. 1

Versão 1.0. [08.02.2012] 2012, Portugal - Efacec Sistemas de Gestão S.A. Todos os direitos reservados. 1 Copyright 2012 Efacec Todos os direitos reservados. Não é permitida qualquer cópia, reprodução, transmissão ou utilização deste documento sem a prévia autorização escrita da Efacec Sistemas de Gestão S.A.

Leia mais

Índice. Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4. Primeiros passos com o e-best Learning 6. Actividades e Recursos 11

Índice. Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4. Primeiros passos com o e-best Learning 6. Actividades e Recursos 11 Índice Parte 1 - Introdução 2 Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4 Parte 2 Desenvolvimento 5 Primeiros passos com o e-best Learning 6 Como aceder à plataforma e-best Learning?... 6 Depois

Leia mais

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação Thiago Miranda Email: mirandathiago@gmail.com Site: www.thiagomiranda.net Objetivos da Disciplina Conhecer os limites de atuação profissional em Web

Leia mais

Tecnologias da Informação e Comunicação. Principais tipos de serviços da Internet

Tecnologias da Informação e Comunicação. Principais tipos de serviços da Internet Tecnologias da Informação e Comunicação Principais tipos de serviços da Internet Introdução à Internet Serviços básicos Word Wide Web (WWW) Correio electrónico (e-mail) Transferência de ficheiros (FTP)

Leia mais

GUIA DO FORMANDO. Ética e Deontologia Profissional do Psicólogo

GUIA DO FORMANDO. Ética e Deontologia Profissional do Psicólogo GUIA DO FORMANDO Índice Enquadramento... pág. 3 Descrição do Curso... Destinatários... Objetivos de aprendizagem... Estrutura e Duração do Curso... Autor... Metodologia Pedagógica... Avaliação e Certificação...

Leia mais

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA Service Desk Sumário Apresentação O que é o Service Desk? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online GESTÃO DE PROJETOS EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação na

Leia mais

geas www.sensocomum.pt

geas www.sensocomum.pt geas Como uma aplicação online pode facilitar a gestão da minha associação + fácil fichas de sócio online + rápido consulta de cotas + controlo histórico de alteração dados Com uma ferramenta disponível

Leia mais

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho vi http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Administração de Redes de Computadores Resumo de Serviços em Rede Linux Controlador de Domínio Servidor DNS

Leia mais

PHC dintranet. A gestão eficiente dos colaboradores da empresa

PHC dintranet. A gestão eficiente dos colaboradores da empresa PHC dintranet A gestão eficiente dos colaboradores da empresa A solução ideal para a empresa do futuro, que necessita de comunicar de modo eficaz com os seus colaboradores, por forma a aumentar a sua produtividade.

Leia mais

Comissão Interministerial para a Sociedade da Informação

Comissão Interministerial para a Sociedade da Informação Comissão Interministerial para a Sociedade da Informação ANEXO AO CADERNO DE ENCARGOS MÉTODO DE AVALIAÇÃO DOS WEB SITES DA ADMINISTRAÇÃO DIRECTA E INDIRECTA DO ESTADO Documento disponível em www.si.mct.pt

Leia mais

Manual do Utilizador Aluno

Manual do Utilizador Aluno Manual do Utilizador Aluno Escola Virtual Morada: Rua da Restauração, 365 4099-023 Porto PORTUGAL Serviço de Apoio ao Cliente: Telefone: (+351) 707 50 52 02 Fax: (+351) 22 608 83 65 Serviço Comercial:

Leia mais

Acção de Formação Contabilidade de Gestão - Primavera v8

Acção de Formação Contabilidade de Gestão - Primavera v8 Acção de Formação Contabilidade de Gestão - Primavera v8 MoreData, Sistemas de Informação Campo Grande 28, 10º E 1700-093 Lisboa 213520171 info@moredata.pt Índice de Conteúdos Introdução...3 Sobre o Curso...4

Leia mais

Regulamento do Núcleo de Formação

Regulamento do Núcleo de Formação Regulamento do Núcleo de Formação 2013 1.Nota Introdutória Qualquer processo de formação com qualidade exige medidas e instrumentos de normalização e controlo, que permitam garantir desempenhos de excelência

Leia mais

Universidade Nova de Lisboa ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA

Universidade Nova de Lisboa ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA REGULAMENTO O Regulamento do Curso de Especialização em Medicina do Trabalho (CEMT) visa enquadrar, do ponto de vista normativo, o desenvolvimento das actividades inerentes ao funcionamento do curso, tendo

Leia mais

CONCEITOS INICIAIS. Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web;

CONCEITOS INICIAIS. Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web; CONCEITOS INICIAIS Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web; O que é necessário para se criar páginas para a Web; Navegadores; O que é site, Host, Provedor e Servidor Web; Protocolos.

Leia mais

PHC dteamcontrol Interno

PHC dteamcontrol Interno PHC dteamcontrol Interno A gestão remota de projectos em aberto A solução via Internet que permite acompanhar os projectos em aberto em que o utilizador se encontra envolvido, gerir eficazmente o seu tempo

Leia mais

Objectivos Gerais da Aplicação 5 Requisitos Mínimos e Recomendados 5 Processo de Instalação 6

Objectivos Gerais da Aplicação 5 Requisitos Mínimos e Recomendados 5 Processo de Instalação 6 MANUAL DO UTILIZADOR A informação contida neste manual, pode ser alterada sem qualquer aviso prévio. A Estratega Software, apesar dos esforços constantes de actualização deste manual e do produto de software,

Leia mais

Fone: (19) 3234-4864 E-mail: editora@komedi.com.br Site: www.komedi.com.br HTM3.0. Tutorial HTML. versão 4.01

Fone: (19) 3234-4864 E-mail: editora@komedi.com.br Site: www.komedi.com.br HTM3.0. Tutorial HTML. versão 4.01 Fone: (19) 3234-4864 E-mail: editora@komedi.com.br Site: www.komedi.com.br HTM3.0 Tutorial HTML versão 4.01 K O M Σ D I Copyright by Editora Komedi, 2007 Dados para Catalogação Rimoli, Monica Alvarez Chaves,

Leia mais

A sala virtual de aprendizagem

A sala virtual de aprendizagem A sala virtual de aprendizagem Os módulos dos cursos a distância da Faculdade Integrada da Grande Fortaleza decorrem em sala virtual de aprendizagem que utiliza o ambiente de suporte para ensino-aprendizagem

Leia mais

A solução ideal para a empresa do futuro, que necessita de comunicar de modo eficaz com os seus colaboradores.

A solução ideal para a empresa do futuro, que necessita de comunicar de modo eficaz com os seus colaboradores. Descritivo completo dintranet 3 A solução ideal para a empresa do futuro, que necessita de comunicar de modo eficaz com os seus colaboradores. Benefícios Aumento da produtividade dos colaboradores da empresa;

Leia mais

Acessibilidade Web - Ponto da Situação das Maiores Empresas Portuguesas

Acessibilidade Web - Ponto da Situação das Maiores Empresas Portuguesas Apresentação do Estudo Acessibilidade Web Ponto da Situação das maiores empresas Portuguesas 17 de Setembro de 2009 Átrio da Casa do Futuro da Fundação Portuguesa das Comunicações Acessibilidade Web -

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online ENFERMAGEM DO TRABALHO Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação

Leia mais

Manual de Utilizador. Disciplina de Projecto de Sistemas Industriais. Escola Superior de Tecnologia. Instituto Politécnico de Castelo Branco

Manual de Utilizador. Disciplina de Projecto de Sistemas Industriais. Escola Superior de Tecnologia. Instituto Politécnico de Castelo Branco Escola Superior de Tecnologia Instituto Politécnico de Castelo Branco Departamento de Informática Curso de Engenharia Informática Disciplina de Projecto de Sistemas Industriais Ano Lectivo de 2005/2006

Leia mais

CAPÍTULO 4. AG8 Informática

CAPÍTULO 4. AG8 Informática 2ª PARTE CAPÍTULO 4 Este capítulo têm como objetivo: 1. Tratar das etapas do projeto de um Website 2. Quais os profissionais envolvidos 3. Administração do site 4. Dicas para não cometer erros graves na

Leia mais

Sessão de Esclarecimento. Curso de Webdesign

Sessão de Esclarecimento. Curso de Webdesign Sessão de Esclarecimento Curso de Webdesign Alguns factos: A industria de serviços de Webdesign representa um mercado de $24B apenas nos EUA. Todos os meses são publicados cerca de 16M novos websites.

Leia mais

LISTA ICONOGRÁFICA - (Lista de ícones do Ambiente Virtual)

LISTA ICONOGRÁFICA - (Lista de ícones do Ambiente Virtual) 1 SUMÁRIO Funcionamento dos Cursos... 04 Geração de Login e Senha... 05 Guia de Percurso... 07 Manual Acadêmico... 09 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 11 Edição do Perfil... 13 Ambiente Colaborar e

Leia mais

A gestão comercial e financeira através da Internet

A gestão comercial e financeira através da Internet PHC dgestão A gestão comercial e financeira através da Internet A solução de mobilidade que permite introduzir e consultar clientes, fornecedores, artigos, documentos de facturação, encomendas, compras,

Leia mais

Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor. Folha de Factos

Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor. Folha de Factos Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor Folha de Factos A informação contida neste documento representa a visão actual da Microsoft Corporation sobre os assuntos discutidos,

Leia mais

Unidade 4 Concepção de WEBSITES. Fundamentos do planeamento de um website 1.1. Regras para um website eficaz 1.1.1.

Unidade 4 Concepção de WEBSITES. Fundamentos do planeamento de um website 1.1. Regras para um website eficaz 1.1.1. Unidade 4 Concepção de WEBSITES Fundamentos do planeamento de um website 1.1. Regras para um website eficaz 1.1.1. Sobre o conteúdo 1 Regras para um website eficaz sobre o conteúdo Um website é composto

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online ENFERMAGEM GINECOLÓGICA Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br MANUAL DO ALUNO Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA http://www.fgf.edu.br Sala Virtual TelEduc O TelEduc é um ambiente virtual desenvolvido Unicamp para apoiar professores

Leia mais

Manual de Utilizador Utentes 2015-01.V01 DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Manual de Utilizador Utentes 2015-01.V01 DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DIREÇÃO DE SERVIÇOS DE QUALIFICAÇÃO Centro Nacional de Qualificação de Formadores Manual de Utilizador Utentes 2015-01.V01 Índice Índice... 2 1. Introdução... 4 1.1.

Leia mais

Projeto AAL4ALL. Padrão de Cuidados Primários para Serviços AAL. Projeto âncora do AAL4ALL AAL4ALL

Projeto AAL4ALL. Padrão de Cuidados Primários para Serviços AAL. Projeto âncora do AAL4ALL AAL4ALL Projeto AAL4ALL Padrão de Cuidados Primários para Serviços AAL 2 Sumário Mudança demográfica em Portugal Ambient Assisted Living (AAL) Porque é necessário? Quais as áreas de aplicação? Quais são os desafios?

Leia mais

Instruções para o participante no Curso de e-learning. Esquizofrenia Questões Aprofundadas

Instruções para o participante no Curso de e-learning. Esquizofrenia Questões Aprofundadas Instruções para o participante no Curso de e-learning CONTEÚDO Pág. 1 Introdução 3 2 - Aceder ao site 2.1 Entrar em www.saude-mental.net 3 2.2 Aceder ao e-learning Saúde Mental 4 2.3 Introdução do seu

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação

Leia mais

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Criada em Setembro de 2005 em Sacavém, a Explicolândia Centros de Estudo tem sido ao longo dos anos, uma

Leia mais

Câmaras Municipais 2004

Câmaras Municipais 2004 Câmaras Municipais 2004 Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação (Resultados Provisórios) Dezembro de 2004 BREVE NOTA METODOLÓGICA Universo de referência: Câmaras Municipais

Leia mais

Guia de Ambientação Março/2011

Guia de Ambientação Março/2011 Guia de Ambientação Março/2011 APRESENTAÇÃO Caro cursista, Bem vindo ao Guia de Ambientação. Este documento é dirigido a você, participante. Com ele, você conhecerá como está estruturada a interface de

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online ENSINO DE QUÍMICA Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação na

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro

Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro Precisamos reinventar a forma de ensinar e aprender, presencial e virtualmente, diante de tantas mudanças na sociedade e no mundo do trabalho. Os modelos tradicionais

Leia mais

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET WEBSITE MUNDO MULHER GABRIELA DE SOUZA DA SILVA LUANA MAIARA DE PAULA SILVA

Leia mais

MANUAL DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - ALUNO

MANUAL DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - ALUNO MANUAL DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - ALUNO 0800 703 3180 SUMÁRIO Apresentação Ambiente Virtual de Aprendizagem 1. Primeiro Acesso 1.1 Navegar em cursos 1.2 Enquete 1.3 Dados Cadastrais 2. Cursos

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO O presente Regulamento pretende enquadrar as principais regras e linhas de orientação pelas quais se rege a atividade formativa da LEXSEGUR, de forma a garantir

Leia mais

A INTERNET COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO ENSINO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL

A INTERNET COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO ENSINO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL A INTERNET COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO ENSINO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL Manoel Theodoro Fagundes Cunha Sergio Scheer Universidade Federal do Paraná, Setor de Tecnologia, Centro de Estudos de Engenharia

Leia mais

PLANO TIC ano lectivo 2006/2007

PLANO TIC ano lectivo 2006/2007 PLANO TIC ano lectivo 2006/2007 O Coordenador TIC João Teiga Peixe Índice Índice...2 1. Introdução... 3 2. Objectivos... 3 3. Sectores Afectos... 4 1. Salas de Aulas... 4 2. Administrativo... 4 3. Outras

Leia mais

Concurso de Design Mascote Eficiência Energética

Concurso de Design Mascote Eficiência Energética Concurso de Design Mascote Eficiência Energética Regulamento 1. Introdução O presente concurso destina-se à criação da Mascote da Eficiência Energética, que estará associada à COGEN Portugal, e que será

Leia mais

PHC dteamcontrol Interno

PHC dteamcontrol Interno O módulo PHC dteamcontrol Interno permite acompanhar a gestão de todos os projectos abertos em que um utilizador se encontra envolvido. PHC dteamcontrol Interno A solução via Internet que permite acompanhar

Leia mais

CONCEITO: Moodle Moodle Moodle Moodle

CONCEITO: Moodle Moodle Moodle Moodle NE@D - Moodle CONCEITO: O Moodle é uma plataforma de aprendizagem a distância baseada em software livre. É um acrônimo de Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment (ambiente modular de aprendizagem

Leia mais

Guia de Websites para a Administração Pública

Guia de Websites para a Administração Pública Guia de Websites para a Administração Pública Portugal precisa de um desafio de exigência e de conhecimento que nos eleve aos níveis de competência e de produtividade dos países mais desenvolvidos, de

Leia mais

TAW Tópicos de Ambiente Web

TAW Tópicos de Ambiente Web TAW Tópicos de Ambiente Web Teste rveras@unip.br Aula 11 Agenda Usabilidade Compatibilidade Validação Resolução de tela Velocidade de carregação Acessibilidade Testes Nesta etapa do projeto do web site

Leia mais

20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor

20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor 20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor Manual do Utilizador Professor... 1 1. Conhecer o 20 Escola Digital... 4 2. Autenticação... 6 2.1. Criar um registo na LeYa Educação... 6 2.2. Aceder ao

Leia mais

MANUAL DO CURSO Normas Internacionais de Auditoria

MANUAL DO CURSO Normas Internacionais de Auditoria MANUAL DO CURSO ÍNDICE ENQUADRAMENTO DESCRIÇÃO DESTINATÁRIOS OBJETIVOS ESTRUTURA E DURAÇÃO AUTORES FUNCIONAMENTO E METODOLOGIA DO CURSO AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO PORTAL E CONTEÚDOS MULTIMÉDIA PORTAL ORDEM

Leia mais

Sumário GUIA DO ALUNO. Primeiro Acesso... 3. Roteiro de Estudos Modalidade SEPI... 4. Roteiro de Estudos Modalidade SEI... 6

Sumário GUIA DO ALUNO. Primeiro Acesso... 3. Roteiro de Estudos Modalidade SEPI... 4. Roteiro de Estudos Modalidade SEI... 6 Sumário Primeiro Acesso... 3 Roteiro de Estudos Modalidade SEPI... 4 Roteiro de Estudos Modalidade SEI... 6 Acesso ao Ambiente Acadêmico Blackboard... 8 1 - Ferramentas... 9 1.1 - Calendário... 11 1.2

Leia mais

Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais

Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais Curso de Formação 2011 Índice PROPOSTA FORMATIVA... 3 Introdução... 3 Objectivo geral... 3 Estrutura... 3 Metodologias... 3

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2012

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2012 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2012 06 de novembro de 2012 60% das pessoas dos 16 aos 74 anos utilizam Internet

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso CEF Tipo 2

PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso CEF Tipo 2 PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso CEF Tipo 2 Domínios de referência Competências Conteúdos Calendarização Conceitos Essenciais e

Leia mais

Planificações 2012/2013. Tecnologias da Informação e Comunicação. 2ºAno. Escola Básica Integrada de Pedome. C E F Apoio à Família e à Comunidade

Planificações 2012/2013. Tecnologias da Informação e Comunicação. 2ºAno. Escola Básica Integrada de Pedome. C E F Apoio à Família e à Comunidade Planificações 2012/2013 Tecnologias da Informação e Comunicação C E F Apoio à Família e à Comunidade 2ºAno Escola Básica Integrada de Pedome Grupo Disciplinar de Informática Planificação a Longo Prazo

Leia mais

ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS RESPOSTAS SOCIAIS

ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS RESPOSTAS SOCIAIS 1. bjectivo presente documento tem como objectivo definir o esquema de acreditação para a Certificação do Serviço proporcionado pelas várias Respostas Sociais, tendo em conta os Modelos de Avaliação da

Leia mais

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS 1 SUMÁRIO Funcionamento dos Cursos... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 07 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 09 Edição do Perfil... 12 Acessando as Atividades... 14 Iniciando o Semestre...

Leia mais

A plataforma. Sistemas de Gestão de Aprendizagem. Carlos Nunes csmnunes@gmail.com

A plataforma. Sistemas de Gestão de Aprendizagem. Carlos Nunes csmnunes@gmail.com A plataforma Sistemas de Gestão de Aprendizagem Carlos Nunes csmnunes@gmail.com O que é o Moodle? É um Sistema de Gestão de Aprendizagem (LMS) e de trabalho colaborativo, acessível através da Internet

Leia mais

Formação presencial em contexto de sala de aula, com recurso à utilização prática do software WordPress.

Formação presencial em contexto de sala de aula, com recurso à utilização prática do software WordPress. ENQUADRAMENTO Num mundo em que a concorrência é cada vez maior e todos parecem estar ligados à internet, o website tornou-se um componente fundamental da estratégia de comunicação de qualquer empresa.

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: ELABORAÇÃO DE MATERIAL, TUTORIA E AMBIENTES VIRTUAIS Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento

Leia mais

ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003. Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008

ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003. Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008 ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003 Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008 1 SISTEMÁTICA DE AUDITORIA - 1 1 - Início da 4 - Execução da 2 - Condução da revisão dos documentos

Leia mais

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS FACTOS A Internet mudou profundamente a forma como as pessoas encontram, descobrem, compartilham, compram e se conectam. INTRODUÇÃO Os meios digitais, fazendo hoje parte do quotidiano

Leia mais

Centro de Saúde da Figueira da Foz

Centro de Saúde da Figueira da Foz Centro de Saúde da Figueira da Foz PT Prime e HIS implementam Solução integrada de Processo Clínico Electrónico, Gestão de Atendimento, Portal e Mobilidade. a experiência da utilização do sistema VITA

Leia mais

Conhecimentos essenciais na utilização de software PRIMAVERA Guia do curso

Conhecimentos essenciais na utilização de software PRIMAVERA Guia do curso Conhecimentos essenciais na utilização de software PRIMAVERA Guia do curso Pág. 1 Índice Índice... 2 Dados Gerais da formação... 3 Objetivos da formação... 3 Estrutura e desenvolvimento da formação...

Leia mais

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio 32 3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio Este capítulo apresenta o framework orientado a aspectos para monitoramento e análise de processos de negócio

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online ENSINO DE MATEMÁTICA Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação

Leia mais

Regulamento de Funcionamento da Formação

Regulamento de Funcionamento da Formação Regulamento de Funcionamento da Formação Índice 1. Caracterização e Identificação da Entidade... 3 2. Certificação entidade formadora... 3 3. Acreditação Entidade Formadora... 3 4. Certificação ISO 9001...

Leia mais

PHC dteamcontrol Externo

PHC dteamcontrol Externo PHC dteamcontrol Externo A gestão remota de projectos e de informação A solução via Internet que permite aos seus Clientes participarem nos projectos em que estão envolvidos, interagindo na optimização

Leia mais

Famílias. Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2004. Principais Resultados

Famílias. Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2004. Principais Resultados Famílias Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2004 Principais Resultados NOTA METODOLÓGICA (SÍNTESE) O Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação

Leia mais

Módulo de Gestores. Utilizaremos telas do Módulo de Gestores (Homologação): http://siops-homologa2.datasus.gov.br

Módulo de Gestores. Utilizaremos telas do Módulo de Gestores (Homologação): http://siops-homologa2.datasus.gov.br Módulo de Gestores Módulo de Gestores Utilizaremos telas do Módulo de Gestores (Homologação): http://siops-homologa2.datasus.gov.br Módulo de Gestores As telas oficiais do Módulo de Gestores estão disponíveis

Leia mais

Avaliação de IHC: objetivos

Avaliação de IHC: objetivos Avaliação de IHC: objetivos Decisões de design afetam usabilidade Conhecimento dos usuários e de suas necessidade Design: Design: diferentes diferentes soluções soluções possíveis possíveis Interação:

Leia mais

Aprend.e Sistema integrado de formação e aprendizagem

Aprend.e Sistema integrado de formação e aprendizagem Aprend.e Sistema integrado de formação e aprendizagem Pedro Beça 1, Miguel Oliveira 1 e A. Manuel de Oliveira Duarte 2 1 Escola Aveiro Norte, Universidade de Aveiro 2 Escola Aveiro Norte, Departamento

Leia mais

DISCIPLINAS CURRICULARES (PCN) INFORMÁTICA PRODUÇÃO DE MATERIAL

DISCIPLINAS CURRICULARES (PCN) INFORMÁTICA PRODUÇÃO DE MATERIAL A nossa meta é envolver alunos e professores num processo de capacitação no uso de ferramentas tecnológicas. Para isto, mostraremos ao professor como trabalhar as suas disciplinas (matemática, português,

Leia mais

PONTDOC. Sistema de Gestão Documental. Dossier de Produto 02.01.2009 DP10.02. www.pontual.pt UGD 1 de 13

PONTDOC. Sistema de Gestão Documental. Dossier de Produto 02.01.2009 DP10.02. www.pontual.pt UGD 1 de 13 PONTDOC Sistema de Gestão Documental Dossier de Produto DP10.02 02.01.2009 www.pontual.pt UGD 1 de 13 PONTDoc Sistema de Gestão Documental A Pontual A Pontual é uma empresa de capitais 100% nacionais,

Leia mais