Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas"

Transcrição

1 Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas Computação Grid Jorge Gomes Jornadas RCTS

2 Computação grid Um paradigma de computação distribuída Interconexão de recursos: Heterogéneos (sensores, instrumentos, meios de cálculo, diferentes configurações e S.O., etc) Distribuídos geograficamente Pertencentes/geridos por múltiplas entidades Criação de uma fonte universal de recursos: Disponível em todo o lado Consistente Fiável Para: Partilha de recursos Optimização da sua utilização Permitir a criação de novas aplicações Jornadas RCTS

3 Motivação É cada vez mais difícil satisfazer os requisitos computacionais da investigação cientifica moderna A investigação é cada vez mais efectuada no contexto de colaborações onde a partilha da informação e recursos é indispensável A optimização dos recursos computacionais disponíveis é fundamental Alguns domínios de utilização: o Física/Astronomia: processamento de dados de diferentes tipos de instrumentos o Medicina: imagiologia, diagnostico e tratamento o Bioinformática: estudo do genoma e proteoma compreender as doenças genéticas o Nanotecnologia: concepção de novos materiais à escala molecular o Engenharia: desenho, concepção, simulação, analise de falhas, instrumentação remota e controlo o Ambiente e recursos naturais: meteorologia, observação da terra, modelação de sistemas complexos: rios, inundações, tremores de terra Jornadas RCTS

4 Computação grid e Ciência Os investigadores querem realizar as suas actividades independentemente da sua localização. Para isso precisam de interagir com os seus colegas e trabalhar sobre dados e informação distribuidos por todo o mundo GRID: centros de processamento de dados distribuidos e software para integrar os recursos middleware Instrumentos científicos e experiências produzem gigantescas quantidades de dados armazenados em diferentes locais e que apenas podem ser processados através da combinação e recursos computacionais. Jornadas RCTS

5 Integração de Recursos Utilizadores GRID Integração e Partilha HPC HTC Dados Outros Jornadas RCTS

6 Worldwide LHC Computing Grid Volume de dados 4 experiências 15 PetaBytes por ano (1.7 milhões de dual-layer DVDs) Complexidade Dados complexos Milhares de utilizadores Mais de CPUs modernos Escala global Recursos distribuídos Centenas de laboratórios Analise e simulação distribuída Tecnologia GRID O paradigma da computação grid foi adoptado para a integração dos recursos computacionais do LHC. A comunidade da física de altas energias tem sido uma grande impulsionadora da computação grid. Jornadas RCTS

7 Exemplos de Aplicações Jornadas RCTS

8 ~ 290 centros ~ 55 países ~ 150,000 CPUs ~ PetaBytes ~ 17,000 utilizadores ~ 200 VOs ~ 330K trabalhos/dia Arqueologia Astronomia Astrofísica Dinâmica de fluidos Protecção civil Química computacional Ciências da terra Ciências da computação Física de matéria condensada Finança Fusão Geofísica Física de altas energias Ciências da vida Multimédia Ciência dos materiais Enabling Grids for E-sciencE Maior grid multidisciplinar global Jornadas RCTS

9 EGEE na Península Ibérica EGEE está organizado em federações Federação do Sudoeste Europeu Portugal 8 centros Espanha 14 centros As operações regionais são distribuídas LIP coordena a parte Portuguesa O LIP também contribui para as tarefas regionais e globais do EGEE LIP workshop

10 Firewall Firewall Firewall Cluster Grid Típico no EGEE LRMS CE SE serviços grid centrais UI PC PC PC Conjunto de sistemas arquitectura x86_64 ou outra Sistema operativo Linux Sistema de batch (LRMS) tipo Torque, SGE, LSF etc LRMS CE SE PC PC LRMS CE SE Jornadas RCTS PC PC

11 European Grid Initiative (EGI) A Iniciativa Grid Europeia substitui o EGEE a partir de Maio de 2010 Assegurar a sustentabilidade da computação grid na Europa: A grid Europeia é necessária e a sua operação não pode depender de projectos Afastamento do modelo de participação baseado em instituições e projectos curtos Novo modelo organizacional com duas camadas: Iniciativas Nacionais Grid financiadas e coordenadas pelos governos Iniciativa Grid Europeia financiada sobretudo pelos governos com apoio da UE EGI estabelecido como entidade legal com sede em Amesterdão A transição vai decorrer ao longo dos próximos meses LIP workshop

12 EGI-DS EGI Planeamento da Iniciativa Europeia Portugal participou no policy board (UMIC) Portugal é membro através da UMIC Contribuição nacional para o 1º ano foi paga EGI InSPIRE European Grid Initiative (EGI) Integrated Sustainable Pan-European Infrastructure for Researchers in Europe Projecto submetido à UE em Novembro de 2009 Projecto central para a coordenação e operação da infra-estrutura EGI tarefas internacionais Concurso internacional entre os NGIs para tarefas internacionais Portugal e Espanha na coordenação do middleware deployment LIP workshop

13 Iniciativa Nacional Grid (INGRID) Iniciativa do Ministério da Ciência Lançada em Abril de 2006 Coordenação técnica a cargo da UMIC em colaboração com o LIP Objectivos principais Suporte ao desenvolvimento da computação grid para a resolução de problemas complexos Desenvolvimento de competências no domínio da computação grid Integrar Portugal em infra-estruturas grid internacionais Linha de financiamento de projectos 13 projectos piloto Infra-estruturas Criar uma infra-estrutura nacional grid integrada no EGI Jornadas RCTS

14 INGRID projectos G-Cast: Application of GRIDcomputing in a coastal morphodynamics nowcast-forecast system GridClass - Learning Classifiers Systems for Grid Data Mining PoliGrid - distributed policies for resource management in Grids Collaborative Resources Online to Support Simulations on Forest Fires (CROSS-Fire): a Grid Platform to Integrate Georeferenced Web Services for Real- Time Management GRID for ATLAS/LHC data simulation and analysis GERES-med: Grid-Enabled REpositorieS for medical applications BING Brain Imaging Network Grid GRITO A Grid for preservation PM#GRID - GRID Platform Development for European Scale Satellite Based Air Pollution Mapping AspectGrid: Pluggable Grid Aspects for Scientific Applications P-found: GRID computing and distributed data warehousing of protein folding and unfolding simulations Jornadas RCTS

15 Iniciativa Nacional Grid Criação de uma infra-estrutura grid nacional autónoma Requisito para participação no EGI Recursos Centrais Nó central etc Recursos Existentes (EGEE, int.eu.grid, EELA, projectos INGRID...) Outros recursos Utilizadores Infra-estruturas e projectos INGRID EGI IBERGRID WLCG... Utilizadores: Projectos INGRID Organizações virtuais (nacionais e internacionais) Outros utilizadores com elevados requisitos Jornadas RCTS

16 Nó central de computação grid Construído por um consorcio para alojar os sistemas da iniciativa nacional grid: FCCN, LIP, LNEC Localizado: Campus do LNEC em Lisboa Perto do NOC da FCCN Objectivos principais: Alojar os serviços centrais grid da iniciativa Alojar recursos para partilha Alojar outros recursos grid Execução entre : Engenharia civil Alimentação, arrefecimento, segurança, etc 1ª fase de computação grid LIP workshop

17 Sala de informática: Área 370m 2 Potência eléctrica: Até 2000 kva Alimentação protegida: 5x UPS 200kVA Gerador diesel Arrefecimento com água gelada: Chillers com free-cooling (2x 375kW) Close-control units (6x150kW+47kW) Alarme e extinção de incêndios Very Early Warning Smoke Detection Extinção por INERGEN Nó Central Grid (NCG) Jornadas RCTS

18 Nó Central Grid (NCG) - recursos Meios: Tape libraries LTO-4 (FCCN) Repositórios de dados Armazenamento hierárquico Backups Serviços grid centrais (LIP) Blades Grid cluster (LIP) Processamento Blades Armazenamento grid enabled (LIP) Server attached Parallel filesystem Rede local p/ recursos centrais grid (LIP) 10gigabit Ethernet Non-blocking, wire-speed, low latency Recursos de outras organizações (FCCN) Cluster do LNEC Jornadas RCTS

19 Serviços de apoio Laminas Nó Central Grid (NCG) - Topologia Laminas de cálculo SGE cluster HPC HTC HTC HTC HTC... CORE CORE Core 10gigabit Ethernet switch net... Armazenamento = Lustre + StoRM 1ª fase: ~1250 CPU cores ~ 620 TB raw Jornadas RCTS

20 IBERGRID IBERGRID tem origem: Acordos de cooperação cientifica e tecnológica entre Portugal e Espanha em Novembro de 2003 Memorandos de Entendimento sobre computação grid e redes de I&D em Novembro de 2005 Planos para uma infra-estrutura comum: Existem infra-estruturas grid comuns no âmbito de diversos projectos EGEE, EELA, int.eu.grid, etc Em 2007 estudo para uma infra-estrutura comum Em foi estabelecido um piloto Contexto de transição EGEE EGI Federação das iniciativas grid de Portugal e Espanha com vista a participação conjunta no EGI Jornadas RCTS

21 IBERGRID e EGI Iniciativa Grid Portuguesa Iniciativa Grid Espanhola IBERGRID = computação grid, supercomputação, aplicações, redes, computação voluntária, etc Jornadas RCTS

22 IBERGRID piloto ES user PT user TOPBDII ES NGI ifca.es Xbroker ES NGI / IBERGRID ifca.es TOPBDII INGRID / IBERGRID ncg.ingrid.pt WMS INGRID / IBERGRID ncg.ingrid.pt VOMS INGRID / IBERGRID ncg.ingrid.pt LFC INGRID / IBERGRID ncg.ingrid.pt ifca.es cesga.es ncg.ingrid.pt lip.pt MyProxy INGRID / IBERGRID ncg.ingrid.pt UI INGRID / IBERGRID ncg.ingrid.pt Jornadas RCTS

23 Portugal VOs Ibéricas comuns gestão e coordenação Portal de operações Catálogos e serviços centrais para as VOs IBERGRID Autoridade de certificadora (LIPCA) Espanha Helpdesk (Request Tracker) Monitorização e accounting Base de dados da infra-estrutura (GOCDB/HGSM) Autoridade de certificadora (PKIrisGrid) Segurança do middleware Comuns Plano Ibérico de Transição Serviços centrais grid e redundância Serviço de informação regional Grupos de suporte de ambos os países Coordenação e operações Infra-estrutura de treino Segurança da infra-estrutura Recursos e apoio para novos utilizadores Jornadas RCTS

24 Utilizadores: Utilizadores são estruturados em organizações virtuais Utilizadores e instituições são convidados a partilhar os seus recursos na infra-estrutura Utilizadores/organizações virtuais podem candidatar-se a acesso a recursos do nó central Ajuda para estabelecimento de relações de parceria na partilha de recursos entre instituições e utilizadores Organizações virtuais nacionais/regionais: iber.vo.ibergrid.eu ops.vo.ibergrid.eu tut.vo.ibergrid.eu pfound.vo.ibergrid.eu bing.vo.ibergrid.eu lip.vo.ingrid.pt Como Aderir Jornadas RCTS

25 Pedidos de Acesso Para adesão às VOs INGRID/IBERGRID existentes iber.vo.ibergrid.eu, hpc.vo.ibergrid.eu, tut.vo.ibergrid.eu Pretende-se que a VO ibergrid seja suportada amplamente nos sites Portugueses e Espanhóis A VO ibergrid suportará grupos Para criação de novas VOs A VO é criada nos serviços de VOMS centrais Quem pede a criação de uma nova VO assume a responsabilidade de gerir o acesso à VO As VOs devem ser o mais genéricas possível Seed resources para ajuda a novas VOs Atribuição automática a novas VOs criadas no âmbito da iniciativa Recursos para VOs já existentes Por ex: VO internacionais criadas no âmbito do EGEE ou EGI Jornadas RCTS

26 VO suportadas no nó central EGEE / EGI IBERGRID / INGRID ATLAS CMS BIOMED EDGES AUGER SWETEST MoU do WLCG Portugal CERN EGEE / EGI iber.vo.ibergrid.eu ops.vo.ibergrid.eu tut.vo.ibergrid.eu pfound.vo.ibergrid.eu bing.vo.ibergrid.eu hpc.vo.ibergrid.eu IBERGRID INGRID Jornadas RCTS

27 Credenciais para Autenticação Autoridade de certificação do LIP Emite certificados X.509 para computação grid Reconhecidos pelo International Grid Trust Federation (IGTF) Validos nas infra-estruturas grid internacionais (EGI, DEISA, etc.) Existem diversas autoridades de registo estabelecidas CFP (IST), CSI (UALG), FCT/UNL, IEETA (U.Aveiro), LIP, Lusíada, UAL, U.Minho, U.Porto Todas as instituições são convidadas a criar autoridades de registo: Para criação de novas RAs consultar Jornadas RCTS

28 Tutoriais no dia 28 de Maio Jornadas RCTS

Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas

Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas grid: uma visão Jorge Gomes 2º Encontro Ciência em Portugal Ciência 2008 1 Computação grid Integração transparente de recursos computacionais

Leia mais

Supercomputação em Portugal: realidade e perspectivas Pedro Alberto Centro de Física Computacional Laboratório de Computação Avançada Universidade de Coimbra Ciência 2008 3 Julho 2008 1 O que é supercomputação?

Leia mais

Serviços de Computação Distribuída

Serviços de Computação Distribuída Serviços de Computação Distribuída Jornadas FCCN 2013 8 de Fevereiro de 2013 e-science e-science e-science (or escience) is computationally intensive science that is carried out in highly

Leia mais

Universidade do Minho, 15-16 Dez 2008

Universidade do Minho, 15-16 Dez 2008 3ª Conferência Openaccess Universidade do Minho, 15-16 Dez 2008 Luis Magalhães UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Estratégia Nacional de e-ciência

Leia mais

FTTH FORUM 2008. Sociedade da Informação Portugal em Mudança CCB, 5 Nov 2008. Luis Magalhães UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento

FTTH FORUM 2008. Sociedade da Informação Portugal em Mudança CCB, 5 Nov 2008. Luis Magalhães UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento FTTH FORUM 2008 Sociedade da Informação Portugal em Mudança CCB, 5 Nov 2008 Luis Magalhães UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Principais Orientações

Leia mais

GRID com peso ibérico

GRID com peso ibérico GRID com peso ibérico A TECNOLOGIA de computação em grelha está no centro de uma parceria entre Portugal e Espanha que motivou a criação da Rede Ibérica de Computação GRID (IBERGRID), ainda em 2006. A

Leia mais

O que é Grid Computing

O que é Grid Computing Grid Computing Agenda O que é Grid Computing Grid vs Cluster Benefícios Tipos de Grid Aplicações Ferramentas e padrões Exemplos no mundo Exemplos no Brasil Grid no mundo dos negócios Futuro O que é Grid

Leia mais

As infra-estruturas computacionais do LIP-Coimbra

As infra-estruturas computacionais do LIP-Coimbra Suma rio Informa tica de servic os Computac a o Avanc ada As infra-estruturas computacionais do -Coimbra Miguel Afonso Oliveira Laborato rio de Instrumentac a o e Fı sica Experimental de Partı culas Jornadas

Leia mais

Segurança e Desempenho dos Sistemas de Informação. Norberto Chinita norberto.chinita@ulsba.min-saude.pt

Segurança e Desempenho dos Sistemas de Informação. Norberto Chinita norberto.chinita@ulsba.min-saude.pt Segurança e Desempenho dos Sistemas de Informação Norberto Chinita norberto.chinita@ulsba.min-saude.pt Segurança e Desempenho dos Apresentação da ULSBA A Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo EPE foi

Leia mais

Como a Cisco TI virtualizou os Servidores de Aplicações dos Centros de Dados

Como a Cisco TI virtualizou os Servidores de Aplicações dos Centros de Dados Case Study da Cisco TI Como a Cisco TI virtualizou os Servidores de Aplicações dos Centros de Dados A implementação de servidores virtualizados proporciona economias significativas de custos, diminui a

Leia mais

Supercomputadores dominavam o mercado

Supercomputadores dominavam o mercado Clusters e Grids Introdução Supercomputadores dominavam o mercado Alto custo Requerem mão de obra muito especializada Desenvolvimento de microprocessadores poderosos a um baixo custo Desenvolvimento de

Leia mais

Aumento da Capacidade de Armazenamento do SPRACE

Aumento da Capacidade de Armazenamento do SPRACE Julho 2010 Aumento da Capacidade de Armazenamento do SPRACE São Paulo Regional Analysis Center Sergio Ferraz Novaes Sumário I. IDENTIFICAÇÃO DA PROPOSTA... 3 II. QUALIFICAÇÃO DO PROBLEMA... 3 III. OBJETIVOS

Leia mais

ANEXO III. Domínios e áreas científicas

ANEXO III. Domínios e áreas científicas ANEXO III Domínios e áreas científicas Ciências da Vida e da Saúde Neurociências - Molecular e Celular Neurociências, Envelhecimento e Doenças Degenerativas Imunologia e Infeção Diagnóstico, Terapêutica

Leia mais

NÃO É NECESSÁRIO UMA GRANDE CASA PARA TER UM GRANDE NEGÓCIO

NÃO É NECESSÁRIO UMA GRANDE CASA PARA TER UM GRANDE NEGÓCIO NÃO É NECESSÁRIO UMA GRANDE CASA PARA TER UM GRANDE NEGÓCIO Instalações deficientes, falta de segurança, equipamentos e software obsoletos são problemas com que muitas Organizações têm que se debater no

Leia mais

FCCN - Fundação para a Computação Científica Nacional fccn.pt. Nelson Ribeiro - nelson.ribeiro@fccn.pt

FCCN - Fundação para a Computação Científica Nacional fccn.pt. Nelson Ribeiro - nelson.ribeiro@fccn.pt FCCN - Fundação para a Computação Científica Nacional fccn.pt Nelson Ribeiro - nelson.ribeiro@fccn.pt Agenda FCCN RCTS serviços e projectos internacionais Projecto SIG@Fibra Network Engineer Futuro Q&A

Leia mais

Virtualização e Consolidação de Centro de Dados O Caso da UTAD António Costa - acosta@utad.pt

Virtualização e Consolidação de Centro de Dados O Caso da UTAD António Costa - acosta@utad.pt Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Virtualização e Consolidação de Centro de Dados O Caso da UTAD António Costa - acosta@utad.pt Agenda A UTAD Virtualização Uma definição Introdução e abrangência

Leia mais

E-Ciência em Portugal 4ª Conferência Open Access

E-Ciência em Portugal 4ª Conferência Open Access E-Ciência em Portugal 4ª Conferência Open Access U. do Minho, Braga, 26 Nov 2009 Luis Magalhães UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Estratégia

Leia mais

Dynamic Data Center. A infra-estrutura de suporte às SOA. Francisco Miller Guerra Senior Product Manager Fujitsu Siemens Computers

Dynamic Data Center. A infra-estrutura de suporte às SOA. Francisco Miller Guerra Senior Product Manager Fujitsu Siemens Computers Dynamic Data Center A infra-estrutura de suporte às SOA Francisco Miller Guerra Senior Product Manager Fujitsu Siemens Computers As necessidades do negócio pressionam continuamente as infra-estruturas

Leia mais

Grades Computacionais: Uma Introdução Prática

Grades Computacionais: Uma Introdução Prática Grades Computacionais: Uma Introdução Prática Raphael Y. de Camargo Ricardo Andrade Departamento de Ciência da Computação Instituto de Matemática e Estatística Universidade de São Paulo, Brasil São Paulo,

Leia mais

INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO

INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO ÍNDICE Introdução e enquadramento...3 Participantes no processo de mobilidade... 4 Instituição de origem...5 Instituição visitada...6 Utilizador em mobilidade...7 NREN... 8 ANEXO 1 Modelo de accounting...9

Leia mais

Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço

Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço Escola Naval Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço Segurança da informação nas organizações Supervisão das Politicas de Segurança Computação em nuvem Fernando Correia Capitão-de-fragata

Leia mais

Computação de Alto Desempenho uma pequena introdução

Computação de Alto Desempenho uma pequena introdução Computação de Alto Desempenho uma pequena introdução Pedro Alberto Laboratório de Computação Avançada Centro de Física Computacional Unversidade de Coimbra 1 Sumário Porque é que é precisa a computação

Leia mais

OCEL001 Comércio Eletrônico Módulo 9_1: Clusters. Prof. Charles Christian Miers. e-mail: charles.miers@udesc.br

OCEL001 Comércio Eletrônico Módulo 9_1: Clusters. Prof. Charles Christian Miers. e-mail: charles.miers@udesc.br OCEL001 Comércio Eletrônico Módulo 9_1: Clusters Prof. Charles Christian Miers e-mail: charles.miers@udesc.br Redundância e Alta Disponibilidade Redundância: Duplicação de um elemento da infraestrutura

Leia mais

melhor e mais inovador

melhor e mais inovador Conheça o melhor e mais inovador de Portugal. Prime TI s Mais de 2000 m2 850 Bastidores 4 Salas de alojamento 2 Salas networking Salas de staging Salas UPS Sala de clientes Sala bandoteca Serviços de storage,

Leia mais

Projecto Federica. Leiria 15 de Abril 2009

Projecto Federica. Leiria 15 de Abril 2009 15ºECI Projecto Federica Leiria 15 de Abril 2009 Agenda Federica, o que é? Parceiros Actividades do projecto A quem se dirige Principais objectivos Infra-estrutura física Arquitectura Criação da rede virtual

Leia mais

Planejamento para Implantação do GridUnesp. II Workshop GridUnesp Outubro de 2006

Planejamento para Implantação do GridUnesp. II Workshop GridUnesp Outubro de 2006 Planejamento para Implantação do GridUnesp II Workshop GridUnesp Outubro de 2006 2 Roteiro O que é Grid Porque Grid? Conceitos gerais. Componentes de um Grid. Exemplo: o SPRACE (São Paulo Regional Analysis

Leia mais

Computação em Grid e em Nuvem

Computação em Grid e em Nuvem Computação em Grid e em Nuvem Computação em Nuvem Molos 1 Definição Um grid computacional é uma coleção recursos computacionais e comunicação utilizados para execução aplicações Usuário vê o grid como

Leia mais

CLUSTER AND GRID COMPUTING

CLUSTER AND GRID COMPUTING CLUSTER AND GRID COMPUTING O que é um cluster? De forma geral, é um aglomerado de máquinas conectadas em uma rede local ou dedicadas NOWs (Network of Workstations) algumas vezes não são consideradas clusters

Leia mais

DS AGILE SISTEMA DIGITAL INTEGRADO PARA SUBESTAÇÃO DE ENERGIA

DS AGILE SISTEMA DIGITAL INTEGRADO PARA SUBESTAÇÃO DE ENERGIA DS AGILE SISTEMA DIGITAL INTEGRADO PARA SUBESTAÇÃO DE ENERGIA A nova era de Smart Grids inteligentes exige subestações que possuam sistemas de automação mais sofisticados, permitindo aos operadores de

Leia mais

Cláusula 1.º Objecto. Cláusula 2.º Especificação da prestação

Cláusula 1.º Objecto. Cláusula 2.º Especificação da prestação CADERNO DE ENCARGOS CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROJECTO DE ARQUIVO DIGITAL DE INFRA-ESTRUTURAS DE IT O presente Caderno de Encargos compreende as cláusulas a incluir no contrato

Leia mais

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid)

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

António Borba UMIC. Conferência As TIC e a Saúde no Portugal de 2009. 25 de Novembro de 2009 Auditório do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa

António Borba UMIC. Conferência As TIC e a Saúde no Portugal de 2009. 25 de Novembro de 2009 Auditório do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa Conferência As TIC e a Saúde no Portugal de 2009 25 de Novembro de 2009 Auditório do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa António Borba UMIC Patrocínio: Patrocinadores Globais Plataforma Nacional de

Leia mais

Estratégia de Implantação do GridUNESP. II Brazilian LHC Computing Workshop - GridUNESP

Estratégia de Implantação do GridUNESP. II Brazilian LHC Computing Workshop - GridUNESP Estratégia de Implantação do GridUNESP II Brazilian LHC Computing Workshop - GridUNESP O que é Grid? Grid é um sistema que coordena recursos computacionais geograficamente distribuídos. Usa protocolos

Leia mais

OurDocs. Sistemas Distribuídos Engenharia de Software. Sistema de gestão documental. ic-sod@mega.ist.utl.pt ic-es@mega.ist.utl.pt

OurDocs. Sistemas Distribuídos Engenharia de Software. Sistema de gestão documental. ic-sod@mega.ist.utl.pt ic-es@mega.ist.utl.pt Sistemas Distribuídos Engenharia de Software 2º Semestre, 2006/2007 Departamento Engenharia Informática Enunciado do projecto: OurDocs Sistema de gestão documental ic-sod@mega.ist.utl.pt ic-es@mega.ist.utl.pt

Leia mais

Healthcare Information & Systems Opportunities for R&D. João Paulo Silva Cunha José Maria Fernandes Ilídio Oliveira IEETA / Universidade de Aveiro

Healthcare Information & Systems Opportunities for R&D. João Paulo Silva Cunha José Maria Fernandes Ilídio Oliveira IEETA / Universidade de Aveiro Healthcare Information & Systems Opportunities for R&D João Paulo Silva Cunha José Maria Fernandes Ilídio Oliveira IEETA / Universidade de Aveiro www.ieeta.pt/sias jcunha@ieee.org Health Information Systems

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE INFORMÁTICA - INSTALAÇÃO E GESTÃO DE REDES

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE INFORMÁTICA - INSTALAÇÃO E GESTÃO DE REDES PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE INFORMÁTICA - INSTALAÇÃO E GESTÃO DE REDES PERFIL PROFISSIONAL Técnico de Informática Instalação e Gestão de Redes Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/5 ÁREA

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Redes de Computadores 3º Ano / 1º Semestre Eng. Electrotécnica Ano lectivo 2005/2006 Sumário Sumário Perspectiva evolutiva das redes telemáticas Tipos de redes Internet, Intranet

Leia mais

Piloto de experimentação de serviços de computação. Jornadas FCCN, Fev-2015, ISCTE

Piloto de experimentação de serviços de computação. Jornadas FCCN, Fev-2015, ISCTE Piloto de experimentação de serviços de computação Jornadas FCCN, Fev-2015, ISCTE Índice 1 Agenda no evento... 1 2 Introdução... 2 3 Objetivos do piloto... 2 4 Prazo do piloto... 2 5 Pacotes de trabalho

Leia mais

em grid como ferramenta essencial na investigação da estrutura do universo

em grid como ferramenta essencial na investigação da estrutura do universo Computação em grid como ferramenta essencial na investigação da estrutura do universo Alexandre Suaide Marcelo Gameiro Munhoz 19 dossiê Computação em nuvem RESUMO Movidos pela curiosidade e a necessidade

Leia mais

M O D E L O E U R O P E U D E

M O D E L O E U R O P E U D E M O D E L O E U R O P E U D E C U R R I C U L U M V I T A E INFORMAÇÃO PESSOAL Nome Morada MANUEL DIAS FERREIRA LIMA, RUI 50, Rua José Maria Rodrigues, 4710-080 BRAGA, Gualtar, PORTUGAL Telefone +351 939741239

Leia mais

Cornell usa computação de alto desempenho para acelerar a pesquisa e ampliar o acesso a softwares

Cornell usa computação de alto desempenho para acelerar a pesquisa e ampliar o acesso a softwares Portfólio de produtos Microsoft para servidores Estudo de caso de solução do cliente Cornell usa computação de alto desempenho para acelerar a pesquisa e ampliar o acesso a softwares Visão geral País ou

Leia mais

Portal GridUNESP. I Workshop do SPRACE. Guilherme Rippi Araújo Leandro Junqueira Garcia Miserani

Portal GridUNESP. I Workshop do SPRACE. Guilherme Rippi Araújo Leandro Junqueira Garcia Miserani Portal GridUNESP I Workshop do SPRACE Guilherme Rippi Araújo Leandro Junqueira Garcia Miserani Março/2007 2 Sumário Portal; Arquitetura; Ambiente de Desenvolvimento; Portal GridUNESP; Avaliação; Conclusão.

Leia mais

Paper presentation Security in grid computing: A review and synthesis Grid Security: Next Steps

Paper presentation Security in grid computing: A review and synthesis Grid Security: Next Steps Computação GRID Paper presentation Security in grid computing: A review and synthesis Grid Security: Next Steps Miguel Lobo nº 200707399 Pedro Oliveira nº 200501071 Paper Security in grid computing: A

Leia mais

Enunciado de apresentação do projecto

Enunciado de apresentação do projecto Engenharia de Software Sistemas Distribuídos 2 o Semestre de 2009/2010 Enunciado de apresentação do projecto FEARSe Índice 1 Introdução... 2 2 Cenário de Enquadramento... 2 2.1 Requisitos funcionais...

Leia mais

Planejamento de execução de aplicação baseada no tipo de tarefa com o foco na análise de desempenho

Planejamento de execução de aplicação baseada no tipo de tarefa com o foco na análise de desempenho Planejamento de execução de aplicação baseada no tipo de tarefa com o foco na análise de desempenho Emerson da Silva Borges, Maurício Amaral de Almeida Pós-Graduação / Strictu Sensu - Programa de Mestrado

Leia mais

Anexo 1 Modelo de Organização da Rede Nacional de Imagiologia Funcional Cerebral (RNIFC) e Gestão dos Equipamentos

Anexo 1 Modelo de Organização da Rede Nacional de Imagiologia Funcional Cerebral (RNIFC) e Gestão dos Equipamentos Anexo 1 Modelo de Organização da Rede Nacional de Imagiologia Funcional Cerebral (RNIFC) e Gestão dos Equipamentos Consórcio das Universidades de Coimbra, Aveiro, Porto e Minho Modelo de Organização e

Leia mais

Biblioteca Virtual. BIBLIOTECA VIRTUAL DA UNIVERSIDADE DO PORTO (BVUP) Plano de Actividades 2007

Biblioteca Virtual. BIBLIOTECA VIRTUAL DA UNIVERSIDADE DO PORTO (BVUP) Plano de Actividades 2007 Biblioteca Virtual BIBLIOTECA VIRTUAL DA UNIVERSIDADE DO PORTO (BVUP) Plano de Actividades 2007 A. Introdução A Biblioteca Virtual da Universidade do Porto (BVUP) continuará no ano de 2007 com a sua missão

Leia mais

Sistemas de computação e análise de dados

Sistemas de computação e análise de dados Sistemas de computação e análise de dados I Workshop RENAFAE Eduardo Gregores LHC: Uma nova escala em computação 20 MByte/s 100 MByte/s 1500 MByte/s Stored (After Level 3) 2 Processamento Distribuído 3

Leia mais

DOMÍNIOS CIENTÍFICOS E ÁREAS CIENTÍFICAS

DOMÍNIOS CIENTÍFICOS E ÁREAS CIENTÍFICAS DOMÍNIOS CIENTÍFICOS E ÁREAS CIENTÍFICAS Ciências da Vida e da Saúde Neurociências, Envelhecimento e Doenças Degenerativas Imunologia e Infeção Diagnóstico, Terapêutica e Saúde Pública Biomedicina Biologia

Leia mais

Paulo César Especialista de Soluções da ATM informática paulo.cesar@atminformatica.pt

Paulo César Especialista de Soluções da ATM informática paulo.cesar@atminformatica.pt Desktop Virtual Paulo César Especialista de Soluções da ATM informática paulo.cesar@atminformatica.pt Tendo em conta que a Virtualização será um dos principais alvos de investimento para o ano 2009 (dados

Leia mais

Departamento de Ciências e Tecnologias

Departamento de Ciências e Tecnologias Futuro Departamento de Ciências e Tecnologias Licenciatura em Engenharia Informática Missão Dotar os alunos de uma sólida formação teórica e experimental que garanta aos futuros licenciados a capacidade

Leia mais

UTFPR - Sistemas Distribuídos Prof. Cesar Augusto Tacla. Anotações. Copyright Cesar Augusto Tacla 2008 - 1 -

UTFPR - Sistemas Distribuídos Prof. Cesar Augusto Tacla. Anotações. Copyright Cesar Augusto Tacla 2008 - 1 - - 1 - - 2 - - 3 - Segundo (Garg, 2004), são sistemas compostos por múltiplos processadores conectados por uma rede de comunicação, sendo a rede de comunicação uma LAN (Ethernet) ou WAN (Internet). - 4

Leia mais

Racionalização de infraestruturas e plataformas no âmbito dos Sistemas de Informação do MJ

Racionalização de infraestruturas e plataformas no âmbito dos Sistemas de Informação do MJ itsmf Conferência Anual 2012 22 de Maio de 2012 Estratégias de racionalização e sustentabilidade das TIC (setores público e privado) Racionalização de infraestruturas e plataformas no âmbito dos Sistemas

Leia mais

Relatório de Piloto Tecnológico Plataforma de Cloud Privada baseada em OpenStack Março 2015

Relatório de Piloto Tecnológico Plataforma de Cloud Privada baseada em OpenStack Março 2015 Relatório de Piloto Tecnológico Plataforma de Cloud Privada baseada em OpenStack Março 2015 Resumo Executivo: A Inok realizou uma instalação piloto para analisar as funcionalidades, características técnicas,

Leia mais

Id: 36360 (40 years)

Id: 36360 (40 years) Foto não disponível Id: 36360 (40 years) DADOS PESSOAIS: Gênero: Feminino Data de nascimento: 15/01/1975 País: Mozambique, Região: Maputo, Cidade: Maputo Ver CV completo Grave o CV TRABALHO DESEJADO: Objectivo:

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia do Porto Administração de Sistemas Informáticos I Clusters

Instituto Superior de Engenharia do Porto Administração de Sistemas Informáticos I Clusters Instituto Superior de Engenharia do Porto Administração de Sistemas Informáticos I Clusters Trabalho elaborado por: 980368 - Sérgio Gonçalves Lima 1010949 - Nisha Sudhirkumar Chaganlal Clusters O que é

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DOS STIC SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E DE COMUNICAÇÃO

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DOS STIC SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E DE COMUNICAÇÃO DINSTITUTO SUPERIOR CURSOS PARA EXECUTIVOS E GESTÃO BANCÁRIA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DOS STIC SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E DE COMUNICAÇÃO Início: 29 de Setembro de 2005 INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO

Leia mais

UFCG Universidade Federal de Campina Grande. A cooperação entre Universidades e Empresas estimulada pela Lei de Informática: Resultados

UFCG Universidade Federal de Campina Grande. A cooperação entre Universidades e Empresas estimulada pela Lei de Informática: Resultados UFCG Universidade Federal de Campina Grande A cooperação entre Universidades e Empresas estimulada pela Lei de Informática: Resultados Brasília, 03 de dezembro de 2003 Sumário Apresentação Estrutura Parceiros

Leia mais

Computação no Alice e grid. Alexandre Suaide IF-USP

Computação no Alice e grid. Alexandre Suaide IF-USP Computação no Alice e grid Alexandre Suaide IF-USP 1 Resumo Alguns números importantes Requerimentos (dados e simulações) Processamente Armazenamento Estrutura computacional GRID Nossas necessidades 2

Leia mais

Os Simuladores e as TI para PC para a formação do pessoal aeronáutico

Os Simuladores e as TI para PC para a formação do pessoal aeronáutico Os Simuladores e as TI para PC para a formação do pessoal aeronáutico Sua utilização e eficácia Pedro Oliveira DCTI - ISCTE 1 I Objectivo Demonstrar a eficácia das TI para PC na formação aeronáutica o

Leia mais

Segurança Operacional na EDP; porque importa vigiar a segurança da infra-estrutura IT

Segurança Operacional na EDP; porque importa vigiar a segurança da infra-estrutura IT Segurança Operacional na EDP; porque importa vigiar a segurança da infra-estrutura IT Direção de Sistemas de Informação 30 de Janeiro, 2013 Contexto da Segurança na EDP 2 O contexto da Segurança na EDP

Leia mais

Reconhecimento de Dados Biométricos em Larga Escala

Reconhecimento de Dados Biométricos em Larga Escala Reconhecimento de Dados Biométricos em Larga Escala Profa. Fabíola Gonçalves Pereira Greve DCC - UFBA Departamento de Ciência da Computação Grupo de Algoritmos e Computação Distribuída http:// Equipe Profa.

Leia mais

Sistema Integrado de Televisão Digital

Sistema Integrado de Televisão Digital Sistema Integrado de Televisão Digital Actividades no INESC Porto Artur Pimenta Alves Paula Viana {palves,pviana}@inescn.pt Problemas a Resolver Grandes quantidades de informação Diferentes tipos de formatos

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Portugal em Mudança Comissão de Acompanhamento do Programa Operacional Sociedade do Conhecimento

Sociedade da Informação e do Conhecimento Portugal em Mudança Comissão de Acompanhamento do Programa Operacional Sociedade do Conhecimento Sociedade da Informação e do Conhecimento Portugal em Mudança Comissão de Acompanhamento do Programa Operacional Sociedade do Conhecimento Lisboa, 25 Jan 2010 Luis Magalhães UMIC Agência para a Sociedade

Leia mais

Universidade Agostinho Neto Faculdade de Ciências Departamento de Ciências da Computação

Universidade Agostinho Neto Faculdade de Ciências Departamento de Ciências da Computação Universidade Agostinho Neto Faculdade de Ciências Departamento de Ciências da Computação Nº 96080 - Adário de Assunção Fonseca Muatelembe Nº 96118 - Castelo Pedro dos Santos Nº 96170 - Feliciano José Pascoal

Leia mais

De estagiário ESA a empreendedor

De estagiário ESA a empreendedor De estagiário ESA a empreendedor Fabrice Brito Terradue Srl Estágios Tecnológicos no CERN, ESA, ESO 30 de Abril 2010 - Pavilhão do Conhecimento Ciência Viva O meu percurso Percurso académico Licenciado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE INFORMÁTICA. Sistemas Distribuídos

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE INFORMÁTICA. Sistemas Distribuídos UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE INFORMÁTICA Sistemas Distribuídos Mestrado em Ciência da Computação 1o. Semestre / 2006 Prof. Fábio M. Costa fmc@inf.ufg.br www.inf.ufg.br/~fmc/ds MSc2006 Aula

Leia mais

O ITIL e o Plano de Contingência. Lúcia Cerqueira & António Correia informatica@chts.min-saude.pt

O ITIL e o Plano de Contingência. Lúcia Cerqueira & António Correia informatica@chts.min-saude.pt Lúcia Cerqueira & António Correia informatica@chts.min-saude.pt A Equipa de IT do CHTS,E.P.E. Equipa composta por 12 Elementos Framework ITIL using RT ( linha Servicedesk (1ª e 2ª Reorganização da Equipa

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA, AUTOMAÇÃO E COMPUTADORES 1 / 6

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA, AUTOMAÇÃO E COMPUTADORES 1 / 6 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA, AUTOMAÇÃO E COMPUTADORES Publicação e actualizações Publicado no Despacho n.º13456/2008, de 14 de Maio, que aprova a versão inicial do Catálogo Nacional de

Leia mais

Camadas de Serviço de Hardware e Software em Sistemas Distribuídos. Introdução. Um Serviço Provido por Múltiplos Servidores

Camadas de Serviço de Hardware e Software em Sistemas Distribuídos. Introdução. Um Serviço Provido por Múltiplos Servidores Camadas de Serviço de Hardware e Software em Sistemas Distribuídos Arquiteutra de Sistemas Distribuídos Introdução Applications, services Adaptação do conjunto de slides do livro Distributed Systems, Tanembaum,

Leia mais

Centro degestão da RedeInformática do Governo

Centro degestão da RedeInformática do Governo 25 de Maio de 2005 O foi criado pelo Governo 15/12/1989 pelo Decreto-lei 429/89 Âmbito Modernização do sector público Objectivo Adopção dos meios que simplifiquem todo o processo de apoio à tomada de decisão

Leia mais

Integrated Network Operations Support System ISO 9001 Certified A Plataforma Integradora Integrated Platform O INOSS V2 é uma poderosa plataforma de operação e gestão centralizada de redes e serviços de

Leia mais

Capítulo II Modelos de Programação Distribuída (parte 2)

Capítulo II Modelos de Programação Distribuída (parte 2) Capítulo II Modelos de Programação Distribuída (parte 2) From: Coulouris, Dollimore and Kindberg Distributed Systems: Concepts and Design Edition 3, Addison-Wesley From: Cardoso, Jorge, Programação de

Leia mais

Escola Superior de Gestão de Santarém. Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos. Peça Instrutória G

Escola Superior de Gestão de Santarém. Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos. Peça Instrutória G Escola Superior de Gestão de Santarém Pedido de Registo do CET Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos Peça Instrutória G Conteúdo programático sumário de cada unidade de formação TÉCNICAS

Leia mais

Introdução aos Sistemas Operativos

Introdução aos Sistemas Operativos Introdução aos Sistemas Operativos Operating System Concepts, Abraham Silberschatz, Peter Baer Galvin, 6ª Ed., Addison-Wesley, 2002 [cap.1, 2 e 3] Operating Systems, Third Edition Harvey M. Deitel, Prentice

Leia mais

Workshop INCT-MACC, HOSCAR e Casadinho CENAPAD-UFC: Missão, Serviços e Pesquisas. Rossana Andrade Carina Oliveira

Workshop INCT-MACC, HOSCAR e Casadinho CENAPAD-UFC: Missão, Serviços e Pesquisas. Rossana Andrade Carina Oliveira Workshop INCT-MACC, HOSCAR e Casadinho CENAPAD-UFC: Missão, Serviços e Pesquisas Rossana Andrade Carina Oliveira 02 de Dezembro, 2013 Fortaleza, Brasil Quem somos nós? CENAPAD-UFC: Centro Nacional de Processamento

Leia mais

SQS Portugal Portfólio de Serviços de Segurança. SQS Software Quality Systems

SQS Portugal Portfólio de Serviços de Segurança. SQS Software Quality Systems SQS Portugal Portfólio de Serviços de Segurança SQS Software Quality Systems SQS Portugal Apresentação A SQS Portugal - Software Quality Systems, é uma empresa especializada em ajudar os seus clientes

Leia mais

Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas

Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas & 1 Índice 2 Introdução...3 3 A Plataforma de Curricula DeGóis...3 3.1 É utilizada porque...3 3.2 Com a utilização do DeGóis ganho...4 3.1

Leia mais

Prof. Marcelo de Sá Barbosa SISTEMAS DISTRIBUIDOS

Prof. Marcelo de Sá Barbosa SISTEMAS DISTRIBUIDOS Prof. Marcelo de Sá Barbosa SISTEMAS DISTRIBUIDOS 1. Introdução a supercomputação 2. Visão geral de Mainframe 3. Cluster de computadores 4. Cluster Beowulf considerações de projeto 5. Cluster x Grid 6.

Leia mais

O contributo do Cluster Habitat Sustentável

O contributo do Cluster Habitat Sustentável O contributo do Cluster Habitat Sustentável Victor Ferreira Plataforma para a Construção Sustentável Seminário Construção Sustentável CONCRETA 2011 20/10/2011 Visão e Missão O Cluster Habitat? agregador

Leia mais

World Wide Web. Disciplina de Informática PEUS, 2006 - U.Porto. Disciplina de Informática, PEUS 2006 Universidade do Porto

World Wide Web. Disciplina de Informática PEUS, 2006 - U.Porto. Disciplina de Informática, PEUS 2006 Universidade do Porto World Wide Web Disciplina de Informática PEUS, 2006 - U.Porto Redes de Comunicação Nos anos 60 surgem as primeiras redes locais destinadas à partilha de recursos fisicamente próximos (discos, impressoras).

Leia mais

MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA A EXPERIÊNCIA PORTUGUESA JOÃO RICARDO VASCONCELOS

MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA A EXPERIÊNCIA PORTUGUESA JOÃO RICARDO VASCONCELOS A EXPERIÊNCIA PORTUGUESA JOÃO RICARDO VASCONCELOS JORNADAS CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO PORTO, 21 DE MAIO DE 2013 COLABORAR SIMPLIFICAR INOVAR PORTUGAL POSSUI UM PERCURSO RICO NO DESENVOLVIMENTO DE POLÍTICAS

Leia mais

CCE Internet Data Center

CCE Internet Data Center CCE Internet Data Center 2010 Seção Técnica de Suporte de Software Centro de Computação Eletrônica - USP Slide: 1 Organograma de TI da USP Slide: 2 ORGANOGRAMA Slide: 3 Internet Data Center 2010 Slide:

Leia mais

candidaturas pós-graduações 2015 I 2016 2.º Ciclos e outras pós-graduações 3.º Ciclos

candidaturas pós-graduações 2015 I 2016 2.º Ciclos e outras pós-graduações 3.º Ciclos PÓS-GRADUAÇÕES pós-graduações 2015 I 2016 candidaturas 2.º Ciclos e outras pós-graduações 1.ª fase - 1 de junho a 15 de Julho de 2015 2.ª fase - 17 de agosto a 2 de setembro de 2015 Candidaturas online

Leia mais

SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft

SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft A solução MB DOX oferece uma vantagem competitiva às empresas, com a redução do custo de operação, e dá um impulso à factura

Leia mais

Serviço de instalação e arranque da solução de armazenamento de rede HP StoreEasy 5000

Serviço de instalação e arranque da solução de armazenamento de rede HP StoreEasy 5000 Serviço de instalação e arranque da solução de armazenamento de rede HP StoreEasy 5000 Serviços HP Dados técnicos O Serviço de instalação e arranque da solução de armazenamento de rede HP StoreEasy 5000

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Evolução Edson Moreno edson.moreno@pucrs.br http://www.inf.pucrs.br/~emoreno Sumário Introdução Componentes de um sistema computacional Conceituação Características desejáveis Organização

Leia mais

Common Network Information Service (cnis)

Common Network Information Service (cnis) Common Network Information Service (cnis) Workshop Técnico Carlos Friaças Agenda I. Enquadramento II. Requisitos Técnicos III. Instalação e Actualizações IV. Menus e Opções V. Carregamento

Leia mais

CRISIS TASS SMART- ER

CRISIS TASS SMART- ER PROJETOS DE I&D EM CURSO CRISIS G-AOC Projetos de I&D TASS SECAIR SMART- ER Projeto CRISIS O CRISIS - Critical Incident Management System Using an Interactive Environment, um projeto do 7º Programa Quadro,

Leia mais

Documento de apresentação Software de Gestão e Avaliação da Formação

Documento de apresentação Software de Gestão e Avaliação da Formação Documento de apresentação Software de Gestão e Avaliação da Janeiro-2010 Para a boa gestão de pessoas, as empresas devem elevar o RH à posição de poder e primazia na organização e garantir que o pessoal

Leia mais

Projecto de Reengenharia dos Postos de Trabalho BANIF e BCA

Projecto de Reengenharia dos Postos de Trabalho BANIF e BCA Projecto de Reengenharia dos Postos de Trabalho BANIF e BCA 19 November 2007 Objectivos para o BANIF Standardização dos postos de trabalho Focar a equipa de IT em tarefas pro-activas de gestão, minimizando

Leia mais

Fujitsu Siemens Computers

Fujitsu Siemens Computers Fujitsu Siemens Computers Caso de Êxito sobre Infraestruturas GRID Author s Francisco name Miller Guerra Location, Date Senior Product Marketing Manager Enterprise Products Santiago de Compostela, Maio

Leia mais

Cluster HPC High Performance Computing.

Cluster HPC High Performance Computing. Faculdade de Tecnologia de Guaratinguetá. doze, março de 2009. Cluster HPC High Performance Computing. Diogo Salles, Thiago Pirro, Camilo Bernardes, Paulo Roberto, Ricardo Godoi, Douglas, Fauzer. Sistemas

Leia mais

For-All - Uma Plataforma para Sistemas Pervasivos Orientados a Serviço

For-All - Uma Plataforma para Sistemas Pervasivos Orientados a Serviço For-All - Uma Plataforma para Sistemas Pervasivos Orientados a Serviço Elenilson Vieira da S. Filho 1, Ângelo L. Vidal de Negreiros 1, Alisson V. Brito 2 1 Departamento de Informática Universidade Federal

Leia mais

MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER

MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER TÁSSIO JOSÉ GONÇALVES GOMES tassiogoncalvesg@gmail.com MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 TÁSSIO GONÇALVES - TASSIOGONCALVESG@GMAIL.COM 1 CONTEÚDO Arquitetura

Leia mais

Características Básicas de Sistemas Distribuídos

Características Básicas de Sistemas Distribuídos Motivação Crescente dependência dos usuários aos sistemas: necessidade de partilhar dados e recursos entre utilizadores; porque os recursos estão naturalmente em máquinas diferentes. Demanda computacional

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16

PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16 PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16 ÁREA DE ACTIVIDADE - ELECTRÓNICA E AUTOMAÇÃO OBJECTIVO GLOBAL

Leia mais

Redes Inteligentes de Energia Smart Grids

Redes Inteligentes de Energia Smart Grids Redes Inteligentes de Energia Smart Grids 9.º Encontro Nacional do Colégio de Engenharia Electrotécnica António Aires Messias Lisboa, 19 de Junho de 2009 ENQUADRAMENTO O contexto macroeconómico está a

Leia mais

Um Modelo de Virtualização em Grades Computacionais para Inserção de Recursos Ociosos

Um Modelo de Virtualização em Grades Computacionais para Inserção de Recursos Ociosos Um Modelo de Virtualização em Grades Computacionais para Inserção de Recursos Ociosos Josiney de Souza e Rubens Massayuki Suguimoto Mestrado em Informática - Grid Computing Grid Computing, computação em

Leia mais

Maria da Conceição Gonçalves Costa

Maria da Conceição Gonçalves Costa Maria da Conceição Gonçalves Costa Identificação pessoal Conceição Costa tem um Master of Arts in Business Communication and Public Relations pela European University (equivalência a grau de mestre pela

Leia mais