1. T.I. Meeting exclusivo para associados da ABRAIDI A tecnologia da informação e o segmento de implantes no Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1. T.I. Meeting exclusivo para associados da ABRAIDI A tecnologia da informação e o segmento de implantes no Brasil"

Transcrição

1 1. T.I. Meeting exclusivo para associados da ABRAIDI A tecnologia da informação e o segmento de implantes no Brasil - Outubro/2010

2 Inspirativa de Alguns Pensadores Não basta saber, é preferível saber aplicar. Não é bastante querer, é preciso saber querer. Goethe Sem uma língua comum, não de pode concluir negócios. Confúcio O segredo de um negócio está em saber algo que ninguém sabe. Aristóteles Um idealista é aquele que ajuda os outros a prosperar. Henry Ford Você deve ser a própria mudança que deseja ver no mundo. Mahatma Gandhi

3 Contexto Atual Rene Descartes O pai da matemática moderna Fundador da filosofia moderna Efeito de pendulo: Moda: Calça Saint-Tropez, Boca de Sino, Chapéus. Na área de T.I. temos, sistemas flexíveis e sistemas não flexíveis. Os grandes expoentes destas filosofias hoje são numa ponta o SAP/R3 do outro lado temos o BPIX da J.D.Eduards, qual está certo? Somente a comunicação pode dizer... A comunicação transforma a realidade, das massas e imprime o comportamento por nós conhecido como cultura. Hoje com a Globalização, as mudanças acontecem numa velocidade nunca vista antes, pois, sendo um processo relativamente novo para a humanidade, ainda não atingiu sua auge.

4 Globalização A Globalização na verdade não é um conceito novo, este era o sonho do Império Romano, Alexandre o Grande, Constantinopla, os descobrimentos, etc. Assim como outros conceitos, como um pendulo, hora estão em evidência hora não estão... Basicamente globalização é: A equalização das culturas; Equalização do conhecimento comum, do pensamento dos mercados. Qual foi o maior catalizador responsável pela globalização? A Internet; A Televisão; Barateamento da infraestrutura de comunicação; A Saturação dos mercados locais; O consumo demográfico do planeta; A escassez de recursos.

5 Globalização Esta comunicação gera uma reação nos mercados e governos, que tentam proteger suas economias, seus quintais. Algumas atitudes com as quais o Brasil realmente saiu na frente foi a criação das Agências Nacionais, que em sua essência tinham e terão um papel fundamental de transformar as empresas locais em empresas de classe global, um objetivo extremamente nacionalista, a maioria das agências, transformou em lei métodos, modelos, de trabalho e comunicação consagrados nas organizações mais bem sucedidas do mundo. O papel da Tecnologia na Globalização No Mundo. No Brasil: Apesar do que possa se pensar, sobre a tecnologia tupiniquim, em termos de lógica de programação, no quadro mundial os Brasileiros figuram em segundo lugar, perdendo apenas para os Indianos, em pesquisa do MIT, foi apurado que o diferencial brasileiro está na capacidade maior de abstração, derivada do processo cognitivo no aprendizado da construção da linguagem.

6 Globalização Tecnologia no Brasil Sistema Financeiro Nacional SISBACEN CENTRAIS DE CUSTÓDIA PROTEÇÃO AO CRÉDITO MNI SPB Sistema de Pagamentos Brasileiro. A tecnologia nos impõe hoje uma velocidade impressionante de mudanças, nossa realidade é mudada constantemente através da comunicação. Em tecnologia, essa é a maior verdade que existe. Ex.: Linguagens de programação A tecnologia e o barateamento dos recursos, distribuídos pelos meios de comunicação tem mudado o dia-a-dia das empresas, impondo adequações voltadas a uma infinidade de questões: competitividade, comunicação, controle, processos, desenvolvimento, pesquisa. Enfim, este conceito a Tecnologia faz parte da empresa, este conceito precifica a empresa, para sócios, mercado e clientes. Podendo ser determinante para sua sobrevivência ou não no mundo atual. Isto nos traz ao primeiro item da nossa palestra Nota Fiscal Eletrônica.

7 Nota Fiscal Eletrônica Apesar do tema ser, recente a talvez dolorido para algumas pessoas, visto do contexto apresentado, sejamos honestos era por demais previsível. Em se tratando de fisco, teremos com certeza mais novidades que basta analisar o movimento do pendulo. Assim como o Sistema Financeiro Brasileiro, o Sistema Fiscal Brasileiro também é um dos mais avançados do mundo, o novo Sistema de Registros dos cartórios e DETRANS, totalmente informatizados, hoje compõe o Sistema Nacional de Informações Patrimoniais. O Brasil será o primeiro país do mundo a cumprir verdadeiramente todas as metas do acordo da Basiléia, com relação a rastreabilidade do dinheiro.

8 Nota Fiscal Eletrônica O Histórico deste movimento 1995: Sintegra ou Si-entrega. Varejo, ECF, Arquivo : FHC com a edição da Lei 9989/00 (Plano Plurianual) cria o SPED o Sistema Público de Escrituração Digital. 2004: O SINTEGRA passou a ser obrigatório nas empresas do mercado de Implantes. 2008: O SPED entra no ar obrigando algumas empresas a entrega-lo em caráter de teste. 2009: A maioria das empresas tributadas no lucro real estão obrigadas entregar além do SINTEGRA o SPED Contábil. 2010: NF-e(abril), passou a ser obrigatório para algumas empresas do nosso mercado. 2010: NF-e(Julho), passou a ser obrigatórios para praticamente todo o mercado de Implantes. 2010: NF-e(Novembro), o restante das empresas do mercado estarão obrigados a emitir e receber NF-e. Outro plus, é o inicio do ECD(escrituração contábil digital) para as empresas do mercado de implantes e o manual de integração 4.01, que traz em sua esteira obrigatoriedades, que ainda são inconcebíveis a algumas pessoas do mercado de Implantes.

9 Nota Fiscal Eletrônica O que podemos concluir, com estas mudanças: O fisco está cada vez mais dentro das empresas. O fisco influenciará o processo de modernização da tecnologia das empresas. Este movimento determinará o sucesso e o insucesso das empresas num futuro próximo. O que estas mudanças significam para o dia-a-dia das empresas? Ao contrário do que imagina a vã-sabedoria, a grande mudança ainda não nos sorriu com seus efeitos táteis, fazendo-nos pensar que tratavam-se apenas de no ERP da empresa ou no ERP da contabilidade. SINTEGRA, SPED FISCAL, NFE e SPED CONTÁBIL, irão impactar principalmente os processos nas empresas. Os mais despreparados e ingênuos serão acometidos de graves doenças processuais, multas e autos de infração sem fim. Assim como o plano real, a reforma tributária será um remédio amargo, principalmente porque ela começou apenas para o contribuinte, quando deveria começar na UNIÃO.

10 Nota Fiscal Eletrônica O que muda no processo das empresas em função da nova realidade fiscal, lembrem-se muda a realidade mudam as necessidades: O recebimento de mercadorias, a escrituração contábil das entradas. Razões e Balancetes precisam expressar cronologicamente os fatos que constam nas NFEs recebidas; Devoluções de clientes; Vale, Aguardando Faturamento, Interestaduais; Placa do carro; ECD e a exposição do fluxo de caixa. É por isso que além das certificações, selos de acreditação, nós da Mirlink passamos a tratar a questão fiscal como Compliance, não podemos mais encarar os processos nas empresas sem perceber o quanto estão aderentes aos processos fiscais.

11 Compliance ISO International Standarization Organization Taylor e Fayol Ford Sistemas de Gestão da Qualidade Toyota; Honda; Sony; Panasonic/National (CD/VHS); Hyundai. Japão, pós Segunda Guerra Mundial, busca pela reconstrução do pais através da competitividade. A diferença entre as normas ISO iniciais e os Sistemas de Gestão da Qualidade Japoneses é o KAIZEN Melhoria continua.

12 Compliance Inicialmente as normas ISO tratavam basicamente da documentação, padronização e normas, por outro lado os sistemas de gestão da qualidade instituíram o monitoramento e medição dos processos, verificando o atingimento de metas e objetivos operacionais, táticos e estratégicos contidos nas missões, visões e politicas da qualidade. Dai se derivaram métodos como BSC Kaplan, BPM, Dash-Boards e Painéis de Controle que usaram conceitos também japoneses POKA-YOKE. Para que um sistema da qualidade atinja estes objetivos deve estar contaminado das metas das empresas, é por isso que quando vão criar uma politica da qualidade esta tem que refletir os anseios dos donos (share-holders). Diferente do Brasil e especificamente do mercado de implantes, um sistema da qualidade é uma decisão dos sócios da empresa e um compromisso destes para com a sociedade. Quando a empresa cresce, gera mais empregos, consumo, etc. A responsabilidade social, vejam os exemplos das políticas da qualidade das empresas japonesas...conseguir recursos, insumos e alimentos, para importar equipamentos e bens de capital necessários para a sua reconstrução pósguerra e para o desenvolvimento da própria industrialização.

13 Compliance Toyoda ou Toyota como conhecemos hoje: Teares mecânicos Toyotismo O Japão foi o berço da automação flexível pois apresentava um cenário diferente dos EUA e da Europa: um pequeno mercado consumidor, capital e matéria-prima escassos, e grande disponibilidade de mão-de-obra não-especializada, impossibilitavam a solução taylorista-fordista de produção em massa. A resposta foi o aumento na produtividade na fabricação de pequenas quantidades de numerosos modelos de produtos, voltados para o mercado externo, de modo a gerar divisas tanto para a obtenção de matérias-primas e alimentos, quanto para importar os equipamentos e bens de capital necessários para a sua reconstrução pós-guerra e para o desenvolvimento da própria industrialização. - Multifuncionalização - Qualidade Total A comunicação: Maslow Descartes Sun Tzu

14 Compliance O objetivo dos sistemas da qualidade atual é obter competitividade, existindo para estabelecer a comunicação entre o chão de fábrica e os anseios dos share-holders. Colocar a empresa na direção destes objetivos, obtendo sinergia, eficiência e eficácia, desperdício mínimo sem o cortar custos. No fundo no fundo, os procedimentos são na verdade o contrato entre as partes. Ter procedimentos descritos, significa ter claramente estabelecido quais as formas para se atingir os objetivos da empresa. Acreditações São compromissos assumidos perante a sociedade, os Selos de Acreditação da ABRAIDI, ONA, IBGC, ISACA, etc, tem haver com boas práticas e a empresa sinaliza aos clientes o que um diferencial, há um prévio processo de agregação de valor (investimento), quando conseguimos um selo ou uma certificação há uma sinalização ao mercado e um reconhecimento o diferencial que nada mais nada menos significa mais competitividade. SOX, ISACA, COBIT e ITIL.

15 Compliance Fisco como compliance. Como vimos o fisco cada vez mais estará dentro das empresas, desta maneira, não podemos mais entender o Fisco como algo alheio ao nosso dia-a-dia, algo inerente apenas a uma interface de sistemas ou apenas à contabilidade que é terceirizada. Concorrência/ ANVISA, Receita Federal, etc Existem sim dentro dos processos das empresas do nosso mercado condições, consideradas como um risco do tipo líquido e certo no que tange às relações que temos entre nós fornecedores e clientes.

16 Compliance RDC.59 Cópia do FDA21 que por sua vez é cópia das normativas ISO. Utilizando o conceito SWOT, identificamos facilmente um sistema da qualidade seja ele qual for, RDC.59, ISO 9000, ISO 13485, etc, como uma oportunidade. O governo transformou a norma em Lei. Encarando a RDC.59 apenas como uma obrigação legal, teremos como resultado tátil apenas custos, pois este sistema realmente não trabalhará para os objetivos da empresa, tornando-se apenas uma incomoda entidade paralela que estará alheia a realidade e ao dia-a-dia. Portanto, a empresa deve encarar uma certificação de boas práticas como uma oportunidade e através de um processo destes alcançar a competitividade. Isso será possível se o sistema da qualidade acontecer de verdade preocupado com o KAIZEN.

17 Compliance O KAIZEN implica em monitoramento constante dos indicadores do processo. Indicadores que reflitam o planejamento estratégico da empresa na busca dos seus objetivos. Além do monitoramento são necessárias ações que mantenham o plano em funcionamento. r Objetivo t

18 Apuração de Resultados Como podemos perceber, hoje em dia apuração não mais tange ao conceito de verificação do lucro das operações, verificar o DRE, por exemplo e a periodicidade com que isto é feito não mais deve ser no fechamento do mês. A verificação dos resultados das empresas precisam ser verificadas o atingimento de metas cotidianas, metas gerenciais e metas estratégicas. Os indicadores são o follow-up, e as ações são a coordenação, a gestão. Este é o ponto fundamental de qualquer processo dentro das empresas a Gestão, sem esta não há ações que convirjam os esforços nas empresas nos resultados pretendidos. Quando falamos neste follow-up estamos falando em apuração de resultados, e apuração de resultados não nestes casos não significa ver o DRE. A apuração de resultados não pode mais acontecer no final de grandes períodos, fechamento mensal, bimestral semestral. Quando acabou o mês os acontecimentos já viraram fatos e a oportunidade de atuar em função de das metas já passou virou história. Ex.: A meta de vendas do mês, ou a Budget do mês com compra de material para venda.

19 Planejamento Estratégico O que é o planejamento estratégico? Formulação de objetivos para assim derivar planos de ação, com a realização das execuções destes planos de forma controlada e consistente, levando em conta as capacidades, recursos competências e habilidades disponíveis para um dado período de tempo. Os produtos (implementação dos objetivos) devem ser factíveis, táteis. Os planos e objetivos devem levar em conta variáveis internas e externas a organização advindo de: Histórico de resultados Metas colocadas pelos share-holders Alinhamento com missão, visão, política e valores da empresa

20 Planejamento Estratégico Análise de Mercado Produto Carteira de clientes ou portfolio Politica de Preços/Margens de Contribuição, sustentabilidade. Concorrência Tendências Movimento Econômico Globalização Órgãos Reguladores Fisco Agências Entidades acreditadoras

21 Planejamento Estratégico Recursos Capacidade de Investimento da empresa (*competitividade) Capacidade produtiva Capacidade Tecnológica Valor Agregado Recursos Físicos Infraestrutura Espaço físico Capacidade Logística/Supply-Chain Localização, etc. Recursos Humanos Capacidade Habilidade Competências Comprometimento Motivação Capacidade de comunicação, etc.

22 Planejamento Estratégico Análise Ambiental Variáveis Ambientais Variáveis Culturais/Sociais Variáveis Demográficas Variáveis Econômicas Variáveis Jurídicas/Políticas Variáveis Psicológicas Variáveis Tecnológicas Análise SWOT (Strenghts, Weaknesses, Opportunities e Threats) Origem em SUN TZU Esta análise deverá produzir objetivos táteis que precisam ser viabilizados pelos departamentos envolvidos. Que precisam trabalhar em conjunto para que estes objetivos sejam realmente táteis. Ex.: JIT com um planejamento de aumento de 30% nas vendas, quais impactos?

23 Planejamento Estratégico Este processo deverá gerar índices e números factíveis, o plano estratégico deverá se materializar no papel, contendo números e deadlines, para que os número tornem-se realidade, um dos primeiros produtos táteis de um planejamento estratégico é o Budget. Budget Divisão de receitas e despesas que cada departamento deverá gerar dentro de um dado período, separado por centro de custo. O conceito de centro de custo. Dentro do Budget estarão também as metas de vendas? Da onde vêm estes conceitos...kaplan. Que outros tipos de indicadores o planejamento estratégico poderá prover, metas especificas de preços a serem praticados com grupos específicos de produtos, quantidades especificas realizadas periodicamente. E assim por diante. Estes índices dentro do modelo do Kaplan geram índices conhecidos como KPI que são utilizados no conceito do BSC.

24 Planejamento Estratégico A partir destas metas, os gestores precisam então criar juntamente com seus colaborados um plano de execução/plano de ação, um plano que viabilize as metas e objetivos materializados em número e indicadores e principalmente em normas, procedimentos, instruções de trabalho de um sistema da qualidade. A partir do plano de ação o gestor ainda tem mais uma tarefa, que é a criação do plano de gestão, a ferramenta dos gestores para conseguir manter o plano nos trilhos, que pode ser baseado nos KPIs, utilizado o conceito do Balanced Score Card, ou seja este precisa definir seus dash-boards e estratégias de atuação baseados em análise worstcase scenarios. Viabilizando assim o follow-up do planejamento estratégico.

25 Follow-Up de Planejamento Estratégico Fazer follow-up do planejamento estratégico é o monitoramento dos processos, é a apuração constante de resultados, e principalmente a tomada de ações que mantenham o planejamento nos trilhos, sem esta GESTÃO o planejamento existe apenas para os olhos, mas não de fato. Não adianta ter a informação, ter a melhor informação no melhor tempo possível, se não há gestão ação, o planejamento estratégico se transforma em apenas mais um trabalho que não deu certo e cai no desacreditamento. Por isso é que vemos em algumas corporações um ceticismo exacerbado para com as repetidas tentativas de implementações de planejamentos estratégicos e assemelhados. Vamos demonstrar isso graficamente?

26 Follow-up Resultados Follow-Up de Planejamento Estratégico Plano Estratégico Plano Gestão Plano Execução Metodologia/Padronização Recursos/Direção Coordenação Conselho Direção Local Gestão Operação

27 Follow-Up de Planejamento Estratégico Fazer follow-up, não se trata apenas de olhar os números, mas principalmente trata-se de agir, requer constantes ações, deve haver a coordenação de recursos que dirijam os resultados aos objetivos pretendidos no planejamento estratégico. Este follow-up deve ser feito através de uma ferramenta de monitoramento, atualmente o que se escuta são os dash-boards. Usando conceitos de APO, BSC podemos monitorar real-time o desempenho das variáveis que garantirão o sucesso dos objetivos da empresa ou do planejamento estratégico.

28 Comunicação e ITIL Tudo o que falamos até então refere-se à comunicação, e é claro, este é o maior problema nas corporações hoje em dia. Não existe comunicação unilateral, a comunicação acontece apenas quando atinge seus objetivos. É muito comum hoje em dias as pessoas usarem um para se comunicar funciona? Pessoas podem ler algo num , jornal, ver algo na TV e simplesmente não significar nada, quando isto acontece, não houve comunicação. Este é um dos grandes paradigmas que está para cair logo, todas as empresas de tecnologia, hoje em dia, falam sobre comunicações unificadas, Microsoft, Oracle e Siebel lideram os estudos e tentativas de se estabelecer um método de comunicação que efetivamente funcione para as corporações. Este questão é um grande exemplo e que se torna extremamente obvia quando se fala em área de T.I. Para remetê-los ao que estou dizendo basta apenas perguntar, quem nunca ouviu a frase, a T.I. é uma caixa preta? Ou a T.I. é um mal necessário?

29 Comunicação e ITIL Demonstramos em termos de comunicação a distância que ainda existe entre o negócio e os prestadores de serviço de T.I. Esta situação é tão latente que própria área saiu na frente tentando criar modelos que desmistifiquem tais equívocos, surgindo a partir de então mecanismos e ferramentas com o propósito de exatamente reestabelecer esta comunicação. Dentre as mais conhecidas hoje em dia temos o COBIT e o ITIL, o COBIT mais voltado a uma política de governança de T.I. e ao planejamento da implementação da T.I. dentro das corporações. Já o ITIL, visa o estabelecimento da comunicação entre a T.I. e a própria corporação, com o foco no cliente e na qualidade dos serviços pela T.I. prestados, habilitando assim a organização a gestão tática e operacional dos recursos de T.I. buscando o alinhamento estratégico com o negócio. ITIL-Information Technology Infraestructure Library, é um conjunto de boas práticas a serem aplicadas na infraestrutura, operação e manutenção de serviços de tecnologia da informação, desenvolvido na em 1980 pela CCTA(Central Computer e Telecomunications Agency) da Inglaterra.

30 Comunicação e ITIL Atualmente, por força de lei as empresas de tecnologia da Europa tem que ter certificação ITIL e nos EUA, as empresas que estão na Bolsa se Valores em NY, através da lei-sox, devem ter certificação COBIT, dentre outras certificações. Para nós o principal, é que através das praticas ITIL, podemos reestabelecer ou finalmente estabelecer a comunicação entre a T.I. e a empresa, deixando claras responsabilidades, autoridades, resultados e ainda a formatação de uma Base de Conhecimento. Para dar um pequeno exemplo, a maioria das grandes construtoras e incorporadoras do pais adotaram tais práticas não apenas para a área de T.I., mas adotaram-nas para estabelecer a comunicação da empresa com o mercado, seus clientes. Basicamente a principal mudança do ITIL, está no veículo de comunicação que passa a ser centralizado (comunicações unificadas Microsoft/Oracle-Siebel). Padronização da comunicação e procedimentos da T.I. implementação do modelo de governança ITIL(Information Technology Infrastructure Library).

31 Comunicação e ITIL Gestão/ Processo Decisório Usuários Comunicações Unificadas Atendimento 1.o Nível Terceirizado Área de Sistemas Infraestrutura Local

32 O Papel da T.I./Apresentação das Soluções da Mirlink Hoje em dia, existe realmente uma readequação das áreas e empresas de T.I. ao termo Tecnologia da Informação. Basicamente T.I. significa Tecnologia de distribuição de informação, ou seja ao distribuir a informação a T.I. cumpria seu papel, dai o primeiro ponto de divergência entre fornecedores de T.I e seus clientes. Como dito antes não é porque a empresa dispõe de informações gerenciais sofisticadas que seus objetivos e propósitos foram atingidos, muito pelo contrário. Por outro lado, os fornecedores para ter um papel, precisam resolver algo que hoje em dia pode-se considerar um problema grande. A comunicação, portanto inicialmente as empresas de T.I. hoje em dia precisam estabelecer um relacionamento com seus clientes valendo-se de um modelo ou ferramenta, sem isto os costumeiros mal-entendidos continuarão a acontecer e quanto mais o tempo passar maior será o desgaste entre as áreas envolvidas.

33 O Papel da T.I./Apresentação das Soluções da Mirlink Por estes motivos a Mirlink adotou como ferramenta da comunicação entre seus cliente as práticas do ITIL, toda a comunicação se dá através da nossa intranet, ficando ali registrados todos e quaisquer eventos de suporte ou novas funcionalidades, proporcionando a gestão e o melhor direcionamento dos esforços da empresa de forma a melhorar a comunicação e consequentemente os resultados esperados pelos nossos clientes.

34 O Papel da T.I./Apresentação das Soluções da Mirlink O mais interessante é que este modelo não apenas estabelece a comunicação entre o cliente e a Mirlink, mas também estabelece a comunicação entre as áreas envolvidas num dado assunto dentro do cliente. Estabelecer esta comunicação é fundamental para o sucesso das empresas, pois, os departamentos começam a aprender como estão intrinsicamente ligados e como interagem em função dos objetivos da empresa. Com o estabelecimento da comunicação com clientes dentro de uma dada empresa, a próxima etapa é estabelecer a comunicação dentro da empresa. Isto deve acontecer de uma ferramenta que irá estabelecer procedimentos, interação entre pessoas, departamentos, recursos e objetivos da corporação, além de ser o principal veículo de distribuição de informação dentro das empresas. Esta ferramenta normalmente é conhecida como ERP (Entreprise Resource Planning), o sistema integrado de gestão empresarial. Quando nossa realidade muda, assim também mudam as nossas necessidades. Isto explica o constante processo de modificações de processos e o alto nível de customizações existentes hoje nas empresas.

35 O Papel da T.I./Apresentação das Soluções da Mirlink A ferramenta da Mirlink é o ERP SisOper + SmartOper. Comunicação Integração(SMS, , CRM, GED); Competitividade; Sistemas de Gestão da Qualidade (Compliance); Distribuição de Informação (Um BI para Todos); Apuração de Resultados; Planejamento Estratégico; Follow-Up de planejamento estratégico. A ferramenta de Análise Gerencial da Mirlink é o SIG SmartOper Querying e B.I. das informações gerenciais relativas ao dia-a-dia da empresa; Follow-Up de vendas, Marketing, etc. A nossa ferramenta de monitoramento do processo, apuração de resultados e follow-up de planejamento estratégico é o painel AppConsole.

O valor das empresas e o consumo das empresas brasileiras

O valor das empresas e o consumo das empresas brasileiras Tópicos A queda dos preços dos produtos Concorrência e competitividade A Exploração do Mercado Brasileiro A chegada das empresas eficientes e seus impactos Valor agregado e diferencial O valor das empresas

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Ementa Conceitos básicos de informática; evolução do uso da TI e sua influência na administração; benefícios; negócios na era digital; administração

Leia mais

PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES

PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES Fábio S. de Oliveira 1 Daniel Murara Barcia 2 RESUMO Gerenciar informações tem um sido um grande desafio para as empresas diante da competitividade

Leia mais

Apresentação da Empresa

Apresentação da Empresa Apresentação da Empresa Somos uma empresa especializada em desenvolver e implementar soluções de alto impacto na gestão e competitividade empresarial. Nossa missão é agregar valor aos negócios de nossos

Leia mais

MBA em Gestão de Tecnologia da Informação. Governança de TI. Lincoln Herbert Teixeira lincolnherbert@gmail.com

MBA em Gestão de Tecnologia da Informação. Governança de TI. Lincoln Herbert Teixeira lincolnherbert@gmail.com MBA em Gestão de Tecnologia da Informação Governança de TI Lincoln Herbert Teixeira lincolnherbert@gmail.com Governança de TI Ementa: Relacionar a governança de TI com a governança corporativa. Boas práticas

Leia mais

GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com

GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com Conceito Com base nas definições podemos concluir que: Governança de de TI TI busca o compartilhamento de de decisões de de TI TI com os os demais dirigentes

Leia mais

Unidade I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Prof. Daniel Arthur Gennari Junior

Unidade I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Unidade I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Prof. Daniel Arthur Gennari Junior A disciplina Nossa disciplina se divide em 4 unidades de aprendizagem: 1. Conceitos e contexto empresarial

Leia mais

Governança de TI. Focos: Altas doses de Negociação Educação dos dirigentes das áreas de negócios

Governança de TI. Focos: Altas doses de Negociação Educação dos dirigentes das áreas de negócios Governança de TI Parte 3 Modelo de Governança v2 Prof. Luís Fernando Garcia LUIS@GARCIA.PRO.BR Modelo de Governança de TI Modelo adaptação para qualquer tipo de organização Componentes do modelo construídos/adaptados

Leia mais

Automação de Processos de Governança de TI. As diversas Gerações da Gestão Organizacional. A Quarta Geração é a da Gestão de Processos

Automação de Processos de Governança de TI. As diversas Gerações da Gestão Organizacional. A Quarta Geração é a da Gestão de Processos Automação de Processos de Governança de TI Autor: Omar Mussi A Governança Corporativa vem sendo adotada pelas organizações para atender às necessidades de um mercado cada vez mais competitivo e para enfrentar

Leia mais

CobiT: Visão Geral e domínio Monitorar e Avaliar. Daniel Baptista Dias Ernando Eduardo da Silva Leandro Kaoru Sakamoto Paolo Victor Leite e Posso

CobiT: Visão Geral e domínio Monitorar e Avaliar. Daniel Baptista Dias Ernando Eduardo da Silva Leandro Kaoru Sakamoto Paolo Victor Leite e Posso CobiT: Visão Geral e domínio Monitorar e Avaliar Daniel Baptista Dias Ernando Eduardo da Silva Leandro Kaoru Sakamoto Paolo Victor Leite e Posso CobiT O que é? Um framework contendo boas práticas para

Leia mais

Slice Management. Controlando o que você não vê. Direto ao assunto

Slice Management. Controlando o que você não vê. Direto ao assunto Slice Management Controlando o que você não vê Direto ao assunto O Slice Management (SM) é uma prática de gerenciamento que consiste em colocar um sistema de inteligência em todas as áreas da empresa.

Leia mais

Soluções de Tecnologia da Informação

Soluções de Tecnologia da Informação Soluções de Tecnologia da Informação Software Corporativo ERP ProdelExpress Diante da nossa ampla experiência como fornecedor de tecnologia, a PRODEL TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO oferece aos seus clientes

Leia mais

CobIT. Eduardo Mayer Fagundes. Um framework para a eficiência das organizações de Tecnologia da Informação e Telecomunicações

CobIT. Eduardo Mayer Fagundes. Um framework para a eficiência das organizações de Tecnologia da Informação e Telecomunicações CobIT Um framework para a eficiência das organizações de Tecnologia da Informação e Telecomunicações Eduardo Mayer Fagundes Copyright(c)2008 por Eduardo Mayer Fagundes 1 Agenda 1. Princípio de Gestão Empresarial

Leia mais

Então resolvi listar e explicar os 10 principais erros mais comuns em projetos de CRM e como podemos evita-los.

Então resolvi listar e explicar os 10 principais erros mais comuns em projetos de CRM e como podemos evita-los. Ao longo de vários anos de trabalho com CRM e após a execução de dezenas de projetos, penso que conheci diversos tipos de empresas, culturas e apesar da grande maioria dos projetos darem certo, também

Leia mais

BPM e o Modelo de Gestão NeoGrid. Out/2013

BPM e o Modelo de Gestão NeoGrid. Out/2013 BPM e o Modelo de Gestão NeoGrid Out/2013 QUEM SOMOS? Uma multinacional brasileira presente em cinco continentes, provendo soluções para a sincronização da cadeia de suprimentos São mais de empresas gerenciando

Leia mais

OS NOVOS PARADIGMAS E DESAFIOS DA FUNÇÃO CONTROLADORIA

OS NOVOS PARADIGMAS E DESAFIOS DA FUNÇÃO CONTROLADORIA Ribeirão Preto -SP OS NOVOS PARADIGMAS E DESAFIOS DA FUNÇÃO CONTROLADORIA Palestrante Luís Valíni Neto Técnico Contábil - Administrador de Empresas pela Universidade de Ribeirão Preto - Pós - graduado

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a SISTEMAS INTEGRADOS Prof. Eduardo Oliveira Bibliografia adotada: COLANGELO FILHO, Lúcio. Implantação de Sistemas ERP. São Paulo: Atlas, 2001. ISBN: 8522429936 LAUDON, Kenneth C.; LAUDON, Jane Price. Sistemas

Leia mais

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA.

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus valores e princípios,

Leia mais

www.pwc.com AMCHAM Visão integrada das áreas de Marketing e Finanças Abril de 2013

www.pwc.com AMCHAM Visão integrada das áreas de Marketing e Finanças Abril de 2013 www.pwc.com Visão integrada das áreas de Marketing e Finanças Agenda Introdução Como abordar o problema Discussões Conclusão PwC 2 Introdução PwC 3 Introdução Visões do Marketing Marketing tem que fazer

Leia mais

- Como utilizar essas medidas para analisar, melhorar e controlar o desempenho da cadeia de suprimentos?

- Como utilizar essas medidas para analisar, melhorar e controlar o desempenho da cadeia de suprimentos? Fascículo 5 A medição do desempenho na cadeia de suprimentos Com o surgimento das cadeias de suprimento (Supply Chain), a competição no mercado tende a ocorrer cada vez mais entre cadeias produtivas e

Leia mais

OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS RISCOS E SOLUÇÕES Rui Miguel Coelho IT TAX Solutions. BDO Brazil Page 1

OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS RISCOS E SOLUÇÕES Rui Miguel Coelho IT TAX Solutions. BDO Brazil Page 1 OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS RISCOS E SOLUÇÕES Rui Miguel Coelho IT TAX Solutions Page 1 DIVISÓRIA REALIDADE TREBUCHET E COMPLEXIDADE MS pt.32 TRIBUTÁRIA (BRANCO) BRASILEIRA VISÃO GERAL Page 2 ESTUDO DO BANCO

Leia mais

Unidade IV ESTRATÉGIA COMPETITIVA. Profa. Lérida Malagueta

Unidade IV ESTRATÉGIA COMPETITIVA. Profa. Lérida Malagueta Unidade IV ESTRATÉGIA COMPETITIVA Profa. Lérida Malagueta Estratégia competitiva Já conhecemos os conceitos sobre a teoria da decisão estratégica e de como competem e cooperam: Os decisores As empresas

Leia mais

Agenda. Visão Geral Alinhamento Estratégico de TI Princípios de TI Plano de TI Portfolio de TI Operações de Serviços de TI Desempenho da área de TI

Agenda. Visão Geral Alinhamento Estratégico de TI Princípios de TI Plano de TI Portfolio de TI Operações de Serviços de TI Desempenho da área de TI Governança de TI Agenda Visão Geral Alinhamento Estratégico de TI Princípios de TI Plano de TI Portfolio de TI Operações de Serviços de TI Desempenho da área de TI Modelo de Governança de TI Uso do modelo

Leia mais

A medição do desempenho na cadeia de suprimentos JIT e compras

A medição do desempenho na cadeia de suprimentos JIT e compras A medição do desempenho na cadeia de suprimentos JIT e compras Medição do desempenho na cadeia de suprimentos Medição do desempenho Sob a perspectiva da gestão da produção, o desempenho pode ser definido

Leia mais

Lista de Exercícios - COBIT 5

Lista de Exercícios - COBIT 5 Lista de Exercícios - COBIT 5 1. O COBIT 5 possui: a) 3 volumes, 7 habilitadores, 5 princípios b) 3 volumes, 5 habilitadores, 7 princípios c) 5 volumes, 7 habilitadores, 5 princípios d) 5 volumes, 5 habilitadores,

Leia mais

Impacto do ERP na Gestão das Empresas PME. Data Apresentação 13/10/2014

Impacto do ERP na Gestão das Empresas PME. Data Apresentação 13/10/2014 Impacto do ERP na Gestão das Empresas PME. Data Apresentação 13/10/2014 Sobre o Palestrante Nome: Osvaldo L Aoki Bacharel em Ciências da Computação pela Unicamp Pos MBA em Gestão Empresarial pela FGV Trabalhou

Leia mais

Auditoria de TI agregando valor aos negócios - A visão pragmática da Governança de TI - Marcio Araujo, CGEIT Gerente de Governança de TI

Auditoria de TI agregando valor aos negócios - A visão pragmática da Governança de TI - Marcio Araujo, CGEIT Gerente de Governança de TI Auditoria de TI agregando valor aos negócios - A visão pragmática da Governança de TI - Marcio Araujo, CGEIT Gerente de Governança de TI Desafios do CIO Principais preocupações: Capacidade de entrega em

Leia mais

Indicadores de desempenho de processos de negócio

Indicadores de desempenho de processos de negócio Indicadores de desempenho de processos de negócio 14:30, a sala de reunião de uma empresa. De um lado da mesa estão o gerente de um produto, um usuário-chave representante do cliente, do outro se encontram

Leia mais

Sintegra & Sped Fiscal

Sintegra & Sped Fiscal As alterações nos processos fiscais e Sintegra & Sped Fiscal os seus impactos para as pequenas e (A solução!) médias empresas no Brasil Quem somos nós... A MF Tecnologia e Sistemas se especializou no sentido

Leia mais

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade II GOVERNANÇA DE TI

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade II GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Unidade II GOVERNANÇA DE TI Estratégia e governança em TI Estratégia empresarial A palavra estratégia vem do grego strategus = "o general superior ou "generalíssimo. Strategia

Leia mais

ISO/IEC 20000. Curso e-learning. Sistema de Gerenciamento de Serviços da Tecnologia da Informação

ISO/IEC 20000. Curso e-learning. Sistema de Gerenciamento de Serviços da Tecnologia da Informação Curso e-learning ISO/IEC 20000 Sistema de Gerenciamento de Serviços da Tecnologia da Informação Este é um curso independente desenvolvido pelo TI.exames em parceria com a CONÊXITO CONSULTORIA que tem grande

Leia mais

PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO. ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br

PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO. ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br POR QUE ESCREVEMOS ESTE E-BOOK? Nosso objetivo com este e-book é mostrar como a Gestão de Processos

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI)

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Business Intelligence Inteligência Competitiva tem por fornecer conhecimento

Leia mais

Nós fazemos Gestão e sua Empresa faz Sucesso! Portfólio. Francisco & Francisco Sistemas de Gestão Ltda. 1. Quem Somos?

Nós fazemos Gestão e sua Empresa faz Sucesso! Portfólio. Francisco & Francisco Sistemas de Gestão Ltda. 1. Quem Somos? Portfólio 1. Quem Somos? Somos uma Equipe de Auditores, Consultores e Assessores Empresariais com diversas competências para melhorar o desempenho de qualquer negócio por meio de SISTEMAS DE GESTÃO DA

Leia mais

OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES

OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES BOLETIM TÉCNICO MAIO/2011 OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES Um empresário da indústria se assustou com os aumentos de custo e de impostos e reajustou proporcionalmente seus preços. No mês seguinte,

Leia mais

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO OBJETIVO Incrementar a economia digital do Estado de Alagoas e seus benefícios para a economia local, através de ações para qualificação, aumento de competitividade e integração das empresas e organizações

Leia mais

oftware Totvs, Linx e Crivo foram os Destaques do Ano entre as empresas desenvolvedoras de software de grande, médio e pequeno portes, de acordo com

oftware Totvs, Linx e Crivo foram os Destaques do Ano entre as empresas desenvolvedoras de software de grande, médio e pequeno portes, de acordo com 73 oftware Totvs, Linx e Crivo foram os Destaques do Ano entre as empresas desenvolvedoras de software de grande, médio e pequeno portes, de acordo com os dados de balanço analisados pela equipe do Anuário

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br COBIT Governança de TI Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br Sobre mim Juvenal Santana Gerente de Projetos PMP; Cobit Certified; ITIL Certified; OOAD Certified; 9+ anos de experiência em TI; Especialista

Leia mais

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com. Conceitos - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação - Dados x Informações Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.br Definição de Sistema Uma coleção de objetos unidos por alguma forma

Leia mais

Resumo Executivo. Modelo de Planejamento. Resumo Executivo. Resumo Executivo. O Produto ou Serviço. O Produto ou Serviço 28/04/2011

Resumo Executivo. Modelo de Planejamento. Resumo Executivo. Resumo Executivo. O Produto ou Serviço. O Produto ou Serviço 28/04/2011 Resumo Executivo Modelo de Planejamento O Resumo Executivo é comumente apontada como a principal seção do planejamento, pois através dele é que se perceberá o conteúdo a seguir o que interessa ou não e,

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO - UNIVERSITAS

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO - UNIVERSITAS Curso de Administração Autorizado pela Portaria nº 2573, de 04 de dezembro de 2001. FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO - UNIVERSITAS CURSO: ADMINISTRAÇÃO PLANO SEMESTRAL DE ENSINO - 2009 Disciplina: Adm. de Sist.

Leia mais

1.1 Missão de uma empresa

1.1 Missão de uma empresa CI069 - Administração de Empresas de Informática - Turma 2010-1 Nome: Carlos Augusto Ligmanowski Junior GRR 20081238 Título: 3 - Estrutura, missão, valores e visão organizacionais Data: 01/06/2010 e como

Leia mais

Engenharia de Software Qualidade de Software

Engenharia de Software Qualidade de Software Engenharia de Software Qualidade de Software O termo qualidade assumiu diferentes significados, em engenharia de software, tem o significado de está em conformidade com os requisitos explícitos e implícitos

Leia mais

Sem que haja um sistema informatizado (ERP), com o cadastro de todos os dados vai ser impraticável o cumprimento das novas obrigações.

Sem que haja um sistema informatizado (ERP), com o cadastro de todos os dados vai ser impraticável o cumprimento das novas obrigações. Diadema (SP), 17 de outubro de 2011. CIRCULAR Nº. 12/2011 Referente: SPED Caro(s) Diretor(es), Gerente(s) e Supervisor(es), Saudações! Como é de seu conhecimento os órgãos da administração federal e estadual

Leia mais

SPED e NF- e Claudio Coli

SPED e NF- e Claudio Coli SPED e NF- e Claudio Coli A MASTERSAF Nossa Visão Missão Negócio Nossa Razão Convergência Promover Ética e Responsabilidade Social deixando um legado que seja motivo de Orgulho para nossos Clientes e Colaboradores

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão ERP Sistema Integrado de Gestão

Sistema Integrado de Gestão ERP Sistema Integrado de Gestão Sistema Integrado de Gestão ERP Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Sistema ERP; Processos de Desenvolvimento, Seleção, Aquisição, Implantação de ERP; Aderência e divergência

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE O SANGUE E A CONTABILIDADE NAS EMPRESAS ( * )

A RELAÇÃO ENTRE O SANGUE E A CONTABILIDADE NAS EMPRESAS ( * ) A RELAÇÃO ENTRE O SANGUE E A CONTABILIDADE NAS EMPRESAS ( * ) A Contabilidade é o sangue que circula no Sistema Integrado de Gestão. Implanta e integra controles em todos os órgãos da empresa e retorna

Leia mais

Bloco K no SPED FISCAL

Bloco K no SPED FISCAL Bloco K no SPED FISCAL Registro de Controle da Produção e do Estoque Bloco K no SPED Fiscal - Registro de Controle da Produção e do Estoque Obrigatoriedade Cronograma Estrutura Bloco K e SPED Fiscal: entenda

Leia mais

Governança de TI com melhores práticas COBIT, ITIL e BSC

Governança de TI com melhores práticas COBIT, ITIL e BSC {aula #1} com melhores práticas COBIT, ITIL e BSC www.etcnologia.com.br Rildo F Santos rildo.santos@etecnologia.com.br twitter: @rildosan (11) 9123-5358 skype: rildo.f.santos (11) 9962-4260 http://rildosan.blogspot.com/

Leia mais

Introdução A GOVERNANÇA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Introdução A GOVERNANÇA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Introdução A GOVERNANÇA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Referências Gerenciamento Estratégico da Informação. Aumente a Competitividade e a eficiência de sua empresa utilizando a informação como ferramenta

Leia mais

BLOCO K ENTENDA A NOVA OBRIGAÇÃO DO SPED FISCAL

BLOCO K ENTENDA A NOVA OBRIGAÇÃO DO SPED FISCAL BLOCO K ENTENDA A NOVA OBRIGAÇÃO DO SPED FISCAL Sumário: 01 02 03 04 05 O que é o Bloco K? Por onde começar? A quem se aplica? A quem não se aplica? Quais os impactos na organização? 06 07 08 09 10 Quais

Leia mais

10º Estudo da Gestão de TI no Brasil

10º Estudo da Gestão de TI no Brasil www.pwc.com/br 10º Estudo da Gestão de TI no Brasil Sumário executivo Maio de 2011 PwC Índice Introdução Resultados Conclusão 3 5 11 1 1. Introdução A 10º edição do Estudo da Gestão de Tecnologia da

Leia mais

Qualidade de Software no Contexto Organizacional: Arquitetura Corporativa. Atila Belloquim Gnosis IT Knowledge Solutions

Qualidade de Software no Contexto Organizacional: Arquitetura Corporativa. Atila Belloquim Gnosis IT Knowledge Solutions Qualidade de Software no Contexto Organizacional: Arquitetura Corporativa Atila Belloquim Gnosis IT Knowledge Solutions TI e Negócio 10 entre 10 CIOs hoje estão preocupados com: Alinhar TI ao Negócio;

Leia mais

FORMAÇÃO DE PREÇO 3ª aula

FORMAÇÃO DE PREÇO 3ª aula FORMAÇÃO DE PREÇO 3ª aula Formação de Preços Fatores Determinantes: Influência do macroambiente Análise da concorrência Comportamento de compra do consumidor Ciclo de vida do produto Segmentação do mercado

Leia mais

TRANSFORME INFORMAÇÕES EM RESULTADOS

TRANSFORME INFORMAÇÕES EM RESULTADOS TRANSFORME INFORMAÇÕES EM RESULTADOS Hoje, mais do que nunca, o conhecimento é o maior diferencial de uma organização, mas somente quando administrado e integrado com eficácia. Para melhor atender os seus

Leia mais

PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS EM RELAÇÃO AO SPED

PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS EM RELAÇÃO AO SPED Apresentação O Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) tem promovido grandes mudanças, as quais não se restringem à substituição do papel por informações digitais ou a questões puramente tecnológicas.

Leia mais

OS TRÊS PILARES DO LUCRO PEQUENA E MÉDIA EMPRESA

OS TRÊS PILARES DO LUCRO PEQUENA E MÉDIA EMPRESA BOLETIM TÉCNICO MAIO/2011 OS TRÊS PILARES DO LUCRO PEQUENA E MÉDIA EMPRESA Um empresário da indústria se assustou com os aumentos de custo e de impostos e reajustou proporcionalmente seus preços. No mês

Leia mais

o GUIA COMPLETO da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica

o GUIA COMPLETO da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica o GUIA COMPLETO da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica sumário >> Introdução... 3 >> Nota fiscal eletrônica: o começo de tudo... 6 >> Nota fiscal de consumidor eletrônica (NFC-e)... 10 >> Quais as vantagens

Leia mais

Módulo Contábil e Fiscal

Módulo Contábil e Fiscal Módulo Contábil e Fiscal Contabilidade Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Contábil e Fiscal Contabilidade. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

Parceria de sucesso para sua empresa

Parceria de sucesso para sua empresa Parceria de sucesso para sua empresa A Empresa O Grupo Espaço Solução atua no mercado de assessoria e consultoria empresarial há 14 anos, sempre realizando trabalhos extremamente profissionais, pautados

Leia mais

Um software de gestão é realmente capaz de atender as necessidades de cada profissional? Saiba mais e usufrua de benefícios que tornarão sua empresa

Um software de gestão é realmente capaz de atender as necessidades de cada profissional? Saiba mais e usufrua de benefícios que tornarão sua empresa Um software de gestão é realmente capaz de atender as necessidades de cada profissional? Saiba mais e usufrua de benefícios que tornarão sua empresa mais ágil, com menos papel e mais resultados. 2 ÍNDICE

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (PETI) Secretaria de Tecnologia da Informação Florianópolis, março de 2010. Apresentação A informatização crescente vem impactando diretamente

Leia mais

GERENCIAMENTO E PROCESSO Porque adotá-los? Onivaldo Roncatti e Leonardo Noshi

GERENCIAMENTO E PROCESSO Porque adotá-los? Onivaldo Roncatti e Leonardo Noshi GERENCIAMENTO E PROCESSO Porque adotá-los? Onivaldo Roncatti e Leonardo Noshi 1 Sobre a empresa A Business Station é uma provedora de soluções de tecnologia. Possui 5 filiais: São Paulo (matriz), Campinas,

Leia mais

COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO

COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO GOVERNANÇA DE TI O QUE É GOVERNANÇA DE TI É um conjunto de estruturas e processos que visa garantir que a TI suporte e maximize adequadamente os objetivos e estratégias

Leia mais

Reduza custos. Potencialize o valor da TI em seus negócios.

Reduza custos. Potencialize o valor da TI em seus negócios. Reduza custos. Potencialize o valor da TI em seus negócios. Autor: Douglas Marcos da Silva 7 Sumário Executivo Nas últimas décadas, a evolução tecnológica, a interdependência dos mercados e a intensificação

Leia mais

Governança. Sistemas de Informação 8º Período Prof: Mafran Oliveira

Governança. Sistemas de Informação 8º Período Prof: Mafran Oliveira Governança Sistemas de Informação 8º Período Prof: Mafran Oliveira 1 Definição de Governança Governança Corporativa: É a Estrutura que identifica os objetivos de uma organização e de que forma pode-se

Leia mais

IT SERVICES PORTFOLIO. SPEKTRUM IT Services Portfolio 1

IT SERVICES PORTFOLIO. SPEKTRUM IT Services Portfolio 1 IT SERVICES PORTFOLIO SPEKTRUM IT Services Portfolio 1 Ser a única no Brasil a ser certificada pela SAP, mostra como estamos à frente no que tange à transparência em todos os nossos processos e, especialmente,

Leia mais

3) Descreva resumidamente a função do módulo de Compras do ERP da Microsiga e qual é a sua relação com o conceito de e-procurement.

3) Descreva resumidamente a função do módulo de Compras do ERP da Microsiga e qual é a sua relação com o conceito de e-procurement. Professor:José Alves Disciplina:SIG/ Atividade Nota Nome Aluno(a) Nºs Exercícios SIG 1) Defina, com suas palavras, o que é ERP? 2) Marque V para as afirmações verdadeiras em relação a um ERP e F para as

Leia mais

Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia

Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia P ORTFÓ FÓLIO Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia versão 1.1 ÍNDICE 1. A EMPRESA... 3 2. BI (BUSINESS INTELLIGENCE)... 5 3. DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS... 6 3.1. PRODUTOS

Leia mais

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Uma visão abrangente dos negócios Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Negócios sem barreiras O fenômeno da globalização tornou o mercado mais interconectado e rico em oportunidades.

Leia mais

Carlos Henrique Santos da Silva

Carlos Henrique Santos da Silva GOVERNANÇA DE TI Carlos Henrique Santos da Silva Mestre em Informática em Sistemas de Informação UFRJ/IM Certificado em Project Management Professional (PMP) PMI Certificado em IT Services Management ITIL

Leia mais

Atividade: COBIT : Entendendo seus principais fundamentos

Atividade: COBIT : Entendendo seus principais fundamentos SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO PIAUÍ CAMPUS FLORIANO EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO: TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PERÍODO

Leia mais

20 DICAS PARA CONTRATAR UMA EMPRESA DE CONSULTORIA

20 DICAS PARA CONTRATAR UMA EMPRESA DE CONSULTORIA 20 DICAS PARA CONTRATAR UMA EMPRESA DE CONSULTORIA Para implantar um Sistema de Gestão (Gestão por Processos, ISO 9001, SA 8000, OHSAS 18000 ou outras), muitas empresas têm recorrido aos serviços de Consultorias,

Leia mais

GOVERNANÇA DE T.I. - CONCEITOS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

GOVERNANÇA DE T.I. - CONCEITOS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza GOVERNANÇA DE T.I. - CONCEITOS Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza GOVERNANÇA CORPORATIVA GOVERNANÇA CORPORATIVA Também conhecida como Governança Empresarial " os mecanismos ou

Leia mais

Governança de TI. Importância para as áreas de Auditoria e Compliance. Maio de 2011. IT Governance Discussion

Governança de TI. Importância para as áreas de Auditoria e Compliance. Maio de 2011. IT Governance Discussion Governança de TI Importância para as áreas de Auditoria e Compliance Maio de 2011 Page 1 É esperado de TI mais do que deixar o sistema no ar. Page 2 O que mudou o Papel de TI? Aumento de riscos e de expectativas

Leia mais

Como preparar minha empresa para o esocial?

Como preparar minha empresa para o esocial? 1 Como preparar minha empresa para o esocial? SUMÁRIO Introdução Você sabe o que é o esocial? Como está sua empresa? Os pontos mais importantes para se adequar 3.1 - Criar um comitê 3.2 - Mapear os processos

Leia mais

Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio?

Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio? Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio? A Tecnologia da Informação vem evoluindo constantemente, e as empresas seja qual for seu porte estão cada

Leia mais

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Página 1 de 6 MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Carga Horária: 360 horas/ aulas presenciais + monografia orientada. Aulas: sábados: 8h30 às 18h, com intervalo para almoço. Valor: 16 parcelas

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional (PMP)

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional (PMP) Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional (PMP) Evolução da TI nas Organizações Estágios de Evolução da TI nas Organizações

Leia mais

Curso de Pós-Graduação em CC / SI Especialização em Engenharia de Software

Curso de Pós-Graduação em CC / SI Especialização em Engenharia de Software Curso de Pós-Graduação em CC / SI Especialização em Engenharia de Software Disciplina: Modelagem de Processos Prof. Ricardo Villarroel Dávalos ricardo.davalos@unisul.br e rvdavalos@gmail.com Porto União,

Leia mais

apoiada por TI Professor Sérgio Rodrigues professor@sergiorodrigues.net Cenário Estratégia Corporativa Planejamento Estratégico

apoiada por TI Professor Sérgio Rodrigues professor@sergiorodrigues.net Cenário Estratégia Corporativa Planejamento Estratégico Estratégia Corporativa apoiada por TI Professor Sérgio Rodrigues professor@sergiorodrigues.net Cenário Estratégia Corporativa Planejamento Estratégico O papel da TI na Estratégia do Negócio 2 Cenário Globalização

Leia mais

contribuições uma nova EtaPa começa aqui

contribuições uma nova EtaPa começa aqui InFORMe publicitário contribuições uma nova EtaPa começa aqui este ano mais de 1,3 milhão de empresas serão integradas ao Sped, avançado sistema de escrituração digital que visa combater a sonegação e

Leia mais

10 TÉCNICAS PARA GESTÃO COMERCIAL

10 TÉCNICAS PARA GESTÃO COMERCIAL 10 TÉCNICAS PARA GESTÃO COMERCIAL Os meses de dezembro e janeiro na maioria das empresas são marcados invariavelmente por atividades de planejamentos, orçamentos e metas para o ano novo. Para o próximo

Leia mais

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade?

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade? Nas atividades empresariais, a área financeira assume, a cada dia, funções mais amplas de coordenação entre o operacional e as expectativas dos acionistas na busca de resultados com os menores riscos.

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Gestão Organizacional da Logística Sistemas de Informação Sistemas de informação ERP - CRM O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para

Leia mais

Governança em TI ITIL, COBIT e ISO 20000

Governança em TI ITIL, COBIT e ISO 20000 ESADE ESCOLA SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO, DIREITO E ECONOMIA. CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Governança em TI ITIL, COBIT e ISO 20000 Camila Madeira Camila Pinto Daniel Mendes Elias Sarantopoulos Evandro Colpo Janaina

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Empresarial

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Empresarial CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Empresarial Coordenação Acadêmica FGV : Professora Denize Dutra CÓDIGO NO SIGA : VIANNA0/TMBAGE*1225-14 1. ECONOMIA EMPRESARIAL Fundamentos

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Convergência TIC e Projetos TIC

Convergência TIC e Projetos TIC TLCne-051027-P1 Convergência TIC e Projetos TIC 1 Introdução Você responde essas perguntas com facilidade? Quais os Projetos TIC mais frequentes? Qual a importância de BI para a venda de soluções TIC (TI

Leia mais

TI em Números Como identificar e mostrar o real valor da TI

TI em Números Como identificar e mostrar o real valor da TI TI em Números Como identificar e mostrar o real valor da TI João Maldonado / Victor Costa 15, Outubro de 2013 Agenda Sobre os Palestrantes Sobre a SOLVIX Contextualização Drivers de Custo Modelo de Invenstimento

Leia mais

É a função administrativa que define quais os objetivos a atingir e como se deve fazer para alcançálos.

É a função administrativa que define quais os objetivos a atingir e como se deve fazer para alcançálos. PLANEJAMENTO É a primeira função administrativa; base para as demais funções. É a função administrativa que define quais os objetivos a atingir e como se deve fazer para alcançálos. Um modelo teórico para

Leia mais

Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender Informações e Contatos

Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender Informações e Contatos FORMAR SEU PREÇO Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender TODOS OS DIREITOS RESERVADOS Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer forma ou por qualquer meio. Informações e Contatos Mania de

Leia mais

Inteligência de Dados

Inteligência de Dados Inteligência de Dados Apoio Master Transformando Dados em Vantagem Competitiva Leonardo Couto Sócio e Diretor Comercial leo.couto@wiseminer.com +55 21 9 7295 1422 Big Data Bang e os desafios da gestão

Leia mais

Governança de TI com COBIT, ITIL e BSC

Governança de TI com COBIT, ITIL e BSC {aula #2} Parte 1 Governança de TI com melhores práticas COBIT, ITIL e BSC www.etcnologia.com.br Rildo F Santos rildo.santos@etecnologia.com.br twitter: @rildosan (11) 9123-5358 skype: rildo.f.santos (11)

Leia mais

LSoft SGC Gestão Empresarial

LSoft SGC Gestão Empresarial LSoft SGC Gestão Empresarial O LSoft SGC é um sistema de gestão dinâmico, eficiente e flexível idealizado para atender diversos segmentos de indústrias, comércios e serviços. O objetivo principal é tornar

Leia mais

MBA Gestão da Tecnologia de Informação

MBA Gestão da Tecnologia de Informação MBA Gestão da Tecnologia de Informação Informações: Dias e horários das aulas: Segundas e Terças-feiras das 18h00 às 22h00 aulas semanais; Sábados das 08h00 às 12h00 aulas quinzenais. Carga horária: 600

Leia mais

Planejamento Econômico-Financeiro

Planejamento Econômico-Financeiro Planejamento Econômico-Financeiro São Paulo, Junho de 2011 Esse documento é de autoria da E Cunha Consultoria. A reprodução deste documento é permitida desde que citadas as fontes e a autoria do estudo.

Leia mais

ESCOPO DA APRESENTAÇÃO. Governança Modelos de nível de maturidade CobiT Balanced Scorecard Accountancy Scorecard SLM e SLA

ESCOPO DA APRESENTAÇÃO. Governança Modelos de nível de maturidade CobiT Balanced Scorecard Accountancy Scorecard SLM e SLA Governança Corporativa Utilizando Balanced Scorecard ESCOPO DA APRESENTAÇÃO Governança Modelos de nível de maturidade CobiT Balanced Scorecard Accountancy Scorecard SLM e SLA BIBLIOGRAFIA REFERENCIAL UTILIZADA

Leia mais

GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES

GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES Maio de 2012 O QUE É A EFD-Contribuições trata de arquivo digital instituído no Sistema Publico de Escrituração Digital SPED, a ser utilizado pelas pessoas jurídicas de direito

Leia mais