fiergs encaminha manifesto

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "fiergs encaminha manifesto"

Transcrição

1 S. E. M. A. N. A Porto Alegre, 14 de agosto de 2015 / nº 32 / Ano XX / fiergs encaminha manifesto aos industriais e políticos do rs A FIERGS se une à Confederação Nacional da Indústria CNI no documento O Brasil que todos queremos, cujo texto resume a disposição das entidades de buscar as soluções que a sociedade almeja e merece. Todos sabemos da seriedade do momento no País, que requer entendimento e responsabilidade, ressalta o presidente da FIERGS, Heitor José Müller. Esta é a íntegra do posicionamento : que todos queremos O Brasil vive um momento grave e complexo. É preciso evitar que a crise se aprofunde e torne ainda mais difícil a superação dos problemas. Há um problema de confiança que mina as decisões dos indivíduos e empresas e aprofunda a recessão. O impasse político imobiliza o País, paralisa decisões, eleva custos e gera incertezas sobre o futuro. O País está sendo derrotado pelo pessimismo. A responsabilidade de reverter esse quadro e gerar uma agenda é de todos. É papel do sistema político construir soluções e atuar de forma que os impasses sejam superados. O Brasil já enfrentou outros momentos difíceis e graves. E soube enfrentá-los. Este ambiente penaliza trabalhadores, empresas e consumidores. A indústria tem sua capacidade de produzir, investir e gerar emprego e renda comprometida. O momento é de chamar todos à responsabilidade. É preciso que todas as forças políticas adotem ações efetivas para o Brasil voltar a crescer. É preciso que o Congresso e o executivo convirjam e se mobilizem para viabilizar uma agenda para o fortalecimento da economia. Temos que prosseguir com o reequilíbrio fiscal e as reformas estruturais. É preciso que o Judiciário siga cumprindo seu trabalho constitucional com firmeza e independência e que não perca de vista a preservação das empresas, responsáveis pela geração de emprego e renda. Não podemos assistir passivos à deterioração do País. O atual ambiente precisa ser transformado. A indústria brasileira propõe um diálogo com os Poderes da República e a sociedade para buscar soluções e construir uma agenda em favor da modernização institucional, política e econômica do País. Precisamos mirar no que é mais importante e trabalharmos para a construção de um Brasil democrático e próspero.

2 Exportações gaúchas caem 9,8% em julho As exportações do Rio Grande do Sul recuaram 9,8% em julho, em relação ao mesmo mês do ano passado, e totalizaram US$ 1,83 bilhão. Esse resultado foi determinado pela indústria de transformação, que teve retração de 14,9% ao somar US$ 1,15 bilhão valor mais baixo para o mês desde O arrefecimento da demanda externa do Paraguai (-68,4%) e da Argentina (-24,4%) explica praticamente a metade dessas perdas. A desvalorização da taxa de câmbio não tem gerado um benefício sobre as nossas exportações, uma vez que a elevação dos custos de produção acaba neutralizando esse efeito. Além disso, o cenário para a demanda externa por nossos produtos piorou, a partir da intensificação da desaceleração econômica em vários países, sobretudo os emergentes, analisa o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Heitor José Müller. Os segmentos industriais com as maiores desacelerações foram coque e derivados de petróleo (-58,9%), tabaco (-27,1%), máquinas e equipamentos (-22,9%), veículos automotores (-22,3%) e produtos alimentícios (-17,1%). Por outro lado, celulose e papel (193,3%), madeira (55,6%) e produtos de metal (23,5%) elevaram seus embarques. Os produtos básicos (commodities) apresentaram leve crescimento (0,9%), determinado pelas vendas externas de soja para a China. O país asiático alcançou o primeiro lugar entre os parceiros comerciais do Estado (US$ 634 milhões). Os Estados Unidos ocuparam a segunda posição (US$ 138,5 milhões) ao comprarem em especial tabaco não-manufaturado, apesar dos embarques terem encolhido 2,7%. A Argentina ficou na terceira colocação (US$ 99,8 milhões), obtendo basicamente polietilenos. Ainda nessa base de comparação, as importações totais caíram 20,4%, somando US$ 1,12 bilhão valor mais baixo desde Essa contração ocorreu determinada pelo grupo combustíveis e lubrificantes (-63,6%), em função do quadro recessivo e dos menores preços do petróleo no mercado internacional. Já as mercadorias ligadas à indústria tiveram avanços: bens de capital (21,7%) e bens intermediários (5,8%). Acumulado do ano De janeiro a julho, as exportações totais caíram 9,8% (totalizando US$ 9,87 bilhões), com a indústria retraindo 10,1% (US$ 6,78 bilhões). As principais contribuições negativas vieram de coque e derivados de petróleo (-88,6%), máquinas e equipamentos (-19,6%) e produtos alimentícios (-6,1%). Principais Estados exportadores no mês (US$ milhões) Julho/14 Part (%) Julho/15 Part (%) Var (%) US$ milhões São Paulo ,2% ,3% -7,5% -349 Minas Gerais ,4% % -22,6% -596 Rio Grande do Sul ,8% ,9% -9,8% -198 Paraná ,2% ,3% -7,2% -119 Rio de Janeiro ,8% ,9% 62% Mato Grosso ,1% ,7% 1,1% 16 Pará % ,8% -5,9% -68 Espírito Santo ,4% 829 4,5% -33,1% -410 Bahia 899 3,9% 808 4,4% -10,1% -91 Santa Catarina 920 4% 681 3,7% -26% -239 Total do grupo ,8% ,3% -21,8% Total geral % % -19,5% Fonte: MDIC/FIERGS-UEE

3 WorldSkills 2015 valoriza o ensino técnico Foto: Miguel Ângelo Desde quarta-feira, 1,2 mil jovens estão focados nas suas tarefas para vencer a 43ª WorldSkills, a olimpíada internacional de profissões técnicas, cujas provas seguem até este sábado, no Anhembi Parque, em São Paulo. A cerimônia de abertura da competição, na noite de terça-feira, que contou com a presença do presidente da FIERGS, Heitor José Müller, teve a apresentação da delegação dos 62 países participantes, celebrou a educação profissional e encantou a plateia com um show sobre a diversidade e a riqueza da cultura e do folclore brasileiros. Na cerimônia, o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, disse que a realização da competição no Brasil reafirma a importância da educação profissional para as empresas, para os jovens e para o País. A WorldSkills 2015 representa a obstinação da indústria brasileira pela produtividade e a qualidade de seus trabalhadores, destacou Andrade. Segundo ele, além de trazer inovação para as empresas, a educação profissional abre oportunidades para os jovens construírem uma carreira de sucesso. Ministro afirma que Brasil ganhará em produtividade se investir na formação De acordo com o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto, o Brasil tem feito um grande esforço para melhorar a qualidade da educação e ampliar o acesso dos jovens ao ensino técnico. Entendemos que a educação profissional é o passaporte para a cidadania plena, disse Monteiro Neto, acrescentando que o País precisa investir na formação dos seus trabalhadores para ter ganhos de produtividade. Para o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, a olimpíada de profissões técnicas é uma competição em que os jovens só obtêm benefícios, mesmo os que não conquistam medalhas. Todos ganham experiência, ganham com o aprendizado. O Brasil se orgulha desses jovens, destacou. Competição internacional de profissões reúne 1,2 mil jovens no Anhembi, em São Paulo

4 Foto: José Paulo Lacerda O Brasil tem 56 competidores participando do Worldskills Eles disputam o título de melhor profissional do mundo em 50 ocupações da indústria e do setor de serviços, como mecatrônica, robótica manufatura integrada, manutenção de aeronaves, marcenaria, design gráfico, polimecânica, joalheria, panificação e outras. Nas provas, os competidores precisam executar tarefas do dia a dia das profissões que escolheram. Vencem aqueles que finalizam o trabalho dentro dos prazos e dos padrões internacionais de qualidade. A equipe brasileira é integrada por 50 alunos formados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e seis do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). Essa é a maior delegação reunida pelo País para a competição internacional. A seleção dos brasileiros para a competição mundial começa nas escolas de formação profissional. Os melhores alunos são convidados a participar da etapa estadual da Olimpíada do Conhecimento. Os vencedores competem na etapa nacional do torneio de profissões e os mais bem colocados participam das seletivas para o Mundial. Ficam com a vaga aqueles que alcançam índices internacionais de qualidade técnica ao executar as tarefas do dia a dia do trabalho em suas ocupações, o que comprova que estão prontos para levar o Brasil ao pódio na WorldSkills. Os três competidores do Senai-RS, Diego Basso e Matheus Gaspery (Mecatrônica) evictor Bernardo (Tecnologia em Mídia Impressa) têm o mesmo ponto de vista: buscam a medalha de ouro, mas já se sentem vencedores pelo treinamento profissional e conhecimento adquirido. Além de tecnicamente, profissionalmente, ganhamos pessoalmente. Aprendi a lidar com pessoas, emoções e problemas, destaca Gaspery. Para o Senai, a participação na WorldSkills aproxima os jovens profissionais das modernas tecnologias, promove o intercâmbio de experiências e ajuda a melhorar a qualidade da educação profissional. Na competição, temos a oportunidade de fazer intercâmbios com especialistas de outros países. Tudo isso enriquece o conhecimento disseminado para todas as escolas, afirma o diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi. Ele lembra que ao melhorar a qualidade da educação profissional, o Senai ajuda a aumentar a produtividade do trabalhador da indústria, fundamental para garantir o crescimento econômico. A WorldSkills deve receber mais de 200 mil visitantes até amanhã. Os vencedores serão conhecidos na noite de domingo. Foto: Miguel Ângelo serão conhecidos no domingo Foto: Divulgação FIERGS V encedores Presidente da FIERGS, Heitor José Müller, acompanhou de perto o esforço dos competidores gaúchos na busca pelo ouro

5 Israel oferece oportunidade em setores inovadores Oito milhões de habitantes, crescimento de 12% do PIB nos últimos três anos e uma renda per capita de US$ 37 mil. As características são de Israel, que apesar de ter um território com área semelhante ao do Sergipe menor Estado brasileiro, é um dos maiores países em inovação. Trezentas das principais empresas de tecnologia do mundo têm seus centros de desenvolvimento instalados por lá e empregam 50 mil pessoas. Para que os empresários gaúchos pudessem conhecer mais sobre a economia israelense, ocorreu o Seminário RS x Israel: Oportunidade de Negócios e Inovação, nesta quinta-feira, na sede da FIERGS, uma iniciativa dos Conselhos de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Concex) e de Inovação e Tecnologia (Citec). Eventos como esse têm o objetivo de identificar, acompanhar e articular ações conjuntas e discutir as oportunidades e ameaças ao fortalecimento do comércio internacional, sugerindo ações estratégicas que estimulem o desenvolvimento da indústria do Estado, destacou o diretor do CIERGS, José Luiz Bozzetto, na abertura do encontro. O cônsul para Assuntos Econômicos do Consulado Geral de Israel em São Paulo, Boaz Albaranes, informou que alguns dos principais produtos com espaço para exportação são alimentos e calçados. Nossa infraestrutura de ciência e tecnologia está entre as quatro melhores do mundo, e somos os líderes em capacidade de inovação, e a nação que mais investe em pesquisa e desenvolvimento, proporcionalmente ao PIB. Para isso, precisamos de parcerias internacionais, relatou. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do RS, Fábio Branco, também participou do seminário. Outros temas tratados foram o Acordo de Livre Comércio entre o Mercosul e Israel, que abrange isenção de impostos para 90% dos itens que o Mercosul comercializa para lá; e o programa de Cooperação Tecnológica Brasil-Israel, coordenado pelo Ministério de Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior (Mdic) e pela Agência de Fomento ao P&D Industrial do Ministério da Economia de Israel (Matimop). Por meio dele, empresas dos dois países podem submeter projetos para o desenvolvimento de novos produtos, processos ou serviços de aplicação industrial. Os interessados em participar contarão com assistência na busca por parceiros e os projetos elegíveis poderão receber financiamento. A terceira chamada para a apresentação de propostas de cooperação em P&D está aberta até o próximo dia 16 de outubro. Ainda há espaço para expansão das relações comerciais entre o país do Oriente Médio e o Rio Grande do Sul. Entre janeiro e junho de 2015, o Estado vendeu US$ 15 milhões e adquiriu US$ 46 milhões. A pauta exportadora gaúcha com Israel inclui polímeros, calçados, produtos óticos e máquinas. Também participaram do encontro representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Serviço Brasileiro de Apoio a Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Sul (Sebrae-RS) e do MDIC. Foto: Dudu Leal Bozzetto (E) destacou que o seminário contribui para fortalecer o comércio com os israelenses e sugere ações que estimulem o desenvolvimento industrial Executivo do governo americano aborda a relação com o Brasil O processo legal norte-americano e a relação econômica com o Brasil serão abordados na palestra Brasil e Estados Unidos: Cooperação Internacional Regulatória, em 17 de agosto, às 10h, na sede da FIERGS. A promoção é da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, por meio do Conselho de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Concex), e do Consulado Geral dos Estados Unidos da América em São Paulo. O palestrante será o executivo do Gabinete de Informação e Assuntos Regulatórios do governo norte-americano, Dominic Mancini. O evento, gratuito, terá tradução simultânea. As confirmações de presença podem ser feitas pelo fiergs.org.br ou pelo telefone (51)

6 FIERGS apresenta números da indústria em encontro da Frente Parlamentar A FIERGS apresentou um panorama da indústria gaúcha no primeiro semestre de 2015 durante o encontro da Frente Parlamentar em Defesa do Setor Produtivo, realizado nesta quarta-feira, na Assembleia Legislativa. A entidade solicitou, na ocasião, o apoio dos deputados para que sejam realizadas reformas estruturais no Estado, e não apenas aumento de impostos para resolver o problema de caixa do Rio Grande do Sul. A Assembleia terá papel importante nos próximos dias, quando será chamada a se posicionar sobre novo aumento da carga tributária para os gaúchos. É hora de ajustarmos as contas do Estado para o que podemos pagar, e isso passa por reformas estruturais, defendeu o vice-presidente da entidade, Paulo Garcia. Além de Garcia, integrantes da diretoria da FIERGS e representantes de instituições ligadas ao agronegócio manifestaram sua preocupação em relação ao Projeto de Lei 214/2015, em tramitação no Legislativo, que diminui o crédito presumido de algumas atividades industriais. Comandada pelo deputado João Fischer (Fixinha), a Frente Parlamentar reuniu 12 parlamentares de diferentes partidos para debater a situação do Estado e os entraves enfrentados pela indústria. A partir do encontro ficou definida a realização de um cronograma de trabalho prático, cujo objetivo será o de buscar desoneração do processo produtivo e melhorar a competitividade das empresas. Vamos ouvir todos os setores e de forma conjunta definir nossa linha de trabalho. O Rio Grande do Sul tem uma grande vocação empreendedora e existem cadeias produtivas consolidadas, que precisamos preservar e estimular, destacou o deputado João Fischer. Foto: Marcos Eifler Em reunião na Assembleia Legislativa, entidade solicitou apoio dos deputados para a execução de reformas estruturais no Estado Promotor de Justiça discute projetos do Ministério Público para o Meio Ambiente O promotor de Justiça e coordenador do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente do Ministério Público do Rio Grande do Sul, Daniel Martini, participou nesta terça-feira, na FIERGS, de uma reunião (foto) com os integrantes do Conselho do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Codema) da entidade, conduzida pelo coordenador do Codema, Torvaldo Marzolla Filho. Ele tratou de seus projetos para os próximos dois anos à frente do órgão do MP e destacou a importância do debate junto à iniciativa privada. Temos atuação preventiva, proativa, articuladora, conciliadora e fiscalizadora; há uma necessidade cada vez maior de resolver conflitos para garantir o cumprimento da lei sem necessariamente o emprego do processo judicial, disse. Foto: Dudu Leal

7 Reunião debate a situação das pequenas e médias indústrias O fortalecimento das pequenas e médias indústrias gaúchas foi o tema que reuniu, nesta terça-feira, na sede da FIERGS, diretores da entidade, secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do RS, Fábio Branco, presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Setor Produtivo e da Indústria Gaúcha e Brasileira, deputado estadual João Fischer, representantes do Sebrae/RS e empresários. No encontro, realizado pelo Conselho da Pequena e Média Indústria (Copemi) da FIERGS, o secretário recebeu a agenda de prioridades para o setor (foto). Entre elas, a simplificação e desburocratização no licenciamento ambiental, o Piso Regional, crédito presumido, investimentos e tributação no setor energético, financiamento para modernização e adequação de máquinas (NR 12) e apoio às Cadeias e Arranjos Produtivos Locais (APLs). A expectativa é conquistar um ambiente positivo para as empresas, contar com uma governança pública qualificada, contribuir para uma educação transformadora em todos os níveis e ter uma indústria competitiva, destacou o coordenador do Copemi, Marlos Davi Schmidt. A G E N D A FORÇAS ARMADAS A FIERGS/CIERGS colabora na coordenação do Ciclo de Mobilização da Indústria de Defesa do RS. O Seminário de Fornecimento para as Forças Armadas ocorre em 17 de agosto, na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul. Informações: (51) REUNIÃO REGIONAL Cerro Branco recebe, em 20 de agosto, a reunião regional do Vale do Rio Pardo, promovida pela FIERGS, por meio de sua vice-presidência regional. Será às 17h, no Centro Múltiplo Uso Chico Streck, e a pauta prevê encontro de trabalho com os presidentes e representantes das entidades empresariais da região. Informações: (51) e CAPACITAÇÃO EMPRESARIAL A FIERGS oferece, este mês, 30 vagas para o curso Como reduzir o custo de energia elétrica?. A ação faz parte do Associa Indústria, eixo do Programa de Desenvolvimento Associativo (PDA). A iniciativa ocorre em Novo Hamburgo e tem o apoio da CNI e do Sebrae. Informações: (51) Foto: Dudu Leal Embaixador do Japão lidera comitiva em evento na FIERGS Nos dias 31 de agosto e 1º de setembro, às 9h, a FIERGS recebe a XVIII Reunião Conjunta do Comitê de Cooperação Econômica Brasil-Japão, realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), a Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul e o Nippon Keidanren. A delegação japonesa contará com 102 pessoas, de empresas como a Mitsui, Mitsubishi, Kawasaki e Nippon Steel & SumimotoMetal, além de representantes do Banco de Tóquio e do Banco do Japão para Cooperação Internacional. O embaixador do Brasil no Japão, Kunio Umeda; e o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, têm presença confirmada no evento, que objetiva debater sobre iniciativas de fortalecimento da cooperação, de aprofundamento das relações econômicas e de melhoria do ambiente de negócios entre os dois países. Informações: (51) ENCONTRO BRASIL-ALEMANHA O 33º Encontro Brasil-Alemanha será em Joinville (SC), entre 20 e 22 de setembro. Dentro deste evento, ocorre o um Encontro de Negócios envolvendo especialmente os setores de energia, software, alimentos e bebidas e metalmecânico, ação que conta com a colaboração da FIERGS, por meio do CIN-RS. Inscrições gratuitas até 31 de agosto. Informações: (51) SEMINÁRIO DE DEFESA Por meio do Comitê da Indústria de Defesa e Segurança, a FIERGS coordena com a AGDI, prefeitura de Santa Maria, agência de Desenvolvimento e Tecnoparque do município, o II Seminário Internacional de Defesa. Será entre 23 e 25 de setembro, em Santa Maria, com a presença do ministro Roberto Mangabeira Unger, da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência. Inscrições:

8 Dia da Construção Social Em 22 de agosto, sábado que vem, acontece a 9ª edição do Dia da Construção Social, uma iniciativa da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), realizada pelo Sesi em conjunto com sindicatos das indústria da construção. No Rio Grande do Sul, o Sinduscon-RS, juntamente com o de Pelotas, São Leopoldo e Noroeste do Estado, serão parceiros com as atividades em Santa Rosa (Centro de Atividades do Sesi), Pelotas (Centro de Atividades do Sesi), Bento Gonçalves (Ginásio do Centro de Atividades do Sesi), Santa Cruz do Sul (Centro Esportivo do Sesi), Sapucaia do Sul (Centro de Atividades do Sesi) e em Capão da Canoa (ginásio municipal). O Dia Nacional da Construção Social é uma ação que busca beneficiar os trabalhadores do setor e seus dependentes. O evento, que este ano terá o tema Quer mudar o mundo? Mãos à obra, conta com serviços gratuitos disponibilizados nas áreas de saúde, lazer, educação e cidadania, e tem parceria de prefeituras, sindicatos de trabalhadores, instituições sociais, além do Senai. Meeting de Moda O Senai-RS apoia o Meeting da Moda Sebrae, dia 26 de agosto, às 14h, no Teatro Bourbon Country. O evento, destinado a empresários e profissionais do setor, terá palestra sobre as Tendências de Consumo para 2016 e Loja Diferenciada: A Importância na Construção de Relacionamento com Clientes, além de As Maiores Oportunidades Chegam Disfarçadas de Adversidades. O evento ainda contará com painel sobre a desaceleração econômica e como os varejistas estão enfrentando a retração do mercado, além de duas mostras. As inscrições são gratuitas pelo fone Sesi promove o Lazer Inclusivo No dia 15 de agosto, o Serviço Social da Indústria promove o 1º Sesi Lazer Inclusivo, das 10h às 16h, na Usina do Gasômetro, em Porto Alegre. O evento tem como objetivo oferecer atividades de lazer que promovam a integração das pessoas com e sem deficiência por meio de ações sociais, recreativas, culturais e esportivas gratuitas, estimulando a adoção de um estilo de vida saudável. Destinado a trabalhadores da indústria, a iniciativa também estará aberta à comunidade. A programação inclui atividades como teatro, capoeira inclusiva, oficinas culturais de música e dança, futsal adaptado, basquete para cadeirantes, ping-pong, xadrez, dominó, cinema audiodescritivo, brinquedos infláveis, pintura, desenho e shows musicais. Também haverá verificação de pressão, teste de acuidade visual, corte de cabelo, avaliação nutricional, oficina de maquiagem, oficina de materiais recicláveis, coaching de carreira e outras ações. Informações: (51) ou Governança corporativa em empresas familiares O Instituto Euvaldo Lodi (IEL-RS), integrante do Sistema FIERGS, promove dia 25 de agosto, a partir das 14h, o Meeting Governança Corporativa: Um Legado de Prosperidade, na Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul. O objetivo é debater sobre a organização dos relacionamentos familiares e de trabalho como forma de trazer resultados mais satisfatórios para os negócios, preservando ao mesmo tempo os laços emocionais e afetivos. O evento terá o diretor da Ricca & Associados e da Revista Empresa Familiar, Domingos Ricca; a consultora em Famílias Empresárias e Empresas Familiares, Claudia Tondo; e o presidente executivo da Artecola, Eduardo Kunst. Informações e inscrições: (51) Unidade de Comunicação do Sistema FIERGS - Av. Assis Brasil, CEP Porto Alegre-RS Fone (51) Fax (51)

Indústria gaúcha encerra primeiro semestre

Indústria gaúcha encerra primeiro semestre S. E. M. A. N. A Porto Alegre, 7 de agosto de 2015 / nº 31 / Ano XX / www.fiergs.org.br Indústria gaúcha encerra primeiro semestre com o pior desempenho em seis anos O Índice de Desempenho Industrial do

Leia mais

Carta da Indústria 2014 (PDF 389) (http://arquivos.portaldaindustria.com.br/app/conteudo_18/2013/06/06/481/cartadaindstria_2.pdf)

Carta da Indústria 2014 (PDF 389) (http://arquivos.portaldaindustria.com.br/app/conteudo_18/2013/06/06/481/cartadaindstria_2.pdf) www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/cni/iniciativas/eventos/enai/2013/06/1,2374/memoria-enai.html Memória Enai O Encontro Nacional da Indústria ENAI é realizado anualmente pela CNI desde

Leia mais

A REORIENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO IBGC 26/3/2015

A REORIENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO IBGC 26/3/2015 A REORIENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO IBGC 26/3/2015 1 A Situação Industrial A etapa muito negativa que a indústria brasileira está atravessando vem desde a crise mundial. A produção

Leia mais

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES Organizador Patrocínio Apoio PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 O Turismo é uma das maiores fontes de

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional ROTEIRO PPT DICA: TREINE ANTES O DISCURSO E AS PASSAGENS PARA QUE A APRESENTAÇÃO FIQUE BEM FLUIDA E VOCÊ, SEGURO COM O TEMA E COM A FERRAMENTA. Para acessar cada uma das telas,

Leia mais

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA ASSUNTOS TRATADOS Cartilha sobre produtos e serviços bancários para Micro e Pequenos Empresários Apresentação dos cases de sucesso e fracasso no setor da Construção Civil Notícias sobre o Fórum Permanente

Leia mais

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 INOVAR É FAZER Manifesto da MEI ao Fortalecimento da Inovação no Brasil Para nós empresários Inovar é Fazer diferente, Inovar

Leia mais

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia Descrição do Sistema de Franquia Franquia é um sistema de distribuição de produtos, tecnologia e/ou serviços. Neste sistema uma empresa detentora de know-how de produção e/ou distribuição de certo produto

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 Conteúdo 1. O Sistema SEBRAE; 2. Brasil Caracterização da MPE; 3. MPE

Leia mais

Reunião do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria

Reunião do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria Reunião do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria Santa Maria, 15 de Outubro de 2012 Pauta: 1) Contexto da Economia Criativa no Brasil de acordo com o Plano da Secretaria da Economia Criativa

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Foco e Prioridades Contexto Dimensões do Plano Brasil Maior Estrutura de Governança Principais Medidas Objetivos Estratégicos e

Leia mais

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008 INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008 O momento e as tendências Fundamentos macroeconômicos em ordem Mercados de crédito e de capitais em expansão Aumento do emprego

Leia mais

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO Introdução Escopo A Carta de Bangkok identifica ações, compromissos e promessas necessários para abordar os determinantes da saúde em

Leia mais

Escola de Políticas Públicas

Escola de Políticas Públicas Escola de Políticas Públicas Política pública na prática A construção de políticas públicas tem desafios em todas as suas etapas. Para resolver essas situações do dia a dia, é necessário ter conhecimentos

Leia mais

Inovação, Regulação e Certificação. I CIMES 1º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde

Inovação, Regulação e Certificação. I CIMES 1º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde Inovação, Regulação e Certificação I CIMES 1º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde São Paulo 11/04/2012 ABDI Criada pelo Governo Federal em 2004 Objetivo Objetivos Desenvolver ações

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

FÓRUM DAS ESTATAIS PELA EDUCAÇÃO Diálogo para a Cidadania e Inclusão

FÓRUM DAS ESTATAIS PELA EDUCAÇÃO Diálogo para a Cidadania e Inclusão FÓRUM DAS ESTATAIS PELA EDUCAÇÃO Diálogo para a Cidadania e Inclusão 1. OBJETIVO DO FÓRUM O Fórum das Estatais pela Educação tem a coordenação geral do Ministro Chefe da Casa Civil, com a coordenação executiva

Leia mais

PGQP. Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade

PGQP. Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade PGQP Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade visão das lideranças A Excelência de qualquer organização depende da sinergia entre três fatores:

Leia mais

Proposta de Programa- Quadro de Ciência, Tecnologia e Inovação 2014-2018. L RECyT, 8.11.13

Proposta de Programa- Quadro de Ciência, Tecnologia e Inovação 2014-2018. L RECyT, 8.11.13 Proposta de Programa- Quadro de Ciência, Tecnologia e Inovação 2014-2018 L RECyT, 8.11.13 Delineamento do Programa - Quadro Fundamentação Geral Programa público, plurianual, voltado para o fortalecimento

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

Tercera Reunión de Expertos de Gobierno sobre Consumo y Producción Sustentables de America Latina y el Caribe

Tercera Reunión de Expertos de Gobierno sobre Consumo y Producción Sustentables de America Latina y el Caribe Tercera Reunión de Expertos de Gobierno sobre Consumo y Producción Sustentables de America Latina y el Caribe Managua, Nicaragua, 3 5 de agosto de 2005 Ministério do Meio ambiente Agosto/2005 helio.lobo@mma.gov.br

Leia mais

DA INDÚSTRIA NOS ESTADOS

DA INDÚSTRIA NOS ESTADOS PERFIL DA INDÚSTRIA NOS ESTADOS 2014 PER DA IND PERFIL DA INDÚSTRIA NOS ESTADOS 2014 CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA CNI Robson Braga de Andrade Presidente Diretoria de Políticas e Estratégia José Augusto

Leia mais

Fomento à Inovação e Negócios em Ciências da Vida em Belo Horizonte

Fomento à Inovação e Negócios em Ciências da Vida em Belo Horizonte Fomento à Inovação e Negócios em Ciências da Vida em Belo Horizonte Atração de Investimentos, Promoção Comercial e Projeção Internacional Eduardo Bernis Secretaria Municipal de Desenvolvimento Belo Horizonte

Leia mais

Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil

Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil Thayne Garcia, Assessora-Chefe de Comércio e Investimentos (tgarcia@casacivil.rj.gov.br) Luciana Benamor, Assessora de Comércio e Investimentos

Leia mais

Entrevista Como é o trabalho desenvolvido pelo Departamento? Quantos Fóruns Permanentes de Micro e Pequenas empresas existem hoje?

Entrevista Como é o trabalho desenvolvido pelo Departamento? Quantos Fóruns Permanentes de Micro e Pequenas empresas existem hoje? Entrevista A diretora do Departamento de Micro, Pequenas e Médias Empresas do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Cândida Cervieri, foi entrevistada pelo Informativo RENAPI.

Leia mais

1ª Conferência Estadual de APLs Oficina Inovação e Sustentabilidade Porto Alegre, 22 de novembro de 2012.

1ª Conferência Estadual de APLs Oficina Inovação e Sustentabilidade Porto Alegre, 22 de novembro de 2012. IEL/RS 1ª Conferência Estadual de APLs Oficina Inovação e Sustentabilidade Porto Alegre, 22 de novembro de 2012. IEL/RS Instituição criada em 1969, vinculada à Confederação Nacional da Indústria CNI. O

Leia mais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais João Carlos Ferraz BNDES 31 de agosto de 2008 Guia Contexto macroeconômico Políticas públicas Perpectivas do investimento

Leia mais

IEL INSTITUTO EUVALDO LODI

IEL INSTITUTO EUVALDO LODI INSTITUTO EUVALDO LODI IEL Integra o Sistema Indústria juntamente com CNI, SESI, SENAI e Federações Possui mais de 44 anos de atuação em todo o território Brasileiro Tem o compromisso com o aumento da

Leia mais

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Prefeito Empreendedor Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Março/2012 Expediente Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Fernando

Leia mais

Produção Industrial Cearense Cresce 2,5% em Fevereiro como o 4º Melhor Desempenho do País

Produção Industrial Cearense Cresce 2,5% em Fevereiro como o 4º Melhor Desempenho do País Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

NOVA AGENDA PARA PROGRAMAS DE DESENVOLVIMENTO EM APLs

NOVA AGENDA PARA PROGRAMAS DE DESENVOLVIMENTO EM APLs NOVA AGENDA PARA PROGRAMAS DE DESENVOLVIMENTO EM APLs 3ª Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais (APLs) Mansueto Almeida -IPEA 1. Principais desafios Vários APLs estão localizados em cidades

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

FOCOS DE ATUAÇÃO. Tema 8. Expansão da base industrial

FOCOS DE ATUAÇÃO. Tema 8. Expansão da base industrial FOCOS DE ATUAÇÃO Tema 8. Expansão da base industrial Para crescer, a indústria capixaba tem um foco de atuação que pode lhe garantir um futuro promissor: fortalecer as micro, pequenas e médias indústrias,

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 002/2009 SERVIÇOS DE CONSULTORIA DE COORDENAÇÃO DO PROJETO Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Relações Institucionais)

Leia mais

com produtos chineses perderam mercado no exterior em 2010. China Sendo que, esse percentual é de 47% para o total das indústrias brasileiras.

com produtos chineses perderam mercado no exterior em 2010. China Sendo que, esse percentual é de 47% para o total das indústrias brasileiras. 73% das indústrias gaúchas exportadoras que concorrem com produtos chineses perderam mercado no exterior em 2010. 53% das indústrias gaúchas de grande porte importam da China Sendo que, esse percentual

Leia mais

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Abril de 2015 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Março de 2015... 5 3.

Leia mais

2009, um ano de grandes realizações e conquistas

2009, um ano de grandes realizações e conquistas 2009, um ano de grandes realizações e conquistas 2009 foi um ano de grandes realizações e conquistas para o Serviço Social da Indústria (SESI), entidade que integra o Sistema Federação das Indústrias no

Leia mais

Ciência, Tecnologia e Indústria para um novo Brasil

Ciência, Tecnologia e Indústria para um novo Brasil ANAIS DA 65ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC RECIFE, PE JULHO/2013 Ciência, Tecnologia e Indústria para um novo Brasil Glauco Arbix Somente a inovação será capaz de reverter o quadro de estagnação da economia brasileira,

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

Infraestrutura Turística, Megaeventos Esportivos e Promoção da Imagem do Brasil no Exterior. Ministro Augusto Nardes

Infraestrutura Turística, Megaeventos Esportivos e Promoção da Imagem do Brasil no Exterior. Ministro Augusto Nardes Infraestrutura Turística, Megaeventos Esportivos e Promoção da Imagem do Brasil no Exterior Ministro Augusto Nardes TEMA 2: Geração de emprego e renda na economia nacional 1. Frente Parlamentar e a micro

Leia mais

Políticas Públicas do MAPA para o

Políticas Públicas do MAPA para o Engenheiro Agrônomo ERIKSON CHANDOHA Diretor do Departamento de Cooperativismo e Associativismo DENACOOP Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo - SDC Ministério da Agricultura Pecuária

Leia mais

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Brasília, 02 de janeiro de 2015. Ministra Miriam Belchior, demais autoridades, parentes e amigos aqui presentes.

Leia mais

Indústria Oceânica (offshore) do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Agosto de 2011 Rev. 6

Indústria Oceânica (offshore) do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Agosto de 2011 Rev. 6 Indústria Oceânica (offshore) do Rio Grande do Sul Porto Alegre, Agosto de 2011 Rev. 6 Panorama Ciclo econômico do Pré-Sal Prioridade de Governo Sustentabilidade socioeconômica e ambiental Indústria offshore

Leia mais

PISAC: um modelo de aceleração de inovações na CPIC. Parque de Inovação e Sustentabilidade do Ambiente Construído

PISAC: um modelo de aceleração de inovações na CPIC. Parque de Inovação e Sustentabilidade do Ambiente Construído PISAC: um modelo de aceleração de inovações na CPIC Parque de Inovação e Sustentabilidade do Ambiente Construído Contexto do SC no Brasil O setor da construção no Brasil é cheio de paradoxos. De um lado,

Leia mais

Inovação no Brasil nos próximos dez anos

Inovação no Brasil nos próximos dez anos Inovação no Brasil nos próximos dez anos XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas XVIII Workshop ANPROTEC Rodrigo Teixeira 22 de setembro de 2010 30/9/2010 1 1 Inovação e

Leia mais

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade DECLARAÇÃO DOS MINISTROS DA AGRICULTURA, SÃO JOSÉ 2011 1. Nós, os Ministros e os Secretários de Agricultura

Leia mais

As MPE s como eixo central de cadeias produtivas

As MPE s como eixo central de cadeias produtivas As MPE s como eixo central de cadeias produtivas Guilherme Lacerda Diretor de Infraestrutura Social, Meio Ambiente, Agropecuária e Inclusão Social Madrid Outubro 2012 MPEs Importância, Desafios e Contribuições

Leia mais

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Políticas de Inovação para o Crescimento Inclusivo: Tendências, Políticas e Avaliação PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Rafael Lucchesi Confederação Nacional da Indústria Rio

Leia mais

REGULAMENTO DESAFIO CRIATIVOS DA ESCOLA

REGULAMENTO DESAFIO CRIATIVOS DA ESCOLA REGULAMENTO DESAFIO CRIATIVOS DA ESCOLA O Desafio Criativos da Escola é um concurso promovido pelo Instituto Alana com sede na Rua Fradique Coutinho, 50, 11 o. andar, Bairro Pinheiros São Paulo/SP, CEP

Leia mais

Terceirização e plano Brasil Maior são destaques em palestras na Câmara 18/08/2011

Terceirização e plano Brasil Maior são destaques em palestras na Câmara 18/08/2011 Terceirização e plano Brasil Maior são destaques em palestras na Câmara 18/08/2011 A oitava reunião mensal do ano da Comissão Trabalhista e de Gestão Empresarial superou as expectativas. 50 representantes

Leia mais

Máquinas e Equipamentos de Qualidade

Máquinas e Equipamentos de Qualidade Máquinas e Equipamentos de Qualidade 83 A indústria brasileira de máquinas e equipamentos caracteriza-se pelo constante investimento no desenvolvimento tecnológico. A capacidade competitiva e o faturamento

Leia mais

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012 Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios Curitiba, 20 de novembro de 2012 PBM: Dimensões Dimensão Estruturante: diretrizes setoriais

Leia mais

Especialistas apontam obstáculos e soluções para o Brasil avançar

Especialistas apontam obstáculos e soluções para o Brasil avançar AGENDA BAHIA Especialistas apontam obstáculos e soluções para o Brasil avançar Além das reformas tributária e trabalhista, país precisa investir em infraestrutura eficaz, na redução do custo da energia

Leia mais

Plano BrasilMaior 2011/2014

Plano BrasilMaior 2011/2014 Plano BrasilMaior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Agenda de Ações para a Competitividade dos Pequenos Negócios Dimensões do Plano Brasil Maior -Quadro Síntese Dimensão Estruturante:

Leia mais

MANUAL DE INTEGRAÇÃO - DIRETORIA Edição 1 Balneário Camboriú, novembro de 2014.

MANUAL DE INTEGRAÇÃO - DIRETORIA Edição 1 Balneário Camboriú, novembro de 2014. MANUAL DE INTEGRAÇÃO - DIRETORIA Edição 1 Balneário Camboriú, novembro de 2014. OBJETIVO O presente manual se destina a orientar a diretoria da ACIBALC, quanto à administração de suas pastas, o gerenciamento

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 As exportações em março apresentaram aumento de +27,85% em relação a fevereiro. O valor exportado superou novamente a marca de US$ 1 bilhão, atingindo

Leia mais

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial.

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. visão, missão e valores corporativos visão Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma Organização empresarial focada em siderurgia, com a missão de satisfazer

Leia mais

98,3% 90,3% 64,2% 38% 63,3% 3º trimestre/2014. das empresas avaliaram o sistema 80,7% tributário brasileiro qualitativamente como ruim ou muito ruim.

98,3% 90,3% 64,2% 38% 63,3% 3º trimestre/2014. das empresas avaliaram o sistema 80,7% tributário brasileiro qualitativamente como ruim ou muito ruim. 3º trimestre/2014 das empresas avaliaram o sistema 80,7% tributário brasileiro qualitativamente como ruim ou muito ruim. 98,3% 90,3% 64,2% 38% 63,3% das indústrias gaúchas avaliam que o número de tributos

Leia mais

GOVERNANÇA E COOPERAÇÃO

GOVERNANÇA E COOPERAÇÃO Reunião Plenária do GTP-APL GOVERNANÇA E COOPERAÇÃO Brasília, 19 de agosto de 2010 SEBRAE Governança Envolve uma rede de diferentes agentes - governos, instituições financeiras, instituições de ensino

Leia mais

Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia

Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia ANEXO XIII XXXIII REUNIÓN ESPECIALIZADA DE CIENCIA Y TECNOLOGÍA DEL MERCOSUR Asunción, Paraguay 1, 2 y 3 de junio de 2005 Gran Hotel del Paraguay Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia Anexo XIII Projeto:

Leia mais

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA Área de Atuação 1. Formação Profissional Cooperativista São ações voltadas à formação, qualificação e capacitação dos associados,

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE AUMENTAR O INVESTIMENTO PRIVADO EM P&D ------------------------------------------------------- 3 1. O QUE É A PDP? ----------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Inovação como Estratégia de Negócio. Filipe cassapo, Sistema FIEP Federação das Industrias do Estado do Paraná C2i Centro Internacional de Inovação

Inovação como Estratégia de Negócio. Filipe cassapo, Sistema FIEP Federação das Industrias do Estado do Paraná C2i Centro Internacional de Inovação Inovação como Estratégia de Negócio Filipe cassapo, Sistema FIEP Federação das Industrias do Estado do Paraná C2i Centro Internacional de Inovação Conteúdos Desafios da Competitividade Industrial no PR

Leia mais

Promover maior integração

Promover maior integração Novos horizontes Reestruturação do Modelo de Gestão do SESI leva em conta metas traçadas pelo Mapa Estratégico Promover maior integração entre os departamentos regionais, as unidades de atuação e os produtos

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais) Fone: 55

Leia mais

O sucesso da política depende do forte comprometimento de cada um dos envolvidos no processo, de governo e empresas até consumidores.

O sucesso da política depende do forte comprometimento de cada um dos envolvidos no processo, de governo e empresas até consumidores. ECONOMIA - 19/08/14 BRIEFING DE POSICIONAMENTO SOBRE A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS 1. CONTEXTO Posicionamento geral para quaisquer entrevistas realizadas no âmbito da terceira edição do projeto

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza

Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza OConselho da Comunidade Solidária foi criado em 1995 com base na constatação de que a sociedade civil contemporânea se apresenta como parceira indispensável

Leia mais

O Mundo em 2030: Desafios para o Brasil

O Mundo em 2030: Desafios para o Brasil O Mundo em 2030: Desafios para o Brasil Davi Almeida e Rodrigo Ventura Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão Artigo Publicado em: Sidney Rezende Notícias - www.srzd.com Junho de 2007 Após duas décadas

Leia mais

Núcleo de Inovação e Empreendedorismo. CRI Nacional. Relatório de Evento 11 de Dezembro de 2013

Núcleo de Inovação e Empreendedorismo. CRI Nacional. Relatório de Evento 11 de Dezembro de 2013 Data Núcleo de Inovação e Empreendedorismo CRI Nacional Relatório de Evento 11 de Dezembro de 2013 Encontro do CRI Nacional 11 de Dezembro de 2013 Cenários Econômicos e Impactos para a Inovação em 2014

Leia mais

Sistema Integrado de Municipalização do Licenciamento Ambiental

Sistema Integrado de Municipalização do Licenciamento Ambiental Sistema Integrado de Municipalização do Licenciamento Ambiental Documento Interno Texto base: Leoni Fuerst Preocupações referentes às questões relativas ao meio ambiente e a ecologia vêm se tornando crescentes

Leia mais

XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME

XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME Os desafios da Educação Infantil nos Planos de Educação Porto de Galinhas/PE Outubro/2015 Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL É direito dos trabalhadores

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo São Paulo, agosto de 2012 Introdução 1 Contexto Econômico Internacional;

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais) Fone:

Leia mais

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados 101/15 30/06/2015 Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Junho de 2015 Sumário 1. Perspectivas do CenárioEconômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Março

Leia mais

REDEPETRO RN. Grandes Compradores, pequenos fornecedores. M.Sc. Gutemberg Dias

REDEPETRO RN. Grandes Compradores, pequenos fornecedores. M.Sc. Gutemberg Dias REDEPETRO RN Grandes Compradores, pequenos fornecedores M.Sc. Gutemberg Dias MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS NO BRASIL 5 milhões de empresas formais (99% das empresas formais) e 10 milhões de informais;

Leia mais

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia e Comércio / Integração Regional Jéssica Naime 09 de setembro de 2005 Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia

Leia mais

Plano Brasil Maior e o Comércio Exterior Políticas para Desenvolver a Competitividade

Plano Brasil Maior e o Comércio Exterior Políticas para Desenvolver a Competitividade Plano Brasil Maior e o Comércio Exterior Políticas para Desenvolver a Competitividade Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo do MDIC Rio de Janeiro, Agosto de 2011 Introdução 1 Contexto

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Os desafios do desenvolvimento brasileiro e a Política Industrial

Os desafios do desenvolvimento brasileiro e a Política Industrial 4o. Congresso Internacional de Inovação FIERGS Política Industrial em Mercados Emergentes Porto Alegre, 17 de novembro de 2011 Os desafios do desenvolvimento brasileiro e a Política Industrial João Carlos

Leia mais

PRÊMIO AMBIENTAL É INCENTIVO ÀS BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS E AO DESENVOLVIMENTO TÉCNICO-GERENCIAL

PRÊMIO AMBIENTAL É INCENTIVO ÀS BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS E AO DESENVOLVIMENTO TÉCNICO-GERENCIAL PRÊMIO AMBIENTAL É INCENTIVO ÀS BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS E AO DESENVOLVIMENTO TÉCNICO-GERENCIAL Já estão abertas as inscrições para o 2º Benchmarking Ambiental Brasileiro no site: www.maisprojetos.com.br/bench.

Leia mais

Documento em construção. Declaração de Aichi-Nagoya

Documento em construção. Declaração de Aichi-Nagoya Documento em construção Declaração de Aichi-Nagoya Declaração da Educação para o Desenvolvimento Sustentável Nós, os participantes da Conferência Mundial da UNESCO para a Educação para o Desenvolvimento

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede de Disseminação, Informação e Capacitação

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede de Disseminação, Informação e Capacitação PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria da Micro e Pequena Empresa Fórum Permanente de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede

Leia mais

FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS. Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília

FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS. Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília Nome do Evento: Fórum Mundial de Direitos Humanos Tema central: Diálogo e Respeito às Diferenças Objetivo: Promover um

Leia mais

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre N o Brasil há 2.361 municípios, em 23 estados, onde vivem mais de 38,3 milhões de pessoas abaixo da linha de pobreza. Para eles, o Governo Federal criou

Leia mais

A estratégia para enfrentar o aprofundamento da crise mundial Guido Mantega Ministro da Fazenda

A estratégia para enfrentar o aprofundamento da crise mundial Guido Mantega Ministro da Fazenda A estratégia para enfrentar o aprofundamento da crise mundial Guido Mantega Ministro da Fazenda Câmara dos Deputados Brasília, 23 de novembro de 2011 1 Economia mundial deteriorou-se nos últimos meses

Leia mais

SECRETARIA DE INOVAÇÃO

SECRETARIA DE INOVAÇÃO SECRETARIA DE INOVAÇÃO EDITAL Nº 01, DE 30 DE JANEIRO DE 2013 SEGUNDA CHAMADA PARA A APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS DE COOPERAÇÃO TECNOLÓGICA ENTRE BRASIL E ISRAEL O SECRETÁRIO DE INOVAÇÃO DO MINISTÉRIO DO

Leia mais

Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO

Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO 21 de novembro de 1978 SHS/2012/PI/H/1 Preâmbulo A Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura,

Leia mais

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Sessão Plenária 5: Programas Nacionais de Estímulo e Apoio às Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério

Leia mais

Información sobre Herramientas Metodológicas de Diagnóstico Participativo

Información sobre Herramientas Metodológicas de Diagnóstico Participativo Datos generales: Información sobre Herramientas Metodológicas de Diagnóstico Participativo 1. Nombre de la herramienta: Conselhos de Desenvolvimento Comunitário (Programa Comunidade Ativa) 2. Organización

Leia mais

APL Máquinas e Equipamentos Industriais. Síntese de Apresentação do APL MERS Carlos Homero Dornelles

APL Máquinas e Equipamentos Industriais. Síntese de Apresentação do APL MERS Carlos Homero Dornelles APL Máquinas e Equipamentos Industriais Síntese de Apresentação do APL MERS Carlos Homero Dornelles Conceito de APL Um Arranjo Produtivo Local APL é caracterizado como um aglomerado de empresas localizadas

Leia mais

RELATÓRIO DE MISSÃO INTERNACIONAL À ALEMANHA

RELATÓRIO DE MISSÃO INTERNACIONAL À ALEMANHA RELATÓRIO DE MISSÃO INTERNACIONAL À ALEMANHA Participantes: Dr. Roberto Simões, presidente do CDN (Conselho Deliberativo Nacional) e Dr. Carlos Alberto dos Santos, Diretor Técnico do Sebrae Nacional. Objetivo:

Leia mais

WORLDSKILLS... PROMOVENDO A EXCELÊNCIA ENTRE AS OCUPAÇÕES. v1 2

WORLDSKILLS... PROMOVENDO A EXCELÊNCIA ENTRE AS OCUPAÇÕES. v1 2 WORLDSKILLS... PROMOVENDO A EXCELÊNCIA ENTRE AS OCUPAÇÕES v1 2 3 v2 CONTEÚDO MoVE international 3 Aprendizagem para a Vida 4 5 O Caminho para a identidade profissional 6 7 Líderes na preparação 8 9 Fortalecendo

Leia mais

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas AGENDA Como Surgiu Situação Atual Variáveis Importantes Governança Conquistas Impacto na Região Linhas Estratégicas Rodrigo Fernandes Coordenador Executivo da COMTEC Como Surgiu A T.I. surgiu para prover

Leia mais

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias 10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias Relato de experiência de um agente social sobre suas atividades com as comunidades do município de Santa Maria- RS, através do

Leia mais

CNM Internacional. Campinas 26 de maio.

CNM Internacional. Campinas 26 de maio. CNM Internacional Campinas 26 de maio. O que é a CNM Internacional? A área da Confederação Nacional de Municípios responsável por promover a inserção internacional dos municípios brasileiros. Lançada em

Leia mais

A função da associação de classe na construção e defesa de suas agendas. 15 ago 13

A função da associação de classe na construção e defesa de suas agendas. 15 ago 13 A função da associação de classe na construção e defesa de suas agendas 15 ago 13 Associação Iniciativa formal ou informal que reúne pessoas físicas ou jurídicas com objetivos comuns, visando superar

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO

TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO 1. IDENTIFICAÇÃO DO TERMO DE REFERÊNCIA 1.1 UGP Nº 002/ 2012. 2. IDENTIFICAÇÃO DO CONTRATANTE 2.1 Contratante A Secretaria de Desenvolvimento

Leia mais