PRODUTOS MIDIÁTICOS COMO FERRAMENTAS ESTRATÉGICAS NA CONSOLIDAÇÃO DA IMAGEM INSTITUCIONAL DA EMPRESA VIRTUALLINK

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRODUTOS MIDIÁTICOS COMO FERRAMENTAS ESTRATÉGICAS NA CONSOLIDAÇÃO DA IMAGEM INSTITUCIONAL DA EMPRESA VIRTUALLINK"

Transcrição

1 INSTITUTO DE ESTUDO SUPERIORES DA AMAZÔNIA - IESAM COMUNICAÇÃO SOCIAL: RELAÇÕES PÚBLICAS COMUNICAÇÃO SOCIAL: MULTIMÍDIA ADRIANE RODRIGUES BARBOSA MÁRCIO DOS SANTOS LOBATO NAYANNE CRISTINA CASTRO PACHECO PRODUTOS MIDIÁTICOS COMO FERRAMENTAS ESTRATÉGICAS NA CONSOLIDAÇÃO DA IMAGEM INSTITUCIONAL DA EMPRESA VIRTUALLINK BELÉM 2013

2 INSTITUTO DE ESTUDOS SUPERIORES DA AMAZÔNIA - IESAM COMUNICAÇÃO SOCIAL: RELAÇÕES PÚBLICAS COMUNICAÇÃO SOCIAL: MULTIMÍDIA ADRIANE RODRIGUES BARBOSA MÁRCIO DOS SANTOS LOBATO NAYANNE CRISTINA CASTRO PACHECO PRODUTOS MIDIÁTICOS COMO FERRAMENTAS ESTRATÉGICAS NA CONSOLIDAÇÃO DA IMAGEM INSTITUCIONAL DA EMPRESA VIRTUALLINK Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Instituto de Estudos Superiores da Amazônia como requisito para obtenção de título de bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Relações Públicas e Multimídia. Orientadora: Profª. MsC. Milena Albuquerque BELÉM 2013

3 Dedicamos este trabalho a Deus que sonhou com este momento antes de nós e nos permitiu viver esta conquista.

4 Aquele que me fez crer no amanhã, meu coração e minha mente são gratos. Aquele que quando eu nem imaginava amar, já me amava e com cordas de amor me resgatou, e hoje já não existe minha vida sem Ti. Deu-me por meio da graça a chance de queimar a minha vida a Ti e fazer parte de um lindo propósito, me fazendo lembrar que tudo é passageiro, mas a Tua palavra é eterna. Dou a ele, as minhas mãos, os meus pés, o meu intelecto, o meu vigor, o meu tempo, a minha juventude, os meus bens e o meu futuro. Obrigada Deus, a Ti seja a honra, a glória e o poder. Até o fim, que a minha imagem será a de Cristo. Te amo JESUS! Aos meus familiares, principalmente aos meus preciosos e queridos pais, Elpidio e Analmira, aos quais eu honro com a minha vida, sem vocês não seria possível chegar até aqui, vocês foram os maiores investidores, os maiores sonhadores... São vocês que sacrificaram até o que não tinham para que eu tivesse o melhor e chegado até aqui. Espero honra-los sempre, vocês merecem. Eu os amo! Aos meus líderes espirituais Pr. Valter Maia, Pr.Valério Rendeiro e Mytia Cerveira que são fontes de inspiração em todas as áreas, são espelhos a serem seguidos. Vocês de forma direta e indireta me influenciaram e confrontaram através das escolhas, renuncias e fidelidade. Obrigada por me amarem e cuidarem de mim. Quem dera eu ser um pouco do que são. Eu me inspiro em vocês! Aos meus irmãos e amigos na fé, Supervisores da minha amada Área Efraim, dando destaque à Tatianny, Rafaela, Ribamar Junior, Jeff, Edkleidson, Leonardo e Fernando que sempre andaram de mãos dadas comigo no caminho do propósito eterno e sempre contribuíram com seus exemplos, mesmo sem perceber. Vocês me confrontam! Aos meus discípulos e amigos que são os bens mais preciosos que tenho na vida. Tudo o que faço eu penso vocês. São vocês que tiveram toda paciência com minha ausência, e não deixaram de crescer por isso, ao contrário, desenvolveram muito além do que eu imaginava. Meu amor por vocês é imensurável. A todos os Radicais da Última Geração, que comprovam todos os dias através do seu estilo de vida que tudo isso aqui é passageiro, mas o que estar por vir é eterno. Aos meus mestres acadêmicos e a nossa querida orientadora Milena Albuquerque que contribuíram de forma tão dedicada através de seu tempo, direcionamentos e críticas construtivas. A segunda família que fui abençoada durante esse período, onde sempre me receberam bem, com muito carinho e comidas gostosas. Obrigada Dona Dalva, seu Mário, Edwaldo e Dani e Marcelo. E, claro, aos meus amigos Marcio Lobato e Nayanne Pacheco que se engajaram a sempre dar o melhor, compartilhando conhecimentos e experiências. Vocês foram os que sonharam juntos comigo a realização desse grande desafio. Quero também caminhar até a eternidade com vocês. Adriane Rodrigues Barbosa

5 Certa vez ouvi uma frase que dizia que A Persistência é o melhor caminho para o êxito. Então, comecei a entender que ser persistente é acreditar na sua capacidade de transpor as dificuldades em meio as adversidades. Quando as adversidades dessa vida me levavam a desistir da minha caminhada, Deus com seu precioso e sublime amor me pegou pela mão, me pôs de pé, e me ensinou que a desistência não é a melhor solução para quem quer ser vencedor. Adotei isso como Filosofia de vida e hoje colho frutos da minha persistência e quando olho pra trás sinto a sensação de que muito ainda precisa ser feito, pois não existem fórmulas exatas que nos levem à felicidade; a felicidade está presente na simplicidade das coisas e dou Glória a Deus por isso, pois só Ele esteve sempre ao meu lado me livrando do caminho do mal e me dando a sabedoria e a paciência necessária para entender que, o plano que ele traçou para minha vida, não tem a ver com os meus anseios, mas, sim com a vontade dele, então sua vontade seja feita, é a ele a quem devo o meu maior agradecimento. Agradeço também aos meros mortais que permeiam na terra em busca da sua felicidade e que de forma direta ou indireta influenciaram e contribuíram para meu crescimento, em memória, do meu amigo e irmão André Oliveira, pois agora sei que sua ida precoce, teve um propósito na vida de seus amigos e familiares, foi um marco na minha vida, pois só assim passei a valorizar mais a vida e os momentos simples ao lado de verdadeiras amizades. Agradeço também a todos os mestres e professores do IESAM que dispuseram de seus tempos, para transmitir um pouco de seu conhecimento, mesmo que às vezes, não tenhamos sido tão receptivos aos seus métodos de ensino, cada um de vocês tem parcela fundamental na construção do profissional que sou, agradeço em especial a minha orientadora Milena Albuquerque e a professora Ivete Teixeira. A todos os meus colegas de classe que estiveram junto comigo nessa jornada, em especial ao Felipe Gustavo meu grande amigo e que foi o único que não desistiu do seu objetivo, nada contra o Jairo Augusto, Sallen Marshall, Fábio Faria, Silvana Cunha, Diego Campos e Bruno Costa, que tiveram seus motivos para mudarem seus focos, pois acreditaram em suas convicções e partiram para outros objetivos. Agradeço também a Kelly, Lorena e em especial ao Klayton, Rick, vocês têm espaço cativo no meu coração, antes de amigos somos grandes irmãos. Agradeço as minhas companheiras de projeto, que amo demais, mesmo que a Nayanne brigue comigo algumas vezes, a amo demais, pois se não fosse por ela, não teria conhecido uma pessoa tão especial na minha vida, e que sem falsa modéstia me ensinou e ainda me ensina a ser um homem melhor a cada dia, Drica não tenho palavras para te agradecer por ter me levado ao caminho da unção de Deus. Aos meus irmãos Marcelo, Cleidiane, Dani e Dinho, pois de nada valeria a pena se não tivesse compartilhado todas as alegrias e tristezas com vocês, minha história não seria a mesma. Por fim, aos meus pais DALVA e MÁRIO sem vocês nenhum esforço da minha parte seria válido, pois é por vocês e para vocês que aceito os desafios que a vida me propõe, reconheço que o que fiz, não é nada comparado o que vocês fizeram por mim, e agora digo com muita convicção, sou fiel a Deus, por honrar meu pai e minha mãe. Márcio dos Santos Lobato

6 Este não é um momento só meu. Não é apenas a transição para uma nova etapa da vida, afinal, estamos sempre vivenciando mudanças, pequenas ou não, sempre mudanças. Este é o grande momento. É o momento de ver o sorriso orgulhoso no rosto de minha mãe, e poder dizer mãe, tudo valeu a pena! É o momento de agradecer... E como não agradecer a Deus, que enche minha vida de alegria a cada manhã. A Ele, meu eterno amor e gratidão. A todos os mestres que com paciência, mostraram-me o universo magnífico do conhecimento. À minha orientadora, que acreditou no meu trabalho e, com perseverança, sempre esteve disposta a me conduzir no difícil caminho das descobertas. À Dani que com muita dedicação esteve presente quando pensávamos que não conseguiríamos avançar. Às minhas doces irmãs, Elielza e Renata que em todo o tempo me apoiaram, cuidaram de mim e mostram a todo o tempo o valor de uma família, e aos meus amados sobrinhos, Josué e Nathanael. Ao meu pai in memoriam, meu querido pai Evandro, que sempre soube que eu estaria escrevendo estas linhas e que mesmo não estando mais comigo, está vivo em meu coração. À minha amada mãe Rosiná, que me ensinou a lição mais preciosa, amar a Deus e a vida, e também ser corajosa e forte, para enfrentar todas as dificuldades que aparecerão. Aqui, quero expressar meu imenso amor por você, e se hoje posso dizer que venci foi porque um dia você se sacrificou por mim. Este é o nosso momento. Eu te amo mãe. E, com um imenso sorriso posso dizer: agora realizei este grande sonho, é hora de encontrar um novo para realizar! Obrigada Deus! Nayanne Pacheco

7 O saber a gente aprende com os mestres e com os livros. A sabedoria, se aprende com a vida e com os humildes. Cora Carolina

8 RESUMO O advento da internet tem transformado as relações das organizações com seus multipúblicos. Diante deste cenário, modificado gradativamente, os produtos midiáticos assumem um espaço importante na consolidação da imagem corporativa da organização e, para tal finalidade, se faz necessário conhecer a dinâmica da comunicação organizacional para integrar os relacionamentos através do planejamento dos produtos midiáticos. O objeto de estudo do presente trabalho foi uma pesquisa de campo realizada na empresa VirtualLink empresa de soluções e infraestrutura em TI, a fim de apresentar também a união de habilidades e competências dos profissionais de comunicação, a destacar as áreas de Relações Públicas e Multimídia, reunindo as características de profissionais que gerenciam a informação e estratégias de forma eficiente, utilizando de técnicas e ferramentas para trabalhar adequadamente a comunicação integrada e formalizar os valores da organização. Valores nos quais irão se basear todas as ações de comunicação midiáticas aliadas à capacidade de conhecimento e construção de conteúdos utilizando mídias tradicionais e as novas mídias. Palavras-chave: Produtos Midiáticos, Comunicação Integrada, Relações Públicas, Multimídia.

9 ABSTRACT The advent of internet has transformed the relationships between organizations and their multi audiences. In this setting, gradually modified, the media products play an important space in the consolidation of the corporate image of the organization and, for this purpose, it is necessary to know the dynamics of organizational communication to integrate relationships through the planning of media products. The object of study of this work was a field survey conducted in the company VirtualLink - enterprise solutions and IT infrastructure in order to also present the union of abilities and skills of communication, to highlight areas of Public Relations and Media bringing together the characteristics of professionals who manage information and strategies efficiently, using techniques and tools to work properly integrated communications and formalize the organization's values. Values on which will be based on all shares of media communication combined with capacity building and knowledge content using traditional media and new media. Keywords: media products, Integrated Communication, Public Relations, Multimedia.

10 LISTA DE ILUSTRAÇÕES LISTA DE FIGURAS Figura 1 - Divisão dos públicos de acordo com os segmentos da empresa Figura 2 - Site referencial IBM Brasil Figura 3 - Layout novo site VirtualLink com referência ao movimento artístico De Stijl Figura 4 - Comparação do antigo e o novo layout do site da VirtualLink Figura 5 - Disposição da Home Page do site da VirtualLink Figura 6 - Elaboração de um novo Slogan para a marca VirtualLink Figura 7 - Banner Publicitário de Treinamentos Figura 8 - Banner Publicitário de Produtos Figura 9 - Banner Publicitário de Serviços Figura 10 - Banner Publicitário de Softwares Figura 11 - Divisão de Produtos Figura 12 - Divisão de Serviços Figura 13 - Divisão de Softwares Figura 14 - Divisão de Treinamentos Figura 15 - Ferramenta de Atendimento Online Figura 16 - Folder treinamento Figura 17 - Folder Institucional Figura 18 - Lâmina Software Figura 19 - Lâmina Serviços Figura 20 - Lâmina Produtos Figura 21 - Lâmina Treinamentos Figura 22 - Banner Hall da Sede da empresa Figura 23 - Informativos do Quadro de avisos Figura 24 - Cartazes de divulgação permanente no quadro de aviso Figura 25 - Cartaz de divulgação de Palestra veiculada na UFRA Figura 26 - IV Evento Tecnológico WinLinux Day Figura 27 - II Evento Castanhal Tech - Fonte: Acervo VirtualLink Figura 28 - Stands no WCTA/Unama e Feira do Empreendedor do SEBRAE Figura 29 - VirtualBlog canal de notícias da VirtualLink Figura 30 - Proposta de Newsletter Figura 31 - Acervo VirtualLink 2011/

11 LISTA DE ORGANOGRAMA Organograma 1 - Cadeia hierárquica do quadro funcional da VirtualLink LISTA DE GRÁFICOS Gráfico 1 - Através de que meio conheceram da VirtualLink? Gráfico 2 - Conhecem os canais de comunicação da VirtualLink Gráfico 3 - Quais canais são acompanhados Gráfico 4 - Acompanham o Site Gráfico 5 - Acompanham o Facebook Gráfico 6 - Acompanham o Blog Gráfico 7 - Acompanham o Linkedin Gráfico 8 - Avaliação dos Canais Gráfico 9 - Interesse em receber publicitário Gráfico 10 - Avaliação das formas de relacionamento: Gráfico 11 - Avaliação do canal: Eventos Gráfico 12 - Avaliação das formas de relacionamento: Pará Linux Gráfico 13 - Avaliação do Centro de Treinamento da VirtualLink Gráfico 14 - Indicaria a VirtualLink para outras pessoas Gráfico 15 O que falta para a VirtualLink consolidar sua imagem no Mercado?... 54

12 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO PERFIL DA EMPRESA JUSTIFICATIVA TEÓRICA COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA ORGANIZACIONAL A comunicação organizacional na era digital PRODUTOS MIDIÁTICOS E SEU PAPEL ESTRATÉGICO NO PROCESSO COMUNICACIONAL O processo de Comunicação e o advento das mídias Os meios de massa Produtos Midiáticos A INTERAÇÃO ENTRE OS PROFISSIONAIS O profissional de Relações Públicas e seu papel estratégico O profissional multimídia Integrando as atividades de relações públicas e multimídia nas organizações METODOLOGIA RESULTADOS E DISCUSSÕES PROGRAMAS E PROJETOS CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS APÊNDICES... 62

13 INTRODUÇÃO O presente trabalho iniciou-se a partir da inserção no mercado dos acadêmicos de Multimídia e Relações Públicas, através de estágio na empresa VirtualLink, objeto de estudo. Depois de inseridos na empresa, foram verificadas inúmeras dificuldades de razão comunicacional. A experiência desse estágio é relatada em material anexo. Foi elaborado um Plano de Comunicação (apêndice) para a empresa, com a finalidade de dar visibilidade ao trabalho da instituição através da repaginação e implantação de produtos de mídia, estruturando o setor de comunicação para que esta se desse de maneira estratégica. Assim, ao executar o Plano de Comunicação, foi possível perceber que seria este um tema significativo para desenvolver o Projeto de Conclusão de Curso Multidisciplinar, e foi buscado desenvolver métodos que pudessem ser satisfatórios para uma pesquisa que vislumbrasse se o empenho empregado no estágio havia sido realmente significativo para a empresa ou não. Surgiu então a proposta deste trabalho multidisciplinar que agrega as áreas de Multimídia e Relações Públicas com o objetivo de mostrar como os produtos midiáticos 1, utilizados de maneira estratégica, podem fortalecer a imagem corporativa de uma organização. A VirtualLink atua em quatro áreas distintas, são elas: Serviços, Produtos, Softwares e Treinamentos, tendo como público de estudo no trabalho, o público de Treinamento da empresa, por ser um público de maior rotatividade e de fácil acessibilidade, para que assim ocorra um processo de comunicação de forma, definitivamente, efetiva e integrada, que gere grandes resultados futuros. Logo, para que se pudesse alcançar o objetivo geral deste trabalho, foi buscado conhecer a dinâmica da comunicação organizacional; destacar o uso da internet como fator preponderante para a interação com os públicos e integrar os trabalhos do Profissional de Relações Públicas e Multimídia. Para isto, foi verificado que a comunicação se tornou uma área estratégica dentro de qualquer organização, essa que com o passar dos anos constitui-se em um potencial instrumento para o destaque de qualquer negócio, incluindo o mercado de tecnologia, onde a VirtualLink atua, pois essa área já passou por muitas transformações ao longo dos anos e ainda se encontra em constante alteração. Estar preparado para essas mudanças tecnológicas e comunicacionais são primordiais para uma empresa se colocar à frente da concorrência. 1 Os produtos midiáticos serão abordados no presente trabalho para se referir às mídias tradicionais: mídia impressa e mídia audiovisual, e às novas mídias: mídias digitais.

14 15 Micros, pequenas, médias e grandes empresas necessitam estar em constante monitoramento do mercado para que possam se estabelecer, levando também em consideração o aprimoramento da mão de obra e atualização das tecnologias como Escarlate destaca: Atualmente no mercado competitivo, manter ou alcançar o sucesso de uma empresa é um desafio. Portanto, o primeiro passo a ser dado é conhecer o mercado em sua totalidade e pesquisar todos os fatores positivos e negativos de cada segmento, a fim de estabelecer o empreendimento e/ou inová-lo. (ESCARLATE, 2010, p.24). Nesse sentido, as empresas que investem na atualização de tecnologias acabam prestando um melhor serviço aos seus clientes e se colocando a frente no mercado. "A era do conhecimento, era das novas descobertas científicas e tecnológicas proporcionam conforto e segurança, além de facilitar as transações comerciais, favorecendo inúmeras oportunidades de negócios", ressalta Escarlate (2010, p. 28). Desta forma, as empresas, que procuram investir em equipamentos de ponta, e de acordo com as demandas de seu mercado consumidor, acabam necessitando investir em serviços como: tecnologia da informação, mão de obra qualificada, segurança e modelagem de dados, infraestrutura de redes, etc. Tudo isso faz parte do vasto mercado de soluções em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). Investir em tecnologia não consiste apenas em adquirir produtos e serviços em TIC, é preciso aliar todas essas soluções de acordo com a necessidade do negócio, com intuito de gerar um aumento da produtividade, a fim de evitar desgastes e prejuízos financeiros nos processos internos das empresas. Assim, para atender a esta crescente demanda do mercado, em 1999 foi fundada em Belém a VirtualLink, empresa especializada em consultoria, desenvolvimento e implantação de soluções computacionais, destacando-se a Interoperabilidade entre Sistemas, que de acordo com a ISO significa: Habilidade de dois ou mais sistemas (computadores, meios de comunicação, redes, software e outros componentes de tecnologia da informação) de interagir e de intercambiar dados de acordo com um método definido, de forma a obter os resultados esperados. (ISO - Governo Eletrônico Brasileiro). Estas soluções estão baseadas no conceito de Software Open Source ou de código aberto. A distribuição mais difundida deste software foi criado por Linus Torvalds em 1991, na cidade de Helsinque na Finlândia. Torvalds é um cientista da computação, que tinha como principal objetivo, desenvolver um sistema operacional de código aberto mais eficiente dos que haviam na época, para tanto ele se baseou no sistema chamado UNIX, que foi o primeiro Sistema Operacional de código aberto já criado, e assim desenvolveu o Sistema Operacional GNU/LINUX.

15 16 Apostando nesta tecnologia de Software Open Source, totalmente nova e pouco difundida na Região Norte do país, a empresa VirtualLink acreditou no potencial econômico e nas possibilidades de negócios presentes na Região e trouxe para o mercado paraense soluções e serviços desta plataforma. Graças a sua característica livre e aberta, o software livre (em particular o Linux) tem conquistado muito espaço junto a governos, empresas e entidades sociais. Além da economia com o licenciamento, o software livre proporciona independência e compartilhamento de conhecimento, estando hoje presente em todos os segmentos da computação, desde sistemas embarcados (como em smartphones, tablets, televisores, entre outros) até supercomputadores. (Mandriva Conectiva, 2012, p.9). O projeto de apostar em um negócio pouco conhecido na época prosperou e a VirtualLink tornou-se referência não só no mercado paraense como também em toda a Região Norte. Porém, mesmo com toda a notoriedade e exponencial crescimento que a empresa obteve ao longo dos anos, sua imagem frente ao público não foi explorada de forma eficaz através dos meios de comunicação, logo, foi observado que a usabilidade dos produtos midiáticos que a empresa dispunha eram empregadas de maneira não estratégica, o que ocasionou em um forte desgaste na imagem institucional da mesma. Assim sendo, o trabalho terá como metodologia a pesquisa bibliográfica e a pesquisa quantitativa, com o intuito de abordar os produtos midiáticos como um meio para atingir a consolidação da imagem da VirtualLink, a fim de identificar os possíveis problemas na comunicação que possam estar interferindo no relacionamento da empresa com os seus públicos de interesse PERFIL DA EMPRESA Em conformidade com o site institucional da VirtualLink, que é uma empresa especializada em consultoria, desenvolvimento e implantação de soluções computacionais e de Interoperabilidade entre Sistemas, fundada em 1999, tem o objetivo de difundir e promover o uso de tecnologias baseadas em Software Livre, por meio da implantação de soluções em TIC, projetos pilotos, realização de eventos de tecnologia, palestras, workshops e, também, na preparação de mão de obra qualificada em tais tecnologias, com ênfase à plataforma GNU/LINUX, para atender as demandas do crescente mercado. A empresa tornou-se, no passar dos anos, referência em provimento na área de TIC com a finalidade de atender tal demanda e as necessidades de um mercado corporativo, cada vez mais competitivo e dinâmico. Para tanto, a VirtualLink está baseada em quatro pilares de atuação, são eles: Produtos, Serviços, Softwares e Treinamentos. A linha de produtos corporativos da VirtualLink dispõe de uma vasta gama dos mais variados e específicos equipamentos, desde computadores corporativos até grandes servidores, dispostos a atender diversos tipos de negócios. Assim como as inúmeras

16 17 soluções em TIC, que visam suprir as mais diferentes necessidades do mercado, como Serviços de Internet, Serviços de Nuvem e Locação, Serviços de Rede e tantos outros. A VirtualLink conta também com inúmeras soluções em softwares, que visam desde a proteção dos dados corporativos até a gerência e o controle total da rede de dados, para pequenas empresas até grandes corporações. Além disso, a empresa é um Centro de Treinamentos Oficial em Linux, que forma um vasto número de profissionais especializados nesta plataforma para o mercado de trabalho, além de prepará-los para as mais conceituadas provas de certificações voltadas para esta plataforma. Possui ainda, representatividade no Estado do Pará e na Região Norte em várias companhias renomadas no cenário nacional e internacional, atuando no provimento de Soluções e Treinamentos em Linux. De acordo com o diretor da VirtualLink, a empresa tem como visão, missão e valores: Visão: Crescer a cada dia e buscar evoluir a todo instante para integrar, de forma ativa e participativa, no seleto grupo das Companhias de Tecnologia da Informação e Comunicação do mundo. Missão: Prover para o mercado as soluções que atendam e satisfaçam as necessidades de TIC de cada cliente através do pleno domínio da tecnologia alcançada pela superação de nossos limites, além de permitir o crescimento e evolução da integração digital daqueles menos favorecidos, propiciando uma contribuição para o surgimento e organização de uma sociedade mais igualitária e justa. Valores: Fortalecer a credibilidade em base sólida, a qual se baseia o respeito, a ética, a responsabilidade e a honestidade, primando sempre pela excelência da qualidade no desenvolvimento de um trabalho sério e idôneo com o qual fortalece sempre as relações de parceria com os clientes (internos e externos), fornecedores e parceiros. A imagem discriminada abaixo é o último organograma da empresa atualizado de acordo com o crescimento e expansão da mesma.

17 18 Organograma: Organograma 1 Edição: 02-11/09/2010 Autor: Suanny Araújo Administração VirtualLink

18 JUSTIFICATIVA TEÓRICA COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA ORGANIZACIONAL A comunicação é uma necessidade básica latente na vida do ser humano, desde os primórdios até os dias de hoje. Segundo Lampreia (1998, p. 13), entende-se por comunicação, (...) o processo de transmitir uma informação de um indivíduo para outro e conseguir que ambos se compreendam. (...) o interessado apenas terá êxito se houver compreensão mútua. Reforçando esta ideia, Chiavenato (2001, p.165) define comunicação como "a troca de informações entre indivíduos. Significa tornar comum uma mensagem ou informação. Constitui um dos processos fundamentais da experiência humana e da organização social." Por isso, o homem vive numa procura frequente de aperfeiçoar as formas e os meios de comunicação. Segundo Davis e Newstrom: Comunicação é a transferência de informação e compreensão de uma pessoa para outra. É uma forma de atingir os outros com ideias, fatos, pensamentos, sentimentos e valores. Ela é uma ponte de sentido entre as pessoas, de tal forma que elas podem compartilhar aquilo que sentem e sabem. Utilizando esta ponte, uma pessoa pode cruzar com segurança o rio de mal-entendidos que muitas vezes as separa. (DAVIS; NEWSTROM, 1996, p. 4). Na sociedade contemporânea, a ciência comunicacional tornou-se cada vez mais estimada e muitos são os empenhos para ampliar o alcance da comunicação e demolir suas barreiras. Principalmente quando se fala em comunicação organizacional, que de acordo com Kunsch (2003, p. 25), começou a obter maior notoriedade a partir da abertura política no Brasil, que ocorreu na década de 1980, sobretudo a partir de 1985, (...) quando as empresas e instituições começaram a entender melhor a necessidade de serem transparentes e que suas relações com a sociedade devam se dar pelas vias democráticas. Com base na citação de Kunsch, a comunicação organizacional começou a ter maior notoriedade a partir da compreensão de que era necessário desenvolver relações baseadas na democracia. Para tanto, também se discute hoje o termo "organizações" a fim de clarificar tal conceito, como é esclarecido por Kunsch (2003, p. 25) que o termo organizações já se tornou comum para definir as mais diversas modalidades de agrupamentos de pessoas que se associam intencionalmente para trabalhar, desempenhar funções e atingir objetivos comuns, com vistas a satisfazer alguma necessidade da sociedade. Desta forma, a comunicação, se bem dirigida, proporciona a qualquer organização clareza e rapidez, sendo ela a responsável pelo desenvolvimento humano e da organização. A comunicação integrada também proporciona um desenvolvimento exponencial para a

19 20 organização e seus diversos públicos, pois é uma forma de comunicação que direciona a convergência das diversas áreas, o que permite uma sinergia no desenvolvimento da comunicação, como é destacado por Kunsch (2003, p. 150), que define a comunicação integrada como uma junção da comunicação institucional, da comunicação mercadológica, da comunicação interna e da comunicação administrativa, que forma o mix, composto da comunicação organizacional. Este mix citado por Kunsch é fundamental para a organização que pretende desempenhar uma ação conjugada das atividades de comunicação com a finalidade de alcançar um nível de interação mais eficiente com o seu público e com a sociedade em geral. Segundo a Associação Brasileira de Empresas de Relações Públicas (ABERP) citado por Kunsch (2006, p. 37), "Não acreditamos que exista na área de comunicação um profissional ecumênico", continua salientando: "Acreditamos na comunicação integrada, ou seja, na atuação conjugada de todos os profissionais da área. Não há conflito entre as diversas atividades: há somatória em benefício do cliente" (ABERP, 1984, p. 12). Ainda segundo Kunsch, a comunicação integrada precisa ser compreendida como um fator estratégico para o desenvolvimento organizacional. A importância da comunicação organizacional integrada reside principalmente no fato de ela permitir que se estabeleça uma política global, em função de uma concorrência maior entre os diversos programas comunicacionais, de uma linguagem comum de todos os setores de um comportamento organizacional homogêneo, além de se evitarem sobreposições de tarefas. (...) Tal comunicação deve contribuir, por meio de uma sinergia da comunicação institucional, mercadológica, interna e administrativa, para a construção de uma identidade corporativa forte e sintonizada com as novas exigências e necessidades da sociedade contemporânea. (KUNSCH, 2003, p. 180). A fim de conceituar individualmente este mix da comunicação, destaca-se Andrade (1996, p. 34), sobre a comunicação administrativa como sendo aquela que acontece dentro da organização, no âmbito das funções administrativas. "O intercâmbio de informações dentro de uma empresa ou repartição, tendo em vista sua maior eficiência e o melhor atendimento ao público." Para a comunicação interna, baseada no Plano de Comunicação Social organizado por Rhodia (1985, p. 37), tem-se: "A comunicação interna é uma ferramenta estratégica para a compatibilização dos interesses dos empregados e da empresa, através do estímulo ao diálogo, à troca de informações e de experiências e à participação de todos os níveis. De acordo com Galindo (1986, p. 37), a comunicação mercadológica constitui-se em uma mensagem persuasiva elaborada a partir do quadro sociocultural do consumidor-alvo e dos canais que lhe servem de acesso, utilizando-se das mais variadas formas para atingir os objetivos sistematizados no plano.

20 21 Para a comunicação institucional, uma definição objetiva é referenciada pelo professor especialista em relações públicas de Portugal, Abílio da Fonseca (1999, p. 140) que a classifica com sendo "o conjunto de procedimentos destinados a difundir informações de interesse público sobre as filosofias, as políticas, as práticas e os objetivos das organizações, de modo a tornar compreensíveis essas propostas. Nesse contexto, os líderes das organizações não se satisfazem mais com as atividades de comunicação tradicional. Eles, a cada dia, estão valorizando a comunicação integrada que também é conhecida como estratégica dentro de uma organização, como é destacada sua importância por Kunsch (2006, p. 8) que revela que pensar e administrar estrategicamente a comunicação organizacional pressupõe: revisão e avaliação dos paradigmas organizacionais vigentes e da comunicação; reconhecimento e auditoria da cultura organizacional; e a identificação e avaliação da importância do capital intelectual, que nem sempre é levado em conta, reforçando assim a importância da comunicação ser estratégica dentro de qualquer organização que tenha por objetivo, alcançar destaque no mercado. Os líderes das organizações estão aprendendo que existe algo além da comunicação promocional, notam que o público é o principal responsável pelo crescimento ou decadência das organizações. Desta maneira, optam por ações específicas que desenvolvem o fluxo ideal da comunicação em suas estruturas, rede de relacionamento e os ambientes sociais os quais interagem. A ex-diretora de Comunicação Institucional da Vale, Olinta Cardoso, destaca em seu livro Visão Setorial (2008, p. 24), por exemplo, que "entender bem os locais onde a empresa opera já não passa mais por felling. É preciso diagnóstico de questões políticas, sociais, antropológicas, institucionais". As organizações, mais do que nunca, necessitam planejar estrategicamente sua comunicação para alcançar efetivos relacionamentos. As transformações realizadas pelos avanços tecnológicos alcançaram os indivíduos em um nível muito extenso, entre eles estão os produtos midiáticos, e a introdução dessas inovações tecnológicas de comunicação culminou em uma transformação expressiva nas áreas econômicas, políticas, culturais e sociais e continua passando fortes transformações devido à origem de novas formas de se comunicar e de se relacionar com os públicos estratégicos das empresas, provocando a necessidade de se preparar profissionais que gerenciem esses relacionamentos, invertendo assim o modo de comportamento entre ele e a empresa ou instituição. Kunsch salienta que: As organizações modernas, para se posicionar perante a sociedade e fazer frente a todos os desafios da complexidade contemporânea, necessitam planejar, administrar e pensar estrategicamente sua comunicação. Não basta pautar-se em ações isoladas de comunicação, centradas no planejamento tático para resolver questões, gerenciar crises e gerir produtos sem uma conexão com a análise ambiental e as necessidades do público de forma permanente e pensada estrategicamente. (KUNSCH, 2006, p. 179)

21 22 Acolher essas novas demandas dependerá da capacitação e da agressividade desses profissionais de comunicação inseridos nas organizações. São eles que devem estar atentos às transformações significativas dentro no mercado, refletindo os conceitos e teorias conforme o ambiente contemporâneo, intensamente vivenciado por todos com a solidificação da globalização e o avanço das tecnologias dos meios de comunicação, que aumentam os fluxos de informação e formam a conhecida sociedade em rede. Neste mesmo contexto, o conhecimento e a informação receberam um papel expressivo no cotidiano dos indivíduos e das organizações, que influenciou a forma como as empresas se relacionam com os respectivos públicos, e colocando a informação como elemento indispensável nas estruturas da empresa. Para Kunsch: As organizações têm de se valer de serviços intergrados nessa área, pautando-se por políticas que privilegiem o estabelecimento de canais de comunicação com os públicos vinculados. A abertura de fontes e a transparências das ações serão fundamentais para que as organizações possam se relacionar com a sociedade e contribuir para a construção da cidadania na perspectiva da responsabilidade social (KUNSCH, 2003, p.90). A sociedade contemporânea cada vez mais exigente valoriza a troca de conhecimento e informação, trazendo consigo um novo comportamento nas organizações, que tange a preocupação com assuntos sempre relacionados à responsabilidade social, sustentabilidade, ética, relacionamento com funcionários, transparência, cidadania. Essas devidas mudanças vêm de forma contínua e intensa refletindo nas relações internas das organizações, logo, nas relações de trabalho que ordenam uma maior interação entre os empregados e gestores. Um exemplo pode ser o ambiente organizacional, o qual tem a comunicação interna valorizada pela diretoria, onde os gestores buscam favorecer uma comunicação clara e direcionada, democrática e uniforme com seus subordinados, favorecendo diretamente à criação de um ambiente harmonioso e integrado. Todavia, são raros os gestores que vêm a comunicação como componente essencial para sobrevivência da organização em um mercado tão competidor. A grande maioria está focalizada em lucros, vendas, números, e não dão o devido zelo a comunicação existente, nem está direcionado à comunicação organizacional que fazem com que aqueles números fiquem crescentes e positivos. Logo, a proposta de que o artifício de comunicação seja de interação negociada encontra coragem na possibilidade de fazer com que os grupos e a organização possam ter troca de conhecimentos, interesses e alvos por meio de uma interação dialógica e simétrica, pois a comunicação organizacional no contexto contemporâneo precisa dessas trocas para alcançar suas estratégias e projetos de ação e, com isso, alcançar os objetivos em comum das partes interessadas. A sociedade atual tem vivenciado grandes transformações, isso se partiu do artifício em que o homem iniciou o processo pela busca de compartilhar e dialogar sobre tais expressividades. Em meio a esta busca incessante sempre procurou desenvolver formas e

22 23 meios para que esse processo evoluísse, ele mesmo foi o agente produtor e controlador dessas transformações. A passagem do século XX para o século XXI foi o início de tais transformações intensas e rápidas nos âmbitos culturais, sociais, políticas e econômicas, que passaram a vigorar no mundo. Partindo disto, nota-se o acordar tecnológico, novos tipos de consumidores, novas formas de produção e principalmente, as formas de relacionamentos das organizações com seus públicos. A Comunicação Empresarial, plasmada pela utilização intensiva das novas tecnologias, obedece, portanto, a novos pressupostos: ela é, basicamente, ágil e interativa, o que significa dizer que dela se exige uma quase instantaneidade de resposta e uma possibilidade ampliada de troca de informações e experiências. (BUENO, 2009) É fato que as mudanças ocorreram no segmento tecnológico, porém, tais mudanças não se limitaram apenas ao desenvolvimento de máquinas inteligentes, mas também de ferramentas de uso necessário para melhora no fluxo de comunicação entre as pessoas. Essas mudanças ocorreram também com as pessoas que fazem uso desses recursos, pois, são elas que participam de forma direta no processo de produção e precisam, igualmente, modificar seus comportamentos para que possam se adaptar a nova realidade organizacional. Neste contexto, quem sofreu diretamente com os impactos desta mudança de desenvolvimento tecnológico foram as organizações, sendo elas as unidades básicas da sociedade contemporânea. Devido a essas mudanças, novos modelos de gestão surgiram e conceberam novas dinâmicas no mercado de trabalho. O processo dessa transição nem sempre é fácil, já que se move com toda cultura organizacional, incluindo hábitos, costumes, valores e normas, partilhados pelas pessoas da organização. O modo como as pessoas dentro deste ambiente trabalham e interagem nos apontam a ideia de que qualquer plano que se proponha a inserir mudanças estruturais realmente significativas, precisa levar em conta a criação de condições que facilitem a criação de novos modelos, padrões e interação na cultura das organizações. A cultura organizacional está ligada às pessoas, e depende somente delas manter-se e modificar-se. A problemática desse contexto está no desafio em mudar a mentalidade dos membros da organização e identificar por onde e com quem iniciar. Este desafio é o impulsor dessa transição. Neste sentindo, as organizações implantadas neste cenário desafiador devem estar muito atentas para inovar na sistematização e nos métodos das suas composições pautadas na comunicação estratégica. Segundo Wine e Modaff: Cultura organizacional é um sistema de premissas, valores e modelos de interpretação, construído comunicativamente, historicamente embasado, que guia e conforma os membros de uma organização enquanto desempenham os seus papéis

23 24 organizacionais e confrontam os desafios de seu ambiente. (DE WIN & MODAFF, 2002, p. 93). Nesta mesma linha, observa-se que a comunicação passa a desempenhar papel importante nesse processo de transição, e de forma intensa nessa era da informação, a inseminação de novas tecnologias dentro dos ambientes organizacionais gera um impacto nas pessoas e na sociedade de uma forma geral A comunicação organizacional na era digital A possibilidade das empresas e pessoas poderem se informar, transicionar e interagir através da rede mundial de computadores é uma das expressões de uma transformação estrutural em nossa sociedade, uma grande convergência chamada Era da Informação, onde cada vez mais, o conhecimento digitalizado, passa a tomar um desempenho fundamental em nossas interações sociais e em nosso dia a dia por meio da Internet. Até mesmo pessoas que ainda não fazem uso deste meio já se sentem obrigadas a conhecer e utilizar esta plataforma. As tecnologias e técnicas da atualidade deram um imenso valor à informação na nossa sociedade. Na verdade, a troca de informações é o maior valor da sociedade de hoje e a tecnologia digital surgiu para suprir esta demanda, como observa Corrêa: O uso da internet pelo mercado informativo teve como premissa o entendimento de que a grande rede surgia como mais uma mídia e, como tal e similar aos demais meios de disseminação de mensagens, deveria resultar num negócio lucrativo. Ficaram em segundo plano os aspectos mais significativos das redes digitais de comunicação e informação: uma tecnologia bidirecional que coloca produtor e receptor da informação no mesmo patamar; que possibilita diálogos interpessoais e intergrupais sem a intervenção do produtor da informação; com potencial de uso não apenas de distribuição e captação de informações, mas também de gerenciador de dados e criador de sentido para grupos de usuários de qualquer porte. (CORRÊA, 2003, p. 25). É cada vez menor a rotina de utilizar tinta e papel para interagir e comunicar, e cada vez maior a utilização de textos digitados em smartphones, tablets e computadores e enviados em segundos na forma binária de zeros e uns. É cada vez menos usado dinheiro em espécie para transportar mercadorias, agora é utilizado informações de credito e débito em cartões contas. A sociedade muda, o mundo também está mudando e a possibilidade de retornar ao estado inicial é irreal. Uma empresa que não compreender, se adaptar, e usar essas mudanças a seu favor, corre o risco de ficar atrás da concorrência no mercado rapidamente. Ao romper obstáculos temporais e geográficos, a Internet possibilita aos funcionários e dirigentes trocarem informações, dados, decisões e conhecimento de forma mais ágil, entre si e também, com seus clientes, revendedores e fornecedores, inventando uma nova cultura

24 25 digital. Teóricos como Pierre Lévy (1999, p. 47), discursam o tema da cultura digital ou ciberecultura, ressaltando que o ciberespaço é a virtualização da comunicação. É virtual aquilo que existe apenas em potência e não em ato, e continua afirmando que é virtual toda a entidade desterritorializada, capaz de gerar diversas manifestações concretas em diferentes momentos e locais determinados, sem, contudo, estar ela mesma presa a um lugar ou tempo em particular (1999, p. 47). O autor classifica também ciberespaço como: [...] o espaço de comunicação aberto pela interconexão mundial dos computadores e das memórias dos computadores. Essa definição inclui o conjunto dos sistemas de comunicações eletrônicas (...), na medida em que transmitem informações. Consiste de uma realidade multidirecional, artificial ou virtual incorporada a uma rede global, sustentada por computadores que funcionam como meios de geração de acesso. (LÉVY, 199, p. 92). Nesse sentido, Lévy (1999, p. 81), aponta ainda para a força que há na interação que ocorre dentro deste ciberespaço e reforça sobre a convergência das distintas mídias para esta mídia digital. A comunicação por mundos virtuais é, portanto, em certo sentido, mais interativa que a comunicação telefônica, uma vez que implica, na mensagem, tanto a imagem da pessoa como a da situação, que são quase sempre aquilo que está em jogo na comunicação. Nessa nova cultura, fatores como a extensão e tempo tendenciam a ser cada vez mais importantes. Apenas digitando algumas palavras nas teclas do smartphone pode-se mandar um informativo para milhões de clientes expandidos pelo globo. Se o empresário precisa de um software para o setor de engenharia da sua empresa, pode facilmente efetuar uma compra de um fornecedor situado na Índia e pagar, receber, instalar e começar seu uso, sem sair de sua mesa, como relata o autor: Deve avaliar os valores culturais face aos conteúdos gerados pelas novas mídias e, fechando o círculo, avaliar o impacto das mídias nos valores culturais [...] com isso, os determinantes das tecnologias de informação estão absolutamente relacionadas às questões culturais, seus valores e seus recursos, diferenciando, ou melhor, ampliando o conceito do processo de inovação tecnológica, e da formulação de sua estratégia. (CORRÊA 1994, p. 63) De forma receptiva ou não, as organizações deverão integrar a internet em suas estratégias. Esse é um fato, onde nenhuma corporação poderá se desenvolver no mercado sem fazer uso desta investida. A compreensão já não será mais a mesma, os custos irão dar impacto no preço de venda dos produtos de forma desigual. Na Internet, as empresas têm um espaço virtual em que podem atender aos seus clientes. Mais do que isso, toda a estrutura de uma organização pode alterar com a atuação digital, da logística à comunicação. Se antes uma loja, em um ponto de venda real, requeria uma localização tradicional, este valor deixa de ter importância na rede. O fator proximidade

25 26 deixa de haver, agora o consumidor está a mesma distância de uma organização e todas as suas competidoras - apenas um clique, e dentro deste conjunto, outros valores surgem, e a possibilidade de troca de informações que a Internet acomoda é outro valor de importância decisivo no novo cenário empresarial: o relacionamento com os clientes. O relacionamento com os públicos de interesse deve pautar-se, agora, por agilidade e interatividade, e os comunicadores organizacionais devem ter a capacidade de estabelecer estratégias que levem em conta a potencialidade da Internet. As organizações ainda encontram dificuldades para se adaptar às novas mídias, com formatos e linguagens ainda insuficientemente explorados, mas, paulatinamente, vão descobrindo formas de conviver com elas (BUENO, 2003, p. 60). A comunicação interativa na Internet ordena também um novo tipo de linguagem. Um olhar mais cauteloso sobre este novo modelo revela uma perceptível mudança de foco importante a ser percebido pelas organizações. A demanda de informação do usuário é o que gera o funcionamento e a navegação das páginas na Internet, o desenho de navegação na rede, em que o usuário decide que informação deseja acessar, exige uma nova forma de comunicação, a mais respeitável é que usuário tenha liberdade para escolher o conteúdo que deseja navegar e a sequência de exposição das informações. No ambiente virtual, é o grau de importância pelo assunto que aciona a comunicação e não mais o interesse da empresa em fazer com que ele conheça o produto. Se antes, na propaganda tradicional, o anunciador determinava a mensagem e a derramava nas mídias, agora quem decide a mensagem que quer ver é o próprio consumidor. A linguagem publicitária na rede precisa de um apelo muito maior para atrair a atenção do seu público. O conteúdo passa a ser tão decisivo como a maneira com que ele será apresentado. A partir de entendimento similar Barichello adverte: Atualmente é preciso pensar as posições estratégicas e as possibilidades de estabelecer ligações e vínculos na sociedade midiatizada. Para tanto, reinterpretar conceitos, atualizá-los, ou, ainda, criar outros que possam dar conta dos fenômenos atuais torna-se necessário para entender muitas das transformações que se processam, muitas das quais se assemelham mais a mutações, pois mudam a natureza do substrato, ou seja, (...) as organizações e seus processos comunicacionais. (BARICHELLO, 2008, p. 247). De fato, muitas organizações adentram na rede apenas para marcar sua presença, sem um planejamento consistente de como usar este novo meio digital no seu mix de marketing. De acordo com o pensamento de Côrrea (2009, p. 321), o processo de comunicação digital nas organizações necessita ser compreendido de uma maneira mais aprofundada e não somente à simples existência de um sítio na internet ou a uma comunicação interna feita por meio do correio eletrônico. O que deve ser destacado é o fato de que a comunicação na rede, assim como fora dela, deve ser sempre pensada de acordo com o seu objetivo final.

26 27 Então, deve-se destacar que antes de qualquer iniciativa de comunicação na rede é imprescindível estabelecer um plano que considere, segundo Corrêa (2009, p.321): - Objetivos: produzir o que se pretende com o site na rede, ou seja, vender, reforçar a imagem de marca, informar ou mesmo disponibilizar informações incluídas à área de mercado em que a empresa atua. - Público-alvo: Outro fator a ser respeitado é o fato de que a comunicação na web atinge públicos não previstos pela empresa, qualquer pessoa pode acessar um site. A Internet aceita um relacionamento mais aproximado com públicos diferentes, permitindo uma maior segmentação, antes juntados em massas. - Posicionamento da imagem: os recursos que a Internet oferece são muitos texto, imagem, design, música, locuções. A comunicação na rede deve ser encarada como uma extensão da imagem da empresa. - Conteúdo informativo e serviços on-line: Após direcionar os públicos, deve-se estabelecer conteúdos e serviços que sejam realmente úteis para cada um deles. Para isso, a organização precisará se atentar em criar um fluxo de informações que vão estar sempre abastecendo o site da empresa e aproximando a atenção de seus públicos. Nesse caso, assim como as empresas precisam se adaptar para receber esse aparato de tecnologia, as pessoas que a compõem, precisam acompanhar não somente a manutenção superficial, mas fazer uso dessas mídias como estratégia de divulgação para consolidação da imagem organizacional PRODUTOS MIDIÁTICOS E SEU PAPEL ESTRATÉGICO NO PROCESSO COMUNICACIONAL O processo de Comunicação e o advento das mídias Juntamente com a evolução do ser humano veio a necessidade de se estabelecer e conceituar um processo comunicacional. Em geral, esse processo de comunicação envolve fundamentalmente quatro elementos: Emissor, receptor, canal e mensagem. Essa forma linear de transmissão é o que se aprende desde que se começa a fazer parte deste processo. John Fiske (2002, p. 19) recorre aos teóricos Claude Elwood Shannon e Warren Weaver na obra "Teoria Matemática da Comunicação", a fim de fundamentar que, para uma mensagem ser transmitida é necessária a existência de um meio - o canal - e defende ainda

27 28 que tal teoria "é largamente aceita como uma das principais fontes de onde nasceram os Estudos de comunicação". A informação nesse ponto se torna parte do processo de comunicação, como esclarecem Straubhaar e La Rose (2004, p. 05): "Comunicação é o processo de troca de informação, e informação é em resumo, o conteúdo da comunicação". Considerando a capacidade que o indivíduo tem de desenvolver e interagir com o mundo e suas múltiplas formas de expressão por intermédio de variadas linguagens constituído de signos orais, textuais, gráficos, imagéticos (imagem), sonoros e entre outros. Gosciola (2003, p. 29), aponta este processo de comunicação como um ato social que recorre à linguagem, como um suporte ordenador de conteúdos, para atender à necessidade humana de representações de informações de narrar fatos e contar histórias. É justamente para referenciar esse amplo e complexo ambiente de expressão comunicacional anteriormente citado, e também com a necessidade de gerar, veicular e disseminar a informação de forma dinâmica e acessível para os mais diversificados públicos que o termo "mídia", usado como canal da informação, nos remete a palavra "media" em Inglês, que é de origem latina que significa meio. Com características próprias e particulares a cada mídia, que dá suporte à difusão e veiculação da informação, organizado na forma de como essa informação é transformada através da mídia impressa, eletrônica, digital e audiovisual, que faz o uso de um aparato físico e tecnológico usado para o registro, geração e armazenamento dessas informações, como: Câmera fotográfica, Filmadora e Gravadores, Fitas cassete, DVD's CD's, HD's, pen Drives entre outros, como destaca Gosciola: Em muitos autores, o termo mídia é utilizado para identificar o recurso pelo qual uma informação é transmitida, ou seja, o canal ou o meio de comunicação através do qual se desenvolve uma comunicação. Na situação atual, no mercado e no dia-a-dia do usuário de novas tecnologias utiliza-se o termo mídia para identificar o suporte onde será replicado (GOSCIOLA, 2003, p. 27). Considerando as transformações que a mídias sofreram ao longo do tempo, no uso de suas terminologias, bem como a amplitude que elas alcançam atualmente, as "mídias", comumente usado no plural, conceitua de forma bem acessível esse processo, com o intuito de ampliar e tornar flexível o conceito. Santaella (1992, p. 138), defende que "o termo mídias no plural visa pôr em relevo os traços diferenciais de cada mídia, para caracterizar a cultura que nasce nos trânsitos, intercâmbios e misturas entre os diferentes meios de comunicação".

28 Os meios de massa Para Gosciola (2003, p. 29), a comunicação de massa e seus produtos são conceituados como veículos e programas de comunicação, que promovem a troca de informações entre grande número de pessoas. Tais veículos e programas estão diretamente estruturados por um conjunto de equipamentos e seus recursos tecnológicos. O ato de se comunicar estabelece a troca de informações entre indivíduos. Hoje vivemos em uma era que a informação está bem mais acessível em todos os cantos, nos deparamos com informação através dos diversos produtos midiáticos que os meios e veículos de comunicação dispõem para alcançar seu público alvo de maneira segmentada ou de massificada, seja em forma de comercial (propaganda), informativa (jornalística) e lazer (entretenimento). O que se espera nessas circunstancias é sempre atingir o maior número de pessoas, a chamada comunicação de massa. É preciso justificar os significados que as palavras "meio" e "veículo" possui dentro desse processo, há uma diferença que vale ressaltar o pensamento de Sissors & Bumba: Meio se refere a uma classe de meios de comunicação como televisão, jornais, revistas etc. Em outras palavras, se refere a um grupo de transportadores de informação que tem características similares.[...] Veiculo é um membro de uma classe de meios de comunicação.[...] O 60 minutes é um veículo dentro do meio televisão. Ladies Home Journal e McCall são veículos dentro do meio revista. (SISSORS; BUMBA, 2001, p. 19). Essa justificativa é necessária para se falar da evolução dos meios de comunicação de massa, que se tornou mais evidente com a Revolução Tecnológica em meados do século XX. Embora já houvesse subsídios para esse tipo de comunicação, diversos fatores são levados em consideração para que essa cultura social e comunicacional não fosse implementada, como bem exploram Burcke, referenciado por Straubhaar e La Rose: Mesmo antes do advento da impressão, livros eram um meio de massa. Vários fatores impediram a expansão dos livros e da alfabetização antes do século XV. Primeiro, a reprodução de livros; antes da invenção do tipo móvel e da prensa mecânica, era muito difícil. Em segundo, pessoas no poder não estavam particularmente interessadas que as massas pudessem ler. Terceiro, a necessidade econômica de uma força de trabalho amplamente alfabetizada ainda não havia se tornado aparente. Somente no século XV, mais pessoas no comércio e outras atividades não agrárias passaram a querer frequentar uma escola e obter informações de livros. Em quarto, já que a leitura até então havia sido limitada à elite especializada, os tipos de livros produzidos destinavam-se apenas a esse grupo (BURCKE, 1991 apud STRAUBHAAR; LA ROSE, 2004, p. 30). Em 1454, é apresentada ao mundo uma invenção que marcaria novos rumos na história, a prensa foi considerada a responsável pela disseminação da cultura da informação e alfabetização no mundo todo, como Gosciola (2003, p. 29) afirma: "Em 1454, Johannes Gutenberg inventa a impressão com tipos móveis de metal, que foi considerada a precursora

29 30 dos meios de comunicação de massa." Resultado de décadas de estudo, dedicação e aperfeiçoamento de técnicas que Gutenberg possuía na cunhagem em metais e pedras. O invento levou largos anos à aperfeiçoar-se, mas Gutenberg persistia na ideia de adaptar técnicas que já conhecia profundamente as técnicas do trabalho em metal, tais como moldagem, corte preciso e carimbagem à produção técnica de livros. A prensa desenvolvida por Gutenberg não era, de facto, uma invenção totalmente nova, já os chineses haviam usado técnicas de impressão de letras, especialmente em tecido, mas a maneira como ele a usou, essa sim foi inovadora: o molde das letras com tinta é colocado numa plataforma que desliza até à parte inferior de uma estrutura metálica; uma prensa é acionada através de uma barra que provoca a compressão, fazendo com que a estrutura que suporta o papel o "carimbe" com aquelas letras com toda a força, fazendo, assim, a impressão da letra no papel. Como as letras eram metálicas e amovíveis, cada caracter era separado e podia facilmente ser removido se estragasse ou se houvesse necessidade de alterar algo no texto. Gutenberg inovava ao transpor para a prensa tabuleiros que continham todo o tipo de caracteres normalmente usados na escrita manual: letras maiúsculas e minúsculas, sinais de pontuação, abreviaturas, etc; postas em conjunto para formar palavras, linhas e páginas inteiras de texto impresso. Com tal estrutura montada, Gutenberg concluiu que seria perfeitamente possível imprimir cerca de 300 páginas por dia. 2 A partir disso a produção de livros começou a se espalhar, os valores se tornaram bem mais acessíveis, o que contribuiu para formação de mais pessoas alfabetizadas e melhor instruídas, o advento da tecnologia disponível na época fez com que as prensas se tornassem mais econômicas aumentando assim a demanda de livros para novos públicos. Essa mudança social trouxe ao mundo uma nova forma de se comunicar, além de ter parcela significativa para a formação de uma opinião publica para a sociedade, pois mudava a forma como as pessoas pensavam e agiam. (STRAUBHAAR; LA ROSE, 2004). A prensa de Gutenberg permitiu que o renascer do interesse pela aprendizagem e pelos clássicos na época do Renascimento, fosse transmitido de cultura em cultura. Esta fantástica invenção mudou drasticamente o mundo inteiro: para além de aperfeiçoar a escrita e facilitar a leitura, os textos poderiam facilmente ser feitos de uma forma rápida e eficaz. O mundo começava, assim, a partilhar o seu conhecimento. 3 Por séculos o homem descreveu os grandes fatos e acontecimentos importantes na história da humanidade, grandes batalhas, mudanças religiosas, políticas e culturais, estudos científicos, tudo o que sabemos e o que vamos descobrir são baseados em anos de estudo de alguém que se dedicou em prol do conhecimento e através de seus relatos que nos serve de referencia para novos estudos. No ramo comunicacional, os primeiros relatos de informações foram as conhecidas "cartas noticiosas", usadas por navegadores para transmitir noticias comerciais, durante o século XV. No século XVI, surgiram as folhas de avisos, conhecidas como gazetas, pequenos panfletos que abordavam vários assuntos: notícias de cortes, política, crimes etc. O que dava indícios da origem do que chamamos hoje de Jornal (SOUZA,1996). 2 Prensa de Gutenberg - Disponível em: 3 Prensa de Gutenberg - Disponível em:

30 31 Durante a segunda década do século XVII, por volta de 1620, surgiram os corantos, nomes de publicações destinadas a conter notícias correntes. No século XVIII, o jornal passa a circular diariamente em diversos países, como Espanha, Estados Unidos e França. Desde o seu início, o jornal esteve marcado pela censura, pois temiam que a notícia divulgada fosse dominada por todos e que influenciasse a opinião pública. 4 A cultura e o conhecimento, que até então eram considerados privilégios acessíveis apenas, a determinadas classes sociais, passaram por um processo de popularização, oferecendo oportunidades igualitárias para quem tivesse o interesse e quisesse alargar os seus conhecimentos, ou seja, a sociedade se tornava cada vez mais instruída. E graças a esse conhecimento adquirido foram surgindo novas formas de se comunicar. O telégrafo foi o primeiro aparelho que permitiu a comunicação à distância através de fios e da eletricidade. Em 1844, Samuel Morse transmitiu a primeira mensagem telegráfica e dessa forma mostrou como o telégrafo tinha a capacidade de enviar sinais rapidamente e a grandes distâncias. Na segunda metade do século XIX surgiu o telefone, um meio de difusão de comunicação por sons que veio revolucionar o modo de comunicar, pois permitia que duas pessoas comunicassem entre si, oralmente, a grandes distâncias. Esta importante invenção, surgia numa altura em que as comunicações à distância estavam em franco progresso com o aparecimento do telégrafo. 5 O advento da Revolução Industrial em meados do século XX trouxe para a comunicação novos e modernos meios, possibilitando assim, um maior alcance de público, antes resumida as pessoas das grandes metrópoles, que na oportunidade saíram do campo em busca de trabalho na cidade. A população começava a ser mais instruída pela acessibilidade aos livros e aos jornais que informavam e educavam a quem antes não tinham oportunidades (STRAUBHAAR; LA ROSE, 2004). Essa migração trouxe progresso para as grandes cidades, rodeadas por indústrias que empregavam aqueles vindos do campo, que em sua grande maioria, eram analfabetos, entendendo com dificuldade o idioma, mas atraídos por melhores condições de vida, obtenção de bens de consumo, entretenimento variado, meios de transporte, gêneros alimentícios, ou seja, comodidades que uma cidade grande oferecia. Entretanto, por não possuírem informações e instruções necessárias, acabavam aceitando condições salariais muito baixas. Dessa forma, surge o que Kornhauser, referenciado por Beltrão e Quirino (1986, p.27), afirmam ser a sociedade massificada: Grande quantidade de indivíduos, não integrantes de qualquer agrupamento social, incluindo classes. Por consequência viviam em condições totalmente desfavoráveis e até miseráveis daquelas que imaginavam, pois 4 ROSA, Cínthia Morelli. Meios de Comunicação: influências no processo pedagógico. Disponível em: 5 Meio século de Aprendizagens Disponível em:

31 32 não possuíam status social definido para uma sociedade diferenciada e predominante que ditavam tendências, leis e princípios, que era inicialmente composto por intelectuais, pensadores e pessoas com grande influência na sociedade na qual constituía uma esfera pública. Taylor (2010, p.) demonstra este ambiente e a esfera pública na época de tal revolução, onde se caracterizava de forma que: As pessoas aqui envolvidas nunca, por hipótese, se encontraram, mas vêem-se como ligadas num espaço comum de discussão através dos meios de comunicação no século XVIII, meios editoriais, livros, panfletos e jornais circulavam entre o público educado, transmitindo teses, argumentos e contra-argumentos, referidos uns aos outros e refutando-se entre si. Estes eram amplamente lidos e, muitas vezes, discutidos em encontros face a face, em salas de visitas, cafés, salões e em lugares mais (autorizadamente) públicos, como o Parlamento. A visão geral daqui resultante, se é que havia alguma, contava como opinião pública neste novo sentido. 6 A Revolução Industrial traria à tona uma nova forma de pensar da sociedade massificada: o proletariado, termo Marxista utilizado para caracterizar a classe assalariada, onde haviam também trabalhadores esclarecidos que se opunham às condições de trabalhos a que eram impostos, e reivindicavam seus direitos. Entre estes proletariado e patrões estão produtores, fornecedores de insumos industriais, comerciantes e também o próprio Estado. Nesse sentido e ainda segundo os autores, as tecnologias de comunicação iriam ter papel importante para uma sociedade massificada e mais esclarecida. Concomitantemente, a tecnologia das comunicações oferecia à massa, agora composta de diversos segmentos sociais, com o disco e o fonógrafo, cinema, o rádio e, por fim a televisão, novos meios de difusão de mensagens, que iriam permitir a imediata e simultânea recepção das mesmas informações a públicos os mais vastos, heterogêneo e dispersos. A comunicação massiva iria tornar-se o instrumento mais efetivo na implantação da sociedade de massa. (BELTRÃO; QUIRINO, 1986, p.28). Com tal mudança social, o poder aquisitivo aumentava, começando a se configurar uma sociedade ligada ao consumo. Nesse ponto, os meios de comunicação passariam a atuar de maneira bem mais peculiar, pois havia a necessidade de saber a forma como essas pessoas gastavam seus recursos e em que elas se interessavam, a partir disso, a informação começa a ser moldada como estratégica dentro dos meios de comunicação, onde o papel central da informação está ligado à comparação com outros produtos e serviços, onde a riqueza e atividade econômica são criadas, a partir do crescente número de onde a maioria das pessoas tem algum tipo de vínculo (STRAUBHAAR & LA ROSE, 2004). Contudo, com o surgimento dos meios de massa, a informação passaria a ser transmitida sem a sua real essência, pois nesse sentido, a informação ganha ares de persuasão para a busca de novos públicos. Para Straubhaar e La Rose: 6 TAYLOR, Charles. Esfera Pública. Disponível em:

32 33 Quase metade da força de trabalho americana está envolvida na criação, manipulação ou uso de informação. Em 1980, apenas 3% dos trabalhadores americanos estavam na agricultura, pouco mais de 20% na indústria e cerca de 30% em serviços, enquanto o restante (47%) trabalhava diretamente com informação, Essa constatação foi resultado dos estudos de Marc Porat (1977) sobre a economia americana dos anos 70. Seus estudos classificaram vários empregos em categorias e constituíram a primeira estimativa detalhada de como as pessoas trabalhavam primeiramente com informação, embora estivessem empregadas em bancos ou fábricas de carros. Empregos de informação incluem todos aqueles primariamente envolvidos na produção, processamento ou distribuição de informação: secretárias, contadores, banqueiros/financiadores, bem como jornalistas, produtores de mídia, trabalhadores em computação, engenheiros em áreas de informação, designers, e assim por diante. Esses empregos estão crescendo, enquanto outros declinam. Nos Estados Unidos, por exemplo, existem mais pessoas trabalhando hoje em educação que em agricultura. (STRAUBHAAR; LA ROSE, 2004, p.43). Com esse cenário favorável surgem os primeiros profissionais de comunicação que tem a missão de trabalhar essa informação para transmitir, persuadir para obter retorno econômico frente a um público consumidor cada vez mais atuante Produtos Midiáticos O termo produtos midiáticos, faz referência aos suportes ou veículos de divulgação existentes nos meios de comunicação, há uma infinidade de produtos midiáticos que são utilizados de acordo com as suas características estratégicas dentro de uma mídia, para se atingir um determinado público (audiência). Com essa nova configuração de sociedade e a necessidade de se comunicar e entender esse público, que é o objetivo da comunicação de massa, aparece com funções bem mais específicas para a transmissão de uma mensagem consciente e coerente acerca do papel das instituições sociais existentes na época, com o intuito de fortalecer a imagem institucional das mesmas, como ressalta Beltrão e Quirino: A conscientização das comunidades sobre o papel de cada instituição social e dos indivíduos que dela participavam, dando-lhes conhecimento de sua finalidade, mecanismo e importância, permitir-lhes o domínio sobre o seu funcionamento eficaz. Desde logo, apareciam três funções básicas: 1. Informar transmitir elementos (dados) para o conhecimento do indivíduo ou da massa; 2. Persuadir fornecer argumentos capazes de modificar a opinião e a conduta de pessoas e grupos; e 3. Divertir proporcionar recursos de entretenimento ao homem, para subtraí-lo das pressões do meio e do cotidiano. (BELTRÃO & QUIRINO, 1986, p.140). O uso dos produtos midiáticos de forma estratégica tem como finalidade vender um produto ou serviço, construir ou consolidar a imagem institucional de uma empresa e informar levando em consideração as particularidades e desejos do público. Dentro desse ambiente social, que os grandes veículos de comunicação surgem e vem dar contribuição na defesa dos interesses públicos e privados, fortalecendo ainda mais os meios de comunicação de massa (jornal, revista, rádio, cinema e TV).

33 34 Admite-se, hoje, que os meios de comunicação se completam, antes que se confrontam. A imprensa que atendia às porções alfabéticas e intelectualizadas da sociedade foi completada pelo disco, pelo rádio e pelo cinema, que estenderam sua influência e disseminaram sua mensagem por onde e até aqueles receptores que não dominavam os códigos linguísticos gráficos. Pelo fato de possuir condições técnicas, realizadas ou em potencial, para reunir as virtualidades dos demais meios caberia a televisão preencher o vazio que resta no espírito do homem do nosso tempo (BELTRÃO; QUIRINO, 1986, p.138). A mídia assume papel importante na promoção de produtos, disseminação de conceitos e tendências, ela começa a ter em sua essência um caráter mais ideológico e comercial, e dessa forma ganha força na medida em que as empresas sentem a necessidade de mostrar o diferencial de seu produto ou serviço, e também justificar a imagem perante o mercado suas particularidades de consumo. Tais características citadas se resumem em uma palavra: propaganda. Cabe a esses profissionais de comunicação, agir utilizando técnicas psicológicas para fazer de forma eficiente a comunicação com o intuito de persuadir o consumidor. Em vias gerais, o papel da propaganda está literalmente ligado aos interesses de empresários, políticos, executivos, em suma todos aqueles que de alguma forma usufruem do poder, mas necessitam de disposição para alcançar o efetivo objeto do investimento, ligada ao consumo e seu uso racional (FREITAS, 2007, p. 21). Beltrão e Quirino destacam que propaganda é: A atividade a que se dedicam agentes especializados na promoção de procedimentos os mais adequados à divulgação à de ideias ou o estabelecimento de relações de ordem econômica entre indivíduos ou grupos capazes de oferecer bens, produtos e serviços, e outros suscetíveis de adotá-las e/ou utilizá-los. Desse, modo a propaganda se classifica quanto ao seu objeto, em ideológica e comercial (BELTRÃO & QUIRINO, 1986, p.164). O uso estratégico da propaganda com caráter comercial, publicidade ; faz o uso de diversos meios e seus suportes (mídias), e quando falamos desses produtos da mídia, citamos a veiculação da mensagem nos mais diversos formatos, gêneros e ambientes de divulgação, para que de alguma forma ou outra, essa mensagem chegue ao seu receptor e seja assimilada de maneira mais eficiente possível gerando assim, resultados em forma de retorno financeiro, pois, para se fazer publicidade é necessário investir na veiculação que variam de acordo com a mídia escolhida. Veronezzi (2005) cita exemplos desses produtos, de acordo com a característica de sua mídia de divulgação: Mídia Convencional (mídia de massa) Jornais, revistas, rádio, televisão; Mídia Externa Outdoors, painéis tradicionais e eletrônicos, backlights, frontlights, triedos, luminosos, empenas, busdoor, mobiliário urbano; Mídia extensiva (mídia alternativa) Há diversas e quase infinitas formas dessa mídia, pois o que determina essa mídia

34 35 é a criatividade, mas entre as mais conhecidas estão: cartazes, panfletos, folders, flyers, adesivos, lâminas, displays, banners, etc. A Mídia digital (internet) Sites, blogs, redes sociais, -marketing, banners em sites, aplicativos para celulares, revistas e jornais digitais, etc; não tem em seu contexto características de um meio especifico apenas, mas, a extensão de todos os meios convergidos em um só, talvez a internet não seja um novo meio, e sim, a convergência de todos os meios, porque na verdade, basta acessá-la para podermos ler jornais e revistas, ouvir rádio, ver TV A INTERAÇÃO ENTRE OS PROFISSIONAIS O profissional de Relações Públicas e seu papel estratégico As atividades de relações públicas tiveram a sua origem em 1906 nos Estados Unidos com Ivy Lee, como fala Amaral (2001, Portal RP), porém desenvolveram-se em grande escala no Brasil, somente após o Regime Militar, a partir de meados de 1980, como justifica Kunsch (2011, p. XI), quando especifica que "o final do regime militar obrigou as empresas e outras organizações a buscarem um aumento de sua transparência e de seu diálogo com os diversos segmentos da sociedade". A definição oficial da Associação Brasileira de Relações Públicas ABRP, observada por Pinho (1990, p. 27), conceitua essa atividade como "o esforço deliberado, planejado e contínuo para estabelecer e manter a compreensão mútua entre uma instituição pública ou privada e os grupos de pessoas a que esteja, direta ou indiretamente, ligada". Kunsch (2011, p. XI) salienta que a expansão que Relações públicas tiveram no Brasil, não se deu de forma integrada e estratégica como, de fato, seria o mais apropriado a se fazer, e compreende ainda que isto foi feito "em função de uma legislação coercitiva e limitadora, criada pelo regime militar para inibir o crescimento das atividades da informação". Todavia, mesmo com esse desenvolvimento não integrado das atividades de relações públicas, o processo de mudança pelo qual a profissão passou no Brasil após o regime militar, significou uma importante alteração nos conceitos que regiam tais atividades, como é exposto por Kunsch: Em vez de elidir ou evitar conflitos como antigamente, passou a caber aos profissionais do setor o trabalho de explicitar as divergências, facilitar a compreensão mútua e buscar o entendimento por meio de negociação. A atividade, que era vista entre nós como cosmética ou de manipulação e persuasão, passou a assumir uma postura ética de busca de transparência e abertura, com a transmissão de informações verdadeiras e a ampliação do diálogo. (KUNSCH, 2011, 25).

35 36 Penteado (1878, p.17) afirma ainda que, atualmente, as relações públicas constituem um novo e eficiente instrumento promocional de trabalho, que propicia e estimula tudo o que é legítimo e autêntico. Legitimidade e autenticidade são a própria substância das Relações Públicas e de seu conceito atual. As habilidades que antigamente definiam o profissional de relações públicas apenas como a simpatia, a boa vestimenta, o trato agradável, o falar bem em público, passaram a ser insuficientes para a sobrevivência das atividades no passar dos anos. Kunsch e Penteado defendem acima que agora, as atividades desse profissional requerem veracidade e ética. Kunsch (2011, p. XII) coloca ainda que se espera desse profissional, uma forte atuação no desenvolvimento e gerenciamento de uma comunicação integrada, com especial enfoque nas habilidades de "novos conhecimentos, visão estratégica, um forte embasamento cultural, melhor conhecimento das organizações e uma formação ética". Quando a profissão foi regulamentada na década de 1960, através da lei nº 5.377, de 11 de dezembro de 1967, diversos teóricos como Cândido Teobaldo de Souza Andrade e o próprio Ney Peixoto, que foi o responsável pela regulamentação, concordam que ela deu-se de forma prematura. Como relata Andrade, citado por Kunsh: Eu vivo dizendo que a lei e sua regulamentação foram prematuras. Reconheço que fui um dos culpados, porque fomos obrigados pelas circunstâncias a fazer aquele negócio. A história começou quando uns dos diretores da ABRP do Rio de Janeiro disse ter conversado com seu grande amigo, deputado Herbet Levy, e que este havia concordado em apresentar um projeto de lei para regulamentar a profissão. Sem consultar ninguém, tratou sozinho o assunto. Nós só viemos a saber disso quando o projeto estava no Congresso e já tinha passado por todas as comissões. Ficamos enlouquecidos! Estava em cima da hora para entrarmos na questão. Conseguimos trazê-lo para o Rio de Janeiro para estudá-lo melhor. (...) até chegarmos a um projeto substitutivo... Por sorte, também conseguimos que dois deputados de São Paulo se prontificassem a levá-lo a Brasília. (...) O substitutivo foi aprovado, entrando no lugar do projeto inicial, que era uma vergonha! Para começar, ente outras bobagens da época, dizia que nós éramos técnicos de relações públicas... Mesmo assim, hoje eu descreveria de outra forma as atividades incluídas na lei. Eu deixaria tudo mais claro. Mas naquelas circunstâncias, quando as coisas estavam por estourar, não tínhamos como fazer melhor. Por isso, a regulamentação da profissão de Relações Públicas foi realmente extemporânea. (KUNSH, 1997, p. 24) Kunsch (1997, p. 24), revela que a regulamentação da profissão se deu no período em que iria ocorrer o IV Congresso Internacional de Relações Públicas, que após ter como países sede do evento, Bélgica, Itália e Canadá, o Brasil estaria, pela primeira vez, sediando um evento de tal porte para a categoria, sendo a cidade sede, o Rio de Janeiro. Quase trinta anos após a regulamentação da profissão, em agosto de 1998, foi evidenciada em documento pelo Parlamento Nacional (KUNSCH, 2011, p. 8), a necessidade de se atualizar tal regulamento, a fim de adaptar o exercício das atividades ao mundo atual. Essa atualização foi feita através de um projeto de lei que descreve de forma mais precisa,

36 37 as atividades específicas do profissional e ainda, introduz conceitos mais elaborados para o exercício da profissão. Esse evento foi fundamental para clarificar a atuação desse profissional que, dentre muitas, é destacado por Kunsch (2011, p. 8): o relacionamento das entidades com seus públicos, à análise da reação dos públicos, à intenção de formular políticas e estratégias de comunicação que atendam às necessidades de relacionamento das entidades com seus públicos. Kunsch (2011, p. 5), defende ainda, que seja imprescindível demonstrar a importância dos relacionamentos na atuação deste profissional, tendo como premissa: administrar os relacionamentos como foco primordial da atividade e identificar as fontes de onde partem os relacionistas para elaborar, gerenciar e executar o relacionamento da organização com seus multipúblicos. Como citado acima por Kunsch, as raízes do profissional de Relações Públicas estão na sua capacidade de gerenciar os relacionamentos entre a organização com seus diversos públicos. Logo, ele se caracteriza como um estrategista da comunicação, tendo no planejamento estratégico sua principal ferramenta de trabalho. Kunsch (2011, p. 37) destaca que com o planejamento estratégico é possível fazer uma análise do ambiente corporativo chegando-se a um diagnóstico organizacional capaz de indicar as ameaças e as oportunidades, os pontos fracos e fortes, ou seja, traçar um perfil da organização no contexto econômico, político e social. Tal planejamento precisa ser pensado em suas mais diversas variantes, visto que o profissional de relações públicas é responsável pelo gerenciamento da informação. Destacando-se em suas funções o tratar com a sociedade em rede, que se tornou grandemente expressivo com o advento das novas tecnologias, Kunsch (2011, p. 35), reforça que tal avanço tecnológico sofrido pelos meios de comunicação impele a sociedade um novo comportamento e, consequentemente, a um novo processo comunicativo organizacional com inúmeras implicações técnicas, éticas e morais. Castells ao tratar desta sociedade em rede, dominada pelo poder da internet, destaca : Sociedade em rede é a sociedade que eu analiso como uma sociedade cuja estrutura social foi construída em torno de redes de informação microeletrônica estruturada na internet. Neste sentido, a internet não é simplesmente uma tecnologia; é um meio de comunicação que constitui a forma organizada de nossas sociedades; é o equivalente ao que foi a fábrica ou a grande corporação na era industrial. A internet é o coração de um novo paradigma sociotécnico, que constitui na realidade a base material de nossas vidas e de nossas formas de relação, de trabalho e de comunicação. O que a internet faz é processar a virtualidade e transformá-la em nossa realidade, constituindo a sociedade em rede, que é a sociedade em que vivemos. (CASTELLS, 2003, P. 287)

37 38 Para Kunsch (2011, p. 35), é neste cenário digital que, hoje, as empresas lutam para se manter, para cumprir e cultivar seus valores e missão, sendo que o profissional de relações públicas desempenha um importante papel nesse sentido, o de planejar. Tal planejamento não se adéqua na característica meramente tática, passando a ter o seu valor no caráter estratégico. (KUNSCH, 2011, p. 36). A comunicação integrada no campo da comunicação digital, segundo Kunsch (2011, p. 155), pode ser definida através da convergência das mídias: acessibilidade, interatividade, usabilidade, hipertextualidade, todos tendo como pano de fundo uma cultura organizacional democrática, participativa e aberta para os olhares públicos. As Relações Públicas têm na comunicação integrada uma preciosa ferramenta de mercado e característica do profissional, que encontra na comunicação digital uma forma de inserir, de forma planejada, a organização em um meio que ela estará diretamente em contato com inúmeros públicos. Pinho relata que: Os benefícios da internet para os programas e para as estratégias de relações públicas decorrem, principalmente, de características e aspectos próprios. Entre eles, sua condição de mídia de massa e de ferramenta para a comunicação com a imprensa, a sua capacidade de localização do público-alvo, a presença em tempo integral, a eliminação das barreiras geográficas e as facilidades que permite para a busca da informação e da administração da comunicação em situação de crise. (PINHO, 2003, p. 33). Kunsch (2011, p. 153) complementa ainda que o aspecto mais relevante para as estratégias de relações públicas está em seu poder dialógico, que estabelece conexões entre os variados públicos desiguais, dando certo poder de negociação para os públicos mais fracos e potencializando de forma exponencial as redes virtuais de públicos. Criando assim um canal de relacionamento e gerenciamento desse relacionamento dentro das organizações O profissional multimídia Com o a popularização da Internet em 1991, várias transformações ocorreram também nos meios de comunicação, a internet veio para inserir características dos vários meios de comunicação em um só, ou seja, características de multimídias, como destaca Gosciola: Multimídia é a integração de gráficos, animações, vídeo, fala e texto, baseada em computador, para comunicar conteúdo intelectual aos leitores por um caminho simples ou uma linha de apresentação (como um livro tradicional), ou por um navegador não-direcional. (LIPTON apud GOSCIOLA, 2003, p. 30).

38 39 A internet devido ao seu dinamismo teve uma evolução bem mais rápida que os outros meios, e assim, a evolução dos meios de comunicação foram dando oportunidades para que novos profissionais surgissem, com a internet e seu vasto campo de abrangência, surgiu o profissional de Multimídia com atributos bem específicos e um conhecimento bem diferenciado e também abrangente de todas as mídias, aliando conhecimento e técnica profissional para a criação de mensagens para qualquer suporte e finalidade de público. Kunsch destaca que a editoração multimídia é uma ferramenta essencial para o sucesso da comunicação com os mais diferentes públicos, pois é através das inúmeras aplicações virtuais que, pensadas estrategicamente, é possível atingir o leitor: É necessário compreender que o espaço virtual exige um design gráfico especializado para características da tela digital, do suporte tecnológico e do público-usuário. No entanto, as preocupações básicas do Design gráfico para veículos de comunicação impressa devem estar presentes no design gráfico aplicado em usos como: as relações entre espaço em branco, texto e imagens; fontes tipográficas, que garantam a legibilidade para o leitor; a aplicação e a combinação de cores adequadas às significações psicológicas pretendidas; layouts que garantam hierarquias e relações entre conteúdos e ilustrações importantes para o leitor. (KUNSCH, 2011, p.161). Tais preocupações são planejadas em um contexto de interação com o leitor infiel e sempre em busca do que é novo. Desta forma, o perfil do profissional de Multimídia é confundido no mercado com as habilidades de um publicitário, o que se torna até uma problemática para os recém-formados nessa área. A definição do Instituto de Estudos Superiores da Amazônia (IESAM) conceitua muito bem esse perfil: Este profissional visa planejar, organizar e produzir material de áudio e vídeo a ser veiculado por emissoras de rádio e de TV. Em vídeo, faz a edição de imagens e a inserção de vinhetas eletrônicas, trilhas sonoras e textos, além de criar e roteirizar peças em multimídia. Cuida da fotografia e dos trabalhos em computação gráfica para cinema, TV e mídia digital. Elabora produtos de comunicação visual que utilizam multimídia interativa e técnicas de artes gráficas por meio de internet ou DVDs. Promove convergências de mídias, como web rádios e web TVs (...) Realizar consultorias sobre a utilização de novas tecnologias em empresas públicas e privadas, bem como em instituições educativas, visando o implemento de novas formas de comunicação junto ao publico alvo. 7 Com essa visão e experiência que o IESAM possui na formação de profissionais, destaca-se também o mercado deste profissional, revelando as várias áreas de atuação: O profissional da Multimídia atuará em emissoras de rádio e TV, jornais e revistas on-line, produtoras de cinema, agências publicitárias, instituições educacionais e no departamento de comunicação de órgãos públicos, empresas privadas e ONGs. (...) desenvolvimento de sites e portais, (...) agências de publicidade. (...) no setor educacional no cinema (...) e apoio à direção de arte e de fotografia. 8 7 IESAM Perfil Profissional Disponível em: 8 IESAM Mercado Profissional Disponível em: graduacao/cursos/mercado_profissional.php?fldcurso=4

39 40 Dentro desse cenário favorável de novas mídias e da necessidade cada vez mais crescente das empresas se comunicarem de maneira eficiente e dinâmica com seus públicos é que o profissional de Multimídia atua no mercado em prol do censo estético e crítico da comunicação em todos os sentidos, pois, para ser um profissional Multimídia, precisa-se saber de tudo um pouco, tendo um pensamento bem flexível e atualizado nos assuntos do cotidiano, tais características para as empresas são bastante valorizadas, pois elas querem e procuram investir em comunicação, aliando custo x benefício à eficiência, para gerarem resultados positivos Integrando as atividades de relações públicas e multimídia nas organizações Não acreditamos que haja, na área de comunicação, um profissional ecumênico. Acreditamos na comunicação integrada, ou seja, na atuação conjugada de todos os profissionais da área. Não há conflitos entre as diversas atividades: há somatória em benefício do cliente. ABERP, citado por Kunsch Qualquer oportunidade é mais bem desfrutada por aqueles que estão preparados. Para os profissionais de comunicação, essa premissa é bastante válida, pois estar preparado não significa apenas dominar todos os tipos de ferramentas comunicacionais existentes para dinamizar o trabalho, mas também, ter uma boa redação e oratória, saber se relacionar com todos os públicos. Estar em constante atualização dos assuntos do cotidiano para formar opinião, entre vários outros fatores. Portanto, ser um bom profissional de comunicação e por sua vez produzir conteúdo para a informação dos múltiplos públicos, não depende da capacidade individual do profissional, mas da integração de habilidades de uma equipe capacitada e focada em obter resultados expressivos. Kunsch (2011, p 18), relata que muitos fatores interferem na construção de um sistema de comunicação, sociais, econômicos, antropológicos, psicológicos, culturais. Só há comunicação quando há transmissão e recepção de mensagens, seguidas de resultados. Será estratégica se houver, alem do uso do veiculo, mensagens pré-programadas que atendam às expectativas dos públicos a que são dirigidas. Kunsch salienta que a comunicação só funciona efetivamente, quando gera resultados e quando feita de forma planejada e estratégica para atingir positivamente, seus públicos. A propaganda institucional tem uma necessidade singular dentro das organizações, pois não está diretamente ligada ao fator lucrativo da empresa, e sim à necessidade legítima da empresa de: Agir legalmente dentro da ética mercadológica; o recrutamento de pessoal;

40 41 e a assistência aos departamentos da empresa como forma de produtividade para gerar resultados. Nesse momento as áreas de Relações Públicas e propaganda se interagem (FREITAS, 2007). Kunsch destaca: Entendido dessa maneira o profissional de Relações públicas, quando envolvido nas relações com a mídia, encontra-se cada vez mais próximo do posicionamento estratégico da organização. Assim suas funções se ampliam além dos relacionamentos fragmentados com os vários públicos, os quais são determinados pelas atividades da organização e pelas áreas-problema nela existente (KUNSCH, 2011, p. 226). Nesse ponto, a interação dos profissionais de Relações publicas e Multimídia são importantes na integração de suas habilidades, pois, como citados anteriormente, a reunião dos profissionais geram resultados mais satisfatórios. Portanto, as características do profissional de Multimídia que se utiliza de conhecimento amplo e técnico na aplicação de sua mensagem para as várias mídias convergentes e seus mais diversificados suportes, juntamente com a capacidade, técnicas e funções do profissional de Relações Públicas dentro de uma organização, assim como o planejamento, gerenciamento da informação e relacionamento com os vários tipos públicos, se justificam, de modo que nesse cenário atual, onde a criatividade é usada ao extremo para promoção de um produto ou serviço, e, é necessário se ter uma comunicação integrada, a união desses profissionais faz a diferença para as pequenas, médias e grandes empresas, para que possam também estar inseridas no contexto mercadológico atual, reunindo assim em tal parceria, qualidades primordiais para qualquer empresa; estratégia e eficácia.. No exercício da atividade das Relações públicas, a comunicação representa sem dúvida, o maior valor, pois o relacionamento entre pessoas e nas organizações acontece pelo uso em todas as suas modalidades e acepções: interpessoal, dirigida, institucional, corporativa, mercadológica, organizacional e aproximativa, por exemplo, não se resumindo a um processo meramente midiático. No campo da mídia, caracterizam-se como instrumentos de comunicação os do mass media em todas as suas formas de multimídia e sob suas diversas aplicações incluindo as novas tecnologias (KUNSCH, 2011, p. 18). Vale ressaltar também, que a reunião das habilidades desses profissionais, não substitui os outros profissionais da área de comunicação, pois todos possuem suas particularidades e seu papel no processo comunicacional no mercado. 3 - METODOLOGIA O trabalho foi realizado na VirtualLink, empresa de Soluções e Infraestrutura em TI, unidade sede Belém-PA, cito à rua Joaquim Nabuco, 123, no bairro de Nazaré. A metodologia de desenvolvimento abordada no trabalho foi composta por três fases de execução. A primeira foi referente à pesquisa bibliográfica que teve por objetivo a

41 42 fundamentação teórico-científico da investigação, onde foram tomados como referências livros, periódicos, artigos e internet. Na segunda fase foi desenvolvida uma pesquisa quantitativa com o objetivo de conhecer o perfil do cliente de treinamento e o grau de satisfação com os meios de comunicação utilizados pela VirtualLink, além de analisar os produtos midiáticos da empresa, se os mesmos são utilizados de maneira estratégica, a fim positivamente seu público-alvo e assim, fortalecer a imagem corporativa da Instituição. de atingir Para a terceira etapa foi realizada a tabulação e análise dos resultados da pesquisa quantitativa, onde foi possível observar e comprovar, através da apuração dos dados, que o objetivo da pesquisa foi alcançado. Adotando-se Vergara (2003) como fonte de referência, classifica-se a pesquisa quanto aos fins e também quanto aos meios. A finalidade é metodológica, pois segundo Vergara (2003, p. 47), "pesquisa metodológica é o estudo que se refere a instrumentos de captação ou de manipulação da realidade. Está, portanto associada a caminhos, formas, maneiras, procedimentos para atingir determinado fim". O que está diretamente ligado ao que será abordado, sendo os produtos midiáticos como um meio para atingir a consolidação da imagem da VirtualLink. Quanto aos meios, a pesquisa é qualificada como bibliográfica e quantitativa. Bibliográfica, pois, para a teoria foi tomado materiais publicados em livros e artigos para a fundamentação teórico-metodológicos, e também classificada como pesquisa quantitativa, pois segundo Victor Trujillo, a pesquisa quantitativa: Visam quantificar as qualidades. Quando o objetivo é mensurar algo, é indispensável uma pesquisa quantitativa, são as pesquisas quantitativas que oferecem como resultados quantidades, que são representadas graficamente e através de tabelas de frequências. Para isso, toma-se como pressupostos determinados objetivos, ou seja, busca-se mensurar algumas qualidades preestabelecidas. (TRUJILLO, 2003, p. 59). Sendo assim, fez-se necessário a aplicação de questionários que justifiquem o objetivo deste trabalho, portanto, como a empresa possui um público bastante extenso dividido em quatro segmentos de mercado: Serviços, Produtos, Softwares e Treinamentos, optou-se pelo público de Treinamento, por ser um público de maior rotatividade e de fácil acessibilidade dentro da empresa, facilitando a aplicação dos questionários e não comprometendo o andamento da metodologia de trabalho. A princípio foi elaborado um esquema de atuação para interação com os alunos da VirtualLink, para isso desenvolveu-se uma pesquisa dividida em etapas, já descritas acima. A pesquisa foi desenvolvida a partir de questionários com 22 perguntas diretas para serem respondidas pelos alunos. O primeiro contato se deu diretamente com o diretor da empresa,

42 43 que se mostrou solícito em relação à realização da pesquisa, sem qualquer restrição aparente. A partir disso, sugeriu-se um cronograma de aplicações que consistiu no contato com os alunos da VirtualLink no período de setembro e outubro do ano de 2013, na aplicação, que era sempre no horário de aula. Os alunos recebiam o questionário com uma explicação prévia sobre o que se trabalha a pesquisa em questão, nesse momento, falava-se sobre a estruturação do projeto e que o mesmo consistia em um trabalho acadêmico sem vínculo com a empresa, já que a mesma faz a aplicação de um questionário de satisfação no final de cada módulo RESULTADOS E DISCUSSÕES O Projeto Produtos Midiáticos como Ferramentas Estratégicas na Consolidação da Imagem Institucional da Empresa VirtualLink foi pensado com intuito de verificar a recepção do público de treinamento da empresa, no tocante a implantação e reformulação dos produtos midiáticos usados pela mesma, com o objetivo de mostrar como os produtos midiáticos, utilizados de maneira estratégica, podem fortalecer a imagem corporativa de uma organização. As aplicações dos questionários iniciaram-se no mês de setembro, ao todo foram coletados 72 questionários para um público predominantemente masculino com nível superior completo ou cursando, destacando-se a faixa etária de 25 a 29 anos, a maioria já inserida no mercado. Não houve nenhuma dificuldade no contato com os sujeitos da pesquisa, pode-se dizer que se obteve êxito na aplicação. Entretanto, no contato direto com a diretoria da empresa, foi evidente em determinadas situações em que a presença dos pesquisadores foi impedida, isto porque, o diretor não queria transparecer as falhas no serviço prestado, visto que os sujeitos da pesquisa tratavam-se de pessoas que já estavam há alguns anos na espera de abertura de turmas, estando com o curso já quitado e não tinham seu direito concretizado, o diretor por sua vez preocupado com a falsa imagem da empresa nesse sentido, impediu a pesquisa durante duas semanas. Considerou-se relatar essa dificuldade, pois foi um fator preponderante para o atraso e conclusão da pesquisa. Mesmo assim, com este atraso imprevisto a aplicação dos questionários foi concluída com êxito. A partir dos dados coletados, observou-se que parte significativa dos clientes de treinamento da empresa conhecem os produtos midiáticos que a mesma dispõe, revelando assim uma comunicação organizacional realizada de forma integrada e que alcança de forma positiva o seu público, gerando assim, resultados para a empresa.

43 44 Abaixo, algumas análises dos gráficos mais relevantes à pesquisa: Gráfico 1 Através de que meio conheceram a VirtuaLink Fonte: Dados de pesquisa do projeto de TCC - Produtos midiáticos como ferramentas estratégicas na consolidação da imagem institucional da empresa VirtualLink (Multimídia/Relações públicas) O gráfico relata que 47,2% dos alunos entrevistados chegaram até a VirtualLink através de indicação de outras pessoas mostrando a força que a empresa possui no que diz respeito ao marketing de relacionamento. Isto demonstra que os relacionamentos por indicação ainda são os mais importantes na coleta de possíveis clientes como bem nos esclarece Gummersson: Marketing de relacionamento é o marketing baseado em interações dentro da rede de relacionamentos (...) Relacionamentos exigem que pelo menos duas pessoas estejam em contato. O relacionamento fundamental do marketing é aquele entre um cliente e um fornecedor. (GUMMERSSON, 2002) Nesse sentido, é revelado que os mesmos demonstram satisfação pelo trabalho que a empresa tem desempenhado enquanto estão inseridos no período do curso.

44 45 Gráfico 2 Conhecem os canais de Comunicação da VirtuaLink. Fonte: Dados de pesquisa do projeto de TCC - Produtos midiáticos como ferramentas estratégicas na consolidação da imagem institucional da empresa VirtualLink (Multimídia/Relações públicas) 2013 O gráfico revela que 75% dos entrevistados conhecem os canais de comunicação que a VirtualLink dispõe e, aproximadamente 25% não conhece esses canais, o que mostra que a empresa tem visibilidade de mídia, faltando conquistar ainda esta outra parcela que não conhece seus canais de comunicação. Gráfico 3 Quais canais são acompanhados. Fonte: Dados de pesquisa do projeto de TCC - Produtos midiáticos como ferramentas estratégicas na consolidação da imagem institucional da empresa VirtualLink (Multimídia/Relações públicas) 2013

45 46 A pesquisa mostra que os entrevistados acompanham mais de um canal de comunicação da empresa, o que demonstra que uma mídia não anula a outra, as mídias tendem a criar redes intercomplementares (Santaella, 1992). Gráfico 4 Acompanham o site. Fonte: Dados de pesquisa do projeto de TCC - Produtos midiáticos como ferramentas estratégicas na consolidação da imagem institucional da empresa VirtualLink (Multimídia/Relações públicas) 2013 É possível verificar que 51,4% dos entrevistados acompanham o site, sendo este o canal de maior acompanhamento da pesquisa. A periodicidade de maior acompanhamento com 25% é classificado como mensal, 22,2% classificado como semanal e 4,2% acompanham o site de maneira quinzenal.

46 47 Gráfico 5 Acompanham o Facebook. Fonte: Dados de pesquisa do projeto de TCC - Produtos midiáticos como ferramentas estratégicas na consolidação da imagem institucional da empresa VirtualLink (Multimídia/Relações públicas) 2013 A mídia social que passou a ser gerenciada de forma pontual em novembro de 2012, tendo 173 seguidores, atualmente possui 401, envolvendo o público em geral. Dentre os 75% dos entrevistados que conhecem os canais de comunicação oferecidos pela VirtualLink, 36,1% acompanham o Facebook, dentre esses, 22,2% acompanham essa rede de forma semanal o que revela que a empresa está começando a conquistar um espaço e visualização nesta mídia social, como bem ressalta esta importância: A abertura de novos canais de relacionamentos, nas redes, pode possibilitar, contudo, o desarme mais eficiente de possíveis ruídos com as marcas, por causa exatamente do relacionamento mais próximo com o consumidor. [...] As pessoas vêm falar diretamente com a gente. Então, fica mais fácil gerenciar as crises. Pessoas acreditam em pessoas (AZEVEDO apud BRUNELLI, 2010, p. 18) Pode-se observar que o gráfico também apresenta que 8,3% acompanham a rede quinzenalmente e menos de 6% acompanham mensalmente, destacando que o Facebook se caracteriza como uma ferramenta eficaz no alcance e relacionamento com o público.

47 48 Gráfico 6 Acompanham o Blog. Fonte: Dados de pesquisa do projeto de TCC - Produtos midiáticos como ferramentas estratégicas na consolidação da imagem institucional da empresa VirtualLink (Multimídia/Relações públicas) 2013 O Blog, criado em fevereiro de 2013 pela empresa, e com quase de 80 mil acessos, possui um acompanhamento de 25% dos entrevistados revelando que, ainda alcança uma pequena parcela do público entrevistado. Nesse sentido, é importante descobrir quais os tipos de conteúdo são mais apropriados para o público alvo, gerando interesse, seja por meio de posts, imagem ou e-books, acompanhando os resultados diariamente, identificando qual tipo de conteúdo que gera maior engajamento e adaptando conteúdos baseados em análises. Lesca e Almeida (1994, p. 67), afirmam que a informação é um vetor estratégico importantíssimo, pois pode multiplicar a sinergia dos esforços ou anular o resultado do conjunto dos esforços.

48 49 Gráfico 7 Acompanham o Linkedin. Fonte: Dados de pesquisa do projeto de TCC - Produtos midiáticos como ferramentas estratégicas na consolidação da imagem institucional da empresa VirtualLink (Multimídia/Relações públicas) 2013 O Linkedin é a mídia mais recente implantada na empresa, criada em maio de 2013 já possui, aproximadamente, 800 conexões, todavia, apenas 20,9% dos 75% de alunos entrevistados acompanham esta mídia social, reforçando a premissa de que é fundamental que se crie estratégias para alcançar este público que está em constante contato com a empresa, ou seja, os alunos.

49 50 Gráfico 8 Avaliação dos Canais. Fonte: Dados de pesquisa do projeto de TCC - Produtos midiáticos como ferramentas estratégicas na consolidação da imagem institucional da empresa VirtualLink (Multimídia/Relações públicas) 2013 A grande maioria dos entrevistados, com 41,7% consideram BOM o conteúdo informativo dos canais de comunicação da VirtualLink e 23,6% considera o contéudo EXCELENTE, como Kotler (1997) bem comenta sobre levar a mensagem certa, para a pessoa certa no lugar certo. A avaliação positiva do conteúdos dos canais de comunicação se torna um ponto positivo para a construção de uma boa imagem de mercado. Gráfico 9 Interesse em receber publictário Fonte: Dados de pesquisa do projeto de TCC - Produtos midiáticos como ferramentas estratégicas na consolidação da imagem institucional da empresa VirtualLink (Multimídia/Relações públicas) 2013

50 51 No gráfico acima, percebemos que 88,9% do público entrevistado, considera o interessante receber s publicitários, tendo a empresa uma ferramenta em potencial para alcançar esse público. Gráfico 10 Avaliação da forma de relacionamento . Fonte: Dados de pesquisa do projeto de TCC - Produtos midiáticos como ferramentas estratégicas na consolidação da imagem institucional da empresa VirtualLink (Multimídia/Relações públicas) 2013 Ao comercializar produtos/serviços na internet ou estreitar relacionamentos com seu público, o contato online os oferece diversas alternativas para garantir o sucesso e chegar aos objetivos traçados, entre elas, encontram-se o , com o qual é possível chegar ao objetivo de maneira criativa e personalizada. É isso o que aponta o gráfico acima, referente aos 48,6% dos entrevistados na VirtualLink classificam os s recebidos como BOM. Isso também se refere Recuero (2005), quando aponta que a estrutura de uma rede social é composta de interações sociais, alegando que pode ser condimentada de trocas de informações conferida por meio de laços sociais. Cultivar esses laços sociais é que influenciará diretamente na imagem dessa instituição.

51 52 Gráfico 11 Avaliação do Canal: Eventos. Fonte: Dados de pesquisa do projeto de TCC - Produtos midiáticos como ferramentas estratégicas na consolidação da imagem institucional da empresa VirtualLink (Multimídia/Relações públicas) 2013 O gráfico acima mostra que 41,7% dos entrevistados consideram BOM os eventos promovidos pela empresa, considerando esse canal um dos meios mais favoráveis para consolidação da imagem da VirtualLink. O evento, assim como toda a forma de comunicação, foi se modernizando e é hoje, considerada a grande estratégia de persuasão na concorrência do mercado, produto, demanda e procura. Simões (1995) afirma que o evento é um instrumento misto, sendo um acontecimento criado com a finalidade especifica de alterar a historia da relação organização-público, em face das necessidades observadas. Gráfico 12 Avaliação de relacionamento: ParáLinux. Fonte: Dados de pesquisa do projeto de TCC - Produtos midiáticos como ferramentas estratégicas na consolidação da imagem institucional da empresa VirtualLink (Multimídia/Relações públicas) 2013

52 53 Conforme os produtos midiáticos oferecidos pela empresa, destacam-se o ParáLinux, que é o grupo de discussão de Linux no Pará, criado e gerenciado pela VirtulLink, onde 45,8% dos entrevistados avaliam essa ferramenta como Bom. Isso revela que este meio de interação entre os alunos demonstram ser satisfatórios entre eles, através deste canal se torna possível uma comunicação clara e mais limpa de ruídos. Gráfico 13 Avaliação do Centro de treinamento da VirtualLink. Fonte: Dados de pesquisa do projeto de TCC - Produtos midiáticos como ferramentas estratégicas na consolidação da imagem institucional da empresa VirtualLink (Multimídia/Relações públicas) 2013 Na avaliação do Treinamento Linux que a VirtualLink oferece, os dados quanto à satisfação foram positivos, revelando que 50% do público acha BOM o Treinamento e 30,6% tem o treinamento como EXCELENTE.

53 54 Gráfico 14 Indicaria a VirualLink para outras pessoas. Fonte: Dados de pesquisa do projeto de TCC - Produtos midiáticos como ferramentas estratégicas na consolidação da imagem institucional da empresa VirtualLink (Multimídia/Relações públicas) 2013 Os dados mencionam que 54,5% dos entrevistados que indicam a VirtualLink para as pessoas consideram o centro de treinamento no nível BOM, mostrando que o processo de matriculas se remete a grande influência de indicação. Gráfico 15 O que falta para a VirtualLink consolidar sua imagem no mercado. Fonte: Dados de pesquisa do projeto de TCC - Produtos midiáticos como ferramentas estratégicas na consolidação da imagem institucional da empresa VirtualLink (Multimídia/Relações públicas) 2013 O gráfico relata com 22,2% do alunos acreditam que a VirtualLink precisa Investir em Mídias de Massa (Tv, rádio, impressos, mídias externa), remetendo que não basta somente investir em conteúdo na rede.

54 55 Investir nos meios de massa ainda faz partes das condições que consolidam a imagem da organização. John Thompson (1998, p. 30), alega sobre o termo de comunicação de massa ressaltando que o que importa na comunicação de massa não está na quantidade de indivíduos que recebe os produtos, mas no fato de que estes produtos estão disponíveis em principio para uma grande pluralidade de destinatários PROGRAMAS E PROJETOS A pesquisa revelou que 75% dos entrevistados conhecem os canais de comunicação que a VirtualLink oferece, porém, não acompanham todos esses canais e ainda, 25% do público entrevistado não conhecem nenhum canal. Desta maneira, propomos programas e projetos para que tais deficiências sejam atendidas e sanadas, tais como: 1 Utilizar o A pesquisa revelou que s publicitários têm boa receptividade entre os entrevistados. Logo, aproveitando essa potencial oportunidade, propomos que sejam traçadas estratégias de divulgação por , tais como: Marketing: Criar uma arte padrão que divulgue o Site, Blog e Redes Sociais, sendo que a arte deverá ser lincada para tais meios. A periodicidade do seria de envio semanal. Newsletter: Através da Newsletter, propomos que hajam campos com os ícones das mídias. 2 Mobilização Interna: Como a pesquisa foi feita com os alunos da VirtualLink, sugerimos que essas mídias (Site, Blog e Redes Sociais) sejam divulgadas pelos instrutores de cada turma de forma direta e indireta durante as aulas, incluindo a divulgação de sorteios e promoções vigentes nas redes. 3 Quadro de Avisos: Instalar quadro de avisos nas salas de aula e fixar cartazes que motivam os alunos a acompanharem os canais de comunicação da VirtualLink. 4 Kit do Aluno: Todo o início de curso, o aluno recebe um Kit que inclui camisa, materiais de divulgação da empresa, bloco de anotação, caneta, pasta personalizada, etc. Desta forma, propomos que sejam confeccionados: Inserção dos ícones das redes sociais, blog e site nos blocos de anotação, camisas na pasta personalizada, etc; Flyers dos canais de comunicação da empresa; cartelas de adesivos personalizados estimulando o uso das redes sociais;

55 56 Marcadores de livro que teriam no rodapé o endereço do site e ícones das redes sociais, incentivando o aluno a seguir os canais. Desta forma, concluímos que ações de divulgação que massifiquem os canais de comunicação até que eles sejam fixados na memória do cliente são necessárias para que o interesse dele seja despertado e o objetivo de engajar este cliente nas redes e meios de comunicação da VirtualLink seja alcançado. 4 - CONSIDERAÇÕES FINAIS Como atividade da área de comunicação, gerenciar e fazer bom uso dos produtos midiáticos faz-se presente nas características do profissional de Relações Públicas e Multimídia, principalmente quando se espera consolidar e aprimorar a imagem de uma empresa no mercado e sua comunicação junto aos públicos de interesse fazendo uso dos canais midiáticos. Sabendo-se disso, foi realizado uma pesquisa de campo com a VirtualLink a respeito da qualidade dos canais de comunicação e divulgação que a empresa disponibiliza aos alunos, além da avaliação dos canais que não existiam e foram inseridos, bem como o uso das novas mídias em relação às mídias tracionais utilizadas por ela. O presente estudo também expôs a realidade da empresa que não cultivava relacionamentos estreitos com o seu público, e ainda não dispunha de canais abertos de transparência e de ações que são importantes e fundamentais para o crescimento da mesma. Desse modo, o desenvolvimento deste estudo propiciou o maior conhecimento sobre a evolução da Internet, o novo consumidor, a mudança social, como também a comunicação estratégica organizacional inserindo os profissionais citados. Assim foi possível conhecer um pouco mais sobre as vantagens e funcionalidades de cada produto midiático pesquisado no trabalho, tais como Marketing, Blogs, Moodle, Sites e Redes Sociais. Verificamos que a utilização dos Produtos Midiáticos como ferramenta na consolidação da imagem institucional possibilitam a divulgação da marca VirtualLink com muito mais eficácia, e que de fato, esses produtos midiáticos são ótimos aliados em ações de comunicação interativa e relacionamento com o consumidor. A utilização destes meios ocorre de forma a complementar as ações em mídias tradicionais, sendo que cada mídia trabalha de forma à integrar com a outra, tornando a empresa utilizadora de multiplataformas de comunicação, estando mais presente no dia a dia do seu público.

56 57 Portanto pode-se concluir que todos os produtos midiáticos são importantes no momento de impactar e contatar clientes, e o surgimento de um não significa o desaparecimento do outro, pois quando bem gerenciado por profissionais capacitados, eles trabalham de forma unificada para melhor atender as necessidades e desejos de comunicação como um todo dentro de uma organização. Este trabalho também nos traz na bagagem acadêmica, a experiência de atuar num campo tão complexo e apaixonante como o da área da comunicação. Indubitavelmente, podemos afirmar que este trabalho de pesquisa ultrapassou nossas expectativas iniciais, trazendo a importância do agregar do outro profissional, que não se torna um competidor, mas um somador de experiências na sua segmentação.

57 58 REFERÊNCIAS ABERP (Associação Brasileira das Empresas de Relações Públicas). A Atividade Empresarial de Relações Públicas. São Paulo: Associação Brasileira de Relações Públicas, ANDRADE, Cândito Teobaldo de Souza. Dicionário profissional de Relações Públicas e comunicação e glossário de termos anglo-americanos. 29. ed. Revista Ampliada. São Paulo: Summus, AZEVEDO, Guilherme. Arrisque: se seu empresa ainda estuda se participa ou não das redes sociais virtuais, é bom que saiba que ela já está lá. Estão falando de você, dos seus produtos e serviços, sabe como e por quê? Meio e mensagem. São Paulo, Edição especial em Internet, p.16-19, Jul BARICHELLO, Eugenia Mariano da Rocha; MACHADO, Jones; MÜLLER, Fabrise. Estratégias Contemporâneas de Relações Públicas em Mídias Digitais: Uma Empresa do Varejo Calçadista na Ambiência da Internet. In: Intercom. Caxias do Sul: BELTRÃO, Luis; QUIRINO, Newton. Subsídios para uma teoria de comunicação de massa. São Paulo: Summus, BUENO, Wilson Costa. Comunicação empresaria: teoria e pesquisa. São Paulo: Manole, CASTELLS, Manuel. La era de La información: economia, sociedad y cultura. V. I. La sociedad. Madri: Alianza Editorial, CHIAVENATO, Idalberto. Teoria Geral da Administração. 6. ed. Rio de Janeiro: Campus, VALOR SETORIAL Caminhos e pontes para diálogo. Valor Setorial: Comunicação Corporativa, p 22-36, out CORRÊA, Saad. Estratégias para a mídia digital: Internet, informação e comunicação. São Paulo: SENAC, CORRÊA, Elizabeth Saad. Tecnologia, Jornalismo e competitividade: o caso da Agência Estado. Tese (Doutoramento)-Departamento de Jornalismo e Editoração da ECA-USP. São Paulo: ECA-USP, Documento mimeografado DAVIS, Keith; NEWSTROM, John. Comportamento humano no trabalho. São Paulo: Pioneira, ESCARLATE, Luiz Felipe. Aprender a Empreender. Rio de Janeiro: Um Triz Comunicação Visual, FISKE, John. Introdução ao Estudo da Comunicação. Porto: Asa, FONSECA, Abílio da. Comunicação Institucional: contributo das relações públicas. Instituto Superior de Maia FREITAS, J. P. Cavalléro. O almanaque do Publicitário. Alternativa para o sucesso. Belém: Amazônida, 2007.

58 GALINDO, Daniel. Comunicação mercadológica em tempos de incertezas. São Paulo: Ícone, GOSCIOLA, Vicente. Roteiro para novas mídias: do game a TV interativa, São Paulo: SENAC, GUMMESSON, E. Marketing de Relacionamento Total. São Paulo: Bookman, KOTLER, Philip. Gestão de Marketing: análise, planejamento, implementação e controle. 9. ed. New Jersey: Simon & Schuster, KUNSCH, Margarida Maria Krohling. Obtendo Resultados com Relações Públicas. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2011., Margarida Maria Krohling. Planejamento e gestão estratégica de relações públicas nas organizações contemporâneas. São Paulo: Summus, 2006., Margarida Krohling. Planejamento de Relações Públicas na Comunicação Integrada. São Paulo: Sumus, 2006., Margarida Maria Krohling. Planejamento de Relações Públicas na Comunicação Integrada. São Paulo: Summus, 2003, Margarida. Relações públicas e a filosofia da comunicação integrada. In:.Planejamento de relações públicas na comunicação integrada. São Paulo: Summus, 1986., Margarida Maria Krohling. Relações Públicas e Modernidade: Novos Paradigmas na Comunicação Organizacional. 2. ed. São Paulo: Summus, LAMPREIA, Martins. Comunicação Empresaria: As Relações Públicas na Gestão. 2. ed. Lisboa: Texto Editora, LESCA, H.; ALMEIDA, F. C. Administração estratégica da informação. Revista de Administração, São Paulo, v. 29, n. 3, p , jul./set LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, MANDRIVA, Conectiva Traning. Fundamentos do Sistema Linux. Rio de Janeiro, MARQUES, Angêla. Esfera pública redes e jornalismo. Rio de Janeiro: E-papers, PENTEADO, José Roberto Whitaker. Relações Públicas nas Empresas Modernas. 2. ed. São Paulo: Pioneira, PINHO, José Benedito. Propaganda Institucional: uso e funções da propaganda em Relações Públicas. São Paulo: Summus, RHODIA S.A. Plano de Comunicação Social. São Paulo, SANTAELLA, Lúcia. Cultura das mídias. 2. ed. São Paulo: Experimento,

59 60 SIMÕES, Roberto Porto. Relações públicas: função política. 3. ed. São Paulo, SISSORS, Jack; BUMBA, Lincoln. Planejamento de Mídia. Tradução Karin Wright. São Paulo: Nobel, SOUZA, Jésus Barbosa de. Meios de comunicação de massa: jornal, televisão, rádio. São Paulo: Scipione, STRAUBHAAR, Joseph; LA ROSE, Robert. Comunicação, Mídia e Tecnologia. Tradução José Antônio Lacerda Duarte. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, THOMPSON, John. A mídia e a modernidade: uma teoria social da mídia. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, VASSOS, Tom. Marketing Estratégico na Internet. São Paulo: Makron Books, VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo, VERONEZZI, José Carlos. Mídia de A a Z: os termos de mídia, seus conceitos, critérios, e fórmulas, explicados e mostrados em quadros e exemplos, como são utilizados na mídia. 2. ed. São Paulo: Flight, RECUERO, Raquel. Um estudo do capital social gerado a partir de redes sociais no Orkut e nos Weblogs. In: Tecnologias Informacionais da Comunicação da Compós, IESAM. Perfil profissional. Disponível em: <http://www.iesam.com.br/graduacao/cursos/perfil_profissional.php?fidcurso=4>. Acesso em: 01 jul IESAM Mercado profissional. Disponível em: <http://www.iesam.com.br/graduacao/cursos/mercado_profissional.php?fidcurso=4>. Acesso em: 01 jul Meio século de aprendizagens. Disponível em: <http://meioseculodeaprendizagens.blogspot.com.br/2010/08/evolucao-dos-meiosde-comunicacao.html>. Acesso em: 16 set NUNES, Paulo. Conceitos de internet. Disponível em: <http://www.knoow.net/ciencinformtelec/informatica/internet.htm#vermais>. Acesso em: 01 set Prensa de Gutenberg. In Infopédia. Porto: Porto Editora, Disponível em: <http://www.infopedia.pt/$prensa-de-gutenberg>. Acesso: 06 set ROSA, Cínthia Morelli. Meios de comunicação: influências no processo pedagógico. Disponível em: <http://www.intercom.org.br/papers/sipec/ix/trab32.htm>. Acesso em: 02 set TAYLOR, Charles. Esfera Pública. Disponível em:

60 <http://www.lusosofia.net/textos/taylor_charles_esfera_publica.pdf>. Acesso em: 17 ago

61 APÊNDICES 62

62 63 PLANO DE COMUNICAÇÃO RELATÓRIO DE EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO MODELO DE QUESTIONÁRIO PLANO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PARA A VIRTUALLINK - Equipe de Comunicação Multimídia e Relações Públicas: Márcio Lobato Nayanne Pacheco 1. - OBJETIVO: A presente proposta objetiva estruturar e organizar o funcionamento do setor de Comunicação Social da VirtualLink, delimitando tarefas, funções e finalidades do setor, que é composto pelas áreas de Multimídia e Relações Públicas. O objetivo principal deste planejamento é dar visibilidade ao trabalho da instituição através da repaginação e implantação de canais de comunicação e produtos de mídia, bem como suas estratégias de comunicação PLANO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL: Tem a finalidade de estruturar concretamente as principais idéias e programações para todas as atividades do setor de Comunicação. A implantação do plano objetiva atender as demandas da Instituição e trabalhar a comunicação como um todo, na perspectiva interna e na externa Funções básicas de Relações Públicas: - Gerencia as mais eficazes ferramentas para promover a boa imagem da instituição. - Segmentação dos diversos públicos da Instituição. - Criação e elaboração de matérias jornalísticas da empresa para os canais de comunicação institucionais e imprensa. - Divulgar informações sobre a instituição e manter sempre um canal aberto com seu público interno. - Arquivar as notícias de interesse da instituição veiculadas na imprensa através do clipping diário. - Manter o cadastro atualizado de endereço de jornalistas, colunistas, radialistas,

63 64 coordenadores de Faculdades, Secretarias da Prefeitura e do Governo e potenciais empresas para parcerias. - Criar e firmar novas parcerias entre a Empresa e Empresas ou Órgãos de Belém e Região Norte. - Planejamento nos dois principais eventos que a empresa promove; o WinLinux Day e o Castanhal Tech. - Monitoramento dos Eventos de Tecnologia Nacionais e internacionais e elaboração de um calendário anual de eventos de Tecnologia. - Manter o bom relacionamento com as Instituições de Ensino Superior com cursos de Tecnologia, para incentivar e organizar eventos de que reúnem assuntos pertinentes à academia e mercado. - Organizar e manter atualizado o arquivo de notícias, fotografias e filmagens da instituição e dos eventos que ela promove e participa. - Alimentar o site da instituição, com informações atuais e de interesse público. - Alimentar as Redes Sociais, murais, intranet, comunidades de Software Livre e Interoperabilidade. - Acompanhar os formulários de satisfação da Empresa e seus Eventos; - Promover eventos periódicos com o quadro funcional da Instituição, com o intuito de aumentar a integração entre seus membros. - Manter um permanente contato com os demais públicos internos e externos da instituição Funções Básicas de Multimídia: - Cuidar da boa imagem da empresa perante o público interno e externo, através da criação de peças publicitárias; - Trabalhar na edição de imagens, vídeos e áudios, que auxiliem na apresentação da empresa e também para na padronização da comunicação interna; - Utilizar as mais eficazes ferramentas para promover a boa imagem da instituição; - Apresentar ferramentas para auxiliar na segmentação dos diversos públicos da Instituição; - Criação e elaboração de material gráfico e de vídeo que incentivem a boa imagem da empresa para os canais de comunicação institucionais e imprensa; - Arquivar materiais gráficos e audiovisuais para constituir um banco de imagens e referências; - Manter o cadastro atualizado e relacionamento com fornecedores, como: gráficas, produtoras, radialistas, emissoras de televisão, agencias; - Planejamento de mídia e identidade visual nos dois principais eventos que a empresa promove; o WinLinux Day e o Castanhal Tech.

64 Funcionamento do Prédio-sede: Andar Térreo: Recepção, Setor de Vendas, Departamento de Relações Públicas, Laboratório de Treinamento em Linux e Copa. 1º Andar: Diretoria, Administração, Financeiro, Relacionamento com o Cliente, Publicidade, TI e Laboratório de Treinamento em Linux. 4.- PÚBLICOS DA VIRTUALLINK: 4.1- Público Interno: - Corpo Funcional Público Externo: - Clientes: Divididos em clientes de serviços, caracterizados em pessoa jurídica, onde são implantadas soluções inteligentes na área de TI, clientes de software e produtos, que podem ser composto tanto por pessoa jurídica como pessoa física e cliente de treinamento, que é composto por pessoa física, clientes de eventos, caracterizado por pessoa física que pode ou não ter vínculos com a empresa. - Parceiros e colaboradores que contribuem através de parcerias para o trabalho da VirtualLink. - Imprensa. 5- DIAGNÓSTICO: A Comunicação na VirtualLink é responsabilidade de todos nós. Quando conseguimos nos comunicar efetivamente, construímos nosso próprio marketing interno, o que possibilita uma divulgação espontânea das nossas próprias ações. Apesar de termos consciência disso, a comunicação não flui como deveria. E muitas vezes, somos surpreendidos com erros e desencontros nas informações que partem da má comunicação interna e consequentemente para a externa. O grande problema é que a Comunicação na VirtualLink não é integrada. Os setores que deviam estar diretamente ligados à comunicação não atuam de forma sinérgica, harmoniosa. Surge, então, a necessidade de se criar um Plano de Comunicação interna e externa da VirtualLink, buscando traçar medidas que possibilitem uma maior interação entre os diversos setores existentes e por fim, fortalecer e consolidar a boa imagem da VirtualLink

65 66 diante da sociedade. 6- JUSTIFICATIVA: Diante destas questões, apresentamos uma sugestão que possa gerar a solução para a problemática: a criação de um Planejamento no setor de Comunicação, que envolve as áreas de Relações Públicas e Multimídia que funcionaria como um pólo gestor, que ficaria responsável por coordenar as ações de todos os setores que envolvem a comunicação direta com a VirtualLink. O setor de Comunicação receberia contato direto com os demais setores da instituição, orientando-os para que haja uma unidade em tudo o que for feito. As informações passariam a ser compartilhadas e todos os setores responderiam a este setor, que cuidaria de estabelecer um padrão de comunicação na instituição. O setor de Comunicação assumiria uma função estratégica, pois estaria ligado à Diretoria e envolvido nas principais discussões para tomada de decisões na instituição. Para conquistar credibilidade, a VirtualLink precisa fazer um grande esforço de comunicação integrada, portanto nada mais adequado do que usar as ferramentas existentes e novas ferramentas de forma estratégica para vencer esse desafio. 7- Propostas de Ações de Relações Públicas e Multimídia para a VirtualLink: A Assessoria de Comunicação é o setor responsável por realizar a comunicação interna e externa da VirtualLink, bem como cuidar do relacionamento com a sociedade em geral. As atividades que propomos desempenhar são: Relações Públicas * Divulgação institucional periódica no site da VirtualLink com assuntos relevantes a área de atuação da empresa, bem como ações, eventos, convênios, parcerias e outras notícias ligadas à instituição e demais parceiros interessados, inclusive com a elaboração de matérias externas. * Alimentar e monitorar as redes sociais e seus demais meios de comunicação. * Assessoria de Imprensa (divulgação das ações desenvolvidas pela VirtualLink na mídia, envio de releases com sugestões de pauta e de notas). * Realização do clipping impresso e eletrônico, recortando as notícias da VirtualLink que são veiculadas na imprensa e meio digital, arquivando nossas cópias e disponibilizandoas, quando necessário, no site da instituição. * Mapeamento de empresas parceiras em potencial para buscar firmar parcerias.

66 67 * Organizar o acervo virtual de fotografias dos eventos da instituição. * Planejamento e organização dos eventos realizados pela Empresa. * Mapeamento de parceiros em potenciais dos eventos. * Envio de convites de eventos da VirtualLink por meio de marketing. * Elaboração de um Calendário semestral dos eventos que acontecem no país, com a devida divulgação para todos os setores internos e externos ligados à Empresa. * Incentivar a participação e divulgação da VirtualLink em todos os eventos de Tecnologia, bem como: encontros, jornadas, congressos, feiras e demais eventos festivos, culturais, acadêmicos e outros afins. * Além de campanhas beneficentes e outros que possam promover a boa imagem da instituição perante a sociedade, imprensa e demais autoridades formadoras de opinião. * Realização de Cerimonial (organização das nominatas dos componentes da mesa oficial, treinamento de recepcionistas e contato prévio com os participantes do evento, homenageados e representantes de outros). Além de organizar o transporte de equipamentos e materiais de divulgação e montagem e desmontagem do estande da VirtualLink (quando necessário). Multimídia: - Elaborar todos os tipos de campanhas voltadas para as necessidades organizacionais e sociais da empresa. - Criar campanhas nos meios Digital, através de revistas eletrônicas, banners, - Trabalhar princípios de elaboração conceitual para cada campanha. - Criação de Slogan. - Vídeo institucional da VirtualLink: - Planejar e criar comerciais de TV. - Spot de Rádio Adequar o áudio do vídeo, e criar um spot pra ser veiculado nas Rádios. - Elaborar artes para serem vinculados na mídia impressa e digital. - Marketing Elaborar artes variadas para marketing para ser enviado à base de contatos da empresa. - Mídia Indoor Reforçar parceria com empresas e veicular vídeos da VirtualLink em seus terminais. - Criação de estratégias de fidelização de clientes como o Cartão Linux Club. Um cartão de descontos, que seria concedido aos que comprassem ou adquirissem um produto/serviço na rede conveniada de parceiros já existentes da VirtualLink. Este cartão daria direito ao cliente de receber descontos em empresas parceiras da VirtualLink. - Criação de adesivos personalizados para o cliente da VirtualLink, caracterizado como marketing de guerrilha, onde o próprio aluno estará fazendo a divulgação da marca da

67 68 empresa. - Criação de produtos personalizados, como: Pen-drives; Bottons, Chaveiros; Camisas; Mouse Pads; Adesivos de vários formatos, estilos e tamanhos para as mais diversas aplicações; Ecobags e mochilas; Uniforme; Crachá de Identificação. - Proposta de reorganização do espaço físico, a fim de reorganizar o Hall da sede. O exemplo segue abaixo: - Mudança da Fachada, com a substituição da antiga pela nova logomarca pela nova e atual. Figura 31 - Fonte: Acervo VirtualLink 2011/ Reformular o site da VirtualLink. - Disponibilizar ferramentas de integração entre a empresa e seus clientes como: Moodle; atendimento online; formulários online para solicitações dos serviços da empresa. - Premiar os alunos destaques de cada turma como forma de reconhecimento, dentre as opções de premiação estão: Brindes; Equipamentos de informática; Licenças de programas (Kaspersky); Conceder um cargo de monitoria nas turmas com forma de maior aprendizado; Criação de um blog cujo quem alimentaria das informações seriam os próprios alunos. 8 - CANAIS DE COMUNICAÇÃO DA VIRTUALLINK: 8.1- Comunicação Externa: - SITES: - Site da VirtualLink: que atinge os públicos internos da instituição e a sociedade em geral. - Moodle - Newsletter - Atendimento Online - MÍDIAS SOCIAIS:

68 69 - Blog - Facebook - Twitter - Linkedin - Youtube - COMUNIDADES: - Pará Linux - WinLinux - Software Livre Comunicação Interna: 1- Folder Institucional atualizado: elaborar um novo folder institucional da VirtualLink, com as devidas atualizações. 2- Clipping Eletrônico: que abrange todas as informações veiculadas na imprensa a serem repassadas por para todos os públicos internos da VirtualLink. 3- Intranet: onde serão divulgadas as principais informações para a realização das atividades da instituição. 4- Mural de Avisos: Informações internas, de promoções e eventos relacionados à empresa. 5- Informativo Digital: - Matéria de Capa: veiculando a notícia ou evento mais importante do mês. - Editorial: com a mensagem do Diretor que seria veiculada todo mês. - Artigo do Mês: seria escolhido um colaborador para divulgar um artigo sobre a sua área de atuação. - Notícias do Mês: com a divulgação das matérias mais importantes que foram divulgadas no site. - Aniversariantes do Mês: dos colaboradores. - Agenda: com a veiculação dos eventos que irão acontecer no mês seguinte. - Fique por Dentro: com curiosidades sobre a VirtualLink. Assessoria de Comunicação Nayanne Pacheco Relações Públicas Márcio Lobato Multimídia

69 70 RELATÓRIO E EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO Essa experiência foi realizada no inicio no ano de 2012, como parte integrante do estágio extracurricular da grade do curso de Comunicação Social: Multimídia e Relações Públicas, foi nos designado a função de elaborar e organizar campanhas de divulgação de promoções, produtos e serviços, juntamente com a organização de ações e eventos já realizados pela empresa. Portanto, etapas foram sendo implantadas a partir do plano de comunicação que envolviam todos os departamentos da empresa e sugeriam mudanças estruturais e físicas, assim como implantações de algumas estratégias de comunicação, visando o fortalecimento da marca perante seu público. Essa etapa tem como principal finalidade, inserir uma cultura de divulgação, antes inexistente na empresa, como definido pelo próprio Diretor, para que houvesse a promoção de seus produtos, serviços e ações. Portanto, esse plano foi minuciosamente estruturado com o intuito de atingir o objetivo. O primeiro passo foi realizar a segmentação dos serviços da empresa, pois antes não havia uma divisão como apresentado do projeto. Nós criamos as quatro frentes de atuação e apresentamos à diretoria e área de TI da empresa e, logo após, a divisão foi aprovada. Com isso, começou a se instituir e delinear um padrão para de mensagem publicitária e segmentação do público de acordo com as necessidades da empresa e as características de cada grupo: A divisão de Treinamento focou os estudantes, universitários, equipes e profissionais da área de tecnologia da informação e afins, atuando juntamente o setor de atendimento, RCC (Relacionamento com o cliente), com o intuito de promover e vender os pacotes de treinamento em Linux para esses públicos; a divisão de Produtos voltou-se para vendas de equipamentos, suprimentos e estruturação de projetos de parques tecnológicos, atuando juntamente com departamento comercial, administrativo e o setor de Tecnologia (T.I); a divisão de Serviços, tem a atuação direta do setor T.I, que é responsável em prover dentre as mais diversificadas alternativas de gerenciamento e gestão no vasto campo da T.I, soluções lógicas e práticas, aliando custo x benefício dentro de uma empresa. Por fim, a divisão de Software, que antes dessa estruturação fazia parte do mix de serviços, mas, através de reuniões foi verificada uma autonomia dessa vertente, portanto, juntamente com o setor comercial, administrativo, T.I e RCC, foi elaborado uma frente de trabalho para promover as mais diversas soluções em Softwares, como: antivírus, controle e gerenciamento de rede de computadores, otimização entre sistemas operacionais, dentre outros. A partir de então, com um público bem mais definido houve a possibilidade de elaborar campanhas especificas e promover ações direcionadas aos públicos de interesse,

70 71 como exemplificado abaixo na FIGURA 1. Figura1. Divisão dos públicos de acordo com os segmentos da empresa, Fonte: VirtualLink Execução As atividades descritas no plano de execução foram realizadas conforme a disponibilidade e habilidades dos profissionais envolvidos, as etapas não obedeceram os prazos determinados, sendo implantadas da seguinte forma: Reformulação do site institucional da VirtualLink: O layout do site no fim do ano de 2011 não condizia com a nova proposta de reformulação da identidade visual, era necessária uma melhor disposição dos segmentos oferecidos pela empresa dentro site, uma melhor navegabilidade e integração, visando acompanhar as tendências no mercado. Foi elaborado um estudo para a concepção de um novo layout visual de acordo com o novo conceito que a empresa estava se propondo a instituir, com um ar mais tecnológico e organizado, então foi realizada uma pesquisa em sites conceituais de empresas de tecnologias, e no site IBM Brasil FIGURA 2, foi tomado como referencia, pela harmonia entre estética visual e navegabilidade, além de conceitos artísticos presentes na configuração do layout do site.

71 72 Figura 2. Site referencial IBM Brasil, disponível em: O conceito de layout e design do site faz referencia ao estilo artístico de stijl, cujas principais características são as linhas verticais e horizontais, como mostra a FIGURA 3, que remetem a certo abstracionismo geométrico e transmitem um design limpo sem perder a harmonia. Figura 3. Layout novo site VirtualLink com referência ao movimento artístico De Stijl Disponível na internet. Dessa forma, foi reformulado um novo site de acordo com as divisões mencionadas anteriormente; foram implantadas ferramentas que promoviam um melhor contato e

72 73 interação com os usuários (publico externo e interno). Com vários elementos gráficos e visuais que auxiliam na navegação o site se tornou bem mais dinâmico, se comparado com a versão antiga FIGURA 4. Figura 4. Comparação do antigo e o novo layout do site - Fonte: Acervo VirtualLink 2011/2012. Disposição do novo site da VirtualLink Como descreve a FIGURA 5, o layout do site distribui bem a informação, e conforme mencionados anteriormente também foi feita implantações de ferramentas e mudanças estruturais e visuais, para promover uma maior interação com os usuários, de forma a tornar a navegação no site bem mais dinâmico e funcional.

73 74 Figura 5. Disposição da Home Page do site da VirtualLink - Fonte: VirtualLink Legendas da Figura 5: 1 Novo Slogan. De acordo com a nova proposta de identidade visual, foi instituído um novo Slogan para a marca, para fazer uma referência geral as diversas soluções em T.I e não apenas em dois segmentos como destaca a FIGURA 6 Figura 6 - Elaboração de um novo Slogan para a marca VirtualLink - Fonte: VirtualLink Menu Solicitações. A finalidade desse Menu, foi a de simplificar as mais diversas solicitações de atendimento aos pedidos dos clientes que antes era feita através de envio de o que acarretava em uma demora no atendimento as solicitações, pois nem sempre os clientes sabiam que setor dentro da empresa era responsável pela solicitação. Dessa forma, o cliente realiza o preenchimento de um formulário no próprio site, que de acordo com o que o

74 75 cliente procura; esse formulário alimenta um Banco de dados, tornando mais dinâmico o atendimento ao cliente pelo setor responsável pela solicitação, este procedimento foi uma das implementações realizadas no site. 3 Menu Acesso. Página usada para disponibilizar aos usuários do site informação, através da disponibilização de downloads da Revista digital Espirito Livre, que tem distribuição gratuita na internet e aborda assuntos relacionados ao mundo de T.I; e entretenimento, com a disposição de papéis de parede personalizados. 4 Pop up de ultimas notícias. Utilizado para informar ao internauta as ultimas noticias disponibilizadas no Virtualblog, canal de noticias da VirtualLink que será abordada mais a frente, cada imagem que aparece tem ligação direta com o blog, promovendo uma interação de mídias. 5 Banners Publicitários. Foram criados 4 modelos de Banners para apresentar de forma publicitária os segmentos da empresa, conforme citados abaixo: Figura 7 Banner Publicitário de Treinamento Fonte: VirtualLink 2012 Figura 8 Banner Publicitário de Produtos - Fonte: VirtualLink 2012.

75 76 Figura 9 Banner Publicitário de Serviços - Fonte: VirtualLink Figura 10 Banner Publicitário de Software - Fonte: VirtualLink Organização da apresentação do mix de serviços dentro site. Como proposta de identidade visual e como forma de harmonizar todas as peças publicitárias da empresa, foi instituída a mudança mais significativa na proposta de reformulação do site, a divisão do mix de serviços de acordo com o público, dessa forma cada campanha seguiria um padrão independente da mídia utilizada. Conforme exemplificado nas FIGURAS abaixo:

76 77 Figura 11 Divisão de Produtos - Fonte: VirtualLink Figura 12 Divisão de Serviços - Fonte: VirtualLink 2012.

77 78 Figura 13 Divisão de Software - Fonte: VirtualLink Ferramenta de chat on line. Figura 14 Divisão de Treinamento - Fonte: VirtualLink Utilizado para realizar atendimento instantâneo aos usuários que queiram tirar

78 79 dúvidas, uma ótima ferramenta para integração do público, funciona durante o horário comercial. Figura 15 Ferramenta de Chat On Line - Fonte: VirtualLink Logos dos Clientes e Parceiros. São colocados como forma de valorizar a parceria, a fim de influenciar um novo cliente na hora da contratação de um produto e serviço, e que esse cliente também se sinta valorizado. 9 Ferramentas de integração dos Alunos (Publico de Treinamento). Essa Seção foi implantada com o intuito de estreitar as relações com todos os alunos, dentro dessa seção existe a ferramenta MOODLE, por onde cada aluno tem acesso através de usuário e senha. A ferramenta é utilizada para gerenciar os conteúdos dos módulos de treinamento, e tem o intuito de informar os alunos de todas as turmas, ações realizadas, bem como, a realização de simulados, testes e também a disposição de material de apoio as aulas, é uma forma de estimular todos os alunos a se dedicarem em busca de um melhor rendimento nos estudos, e como forma de reconhecimento, os alunos são colocados no Hall dos alunos destaques, que são divulgados mensalmente também através das redes sociais. 10 Newsletter Utilizado para aqueles que têm o interesse de receber informativo da empresa, através do uso de envios semanais de noticias que veiculadas ao Blog da empresa, o usuário realiza seu cadastro e automaticamente ele é inserido em um banco de dados, autorizando o recebimento do informativo, enriquecendo estrategicamente o mailing list da empresa para a realização de campanhas de divulgação. 11 Ícones das Redes Sociais. Como estratégia de fortalecimento das redes sociais, foi inserido os ícones das principais redes sociais, que faziam uma ligação direta com os perfis que a empresa possui

79 80 como: o Facebook, site de relacionamentos e entretenimento; o Twitter, microblog para uso informativo entre pessoas aqui intituladas de seguidoras, ambos foram apenas inseridos no site, pois já existiam no antigo site. - Reformulação do material impresso de divulgação VirtualLink: A partir da reformulação do site, foi estabelecido um padrão para a reformulação do material impresso também, baseado na concepção visual do site com o intuito de manter uma harmonia entre todas as peças publicitárias que a empresa dispõe para ações de divulgação. Folders Treinamentos - Como parte do plano estratégico, foi reformulado o folder de treinamento com informações relevantes a venda dos pacotes de ensino, a finalidade de ter um material especifico de treinamento e a rotatividade das ações e promoções voltadas pra esse público, portanto a necessidade de se produzir um material padrão para essas campanhas, exemplificado na FIGURA 16. Folder institucional - Para divulgações avulsas foi elaborado um material que divulgue de uma forma geral, todos os produtos e serviços da empresa, baseado na estética visual padrão em todas as peças publicitárias, exemplificado na FIGURA 17. Figura 16 Folder treinamento - Fonte: VirtualLink 2012.

80 81 Figura 17 Folder Institucional - Fonte: VirtualLink Lâminas técnicas de divulgação dos produtos e serviços; O conteúdo desse material tem um teor mais técnico e, é voltado para divulgação mais detalhada de todos os produtos e serviços, e é um material especifico para ser distribuídos em visitas externas, mostrado nas FIGURAS abaixo:

81 82 Figura 18 Lâmina Software - Fonte: VirtualLink Figura 19 Lâmina Serviços - Fonte: VirtualLink 2012.

82 83 Figura 20 Lâmina Produtos - Fonte: VirtualLink Figura 21 Lâmina Treinamentos - Fonte: VirtualLink 2012.

83 84 Identidade visual interna; Nas dependências da sede da empresa foram reformuladas as peças visuais que compõe a comunicação interna: Banner e quadro de avisos. - Banner Hall da empresa; uma replica do folder para divulgação geral. Figura 22 Banner Hall da Sede da empresa - Fonte: VirtualLink Quadro de avisos; avisos padronizados com layout padrão. Figura 23 Informativos do Quadro de avisos - Fonte: VirtualLink 2012.

84 85 Figura 24 Cartazes de divulgação permanente no quadro de avisos - Fonte: VirtualLink Ações de Merchandising. Como forma de atuar cada vez mais próximo do público, facilitando o acesso e a disseminação da informação, através de ações que promovam troca de experiências aliada ao conhecimento e que esclareçam situações ligadas ao mercado tecnológico, que a VirtualLink sempre se colocou à disposição para contribuir com uma sociedade melhor informada e assim agregar valores a sua marca. Contudo, para que essas ações se consolidassem foi necessário haver uma ponte entre a empresa e as instituições de ensino superior, órgãos públicos e empresas privadas interessadas em firmar parcerias nessas ações. Nesse momento as habilidades e características de um profissional de Relações Públicas foram primordiais para manter o bom relacionamento por ambas as partes, cabendo também a ele, realizar contatos, organizar e articular reuniões empresariais, com o intuito de promover essas ações, bem como firmar parcerias empresariais. As ações de mershandising trazem grandes benefícios quando aliadas a boas e criativas ideias, portanto, um planejamento estratégico foi necessário, para o sucesso das ações atingirem seu foco. Um bom material publicitário também foi importante para transmitir a seriedade nas ações. Dentro desse plano estratégico de consolidação da imagem institucional da VirtualLink, a interação das habilidades dos profissionais de Relações Públicas e Multimídia são bastante evidentes e importantes para a consolidação das ações, a seguir essas atuações são ressaltadas de acordo com os eventos e ações permanentes e outros que

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) - PCS A Política de Comunicação do Serviço

Leia mais

A Comunicação Mercadológica como Fator de Vantagem Competitiva Empresarial 1

A Comunicação Mercadológica como Fator de Vantagem Competitiva Empresarial 1 A Comunicação Mercadológica como Fator de Vantagem Competitiva Empresarial 1 Tiago Miranda RIBEIRO 2 Kenney Alves LIBERATO 3 Thays Regina Rodrigues PINHO 4 PALAVRAS-CHAVE: comunicação; marketing; estratégia.

Leia mais

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO UM BREVE HISTÓRICO COMÉRCIO ELETRÔNICO O comércio sempre existiu desde que surgiram as sociedades. Ele é dito como o processo de comprar, vender e trocar produtos e serviços. Inicialmente praticado pelos

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

PLANO DE COMUNICAÇÃO PLANO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PARA A VIRTUALLINK

PLANO DE COMUNICAÇÃO PLANO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PARA A VIRTUALLINK PLANO DE COMUNICAÇÃO PLANO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PARA A VIRTUALLINK - Equipe de Comunicação Multimídia e Relações Públicas: Márcio Lobato Nayanne Pacheco 1. - OBJETIVO: A presente proposta objetiva estruturar

Leia mais

Designer gráfico. elementos verbais e não-verbais que irão compor peças gráficas com a finalidade

Designer gráfico. elementos verbais e não-verbais que irão compor peças gráficas com a finalidade Rubens de Souza Designer gráfico O designer gráfico desenvolve projetos ou planejamentos a partir de elementos verbais e não-verbais que irão compor peças gráficas com a finalidade específica de atingir

Leia mais

Web site Espia Amazonas 1

Web site Espia Amazonas 1 1 Web site Espia Amazonas 1 Lidiane CUNHA 2 Adália CORDEIRO 3 Breno CABRAL 4 Iara RODRIGUES 5 Marcela MORAES 7 Gabrielle NASCIMENTO 8 Faculdade Boas Novas, Manaus, AM RESUMO O web site Espia Amazonas foi

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANTÔNIO TAVARES PEREIRA ROMILSON BARSANULFO DA SILVA

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANTÔNIO TAVARES PEREIRA ROMILSON BARSANULFO DA SILVA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANTÔNIO TAVARES PEREIRA ROMILSON BARSANULFO DA SILVA A IMPORTÂNCIA DAS REDES SOCIAIS PARA A COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

Leia mais

AUTOR(ES): MAITHÊ CORSI DA SILVA, FERNANDO TEIXEIRA CARVALHO, RENAN GUSTAVO MOLINA

AUTOR(ES): MAITHÊ CORSI DA SILVA, FERNANDO TEIXEIRA CARVALHO, RENAN GUSTAVO MOLINA TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DO E-COMMERCE NAS PEQUENAS EMPRESAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE JAGUARIÚNA AUTOR(ES): MAITHÊ CORSI DA

Leia mais

Plano de Comunicação para o Hospital Infantil Varela Santiago¹

Plano de Comunicação para o Hospital Infantil Varela Santiago¹ Plano de Comunicação para o Hospital Infantil Varela Santiago¹ José Alves de SOUZA² Maria Stella Galvão SANTOS³ Universidade Potiguar (UnP ), Natal, RN RESUMO Este Plano de Comunicação refere-se a um estudo

Leia mais

Planejamento Estratégico de Comunicação Institucional para o IBAMETRO: uma experiência governamental 1

Planejamento Estratégico de Comunicação Institucional para o IBAMETRO: uma experiência governamental 1 Planejamento Estratégico de Comunicação Institucional para o IBAMETRO: uma experiência governamental 1 Gustavo Figueiredo 2 Resumo O IBAMETRO - Instituto Baiano de Metrologia e Qualidade, autarquia ligada

Leia mais

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Comunicação empresarial eficiente: Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Sumário 01 Introdução 02 02 03 A comunicação dentro das empresas nos dias de hoje Como garantir uma comunicação

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

PORTAL EDUCACIONAL COMO APOIO A UMA EDUCAÇÃO INOVADORA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

PORTAL EDUCACIONAL COMO APOIO A UMA EDUCAÇÃO INOVADORA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA 1 PORTAL EDUCACIONAL COMO APOIO A UMA EDUCAÇÃO INOVADORA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Curitiba PR Maio 2010 Roberto F. Bentes SISTEMA FIEP SENAI roberto.bentes@fiepr.org.br Silvana Martinski SISTEMA FIEP

Leia mais

FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL HABILITAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Professora Iara Silva INTRANET E EXTRANET

FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL HABILITAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Professora Iara Silva INTRANET E EXTRANET FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL HABILITAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS Professora Iara Silva INTRANET E EXTRANET CONCEITOS, OBJETIVOS, BENEFÍCIOS E TENDÊNCIAS Renato Schumacher

Leia mais

Usina de Site em gênero Seus principais valores são: iniciativa, qualidade, criatividade, competência e profissionalismo. Ao adquirir serviços e

Usina de Site em gênero Seus principais valores são: iniciativa, qualidade, criatividade, competência e profissionalismo. Ao adquirir serviços e Usina de Site em número Uma agência, uma equipe, uma unidade. São vários membros, estilos diferentes e inúmeras habilidades que se complementam e dão um novo sentido à publicidade e propaganda, guiados

Leia mais

INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO

INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO Gustavo Cançado de Azevedo O autor relaciona educação e tecnologia, tomando como ponto de partida a maneira com que os avanços

Leia mais

OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES

OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES BOLETIM TÉCNICO MAIO/2011 OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES Um empresário da indústria se assustou com os aumentos de custo e de impostos e reajustou proporcionalmente seus preços. No mês seguinte,

Leia mais

Questão em foco: Colaboração de produto 2.0. Uso de técnicas de computação social para criar redes sociais corporativas

Questão em foco: Colaboração de produto 2.0. Uso de técnicas de computação social para criar redes sociais corporativas Questão em foco: Colaboração de produto 2.0 Uso de técnicas de computação social para criar redes sociais corporativas Tech-Clarity, Inc. 2009 Sumário Sumário... 2 Introdução à questão... 3 O futuro da

Leia mais

DESIGN DISCIPLINAS QUE PODEM SER OFERECIDAS PARA OUTROS CURSOS CURSO DE ORIGEM DA DISCIPLINA NOME DA DISCIPLINA EMENTA C.H. OBSERVAÇÕES PREVISÃO

DESIGN DISCIPLINAS QUE PODEM SER OFERECIDAS PARA OUTROS CURSOS CURSO DE ORIGEM DA DISCIPLINA NOME DA DISCIPLINA EMENTA C.H. OBSERVAÇÕES PREVISÃO DISCIPLINAS QUE PODEM SER OFERECIDAS PARA OUTROS CURSOS CURSO DE ORIGEM DA DISCIPLINA DESIGN NOME DA DISCIPLINA EMENTA C.H. OBSERVAÇÕES PREVISÃO Raciocínio Lógico Matemática Financeira A disciplina trata

Leia mais

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec Capital Intelectual O Grande Desafio das Organizações José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago Novatec 1 Tudo começa com o conhecimento A gestão do conhecimento é um assunto multidisciplinar

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

Especialização em Marketing Digital - NOVO

Especialização em Marketing Digital - NOVO Especialização em Marketing Digital - NOVO Apresentação Previsão de Início Agosto/2013 Inscrições em Breve - Turma 01 - Campus Stiep O ambiente de negócios tem sido modificado pelas Novas Tecnologias da

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº xx/xxxx CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM dd de mês de aaaa Dispõe sobre a criação

Leia mais

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames Introdução Fique atento aos padrões do CFM ÍNDICE As 6 práticas essenciais de marketing para clínicas de exames Aposte em uma consultoria de

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu Mídias Digitais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu Mídias Digitais Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu Mídias Digitais Apresentação A emergência de novas tecnologias de informação e comunicação e sua convergência exigem uma atuação de profissionais com visão

Leia mais

Título: ESTRATÉGIAS DE AMPLIAÇÃO DA PRESENÇA DO FLEURY MEDICINA E SAÚDE NAS REDES SOCIAIS

Título: ESTRATÉGIAS DE AMPLIAÇÃO DA PRESENÇA DO FLEURY MEDICINA E SAÚDE NAS REDES SOCIAIS Título: ESTRATÉGIAS DE AMPLIAÇÃO DA PRESENÇA DO FLEURY MEDICINA E SAÚDE NAS REDES SOCIAIS Autores: William Malfatti 1 ; Thaís Arruda 2 ; Sergio Auerbach 3 ; Kleber Soares Filho 4 ; Alex Fernandes 5 ; Melina

Leia mais

AGENDA. Interação entre comunicação interna corporativa e endomarketing. 02 de Julho. Hotel Intercontinental São Paulo/SP 5ª EDIÇÃO.

AGENDA. Interação entre comunicação interna corporativa e endomarketing. 02 de Julho. Hotel Intercontinental São Paulo/SP 5ª EDIÇÃO. AGENDA Interação entre comunicação interna corporativa e endomarketing 5ª EDIÇÃO D 02 de Julho? Hotel Intercontinental São Paulo/SP Realização: www.corpbusiness.com.br Patrocínio Bronze Apoio Realização:

Leia mais

Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues.

Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues. Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues. Ao longo da historia da Administração, desde seus primórdios, a partir dos trabalhos de Taylor e Fayol, muito se pensou em termos

Leia mais

Sobre 4YouSee. Já imaginou seu conteúdo digital publicado em 1 minuto? Digital Signage, uma tendência. Versatilidade

Sobre 4YouSee. Já imaginou seu conteúdo digital publicado em 1 minuto? Digital Signage, uma tendência. Versatilidade Sobre 4YouSee Conhecendo os recursos de mídia, bem como as necessidades do mercado publicitário, a F6 Sistemas desenvolveu 4YouSee, um software capaz de reunir rentabilidade, eficiência e rapidez no gerenciamento

Leia mais

Política de. [ comunicação] Forluz

Política de. [ comunicação] Forluz Política de [ comunicação] Forluz Índice Apresentação...4 Missão da Forluz...5 Condições para aplicação deste documento...6 Objetivos da Política de Comunicação...7 Diretrizes da Política de Comunicação...8

Leia mais

criar colaborar comunicar Tecnologia para Crescer

criar colaborar comunicar Tecnologia para Crescer Tecnologia para Crescer Com o crescimento da banda larga e smartphones/ tablets, conteúdos têm sido criados e consumidos em uma taxa alarmante. Atualmente, a definição de conteúdo mudou e não se trata

Leia mais

MANUAL DE TRANSIÇÃO DE MARCA

MANUAL DE TRANSIÇÃO DE MARCA MANUAL DE TRANSIÇÃO DE MARCA Mudança da Marca e Posicionamento Esse boletim explicativo tem o objetivo de esclarecer suas dúvidas sobre a nova marca Evolua e de que forma ela será útil para aprimorar os

Leia mais

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES Por cerca de 50 anos, a série Boletim Verde descreve como a John Deere conduz os negócios e coloca seus valores em prática. Os boletins eram guias para os julgamentos e as

Leia mais

http://www.bvs.br/ Projeto 4 Plano de Marketing e Divulgação da BVS-SP Brasil 18 de janeiro de 2005

http://www.bvs.br/ Projeto 4 Plano de Marketing e Divulgação da BVS-SP Brasil 18 de janeiro de 2005 http://www.bvs.br/ Projeto 4 18 de janeiro de 2005 Introdução Diante dos novos desafios e contínuas mudanças, as organizações precisam ser ágeis na tomada de decisão. Coordenar esforços de comunicação

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 444 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 Narjara Bárbara Xavier Silva 2 Patrícia Morais da Silva 3 Resumo O presente trabalho é resultado do Projeto de Extensão da Universidade Federal da

Leia mais

Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹

Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹ Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹ Serena Veloso GOMES² Thamara Rocha Ribeiro FAGURY³ Kalyne Menezes SOUZA4 Silvana Coleta Santos PEREIRA5 Universidade Federal

Leia mais

Experiência: O novo olhar sobre a gestão de pessoas do setor público, na nova idade da democracia no Brasil.

Experiência: O novo olhar sobre a gestão de pessoas do setor público, na nova idade da democracia no Brasil. Experiência: O novo olhar sobre a gestão de pessoas do setor público, na nova idade da democracia no Brasil. RADIOBRÁS Empresa Brasileira de Comunicação S. A. Diretoria de Gestão de Pessoas e Administração

Leia mais

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos Denis Alcides Rezende Do processamento de dados a TI Na década de 1960, o tema tecnológico que rondava as organizações era o processamento de

Leia mais

Planejamento Estratégico da Comunicação Empresarial

Planejamento Estratégico da Comunicação Empresarial Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu e MBA Planejamento Estratégico da Comunicação Empresarial Prof. Dr. Luiz Alberto de Farias Março e Abril de 2014 Prof. Dr. Luiz Alberto de Farias Planejamento Estratégico

Leia mais

Compreendendo a dimensão de seu negócio digital

Compreendendo a dimensão de seu negócio digital Compreendendo a dimensão de seu negócio digital Copyright 2015 por Paulo Gomes Publicado originalmente por TBI All New, São Luís MA, Brasil. Editora responsável: TBI All New Capa: TBIAllNew Todos os direitos

Leia mais

Gestão de Negócios. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Gestão de Negócios. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Gestão de Negócios Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO RESUMO

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO RESUMO COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO Fábio William da Silva Granado 1 Marluci Silva Botelho 2 William Rodrigues da Silva 3 Prof Ms. Edson Leite Lopes Gimenez 4 RESUMO Realizou-se uma análise

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 -

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - O Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação é um curso da área de informática e tem seu desenho curricular estruturado por competências

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Música e internet: uma expressão da Cultura Livre

Música e internet: uma expressão da Cultura Livre Música e internet: uma expressão da Cultura Livre Auta Rodrigues Moreira Irene Guerra Salles Lilian Braga Carmo Luana Roberta Salazar Resumo: Atualmente, com a presença marcante das tecnologias, torna-se

Leia mais

Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1

Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1 Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1 Aparecido Marden Reis 2 Marli Barboza da Silva 3 Universidade do Estado de Mato Grosso, Unemat - MT RESUMO O projeto experimental

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

O QUE FAZEMOS MISSÃO VISÃO QUEM SOMOS

O QUE FAZEMOS MISSÃO VISÃO QUEM SOMOS O QUE FAZEMOS Provemos consultoria nas áreas de comunicação online, especializados em sites focados na gestão de conteúdo, sincronização de documentos, planilhas e contatos online, sempre integrados com

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

Marketing digital NARCISO SANTAELLA

Marketing digital NARCISO SANTAELLA Marketing digital 1 Introdução As agências de publicidade recorrem ao marketing digital para conquistar o público que hoje tem na web uma das principais fontes de informação. Utilizar todos os recursos

Leia mais

Ciências Humanas Sociologia As mídias e os meios de comunicação Linguagens Códigos e suas Tecnologias Português Linguagem Digital: blog Ensino Médio,

Ciências Humanas Sociologia As mídias e os meios de comunicação Linguagens Códigos e suas Tecnologias Português Linguagem Digital: blog Ensino Médio, Ciências Humanas Sociologia Linguagens Códigos e suas Tecnologias Português Linguagem Digital: blog Um Olhar Educativo para as Mídias através de uma Linguagem Digital: Blog Introdução Créditos Avaliação

Leia mais

Público Interno e crises organizacionais: um estudo abordando a incidência de demissões motivadas pelo uso inadequado das redes sociais digitais

Público Interno e crises organizacionais: um estudo abordando a incidência de demissões motivadas pelo uso inadequado das redes sociais digitais Público Interno e crises organizacionais: um estudo abordando a incidência de demissões motivadas pelo uso inadequado das redes sociais digitais Penélope da Silva Almeida SANTOS Universidade Sagrado Coração

Leia mais

A importância do design nos negócios

A importância do design nos negócios A importância do design nos negócios SUMÁRIO Apresentação 4 A importância do Design 5 Design de Comunicação 13 A Escada do Design 6 Design Gráfico 14 O processo do Design 7 Logomarca 15 Design & Inovação

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Introdução a Engenharia de Software: histórico, evolução, aplicações e os principais tipos de software Prof. MSc. Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos

Leia mais

Direito Digital Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração

Direito Digital Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo atual exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 Rosely Vieira Consultora Organizacional Mestranda em Adm. Pública Presidente do FECJUS Educação

Leia mais

Gestão do Conhecimento Case Documentar

Gestão do Conhecimento Case Documentar Gestão do Conhecimento Case Documentar GESTÃO DO CONHECIMENTO CASE DOCUMENTAR Empresa: Documentar Tecnologia e Informação Localização: R. Barão de Macaúbas 460 20º Andar Santo Antônio BH/MG Segmento: Tecnologia,

Leia mais

OS TRÊS PILARES DO LUCRO PEQUENA E MÉDIA EMPRESA

OS TRÊS PILARES DO LUCRO PEQUENA E MÉDIA EMPRESA BOLETIM TÉCNICO MAIO/2011 OS TRÊS PILARES DO LUCRO PEQUENA E MÉDIA EMPRESA Um empresário da indústria se assustou com os aumentos de custo e de impostos e reajustou proporcionalmente seus preços. No mês

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Aprecie as apresentações a seguir. Boa leitura!

APRESENTAÇÃO. Aprecie as apresentações a seguir. Boa leitura! APRESENTAÇÃO A Informatiza Soluções Empresariais está no mercado desde 2006 com atuação e especialização na criação de sites e lojas virtuais. A empresa conta com um sistema completo de administração de

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

Índice. 03 A Empresa. 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente

Índice. 03 A Empresa. 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente MÍDIA KIT 2014 Índice 03 A Empresa 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente A empresa Fundada em 2007, a empresa possui uma grade anual com diversos

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

Já pesquisou alguma coisa sobre a Geração Y? Pois então corra, pois eles já vasculharam tudo para você.

Já pesquisou alguma coisa sobre a Geração Y? Pois então corra, pois eles já vasculharam tudo para você. Já pesquisou alguma coisa sobre a Geração Y? Pois então corra, pois eles já vasculharam tudo para você. A HR Academy e a NextView realizaram uma pesquisa focada em geração y, com executivos de RH das principais

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

I Jornada de Pesquisa e Extensão Trabalhos Científicos

I Jornada de Pesquisa e Extensão Trabalhos Científicos I Jornada de Pesquisa e Extensão Trabalhos Científicos LABORATÓRIO DE CONVERGÊNCIA DE MÍDIAS PROJETO DE CRIAÇÃO DE UM NOVO AMBIENTE DE APRENDIZADO COM BASE EM REDES DIGITAIS. 1 Palavras-chave: Convergência,

Leia mais

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR INTRODUÇÃO Você está cansado de falsas promessas uma atrás da outra, dizendo

Leia mais

Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões

Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões MÍDIA KIT INTERNET Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões Segundo pesquisa da Nielsen IBOPE, até o 1º trimestre/2014 número 18% maior que o mesmo período de 2013. É a demonstração

Leia mais

Fabiana BAGDONAS.. 2 João Paulo MARTIN 3 Myllena DE PONTES 4 Cintia dos Reis Barreto 5 Universidade Potiguar UnP, Natal/RN

Fabiana BAGDONAS.. 2 João Paulo MARTIN 3 Myllena DE PONTES 4 Cintia dos Reis Barreto 5 Universidade Potiguar UnP, Natal/RN Plano de Comunicação: Uma proposta de implantação de um setor de Comunicação na Cirne Motos Natal/RN 1 Fabiana BAGDONAS.. 2 João Paulo MARTIN 3 Myllena DE PONTES 4 Cintia dos Reis Barreto 5 Universidade

Leia mais

Construção de Site para a empresa Spolti Eventos 1. Claudia GARLET 2 Ana Caroline FINGER 3 Tuane NICOLA 4 André Quiroga SANDI 5

Construção de Site para a empresa Spolti Eventos 1. Claudia GARLET 2 Ana Caroline FINGER 3 Tuane NICOLA 4 André Quiroga SANDI 5 Construção de Site para a empresa Spolti Eventos 1 Claudia GARLET 2 Ana Caroline FINGER 3 Tuane NICOLA 4 André Quiroga SANDI 5 Universidade Federal de Santa Maria Campus Frederico Westphalen RESUMO Este

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária Área de Comunicação Tecnologia em Produção Publicitária Curta Duração Tecnologia em Produção Publicitária CARREIRA EM PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Nos últimos anos, a globalização da economia e a estabilização

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Publicidade e Propaganda 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Publicidade e Propaganda 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Publicidade e Propaganda 2011-2 DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO CAMPANHA DE POSICIONAMENTO

Leia mais

Especialização em Comunicação Organizacional e Reputação Corporativa - NOVO

Especialização em Comunicação Organizacional e Reputação Corporativa - NOVO Especialização em Comunicação Organizacional e Reputação Corporativa - NOVO Apresentação Previsão de Início Julho/2013 Inscrições em Breve - Turma 01 - Campus Stiep O curso de Comunicação Organizacional

Leia mais

AOS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA DO BRASIL PROPOSTAS DE POLÍTICAS PARA A ÁREA DAS COMUNICAÇÕES

AOS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA DO BRASIL PROPOSTAS DE POLÍTICAS PARA A ÁREA DAS COMUNICAÇÕES AOS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA DO BRASIL PROPOSTAS DE POLÍTICAS PARA A ÁREA DAS COMUNICAÇÕES 1 Apresentação 1. As comunicações, contemporaneamente, exercem crescentes determinações sobre a cultura,

Leia mais

4 ANDRÉ VINÍCIUS. Apresentação André Vinícius. Consultor Professor Palestrante. www.andrevinicius.com. www.andrevinicius.com. www.andrevinicius.

4 ANDRÉ VINÍCIUS. Apresentação André Vinícius. Consultor Professor Palestrante. www.andrevinicius.com. www.andrevinicius.com. www.andrevinicius. 4 ANDRÉ VINÍCIUS Apresentação André Vinícius Consultor Professor Palestrante 4 ANDRÉ VINÍCIUS André Vinícius Formação Acadêmica e Extra-Currícular Pós-Graduando no MBA em Gestão de Recursos Humanos (UNINTER)

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice 2 Índice Introdução... 3 Passo 1 Entender o que é Venda Online e E-commerce... 4 Passo 2 Entender o Mercado de Comércio Eletrônico... 5 Passo 3 Canais de Venda... 6 Passo 4 Como identificar uma Boa Plataforma

Leia mais

FACULDADE ZACARIAS DE GÓES

FACULDADE ZACARIAS DE GÓES FACULDADE ZACARIAS DE GÓES DIEGO DE JESUS BONFIM EDUCAÇÃO ONLINE Valença Bahia Dezembro 2011 DIEGO DE JESUS BONFIM EDUCAÇÃO ONLINE Resenha a ser apresentada como avaliação da disciplina EAD em Ambiente

Leia mais

Instituto Nacional de Pós Graduação INPG Sustentare

Instituto Nacional de Pós Graduação INPG Sustentare Instituto Nacional de Pós Graduação INPG Sustentare O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO CORPORATIVA E A FIDELIZAÇÃO DE SEUS PÚBLICOS ESTRATÉGICOS Vitor Roberto Krüger Gestão da Comunicação Empresarial e Relações

Leia mais

E já surgia vitoriosa! Pois todos os vetos de Goulart foram rejeitados.

E já surgia vitoriosa! Pois todos os vetos de Goulart foram rejeitados. Senhoras e senhores Companheiros da Radiodifusão, É para mim e para todos os meus colegas da ABERT uma enorme alegria e uma honra receber tantos amigos e presenças ilustres nesta noite em que comemoramos

Leia mais

Como driblar a crise. e obter sucesso no Gerenciamento de Projetos

Como driblar a crise. e obter sucesso no Gerenciamento de Projetos Como driblar a crise e obter sucesso no Gerenciamento de Projetos COMO DRIBLAR A CRISE E OBTER SUCESSO NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS Índice Introdução 03 A crise 04 Conclusão 22 Sobre a Projectlab 24 8

Leia mais

SEMIPRESENCIAL 2013.1

SEMIPRESENCIAL 2013.1 SEMIPRESENCIAL 2013.1 MATERIAL COMPLEMENTAR II DISCIPLINA: GESTÃO DE CARREIRA PROFESSORA: MONICA ROCHA LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO Liderança e Motivação são fundamentais para qualquer empresa que deseja vencer

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA

CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA APRESENTAÇÃO O Banco da Amazônia S.A., consciente da importância da ética nas relações com a comunidade em que atua, divulga este Código de Ética, que contém os padrões

Leia mais

g r u p O p o n t o i n i c i a l d a c o m u n i c a ç ã o.

g r u p O p o n t o i n i c i a l d a c o m u n i c a ç ã o. g r u p O p o n t o i n i c i a l d a c o m u n i c a ç ã o. GRUPO ZERO No mercado publicitário desde 2000, o Grupo Zero tem forte atuação no Paraná, São Paulo e Santa Catarina. Durante todos esses anos

Leia mais

As cinco disciplinas

As cinco disciplinas As cinco disciplinas por Peter Senge HSM Management julho - agosto 1998 O especialista Peter Senge diz em entrevista exclusiva que os programas de aprendizado podem ser a única fonte sustentável de vantagem

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB

TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB Gestão do Conhecimento hoje tem se materializado muitas vezes na memória organizacional da empresa. O conteúdo

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS CENTRAL NATAL DIRETORIA DE ENSINO E TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO CIVIL

INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS CENTRAL NATAL DIRETORIA DE ENSINO E TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO CIVIL INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS CENTRAL NATAL DIRETORIA DE ENSINO E TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO CIVIL NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE UM RELATÓRIO TÉCNICO Eurípedes de Medeiros Junior 1 Mara Matos

Leia mais

Automação do Processo de Instalação de Softwares

Automação do Processo de Instalação de Softwares Automação do Processo de Instalação de Softwares Aislan Nogueira Diogo Avelino João Rafael Azevedo Milene Moreira Companhia Siderúrgica Nacional - CSN RESUMO Este artigo tem como finalidade apresentar

Leia mais

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 O Planejamento de Comunicação Integrada de Marketing UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 Agenda: Planejamento de Comunicação Integrada de

Leia mais

ATÓRIO OBSERV. mcf*(penso) julho/agosto 2013

ATÓRIO OBSERV. mcf*(penso) julho/agosto 2013 OBSERV ATÓRIO Outro dia, por mais uma vez, decidi que freqüentaria a uma academia. Como acabei de me mudar de casa, busquei no Google maps do meu celular por Academia e de imediato diversos pontinhos vermelhos

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FOTOGRAFIA E FILMAGEM

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FOTOGRAFIA E FILMAGEM OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FOTOGRAFIA E FILMAGEM 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO SOBRE AS METODOLOGIAS PARA O DESIGN DE INTERFACES DIGITAIS E PRODUTOS MIDIÁTICOS 1

LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO SOBRE AS METODOLOGIAS PARA O DESIGN DE INTERFACES DIGITAIS E PRODUTOS MIDIÁTICOS 1 LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO SOBRE AS METODOLOGIAS PARA O DESIGN DE INTERFACES DIGITAIS E PRODUTOS MIDIÁTICOS 1 Patrícia Marques da Silva 2 ; Aline Cardoso Militão 3 ; Sônia Cristina Soares Dias Vermelho

Leia mais