PLANEJAMENTO FINANCEIRO FAMILIAR E ORÇAMENTO DOMÉSTICO: prática e importância em um grupo no município de Cataguases - MG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANEJAMENTO FINANCEIRO FAMILIAR E ORÇAMENTO DOMÉSTICO: prática e importância em um grupo no município de Cataguases - MG"

Transcrição

1 FACULDADES SUDAMÉRICA PLANEJAMENTO FINANCEIRO FAMILIAR E ORÇAMENTO DOMÉSTICO: prática e importância em um grupo no município de Cataguases - MG Alessandra Batista de Melo Nóbrega Alves CATAGUASES 2010

2 ALESSANDRA BATISTA DE MELO NÓBREGA ALVES PLANEJAMENTO FINANCEIRO FAMILIAR E ORÇAMENTO DOMÉSTICO: prática e importância em um grupo no município de Cataguases - MG Trabalho de Conclusão de Curso apresentado às Faculdades Sudamérica como exigência parcial para obtenção do título de Bacharel em Ciências Contábeis. Orientadora: MSc. Luciana M. M. Rocha Alves Cataguases 2010

3 ALESSANDRA BATISTA DE MELO NÓBREGA ALVES PLANEJAMENTO FINANCEIRO FAMILIAR E ORÇAMENTO DOMÉSTICO: prática e importância em um grupo no município de Cataguases - MG Trabalho de Conclusão de Curso apresentado às Faculdades Sudamérica como exigência parcial para obtenção do título de Bacharel em Ciências Contábeis. Aprovado: xx de dezembro de MSc. Sérgio Luiz MSc. Valéria Boya MSc. Luciana Margarete Mendes Rocha Alves (Orientador)

4 DEDICATÓRIA Á minha preciosa família que foi alicerce no qual me apoiei todas as vezes que pensei em desistir, minha conquista também pertence a vocês e a todos que juntos trilhamos o caminho árduo mais gratificante rumo á busca do saber.

5 AGRADECIMENTOS À Deus, o autor e consumador de todas as coisas, a honra e glória. Ao meu esposo Luciano pelo estimulo desde o início e por compreender e apoiar meu esforço, á minha filhinha Isabela, meu tesouro, razão da minha vida. À minha querida mãe Rosalina, pelo apoio e por cuidar de minha filha quando eu estava ausente. A toda a minha família especialmente aos tios Sebastião e Maria e também a tia Marluce e ao primo Rafael. Ao meu pai, que com sua vida me ensinou a buscar objetivos maiores e a não subestimar a minha capacidade. Aos professores, diretor, auxiliares, todos da Faculdade Sudamérica por me ensinarem com suas atitudes a ser uma pessoa melhor. Aos colegas de turma por compartilhar e aprender durante todo esse tempo lições que vou levar pra sempre. A todos os professores, que durante esse percurso me ajudaram a construir meu conhecimento em especial ao professor Alexandre Siqueira, Guaracy Eugênio e Valéria Boya por me mostrarem caminhos pelos quais pude chegar ao resultado almejado. À minha orientadora professora e mestra Luciana por colaborar tão positivamente com o meu crescimento e estar ao meu lado.

6 É uma grande conquista aprender a manejar a própria vida. L. Martinez

7 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO REFERENCIAL TEÓRICO Importância do Planejamento Financeiro Familiar (PFF) Planejamento Financeiro Familiar e Orçamento Doméstico: conceitos e 13 características Influência dos fatores sócio-econômicos no hábito de planejar O impulso consumista METODOLOGIA Tipo de pesquisa Forma de coleta dos dados Tratamento e apresentação dos dados coletados RESULTADOS E DISCUSSÕES CONCLUSÕES REFERÊNCIAS ANEXO 1 - Questionário...

8 LISTA DE SIGLAS PFF Planejamento Financeiro Familiar PMC Prefeitura Municipal de Cataguases BACEN Banco Central CVM Comissão de Valores Mobiliários ENEF Estratégia Nacional de Educação Financeira DIEESE Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos PNAD Pesquisa Nacional de Amostras de Domicílio IEF Instituto de Estudos Financeiros

9 RESUMO O planejamento financeiro familiar é um assunto que tem ganhado notoriedade com as mudanças decorrentes do grande estimulo comercial e também pelas políticas de crédito e financiamento cada vez mais voltadas ao consumidor e suas necessidades. Este trabalho teve como objetivo verificar a prática e a importância do Planejamento Financeiro Familiar (PFF) para um grupo de pessoas participantes de uma igreja situada no município de Cataguases MG, buscando evidenciar a importância do PFF enquanto prática contábil; discutir a influência da idade, escolaridade e renda no habito do planejamento financeiro e controle orçamentário, bem como analisar as características e formas de controle orçamentário e verificar o hábito de poupar, o uso de crédito extra-orçamentário e o impulso consumista além de identificar os meios pelos quais os respondentes têm obtido informações sobre PFF e controle orçamentário. O Planejamento Financeiro Familiar (PFF) é uma forma de organizar as finanças domésticas objetivando criar reservas que possibilitem uma situação mais favorável ou até mesmo a aquisição de bens. O orçamento é uma importante ferramenta desse planejamento, pois aponta a origem e as aplicações dos recursos auferidos. As informações iniciais obtidas sobre o PFF e orçamento são frutos de pesquisas bibliográficas. Dados primários foram coletados por meio de questionário, apontando para o interesse que a maior parte dos respondentes tem pelo assunto. Variáveis como idade, escolaridade e renda podem influenciar no processo de decisão sobre o ato de poupar ou gastar. È grande a importância dada para a prática do planejamento, entretanto alguns encontram dificuldades em concretizá-lo por desconhecerem como executar. Aqueles que conhecem o assunto, em grande parte obtiveram informações com familiares e amigos, além de cursos ou escola. Palavras chave: orçamento doméstico, planejamento e controle.

10 9 1 INTRODUÇÃO No lar,assim como em uma empresa, a administração dos recursos é de suma importância, pois serve de base para decisões, sobre quanto e como gastar dinheiro. O assunto ainda é pouco explorado nas salas de aula, mas já se vem notando uma mudança de hábitos da população como aponta Nakata (2010) ao externar sua opinião sobre a busca crescente por conhecimentos sobre planejamento financeiro, o mesmo citou o publico presente na 50ª edição da Expomoney, que contou com aproximadamente (vinte mil) pessoas. Segundo Nakata (2010) tem se percebido que a cada ano que passa a procura por eventos, cursos e palestras sobre esse tema tem aumentado consideravelmente. Por esta razão, surgiu o interesse de pesquisa sobre o tema, e a pergunta: Até onde controlamos nosso dinheiro e até onde ele nos controla?. Essa pergunta embora tenha conotação figurada retrata a realidade de algumas famílias que não conseguem administrar suas finanças e por isso torna-se oportuno o estudo do orçamento enquanto ferramenta de controle financeiro familiar. Esse trabalho se justifica pela importância do tema no contexto familiar, pois o emprego dos recursos financeiros da família exerce influência na forma de vida dos indivíduos. Assim, o estudo de um grupo específico de pessoas pode contribuir para o conhecimento e entendimento dos aspectos envolvidos no hábito de realizar o planejamento financeiro familiar. Saber como utilizar os recursos e praticar o planejamento financeiro familiar pode ajudar as famílias a exercerem melhor o seu papel de formadoras de indivíduos críticos e socialmente livres e independentes, tanto que a educação financeira já é item obrigatório nos currículos da pré-escola ao ensino médio de países como a Inglaterra (Cerbasi citado no MANUAL DE DUCAÇÃO FINANCEIRA, 200). Esse estudo desenvolve-se em seis capítulos, a contar desta introdução que justifica e expõe os seus objetivos.

11 10 No capítulo 2 (dois) encontra-se o referencial teórico que encontra-se dividido em subcapítulos: a importância do planejamento financeiro, planejamento financeiro familiar e orçamento doméstico: conceitos e características, influência dos fatores socioeconômicos no hábito de planejar e como administrar o impulso consumista. No capítulo 3 (três) é descrita a metodologia utilizada nesse estudo. No capitulo 4 (quatro) são apresentados e discutidos os dados colhidos por meio de pesquisa exploratória realizada a partir da observação indireta que utilizou o questionário como instrumento de pesquisa. O capítulo 5 (cinco), reservado às conclusões, foram evidenciados os principais resultados deste trabalho, algumas considerações e sugestões. Logo em seguida, encontra-se listado o material referenciado que serviu de base a esse trabalho de pesquisa. Não existiu a pretensão de se esgotar o tema, haja vista sua complexidade e amplitude. Buscou-se explorar o conteúdo bibliográfico existente sobre o tema e realizar levantamento de dados sobre as atitudes, opiniões e hábitos de controle financeiro de um grupo específico de indivíduos. 1.1 Objetivos gerais O presente trabalho buscou verificar a prática e a importância do Planejamento Financeiro Familiar (PFF) para um grupo de pessoas participantes de uma igreja situada no município de Cataguases MG. 1.2 Objetivos específicos Evidenciar a importância do PFF enquanto prática contábil; Discutir a influência da idade, escolaridade e renda no habito do planejamento financeiro e controle orçamentário; Analisar as características e formas de controle orçamentário Verificar as estratégias adotadas em situações emergenciais que envolvem o uso de recursos financeiros;

12 11 orçamentário Elucidar o hábito da poupança e do consumo por impulso Identificar os meios pelos quais se obtém informações sobre PFF e controle 2 REFERENCIAL TEÓRICO 2.1 A importância do Planejamento Financeiro Familiar (PFF) A contabilidade enquanto ciência social estuda os fenômenos que causam a mutação do patrimônio das entidades e com isso verifica a obtenção de recursos e aplicação dos mesmos. Esse mesmo conceito pode ser aplicado ao cotidiano familiar, pois, nas palavras de Assis (1995) citado por Xavier (2009, p. 14) a Contabilidade doméstica ou familiar tem como objetivo administrar os recursos econômicos familiares de forma que se possa apurar e demonstar o equilíbrio entre os rendimentos e os gastos familiares ou individuais. Através de um planejamento financeiro é possível estabelecer metas de consumo realistas e planejar aquisições de médio e longo prazo, como aquisição de veículo, imóveis ou investimento em educação. Controlar aquilo que se ganha e o que se gasta é fundamental para ter sucesso financeiro. É fato que, com controle financeiro é possível ter uma renda não muito alta e qualidade de vida. O contrario também ocorre, pessoas com rendimentos altos e nenhum controle parecem ver seu dinheiro escorrer entre os dedos devido o mau uso deste. Nessa linha de pensamento escreveu Cerbasi (2004) pontuando que riqueza não depende de quanto se ganha, mas sim da forma como se gasta. A realização de sonhos como a compra da casa própria, de veículos ou ainda o planejamento do futuro da família passa pelo controle financeiro o que vem se tornando uma onda ainda que de forma tímida como citou Cerbasi ao dizer apesar de não ser a principal fonte de preocupação dos brasileiros a busca por controles vem surgindo e provavelmente mostrará o seu esplendor ainda nessa década (s.d., p. digital, acesso em 2010). Como pontuou o autor todo jornal, revista e programa de televisão de variedades possui hoje uma seção voltada a economia doméstica, aos cuidados com o dinheiro e com os investimentos.

13 12 Mas ainda que não esteja no topo das prioridades da sociedade, o avanço do tema tem sido para alguns autores, satisfatório, pois remete a um possível futuro mais consciente e financeiramente próspero como afirma Cerbasi (s.d., p. digital, 2010): Estamos amadurecendo, apesar desse assunto ainda estar em segundo plano nos pilares de qualidade de vida, que incluem boa alimentação e cuidados com o corpo. Em um futuro breve, a preocupação com o desempenho das finanças da família será tão intenso quanto é hoje a preocupação com os hábitos alimentares. O IEF (Instituto de Estudos Financeiros, 2010) afirma que um bom planejamento financeiro pessoal começa pela criação de um orçamento pessoal confiável, o que significa previsões com um satisfatório grau de precisão. E continua analisando que muitas pessoas se deparam com o fato de que as despesas projetadas são sempre superadas. Isto acontece, geralmente, porque o orçamento de despesas foi elaborado de modo incompleto. 2.2 Planejamento Financeiro Familiar e orçamento doméstico: conceitos e características. Frankemberg apud Strate(s.d., p.digital 2010) conceituou planejamento familiar como o ato de estabelecer e seguir uma estratégia que permita acumular bens e valores que formarão o patrimônio de uma pessoa ou família. Cerbasi (s.d., p.digital, 2010) definiu: Planejar suas finanças significa, portanto, entender o máximo que podemos gastar hoje sem comprometer esse padrão de vida no futuro. No universo familiar, grandemente caracterizado por laços de afeto, a questão financeira pode influenciar de forma negativa nas relações que se estabelecem, visto que o descontrole orçamentário e a falta de planejamento e comunicação sobre gastos são capazes de gerar desarmonia e conflitos. Balbi (2006) discute esta questão mostrando que menos da metade dos casais entrevistados fazem planejamento conjunto para decidir prioridades e que boa parte deles brigam devido a questões financeiras. O orçamento apresenta-se como ferramenta para se atingir o planejamento financeiro (TEIXEIRA, 2005) sendo a caderneta uma forma de organizar o orçamento e com isso obter um planejamento de despesas e gastos é utilizar a caderneta que possibilita listar despesas já consolidadas como: gastos com água e esgoto, energia elétrica, alimentação, gasolina e transporte.

14 13 A prática de anotações orçamentárias é discutida como fonte de informações que geram qualidade na efetivação do controle financeiro conforme exposto nas palavras do Instituto de Estudos Financeiros (IEF 2010): Um orçamento escrito indica a existência de um maior interesse pela sua utilização e fornece informações de melhor qualidade. Se o orçamento não está escrito (apenas na memória da pessoa), fornecendo-lhe informações sem uma maior precisão, sua efetiva utilidade será bem menor. Entretanto, o IEF afirma, também, que um orçamento escrito e formalmente organizado é apenas uma condição necessária para se ter um planejamento financeiro satisfatório. Muitas pessoas chegam a elaborar um orçamento, mas desistem ao verificar que ele não funciona a contento. Na maioria das vezes, o descontrole se dá pelo fato das receitas serem menores que as despesas e por falta de um planejamento correto e sistemático dos gastos. Para Strate (2010) a condição para que o orçamento seja construído e vivenciado é levar em conta as implicações decorrentes dele. Ela afirma ser importante se atingir pelo menos o ponto de equilíbrio, o nível onde receitas são iguais as despesas. Mas segundo a autora esse nível não aponta saúde financeira e sim ausência de dívidas. Mas na busca pelo equilíbrio orçamentário deve-se pensar na seguinte proposta: É importante atentar para o fato de que elaborar um orçamento não é garantia de que o indivíduo terá uma vida financeira melhor, pois não basta apenas conhecer onde é aplicado o dinheiro é preciso refletir sobre as aplicações. (Infomoney, 2010). Para alguns planejar não é tarefa fácil como observou Cerbasi apud Strate (2010) ao afirmar: passar a controlar esses gastos requer intensa disciplina durante um curto período de tempo, até que comecemos a prestar mais atenção nele. O entendimento das finanças de um modo geral passa pelo conceito de origens e aplicações, o que se pode chamar de receitas e despesas. Para se estabelecer um melhor entendimento de receitas e despesas é importante enumerar esses fenômenos dentro do ambiente doméstico. Todos os autores citam as receitas e despesas mais normais e corriqueiras como destacado a seguir: Receitas são em geral: salários, receitas de aluguel, pensões, mesadas. Despesas, por sua vez são todos os gastos necessários à manutenção do lar como, por exemplo: energia elétrica, água, alimentação, transporte, moradia entre outros. Há ainda

15 14 os gastos eventuais com manutenções esporádicas, presentes. Num terceiro grupo os gastos de caráter específico e urgente como doenças, falecimentos e emergências. Nesta perspectiva, o PFF, algo mais amplo, é abordado como um instrumento de controle importante e altamente significativo, por agregar ao âmbito familiar a idéia da administração consciente dos recursos, por envolver o estabelecimento de metas e prioridades. Porém em alguns casos isso não é tarefa simples, haja vista a diferença cultural e econômica dos indivíduos, sobre isso afirma Marques apud Teixeira (2005, pág. 11) que conhecer os recursos e saber como e onde captá-lo e aplicar de forma suficiente requer habilidade e experiência. O orçamento doméstico de acordo com Assis apud Xavier (2005) é um agente de educação e prudência, não devendo ser utilizado apenas na concepção de controle e racionalidade. É um item importante do controle financeiro pessoal que permite o monitoramento de despesas e a previsão de eventuais dificuldades. 2.3 Influência dos fatores socioeconômicos no hábito de planejar Ao abordar os fatores culturais e sociais envolvidos no hábito de planejar e poupar discutidos em pesquisa sobre estrutura do orçamento doméstico no município de São Paulo, o DIEESE (s.d., p. digital, 2010) relacionou a estrutura de consumo com base no rendimento familiar, ilustrando as diferenças que envolvem o hábito e a motivação de planejar, segundo o estudo: Quanto mais elevada for a renda familiar, tanto maior será o gasto das famílias em termos absolutos e haverá também maior diversidade no leque de produtos e serviços consumidos entre os membros da família. Justamente por isso, as famílias com renda mais baixa acabam por concentrar seus gastos, em termos relativos, nas necessidades básicas de sobrevivência com um leque menos diversificado e mais homogêneo de consumo. (...) Tais associações são importantes não somente por verificar o impacto das políticas sociais e econômicas sobre as famílias, mas também para analisa-las ao longo do tempo, observando a estrutura do orçamento doméstico entre regiões ou países, por exemplo. A influência da idade, renda e escolaridade são citadas por Trindade et al (s.d., p.14 acesso em 2010) quando através de estudo de uma população feminina verificou-se que quanto menor o nível de renda auferida pela família e individualmente maior a propensão ao endividamento.

16 15 Já Sen apud Rocha (2004) o impacto da renda sobre as capacidades sociais é contingente e condicional, visto haver necessidades especificas a cada faixa etária de vida. Ainda fazendo menção dos autores acima afirmam que a renda é um meio importantíssimo de obter capacidades e dentre elas está a de se obter entendimento sobre como administrar seus próprios recursos de maneira racional e eficiente. Em relação à idade, Sabóia apud Administradores (2007), explicita as diferentes fases financeiras na vida do indivíduo. Cada fase tem suas características, necessidades e objetivos, sempre visando ao longo prazo: Fase pré-aprendizado: 0 a 13 anos É a fase da educação financeira. Os pais e educadores são os grandes aliados nesta preparação, que formarão os consumidores, poupadores e investidores de amanhã. Fase 1: 14 a 23 anos - Largada e formação. A saúde financeira começa nesta etapa. Mesada, cartão de crédito, cheque. É nessa fase que se formam os consumidores e gastadores conscientes. Fase 2: 24 a 33 anos - Períodos e tentativas. É a fase das tentações. O mercado está atrás das pessoas nesta fase com propostas "irrecusáveis" de crédito e financiamento. Essa é a hora de separar o joio do trigo e avaliar cada gasto e despesa. Fase ideal para assumir riscos maiores e traçar metas. Os investimentos que começarem nesta etapa serão importantes e essenciais para seu futuro e tranqüilidade financeira. Fase 3: 34 a 43 anos - A vida começa aos 40 Fase da família, da especialização, profissionalização e atualização. Com os filhos na escola, essa é a fase de focar em sua carreira e educação. Sempre de olho, também, no seu futuro financeiro. Época de acumular patrimônio. Fase 4: 44 a 53 anos - Meia-idade Com os filhos na faculdade, essa é a fase de pensar na aposentadoria. Quanto você já tem e quanto tempo tem para guardar mais? Época de fazer seguros.fase 5: 54 a 64 anos - Preparação para as mudanças Época de agir com cautela e conservadorismo. Cuidado para não acabar com tudo o que conseguiu até agora. Fase 6: acima de 65 anos - Merecidas aposentadorias Fase das respostas de tudo o que você fez nas primeiras fases. Quanto você guardou? Como está sua situação financeira? Fase 7: Pós-aposentadoria Hora de aproveitar! O importante é viver cada fase, pensar no futuro, mas sem esquecer do presente. Conforme as fases acima, é possível perceber que as etapas estão interligadas e que o sucesso de cada uma depende da forma como lidamos com a outra. Só para mulheres De acordo com o instituto, o número de mulheres com 100 anos ou mais supera em duas vezes o número de homens na mesma faixa. Dessa forma, fica claro que elas precisam se preocupar ainda mais em como planejar o futuro financeiro.a maior tarefa, e talvez a mais complicada, é o acúmulo patrimonial. Nesse ponto,

17 16 as mulheres ainda se encontram em desvantagem. Não só recebem menos (na média) do que os colegas do sexo masculino, o que acaba refletindo nas contribuições previdenciárias e capacidade de poupança, como também correm o risco de se ausentar por alguns períodos do mercado, para garantir a criação dos filhos. Com relação ao fator educação em seu artigo Rocha (2004) afirma que: A educação não é um bem de mercado nem público, mas um bem misto, pois além dos ganhos diretos das pessoas que estão recebendo a educação, uma expansão geral da mesma pode favorecer a mudança da sociedade. (...) A recompensa oriunda da busca pelo desenvolvimento humano vai além da melhoria na qualidade de vida, mais inclui também a influência sobre as habilidades produtivas das pessoas e, portanto, sobre o crescimento econômico em uma base mais sólida e amplamente compartilhada. A variável educação tem fator importantíssimo na formação de indivíduos mais conscientes de suas finanças como afirma Nakata (2010) ao pontuar que: com a educação financeira, as pessoas passaram a conhecer melhor os produtos financeiros disponíveis no mercado, a fazer escolhas inteligentes com aquilo que ganham (...). O autor defende que a busca pelo conhecimento sobre planejamento financeiro pode proporcionar ao indivíduo o alívio de anos e anos de sacrifício e trabalho duro e completa, com a opinião de Derek Bok, ex-reitor da faculdade de Havard que diz: se você acha a educação cara, experimente a ignorância, e de fato, as pessoas que buscam conhecer suas finanças e organizar sua vida financeira de forma equilibrada e racional tendem a obter o êxito em seus objetivos. 2.4 O impulso consumista O apelo consumista é a causa do endividamento de alguns indivíduos da sociedade. De acordo com dados do Banco Central (s.d., p. digital, 2010): A evolução dos empréstimos, em linha com os gastos referentes a investimento e consumo, segue impulsionada pela demanda intensa em modalidades específicas, como o crédito habitacional (...) as operações para aquisição de veículos e o crédito consignado. Segundo Freitas e Moraes (s.d., p. digital, 2010) ao citar dados da Pesquisa Nacional de Amostras de Domicílios realizada em 2008 (PNAD, 2008), se constatou um aumento na renda dos brasileiros de 2,8% (dois vírgula oito por cento) se comparados aos dados do ano de 2007.

18 17 Em linhas gerais esse aumento de renda pressupõe aumento também no consumo, e por isso é possível observar um aumento de oferta de linhas de crédito, cartões, financiamentos e toda espécie de armadilha aos menos preparados. A administração dos próprios recursos segundo Sousa e Torralvo (s.d., p. digital, 2010) é o caminho para que o indivíduo consiga entre outras coisas, satisfazer seus desejos consumistas. Nesse mesmo estudo os autores abordaram o perfil consumista da população ao citarem o aumento no número de cartões de crédito. Teixeira (2005 p. 84) afirma que o consumismo desenfreado pode ser prejudicial ao orçamento doméstico quando itens mais importantes deixam de ser comprados, uma maneira bem simples de evitar tal fato também e sugerida pela autora como, por exemplo: não andar com cartões de crédito na carteira, buscar atividades no âmbito familiar ou mesmo fora dele que dispense o uso de dinheiro, buscar ajuda profissional quando for detectado um impulso incontrolável por comprar, etc. Comprar ou não comprar é um ato de decisão, em seu trabalho Souza e Torralvo levantaram esse aspecto do processo decisório defendendo que o mesmo exerce influência direta no PFF e afirmaram essa idéia da seguinte forma: quando se depara com a possibilidade de comprar uma mercadoria ou contratar um serviço, o consumidor é forçado a tomar uma decisão: efetuar a compra ou satisfazer o desejo de poupar. O estímulo consumista existente no comercio em geral pode desfavorecer os indivíduos que não conseguem resistir aos impulsos e levá-los a comprometer seu orçamento de forma inconseqüente (idem) Existem algumas dicas disponíveis em páginas eletrônicas como, por exemplo, o website meubolsoemdia, que podem fazer a diferença antes de tomar a decisão de comprar: verificar quanto a divida ira comprometer o orçamento mensal e analisar se realmente é uma necessidade urgente e de toda a família. Feitas essas considerações será possível ter um planejamento disciplinado e capaz de evitar situações como, por exemplo, inadimplência. Outros hábitos simples podem contribuir para o controle do impulso consumista, como sugere Teixeira (2005 p. 85) são eles: nunca comprar no mesmo dia que viu a mercadoria, comparar preços em pelo menos três estabelecimentos antes de finalizar a compra, estimar quantas horas de trabalho são necessárias para pagar pelo item e sobretudo planejar antes de comprar.

19 18 O Instituto de Estudos Financeiros (IEF) pontua em sua matéria Planejamento Financeiro Pessoal que os dissabores das compras feitas por impulso costumam ser bem mais fortes e duradouros que as satisfações por elas proporcionadas. E sugere como forma de controlar esses impulsos ações como sair sem talões de cheque e cartões de crédito, evitar passar em certos lugares ou mesmo levar as crianças ás compras. Strate (2010) ao discutir sobre o assunto declara: é necessário racionalizar para sobreviver dentro daquilo que se recebe e buscar melhoria de vida (s.d., p.digital, acesso em 2010). A administração dos próprios recursos é um processo de auto-conhecimento. Sobre isso afirma Teixeira (2005, p. 11) a maneira como a família administra seus recursos também afeta sua qualidade de vida, por serem os recursos escassos, considerando a escassez como sendo: Utilização de um recurso para satisfazer necessidades ou desejos, impossibilitando seu uso para outro propósito (idem). Para Teixeira (2005, p. 19) a organização familiar influencia na forma com que seus membros interagem uns com os outros e se reflete nas decisões que esses tomam e que afetam aos demais. O que é importante a um membro do grupo pode não ser para outro e o processo decisório deve envolver a conversa aberta a fim de dirimir situações ambíguas. Como afirma Oliveira apud Teixeira (2005, p. 50), novas e variadas concepções de valores acerca da vida em comum emergiram no Brasil ao longo das ultimas décadas, e apesar da crescente evolução observada em diversos segmentos de nossa sociedade alguns fatores contribuem de forma negativa para um ambiente de estimulo ao consumo consciente e o hábito de poupar e gastar racionalmente.

20 19 3 METODOLOGIA 3.1 Tipo de pesquisa O presente estudo é um levantamento de dados primários do tipo quantitativo, descritivo, que utilizou o questionário como método de pesquisa indireta que segundo Marconi e Lakatos (2007, p. 98) é um instrumento de coleta de dados constituído por uma série ordenada de perguntas que visa responder às necessidades de conhecimento de certo problema ou fenômeno. Inicialmente como fonte de dados secundários, a pesquisa bibliográfica teve papel relevante para identificação de publicações existentes sobre o tema, que serviram de suporte para a definição de variáveis que direcionaram a pesquisa de campo e as discussões dos resultados apresentados Forma de coleta dos dados O questionário utilizado foi construído com base no exposto pelos autores Halles, Sokolowski e Hilgemberg quando estudaram os hábitos financeiros dos funcionários da polícia civil e corpo de bombeiros da cidade de Ponta Grossa RS. Originalmente os autores usaram 19 (dezenove) questões dentre estas algumas de cunho específico àqueles respondentes, por isso estas perguntas foram subtraídas, no presente trabalho, por contar com objetivos diferentes, sem com isso prejudicar na interpretação das questões. O presente estudo se refere aos dados colhidos num grupo determinado de indivíduos na cidade de Cataguases MG. O ambiente escolhido para o estudo foi uma igreja protestante

21 20 de denominação Batista, situada na cidade de Cataguases, MG. A Igreja Batista Memorial de Cataguases possui pouco mais de 70 (setenta) membros. Foram distribuídos 35 (trinta e cinco) questionários, obtendo-se retorno de 20 (vinte) desses, ou seja, 28.5% da população total estimada.. O questionário usado na coleta de dados continha a identificação da instituição e o motivo de sua aplicação além de garantir aos entrevistados o anonimato. Foi aplicado no mês de novembro do ano de dois mil e dez, em um dia em que havia grande parte dos freqüentadores da igreja e distribuído de forma aleatória a indivíduos de ambos os sexos. As perguntas, todas fechadas, foram divididas em 2 (duas) categorias: geral, onde foram colhidos os dados socioeconômicos dos respondentes e especifica, indagando sobre a relação de consumo e posição diante de situações-problema bem como o nível de conhecimento acerca do assunto tratado. No Anexo 1 (um) encontra-se o questionário utilizado nesse estudo. 3.3 Tratamento e apresentação dos dados coletados Após a devolução dos questionários pelos respondentes, os mesmos foram examinados para verificação de que estavam completos e compreensíveis. As respostas foram tabuladas usando a estatística descritiva básica para obtenção da freqüência relativa e absoluta das variáveis. A ferramenta utilizada para tabular os dados foi o Microsoft Office Excel 2003 definido por Strate (2010, p. 14 e 15) como planilhas eletrônicas formadas por células, que podem ser alimentadas com dados numéricos ou alfabéticos. Permite realizar cálculos simples como soma, multiplicação, como também funções complexas, financeiras e condicionais. O tratamento dos dados foi feito de forma não probabilística usando o critério da variável quantitativa de dados simples fruto da contagem dos resultados obtidos por questão e representados por meio de tabelas segundo propõe Silva, Costa e Matias (2010).

Pró-Reitoria de Graduação Curso de Administração Financeira Projeto de Pesquisa do Trabalho de Conclusão de Curso Finanças Pessoais no Brasil

Pró-Reitoria de Graduação Curso de Administração Financeira Projeto de Pesquisa do Trabalho de Conclusão de Curso Finanças Pessoais no Brasil Pró-Reitoria de Graduação Curso de Administração Financeira Projeto de Pesquisa do Trabalho de Conclusão de Curso Finanças Pessoais no Brasil Autor: Uelintânia dos Santos Lopes Orientador: Prof Dr. Alberto

Leia mais

cartilha educação financeira

cartilha educação financeira cartilha educação financeira cartilha educação financeira A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FINANCEIRA A educação financeira é decisiva para o bem-estar presente e futuro das famílias, contudo, ela nem sempre

Leia mais

ORÇAMENTO FAMILIAR: UMA FERRAMENTA PARA GERIR OS RECURSOS FINANCEIROS DA ESFERA DOMÉSTICA

ORÇAMENTO FAMILIAR: UMA FERRAMENTA PARA GERIR OS RECURSOS FINANCEIROS DA ESFERA DOMÉSTICA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ORÇAMENTO FAMILIAR: UMA FERRAMENTA PARA GERIR OS RECURSOS FINANCEIROS DA ESFERA DOMÉSTICA Viviane da Silva Vieira Pereira 1 RESUMO: Este trabalho abordou

Leia mais

SUPERENDIVIDAMENTO. Saiba planejar seus gastos e evite dívidas.

SUPERENDIVIDAMENTO. Saiba planejar seus gastos e evite dívidas. SUPERENDIVIDAMENTO Saiba planejar seus gastos e evite dívidas. Nos últimos anos, houve um crescimento significativo de endividados no Brasil. A expansão da oferta de crédito e a falta de controle do orçamento

Leia mais

Longo Prazo, Poupança das Famílias e os Fundos de Investimento

Longo Prazo, Poupança das Famílias e os Fundos de Investimento Longo Prazo, Poupança das Famílias e os Fundos de Investimento Longo prazo, Poupança das Famílias e os Fundos de Investimento Prof. William Eid Junior Professor Titular Coordenador do GV CEF Centro de

Leia mais

Uso do Crédito (consumidores) Setembro 2012

Uso do Crédito (consumidores) Setembro 2012 Uso do Crédito (consumidores) Setembro 2012 METODOLOGIA Plano amostral Público alvo: Consumidores de todas as Capitais do Brasil. Tamanho amostral da Pesquisa: 623 casos, gerando um erro máximo de 3,9%

Leia mais

Recupere a saúde financeira e. garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015

Recupere a saúde financeira e. garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015 Recupere a saúde financeira e garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015 Objetivo geral Disseminar conhecimento financeiro e previdenciário dentro e fora da SP-PREVCOM buscando contribuir

Leia mais

FUNDAMENTOS DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA. Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil

FUNDAMENTOS DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA. Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil FUNDAMENTOS DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários

Leia mais

Pesquisa de Orçamento Doméstico

Pesquisa de Orçamento Doméstico Fonte: Sistema Fecomércio MG EE A Pesquisa de Orçamento Doméstico de Belo Horizonte é um balizador do comportamento das famílias, relativo aos seus compromissos correntes e financeiros. A falta de planejamento,

Leia mais

Pesquisa Hábitos do Consumidor da Classe C. 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1

Pesquisa Hábitos do Consumidor da Classe C. 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Pesquisa Hábitos do Consumidor da Classe C 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Índice Objetivo, metodologia e amostra... 03 Perfil dos Respondentes... 04 Principais constatações sobre os hábitos de consumo

Leia mais

Família e dinheiro. Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? Todos juntos ganham mais

Família e dinheiro. Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? Todos juntos ganham mais 1016327-7 - set/2012 Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? No site www.itau.com.br/usoconsciente, você encontra vídeos, testes e informações para uma gestão financeira eficiente. Acesse

Leia mais

ORÇAMENTO DOMÉSTICO CONTAS EM ORDEM PARA UM FUTURO TRANQUILO

ORÇAMENTO DOMÉSTICO CONTAS EM ORDEM PARA UM FUTURO TRANQUILO ORÇAMENTO DOMÉSTICO CONTAS EM ORDEM PARA UM FUTURO TRANQUILO APRESENTAÇÃO Quando o assunto é dinheiro, todo mundo tem as lições básicas na ponta da língua: não gaste mais do que ganha, tenha uma reserva

Leia mais

IMPLEMANTAÇÃO DE UM PROJETO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NO CAP-COLUNI UFV: PRIMEIRAS IMPRESSÕES

IMPLEMANTAÇÃO DE UM PROJETO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NO CAP-COLUNI UFV: PRIMEIRAS IMPRESSÕES IMPLEMANTAÇÃO DE UM PROJETO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NO CAP-COLUNI UFV: PRIMEIRAS IMPRESSÕES Paulo Tadeu Gandra Campos 1, Cleuza Eunice Pereira Brumano 2, Renata Pires Gonçalves 3. 1 Universidade Federal

Leia mais

Guia do uso consciente do crédito. O crédito está aí para melhorar sua vida, é só se planejar que ele não vai faltar.

Guia do uso consciente do crédito. O crédito está aí para melhorar sua vida, é só se planejar que ele não vai faltar. Guia do uso consciente do crédito O crédito está aí para melhorar sua vida, é só se planejar que ele não vai faltar. Afinal, o que é crédito? O crédito é o meio que permite a compra de mercadorias, serviços

Leia mais

10 dicas infalíveis para fazer sobrar dinheiro

10 dicas infalíveis para fazer sobrar dinheiro Diego Medeiros 10 dicas infalíveis para fazer sobrar dinheiro Para pessoas que precisam poupar mas não conseguem começar Versão 1.0 2 3 Índice 4 Prefácio 5 Por que este conteúdo é importante 5 Para quem

Leia mais

Gestão de Finanças Pessoais Nome do Palestrante

Gestão de Finanças Pessoais Nome do Palestrante Gestão de Finanças Pessoais Nome do Palestrante Como nos relacionamos com o dinheiro? O que é dinheiro? Como nos relacionamos com o dinheiro? O que o dinheiro significa para você? Sonhos Sonhos não se

Leia mais

Investimento para Mulheres

Investimento para Mulheres Investimento para Mulheres Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado. Cem

Leia mais

O PIBID E A FORMAÇÃO DE ALUNOS DA EJA: UMA EXPERIÊNCIA COM EDUCAÇÃO FINANCEIRA 1

O PIBID E A FORMAÇÃO DE ALUNOS DA EJA: UMA EXPERIÊNCIA COM EDUCAÇÃO FINANCEIRA 1 O PIBID E A FORMAÇÃO DE ALUNOS DA EJA: UMA EXPERIÊNCIA COM EDUCAÇÃO FINANCEIRA 1 Resumo: Delane Santos de Macedo 2 Universidade Federal do Recôncavo da Bahia delayne_ba@hotmail.coml Gilson Bispo de Jesus

Leia mais

PESQUISA DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA SPC BRASIL. Janeiro 2014

PESQUISA DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA SPC BRASIL. Janeiro 2014 PESQUISA DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA SPC BRASIL Janeiro 2014 PESQUISA DO SPC BRASIL REVELA QUE 81% DOS BRASILEIROS SABEM POUCO OU NADA SOBRE SUAS FINANÇAS PESSOAIS Os brasileiros ainda estão muito distantes

Leia mais

RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROJETO PILOTO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS*

RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROJETO PILOTO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS* RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROJETO PILOTO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS* * Release elaborado pela BM&FBOVESPA baseado nos dados informados pelo Banco Mundial para o 2º Workshop de Divulgação

Leia mais

TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO: CONHECIMENTO DE ESTATÍSTICA DE ALUNOS DA OITAVA SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL DO MUNICÍPIO DE LAGOA VERMELHA.

TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO: CONHECIMENTO DE ESTATÍSTICA DE ALUNOS DA OITAVA SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL DO MUNICÍPIO DE LAGOA VERMELHA. TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO: CONHECIMENTO DE ESTATÍSTICA DE ALUNOS DA OITAVA SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL DO MUNICÍPIO DE LAGOA VERMELHA. Adriano Schütz Busin 1 Neuza Terezinha Oro 2 RESUMO O presente artigo

Leia mais

1 Onde estou e aonde quero chegar

1 Onde estou e aonde quero chegar Seu futuro é agora O Programa RENDA MAIS da Fundação Atlântico tem como objetivo fomentar o conhecimento sobre educação financeira e previdenciária junto aos seus Participantes. No módulo de Educação Financeira

Leia mais

EDUCAÇÃO FINANCEIRA EM 3 CAPÍTULOS. Capítulo I. Finanças Pessoais

EDUCAÇÃO FINANCEIRA EM 3 CAPÍTULOS. Capítulo I. Finanças Pessoais 1 EDUCAÇÃO FINANCEIRA EM 3 CAPÍTULOS Capítulo I Finanças Pessoais 2 CAPÍTULO II Introdução ao Sistema Financeiro 3 CAPÍTULO III Alternativas de Investimento 4 O Brasil necessita um sistema financeiro saudável,

Leia mais

O PLANEJAMENTO FINANCEIRO COMO INSTRUMENTO DE QUALIDADE DE VIDA

O PLANEJAMENTO FINANCEIRO COMO INSTRUMENTO DE QUALIDADE DE VIDA O PLANEJAMENTO FINANCEIRO COMO INSTRUMENTO DE QUALIDADE DE VIDA Claudia Regina Halles Rivelto Sokolowski Emerson Martins Hilgemberg Resumo A qualidade de vida e a qualidade do trabalho desenvolvido pelos

Leia mais

EDUCAÇÃO FINANCEIRA EM TRÊS CAPÍTULOS. Luiz Paulo Guimarães

EDUCAÇÃO FINANCEIRA EM TRÊS CAPÍTULOS. Luiz Paulo Guimarães 1 EDUCAÇÃO FINANCEIRA EM TRÊS CAPÍTULOS Luiz Paulo Guimarães 1 - Finanças Pessoais 2 - Introdução ao Sistema Financeiro 3 - Alternativas de Investimento 2 O Brasil necessita um sistema financeiro saudável,

Leia mais

SPC Brasil lança programa de Educação Financeira com serviços gratuitos para o consumidor

SPC Brasil lança programa de Educação Financeira com serviços gratuitos para o consumidor SPC Brasil lança programa de Educação Financeira com serviços gratuitos para o consumidor O mais completo portal de educação financeira do país oferece simuladores e consultoria gratuita. Parceria com

Leia mais

03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança

03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança 03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança Render 5 Vezes Mais por Leandro Sierra Índice Apresentação...03 Introdução... 04 Passo 1...05 Passo 2... 08 Educação Financeira para a Segurança do seu Investimento...

Leia mais

Educação Financeira e Orçamento Doméstico

Educação Financeira e Orçamento Doméstico Objetivo de hoje... Sensibilizar os participantes da importância do planejamento e controle financeiro para educação financeira e melhores praticas do orçamento doméstico. Dinheiro pode proporcionar coisas

Leia mais

Pra que serve tudo isso?

Pra que serve tudo isso? Capítulo 1 Pra que serve tudo isso? Parabéns! Você tem em mãos a base para o início de um bom planejamento financeiro. O conhecimento para começar a ver o dinheiro de outro ponto de vista, que nunca foi

Leia mais

Guia de Finanças Pessoais

Guia de Finanças Pessoais Guia de Finanças Pessoais GUIA DE FINANÇAS PESSOAIS Como estão suas FinanÇas? De onde vem o dinheiro não costuma ser um mistério. Em geral, as pessoas têm uma boa noção de suas receitas, provenientes do

Leia mais

Relatório de Seguridade

Relatório de Seguridade Relatório Maio/2012 O relatório da área de seguridade tem por finalidade apresentar as principais atividades desenvolvidas no mês, informando os números e valores relativos ao período de maio de 2012,

Leia mais

POR QUE PRECISAMOS SER RACIONAIS COM O DINHEIRO?

POR QUE PRECISAMOS SER RACIONAIS COM O DINHEIRO? ORGANIZE SUA VIDA POR QUE PRECISAMOS SER RACIONAIS COM O DINHEIRO? - Para planejar melhor como gastar os nossos recursos financeiros QUAIS OS BENEFÍCIOS DE TER UM PLANEJAMENTO FINANCEIRO? - Para que possamos

Leia mais

A Baixa Renda & O Crédito. (Oportunidades & Riscos)

A Baixa Renda & O Crédito. (Oportunidades & Riscos) A Baixa Renda & O Crédito (Oportunidades & Riscos) Mar / 2006 Histórico A TNS Interscience desenvolve regularmente Estudos Institucionais cujo objetivo é o de identificar tendências que estimulem o pensamento

Leia mais

ETAPA DA MUDANÇA DE HÁBITOS

ETAPA DA MUDANÇA DE HÁBITOS 1 Faculdade Salesiana Dom Bosco de Piracicaba Curso de Administração DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO FINANCEIRA PROF. ELISSON DE ANDRADE TEXTO 4 ETAPA DA MUDANÇA DE HÁBITOS (PARTE 1) Estrutura do texto

Leia mais

Como o consumidor brasileiro paga as contas (consumidores) Outubro 2012

Como o consumidor brasileiro paga as contas (consumidores) Outubro 2012 Como o consumidor brasileiro paga as contas (consumidores) Outubro 2012 METODOLOGIA Plano amostral Público alvo: Consumidores de todas as Capitais do Brasil. Tamanho amostral da Pesquisa Perfil Adimplente

Leia mais

Com inflação e juros em alta, hora de fazer 'ajuste fiscal' em casa

Com inflação e juros em alta, hora de fazer 'ajuste fiscal' em casa Veículo: O Globo Data: 07/09/15 Com inflação e juros em alta, hora de fazer 'ajuste fiscal' em casa Em tempos de desaceleração da economia e inflação e juros em alta, a cada mês as famílias se deparam

Leia mais

Orçamento Use o Dinheiro com Sabedoria

Orçamento Use o Dinheiro com Sabedoria Orçamento Use o Dinheiro com Sabedoria Use o Dinheiro com Sabedoria Serasa Experian e Educação Financeira O Programa Serasa Experian de Educação Financeira Sonhos Reais é uma iniciativa que alia o conhecimento

Leia mais

FACULDADES ALVES FARIA - ALFA

FACULDADES ALVES FARIA - ALFA FACULDADES ALVES FARIA - ALFA CENTRO DE PESQUISAS ECONÔMICAS E MERCADOLÓGICAS CDL/ALFA PESQUISA : ENDIVIDAMENTO DO CONSUMIDOR GOIANIENSE 2013-1 GOIÂNIA 2013 1. INTRODUÇÃO. Este trabalho apresenta os resultados

Leia mais

Assunto Investimentos femininos

Assunto Investimentos femininos Assunto Investimentos femininos SOPHIA MIND A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado.

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS PAIS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS PAIS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS PAIS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG 06/08/2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS PAIS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG Professores

Leia mais

Pesquisa de Opinião do Consumidor Orçamento Doméstico. Abril 2013

Pesquisa de Opinião do Consumidor Orçamento Doméstico. Abril 2013 Pesquisa de Opinião do Consumidor Abril Belo Horizonte MG Abril de Apresentação Acompanhar o consumidor através da organização de seu orçamento doméstico é uma ferramenta valiosa para auxiliar a tomada

Leia mais

Palavras-chave: Acadêmicos. Planejamento. Recursos financeiros.

Palavras-chave: Acadêmicos. Planejamento. Recursos financeiros. FINANÇAS PESSOAIS: UM ESTUDO DE CASO COM ACADÊMICOS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FACULDADE LUTERANA RUI BARBOSA FALURB DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON PR ARAUJO, Gabriela Sabrine Rauber Discente do curso

Leia mais

ANÁLISE DO PONTO DE EQUILÍBRIO E INVESTIMENTO DE UMA FÁBRICA DE CASCÕES DE SORVETES

ANÁLISE DO PONTO DE EQUILÍBRIO E INVESTIMENTO DE UMA FÁBRICA DE CASCÕES DE SORVETES ANÁLISE DO PONTO DE EQUILÍBRIO E INVESTIMENTO DE UMA FÁBRICA DE CASCÕES DE SORVETES Cristina Raquel Reckziegel (FAHOR) cr000900@fahor.com.br Gezebel Marcela Bencke (FAHOR) gb000888@fahor.com.br Catia Raquel

Leia mais

IMPORTÂNCIA DE TER UM CONTROLE FINANCEIRO PESSOAL

IMPORTÂNCIA DE TER UM CONTROLE FINANCEIRO PESSOAL A IMPO RTÂNC IA DE TE R UM CONT ROLE FINAN CEIRO PESSO AL F U N D O Introdução É normal encontrar pessoas que imaginam não precisarem ter um controle financeiro pessoal, pois não ganham o suficiente para

Leia mais

12. Como é o caso de pensão por morte de quem ainda está contribuindo para a previdência?

12. Como é o caso de pensão por morte de quem ainda está contribuindo para a previdência? Tel: 0800 941 7738 1 Educação Financeira Esta Cartilha tem como abjetivo mostrar a importância da educação financeira e previdenciária aos advogados participantes da OABPrev-RJ para que possam organizar

Leia mais

M = C. (1 + (i. T)) Juros compostos:- Como calcular juros compostos: montante, capital inicial, fórmula, taxa, tempo, etc.

M = C. (1 + (i. T)) Juros compostos:- Como calcular juros compostos: montante, capital inicial, fórmula, taxa, tempo, etc. Material de Estudo para Recuperação 9 ano. Juros Simples O regime de juros será simples quando o percentual de juros incidirem apenas sobre o valor principal. Sobre os juros gerados a cada período não

Leia mais

GUIA INFORMATIVO - CARTÕES DE CRÉDITO

GUIA INFORMATIVO - CARTÕES DE CRÉDITO 2013 GUIA INFORMATIVO - CARTÕES DE CRÉDITO CARTÕES DE CRÉDITO Definição Cartão de crédito é modalidade de pagamento à vista, objeto de um contrato de adesão entre o consumidor e uma administradora de cartões,

Leia mais

Como ter mais dinheiro e mais tempo, segundo Gustavo Cerbasi e Christian Barbosa

Como ter mais dinheiro e mais tempo, segundo Gustavo Cerbasi e Christian Barbosa Seu Dinheiro Como ter mais dinheiro e mais tempo, segundo Gustavo Cerbasi e Christian Barbosa Mais do que garantir uma boa poupança ou otimizar a agenda, aprenda a juntar as duas coisas e fazer seu tempo

Leia mais

BANRIDICAS FINANCEIRAS. A sua cartilha sobre Educação Financeira

BANRIDICAS FINANCEIRAS. A sua cartilha sobre Educação Financeira BANRIDICAS FINANCEIRAS A sua cartilha sobre Educação Financeira Planejando seu orçamento Traçar planos e colocar tudo na ponta do lápis - não é tarefa fácil, mas também não é impossível. O planejamento

Leia mais

ETAPA DA DEFINIÇÃO DE OBJETIVOS

ETAPA DA DEFINIÇÃO DE OBJETIVOS Faculdade Salesiana Dom Bosco de Piracicaba Curso de Administração DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO FINANCEIRA PROF. ELISSON DE ANDRADE TEXTO 3: ETAPA DA DEFINIÇÃO DE OBJETIVOS Estrutura do texto 1 Traçando

Leia mais

Planejamento Financeiro

Planejamento Financeiro Planejamento Financeiro Planejamento financeiro é um processo Existe disponibilidade de recursos para isto? racional de administrar sua renda, seus investimentos, De onde virão os recursos para o crescimento

Leia mais

Mensagem do Administrador

Mensagem do Administrador Educação Financeira Índice 1. Mensagem do administrador... 01 2. O Cartão de crédito... 02 3. Conhecendo sua fatura... 03 4. Até quanto gastar com seu cartão... 07 5. Educação financeira... 08 6. Dicas

Leia mais

CARTILHA EDUCAÇÃO FINANCEIRA

CARTILHA EDUCAÇÃO FINANCEIRA CARTILHA EDUCAÇÃO FINANCEIRA ÍNDICE PLANEJANDO SEU ORÇAMENTO Página 2 CRÉDITO Página 12 CRÉDITO RESPONSÁVEL Página 16 A EDUCAÇÃO FINANCEIRA E SEUS FILHOS Página 18 PLANEJANDO SEU ORÇAMENTO O planejamento

Leia mais

REALIZAÇÃO: PARCERIA:

REALIZAÇÃO: PARCERIA: REALIZAÇÃO: PARCERIA: A partir de agora você descobrirá a importância do planejamento financeiro pessoal e familiar, aprenderá a lidar melhor com o seu dinheiro, controlar suas despesas e tomar decisões

Leia mais

Universidade Federal de Campina Grande Curso de Ciência da Computação Ciclo de Seminários Não Técnicos Aprenda a organizar suas finanças pessoais

Universidade Federal de Campina Grande Curso de Ciência da Computação Ciclo de Seminários Não Técnicos Aprenda a organizar suas finanças pessoais Universidade Federal de Campina Grande Curso de Ciência da Computação Ciclo de Seminários Não Técnicos Aprenda a organizar suas finanças pessoais Por Maria Isabel (isabel@dsc.ufcg.edu.br) 1 Sumário Objetivo

Leia mais

Cartilha Financeira. FinanSIAS. Programa de Educação Financeira e Previdenciária

Cartilha Financeira. FinanSIAS. Programa de Educação Financeira e Previdenciária Cartilha Financeira FinanSIAS Programa de Educação Financeira e Previdenciária Agosto - 2013 Índice 1. Apresentação 3 2. A SIAS 4 3. O que é Educação Financeira? 5 4. Qual a importância da Educação Financeira?

Leia mais

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 2: Como Poupar

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 2: Como Poupar Educação Financeira Crédito Consignado Módulo 2: Como Poupar Objetivo Dar dicas importantes para que nossos clientes consigam ter uma poupança e vivam com mais segurança e tranquilidade O conteúdo deste

Leia mais

PESQUISA EDUCAÇÃO FINANCEIRA. Orçamento Pessoal e Conhecimentos Financeiros

PESQUISA EDUCAÇÃO FINANCEIRA. Orçamento Pessoal e Conhecimentos Financeiros PESQUISA EDUCAÇÃO FINANCEIRA Orçamento Pessoal e Conhecimentos Financeiros Janeiro 2015 1. INTRODUÇÃO Quatro em cada dez consumidores consideram-se desorganizados financeiramente, mas sete em cada dez

Leia mais

O ENSINO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DOS JOVENS E ADULTOS EM UMA ABORDAGEM CTS 1. Educação Matemática na Educação de Jovens e Adultos GT 11

O ENSINO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DOS JOVENS E ADULTOS EM UMA ABORDAGEM CTS 1. Educação Matemática na Educação de Jovens e Adultos GT 11 O ENSINO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DOS JOVENS E ADULTOS EM UMA ABORDAGEM CTS 1 Educação Matemática na Educação de Jovens e Adultos GT 11 Ana Luiza Araujo COSTA anaepietro26@gmail.com Maria Simone

Leia mais

Como comprar o seu imóvel. Um jeito único de vender.

Como comprar o seu imóvel. Um jeito único de vender. Como comprar o seu imóvel Um jeito único de vender. NOSSA MISSÃO A Impacto Engenharia investe constantemente em um relacionamento mais estreito com seus clientes e assim oferece um jeito único de servir,

Leia mais

METODOLOGIA. Questões: 1 a 4 (sexo/faixa etária/escolaridade e renda mensal) Objetivo: traçar o perfil do usuário reclamante de cartão de crédito.

METODOLOGIA. Questões: 1 a 4 (sexo/faixa etária/escolaridade e renda mensal) Objetivo: traçar o perfil do usuário reclamante de cartão de crédito. INTRODUÇÃO O cartão de crédito é uma forma de pagamento muito utilizada no comércio convencional e, mais moderadamente, em compras eletrônicas. A praticidade, a ampla aceitação do mercado, a possibilidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Faculdade de Tecnologia Núcleo de Engenharia de Produção

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Faculdade de Tecnologia Núcleo de Engenharia de Produção UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Faculdade de Tecnologia Núcleo de Engenharia de Produção DIAGNÓSTICO DO PERFIL FINANCEIRO DOS MÉDICOS DE BRASÍLIA: Os principais motivos de seu endividamento. Bárbara barbara.magaldi@gmail.com

Leia mais

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010 Empregabilidade: uma análise das competências e habilidades pessoais e acadêmicas desenvolvidas pelos graduandos do IFMG - Campus Bambuí, necessárias ao ingresso no mercado de trabalho FRANCIELE CLÁUDIA

Leia mais

Projeto: O Crédito & o Endividamento do Consumidor de Baixa Renda. (Oportunidades & Riscos)

Projeto: O Crédito & o Endividamento do Consumidor de Baixa Renda. (Oportunidades & Riscos) Projeto: O Crédito & o Endividamento do Consumidor de Baixa Renda (Oportunidades & Riscos) 1 Histórico A TNS Interscience desenvolve regularmente Estudos Institucionais cujo objetivo é o de identificar

Leia mais

Os Segredos Para Atingir a Riqueza

Os Segredos Para Atingir a Riqueza Os Segredos Para Atingir a Riqueza Os Segredos para Atingir a Riqueza Alcides Antônio Maciel Neto Rafael Recidive Gonçalves 1ª Edição Uberlândia - MG 2015 Os Segredos para Atingir a Riqueza Antônio Maciel

Leia mais

RESULTADOS DE OUTUBRO DE 2013

RESULTADOS DE OUTUBRO DE 2013 1 RESULTADOS DE OUTUBRO DE 2013 Pesquisa realizada pelo Uni-FACEF em parceria com a Fe-Comércio mede o ICC (Índice de confiança do consumidor) e PEIC (Pesquisa de endividamento e inadimplência do consumidor)

Leia mais

Orientação Financeira

Orientação Financeira Orientação Financeira AGENDA Objetivo Finanças do brasileiro Planejamento Financeiro Consumo Consciente O que os bancos oferecem Leituras e Sites Sugeridos 3 4 10 20 24 36 3 OBJETIVO Orientar e Estimular

Leia mais

MISAEL COLLETA RIBEIRO. 1 Edição, Dezembro de 2014.

MISAEL COLLETA RIBEIRO. 1 Edição, Dezembro de 2014. 1 O CAMINHO PARA A INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA MISAEL COLLETA RIBEIRO Site: investimentosedinheiro.com.br E-mail: ebook@investimentosedinheiro.com.br Todos os direitos protegidos e reservados (Lei 9.610 de

Leia mais

INFORMAÇÕES BÁSICAS SOBRE CRÉDITO. Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil

INFORMAÇÕES BÁSICAS SOBRE CRÉDITO. Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil INFORMAÇÕES BÁSICAS SOBRE CRÉDITO Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Entradas a) contas à receber b) empréstimos c) dinheiro dos sócios

FLUXO DE CAIXA. Entradas a) contas à receber b) empréstimos c) dinheiro dos sócios FLUXO DE CAIXA É a previsão de entradas e saídas de recursos monetários, por um determinado período. Essa previsão deve ser feita com base nos dados levantados nas projeções econômico-financeiras atuais

Leia mais

VAMOS PLANEJAR... As três palavras mágicas para um bom planejamento financeiro...

VAMOS PLANEJAR... As três palavras mágicas para um bom planejamento financeiro... FASCÍCULO IV VAMOS PLANEJAR... Se você ainda não iniciou seu planejamento financeiro, é importante fazê-lo agora, definindo muito bem seus objetivos, pois, independentemente da sua idade, nunca é cedo

Leia mais

3 Metodologia. 3.1. Introdução

3 Metodologia. 3.1. Introdução 3 Metodologia 3.1. Introdução Este capítulo é dedicado à forma de desenvolvimento da pesquisa. Visa permitir, através da exposição detalhada dos passos seguidos quando da formulação e desenvolvimento do

Leia mais

Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa Lato Sensu em MBA Administração Financeira Trabalho de Conclusão de Curso

Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa Lato Sensu em MBA Administração Financeira Trabalho de Conclusão de Curso Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa Lato Sensu em MBA Administração Financeira Trabalho de Conclusão de Curso PLANEJAMENTO FINANCEIRO PESSOAL Uma reflexão sobre sua importância na Rede Particular

Leia mais

Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC

Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC Todas as linhas de crédito para pessoas jurídicas subiram. Para pessoas físicas, houve aumento nos juros do comércio,

Leia mais

Análise de Endividamento do Consumidor

Análise de Endividamento do Consumidor Belo Horizonte - 2015 A Análise Mensal do Endividamento do Consumidor traça o quadro de endividamento e inadimplência dos consumidores da capital. Essas informações são importantes porque englobam dados

Leia mais

TÍTULO: DE POUPADOR A INVESTIDOR DESPERTANDO O GÊNIO FINANCEIRO DE INVESTIDORES CONSERVADORES

TÍTULO: DE POUPADOR A INVESTIDOR DESPERTANDO O GÊNIO FINANCEIRO DE INVESTIDORES CONSERVADORES TÍTULO: DE POUPADOR A INVESTIDOR DESPERTANDO O GÊNIO FINANCEIRO DE INVESTIDORES CONSERVADORES CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE

Leia mais

MÓDULO 2 // ORÇAMENTO FAZ O EQUILÍBRIO A PARTIR DE 18 ANOS

MÓDULO 2 // ORÇAMENTO FAZ O EQUILÍBRIO A PARTIR DE 18 ANOS MÓDULO 2 // ORÇAMENTO FAZ O EQUILÍBRIO A PARTIR DE 18 ANOS MÓDULO 2 // BATE-BOLA FINANCEIRO O Bate-Bola Financeiro é um videogame educacional desenvolvido para ajudar estudantes a entenderem melhor os

Leia mais

Relatório de Seguridade

Relatório de Seguridade Relatório Fevereiro/2013 O relatório da área de seguridade tem por finalidade apresentar as principais atividades desenvolvidas no mês, informando os números e valores relativos ao período de fevereiro

Leia mais

ORÇAMENTO DOMÉSTICO COMO INSTRUMENTO CONTÁBIL DE APOIO AO PLANEJAMENTO FINANCEIRO DOMÉSTICO: CARACTERÍSTICAS E FATORES INTERVENIENTES

ORÇAMENTO DOMÉSTICO COMO INSTRUMENTO CONTÁBIL DE APOIO AO PLANEJAMENTO FINANCEIRO DOMÉSTICO: CARACTERÍSTICAS E FATORES INTERVENIENTES 1 ORÇAMENTO DOMÉSTICO COMO INSTRUMENTO CONTÁBIL DE APOIO AO PLANEJAMENTO FINANCEIRO DOMÉSTICO: CARACTERÍSTICAS E FATORES INTERVENIENTES Kelly do Rosário Lacerda Xavier 1 Luciana Margarete Mendes Rocha

Leia mais

COLÉGIO AFONSO PENA (www.colegioafonsopena.com.br) Página 1 EDUCAÇÃO FINANCEIRA. Educar os jovens, é formá-los cidadãos conscientes para o amanhã

COLÉGIO AFONSO PENA (www.colegioafonsopena.com.br) Página 1 EDUCAÇÃO FINANCEIRA. Educar os jovens, é formá-los cidadãos conscientes para o amanhã COLÉGIO AFONSO PENA (www.colegioafonsopena.com.br) Página 1 EDUCAÇÃO FINANCEIRA Educar os jovens, é formá-los cidadãos conscientes para o amanhã Novidades... O que é Educação Financeira? Dicas aos jovens

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PORTO ALEGRE - RS JULHO/2014 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela 3

Leia mais

NÍVEL DE EMPREGO, ESCOLARIDADE E RENDA NO RAMO DE ATIVIDADES FINANCEIRAS, SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS, DE CAMPO MOURÃO-PR.

NÍVEL DE EMPREGO, ESCOLARIDADE E RENDA NO RAMO DE ATIVIDADES FINANCEIRAS, SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS, DE CAMPO MOURÃO-PR. NÍVEL DE EMPREGO, ESCOLARIDADE E RENDA NO RAMO DE ATIVIDADES FINANCEIRAS, SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS, DE CAMPO MOURÃO-PR Área: ECONOMIA LOPES, Janete Leige PEREIRA, Kelli Patrícia PONTILI, Rosangela

Leia mais

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 1: Orçamento

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 1: Orçamento Educação Financeira Crédito Consignado Módulo 1: Orçamento Objetivo Conscientizar nossos clientes sobre a importância da organização financeira e do planejamento orçamentário como alicerce de conforto,

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PORTO ALEGRE - RS JANEIRO/2014 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela

Leia mais

Mundo das Especialidades Orçamento Familiar - Habilidades Domésticas - 06

Mundo das Especialidades Orçamento Familiar - Habilidades Domésticas - 06 Mundo das Especialidades Orçamento Familiar - Habilidades Domésticas - 06 Texto: Khelven Klay e Diagramação: Ranmaildo Revorêdo, Quem sabe você ainda não esteja muito habituado a ouvir palavras ligadas

Leia mais

A seguir demonstraremos os passos a serem seguidos para uma seleção adequada e que atenda as expectativas dos investidores:

A seguir demonstraremos os passos a serem seguidos para uma seleção adequada e que atenda as expectativas dos investidores: Como escolher um Fundo de Investimento (Suitability) Tão importante quanto conhecer os Fundos de Investimento oferecidos é conhecer o seu perfil de investimento. Feito isso, você poderá selecionar corretamente

Leia mais

Manual de. Educação Financeira. Dicas para planejar e poupar seu dinheiro. Cecreb MANUAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA

Manual de. Educação Financeira. Dicas para planejar e poupar seu dinheiro. Cecreb MANUAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA Manual de Educação Financeira MANUAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA Dicas para planejar e poupar seu dinheiro 1 A filosofia da Manual de Educação Financeira 2 Um dos princípios básicos das Cooperativas de Crédito

Leia mais

RESULTADOS DO PROJETO PILOTO

RESULTADOS DO PROJETO PILOTO RESULTADOS DO PROJETO PILOTO 1. INTRODUÇÃO O projeto piloto organizado pelo Centro de Pesquisas Rachid Mohamd Chibib sob a direção do Prof. Msc. Wagner Cardozo teve por objetivo analisar a composição de

Leia mais

Use bem o seu dinheiro

Use bem o seu dinheiro 1016323-6 - abr/2012 Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? No site www.itau.com.br/usoconsciente, você encontra vídeos, testes e informações para uma gestão financeira eficiente. Acesse

Leia mais

Planejamento Financeiro Pessoal

Planejamento Financeiro Pessoal Planejamento Financeiro Pessoal 1 Porque pensar no assunto? Você é uma pessoa livre? Tem certeza? De acordo com o dicionário, a palavra liberdade significa: Possibilidade que tem o indivíduo de exprimir-se

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG 26/09/2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS Estado de Goiás LEI N. 1.233, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1.993. O PREFEITO MUNICIPAL DE MORRINHOS,

PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS Estado de Goiás LEI N. 1.233, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1.993. O PREFEITO MUNICIPAL DE MORRINHOS, LEI N. 1.233, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1.993. Institui o Fundo Municipal de Saúde e da outras providencias.. O PREFEITO MUNICIPAL DE MORRINHOS, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito Municipal,

Leia mais

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04 Pesquisa de Opinião Pública sobre as Campanhas Educativas para o Trânsito & da I m a g e m I n s t i t u c i o n a l da CET- RIO Relatório de Pesquisa 2008 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 03 PRINCIPAIS RESULTADOS

Leia mais

TÍTULO: ESTUDO DOS GASTOS E ENDIVIDAMENTO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO DA FUNEC DE SANTA FÉ DO SUL/SP.

TÍTULO: ESTUDO DOS GASTOS E ENDIVIDAMENTO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO DA FUNEC DE SANTA FÉ DO SUL/SP. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: ESTUDO DOS GASTOS E ENDIVIDAMENTO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO DA FUNEC DE SANTA FÉ DO SUL/SP.

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DAS DISCIPLINAS DE CONTABILIDADE NA FORMAÇÃO DO GRADUANDO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS

CONTRIBUIÇÕES DAS DISCIPLINAS DE CONTABILIDADE NA FORMAÇÃO DO GRADUANDO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS 6.00.00.00-7 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS 6.02.00.00-6 ADMINISTRAÇÃO CONTRIBUIÇÕES DAS DISCIPLINAS DE CONTABILIDADE NA FORMAÇÃO DO GRADUANDO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS ADONILTON ALMEIDA DE SOUZA Curso

Leia mais

FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA INDRA FRANCO BOVI

FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA INDRA FRANCO BOVI FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA INDRA FRANCO BOVI SOCORRO 2011 FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA

Leia mais

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00.

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00. ESPE/Un SERE 2013 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento válido para

Leia mais

Planejamento Financeiro

Planejamento Financeiro Planejamento Financeiro Geralmente quando um consultor é chamado a socorrer uma empresa, ele encontra, dentre outros, problemas estruturais, organizacionais, de recursos humanos. O problema mais comum

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC CAMPO GRANDE - MS JANEIRO/2015 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela

Leia mais