Estudo dietético dos Cereais e Amido.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estudo dietético dos Cereais e Amido."

Transcrição

1 FACULDADE DE NUTRIÇÃO TÉCNICA DIETÉTICA E GASTRONOMIA Estudo dietético dos Cereais e Amido.

2 Estudo Dietético dos Cereais Constituem grupo de alimentos usados desde as mais antigas civilizações em função da facilidade de cultivo, conservação, alto valor nutricional e baixo custo. Elevado teor calórico (70-80% de carboidratos): uma das mais importantes fontes de energia Ótima aceitação e digestibilidade Baixo teor protéico (10%)

3 Estudo Dietético dos Cereais São grãos que provém das Gramíneas, cuja as sementes dão em forma de espiga. Os principais cereais cultivados: arroz, trigo, milho, aveia, centeio, cevada triticale.

4 Estrutura do Grão: Amido, proteínas de baixo valor biológico; Casca e películas envolventes rica em celulose, minerais e vitaminas (complexo B) Germe (características genéticas) fonte de gordura, proteína de BVB, vitaminas lipossolúveis ( Vit E).

5 Valor Nutricional: Fontes de: - Carboidratos (70%), - Proteínas (10%) - Vitaminas (tiamina, riboflavina e niacina). - Minerais (potássio,fósforo, ferro, magnésio e cálcio) - Lipidios (2 a 5%)ácidos palmiticos, oleicos e linoleicos Os Cereais integrais ainda são ricos em fibras e minerais São deficientes em aminoácidos lisina, treonina e triptofano. Tal deficiência pode ser compensada com a combinação de alimentos. Ex.: 2 Arroz + 1 Feijão Metionina + Lisina Fonte protéica em regiões de subdesenvolvimento.

6 Glúten É uma proteína, insolúvel em água, presente no trigo, aveia, centeio e cevada composta por gliadina e glutanina que quando misturado em água forma um complexo elástico responsável pela elasticidade na produção de pães. Possibilita a retenção de CO 2 para o crescimento A ANVISA exige que seja informado, no rótulo, que o alimento contém glúten, porque algumas pessoas têm alergia a essa proteína (doença celíaca).

7 Dieta na doença celíaca Massas Empadas Pães Bolos Cereais integrais Biscoitos Salgadinhos

8 Dieta na doença celíaca (malte fermentação da cevada) Alimentos infantis Bebidas c/ malte ou cevada Caldos e sopas MEDICAMENTOS AMBIENTE E UTENSÍLIOS

9 Carboidrato dos cereais -Amido Polissacarídeo constituído por unidades de glicose; 70% do peso total do grão; Apresenta-se na forma de grânulos, de cor branca, insolúvel em água, sem sabor, encontrado no endosperma dos cereais; Encontrados sob forma: Amilopectina: cadeias são altamente ramificadas; Amilose: cadeias são retas (linear)

10 Amido Amilopectina: forma gel transparente, pegajoso, menos consistente. Amilose: forma gel opaco, maleável, gelatinoso.

11 Propriedades tecnológicas do amido GELATINIZAÇÃO DEXTRINIZAÇÃO RETROGRADAÇÃO GELATINIZAÇÃO: É a dilatação dos grânulos de amido quando submetidos à cocção por calor úmido (aumento de volume) Temperatura máxima de gelatinização= 95ºC Ex: mingau de aveia, papa de amido de milho, arroz cozido

12 Propriedades do amido DEXTRINIZAÇÃO: hidrólise do amido devido ao aquecimento prolongado Ocorre rompimento da membrana que envolve os grãos de amido e liberação da dextrina (subs. Semi-solúvel) Ex: farinha de mandioca aquecida

13 Propriedades do amido RETROGRADAÇÃO: Durante a cocção, em presença a líquidos quentes o amido o absorve e gelatiniza, porém quando esfria, volta a condição inicial de ser insolúvel e expulsa a água para fora (fenômeno conhecido como sinerese). Ex. Molhos e flans.

14 Elementos que interferem na propriedade do amido Efeito do ácido Ação do Açúcar e sal Ação das gorduras

15 Elementos que interferem na propriedade do amido Efeito do ácido: Ácido: reduz o engrossamento. Ele hidrolisa parcialmente as moléculas de amido diminuindo sua capacidade de engrossar. Receitas devem conter maior quantidade de farinha.

16 Elementos que interferem nas propriedades do amido Adição de Açúcar e sal : Amacia o gel e torna-o mais transparente. Em excesso: impede a formação do gel produzindo uma mistura fluída e melosa

17 Elementos que interferem nas propriedades do amido Adição de Gorduras: Retardam ou impedem o inchaço dos grãos. É usada para melhorar a textura, evitando a formação de grânulos na hidratação Aumenta o tempo de prateleira dos pães.

18 AMIDO RESISTENTE Amido resistente é definido como a soma do amido e seus produtos de degradação que não são absorvidos no intestino delgado de indivíduos sadios. Por ser resistente às enzimas digestivas e não ser absorvido no intestino, o amido resistente tem baixo valor calórico e se caracteriza por efeitos fisiológicos semelhantes ao das Fibras Alimentares, sendo freqüentemente considerada como tal.

19 Amidos modificados Amido pré-gelatinizado- utilizados na industria de alimentos como espessantes e para controlar a perda de água em sopas, mingaus instantâneos e pudins; Açúcar do amido de milho- Amido dextrinizado- Submetido acima de 150ºC em calor seco, fica desidratado e amarelo. A farinha dextrinizada é utilizada na alimentação infantil por ser de mais fácil digestão e p/ espessar os molhos, melhorando as caracteristicas sensoriais.

20 CARACTERÍSTICAS DOS CEREIAS

21 Milho (Zea mays) Não contém glúten; Alimento rico em fibras por conservar a sua casca; É constituído de carboidratos, proteínas (BVB), vitaminas (A e complexo B), sais minerais (Fe, P, K, Ca) e celulose; Pode ser servido fresco, é a base de uma grande variedade de alimentos, inclusive pipoca, cereais em flocos, polenta, bolos, etc. O óleo de milho é rico em AG polinsaturados (palmítico (12%), esteárico (2%), oléico (27%), linoléico- W6 (55%), linolênico- W3(0,8%)).

22 Trigo

23 Trigo É uma gramínea, do gênero Triticum. Proteína (18%) deficiente em leucina, alanina e treonina É o segundo cereal mais rico em proteína e o que tem mais glúten; Durante a moagem, o farelo e o gérmen são removidos fazendo com que o produto final seja menos nutritivo que a farinha de trigo integral. Estes nutrientes não estão presentes no trigo refinado, já que 80% das vitaminas (Vit. E), e dos minerais desaparecem com a refinação, assim como 93% das fibras.

24 Arroz (Oryza sativa) No Brasil, a classificação é regulamentada pelo Ministério da Agricultura em: Tipo 1 com menor percentagem de grãos quebrados; Tipo 2 com maior percentagem de grãos quebrados.

25 Arroz (tipos) Arroz Polido (arroz branco); Arroz Parboilizado (grãos longos submetido a cocção sob pressão antes do beneficiamento); VANTAGENS: Maior valor nutritivo; Maior rendimento.

26 Arroz (tipos) Arroz Instantâneo (cozido após o beneficiamento e retirado a umidade); Arroz Selvagem ( gramínea aquática de sementes escuras); Arroz Integral ( removido apenas a casca permanecendo o farelo); Arroz Arbóreo (italiano, servido al dente, utilizado no preparo de rizotos).

27 Arroz (tipos) - Arroz preto: (pigmento antocianina presente no pericarpo, na película da semente e na fibra exterior do grão). - A película que envolve o grão do arroz integral preto (farelo) é rica em carboidratos, óleos, proteínas, compostos fenólicos, fibras, cobalto, vitaminas: A, B1, B2, B6, B12, niacina, ácido nicotínico, ácido pantotênico, pró-vitaminas C e E.

28 Aveia Grãos da espécie Avena, sendo as três mais conhecidas: Avena sativa, Avena steritis, Avena strigosa. Rica em fibras, vitaminas do complexo B, Vitamina E, cálcio, fósforo, ferro e proteínas.

29 Aveia Pode ser ingerida sob a forma de flocos, farinha (biscoito e mingaus). Apresentar-se como ingrediente de sopas, caldos, tortas, bolos e pães. O farelo de aveia tem alto teor de fibras solúveis que ajudam a baixar os níveis de colesterol no sangue e controle do funcionamento do intestino grosso.

30 Cevada Grão rico em Ca, P e K. Era utilizado na preparação de pão, antes do conhecimento do trigo. Hoje a cevada é utilizada principalmente no preparo da cerveja. Pode ser consumida cozida ou como mingau, infusão com grão torrado e moído em substituição ao café.

31 Triticale Cereal híbrido, proveniente do cruzamento entre o trigo e o centeio. É rico em lisina, metionina e cistina e algumas variedades são ricas em proteínas. Utilizado principalmente na alimentação de animais

32 Armazenamento Em local seco e arejado, protegido da luz solar sobre estrados e em temperatura ambiente (25ºC). O controle da umidade, temperatura e embalagem é muito importante para não haver perdas, pricipalmente de vitaminas

33 Digestibilidade Depende do grau de fracionamento dos grãos e do método de cocção. As Farinhas têm maior digestibilidade do que os grãos integrais (celulose).

34 Tratamento térmico Amolecimento dos componentes das paredes celulares; Gelatinização do amido: proporção de água, temperatura e tempo de cocção, tamanho das partículas do cereal, qualidade, espécie e variedade e parte do grão utilizado;

35 Tratamento térmico Cocção do arroz: grãos tenros e polpudos; fofos e soltos Refogar: provoca a dextrinização de parte do amido presente na camada externa dos grãos.

36 Referência bibliográfica PHILIPPI, Sônia Tucunduva, NUTRIÇÃO E TÉCNICA DIETÉTICA 2 a Edição, Editora Manole, 2006 pág 40-46; ORNELLAS, L. H., TÉCNICA DIETÉTICA: SELEÇÃO E PREPARO DE ALIMENTOS 6 A Edição, Ed. Atheneu, 1995 GAVA, A. J., PRINCÍPOS DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS Editora Nobel

Os cereais. Trigo Arroz Centeio Milho Aveia Cevada Sorgo

Os cereais. Trigo Arroz Centeio Milho Aveia Cevada Sorgo Trigo Arroz Centeio Milho Aveia Cevada Sorgo O que são Cereais Integrais? São cereais que não foram processados. Consistem no gérmen, endosperma e casca. Endosperma: Constitui aproximadamente 83% do peso

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Ciência e Tecnologia de Alimentos Departamento de Tecnologia de Alimentos

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Ciência e Tecnologia de Alimentos Departamento de Tecnologia de Alimentos Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Ciência e Tecnologia de Alimentos Departamento de Tecnologia de Alimentos Tecnologia de Produtos de Origem Vegetal Cereais & Farinhas Prof. Alex Augusto

Leia mais

Profª. Celeste Viana CEREAIS E DERIVADOS, RAÍZES E TUBÉRCULOS

Profª. Celeste Viana CEREAIS E DERIVADOS, RAÍZES E TUBÉRCULOS Profª. Celeste Viana CEREAIS E DERIVADOS, RAÍZES E TUBÉRCULOS CEREAIS Cevada, centeio, milho, arroz, trigo TRIGO Grão de trigo composto de várias camadas Endocarpo Pericarpo Maior exigência com a aparência

Leia mais

Promotores: 23 a 25 de fevereiro de 2012

Promotores: 23 a 25 de fevereiro de 2012 Promotores: 23 a 25 de fevereiro de 2012 Apoio: Prefeitura Municipal e Câmara de Vereadores de Restinga Sêca 23 a 25 de fevereiro de 2012 ASPECTOS NUTRICIONAIS DE PRODUTOS DERIVADOS DO ARROZ Informações

Leia mais

HÁBITOS ALIMENTARES. Normalmente são alimentos saudáveis, os mais próximos do seu estado natural/integral.

HÁBITOS ALIMENTARES. Normalmente são alimentos saudáveis, os mais próximos do seu estado natural/integral. HÁBITOS ALIMENTARES O hábito alimentar saudável deve ser formado e ensinado na infância, assim fica mais fácil de ser mantido. Consuma frutas, verduras e legumes desde cedo e estimule o consumo de alimentos

Leia mais

ALIMENTAÇÃO. Benefícios do arroz. Dr. Fernando Lucchese

ALIMENTAÇÃO. Benefícios do arroz. Dr. Fernando Lucchese ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Benefícios do arroz Dr. Fernando Lucchese DIETA Significa... ESTILO DE VIDA! Fatores que prolongam a vida Assistência Médica M 10% Genética 17% Meio Ambiente 20% Estilo de Vida 53%

Leia mais

VALOR NUTRITIVO DA CARNE

VALOR NUTRITIVO DA CARNE VALOR NUTRITIVO DA CARNE Os alimentos são consumidos não só por saciarem a fome e proporcionarem momentos agradáveis à mesa de refeição mas, sobretudo, por fornecerem os nutrientes necessários à manutenção

Leia mais

Leguminosas e cereais

Leguminosas e cereais Leguminosas e cereais Objectivos: Descrever a estrutura de sementes de monocotiledóneas e de dicotiledóneas. Indicar os principais cereais usados como matérias primas alimentares. Descrever os processos

Leia mais

Alimentação da vaca leiteira

Alimentação da vaca leiteira Alimentação da vaca leiteira A exploração leiteira consiste em atividade de converter recursos alimentares em leite, cujo valor agregado é superior a matéria-prima original. Recursos alimentares: Volumosos

Leia mais

Fibras e seus Benefícios! Tipos de Farinhas! Coordenadora e Nutricionista Felícia Bighetti Sarrassini - CRN 10664

Fibras e seus Benefícios! Tipos de Farinhas! Coordenadora e Nutricionista Felícia Bighetti Sarrassini - CRN 10664 Fibras e seus Benefícios! & Tipos de Farinhas! Coordenadora e Nutricionista Felícia Bighetti Sarrassini - CRN 10664 * Fibras: Definição: Fibras referem a parte dos vegetais (frutas, verduras, legumes,

Leia mais

VEGESOY ISOLATED. Proteína Isolada da Soja. Informações Técnicas

VEGESOY ISOLATED. Proteína Isolada da Soja. Informações Técnicas Informações Técnicas VEGESOY ISOLATED Proteína Isolada da Soja INTRODUÇÃO A soja é uma planta leguminosa que está na cadeia alimentar há 5 mil anos e tem sido parte essencial da dieta asiática há muitos

Leia mais

Valores diários recomendados de nutrientes, vitaminas e minerais.

Valores diários recomendados de nutrientes, vitaminas e minerais. Conteúdo Valores diários recomendados de nutrientes, vitaminas e minerais.... 2 Como ler os rótulos dos alimentos... 5 Dose de produto... 7 Calorias... 7 Quantidade de nutrientes... 8 Explicação da quantificação

Leia mais

O que são e para que servem os produtos Diet, Light, Zero e Cia? Tipos de açúcares e adoçantes!

O que são e para que servem os produtos Diet, Light, Zero e Cia? Tipos de açúcares e adoçantes! O que são e para que servem os produtos Diet, Light, Zero e Cia? Tipos de açúcares e adoçantes! Coordenadora e Nutricionista Felícia Bighetti Sarrassini - CRN 10664 * Alimentos Diet: Alimento dietético

Leia mais

RAÇÕES PARA PEIXES: FATORES NUTRICIONAIS IMPORTANTES E IMPACTOS NOS RESULTADOS. Silvia Pastore - M.Sc. V Aquishow Agosto/2014

RAÇÕES PARA PEIXES: FATORES NUTRICIONAIS IMPORTANTES E IMPACTOS NOS RESULTADOS. Silvia Pastore - M.Sc. V Aquishow Agosto/2014 RAÇÕES PARA PEIXES: FATORES NUTRICIONAIS IMPORTANTES E IMPACTOS NOS RESULTADOS Silvia Pastore - M.Sc. V Aquishow Agosto/2014 Perguntas frequentes 1. As rações são todas iguais? 2. Como diferenciar as rações

Leia mais

Recuperação. Células tecidos órgãos sistemas. - As células são as menores unidades vivas e são formadas por três regiões:

Recuperação. Células tecidos órgãos sistemas. - As células são as menores unidades vivas e são formadas por três regiões: Recuperação Capítulo 01 - Níveis de organização Células tecidos órgãos sistemas - As células são as menores unidades vivas e são formadas por três regiões: A- Membrana Plasmática - Revestimento da célula;

Leia mais

Intestino delgado. Intestino grosso (cólon)

Intestino delgado. Intestino grosso (cólon) As fibras alimentares estão presentes nos alimentos de origem vegetal, englobando um conjunto de compostos que não podem ser digeridos pelas enzimas do nosso sistema gastrointestinal, não sendo por isso

Leia mais

Como produzir suínos sem milho?

Como produzir suínos sem milho? Página 1 de 8 Como produzir suínos sem milho? Curtir Cadastre-se para ver do que seus amigos gostam. Luiz Fernando Teixeira Albino Professor Titular DZO/UFV Viçosa, MG Fernando de Castro Tavernari Pesquisador

Leia mais

RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE.

RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE. RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE. 1. DOENÇA CELIACA É uma doença que causa inflamações nas camadas da parede do intestino delgado,

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DOS PRINCIPAIS ALIMENTOS UTILIZADOS NA DIETA DOS ANIMAIS

CARACTERIZAÇÃO DOS PRINCIPAIS ALIMENTOS UTILIZADOS NA DIETA DOS ANIMAIS CARACTERIZAÇÃO DOS PRINCIPAIS ALIMENTOS UTILIZADOS NA DIETA DOS ANIMAIS Alimentos Energéticos < 20 % PB na MS MILHO (Zea mays) Representa cerca de 60 a 70% da dieta dos monogástricos. Contém cerca de 9%

Leia mais

Os Cereais na Dieta Mediterrânica Património Cultural

Os Cereais na Dieta Mediterrânica Património Cultural Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I.P. Os Cereais na Dieta Mediterrânica Património Cultural Carla Moita Brites Lisboa, 13 Dezembro 2013 CONTEXTO DIETA MEDITERRÂNICA Dieta é um

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia SUPRIMENTOS NA GASTRONOMIA TIPOS DE SUPRIMENTOS E A QUALIDADE DA. 2- Leguminosas, farináceos e cereais

Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia SUPRIMENTOS NA GASTRONOMIA TIPOS DE SUPRIMENTOS E A QUALIDADE DA. 2- Leguminosas, farináceos e cereais Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia SUPRIMENTOS NA GASTRONOMIA TIPOS DE SUPRIMENTOS E A QUALIDADE DA MATÉRIA - PRIMA 2- Leguminosas, farináceos e cereais SUPRIMENTOS NA GASTRONOMIA - - São sementes

Leia mais

Fundamentos de Agronomia

Fundamentos de Agronomia Fundamentos de Agronomia Uso da casca de Arroz para produção de Energia Térmica e Elétrica. Bruno Farias Daiane Casarin Milton Fábrica Renan Fontoura Casca de Arroz Ibamaembarga e autua depósito de casca

Leia mais

Granola Soft. Benefícios

Granola Soft. Benefícios Granola Soft A granola é um mix de cereais, castanhas e frutas secas que contêm vitaminas, proteínas, nutrientes, muitas fibras e outros componentes importantes para o equilíbrio do organismo e para controle

Leia mais

O manipulador de alimentos tem que conferir todas as informações do rótulo?

O manipulador de alimentos tem que conferir todas as informações do rótulo? Os consumidores têm o direito de conhecer as características e a composição nutricional dos alimentos que adquirem. A legislação nacional estabelece algumas normas para registro dessas informações na rotulagem

Leia mais

3ªsérie B I O L O G I A

3ªsérie B I O L O G I A 3.1 QUESTÃO 1 Três consumidores, A, B e C, compraram, cada um deles, uma bebida em embalagem longa vida, adequada às suas respectivas dietas. As tabelas abaixo trazem informações nutricionais sobre cada

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NO DESEMPENHO DAS AVES POEDEIRAS

IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NO DESEMPENHO DAS AVES POEDEIRAS IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NO DESEMPENHO DAS AVES POEDEIRAS ALEXANDRE DA SILVA SECHINATO Médico veterinário Pesquisador Tortuga Cia Zootecnica Agrária INTRODUÇÃO Ovo é um excelente alimento Alimento completo

Leia mais

QUÍMICA CELULAR NUTRIÇÃO TIPOS DE NUTRIENTES NUTRIENTES ENERGÉTICOS 4/3/2011 FUNDAMENTOS QUÍMICOS DA VIDA

QUÍMICA CELULAR NUTRIÇÃO TIPOS DE NUTRIENTES NUTRIENTES ENERGÉTICOS 4/3/2011 FUNDAMENTOS QUÍMICOS DA VIDA NUTRIÇÃO QUÍMICA CELULAR PROFESSOR CLERSON CLERSONC@HOTMAIL.COM CIESC MADRE CLÉLIA CONCEITO CONJUNTO DE PROCESSOS INGESTÃO, DIGESTÃO E ABSORÇÃO SUBSTÂNCIAS ÚTEIS AO ORGANISMO ESPÉCIE HUMANA: DIGESTÃO ONÍVORA

Leia mais

Milho: o grão que vale ouro nas dietas de aves... mas que ainda não recebeu a devida importância do setor produtivo

Milho: o grão que vale ouro nas dietas de aves... mas que ainda não recebeu a devida importância do setor produtivo Milho: o grão que vale ouro nas dietas de aves...... mas que ainda não recebeu a devida importância do setor produtivo Gustavo J. M. M. de Lima 1 1 Eng.Agr o., Ph.D., Embrapa Suínos e Aves, gustavo@cnpsa.embrapa.br.

Leia mais

CURSO DE GASTRONOMIA Disciplina : matérias primas Conceito e Tipo de Matéria Prima

CURSO DE GASTRONOMIA Disciplina : matérias primas Conceito e Tipo de Matéria Prima CURSO DE GASTRONOMIA Disciplina : matérias primas Conceito e Tipo de Matéria Prima Profª. Nensmorena Preza ALIMENTO Toda substância ou mistura de substâncias, no estado sólido, líquido, pastoso ou qualquer

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CONCEITOS NUTRICIONAIS EM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

AVALIAÇÃO DE CONCEITOS NUTRICIONAIS EM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL AVALIAÇÃO DE CONCEITOS NUTRICIONAIS EM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL GEORG, Raphaela de Castro; MAIA, Polyana Vieira. Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás rcgeorg@gmail.com Palavras

Leia mais

Conheça 30 superalimentos para mulheres Dom, 02 de Dezembro de 2012 11:28 - Última atualização Dom, 02 de Dezembro de 2012 11:35

Conheça 30 superalimentos para mulheres Dom, 02 de Dezembro de 2012 11:28 - Última atualização Dom, 02 de Dezembro de 2012 11:35 Manter a saúde, deixar a barriga sarada e aumentar a energia são benefícios que podem ser conquistados com a escolha correta dos alimentos. Alguns itens colaboram para ter ossos fortes, queimar gordura,

Leia mais

O consumidor deve estar atento às informações do rótulo?

O consumidor deve estar atento às informações do rótulo? Os consumidores têm o direito de conhecer as características e a composição nutricional dos alimentos que adquirem. A legislação nacional estabelece algumas normas para registro dessas informações na rotulagem

Leia mais

Poderosa farinha. Matéria de Capa Revista Vida Natural e Equilíbrio Editora Escala Dezembro / Edição 44-2010

Poderosa farinha. Matéria de Capa Revista Vida Natural e Equilíbrio Editora Escala Dezembro / Edição 44-2010 Matéria de Capa Revista Vida Natural e Equilíbrio Editora Escala Dezembro / Edição 44-2010 Poderosa farinha Seguindo a tendência dos alimentos em pó, o coco não poderia ficar de fora. A farinha da fruta

Leia mais

Gastronomia sem glúten e leite

Gastronomia sem glúten e leite Gastronomia sem glúten e leite Glúten Nut. Bianca Araujo de Oliveira CRN-2351 Glúten Glúten conjunto de proteínas individuais que se encontram nos cereais e se dividem em poliaminas e gluteninas. 1 Fontes

Leia mais

LEITE UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CURSO DE GRADUAÇAO EM NUTRIÇÃO DISCIPLINA DIETÉTICA I CONCEITO

LEITE UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CURSO DE GRADUAÇAO EM NUTRIÇÃO DISCIPLINA DIETÉTICA I CONCEITO UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CURSO DE GRADUAÇAO EM NUTRIÇÃO DISCIPLINA DIETÉTICA I CONCEITO LEITE O leite é o produto da secreção das glândulas mamárias dos mamíferos. CARACTERÍSTICAS FÍSICAS O leite é

Leia mais

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final Laís Cruz Nutricionista CRN 3 18128 2013 Período de transição entre infância e vida adulta (dos 10 aos 19 anos de idade) Muitas transformações físicas, psicológicas e sociais Acelerado crescimento e desenvolvimento:

Leia mais

Receitas com Linhaça. Rede Mundo Verde Ano 1 Livro 4

Receitas com Linhaça. Rede Mundo Verde Ano 1 Livro 4 Receitas com Linhaça A linhaça é um alimento capaz de proporcionar inúmeros benefícios, nas mais diversas fases da vida. Utilizada no Oriente desde a antiguidade a linhaça já era sinônimo de proteção.

Leia mais

SUMÁRIO MÓDULO 6 ALIMENTOS E NUTRIENTES ATIVIDADE 1 (PÁGINA 221)

SUMÁRIO MÓDULO 6 ALIMENTOS E NUTRIENTES ATIVIDADE 1 (PÁGINA 221) 1 SUMÁRIO Módulo 6 Alimentos e nutrientes... 1 Atividade 1 (página 221)... 1 Atividade 2 (página 228)... 1 Atividade 3 (página 229)... 2 Em Casa (pagina 231)... 3 Módulo 7 O processo de digestão I... 4

Leia mais

VITAMINAS. Valores retirados de Tabela da composição de Alimentos. Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge

VITAMINAS. Valores retirados de Tabela da composição de Alimentos. Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge PELO SEU BEM ESTAR Tem alto teor de Proteína; é rico em Cálcio, Fósforo e Vitamina B12; fonte de Vitaminas A, E e B2. Valores de referência do requeijão com 13% proteína Energia (Kcal) 187 Proteína (g)

Leia mais

Uma dieta vegetariana fornece todos os tipos de proteínas necessários para uma alimentação saudável.

Uma dieta vegetariana fornece todos os tipos de proteínas necessários para uma alimentação saudável. Proteínas Sementes: linhaça, abóbora, girassol. Grãos: ervilhas, feijões, lentilhas, amendoins, grão de bico, soja, além de nozes, amêndoas, Castanha-do-pará, castanhas de caju. Cereais: trigo (pães, massa),

Leia mais

Qualidade e valor nutricional da carne de coelho. Óscar Cerqueira Nutricionista ACES Douro I

Qualidade e valor nutricional da carne de coelho. Óscar Cerqueira Nutricionista ACES Douro I Qualidade e valor nutricional da carne de coelho Óscar Cerqueira Nutricionista ACES Douro I Vila Real, 25 de Novembro de 2011 Proteínas Funções das proteínas. Aminoácidos; aminoácidos essenciais. Valor

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA CELÍACA

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA CELÍACA O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA CELÍACA 2 O QUE É GLÚTEN? É um conjunto de proteínas presente no Trigo, Aveia, Centeio, Cevada, e no Malte, que são cereais muito utilizados na composição de alimentos,

Leia mais

Desenvolvimento e aceitabilidade de bisnaguinha enriquecida com farinhas de arroz integral e cenoura

Desenvolvimento e aceitabilidade de bisnaguinha enriquecida com farinhas de arroz integral e cenoura VII Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí VII Jornada Científica e I Mostra de Extensão 21 a 23 de outubro de 2014 Desenvolvimento e aceitabilidade de bisnaguinha enriquecida com farinhas

Leia mais

Processos Fermentativos

Processos Fermentativos CONCEITOS Reações químicas x Reações Bioquímicas Processos químicos: Realizado entre compostos químicos usando-se catalisadores químicos. Processos Enzimáticos: Transformação química realizada por catalisadores

Leia mais

INTRODUÇÃO À DIETÉTICA

INTRODUÇÃO À DIETÉTICA INTRODUÇÃO À DIETÉTICA A Dietética é a disciplina que estuda as operações a que são submetidos os alimentos após a cuidadosa seleção e as modificações que os mesmos sofrem durante os processos culinários.

Leia mais

Guia. Nutricional. para gestantes

Guia. Nutricional. para gestantes Referências bibliográficas consultadas: 1. Committee on Nutritional Status During Pregnancy and Lactation, Institute of Medicine. Nutrition During Pregnancy: Part I: Weight Gain, Part II: Nutrient Supplements.

Leia mais

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade I: BRASILEIRA 0 Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA O Guia Alimentar é um instrumento que define as diretrizes alimentares a serem utilizadas

Leia mais

Características dos Ovos

Características dos Ovos Características dos Ovos Miryelle Freire Sarcinelli 1 (e-mail: miryelle@hotmail.com) Katiani Silva Venturini 1 (e-mail: katiani_sv@hotmail.com) Luís César da Silva 2 (website: www.agais.com) 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ Prova elaborada

Leia mais

Nutrição completa para equinos. Linha Equinos. Rações Suplementos Minerais

Nutrição completa para equinos. Linha Equinos. Rações Suplementos Minerais Nutrição completa para equinos Linha Equinos Rações Suplementos Minerais Confiança, Tecnologia, Qualidade e Resultado Estes são os ingredientes que fazem a diferença dos produtos Fanton. Há mais de 25

Leia mais

Linhas gerais da fabricação do saquê

Linhas gerais da fabricação do saquê Resultados da aprendizagem Linhas gerais do conhecimento de como fazer saquê. Consulte o Capítulo 8 para detalhes das diferenças entre os tipos. Conhecimento de Koji e seu papel Conhecimento de shubo /

Leia mais

Função orgânica nossa de cada dia. Profa. Kátia Aquino

Função orgânica nossa de cada dia. Profa. Kátia Aquino Função orgânica nossa de cada dia Profa. Kátia Aquino Vamos analisar! Funções Carboidratros (ou Glicídios) Energética: eles são os maiores fornecedores de energia para os seres vivos, principalmente a

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Panificação. Alimentos. Subprodutos. Introdução

PALAVRAS-CHAVE Panificação. Alimentos. Subprodutos. Introdução 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

CONSERVAÇÃO DO PÃO E A CONFEITARIA

CONSERVAÇÃO DO PÃO E A CONFEITARIA CONSERVAÇÃO DO PÃO E A CONFEITARIA (Francisco Tejero) Conseguir que o pão de fôrma e os produtos de confeitaria se mantenham o máximo de tempo frescos, é o objetivo de todos os padeiros. Isto depende do

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA MELHORAR SINTOMAS DA TPM

ORIENTAÇÕES PARA MELHORAR SINTOMAS DA TPM ORIENTAÇÕES PARA MELHORAR SINTOMAS DA TPM As mulheres sofrem durante a tensão pré-menstrual, seja por causa de cólicas, dores de cabeça ou compulsão alimentar. Mas, sempre podemos fazer com que tudo seja

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIV OS:

JUSTIFICATIVA OBJETIV OS: JUSTIFICATIVA Para termos um corpo e uma mente saudável, devemos ter uma alimentação rica em frutas, verduras, legumes, carnes, cereais, vitaminas e proteínas. Sendo a escola um espaço para a promoção

Leia mais

Alimentação infantil Dicas para emagrecer

Alimentação infantil Dicas para emagrecer Alimentação infantil Dicas para emagrecer 01 Introdução Alimentar-se é fonte de prazer, mas, primeiramente, fonte de energia e nutrientes para o organismo. Quando se fala em dieta ou disciplina alimentar

Leia mais

ROTEIRO: AULA PRÁTICA DE BARRAS DE CEREAIS Disciplina: Técnica Dietética I e II. Local: laboratório de nutrição Professora Sulamita Bilezikdjian

ROTEIRO: AULA PRÁTICA DE BARRAS DE CEREAIS Disciplina: Técnica Dietética I e II. Local: laboratório de nutrição Professora Sulamita Bilezikdjian SOCIEDADE ACADEMICA AMPARENSE S/C LTDA. FACULDADE DO LITORAL SUL Rua Oscar Yoshiaki Magário, s/n Jardim das Palmeiras CEP: 11900-000 Registro(SP) (13) 6821-6122 - Site: www.scelisul.com.br - e-mail nutricao@scelisul.com.br

Leia mais

NUTRIÇÃO DO CAVALO ATLETA

NUTRIÇÃO DO CAVALO ATLETA NUTRIÇÃO DO CAVALO ATLETA Fernando Queiroz de Almeida Instituto de Veterinária Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro EQUINOS (Equus caballus) Herbívoros não-ruminantes Pastejadores Gramíneas, leguminosas

Leia mais

COMPOSIÇÃO QUÍMICA DA CARNE. Profª Sandra Carvalho

COMPOSIÇÃO QUÍMICA DA CARNE. Profª Sandra Carvalho COMPOSIÇÃO QUÍMICA DA CARNE Profª Sandra Carvalho A carne magra: 75% de água 21 a 22% de proteína 1 a 2% de gordura 1% de minerais menos de 1% de carboidratos A carne magra dos diferentes animais de abate

Leia mais

Vida bem estar. Menu Semanal e Lista de Compras. Para uma alimentação saudável!

Vida bem estar. Menu Semanal e Lista de Compras. Para uma alimentação saudável! Vida bem estar Menu Semanal e Lista de Compras Para uma alimentação saudável! Vida bem estar Lista de Compras Lista de Compras Frutas Abacate Banana Maçã Tomate Frutas secas Damasco Banana Abacaxi Ameixa

Leia mais

Receitas de sobremesas do programa SESI Cozinha Brasil fazem sucesso no verão

Receitas de sobremesas do programa SESI Cozinha Brasil fazem sucesso no verão http://portaldaindustria.com.br/agenciacni/ 03 FEV 2014 Receitas de sobremesas do programa SESI Cozinha Brasil fazem sucesso no verão Já pensou em tomar sorvete de mandioca? E doce de casca de maracujá?

Leia mais

A RODA DOS ALIMENTOS E OS NOVOS VALORES NUTRICIONAIS Mafra, 14 de Março de 2008. Ana Leonor DataPerdigão Nutricionista

A RODA DOS ALIMENTOS E OS NOVOS VALORES NUTRICIONAIS Mafra, 14 de Março de 2008. Ana Leonor DataPerdigão Nutricionista A RODA DOS ALIMENTOS E OS NOVOS VALORES NUTRICIONAIS Mafra, 14 de Março de 2008 Ana Leonor DataPerdigão Nutricionista A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL É Completa Fornece energia e todos os nutrientes essenciais

Leia mais

REGISTRO: Isento de Registro no M.S. conforme Resolução RDC n 27/10. CÓDIGO DE BARRAS N : 7898171287947(Frutas vermelhas) 7898171287954(Abacaxi)

REGISTRO: Isento de Registro no M.S. conforme Resolução RDC n 27/10. CÓDIGO DE BARRAS N : 7898171287947(Frutas vermelhas) 7898171287954(Abacaxi) Ficha técnica CHÁ VERDE COM CÓLAGENO, VITAMINA C E POLIDEXTROSE Pó para Preparo de Bebida a Base de Chá Verde, com Colágeno hidrolisado, vitamina C e polidextrose Sabor Abacaxi e frutas vermelhas REGISTRO:

Leia mais

Sugestão de Editorial

Sugestão de Editorial Sugestão de Editorial Cresce a demanda por produtos vegetais alternativos ao leite Este movimento de substituição já é global As bebidas vegetais, uma alternativa aos produtos lácteos, estão entre os itens

Leia mais

ARROZ E FEIJÃO: PROPRIEDADES NUTRICIONAIS E BENEFÍCIOS

ARROZ E FEIJÃO: PROPRIEDADES NUTRICIONAIS E BENEFÍCIOS ARROZ E FEIJÃO: PROPRIEDADES NUTRICIONAIS E BENEFÍCIOS À SAÚDE Beatriz da Silveira Pinheiro Beatriz da Silveira Pinheiro Embrapa Estudos e Capacitação Arroz e Feijão Associados, constituem a base da dieta

Leia mais

Dados do produto. Peso/Unidade 50g 70g 100g. Dados do produto. Peso/Unidade 50g 70g

Dados do produto. Peso/Unidade 50g 70g 100g. Dados do produto. Peso/Unidade 50g 70g Catálogo Padaria Padaria Paposseco Paposseco Tradicional de 50g, 70g e 100g (produto fresco) Farinha de trigo T65, água, fermento, sal, mistura pré-embalada de aditivos, auxiliares tecnológicos e ingredientes

Leia mais

VITAMINAS. Valores retirados de Tabela da composição de Alimentos. Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge

VITAMINAS. Valores retirados de Tabela da composição de Alimentos. Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge PELO SEU BEM ESTAR baixo teor de Gordura e Sódio; é rica em Vitamina B12; fonte de Vitamina D, Energia (Kcal) 83 Gordura (g) 1.4 Ác. gordos saturados (g) 0.2 Ác. gordos monoinsaturados (g) 0.4 Ác. gordos

Leia mais

UM POUCO DE HISTÓRIA

UM POUCO DE HISTÓRIA UM POUCO DE HISTÓRIA O pão sempre foi sinônimo de trabalho e de esforço, que remota além da pré-história. Os povos mais primitivos cultivavam os cereais da época e os consumiam crus. No antigo Egito (6.000

Leia mais

Alimentos: diet, light, açúcar e adoçantes

Alimentos: diet, light, açúcar e adoçantes Faculdade de Gastronomia AÇÚCAR Alimentos: diet, light, açúcar e adoçantes No singular açúcar, refere-se à sacarose proveniente da cana-de-açúcar e beterraba No plural açúcares diz respeito aos vários

Leia mais

Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI

Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI INFORMAÇÕES NUTRICIONAIS Porção de 100g (1/2 copo) Quantidade por porção g %VD(*) Valor Energético (kcal) 64 3,20 Carboidratos 14,20 4,73 Proteínas 1,30 1,73 Gorduras

Leia mais

Biologia. 8 o ano. Caderno 2

Biologia. 8 o ano. Caderno 2 Biologia 8 o ano Caderno 2 Módulos 7 e 8 1 A atividade das enzimas no organismo humano varia em função do grau de acidez do meio. Observe o gráfico e responda: Qual curva representa o local da ação da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ALCIDES CARNEIRO DIA - 20/12/2009 CARGO: NUTRICIONISTA C O N C U R S O P Ú B L I C O - H U A C / 2 0 0 9 Comissão de Processos

Leia mais

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano.

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano. Oficina CN/EM 2012 Alimentos e nutrientes (web aula) Caro Monitor, Ao final da oficina, o aluno terá desenvolvido as habilidade: H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo

Leia mais

Óleo Ducoco 100% virgem é a nova opção no preparo de receitas saudáveis e deliciosas

Óleo Ducoco 100% virgem é a nova opção no preparo de receitas saudáveis e deliciosas Óleo Ducoco 100% virgem é a nova opção no preparo de receitas saudáveis e deliciosas Benéfico para a saúde, o produto substitui com vantagens outros óleos vegetais na cozinha, no preparo de saladas, bolos,

Leia mais

USO DE ÓLEOS E GORDURAS NAS RAÇÕES

USO DE ÓLEOS E GORDURAS NAS RAÇÕES 1 USO DE ÓLEOS E GORDURAS NAS RAÇÕES 1. INTRODUÇÃO A evolução gradual dos métodos que o homem tem usado para alimentação dos animais tem proporcionado um amplo e melhor conhecimento da ciência aplicada

Leia mais

revogada(o) por: Resolução RDC nº 263, de 22 de setembro de 2005

revogada(o) por: Resolução RDC nº 263, de 22 de setembro de 2005 título: Resolução RDC nº 93, de 31 de outubro de 2000 ementa: Dispõe sobre o Regulamento Técnico para Fixação de Identidade e Qualidade de Massa Alimentícia. publicação: D.O.U. - Diário Oficial da União;

Leia mais

TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR

TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR Alimentação Boa Pra Você Todo ser vivo precisa se alimentar para obter energia e nutrientes para se desenvolver. No caso do ser humano, os alimentos trazem

Leia mais

Comida suficiente e nutritiva. 25 Introdução. Comida 25 - Introdução

Comida suficiente e nutritiva. 25 Introdução. Comida 25 - Introdução Comida 25 - Introdução 63 4 Comida suficiente e nutritiva 25 Introdução Existem vários sistemas simples e de baixo custo que podem melhorar a segurança alimentar e a nutrição. Estes incluem, por exemplo,

Leia mais

Em termos comparativos a chlorella possui proporcionalmente mais proteínas do que a soja, a carne bovina e o trigo.

Em termos comparativos a chlorella possui proporcionalmente mais proteínas do que a soja, a carne bovina e o trigo. O que é? A chlorella é uma alga unicelular de água doce existente na Terra há milhões de anos. A sua estrutura genética manteve-se intacta ao longo do tempo resultando numa grande concentração e variedade

Leia mais

livro de RECEITAS festa do milho

livro de RECEITAS festa do milho livro de RECEITAS festa do milho JACI - SÃO PAULO Índice Pg. 03 Pg. 04 Pg. 05 Pg. 06 Pg. 07 Pg. 08 Pg. 09 Pg. 10 Pg. 11 Pg. 12 Pg. 13 Pg. 14 Pg. 15 Pg. 16 Pg. 17 Pg. 18 Pg. 19 Pg. 20 Pg. 21 Curau Tradicional

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO E SAÚDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO E SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO E SAÚDE LABORATÓRIO DE ESTUDO EXPERIMENTAL DOS ALIMENTOS 13. NHOQUE DE SOJA COM MOLHO DE PROTEINA TEXTURIZADA

Leia mais

Confira a lista dos 25 melhores alimentos para emagrecer:

Confira a lista dos 25 melhores alimentos para emagrecer: Emagrecer nem sempre é uma das tarefas mais simples. A fórmula parece simples (dieta + exercício + descanso) porém diferentes pessoas precisam de diferentes soluções. Uma coisa é certa: qualquer ajuda

Leia mais

Impacto da nutrição na qualidade da carne e do leite. Marcone Costa Zootecnista - DSc Ass. Téc. Nutrição Animal

Impacto da nutrição na qualidade da carne e do leite. Marcone Costa Zootecnista - DSc Ass. Téc. Nutrição Animal Impacto da nutrição na qualidade da carne e do leite Marcone Costa Zootecnista - DSc Ass. Téc. Nutrição Animal 1 Introdução: Brasil exportador - carne e leite ; Saltos de produtividade; Ganhos em escala;

Leia mais

VEGESOY FIBER. Fibra de soja: extrato insolúvel de soja em pó. Informações Técnicas

VEGESOY FIBER. Fibra de soja: extrato insolúvel de soja em pó. Informações Técnicas Informações Técnicas VEGESOY FIBER Fibra de soja: extrato insolúvel de soja em pó INTRODUÇÃO A soja é uma leguminosa cultivada na China há mais de 5 mil anos. Ao longo do tempo passou a ser consumida por

Leia mais

Introdução. Conceitos aplicados a alimentação animal. Produção animal. Marinaldo Divino Ribeiro. Nutrição. Alimento. Alimento. Nutriente.

Introdução. Conceitos aplicados a alimentação animal. Produção animal. Marinaldo Divino Ribeiro. Nutrição. Alimento. Alimento. Nutriente. Conceitos aplicados a alimentação animal Introdução Produção animal Marinaldo Divino Ribeiro EMV Depto de Produção ão Animal - UFBA Genética Sanidade Nutrição Alimento Susbstância que, consumida por um

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA CIÊNCIAS CN

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA CIÊNCIAS CN SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA CIÊNCIAS CN Título do Podcast Área Segmento Duração Sistema Digestório Ciências da Natureza Ensino Médio 4min 45seg Habilidades: (H30) Identificar a função dos órgãos e

Leia mais

NUTRIÇÃO DOS ANIMAIS VITAMINAS

NUTRIÇÃO DOS ANIMAIS VITAMINAS NUTRIÇÃO DOS ANIMAIS VITAMINAS COMER BEM, COM QUALIDADE SINÔNIMO DE UMA VIDA SAUDÁVEL. Somos aquilo que comemos, bebemos e fazemos com o nosso organismo, uma alimentação balanceada e equilibrada, faz com

Leia mais

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO (segunda parte) A ESCOLHA Responda à seguinte pergunta: Você gosta de carro? Se você gosta, vamos em frente. Escolha o carro de seus sonhos: Mercedes,

Leia mais

10 Alimentos importantes para sua saúde.

10 Alimentos importantes para sua saúde. 10 Alimentos importantes para sua saúde. 10 Alimentos importantes para sua saúde. Os alimentos funcionais geram inúmeros benefícios para o organismo. Como muitas patologias se desenvolvem por deficiência

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL O QUE É ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? Qualidade e quantidades adequadas de alimentos que proporcionam os nutrientes necessários ao organismo PRINCÍPIOS PIOS E CARACTERÍSTICAS Variada Colorida

Leia mais

23/03/2015. Moléculas orgânicas - Carboidratos

23/03/2015. Moléculas orgânicas - Carboidratos Moléculas orgânicas - Carboidratos São formados por C, H, O. São Conhecidos como: Hidratos de Carbono Glucídios Glicídios Açúcares Sacarídeos Funções: Energética (glicose); Glicogênio : reserva energética

Leia mais

Universidade do Pampa campus Dom Pedrito Seminários Prof. Alicia Ruiz. Soja. Acadêmicos:Quelem Martins, Ricardo Carneiro, Renan Régio

Universidade do Pampa campus Dom Pedrito Seminários Prof. Alicia Ruiz. Soja. Acadêmicos:Quelem Martins, Ricardo Carneiro, Renan Régio Universidade do Pampa campus Dom Pedrito Seminários Prof. Alicia Ruiz Soja Acadêmicos:Quelem Martins, Ricardo Carneiro, Renan Régio A soja (Glycine max (L.) Merrill) que hoje é cultivada mundo afora, é

Leia mais

Desencolagem / Desengomagem

Desencolagem / Desengomagem Desencolagem / Desengomagem Encolagem - 1-5 1 - Encolagem: Tem por objetivo conferir maior resistência contra abrasão, proteger as fibras e evitar que estas se projetem para fora do fio/tecido. 1.1 - Pastas

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PARAIBUNA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PARAIBUNA PREFEITURA MUNICIPAL DE PARAIBUNA COMO REDUZIR A CELULITE Podemos descrever a celulite basicamente como uma inflamação das células, associadas com alterações na circulação. A obesidade pode, ou não, estar

Leia mais

Nestas últimas aulas irei abordar acerca das vitaminas. Acompanhe!

Nestas últimas aulas irei abordar acerca das vitaminas. Acompanhe! Aula: 31 Temática: Vitaminas parte I Nestas últimas aulas irei abordar acerca das vitaminas. Acompanhe! Introdução O termo vitamina refere-se a um fator dietético essencial requerido por um organismo em

Leia mais

Como ler. Quantidade. Denominação do produto. Lista de ingredientes. Durabilidade. Fabricante/ Importador. Junho de 2008

Como ler. Quantidade. Denominação do produto. Lista de ingredientes. Durabilidade. Fabricante/ Importador. Junho de 2008 Como ler Flocos de arroz e de trigo integral, enriquecidos com vitaminas (B1, B2, B3, B6, ácido fólico, B12, C) e ferro Peso líquido: CONSUMIR DE PREFERÊNCIA ANTES DE Junho de 2008 Quantidade Denominação

Leia mais

RESOLUÇÃO-ANVISA Nº 263, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005

RESOLUÇÃO-ANVISA Nº 263, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 Resolução nº 263/2005 23/09/2005 RESOLUÇÃO-ANVISA Nº 263, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 DOU 23.09.2005 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere

Leia mais

SHAKEASY. Bases Prontas para Shakes Funcionais

SHAKEASY. Bases Prontas para Shakes Funcionais Informações Técnicas SHAKEASY Bases Prontas para Shakes Funcionais INTRODUÇÃO SHAKEASY representa uma nova geração de shakes funcionais. Um completo e diferenciado substituto parcial de refeições que permite

Leia mais

Proteínas. Enzima que Colagénio Insulina degrada a insulina (hormona)

Proteínas. Enzima que Colagénio Insulina degrada a insulina (hormona) Proteínas O seu nome deriva da palavra Grega proteios, que significa de principal importância. As proteínas desempenham um papel fundamental nos sistemas biológicos, estando associadas a todas as formas

Leia mais