REGISTRO DE IMÓVEIS COMARCA DE XAXIM - SC

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGISTRO DE IMÓVEIS COMARCA DE XAXIM - SC"

Transcrição

1 REGISTRO DE IMÓVEIS COMARCA DE XAXIM - SC MANUAL DO USUÁRIO INOVAÇÕES E MELHORIAS NA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS PUBLICIDADE AUTENTICIDADE SEGURANÇA E EFICÁCIA DOS ATOS JURÍDICOS

2 OFÍCIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS DE XAXIM SC MANUAL DO USUÁRIO Prezado cliente, é com grande satisfação que disponibilizamos para você o manual do usuário, com orientações gerais e específicas acerca do serviço Registral Imobiliário. SEGURANÇA JURÍDICA Lei 8.935/1994 Regulamenta o art. 236 da Constituição Federal, dispondo sobre serviços notariais e de registro. (Lei dos Cartórios). Art. 1º Serviços notariais e de registro são os de organização técnica e administrativa destinados a garantir a publicidade, autenticidade, segurança e eficácia dos atos jurídicos. PAGAMENTO DE EMOLUMENTOS Lei 6.015/1973 Art. 14. Pelos atos que praticarem, em decorrência desta Lei, os Oficiais do Registro terão direito, a título de remuneração, aos emolumentos fixados nos Regimentos de Custas do Distrito Federal, dos Estados e dos Territórios, os quais serão pagos, pelo interessado que os requerer, no ato de requerimento ou no da apresentação do título. FISCALIZAÇÃO DOS IMPOSTOS Lei 6.015/1973 Art No exercício de suas funções, cumpre aos oficiais de registro fazer rigorosa fiscalização do pagamento dos impostos devidos por força dos atos que lhes forem apresentados em razão do ofício. Código de Normas Corregedoria Geral de Justiça do Estado de Santa Catarina Art Cumpre ao delegatário fiscalizar o recolhimento da taxa do FRJ (Fundo de Reaparelhamento da Justiça), do laudêmio e dos impostos incidentes sobre atos notariais e de registro, vedada a percepção de valores destinados ao pagamento de tais tributos ou receita.

3 ENTRADA DE TÍTULOS NA SERVENTIA Os títulos apresentados ingressarão no Ofício de Registro de Imóveis, da seguinte forma: Santa Catarina Art Exame e cálculo dos respectivos emolumentos, a requerimento do interessado, no qual deverá estar consignada sua ciência de que a recepção do título não gera os efeitos da prenotação. Lei 6.015/1973 Art. 12. Nenhuma exigência fiscal, ou dúvida, obstará a apresentação de um título e o seu lançamento do Protocolo com o respectivo número de ordem, nos casos em que da precedência decorra prioridade de direitos para o apresentante. Parágrafo único. Independem de apontamento no Protocolo os títulos apresentados apenas para exame e cálculo dos respectivos emolumentos. COMO EFETUAR O PEDIDO DE CERTIDÃO Na recepção da serventia (documento impresso); No site com retirada na recepção da serventia (documento impresso); No site com entrega via Correios (documento impresso); No site via Central do Registro de Imóveis (documento assinado digitalmente, arquivo no formato P7S, com download na central do Registro de Imóveis ). PRAZO DE VALIDADE DAS CERTIDÕES Santa Catarina Art O prazo de validade da certidão é de 30 (trinta) dias e será, obrigatoriamente, nela consignado.

4 PROVIMENTO Nº 47/2015 CNJ (Conselho Nacional de Justiça) Art. 8º Aos ofícios de registro de imóveis é vedado: I recepcionar ou expedir documentos eletrônicos por ou serviços postais ou de entrega. CIRCULAR 50/2016 CGJSC (Corregedoria Geral da Justiça de SC) Central do Registro de Imóveis (Colégio Registral do Estado de Santa Catarina). Criada em atendimento ao provimento nº 47/2015 CNJ. PRAZO GERAL DOS TÍTULOS Código de Normas Corregedoria Geral de Justiça do Estado de Santa Catarina Art. 643, prazo geral de 30 (trinta) dias para exame, qualificação e devolução do título, com exigências ou registro. 1º Será de 15 (quinze) dias o prazo para qualificação do título. 2º No caso de qualificação positiva, o ato será praticado até o 30º (trigésimo) dia da data do protocolo. Lei 6.015/1973. Art. 188 Protocolizado o título, proceder-se-á ao registro, dentro do prazo de 30 (trinta) dias. Lei 6.015/1973. Art. 205 Cessarão automaticamente os efeitos da prenotação se, decorridos 30 (trinta) dias do seu lançamento no Protocolo, o título não tiver sido registrado por omissão do interessado em atender às exigências legais. CADA IMÓVEL TERÁ MATRÍCULA PRÓPRIA Lei 6015/1973 Art. 176, 1º A escrituração do Livro nº 2 obedecerá às seguintes normas: I - cada imóvel terá matrícula própria, que será aberta por ocasião do primeiro registro a ser feito na vigência desta Lei.

5 QUALIFICAÇÃO SUBJETIVA (IDENTIFICAÇÃO PESSOAL) Lei 6015/1973 Art. 176, 1º A escrituração do Livro nº 2 obedecerá às seguintes normas: 4) o nome, domicílio e nacionalidade do proprietário, bem como: a) tratando-se de pessoa física, o estado civil, a profissão, o número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas da Receita Federal do Brasil e do Registro Geral da cédula de identidade, ou à falta deste, sua filiação. b) tratando-se de pessoa jurídica, a sede social e o número de inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica da Receita Federal do Brasil. QUALIFICAÇÃO OBJETIVA (IDENTIFICAÇÃO DO IMÓVEL) Lei 6015/1973 Art. 176, 1º A escrituração do Livro nº 2 obedecerá às seguintes normas: 3) a identificação do imóvel, que será feita com indicação: a se rural, do código do imóvel, dos dados constantes do CCIR, da denominação e de suas características, confrontações, localização e área; b se urbano, de suas características e confrontações, localização, área, logradouro, número e de sua designação cadastral, se houver; Lei 6015/1973 Art. 225 Os tabeliães, escrivães e juizes farão com que, nas escrituras e nos autos judiciais, as partes indiquem, com precisão, os característicos, as confrontações e as localizações dos imóveis, mencionando os nomes dos confrontantes e, ainda, quando se tratar só de terreno, se esse fica do lado par ou do lado ímpar do logradouro, em que quadra e a que distância métrica da edificação ou da esquina mais próxima, exigindo dos interessados certidão do registro imobiliário. VALOR DE MERCADO Santa Catarina Art II declarar o valor real ou de mercado do bem ou do negócio.

6 RETIFICAÇÃO DE ÁREA Santa Catarina Art O requerimento de retificação deverá ser subscrito pelo proprietário, com firma reconhecida. Santa Catarina Art Na planta e no memorial descritivo, constarão os números das matrículas ou dos registros de transcrição dos imóveis confrontantes, bem como as assinaturas, reconhecidas por semelhança, do confinante tabular, do possuidor do imóvel, do requerente da retificação e do responsável técnico, com indicação dos nomes e qualidades dos seus respectivos subscritores. CERTIDÃO DO CADASTRO IMOBILIÁRIO Lei 6.015/1973 art. 176, 1, item 3, alínea "b": b - se urbano, de suas características e confrontações, localização, área, logradouro, número e de sua designação cadastral, se houver. CERTIDÃO DE LOCALIZAÇÃO DO IMÓVEL LEI 6015/73 Art. 176, 1º, item 3, alínea "a : a se rural, do código do imóvel, dos dados constantes do CCIR, da denominação e de suas características, confrontações, localização e área. LEI 6015/1973 Art. 225 Os tabeliães, escrivães e juizes farão com que, nas escrituras e nos autos judiciais, as partes indiquem, com precisão, os característicos, as confrontações e as localizações dos imóveis, mencionando os nomes dos confrontantes e, ainda, quando se tratar só de terreno, se esse fica do lado par ou do lado ímpar do logradouro, em que quadra e a que distância métrica da edificação ou da esquina mais próxima, exigindo dos interessados certidão do registro imobiliário. A certidão fornecida pelo município deve conter: o número da matrícula, o nome do proprietário com CPF e localização do imóvel.

7 AVERBAÇÃO DE CONSTRUÇÃO DISPENSA DA CND DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Lei 8.212/1991. Art. 30, VIII nenhuma contribuição à Seguridade Social é devida se a construção residencial unifamiliar, destinada ao uso próprio, de tipo econômico, for executada sem mão-de-obra assalariada, observadas as exigências do regulamento. Decreto 3.048/1999 Art. 278 Nenhuma contribuição é devida à seguridade social se a construção residencial for unifamiliar, com área total não superior a setenta metros quadrados, destinada a uso próprio, do tipo econômico e tiver sido executada sem a utilização de mão-deobra assalariada. A dispensa da CND do INSS, através de declaração, para obra inferior à 70,00m2, deve atender a instrução normativa da Receita Federal do Brasil número 971, de 13 de novembro de 2009 (art. 370 e art. 383B). Observação: o proprietário deve possuir único imóvel para fazer a declaração de dispensa da CND junto ao Ofício de Registro de Imóveis (se já possuiu ou possuí mais de um imóvel em seu nome, não terá o benefício de dispensa da CND). Para obras executadas com recursos do sistema financeiro, o responsável deverá apresentar o contrato de financiamento a Receita Federal, que fará a apuração das eventuais contribuições e dividas. DOCUMENTOS ANEXO AOS TÍTULOS Qualquer tipo de documento anexo aos títulos, para fazer prova da qualificação objetiva (do imóvel) e qualificação subjetiva (das pessoas), deverão ser apresentados conforme segue: RG/CPF/CNH (cópia autenticada); Comprovante de residência (cópia autenticada); Certidão de nascimento e casamento atualizada (original ou cópia autenticada); Requerimento, com qualificação completa dos proprietários e com reconhecimento das assinaturas (Lei 6015/ Art. 176, 1º, item 4, alíneas "a" e "b");

8 Procuração (original ou cópia autenticada); Alvará, Certidão e Lei expedidos pelo Município (original ou cópia autenticada); Observação: documentos devem ser atualizados e apresentadas as cópias autenticadas, conforme o caso reconhecimento das assinaturas e confirmados via internet, ser for possível. RETIRADA DE DOCUMENTOS A retirada de procedimentos na serventia se fará com o documento obrigatório de retirada (via original) fornecido na recepção, assim atendidos: Via original da guia exame Via original do protocolo Via original do pedido de certidão Observação: em caso de perda das vias originais, somente o(s) proprietário(s) poderá(ão) retirar o(s) pedido de certidão ou título, munido de documento de identificação. ESTE MANUAL SERÁ ATUALIZADO CONSTANTEMENTE SEMPRE CONSULTE O MANUAL NO SITE

No Cartório de Registro de Imóveis são praticados três atos principais envolvendo bens imóveis (casas, prédios, lotes, apartamentos, lojas, fazendas,

No Cartório de Registro de Imóveis são praticados três atos principais envolvendo bens imóveis (casas, prédios, lotes, apartamentos, lojas, fazendas, No Cartório de Registro de Imóveis são praticados três atos principais envolvendo bens imóveis (casas, prédios, lotes, apartamentos, lojas, fazendas, terrenos), quais sejam, a matrícula, o registro e a

Leia mais

Edição nº 174/2015 Brasília - DF, terça-feira, 29 de setembro de Corregedoria PORTARIA Nº 19, DE 28 DE SETEMBRO DE 2015.

Edição nº 174/2015 Brasília - DF, terça-feira, 29 de setembro de Corregedoria PORTARIA Nº 19, DE 28 DE SETEMBRO DE 2015. Corregedoria PORTARIA Nº 19, DE 28 DE SETEMBRO DE 2015. Designação da Juíza Soníria Rocha Campos D?Assunção, para exercer a Coordenação do Programa Nacional de Governança Diferenciada das Execuções Fiscais,

Leia mais

INCORPORAÇÃO IMOBILIÁRIA

INCORPORAÇÃO IMOBILIÁRIA INCORPORAÇÃO IMOBILIÁRIA 1 Requerimento com qualificação completa elaborado pelo (s) proprietário (s) com reconhecimento de assinatura (s) por autenticidade, indicando o número da matrícula/transcrição

Leia mais

INCORPORAÇÃO IMOBILIÁRIA

INCORPORAÇÃO IMOBILIÁRIA INCORPORAÇÃO IMOBILIÁRIA 1 Requerimento com qualificação completa elaborado pelo(s) proprietário(s) com reconhecimento de assinatura(s), indicando o número da matrícula/transcrição imobiliária. (Modelo

Leia mais

E N O R E S ESCOLA DE NOTÁRIOS E REGISTRADORES DO ESPÍRITO SANTO-ES 21 DE OUTUBRO 2017 LOTEAMENTOS PRÁTICA DA LEI Nº 6.766/79 FLÁVIO LUIZ BRESSAN

E N O R E S ESCOLA DE NOTÁRIOS E REGISTRADORES DO ESPÍRITO SANTO-ES 21 DE OUTUBRO 2017 LOTEAMENTOS PRÁTICA DA LEI Nº 6.766/79 FLÁVIO LUIZ BRESSAN E N O R E S ESCOLA DE NOTÁRIOS E REGISTRADORES DO ESPÍRITO SANTO-ES 21 DE OUTUBRO 2017 LOTEAMENTOS PRÁTICA DA LEI Nº 6.766/79 FLÁVIO LUIZ BRESSAN 1. Requerimento devidamente assinado com a firma reconhecida,

Leia mais

Georreferenciamento e Certificação de Imóveis Rurais Questões práticas. Fabiana Cristina Arthur da Cunha Marialice Souzalima Campos

Georreferenciamento e Certificação de Imóveis Rurais Questões práticas. Fabiana Cristina Arthur da Cunha Marialice Souzalima Campos Georreferenciamento e Certificação de Imóveis Rurais Questões práticas Fabiana Cristina Arthur da Cunha Marialice Souzalima Campos Georreferenciamento X Certificação Situar o imóvel rural no globo terrestre,

Leia mais

PARCELAMENTO DO SOLO URBANO - LOTEAMENTO E DESMEMBRAMENTO - LEI 6.766/79

PARCELAMENTO DO SOLO URBANO - LOTEAMENTO E DESMEMBRAMENTO - LEI 6.766/79 PARCELAMENTO DO SOLO URBANO - LOTEAMENTO E DESMEMBRAMENTO - LEI 6.766/79 A lei 6.766/79, em seu artigo 2º define: "O parcelamento do solo urbano poderá ser feito mediante loteamento ou desmembramento,

Leia mais

LOTEAMENTO. O requerimento foi firmado pelos proprietários, com firma reconhecida por autenticidade?

LOTEAMENTO. O requerimento foi firmado pelos proprietários, com firma reconhecida por autenticidade? LOTEAMENTO DOCUMENTOS O requerimento foi firmado pelos proprietários, com firma reconhecida por autenticidade? Se ambos os cônjuges não assinarem o requerimento, deverá ser apresentada declaração de anuência

Leia mais

- Custas verificar pessoalmente no cartório mediante a apresentação da documentação

- Custas verificar pessoalmente no cartório mediante a apresentação da documentação DOCUMENTOS PARA AVERBAÇÕES, INCORPORAÇÕES E REGISTROS Averbação de Construção: * Certificado de conclusão de obra (original ou autenticado pela Prefeitura) * ART do CREA (certidão do engenheiro), original

Leia mais

INVENTÁRIO E PARTILHA

INVENTÁRIO E PARTILHA INVENTÁRIO E PARTILHA O que é? É o procedimento através do qual são apurados todos os bens, direitos e dívidas da pessoa falecida, a fim de ser partilhado entre os seus herdeiros legítimos e testamentários;

Leia mais

Compra e Venda 24.1 COMPRA E VENDA COM ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA

Compra e Venda 24.1 COMPRA E VENDA COM ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA Compra e Venda O contrato de compra e venda é um acordo de vontades entre comprador e vendedor pelo qual, mediante pagamento de certo preço, transfere-se o domínio de determinado bem, objeto do contrato.

Leia mais

1º Fórum de Assuntos Extrajudiciais USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL

1º Fórum de Assuntos Extrajudiciais USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL 1º Fórum de Assuntos Extrajudiciais USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL Bianca Castellar de Faria Novo Código de Processo Civil (Lei 13.105/2015) Vigência 18/03/2016 Inclusão do artigo 216-A na Lei 6.015/73 Usucapião

Leia mais

Prefeitura do Município de Lages Secretaria Municipal da Fazenda Diretoria de Fiscalização

Prefeitura do Município de Lages Secretaria Municipal da Fazenda Diretoria de Fiscalização INSTRUÇÃO NORMATIVA 007/2014 DISPÕE SOBRE O MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS DA DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO DA SECRETARIA DA FAZENDA DO MUNICÍPIO DE LAGES Considerando a necessidade de promover agilidade

Leia mais

Adjudicação A) ADJUDICAÇÃO COMPULSÓRIA

Adjudicação A) ADJUDICAÇÃO COMPULSÓRIA Adjudicação A adjudicação é ato judicial que estabelece e declara que a propriedade imóvel deve ser transferida de seu primitivo dono para o credor, objetivando satisfazer um crédito. O registro possui

Leia mais

Portaria Conjunta RFB/PGFN Nº 1751 DE 02/10/2014

Portaria Conjunta RFB/PGFN Nº 1751 DE 02/10/2014 Portaria Conjunta RFB/PGFN Nº 1751 DE 02/10/2014 Dispõe sobre a prova de regularidade fiscal perante a Fazenda Nacional. O Secretário da Receita Federal do Brasil e a Procuradora-Geral da Fazenda Nacional,

Leia mais

ANEXO I CHECK LIST PÓS CONTEMPLAÇÃO. A liberação do crédito está condicionada à apresentação dos documentos listados abaixo.

ANEXO I CHECK LIST PÓS CONTEMPLAÇÃO. A liberação do crédito está condicionada à apresentação dos documentos listados abaixo. ANEXO I CHECK LIST PÓS CONTEMPLAÇÃO A liberação do crédito está condicionada à apresentação dos documentos listados abaixo. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS DO CONSORCIADO Consorciado Pessoa Física: Ficha

Leia mais

Ministério da Fazenda

Ministério da Fazenda N.º 191 - Seção 1, sexta-feira, 3 de outubro de 2014 Ministério da Fazenda SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL PORTARIA Nº 1751, DE 2 DE OUTUBRO DE 2014. Dispõe sobre a prova de regularidade fiscal

Leia mais

Cópia de RG e CPF dos Sócios Termo de Ciência (Declaração e Requerimento preenchidos,

Cópia de RG e CPF dos Sócios Termo de Ciência (Declaração e Requerimento preenchidos, VISTORIA PREVIA Requerimento Preenchido e Assinado pelo representante legal da empresa Declaração a próprio punho informando o ramo de atividade Guia de IPTU ALVARÁ DE FUNCIONAMENTO (INÍCIO DE ATIVIDADE)

Leia mais

Manual do Tabelionato de Notas

Manual do Tabelionato de Notas Manual do Tabelionato de Notas para emissão de guias de recolhimento ao FUNREJUS 1 Manual do Tabelionato de Notas PARA EMISSÃO DE GUIAS DE RECOLHIMENTO AO FUNREJUS Versão 01.15 1. Emissão de guias de recolhimento

Leia mais

USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL - CONCEITO E FUNDAMENTOS

USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL - CONCEITO E FUNDAMENTOS USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL - CONCEITO E FUNDAMENTOS 1. A usucapião consiste em uma forma de aquisição originária de propriedade. Da própria análise da etimologia do termo usus capere extrai-se a ideia de

Leia mais

Parte Geral Comum (05 aulas) LEI DE ORGANIZAÇÃO JUDICIÁRIA E REGIMENTO INTERNO (02 aulas) 3 Tribunal de Justiça: composição, órgãos, competência.

Parte Geral Comum (05 aulas) LEI DE ORGANIZAÇÃO JUDICIÁRIA E REGIMENTO INTERNO (02 aulas) 3 Tribunal de Justiça: composição, órgãos, competência. Parte Geral Comum (05 aulas) LEI DE ORGANIZAÇÃO JUDICIÁRIA E REGIMENTO INTERNO (02 aulas) 1 Divisão e organização judiciária do Estado da Bahia. 2 Comarcas. 2.1 Classificação, sede. 2.2 Distritos judiciários.

Leia mais

Prezado (a) Consorciado (a), Parabéns pela contemplação!

Prezado (a) Consorciado (a), Parabéns pela contemplação! Prezado (a) Consorciado (a), Parabéns pela contemplação! Para realizar sua contemplação providenciar a documentação solicitada abaixo e levar até uma loja do Magazine Luiza ou representação autorizada

Leia mais

REFORMA OU CONSTRUÇÃO

REFORMA OU CONSTRUÇÃO Ficha Cadastral Cópia simples do Cartão de CNPJ Inscrição Estadual ou Municipal REFORMA OU CONSTRUÇÃO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA JURÍDICA Contrato Social e sua última alteração ou Estatuto

Leia mais

3) Histórico dos títulos de propriedade e respectivos comprovantes dos últimos 20 anos

3) Histórico dos títulos de propriedade e respectivos comprovantes dos últimos 20 anos ROTEIRO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA LOTEAMENTO 1) Requerimento para registro Se for PJ tem que trazer TODOS os contratos sociais (inclusive declaração/certidão da Junta Comercial a respeito da última

Leia mais

CHECK-LIST TRANSFERÊNCIA DE COTA CONTEMPLADA COM O BEM IMÓVEL

CHECK-LIST TRANSFERÊNCIA DE COTA CONTEMPLADA COM O BEM IMÓVEL CHECK-LIST TRANSFERÊNCIA DE COTA CONTEMPLADA COM O BEM IMÓVEL Cedente: cliente atual que está vendendo a cota. Cessionário: cliente que está adquirindo a cota. A apresentação dos documentos solicitados

Leia mais

MUNICÍPIO DE CAICÓ / RN CNPJ Nº: / Av. Cel. Martiniano, 993 Centro COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO

MUNICÍPIO DE CAICÓ / RN CNPJ Nº: / Av. Cel. Martiniano, 993 Centro COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO EDITAL DE INSCRIÇÃO E/OU RENOVAÇÃO A na forma do art. 34, 1 da Lei n 8.666/93, torna público que para fornecimento de materiais e prestações de serviços ao Município de Caicó / RN, os interessados deverão

Leia mais

TABELA I - ATOS DOS TABELIÃES DE NOTAS

TABELA I - ATOS DOS TABELIÃES DE NOTAS TABELA I - ATOS DOS TABELIÃES DE NOTAS I - ESCRITURAS PÚBLICAS COM VALOR DECLARADO: de 17.595,01 a 35.190,00 R$ 480,68 R$ 7,53 R$ 24,41 R$ 14,65 R$ 24,41 R$ 29,30 R$ 48,83 R$ 2,00 R$631,80 de 234.600,01

Leia mais

Cadastro de Imóvel Rural Atualização e Inclusão SNCR-Web. Murilo Zibetti Analista de Cadastro Incra/Sp

Cadastro de Imóvel Rural Atualização e Inclusão SNCR-Web. Murilo Zibetti Analista de Cadastro Incra/Sp Cadastro de Imóvel Rural Atualização e Inclusão SNCR-Web Murilo Zibetti Analista de Cadastro Incra/Sp Definição de Imóvel Rural Imóvel rural, segundo a legislação agrária, é a área formada por uma ou mais

Leia mais

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS - PROUNI PROCESSO SELETIVO PROUNI PARA 2017/1

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS - PROUNI PROCESSO SELETIVO PROUNI PARA 2017/1 PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS - PROUNI PROCESSO SELETIVO PROUNI PARA 2017/1 1 - DOCUMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO APRESENTAR CÓPIAS E ORIGINAIS (OU CÓPIAS AUTENTICADAS): Registro de nascimento;

Leia mais

TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS

TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo ARISP. Em vigor a partir de 7 de janeiro de 2011. Lei 11.331,

Leia mais

CHECK-LIST TRANSFERÊNCIA DE COTA CONTEMPLADA COM O BEM IMÓVEL

CHECK-LIST TRANSFERÊNCIA DE COTA CONTEMPLADA COM O BEM IMÓVEL CHECK-LIST TRANSFERÊNCIA DE COTA CONTEMPLADA COM O BEM IMÓVEL Cedente: cliente atual que está vendendo a cota. Cessionário: cliente que está adquirindo a cota. A apresentação dos documentos solicitados

Leia mais

Documentos do vendedor Pessoa Física. Cópia da Carteira de Identidade com o nome correto, conforme comprovante de estado civil atualizado;

Documentos do vendedor Pessoa Física. Cópia da Carteira de Identidade com o nome correto, conforme comprovante de estado civil atualizado; Documentos do vendedor Pessoa Física Cópia da Carteira de Identidade com o nome correto, conforme comprovante de estado civil atualizado; Nota: caso o proponente for casado(a), enviar também os documentos/certidões

Leia mais

CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA

CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO Nº 157 Alteram-se os procedimentos para os registros dos atos nos Serviços de Registro Civil de Pessoas Naturais e de Tabelionato de Notas. O Desembargador LEONARDO LUSTOSA, Corregedor- Geral

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ CORREGEDORIA DA JUSTIÇA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ CORREGEDORIA DA JUSTIÇA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ CORREGEDORIA DA JUSTIÇA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM PROVIMENTO Nº 002/2009 Estabelece normas para a distribuição de títulos de crédito apresentados

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 77 DE 23 DE AGOSTO DE 2013.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 77 DE 23 DE AGOSTO DE 2013. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 77 DE 23 DE AGOSTO DE 2013. Regulamenta o procedimento de certificação da poligonal objeto de memorial descritivo de imóveis rurais a que se refere o 5º do art. 176 da Lei nº 6.015,

Leia mais

Documentação do Candidato

Documentação do Candidato Documentação do Candidato Documentos de identificação do candidato: Apresentar um dos documentos abaixo para fins de identificação Carteira de Identidade fornecida pelos órgãos de segurança pública das

Leia mais

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS- PROUNI PROCESSO SELETIVO PROUNI PARA 2017/1

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS- PROUNI PROCESSO SELETIVO PROUNI PARA 2017/1 FAHESA - Faculdade de Ciências Humanas, Econômicas e da Saúde de Araguaína ITPAC - INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS LTDA. Av. Filadélfia, 568 Setor Oeste Araguaína TO CEP 77.816-540 / Fone:

Leia mais

Documentos e/ou Declarações Necessárias para a efetivação do Registro da Escritura Pública ou do Contrato Particular com força de Escritura Pública.

Documentos e/ou Declarações Necessárias para a efetivação do Registro da Escritura Pública ou do Contrato Particular com força de Escritura Pública. Documentos e/ou Declarações Necessárias para a efetivação do Registro da Escritura Pública ou do Contrato Particular com força de Escritura Pública. Para a regularidade da escritura ou contrato com força

Leia mais

Chave de Respostas Tabelionato de Notas Professor: Leandro Corrêa. 1) Qual norma regula a atividade do Tabelião de Notas em Minas Gerais?

Chave de Respostas Tabelionato de Notas Professor: Leandro Corrêa. 1) Qual norma regula a atividade do Tabelião de Notas em Minas Gerais? Chave de Respostas Tabelionato de Notas Professor: Leandro Corrêa 1) Qual norma regula a atividade do Tabelião de Notas em Minas Gerais? Provimento 54/78 Normas Gerais Encontra apoio na Lei 8.935/94 e

Leia mais

DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA VALIDAÇÃO DO FIES 2017/1

DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA VALIDAÇÃO DO FIES 2017/1 DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA VALIDAÇÃO DO FIES 2017/1 Os candidatos selecionados pelo FIES Seleção deverão comparecer a CPSA do UniFOA para validação das informações, no período determinado pelo FNDE. Confira

Leia mais

Srs. Usuários dos Serviços Notariais e de Registro de Minas Gerais REF: CONVENÇÃO DA APOSTILA E RESOLUÇÃO Nº 228/CNJ

Srs. Usuários dos Serviços Notariais e de Registro de Minas Gerais REF: CONVENÇÃO DA APOSTILA E RESOLUÇÃO Nº 228/CNJ Ofício Colégio Registral - Convenção da Apostila Belo Horizonte, 23/09/2016 Srs. Usuários dos Serviços Notariais e de Registro de Minas Gerais REF: CONVENÇÃO DA APOSTILA E RESOLUÇÃO Nº 228/CNJ O Colégio

Leia mais

ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA

ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA ADMINISTRATIVA TRANSIÇÃO PRIMEIRAS PROVIDÊNCIAS RELATÓRIO DE RECEBIMENTO DE ACERVO PRIMEIRAS PROVIDÊNCIAS ENCAMINHAMENTO DO TÍTULO DE OUTORGA Certificação JCP e envio para CGJ no prazo de 10 dias item

Leia mais

Relação de documentos para o consorciado contemplado em consórcio de imóveis (Pessoa Física)

Relação de documentos para o consorciado contemplado em consórcio de imóveis (Pessoa Física) Relação de documentos para o consorciado contemplado em consórcio de imóveis (Pessoa Física) Para dar continuidade ao seu processo de aquisição de imóvel pelo Consórcio Itaú, é importante que você siga

Leia mais

Certificação de Imóveis Rurais/SIGEF Questões práticas

Certificação de Imóveis Rurais/SIGEF Questões práticas Certificação de Imóveis Rurais/SIGEF Questões práticas V Encontro Regional do CORI-MG Governador Valadares - MG Marialice Souzalima Campos Cronograma Regramento Legal O que é Sigef? Como funciona Dúvidas

Leia mais

TABELA 2008 Registro de Imóveis

TABELA 2008 Registro de Imóveis TABELA 2008 Registro de Imóveis Lei Estadual 11.331/02 2008 - Ufesp = R$ 14,88 1. Registro com valor declarado a Mais de até 893,00 60,44 17,19 12,72 3,18 3,18 96,71 b 893,00 até 2.231,00 96,99 27,58 20,42

Leia mais

Documentação do Candidato

Documentação do Candidato Documentação do Candidato Documentos de identificação do candidato: Apresentar um dos documentos abaixo para fins de identificação Carteira de Identidade fornecida pelos órgãos de segurança pública das

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS CERTIFICADO DE REGISTRO CADASTRAL "CRC"

MANUAL DE PROCEDIMENTOS CERTIFICADO DE REGISTRO CADASTRAL CRC MANUAL DE PROCEDIMENTOS CERTIFICADO DE REGISTRO CADASTRAL "CRC" CISSUL - CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE SAÚDE PARA GERENCIAMENTO DA REDE DE Página 1 de 5 SETOR DE LICITAÇÕES INFORMAÇÕES PARA CADASTRO DE FORNECEDORES

Leia mais

TABELA A ATOS DOS TABELIÃES. Ato Emolumentos Emolumentos+ISSQN 01 ABERTURA DE FIRMA R$ 5,80 R$

TABELA A ATOS DOS TABELIÃES. Ato Emolumentos Emolumentos+ISSQN 01 ABERTURA DE FIRMA R$ 5,80 R$ TABELA A - 2013 ATOS DOS TABELIÃES 01 ABERTURA DE FIRMA R$ 5,80 R$ 5,97 02 ATAS NOTARIAIS 03 AUTENTICAÇÃO AUTENTICAÇÃO R$ 2,20 R$ 2,27 04 AVERBAÇÃO SEM VALOR DECLARADO R$ 10,10 R$ 05 BUSCA R$ 16,40 R$

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CONTROLE E IMPACTO AMBIENTAL DCIA SETOR DE ANÁLISE AMBIENTAL (SAA) CHECK-LIST PARA REQUERIMENTO DE CERTIDÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO

DEPARTAMENTO DE CONTROLE E IMPACTO AMBIENTAL DCIA SETOR DE ANÁLISE AMBIENTAL (SAA) CHECK-LIST PARA REQUERIMENTO DE CERTIDÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO DEPARTAMENTO DE CONTROLE E IMPACTO AMBIENTAL DCIA SETOR DE ANÁLISE AMBIENTAL (SAA) CHECK-LIST PARA REQUERIMENTO DE CERTIDÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA (Preenchido por Analista na

Leia mais

ANEXO I LISTA DE DOCUMENTOS PARA MATRÍCULA

ANEXO I LISTA DE DOCUMENTOS PARA MATRÍCULA ANEXO I LISTA DE DOCUMENTOS PARA MATRÍCULA A) CANDIDATOS OPTANTES DA AMPLA CONCORRÊNCIA: 1. Fotocópias autenticadas: a) Documento de identidade* b) CPF c) Título de eleitor, para maiores de 18 (dezoito)

Leia mais

Inventário extrajudicial

Inventário extrajudicial Inventário extrajudicial Inventário extrajudicial previsão legal e requisitos Art. 610. Havendo testamento ou interessado incapaz, proceder-se-á ao inventário judicial. 1 o Se todos forem capazes e concordes,

Leia mais

MUNICÍPIO DE JACAREÍ

MUNICÍPIO DE JACAREÍ MANUAL 1. Este manual contém as exigências técnicas necessárias à obtenção de Licença de Obras de construção, ampliação de edificações, Certificado de Mudança de Uso e Habite-se, através da aprovação de

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA <!ID > INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 44, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2008

INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA <!ID > INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 44, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2008 INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 44, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2008 Estabelece diretrizes para recadastramento de imóveis rurais de que trata o Decreto

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 7.790, DE 2014 (Do Sr. Irajá Abreu)

PROJETO DE LEI N.º 7.790, DE 2014 (Do Sr. Irajá Abreu) *C0049744A* C0049744A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 7.790, DE 2014 (Do Sr. Irajá Abreu) Acresce o 9º ao art. 176 da Lei nº 6.015, de 31 de dezembro de 1973, que dispõe sobre os registros públicos

Leia mais

Tribunal de Justiça do Estado do Ceará

Tribunal de Justiça do Estado do Ceará Tribunal de Justiça do Estado do Ceará TABELA I DOS S E VALORES DO OFÍCIO DE DISTRIBUIÇÃO DE PROTESTOS E OUTROS SERVIÇOS PREVISTOS NO ART. 402 DO DE DIVISÃO E ORGANIZAÇÃO JUDICIÁRIA 001001 Distribuição

Leia mais

Para que serve o registro de um documento no Cartório de Registro de Títulos e Documentos?

Para que serve o registro de um documento no Cartório de Registro de Títulos e Documentos? Em Minas Gerais, o Registro de Títulos e Documentos e o Registro Civil de Pessoas Jurídicas normalmente funcionam em um só local, sob a delegação de um mesmo oficial. A única exceção é a comarca de Belo

Leia mais

2º EDITAL UNIFICADO PARA ENSINO SUPERIOR - PROCESSO DE RENOVAÇÃO DA BOLSA SOCIAL DE ESTUDO PARA O 1º SEMESTRE LETIVO DE 2018.

2º EDITAL UNIFICADO PARA ENSINO SUPERIOR - PROCESSO DE RENOVAÇÃO DA BOLSA SOCIAL DE ESTUDO PARA O 1º SEMESTRE LETIVO DE 2018. CHECKLIST Conferência de Documentos Bolsa Social de Estudo (O checklist não substitui a leitura do Edital Normativo) Nº DE PROTOCOLO: QUANTIDADE DE MEMBROS: CANDIDATO/RESPONSÁVEL LEGAL/FINANCEIRO: CPF:

Leia mais

FICHA DE REGISTRO CADASTRAL. Cep: Cidade: Estado: DDD: Fone: Fax: ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA. Cep: Cidade: Estado: DDD: Fone: Fax:

FICHA DE REGISTRO CADASTRAL. Cep: Cidade: Estado: DDD: Fone: Fax: ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA. Cep: Cidade: Estado: DDD: Fone: Fax: FICHA DE REGISTRO CADASTRAL DADOS DO FORNECEDOR RAZÃO SOCIAL: CNPJ: INSC. EST.: Endereço: Bairro: Cep: Cidade: Estado: DDD: Fone: Fax: e-mail: Site: ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA Endereço: Bairro: Cep:

Leia mais

ANEXO I RELAÇÃO DE DOCUMENTOS Obrigatório para todos os membros da família

ANEXO I RELAÇÃO DE DOCUMENTOS Obrigatório para todos os membros da família Página 4 de 8 ANEXO I RELAÇÃO DE DOCUMENTOS Obrigatório para todos os membros da família Não serão analisados processos com documentação incompleta e/ou ficha socioeconômica incompleta e/ou rasurada. Nesses

Leia mais

USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL

USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL -- INSTRUÇÕES PARA INGRESSO NO OFÍCIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS -- 1. PREVISÃO LEGAL: a) Código de Processo Civil 2015: 1. Art. 1.071, Lei n. 13.105, de 16 de março de 2015; b) Lei

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2003 DOU 20/11/03, seção 1, p.98 B.S. nº 47, de 24/11/03

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2003 DOU 20/11/03, seção 1, p.98 B.S. nº 47, de 24/11/03 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2003 DOU 20/11/03, seção 1, p.98 B.S. nº 47, de 24/11/03 Fixa roteiro para a troca de informações entre o INCRA e os Serviços de Registro de Imóveis, nos

Leia mais

D E C R E T O Nº DE 21 DE JANEIRO DE 2015.

D E C R E T O Nº DE 21 DE JANEIRO DE 2015. D E C R E T O Nº. 5364 DE 21 DE JANEIRO DE 2015. Regulamenta a aplicação da Lei nº 4.133, de 19 de dezembro de 2014 - Lei da mais valia e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICIPIO DE TRÊS RIOS no

Leia mais

Caxias do Sul, novembro de 2016

Caxias do Sul, novembro de 2016 www.cri-rs.com.br Caxias do Sul, novembro de 2016 Comissão de Registro Eletrônico Colégio Registral Dr. Adriano Damásio - Herval; Dr. Cassiano Teló de Lima - Soledade; Dr. Cláudio Nunes Grecco - Bom Retiro

Leia mais

ANEXO IV COMO APRESENTAR A DOCUMENTAÇÃO

ANEXO IV COMO APRESENTAR A DOCUMENTAÇÃO ANEXO IV COMO APRESENTAR A DOCUMENTAÇÃO ENVELOPE 1: Pessoa Física 1. Cópia de Cédula de Identidade (cópia autenticada em cartório); 2. Prova de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas ou cópia do CPF

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 26, DE 28 DE NOVEMBRO DE (DOU nº 234, de 7/12/2005, seção 1 p. 142)

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 26, DE 28 DE NOVEMBRO DE (DOU nº 234, de 7/12/2005, seção 1 p. 142) INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 26, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005. (DOU nº 234, de 7/12/2005, seção 1 p. 142) Fixa Roteiro para a Troca de Informações entre o INCRA e os Serviços de Registro de Imóveis, nos termos

Leia mais

TABELA "F" - EXTRAJUDICIAL DOS TABELIÃES

TABELA F - EXTRAJUDICIAL DOS TABELIÃES ANEXO DA RESOLUÇÃO Nº 19/2015 SECRETARIA DE CONTAS JUDICIAIS E DE APOIO AOS JUIZADOS ESPECIAIS SUBSECRETARIA DE CONTROLE GERAL DE CUSTAS E DE DEPÓSITOS JUDICIAIS REGIMENTO DE CUSTAS / DECRETO-LEI Nº 115/67

Leia mais

APROVAÇÃO E LICENÇA - RESIDENCIAL UNIFAMILIAR

APROVAÇÃO E LICENÇA - RESIDENCIAL UNIFAMILIAR APROVAÇÃO E LICENÇA - RESIDENCIAL UNIFAMILIAR 1. Formulário Padrão (fornecido pelo IMPLURB) devidamente preenchido, sendo imprescindível conter o nome do interessado, número do telefone, número do celular

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2016.2 INSCRIÇÕES 7 a 10 de junho de 2016, exclusivamente pelo site: http://siteprouni.mec.gov.br/. DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS Primeira chamada: 13 de junho de 2016 Segunda chamada: 27

Leia mais

A regularização fundiária urbana e o novo marco legal

A regularização fundiária urbana e o novo marco legal A regularização fundiária urbana e o novo marco legal 1 O processo para aprovação de parcelamentos PROJETO DE PARCELAMENTO APROVAÇÃO NA PREFEITURA E ÓRGÃOS AMBIENTAIS REGISTRO NO CARTÓRIO COMERCIALIZAÇÃO

Leia mais

DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA VALIDAÇÃO DO FIES

DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA VALIDAÇÃO DO FIES DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA VALIDAÇÃO DO FIES Os candidatos selecionados pelo FIES Seleção deverão comparecer a CPSA do UniFOA para validação das informações, no período determinado pelo FNDE. Confira abaixo

Leia mais

PROVA DE REGULARIDADE FISCAL PERANTE A FAZENDA NACIONAL Diário Oficial da União Nº 191, Seção 1 sexta-feira, 3 de outubro de 2014

PROVA DE REGULARIDADE FISCAL PERANTE A FAZENDA NACIONAL Diário Oficial da União Nº 191, Seção 1 sexta-feira, 3 de outubro de 2014 Circular 536/2014 São Paulo, 07 de Outubro de 2014. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) PROVA DE REGULARIDADE FISCAL PERANTE A FAZENDA NACIONAL Diário Oficial da União Nº 191, Seção 1 sexta-feira, 3 de outubro

Leia mais

CARTAS PRECATÓRIAS (CNJud, 167, 4º a 10): O recolhimento de custas pela expedição e cumprimento de cartas precatórias deverá ser comprovado, em

CARTAS PRECATÓRIAS (CNJud, 167, 4º a 10): O recolhimento de custas pela expedição e cumprimento de cartas precatórias deverá ser comprovado, em CARTAS PRECATÓRIAS (CNJud, 167, 4º a 10): O recolhimento de custas pela expedição e cumprimento de cartas precatórias deverá ser comprovado, em regra, no juízo deprecante, e certificado pelos Juízos deprecante

Leia mais

TABELA XIII - ATOS DOS TABELIÃES DE NOTAS, TABELIÃES E OFICIAIS DO REGISTRO DE CONTRATOS MARÍTIMOS ,40 31,86 R$ 56,89 R$ 35,26

TABELA XIII - ATOS DOS TABELIÃES DE NOTAS, TABELIÃES E OFICIAIS DO REGISTRO DE CONTRATOS MARÍTIMOS ,40 31,86 R$ 56,89 R$ 35,26 Tabela Atualizada 29/03/2016 Índice de reajuste para taxa judiciária em 2016: 10,68% Índice de reajuste para emolumento em 2016: 10,68% Obs.: Esta tabela não substitui a lei, sendo a sua utilização restrita

Leia mais

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA INSCRIÇÃO OU RENOVAÇÃO DA INSCRIÇÃO NO CADASTRO DE FORNECEDORES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS E LETRAS

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA INSCRIÇÃO OU RENOVAÇÃO DA INSCRIÇÃO NO CADASTRO DE FORNECEDORES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS E LETRAS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA INSCRIÇÃO OU RENOVAÇÃO DA INSCRIÇÃO NO CADASTRO DE FORNECEDORES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS E LETRAS DO CÂMPUS DE ASSIS DA UNESP Emissão de Certificado de Registro Cadastral nos

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO NEGRINHO

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO NEGRINHO EDITAL Nº 005/2016 EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE PESSOAS FÍSICAS E JURÍDICAS PARA INSCRIÇÃO OU RENOVAÇÃO NO CADASTRO DE FORNECEDORES DA. De conformidade com o disposto no artigo 34 da Lei Federal nº 8666, de

Leia mais

TABELA "F" EXTRAJUDICIAL DOS TABELIÃES

TABELA F EXTRAJUDICIAL DOS TABELIÃES TABELA "F" EXTRAJUDICIAL DOS TABELIÃES Reconhecimento de firma: a) uma 3,80 I b) as que excederem, cada uma 0,95 c) nos papéis destinados à matrícula em curso de ensino do primário ao universitário, cada

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ANALISE DE CRÉDITO IMÓVEL IMÓVEL URBANO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA JURÍDICA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ANALISE DE CRÉDITO IMÓVEL IMÓVEL URBANO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA JURÍDICA do Cartão de CNPJ Inscrição Estadual ou Municipal IMÓVEL URBANO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA JURÍDICA Contrato Social e sua última alteração ou Estatuto de Constituição Comprovante de renda

Leia mais

D.O.U. de 05/10/1992. INSTRUÇÃO NORMATIVA DpRF Nº 109, DE 2 DE OUTUBRO DE 1992

D.O.U. de 05/10/1992. INSTRUÇÃO NORMATIVA DpRF Nº 109, DE 2 DE OUTUBRO DE 1992 D.O.U. de 05/10/1992 INSTRUÇÃO NORMATIVA DpRF Nº 109, DE 2 DE OUTUBRO DE 1992 O Diretor do Departamento da Receita Federal, no uso de suas atribuições, e tendo em vista a necessidade de uniformizar os

Leia mais

4º EDITAL UNIFICADO PARA ENSINO SUPERIOR - PRO- CESSO DE RENOVAÇÃO DA BOLSA SOCIAL DE ESTUDO PARA O 2º SEMESTRE LETIVO DE 2017.

4º EDITAL UNIFICADO PARA ENSINO SUPERIOR - PRO- CESSO DE RENOVAÇÃO DA BOLSA SOCIAL DE ESTUDO PARA O 2º SEMESTRE LETIVO DE 2017. CHECKLIST Conferência de Documentos Bolsa Social de Estudo (O checklist não substitui a leitura do Edital Normativo) CANDIDATO (A): DATA: CURSO/TURNO: QUANTIDADE DE MEMBROS: DOCUMENTOS RG e CPF de TODOS

Leia mais

CÓDIGO SELO EMOLU- MENTO 1 5,75 0,29 0,29 0,29 0,89 0,69 7,33 8, ,26 0,61 0,61 0,61 3,51 6,52 22,29 24,13

CÓDIGO SELO EMOLU- MENTO 1 5,75 0,29 0,29 0,29 0,89 0,69 7,33 8, ,26 0,61 0,61 0,61 3,51 6,52 22,29 24,13 Tribunal de Justiça do Estado do Ceará TABELAS DE EMOLUMENTOS VALORES ATUALIZADOS PELA UFIRCE 2017 CONFORME LEI ESTADUAL Nº 14.826 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2010 D.0. 29/12/2010. TABELA I DOS ATOS E VALORES

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA - CCJC PROJETO DE LEI Nº 3.027, de (Voto em separado Deputado PADRE JOÃO PT/MG)

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA - CCJC PROJETO DE LEI Nº 3.027, de (Voto em separado Deputado PADRE JOÃO PT/MG) COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA - CCJC PROJETO DE LEI Nº 3.027, de 2011. (Voto em separado Deputado PADRE JOÃO PT/MG) Projeto de Lei nº 3.027, de 2011, que acrescenta parágrafo 4º ao art.

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ANALISE DE CRÉDITO IMÓVEL IMÓVEL URBANO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA FÍSICA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ANALISE DE CRÉDITO IMÓVEL IMÓVEL URBANO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA FÍSICA IMÓVEL URBANO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA FÍSICA R.G. e CPF do consorciado e cônjuge Certidão de estado civil Comprovante de residência atualizado Comprovante de renda Ficha Cadastral Declaração

Leia mais

, Nome do adquirente., Endereço / Sede. Características do imóvel: playground salão de festas piscina sauna apart-hotel

, Nome do adquirente., Endereço / Sede. Características do imóvel: playground salão de festas piscina sauna apart-hotel EXMO. SR. PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Nome do adquirente Endereço / Sede,, vem pedir a V. Exª, nos termos do Decreto nº 14602/96, Identidade CPF/CNPJ REVISÃO / IMPUGNAÇÂO DO VALOR VENAL, para

Leia mais

PORTARIA CONJUNTA PGFN/RFB Nº 3, DE 02 DE MAIO DE DOU DE 02/05/2007- EDIÇÃO EXTRA

PORTARIA CONJUNTA PGFN/RFB Nº 3, DE 02 DE MAIO DE DOU DE 02/05/2007- EDIÇÃO EXTRA PORTARIA CONJUNTA PGFN/RFB Nº 3, DE 02 DE MAIO DE 2007 - DOU DE 02/05/2007- EDIÇÃO EXTRA Alterado pela PORTARIA CONJUNTA PGFN/RFB Nº 1, DE 20 DE JANEIRO DE 2010 - DOU DE 22/01/2010 Dispõe sobre a prova

Leia mais

ANEXO IV DOCUMENTOS PARA MATRÍCULA (PARA TODOS OS CANDIDATOS)

ANEXO IV DOCUMENTOS PARA MATRÍCULA (PARA TODOS OS CANDIDATOS) ANEXO IV DOCUMENTOS PARA MATRÍCULA (PARA TODOS OS CANDIDATOS) a) Certificado de Conclusão do Ensino Médio ou equivalente; b) Histórico Escolar do Ensino Médio ou equivalente; c) Certidão de nascimento

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal da Integração Latino-Americana Pró-reitoria de Assuntos Estudantis - PRAE

Ministério da Educação Universidade Federal da Integração Latino-Americana Pró-reitoria de Assuntos Estudantis - PRAE Circular 003/2017-PRAE Foz do Iguaçu, 03 de abril de 2017. ORIENTAÇÕES SOBRE A RENOVAÇÃO SOCIOECONÔMICA DOS AUXÍLIOS ESTUDANTIS - 2017 A Pró Reitoria de Assuntos Estudantis informa que está organizando

Leia mais

Procedimentos para apresentação de documentação para licenciamento municipal ambiental.

Procedimentos para apresentação de documentação para licenciamento municipal ambiental. Beneficiamento de Produtos de Origem Animal (desossa, embalagem e refrigeração). Procedimentos para apresentação de documentação para licenciamento municipal ambiental. 1 - Procedimentos de licenciamento:

Leia mais

TABELA DE EMOLUMENTOS DOS SERVIÇOS NOTARIAIS E DE REGISTROS

TABELA DE EMOLUMENTOS DOS SERVIÇOS NOTARIAIS E DE REGISTROS TABELA V - ATOS DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS I ABERTURA DE MATRÍCULA Descrição do 181 a) abertura de matrícula 89,50 II REGISTRO EM GERAL E DE ESCRITURAS DE INVENTÁRIO, PARTILHAS, SEPARAÇÃO E DIVÓRCIOS

Leia mais

Relatório. Data 17 de dezembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF

Relatório. Data 17 de dezembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 363 - Cosit Data 17 de dezembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL FINANCIADA

Leia mais

TABELAS DE EMOLUMENTOS (Em vigor a partir de 09/01/2009)

TABELAS DE EMOLUMENTOS (Em vigor a partir de 09/01/2009) TABELAS DE EMOLUMENTOS (Em vigor a partir de 09/01/2009) DOS ATOS E VALORES DO OFÍCIO DE REGISTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE PROTESTOS E OUTROS SERVIÇOS PREVISTOS NO ART. 402 DO CÓDIGO DE DIVISÃO E ORGANIZAÇÃO

Leia mais

11/10/ Provimento da CGJ-RJ normatiza a Resolução n 155 no Estado do Rio de Janeiro Qui, 11 de Outubro de :47

11/10/ Provimento da CGJ-RJ normatiza a Resolução n 155 no Estado do Rio de Janeiro Qui, 11 de Outubro de :47 Processo nº 2012-0144048 Assunto: ANÁLISE PARA ADEQUAÇÃO DA CONSOLIDAÇÃO NORMATIVA A RESOLUÇÃO N 155/2012 DO CNJ CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA CGJ NUCLEO DE JUIZES AUXILIARES PARECER O Conselho Nacional

Leia mais

b) Sobre o que exceder de R$ 501,00 até R$ 1.000,00, adicional de 2% 5% Sobre o que exceder de R$ 1.001,00 até R$5.000,00.

b) Sobre o que exceder de R$ 501,00 até R$ 1.000,00, adicional de 2% 5% Sobre o que exceder de R$ 1.001,00 até R$5.000,00. b) Sobre o que exceder de R$ 50,00 até R$.000,00, adicional de 2% 5% c) Sobre o que exceder de R$.00,00 até R$5.000,00. adicional de % 6% 2. Sobre o que exceder de R$ 5.00,00, adicional de 0,5% 6,50% a)

Leia mais

Certidão positiva ou negativa de registro de cada ato de que trata a Resolução nº 01/ ,35 2,39 4,43 15,17

Certidão positiva ou negativa de registro de cada ato de que trata a Resolução nº 01/ ,35 2,39 4,43 15,17 6 TABELA I DOS ATOS E VALORES DO OFÍCIO DE DISTRIBUIÇÃO DE PROTESTOS E OUTROS SERVIÇOS PREVISTOS NO ART. 402 DO CÓDIGO DE DIVISÃO E ORGANIZAÇÃO JUDICIÁRIA CÓDIGO ATO DESCRIÇÃO DOS ATOS SELO EMOLU- FER-

Leia mais

PORTARIA CAT N 093, DE 26 DE SETEMBRO DE (DOE de )

PORTARIA CAT N 093, DE 26 DE SETEMBRO DE (DOE de ) PORTARIA CAT N 093, DE 26 DE SETEMBRO DE 2017 (DOE de 27.09.2017) Altera a Portaria CAT 15, de 06-02-2003, que disciplina o cumprimento das obrigações acessórias e os procedimentos administrativos relacionados

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO OBJETIVO DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO Definir diretrizes para implantação do Sistema de Manutenção, Recuperação e Proteção da Reserva Florestal Legal e Áreas de Preservação Permanente SISLEG nos imóveis,

Leia mais

PROVIMENTO nº 037/2008-CGJ

PROVIMENTO nº 037/2008-CGJ PROVIMENTO nº 037/2008-CGJ Autoriza os serviços de registro imobiliário a procederem à averbação dos contratos referentes aos imóveis financiados pelo Sistema Financeiro de Habitação. O Excelentíssimo

Leia mais

Universidade Municipal de São Caetano do Sul FICHA DE REGISTRO CADASTRAL DE FORNECEDORES

Universidade Municipal de São Caetano do Sul FICHA DE REGISTRO CADASTRAL DE FORNECEDORES FICHA DE REGISTRO CADASTRAL DE FORNECEDORES SETOR DE COMPRAS E LICITAÇÕES Requeremos por meio desta, junto ao Setor de Compras e Licitações Registro n.º EMPRESA Inscrição ( ) Revalidação ( ) Razão Social:...

Leia mais

ATENÇÃO! DOCUMENTOS DO (A) ESTUDANTE E DE TODO GRUPO FAMILIAR ORIGINAL E CÓPIA OBS: TRAZER IMPRESSA A INSCRIÇÃO DO FIES, DENTRO DO PRAZO DE VALIDADE.

ATENÇÃO! DOCUMENTOS DO (A) ESTUDANTE E DE TODO GRUPO FAMILIAR ORIGINAL E CÓPIA OBS: TRAZER IMPRESSA A INSCRIÇÃO DO FIES, DENTRO DO PRAZO DE VALIDADE. ATENÇÃO! O atendimento somente será realizado com horário agendado. Para agendar, favor entrar em contato pelo telefone 3244-7212 ou pelo nosso e-mail setordebolsas@izabelahendrix.edu.br. DOCUMENTOS DO

Leia mais

ATA NOTARIAL e ESCRITURA DECLARATÓRIA DE USUCAPIÃO.

ATA NOTARIAL e ESCRITURA DECLARATÓRIA DE USUCAPIÃO. ATA NOTARIAL e ESCRITURA DECLARATÓRIA DE USUCAPIÃO angelo@volpi.not.br www.volpi.not.br Ata Notarial Previsão Legal: art.236 C.F. Lei 8935/94 arts. 6 e 7 incisos III. CPC art. 364. Provimento 59 Corregedoria

Leia mais