Para este rol, vide o art.º 405º do CódCiv. 135 Vide nº 1 do art.º 37º da Constituição da República de Angola. Página 126 de 224

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Para este rol, vide o art.º 405º do CódCiv. 135 Vide nº 1 do art.º 37º da Constituição da República de Angola. Página 126 de 224"

Transcrição

1 132 n n A propriedade privada é o direito real que integra todas as prerrogativas que se podem ter sobre determinada coisa vide art.º 1305º CódCiv, bem como à Constituição da República de Angola nos termos do art.º 14º, onde, refere a disposição deste que o Estado respeita e protege a propriedade privada PRATA Ana, Dicionário Jurídico, volume I 5ª Ed Almedina. 134 Para este rol, vide o art.º 405º do CódCiv. 135 Vide nº 1 do art.º 37º da Constituição da República de Angola. Página 126 de 224

2 1. Página 127 de 224

3 136 Se um homem alugou um boi pa Página 128 de 224

4 seu aluguel era de 2 sutu de cevada 137 Rés Termo em latim, que significa em portuguesa carta. 138 Termo em latim, que significa em portuguesa coisa. Página 129 de 224

5 139 As práticas medievais evoluíram e se transformaram nas 140 perigosa contra, devia também o Termo em latim, que significa em português textual. 140 Termo em latim, que significa em português entrega da carta. 141 Termo em latim que significa em português ajudar. 142 Termo em latim que significa em português plano. Página 130 de 224

6 Página 131 de 224

7 143., 143 Vide a este rol SMITH, apud DERANI, p.32. Página 132 de 224

8 o Página 133 de 224

9 obrigatoriedade dos contratos, autonomia da vontade, a relatividade dos contratos, e a intangibilidade destes. O que surgindo Página 134 de 224

10 , porém, vem aludir que os negócios jurídicos são os actos constituídos 147 se nas seguintes trilhas MARQUES António Vicente, Direito das Obrigações, V.I Ed. Edipor Polis, pág SILVA Carlos Alberto B. Burity da, Teoria Geral do José Maria neto / Gabinete jurídico da Reitoria da UJES Direito Civil, Ed. da Faculdade de Direito da UAN.2004, pág MOTA Pinto Carlos Alberto da, Teoria Geral do Direito Civil, 3ª Ed. Actualizada Coimbra. Pág BEGALLI, Paulo António. Direito Contratual no novo Código Civil Brasileiro, pág Entenda-se por direito subjectivo o poder ou faculdade, provindos do direito objectivo, de que dispõe uma pessoa, e que se destina, normalmente, à realização de um interesse juridicamente relevante. Página 135 de 224

11 pourlaformation d`u interesses, entant que laloi n`endisposepasautremant. que hay contrato cuandovarias personas se ponen de lar surderechos Tem-se por direito objectivo ao conjunto das regras gerais, abstractas, hipotéticas e dotadas de coercibilidade, que regem as relações intersubjectivas e sociais numa dada comunidade. 150 SILVA Carlos Burity, Teoria Geral do Direito Civil, Ed. Da Faculdade de Direito da UAN. 2004, pág Da validade jurídica dos contratos electrónicos. Jus Navigandi. Disponível: www1.jus.com.br. acesso em: Página 136 de 224

12 1.2.2 Página 137 de 224

13 152 unilaterais contratual, porém, nos Bilaterais ou sinalagmáticos MENEZES Cordeiro, Direito das Obrigações Vol. I Porto Ed. Pág. 407 esegs. 153 VARELA João de matos Antunes. Das obrigações em geral vol. 9º Ed. Almedina Coimbra pág SILVA Carlos Alberto B. Burity da, Teoria Geral do Direito Civil, Ed. da Faculdade de Direito da UAN.2004, pág Na mesma senda se refere SILVA Carlos Alberto B. Burity da, Teoria Geral do Direito Civil, Ed. da Faculdade de Direito da UAN.2004, pág O autor classifica os negócios jurídicos considerando: Negócios unilaterais e bilaterais ou plurilaterais ou (segundo o autor) contratos o que nos parece redundância, uma vez que em última analise, os negócios jurídicos são por via de regra também contratos, tal como avocado pelo autor na nota do rodapé nº 728 da obra citada, Contratos unilaterais (sinalagmáticos e não sinalagmáticos; Negócios entre vivos e mortis causa; negócios consensuais não solenes e formais solenes; Negócios reais; negócios obrigacionais reais, familiares e sucessórios; Página 138 de 224

14 156 António, o contrato é quando gratuitos 157 comutativos aleatórios, ensina 158 nomeniuris negócios patrimoniais e não patrimoniais pessoais; Negócios onerosos e gratuitos; negócios comutativos e aleatórios; e os negócios de mera administração e de disposição. 156 Vide SILVA Carlos Alberto B. Burity da, Teoria Geral do Direito Civil, Ed. Da Faculdade de Direito da UAN.2004, pág418 ao classificar o contrato em apresso, como sendo subdivisão dos contratos patrimoniais, o que nos parece justo se consideramos que os contratos onerosos ou gratuitos envolvem sacrifícios e vantagens patrimoniais. 157 AZEVEDO, Álvaro Villaça. Teoria Geral dos Contratos Típicos e Atípicos. São Paulo. Atlas 2002, pág SAMPAIO, Rogério Marrone de Castro. Série Fundamentos Jurídicos. Contratos. 4 Ed. São Paulo. Atlas, pág. 38. Página 139 de 224

15 como aqueles cuja perfeição do contrato dependa simplesmente da vontade reais ou quoadconstitutionem, e reais se incidirem sobre uma coisa, se o seu objecto for um direito de (execução imediata ou diferida) por, compreende 159 MARQUES António Vicente, Direito das Obrigações, V.I Ed. Editor Polis,2008 pág SILVA Carlos Alberto B. Burity da, Teoria Geral do Direito Civil, Ed. Da Faculdade de Direito da UAN.2004, pág Página 140 de 224

16 mistos, emptório ao afirmar: união de contratos é sua individualidade. é ponto de partida para outras de maior relevo, 164 não levanta questões particulares mas refere o doutrinador são actos que ultrapassam aqueles parâmetros de actuação correspondente a uma gestão de prudência e cometimento sem riscos. 161 MARQUES António Vicente, Direito das Obrigações, V.I Ed. Edipor Polis,2008 pág. 101 e segs 162 Ainda segundo o autor, os contratos mistos serão sempre atípicos podemos encontrar neles três variantes, para maior desenvolvimento vide nota do rodapé nº 148 da obra de MENEZES Cordeiro, Direito das Obrigações Vol. I Ed. Polis Editores MARQUES António Vicente, Direito das Obrigações, V.I Ed. Edipor Polis,2008 Pág SILVA Carlos Alberto B. Burity da, Teoria Geral do Direito Civil, Ed. Da Faculdade de Direito da UAN.2004, pág Página 141 de 224

17 Segundo 166 undo o autor, estão dispostos em três sentidos, num primeiro s sob o ponto de vista da parte. seguintes: a capacidade das partes; a declaração negocial e idoneidade do objecto. 165 SILVA Carlos Alberto B. Burity da, Teoria Geral do Direito Civil, Ed. Da Faculdade de Direito da UAN.2004, pág SILVA Carlos Alberto B. Burity da, Teoria Geral do Direito Civil, Ed. Da Faculdade de Direito da UAN.2004, pág Página 142 de 224

18 o ponto de vista das partes, refere o autor que tais são cláusulas concluir o contrato Pois que tal referência, encontra respaldo constitucional nos termos do art.º 24º. 168 Vide há este efeito a nota do rodapé nº 741 de SILVA Carlos Alberto B. Burity da, Teoria Geral do Direito Civil, Ed. Da Faculdade de Direito da UAN É a norma legal que contém um regime que se destina a aplicar-se em caso omisso PRATA Ana, Dicionário Jurídico vol. I 5ª Ed. 170 SILVA Carlos Alberto B. Burity da, Teoria Geral do Direito Civil, Ed. Da Faculdade de Direito da UAN.2004, pág TELLES Inocêncio Galvão, Manual dos contratos em Geral, Refundido e Actualizado Ed. Coimbra 2000, pág Alertamos pelo facto de onde não haver referencial legislativo nos artigos, remete-se ao CódCiv. Página 143 de 224

19 pactasundservanda MARQUES António Vicente, Direito das Obrigações, V.I Ed. Edipor Polis,2008. Pág Vide nota do rodapé nº 71 da obra de SILVABurity Teoria Geral do Direito Civil. 175 Expressão em latim que significa em português os pactos devem ser cumpridos Página 144 de 224

20 COSTA Mário Júlio de Almeida. Direito das Obrigações 9ºed Revista e Aumentada. Almedina Pág. 100 Página 145 de 224

21 na falta de disposição especial, a declaração negocial deve ser ponto omisso quando outra seja a solução por eles imposta no Na sequência, o art.º242º nº 1 CódCiv defini como segunda norma que a boa na ignorância da simulação ao tempo em que foram constituídos os respectivos direitos o , num estado de espírito juridicamente relevante consistindo tal estado de espírito no conhecimento ou na 177 MARQUES António Vicente, Direito das Obrigações, V.I Ed. Edipor Polis,2008pág MARQUES António Vicente, Direito das Obrigações, V.I Ed. Edipor Polis,2008pág 57 Página 146 de 224

22 que se assinala às partes «a faculdade de livremente.» as posteriores, são mero corolário PINTO Carlos Alberto da Mota, Teoria Geral do Direito Civil 3º Edi Actualizado Coimbra 1999 pág COSTA Mário Júlio de Almeida. Direito das Obrigações 9ºed Revista e Aumentada. Almedina Pág. 253 esegs. Página 147 de 224

23 se assim o regime básico de os requisitos de forma possuir natureza eficaz e valido, constituindo lei imperativa entre as partes, art.º 406 nº 1 tal principio a 2.1 Enquadramento Jurídico do contrato de compra e venda em Angola. 181 Termo latino que significa em português para a essência do negócio 182 COSTA Mário Júlio de Almeida. Direito das Obrigações 9ºed Revista e Aumentada. Almedina 2004.pág COSTA Mário Júlio de Almeida. Direito das Obrigações 9ºed Revista e Aumentada. Almedina 2004.pág COSTA Mário Júlio de Almeida. Direito das Obrigações 9ºed Revista e Aumentada. Almedina 2004.pág 279. Página 148 de 224

24 a propriedade de uma coisa ou direito, mediante um preço. Pelo contrato de compra e venda, se transmite quoadeffectum ; 185 A relação jurídica obrigacional caracteriza-se pela sua estrutura, onde se determinam os sujeitos que são o credor e o devedor, assim, o credor tem a faculdade de exigir de outra ou outras partes e o devedor a conduta de prestação, conforme os termos do art.º 397º CódCiv. 186 SILVA Carlos Alberto B. Burity da, Teoria Geral do Direito Civil, Ed. Da Faculdade de Direito da UAN.2004.pág 402. Página 149 de 224

25 187 quoadeffectum pois, ALMEIDA Carlos Ferreira de, contratos I Conceitos. Fontes. Formação 2º ed Almedina 2003, refere expressamente que os contratos reais são aqueles em que a tradição da coisa se insere no processo de formação pág Para maior compreensão dos elementos da compra e venda, vide o subcapítulo próprio na pág. 19 Página 150 de 224

26 das coisas imóveis PINTO Carlos Alberto da Mota, Teoria Geral do Direito Civil 3º Ed. Actualizado Coimbra Pág Página 151 de 224

27 a oitava parte, Página 152 de 224

28 coisa agradar ao comprador art.º228ºnº1 ao dispor rmos do onde podemos é nula a venda de bens alheios, Página 153 de 224

29 ,.. po A anulabilidade avocada pode ser por erro e por dolo, e estão contidos nos termos do arts 251º e 241 quanto à anulabilidade para o erro e 254º nº 1 e respectivamente 254 nº 2 CódCiv. Página 154 de 224

30 . 191 FI 191 Termo em latim que significa em português Direito da autoridade, direito do governo. Página 155 de 224

31 COSTA Mário Júlio de Almeida. Direito das Obrigações 9ºed Revista e Aumentada. Almedina DicionárioJurídico de PRATA Ana, Dicionário Jurídico, volume I 5ª Ed Almedina. SILVA Carlos Alberto B. Burity da, Teoria Geral do Direito Civil, Ed. da Faculdade de Direito da UAN SAMPAIO, Rogério Marrone de Castro. Série Fundamentos Jurídicos. Contratos. 4 Ed. São Paulo. MOTA Pinto Carlos Alberto da, Teoria Geral do Direito Civil, 3ª Ed. Actualizada Coimbra. MARQUES António Vicente, Direito das Obrigações, V.I Ed. Edipor Polis,2008., apud MARQUES António Vicente, Direito das Obrigações, V.I Ed. Edipor Polis,2008. VARELA João de matos Antunes. Das obrigações em geral vol. 9º Ed. Almedina Coimbra. P. Pais Vasconcelos, Sousa Ribeiro, o problema dos contratos Coimbra PINTO Carlos Alberto da Mota, Teoria Geral do Direito Civil 3ºEdi Actualizado Coimbra TELLES Inocêncio Galvão, Manual dos contratos em Geral, Refundido e Actualizado Ed. Coimbra Página 156 de 224

32 Página 157 de 224

I Curso de Doutoramento em Direito. Ramo de Direito Privado. Direito Civil. Tema geral: Direito dos Contratos

I Curso de Doutoramento em Direito. Ramo de Direito Privado. Direito Civil. Tema geral: Direito dos Contratos I Curso de Doutoramento em Direito Ramo de Direito Privado Direito Civil Tema geral: Direito dos Contratos Profª. Doutora Assunção Cristas Prof. Doutor Vítor Neves A) Programa: Módulo I Formação e conteúdo

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TEORIA GERAL DO NEGÓCIO JURÍDICO Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TEORIA GERAL DO NEGÓCIO JURÍDICO Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular TEORIA GERAL DO NEGÓCIO JURÍDICO Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular TEORIA GERAL DO

Leia mais

Plano de Curso de Direito das Obrigações. Disciplina do 3º Ano da Licenciatura em Direito

Plano de Curso de Direito das Obrigações. Disciplina do 3º Ano da Licenciatura em Direito Faculdade de Direito da Universidade de Macau Plano de Curso de Direito das Obrigações Disciplina do 3º Ano da Licenciatura em Direito Ano Lectivo 2014/2015 Regente: Vera Lúcia Raposo Assistente: Joana

Leia mais

Plano de Curso de Direito das Obrigações. Disciplina do 3º Ano da Licenciatura em Direito

Plano de Curso de Direito das Obrigações. Disciplina do 3º Ano da Licenciatura em Direito Faculdade de Direito da Universidade de Macau Plano de Curso de Direito das Obrigações Disciplina do 3º Ano da Licenciatura em Direito Ano Lectivo 2010/2011 Regente: Manuel M. E. Trigo Assistente: João

Leia mais

Faculdade de Direito de Lisboa Ano lectivo de 2015/2016 TEORIA GERAL DO DIREITO CIVIL II TURMA B

Faculdade de Direito de Lisboa Ano lectivo de 2015/2016 TEORIA GERAL DO DIREITO CIVIL II TURMA B Faculdade de Direito de Lisboa Ano lectivo de 2015/2016 TEORIA GERAL DO DIREITO CIVIL II TURMA B Coordenação e regência: Profª Doutora Maria do Rosário Palma Ramalho Colaboradores: Prof. Doutor Pedro Leitão

Leia mais

DIREITO DAS OBRIGAÇÕES 2.º Ano Turma B (2014/2015)

DIREITO DAS OBRIGAÇÕES 2.º Ano Turma B (2014/2015) DIREITO DAS OBRIGAÇÕES 2.º Ano Turma B (2014/2015) Regente: Pedro Romano Martinez INDICAÇÃO BIBLIOGRÁFICA (Obras gerais) CORDEIRO, António Menezes Direito das Obrigações, Tratado de Direito Civil, Vols.

Leia mais

Contrato Unilateral - gera obrigações para apenas uma das partes. Contrato Bilateral - gera obrigações para ambas as partes.

Contrato Unilateral - gera obrigações para apenas uma das partes. Contrato Bilateral - gera obrigações para ambas as partes. Turma e Ano: Flex B (2013) Matéria / Aula: Civil (Contratos) / Aula 13 Professor: Rafael da Motta Mendonça Conteúdo: Teoria Geral dos Contratos: 3- Classificação; 4 - Princípios. 3. Classificação: 3.1

Leia mais

Provas escritas individuais ou provas escritas individuais e trabalho(s)

Provas escritas individuais ou provas escritas individuais e trabalho(s) Programa de DIREITO CIVIL III 5º período: 4h/s Aula: Teórica EMENTA Concepção histórica dos contratos: do início dos tempos até os dias atuais. Visão estrutural do contrato. Princípios fundamentais do

Leia mais

Direito Civil IV Aula 08. Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2

Direito Civil IV Aula 08. Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2 Direito Civil IV Aula 08 Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2 Revisão Localização do Contrato; Características dos Contratos; Conceito de Contrato; Requisitos de Validade dos Contratos;

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO E INTERPRETAÇÃO DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS

CLASSIFICAÇÃO E INTERPRETAÇÃO DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS CLASSIFICAÇÃO E INTERPRETAÇÃO DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS Leonardo Gomes de Aquino CLASSIFICAÇÃO DOS ATOS JURÍDICOS Silvio de Sávio Venosa 1 diz haver uma enorme variedade de negócios jurídicos com disciplina

Leia mais

Teoria geral do direito civil

Teoria geral do direito civil luís a. carvalho fernandes Professor Jubilado da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa Teoria geral do direito civil VOL. II fontes, conteúdo e garantia da relação jurídica 5.ª edição

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular OPÇÃO I - GARANTIAS CIVIS E COMERCIAIS Ano Lectivo 2013/2014

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular OPÇÃO I - GARANTIAS CIVIS E COMERCIAIS Ano Lectivo 2013/2014 Programa da Unidade Curricular OPÇÃO I - GARANTIAS CIVIS E COMERCIAIS Ano Lectivo 2013/2014 1. Unidade Orgânica Direito (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Direito 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular

Leia mais

oriundos. Página 182 de 224

oriundos. Página 182 de 224 197. 198. 196 197 Menezes Cordeiro in TRATADO II, TOMO I, 2010. Contratos, Negócios Jurídicos Unilaterais p.548 Cfr Manual de Direito bancário, 4ª ed. (2010), 671ss. 198 Adriano P. Da Silva Vaz Serra,

Leia mais

PLANO DE ENSINO - Curso Semestral 2015

PLANO DE ENSINO - Curso Semestral 2015 21/02/2011 Página 1 de 6 PLANO DE ENSINO - Curso Semestral 2015 Disciplina DIREITO DOS CONTRATOS Curso Graduação Período 5º PERÍODO Eixo de Formação EIXO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL Turma A, B e D Código

Leia mais

FACULDADE DE PARÁ DE MINAS Reconhecida pelo Decreto 79.090 de 04/01/1970

FACULDADE DE PARÁ DE MINAS Reconhecida pelo Decreto 79.090 de 04/01/1970 CURSO DE DIREITO 2º SEMESTRE 2013 PERÍODO: 4º DISCIPLINA: Direito Civil III - Teoria Geral dos Contratos e Responsabilidade Civil CARGA HORÁRIA TOTAL: 80 h/a. CRÉDITOS: 04 PROFESSORA: MÁRCIA PEREIRA COSTA

Leia mais

Empréstimos Bancários e seu Enquadramento na Ordem Jurídica Cabo-Verdiana

Empréstimos Bancários e seu Enquadramento na Ordem Jurídica Cabo-Verdiana 8º Encontro de Juristas Bancários de Expressão Oficial Portuguesa Empréstimos Bancários e seu Enquadramento na Ordem Jurídica Cabo-Verdiana Célio Quaresma Afonso Caixa Econômica de Cabo Verde 159 160 8º

Leia mais

UMA PROPOSTA DE CLASSIFICAÇÃO PARA AS FORMAS DE EXTINÇÃO DOS CONTRATOS

UMA PROPOSTA DE CLASSIFICAÇÃO PARA AS FORMAS DE EXTINÇÃO DOS CONTRATOS UMA PROPOSTA DE CLASSIFICAÇÃO PARA AS FORMAS DE EXTINÇÃO DOS CONTRATOS Elaborado em 06.2007. Bruna Lyra Duque Advogada e consultora jurídica em Vitória (ES), mestre em Direitos e Garantias Constitucionais

Leia mais

Programa da disciplina de Direito Comercial II

Programa da disciplina de Direito Comercial II Universidade de Macau Faculdade de Direito Ano lectivo 2010/2011 Programa da disciplina de Direito Comercial II Regente: Mestre Augusto Teixeira Garcia Plano de Curso da Disciplina Direito Comercial II

Leia mais

DIREITO CIVIL Espécies de Contratos

DIREITO CIVIL Espécies de Contratos DIREITO CIVIL Espécies de Contratos Espécies de Contratos a serem estudadas: 1) Compra e venda e contrato estimatório; 2) Doação; 3) Depósito; 4) Mandato; 5) Seguro; 6) Fiança; 7) Empréstimo (mútuo e comodato);

Leia mais

Faculdade de Direito de Lisboa Ano lectivo de 2015/2016 TEORIA GERAL DO DIREITO CIVIL I TURMA B

Faculdade de Direito de Lisboa Ano lectivo de 2015/2016 TEORIA GERAL DO DIREITO CIVIL I TURMA B Faculdade de Direito de Lisboa Ano lectivo de 2015/2016 TEORIA GERAL DO DIREITO CIVIL I TURMA B Coordenação e regência: Profª Doutora Rosário Palma Ramalho Colaboradores: Prof. Doutor Pedro Leitão Pais

Leia mais

Legislação Instrumental. Aula 1. Legislação Aplicada à Logística. Legislação Aplicada à Logística Aula 1. Contextualização. Prof.

Legislação Instrumental. Aula 1. Legislação Aplicada à Logística. Legislação Aplicada à Logística Aula 1. Contextualização. Prof. Legislação Instrumental Aula 1 Prof. Guilherme Amintas Legislação Aplicada à Logística Tópicos desta disciplina por aula Aula 1 noções de Direito Aula 2 Direito Constitucional Aula 3 Direito Empresarial

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL - TEORIA GERAL DOS CONTRATOS MERCANTIS

DIREITO EMPRESARIAL - TEORIA GERAL DOS CONTRATOS MERCANTIS DIREITO EMPRESARIAL - TEORIA GERAL DOS CONTRATOS MERCANTIS Prof. Mauro Fernando de Arruda Domingues 1. Regimes jurídicos e conceito: O contrato é o instrumento pelo qual as pessoas contraem obrigação umas

Leia mais

EXERCÍCIO 1. EXERCÍCIO 1 Continuação

EXERCÍCIO 1. EXERCÍCIO 1 Continuação Direito Civil Contratos Aula 1 Exercícios Professora Consuelo Huebra EXERCÍCIO 1 Assinale a opção correta com relação aos contratos. a) O contrato preliminar gera uma obrigação de fazer, no entanto não

Leia mais

Teoria Geral do Direito Civil

Teoria Geral do Direito Civil Universidade de Macau Faculdade de Direito Teoria Geral do Direito Civil Programa da disciplina Referências bibliográficas Ano lectivo de 2014/2015 Disciplina anual do 2 ano jurídico Carga horária: 5 horas

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO DA RESPONSABILIDADE Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO DA RESPONSABILIDADE Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular DIREITO DA RESPONSABILIDADE Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO DA RESPONSABILIDADE

Leia mais

Teoria Geral do Direito Civil I

Teoria Geral do Direito Civil I Universidade de Macau Faculdade de Direito Teoria Geral do Direito Civil I Programa da disciplina Referências bibliográficas Ano lectivo de 2015/2016 Disciplina semestral do 2 ano jurídico Carga horária:

Leia mais

PARTE I DO DIREITO PRIVADO

PARTE I DO DIREITO PRIVADO PARTE I INTRODUÇÃO ÍNDICE SISTEMÁTICO AO ESTUDO DO DIREITO PRIVADO O DIREITO ÍNDICE E AS SUAS FONTES Objecto e plano do curso... 21 PARTE I INTRODUÇÂO AO ESTUDO DO DIREITO PRIVADO TÍTULO I O DIREITO E

Leia mais

Processo de arbitragem n.º 78/2015. Sentença

Processo de arbitragem n.º 78/2015. Sentença Processo de arbitragem n.º 78/2015 Demandante: A Demandada: B Árbitro único: Jorge Morais Carvalho Sentença I Processo 1. O processo correu os seus termos em conformidade com o Regulamento do Centro Nacional

Leia mais

Outubro/2011. Prof a. HELISIA GÓES. Advogada Especialista em Direito Processual Mestre em Direito Ambiental e Políticas Públicas

Outubro/2011. Prof a. HELISIA GÓES. Advogada Especialista em Direito Processual Mestre em Direito Ambiental e Políticas Públicas Contrato de Compra e Venda Outubro/2011 Prof a. HELISIA GÓES Advogada Especialista em Direito Processual Mestre em Direito Ambiental e Políticas Públicas Definição: é a troca de uma coisa por dinheiro

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO I 2012/2013 RESPONSABILIDADE INDEMNIZATÓRIA DOS PODERES PÚBLICOS EM 3D: ESTADO DE DIREITO, ESTADO FISCAL E ESTADO SOCIAL

DIREITO ADMINISTRATIVO I 2012/2013 RESPONSABILIDADE INDEMNIZATÓRIA DOS PODERES PÚBLICOS EM 3D: ESTADO DE DIREITO, ESTADO FISCAL E ESTADO SOCIAL DIREITO ADMINISTRATIVO I 2012/2013 RESPONSABILIDADE INDEMNIZATÓRIA DOS PODERES PÚBLICOS EM 3D: ESTADO DE DIREITO, ESTADO FISCAL E ESTADO SOCIAL 1. Evolução histórica da responsabilidade civil do Estado

Leia mais

Estabelecimento Empresarial

Estabelecimento Empresarial Estabelecimento Empresarial É a base física da empresa, que consagra um conjunto de bens corpóreos e incorpóreos, constituindo uma universalidade que pode ser objeto de negócios jurídicos. É todo o complexo

Leia mais

DA DOAÇÃO. É o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens e vantagens para o de outra

DA DOAÇÃO. É o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens e vantagens para o de outra DAS VÁRIAS ESPÉCIES DE CONTRATO DA DOAÇÃO É o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens e vantagens para o de outra Unilateral, porque envolve prestação de uma só das

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE «21. A respeito das funções da Contabilidade, tem-se a administrativa e a econômica. Qual das alternativas abaixo apresenta uma função econômica? a) Evitar erros

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

1. Defeitos do Negócio Jurídico continuação:

1. Defeitos do Negócio Jurídico continuação: 1 PONTO 1: Defeitos do Negócio Jurídico - continuação PONTO 2: Erro ou Ignorância PONTO 3: Dolo PONTO 4: Coação PONTO 5: Estado de perigo PONTO 6: Lesão PONTO 7: Fraude Contra Credores PONTO 8: Simulação

Leia mais

ACORDAM NO TRIBUNAL DE ÚLTIMA INSTÂNCIA DA REGIÃO. A, casada no regime de comunhão geral de bens com B, requereu inventário

ACORDAM NO TRIBUNAL DE ÚLTIMA INSTÂNCIA DA REGIÃO. A, casada no regime de comunhão geral de bens com B, requereu inventário ACORDAM NO TRIBUNAL DE ÚLTIMA INSTÂNCIA DA REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU: I Relatório e factos provados A, casada no regime de comunhão geral de bens com B, requereu inventário facultativo por

Leia mais

Outubro/2010. Prof a. Esp. Helisia Góes

Outubro/2010. Prof a. Esp. Helisia Góes Contrato de Compra e Venda Outubro/2010 Prof a. Esp. Helisia Góes Definição: é a troca de uma coisa por dinheiro (VENOSA). É o negócio jurídico bilateral pelo qual uma das partes (vendedora) se obriga

Leia mais

Processo n.º 184/2013. Sentença. I - O processo

Processo n.º 184/2013. Sentença. I - O processo Processo n.º 184/2013 Demandante: A. Demandada: B. Sentença I - O processo 1. O Demandante solicitou a intervenção do Centro Nacional de Informação e Arbitragem de Conflitos de Consumo () no âmbito de

Leia mais

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO DIREITO CONTRATUAL 1. Angélica Santana NPI FAC SÃO ROQUE

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO DIREITO CONTRATUAL 1. Angélica Santana NPI FAC SÃO ROQUE PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO DIREITO CONTRATUAL 1 Angélica Santana NPI FAC SÃO ROQUE INTRODUÇÃO Para o Direito existem alguns princípios pelo qual, podemos destacar como base fundamental para estabelecer

Leia mais

Tema DC - 01 INTRODUÇÃO DO ESTUDO DO DIREITO CONSTITUCIONAL RECORDANDO CONCEITOS

Tema DC - 01 INTRODUÇÃO DO ESTUDO DO DIREITO CONSTITUCIONAL RECORDANDO CONCEITOS Tema DC - 01 INTRODUÇÃO DO ESTUDO DO DIREITO CONSTITUCIONAL RECORDANDO CONCEITOS 1 1. CONCEITO BÁSICO DE DIREITO Somente podemos compreender o Direito, em função da sociedade. Se fosse possível ao indivíduo

Leia mais

PLANO DE ENSINO. TEORIA GERAL DO DIREITO PRIVADO - Noturno Código 50010 Créditos: 4 Pré-requisitos --

PLANO DE ENSINO. TEORIA GERAL DO DIREITO PRIVADO - Noturno Código 50010 Créditos: 4 Pré-requisitos -- PLANO DE ENSINO 1. IDENTIFICAÇÃO: Faculdade: FACITEC Curso: DIREITO Disciplina: TEORIA GERAL DO DIREITO PRIVADO - Noturno Código 50010 Créditos: 4 Pré-requisitos -- 2. EMENTA: Princípios fundamentais:

Leia mais

A CLÁUSULA DE RESERVA DE PROPRIEDADE EM MOÇAMBIQUE 1

A CLÁUSULA DE RESERVA DE PROPRIEDADE EM MOÇAMBIQUE 1 A CLÁUSULA DE RESERVA DE PROPRIEDADE EM MOÇAMBIQUE 1 Stayleir Marroquim 2 1 O presente texto, com os necessários melhoramentos, corresponde ao relatório apresentado em 2007 na Cadeira de Direito das Obrigações

Leia mais

SABER DIREITO FORMULÁRIO

SABER DIREITO FORMULÁRIO Programa Saber Direito TV Justiça Outubro de 2010 Curso: Teoria Geral dos Contratos Professor: Thiago Godoy SABER DIREITO FORMULÁRIO DO CURSO TEORIA GERAL DOS CONTRATOS PROFESSOR THIAGO GODOY AULA 01 Conceito

Leia mais

FADI - SOROCABA DIREITO CIVIL III CONTRATOS PRIMEIRO SEMESTRE

FADI - SOROCABA DIREITO CIVIL III CONTRATOS PRIMEIRO SEMESTRE FADI - SOROCABA DIREITO CIVIL III CONTRATOS PRIMEIRO SEMESTRE 18/05/12 A-) GESTÃO DE NEGÓCIOS: - Noção: é a intervenção não autorizada de uma pessoa, denominada gestor, na condução dos negócios de outra,

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO 1) IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Disciplina Teoria Geral dos Contratos

Leia mais

- Doação a incapaz, terá de o ser sem encargos (puras) e produz efeitos independentemente da aceitação (presumida). (951. nº. 1 e 2 CC).

- Doação a incapaz, terá de o ser sem encargos (puras) e produz efeitos independentemente da aceitação (presumida). (951. nº. 1 e 2 CC). Noção Contrato pelo qual uma Pessoa Jurídica, por espírito de liberalidade e à custa do seu património, dispõe gratuitamente de uma coisa ou de um direito, ou assume uma obrigação, em benefício do outro

Leia mais

1. Compra e Venda Mercantil (art. 481/504 CC) 1. Origem histórica da compra e venda

1. Compra e Venda Mercantil (art. 481/504 CC) 1. Origem histórica da compra e venda 1. Compra e Venda Mercantil (art. 481/504 CC) 1. Origem histórica da compra e venda A compra e venda é o mais importante de todos os contratos, tendo em vista que é pela compra e venda que se dá a circulação

Leia mais

Convenção de Nova Iorque - Reconhecimento e Execução de Sentenças Arbitrais Estrangeiras

Convenção de Nova Iorque - Reconhecimento e Execução de Sentenças Arbitrais Estrangeiras CONVENÇÃO DE NOVA YORK Convenção de Nova Iorque - Reconhecimento e Execução de Sentenças Arbitrais Estrangeiras Decreto nº 4.311, de 23/07/2002 Promulga a Convenção sobre o Reconhecimento e a Execução

Leia mais

Grandes Dicotomias (b)

Grandes Dicotomias (b) Grandes Dicotomias (b) 27. Direito Objetivo x Subjetivo definições e fundamentos 28. Direito Objetivo x Subjetivo estrutura do direito subjetivo Grandes Dicotomias (b) Direito objetivo e direito subjetivo

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO Faculdade de Direito da Universidade do Porto 2007 Paulo Jorge Alves da Rocha Torres p a u l o j t o r r e s @ s a p o. p t Paulo Jorge Alves da Rocha Torres

Leia mais

Teoria Geral das Obrigações. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Teoria Geral das Obrigações. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Teoria Geral das Obrigações Objetivos A presente aula tem por objetivo apresentar a teoria geral das obrigações iniciando-se com um breve relato sobre o Direito das Obrigações, seguindo-se para os elementos

Leia mais

Outubro 2013 LEGAL FLASH I ANGOLA REGIME PROVISÓRIO DE CONSTITUIÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE SOCIEDADES COMERCIAIS UNIPESSOAIS LEGISLAÇÃO EM DESTAQUE 4

Outubro 2013 LEGAL FLASH I ANGOLA REGIME PROVISÓRIO DE CONSTITUIÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE SOCIEDADES COMERCIAIS UNIPESSOAIS LEGISLAÇÃO EM DESTAQUE 4 LEGAL FLASH I ANGOLA Outubro 2013 LEGAL FLASH I ANGOLA REGIME PROVISÓRIO DE CONSTITUIÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE SOCIEDADES COMERCIAIS UNIPESSOAIS 2 LEGISLAÇÃO EM DESTAQUE 4 I. REGIME PROVISÓRIO DE CONSTITUIÇÃO

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA DE DIREITO FISCAL (3. ANO)

PROGRAMA DA DISCIPLINA DE DIREITO FISCAL (3. ANO) FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE DE MACAU CURSO DE LICENCIATURA EM DIREITO EM LÍNGUA PORTUGUESA ANO LECTIVO DE 2014/2015 PROGRAMA DA DISCIPLINA DE DIREITO FISCAL (3. ANO) DISCIPLINA SEMESTRAL CARGA HORÁRIA:

Leia mais

DISCIPLINA DIRETO DA INSOLVÊNCIA - TURMA B PROFESSORES REGENTES: PEDRO MADEIRA DE BRITO E Luís Gonçalves da Silva

DISCIPLINA DIRETO DA INSOLVÊNCIA - TURMA B PROFESSORES REGENTES: PEDRO MADEIRA DE BRITO E Luís Gonçalves da Silva Mestrado Profissionalizante 2015/2016 DISCIPLINA DIRETO DA INSOLVÊNCIA - TURMA B PROFESSORES REGENTES: PEDRO MADEIRA DE BRITO E Luís Gonçalves da Silva 1. Noções fundamentais de Direito da Insolvência.

Leia mais

Projeto de lei n.º 224/XII

Projeto de lei n.º 224/XII Projeto de lei n.º 224/XII 10.ª Alteração ao Decreto-Lei n.º 349/98, de 11 de Novembro, introduzindo mecanismos adicionais de proteção dos devedores no contratos de crédito para aquisição de habitação

Leia mais

ASSUNTO: Partilha por divórcio art.º 1790.º do Código Civil Impostos.

ASSUNTO: Partilha por divórcio art.º 1790.º do Código Civil Impostos. Proc.º n.º C. N. 20/2009 SJC CT ASSUNTO: Partilha por divórcio art.º 1790.º do Código Civil Impostos. DESCRIÇÃO E ANÁLISE DO PROBLEMA: O helpdesk do Balcão das Heranças e Divórcios com Partilha colocou

Leia mais

As E.P.E. S do Sector da Saúde:

As E.P.E. S do Sector da Saúde: As E.P.E. S do Sector da Saúde: A) O que são. B) A função que desempenham. C) O Sector Público de que não fazem parte. D) Onde estão integradas. E) Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas. F) Síntese.

Leia mais

Publicado na revista TOC. Fiscalidade no imobiliário Contrato de locação financeira imobiliária Enquadramento fiscal

Publicado na revista TOC. Fiscalidade no imobiliário Contrato de locação financeira imobiliária Enquadramento fiscal Publicado na revista TOC Fiscalidade no imobiliário Contrato de locação financeira imobiliária Enquadramento fiscal O regime jurídico do contrato de locação financeira, vem consagrado no DL nº 149/95,

Leia mais

Questões Fundamentadas do Código Civil Lei 10.406/2002 - Arts. 104 a 232

Questões Fundamentadas do Código Civil Lei 10.406/2002 - Arts. 104 a 232 1 350 Art. 104 ao 232 Livro III Dos Fatos Jurídicos Título I Do Negócio Jurídico Título II Dos Atos Jurídicos lícitos Título III Dos Atos ilícitos Título IV Prescrição e Decadência Título V Da Prova Para

Leia mais

O Acto Administrativo: Conceito, estrutura, objecto e conteúdo

O Acto Administrativo: Conceito, estrutura, objecto e conteúdo Filipa Rente Ramalho O Acto Administrativo: Conceito, estrutura, objecto e conteúdo Trabalho para a Disciplina de Direito Administrativo Orientador: Professor António Francisco de Sousa UNIVERSIDADE DO

Leia mais

RESPONSABILIDADE DO SERVIDOR E DEVERES DO ADMINISTRADOR

RESPONSABILIDADE DO SERVIDOR E DEVERES DO ADMINISTRADOR RESPONSABILIDADE DO SERVIDOR E DEVERES DO ADMINISTRADOR A punição administrativa ou disciplinar não depende de processo civil ou criminal a que se sujeite também o servidor pela mesma falta, nem obriga

Leia mais

A Breve referência à Filosofia da Venda Executiva mediante Negociação particular

A Breve referência à Filosofia da Venda Executiva mediante Negociação particular 67 A Breve referência à Filosofia da Venda Executiva mediante Negociação particular 67 Página 65 de 224 O capítulo segundo foi epigrafado com o título Ontologia da venda executiva por negociação particular.

Leia mais

Sumário PARTE GERAL 3. PESSOA JURÍDICA

Sumário PARTE GERAL 3. PESSOA JURÍDICA Sumário PARTE GERAL 1. LINDB, DAS PESSOAS, DOS BENS E DO NEGÓCIO JURÍDICO 1. Introdução (DL 4.657/1942 da LINDB) 2. Direito objetivo e subjetivo 3. Fontes do Direito 4. Lacuna da lei (art. 4.º da LINDB)

Leia mais

DIREITO INDIVIDUAL DO TRABALHO

DIREITO INDIVIDUAL DO TRABALHO 6.1 Definições Locação de serviço - Código Civil de 1916 Termo contrato de trabalho Lei 62/1935 o Contrato de trabalho X relação de emprego (contrato de emprego) o Impropriedade dos termos empregado autônomo

Leia mais

INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 11 INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES

INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 11 INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 11 INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES Índice 1. Inadimplemento das Obrigações...4 1.1. Mora... 4 1.2. Das Perdas e Danos... 4 1.3. Juros moratórios ou juros

Leia mais

CAPÍTULO I INTRODUÇÃO

CAPÍTULO I INTRODUÇÃO Mestrado: Empresarial Disciplina: DIREITO DOS SEGUROS Docente: PAULO CÂMARA Ano letivo: 2013/2014 Semestre: 2.º semestre 1. Programa da disciplina: 1.º Introdução CAPÍTULO I INTRODUÇÃO 1. Delimitação 2.

Leia mais

Alienação em garantia. catarinapires@fd.ul.pt catarinapires@mlgts.pt

Alienação em garantia. catarinapires@fd.ul.pt catarinapires@mlgts.pt Alienação em garantia catarinapires@fd.ul.pt Sumário - 1. Conceito - 2. Contexto: - PrósecontrasdaALGno mercado degarantiasdocrédito; - Figura numa encruzilhada, entre diferentes quadrantes. - 3. Dois

Leia mais

Regime da Protecção de Dados nos Centros Telefónicos de Relacionamento Quadro Actual: Deliberação 629/2010

Regime da Protecção de Dados nos Centros Telefónicos de Relacionamento Quadro Actual: Deliberação 629/2010 PROTECÇÃO DE DADOS PESSOAIS E O MARKETING Regime da Protecção de Dados nos Centros Telefónicos de Relacionamento Quadro Actual: Deliberação 629/2010 Sónia Sousa Pereira 13-12-2011 Sónia Sousa Pereira 2

Leia mais

APRESENTAÇÃO CNF Comparato, Nunes & Federici Advogados

APRESENTAÇÃO CNF Comparato, Nunes & Federici Advogados APRESENTAÇÃO CNF Comparato, Nunes & Federici Advogados é um escritório especializado em Direito Empresarial, possuindo forte atuação contenciosa e consultiva de âmbito nacional. Conta com estrutura física

Leia mais

AULA 08 TEORIA GERAL DOS CONTRATOS

AULA 08 TEORIA GERAL DOS CONTRATOS Profª Helisia Góes Direito Civil III Contratos Turmas 5ºDIV, 5º DIN-1 e 5º DIN-2 DATA: 24/09/09 (5º DIV) e 29/09/09 (5º DIN-1 e 5º DIN-2) CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ AULA 08 TEORIA GERAL DOS CONTRATOS

Leia mais

DIREITO CIVIL Comentários Prova CETRO ISS/SP 2014 Prof. Lauro Escobar

DIREITO CIVIL Comentários Prova CETRO ISS/SP 2014 Prof. Lauro Escobar ISS/SP 2014) No que tange aos institutos da Prescrição e da Decadência, marque V para verdadeiro ou F para falso e, em seguida, assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA. ( ) O princípio

Leia mais

Palavras chave: Direito Constitucional. Princípio da dignidade da pessoa humana.

Palavras chave: Direito Constitucional. Princípio da dignidade da pessoa humana. 99 Princípio da Dignidade da Pessoa Humana Idália de Oliveira Ricardo de Assis Oliveira Talúbia Maiara Carvalho Oliveira Graduandos pela Faculdade de Educação, Administração e Tecnologia de Ibaiti. Palavras

Leia mais

FAN - Faculdade Nobre. Modalidades de Obrigações II

FAN - Faculdade Nobre. Modalidades de Obrigações II FAN - Faculdade Nobre Modalidades de Obrigações II Obrigações Solidárias 1. Conceito: I. Solidariedade Ativa: (art. 267, CC). II. Solidariedade Passiva: (art. 275, CC). III. Solidariedade Mista: vontade

Leia mais

O CONTRATO DE LOCAÇÃO DE IMÓVEIS URBANOS REGULADOS PELA LEI Nº 8.245/91 E AS ALTERAÇÕES ADVINDAS PELA LEI Nº 12.112/09

O CONTRATO DE LOCAÇÃO DE IMÓVEIS URBANOS REGULADOS PELA LEI Nº 8.245/91 E AS ALTERAÇÕES ADVINDAS PELA LEI Nº 12.112/09 UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ UNIVALI CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E JURÍDICAS - CEJURPS CURSO DE DIREITO O CONTRATO DE LOCAÇÃO DE IMÓVEIS URBANOS REGULADOS PELA LEI Nº 8.245/91 E AS ALTERAÇÕES ADVINDAS

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO DAS SUCESSÕES Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO DAS SUCESSÕES Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular DIREITO DAS SUCESSÕES Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO DAS SUCESSÕES (02328)

Leia mais

Características das Autarquias

Características das Autarquias ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Professor Almir Morgado Administração Indireta: As entidades Administrativas. Autarquias Define-se autarquia como o serviço autônomo criado por lei específica, com personalidade d

Leia mais

DIREITO CIVIL. 1. Cláusula Penal:

DIREITO CIVIL. 1. Cláusula Penal: 1 PONTO 1: Cláusula Penal PONTO 2: Formação dos contratos PONTO 3: Arras PONTO 4: Extinção PONTO 5: Classificação dos contratos PONTO 6: Vícios redibitórios 1. Cláusula Penal: Estrutura da cláusula penal:

Leia mais

O contrato de seguro no Novo Código Civil. Uma breve abordagem. 1. Noção geral sobre os contratos

O contrato de seguro no Novo Código Civil. Uma breve abordagem. 1. Noção geral sobre os contratos O contrato de seguro no Novo Código Civil Uma breve abordagem 1. Noção geral sobre os contratos 1.1 O Contrato como negócio jurídico Dentre as definições doutrinárias de contrato, damos início a este trabalho

Leia mais

Atos, fatos e negócios jurídicos

Atos, fatos e negócios jurídicos Conceito Ahyrton Lourenço Neto* As pessoas (naturais ou jurídicas), ao desenvolverem suas atividades na sociedade, podem com estas gerar consequências jurídicas. Essas atitudes juridicamente relevantes

Leia mais

Decreto-Lei n.º 45942 Convenção para a cobrança de alimentos no estrangeiro, concluída em Nova Iorque em 20 de Junho de 1956

Decreto-Lei n.º 45942 Convenção para a cobrança de alimentos no estrangeiro, concluída em Nova Iorque em 20 de Junho de 1956 Decreto-Lei n.º 45942 Convenção para a cobrança de alimentos no estrangeiro, concluída em Nova Iorque em 20 de Junho de 1956 Usando da faculdade conferida pela 2.ª parte do n.º 2.º do artigo 109.º da Constituição,

Leia mais

Estudo sobre Contratos Mistos

Estudo sobre Contratos Mistos Nuno Miguel Vieira da Silva ESTUDANTE UNIVERSITÁRIO Estudo sobre Contratos Mistos verbojuridico 2006 verbojuridico.net 2 1. Introdução Antes de ser iniciada qualquer forma de análise do regime jurídico,

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Do contrato de troca ou permuta Maíra Santos Antunes da Silva Conceito Na permuta um dos contratantes promete uma coisa em troca de outra, ou seja, uma parte se obriga a dar uma

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE CONSÓRCIO

MINUTA DE CONTRATO DE CONSÓRCIO ADVERTE-SE QUE ESTA MINUTA CONSTITUI APENAS UM EXEMPLO, PELO QUE DEVERÁ SER ADAPTADA CASO A CASO. A AICCOPN NÃO SE RESPONSABILIZA PELA INSUFICIENTE OU INDEVIDA ADAPTAÇÃO DA PRESENTE MINUTA. MINUTA DE CONTRATO

Leia mais

NOTA JURÍDICA. corresponde a 343,28. Consequentemente, o valor referido no artigo em apreço equivale a mil vezes o dito índice 100, ou seja, 343.280.

NOTA JURÍDICA. corresponde a 343,28. Consequentemente, o valor referido no artigo em apreço equivale a mil vezes o dito índice 100, ou seja, 343.280. NOTA JURÍDICA 1) A MULTICENCO ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS, S.A., ora CONSULENTE, solicitou esclarecimentos sobre a seguinte questão: a celebração, entre a CONSULENTE e o MUNICÍPIO DE SETÚBAL, de contrato

Leia mais

CÓDIGO DAS SOCIEDADES COMERCIAIS

CÓDIGO DAS SOCIEDADES COMERCIAIS CÓDIGO DAS SOCIEDADES COMERCIAIS Edição de Bolso 8.ª EDIÇÃO ACTUALIZAÇÃO N. 1 1 CÓDIGO DAS SOCIEDADES COMERCIAIS EDIÇÃO DE BOLSO Actualização n. 1 ORGANIZAÇÃO BDJUR BASE DE DADOS JURÍDICA EDITOR EDIÇÕES

Leia mais

TABELA DE CORRESPONDÊNCIA CÓDIGO CIVIL/1916 E CÓDIGO CIVIL/2002

TABELA DE CORRESPONDÊNCIA CÓDIGO CIVIL/1916 E CÓDIGO CIVIL/2002 TABELA DE CORRESPONDÊNCIA CÓDIGO CIVIL/1916 E CÓDIGO CIVIL/2002 PARTE GERAL DISPOSIÇÃO PRELIMINAR Art. 1º............. sem correspondência LIVRO I DAS PESSOAS TÍTULO I DA DIVISÃO DAS PESSOAS DAS PESSOAS

Leia mais

Questões Fundamentadas do Código Civil Lei 10.406/2002 - Arts. 104 a 232

Questões Fundamentadas do Código Civil Lei 10.406/2002 - Arts. 104 a 232 1 APOSTILA AMOSTRA Para adquirir a apostila de 350 Questões Fundamentadas do Código Civil Lei 10.406/2002 Art. 104 a 232 Acesse o site: www.concursoassistentesocial.com.br Atenção: A apostila, devidamente

Leia mais

Vejamos, Seguiremos, por isso, o vertido em ambos os pareceres. No parecer do Conselho Geral defendeu-se que:

Vejamos, Seguiremos, por isso, o vertido em ambos os pareceres. No parecer do Conselho Geral defendeu-se que: PARECER Nº 35/PP/2014-P CONCLUSÕES: 1. A placa identificativa do escritório de Advogado apenas deve conter informação que se destine a identificar a existência de um escritório de advogado naquele local

Leia mais

PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO (RNE)

PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO (RNE) ORDEM DOS ADVOGADOS CNEF / CNA Comissão Nacional de Estágio e Formação / Comissão Nacional de Avaliação PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO (RNE) ÁREAS OPCIONAIS (3 valores)

Leia mais

DIREITO IMOBILIÁRIO. Introdução. Terminologia. 1. Direito Imobiliário:

DIREITO IMOBILIÁRIO. Introdução. Terminologia. 1. Direito Imobiliário: Introdução. Terminologia. 1. Direito Imobiliário: Nas palavras de Hércules Aghiarian 1 o direito imobiliário é o direito da coisa em movimento. 1.1. Direito das Coisas ou Direitos Reais: Direito da Coisa

Leia mais

11/11/2010 (Direito Empresarial) Sociedades não-personificadas. Da sociedade em comum

11/11/2010 (Direito Empresarial) Sociedades não-personificadas. Da sociedade em comum 11/11/2010 (Direito Empresarial) Sociedades não-personificadas As sociedades não-personificadas são sociedades que não tem personalidade jurídica própria, classificada em: sociedade em comum e sociedade

Leia mais

PROTOCOLO. Considerando que:

PROTOCOLO. Considerando que: PROTOCOLO Considerando que: Os Julgados de Paz constituem uma forma inovadora de administração da Justiça dirigida aos Cidadãos e, nessa medida, subordinada aos princípios da proximidade, simplicidade

Leia mais

O regime jurídico do jogo e da aposta em Macau dos contratos em especial

O regime jurídico do jogo e da aposta em Macau dos contratos em especial Administração n.º 82, vol. XXI, 2008-4.º, 951-982 951 O regime jurídico do jogo e da aposta em Macau dos contratos em especial Teresa Albuquerque e Sousa* No que toca ao direito do jogo, existe uma separação

Leia mais

VENDAS Á DISTÂNCIA. Decreto-Lei n.º 7/2004 de 07 01: Comércio Electrónico. Decreto-Lei n.º 24/2014 de 14-02: Vendas à Distância

VENDAS Á DISTÂNCIA. Decreto-Lei n.º 7/2004 de 07 01: Comércio Electrónico. Decreto-Lei n.º 24/2014 de 14-02: Vendas à Distância VENDAS Á DISTÂNCIA Enquadramento Legal Decreto-Lei n.º 7/2004 de 07 01: Comércio Electrónico Decreto-Lei n.º 24/2014 de 14-02: Vendas à Distância No que respeita à forma da contratação electrónica, estipula

Leia mais

LEASING E PRISÃO CIVIL

LEASING E PRISÃO CIVIL MARIANA RIBEIRO SANTIAGO (ADVOGADA FORMADA PELA FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA-UFBA; ESPECIALISTA EM CONTRATOS PELA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC/ SP; E MESTRANDA

Leia mais

II Jornadas de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho

II Jornadas de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho II Jornadas de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho A responsabilidade civil e criminal no âmbito da SHST Luís Claudino de Oliveira 22/maio/2014 Casa das Histórias da Paula Rego - Cascais Sumário 1.

Leia mais

REGIME DE BENS NO NOVO CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO

REGIME DE BENS NO NOVO CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO 1 REGIME DE BENS NO NOVO CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO Cleiton Graciano dos Santos 1 RESUMO: Este artigo trata sobre o Regime de Bens no novo Código Civil brasileiro, apresentando os principais aspectos do assunto,

Leia mais

Programa da disciplina de Direito Comercial I

Programa da disciplina de Direito Comercial I Universidade de Macau Faculdade de Direito Ano lectivo 2010/2011 Programa da disciplina de Direito Comercial I Regente: Mestre Augusto Teixeira Garcia Assistente: Mestre Miguel Quental Programa da disciplina

Leia mais

CÓDIGO DA PUBLICIDADE. Actualização N.º 4

CÓDIGO DA PUBLICIDADE. Actualização N.º 4 CÓDIGO DA PUBLICIDADE Actualização N.º 4 Código da Publicidade 2 TÍTULO: AUTORES: CÓDIGO DA PUBLICIDADE Actualização N.º 4 BDJUR EDITOR: EDIÇÕES ALMEDINA, SA Avenida Fernão de Magalhães, n.º 584, 5º Andar

Leia mais

Responsabilidade Civil

Responsabilidade Civil Responsabilidade Civil Responsabilidade civil, dano e Regimes de Responsabilidade: A responsabilidade civil pode ser classificada em responsabilidade por culpa, pelo risco ou pelo sacrifício, dependendo

Leia mais