AS PÁGINAS 1 A 10 NÃO SÃO APRESENTADAS NESTA PRÉ-VISUALIZAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AS PÁGINAS 1 A 10 NÃO SÃO APRESENTADAS NESTA PRÉ-VISUALIZAÇÃO"

Transcrição

1

2 AS PÁGINAS 1 A 10 NÃO SÃO APRESENTADAS NESTA PRÉ-VISUALIZAÇÃO

3 Índice sistemático ÍNDICE SISTEMÁTICO NOTA EDITORIAL... 3 COMO UTILIZAR A OBRA?... 5 NOTA DE AUTORES... 7 SIGLAS E ABREVIATURAS... 9 PARTE I. ACORDO E TRANSAÇÃO 1. Acordo - entre ex-cônjuges relativamente a pensão de alimentos Transação PARTE II. AUTORIZAÇÕES E INSTRUMENTOS 3. Autorização - a cônjuge Autorização - a pais/sogros Autorização de saída de território nacional de menor nacional Autorização de saída de território nacional de menor Estrangeiro Residente em Portugal Instrumento de Confirmação - de partilha e dispensa de colação, por cônjuge Instrumento de Consentimento - a venda e partilha, por cônjuge Delegação de Poderes - poderes de gerência, para venda Instrumento de Ratificação - de gestão de negócios em compra e venda Instrumento de Ratificação - de gestão de negócios, em cessão de quotas, aumento de capital social e transformação de sociedade 49 PARTE III. AVERBAMENTOS 12. Averbamento - retificação de valor de venda Averbamento - retificação do objeto frações autónomas Averbamento - identificação de publicação do extrato da justificação Averbamento - menção a impugnação de ato notarial Averbamento - ratificação de gestão de negócios JusFormulários Atos Notariais 11

4 Índice sistemático PARTE IV. COMPRA E VENDA 17. Compra e Venda - prédio misto para revenda Compra e Venda - prédio urbano para habitação Compra e Venda - fração autónoma para habitação Compra e Venda - prédio urbano adquirido por Fundo de Investimento Imobiliário Compra e Venda - prédio urbano com venda por massa insolvente de pessoa singular Compra e Venda e Mútuo com Hipoteca - ascendente para habitação própria permanente Compra e Venda e Mútuo com Hipoteca e Fiança - fração autónoma Compra e Venda, com Reserva de Propriedade e Dação em Cumprimento - prédio misto Retificação de escritura de compra e venda Certificado de não comparência - compra e venda Certificado de não comparência compra e venda com primeira transmissão PARTE V. OBRIGAÇÕES 28. Confissão de dívida e Hipoteca Cessão de Crédito - emergente de confissão de dívida Cessão de Crédito - emergente de empréstimo Cessão de Crédito - emergente de sentença condenatória Dação em Cumprimento - prédios objeto de justificação precedente Dação em Cumprimento e Renúncia de Hipoteca - pagamento parcial Promessa de Dação em Cumprimento - a instituição financeira e sociedade empreiteira sobre frações e suas construções Distrate de Compra e Venda Hipoteca - sobre imóveis onerados, para garantia de operações e responsabilidades da atividade comercial Hipoteca - sobre prédio misto, para garantia de acordo de dívida Hipoteca - sobre prédio urbano, para garantia de dívida fiscal de sociedade Distrate de Hipoteca Wolters Kluwer Portugal

5 Índice sistemático 40. Mútuo com Hipoteca - mútuo com confissão conjunta de dívida e hipoteca de bem próprio de cônjuge, com usufruto Mútuo com Hipoteca e Fiança - transferência de empréstimo para aquisição de habitação e hipoteca de prédio urbano com fiador Alteração de Mútuo com Hipoteca - alteração de contrato de abertura de crédito com hipoteca e ampliação de hipoteca Alteração de Mútuo com Hipoteca - alteração de mútuo subsequente a divisão de coisa comum, com exoneração de um dos titulares do empréstimo Abertura de Crédito e Consignação de Rendimentos e Hipoteca Crédito para Emissão de Garantias Bancárias Certificado de não comparência cessão de créditos PARTE VI. CONTRATOS PROMESSA 47. Acordo de Aditamento aos Contratos Promessa, com Cláusula Obrigacional e Novo Contrato Promessa Contrato-Promessa de Compra e Venda com Eficácia Real de Imóvel e de Cessão de Quotas Contrato-Promessa de Compra e Venda Retificação a Aditamento aos Contratos Promessa, com Cláusula Obrigacional e Novo Contrato Promessa PARTE VII. CONVENÇÃO ANTENUPCIAL 51. Convenção Antenupcial Alteração de Convenção Antenupcial PARTE VIII. DIVISÃO DE COISA COMUM 53. Divisão de Coisa Comum verbas do Ativo Divisão de Coisa Comum e Mútuo com Hipoteca verbas do Ativo e Passivo Retificação de escritura de divisão de coisa comum PARTE IX. DOAÇÃO 56. Doação - prédio rústico, por conta da quota disponível, de avós a neta com dispensa de colação Doação com Reserva do Uso e Habitação - prédio urbano, por conta da quota disponível, a filho, com reserva JusFormulários Atos Notariais 13

6 Índice sistemático 58. Doação - meação de bens de casamento dissolvido, por conta de quota disponível e livre de colação Doação - fração autónoma, por sociedade a pessoa singular, primeira transmissão PARTE X. JUSTIFICAÇÃO 60. Justificação - fração autónoma Justificação - barco PARTE XI. PERMUTA 62. Permuta Permuta e Mútuo com Hipoteca Permuta, Mútuo com Hipoteca, Alteração de Mútuo com Hipoteca e Substituição de Hipoteca PARTE XII. PROCURAÇÃO 65. Procuração - cessão de quota Procuração - cessão de quota com poder para celebrar negócio consigo mesmo Procuração - prestação de fiança Procuração - confissão de dívida e hipoteca Procuração - partilha por herança Procuração - partilha subsequente a divórcio Procuração - perfilhação Procuração - movimentação de contas bancárias, contratação de fornecedores, correspondência, contratação de recursos, segurança social, administração fiscal e administração geral, com termo de autenticação Procuração - compra e venda de fração autónoma Procuração - compra e venda de imóveis - genérica Procuração por sociedade para venda de frações autónomas Procuração Irrevogável - cobrança de rendas Procuração Irrevogável - a favor de instituição financeira - penhor de direitos de crédito Revogação - de procuração Revogação - de procuração, por sociedade, com aceitação do procurador Wolters Kluwer Portugal

7 Índice sistemático 80. Revogação - de procuração, por sociedade, conferida a advogado não nacional Revogação - de diversas procurações notariais, por sociedade Substabelecimento PARTE XIII. PROPRIEDADE HORIZONTAL 83. Constituição de Propriedade Horizontal - prédio urbano Constituição de Propriedade Horizontal - prédio urbano composto por moradias Alteração do Título Constitutivo de Propriedade Horizontal - de fração autónoma pelo condomínio do prédio Alteração do Título Constitutivo de Propriedade Horizontal - unificação de frações autónomas por sociedade proprietária Alteração de Propriedade Horizontal - unificação de frações autónomas com alteração de uso por proprietários Alteração do Título Constitutivo de Propriedade Horizontal - casa de porteira Distrate de Alteração de Propriedade Horizontal Distrate de Propriedade Horizontal, Destaque, Divisões de Coisa Comum, Constituição de Propriedade Horizontal, Compra e Venda, Anexação e Constituição de Hipotecas PARTE XIV. SUCESSÕES 91. Habilitação de Herdeiros - por cabeça-de-casal Habilitações de Herdeiros - diversos autores de herança, sem testamento, a favor de irmãos germanos e sobrinhas de irmão préfalecido Habilitações de Herdeiros - a favor de descendentes, com testamento Habilitações de Herdeiros - a favor de legatários Cessão de Quinhão Hereditário - por filho sobre herança indivisa a uma pluralidade de cessionários Cessão de Quinhão Hereditário - por filho sobre herança indivisa Cessão de Quinhão Hereditário - a cointeressado em herança indivisa Partilha Partilha e Mútuo com Hipoteca JusFormulários Atos Notariais 15

8 Índice sistemático 100. Renúncia de Herança Repúdios de Herança - por filhos a herança de ascendente Retificação de Repúdio - repúdio de herança passa a integrar legado de deixa testamentária Dispensa de Colação - sem consentimento de um cônjuge Testamento Público - instituição de herdeira universal por testador sem descendentes e ascendentes vivos, com intervenção de peritos médicos Testamento Público - instituição de legado propriedade de imóvel e nua-propriedade com revogação de testamento anterior Testamento Público - por conta da quota disponível, a favor de filha e, se pré-falecida, a favor de neta Testamento Público - por testador sem descendentes nem ascendentes vivos a favor de sobrinhos-netos, com menções pessoais Testamento Público - por conta da quota disponível e com cláusula de reversão Testamento Público - instituição de legados com revogação de testamentos anteriores Testamento Público - primeiro testamento de testadora sem ascendentes ou descendentes vivos, com instituição de legados Revogação de Testamento Público PARTE XV. PESSOAS COLETIVAS 112. Constituição de Associação - associação profissional Constituição de Associação - desenvolvimento de área criativa Constituição de Sociedade - sociedade anónima com entradas em dinheiro e em espécie Constituição de Sociedade - sociedade anónima com entradas em dinheiro Constituição de Sociedade - sociedade unipessoal Constituição de Sociedade - sociedade gestora de participações sociais Instituição de Fundação - por sindicato Aumento de Capital e Transformação de Sociedade e Alteração Parcial do Contrato Social Redução de Capital, Alteração do Contrato Social e Adjudicação Cessão de Quotas e Contrato-Promessa de Compra e Venda com Eficácia Real de Imóvel Wolters Kluwer Portugal

9 Índice sistemático 122. Cessão de Quotas - por sociedade Cessão de Quotas - por pessoa singular Cessões de Quotas, Aumento de Capital e Alteração do Contrato Social Cessões de Quotas, Renúncia e Nomeação de Gerentes, Aumento de Capital e Transformação de Sociedade Dissolução de Sociedade - sociedade unipessoal Dissolução e Partilha de Sociedade - sociedade por quotas Certificado de não comparência cessão de quotas Trespasse Trespasse - com pagamento fracionado do preço PARTE XVI. TERMO 131. Termo de Autenticação Termo de Identidade PARTE XVII. USUFRUTO 133. Usufruto constituição de usufruto Renúncia a usufruto PARTE XVIII. VÁRIOS 135. Certificado de facto - site Certificado de tradução Consignação de Rendimentos - rendimentos de frações autónomas Contrato de prestação de serviços de arquitetura Expropriação Penhor mercantil Reconhecimento de direitos ÍNDICE ANALÍTICO JusFormulários Atos Notariais 17

10 AS PÁGINAS 18 A 24 NÃO SÃO APRESENTADAS NESTA PRÉ-VISUALIZAÇÃO

11 2 2. Transação No dia (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso), no Cartório Notarial do Notário, (nome completo), com sede na Avenida, n.º,.º andar, em (localidade), perante mim, respetivo notário, compareceram como outorgantes: PRIMEIRO: (nome completo), (estado civil), natural de (freguesia), (concelho) e com domicílio profissional na Rua, n.º,.º andar, (freguesia), (concelho), que outorga na qualidade de procurador de: (nome completo), (estado civil), natural de (freguesia), (concelho) e com domicílio profissional na Rua, n.º,.º andar, (freguesia), (concelho), adiante designado por (designação abreviada), no uso dos poderes que constam de uma procuração que arquivo. SEGUNDO: (nome completo), (estado civil), natural de (freguesia), (concelho) e com domicílio profissional na Rua, n.º,.º andar, (freguesia), (concelho), que outorga como administrador e em representação de (denominação social), S.A., com o capital social de ( (valor por extenso) euros), com sede em (localidade), Avenida, n.º, freguesia e concelho de, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de (localidade) sob o número único de matrícula e pessoa coletiva, doravante designada por (denominação social abreviada), qualidade e poderes vinculatórios para este ato que verifiquei por certidão online, através do site com o código e pela ata do conselho de administração de que arquivo. TERCEIRO: (nome completo), (estado civil), natural de (freguesia), (concelho,) e com domicílio profissional na Rua, n.º,.º andar, (freguesia), (concelho), que outorga por si, e juntamente com o primeiro, como únicos sócios e gerentes e em representação de (denominação social) - Arquitetos, Lda., com o JusFormulários Atos Notariais 25

12 PARTE I. ACORDO E TRANSAÇÃO capital social de ( (valor por extenso) euros), com sede na Avenida, Edifício,.º andar, (código postal), matriculada na Conservatória do Registo Comercial de (localidade) sob o número único de matrícula e pessoa coletiva, adiante designada por (denominação social abreviada), qualidade e poderes vinculatórios para este ato que verifiquei por certidão on-line, através do site com o código, e pela delegação de poderes que arquivo. Verifiquei a identidade dos outorgantes por serem do meu conhecimento pessoal. CONSIDERANDO QUE: 1. O representado do ora primeiro outorgante é autor de uma ação declarativa ordinária que corre os seus termos no.º Juízo do Tribunal Judicial do (identificação completa do tribunal e da respetiva comarca) com o n.º /. contra a (denominação social abreviada), ora segunda outorgante, e outra, na qual peticiona a devolução de sinal em dobro, no valor de ( (valor por extenso) euros), acrescida de juros vencidos e vincendos; 2. As partes da supra identificada ação pretendem colocar fim ao litígio judicial mediante acordo extrajudicial, feito pela presente escritura de transação: a) Que tendo o representado do primeiro outorgante (denominação abreviada), interesse em adquirir a fração autónoma designada pela letra, ou seja, o.º andar, (v.g. lado, letra), habitação, com (por extenso) lugares demarcados na cave com os n. os (por extenso) e (por extenso), destinados a parqueamento e arrecadação letra, também na cave, do prédio urbano em regime de propriedade horizontal, sito na Avenida, n.º e Rua, n.º, na freguesia de, concelho de, descrito na Conservatória do Registo Predial de (localidade) sob o n.º ( (por extenso)), da referida freguesia, afeto ao regime de propriedade horizontal pela apresentação (número da apresentação de registo de propriedade horizontal por extenso), de (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso), inscrito na respetiva matriz sob o artigo ( (por extenso)), com o valor patrimonial de ( (valor por extenso) euros); b) A referida fração autónoma é propriedade da sociedade (denominação social abreviada), registada a seu favor, pela apresentação número da apresentação de registo de aquisição por extenso), de (dia por 26 Wolters Kluwer Portugal

13 2 extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso), que a pretende vender. 3. Nos termos e para os efeitos dos art. os 1248.º e segs. do Código Civil (1), vêm celebrar - por escritura pública - o seguinte contrato de transação: a) Que o representado do primeiro outorgante, (denominação abreviada), na qualidade de autor da ação supra identificada, reduz o pedido para ( (valor por extenso) euros), declarando expressamente nada mais ter a haver da (denominação social abreviada) e outra em virtude do identificado processo, dando a respetiva quitação; b) Como pagamento dessa quantia será transmitida a propriedade do imóvel supra descrito na al. a) do ponto dois; c) A (denominação social abreviada) vende a fração supra descrita, ao representado do primeiro outorgante, livre de ónus ou encargos, pelo preço de ( (valor por extenso) euros); d) A (denominação social abreviada) obriga-se a pagar o respetivo preço da venda, à (denominação social abreviada), sendo pago na presente data o montante de ( (valor por extenso) euros), em que os restantes ( (valor por extenso) euros), serão pagos em (por extenso) prestações mensais e sucessivas, no valor ( (valor por extenso) euros), cada, a partir de (mês por extenso) do corrente ano; e) A (denominação social abreviada) aceita esta forma de pagamento; f) Todas as despesas com a compra e venda, designadamente pagamento de IMT, emolumentos notariais e despesas registais serão da responsabilidade de (denominação abreviada), representada pelo primeiro outorgante; g) As custas ainda devidas no processo judicial serão suportadas em partes iguais pela (denominação social abreviada) e por (denominação abreviada), ora representado do ora primeiro outorgante, prescindindo todas as partes de procuradoria, na parte disponível, e de custas de parte. (1) Ref. JusNet 1/1966 JusFormulários Atos Notariais 27

14 PARTE I. ACORDO E TRANSAÇÃO EXIBIRAM: Caderneta predial urbana obtida em (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso), via internet, comprovativas das referências matriciais; Verifiquei o teor das descrições e inscrições prediais em vigor por certidão on-line, consultada através do competente site com o código (código alfanumérico). Esta escritura foi lida aos outorgantes e aos mesmos explicado o seu conteúdo, O NOTÁRIO, (assinatura) Conta registada sob o n.º. 28 Wolters Kluwer Portugal

15 AS PÁGINAS 29 A 80 NÃO SÃO APRESENTADAS NESTA PRÉ-VISUALIZAÇÃO

16 Compra e Venda - prédio urbano adquirido por Fundo de Investimento Imobiliário No dia (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso), no Cartório Notarial do Notário, (nome completo), com sede na Avenida, n.º,.º andar, em (localidade), perante mim, respetivo notário, compareceram como outorgantes: PRIMEIRO: (nome completo), casado, natural de (freguesia), (concelho), residente na Rua, n.º,.º andar, em (localidade), (freguesia), (concelho), NIF, titular do bilhete de identidade n.º, emitido em / / pelos Serviços de Identificação Civil de (localidade), que intervém na qualidade de presidente do conselho de administração da sociedade comercial anónima, com a firma (denominação social), S.A., NIPC e igual número de matrícula na Conservatória do Registo Comercial de (localidade), com sede na Rua, n.º,.º andar, freguesia de, concelho de, com o capital social de ( (valor por extenso) euros), qualidade e suficiência de poderes que verifiquei por acesso a certidão permanente de registo comercial com o código de acesso. SEGUNDO: (nome completo), solteiro, maior, natural de (freguesia), (concelho), com domicilio profissional na sede da sua representada, que outorga na qualidade de procurador e em representação da sociedade comercial anónima com a firma (denominação social), S.A., NIPC, com sede na Rua, n.º,.º andar, freguesia de, concelho de, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de (localidade) sob o n.º, com o capital social de ( (valor por extenso) euros), sociedade esta que, por sua vez, é a entidade administradora, gestora e representante do Fundo (denominação do fundo de investimento imobiliário), NIPC, conforme certidão da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários emitida em (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso), JusFormulários Atos Notariais 81

17 PARTE IV. COMPRA E VENDA qualidade que consta de fotocópia certificada da procuração, que já se encontra arquivada no meu cartório, a instruir a escritura iniciada na folha ( (por extenso)), do livro de notas, conjugada com a referida certidão da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários e da ata n.º ( (por extenso)), da reunião do Conselho de Administração de (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso), que arquivo. Verifiquei a identidade do segundo outorgante por ser do meu conhecimento pessoal e a do primeiro por exibição do citado bilhete de identidade. PELO PRIMEIRO OUTORGANTE, NA QUALIDADE EM QUE INTERVÉM, FOI DITO: Que, em nome da sociedade sua representada e pelo preço de ( (valor por extenso) euros), que recebeu da representada do segundo outorgante, para integrar o património do referido (designação do fundo de investimento imobiliário), a esta vende, o prédio urbano, sito na Rua, n.º,.º andar, freguesia de, concelho de, descrito na Conservatória do Registo Predial de (localidade) sob o n.º ( (por extenso)) daquela freguesia, nela registada, a aquisição a favor da sociedade vendedora, pela inscrição, apresentação n.º ( (por extenso)), de (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso) e inscrito na matriz sob o artigo ( (por extenso)), com o valor patrimonial ( valor por extenso) euros); Que sobre o mencionado prédio subsiste registada na citada Conservatória do Registo Predial uma hipoteca, a favor do Banco (denominação da instituição financeira), pela inscrição, apresentação (número da apresentação do registo de hipoteca por extenso), de (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso), garante contudo que o seu cancelamento se encontra assegurado, conforme declaração, que exibe, datada de (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso). Que esta venda é efetuada no âmbito da atividade de revenda de imóveis pela qual se encontra coletada a sociedade representada do primeiro outorgante, tendo adquirido este imóvel por escritura de (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso), outorgada no Cartório Notarial do Notário (nome completo do Notário). 82 Wolters Kluwer Portugal

18 AS PÁGINAS 83 A 88 NÃO SÃO APRESENTADAS NESTA PRÉ-VISUALIZAÇÃO

19 Compra e Venda e Mútuo com Hipoteca - ascendente para habitação própria permanente No dia (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso), no Cartório Notarial do Notário, (nome completo), com sede na Avenida, n.º,.º andar, em (localidade), perante mim, respetivo notário, compareceram como outorgantes: PRIMEIRA: (nome completo), (estado civil), natural de (freguesia), (concelho) e residente na Rua, n.º,.º andar, (freguesia), (concelho). SEGUNDA: (nome completo), (estado civil), natural de (freguesia), (concelho) e residente na Rua, n.º,.º andar, (freguesia), (concelho). TERCEIRO: (nome completo), (estado civil), natural de (freguesia), (concelho) e com domicílio profissional na Rua, n.º,.º andar, (freguesia), (concelho), que outorga na qualidade de procurador em representação de (denominação social da instituição financeira), S.A., com sede na Rua, n.º, freguesia de, concelho de, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de (localidade), sob o número único de matrícula e de identificação fiscal, com o capital social de ( (valor por extenso) euros), conforme fotocópia certificada de procuração já arquivada neste Cartório a instruir a escritura lavrada a folhas ( (por extenso)), do livro ( (por extenso)). Verifiquei a identidade dos outorgantes, a do terceiro por ser do meu conhecimento pessoal e a das restantes pela exibição dos seus bilhetes de identidade n.º, de / / e n.º, de / /, emitidos em (localidade) pelos Serviços de Identificação Civil. JusFormulários Atos Notariais 89

20 PARTE IV. COMPRA E VENDA DISSE A PRIMEIRA OUTORGANTE: Que vende à segunda outorgante, sua mãe, pelo preço de ( (valor por extenso) euros), que já recebeu, a fração autónoma designada pela letra, destinada a habitação, ou seja o.º andar, com arrecadação no.º andar, do prédio urbano sito na Avenida, n.º a n.º, na (localidade), freguesia de, concelho de, descrito na Conservatória do Registo Predial de (localidade) sob o n.º da referida freguesia, com a aquisição registada a favor da vendedora pela apresentação (número da apresentação de registo de aquisição por extenso), de (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso) e a propriedade horizontal pela apresentação (número da apresentação de registo de propriedade horizontal por extenso), de (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso), inscrito na respetiva matriz sob o artigo ( (por extenso)), com o valor patrimonial de ( (valor por extenso) euros). Que sobre o referido imóvel incide uma hipoteca registada pela apresentação (número por extenso da apresentação de registo de hipoteca), (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso), cujo cancelamento se encontra assegurado. DISSE A SEGUNDA OUTORGANTE: Que aceita a presente venda nos termos exarados e que a referida fração se destina, exclusivamente, a habitação própria permanente. Que se confessa devedora ao (denominação social da instituição financeira) da importância de ( (valor por extenso) euros), que vai ser aplicada na precedente compra e que nesta data recebeu a título de empréstimo, por crédito na conta à ordem de que é titular, junto do (denominação social da instituição financeira), com o n.º. Que, para garantia do reembolso da quantia mutuada e do pagamento: a) Dos juros compensatórios convencionados, calculados à taxa resultante da média aritmética simples das Taxas Euribor a ( (por extenso)) dias, divulgadas no mês anterior à data deste contrato, arredondada para a milésima de ponto percentual e acrescida de vírgula pontos percentuais, eventualmente alterável nas condições definidas no documento complementar anexo a esta escritura; b) Dos juros de mora devidos por incumprimento das obrigações pecuniárias decorrentes deste contrato, calculados à taxa mais elevada de juros 90 Wolters Kluwer Portugal

21 22 compensatórios que, em cada um dos dias em que se verificar a mora, estiver em vigor no (denominação social da instituição financeira) para operações ativas da mesma natureza, atualmente de vírgula cento ao ano, acrescida de uma sobretaxa de % ( (por extenso) por cento) ao ano, a título de cláusula penal; c) Das despesas judiciais ou extrajudiciais que o (denominação social da instituição financeira) tenha de fazer para defesa e, ou, cobrança dos seus créditos, as quais, para meros fins de registo, se fixam em ( (valor por extenso) euros), constitui a favor daquele Banco, HIPO- TECA sobre a fração autónoma atrás identificada e ora adquirida. Que, para meros efeitos de registo predial, considera-se a taxa atrás indicada para os juros de mora, de ( (por extenso)) vírgula ( (por extenso)) por cento, acrescida de % ( (por extenso) por cento), a que correspondem ( (por extenso)) vírgula ( (por extenso)) por cento ao ano. Que este empréstimo e a hipoteca se regulam pelo DL n.º 349/98, de 11/11 (1) (Regime Geral) e demais disposições legais aplicáveis e pelas condições constantes do documento complementar anexo, à presente escritura. Para todos os efeitos legais, toda a documentação relacionada ou conexa com o presente contrato, nomeadamente correspondência, notas de débito e crédito e extratos de conta, são tidos como documentos referidos na escritura e dela fazendo parte integrante para efeitos de execução. DISSE O TERCEIRO OUTORGANTE: Que, para o Banco seu representado, aceita a confissão da dívida e a hipoteca nos termos exarados. DISSERAM OS SEGUNDA e TERCEIRO OUTORGANTES: Que têm perfeito conhecimento do já referido documento complementar, pelo que se dispensa a sua leitura. DISSERAM AINDA AS PRIMEIRA E SEGUNDA OUTORGANTES: Que, no presente negócio, não houve intervenção de empresa de mediação imobiliária tendo eu, Notário, advertido que incorrem na pena de (1) Ref. JusNet 216/1998 JusFormulários Atos Notariais 91

22 AS PÁGINAS 92 A 144 NÃO SÃO APRESENTADAS NESTA PRÉ-VISUALIZAÇÃO

23 Dação em Cumprimento e Renúncia de Hipoteca - pagamento parcial No dia (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso), no Cartório Notarial do Notário, (nome completo), com sede na Avenida, n.º,.º andar, em (localidade), perante mim, respetivo notário, compareceram como outorgantes: PRIMEIROS: (nome completo) e mulher (nome completo), casados no regime da comunhão de adquiridos, naturais, ele de (freguesia), (concelho) e ela de (freguesia), (concelho), residentes na Rua, n.º,.º andar, em (localidade), (freguesia), (concelho), ele NIF, ela NIF, que outorgam como únicos sócios e gerentes, e em representação de (denominação social), Lda., sociedade por quotas, com sede na Avenida, n.º,.º andar, (freguesia), (concelho), matriculada na Conservatória do Registo Comercial de (localidade), sob o número único de matrícula e de identificação fiscal, com o capital social de ( (valor por extenso) euros), qualidade e poderes vinculatórios para este ato que verifiquei por certidão on-line, através do site com o código. SEGUNDO: (nome completo), (estado civil), natural de (freguesia), (concelho) e com domicílio profissional na Rua, n.º,.º andar, (freguesia), (concelho), que outorga na qualidade de procurador em representação de (denominação social da instituição financeira), doravante designado por Banco, ou, com sede na Rua, n.º, freguesia de, concelho de, com o capital social de ( (valor por extenso) euros), matriculada na Conservatória do Registo Comercial de (localidade) sob o número único de matricula e pessoa coletiva, conforme fotocópia certificada de uma procuração, que se encontra arquivada neste cartório por ter instruído escritura lavrada a folhas ( (por extenso)), do livro de notas para escrituras diversas n.º. JusFormulários Atos Notariais 145

24 PARTE V. OBRIGAÇÕES Verifiquei a identidade dos outorgantes, a do segundo por ser do meu conhecimento pessoal e a dos primeiros pela exibição dos seus bilhetes de identidade n.º, de / / e n.º, de / /, emitidos em (localidade), pelos Serviços de Identificação Civil. DISSE O SEGUNDO OUTORGANTE: Que o Banco seu representado é credor da sociedade representada dos primeiros outorgantes pela verba de ( (valor por extenso) euros), montante referente a capital e juros, contados até à presente data, com base na concessão de um contrato de hipoteca celebrado em (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso) e de um contrato de gestão de tesouraria concedido em (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso) e de um descoberto na conta de depósito à ordem. Que para garantia das responsabilidades assumidas, a representada dos primeiros hipotecou a favor do Banco, seu representado, a fração autónoma designada pela letra, ou seja o.º andar, destinado a comércio ou industria similar de hotelaria, do prédio urbano em regime de propriedade horizontal sito na Avenida, n.º, situado em, denominado, na freguesia de, concelho de, descrito na Conservatória do Registo Predial de (localidade) sob o n.º, da referida freguesia, onde a aquisição se encontra registada a favor da sociedade representada dos primeiros outorgantes pela apresentação (número da apresentação do registo de aquisição por extenso), (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso) e a propriedade horizontal pela apresentação (número da apresentação do registo de propriedade horizontal por extenso), (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso) e a hipoteca pela apresentação (número da apresentação do registo de hipoteca por extenso), (dia por extenso) de (mês por extenso) de (ano por extenso), inscrito na respetiva matriz sob o artigo ( (por extenso)), com o valor patrimonial de ( (valor por extenso) euros). DISSERAM OS PRIMEIROS OUTORGANTES: Que para pagamento parcial dessa mesma dívida, pelo montante de ( (valor por extenso) euros), dão em cumprimento ao Banco representado do segundo outorgante, o imóvel acima identificado, livre de ónus ou encargos, e completamente devoluto. 146 Wolters Kluwer Portugal

Lei n. o 7/2013. Regime jurídico da promessa de transmissão. de edifícios em construção. Breve introdução

Lei n. o 7/2013. Regime jurídico da promessa de transmissão. de edifícios em construção. Breve introdução Lei n. o 7/2013 Regime jurídico da promessa de transmissão de edifícios em construção Breve introdução 1. O que regula essencialmente o Regime jurídico da promessa de transmissão de edifícios em construção?

Leia mais

Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil - São Paulo

Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil - São Paulo PROCEDIMENTOS GERAIS PARA O REGISTO DE EMPRESAS EM PORTUGAL As sociedades estrangeiras podem praticar as suas actividades em Portugal através da constituição de uma representação permanente no território

Leia mais

Juízos Cíveis de Coimbra

Juízos Cíveis de Coimbra Juízos Cíveis de Coimbra AA.:António Francisco Domingues, portador do Cartão do Cidadão nº004897786 válido até 13/10/2013, contribuinte fiscal nº 100097898 e mulher Florbela Francica Santos Domingues portadora

Leia mais

EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA GALP ENERGIA 2013/2018 FICHA TÉCNICA. Galp Energia, SGPS, S.A. Euro. 100.000 (cem mil euros) por Obrigação.

EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA GALP ENERGIA 2013/2018 FICHA TÉCNICA. Galp Energia, SGPS, S.A. Euro. 100.000 (cem mil euros) por Obrigação. EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA GALP ENERGIA 2013/2018 FICHA TÉCNICA ENTIDADE EMITENTE: MODALIDADE: MOEDA: MONTANTE DA EMISSÃO: REPRESENTAÇÃO: VALOR NOMINAL: PREÇO DE SUBSCRIÇÃO: Galp Energia, SGPS, S.A. Emissão

Leia mais

CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO A CURTO PRAZO NA MODALIDADE DE CONTA CORRENTE

CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO A CURTO PRAZO NA MODALIDADE DE CONTA CORRENTE CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO A CURTO PRAZO NA MODALIDADE DE CONTA CORRENTE Entre: 1º BANCO SANTANDER TOTTA, S.A., com sede na Rua Áurea, nº 88, 1100-063 Lisboa e com o Capital Social de 656.723.284,00,

Leia mais

Investimento Imobiliário em Angola Guia Prático

Investimento Imobiliário em Angola Guia Prático www.finaccount.com Investimento Imobiliário em Angola Guia Prático Prestação de Serviços de Consultoria Empresarial e Formação Aquisição de bens imóveis O processo de aquisição de bens imóveis em Angola

Leia mais

Contrato de Mediação Imobiliária

Contrato de Mediação Imobiliária Contrato de Mediação Imobiliária (Nos termos da Lei n.º 15/2013, de 08.02) Entre: ESTAMO PARTICIPAÇÕES IMOBILIÁRIAS, S.A., com sede na Av. Defensores de Chaves, n.º 6 4.º, em Lisboa, matriculada na Conservatória

Leia mais

RESUMO DA TABELA DE EMOLUMENTOS E TFJ DE 2015 EM VIGOR PARA ATOS PRATICADOS A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015

RESUMO DA TABELA DE EMOLUMENTOS E TFJ DE 2015 EM VIGOR PARA ATOS PRATICADOS A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 RESUMO DA TABELA DE EMOLUMENTOS E TFJ DE 2015 EM VIGOR PARA ATOS PRATICADOS A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 1- ATOS DO REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS VALORES EM R$ ATO VALORES TOTAL BUSCA (POR PERÍODO

Leia mais

CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA

CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA Entre: ESTAMO PARTICIPAÇÕES IMOBILIÁRIAS, S.A., pessoa colectiva número 503152544, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa, com sede na Av. Defensores

Leia mais

PROTOCOLO FINANCEIRO ENTRE A CGD E O ICAM A FAVOR DO SECTOR DO CINEMA

PROTOCOLO FINANCEIRO ENTRE A CGD E O ICAM A FAVOR DO SECTOR DO CINEMA PROTOCOLO FINANCEIRO ENTRE A CGD E O ICAM A FAVOR DO SECTOR DO CINEMA Considerando: A importância do sector do Cinema como vector de dinamização das expressões artísticas e de contribuição para o desenvolvimento

Leia mais

FORMALIDADES PARA CRIAÇÃO DE EMPRESAS TIPOS DE SOCIEDADES

FORMALIDADES PARA CRIAÇÃO DE EMPRESAS TIPOS DE SOCIEDADES Associação Nacional de Jovens Empresários APOIO JURÍDICO FORMALIDADES PARA CRIAÇÃO DE EMPRESAS TIPOS DE SOCIEDADES ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários Casa do Farol Rua Paulo Gama s/n 4169-006

Leia mais

Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo do BANCO PRIMUS, SA, contém o Folheto de Comissões e Despesas

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS. Tomador do seguro A entidade que celebra o contrato de seguro com a VICTORIA e que assume a obrigação de pagamento do prémio.

CONDIÇÕES GERAIS. Tomador do seguro A entidade que celebra o contrato de seguro com a VICTORIA e que assume a obrigação de pagamento do prémio. CONDIÇÕES GERAIS 1 Definições Para efeitos deste Contrato, entende-se por: 1.1 Partes envolvidas no contrato Empresa de seguros VICTORIA - Seguros de Vida, S.A., entidade que emite a apólice e que, mediante

Leia mais

Guia prático de procedimentos para os. Administradores de Insolvência.

Guia prático de procedimentos para os. Administradores de Insolvência. Guia prático de procedimentos para os Administradores de Insolvência. Índice Introdução 1. Requerimentos 2. Apreensão de bens 2.1. Autos de apreensão de bens 2.2. Apreensão de vencimento 2.3. Apreensão

Leia mais

Válida até 30/03/2011

Válida até 30/03/2011 Tabela de Emolumentos / 2011 (1) Válida até 30/03/2011 Anexo da Portaria nº 1448 /CGJ/2010 (a que se refere o 1º do artigo 2º da Lei n.º 15.424, de 30 de dezembro de 2004, atualizado nos termos do artigo

Leia mais

CALENDÁRIO FISCAL Outubro de 2015

CALENDÁRIO FISCAL Outubro de 2015 CALENDÁRIO FISCAL DATA DE CUMPRIMENTO DAS OBRIGAÇÕES FISCAIS Até ao dia 12 Envio da Declaração Periódica, por transmissão eletrónica de dados, acompanhada dos anexos que se mostrem devidos, pelos sujeitos

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO CONTRATO DE COMPRA E VENDA

MINUTA DE CONTRATO CONTRATO DE COMPRA E VENDA MINUTA DE CONTRATO CONTRATO DE COMPRA E VENDA TERMO DE COMPROMISSO DE COMPRA E VENDA DE BEM IMÓVEL QUE ENTRE SI FAZEM A FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE ALTO VALE DO RIO DO PEIXE - FUNIARP E. Na forma abaixo: FUNDAÇÃO

Leia mais

No Site do Instituto de Registos e Notariado (www.irn.mj.pt) poderão obter se os Contactos dos Serviços de Registo Predial.

No Site do Instituto de Registos e Notariado (www.irn.mj.pt) poderão obter se os Contactos dos Serviços de Registo Predial. VAI PERMUTAR A SUA CASA? PRESTE ATENÇÃO AO SEGUINTE! As normas da compra e venda são aplicáveis aos outros contratos onerosos pelos quais se alienam bens ou se estabeleçam encargos sobre eles, na medida

Leia mais

Secção II 1* Fundos e sociedades de investimento imobiliário para arrendamento habitacional

Secção II 1* Fundos e sociedades de investimento imobiliário para arrendamento habitacional Secção II 1* Fundos e sociedades de investimento imobiliário para arrendamento habitacional Artigo 102.º Objecto É aprovado o regime especial aplicável aos fundos de investimento imobiliário para arrendamento

Leia mais

Glossário de Crédito Habitação do NOVO BANCO

Glossário de Crédito Habitação do NOVO BANCO Glossário de Crédito Habitação do NOVO BANCO Tipo de Propriedade 1ª Habitação Residência habitual do agregado familiar (habitação própria permanente). 2ª Habitação Residência não habitual do agregado familiar

Leia mais

Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo do BANCO PRIMUS, SA, contém o Folheto de e Despesas (que incorpora

Leia mais

PRÉVOIR PPR NOVA VERSÃO INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS ANEXO À PROPOSTA PRÉVOIR PPR

PRÉVOIR PPR NOVA VERSÃO INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS ANEXO À PROPOSTA PRÉVOIR PPR Este documento apresenta-se como um resumo das Condições Gerais e Especiais do seguro Prévoir PPR e não dispensa a consulta integral das mesmas. SEGURADOR FINALIDADE SEGMENTO-ALVO CONDIÇÕES DE SUBSCRIÇÃO

Leia mais

DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS. Curso de Técnico em Transações Imobiliárias Curso Total

DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS. Curso de Técnico em Transações Imobiliárias Curso Total DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS Curso de Técnico em Transações Imobiliárias Curso Total DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS. FINALIDADE. DOS TÍTULOS REGISTRÁVEIS: ESCRITURA

Leia mais

Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo do BANCO PRIMUS, SA, contém o Folheto de e Despesas (que incorpora

Leia mais

INSTRUÇÃO N.º 44/2012 - (BO N.º 12, 17.12.2012) SUPERVISÃO Supervisão Comportamental

INSTRUÇÃO N.º 44/2012 - (BO N.º 12, 17.12.2012) SUPERVISÃO Supervisão Comportamental INSTRUÇÃO N.º 44/2012 - (BO N.º 12, 17.12.2012) Temas SUPERVISÃO Supervisão Comportamental ASSUNTO: Comunicação de informação relativa a contratos de crédito abrangidos pelos procedimentos previstos no

Leia mais

TRATAMENTO FISCAL DE PARTILHA POR DIVÓRCIO

TRATAMENTO FISCAL DE PARTILHA POR DIVÓRCIO Antas da Cunha LAW FIRM TRATAMENTO FISCAL DE PARTILHA POR DIVÓRCIO I) MAIS-VALIAS A mais-valia consiste na diferença entre o valor de aquisição (que pode ser gratuita ou onerosa) e o valor de realização

Leia mais

I - EMITENTE II - INTERVENIENTE(S) / AVALISTA(S) III - CARACTERÍSTICAS DO(S) PRODUTO(S) MARCA MODELO ANO/MODELO COR COMBUSTÍVEL

I - EMITENTE II - INTERVENIENTE(S) / AVALISTA(S) III - CARACTERÍSTICAS DO(S) PRODUTO(S) MARCA MODELO ANO/MODELO COR COMBUSTÍVEL Nº DA CÉDULA CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO I - EMITENTE II - INTERVENIENTE(S) / AVALISTA(S) III - CARACTERÍSTICAS DO(S) (S) MARCA MODELO ANO/MODELO COR COMBUSTÍVEL RENAVAN CHASSI PLACA NOTA FISCAL (CASO VEÍCULO

Leia mais

FIN - FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA

FIN - FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA FIN - FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA PARTE I - CONDIÇÕES FINANCEIRAS DO CRÉDITO À HABITAÇÃO A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO E OBSERVAÇÕES 1. Identificação da Instituição Denominação Caixa Geral de Depósitos,

Leia mais

BASES DO CONTRATO...3

BASES DO CONTRATO...3 UNIT LINKED DB VIDA Condições Gerais...2 1. DEFINIÇÕES...2 2. BASES DO CONTRATO...3 3. INÍCIO E DURAÇÃO DO CONTRATO...4 4. ÂMBITO DA COBERTURA...4 5. GESTÃO DAS UNIDADES DE PARTICIPAÇÃO...4 6. PRÉMIOS...6

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE PROMESSA DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEL URBANO, que entre si celebram:

INSTRUMENTO PARTICULAR DE PROMESSA DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEL URBANO, que entre si celebram: INSTRUMENTO PARTICULAR DE PROMESSA DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEL URBANO, que entre si celebram: I - de um lado, na qualidade de Promitente VENDEDORA, a FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL DO BANCO ECONÔMICO S/A-ECOS,

Leia mais

Seguro Poupança Crescente. Condições Gerais e Especiais da Apólice. www.ocidentalseguros.pt

Seguro Poupança Crescente. Condições Gerais e Especiais da Apólice. www.ocidentalseguros.pt Ocidental Companhia Portuguesa de Seguros de Vida, SA. Sede: Avenida Dr. Mário Soares (Tagus Park), Edifício 10, Piso 1, 2744-002 Porto Salvo. Pessoa coletiva n.º 501 836 926, matriculada sob esse número

Leia mais

Contrato de Arrendamento Urbano para Alojamento Local Temporário

Contrato de Arrendamento Urbano para Alojamento Local Temporário Contrato de Arrendamento Urbano para Alojamento Local Temporário Entre: I -... (nome completo, estado civil, contribuinte fiscal e morada) na qualidade de senhorio e adiante designado por primeiro outorgante.

Leia mais

CALENDÁRIO FISCAL Novembro de 2015

CALENDÁRIO FISCAL Novembro de 2015 DATA DE CUMPRIMENTO DAS OBRIGAÇÕES FISCAIS Até ao dia 02 IUC Liquidação, por transmissão eletrónica de dados, e pagamento do Imposto Único de Circulação (IUC), relativo aos veículos cujo aniversário da

Leia mais

DELIBERAÇÃO. Assim, o conselho diretivo do IMT, I.P., em reunião ordinária, realizada em 22 de fevereiro de 2013, delibera o seguinte:

DELIBERAÇÃO. Assim, o conselho diretivo do IMT, I.P., em reunião ordinária, realizada em 22 de fevereiro de 2013, delibera o seguinte: DELIBERAÇÃO CONTRATO DE GESTÃO DE CENTRO DE INSPEÇÃO DE VEÍCULOS A Lei n.º 11/2011, de 26 de abril, que estabelece o regime jurídico de acesso e permanência na atividade de inspeção técnica a veículos

Leia mais

a) Título (Alteração contratual), recomendando-se indicar o nº de seqüência da alteração;

a) Título (Alteração contratual), recomendando-se indicar o nº de seqüência da alteração; ALTERAÇÃO DE SOCIEDADE EMPRESÁRIA: *ELEMENTOS DA ALTERAÇÃO CONTRATUAL a) Título (Alteração contratual), recomendando-se indicar o nº de seqüência da alteração; b) Preâmbulo; c) Corpo da alteração: Nova

Leia mais

VALOR GARANTIDO VIVACAPIXXI

VALOR GARANTIDO VIVACAPIXXI VALOR GARANTIDO VIVACAPIXXI CONDIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I GENERALIDADES ARTº 1º - DEFINIÇÕES 1. Para os efeitos do presente contrato, considera-se: a) Companhia - a entidade seguradora,, que subscreve com

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO Entre, com sede em, com o capital social de ( Euros), matriculada na Conservatória do Registo Comercial de, com o número de matrícula e

Leia mais

VAI ARRENDAR CASA? PRESTE ATENÇÃO AO SEGUINTE!

VAI ARRENDAR CASA? PRESTE ATENÇÃO AO SEGUINTE! VAI ARRENDAR CASA? PRESTE ATENÇÃO AO SEGUINTE! Locação é o contrato pelo qual uma das partes se obriga a proporcionar à outra o gozo temporário de uma coisa, mediante retribuição Art.º 1022.º do Código

Leia mais

COMPRA E VENDA DE MOVEIS E IMÓVEIS Modelo 02

COMPRA E VENDA DE MOVEIS E IMÓVEIS Modelo 02 ANUÊNCIA PARA DOAÇÃO OU VENDA DE IMÓVEL ENTRE ASCENDENTE E DESCENDENTES Modelo 01 a quem confere poderes para o fim especial de, como interveniente na escritura de (doação, venda ) que seu(sua)(s) ( pai,

Leia mais

CONCURSO Nº 5/DGP/2012 VENDA DE MORADIAS COM LOGRADOURO, EM TERRENO EM REGIME DE DIREITO DE SUPERFÍCIE, EM SALEMA

CONCURSO Nº 5/DGP/2012 VENDA DE MORADIAS COM LOGRADOURO, EM TERRENO EM REGIME DE DIREITO DE SUPERFÍCIE, EM SALEMA CONCURSO Nº 5/DGP/2012 VENDA DE MORADIAS COM LOGRADOURO, EM TERRENO EM REGIME DE DIREITO DE SUPERFÍCIE, EM SALEMA FREGUESIA DE BUDENS, CONCELHO DE VILA DO BISPO REGULAMENTO CONCURSO Nº 5/DGP/12 VENDA DE

Leia mais

Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor do Folheto de e Despesas: 01-set-2015 Data de Entrada em vigor do

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA REABILITA PRIMEIRO PAGA DEPOIS

NORMAS DO PROGRAMA REABILITA PRIMEIRO PAGA DEPOIS NORMAS DO PROGRAMA REABILITA PRIMEIRO PAGA DEPOIS 1.OBJETO O presente programa tem como objeto a alienação de prédios e/ou frações municipais para reabilitação 2. OBJECTIVOS O Programa Reabilita Primeiro

Leia mais

Novas regras na habitação

Novas regras na habitação Novas regras na habitação PUBLICADO NA EDIÇÃO IMPRESSA SEGUNDA-FEIRA, 7 DE JANEIRO DE 2013 POR JM A lei n.º 59/2012, de novembro, cria salvaguardas para os mutuários de crédito à habitação e altera o decreto-lei

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA COM CESSÃO E TRANSFERÊNCIA DE QUOTAS DE SOCIEDADE POR QUOTAS DE RESPONSABILIDADE LIMITADA

CONTRATO DE COMPRA E VENDA COM CESSÃO E TRANSFERÊNCIA DE QUOTAS DE SOCIEDADE POR QUOTAS DE RESPONSABILIDADE LIMITADA 1 CONTRATO DE COMPRA E VENDA COM CESSÃO E TRANSFERÊNCIA DE QUOTAS DE SOCIEDADE POR QUOTAS DE RESPONSABILIDADE LIMITADA I PARTES: a) Sócia 2, doravante denominada simplesmente PROMITENTE VENDEDOR CEDENTE;

Leia mais

CONTRATO DE MÚTUO. * Celebram o presente Contrato de Mútuo que se rege pelas Cláusulas seguintes:--------------------------

CONTRATO DE MÚTUO. * Celebram o presente Contrato de Mútuo que se rege pelas Cláusulas seguintes:-------------------------- CONTRATO DE MÚTUO Primeira Contraente: --------------------------------------------------------------------------------------------------- CAIXA DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO DA COSTA AZUL, C. R. L., com sede

Leia mais

CONTRATO SOCIAL ARTIGO PRIMEIRO

CONTRATO SOCIAL ARTIGO PRIMEIRO MINUTA DE PACTO SOCIAL DE SOCIEDADE DE ADVOGADOS CONTRATO SOCIAL ARTIGO PRIMEIRO Denominação, Sede Social e Duração Um A Sociedade adopta a denominação M., sociedade de advogados & associados, RL, e tem

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA. Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN Nº 79, DE 03 FEVEREIRO DE 2014

MINISTÉRIO DA FAZENDA. Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN Nº 79, DE 03 FEVEREIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA FAZENDA PUBLICADO NO DOU DE 06/02 SEÇÃO 1, PÁG. 53 Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN Nº 79, DE 03 FEVEREIRO DE 2014 Disciplina o parcelamento do valor correspondente à

Leia mais

ANEXO I DECLARAÇÃO DE INEXISTÊNCIA DE AÇÃO JUDICIAL

ANEXO I DECLARAÇÃO DE INEXISTÊNCIA DE AÇÃO JUDICIAL ANEXO I DECLARAÇÃO DE INEXISTÊNCIA DE AÇÃO JUDICIAL (razão social do devedor), com inscrição no CNPJ nº, devidamente representada por (nome e qualificação do representante), DECLARA, para os fins da RN

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS LEVE PPR - G763300V2

CONDIÇÕES GERAIS LEVE PPR - G763300V2 ARTIGO PRELIMINAR Entre a Fidelidade - Companhia de Seguros, S.A., adiante designada por Segurador, e o Tomador do Seguro identificado nas Condições Particulares, estabelece-se o presente contrato de seguro

Leia mais

PROCURADORIA GERAL DA FAZENDA NACIONAL - PGFN

PROCURADORIA GERAL DA FAZENDA NACIONAL - PGFN PROCURADORIA GERAL DA FAZENDA NACIONAL - PGFN PORTARIA N.º 3 DE 22 /11 /2005 Dispõe sobre a prova de regularidade fiscal perante a Fazenda Nacional e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DA FAZENDA

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DE GARANTIA DE PENHOR DE DIREITOS. Quadro Resumo

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DE GARANTIA DE PENHOR DE DIREITOS. Quadro Resumo INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DE GARANTIA DE PENHOR DE DIREITOS Quadro Resumo BANCO CNPJ/MF Banco Bradesco S.A. 60.746.948/0001 12 Sede Cidade de Deus, Município e Comarca de Osasco, Estado de

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MINIPRODUÇÃO

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MINIPRODUÇÃO CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MINIPRODUÇÃO Entre [ ]., com sede em [ ], matriculada na Conservatória do Registo Comercial de [ ], com o número de matrícula e pessoa coletiva

Leia mais

VAI PERMUTAR A SUA CASA? PRESTE ATENÇÃO AO SEGUINTE!

VAI PERMUTAR A SUA CASA? PRESTE ATENÇÃO AO SEGUINTE! VAI PERMUTAR A SUA CASA? PRESTE ATENÇÃO AO SEGUINTE! As normas da compra e venda são aplicáveis aos outros contratos onerosos pelos quais se alienam bens ou se estabeleçam encargos sobre eles, na medida

Leia mais

Rua Josefa de Obidos N.º64 GPS: N 38º42.741', W 9º19.885'

Rua Josefa de Obidos N.º64 GPS: N 38º42.741', W 9º19.885' José Pedro Viçoso Martins INSOLVENTE: TRIBUNAL DE FAMÍLIA E MENORES E DE COMARCA DE CASCAIS PROC. N.º 6458/12.8TBCSC - 4º JUÍZO CÍVEL DE CASCAIS CARTA F E C H A D A CASCAIS S. DOMINGOS DE RANA Rua Josefa

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO PRFN 3ª REGIÃO Nº 004 de 16 de dezembro de 2009.

ORDEM DE SERVIÇO PRFN 3ª REGIÃO Nº 004 de 16 de dezembro de 2009. ORDEM DE SERVIÇO PRFN 3ª REGIÃO Nº 004 de 16 de dezembro de 2009. Dispõe sobre o procedimento a ser adotado para a formalização e controle dos processos de parcelamentos de arrematação ocorrida nas hastas

Leia mais

CRÉDITO PESSOAL. (ao abrigo do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 133/2009, de 2 de Junho) Praça D. João I, 28 4000-295 Porto

CRÉDITO PESSOAL. (ao abrigo do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 133/2009, de 2 de Junho) Praça D. João I, 28 4000-295 Porto CRÉDITO PESSOAL FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL (ao abrigo do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 133/2009, de 2 de Junho) A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição

Leia mais

ANEXO I CONTRATO DE MÚTUO (EMPRÉSTIMO) COM DESTINAÇÃO ESPECÍFICA

ANEXO I CONTRATO DE MÚTUO (EMPRÉSTIMO) COM DESTINAÇÃO ESPECÍFICA ANEXO I CONTRATO DE MÚTUO (EMPRÉSTIMO) COM DESTINAÇÃO ESPECÍFICA O, autarquia criada pela Lei n. 1079, de 5 de novembro de 1987, e mantido pela Lei n. 3.344, de 28 de dezembro de 2001, com sede nesta cidade,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 96/2013 de 3 de Outubro de 2013

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 96/2013 de 3 de Outubro de 2013 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 96/2013 de 3 de Outubro de 2013 Considerando a necessidade do Governo dos Açores continuar a potenciar a competitividade e crescimento sustentado

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO Entre, residente em com o número de contribuinte, adiante designado(a) abreviadamente por Produtor; e EDP Serviço Universal, S.A., com sede

Leia mais

2. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES) (ÍNDICE)

2. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES) (ÍNDICE) 2.1. Crédito à habitação e contratos conexos Crédito Habitação Para Aquisição, Construção, Obras e Aquisição de Terreno para Habitação Própria, Secundária ou Arrendamento, Crédito Sinal, Transferências;

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA UTILIZAÇÃO DO FGTS (Check list) Modalidade: AQUISIÇÃO À VISTA (DAMP 1)

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA UTILIZAÇÃO DO FGTS (Check list) Modalidade: AQUISIÇÃO À VISTA (DAMP 1) (I) DO COMPRADOR ( ) Ficha Cadastral do Proponente (Original, preenchida, datada e assinada) ( ) Documento de Identidade de todos os compradores e seus respectivos cônjuges, se for o caso ( ) CPF de todos

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR

MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR Entre O Primeiro Outorgante, A Administração Regional de Saúde de. IP, adiante

Leia mais

Simulação de Crédito Pessoal

Simulação de Crédito Pessoal Simulação de Crédito Pessoal Data de Impressão: 15-10-2013 12:35 Número de Simulação: 13892037 Resumo Prestação Comissão de Processamento (mensal) (Acresce Imposto do Selo à Taxa em vigor) Seguro de Vida

Leia mais

Empreendimento: Lacqua Residencial.

Empreendimento: Lacqua Residencial. LACQUA RESIDENCIAL QUADRO RESUMO CONTRATO DE COMPROMISSO DE COMPRA E VENDA PARA ENTREGA FUTURA DE APARTAMENTO, VAGA DE GARAGEM E CESSÃO DE FRAÇÃO IDEAL DE TERRENO. Empreendimento: Lacqua Residencial. Localização:

Leia mais

Preçário GE CONSUMER FINANCE, I.F.I.C., INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, SA. Instituição Financeira de Crédito

Preçário GE CONSUMER FINANCE, I.F.I.C., INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, SA. Instituição Financeira de Crédito Preçário GE CONSUMER FINANCE, I.F.I.C., INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, SA Instituição Financeira de Crédito Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de O Preçário completo da GE Consumer Finance,

Leia mais

No Tabelionato de Notas são lavradas escrituras públicas em geral, como inventários, divórcios, declaratórias de união estável, procurações,

No Tabelionato de Notas são lavradas escrituras públicas em geral, como inventários, divórcios, declaratórias de união estável, procurações, No Tabelionato de Notas são lavradas escrituras públicas em geral, como inventários, divórcios, declaratórias de união estável, procurações, testamentos, entre outras. Também são lavradas atas notariais,

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO (EXEMPLO) Março 2015. Avaliação e Financiamento de Unidades de Investigação

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO (EXEMPLO) Março 2015. Avaliação e Financiamento de Unidades de Investigação PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO (EXEMPLO) Março 2015 Avaliação e Financiamento de Unidades de Investigação Protocolo de Colaboração (Exemplo) O Termo de Aceitação (TA) do financiamento atribuído pela Fundação

Leia mais

IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE IMÓVEIS. O que é. A que tipo de prédios se aplica

IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE IMÓVEIS. O que é. A que tipo de prédios se aplica IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE IMÓVEIS O que é A que tipo de prédios se aplica Quem tem de pagar IMI Prédios isentos Reconhecimento Tipo de isenção Prédios classificados como monumentos nacionais ou património

Leia mais

Preçário SOFINLOC - INSTITUICAO FINANCEIRA DE CREDITO, SA INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS DE CRÉDITO. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS

Preçário SOFINLOC - INSTITUICAO FINANCEIRA DE CREDITO, SA INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS DE CRÉDITO. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Preçário SOFINLOC - INSTITUICAO FINANCEIRA DE CREDITO, SA INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS DE CRÉDITO Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Entrada em vigor: 1-out-2015

Leia mais

Formulário de Candidatura ao Fundo Social de Emergência (FSE) do ano letivo /

Formulário de Candidatura ao Fundo Social de Emergência (FSE) do ano letivo / Campus de Gualtar 4710-057 Braga P I - identificação e residência Nome: Formulário de Candidatura ao Fundo Social de Emergência (FSE) do ano letivo / Nº de aluno: Data de nascimento / / Estado civil: Sexo:

Leia mais

ZON Multimédia - Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. (Sociedade Aberta)

ZON Multimédia - Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. (Sociedade Aberta) ZON Multimédia - Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. (Sociedade Aberta) Sede: Avenida 5 de Outubro, nº 208, Lisboa Capital Social: 3.090.968,28 Euros Número de matrícula na Conservatória

Leia mais

5º REVOGADO. 6º REVOGADO. 7º REVOGADO. 8º REVOGADO. 9º REVOGADO.

5º REVOGADO. 6º REVOGADO. 7º REVOGADO. 8º REVOGADO. 9º REVOGADO. CAPÍTULO II DO PARCELAMENTO DE DÉBITO Art. 163. O débito decorrente da falta de recolhimento de tributos municipais poderá ser pago em até 96 (noventa e seis) parcelas mensais e sucessivas, observado o

Leia mais

PROPOSTA DE SEGURO SEGURO DE CAPITALIZAÇÃO POUPANÇA AUTO PREENCHER A CANETA PRETA

PROPOSTA DE SEGURO SEGURO DE CAPITALIZAÇÃO POUPANÇA AUTO PREENCHER A CANETA PRETA POUPANÇA E INVESTIMENTO PROPOSTA DE SEGURO SEGURO DE CAPITALIZAÇÃO PREENCHER A CANETA PRETA SEGURO DE CAPITALIZAÇÃO 3 0 ALTERAÇÃO À APÓLICE Nº (*) AGÊNCIA/AGENTE Nº FM IB CONTA COBRANÇA Nº (*) PREENCHER

Leia mais

BOLSAS DE ESTUDO FORMULÁRIO DE CANDIDATURA ANO LETIVO 20 / 20

BOLSAS DE ESTUDO FORMULÁRIO DE CANDIDATURA ANO LETIVO 20 / 20 Nº da candidatura / FORMULÁRIO DE CANDIDATURA ANO LETIVO 20 / 20 1. IDENTIFICAÇÃO DO/A CANDIDATO/A Nome: Data de nascimento (aa/mm/dd): / / BI ou Cartão do Cidadão nº: válido até (aa/mm/dd) / / NIF (n.º

Leia mais

CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO COM PENHOR

CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO COM PENHOR CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO COM PENHOR Entre: 1. BANCO DE INVESTIMENTO GLOBAL, S.A., com sede em Lisboa, na Av. 24 de Julho nº 74 a 76, com o capital social de EUR 104.000.000 (cento e quatro milhões

Leia mais

CONVOCATÓRIA ASSEMBLEIA GERAL ANUAL ADITAMENTO

CONVOCATÓRIA ASSEMBLEIA GERAL ANUAL ADITAMENTO ADITAMENTO 27 de abril de 2015 GLINTT GLOBAL INTELLIGENT TECHNOLOGIES, S.A. Sociedade Aberta Sede Social: Beloura Office Park, Edifício 10, Quinta da Beloura, 2710-693 Sintra Capital Social: 86.962.868,00

Leia mais

Percurso lógico para a criação de uma empresa:

Percurso lógico para a criação de uma empresa: Percurso lógico para a criação de uma empresa: [3] Formas jurídicas de criar um negocio: Os negócios desenvolvidos por uma pessoa poderão ter a forma jurídica de Empresário em Nome Individual, Estabelecimento

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO Entre F.., residente em.com o número de contribuinte, [ou 1 ] F..., com sede em,, com o capital social de. euros, matriculada na Conservatória

Leia mais

Resolvem, na melhor forma de direito, celebrar o presente Contrato de Mútuo ( Contrato ), de acordo com os seguintes termos e condições:

Resolvem, na melhor forma de direito, celebrar o presente Contrato de Mútuo ( Contrato ), de acordo com os seguintes termos e condições: CONTRATO DE MÚTUO Prelo presente instrumento particular, [O Estudante, pessoa física proponente de empréstimo com determinadas características ( Proposta )], identificado e assinado no presente contrato

Leia mais

CONTRATO DE ARRENDAMENTO

CONTRATO DE ARRENDAMENTO Entre: CONTRATO DE ARRENDAMENTO, com o NUIT:,, natural de, de nacionalidade, residente na, nº, em, titular do B.I. nº, emitido em _, aos de de e válido até de de, doravante designado por Locador, E, com

Leia mais

Contrato de Sociedade do Banco Espírito Santo, S.A. Capítulo I Denominação, Sede, Duração e Objecto. Artigo 1.º. Natureza e Firma

Contrato de Sociedade do Banco Espírito Santo, S.A. Capítulo I Denominação, Sede, Duração e Objecto. Artigo 1.º. Natureza e Firma Contrato de Sociedade do Banco Espírito Santo, S.A. Capítulo I Denominação, Sede, Duração e Objecto Artigo 1.º Natureza e Firma 1. A Sociedade é organizada sob a forma de sociedade anónima e adopta a firma

Leia mais

Preçário BANCO BNP PARIBAS PERSONAL FINANCE, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário BANCO BNP PARIBAS PERSONAL FINANCE, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário BANCO BNP PARIBAS PERSONAL FINANCE, SA BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 08jun2015 O Preçário completo do Banco BNP

Leia mais

Convenção de Mediação. I. Nome:, estado civil:, capacidade:, titular do bilhete de identidade n.º: II. Nome:, estado civil:, capacidade:,

Convenção de Mediação. I. Nome:, estado civil:, capacidade:, titular do bilhete de identidade n.º: II. Nome:, estado civil:, capacidade:, Convenção de Mediação Entre: I. Nome:, estado civil:, capacidade:, titular do bilhete de identidade n.º:, contribuinte fiscal n.º:, residente em: ; II. Nome:, estado civil:, capacidade:, titular do bilhete

Leia mais

Ofício-Circulado 60009, de 21/05/1999 - Direcção de Serviços de Justiça Tributária

Ofício-Circulado 60009, de 21/05/1999 - Direcção de Serviços de Justiça Tributária Ofício-Circulado 60009, de 21/05/1999 - Direcção de Serviços de Justiça Tributária PLANOS PRESTACIONAIS - DEC-LEI Nº 124/96 REDUÇÃO DA TAXA DE JUROS DE MORA VINCENDOS CONSTITUIÇÃO DE GARANTIAS - DEC-LEI

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ACÇÕES. 1., adiante designadas simplesmente por VENDEDORAS

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ACÇÕES. 1., adiante designadas simplesmente por VENDEDORAS CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ACÇÕES PARTES: 1., adiante designadas simplesmente por VENDEDORAS E 2., com sede em, com o capital social de, Pessoa Colectiva número, matriculada na Conservatória do Registo

Leia mais

Área Temática Restauração e bebidas. A) Constituição Formal da Empresa. 1.Empresário em Nome Individual. Procedimentos:

Área Temática Restauração e bebidas. A) Constituição Formal da Empresa. 1.Empresário em Nome Individual. Procedimentos: Área Temática Restauração e bebidas A) Constituição Formal da Empresa 1.Empresário em Nome Individual Procedimentos: 1.º Passo Pedido de Certificado de Admissibilidade de Firma ou Denominação O Empresário

Leia mais

CONTRATO DE MÚTUO. O(A) Mutuante e a Mutuária são doravante designados em conjunto por Partes.

CONTRATO DE MÚTUO. O(A) Mutuante e a Mutuária são doravante designados em conjunto por Partes. CONTRATO DE MÚTUO Entre: [[ ], residente na [ ], [ ], contribuinte fiscal número [ ]/[ ], sociedade [ ], com sede em [ ], [ ], pessoa coletiva número[ ], com o capital social de [ ], neste ato devidamente

Leia mais

VILA NOVA DE MILFONTES

VILA NOVA DE MILFONTES INSOLVENTE: Maria Alexandra Melo Batista e Luís Manuel da Silva Campos COMARCA DO ALENTEJO LITORAL, ODEMIRA PROC. N.º 112/14.3T2ODM/PROC. N.º 122/13.8T2ODM JUÍZO DE COMPETÊNCIA GENÉRICA CARTA F E C H A

Leia mais

RECIBO DE RENDA ELETRÓNICO FAQ

RECIBO DE RENDA ELETRÓNICO FAQ RECIBO DE RENDA ELETRÓNICO FAQ Perguntas frequentes Recibos de renda eletrónicos 1 - Face à entrada em vigor da Portaria n.º 98-A/2015, de 31 de março, é obrigatória a emissão de recibo de renda eletrónico?

Leia mais

10. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (OUTROS CLIENTES) - FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS 10.1. Linhas de Crédito e Contas Correntes

10. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (OUTROS CLIENTES) - FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS 10.1. Linhas de Crédito e Contas Correntes 10. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (OUTROS CLIENTES) - FOLHETO DE COMSÕES E DESPESAS 10.1. Linhas de Crédito e Contas Correntes Crédito de Curto Prazo em Conta Corrente Iniciais Euros (min/máx) Valor Anual Acresce

Leia mais

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1 1. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Condições genéricas: 1.1. Localização (sede social) em território nacional; inclui Regiões Autónomas da Madeira e Açores, bem como Portugal Continental.

Leia mais

CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL BENFMEMD_20130701 Benfica Member CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição de crédito 1.1. Denominação CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS,

Leia mais

Extinção da empresa por vontade dos sócios

Extinção da empresa por vontade dos sócios Extinção da empresa por vontade dos sócios A dissolução de uma sociedade por deliberação dos sócios pode fazer-se de várias formas, designadamente de forma imediata, com liquidação simultânea, com partilha,

Leia mais

Avaliação geral de prédios urbanos

Avaliação geral de prédios urbanos Avaliação geral de prédios urbanos Foi publicada a Lei n 60-A/2011, de 30/11, que aditou os artigos 15 o -A a 15 -P ao Decreto-Lei n 287/2003, de 12/11, que regulamentam o regime da Avaliação Geral de

Leia mais

ESTATUTOS DA IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA, S. A. CAPÍTULO I. Natureza, denominação, duração, sede e objeto. Artigo 1.º. Natureza e denominação

ESTATUTOS DA IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA, S. A. CAPÍTULO I. Natureza, denominação, duração, sede e objeto. Artigo 1.º. Natureza e denominação ESTATUTOS DA IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA, S. A. CAPÍTULO I Natureza, denominação, duração, sede e objeto Artigo 1.º Natureza e denominação A sociedade tem a natureza de sociedade anónima de capitais

Leia mais

Aviso do Banco de Portugal n.º 2/2010

Aviso do Banco de Portugal n.º 2/2010 Aviso do Banco de Portugal n.º 2/2010 A Instrução n.º 27/2003 consagrou no ordenamento jurídico nacional os procedimentos mais relevantes da Recomendação da Comissão n.º 2001/193/CE, de 1 de Março de 2001,

Leia mais

Gouvijovem. Programa de Apoio à Fixação de Jovens no Concelho de Gouveia. Regulamento

Gouvijovem. Programa de Apoio à Fixação de Jovens no Concelho de Gouveia. Regulamento Gouvijovem Programa de Apoio à Fixação de Jovens no Concelho de Gouveia Regulamento Gouvijovem Programa de Apoio à Fixação de Jovens no Concelho de Gouveia Regulamento Preâmbulo O Concelho de Gouveia vem

Leia mais

CONTRATO SOCIAL DA SOCIEDADE DE ADVOGADOS

CONTRATO SOCIAL DA SOCIEDADE DE ADVOGADOS CONTRATO SOCIAL DA SOCIEDADE DE ADVOGADOS -------------------------------- [Nota: os instrumentos de alteração contratual devem contem o número de registro da sociedade no CNPJ e o número de inscrição

Leia mais

Ficha de Informação Geral

Ficha de Informação Geral Objectivo da Ficha de Informação Geral Oferecer aos Clientes informação de carácter geral sobre o crédito à habitação, o mais transparente, sistemático e rigorosamente possível, antes da formalização de

Leia mais