INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS- IBAMA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS- IBAMA"

Transcrição

1 DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS- IBAMA "Debate: a intoxicação de profissionais e estudantes da Escola Municipal de São José do Pontal, localizada na zona rural do Município de Rio Verde, estado de Goiás, com a pulverização de agrotóxicos através de aeronave agrícola". COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL CAMARA DOS DEPUTADOS Marcio Rosa Rodrigues de Freitas Coordenador Geral de Avaliação de Substâncias Químicas Brasília, 13 de agosto de 2013

2 - O Fato - As Circunstâncias - A atuação do IBAMA - Questões adicionais

3 Escola Municipal Rural São José do Pontal, situada na zona rural de Rio Verde- GO

4 A aeronave estava pulverizando o inseticida sistêmico de contato e ingestão Engeo Pleno na cultura do milho (Zea mays) e a deriva, intensificada pelo vento, atingiu a escola, vizinha à lavoura.

5 Foram atendidas no Hospital Municipal Dona Zebra (Montividiu-GO), 37 pessoas, sendo 29 crianças e 8 adultos. A idade das crianças variaram entre 08 a 17 anos e os adultos, de 19 a 47 anos.

6 A empresa responsável pela aplicação aérea foi a AEROTEX Aviação Agrícola.

7 Conforme documento de contratação de serviço, a empresa foi contratada para a aplicação de Engeo Pleno, em 208 ha, plantado com milho. Foram entregues para a aplicação 55 L de produto, com previsão de se utilizar 52,5 L.

8 O produto e a dose a serem aplicados na lavoura foram prescritos por Engenheiro Agrônomo da empresa Cooperativa COMIGO (COOP. AGRO. PROD.R.S.GOIANO), a mesma responsável pela venda do produto, situada em Montividiu-GO. O receituário previa aplicação do produto na cultura da soja e controle da praga Anticarsia gemmatalis. A receita agronômica possuía a frase A aplicação aérea NÃO É PERMITIDA.

9 Houve perícia no local da pulverização ilegal, ocorrendo recolhimento de algumas embalagens do inseticida Engeo Pleno e coleta, na aeronave, do produto para análise laboratorial.

10 O produto Engeo Pleno é utilizado para o controle, na cultura do milho, das pragas: Lagarta-militar/Lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda), Percevejo-barriga-verde (Dichelops melacanthus) e Tripes (Frankliniella williamsi). Esse produto é uma mistura composta por dois ingredientes ativos TIAMETOXAM (neonicotinóide) (141g/L) e LAMBDA-CIALOTRINA (piretróide) (106 g/l) e é classificado como: CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA- III - MEDIANAMENTE TÓXICO CLASSIFICAÇÃO DO POTENCIAL DE PERICULOSIDADE AMBIENTAL - I - PRODUTO ALTAMENTE PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE.

11 O produto Engeo Pleno não possui indicação para aplicação aérea na cultura de Milho e a aplicação aérea de produtos à base de Tiametoxam, Imidacloprido, Clotianidina e Fipronil, em diversas culturas, inclusive milho, foi posteriormente proibida pelo IBAMA a partir de 19 de julho de 2012.

12 A aplicação aérea possui as seguintes condições de aplicação que não foram observadas: I - não é permitida a aplicação aérea de agrotóxicos em áreas situadas a uma distância mínima de: a) quinhentos (500) metros de povoações, cidades, vilas, bairros, de mananciais de captação de água para abastecimento de população; b) duzentos e cinquenta (250) metros de mananciais de água, moradias isoladas e agrupamentos de animais;... V - as aeronaves agrícolas, que contenham produtos químicos, ficam proibidas de sobrevoar as áreas povoadas, moradias e os agrupamentos humanos, ressalvados os casos de controle de vetores, observadas as normas legais pertinentes.

13 A escola está entre as duas áreas de lavoura. As distâncias entre as dependências da escola (pátio de recreação, pátio da escola e salas de aula) até as lavouras variam de 15 a 60 metros. Na mesma situação, encontra-se o Centro dos Assentados, utilizado para administração de palestras, refeitório e outras atividades coletivas

14 O centro utiliza um dos mananciais para a o consumo humano preparação de refeições, dessedentação humana e animal e higiene e limpeza em geral. Esse manancial está a menos de 300 metros da lavoura.

15 O poço formado pela nascente, que é utilizado para recreação dos alunos da escola, está a aproximadamente 20 metros da lavoura de milho.

16 Verifica-se, dessa forma, que as distâncias mínimas exigida para a aplicação por meio da pulverização aérea NÃO foram respeitadas pela empresa Aerotex.

17 Toda a aplicação por pulverização aérea deve ser efetuada com a atuação de uma equipe que deve planejar o trabalho de forma a evitar pulverizações fora da área prevista (deriva aérea), de maneira a reduzir o uso de produtos e evitar a contaminação do meio ambiente ou a intoxicação de pessoas, o que otimiza a aplicação dos insumos, evita desperdícios e reduz a possibilidade de dano ambiental ou de dano a saúde. Cuidados como: posição, velocidade do vento, obstáculos, reserva florestal, mananciais, nascentes, moradias, etc, são de responsabilidade da equipe que é formada por profissionais qualificados para esse tipo de trabalho. O proprietário da lavoura e os responsáveis pela aplicação aérea declararam desconhecer a proibição de aplicação aérea do produto e a época de aplicação recomendada, igualmente indevida segundo a bula do produto.

18 Em consulta ao Sistema de Cadastro, Arrecadação e Fiscalização SICAFI, observou-se que a empresa AEROTEX NÃO está cadastrada na Categoria: Serviços de Utilidade; e Descrição: Aplicação de agrotóxicos e afins. Conforme consulta na Receita Federal (Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral), a empresa tem o nome empresarial de AEROTEX AVIAÇÃO AGRÍCOLA LTDA EPP e tem como atividade econômica o serviço de pulverização e controle de pragas agrícolas.

19 Em vistoria realizada no depósito da Cooperativa COMIGO (COOP. AGRO. PROD.R.S.GOIANO) e nas embalagens apreendidas pela delegacia de policia foi observado que as embalagens de 5L de Engeo Pleno (data de fabricação: Jul -2012, lote PLN 2 H ) não continham etiqueta, folheto complementar ou congênere contendo a frase de advertência tornada obrigatória pelo IBAMA.

20 Esta etiqueta é complementar ao rótulo e bula do produto e sua utilização é obrigatória para produtos a base de Tiametoxam comercializados a partir de outubro de A Nota fiscal de venda dos produtos também não fazia menção à restrição de sua utilização.

21 O IBAMA autuou: - a empresa AEROTEX responsável pela aplicação aérea do Produto e - a empresa Syngenta titular do Registro do Produto ENGEO PLENO, As autuações tiveram por base a legislação vigente, as atribuições do IBAMA e as infrações cometidas por cada uma delas pelas razões antes expostas.

22 Atuam oficialmente no segmento de pulverização aérea 149 empresas, segundo dados da Associação Nacional de Aviação Civil (Anac). Somando com os produtores que possuem aviões próprios para realizar as aplicações, a frota aero agrícola do Brasil alcançou em junho de aviões, utilizados principalmente nas Regiões Centro-Oeste e no Sul. Essa frota tem crescido constantemente. Nos últimos quatro anos, a quantidade de aeronaves destinadas à agricultura cresceu 77%. (Fonte: CNA,2013)

23 Esses aviões pulverizam uma área estimada de 25 milhões de hectares, correspondente a 40% da área agrícola brasileira. Segundo a Andef, com a possibilidade de que a agricultura avance nos próximos dez anos sobre 35 milhões de hectares ocupados hoje com pastagens, a área a receber pulverizações aéreas deve aumentar na mesma proporção e incorporar mais 14 milhões de hectares nesse prazo. (Fonte: CNA,2013)

24 Obrigado! Marcio R. Rodrigues de Freitas Coordenador Geral de Avaliação e Controle de Substâncias Químicas IBAMA SCEN Trecho 2, Ed. Sede do IBAMA Bl. C Brasília DF Tel.: (61) Fax: (61)

Aplicação aérea de inseticidas, efeito sobre as abelhas e períodos em que as aplicações são necessárias em soja

Aplicação aérea de inseticidas, efeito sobre as abelhas e períodos em que as aplicações são necessárias em soja Aplicação aérea de inseticidas, efeito sobre as abelhas e períodos em que as aplicações são necessárias em soja Audiência pública Câmara Federal 11 de dezembro de 2012 Alexandre J. Cattelan Chefe-Geral

Leia mais

XXX Congresso Brasileiro da Ciência das Plantas Daninhas Curitiba/PR, 23 de agosto de 2016

XXX Congresso Brasileiro da Ciência das Plantas Daninhas Curitiba/PR, 23 de agosto de 2016 PAINEL Aspectos Regulatórios da Área de Agrotóxicos: Processo de Reavaliação de Herbicidas no Brasil Avaliação e Reavaliação de Herbicidas: como funciona e o que o MAPA pode fazer. XXX Congresso Brasileiro

Leia mais

Pulverização Aérea CARTILHA EXPLICATIVA

Pulverização Aérea CARTILHA EXPLICATIVA Pulverização Aérea CARTILHA EXPLICATIVA 1 A modernização da agricultura mundial O crescimento na demanda mundial de alimentos trouxe um novo desafio para a agricultura. A necessidade de evoluir na produtividade

Leia mais

Vantagens do registro de produtos biológicos de controle de pragas. Exigências legais do MAPA. Jaguariúna SP junho de 2009

Vantagens do registro de produtos biológicos de controle de pragas. Exigências legais do MAPA. Jaguariúna SP junho de 2009 Vantagens do registro de produtos biológicos de controle de pragas Exigências legais do MAPA Jaguariúna SP junho de 2009 REGULAMENTAÇÃO Histórico da Legislação 1934: Decreto que aprova o Regulamento de

Leia mais

Avaliação ambiental e a atuação do IBAMA no registro de agrotóxicos

Avaliação ambiental e a atuação do IBAMA no registro de agrotóxicos INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS VEIS - IBAMA Avaliação ambiental e a atuação do IBAMA no registro de agrotóxicos Reunião da Câmara Temática de Insumos Agropecuários

Leia mais

A tecnologia INSIDE protegendo o potencial de sementes e plântulas

A tecnologia INSIDE protegendo o potencial de sementes e plântulas A tecnologia INSIDE protegendo o potencial de sementes e plântulas João Carlos Nunes - Ger. TS Latam Nufarm CSM PR _ Agosto, 2016 INSIDE FS é o novo inseticida para tratamento de sementes no portfólio

Leia mais

Remediação de Solo e Diretrizes para Gestão de Aguas Subterrâneas

Remediação de Solo e Diretrizes para Gestão de Aguas Subterrâneas RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA DIRETORIA DE QUALIDADE AMBIENTAL - DIQUA Seminário FIESP Cooperação Brasil-Holanda: Remediação de Solo e Diretrizes para Gestão de Aguas Subterrâneas Recuperação de

Leia mais

Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida

Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida XV Encontro Nacional de Estudantes de Nutrição 02 de agosto de 2016 Teresina, PI Agrotóxicos no Brasil Evolução de Indicadores Agrários Agrotóxicos

Leia mais

1. PÁTIO DE LAVAGEM 2. RESERVATÓRIO DE DECANTAÇÃO 3. CONJUNTO MOTOBOMBA 4. OZONIZADOR (1g de ozônio/hora) 5. RESERVATORIO DE OXIDAÇÃO (500 L PVC) 6.

1. PÁTIO DE LAVAGEM 2. RESERVATÓRIO DE DECANTAÇÃO 3. CONJUNTO MOTOBOMBA 4. OZONIZADOR (1g de ozônio/hora) 5. RESERVATORIO DE OXIDAÇÃO (500 L PVC) 6. Defensivos Agrícolas, Produtos Fitossanitários, Agrotóxicos ou Pesticidas? FCA / UNESP Campus de Botucatu DPV Defesa Fitossanitária raetano@fca.unesp.br TERMINOLOGIA Agrotóxicos: Lei dos Agrotóxicos 7.802/89

Leia mais

Abelhas X Agrotóxicos

Abelhas X Agrotóxicos Abelhas X Agrotóxicos Informativo aos apicultores e meliponicultores 2ª Edição 2016 Abelhas X Agrotóxicos Informativo aos apicultores e meliponicultores Autores: Wilson José Gussoni (wjgussoni@hotmail.com)

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Fiscalização de atividades com organismos geneticamente modificados 15 Artigo Técnico 2 Fiscalização de Atividades

Leia mais

CONFEDERAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA DO BRASIL - CNA CADASTRO DO EMPRESÁRIO OU EMPREGADOR RURAL - PESSOA JURÍDICA

CONFEDERAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA DO BRASIL - CNA CADASTRO DO EMPRESÁRIO OU EMPREGADOR RURAL - PESSOA JURÍDICA CONFEDERAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA DO BRASIL CNA CADASTRO DO EMPRESÁRIO OU EMPREGADOR RURAL PESSOA JURÍDICA I. TIPO DE ATUALIZAÇÃO (para uso CNA): Inclusão Alteração Cancelamento II. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

PAINEL Produtos (princípios ativos) reavaliados pela ANVISA, IBAMA e MAPA. XXXV Ciclo de Reuniões da CSM/PR Foz do Iguaçú/PR, 24 de agosto de 2016

PAINEL Produtos (princípios ativos) reavaliados pela ANVISA, IBAMA e MAPA. XXXV Ciclo de Reuniões da CSM/PR Foz do Iguaçú/PR, 24 de agosto de 2016 PAINEL Produtos (princípios ativos) reavaliados pela ANVISA, IBAMA e MAPA XXXV Ciclo de Reuniões da CSM/PR Foz do Iguaçú/PR, 24 de agosto de 2016 RESUMO Legislação Federal de Agrotóxicos Necessidade do

Leia mais

I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Dispõe sobre a atividade e a Responsabilidade Técnica na produção de sementes e mudas florestais e ornamentais. A CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA FLORESTAL, DO CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº 1, DE 1º DE ABRIL DE 2004

INSTRUÇÃO NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº 1, DE 1º DE ABRIL DE 2004 Título: Instrução Normativa nº 1, de 01 de abril de 2004 Ementa não oficial: Ficam definido os procedimentos complementares para aplicação do Decreto n o 4.680, de 24 de abril de 2003, que dispõe sobre

Leia mais

6º Encontro Regional dos Produtores de Maracujá Núcleo Rural Pipiripau Planaltina-DF

6º Encontro Regional dos Produtores de Maracujá Núcleo Rural Pipiripau Planaltina-DF Secretaria de Estado de Agricultura e Desenvolvimento Rural do DF - SEAGRI 6º Encontro Regional dos Produtores de Maracujá Núcleo Rural Pipiripau Planaltina-DF BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS NA PRODUÇÃO DE MARACUJÁ

Leia mais

LEGISLAÇÃO: MARCO REGULATÓRIO PARA O TRATAMENTO DE SEMENTES NO BRASIL

LEGISLAÇÃO: MARCO REGULATÓRIO PARA O TRATAMENTO DE SEMENTES NO BRASIL LEGISLAÇÃO: MARCO REGULATÓRIO PARA O TRATAMENTO DE SEMENTES NO BRASIL Júlio César Garcia Fiscal Federal Agropecuário LASO/LANAGRO/MG José Maurício Pereira Fiscal Federal Agropecuário UTRA/LRV/SDFA/MG Piracicaba/SP

Leia mais

Atual Cenário da Avaliação de Risco para Polinizadores no Brasil. Fórum de Especialistas CGEE 15/09/2016

Atual Cenário da Avaliação de Risco para Polinizadores no Brasil. Fórum de Especialistas CGEE 15/09/2016 Atual Cenário da Avaliação de Risco para Polinizadores no Brasil Fórum de Especialistas CGEE 15/09/2016 Karina Cham Analista Ambiental Carlos Tonelli Analista Ambiental Programação Papel do Ibama no Registro

Leia mais

NOTA TÉCNICA 04/2016 Esclarecimentos sobre capina química em ambiente urbano de intersecção com outros ambientes.

NOTA TÉCNICA 04/2016 Esclarecimentos sobre capina química em ambiente urbano de intersecção com outros ambientes. NOTA TÉCNICA 04/2016 Esclarecimentos sobre capina química em ambiente urbano de intersecção com outros ambientes. Gerência Geral de Toxicologia - GGTOX Gerência de Saneantes - GESAN Diretoria de Autorização

Leia mais

Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia ADAB

Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia ADAB Ag ên cia Est ad u al d e D ef es a Ag ro p e cu ári a d a B ah ia AD AB Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia ADAB PORTARIA N.º 408 DE 23 DE NOVEMBRO DE 2016 O DIRETOR

Leia mais

Nota contra pulverização aérea de inseticidas para controle de vetores

Nota contra pulverização aérea de inseticidas para controle de vetores Nota contra pulverização aérea de inseticidas para controle de vetores A proposta elaborada pelo Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola pretende realizar estudos-piloto pulverizando malation

Leia mais

Comunicado Técnico 09

Comunicado Técnico 09 Comunicado Técnico 09 ISSN 2177-854X Maio. 2011 Uberaba - MG Regulagem de Pulverizadores Agrícolas de Barras Responsável: Paulo Roberto Pala Martinelli E-mail: prpmartinelli@yahoo.com.br Engenheiro Agrônomo;

Leia mais

MISTURAS DE DEFENSIVOS

MISTURAS DE DEFENSIVOS MISTURAS DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS EM TANQUE Ac. Albert Kenji Hirose Ac. André Hiroshi Kobayashi Ac. Fausto Nimer Terrabuio Ac. Gustavo Takeshi Hacimoto INTRODUÇÃO Misturas em tanque associações de dois

Leia mais

CONSIDERANDO a Lei nº , de 21 de junho de 2002, que institui a Defesa Sanitária Animal no Estado de Pernambuco, e dá outras providências;

CONSIDERANDO a Lei nº , de 21 de junho de 2002, que institui a Defesa Sanitária Animal no Estado de Pernambuco, e dá outras providências; PORTARIA AG/ATDEFN Nº 103/2015 Ementa: Disciplina a entrada e o transporte de produtos e subprodutos de origem animal no Arquipélago de Fernando de Noronha. O Administrador Geral da AUTARQUIA TERRITORIAL

Leia mais

Aplicação aérea de inseticidas, efeito sobre as abelhas e períodos em que as aplicações são necessárias em soja

Aplicação aérea de inseticidas, efeito sobre as abelhas e períodos em que as aplicações são necessárias em soja Aplicação aérea de inseticidas, efeito sobre as abelhas e períodos em que as aplicações são necessárias em soja Audiência Pública Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Câmara dos Deputados

Leia mais

LEIA COM ATENÇÃO ANTES DE PREENCHER A RECEITA AGRONÔMICA

LEIA COM ATENÇÃO ANTES DE PREENCHER A RECEITA AGRONÔMICA LEIA COM ATENÇÃO ANTES DE PREENCHER A RECEITA AGRONÔMICA 1. A distribuição do Receituário Agronômico 1 ART, conforme modelo determinado pela Câmara de Agronomia, é efetuada pelo CREA-BA, através de sua

Leia mais

Figura 04: Microbacia de drenagem na área da propriedade.

Figura 04: Microbacia de drenagem na área da propriedade. Figura 04: Microbacia de drenagem na área da propriedade. Através de estudo em campo e análises de geoprocessamento foi verificado que dentro da propriedade, consequentemente dentro da Área de Influência

Leia mais

Indicações Registradas

Indicações Registradas Marca Comercial Titular do Registro Nº Registro MAPA Dimax 480 SC NUFARM INDÚSTRIA QUÍMICA E FARMACÊUTICA S.A. - 7507 07.467.822/0001-26 Classe Acaricida - Inseticida Ingrediente Ativo (I.A.) diflubenzurom

Leia mais

Rainforest Alliance Certified TM

Rainforest Alliance Certified TM Secretaría de la Red de Agricultura Sostenible Rainforest Alliance P. O. Box 11029 1000 San José Costa Rica standards@sanstandards.org Rainforest Alliance Certified TM Resumo Público de Auditoria Anual

Leia mais

Registro de Agrotóxicos no Brasil

Registro de Agrotóxicos no Brasil Produtos Fitossanitários Registro de Agrotóxicos no Brasil HELEN CALAÇA 02/08/2016 O que é um agrotóxico? Produtos correlatos Impurezas FORMULAÇÃO INGREDIENTE ATIVO Produto Formulado Produto Comercial

Leia mais

Projeto de lei 4330/ quadro comparativo entre as redações aprovadas na Câmara dos Deputados

Projeto de lei 4330/ quadro comparativo entre as redações aprovadas na Câmara dos Deputados Projeto de lei 4330/2004 - quadro comparativo entre as redações aprovadas na Câmara dos Deputados PL 4330 - projeto original apresenta à Ementa: Dispõe sobre o contrato de prestação de serviços e as relações

Leia mais

MULTI PLANTIO CATÁLOGO DE HÍBRIDOS VERÃO REGIÃO NORTE 2014/2015 REFÚGIO E COEXISTÊNCIA

MULTI PLANTIO CATÁLOGO DE HÍBRIDOS VERÃO REGIÃO NORTE 2014/2015 REFÚGIO E COEXISTÊNCIA REFÚGIO E COEXISTÊNCIA PLANTIO DO REFÚGIO O plantio das áreas de refúgio representa o principal componente do plano de Manejo de Resistência de Insetos (MRI) dos híbridos com as Tecnologias VT PRO. A preservação

Leia mais

Qualidade de Insumos Pecuários

Qualidade de Insumos Pecuários Qualidade de Insumos Pecuários Aspectos Legais e Boas Práticas na Fabricação e Comercialização 19/09/2016 Principais não conformidades encontradas durante a fiscalização Rogério dos Santos Lopes Auditor

Leia mais

16 Produção de Sementes e Comercialização

16 Produção de Sementes e Comercialização 16 Produção de Sementes e Comercialização Luciene Fróes Camarano de Oliveira Sérgio Utino Cláudio Bragantini Lídia Pacheco Yokoyama 480 Qual é o tipo de grão mais comercializado no Brasil? O tipo de grão

Leia mais

Receituário Agronômico. Aspectos legais e a fiscalização

Receituário Agronômico. Aspectos legais e a fiscalização Receituário Agronômico Aspectos legais e a fiscalização CONFEA / CREA O CONSELHO FEDERAL Órgão regulador das profissões. A ele compete baixar as Resoluções e demais normativos que dão corpo ao exercício

Leia mais

Recolhimento e Destinação de Embalagens de Sementes Tratadas. Edivandro Seron

Recolhimento e Destinação de Embalagens de Sementes Tratadas. Edivandro Seron Recolhimento e Destinação de Embalagens de Sementes Tratadas Edivandro Seron Foz do Iguaçu, 25 de agosto de 2016 Aplicação da Legislação Lei nº 7.802 de 11 de julho de 1989 Decreto nº 4.074 de 4 de janeiro

Leia mais

MANIPULAÇÃO DE MEDICAMENTOS VETERINÁRIOS DE USO ORAL

MANIPULAÇÃO DE MEDICAMENTOS VETERINÁRIOS DE USO ORAL V Workshop de Farmácia Magistral MANIPULAÇÃO DE MEDICAMENTOS VETERINÁRIOS DE USO ORAL PARA PETS Ana Cláudia Pompeu Raminelli 03 de outubro de 2015 Belém/PA SEJAM BEM-VINDOS AO MUNDO VETERINÁRIO DOS PETS...

Leia mais

II - marcas comerciais registradas que utilizam o ingrediente ativo, os números de seus registros e seus respectivos titulares; e

II - marcas comerciais registradas que utilizam o ingrediente ativo, os números de seus registros e seus respectivos titulares; e INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 17, DE 29 DE MAIO DE 2009 O Presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA, no uso das atribuições que lhe confere o inciso V, art.

Leia mais

Workshop Atualização Profissional. Medicamentos Veterinários

Workshop Atualização Profissional. Medicamentos Veterinários Workshop Atualização Profissional Medicamentos Veterinários Regulamentação e Fiscalização Mariana Filippi Ricciardi Curitiba, 5 de maio de 2016. Competências VISA prevenção de riscos e agravos à saúde

Leia mais

SENADO FEDERAL - Comissões. Comissão de Assuntos Sociais Senado Federal

SENADO FEDERAL - Comissões. Comissão de Assuntos Sociais Senado Federal Período: 14 de março a 18 de março de 2011 SENADO FEDERAL - Comissões Comissão de Assuntos Sociais Senado Federal Dia: 16/03 Horário: 9h Local: Plenário nº 9, Ala Senador Alexandre Costa. (Item 3) PROJETO

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Conforme NBR14725, de julho/2005 e 1907/2006/EC

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Conforme NBR14725, de julho/2005 e 1907/2006/EC 1 1 Identificação do produto e da empresa Produto : Alfa numérico: ------ Fabricante: Diversey Brasil Indústria Química LTDA Departamento de informações: Rua Nossa Senhora do Socorro, 125 Socorro São Paulo

Leia mais

2. FONTE DE RECURSO Projeto/Atividade Fonte de Recurso Natureza da Despesa

2. FONTE DE RECURSO Projeto/Atividade Fonte de Recurso Natureza da Despesa EDITAL CHAMADA PÚBLICA 03-2016 CHAMADA PÚBLICA Nº 03/2016 para aquisição de gêneros alimentícios da agricultura familiar para alimentação escolar com dispensa de licitação, Lei nº 11.947, de 16/07/2009,

Leia mais

Programa de Capacitação de Agentes Fiscais SANTA MARIA: 14/08/2013

Programa de Capacitação de Agentes Fiscais SANTA MARIA: 14/08/2013 Programa de Capacitação de Agentes Fiscais SANTA MARIA: 14/08/2013 CONCEITOS RESÍDUO: Resíduos nos estados sólido, semi-sólido ou líquido resultantes de atividades industriais, domésticas, hospitalar,

Leia mais

Situação Atual da Reavaliação Ambiental de Agrotóxicos

Situação Atual da Reavaliação Ambiental de Agrotóxicos Situação Atual da Reavaliação Ambiental de Agrotóxicos Colmeia Viva, 01/09/16 Flávia Viana-Silva Colaboração: Equipe Reavaliação Risco Especificamente falando de substâncias tóxicas: Risco é a probabilidade

Leia mais

CÂMPUS DE JABOTICABAL FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE FITOSSANIDADE

CÂMPUS DE JABOTICABAL FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE FITOSSANIDADE unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CÂMPUS DE JABOTICABAL FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE FITOSSANIDADE Ecotoxicologia dos Agrotóxicos e Saúde Ocupacional 1a. Aula - Conceitos

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Hortaliças Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Pós-colheita de Hortaliças

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Hortaliças Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Pós-colheita de Hortaliças Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Hortaliças Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Pós-colheita de Hortaliças Embrapa Informação Tecnológica Brasília, DF 2007 Coleção Saber,

Leia mais

Ministério da Saúde - MS Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. (Publicada em DOU nº 181, de 18 de setembro de 2003)

Ministério da Saúde - MS Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. (Publicada em DOU nº 181, de 18 de setembro de 2003) RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 252, DE 16 DE SETEMBRO DE 2003 (Publicada em DOU nº 181, de 18 de setembro de 2003) A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da

Leia mais

Banco do Brasil e o Agronegócio. Fevereiro 2012

Banco do Brasil e o Agronegócio. Fevereiro 2012 Banco do Brasil e o Agronegócio Fevereiro 2012 Banco do Brasil e o Agronegócio 61,6% do Crédito Rural/Agroindustrial no País (SNCR 31.09.2011); 77% dos valores aplicados no Pronaf (SNCR); 1,4 milhões de

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA PECUÁRIA E ABASTECIMENTO PORTARIA Nº 795 DE 15 DE DEZEMBRO DE 1993

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA PECUÁRIA E ABASTECIMENTO PORTARIA Nº 795 DE 15 DE DEZEMBRO DE 1993 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA PECUÁRIA E ABASTECIMENTO PORTARIA Nº 795 DE 15 DE DEZEMBRO DE 1993 NORMA DE IDENTIDADE, QUALIDADE, EMBALAGEM, MARCAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO FARELO DE SOJA 1 OBJETIVO Esta norma tem

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO CÂMARA MUNICIPAL DE BARRA DO PIRAÍ Gabinete do Presidente

ESTADO DO RIO DE JANEIRO CÂMARA MUNICIPAL DE BARRA DO PIRAÍ Gabinete do Presidente LEI MUNICIPAL Nº 2511 DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. ESTIMA A RECEITA E FIXA A DESPESA ORÇAMENTÁRIA DO MUNICÍPIO DE BARRA DO PIRAÍ PARA O EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2015. A Câmara Municipal de Barra do Piraí

Leia mais

Rainforest Alliance Certified TM

Rainforest Alliance Certified TM Secretaría de la Red de Agricultura Sostenible Rainforest Alliance P. O. Box 11029 1000 San José Costa Rica standards@sanstandards.org Rainforest Alliance Certified TM Resumo Público de Auditoria Anual

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Conforme NBR14725, de julho/2005 e 1907/2006/EC

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Conforme NBR14725, de julho/2005 e 1907/2006/EC 1 1 Identificação do produto e da empresa Produto : Alfa numérico: ------ Fabricante: Diversey Brasil Indústria Química LTDA Departamento de informações: Rua Nossa Senhora do Socorro, 125 Socorro São Paulo

Leia mais

LANÇAMENTO DKB 290 MULTI PLANTIO O NOVO HÍBRIDO PARA ALTAS PRODUTIVIDADES CATÁLOGO DE HÍBRIDOS SAFRINHA REGIÃO NORTE 2014/2015. dekalb.com.

LANÇAMENTO DKB 290 MULTI PLANTIO O NOVO HÍBRIDO PARA ALTAS PRODUTIVIDADES CATÁLOGO DE HÍBRIDOS SAFRINHA REGIÃO NORTE 2014/2015. dekalb.com. LANÇAMENTO DKB 290 O NOVO HÍBRIDO PARA ALTAS PRODUTIVIDADES + MULTI PLANTIO CATÁLOGO DE HÍBRIDOS SAFRINHA REGIÃO NORTE 2014/2015 dekalb.com.br ASAS PARA O SEU POTENCIAL. DKB 310 Alto potencial produtivo

Leia mais

LANÇAMENTO DKB 290 MULTI PLANTIO O NOVO HÍBRIDO PARA ALTAS PRODUTIVIDADES CATÁLOGO DE HÍBRIDOS SAFRINHA REGIÃO SUL 2014/2015. dekalb.com.

LANÇAMENTO DKB 290 MULTI PLANTIO O NOVO HÍBRIDO PARA ALTAS PRODUTIVIDADES CATÁLOGO DE HÍBRIDOS SAFRINHA REGIÃO SUL 2014/2015. dekalb.com. LANÇAMENTO DKB 290 O NOVO HÍBRIDO PARA ALTAS PRODUTIVIDADES + MULTI PLANTIO CATÁLOGO DE HÍBRIDOS SAFRINHA REGIÃO SUL 2014/2015 dekalb.com.br ASAS PARA O SEU POTENCIAL. DKB 290 O novo híbrido para altas

Leia mais

REUNIÃO CÂMARA SETORIAL DE FIBRAS NATURAIS CRISE NA COCONICULTURA BRASILEIRA DIAGNÓSTICO DE CAUSAS, IMPACTOS À CADEIA PRODUTIVA E SOLUÇÕES PROPOSTAS

REUNIÃO CÂMARA SETORIAL DE FIBRAS NATURAIS CRISE NA COCONICULTURA BRASILEIRA DIAGNÓSTICO DE CAUSAS, IMPACTOS À CADEIA PRODUTIVA E SOLUÇÕES PROPOSTAS REUNIÃO CÂMARA SETORIAL DE FIBRAS NATURAIS CRISE NA COCONICULTURA BRASILEIRA DIAGNÓSTICO DE CAUSAS, IMPACTOS À CADEIA PRODUTIVA E SOLUÇÕES PROPOSTAS Sumário Executivo Diagnóstico de Causas Impactos à Cadeia

Leia mais

Uso da terra na bacia hidrográfica do alto rio Paraguai no Brasil

Uso da terra na bacia hidrográfica do alto rio Paraguai no Brasil 102 Resumos Expandidos: XI Mostra de Estagiários e Bolsistas... Uso da terra na bacia hidrográfica do alto rio Paraguai no Brasil Cezar Freitas Barros 1 João dos Santos Vila da Silva 2 Resumo: Busca-se

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) NO AR ODORIZANTE DE AMBIENTES (PINK e LE LIS)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) NO AR ODORIZANTE DE AMBIENTES (PINK e LE LIS) Página 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Códigos internos: Le Lis (12/300ml): 9025 Pink (12/300ml): 9026 Aplicação: Odorizar ambientes e tecidos. Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE

Leia mais

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu LEI N o 3.941, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2011. Estima a receita e fixa a despesa do Município de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, para o exercício financeiro de 2012. A Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, Estado

Leia mais

Prefeitura Municipal da Estância Turística de Batatais Estado de São Paulo

Prefeitura Municipal da Estância Turística de Batatais Estado de São Paulo EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 01 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL Nº 01/2016 O Prefeito do Município de Batatais,, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela legislação em vigor, torna público

Leia mais

Manejo de pragas da cana-de-açúcar ao longo do ciclo de produção

Manejo de pragas da cana-de-açúcar ao longo do ciclo de produção Manejo de pragas da cana-de-açúcar ao longo do ciclo de produção Eng. Agr. Jesus Carmo Desenvolvimento Tecnico de Mercado Cana-de-Açúcar Syngenta jesus.carmo@syngenta.com O atual cenário Os desafios no

Leia mais

Rede de Cooperativas Agropecuárias das Américas

Rede de Cooperativas Agropecuárias das Américas Ramo Agropecuário Rede de Cooperativas Agropecuárias das Américas Paulo César Dias do Nascimento Júnior Coordenador do Ramo Agropecuário da OCB Lima, 20 e 21 de março de 2013. Sistema OCB. Você participa.

Leia mais

Prescrição e Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos

Prescrição e Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos Colégio de Engenharia Agronómica O ACTO DE ENGENHARIA AGRONÓMICA Ordem dos Engenheiros 6 de Janeiro de 2006 O Acto de Engenharia Agronómica Prescrição e Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos Paulo Cruz

Leia mais

Fiscalização de Agrotóxicos e Afins no Estado de São Paulo

Fiscalização de Agrotóxicos e Afins no Estado de São Paulo Fiscalização de Agrotóxicos e Afins no Estado de São Paulo Jaguariúna, SP Junho de 2009 Davi Carvalho de Souza Engenheiro Agrônomo Fiscal Federal Agropecuário BRASIL LEGISLAÇÃO FEDERAL DE AGROTÓXICOS Lei

Leia mais

Dispõe sobre o controle de antimicrobianos

Dispõe sobre o controle de antimicrobianos Dispõe sobre o controle de antimicrobianos Estabelece critérios para embalagem, rotulagem, dispensação e controle de medicamentos à base de substâncias classificadas como antimicrobianos de uso sob prescrição,

Leia mais

PRAIAS TÍTULO VI DO USO ADEQUADO DAS PRAIAS CAPÍTULO I DISPOSIÇÃO GERAL CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES DESPORTIVAS E RECREATIVAS

PRAIAS TÍTULO VI DO USO ADEQUADO DAS PRAIAS CAPÍTULO I DISPOSIÇÃO GERAL CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES DESPORTIVAS E RECREATIVAS PRAIAS TÍTULO VI DO USO ADEQUADO DAS PRAIAS CAPÍTULO I DISPOSIÇÃO GERAL Art. 206. A utilização da Orla Marítima, considerada como o trecho compreendido entre a água e o calçadão contíguo às edificações,

Leia mais

RELATÓRIO DE AÇÕES DE AQUISIÇÃO DE MÃO DE OBRA, PRODUTOS E SERVIÇOS NO MUNICÍPIO DE MINEIROS GO

RELATÓRIO DE AÇÕES DE AQUISIÇÃO DE MÃO DE OBRA, PRODUTOS E SERVIÇOS NO MUNICÍPIO DE MINEIROS GO RELATÓRIO DE AÇÕES DE AQUISIÇÃO DE MÃO DE OBRA, PRODUTOS E SERVIÇOS NO MUNICÍPIO DE MINEIROS GO Agosto, 2016. ÍNDICE 1. Apresentação... 3 2. Empreendedor... 3 3. Ações de aquisição de mão de obra, produtos

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 5, DE 2 DE ABRIL DE 2012

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 5, DE 2 DE ABRIL DE 2012 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 5, DE 2 DE ABRIL DE 2012 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁ- RIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

ENFISA Encontro de Fiscalização e Seminário sobre Agrotóxicos. Júlio Sérgio de Britto Coordenador Geral de Agrotóxicos e Afins

ENFISA Encontro de Fiscalização e Seminário sobre Agrotóxicos. Júlio Sérgio de Britto Coordenador Geral de Agrotóxicos e Afins ENFISA Encontro de Fiscalização e Seminário sobre Agrotóxicos Júlio Sérgio de Britto Coordenador Geral de Agrotóxicos e Afins Histórico Lei Federal 7.802 Decreto 4.074 1989 2002 Art. 10: Compete aos Estados

Leia mais

Desafios do Saneamento em Comunidades Isoladas. Câmara Técnica de Saneamento e Saúde em Comunidades Isoladas ABES São Paulo

Desafios do Saneamento em Comunidades Isoladas. Câmara Técnica de Saneamento e Saúde em Comunidades Isoladas ABES São Paulo Desafios do Saneamento em Comunidades Isoladas Câmara Técnica de Saneamento e Saúde em Comunidades Isoladas ABES São Paulo População Rural 30 milhões de pessoas residem em localidades rurais no Brasil,

Leia mais

CHECK LIST PARA AVALIAÇÃO DE ROTULAGEM DE ALIMENTOS EMBALADOS Identificação da empresa: Designação do produto: Marca: Nome fantasia ou complemento de marca: INFORMAÇÕES GERAIS OBRIGATÓRIAS Conforme 1.1

Leia mais

CADASTRO TÉCNICO FEDERAL

CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CADASTRO TÉCNICO FEDERAL Lei 6.938 de 31 de agosto de 1981 (Política Nacional de Meio Ambiente) Art. 17 Institui o Cadastro Técnico Federal Lei 10.165 de 27 de dezembro de 2000

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei: ANTEPROJETO DE LEI Dispõe sobre o cadastro, a avaliação e o controle de substâncias químicas industriais. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Conforme NBR14725, de julho/2005 e 1907/2006/EC

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Conforme NBR14725, de julho/2005 e 1907/2006/EC 1 1 Identificação do produto e da empresa Produto : Alfa numérico: H5 Fabricante: Diversey Brasil Indústria Química LTDA Departamento de informações: Rua Nossa Senhora do Socorro, 125 Socorro São Paulo

Leia mais

Aula 19. Segurança de trânsito (parte 1 de 4)

Aula 19. Segurança de trânsito (parte 1 de 4) Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de 2.013 Aula 19 Segurança de trânsito (parte 1 de 4) Queda de avião em setembro de 2.006, com 154 mortos

Leia mais

DEFINE FORMULÁRIO DE RECEITA AGRONÔMICA INFORMATIZADA E REGULAMENTA A IMPRESSÃO : E UTILIZAÇÃO DO RECEITUÁRIO PERSONALIZADO

DEFINE FORMULÁRIO DE RECEITA AGRONÔMICA INFORMATIZADA E REGULAMENTA A IMPRESSÃO : E UTILIZAÇÃO DO RECEITUÁRIO PERSONALIZADO Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Espírito Santo Av. César Hilal, 700-1º andar - Bento Ferreira - Vitória - ES CEP 290-522-232 Tel.: (27) 3334-9900 FAX: (27) 3324-3644 CEEA DEFINE

Leia mais

SAFRA 2014/15 ORIENTAÇÕES DO PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DA BAHIA

SAFRA 2014/15 ORIENTAÇÕES DO PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DA BAHIA SAFRA 2014/15 ORIENTAÇÕES DO PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DA BAHIA Revisão de 16/06/2014 Programa baseado no Manejo Integrado de Pragas MIP 1. Controle Cultural Delimitação do vazio sanitário, calendário de

Leia mais

Regulamento para inscrição na 11ª Semana da Música de Ouro Branco

Regulamento para inscrição na 11ª Semana da Música de Ouro Branco Regulamento para inscrição na 11ª Semana da Música de Ouro Branco 1. Inscrições e seleção 1.1 Para efetuar a inscrições para a 11ª Semana da Música de Ouro Branco, o candidato deverá acessar o site www.semanadamusica.com;

Leia mais

CAMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DO MEL E PRODUTO DAS ABELHAS REGISTRO DE AGROTÓXICOS E POLINIZADORES

CAMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DO MEL E PRODUTO DAS ABELHAS REGISTRO DE AGROTÓXICOS E POLINIZADORES INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA CAMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DO MEL E PRODUTO DAS ABELHAS REGISTRO DE AGROTÓXICOS E POLINIZADORES Marcio Rosa Rodrigues

Leia mais

Convenção 174 da OIT: Melhorando a comunicação de risco. a experiência de Diadema

Convenção 174 da OIT: Melhorando a comunicação de risco. a experiência de Diadema Convenção 174 da OIT: Melhorando a comunicação de risco no nível local - a experiência de Diadema Nilton Freitas Sindicato dos Químicos do ABC ICEM América Latina e Caribe Incêndio seguido de explosões

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) Página 1 de 6 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do produto: Código interno: 5042 Aplicação: secante abrilhantador de louças para máquinas de lavar louças Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE DE

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO EXPERIÊNCIA DE BOAS PRÁTICAS DE ATER NA AGRICULTURA FAMILIAR E NA REFORMA AGRÁRIA

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO EXPERIÊNCIA DE BOAS PRÁTICAS DE ATER NA AGRICULTURA FAMILIAR E NA REFORMA AGRÁRIA MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO EXPERIÊNCIA DE BOAS PRÁTICAS DE ATER NA AGRICULTURA FAMILIAR E NA REFORMA AGRÁRIA Uso de rede social na assistência técnica rural.. Dezembro 2015 1 1. Contextualização

Leia mais

Rainforest Alliance Certified TM

Rainforest Alliance Certified TM Secretaría de la Red de Agricultura Sostenible Rainforest Alliance P. O. Box 11029 1000 San José Costa Rica standards@sanstandards.org Rainforest Alliance Certified TM Resumo Público de Auditoria Anual

Leia mais

CREA-SC. Fundado em 17 de março de 1958, após ser desmembrado do CREA 10ª REGIÃO (RS E SC);

CREA-SC. Fundado em 17 de março de 1958, após ser desmembrado do CREA 10ª REGIÃO (RS E SC); CREA-SC Fundado em 17 de março de 1958, após ser desmembrado do CREA 10ª REGIÃO (RS E SC); Congrega atualmente 50.000 profissionais registrados (37.000 de nível superior e 13.000 de nível técnico) e 12.700

Leia mais

Art. 5º A SDA manifestar-se-á dentro do prazo máximo de 15 (quinze) dias corridos da data de recebimento da solicitação de autorização.

Art. 5º A SDA manifestar-se-á dentro do prazo máximo de 15 (quinze) dias corridos da data de recebimento da solicitação de autorização. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 15 DE MARÇO DE 2013 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES: SINDICAL PATRONAL E PARA O SISTEMA S

CONTRIBUIÇÕES: SINDICAL PATRONAL E PARA O SISTEMA S CONTRIBUIÇÕES: SINDICAL PATRONAL E PARA O SISTEMA S CONTRIBUIÇÕES: SINDICAL PATRONAL E PARA O SISTEMA S Apresentamos nesta cartilha os esclarecimentos necessários sobre contribuições sindical patronal

Leia mais

PROGRAMA CAS CERTIFICAÇÃO AEROAGRÍCOLA SUSTENTÁVEL

PROGRAMA CAS CERTIFICAÇÃO AEROAGRÍCOLA SUSTENTÁVEL PROGRAMA CAS CERTIFICAÇÃO AEROAGRÍCOLA SUSTENTÁVEL Prof. Dr. João Paulo Rodrigues da Cunha jpcunha@iciag.ufu.br Universidade Federal de Uberlândia Instituto de Ciências Agrárias Sumário A aviação agrícola

Leia mais

SENADO FEDERAL Comissões. Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Senado Federal

SENADO FEDERAL Comissões. Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Senado Federal RAMO AGROPECUÁRIO Período: 10 de março a 14 de março de 2014 SENADO FEDERAL Comissões Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Federal Dia: 13/03 Horário: 8h30 Local: Plenário 15 (Item 2) PROJETO DE LEI

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES: SINDICAL PATRONAL E PARA O SISTEMA S

CONTRIBUIÇÕES: SINDICAL PATRONAL E PARA O SISTEMA S CONTRIBUIÇÕES: SINDICAL PATRONAL E PARA O SISTEMA S CONTRIBUIÇÕES: SINDICAL PATRONAL E PARA O SISTEMA S Apresentamos nesta cartilha os esclarecimentos necessários sobre contribuições sindical patronal

Leia mais

BACULO SOJA VERIFICAR AS RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ

BACULO SOJA VERIFICAR AS RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ BACULO SOJA VERIFICAR AS RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA sob nº 06897 Composição: Corpos poliédricos

Leia mais

VP Negócios Emergentes SN Agronegócios. Crédito Rural

VP Negócios Emergentes SN Agronegócios. Crédito Rural VP Negócios Emergentes SN Agronegócios Crédito Rural Agronegócio no Brasil fonte: SECEX/MDIC PIB Brasil 2013 R$ 4.838 bi Agronegócios R$ 1.020 bi * 21.08% US$ Bilhões 300 250 200 Exportações Brasileiras

Leia mais

A diferença entre o remédio e o veneno é a dose! Luís Carlos Silva de Moraes

A diferença entre o remédio e o veneno é a dose! Luís Carlos Silva de Moraes A diferença entre o remédio e o veneno é a dose! Luís Carlos Silva de Moraes moraes.luis@terra.com.br Entendendo o problema 38%: prop. rurais 4%: urbano 58%: qual destinaçã ção? 58%: ponto de partida do

Leia mais

RDC N 98, DE 1 DE AGOSTO DE 2016

RDC N 98, DE 1 DE AGOSTO DE 2016 RDC N 98, DE 1 DE AGOSTO DE 2016 ANVISA Site Anvisa: http://portal.anvisa.gov.br/documents/10181/2921766/r DC_98_2016.pdf/32ea4e54-c0ab-459d-903d- 8f8a88192412 Apresentação: Andressa Daron Giordani Conceito

Leia mais

Tiago Moreira Damasceno I, Gustavo Radomile Tofoli II, Regiane Cristina Oliveira de Freitas Bueno III, Adeney de Freitas Bueno IV

Tiago Moreira Damasceno I, Gustavo Radomile Tofoli II, Regiane Cristina Oliveira de Freitas Bueno III, Adeney de Freitas Bueno IV CONTROLE DE PRAGAS DO GIRASSOL USANDO O TRATAMENTO DE SEMENTES COM INSETICIDAS E SUA INFLUÊNCIA NA PRESERVAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DAS SEMENTES, DURANTE O ARMAZENAMENTO Tiago Moreira Damasceno I,

Leia mais

Efeito do volume de calda, adjuvante e horário de aplicação sobre a eficiência de controle de percevejos em soja.

Efeito do volume de calda, adjuvante e horário de aplicação sobre a eficiência de controle de percevejos em soja. 11 Efeito do volume de calda, adjuvante e horário de aplicação sobre a eficiência de controle de percevejos em soja. FERRARI, F. 1 ; ROGGIA, S. 2 ; FELIX, L.F. 3 1 Centro Universitário Filadélfia; 2 Embrapa

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS - FISPQ SABONETE LÍQUIDO INOVATTA JOY

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS - FISPQ SABONETE LÍQUIDO INOVATTA JOY Página 1 1. IDENTIFICAÇÃO Nome da substância ou mistura (nome comercial) Código interno de identificação do produto Principais usos recomendados para a substância ou mistura Nome da Empresa SJG20 Sabonete

Leia mais

Inseticida de contato e adjuvante / espalhante adesivo, do grupo químico hidrocarbonetos alifáticos PRAGAS. Cochonilha-cabeça-deprego

Inseticida de contato e adjuvante / espalhante adesivo, do grupo químico hidrocarbonetos alifáticos PRAGAS. Cochonilha-cabeça-deprego Composição: Mistura de hidrocarbonetos parafínicos, ciclo parafínicos e aromáticos saturados e insaturados provenientes da destilação do petróleo (ÓLEO MINERAL)...800 ml/l (80% v/v) Ingredientes inertes...200

Leia mais

Rainforest Alliance Certified TM

Rainforest Alliance Certified TM Secretaría de la Red de Agricultura Sostenible Rainforest Alliance P. O. Box 11029 1000 San José Costa Rica standards@sanstandards.org Rainforest Alliance Certified TM Resumo Público de Auditoria Anual

Leia mais

POTENCIAL DE CONTAMINAÇÃO DO PANTANAL POR PESTICIDAS UTILIZADOS NA BACIA DO ALTO TAQUARI, MS. INTRODUÇÃO

POTENCIAL DE CONTAMINAÇÃO DO PANTANAL POR PESTICIDAS UTILIZADOS NA BACIA DO ALTO TAQUARI, MS. INTRODUÇÃO Nº 16, jun/98, p.1-5 POTENCIAL DE CONTAMINAÇÃO DO PANTANAL POR PESTICIDAS UTILIZADOS NA BACIA DO ALTO TAQUARI, MS. Luiz Marques Vieira 1 Sérgio Galdino 2 Carlos Roberto Padovani 3 INTRODUÇÃO Os pesticidas

Leia mais

Art. 2º Fica revogada a Instrução Normativa nº 8, de 16 de janeiro de Art. 3º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 2º Fica revogada a Instrução Normativa nº 8, de 16 de janeiro de Art. 3º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 49, DE 14 DE SETEMBRO DE 2006 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA, DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA,

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE APLICAÇÃO

BOAS PRÁTICAS DE APLICAÇÃO MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE APLICAÇÃO DE PRODUTOS FITOSSANITÁRIOS COGAP COMITÊ DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE DEFESA VEGETAL ANDEF Rua Capitão Antônio Rosa, 376, 13º andar 01443-010 -

Leia mais