Abordagem Terapêutica da Dermatite Atópica Canina

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Abordagem Terapêutica da Dermatite Atópica Canina"

Transcrição

1 Abordagem Terapêutica da Dermatite Atópica Canina M.V. MSc. Raphael Rocha Dermatólogo Veterinário Objetivos: Abordar aspectos terapêuticos da DAC. Atualizar o clínico de pequenos animais para a importância dessa alergopatia, enfatizando uma correta condução clínica, diagnóstica e terapêutica. 1

2 O que é DAC? Dermatite atópica canina (DAC) é uma alergopatia crônica, que se caracteriza por inflamação e intenso prurido. Inflamatória e Pruriginosa Reação de hipersensibilidade do tipo 1 Elevação na produção de IgE alérgeno-especifícos Genéticos Ambientais 2

3 Th2 Th17 (pouca resposta) Pept. antimicrobianos Th2 Il-1, IL-4, IL-5, IL-6, IL-12, IL-13 e IL-31 IgE Principais alérgenos envolvidos são antígenos de ácaros Dermatophagoide farinae D. pteronyssimus Blomia tropicalis Outros alérgenos Fungos ambientais Pólens flores e arbustos Insetos 3

4 Diagnóstico - DAC Clínico Descartando outras doenças pruriginosas, além de basear no histórico e nos sinais clínicos do paciente. Critérios de Favrot Maior sensibilidade e especificidade para diagnóstico clínico da DAC. Critérios de Favrot 4

5 Diagnóstico - DAC Testes Alérgicos Testes alérgicos intradémicos (TID) Testes alérgicos sorológicos (TS) As principais funções dos testes alérgicos são a IDENTIFICAÇÃO e SELEÇÃO DE ALÉRGENOS candidatos para uma IMUNOTERAPIA ALÉRGENO-ESPECÍFICA (IAE). Teste alérgico intradérmico Imagens: M.V. Raphael Rocha - RJ Imagens: M.V. Marconi Faria - PR 5

6 Imagens: M.V. Marconi Faria - PR CN DEP BLO DEF CP Teste alérgico intradérmico Alto Valor preditivo positivo Imagens: M.V. Raphael Rocha - RJ 6

7 Teste alérgico sorológico Alto Valor preditivo negativo Tratamento - DAC 7

8 DAC - Tratamento Controle das infecções secundárias Recuperação da barreira cutânea Controle do prurido e da inflamação Minimizar irritantes primários Orientações ao proprietário Lembrar: Doença Multifatorial Plano Terapêutico 1º Controle das Infecções Secundárias Piodermite/Malasseziose Tratamento Tópico e Sistêmico 2 Controle da Inflamação e Prurido 3º Controle da Barreira Cutânea Anti-pruriginosos Imunomodulatores Imunoterapia Hidratação 8

9 Controle Medicamentoso Infecções cutâneas secundárias Inflamação e prurido Barreira Cutânea Controle Alergológico Imunoterapia alérgeno-específica DAC fase aguda X DAC fase crônica Condutas de prevenção 9

10 Controle das infecções secundárias Antibióticos tópicos e sistêmicos Antifúngicos tópicos e sistêmicos Ouvidos Otite inflamatória tto tópico Otite infecciosa tto tópico e sistêmico Antibióticos /Antissépticos Tópicos Xampús Clorexidina 2% Peróxido de benzoíla 2,5-3,5% Mupirocina Pomada Ação irritativa Ação secante 10

11 Antibióticos Sistêmicos Cefalexina Cefovecina Enrofloxacina Amoxicilina com ác. clav. Azitromicina 30 mg/kg/12h 8mg/kg/15 dias 10-20mg/kg/24h 22mg/kg/12h 10-15mg/kg/12h Tempo adequado Efeitos adversos Antifúngicos Tópicos e Sistêmicos Malasseziose Tratamento tópico Clorexidine (2 a 4%) Cetoconazol 2% Clorexidine 2% + Miconazol 2% Sulfeto de Selênio 1 a 2% Ação irritativa Ação secante Tratamento sistêmico Itraconazol - 10mg/kg/24hs Cetoconazol 10mg/kg/24hs Uso diário Pulso controle da crise 2x na semana 11

12 Recuperação da barreira cutânea Xampus e soluções spray Hidratantes, emolientes e umectantes Ceramidas 1x por semana Alívio do prurido Reposição da barreira lipídica Suplementação Ômegas (6) Pode influenciar nos lipídios cutâneos brilho e qualidade do pelo > 2 meses de uso Terapia Adjuvante Recuperação da barreira cutânea Allermyl Glyco Episoothe Dermogen Hidrapet Humilac Douxo Allerderm Spot-On 12

13 Controle do prurido e da inflamação Anti-histamínicos Glicocorticóides Imunomoduladores Imunoterapia Anti-histamínicos Baixa eficácia 20-25% Não tem efeitos adversos efeito sedativo Baixo custo Hidroxizina Cetirizina 2,2mg/kg/12h 0,5 a 1mg/kg 24hs 13

14 Glicocorticóides Alta eficácia imediata Pouca eficácia a longo prazo Usar na crise tempo curto e dose baixa Inflamações cutâneas pontuais corticóides tópicos Coadjuvante com outras terapias medicamentosos Ciclosporina fase inicial Imunoterapia fase inicial Limitações financeiras Efeito rebote - imunossupressão EFEITOS ADVERSOS (+ potência +efeito adverso) Glicocorticóides Sistêmicos Prednisona Prednisolona 0,5 mg/kg 12h -24hs Efeitos colaterais 30-80% Prednisona 0,5 mg/kg 48-72hs *dose e frequência mínima (Fase de manutenção) Não é recomendado glicocorticóides injetáveis de ação prolongada Olivry,T et al. Evidence-based veterinary dermatology: a systemic review of the Pharmacotherapy of canine atopic dermatitis, Veterinary dermatology, v.14, p ,

15 Glicocorticóides Sistêmicos Efeitos Adversos Ação imunossupressora infecções urinárias e cutâneas Ação hiperglicemiante Diabetis mellitus Hipotireoidismo Hiperadrenocorticismo Promove fraqueza e flacidez muscular Diminuição na absorção de cálcio intestinal Poliúria, Polifagia, Polidipsia Aumento de peso abdômen pendular Letargia e apatia Aumento da pressão arterial Predisposição à catarata, glaucoma e atrofia de retina Cios irregulares e alteração na libido de machos e fêmeas Dificuldade na cicatrização Alopecia, pele fina, comedos, calcinose, hiperpigmentação e teleangectasia Glicocorticóides Tópicos Aceponato de Hidrocortisona (Cortavance) Ação local aplicação diária Efeitos adversos atrofia cutânea (uso prolongado) 15

16 Imunomoduladores Ciclosporina Oclacitinib (Apoquel) Ciclosporina Linf. T Th2 - Treg Inibidor da calcineurina Baixa eficácia imediata 3 a 4 semanas Moderada a Alta eficácia a longo prazo (60-70%) Custo alto* Vômito, diarreia 1ª semana de administração Hiperplasia gengival Ciclosporina - 5mg/kg/24hs Cápsulas Suspensão Absorção Ciclosporina Fase de Manutenção 5mg/kg/ 48-72hs 16

17 Oclacitinib (Apoquel) Inibidor seletivo da Janus cinase (JAK) bloqueia citosinas IL-31 Alta eficácia a curto e longo prazo (67-76%) Custo Alto* Oclacitinib Oclacitinib (Manutenção) 0,4 a 0,6 mg/kg 12h - 14 dias 0,4 a 0,6 mg/kg 24h Oclacitinib (Apoquel) Efeitos Adversos Diarreia Vômitos Perda de apetite Não é recomendado para cães < 1 ano e < de 3 kg Doenças imunossupressoras ou neoplásicas Não tem um consenso na necessidade de uma monetarização laboratorial 17

18 Redução medicamentosa Controle do prurido e da inflamação Imunoterapia Alérgeno-específica Hidratação cutânea Suplementação Ômegas Imunoterapia alérgeno-específica (IAE) A IAE é o único tratamento capaz de modificar o curso natural da doença. Reduzindo o uso de medicações para o controle dos sinais clínicos. Menor custo efetivo, quando comparada ao tratamento sintomático. 18

19 Th1 - Treg IFNɣ, IL-10, TGFβ IgG4 Libyan J Med Imunoterapia alérgeno-específica Baixa eficácia imediata 9m a 1 ano Moderada eficácia a longo prazo (70%) Poucos a ausentes efeitos adversos Alto custo* - diminui a longo prazo Exige dedicação e compromisso do proprietário 19

20 Imunoterapia alérgeno-específica Imunoterapia alérgeno-específica Avaliação da eficácia clínica CADESI - 4 Escala de Prurido (numérica ou visual) 20

21 Condutas de Prevenção Controle das infecções (recidivas) Controle de ectoparasitas Controle de irritantes primários Controle dos ácaros ambientais questionável Orientação ao Proprietário Trabalhar sua frustração expectativas reais Dermatite atópica não tem cura e requer tratamento contínuo controle Tem gastos elevados ao longo da vida do animal Não existe tratamento perfeito ou ideal não é uma receita de bolo. Todo tratamento apresenta vantagens e desvantagens. Pode ocorrer recorrência dos sinais clínicos. 21

22 Dermatite Atópica Canina A recompensa de um controle bem sucedido é proporcionar uma vida mais confortável e saudável ao seu animal de estimação. Obrigado! Dúvidas, críticas ou sugestões... Raphael Rocha Dermatologia e Alergologia Veterinária Site: Facebook: Raphael Rocha Dermatologia e Alergologia Veterinária 22

DERMATITE ALÉRGICA A PICADA DE PULGA RELATO DE CASO

DERMATITE ALÉRGICA A PICADA DE PULGA RELATO DE CASO DERMATITE ALÉRGICA A PICADA DE PULGA RELATO DE CASO NASCIMENTO, Viviane 1 ; MARTINS, Danieli² Palavras-Chave: Dermatite; Pulga; Caninos. Introdução A Dermatite Alérgica a Picada de Pulga (DAPP) é considerada

Leia mais

Treatment of Canine Atopic Dermatitis: 2015 Updated Guidelines from the International Committee on Allergic Diseases of Animals (ICADA)

Treatment of Canine Atopic Dermatitis: 2015 Updated Guidelines from the International Committee on Allergic Diseases of Animals (ICADA) Treatment of Canine Atopic Dermatitis: 2015 Updated Guidelines from the International Committee on Allergic Diseases of Animals (ICADA) Thierry Olivry 1 *, Douglas J. DeBoer 2, Claude Favrot 3, Hilary

Leia mais

Especificidade das lesões dos membros inferiores

Especificidade das lesões dos membros inferiores Curso Avançado de Feridas Crónicas Especificidade das lesões dos membros LURDES FERREIRA DERMATOLOGISTA Unidade de Dermatologia Médico-Cirúrgica de Lisboa Ulcus - Centro de Estudos e Investigação em Feridas

Leia mais

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ALERGISTA. Com relação à corticoterapia sistêmica na dermatite atópica grave, assinale a resposta CORRETA:

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ALERGISTA. Com relação à corticoterapia sistêmica na dermatite atópica grave, assinale a resposta CORRETA: 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ALERGISTA QUESTÃO 21 Com relação à corticoterapia sistêmica na dermatite atópica grave, assinale a resposta CORRETA: a) não há estudos sistematizados que avaliem a

Leia mais

ESTUDO RETROSPECTIVO DA RESPOSTA CLÍNICA DE CÃES ATÓPICOS A DIFERENTES PROTOCOLOS TERAPÊUTICOS

ESTUDO RETROSPECTIVO DA RESPOSTA CLÍNICA DE CÃES ATÓPICOS A DIFERENTES PROTOCOLOS TERAPÊUTICOS 45 ARTIGO CIENTIFICO CLÍNICA MÉDICA DE PEQUENOS ANIMAIS ESTUDO RETROSPECTIVO DA RESPOSTA CLÍNICA DE CÃES ATÓPICOS A DIFERENTES PROTOCOLOS TERAPÊUTICOS Retrospective study of the clinical response of atopic

Leia mais

O MEU ANIMAL DE ESTIMAÇÃO ESTÁ A FICAR GERIÁTRICO?

O MEU ANIMAL DE ESTIMAÇÃO ESTÁ A FICAR GERIÁTRICO? Clínica Veterinária de Mangualde Dr. Benigno Rodrigues Dra. Sandra Oliveira O MEU ANIMAL DE ESTIMAÇÃO ESTÁ A FICAR GERIÁTRICO? Actualmente a melhoria dos cuidados prestados aos nossos animais de companhia

Leia mais

Atualização na candidíase de repetição Existem novas propostas de tratamento? Vera Fonseca

Atualização na candidíase de repetição Existem novas propostas de tratamento? Vera Fonseca TROCANDO IDÉIAS XX 16 e 17 de junho de 2016 Windsor Flórida Hotel - Rio de Janeiro - RJ Atualização na candidíase de repetição Existem novas propostas de tratamento? Vera Fonseca Conselheira do Conselho

Leia mais

[CUIDADOS COM OS ANIMAIS IDOSOS]

[CUIDADOS COM OS ANIMAIS IDOSOS] [CUIDADOS COM OS ANIMAIS IDOSOS] Geriatria é o ramo da Medicina que foca o estudo, a prevenção e o tratamento de doenças e da incapacidade em idosos. Seus objetivos maiores são: manutenção da saúde, impedir

Leia mais

CASO CLÍNICO ASMA - PUC - PR - SPP

CASO CLÍNICO ASMA - PUC - PR - SPP CASO CLÍNICO ASMA Dra. Adriana Vidal Schmidt Serviço de Alergia e Imunologia Hospital Universitário Cajurú - PUC - PR Departamento Científico de Alergia - SPP CASO CLÍNICO J. S. M, fem., 3a, procedente

Leia mais

DERMATITE ATÓPICA CANINA 1

DERMATITE ATÓPICA CANINA 1 DERMATITE ATÓPICA CANINA 1 Marcisa Petry Ludwig 2, Cristiane Elise Teichmann 3, Denize Da Rosa Fraga 4, Raquel Baumhardt 5. 1 Relato de caso 2 Acadêmica do Curso de Medicina Veterinária da UNIJUÍ - marci_sal@hotmail.com

Leia mais

APRESENTAÇÃO E COMPOSIÇÃO: Creme : Bisnaga com 25 g. Solução Capilar : Frasco com 25 ml.

APRESENTAÇÃO E COMPOSIÇÃO: Creme : Bisnaga com 25 g. Solução Capilar : Frasco com 25 ml. Therapsor propionato de clobetasol CREME 0,05% SOLUÇÃO CAPILAR 0,05% Uso adulto e pediátrico Uso externo APRESENTAÇÃO E COMPOSIÇÃO: Creme : Bisnaga com 25 g. Solução Capilar : Frasco com 25 ml. COMPOSIÇÃO:

Leia mais

[ERLICHIOSE CANINA]

[ERLICHIOSE CANINA] [ERLICHIOSE CANINA] 2 Erlichiose Canina A Erlichiose Canina é uma hemoparasitose causada pela bactéria Erlichia sp. Essa bactéria parasita, geralmente, os glóbulos brancos (neste caso, Erlichia canis)

Leia mais

INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO

INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO Trato urinário superior Rins Ureteres Professora: Juliana Peloi Vides Trato urinário inferior Bexiga Uretra FREQUENTES!!! Parênquima renal Pelve renal Ureteres Bexiga Uretra

Leia mais

Farmacologia dos Antiinflamatórios Esteroidais (GLICOCORTICÓIDES)

Farmacologia dos Antiinflamatórios Esteroidais (GLICOCORTICÓIDES) Farmacologia dos Antiinflamatórios Esteroidais (GLICOCORTICÓIDES) Profª Drª Flávia Cristina Goulart Universidade Estadual Paulista CAMPUS DE MARÍLIA Faculdade de Filosofia e Ciências UNESP Mecanismo de

Leia mais

Hipersensibilidades e Alergias e doenças autoimunes

Hipersensibilidades e Alergias e doenças autoimunes Hipersensibilidades e Alergias e doenças autoimunes Reações de hipersensibilidade são mediadas por mecanismos imunológicos que lesam os tecidos. Tipos de doenças mediadas por anticorpos Dano causado por

Leia mais

XYLOPROCT lidocaína, acetato de hidrocortisona, óxido de zinco e subacetato de alumínio

XYLOPROCT lidocaína, acetato de hidrocortisona, óxido de zinco e subacetato de alumínio XYLOPROCT lidocaína, acetato de hidrocortisona, óxido de zinco e subacetato de alumínio I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO XYLOPROCT lidocaína, acetato de hidrocortisona, óxido de zinco e subacetato de alumínio

Leia mais

[DERMATITE ALÉRGICA A PICADA DE PULGAS - DAPP]

[DERMATITE ALÉRGICA A PICADA DE PULGAS - DAPP] www.drapriscilaalves.com.br [DERMATITE ALÉRGICA A PICADA DE PULGAS - DAPP] 2 É considerada a doença alérgica mais comum na rotina dermatológica, podendo corresponder a até 90% dos casos nos pacientes felinos

Leia mais

Terapêutica Homeopática na Veterinária

Terapêutica Homeopática na Veterinária INSTITUTO HAHNEMANNIANO DO BRASIL IX Encontro do Ambulatório Escola Prof. Kamil Curi Terapêutica Homeopática na Veterinária Dra. Cassia Regina Alves Pereira CRMV-RJ 4895 Caso 1 Estabilização de dermatite

Leia mais

TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA EM ODONTOPEDIATRIA

TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA EM ODONTOPEDIATRIA TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA EM ODONTOPEDIATRIA PROCEDIMENTOS OPERATÓRIOS Profa. Dra. Mariana Braga Isabela Floriano CASCATA DA DOR E INFLAMAÇÃO AINES E o ANTIBIÓTICO?? Prostaglandinas Prostaciclinas Tromboxanas

Leia mais

Sorine Adulto. Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. Solução nasal 0,5 mg/ml

Sorine Adulto. Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. Solução nasal 0,5 mg/ml Sorine Adulto Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. Solução nasal 0,5 mg/ml BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Sorine cloridrato de nafazolina

Leia mais

Um crescimento excessivo na superfície epidérmica da levedura comensal Malassezia pachydermatis.

Um crescimento excessivo na superfície epidérmica da levedura comensal Malassezia pachydermatis. INSIGHTS DE CONHECIMENTO CLÍNICO DERMATOSES FÚNGICAS E POR LEVEDURAS Insight de Conhecimento Clínico criado por Jennifer Pendergraft, DVM, DACVD CONTEÚDO INTRODUÇÃO : 13.1 COMO SE APRESENTA? : 13.2 BIBLIOTECA

Leia mais

Alergia. Risco de desenvolvimento de alergia em pacientes com parentes com antecedentes alérgicos. Nenhum membro da família com alergia 5 a 15 %

Alergia. Risco de desenvolvimento de alergia em pacientes com parentes com antecedentes alérgicos. Nenhum membro da família com alergia 5 a 15 % Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Alergia Doenças alérgicas representam um problema de saúde pública, atingindo mais de 20% da população.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA O USO DA CICLOSPORINA A NO TRATAMENTO DA DERMATITE ATÓPICA CANINA Autor: Marilia Marcia Hoff Olea PORTO ALEGRE 2014/1 UNIVERSIDADE

Leia mais

Doença de Addison DOENÇA DE ADDISON

Doença de Addison DOENÇA DE ADDISON Enfermagem em Clínica Médica Doença de Addison Enfermeiro: Elton Chaves email: eltonchaves76@hotmail.com DOENÇA DE ADDISON A insuficiência adrenal (IA) primária, também denominada doença de Addison, geralmente

Leia mais

Asma Brônquica. Profº. Enfº Diógenes Trevizan Especialização Urgência e Emergência

Asma Brônquica. Profº. Enfº Diógenes Trevizan Especialização Urgência e Emergência Asma Brônquica Profº. Enfº Diógenes Trevizan Especialização Urgência e Emergência Conceito: Doença caracterizada por ataques agudos e recorrentes de dispnéia, tosse e expectoração tipo mucóide. A falta

Leia mais

Patologia Clínica e Cirúrgica

Patologia Clínica e Cirúrgica V e t e r i n a r i a n D o c s Patologia Clínica e Cirúrgica Prolapso Retal Definição É uma enfermidade caracterizada pela protrusão de uma ou mais camadas do reto através do ânus. Ele pode ser parcial

Leia mais

Farmacologia. Vias de Administração e Formas Farmacêuticas. Vias de Administração. Enteral (oral) tubo digestivo. Parenteral - Injetaveis

Farmacologia. Vias de Administração e Formas Farmacêuticas. Vias de Administração. Enteral (oral) tubo digestivo. Parenteral - Injetaveis Farmacologia e Enteral (oral) tubo digestivo Parenteral - Injetaveis Prof. Herval de Lacerda Bonfante Departamento de Farmacologia Oral V (vantagens) - mais conveniente, econômica e segura D (desvantagens)

Leia mais

racecadotrila Biosintética Farmacêutica Ltda. Cápsula Dura 100 mg

racecadotrila Biosintética Farmacêutica Ltda. Cápsula Dura 100 mg racecadotrila Biosintética Farmacêutica Ltda. Cápsula Dura 100 mg BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO racecadotrila Medicamento genérico Lei

Leia mais

R1CM HC UFPR Dra. Elisa D. Gaio Prof. CM HC UFPR Dr. Mauricio Carvalho

R1CM HC UFPR Dra. Elisa D. Gaio Prof. CM HC UFPR Dr. Mauricio Carvalho R1CM HC UFPR Dra. Elisa D. Gaio Prof. CM HC UFPR Dr. Mauricio Carvalho CASO CLÍNICO Homem, 45 anos, com cirrose por HCV foi admitido com queixa de fraqueza e icterícia de início recente. O paciente possuía

Leia mais

19/04/2016. Profª. Drª. Andréa Fontes Garcia E -mail:

19/04/2016. Profª. Drª. Andréa Fontes Garcia E -mail: Profª. Drª. Andréa Fontes Garcia E -mail: andrea@salesiano-ata.br 1 A Obesidade Definida como doença crônica caracterizada pelo excesso de peso corporal Decorre na maior parte dos casos de um desequilíbrio

Leia mais

APLV - O que é a Alergia à Proteína do Leite de Vaca: características, sinais e sintomas. Dra. Juliana Praça Valente Gastropediatra

APLV - O que é a Alergia à Proteína do Leite de Vaca: características, sinais e sintomas. Dra. Juliana Praça Valente Gastropediatra APLV - O que é a Alergia à Proteína do Leite de Vaca: características, sinais e sintomas Dra. Juliana Praça Valente Gastropediatra Reações Adversas a Alimentos Imunomediadas: Alergia alimentar IgE mediada

Leia mais

- Descrito na década de 70, mas com aumento constante na incidência desde os anos 90

- Descrito na década de 70, mas com aumento constante na incidência desde os anos 90 INTRODUÇÃO - Descrito na década de 70, mas com aumento constante na incidência desde os anos 90 - Caracterizada pela infiltração de eosinófilos na mucosa esofágica - Pode ser isolada ou como manifestação

Leia mais

Numeração: /001 TEMA: Hidratante ( Cetaphil ) para síndrome de Sjögren-Larsson

Numeração: /001 TEMA: Hidratante ( Cetaphil ) para síndrome de Sjögren-Larsson NT 225/2013 Solicitante: Des. Vanessa Verdolim Hudson Andrade 1ª Câmara Cível TJMG Data: 19/11/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Numeração: 1.0056.13.016307-6/001 TEMA: Hidratante ( Cetaphil

Leia mais

Trok-G. (dipropionato de betametasona + sulfato de gentamicina)

Trok-G. (dipropionato de betametasona + sulfato de gentamicina) Trok-G (dipropionato de betametasona + sulfato de gentamicina) Bula para paciente Pomada 0,5 mg/g + 1 mg/g Trok-G (dipropionato de betametasona + sulfato de gentamicina) MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE

Leia mais

APROVADO EM INFARMED

APROVADO EM INFARMED RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1. NOME DO MEDICAMENTO Fucidine H 20 mg/g + 10 mg/g Creme 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Ácido fusídico 20 mg/g e Acetato de hidrocortisona 10 mg/g.

Leia mais

*excipientes: parafina líquida, propilenoglicol, sesquiolato de sorbitano, cera microcristalina.

*excipientes: parafina líquida, propilenoglicol, sesquiolato de sorbitano, cera microcristalina. Modelo de texto de bula LEIA ESTA BULA ATENTAMENTE ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO. I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Flutivate propionato de fluticasona APRESENTAÇÕES Flutivate creme é apresentado em bisnaga

Leia mais

Provas. Diagnóstico. em Alergia

Provas. Diagnóstico. em Alergia Provas Diagnósticas em Alergia Autor: Dr. Fabiano Brito Médico Reumatologista Assessoria Científica As doenças alérgicas se manifestam como um espectro de sintomas que podem envolver respostas respiratórias

Leia mais

VARIZES DE MEMBROS INFERIORES. Dr Otacilio Camargo Junior Dr George Kalil Ferreira

VARIZES DE MEMBROS INFERIORES. Dr Otacilio Camargo Junior Dr George Kalil Ferreira VARIZES DE MEMBROS INFERIORES Dr Otacilio Camargo Junior Dr George Kalil Ferreira Definição Dilatação, alongamento, tortuosidade com perda funcional, com insuficiência valvular Incidência: 3/1 sexo feminino;75%

Leia mais

ANEXO I RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

ANEXO I RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO ANEXO I RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO Página 1 de 14 1. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO Dexacortin 2 mg/ml solução injetável para bovinos, suínos, cães e gatos. 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E

Leia mais

4. Que outros dados epidemiológicos seriam importantes para o caso?

4. Que outros dados epidemiológicos seriam importantes para o caso? Caso Clínico 1 Identificação - R.E.M.O, 42 anos, feminino, professora, natural dee São Paulo, residente em Belém há vários anos. História da Doença Atual - Procurou atendimento médico emm 15/5/2006, relatando

Leia mais

Imunologia Clínica e Esofagite Eosinofílica

Imunologia Clínica e Esofagite Eosinofílica Imunologia Clínica e Esofagite Eosinofílica Qual o mecanismo fisiopatológico da doença? A esofagite eosinofílica ( EE) está relacionada ao aumento da sensibilidade alérgica? Qual a conexão entre alergia

Leia mais

Doença de Crohn. Grupo: Bruno Melo Eduarda Melo Jéssica Roberta Juliana Jordão Luan França Luiz Bonner Pedro Henrique

Doença de Crohn. Grupo: Bruno Melo Eduarda Melo Jéssica Roberta Juliana Jordão Luan França Luiz Bonner Pedro Henrique Doença de Crohn Grupo: Bruno Melo Eduarda Melo Jéssica Roberta Juliana Jordão Luan França Luiz Bonner Pedro Henrique A doença de Crohn (DC) é considerada doença inflamatória intestinal (DII) sem etiopatogenia

Leia mais

Universidade de Brasília. Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária JÚLIA REZENDE FONSECA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

Universidade de Brasília. Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária JÚLIA REZENDE FONSECA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1 Universidade de Brasília Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária JÚLIA REZENDE FONSECA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ALTERNATIVAS NO TRATAMENTO DA DERMATITE ATÓPICA CANINA: REVISÃO DE BIBLIOGRAFIA

Leia mais

17/10/2010. Você tem certeza que isso é suficiente? Mirtallo et al., 2004; Sriram & Lonchyna, 2009; Visser, ANVISA, 2005; DRI Otten et al.

17/10/2010. Você tem certeza que isso é suficiente? Mirtallo et al., 2004; Sriram & Lonchyna, 2009; Visser, ANVISA, 2005; DRI Otten et al. ESTRATÉGIAS PARA OTIMIZAR OS BENEFÍCIOS E MINIMIZAR OS RISCOS EM TN Aporte de vitaminas e minerais e Minerais: O Excesso e a Falta na Recuperação do Paciente Helena Sampaio Você tem certeza que isso é

Leia mais

Atenção farmacêutica especializada. Atenção Farmacêutica e Farmácia Clínica. Para poder... Objetivos dos tratamentos

Atenção farmacêutica especializada. Atenção Farmacêutica e Farmácia Clínica. Para poder... Objetivos dos tratamentos Atenção Farmacêutica e Farmácia Clínica William Rotea Junior Atenção farmacêutica especializada Objetiva atender a todas as necessidades relativas aos dos pacientes, com foco nas especificidades da doença

Leia mais

PROMERGAN (prometazina) BELFAR LTDA. Creme dermatológico 20 mg/g

PROMERGAN (prometazina) BELFAR LTDA. Creme dermatológico 20 mg/g PROMERGAN (prometazina) BELFAR LTDA. Creme dermatológico 20 mg/g PROMERGAN Prometazina APRESENTAÇÃO Creme 20 mg/g, bisnaga de 30 g. USO TÓPICO. USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 2 ANOS. COMPOSIÇÃO Cada

Leia mais

DIPROPIONATO DE BETAMETASONA + SULFATO DE GENTAMICINA. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Pomada Dermatológica 0,5mg/g + 1mg/g

DIPROPIONATO DE BETAMETASONA + SULFATO DE GENTAMICINA. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Pomada Dermatológica 0,5mg/g + 1mg/g DIPROPIONATO DE BETAMETASONA + SULFATO DE GENTAMICINA Geolab Indústria Farmacêutica S/A Pomada Dermatológica 0,5mg/g + 1mg/g MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder

Leia mais

O PREDNIOCIL pomada oftálmica, possui na sua composição como única substância activa o Acetato de Prednisolona na concentração de 5 mg/g.

O PREDNIOCIL pomada oftálmica, possui na sua composição como única substância activa o Acetato de Prednisolona na concentração de 5 mg/g. PROJECTO DE FOLHETO INFORMATIVO PREDNIOCIL ACETATO DE PREDNISOLONA POMADA OFTÁLMICA Leia atentamente este folheto antes de utilizar o medicamento. - Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o reler.

Leia mais

Asma Diagnóstico e Tratamento

Asma Diagnóstico e Tratamento 1ªs Jornadas de Pneumologia de Angola Respirar bem, Dormir bem, Viver melhor Asma Diagnóstico e Tratamento Margarete Arrais MD, Pneumologista Introdução Importante problema de saúde pública. Desde a década

Leia mais

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO ATOPICA 50 mg cápsulas moles para cães 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Substância(s) ativa(s): Ciclosporina 50.00 mg

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JULIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JULIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA ii UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JULIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA PADRONIZAÇÃO DE TÉCNICA HISTOQUÍMICA DE MENSURAÇÃO DE LIPÍDIOS DA EPIDERME DE CÃES E MENSURAÇÃO DE

Leia mais

Febre reumática e artrite reativa pósestreptocócica

Febre reumática e artrite reativa pósestreptocócica www.printo.it/pediatric-rheumatology/br/intro Febre reumática e artrite reativa pósestreptocócica Versão de 2016 2. DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO 2.1 Como é diagnosticada? Os sinais clínicos e os exames complementares

Leia mais

MANSIL. Cápsula. 250 mg

MANSIL. Cápsula. 250 mg MANSIL Cápsula 250 mg Mansil oxamniquina I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Mansil Nome genérico: oxamniquina APRESENTAÇÕES: Mansil cápsulas de 250mg em embalagens contendo 6 cápsulas. USO

Leia mais

SOBRE O ALLERDOG SUPLEMENTO E SOLUÇÃO

SOBRE O ALLERDOG SUPLEMENTO E SOLUÇÃO SOBRE O ALLERDOG SUPLEMENTO E SOLUÇÃO ALLERDOG PLUS PLUS ES É um suplemento consagrado por oferecer os melhores resultados para os problemas de pele e pelagem, devido à sua formação clinicamente balanceada,

Leia mais

Anais do Conic-Semesp. Volume 1, Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN

Anais do Conic-Semesp. Volume 1, Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: LEVANTAMENTO RETROSPECTIVO DE CASOS DE DEMODICOSE CANINA E FELINA, ATENDIDOS NO HOSPITAL VETERINÁRIO

Leia mais

ANEXO I RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

ANEXO I RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO ANEXO I RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO Página 1 de 15 1. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO OTOMAX gotas auriculares, suspensão 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada ml do medicamento veterinário

Leia mais

Imagem da Semana: Fotografia

Imagem da Semana: Fotografia Imagem da Semana: Fotografia Figura 1: Fotografia da região extensora do cotovelo. Figura : Fotografia da região dorsal do tronco. Enunciado Paciente do sexo masculino, 55 anos, relata surgimento de lesões

Leia mais

furoato de mometasona

furoato de mometasona furoato de mometasona Biosintética Farmacêutica Ltda. Creme dermatológico 1 mg/g furoato de mometasona creme_bu_01_vp 1 BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 I- IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

CICLOSPORINA PARA DERMATITE ATÓPICA REFRATÁRIA

CICLOSPORINA PARA DERMATITE ATÓPICA REFRATÁRIA Medicamento X Data: 30/09/2013 Nota Técnica 238 2013 Solicitante: Juiz de Direito JOSÉ CARLOS DE MATOS Material Procedimento Cobertura Número do processo: 0362.13.009927-2. Réu: Município de João Monlevade

Leia mais

PLANO DE ENSINO semestre DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA SEMESTRE 2011/2 Nome da disciplina ODT 7111 Terapêutica Medicamentosa I

PLANO DE ENSINO semestre DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA SEMESTRE 2011/2 Nome da disciplina ODT 7111 Terapêutica Medicamentosa I UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA COORDENADORIA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA Campus Prof. João David Ferreira Lima CEP 88040-900 Trindade

Leia mais

UTROGESTAN progesterona

UTROGESTAN progesterona UTROGESTAN progesterona USO ADULTO -COMPOSIÇÃO: Cada cápsula contém: Progesterona... 200mg Excipientes: Lecitina de soja, Óleo de amendoim... q.s.p. 1 cápsula. *Componentes da casca da cápsula: gelatina,

Leia mais

FARMACOVIGILÂNCIA A QUALIDADE FQM EM SUAS MÃOS ENTENDA MANUAL COMO E POR QUE. RELATAR EventoS AdversoS

FARMACOVIGILÂNCIA A QUALIDADE FQM EM SUAS MÃOS ENTENDA MANUAL COMO E POR QUE. RELATAR EventoS AdversoS FARMACOVIGILÂNCIA A QUALIDADE FQM EM SUAS MÃOS MANUAL ENTENDA COMO E POR QUE RELATAR EventoS AdversoS Apresentação O desastre da Talidomida no final da década de 50 foi um marco mundial na história da

Leia mais

Aterosclerose. Natália Borges de Melo Patrícia Gabriella Zapata Paulo Henrique Maia Vilela

Aterosclerose. Natália Borges de Melo Patrícia Gabriella Zapata Paulo Henrique Maia Vilela Aterosclerose Natália Borges de Melo Patrícia Gabriella Zapata Paulo Henrique Maia Vilela Uberaba MG 31 de Agosto de 2011 Artigo Nature, May 19th 2011 Conceitos: ATEROSCLEROSE: Doença crônica, de origem

Leia mais

Trok. Cetoconazol + dipropionato de betametasona Creme e pomada dermatológica

Trok. Cetoconazol + dipropionato de betametasona Creme e pomada dermatológica Trok Cetoconazol + dipropionato de betametasona Creme e pomada dermatológica Formas farmacêuticas e apresentações - Trok Trok creme dermatológico. Embalagens contendo 1 bisnaga com 10 g e 30 g Trok pomada

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Pandermil 10 mg/g Creme. Hidrocortisona

FOLHETO INFORMATIVO FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Pandermil 10 mg/g Creme. Hidrocortisona FOLHETO INFORMATIVO FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Pandermil 10 mg/g Creme Hidrocortisona Leia atentamente este folheto antes de utilizar o medicamento. - Conserve este folheto. Pode

Leia mais

recomendações Atualização de Condutas em Pediatria

recomendações Atualização de Condutas em Pediatria Atualização de Condutas em Pediatria nº 56 Departamentos Científicos SPSP - gestão 2010-2013 Março 2011 Departamento de Adolescência Distúrbios menstruais e amenorreia na adolescência Dermatite atópica

Leia mais

Anestesia para cirurgia ambulatorial na criança

Anestesia para cirurgia ambulatorial na criança Jornada Paulista de Anestesia Pediátrica 2006 Profa Dra Norma Sueli Pinheiro Módolo UNESP Faculdade de Medicina de Botucatu Depto. de Anestesiologia Anestesia para cirurgia ambulatorial na criança Anestesia

Leia mais

Principais sintomas: - Poliúria (urinar muitas vezes ao dia e em grandes quantidades); - Polidipsia (sede exagerada); - Polifagia (comer muito);

Principais sintomas: - Poliúria (urinar muitas vezes ao dia e em grandes quantidades); - Polidipsia (sede exagerada); - Polifagia (comer muito); O diabetes mellitus é uma doença crônica que se caracteriza por uma elevada taxa de glicose (açúcar) no sangue. Essa elevação ocorre, na maioria das vezes, por uma deficiência do organismo em produzir

Leia mais

Gota e pseudo-gota: Ricardo Fuller HCFMUSP H C F MUS P

Gota e pseudo-gota: Ricardo Fuller HCFMUSP H C F MUS P Gota e pseudo-gota: Conduta nos quadros agudos H C UMATOLOG REU OGI A F MUS P Ricardo Fuller HCFMUSP Artropatias microcristalinas Gota Pirofosfato de Cálcio Pseudo gota Fosfato básico de Cálcio - Hidroxiapatita

Leia mais

Semiologia do aparelho osteoarticular. Professor Ivan da Costa Barros

Semiologia do aparelho osteoarticular. Professor Ivan da Costa Barros Semiologia do aparelho osteoarticular Professor Ivan da Costa Barros IMPORTÂNCIA CLÍNICA 10% das consultas médicas Mais de 100 doenças Complicações não articulares Geralmente auto limitado 1 em 5 americanos

Leia mais

Heterologous antibodies to evaluate the kinetics of the humoral immune response in dogs experimentally infected with Toxoplasma gondii RH strain

Heterologous antibodies to evaluate the kinetics of the humoral immune response in dogs experimentally infected with Toxoplasma gondii RH strain 67 4.2 Estudo II Heterologous antibodies to evaluate the kinetics of the humoral immune response in dogs experimentally infected with Toxoplasma gondii RH strain Enquanto anticorpos anti-t. gondii são

Leia mais

Anexo A VOLNAC. Nitrato de miconazol CAZI QUIMICA FARMACÊUTICA IND. E COM. LTDA. Loção. 20mg/mL

Anexo A VOLNAC. Nitrato de miconazol CAZI QUIMICA FARMACÊUTICA IND. E COM. LTDA. Loção. 20mg/mL Anexo A VOLNAC Nitrato de miconazol CAZI QUIMICA FARMACÊUTICA IND. E COM. LTDA Loção 20mg/mL 1 VOLNAC Nitrato de miconazol Loção 20 mg/ml I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: VOLNAC nitrato de miconazol FORMA

Leia mais

ABORDAGEM DO PRURIDO EM CÃES- REVISÃO DE LITERATURA

ABORDAGEM DO PRURIDO EM CÃES- REVISÃO DE LITERATURA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE VETERINÁRIA Colegiado dos cursos de Pós-Graduação Monografia ABORDAGEM DO PRURIDO EM CÃES- REVISÃO DE LITERATURA Guilherme De Caro Martins Belo Horizonte

Leia mais

APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 19/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV

APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 19/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 19/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV TÍTULO E-PÔSTER SALA PRÉDIO IV HORÁRIO RESISTÊNCIA A MÚLTIPLAS DROGAS NA TERAPIA ANTICÂNCER E O POTENCIAL EFEITO DE FLAVONOIDES NA RECUPERAÇÃO

Leia mais

ESPERSON N (desoximetasona + sulfato de neomicina) Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda. Pomada 2,5 MG/G + 7,145 MG/G

ESPERSON N (desoximetasona + sulfato de neomicina) Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda. Pomada 2,5 MG/G + 7,145 MG/G ESPERSON N (desoximetasona + sulfato de neomicina) Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda. Pomada 2,5 MG/G + 7,145 MG/G Esta bula sofreu aumento de tamanho para adequação a legislação vigente da ANVISA. Esta

Leia mais

ANEXO I. Perguntas e Respostas sobre a revisão benefício-risco do piroxicam

ANEXO I. Perguntas e Respostas sobre a revisão benefício-risco do piroxicam ANEXO I Perguntas e Respostas sobre a revisão benefício-risco do piroxicam A Agência Europeia de Medicamentos (EMEA) completou recentemente a avaliação da segurança do anti-inflamatório não esteróide (AINE)

Leia mais

cetoconazol Medley Indústria Farmacêutica Ltda. shampoo 20 mg/g

cetoconazol Medley Indústria Farmacêutica Ltda. shampoo 20 mg/g cetoconazol Medley Indústria Farmacêutica Ltda. shampoo 20 mg/g cetoconazol Medicamento Genérico, Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÃO Shampoo de 20 mg/g: embalagem com 110 ml. USO TÓPICO USO ADULTO COMPOSIÇÃO

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA RESPOSTA TÉCNICA COREN/SC Nº 04/CT/2016 Assunto: Penicilina Palavras-chave: Penicilina, Injetáveis, Benzilpenicilinas I Solicitação recebida pelo Coren/SC: Quais são os equipamentos e insumos obrigatórios

Leia mais

ARCOLAN cetoconazol 20 mg/g shampoo. Galderma Brasil Ltda.

ARCOLAN cetoconazol 20 mg/g shampoo. Galderma Brasil Ltda. ARCOLAN cetoconazol 20 mg/g shampoo Galderma Brasil Ltda. Arcolan cetoconazol APRESENTAÇÕES: ARCOLAN shampoo (cetoconazol 20 mg/g). Embalagem contendo frasco com 100 ml. USO TÓPICO USO ADULTO COMPOSIÇÃO

Leia mais

ESCLEROSE MÚLTIPLA. Prof. Fernando Ramos Gonçalves

ESCLEROSE MÚLTIPLA. Prof. Fernando Ramos Gonçalves ESCLEROSE MÚLTIPLA Prof. Fernando Ramos Gonçalves Unidade anatômica e funcional do SNC ESCLEROSE MÚLTIPLA Sinonímia: Esclerose em placas Esclerose insular Esclerose disseminada Conceito É uma doença crônica,

Leia mais

1. PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

1. PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO? SYNAGIS palivizumabe I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO APRESENTAÇÕES Pó liófilo injetável de: - 50 mg em embalagem com 01 frasco-ampola para dose única contendo palivizumabe na forma de pó liofilizado estéril

Leia mais

BIOMIMETIC LRF COMPLEX

BIOMIMETIC LRF COMPLEX BIOMIMETIC LRF COMPLEX DESCRIÇÃO Manteiga natural extraída por prensagem a frio, de amêndoas de palmeiras do gênero Astrocaryum sp. INCI NAME CAS N EINECS (I)/ELINCS (L) Astrocaryum Murumuru Seed Butter

Leia mais

[LINFOMA EPITELIOTRÓPICO]

[LINFOMA EPITELIOTRÓPICO] [LINFOMA EPITELIOTRÓPICO] 2 Linfoma Epiteliotrópico Anamnese: Canino, fêmea, Pit Bull, não castrada, branca e marrom, 4 anos Histórico: Cadela com histórico de dermatopatia desde 2005. Apresentava lesões

Leia mais

NOME GÊNERO IDADE ENDEREÇO TELEFONE

NOME GÊNERO IDADE ENDEREÇO TELEFONE HISTÓRIA CLÍNICA PARA INVESTIGAÇÃO DE URTICÁRIA DATA / / NOME GÊNERO IDADE ESTADO CIVIL RAÇA ENDEREÇO TELEFONE PROFISSÃO 1. ANTECEDENTES A) história familiar: Urticária angioedema Doenças da tireóide Asma,

Leia mais

Doutoranda Michele Cristina de C. Oliveira. Disciplina de Clínica das Doenças Carênciais Endócrinas e Metabólicas

Doutoranda Michele Cristina de C. Oliveira. Disciplina de Clínica das Doenças Carênciais Endócrinas e Metabólicas DISTÚRBIOS DA GLÂNDULA TIREÓIDE Doutoranda Michele Cristina de C. Oliveira Disciplina de Clínica das Doenças Carênciais Endócrinas e Metabólicas ANATOMIA ANATOMIA HISTOLOGIA HISTOLOGIA FISIOLOGIA Síntese

Leia mais

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO CONCURSO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM TEMA 11 PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÃO DESENVOLVIMENTO DE VACINAS O que faz uma vacina? Estimula

Leia mais

100% óleo mineral. Laxante e terapia em uso tópico para pele ressecada e áspera

100% óleo mineral. Laxante e terapia em uso tópico para pele ressecada e áspera Dizeres de Cartucho (frente e laterais) Logo Mantecorp Conteúdo 120 ml Laxante e terapia em uso tópico para pele ressecada e áspera Sem cheiro/ Sem gosto MEDICAMENTO DE NOTIFICAÇÃO SIMPLIFICADARDC ANVISA

Leia mais

Simone Suplicy Vieira Fontes

Simone Suplicy Vieira Fontes Simone Suplicy Vieira Fontes Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico

Leia mais

Consensus Statement on Management of Steroid Sensitive Nephrotic Syndrome

Consensus Statement on Management of Steroid Sensitive Nephrotic Syndrome Consensus Statement on Management of Steroid Sensitive Nephrotic Syndrome Grupo Indiano de Nefrologia Pediátrica, Academia Indiana de Pediatria o Indian Pediatrics 2001; 38: 975-986 986 http://www.indianpediatrics.net/sept2001/sept-975

Leia mais

Prevenção de Eventos Cardiovasculares em Pacientes com Hipertensão Arterial PREVER 2 SEGUIMENTO 15 MESES

Prevenção de Eventos Cardiovasculares em Pacientes com Hipertensão Arterial PREVER 2 SEGUIMENTO 15 MESES Prevenção de Eventos Cardiovasculares em Pacientes com Hipertensão Arterial PREVER 2 Número do Centro l ID do Participante l Data do Atendimento l l l / l l l / 201l l Iniciais do Participante SEGUIMENTO

Leia mais

A fase inicial do câncer de próstata apresenta uma evolução silenciosa e não causa sintomas, mas alguns sinais merecem atenção:

A fase inicial do câncer de próstata apresenta uma evolução silenciosa e não causa sintomas, mas alguns sinais merecem atenção: Novembro Azul O movimento mundialmente conhecido como Novembro Azul ou Movember visa conscientizar os homens sobre a importância da prevenção do câncer de próstata e tem o bigode como símbolo adotado para

Leia mais

Panotil Zambon Laboratórios Farmacêuticos Ltda Solução Otológica

Panotil Zambon Laboratórios Farmacêuticos Ltda Solução Otológica Panotil Zambon Laboratórios Farmacêuticos Ltda Solução Otológica 10,0 mg - sulfato de neomicina 1,0 mg - acetato de fludrocortisona 10.000 UI - sulfato de polimixina B 40,0 mg - cloridrato de lidocaína

Leia mais

Áquila Lopes Gouvêa Enfermeira da Equipe de Controle de Dor Instituto Central do Hospital das Clínica da Faculdade de Medicina da USP

Áquila Lopes Gouvêa Enfermeira da Equipe de Controle de Dor Instituto Central do Hospital das Clínica da Faculdade de Medicina da USP SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ASSISTÊNCIA MULDISCIPLINAR AO PACIENTE POLITRAUMATIZADO Áquila Lopes Gouvêa Enfermeira da Equipe de Controle de Dor Instituto Central do Hospital das Clínica da Faculdade de Medicina

Leia mais

GRUPO BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE RISCO

GRUPO BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE RISCO NOTA TÉCNICA 02/2016 Belo Horizonte, 26 de Janeiro de 2016 GRUPO BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE RISCO Diretor-Presidente Welfane Cordeiro Júnior Diretora Maria do Carmo Paixão Rausch Equipe técnica: Cíntia

Leia mais

DEMODICOSE CANINA: REVISÃO DE LITERATURA

DEMODICOSE CANINA: REVISÃO DE LITERATURA DEMODICOSE CANINA: REVISÃO DE LITERATURA SANTOS, Luana Maria MACHADO, Juliane de Abreu Campos Acadêmicos da Associação Cultural e Educacional de Garça - FAMED. NEVES, Maria Francisca Docente da Associação

Leia mais

número 29 - setembro/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

número 29 - setembro/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS número 29 - setembro/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS INSULINAS ANÁLOGAS RÁPIDAS NO TRATAMENTO DO DIABETES MELLITUS

Leia mais

Imunodeficiência Primária (IDP)

Imunodeficiência Primária (IDP) Imunodeficiência Primária (IDP) Sinais de Alerta: Quatro ou mais infecções que necessitam uso de antibióticos no período de 1 ano (otite, bronquite, sinusite, pneumonia) Infecção de repetição ou infecção

Leia mais

HIPERÊMESE GRAVÍDICA. Msc. Roberpaulo Anacleto

HIPERÊMESE GRAVÍDICA. Msc. Roberpaulo Anacleto HIPERÊMESE GRAVÍDICA Msc. Roberpaulo Anacleto Introdução A ocorrência ocasional de náuseas e vômitos até 14 semanas de gestação, mais comum no período da manhã, é rotulada como êmese gravídica e pode ser

Leia mais

TERAPIA NUTRICIONAL NA CIRURGIA E NO TRAUMA. Neily Rodrigues Romero Ma. em Ciências Fisiológicas Nutricionista do IJF

TERAPIA NUTRICIONAL NA CIRURGIA E NO TRAUMA. Neily Rodrigues Romero Ma. em Ciências Fisiológicas Nutricionista do IJF TERAPIA NUTRICIONAL NA CIRURGIA E NO TRAUMA Neily Rodrigues Romero Ma. em Ciências Fisiológicas Nutricionista do IJF TRAUMA Definição: Problema de saúde pública Principais causas: acidentes e violência

Leia mais

NEOLON D. (triancinolona acetonida + sulfato de neomicina + gramicidina + nistatina)

NEOLON D. (triancinolona acetonida + sulfato de neomicina + gramicidina + nistatina) NEOLON D (triancinolona acetonida + sulfato de neomicina + gramicidina + nistatina) Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Pomada 1,0mg/g + 2,5mg/g + 0,25mg/g + 100.000UI/g I - IDENTIFICAÇÃO

Leia mais