Quadro resumo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Quadro resumo 12 13 16 16 17"

Transcrição

1 MANUAL

2

3

4 Quadro resumo

5 e proteção civil. M Cartão deverá designar: O representante autorizado, responsável pela gestão dos recursos repassados pelo Ministério da Integração Nacional em sua totalidade. Os portadores (não há máximo ou mínimo), que receberão seus respectivos cartões (plásticos) para realizar os pagamentos. Os portadores deverão ser servidores públicos ou ocupar o cargo de secretário estadual/municipal. O Cartão de Pagamento de Defesa Civil é destinado ao pagamento de despesas com ações de resposta - socorro, assistência às vítimas e restabelecimento de serviços essenciais - definidas no Decreto nº 7.257, de 4 de agosto de 2010, promovidas por governos estaduais, do DF e municipais. O Cartão será usado exclusivamente em situações de emergência ou estado de calamidade pública reconhecidos pela Secretaria Nacional de Defesa Civil. O Cartão é isento de taxa de adesão e anuidade.

6 O representante autorizado da conta no município deverá estabelecer os limites individuais de cada portador. Nos casos de recursos destinados diretamente aos Estados, não havendo repasse para municípios, o limite da conta é o valor total do recurso transferido pelo Ministério da Integração Nacional. O representante autorizado da conta no Estado deverá estabelecer os limites individuais de cada portador. Quando os recursos são transferidos ao Estado e este realiza o repasse a municípios, o representante autorizado estadual deverá informar ao Banco do Brasil, em sua agência de relacionamento, quais municípios serão beneficiados, o valor dos repasses e os números do Instrumento e Subinstrumento de cada município. O número do Instrumento corresponde ao número gerado pelo Siafi após a emissão da ordem bancária, é informado pelo Ministério da Integração ao ente quando da liberação do recurso na conta de relacionamento. O número do Subinstrumento corresponde ao código Siafï do munícipio recebedor do repasse e deverá ser informado ao Banco do Brasil pelo representante autorizado do Estado no ato de cadastramento do Centro de Custo de cada município. O Ministério da Integração disponibiliza a listagem completa em <http://www.integracao.gov.br/defesa-civil/solicitacao-de-recursos/cartao-de-pagamento-de-defesa-civil>. Nessa circunstância, os limites dos municípios (Centro de Custo) são registrados nas agências de relacionamento do Banco do Brasil, mediante autorização expressa assinada pelo representante autorizado do Estado. Os limites dos portadores são registrados por meio do Autoatendimento Setor Público (AASP), disponibilizado pelo Banco do Brasil via internet. Os representantes autorizados da conta de relacionamento e dos Centros de Custo devem obter a chave de acesso ao AASP em sua agência de relacionamento do Banco do Brasil.

7 Cartão: Nome e CPF do portador. Número do termo de transferência no Siafi.

8 Responsabilidades do representante legal do Estado/Município, ou do representante autorizado por ele, se for o caso O representante autorizado da conta no município deverá estabelecer os limites individuais de cada portador. Firmar contrato com o Banco do Brasil, aderindo à sistemática do Cartão de Pagamento de Defesa Civil pocedimento realizado uma única vez. Abrir conta de relacionamento no Banco do Brasil, em nome do CNPJ do órgão municipal ou estadual de defesa e proteção civil. Definir e alterar o limite de utilização e o valor para cada portador de cartão via Autoatendimento Setor Público (AASP). Inserir no endereço <http://www.integracao.gov.br/defesa-civil/solicitacao-de-recursos/cartao-de-pagamento-de-defesa-civil>, no link registre aqui, o número da agência, número da conta, número identificador do Centro de Custo referente à conta aberta no Banco do Brasil, para que os recursos possam ser devidamente tranferidos, quando da ocorrência de desastre. Responsabilidades adicionais do representante autorizado do Estado, quando repassar os recursos recebidos do governo federal aos municípios: Cadastrar o repasse de recursos aos municípios no Banco do Brasil, informando ao Banco do Brasil o limite de cada município (Centro de Custo), o número do Instrumento (número gerado pelo Siafi após emissão da ordem bancária pelo Ministério da Integração Nacional) e o número do Subinstrumento (código Síafi do município recebedor do repasse). Cadastrar os representantes autorizados dos Centros de Custo (municípios), concedendo-lhes acesso à conta do Estado no AASP. em ações de resposta.

9 a) Caso ainda não tenha, o Prefeito (a) deve criar o orgão municipal de proteção e defesa civil. É importante que o orgão municipal de proteção e defesa civil seja criado já com a função de Unidade Gestora de Orçamento (UO), órgão da estrutura administrativa do município. Caso a Coordenadoria já tenha sido criada sem a função de Unidade Gestora de Orçamento (UO), esta função poderá ser concedida via Decreto Executivo Municipal. b) Inscrever o orgão municipal de proteção e defesa civil no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica, visando a obter CNPJ próprio, que poderá ser vinculado ou filial do CNPJ do município. a) Atribuir à Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) ou à Secretaria Estadual de Defesa Civil (Sedec), via Decreto Estadual, a função de Unidade Gestora de Orçamento (UO), caso o órgão ainda não possua tal função. b) Inscrever a Cedec ou a Sedec no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica, visando obter CNPJ próprio, que poderá ser vinculado ou filial do CNPJ do Estado. Se dirigir à agência do Banco do Brasil mais próxima para adesão ao Cartão de Pagamento de Defesa Civil, esse procedimento é realizado uma única vez. Abrir a conta de relacionamento específica no Banco do Brasil, no CNPJ do órgão municipal ou estadual de proteção e defesa civil. Cada desastre terá uma conta de relacionamento específica. Dessa maneira, caso ocorram desastres sucessivos em um mesmo município, deverá ser aberta uma conta para cada desastre.

10 No ato da abertura da conta de relacionamento, o representante autorizado deverá: Apresentar a documentação necessária para a abertura da conta. Cadastrar a proposta de adesão ao Cartão de Pagamento de Defesa Civil Formulário Proposta de Adesão. Cadastrar o Centro de Custo Formulário Cadastro de Centro de Custo. Cadastrar os portadores dos cartões Formulário Cadastro de Portador. Assinar o Contrato de Adesão. Efetuar adesão ao sistema Autoatendimento do Setor Público, que é uma ferramenta de gestão do cartão, e obter Chave J código e senha para acesso ao sistema. Obter do Banco do Brasil, no fim do cadastramento, o Relatório de Cadastro de Centro de Custo, contendo os dados da agência, a conta e o número identificador do Centro de Custo. Obs.: os formulários Proposta de Adesão, Cadastro de Centro de Custo e Cadastro de Portador são obtidos pela internet no endereço: <www.bb.com.br/governo/ Estadual/Dispendio/Cartoes/Defesa Civil/Formularios> diretamente na agêncïa de relacionamento do Banco do Brasil. No Autoatendimento Setor Público (AASP), o representante legal receberá do Banco do Brasil a chave e a senha de acesso, que permitem: Atribuir limite de compras aos portadores do cartão. Acompanhar os gastos da Unidade Gestora, do(s) Centro(s) de Custo e dos portadores, mediante a emissão de demonstrativos on-line. Gerenciar os gastos. Cadastrar novos usuários para acesso ao AASP.

11 No caso de repasse de recurso de Estado para município, o representante autorizado do município deverá solicitar à agência que altere o endereço de destino do envio dos cartões de seu Centro de Custo para a sua agência de relacionamento, a fim de que o Cartão possa ser retirado em sua cidade. O representante legal ou seu representante autorizado deve cadatrar no sitio eletrônico da Secretaria Nacional de Defesa Civil, defesa-civil/solicitacao-de-recursos/cartao-de-pagamento-de-defesa-civil, no link registre aqui, os seguintes dados: Nome e CPF do responsável pela conta; Número do CNPJ vinculado à conta; Número da agência e conta de relacionamento; Número identificador do Centro de Custo fornecido pelo Banco do Brasil, quando da abertura da conta. A Secretaria Nacional de Defesa Civil atende de forma complementar os entes federados afetados por desastre. Para tanto é fundamental o reconhecimento da situação de emergência ou estado de calamidade pública por esta Secretaria. Para requer recursos para ações de resposta socorro, assistência às vítimas e restabelecimento dos serviços essencias o ente deve encaminhar diretamente à Sedec o Plano de Resposta modelo disponível em <http://www.integracao. gov.br/defesa-civil/solicitacao-de-recursos>. O Plano de Resposta será analisado pela Secretaria, havendo manifestação técnica favorável e disponibilidade de recursos, será providenciada publicação de portaria do Ministro de Estado da Integração Nacional autorizando o empenho e a liberação do recurso. Após publicação será realizado o empenho do recurso e a emissão de ordem bancária em favor do ente solicitante No caso de recursos transferidos a Município ou a Estado, não havendo, por parte do segundo, sub repasse a municípios: O Ministério da Integração Nacional informará ao Banco do Brasil o número do Instrumento (número gerado pelo Siafi após emissão da ordem bancária pelo Ministério da Integração Nacional) e demais dados necessários para efetivação da transferência.

12 No caso do Estado repassar o recurso recebido para municípios: a) O Ministério da Integração Nacional informará ao Banco do Brasil o número do Instrumento (número gerado pelo Siafi após emissão da ordem bancária pelo Ministério da Integração Nacional) e o valor total dos recursos disponibilizados. b) O representante legal ou o representante autorizado do Estado deverá comparecer á agência de relacionamento no Banco do Brasil para cadastrar os municípios que receberão os recursos. Cada município terá um Centro de Custo correspondente. Dessa forma, o limite do Centro de Custo do Estado diminui para ser repassado aos novos Centros de Custo criados para os municípios. A soma dos limites dos Centros de Custo, com mesmo número de Instrumento, não pode exceder o limite da conta de relacionamento cadastrada para esse evento. Para isso, o representante legal do Estado deverá: Preencher e assinar o Formulário de Cadastramento de Centro de Custo de cada município, informando: Nome, RG e CPF do representante autorizado do município. Endereço e CNPJ do Centro de Custo (órgão municipal de proteção e defesa civil ou prefeitura). Número do Instrumento (número gerado pelo Siafi após emissão da ordem bancária pelo Ministério da Integração Nacional). Código Siafi do município (Subinstrumento), disponível no sitio eletônico da SEDEC. Valor destinado ao município. Para isso, o representante legal ou o representante autorizado do Estado deverá cadastrar, no Autoatendimento Setor Público, a chave J do representante autorizado do município para que este obtenha acesso ao seu Centro de Custo e possa fazer a gestão dos recursos recebidos via AASP. c) Após o cadastramento no Banco do Brasil dos Centros de Custo dos municípios que receberão os recursos, o representante legal do Estado deverá informar ao representante autorizado de cada município: O número da agência e conta de relacionamento que foi aberta no Banco do Brasil. O número identificador do Centro de Custo cadastrado para o município. A chave J do representante do município para seu acesso ao AASP.

13 d) O gestor do município recebedor do repasse, também chamado de representante autorizado, deverá então dirigir-se à agência do Banco do Brasil de sua localidade e cadastrar a senha de seis dígitos para uso do Cartão de Pagamento de Defesa Civil (essa é a única senha que será utilizada quando forem efetuadas transações de compra com o cartão). e) O representante autorizado do município deverá solicitar à agëncia que altere o endereço de destino do envio dos cartões de seu Centro de Custo para a sua agência de relacionamento, a fim de que o cartão possa ser retirado em sua cidade. f) O representante autorizado do município deverá também alterar a senha do AASP que lhe foi concedida pelo representante do Estado, em seu primeiro acesso a esse canal, a fim de que possa fazer a gestão do recurso que foi transferido ao seu município. c) O representante autorizado efetuará o registro do limite de cada cartão e o valor máximo de transação por portador por meio do AASP. O valores poderão ser alteradas pelo representante autorizado a qualquer tempo, que deverá comunicar ao portador as autorizações de uso que lhe foram concedidas. M

14 Quadro resumo Atividades realizadas uma única vez 1. Criação do órgão municipal/estadual de Defesa Civil 2. Transformação do órgão municipal/estadual de Defesa Civil em unidade gestora de orçamento ou em fundo público CNPJ próprio 3. Assinatura de contrato com o Banco do Brasil Atividades realizadas a cada desastre 4. Abertura de conta específica deve ser realizada previamente ao desastre 5. Envio dos dados no Sistema de Cadastramento do CPDC no sítio da SEDEC - CNPJ; número da agência, da conta e do centro de custo; nome e CPF do responsável deve ser realizada previamente ao desastre 6. Ocorrência do desastre 7. Decretação de SE/ECP 8. Solicitar o reconhecimento à SEDEC 9. Reconhecimento pela SEDEC da SE/ECP 10. Solicitação de recursos para receber recursos para ações de resposta é indispensável o reconhecimento, mas o requerimento de solicitação de recursos, Plano de Resposta, pode ser encaminhado junto à solicitação de reconhecimento. 11. Aprovação e depósito dos recursos pela SEDEC/MI na conta de relacionamento previamente aberta pelo município/estado 12. Utilização do CPDC como meio de pagamento para os recursos repassados para resposta (socorro, assistência e restabelecimento) 13. Consolidação mensal das faturas pelo BB e envio à CGU 14. Publicação dos dados no Portal da Transparência 12

15 1. O portador poderá fazer saque em espécie? Não é permitido a realização de saque em espécie. 2. As compras efetivadas com o cartão poderão ser parceladas? Não. O cartão não aceita parcelamento de compras. 3. Existe alguma possibilidade de ser feita transferência de recurso para outra conta como forma de pagameno? Não. O pagamento só poderá ser feito diretamente ao fornecedor por meio do equipamento próprio. 4. É possível utilizara cartão fora do Brasil? Não, o Cartão de Pagamento de Defesa Civil é de uso exclusivamente nacional. 5. O cartão poderá ser usado tanto para compras como para serviços? Sim. É apenas uma nova forma de pagamento. 6. Os funcionários indicados pelo governo como portadores do cartão necessitam ser correntistas do Banco do Brasil? Não, mas devem ser servidores públicos ou secretários estaduais ou municipais. 7. Como serão monitaradas os dispêndios no cartão pelo representante do Estado ou Município? Via internet, por meio do programa Autoatendimento Setor Público (AASP), do Banco do Brasil, que é disponibilizado pelas agências do Banco do Brasil para os Estados e Municípios. 13

16 8. No caso de repasse de recurso do Estado para município, o Estado poderá monitorar os gastos do município? Sim, o Estado poderá acompanhar os gastos efetuados diariamente de todos os Centros de Custo, por meio do Autoatendimento Setor Público (AASP). 9. Como se dá a formalização da adesão? Mediante a assinatura do Contrato de Adesão e dos formulários de cadastramento, pelo representante do Estado ou Município, na agência de relacionamento do Banco do Brasil do ente. 10. Qual o prazo de validade do cartão do portador? O prazo de validade é de 36 meses, com renovação e emissão automática de novo plástico 30 dias antes do seu vencimento. 11. Somente o representante legal, ou representante autorizado, é usuário do cartão? Não. Qualquer servidor designado pelo representante legal ou representante autorizado poderá ser detentor do cartão, que é de uso pessoal e intransferivel ao portador nele identificado. 12. O que deve ser feito com o saldo remanescente não utilizado? Será devolvido, via GRU, inclusive os valores referentes a rendimentos de aplicação financeira. 13. Onde os portadores dos cartões poderão realizar gastós com o cartão? Em locais credenciados, de acordo com a bandeira do cartão. 14. Quais as vantagens do cartão? 14 Identificação do portador como agente público Acompanhamento dos gastos por meio do Autoatendimento do Banco do Brasil (AASP). Central de atendimento 24 horas. Segurança. Transparência.

17 15. Como serão controladas as despesas feitas com o cartão? O representante legal/autorizado do ente e o portador do cartão poderão controlar as despesas por meio dos demonstrativos mensais recebidos pelo correio e on-line, através do Autoatendimento Setor Público. 16. Após adesão ao CPDC e emissão dos cartões é necessária alguma atualização de dados por parte da Prefeitura ou do Estado? Sim, quando houver alteração do representante legal / autorizado ou dos portadores, o que deve ocorrer, principalmente, após as eleições municipais e estaduais. 17. Como proceder para pagamento de aluguel social, barqueiro ou pipeiro? Para atendimento às demandas de pagamento a pessoas físicas, sob a forma de pagamento do aluguel social, de barqueiro ou de pipeiro, foi desenvolvida solução de pagamento por meio do Cartão de Pagamento de Benefícios / CPDC, que funciona da seguinte forma: a) O órgão municipal ou estadual de proteção e defesa civil deve procurar a agência do BB de relacionamento (com a qual já firmou a Proposta de Adesão ao CPDC), e solicitar por Ofício a abertura de convênio de pagamento por meio de Cartão de Pagamento de Benefícios - CPB, informando a finalidade (pagamento do aluguel social, de barqueiro ou de pipeiro), e que a origem dos recursos para pagamento do benefício é o Cartão de Pagamento de Defesa Civil / CPDC. É importante ressaltar que, para cada finalidade, deve ser firmado um convênio específico para pagamento por meio do CPB. b) Relativamente ao CPB cabe salientar que o cadastramento de beneficiários, a geração de cartões para pagamento e o envio de créditos para abastecimento dos cartões será inteiramente realizado por meio eletrônico. Para isso, o banco disponibiliza gratuitamente um aplicativo específico para geração, transmissão, recepção e tratamento de arquivos a serem trocados entre o BB e o convenente. c) Os débitos referentes a arquivos CPB de pagamento do aluguel social, dos barqueiros e dos pipeiros serão apresentados na fatura do CPDC. d) Uma vez de posse do cartão, o beneficiário do pagamento destinado a aluguel social, barqueiro ou pipeiro pode sacar os recursos em qualquer terminal de auto-atendimento do BB ou utilizar seu recurso por meio de compras na função débito (Electron) na rede credenciada. 18. Como proceder para Recolhimento de Impostos e devolução de recursos por meio de GRU? a) O pagamento de DARF e GRU com código de barras pode ser realizado na Internet do BB, na página do Autoatendimento Setor Público - ASP, por meio da utilização de chave e senha de usuário. 15

18 b) Na barra superior do menu, ao selecionar a opção intitulada Administração de Recursos, será aberto novo submenu onde constará a opção Pagamentos. c) Ao selecionar a opção Pagamentos, será aberto um novo menu na lateral esquerda da tela do ASP, sendo a primeira opção o item Com código de barras. d) Ao clicar o item Com código de barras, abaixo do item serão apresentadas as opções de pagamento de convênios: DARF (5ª opção) e GRU (7ª opção) estão entre elas. e) Ao selecionar qualquer uma das duas opções, aparecerá a tela para preenchimento dos dados para pagamento (Opções de Pagamento: selecionar Débito no cartão de crédito ; informa os 16 números do plástico do CPDC; quantidade de parcelas: 1; digita código de barras do DARF ou da GRU, conforme o caso) f) A Coordenação ou Núcleo de Defesa Civil Estadual ou Municipal deve procurar a agência de relacionamento do Banco do Brasil para obter mais informações e orientações. 16

19 a um município. A princípio, cada conta terá apenas um centro. No caso de Estado que repassa recurso ao município, cada Centro de Custo corresponderá Código numérico que possibilita acesso ao Autoatendimento Setor Público para a gestão e o monitoramento do recurso a ser movimentado com o Cartão é apenas um código de acesso utilizada com uma senha. É criada na agência de relacionamento do Banco do Brasil do ente público ou pelo representante autorizado, quando do cadastramento do Centro de Custo. Código numérico que possibilita acesso ao Autoatendimento Setor Público para a gestão e o monitoramento do recurso a ser movimentado com o Cartão é apenas um código de acesso utilizada com uma senha. É criada na agência de relacionamento do Banco do Brasil do ente público ou pelo representante autorizado, quando do cadastramento do Centro de Custo. M Servidor públicos ou ocupar o cargo de secretário estadual/municipal, autorizado a realizar as despesas com o Cartão. É a pessoa autorizada pelo representante legal, que responde no Banco do Brasil pela abertura da conta de relacionamento, pelo cadastramento do Centro de Custo, pelo limite do Centro de Custo e pelas permissões para transações feitas pela unidade de Governo. Pode cadastrar e excluir portadores de toda a unidade e lhes atribuir limites. É o ordenador de despesa do ente federado, Prefeito ou Governador do Estado, que pode designar o representante autorizado. Portaria n 607, de 18 de agosto de 2011: 17

20

21

22

23

24

cartilha Cartão de Pagamento de Defesa Civil

cartilha Cartão de Pagamento de Defesa Civil cartilha Cartão de Pagamento de Defesa Civil 1 Índice Introdução...3 Público-alvo...3 Descrição... 3 Adesão... 3 Utilização... 3 Limites de utilização do produto... 4 Serviços e benefícios para a unidade...

Leia mais

Manual. Cartão de pagamento de defesa civil

Manual. Cartão de pagamento de defesa civil Manual Cartão de pagamento de defesa civil Sumário Introdução... 7 Público-alvo... 7 Descrição... 7 Adesão e abertura de contas... 8 Serviços e benefícios ao ente recebedor... 8 Serviços e benefícios

Leia mais

PASSO A PASSO CARTÃO DE PAGAMENTO DE DEFESA CIVIL

PASSO A PASSO CARTÃO DE PAGAMENTO DE DEFESA CIVIL PASSO A PASSO CARTÃO DE PAGAMENTO DE DEFESA CIVIL Antes da ocorrência do desastre 1º passo ----------------------------------------------------------------------------------------------------- Municípios

Leia mais

Diretoria de Cartões CARTÃO DE PAGAMENTO DEFESA CIVIL

Diretoria de Cartões CARTÃO DE PAGAMENTO DEFESA CIVIL CARTÃO DE PAGAMENTO DEFESA CIVIL CARTÃO DE PAGAMENTO DE DEFESA CIVIL Por meio do Cartão de Pagamento de Defesa Civil, o Governo Federal repassa os recursos para os estados e municípios de forma ágil, segura

Leia mais

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal Banco do Setor público Sumário Introdução 04 Cartão de Pagamento do Governo Federal CPGF 04 Passo a Passo 10 Perguntas e Respostas 12 Legislação I Ementa 17

Leia mais

Manual Cartão Pesquisa /CNPq. Atualizado em 25/08/2014

Manual Cartão Pesquisa /CNPq. Atualizado em 25/08/2014 Manual Cartão Pesquisa /CNPq Atualizado em 25/08/2014 Sumário Introdução... 3 Cartão BB Pesquisa... 4 Passo a Passo... 8 Perguntas e Respostas.... 14 Cartão BB Pesquisa O Cartão BB Pesquisa éresultado

Leia mais

1 - AQUISIÇÃO DO CARTÃO BB PESQUISA

1 - AQUISIÇÃO DO CARTÃO BB PESQUISA 1 - AQUISIÇÃO DO CARTÃO BB PESQUISA 1º PASSO: Recebimento do e-mail de aprovação do projeto. 2º PASSO: Preenchimento e assinatura do Termo de Aceitação de Apoio Financeiro e do Cadastro de Portador, que

Leia mais

Cartão BRB Pré-Pago. Como adquirir

Cartão BRB Pré-Pago. Como adquirir Cartão BRB Pré-Pago O Cartão BRB Pré-Pago facilita a sua vida e da sua família. Com ele você tem mais controle dos seus castos, paga pequenas despesas do dia a dia, usa em vários lugares do País e pode

Leia mais

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal Banco do Setor público 2 Sumário Introdução 04 Cartão de Pagamento do Governo Federal CPGF 04 Passo a Passo 10 Perguntas e Respostas 12 Legislação I Ementa

Leia mais

MANUAL. Cartão Pesquisa/Facepe. Atualizado em Junho/2015

MANUAL. Cartão Pesquisa/Facepe. Atualizado em Junho/2015 MANUAL Cartão Pesquisa/Facepe Atualizado em Junho/2015 Prezado Pesquisador, A Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco - FACEPE está adotando um novo meio para a utilização dos

Leia mais

Manual de Orientações ao Portador

Manual de Orientações ao Portador Cartão de Pagamento do Governo Federal CPFG Manual de Orientações ao Portador PARA USO INTERNO Revisado pela equipe da Divisão de Contabilidade e Finanças/DCF Mossoró-RN, Fevereiro de 2010. CARTÃO DE PAGAMENTOS

Leia mais

Atualizado em 10/09/2015

Atualizado em 10/09/2015 Atualizado em 10/09/2015 O Cartão BB Pesquisa é um produto oferecido pelo Banco do Brasil para facilitar o dia a dia dos pesquisadores. Destina-se ao pagamento de bens, serviços e demais despesas autorizadas.

Leia mais

I - DA CONTA ÚNICA DO TESOURO NACIONAL

I - DA CONTA ÚNICA DO TESOURO NACIONAL INSTRUÇÃO NORMATIVA n o 04, de 30 de agosto de 2004. Dispõe sobre a consolidação das instruções para movimentação e aplicação dos recursos financeiros da Conta Única do Tesouro Nacional, a abertura e manutenção

Leia mais

Sr (ª). Prefeito (a),

Sr (ª). Prefeito (a), Sr (ª). Prefeito (a), O Banco do Brasil é um dos principais parceiros dos Governos Federal, Estaduais e Municipais na implantação de políticas públicas, projetos e programas impulsionadores do desenvolvimento.

Leia mais

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.3

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.3 Sicoobnet Empresarial Manual do Versão. Manual do Data: /07/00 Histórico Data Versão Descrição Autor 04/0/008.0 Criação do Manual Ileana Karla 0//008. Revisão Luiz Filipe Barbosa /07/00. Atualização Márcia

Leia mais

PARÁGRAFO ÚNICO - São as seguintes as modalidades de Ordens Bancárias, a serem processadas pelo Sistema OBN:

PARÁGRAFO ÚNICO - São as seguintes as modalidades de Ordens Bancárias, a serem processadas pelo Sistema OBN: CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE PAGAMENTO A FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS E DE SERVIDORES, QUE ENTRE SI CELEBRAM O /ESTADO OU MUNICÍPIO DE/ E O BANCO DO BRASIL S.A.. O /ESTADO OU MUNICÍPIO DE/,

Leia mais

Cliente Nossa Caixa, o Banco do Brasil tem orgulho de receber você e sua empresa.

Cliente Nossa Caixa, o Banco do Brasil tem orgulho de receber você e sua empresa. Cliente Nossa Caixa, o Banco do Brasil tem orgulho de receber você e sua empresa. Conheça os benefícios do novo banco da sua empresa. Banco do Brasil. É de São Paulo. É do Brasil. É Todo Seu. Índice 2

Leia mais

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.5

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.5 Sicoobnet Empresarial Manual do Versão.5 Manual do Data: 04/0/0 Histórico Data Versão Descrição Autor 04/0/008.0 Criação do Manual Ileana Karla 0//008. Revisão Luiz Filipe Barbosa /07/00. Atualização Márcia

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM CONTROLADORIA-GERAL DO MUNICÍPIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM CONTROLADORIA-GERAL DO MUNICÍPIO TRILHA DE AUDITORIA CONVÊNIOS - SICONV CONTROLADORIA-GERAL DO MUNICÍPIO Contagem, 09 de Março de 2015 Nicolle Ferreira Bleme AUDITORA-GERAL EQUIPE RESPONSÁVEL Flaviano Coelho Barbosa GERENTE DE AUDITORIA

Leia mais

Conhecendo os Processos de Cobrança

Conhecendo os Processos de Cobrança Conhecendo os Processos de Cobrança 03 Processos de Cobrança Entenda a Fatura Ferramentas de Suporte Consulta de Extratos 05 09 11 16 Consumo Consciente 02 Processos de Cobrança conheça os processos de

Leia mais

Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade

Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade DM003.0 Página 1 / 42 Índice 1 APRESENTAÇÃO... 4 DETALHAMENTO DOS LINKS DO TECBIZ ONLINE... 5 2 INICIAL... 5 3 ASSOCIADO... 5 3.1 SELECIONA ASSOCIADO... 5 3.2 ALTERAR

Leia mais

REGULAMENTO DO AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO

REGULAMENTO DO AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO REGULAMENTO DO AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO O presente instrumento estabelece as normas regulamentares do AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO, destinado ao atendimento de Pessoas Jurídicas de direito público,

Leia mais

Cartão BNDES. Guia Cartão BNDES

Cartão BNDES. Guia Cartão BNDES Guia O é destinado para micro, pequenas e médias empresas para o financiamento da compra de equipamentos, serviços e insumos. As vendas com o cartão BNDES são realizadas exclusivamente no Portal (www.cartaobndes.gov.br)

Leia mais

ORDENS BANCÁRIAS ESTADOS E MUNICÍPIOS MANUAL DO USUÁRIO

ORDENS BANCÁRIAS ESTADOS E MUNICÍPIOS MANUAL DO USUÁRIO ORDENS BANCÁRIAS ESTADOS E MUNICÍPIOS MANUAL DO USUÁRIO Ordens Bancárias Estados e Municípios Sumário 1. Introdução... 3 2. Público Alvo... 3 3. Características... 4 3.1. Modalidades e tipos de ordens

Leia mais

SUPRIMENTO DE F RIMENTO UNDOS CPGF AUTO ATENDIMENTO AUTO ATE SETOR PÚBLICO ABOP

SUPRIMENTO DE F RIMENTO UNDOS CPGF AUTO ATENDIMENTO AUTO ATE SETOR PÚBLICO ABOP SUPRIMENTO DE FUNDOS CPGF AUTO ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO ABOP Slide 1 Oficina nº 76 Suprimento de Fundos CPGF - AASP Carga Horária: 4h Pré-requisitos desejáveis: Oficina - Sistema de Controle de Suprimento

Leia mais

TREINAMENTO PRÁTICO SICONV

TREINAMENTO PRÁTICO SICONV TREINAMENTO PRÁTICO SICONV Instrutores: Fernando Henrique / Rodrigo Lopes Brasília/DF, 21 e 22 de agosto de 2012. 1 Introdução 1. Portal dos Convênios 2. Credenciamento 3. Cadastramento e atualização do

Leia mais

Consignação Manual do Correspondente Consignação

Consignação Manual do Correspondente Consignação Manual do Correspondente Consignação Banestes S.A. - Banco do Estado do Espírito Santo GCONS - Gerência de Consignação SUMÁRIO 1. Conceito...3 2. Apresentação...3 3. Informações Gerais...3 3.1. Condições

Leia mais

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de Parceria operados por OBTV

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de Parceria operados por OBTV MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO Portal dos Convênios SICONV Convênio, Contrato de Repasse

Leia mais

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de Parceria operados por OBTV (Ordem Bancária de Transferências Voluntárias) Perfil Convenente

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de Parceria operados por OBTV (Ordem Bancária de Transferências Voluntárias) Perfil Convenente MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO Portal dos Convênios SICONV Convênio, Contrato de Repasse

Leia mais

Portal dos Convênios - SICONV. Inclusão e Envio de Proposta. Manual do Usuário

Portal dos Convênios - SICONV. Inclusão e Envio de Proposta. Manual do Usuário MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - SICONV Inclusão e Envio de Proposta Manual

Leia mais

ROTEIRO OPERACIONAL CARTÃO DE CRÉDITO CONSIGNADO SETOR PÚBLICO INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSS

ROTEIRO OPERACIONAL CARTÃO DE CRÉDITO CONSIGNADO SETOR PÚBLICO INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSS E-MAILS DE CONTATO BANCO DAYCOVAL Negócio Roteiro Operacional Promotora MESA DE ANALISE CARTÃO CONSIGNADO cartaoliberacao@bancodaycoval.com.br Empréstimo Cartão Débito C/C SUPORTE PROMOTORA suportepromotora@bancodaycoval.com.br

Leia mais

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de Parceria operados por OBTV

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de Parceria operados por OBTV MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO Portal dos Convênios SICONV Convênio, Contrato de Repasse

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA SERVELOJA

MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA SERVELOJA MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA SERVELOJA A Serveloja soluções empresariais é uma empresa de tecnologia, especialista em consultoria, serviços financeiros e softwares. Disponibilizamos diversas soluções de cobranças

Leia mais

Ponto pra Você. Programa de Relacionamento do Banco do Brasil para Clientes PF

Ponto pra Você. Programa de Relacionamento do Banco do Brasil para Clientes PF Ponto pra Você Programa de Relacionamento do Banco do Brasil para Clientes PF JULHO/2013 Sumário - O que é o Programa Ponto pra Você?... 3 - Quem participa do Programa?... 3 - Pontos: quais os tipos?...

Leia mais

CURSO: SICONV 1) NOÇÕES GERAIS, CREDENCIAMENTO, CADASTRAMENTO E PROGRAMAS DE CONVÊNIO

CURSO: SICONV 1) NOÇÕES GERAIS, CREDENCIAMENTO, CADASTRAMENTO E PROGRAMAS DE CONVÊNIO CURSO: SICONV TEMAS CENTRAIS 1) NOÇÕES GERAIS, CREDENCIAMENTO, CADASTRAMENTO E PROGRAMAS DE CONVÊNIO 2) PROPOSIÇÃO, AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS - CEDENTE, CELEBRAÇÃO DE UM CONVÊNIO E ALTERAÇÕES 3) EXECUÇÃO,

Leia mais

15. Prestação de Contas operados por OBTV

15. Prestação de Contas operados por OBTV 15. Prestação de Contas operados por OBTV A inclusão da Prestação de Contas deverá ser feito no sistema SICONV pelo usuário que tem o perfil de Cadastrador de Prestação de Contas, e o envio para análise

Leia mais

SE Brasília/DF Jan./2013 24.000 ex. 10,5x29,7cm Editora MS/CGDI/SAA OS 2013/0124

SE Brasília/DF Jan./2013 24.000 ex. 10,5x29,7cm Editora MS/CGDI/SAA OS 2013/0124 1 12 SE Brasília/DF Jan./2013 24.000 ex. 10,5x29,7cm Editora MS/CGDI/SAA OS 2013/0124 SE Brasília/DF Jan./2013 24.000 ex. 10,5x29,7cm Editora MS/CGDI/SAA OS 2013/0124 12 Em 2013, o registro de dados no

Leia mais

Portal dos Convênios - Siconv. Cadastramento de Proponente Consórcio Público e Entidades Privadas sem Fins Lucrativos

Portal dos Convênios - Siconv. Cadastramento de Proponente Consórcio Público e Entidades Privadas sem Fins Lucrativos MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - Siconv Cadastramento de Proponente Consórcio

Leia mais

Em 2013, o registro de dados no SIOPS passará a ser obrigatório.

Em 2013, o registro de dados no SIOPS passará a ser obrigatório. Em 2013, o registro de dados no SIOPS passará a ser obrigatório. Fique atento aos procedimentos e prazos estabelecidos pela Lei para declaração de despesas com saúde. art certificado digital-siops-10,5x29,7.indd

Leia mais

1. Tela de Acesso pg. 2. 2. Cadastro pg. 3. 3. Abas de navegação pg. 5. 4. Abas dados cadastrais pg. 5. 5. Aba grupo de usuários pg.

1. Tela de Acesso pg. 2. 2. Cadastro pg. 3. 3. Abas de navegação pg. 5. 4. Abas dados cadastrais pg. 5. 5. Aba grupo de usuários pg. Sumário 1. Tela de Acesso pg. 2 2. Cadastro pg. 3 3. Abas de navegação pg. 5 4. Abas dados cadastrais pg. 5 5. Aba grupo de usuários pg. 6 6. Aba cadastro de funcionários pg. 7 7. Pedidos pg. 12 8. Cartões

Leia mais

Conceito... 1. Finalidade... 1. Público-alvo... 1. Cadastramento... 1. Formalização... 1. Atributos do Produto... 2

Conceito... 1. Finalidade... 1. Público-alvo... 1. Cadastramento... 1. Formalização... 1. Atributos do Produto... 2 ÍNDICE Conceito... 1 Finalidade... 1 Público-alvo... 1 Cadastramento... 1 Formalização... 1 Atributos do Produto... 2 Onde o cartão pode ser utilizado... 2 Permissões... 2 Limites... 2 Estrutura de cadastramento...

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO APLICATIVO CONTROLY E DO CARTÃO CONTROLY

TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO APLICATIVO CONTROLY E DO CARTÃO CONTROLY TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO APLICATIVO CONTROLY E DO CARTÃO CONTROLY Os presentes termos e condições gerais de uso (os Termos de Uso ) definem os direitos e obrigações aplicáveis aos usuários do

Leia mais

Cartão Consignado. Aposentados e Pensionistas do INSS

Cartão Consignado. Aposentados e Pensionistas do INSS Cartão Consignado Aposentados e Pensionistas do INSS Cartão Consignado INSS Regras Vigentes INSS Regras Vigentes Cartão exclusivo para compras (o saque é proibido). Temos que aguardar a manifestação do

Leia mais

PORTAL DE SERVIÇOS AUTOMATIZADOS À PREFEITURA

PORTAL DE SERVIÇOS AUTOMATIZADOS À PREFEITURA O Portal de Serviços Automatizados à Prefeitura disponibiliza ao contribuinte a emissão de faturas referente os débitos do IPTU, ISSQN e DÍVIDAS DIVERSAS, do exercício e dívida ativa, tanto negociada (parcelamentos)

Leia mais

GUIA DE SERVIÇOS E BENEFÍCIOS

GUIA DE SERVIÇOS E BENEFÍCIOS GUIA DE SERVIÇOS E BENEFÍCIOS VEJA COMO UTILIZAR O DE FORMA PRÁTICA E SEGURA. DESBLOQUEIO DO CARTÃO Sua senha foi enviada anteriormente para seu endereço. Caso não a tenha recebido, ligue para a Central

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO SICONV SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIO PORTAL DOS CONVÊNIOS PROPONENTE - CONVENENTE

ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO SICONV SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIO PORTAL DOS CONVÊNIOS PROPONENTE - CONVENENTE ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO SICONV SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIO PORTAL DOS CONVÊNIOS PROPONENTE - CONVENENTE 1 APRESENTAÇÃO Convênios são acordos firmados por entidades públicas de qualquer espécie,

Leia mais

Siconv para Convenentes

Siconv para Convenentes Siconv para Convenentes Módulo2 Portal de Convênios e Siconv Brasília - 2015. Fundação Escola Nacional de Administração Pública Presidente Gleisson Rubin Diretor de Desenvolvimento Gerencial Paulo Marques

Leia mais

A primeira parte do cadastro de clientes é formado pela Identificação, com as principais informações do cliente.

A primeira parte do cadastro de clientes é formado pela Identificação, com as principais informações do cliente. 1 CADASTROS 1.1 CLIENTES 1.1.1 IDENTIFICAÇÃO A primeira parte do cadastro de clientes é formado pela Identificação, com as principais informações do cliente. A identificação é composta pelos campos: Código:

Leia mais

CADASTRAMENTO DE EMPRESAS PERGUNTAS FREQUENTES

CADASTRAMENTO DE EMPRESAS PERGUNTAS FREQUENTES CADASTRAMENTO DE EMPRESAS PERGUNTAS FREQUENTES 1 Quais são os sujeitos que devem ser cadastrados e o que cada um representa no cadastro da empresa?...2 2 Como fazer para cadastrar uma empresa?...3 3 Cliquei

Leia mais

SIFAP SISTEMA DE FARMÁCIA POPULAR

SIFAP SISTEMA DE FARMÁCIA POPULAR CAIXA SIFAP SISTEMA DE FARMÁCIA POPULAR MANUAL DO USUÁRIO DA FARMÁCIA (INTERNET) Versão 12-05/01/2015 1 ÍNDICE CAIXA CAIXA...1 CAIXA...2 CAIXA...2 1.Introdução... 2 2.Objetivo do Sistema...3 3.Usuário

Leia mais

Solicitando o Cartão BNDES no Portal de Operações do BNDES

Solicitando o Cartão BNDES no Portal de Operações do BNDES SOLICITANDO O CARTO BNDES NO PORTAL DE OPERAÇÕES DO BNDES CARTO Solicitando o Cartão BNDES no Portal de Operações do BNDES - Cartão BNDES Formatados: Marcadores e numeração C:\BNDES - SOLICITACAO DE CARTAO.doc

Leia mais

Condições Gerais de Uso Cartão Rendimento Visa TravelMoney

Condições Gerais de Uso Cartão Rendimento Visa TravelMoney Condições Gerais de Uso Cartão Rendimento Visa TravelMoney BANCO RENDIMENTO S/A, com sede na Av. Brigadeiro Faria Lima, 2.092, 19ºandar, São Paulo, Capital, inscrito no C.N.P.J. sob no. 68.900.810/0001-38,

Leia mais

TRANSFERÊNCIA OBRIGATÓRIA

TRANSFERÊNCIA OBRIGATÓRIA TRANSFERÊNCIA OBRIGATÓRIA As transferências obrigatórias são realizadas a estados e municípios em situação de emergência/se ou estado de calamidade pública/ecp reconhecidos pela SEDEC. Essa modalidade

Leia mais

Cadastramento de Proponente

Cadastramento de Proponente MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO Portal dos Convênios SICONV Cadastramento de Proponente

Leia mais

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de Parceria Operados por OBTV (Ordem Bancária de Transferências Voluntárias) Passo a Passo - Convenente

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de Parceria Operados por OBTV (Ordem Bancária de Transferências Voluntárias) Passo a Passo - Convenente Convênio, Contrato de Repasse e Termo de Parceria Operados por OBTV (Ordem Bancária de Transferências Voluntárias) Passo a Passo - Convenente Sumário 01 O que é OBTV (Ordem Bancária de Transferências Voluntárias)...2

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RECOMPENSA DO BANCO DO BRASIL S.A. PONTO PRA SUA EMPRESA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RECOMPENSA DO BANCO DO BRASIL S.A. PONTO PRA SUA EMPRESA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RECOMPENSA DO BANCO DO BRASIL S.A. PONTO PRA SUA EMPRESA I. DEFINIÇÕES 1. ADESÃO Processo pelo qual o REPRESENTANTE AUTORIZADO do CLIENTE formaliza a condição de participante

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO SICONV SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIO PORTAL DOS CONVÊNIOS CONCEDENTE

ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO SICONV SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIO PORTAL DOS CONVÊNIOS CONCEDENTE ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO SICONV SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIO PORTAL DOS CONVÊNIOS CONCEDENTE 1 APRESENTAÇÃO Convênios são acordos firmados por entidades públicas de qualquer espécie, ou entre estas

Leia mais

MANUAL FINANCEIRO MANUAL - TABELAS CONTÁBEIS E ORÇAMENTÁRIAS

MANUAL FINANCEIRO MANUAL - TABELAS CONTÁBEIS E ORÇAMENTÁRIAS MANUAL FINANCEIRO MANUAL - TABELAS CONTÁBEIS E ORÇAMENTÁRIAS SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...3 2 REALIZANDO UMA ARRECADAÇÃO...4 2.1 IMPORTAÇÃO TRIBUTOS COM A CONTABILIDADE...4 2.2 BOLETIM DE ARRECADAÇÃO...4 2.1.1

Leia mais

BB Crédito Material Construção. Solução em Financiamento para sua Empresa

BB Crédito Material Construção. Solução em Financiamento para sua Empresa BB Crédito Material Construção Solução em Financiamento para sua Empresa Maio 2009 Índice 1. Para sua Empresa 1.1 O que é? 02 1.2 Qual a vantagem de ser conveniado ao BB? 02 1.3 Quais os procedimentos

Leia mais

Manual do Utilizador. Portal dos Jurisdicionados Cadastro

Manual do Utilizador. Portal dos Jurisdicionados Cadastro Manual do Utilizador Portal dos Jurisdicionados Cadastro TCM/PA 2015 1. CONDIÇÕES DE ACESSO O acesso ao Portal dos Jurisidicionados Cadastro é feito, exclusivamente, com o uso de certificação digital,

Leia mais

Portal dos Convênios - SICONV. Inclusão e Envio de Proposta. Manual do Usuário

Portal dos Convênios - SICONV. Inclusão e Envio de Proposta. Manual do Usuário MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - SICONV Inclusão e Envio de Proposta Manual

Leia mais

O sistema possui 5 módulos para registros:

O sistema possui 5 módulos para registros: ÍNDICE 1 DESCRIÇÃO...4 2 ACESSO...6 3 DADOS CADASTRAIS...7 3.1 ATUALIZAR CADASTRO...7 3.2 TROCAR SENHA...8 4 GRUPO DE USUÁRIO...9 4.1 INCLUIR...9 4.2 ATUALIZAR...9 5 FUNCIONÁRIOS...10 5.1 INCLUIR...10

Leia mais

LABORATÓRIO DE CONTABILIDADE

LABORATÓRIO DE CONTABILIDADE LABORATÓRIO DE CONTABILIDADE 2015 PROCESSO DE BAIXA Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte - e-cac) 1 Como visto anteriormente sobre o processo de baixa de empresa, o procedimento inicial diante

Leia mais

PASSO A PASSO PARA EMISSÃO DE CERTIFICADO DIGITAL

PASSO A PASSO PARA EMISSÃO DE CERTIFICADO DIGITAL PASSO A PASSO PARA EMISSÃO DE CERTIFICADO DIGITAL 1. Acesse http://siops.datasus.gov.br, opção Certificação Digital. 1.1. Acesse a 1ª ETAPA - Orientações Gerais e leia as informações para ter uma visão

Leia mais

Cadastramento de Computadores. Manual do Usuário

Cadastramento de Computadores. Manual do Usuário Cadastramento de Computadores Manual do Usuário Setembro 2008 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 1.1 Conhecendo a solução...03 Segurança pela identificação da máquina...03 2. ADERINDO À SOLUÇÃO e CADASTRANDO COMPUTADORES

Leia mais

Aquisição de Cartões por Funcionários

Aquisição de Cartões por Funcionários Aquisição de Cartões por Funcionários Aquisição de Cartões por Funcionários Você, que trabalha na Votorantim Finanças, não paga anuidade do Cartão de Crédito Banco Votorantim enquanto for funcionário.

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 018/2013

NOTA TÉCNICA Nº 018/2013 NOTA TÉCNICA Nº 018/2013 Brasília, 09 de maio de 2013. ÁREA: Finanças TÍTULO: Certificado Digital e a Importância para os Municípios. REFERÊNCIA(S): Cartilha SIOPS; Comunicado CGSN/SE nº 3, de 10 de março

Leia mais

Solicitando o Cartão BNDES

Solicitando o Cartão BNDES Solicitando o Cartão BNDES Atualizado em 30/06/2014 Pág.: 1/12 Introdução Este manual destina-se a orientar as micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) na solicitação do Cartão BNDES no site do Cartão

Leia mais

Eventos Anulação e Retificação

Eventos Anulação e Retificação MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO Portal dos Convênios SICONV Eventos Anulação e Retificação

Leia mais

INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0202/2013.

INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0202/2013. INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0202/2013. CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE PAGAMENTO A FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS E DE SERVIDORES, QUE ENTRE SI CELEBRAM O E O BANCO DO BRASIL S.A., SOB N. 203698765.

Leia mais

Programa de Educação Tutorial - PET MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE O CUSTEIO PET

Programa de Educação Tutorial - PET MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE O CUSTEIO PET MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE O CUSTEIO PET LEGISLAÇÃO Lei nº11.180/2005 O professor tutor, de acordo com o 1º do art. 12 da Lei n o 11.180/2005, receberá semestralmente um montante de recursos equivalente

Leia mais

Portal dos Convênios UM NOVO MODELO PARA GESTÃO DAS TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO. Setembro, 2008

Portal dos Convênios UM NOVO MODELO PARA GESTÃO DAS TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO. Setembro, 2008 Portal dos Convênios UM NOVO MODELO PARA GESTÃO DAS TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO Setembro, 2008 Acórdãos TCU 788 e 2066/2006 Determinar ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão que apresente

Leia mais

Portal dos Convênios - Siconv. Execução - Licitação, Contrato, Documento de Liquidação e Pagamento

Portal dos Convênios - Siconv. Execução - Licitação, Contrato, Documento de Liquidação e Pagamento MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - Siconv Execução - Licitação, Contrato,

Leia mais

NACIONAL E CERTIFICAÇÃO DIGITAL. Adriano dos Santos

NACIONAL E CERTIFICAÇÃO DIGITAL. Adriano dos Santos ACESSO AO SISTEMA DO SIMPLES NACIONAL E CERTIFICAÇÃO DIGITAL Palestrante: Adriano dos Santos O sistema do Simples Nacional para os entes federativos é um conjunto de informações destinadas a demonstrar

Leia mais

Site Tricard A ferramenta de gestão do Cartão Tricard

Site Tricard A ferramenta de gestão do Cartão Tricard Site Tricard A ferramenta de gestão do Cartão Tricard 04 Acessando o Site Tricard Posição de Propostas Acões para sua Loja 09 13 30 Manuais de Treinamento 02 Introdução No Site Transacional Tricard, você

Leia mais

Cadastramento de Computadores. Manual do Usuário

Cadastramento de Computadores. Manual do Usuário Cadastramento de Computadores Manual do Usuário Agosto 2006 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 1.1 Conhecendo a solução...03 Segurança pela identificação da máquina...03 2. ADERINDO À SOLUÇÃO e CADASTRANDO COMPUTADORES

Leia mais

Prof. Alexandre Teshima. Prof. Alexandre Teshima. Prof. Alexandre Teshima. Prof. Alexandre Teshima

Prof. Alexandre Teshima. Prof. Alexandre Teshima. Prof. Alexandre Teshima. Prof. Alexandre Teshima CONCEITO: O SIAFI (Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal) é um sistema informatizado que processa e controla, por meio de terminais instalados em todo o território nacional,

Leia mais

Portal dos Convênios - SICONV. Prestação de Contas - Convenente. Manual do Usuário. Versão 2-26/11/2010

Portal dos Convênios - SICONV. Prestação de Contas - Convenente. Manual do Usuário. Versão 2-26/11/2010 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - SICONV Prestação de Contas - Convenente

Leia mais

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Tutorial O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Este tutorial explica como configurar o Trade Solution e realizar as principais atividades relacionadas à emissão e ao gerenciamento das Notas Fiscais Eletrônicas

Leia mais

Portal dos Convênios - Siconv. Disponibilização de Programas. Manual do Usuário Versão 2

Portal dos Convênios - Siconv. Disponibilização de Programas. Manual do Usuário Versão 2 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - Siconv Disponibilização de Programas

Leia mais

VIAÇÃO SÃO BENTO LTDA.

VIAÇÃO SÃO BENTO LTDA. VIAÇÃO SÃO BENTO LTDA. SISTEMA AUTOMÁTICO DE BILHETAGEM ELETRÔNICA MANUAL DO VTWEB CLIENT CADASTROS /PEDIDOS E PROCEDIMENTOS Resumo Esse manual tem como o seu objetivo principal a orientação de uso do

Leia mais

1.8. Cartões emitidos para pagamento de benefícios ou repasse de programas sociais devem ser considerados?

1.8. Cartões emitidos para pagamento de benefícios ou repasse de programas sociais devem ser considerados? PAGAMENTOS DE VAREJO E CANAIS DE ATENDIMENTO Perguntas freqüentes 1. Arquivo ESTATCRT.TXT Informações relativas aos cartões com função saque e e-money 1.1. Devo informar os saques efetuados sobre linhas

Leia mais

CONTRATO DE EMISSÃO E UTILIZAÇÃO DO CARTÃO OUROCARD PRÉ-PAGO RECARREGÁVEL VISA DO BANCO DO BRASIL S.A - CORRENTISTAS PESSOAS FÍSICAS

CONTRATO DE EMISSÃO E UTILIZAÇÃO DO CARTÃO OUROCARD PRÉ-PAGO RECARREGÁVEL VISA DO BANCO DO BRASIL S.A - CORRENTISTAS PESSOAS FÍSICAS CONTRATO DE EMISSÃO E UTILIZAÇÃO DO CARTÃO OUROCARD PRÉ-PAGO RECARREGÁVEL VISA DO BANCO DO BRASIL S.A - CORRENTISTAS PESSOAS FÍSICAS Pelo presente contrato, o BANCO DO BRASIL S.A., com sede em Brasília

Leia mais

Solicitando o Cartão BNDES

Solicitando o Cartão BNDES Solicitando o Cartão BNDES Atualizado em 13/09/2013 Pág.: 1/15 Introdução Este manual destina-se a orientar as micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) na solicitação do Cartão BNDES no Portal de Operações

Leia mais

Executor. Perfil Convenente/Concedente/Executor

Executor. Perfil Convenente/Concedente/Executor MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO Portal dos Convênios SICONV Executor Perfil Convenente/Concedente/Executor

Leia mais

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal Setembro, 2005 Sumário Introdução Cartão de Pagamento do Governo Federal CPGF Passo a Passo Perguntas e Respostas

Leia mais

PATRONAGE - ADMINISTRAÇÃO DE BOLSAS E AUXÍLIOS FAPEMA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E AO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO DO MARANHÃO Rua

PATRONAGE - ADMINISTRAÇÃO DE BOLSAS E AUXÍLIOS FAPEMA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E AO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO DO MARANHÃO Rua 1 Sumário INTRODUÇÃO... 3 1 COMO ACESSAR O PATRONAGE... 4 2 INFORMAÇÕES SOBRE O PROJETO... 5 3 PRESTAÇÃO DE CONTAS... 8 3.1 Execução do projeto... 8 3.2 Autorização de recursos (remanejamento de recurso,

Leia mais

GUIA DE USO SERVIÇOS PARA IMOBILIÁRIAS

GUIA DE USO SERVIÇOS PARA IMOBILIÁRIAS GUIA DE USO SERVIÇOS PARA IMOBILIÁRIAS Diretoria Comercial Corporativa Página 2 de 14 Sumário 1 Introdução... 4 2 Acessando os serviços para Imobiliárias... 5 3 Gerenciando clientes... 8 4 Serviços...

Leia mais

Portal dos Convênios - SICONV. Prestação de Contas - Convenente. Manual do Usuário. Versão 1-12/07/2010

Portal dos Convênios - SICONV. Prestação de Contas - Convenente. Manual do Usuário. Versão 1-12/07/2010 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - SICONV Prestação de Contas - Convenente

Leia mais

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE SUPORTE À GESTÃO DO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO Portal dos Convênios

Leia mais

Manual Instrutivo Saque para Cartão Emitido / Complementar

Manual Instrutivo Saque para Cartão Emitido / Complementar Título da apresentação Manual Instrutivo Saque para Cartão Emitido / Complementar Solicitação de serviços Cartão emitido Solicitação de Serviços Cartão Emitido O sistema deve ser acessado pelo site do

Leia mais

Cadastro de entes públicos

Cadastro de entes públicos Cadastro de entes públicos Primeiro passo É necessário que ente público (com ou sem certificação digital) se cadastre na Secretaria de Órgãos Julgadores (SOJ). Podem solicitar o cadastramento no sistema

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA FAZENDA. Nota Fiscal Paulista. Manual da Entidade Social

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA FAZENDA. Nota Fiscal Paulista. Manual da Entidade Social GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA FAZENDA Nota Fiscal Paulista Manual da Entidade Social V.2 28.07.2009 Índice Analítico 1. Considerações Gerais 3 1.1 Definição 3 1.2

Leia mais

OBTV Ordem Bancária de Transferência Voluntária

OBTV Ordem Bancária de Transferência Voluntária Portal dos Convênios SICONV Sistema de Gestão de Convênios, Contratos de Repasse e Termos de Parceria OBTV Ordem Bancária de Transferência Voluntária Ricardo Uzel Karlen Oliveira Brasília, Junho 2012 Departamento

Leia mais

Incluir Usuário/Definir Perfil, Elaborar e Enviar Proposta/Plano de Trabalho para análise do Concedente

Incluir Usuário/Definir Perfil, Elaborar e Enviar Proposta/Plano de Trabalho para análise do Concedente MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO DEPARTAMENTO DE SUPORTE À GESTÃO DO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO Portal dos Convênios SICONV Incluir Usuário/Definir Perfil, Elaborar e Enviar

Leia mais

Portal dos Convênios - Siconv. Execução - Licitação, Contrato, Documento de Liquidação, Pagamento, Ingresso de Recursos e Relatórios

Portal dos Convênios - Siconv. Execução - Licitação, Contrato, Documento de Liquidação, Pagamento, Ingresso de Recursos e Relatórios MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - Siconv Execução - Licitação, Contrato,

Leia mais

Portal dos Convênios - Siconv. Credenciamento do Proponente. Manual do Usuário

Portal dos Convênios - Siconv. Credenciamento do Proponente. Manual do Usuário MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - Siconv Credenciamento do Proponente Manual

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE TRIBUTAÇÃO M A N U A L D A NOTA FISCAL AVULSA ÍNDICE 1. Acesso ao Portal do Sistema...6 2. Requerimento de Acesso para os novos usuários...6 2.1 Tipo

Leia mais

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Tutorial O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Este tutorial explica como configurar o Trade Solution e realizar as principais atividades relacionadas à emissão e ao gerenciamento das Notas Fiscais Eletrônicas

Leia mais