PDInfra. plano Diretor de Infraestruturas do PDINFRA. desenvolvimento da política de imóveis

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PDInfra. plano Diretor de Infraestruturas do PDINFRA. desenvolvimento da política de imóveis"

Transcrição

1 PDInfra plano Diretor de Infraestruturas do c a m p u s d i a d e m a PDINFRA desenvolvimento da política de imóveis

2 Plano Diretor de Infraestrutura Objetivo O PDInfra tem como objetivo o planejamento físico do campus visando garantir o funcionamento e desenvolvimento das atividades da instituição a partir da adequação das infraestruturas e ocupação racional dos espaços nos horizontes temporais de curto, médio e a longo prazo. O planejamento está fundamentado no planejamento acadêmico-pedagógico, a partir da determinação do tempo (carga-horária), espaço (quantidade de tipologia dos espaços didáticos) quantidade (nº de matriculas e nº de docentes). revisão plano De trabalho PRODUTO 1 PRODUTO 2 relatorio 1 levantamento relatorio 2 DiaGnÓstiCo fase De relatórios e estudos PRODUTO 3 PRODUTO 4 PRODUTO 5 PRODUTO 6 PRODUTO 7 PRODUTO 8 estudo 1 VisÃo De futuro e CenÁrios estratégicos fase De planos temáticos plano 1 POLÍTICA DE IMÓVEIS plano 2 DesenHo urbanístico E ARQUITETÔNICO plano 3 CaMpus sustentável plano 4 CaMpus acessível plano De investimentos CronoGraMa físico-financeiro plano Diretor infraestrutura - DoCuMento final

3 Cenário Curto Prazo INFORMAÇÕES PEDAGÓGICAS REVISÃO E AJUSTES DE PARÂMETROS METODOLOGIA DE DIMENSIONAMENTO DO PROGRAMA PROGRAMA DE USOS VERSÃO PRELIMINAR PROGRAMA DE USOS E DIMENSIONAMENTO FASEAMENTO A B C AJUSTES DE DETALHAMENTO DO PROGRAMA IMPLANTAÇÃO E ESTUDO PRELIMINAR VISÃO E DESEJOS

4 Cenário Médio e Longo Prazo INFORMAÇÕES PEDAGÓGICAS A B C METODOLOGIA DE DIMENSIONAMENTO DO PROGRAMA PROGRAMA DE USOS E DIMENSIONAMENTO CENÁRIOS VISÃO E DESEJOS

5 1. METODOLOGIA

6 I. Metodologia i. Determinação do número de postos [Espaços que possuem rotatividade] ENSINO ALIMENTAÇÃO BIBLIOTECA ii. Determinação do número de usuários com análise dos Templates [Espaços de alta complexidade que necessitam de estudo caso a caso] LABS DE PESQUISA iii. Determinação do número de usuários [Espaços com uso permanente] DEPARTAMENTOS ADMINISTRAÇÃO SOCIAL - CONVÍVIO

7 I. Metodologia DIMENSIONAMENTO DO PROGRAMA i. número de postos ii. número de usuários X i = m 2 iii. número de usuários Índice Área Líquida

8 I. Metodologia ETAPAS DIMENSIONAMENTO DO PROGRAMA ETAPA 1 ETAPA 2 + = Espaços Únicos ÁREA LÍQUIDA ÁREA BRUTA Conjunto de Espaços Funcionais + Estrutura Áreas destinadas a uma OCUPAÇÃO ou USO ESPECÍFICO, não contabilizando áreas destinadas a ELEMENTTOS CONSTRUTIVOS e CIRCULAÇÃO Identificar os ESPAÇOS COMPLEMENTARES a cada USO E ATIVIDADE + Área destinada a ELEMENTOS CONSTRUTIVOS do EDIFÍCIO e CIRCULAÇÃO = = M² 25% EDIFÍCIO

9 2. DIMENSIONAMENTO DO PROGRAMA

10 i. Determinação do número de postos ENSINO GRADUAÇÃO + PÓS GRADUAÇÃO ALIMENTAÇÃO BIBLIOTECA Espaços que possuem rotatividade > Mais de um usuário utiliza o posto EXEMPLO: DEMANDA FREQUÊNCIA OCUPAÇÃO 50% A sala será ocupada 1/2 do tempo disponível 80% dos postos estarão ocupados POSTOS NECESSÁRIOS* *necessário validar os cálculos analisando os picos de utilização dos espaços

11 Cálculo das Salas de Aula para Graduação ÍNDICE DE UTILIZAÇÃO HORAS LETIVAS SEMANAIS SEMANAS LETIVAS NO ANO CARGA HORÁRIA TEÓRICA ANUAL / (38 X 64) / 0,40 { Disciplinas obrigatórias / (38 X 64) POSTOS MÍNIMOS / 0,40 FREQUÊNCIA E OCUPAÇÃO { Disciplinas eletivas POSTOS SALAS DE AULA GRADUAÇÃO Índice calculado para atender os horários atuais de pico do Campus

12 Cálculo das Salas de Aula para Graduação X 1,50 POSTOS APLICAÇÃO ÍNDICE POR POSTO M² Considera: Espaço para carteiras, lousa, {mesa do professor ÁREA LÍQUIDA DE: 2.833,50 M 2 SALAS DE AULA GRADUAÇÃO A área não considera os espaços destinados a elementos estruturais, espaços de circulação e ambientes de apoio ao funcionamento. Estes espaços são dimensionados caso a caso pela consultora.

13 Cálculo das Salas de Aula para Graduação IDOM 2.833,50 M 2 SALAS DE AULA ADOTADO: POSTOS DE SALA DE AULA UNIFESP 3.600,00 M 2 SALAS DE AULA POSTOS DE SALA DE AULA DIFERENÇA 766,50 M 2 EM SALAS DE AULA

14 Cálculo das Salas de Aula para Pós-Graduação 1 SALA AULA ( 25 X 6 ) X 1,50 POSTOS PROGRAMAS PÓS PROGRAMAS PÓS-GRADUAÇÃO APLICAÇÃO ÍNDICE POR POSTO M² Considera: Espaço para carteiras, lousa, {mesa do professor ÁREA LÍQUIDA DE: 225,00 M 2 SALAS DE AULA PÓS-GRADUAÇÃO A área não considera os espaços destinados a elementos estruturais, espaços de circulação e ambientes de apoio ao funcionamento. Estes espaços são dimensionados caso a caso pela consultora.

15 Base de Dados- Laboratórios Didáticos NATEP NÚMERO DE 26 LABORATÓRIOS ORGANIZADOS EM 10 TIPOS 1. Laboratórios Químicos 1.1 Análise Instrumental 1.2 Química Geral 1.3 Química Ambiental 1.4 Química Orgânica 2. Laboratórios Biológicos, Geológicos e Físicos 2.1 Microbiologia e Biologia Experiemental 2.2 Miscroscopia 2.3 Física 3. Laboratório de Farmácia e Engenharia 3.1 Alimentos 3.2 Farmacêutico 3.3 Engenharia + ESPAÇOS FÍSICOS DE SUPORTE + + TEMPLATES DESCRIÇÃO LABORATÓRIOS RECEBIDOS 49 TEMPLATES Laboratório de Ciências Laboratórios de Infomática Lab. Prática de Ensino Específicos/Especiais + ESPAÇOS MULTIUSUÁRIOS CÂMARA GRADUAÇÃO DESCRIÇÃO LABORATÓRIOS 4 Laboratórios Multi-usuários para 60 Alunos 1 Laboratório Informática 100 Alunos 3 Laboratórios Ensino LIFE 1 Laboratório Cartografia

16 Tipologias Laboratórios Didáticos LABORATÓRIOS DIDÁTICOS DE GRADUAÇÃO Análise Instrumental Química Geral Química Ambiental Química Orgânica Microbiologia e Biologia Experimental Microscopia Física Tecnologia Farmacêutica Laboratório de Alimentos LABORATÓRIOS DIDÁTICOS ESPECÍFICOS Geociências Antropologia Cartografia LABORATÓRIOS DIDÁTICOS DE PRÁTICA ENSINO LIFE ESPEMAT LABPEAS LAPEQUI LBPPD Lab. de Pesq.em Educação Matemática Lab. de Pesq.em História e Filosofia das Ciências. LABORATÓRIOS DIDÁTICOS DE INFORMÁTICA LABORATÓRIOS DIDÁTICOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Química Biologia

17 Cálculo dos Laboratórios Didáticos de Graduação 1440 x 3,50 POSTOS ÍNDICE ESPACIAL M²/POSTOS {Considera: Espaço destinado a estação de trabalho prático + Equipamentos ÁREA LÍQUIDA DE: 5.040,00M 2 LABORATÓRIOS DE GRADUAÇÃO A área não considera os espaços destinados a elementos estruturais, espaços de circulação e ambientes de apoio ao funcionamento. Estes espaços são dimensionados caso a caso pela consultora.

18 Cálculo dos Laboratórios Didáticos de Informática ( ) POSTOS GRADUAÇÃO POSTOS PÓS-GRADUAÇÃO APLICAÇÃO ÍNDICE POR POSTO X 2,10 M² Considera: Estações de Trabalho e Área {Expositiva ÁREA LÍQUIDA DE: 357,00 M 2 LABORATÓRIOS INFORMÁTICA A área não considera os espaços destinados a elementos estruturais, espaços de circulação e ambientes de apoio ao funcionamento. Estes espaços são dimensionados caso a caso pela consultora.

19 Cálculo dos Laboratórios Didáticos de Práticas de Ensino 260 POSTOS APLICAÇÃO ÍNDICE POR POSTO X 3,50 M² Considera: Estações de Trabalho, Área Expositiva, Espaços Debate {e Arquivos. ÁREA LÍQUIDA DE: 910,00 M 2 LAB. PRÁTICAS DE ENSINO A área contempla somente os espaços internos dos seguintes laboratórios: 01) LIFE 05) LBPPD 02) ESPEMAT 06) Lab. de Pesquisa em Educação Matemática 03)LABPEAS 07) Lab. de Pesquisa em História e Filosofia das Ciências. 04)LAPEQUI

20 Cálculo dos Laboratórios Didáticos Específicos 150 POSTOS APLICAÇÃO ÍNDICE POR POSTO X 3,50 M² Considera: Estações de Trabalho, Área Expositiva, Espaços Debate {e Arquivos. ÁREA LÍQUIDA DE: 525,00 M 2 LABORATÓRIOS ESPECÍFICOS A área contempla somente os espaços internos dos seguintes laboratórios: 01) Lab. Geociências. 02) Antropologia 03) Cartografia

21 Cálculo dos Laboratórios Didáticos de Pós-Graduação 60 POSTOS APLICAÇÃO ÍNDICE POR POSTO X 3,50 M² Considera: Estações de Trabalho, Área Expositiva, Espaços Debate {e Arquivos. ÁREA LÍQUIDA DE: 210,00 M 2 LAB. DIDÁTICO DE PÓS-GRADUAÇÃO A área contempla somente os espaços internos dos seguintes laboratórios: 2 Laboratórios: Química e Biologia

22 Programa: Ensino Temática Uso Programa ENSINO GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO Salas de Aula Graduação Salas de Aula Pós-Graduação Laboratórios Didáticos Laboratórios de Informática Laboratórios Específicos / Especiais Laboratórios Prática de Ensino Espaços Físicos de Suporte Espaços Mutualizáveis Área Estimada (m²) Salas de Aula (1889 postos) Docentes Salas de Aula Pós-Graduação (25 Alunos) Sala de Estudo Pós-Graduandos (para até 50 alunos) Laboratórios Químicos Laboratórios Biológicos, Geológicos e Físicos Laboratórios Farmácia e Engenharia Laboratório Didático Química (pós-graduação) Laboratóro Didático de Biologia (pós-graduação) Laboratórios de Informática Graduação (120 postos - diferentes configurações) Laboratórios de Informática Pós-Graduação (50 pessoas) Laboratório Didático de Geociências Antropologia Laboratório de Cartografia EspEMat - Espaço de Experiências Matemáticas LABPEAS - Laboratório de Pesquisa em Educação Ambiental e Sustentabilidade LAPEQUI - Pesquisa em Ensino de Química Lbppd - Lab. Temático de Estudos e Pesquisa sobre Profissão e Profissionalidade Docente Pesquisa em Educação Matemática Pesquisa em História e Filosofia das Ciências ou Ensino de Ciências e Matemática LIFE - Laboratório Interdisciplinar de Formação de Docente PIBID Sala Cultura Didática - Zoologia Sala Cultivo Didático - Botânica 20 Laminário 30 1 Sala de Lavagem, autoclave, estufa e secagem Sala Coleção Seca para Seres Vivos para Fins Didáticos 20 1 Sala Estoque Consumíveis (Materiais Descartáveis e Vidrarias) Sala Equipamentos de Aquecimento 75 5 Sala Manutenção Equipamentos 40 1 Sala Estoque Equipamentos Sala Microorganismos (micoteca e bacterioteca) 20 1 Sala Técnica de Apoio Laboratórios Sala Coleção Seca para Seres Vivos para Fins Didáticos Almoxarifado de Reagentes Área Unitária (m²) Sala Preparação 40 5 Áreas temporárias de armazenamento de resíduos de serviços de saúde nas edificações 5.00 Almoxarifado Geral Auditório (200 pessoas) Anfiteatros (50 pessoas) Auditório (200 pessoas) pós-graduação Guarda-volumes 75 Copa 201 Quant. (unid) P

23 ENSINO Sala Preparação Área Área 40 5 Temática Uso Áreas temporárias de armazenamento de resíduos de serviços Programa de saúde nas edificações Estimada Unitária 5.00 Quant. Almoxarifado Geral (m²) (m²) (unid) Docentes Salas de Aula Salas Auditório de Aula (200(1889 pessoas) postos) Graduação salas de aula Espaços Mutualizáveis Anfiteatros (50 pessoas) Salas de Aula Salas Auditório de Aula (200 Pós-Graduação pessoas) pós-graduação (25 Alunos) Pós-Graduação Sala de Estudo Pós-Graduandos (para até 50 alunos) 326 graduação Guarda-volumes Laboratórios Copa Químicos 201 Laboratórios Biológicos, Geológicos e Físicos Laboratórios Sala Técnica Espaços Laboratórios Farmácia e Engenharia Didáticos Auxiliares Almoxarifado Laboratório DML Didático Química (pós-graduação) Laboratóro Didático de Biologia (pós-graduação) M 2 1 Laboratórios Sanitários de Informática Graduação (120 postos - diferentes configurações) Laboratórios de Informática Laboratórios de Informática Pós-Graduação (50 pessoas) salas de aula 1 Laboratório Didático de Geociências Área Parcial Estimada Laboratórios Antropologia Específicos / Especiais Circulação e paredes 25% pós-graduação Laboratório de Cartografia Área Total Estimada EspEMat - Espaço de Experiências Matemáticas LABPEAS - Laboratório de Pesquisa em Educação Ambiental e Sustentabilidade + LAPEQUI - Pesquisa em Ensino de Química Lbppd - Lab. Temático de Estudos e Pesquisa sobre Profissão e M 2 Laboratórios Prática de Ensino Profissionalidade Docente 910 Pesquisa em Educação Matemática Pesquisa em História e Filosofia das Ciências ou Ensino de Ciências e Matemática laboratórios LIFE - Laboratório Interdisciplinar de Formação de Docente PIBID didáticos Sala Cultura Didática - Zoologia 20 1 Sala Cultivo Didático - Botânica 20 + Laminário 30 1 Sala de Lavagem, autoclave, estufa e secagem Sala Coleção Seca para Seres Vivos para Fins Didáticos 3.034, M Sala Estoque Consumíveis (Materiais Descartáveis e Vidrarias) Sala Equipamentos de Aquecimento outras 75 áreas 5 Sala Manutenção Equipamentos 40 1 Espaços Físicos de Sala Estoque Equipamentos Suporte = Sala Microorganismos (micoteca e bacterioteca) 20 1 Sala Técnica de Apoio Laboratórios ÁREA 300 BRUTA 20 Sala Coleção Seca para Seres Vivos para Fins Didáticos Almoxarifado de Reagentes ,69 M² Sala Preparação 40 5 Áreas temporárias de armazenamento de resíduos de serviços de saúde nas edificações 5.00 Almoxarifado Geral Auditório (200 pessoas) TOTAL 400 INCLUI % PAREDES 1 E Espaços Mutualizáveis Anfiteatros (50 pessoas) M² Auditório (200 pessoas) pós-graduação 400 CIRCULAÇÕES Guarda-volumes 75 Copa 201 ENSINO GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO Espaços Físicos de Suporte Programa: Ensino Sala Equipamentos de Aquecimento 75 5 Sala Manutenção Equipamentos 40 1 Sala Estoque Equipamentos Sala Microorganismos (micoteca e bacterioteca) 20 1 Sala Técnica de Apoio Laboratórios Sala Coleção Seca para Seres Vivos para Fins Didáticos Almoxarifado de Reagentes ,00 M 2 P

24 Cálculo dos Espaços de Alimentação TAE DOCENTES DISCENTES GRADUAÇÃO DISCENTES PÓS ÍNDICE DE UTILIZAÇÃO APLICAÇÃO ÍNDICE POR POSTO X 2/3 X 0,2 POPULAÇÃO M² Considera: Área p/ Mesas {Refeição ÁREA LÍQUIDA DE: 748 M² REFEITÓRIO A cozinha, administração e outros espaços são dimensionados à parte.

25 Programa: Alimentação ALIMENTAÇÃO Refeitório Recepção/ Caixa Área Buffet 10 Área Mesas M 2 Docentes Área Recepção Mercadorias Armazenagem Câmera Fria Armazenagem despensa seca refeitório Cozinha Área de Preparo Massas e Cereais Área de Preparo Legumes e Verdura Área de Preparo Carnes Confeitaria, Sobremesas Cocção Área Higienização Utensílios Área Higienização Bandejas Depósito Lixo Sala Chef / Nutricionista 5 1 Administração Sala Gerência M 2 1 Secretaria 5 1 DML outras 5 áreas 1 TAEs 3742 Espaços Auxiliares Sanitários e Vestiários Funcionários Sanitários para o Público 0 Doca Carga/Descarga 75 = ÁREA BRUTA 1.788,41 M² TOTAL INCLUI 25% PAREDES E CIRCULAÇÕES

26 Cálculo da Biblioteca ALUNOS GRADUAÇÃO FTE ACERVO PRINCIPAL [VOLUMES] ALUNOS PÓS-GRAD. FTE X ÍNDICE DE UTILIZAÇÃO (1.290 X 0,2) TEMPO 1.052,00 X APLICAÇÃO ÍNDICE 0,006 M² + 0,5 M² ÁREA LÍQUIDA DE: { { Considera: Espaço destinado a Exposição Acervo M² ESPAÇOS DE ESTUDO + ACERVO PRINCIPAL Considera: Espaço destinado a estações de estudo individuais e em grupo Os demais acervos, áreas administrativas, espaços de convivência e de apoio ao funcionamento são dimensionados à parte.

27 Programa: Biblioteca Temática Uso Programa BIBLIOTECA Acesso / Convivência Espaços Multiusuários Administração Espaços Auxiliares Área Estimada Área Estimada Hall / Recepção (m²) (m²) 50 1 Guarda Volumes 30 1 Salão Exposição / Galeria Área Terminais de Autoatendimento Balcão Atendimento Setor de Consulta Digital 63 1 Espaço de Inclusão / Acessibilidade espaços 30 de 1 Setor Estudo em Grupo Setor Estudo Individual Acervo Principal ( volumes) Acervo Pós-Graduação Acervo Multimídia Acervo Especial Acervo Livros Raros (1000 volumes) Acervo Periódicos / Diário (2.000 volumes) 12 1 Acervo Braile (1.000 volumes) 6 1 Acervo Inativo (Depósito) Mapoteca (Mapas e Plantas) 50 1 Videoteca (1000 volumes) outras 6 áreas1 Salas Projeção de Vídeo Direção Biblioteca 5 1 Sala de Reunião 16 1 Administração 62 1 Setor de Catalogação Setor de Restauro Sala de de Treinamento Almoxarifado 25 1 Reserva Técnica Biblioteca Sanitários Usuários 6 Sanitários TAES 3 51 Salas Técnicas 15 Copa Funcionários 17 DML 10 Área Parcial Estimada Quant. (unid) 1.052,00 M 2 estudo + acervo ,81 M 2 = ÁREA BRUTA 3.582,27 M² TOTAL INCLUI 25% PAREDES E CIRCULAÇÕES Docentes

28 ii. Determinação do número de usuários com análise dos Templates DOCENTES POR U.O.C. Ciências Biológicas 37 Departamento de Ciências Farmacêuticas 36 Setor de Educação em Ciências (SEC) 50 Departamento de Engenharia Química 32 Departamento de Física e Matemática 19 Departamento de Ciências Ambientais 26 Departamento de Química = VAGAS DEMANDADAS TOTAL

29 Cálculo dos Laboratórios de Pesquisa NÚMERO TOTAL DOCENTES UNIDADES ORGÂNICAS DOCENTES PÓS GRADUAÇÃO MÉDIA 07 DISCENTES POR PROFESSOR DISCENTES GRADUAÇÃO 20 horas semanais 3 turnos de utilização do laboratório % de professores credenciados para pesquisa APLICAÇÃO ÍNDICE POR POSTO 295 +( ) X 0,8 X 7 M² Considera: Espaço destinado a estação de trabalho {prático + Equipamentos Considerando 10 alunos por professor: 03 da graduação e 07 da pós-graduação. Tempo do aluno da graduação 20 horas semanais, foi considerado 3 turnos de funcionamento do laboratório. ÁREA LÍQUIDA DE: M² LABORATÓRIOS DE PESQUISA

30 Programa: Pesquisa Temática Uso Programa PESQUISA Laboratórios Multiusuários Espaços Auxiliares Área Estimada (m²) Área Unitária (m²) Ciências Biológicas Ciências Farmacêuticas Setor de Educação em Ciências Engenharia Química Física e Matemática Ciências Ambientais Química Sala Técnica Laboratórios Laboratório de Trabalhos de Campo 100 Biotério e Almoxarifado 85 1 Casa de Vegetação Câmaras frias e salapara freezeres -80ºC 35 Microscopia Confocal 15 Sala de Manutenção de Vertebrados e Invertebrados Plataforma Genômica Microrray Depósito Resíduos Químicos e Biológicos (armazenamento temporário) 120 Áreas temporárias armazenamento resíduos de serviços de saúde 5 nas edificações 3 Reagentário / Almoxarifado de Reagentes CIPE - Laboratório de Manufatura Mecânica (oficina lab. de Metalurgia Mecânica) CIPE Cromatografia líquida 40 CIPE - Cromatografia Líquida e Gasosa Acoplados a Espectrômetros de Massa 60 CIPE - Espectrômetro FTIR 20 CIPE - Microscopia Raman 25 CIPE -Espectropolarímetro 20 CIPE - Espectrofotômetro UV-Vis 20 CIPE - Espectrômetro RPE (Ressonância Paramagnética eletrônica, ou EPR) 40 CIPE - Espectrômetros de RMN 100 CIPE - Absorção Atômica 40 CIPE - Análise Elementar, Analisador Termogravimétrico 40 CIPE - Difração de Raio X 60 CIPE - Microscópio eletrônico de Varredura e demais microsópios 125 CIPE - Plataforma roteômica 100 CIPE - Especiação Química 100 CIPE - Sala de Solventes 8 CIPE - Sala de Amostras 6 CIPE - Sala de Preparo de Amostras e Lavagem 16 CIPE - Oficina de Vidro 40 Guarda - Volumes Copa 59 DML Sanitários 199 Quant. (unid) Docentes

31 CIPE - Absorção Atômica 40 CIPE - Análise Elementar, Analisador Termogravimétrico 40 CIPE - Difração de Raio X 60 CIPE - Microscópio eletrônico de Varredura e demais microsópios 125 CIPE - Plataforma roteômica 100 CIPE - Especiação Química 100 CIPE - Sala de Solventes 8 Temática Uso CIPE - Sala de Amostras Área Área 6 Quant. CIPE - Sala de Preparo de Amostras e Lavagem Programa Estimada Unitária 16 (unid) CIPE - Oficina de Vidro (m²) (m²) 40 Docentes Ciências Guarda - Biológicas Volumes Ciências Copa Farmacêuticas Setor DML de Educação em Ciências Espaços Auxiliares Engenharia Química Laboratórios Física Sanitários e Matemática M 2 Ciências Ambientais Química Sala Técnica 15 Sala Técnica Laboratórios laboratórios de Área Parcial Estimada Laboratório de Trabalhos de Campo 100 Biotério e Almoxarifado Circulação e paredes 25% pesquisa Casa de Vegetação Câmaras frias e salapara freezeres -80ºC 35 Microscopia Confocal 15 Sala de Manutenção de Vertebrados e Invertebrados Plataforma Genômica Microrray Depósito Resíduos Químicos e Biológicos (armazenamento temporário) 120 Áreas temporárias armazenamento resíduos de serviços de saúde 5 nas edificações 3 Reagentário / Almoxarifado de Reagentes 2.773, M 2 1 CIPE - Laboratório de Manufatura Mecânica (oficina lab. de Metalurgia Mecânica) CIPE Cromatografia líquida outras 40 áreas CIPE - Cromatografia Líquida e Gasosa Acoplados a Espectrômetros de Massa 60 Multiusuários CIPE - Espectrômetro FTIR 20 CIPE - Microscopia Raman 25 CIPE -Espectropolarímetro 20 CIPE - Espectrofotômetro UV-Vis 20 CIPE - Espectrômetro RPE (Ressonância Paramagnética eletrônica, ou EPR) 40= CIPE - Espectrômetros de RMN 100 CIPE - Absorção Atômica 40 CIPE - Análise Elementar, Analisador Termogravimétrico 40 CIPE - Difração de Raio X 60 CIPE - Microscópio eletrônico de Varredura e demais microsópios 125 CIPE - Plataforma roteômica ÁREA 100BRUTA CIPE - Especiação Química 100 CIPE - Sala de Solventes ,66 8 CIPE - Sala de Amostras 6 CIPE - Sala de Preparo de Amostras e Lavagem 16 M² CIPE - Oficina de Vidro 40 Guarda - Volumes TOTAL INCLUI 25% PAREDES E Copa 59 DML CIRCULAÇÕES 10 2 Espaços Auxiliares Sanitários 199 Programa: Pesquisa PESQUISA

32 iii. Determinação do número de usuários DEPARTAMENTOS ADMINISTRAÇÃO SOCIAL - CONVÍVIO Espaços de permanência > apenas um usuário utiliza o posto número de usuários X i = m 2 Índice Área Líquida *DADOS DE NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS, DOCENTES E DISCENTES FORAM FORNECIDOS PELA UNIFESP

33 ALIMENTAÇÃO Cálculo dos Espaços de Departamento E N T O D E P A R T A M I S A SOCIAL / CONVÍVIO P E S Q U ÍNDICE DE UTILIZAÇÃO APLICAÇÃO ÍNDICE POR POSTO 295 X 1 X 7,5 DOCENTES TEMPO M² Professores de Período Integral ÁREA LÍQUIDA DE: Considera: Espaços Destinados a Estação de Trabalho {Armários Ao associar o espaço de 2 docentes (15m²), há espaço para mesa reunião (4 pessoas) ,50 M² SALAS PROFESSORES E N S I N O Docente divide seu tempo em diferentes espaços

34 ALIMENTAÇÃO Cálculo dos Espaços de Departamento E N T O D E P A R T A M SOCIAL / CONVÍVIO ÍNDICE DE UTILIZAÇÃO DOCENTES TEMPO M² APLICAÇÃO ÍNDICE POR POSTO 24 X 1 X 8,50 Considera: Espaços Destinados a Mesa de trabalho {Armários e Arquivos ÁREA LÍQUIDA DE: 204,00 M² SECRETARIA ACADÊMICA Índice TAE > Índice Sala dos Professores TAE passa MAIS TEMPO no seu posto de trabalho

35 Programa: Cursos, Departamento e Secretarias Área Área Quant. Temática Uso Programa Estimada Estimada (unid) (m²) (m²) Docentes Secretaria da Diretoria Secretárias Diretoria Acadêmica Acadêmica Diretor 9 salas 9 dos 1 Assuntos Educacionais 36 1 Secretaria de Registro Acadêmico professores Graduação Secretaria de Graduação 16 1 Setor de Estágios 26 1 Secretaria de Pos-Graduação Salas de Reunião (20 pessoas) Sala para Professores Visitantes (20 usuários) Câmara de Sala Coordenador do Programa de Pós-Graduação (1 para cada programa) Pós-Graduação Protocolo / Escritório de Apoio Secretaria M 2 1 Arquivo - Depósito de Teses e arquivos de pós CURSOS/DEPARTAMENTOS/SECETARIAS ACADÊMICAS 2.212,50 M 2 secretaria Coordenadores Cursos de Graduação Câmara de Graduação Direção Camara 9 acadêmica Secretária (1 para cada curso) Coord. Ciências Biológicas Coord. Ciências Farmacêutica Coord. Dep. Escola de Educação em Ciências e Matemáticas Secretaria Coord. Engenharia Química Departamentos Coord. Física e Matemática Coord. Ciências Ambientais 972,03M Coord. Dep. Química Secretárias Departamentos outras 59.5 áreas 1 Salas Vídeo / Tele - Conferência 65 2 Hall / Recepção / Espera 33 1 Espaços Mutualizáveis Sala de Arquivo Morto = 2 Sala Reuniões (10 pessoas) Sala Reuniões (20 pessoas) ÁREA 163BRUTA 5 Sala Professores Sala Professores (1 para cada docente) ,66 M² Sanitários Espaços Auxiliares Copa Salas Técnicas 12 DML 10 2 Área Parcial Estimada TOTAL INCLUI 25% PAREDES E CIRCULAÇÕES Circulação e paredes 25% Pe

36 Cálculo dos Espaços de Administração I V O I N A D M SOCIAL / CONVÍVIO I S T R AT ÍNDICE DE UTILIZAÇÃO APLICAÇÃO ÍNDICE POR POSTO 203 X 1 X 5,20 TAEs TEMPO M² Funcionários de Período Integral Considera: Espaços Destinados a Mesa de trabalho {Armários e Arquivos ALIMENTAÇÃO ÁREA LÍQUIDA DE: M² ESCRITÓRIOS ADMINISTRATIVOS Os espaços de suporte aos escritórios administrativos e os espaços mutualizáveis são calculados a parte pela consultora.

37 Programa: Administração Temática Uso Programa ADMINISTRATIVO Diretor Administrativo 5 Diretoria Sala Vice-Diretor 5 Administrativa Secretária 5 Divisão de Área Recursos Humanos 21 Recursos Humanos Arquivos e Documentos 25 Compras 26 Almoxarifado 16 Divisão de Materiais Depósito / Almoxarifado 25 Arquivo de Documentos 25 Divisão de Contratos Patrimônio 10 Divisão Gestão de Contratos índice de 1 26 Divisão de Controladoria TAE para 21 Divisão de Gestão de Material cada 15 5 Divisão de Serviços estudantes 21 Divisão de Divisão de Convênios e Contratos multiplicado x9 5 Infraestrutura Setor de Protocolo e Reprografia do índice: 85 TAEs previstos + 10 Serviços 71 a Serem contratados 5 Protocolo (Descontados os TAEs 20 Engenharia e Arquitetura empregados no 31 Segurança no Trabalho Controle, Segurança do Trabalho Departamento) 10 CIPA CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes 10 CIPA - Depósito 10 SESMET SESMET - Div. do Serviço Especializado em Saúde e Medicina do Trabalho 42 Assistência Psicológica 10 Assitência Social 16 NAE Núcleo de Apoio ao Estudante Área Estimada (m²) Assitência Pedagógica 10 Recepção 10 Enfermagem Arquivo 20 Consulta médica 16 Atendimento Coletivo 75 NATEP NATEP - Núcleo de Apoio Técnico de Ensino e Pesquisa 5 CIPE - Centro de Instr. CIPE - Coordenação 5 Pesquisa e Ensino CIPE - Auxiliar 5 Divisão de TI Divisão TI - estações de Trabalho 62 Divisão TI - Depósito 12 Área Estimada (m²)

38 ADMINISTRA Programa: NAEAdministração Assitência Pedagógica 10 Recepção 10 Núcleo de Apoio Enfermagem 10 ao Estudante 1404 Arquivo Área Área 20 Temática Uso Consulta médica Programa Estimada Estimada 16 Atendimento Coletivo (m²) (m²) 75 NATEP NATEP Diretor - Administrativo Núcleo de Apoio Técnico de Ensino e Pesquisa 5 Diretoria CIPE - Centro de Instr. Sala CIPE Vice-Diretor - Coordenação Administrativa Secretária Divisão de Área Recursos Humanos 1.055M 2 5 Pesquisa e Ensino CIPE - Auxiliar 5 Divisão TI - estações de Trabalho Divisão de TI Recursos Humanos Arquivos Divisão TI e - Documentos Depósito Compras Hall / Recepção/ Espera escritórios Almoxarifado Salas Vídeo / Tele - Conferência Divisão de Materiais administrativos Espaços Mutualizáveis Arquivo Depósito Central / Almoxarifado Arquivo Sala de Arquivo de Documentos Morto Sala Patrimônio Reuniões - Diversas Áreas 10 Divisão de Contratos Divisão Gestão de Contratos índice de Copa Divisão de Controladoria TAE para Divisão Salas Técnicas de Gestão de Material cada Espaços Auxiliares Divisão de Serviços estudantes Sanitários TAES 21 Divisão de Divisão de Convênios e Contratos multiplicado x9 5 Infraestrutura Setor de Protocolo e Reprografia do índice: 985,52 TAEs previstos M 2 15 DML Serviços Área Parcial Estimada 71 a Serem contratados outras áreas Protocolo Circulação e paredes 25% (Descontados os TAEs Engenharia e Arquitetura empregados no 31 Segurança no Trabalho Controle, Segurança do Trabalho Departamento) Área Total Estimada CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes 10 CIPA CIPA - Depósito 10 SESMET SESMET - Div. do Serviço Especializado em Saúde e Medicina do Trabalho = 42 Assistência Psicológica 10 Assitência Social 16 Assitência Pedagógica 10 Recepção 10 ADMINISTRATIVO SESMET SESMET - Div. do Serviço Especializado em Saúde e Medicina do Trabalho 42 Assistência Psicológica 10 Assitência Social 16 NAE Núcleo de Apoio ao Estudante ÁREA BRUTA Enfermagem Arquivo 2070,52 20 Consulta médica M² 16 Atendimento Coletivo 75 NATEP NATEP - Núcleo de Apoio Técnico de Ensino e Pesquisa 5 TOTAL INCLUI 25% PAREDES E CIPE - Centro de Instr. CIPE - Coordenação 5 Pesquisa e Ensino CIPE - Auxiliar CIRCULAÇÕES 5 Divisão TI - estações de Trabalho 62 Divisão de TI Divisão TI - Depósito 12

39 Cálculo dos Espaços Sociais e de Convívio + tempo livre uso dos espaços de convívio X 0,70 FTE DISCENTES M² - tempo livre uso dos espaços de convívio X 0,16 TAEs M² 295 X 0,10 DOCENTES M² ÁREA LÍQUIDA DE: M² Espaços DE Convívio A área considera espaços destinados a espaços abertos, anfiteatro, cafeteria, papelaria, livraria e outros serviços.

40 Programa: Espaços Sociais e de Convívio Temática Uso Programa Área Total Área Estimada Total Área Unitária Área Temática Uso Programa Estimada (m²) Unitária (m²) Auditório (m²) 400 (m²) Centros Auditório Acadêmicos Praças Centros de Acadêmicos Convívio (zonas de estar e/ou contemplação) Mini Praças Palco de Convívio / Anfiteatro (zonas Ar de Livre estar e/ou contemplação) Área Mini Palco de Mesas / Anfiteatro Exterior Ar Livre Áreas Convivência e Serviços Cafeteria Área de Mesas / Cantina Exterior 1.699,00 M 2 Áreas Convivência e Serviços 1669 Reprografia Cafeteria / Cantina 1669 Papelaria Reprografia espaços de Livraria Papelaria Caixas LivrariaEletrônicos convívio Recepção Caixas Eletrônicos 240 Salas Recepção Expositivas 240 Administração Salas Expositivas Diretor (1 Diretor + 1 Vice-Diretor) 10.4 Administração - Diretor Gestor (1(Chefia) Diretor + 1 Vice-Diretor) Administração - Assitentes Gestor (Chefia) Técnicos (Almoxarifado e Patrimônio, Compras, Arquivo) Administração - Secretária Assitentes (2 Técnicos Diretoria (Almoxarifado + 1 Assistentes e Patrimônio, Técnicos) Compras, Arquivo) Sala Administração Reuniões - Secretária (2 Diretoria + 1 Assistentes Técnicos) Mini Sala Reuniões Auditório - Sala de Projeções 319,92 M Museu / Coleções Técnicos Mini Auditório (2 Técnicos - Sala de Projeções Museu + 2 Técnicos Documentação) outras áreas Museu / Coleções Técnicos -(2 Divulgação Técnicos de Científica Museu (1 + 2 Especialista Técnicos Documentação) + 1 Apoio) Técnicos - Divulgação Cultural Científica (1 (1 Jornalista Especialista Assistente) 1 Apoio) Técnicos - Programa Divulgação Educativo Cultural (1 (2 Jornalista Educadores) + 1 Assistente) Sala Técnicos Guarda - Programa Acervo Educativo (2 Educadores) DML Sala Guarda Acervo Almoxarifado DML Geral = 10 5 Vestiário Almoxarifado / Sanitário Geral Funcionários 10 2 Sanitários Vestiário / Públicos Sanitário Funcionários 45 2 Hall Sanitários e Bilheterias Públicos 45 Platéia Hall e Bilheterias Palco Platéiae Coxias ÁREA BRUTA Camarins Palco e Coxias 2.523,65 Sala Camarins de Ensaio Áreas Sala de Técnicas Ensaio Som e Luz M² Teatro Oficina Áreas Técnicas de Cenários Som e Luz Teatro Oficina de Figurinos Cenários TOTAL INCLUI 25% PAREDES E Administração Oficina de Figurinos Teatro Almoxarifado Administração / Teatro DML CIRCULAÇÕES Sanitários Almoxarifado Públicos / DML SOCIAL SOCIAL / CONVÍVIO / Q Q(u (u

O Campus e sua Infraestrutura

O Campus e sua Infraestrutura O Campus e sua Infraestrutura O GPE e seus objetivos O Grupo de Planejamento Estratégico (GPE) do campus Diadema da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) foi criado com o intuito de contribuir para

Leia mais

BIBLIOTECA. METRAGEM MÍNIMA (m2)

BIBLIOTECA. METRAGEM MÍNIMA (m2) BIBLIOTECA Administração Balcão de atendimento Balcão de referência Mesa de trabalho para 6 servidores, sendo recomendado 5 a 6m 2 /2 pessoas, com espaço para armários comuns e armários-arquivo para documentos

Leia mais

DISCRIMINAÇÃO DO PRÉDIO I QUANTIDADE ÁREA (m 2 ) SUBSOLO. Redação Tele jornalística 01 80,00. Gráfica 01 20,00

DISCRIMINAÇÃO DO PRÉDIO I QUANTIDADE ÁREA (m 2 ) SUBSOLO. Redação Tele jornalística 01 80,00. Gráfica 01 20,00 DISCRIMINAÇÃO DO PRÉDIO I QUANTIDADE ÁREA (m 2 ) SUBSOLO Redação Tele jornalística 01 80,00 Gráfica 01 20,00 Estúdio Pedagógico de Áudio Visual 01 140,00 Laboratório de Rádio: Estúdio de Radio 01 24,00

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DA CENTRAL DE LABORATÓRIOS EM CIÊNCIA E TECNOLÓGIA AMBIENTAL

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DA CENTRAL DE LABORATÓRIOS EM CIÊNCIA E TECNOLÓGIA AMBIENTAL PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DA CENTRAL DE LABORATÓRIOS EM CIÊNCIA E TECNOLÓGIA AMBIENTAL BAURU APRESENTAÇÃO O complexo de laboratórios em Ciência e Tecnologia e Ambiental (CTA)

Leia mais

RELATÓRIO DE REALIZAÇÕES E ATIVIDADES DA EQUIPE DA DIREÇÃO-GERAL DO CAMPUS CEDETEG GESTÃO 2012-2016

RELATÓRIO DE REALIZAÇÕES E ATIVIDADES DA EQUIPE DA DIREÇÃO-GERAL DO CAMPUS CEDETEG GESTÃO 2012-2016 RELATÓRIO DE REALIZAÇÕES E ATIVIDADES DA EQUIPE DA DIREÇÃO-GERAL DO CAMPUS CEDETEG GESTÃO 2012-2016 Apresentamos neste relatório resumido as realizações e atividades da Equipe da Direção-Geral do Campus

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS CONSTRUÇÕES (ÁREAS CONSTRUÍDAS) NO IFSULDEMINAS CÂMPUS MACHADO Término Nº de

DESCRIÇÃO DAS CONSTRUÇÕES (ÁREAS CONSTRUÍDAS) NO IFSULDEMINAS CÂMPUS MACHADO Término Nº de DESCRIÇÃO DAS CONSTRUÇÕES (ÁREAS CONSTRUÍDAS) NO IFSULDEMINAS CÂMPUS MACHADO Término Nº de Área Valor da Obra Valor do M² Nome da Obra Início da Obra Programado Obras Construída M² R$ R$ da Obra Descrição

Leia mais

1ª MARATONA DE PROJETOS ATELIÊ VERTICAL PROF. LUCIANO ARRUSSUL

1ª MARATONA DE PROJETOS ATELIÊ VERTICAL PROF. LUCIANO ARRUSSUL Programa de necessidades e pré-dimensionamento SETORES: -Administrativo - Artístico - Técnico - Público e de Convivência Programa de necessidades e pré-dimensionamento Setor Administrativo Ambiente Descrição

Leia mais

As instalações físicas encontram-se detalhadas no quadro seguinte. QUADRO DE INSTALAÇÕES FÍSICAS

As instalações físicas encontram-se detalhadas no quadro seguinte. QUADRO DE INSTALAÇÕES FÍSICAS As instalações físicas encontramse detalhadas no quadro seguinte. QUADRO DE INSTALAÇÕES FÍSICAS ESPAÇO FÍSICO QUANTIDADES GERAL FACULDADE ÁREA M 2 Salas de aula, medindo cada uma, 69, com um quadro branco,

Leia mais

ICH ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO FISICO

ICH ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO FISICO ICH ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO FISICO SUMÁRIO I. Gabinetes para professores...3 II. Núcleos de pesquisa...3 III. Laboratórios...4 IV. Espaços coletivos outras atividades...8 V. Espaço administrativo...9 VI.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Construção de Prédios no Campus V- Divinópolis-MG. Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

MEMORIAL DESCRITIVO. Construção de Prédios no Campus V- Divinópolis-MG. Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais MEMORIAL DESCRITIVO Construção de Prédios no Campus V- Divinópolis-MG Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais Fevereiro/2007 INTRODUÇÃO O objetivo deste documento é complementar as informações

Leia mais

Concurso Público: Prêmio Caneleiro de Arquitetura Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA

Concurso Público: Prêmio Caneleiro de Arquitetura Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA Concurso Público: Prêmio Caneleiro de Arquitetura Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA Junho 2014 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO Pg. 03 2. OBJETO Pg. 03 3. ESCOPO DOS PRODUTOS E SERVIÇOS Pg. 03 4. DIRETRIZES PARA

Leia mais

Consulta Pública para aprimoramento do. Instrumento de Acreditação das Escolas Médica

Consulta Pública para aprimoramento do. Instrumento de Acreditação das Escolas Médica Consulta Pública para aprimoramento do Instrumento de Acreditação das Escolas Médica Estamos disponibilizando para sugestões, avaliação e comentários o instrumento que será utilizado para a acreditação

Leia mais

De 16/03 a 24/04 Mais de 50 reuniões Mais de 100 horas de diálogo Duas viagens à Macapá Leitura de 22 relatórios Acompanhamento de processos,

De 16/03 a 24/04 Mais de 50 reuniões Mais de 100 horas de diálogo Duas viagens à Macapá Leitura de 22 relatórios Acompanhamento de processos, EDUARDO MARGARIT De 16/03 a 24/04 Mais de 50 reuniões Mais de 100 horas de diálogo Duas viagens à Macapá Leitura de 22 relatórios Acompanhamento de processos, licitações e obras Mais de 800 alunos Mais

Leia mais

PESQUISA INSTITUCIONAL CAMPUS RIO DE JANEIRO. Cursos Técnicos Integrado ao Ensino Médio

PESQUISA INSTITUCIONAL CAMPUS RIO DE JANEIRO. Cursos Técnicos Integrado ao Ensino Médio PESQUISA INSTITUCIONAL CAMPUS RIO DE JANEIRO Cursos Técnicos Integrado ao Ensino Médio PESQUISA INSTITUCIONAL IFRJ - CAMPUS RIO DE JANEIRO CURSO TÉCNICO EM ALIMENTOS INTEGRADO AO ENSINO MÉDIO 1 Capa da

Leia mais

uso e ocupação atual introdução 29 plano diretor participativo

uso e ocupação atual introdução 29 plano diretor participativo Este levantamento de dos edifícios do campus do Butantã, e da Vila Penteado foi desenvolvido pela equipe de bolsistas do Conselho Curador e se refere a situação dos prédios no mês de julho do ano de 2010.

Leia mais

CAMPUS II Três Marias. Bloco A. Campus II: Bloco A. Salas de Aula. 540 Por turno x Total 514,98 m². Campus II: Bloco A. Laboratório Informática

CAMPUS II Três Marias. Bloco A. Campus II: Bloco A. Salas de Aula. 540 Por turno x Total 514,98 m². Campus II: Bloco A. Laboratório Informática Bloco A 09 Salas 540 Por turno x Total 514,98 m² Todas as salas possuem em torno de 60,00m² com capacidade de 60 alunos cada, todas são climatizadas, possuem quadro branco e carteiras almofadadas, oito

Leia mais

UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO - UPA MEMORIAL DESCRITIVO

UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO - UPA MEMORIAL DESCRITIVO UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO - UPA MEMORIAL DESCRITIVO Nome do estabelecimento: UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO - UPA Tipo do estabelecimento: UPA PORTE 02 Proprietária: Fundo Municipal de Saúde de Caicó/RN

Leia mais

ROTEIRO PARA INSPEÇÃO SANITÁRIA EM COMUNIDADES TERAPÊUTICAS PARA DEPENDENTES DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS

ROTEIRO PARA INSPEÇÃO SANITÁRIA EM COMUNIDADES TERAPÊUTICAS PARA DEPENDENTES DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS ESPECIFICIDADES DO SERVIÇO Data de início das atividades: Cadastro em entidades associativas e/ou federativas Não Sim Especificar: Prestação de serviço Contrato Convênio Especificar: Outros financiamentos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS EDITAL DE ABERTURA PROGESP/UFGD Nº. 01, DE 06 DE MAIO DE 2015 ANEXO I ÁREAS E REQUISITOS EXIGIDOS Retificadas as áreas de Laboratório do Curso de Engenharia de Energia / Informática Desenvolvimento / Informática:

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. REGULAMENTO DOS LABORATÓRlOS DE ENSINO CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. REGULAMENTO DOS LABORATÓRlOS DE ENSINO CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO REGULAMENTO DOS LABORATÓRlOS DE ENSINO CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO Art. 1º Os seguintes espaços físicos constituem-se em Laboratórios

Leia mais

FEDERAL ANEXO I MATRIZ ESPECÍFICA DE CORRELAÇÃO DO CONHECIMENTO

FEDERAL ANEXO I MATRIZ ESPECÍFICA DE CORRELAÇÃO DO CONHECIMENTO ANEXO I MATRIZ ESPECÍFICA DE CORRELAÇÃO DO CONHECIMENTO CARGO/ESPECIALIDADES Art. 378. Ao Consultor Legislativo, Especialidade Assessoramento Legislativo. ÁREAS DE INTERESSE DO SENADO FEDERAL Agronomia;

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENFERMAGEM UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENFERMAGEM 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor 1 - O professor comparece com regularidade

Leia mais

N de cursos ofertados; % de vagas ocupadas/ formas de ingresso.

N de cursos ofertados; % de vagas ocupadas/ formas de ingresso. Anexo II Dimensões Elementos Indicadores quantitativos Indicadores qualitativos % de cursos com projeto pedagógico/ adequados ao Projeto Condições de implementação dos Projetos Projeto Pedagógico dos Institucional

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE PSICOLOGIA

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE PSICOLOGIA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE PSICOLOGIA 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor POTENC. PTO. A MELHOR. FRAGIL. 1 -

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2014-2018 PROPOSTAS DE METAS, AÇÕES E INDICADORES

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2014-2018 PROPOSTAS DE METAS, AÇÕES E INDICADORES PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS PROPOSTAS DE METAS, AÇÕES E INDICADORES CAMPUS CONGONHAS DEZEMBRO - 2013 INFRA-ESTRUTURA Objetivo

Leia mais

UESB. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia INFRA-ESTRUTURA FÍSICA

UESB. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia INFRA-ESTRUTURA FÍSICA UESB Relatório de Atividades 005 UESB As atividades desta assessoria no ano em curso se dividiu entre as seguintes etapas : - conclusão e prosseguimento de algumas obras iniciadas no ano anterior, - elaboração

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE FISIOTERAPIA

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE FISIOTERAPIA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE FISIOTERAPIA 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor POTENC. PTO. A MELHOR. FRAGIL. 1

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VENÂNCIO AIRES -RS

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VENÂNCIO AIRES -RS CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VENÂNCIO AIRES -RS PARECER Nº 14/2004 A APROVADO EM : 15 de dezembro de 2004 I ASSUNTO:Solicitação da autorização de funcionamento da Escola de Educação Infantil Ursinho

Leia mais

As nossas propostas de atuação para a Gestão 2013-2017 estão pautadas na Consolidação e expansão do Campus Centro-Oeste Dona Lindu.

As nossas propostas de atuação para a Gestão 2013-2017 estão pautadas na Consolidação e expansão do Campus Centro-Oeste Dona Lindu. As nossas propostas de atuação para a Gestão 2013-2017 estão pautadas na Consolidação e expansão do Campus Centro-Oeste Dona Lindu. Nosso Compromisso é trabalhar, junto à Reitoria, Discentes, Docentes

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGUE

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGUE UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGUE 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor 1 - O professor

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENFERMAGEM TERRAÇO Departamento ENC SALA DE REUNIÕES TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO COPA WC 314 318 322 326 330 334 338 342 346 350

Leia mais

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES -

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES - ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES - 1. LEGISLAÇÃO SANITÁRIA ESPECÍFICA - Lei Federal 6.360/76 e Decreto Estadual (DE) 23.430 de 24/10/1974 (http://www.al.rs.gov.br/legis/);

Leia mais

Página 1. 1.11 Dos alunos matriculados, quantos estão em Tempo Integral 80

Página 1. 1.11 Dos alunos matriculados, quantos estão em Tempo Integral 80 1. CORPO DISCENTE: Quantidade de alunos matriculados 1º ano 90 1.1 2º ano / 1ª série 95 1.2 3º ano / 2ª série 77 1.3 4º ano / 3ª série 74 1.4 5º ano / 4ª série 55 1.5 6º ano / 5ª série 32 1.6 7º ano /

Leia mais

ANEXO II "AÇÕES DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E DE FORTALECIMENTO DA RAPS" INTEGRANTES, OU A SEREM INCLUÍDAS, NO PLANO DE AÇÃO DA RAPS

ANEXO II AÇÕES DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E DE FORTALECIMENTO DA RAPS INTEGRANTES, OU A SEREM INCLUÍDAS, NO PLANO DE AÇÃO DA RAPS ANEXO II "AÇÕES DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E DE FORTALECIMENTO DA RAPS" INTEGRANTES, OU A SEREM INCLUÍDAS, NO PLANO DE AÇÃO DA RAPS EQUIPE DE DESINSTITCUIONALIZAÇÃO - MODALIDADE: VALOR DO PROJETO: 1. DADOS

Leia mais

Anexo C Cursos de capacitação que não sejam de educação formal

Anexo C Cursos de capacitação que não sejam de educação formal Anexo C Cursos de capacitação que não sejam de educação formal Para todos os ambientes organizacionais para todos os servidores, independentemente do ambiente organizacional: Administração pública Estado,

Leia mais

ROTEIRO DE INSPEÇÃO PARA AVALIAÇÃO DA ESTRUTURA FÍSICA DAS INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS

ROTEIRO DE INSPEÇÃO PARA AVALIAÇÃO DA ESTRUTURA FÍSICA DAS INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS I IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO Nome: Endereço: AP: Nome Fantasia: Inscrição Municipal: Nº do Processo: CNPJ: Tipo de Serviço: ( ) Municipal ( ) Filantrópico ( ) Conveniado SUS RJ ( ) Privado ( ) Estadual

Leia mais

Termo de Referência para Elaboração de Plano de Gestão de Praça do PAC modelo de 700m 2

Termo de Referência para Elaboração de Plano de Gestão de Praça do PAC modelo de 700m 2 MINISTÉRIO DA CULTURA Diretoria de Infraestrutura Cultural Secretaria Executiva Termo de Referência para Elaboração de Plano de Gestão de Praça do PAC modelo de 700m 2 1. Objetivos A Praça do PAC é de

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional - Campus Matão

Plano de Desenvolvimento Institucional - Campus Matão Plano de Desenvolvimento Institucional - Campus Matão O Campus Matão iniciou suas atividades como Campus Avançado de Sertãozinho, em 12 de agosto de 2010, num prédio provisório, cedido pela Prefeitura

Leia mais

PUC MINAS. Uma universidade em sintonia com o futuro

PUC MINAS. Uma universidade em sintonia com o futuro PUC MINAS Uma universidade em sintonia com o futuro No mapa de Minas Gerais, a Pontifícia Universidade Católica está presente em importantes regiões do Estado, através de uma estrutura multicampi composta

Leia mais

Prof. Jose Roberto Scolforo Reitor da Universidade Federal de Lavras UFLA. jscolforo@ufla.br

Prof. Jose Roberto Scolforo Reitor da Universidade Federal de Lavras UFLA. jscolforo@ufla.br Prof. Jose Roberto Scolforo Reitor da Universidade Federal de Lavras UFLA jscolforo@ufla.br Câmpus da UFLA em 2015 Discentes graduação:11.607 Discentes pós-graduação: 2.184 Técnicos: 563 Docentes: 603

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS PARA PROFESSOR E FORMAÇÃO NECESSÁRIA

DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS PARA PROFESSOR E FORMAÇÃO NECESSÁRIA 06/ 05/ INSTITUTO FEDERAL DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROCESSO SELETIVO DO º SEMESTRE 05 ANEXO II EDITAL Nº 8/05 DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS PARA PROFESSOR E FORMAÇÃO NECESSÁRIA Técnico em Redes de Computadores

Leia mais

Ministério da Educação. Gabinete do Ministro

Ministério da Educação. Gabinete do Ministro Ministério da Educação Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 556, de 25 de fevereiro de 2005 (DOU nº 39, Seção 1 página 23, de 28/2/2005) O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições e tendo

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES SEMAP

RELATÓRIO DE ATIVIDADES SEMAP RELATÓRIO DE ATIVIDADES SEMAP 2010 Paulo Cesar Roza da Luz Porto Alegre, dezembro de 2010 ÍNDICE - Introdução... 03 - Atividades realizadas... 04 1) Manutenção... 04 2) Almoxarifado... 06 3) Patrimônio...

Leia mais

COMISSÃO DE ENSINO MÉDIO E EDUCAÇÃO SUPERIOR Parecer nº 856/2007 Processo UERGS nº 358/19.50/07.5

COMISSÃO DE ENSINO MÉDIO E EDUCAÇÃO SUPERIOR Parecer nº 856/2007 Processo UERGS nº 358/19.50/07.5 COMISSÃO DE ENSINO MÉDIO E EDUCAÇÃO SUPERIOR Parecer nº 856/2007 Processo UERGS nº 358/19.50/07.5 Reconhece o Curso Superior de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia, desenvolvido, na Unidade de Novo

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Superior Sesu Departamento de Supervisão da Educação Superior - Desup Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

ANEXO 5 DO CONTRATO PLANO DE EQUIPAMENTOS E MOBILIÁRIOS

ANEXO 5 DO CONTRATO PLANO DE EQUIPAMENTOS E MOBILIÁRIOS ANEXO 5 DO CONTRATO PLANO DE EQUIPAMENTOS E MOBILIÁRIOS Centro de Diagnóstico Sul Centro de Diagnóstico Norte Centro de Diagnóstico Leste Centro de Diagnóstico Centro - Oeste SUMÁRIO CENTRO DE DIAGNÓSTICO

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE (PGRSS)

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE (PGRSS) PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE (PGRSS) 1 1. Apresentação do Projeto O presente documento tem por finalidade apresentar um Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviço de Saúde

Leia mais

Unidade III Shopping

Unidade III Shopping Recepção Unidade III: Recepção Loja 01 Espaço 8 Por turno x Total 22,25 m² A recepção da unidade III, Shopping, conta com três guichês para atendimento ao público em geral. Unidade III: Mezanino Sala do

Leia mais

LOCALIZAÇÃO: PAVIMENTO TÉRREO IDENTIFICAÇÃO ÁREA (M 2 ) CAPACIDADE Auditório 367,23 406

LOCALIZAÇÃO: PAVIMENTO TÉRREO IDENTIFICAÇÃO ÁREA (M 2 ) CAPACIDADE Auditório 367,23 406 INFRA-ESTRUTURA FÍSICA E TECNOLÓGICA As salas de aula da FACULDADE BARRETOS estão aparelhadas para turmas de até 60 (sessenta) alunos, oferecendo todas as condições necessárias para possibilitar o melhor

Leia mais

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREDIAL ÁREA DE SAÚDE PMP

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREDIAL ÁREA DE SAÚDE PMP PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREDIAL ÁREA DE SAÚDE PMP / 2015 www.aeplan.unicamp.br NOVEMBRO/2014 PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREDIAL ÁREA DE SAÚDE O objetivo deste programa é de apoiar as Unidades da Área de Saúde

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA DIREÇÃO DE ENSINO DO CÂMPUS CURITIBA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA DIREÇÃO DE ENSINO DO CÂMPUS CURITIBA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA DIREÇÃO DE ENSINO DO CÂMPUS CURITIBA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013 A Direção de Ensino do câmpus Curitiba, compreendendo todas as suas seções, com a finalidade

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA GERAL/FCSES EDITAL Nº009/2010 EDITAL DE SELEÇÃO DO PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA PARA O 2º SEMESTRE DE 2010 A Secretária Geral da Faculdade

Leia mais

Anexo D Divisão de Análises Clínicas HU/UFSC. Versão 01. Atribuições dos Cargos

Anexo D Divisão de Análises Clínicas HU/UFSC. Versão 01. Atribuições dos Cargos DOC MQB -02 MQB.pdf 1/5 Cargo: Assistente de Laboratório 1. Planejar o trabalho de apoio do laboratório: Interpretar ordens de serviços programadas, programar o suprimento de materiais, as etapas de trabalho,

Leia mais

Resíduos Sólidos Programa Lixo Alternativo Situação atual de Guaraqueçaba: Volume diário 4m³ (aproximadamente 1 tonelada/dia) Coleta: Diária em 980 unidades domésticas / 135 comerciais / 2 industriais

Leia mais

DIAGNÓSTICO DE FRAGILIDADES E POTENCIALIDADES UNIDADE DE GLÓRIA DE DOURADOS

DIAGNÓSTICO DE FRAGILIDADES E POTENCIALIDADES UNIDADE DE GLÓRIA DE DOURADOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL ASSESSORIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS E CAPTAÇÃO DE RECURSOS DIAGNÓSTICO DE FRAGILIDADES E POTENCIALIDADES UNIDADE DE GLÓRIA DE DOURADOS LINHA TEMÁTICA (PROBLEMAS)

Leia mais

PAUTA LOCAL ESTRUTURA PROPOSTA ANOTAÇÃO DA COMISSÃO

PAUTA LOCAL ESTRUTURA PROPOSTA ANOTAÇÃO DA COMISSÃO PAUTA LOCAL ESTRUTURA Reforma imediata de todos os banheiros de servidores na PRPPG e em todas unidades onde for necessário Abastecimento continuo de materiais basicos de higienie em todos os banheiros

Leia mais

Infraestrutura e Acessibilidade. Relatório de Atividades 2011

Infraestrutura e Acessibilidade. Relatório de Atividades 2011 Infraestrutura e Acessibilidade Relatório de Atividades 2011 3.1 Infraestrutura 3.1.1 - Área de s de Ensino - 2011 Código do Curso no SIE Nome do Capacidade Sigla m² Local- Prédio No. de estações Possui

Leia mais

INFRA ESTRUTURA FÍSICA

INFRA ESTRUTURA FÍSICA INFRA ESTRUTURA FÍSICA 1 Campus Curitiba O Campus de Curitiba, sediado no Bairro Prado Velho, fica em um terreno com 342.117 m2 e 143.735 m 2 de área construída e abriga cinco centros universitários nas

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VENÂNCIO AIRES-RS

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VENÂNCIO AIRES-RS CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VENÂNCIO AIRES-RS PARECER Nº 07/04 APROVADO EM: 15/12/2004 I- ASSUNTO: Solicitação de autorização de funcionamento da 8ª série da Escola Municipal de Ensino Fundamental Alfredo

Leia mais

Serviços e Projetos em Engenharia para todos os segmentos.

Serviços e Projetos em Engenharia para todos os segmentos. Apresentação da Empresa Sumário 02 Quem Somos 03 Urbanismo e Infraestrutura 04 Arquitetura e Paisagismo 05 Área de Estruturas 06 Proteção contra Incêndio 07 Área de Hidráulica 08 Instalações Elétricas

Leia mais

SIC 36/05. Belo Horizonte, 23 de junho de 2005. ENADE. Distribuído a assessorados da CONSAE.

SIC 36/05. Belo Horizonte, 23 de junho de 2005. ENADE. Distribuído a assessorados da CONSAE. SIC 36/05 Belo Horizonte, 23 de junho de 2005. ENADE PORTARIA Nº 2.205, de 22 de junho de 2005. Ministro da Educação. O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições e tendo em vista o disposto

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS

Universidade Estadual de Maringá PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS EDITAL N O 001/2011-PRH 2 - DAS ÁREAS DE CONHECIMENTO, N O DE VAGAS, REGIME E LOCAL DE TRABALHO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS AGRONÔMICAS (01) Bioquímica Graduação em Química ou

Leia mais

UFF - Universidade Federal Fluminense

UFF - Universidade Federal Fluminense UFF - Universidade Federal Fluminense Em Niterói, a UFF e seus vários campi confundem-se com a geografia da cidade, localizados em vários bairros - Centro, São Domingos, Ingá, Santa Rosa, Vital Brasil

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 001/2015

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 001/2015 POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 001/2015 1. ABERTURA O Diretor Geral do IFBA Campus Jacobina, no uso de suas atribuições, faz saber que,

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE UNIÃO

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE UNIÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE UNIÃO A avaliação institucional tem sido objeto de discussões na Faculdade Educacional de Ponta Grossa - Faculdade União e sempre foi reconhecida como um instrumento

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS JUIZ DE FORA / CTU

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS JUIZ DE FORA / CTU PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS JUIZ DE FORA / CTU Nos dias 15 e 16 de dezembro de 2008, a comunidade escolar do Instituto

Leia mais

Curso. Administração. Arquitetura. Ciências Biológicas

Curso. Administração. Arquitetura. Ciências Biológicas FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA /FCSES EDITAL Nº002/2014 EDITAL DE SELEÇÃO DO PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA PARA O 2º SEMESTRE DE 2014 1 A Secretária Geral da Faculdade Católica

Leia mais

PASSO A PASSO: COMO ELABORAR E IMPLEMENTAR O PGRSS

PASSO A PASSO: COMO ELABORAR E IMPLEMENTAR O PGRSS PASSO A PASSO: COMO ELABORAR E IMPLEMENTAR O PGRSS PASSO 1 IDENTIFICAÇÃO DO PROBLEMA: Abrange o reconhecimento do problema e a sinalização positiva da administração para início do processo. Definir, um

Leia mais

Museu Aberto da Ferrovia Paranapiacaba 2007

Museu Aberto da Ferrovia Paranapiacaba 2007 Anexo 1.50 Museu Aberto da Ferrovia Paranapiacaba 2007 1. EDIFÍCIO HISTÓRICO Endereço: acesso pela rodovia SP 122 Ribeirão Pires Paranapiacaba, Santo André SP, Brasil. Autoria: a vila foi construída pela

Leia mais

CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013

CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013 CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013 NOVEMBRO/2012 1) CURSOS OFERTADOS: Automação Industrial Eletrônica Eletrotécnica* Informática Informática para Internet* Mecânica* Química* Segurança do Trabalho* * Cursos

Leia mais

Curso de Especialização Técnica em Gestão da Manutenção do Ambiente Hospitalar

Curso de Especialização Técnica em Gestão da Manutenção do Ambiente Hospitalar FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO CNPJ: 33 781 055/0017 00 Razão Social: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/ FIOCRUZ Esfera Administrativa: Federal Endereço (Rua,

Leia mais

NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO

NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO Cassius Marcellus Zomignani Departamento Sindical - DESIN NORMA REGULAMENTADORA 24 A Norma Regulamentadora 24 do Ministério do Trabalho e

Leia mais

Atualizada.: 19/04/2012 ANEXO 1 E

Atualizada.: 19/04/2012 ANEXO 1 E COORDENADORIA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA E AMBIENTAL MEDIA COMPLEXIDADE ANEXO 1 E Ótica; Creches; Instituições de longa permanência para idosos; Instituições que prestem serviços de atenção a pessoas com

Leia mais

PORTARIA Nº 9, DE 29 DE JUNHO DE 2006

PORTARIA Nº 9, DE 29 DE JUNHO DE 2006 PORTARIA Nº 9, DE 29 DE JUNHO DE 2006 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de sua competência e em conformidade com o estabelecido no 1o- do art 10, da Lei no- 11.091, de 12 de janeiro de 2005, resolve:

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL PROJETO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Autores: Claudio Libeskind, Sandra Llovet, Mario Lotfi, David Ruscalleda Nesta cidade, feita de sucessivas adições, de fragmentos, o projeto sobrepõe outros, criando

Leia mais

Página 1 CMEI TEREZINHA VASCONCELLOS SALVADOR. Diretora: Neusa Maria Marinho Soares. Fundação: 01/02/1993. Criação: Lei nº 3.905

Página 1 CMEI TEREZINHA VASCONCELLOS SALVADOR. Diretora: Neusa Maria Marinho Soares. Fundação: 01/02/1993. Criação: Lei nº 3.905 CMEI TEREZINHA VASCONCELLOS SALVADOR Diretora: Neusa Maria Marinho Soares Fundação: 01/02/1993 Criação: Lei nº 3.905 Endereço: Avenida Vitória, s/n Bairro: Romão CEP.: 29040-010 Telefone: (27) 3322-2148

Leia mais

UFMS - PROINFRA/CPO COORDENADORIA DE PROJETOS E OBRAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL. BANCO DE PROJETOS: 2013 a 2014

UFMS - PROINFRA/CPO COORDENADORIA DE PROJETOS E OBRAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL. BANCO DE PROJETOS: 2013 a 2014 UFMS - PROINFRA/CPO COORDENADORIA DE PROJETOS E OBRAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL BANCO DE PROJETOS: 2013 a 2014 DEZEMBRO / 2014 Página 1 de 17 Reitora: Profa. Dra. Célia Maria Silva Correa

Leia mais

CAPÍTULO 4: ESTUDO DE CASO O EDIFÍCIO IBM TUTÓIA SUBSOLO. Layout subsolo 1990. Fonte: Desenho da autora. Layout subsolo 2005. Fonte: Desenho da autora

CAPÍTULO 4: ESTUDO DE CASO O EDIFÍCIO IBM TUTÓIA SUBSOLO. Layout subsolo 1990. Fonte: Desenho da autora. Layout subsolo 2005. Fonte: Desenho da autora SUBSOLO Layout subsolo 1990 Layout subsolo 2005 190 O subsolo possui 9.901m² de área construída e 5.260m² de área útil. A principal mudança ocorrida nesse pavimento foi a diminuição do espaço da garagem,

Leia mais

MANUAL DO ALUNO SISTEMA DE AVALIAÇÃO

MANUAL DO ALUNO SISTEMA DE AVALIAÇÃO MANUAL DO ALUNO No presente Manual você encontrará uma síntese de procedimentos pedagógicos adotados pela Instituição e conhecerá as instalações e departamentos de apoio ao aluno. SISTEMA DE AVALIAÇÃO

Leia mais

LEVANTAMENTO PREDIAL DO CAMPUS SGC NOME DO SETOR LOCALIZAÇÃO DESCRIÇÃO DO AMBIENTE IMAGEM. climatizado. forro em PVC, esquadria em madeira, ambiente

LEVANTAMENTO PREDIAL DO CAMPUS SGC NOME DO SETOR LOCALIZAÇÃO DESCRIÇÃO DO AMBIENTE IMAGEM. climatizado. forro em PVC, esquadria em madeira, ambiente INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO CIENCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS CAMPUS DE SÃO GABRIEL DA CACHOEIRA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇAO E PLANEJAMENTO Br 307, km 03, estrada do aeroporto, Cachoeirinha, São Gabriel

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO MUSEU DE ARQUEOLOGIA E ETNOLOGIA PROFESSOR OSWALDO RODRIGUES CABRAL/ UFSC (PROPOSTA APROVADA NO CONSELHO DO CFH)

REGIMENTO INTERNO DO MUSEU DE ARQUEOLOGIA E ETNOLOGIA PROFESSOR OSWALDO RODRIGUES CABRAL/ UFSC (PROPOSTA APROVADA NO CONSELHO DO CFH) 1 REGIMENTO INTERNO DO MUSEU DE ARQUEOLOGIA E ETNOLOGIA PROFESSOR OSWALDO RODRIGUES CABRAL/ UFSC (PROPOSTA APROVADA NO CONSELHO DO CFH) I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este Regimento dispõe sobre

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE TRANSFERÊNCIA 2 o semestre letivo de 2005 e 1 o semestre letivo de 2006 CURSO de ARQUITETURA E URBANISMO

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE TRANSFERÊNCIA 2 o semestre letivo de 2005 e 1 o semestre letivo de 2006 CURSO de ARQUITETURA E URBANISMO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE TRANSFERÊNCIA 2 o semestre letivo de 2005 e 1 o semestre letivo de 2006 CURSO de ARQUITETURA E URBANISMO Verifique se este caderno contém : INSTRUÇÕES AO CANDIDATO PROVA

Leia mais

Programa para a Inclusão dos Melhores Alunos da Escola Pública na Universidade

Programa para a Inclusão dos Melhores Alunos da Escola Pública na Universidade Programa para a Inclusão dos Melhores Alunos da Escola Pública na Universidade Vestibular 2014 NÚMEROS DA UNESP Cidades: 24 Unidades: 34 Unidades Complementares: 7 Colégios Técnicos: 3 Carreiras: 69 CURSOS

Leia mais

Levantamento Fotográfico

Levantamento Fotográfico LEVANTAMENTO FOTOGRÁFICO 1 PRÉDIO SEDE Este levantamento fotográfico tem por objetivo mostrar aos arquitetos participantes do concurso ambientes do Prédio Sede de interesse para o projeto. As instalações

Leia mais

CORPO DISCENTE 1. 1º ano 1.1 2º ano 1.2 3º ano 1.3 4º ano 1.4 5º ano 5ª série 1.5 6º ano 1.6 7º ano 1.7 8º ano 1.8 9º ano 1.

CORPO DISCENTE 1. 1º ano 1.1 2º ano 1.2 3º ano 1.3 4º ano 1.4 5º ano 5ª série 1.5 6º ano 1.6 7º ano 1.7 8º ano 1.8 9º ano 1. EMEF NEUSA NUNES GONÇALVES Diretor: Roberto de Olveira Silva E-mail.: emefnng@vitoria.es.gov.br Fundação: 03/02/1993 Criação: Lei nº 3.906 Endereço: Rua do Caju, 249 Bairro: Nova Palestina CEP.: 29030-015

Leia mais

EDITAL DE TRANSFERÊNCIAS EXTERNA E INTERNA NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UENF (Aprovado pela Câmara de Graduação em 15 de setembro de 2015)

EDITAL DE TRANSFERÊNCIAS EXTERNA E INTERNA NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UENF (Aprovado pela Câmara de Graduação em 15 de setembro de 2015) EDITAL DE TRANSFERÊNCIAS EXTERNA E INTERNA NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UENF (Aprovado pela Câmara de Graduação em 15 de setembro de 2015) A Pró-Reitoria de Graduação da torna público aos interessados que

Leia mais

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº 12/2012 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO ANEXO I VAGAS POR ÁREA DE CONHECIMENTO VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP 1) Área de Conhecimento:

Leia mais

PLANO DE AÇÃO-DIREÇÃO DO CAMPUS TERESINA ZONA SUL GESTÃO 2013-2017

PLANO DE AÇÃO-DIREÇÃO DO CAMPUS TERESINA ZONA SUL GESTÃO 2013-2017 PLANO DE AÇÃO-DIREÇÃO DO CAMPUS TERESINA ZONA SUL GESTÃO 2013-2017 O ensino, como a justiça, como a administração, prospera e vive muito mais realmente da verdade e da moralidade, com que se pratica do

Leia mais

Especialização e MBAs FACULDADES INTEGRADAS ANTÔNIO EUFRÁSIO DE TOLEDO DE PRESIDENTE PRUDENTE - SP

Especialização e MBAs FACULDADES INTEGRADAS ANTÔNIO EUFRÁSIO DE TOLEDO DE PRESIDENTE PRUDENTE - SP FACULDADES INTEGRADAS ANTÔNIO EUFRÁSIO DE TOLEDO DE PRESIDENTE PRUDENTE - SP MANUAL DO ALUNO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Agosto/2009 INFORMAÇÕES IMPORTANTES Dia e Horário das aulas: As aulas serão

Leia mais

MCTI/CNPq/IPEA/CEDEPLAR

MCTI/CNPq/IPEA/CEDEPLAR MCTI/CNPq/IPEA/CEDEPLAR A pesquisa científico-tecnológica de excelência depende de uma ótima infraestrutura que forneça aos pesquisadores os meios necessários para a realização de investigações de alto

Leia mais

EXIGÊNCIAS MÍNIMAS VIGILÂNCIA SANITÁRIA PARA TODOS ESTABELECIMENTOS INSTALAÇÃO INDEPENDENTE DA MORADIA EDIFICAÇÃO DE ALVENARIA ANEXO 8 (COM TELEFONE DO CONTRIBUINTE) LAUDO DESINSETIZAÇÃO/DESRATIZAÇÃO/LIMPEZA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL N 08/2015 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO - MACAPÁ, SANTANA E MAZAGÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL N 08/2015 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO - MACAPÁ, SANTANA E MAZAGÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL N 08/2015 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO - MACAPÁ, SANTANA E MAZAGÃO ANEXO I - RELAÇÃO DAS VAGAS E REQUISITOS ESPECÍFICOS POR ÁREA DE

Leia mais