Reembolso de despesas com participação de servidora em curso: impossibilidade

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Reembolso de despesas com participação de servidora em curso: impossibilidade"

Transcrição

1 Reembolso de despesas com participação de servidora em curso: impossibilidade Parecer n o 13/99-FNB Ementa: Pedido de pagamento e reembolso de parcelas do preço de curso freqüentado por servidora efetiva. Pretensão quadrável, em tese, à orientação anteriormente adotada pela Procuradoria-Geral da Câmara Municipal sobre a matéria e que se assentou na Resolução n o 3.776, de 1999, da Colenda Mesa Diretora; hipótese, porém, de autorização retroativa de despesa, somente admissível, consoante inteligência também consolidada neste Órgão, a título indenizatório e em casos excepcionais, a critério da mesma e ínclita Mesa Diretora. Parecer no sentido de não ser recomendável a concessão, inobstante a margem de discrição daquele Colegiado Superior para decidir a respeito. Senhor Procurador-Geral: Verte-se ofício do eminente Edil interessado, que, invocando a Resolução da Mesa Diretora n o 3.776, de 1999 e aludindo a benefícios similares anteriormente concedidos a ocupantes de cargos em comissão, postula o pagamento, à Escola de Políticas Públicas e Governo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, de parte da anuidade de curso, onde se matriculou servidora efetiva desta Câmara, relativamente aos meses de outubro corrente a dezembro vindouro, bem como ressarcimento dos valores já desembolsados pela mesma servidora, desde o início daquela atividade letiva (fls. 2/3). O Exm o. Sr. 1 o Secretário, a quem se dirigira o expediente, fê-lo vir, para análise e pronunciamento, a esta Procuradoria-Geral, onde Vossa Excelência o distribuiu ao signatário do presente. 2. Veio apenso o proc. n o CMRJ/ 03033/99, no qual a referida servidora, noticiando habilitação e obtenção de bolsa de estudos parcial junto à mencionada Escola, pleiteara o pagamento do mesmo curso, além de reembolso do quanto já, então, pagara. O Exm o. Sr. 1 o Secretário indeferiu o pedido, por estar a Colenda Mesa Diretora, na ocasião, elaborando ato definidor e regulamentador de concessões do gênero; reiterada a pretensão, Sua Excelência ratificou o indeferimento. I. Histórico Rev. Direito, Rio de Janeiro, v. 4, n. 7, jan./jun

2 3. Os antecedentes da matéria talvez se possam resumir nos seguintes excertos da recente Informação n o 20/99-FNB, exarada por este Procurador, aos 05 do corrente, no proc. n o CMRJ/00903/98: O presente administrativo, vertendo o pagamento, pelos cofres municipais, de curso freqüentado por servidores comissionados na Escola de Políticas Públicas e Governo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, vem a esta Procuradoria-Geral pela terceira vez. O retorno, após a decisão indeferitória da Colenda Mesa Diretora às fls. 31, se dá por insistente argumentação em torno de anteriores concessões do gênero (fls. 37 e 50) e, ultimamente, por invocação da superveniente Resolução n o 3.776, de 03 de agosto último, daquele Órgão Superior de Administração da Casa (...). O primeiro dos anteriores pronunciamentos desta Procuradoria, ambos da lavra do eminente Procurador Dr. SÉRGIO ANTÔNIO FERRARI FILHO e rigorosamente centrados nos aspectos técnico-jurídicos do tema, ficou assim ementado: Servidores que ocupam exclusivamente cargo em comissão. Solicitação de aperfeiçoamento às expensas da Câmara Municipal. Ausência de iniciativa da unidade administrativa descaracteriza o processo de despesa pública. A possibilidade de afastamento, prevista no art. 64-XI da Lei Municipal 94/79, dirige-se exclusivamente ao servidor efetivo. Conteúdo do conceito de discricionariedade do administrador público. A realização de despesa com aperfeiçoamento de servidores sem vínculo efetivo com a Casa não atende ao interesse público, mormente pela instabilidade do vínculo fiduciário, aliada à possibilidade de a Câmara poder nomear diretamente servidores comissionados já qualificados, sem ter que arcar com as despesas dessa qualificação. (fls. 09). O segundo, ratificando o precedente, concluiu no sentido de que (...) b) permanece carente de previsão na lei o afastamento do servidor estranho aos quadros; c) quanto ao terceiro item, referente ao interesse público, também não há modificações no aspecto jurídico, podendo a Mesa Diretora, como concluímos no parecer, entender que no caso concreto a necessidade é de tal monta que supera o risco de inocuidade do treinamento, o que deverá ser fundamentado, ainda que sucintamente, nos autos a Mesa Diretora mantém a competência (e a responsabilidade daí decorrente) para apreciação do interesse público na autorização de um ato administrativo, que pode gerar despesas para a Casa.. (fls. 29; grifos daqui). Este foi, claramente, o entendimento esposado pela Administração do Legislativo, ao editar a referida Resolução n o 3.776, de 1999, a teor de cujo art. 3 o, verbis, Art. 3 o. Nos gabinetes políticos e de lideranças partidárias ou blocos parlamentares, a indicação de servidores efetivos para os fins desta Resolução, caberá a cada Vereador e a cada Líder, respectivamente, observada a relação entre o evento ou curso e as atribuições do servidor. (grifo daqui), sendo que o art. 5 o do mesmo ato regulamentar dispõe: Art. 5 o. Servidores ocupantes, exclusivamente, de cargo em comissão, poderão, excepcionalmente, participar de eventos ou cursos, desde que haja justificativa circunstanciada para a indicação, a critério da Mesa Diretora. (grifos daqui). 132 Rev. Direito, Rio de Janeiro, v. 4, n. 7, jan./jun. 2000

3 Cristalizou-se, dessarte, a inteligência de que, em regra, o custeio, pelos cofres públicos, da participação em eventos e cursos é reservada aos servidores efetivos, podendo a Colenda Mesa Diretora, nos casos que reputar excepcionais, autorizá-la para comissionados. (...)De notar, porém, que, a esta altura, tratar-se-ia de efetivar despesa já produzida, sem prévia autorização, o que acresceria excepcionalidade a eventual decisão concessiva da referida e Colenda Mesa.. O caso em exame tem vários pontos de similitude com o objeto do pronunciamento acima transcrito e daqueles a que se reporta. Distingue-se, porém, por se tratar, aqui, de servidora efetiva. 4. Juntadas cópias dos elucidativos Parecer n o 03/98-SAFF e Informação n o 19/98-SAFF, acima aludidos, passa-se a examinar a viabilidade jurídica de atendimento da postulação em exame, isto é, do pagamento das parcelas de anuidade vincendas e do reembolso das já pagas pela servidora. II. Fundamentação 5. Convém ressalvar, de início, que a espécie não envolve, propriamente, ressarcimento isto é, indenização, compensação, mas simples reembolso do que a servidora despendeu, em contrapartida do curso que vem freqüentando. Na verdade, não se evidencia ter ela sofrido perda alguma, que se deva reparar. O que está sob exame é o cabimento de emprego de dinheiro público na reposição do que a mesma servidora prestou e pagamento do quanto viria, futuramente, a gastar. 6. Na linha de raciocínio desenvolvida quando da análise dos casos precedentes, acima referidos, poderia ter-se por cabível o pleiteado. Com efeito, trata-se de servidora efetiva e há indicação do Exm o. Sr. Vereador Presidente da Comissão Permanente de Educação e Cultura; seria de absurdo formalismo reputarem-se insatisfeitos os requisitos do art. 3 o da aludida Resolução n o 3.776, de 1999, a pretexto de não provir a indicação de Gabinete de Vereador ou Liderança visto como o escopo da norma, considerada em combinação com o art. 4 o do mesmo diploma, é, manifestamente, o de condicionar o deferimento a proposta do Vereador ou dirigente administrativo, ao qual esteja subordinado o servidor. 7. Restaria a exame, tão-só, o pressuposto de relação ou pertinência entre a programação do evento ou curso e as atribuições ou a área de atuação do servidor. A avaliação respectiva estaria, contudo, na esfera discricionária da Colenda Mesa Diretora. 8. Está-se, todavia, aqui, mais uma vez, diante da hipótese de situação já consumada, em que se pretende uma autorização retroativa da Administração Superior da Casa, para desembolso. A tal propósito, uniforme tem sido a orientação desta Procuradoria-Geral, quanto à incontornabilidade dos arts. 60 da Lei federal n o 4.320, de 17 de março de 1964, verbis, Rev. Direito, Rio de Janeiro, v. 4, n. 7, jan./jun

4 Art. É vedada a realização de despesa sem prévio empenho. e 82 e seus 1 o, 2 o e 5 o Lei municipal n o 207, de 19 de dezembro de 1980 (Código de Administração Financeira e Contabilidade Pública do Município do Rio de Janeiro), in litteris, Art. 82. Empenho de despesa é o ato emanado de autoridade competente que cria, para o Município, obrigação de pagamento, pendente ou não de implemento de condição, compreendendo a autorização e a formalização. 1 o. A autorização é a permissão dada por autoridade competente para a realização da despesa. 2 o. A formalização é a dedução do valor da despesa feita no saldo disponível do crédito próprio, comprovado pela nota de empenho. [...] 5 o. Ao empenho da despesa deverá preceder licitação ou sua dispensa. (grifos daqui). estes últimos reproduzidos nos arts. 112 e parágrafos dos mesmos números, do Regulamento daquele Código, aprovado pelo Decreto n o 3.221, de 18 de setembro de 1981 e consolidado pelo Decreto n o , de 06 de dezembro de Sobre a matéria, exarou-se, no processo n o CMRJ/04058/98, o Parecer n o 01/99-FNB, a teor de cuja ementa, [n]a extensão do art. 59, parágrafo único, da Lei n o 8.666, de 1993, é admissível ressarcirem-se ao particular, pelo seu preço corrente, os serviços excepcionalmente prestados sem prévia e regular contratação, cumprindo evitar-se, porém, o emprego rotineiro de semelhante solução. ; e no qual, recordando-se diversos outros pronunciamentos deste Órgão, enfatizaram-se as condições em que, excepcionalmente, seria possível o dispêndio mediante autorização a posteriori, sem prévia declaração de dispensa ou inexigibilidade de seleção licitatória do beneficiário do pagamento: A intuitiva necessidade de tais serviços e o benefício, que deles, também presumidamente, obteve a Administração da Casa Legislativa, geram para o Poder Público a obrigação de ressarcimento, na extensão do art. 59, parágrafo único, da já citada Lei n o 8.666, de 1993; e o valor dessa reposição será, não menos obviamente, o do próprio preço dos serviços, 1 Vale dizer, tem-se entendido que a realização de despesa sem prévia e regular autorização, nos estritos termos das aludidas disposições legais, somente é cabível a título indenizatório, quando configurada hipótese quadrável ao art. 59, parágrafo único, da Lei federal n o 8.666, de 21 de junho de 1993, que dispõe: Art. 59 [...] 1 V. Revista de Direito [da Procuradoria-Geral da Câmara Municipal do Rio de Janeiro], v. 3, n. 5, p. 115 e 117, jan./jun Rev. Direito, Rio de Janeiro, v. 4, n. 7, jan./jun. 2000

5 Parágrafo único. A nulidade não exonera a Administração do dever de indenizar o contratado pelo que este houver executado até à data em que ela for declarada e por outros prejuízos regularmente comprovados, contanto que não lhe seja imputável, promovendo-se a responsabilidade de quem lhe deu causa. (grifo daqui). A avaliação da ocorrência dos pressupostos fáticos dessa indenização é, também, do critério e da responsabilidade da Colenda Mesa Diretora, transcendendo, assim, à perscrutação estritamente jurídica da hipótese. 10. Numa palavra, havendo disponibilidade de recursos orçamentários próprios, como refere o art. 9 o da Resolução n o 3.776, de 1999; e entendendo a Colenda Mesa Diretora que o caso é paragonável ao de serviços prestados sem regular contratação prévia, mas de excepcional necessidade da Câmara Municipal, poderá autorizar o reembolso e o pagamento pleiteados. Há que atentar-se, porém, para o precedente aí criado e incumbe ressaltar como, iterativamente, se vêm invocando concessões anteriores àquela Resolução, mormente a servidores não efetivos, que poderá gerar considerável pressão futura sobre as limitadas disponibilidades orçamentárias para esse fim. III. Conclusão 11. Parece, em suma, que, embora quadrável, em tese, ao entendimento precedentemente sustentado por esta Procuradoria-Geral e consagrado na Resolução n o 3.776, de 1999, da Colenda Mesa Diretora, o caso vertente é de autorização retroativa de despesa, geralmente desaconselhável e somente admissível em casos excepcionais, a título indenizatório e a critério da mesma e nobre Mesa, devendo atentar-se para o risco da criação de precedente explorável ad futurum. Este é o entendimento que se submete à elevada consideração de Vossa Excelência. Rio de Janeiro, 13 de outubro de 1999 Francisco das Neves Baptista Subprocurador-Geral da Câmara Municipal do Rio de Janeiro 1. Visto. Aprovo o parecer nº 13/99, no qual é examinada hipótese de situação já consumada, em que se pretende uma autorização retroativa da nobre Mesa Diretora, para desembolso. Trata-se de pedido de pagamento e reembolso de parcelas do preço de curso freqüentado por servidora efetiva desta Casa. Rev. Direito, Rio de Janeiro, v. 4, n. 7, jan./jun

6 2. Cuidando-se, repita-se, de caso de despesa já produzida (sem a prévia, e indispensável, autorização da Administração Superior da Câmara), e não havendo a meu ver, na situação sob exame, qualquer circunstância capaz de autorizar pagamento em caráter indenizatório, opino pelo indeferimento do pleito, lastreado na precisa fundamentação de direito deduzida pelo Exmo. Sr. Subprocurador-Geral Dr. Francisco das Neves Baptista, no parecer ora aprovado. 3. Encaminhe-se este processo ao Excelentíssimo Senhor Primeiro Secretário, com vistas à superior decisão da colenda Mesa Diretora. Em 13 de outubro de Roberto Benjó Procurador-Geral da Câmara Municipal do Rio de Janeiro 136 Rev. Direito, Rio de Janeiro, v. 4, n. 7, jan./jun. 2000

Aplicações financeiras e disponibilidades de caixa dos órgãos públicos

Aplicações financeiras e disponibilidades de caixa dos órgãos públicos Aplicações financeiras e disponibilidades de caixa dos órgãos públicos Parecer nº 12/00-SAFF Ementa: Direito Administrativo e Financeiro. Contabilidade. Aplicação de disponibilidades financeiras da Câmara

Leia mais

Aquisição de software: inexigibilidade de licitação não caracterizada

Aquisição de software: inexigibilidade de licitação não caracterizada Aquisição de software: inexigibilidade de licitação não caracterizada Parecer n o 17/00-FNB Ementa: Aquisição direta de software a pretexto de inexigibilidade de licitação com fulcro no art. 25, n o I,

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE CASTRO, ESTADO DO PARANÁ decretou e eu PREFEITO MUNICIPAL sanciono a presente LEI: SEÇÃO I.

A CÂMARA MUNICIPAL DE CASTRO, ESTADO DO PARANÁ decretou e eu PREFEITO MUNICIPAL sanciono a presente LEI: SEÇÃO I. LEI Nº 2927/2014 Estabelece o Regime de Diárias e Adiantamentos do Poder Legislativo, normas para o pagamento de despesas e revoga a Lei nº. 2.887/2014. A CÂMARA MUNICIPAL DE CASTRO, ESTADO DO PARANÁ decretou

Leia mais

ESTADO DE SERGIPE TRIBUNAL DE CONTAS

ESTADO DE SERGIPE TRIBUNAL DE CONTAS PROCESSO 001858/2011 ORIGEM Prefeitura Municipal de Umbaúba NATUREZA Consulta INTERESSADO Anderson Fontes Farias RELATOR Conselheiro REINALDO MOURA FERREIRA AUDITOR Parecer nº 204/2011 Alexandre Lessa

Leia mais

Indenização de despesas com viagem a servidor público e agente político

Indenização de despesas com viagem a servidor público e agente político Indenização de despesas com viagem a servidor público e agente político CONSULTA N. 748.370 EMENTA: Câmara Municipal Agente público Indenização de despesas com viagem Possibilidades de formalização dos

Leia mais

Admissão de estagiários por órgãos públicos

Admissão de estagiários por órgãos públicos Admissão de estagiários por órgãos públicos Parecer nº 05/02-SAFF Ementa: Direito Administrativo. Admissão de estudantes de nível superior como estagiários junto a órgãos técnicos da Câmara Municipal.

Leia mais

Assunto: Consulta sobre pagamento de despesas não empenhadas nem contratadas e sem crédito orçamentário.

Assunto: Consulta sobre pagamento de despesas não empenhadas nem contratadas e sem crédito orçamentário. Tribunal de Contas da União Dados Materiais: Decisão 321/95 - Plenário - Ata 30/95 Processo nº TC 325.129/95-9. Interessada (consulente): Maria José Santos de Santana, Assessora de Auditoria e Controle

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ATO Nº 342/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 25 DE JUNHO DE 2014.

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ATO Nº 342/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 25 DE JUNHO DE 2014. TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ATO Nº 342/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 25 DE JUNHO DE 2014. Dispõe sobre a concessão de bolsa de estudo para curso de língua estrangeira no âmbito do Tribunal Superior

Leia mais

Regime previdenciário dos Vereadores após a Constituição de 1988 e a Emenda Constitucional nº 20/98

Regime previdenciário dos Vereadores após a Constituição de 1988 e a Emenda Constitucional nº 20/98 Regime previdenciário dos Vereadores após a Constituição de 1988 e a Emenda Constitucional nº 20/98 Parecer nº 17/99-SAFF Ementa: Regime previdenciário dos Vereadores. Constitucionalidade de lei federal

Leia mais

Cautelas a observarem-se no repasse a entidade em situação irregular de quantias descontadas em folha de pagamento de servidores

Cautelas a observarem-se no repasse a entidade em situação irregular de quantias descontadas em folha de pagamento de servidores Cautelas a observarem-se no repasse a entidade em situação irregular de quantias descontadas em folha de pagamento de servidores Parecer n o 02/00-FNB Ementa: Pedidos de cessação de repasses, a Sindicato

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES

CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES PARECER DA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA Projeto de Lei nº 195 de 11 de dezembro de 2013 AUTOR: Poder Executivo PARECER: Favorável, sem apresentação de emendas EMENTA: Dispõe sobre a concessão de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 844/2009-TCE-Pleno

RESOLUÇÃO Nº 844/2009-TCE-Pleno RESOLUÇÃO Nº 844/2009-TCE-Pleno 1. Processo nº: 02856/2009 2. Classe de Assunto: Consulta 3. Entidade: Câmara Municipal de Dianópolis-To 4. Responsável: Reginaldo Rodrigues de Melo - Presidente 5. Relator:

Leia mais

DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015

DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015 Dispõe sobre critérios a serem adotados na execução orçamentária e financeira do Poder Executivo do Município de Goiânia para o exercício

Leia mais

Considerações sobre prescrição em requerimento administrativo e remuneração de trabalho noturno

Considerações sobre prescrição em requerimento administrativo e remuneração de trabalho noturno Considerações sobre prescrição em requerimento administrativo e remuneração de trabalho noturno Parecer nº 08/99-FACB Ementa: Enquanto pender sem resposta requerimento dirigido à Administração, o fluxo

Leia mais

Parecer nº 015/98 - JMS Processo CMRJ nº 04355/97

Parecer nº 015/98 - JMS Processo CMRJ nº 04355/97 Parecer nº 015/98 - JMS Processo CMRJ nº 04355/97 1) Progressão funcional prevista na nova redação do art. 17, 2º, III, do Decreto Legislativo nº 26/91, que foi conferida pelo Decreto Legislativo nº 152/97.

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS, usando das atribuições legais e regimentais,

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS, usando das atribuições legais e regimentais, DECRETO JUDICIÁRIO Nº 1543/2013. Dispõe sobre a Regulamentação da concessão de Bolsa de Graduação e Pós-Graduação no âmbito do Poder Judiciário do Estado de Goiás. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 131/2013/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 131/2013/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 131/2013/TCE-RO Dispõe sobre a concessão de férias aos servidores do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA, no uso das atribuições

Leia mais

Ao Colendo Plenário. A Mesa Diretora da Câmara Municipal de Canoas apresenta o seguinte projeto de resolução:

Ao Colendo Plenário. A Mesa Diretora da Câmara Municipal de Canoas apresenta o seguinte projeto de resolução: Ao Colendo Plenário A Mesa Diretora da Câmara Municipal de Canoas apresenta o seguinte projeto de resolução: Dispõe sobre a instituição e regulamentação de Programa de Capacitação aos servidores da Câmara

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2007 PROCESSO Nº

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO DA PROCURADORIA CONSULTIVA Nº 03/2015 (MARÇO DE 2015)

BOLETIM INFORMATIVO DA PROCURADORIA CONSULTIVA Nº 03/2015 (MARÇO DE 2015) ESTADO DE PERNAMBUCO PROCURADORIA GERAL DO ESTADO BOLETIM INFORMATIVO DA PROCURADORIA CONSULTIVA Nº 03/2015 (MARÇO DE 2015) 1. Instruções para prorrogações de convênios celebrados pela Administração Direta

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 2.865/14 DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014

LEI MUNICIPAL Nº 2.865/14 DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014 LEI MUNICIPAL Nº 2.865/14 DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014 Dispõe sobre o Programa Bolsa Universitária/FESG nos Cursos de Graduação da FAFICH,e dá outras providências A CÂMARA MUNICIPAL DE GOIATUBA, Estado de

Leia mais

33 /2014CGNOR/DENOP/SEGEP/MP ASSUNTO: Progressão funcional de servidor da Universidade Federal de Goiás

33 /2014CGNOR/DENOP/SEGEP/MP ASSUNTO: Progressão funcional de servidor da Universidade Federal de Goiás MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Gestão Pública Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais de Pessoal Coordenação-Geral de Aplicação das Normas Nota Técnica n o 33 /2014CGNOR/DENOP/SEGEP/MP

Leia mais

PARECER Nº 13046. Este o relatório.

PARECER Nº 13046. Este o relatório. PARECER Nº 13046 MANDATO SINDICAL. COMPANHIA RIOGRANDENSE DE MINERAÇÃO CRM. LIBERAÇÃO DE DIRIGENTE SINDICAL. ARTIGO 27, I E II, CONSTITUIÇÃO ESTADUAL. LEI Nº 9.073/90. O Diretor Presidente da Companhia

Leia mais

RESOLUÇÃO PRESI 24 DE 05 DE DEZEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO PRESI 24 DE 05 DE DEZEMBRO DE 2014 TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 1ª REGIÃO RESOLUÇÃO PRESI 24 DE 05 DE DEZEMBRO DE 2014 Regulamenta as indenizações a magistrados e servidores da Justiça Federal da 1ª Região em mudança de domicílio por interesse

Leia mais

Tribunal de Contas do Estado do Pará

Tribunal de Contas do Estado do Pará RESOLUÇÃO Nº. 17.329 (Processo nº. 2007/50268-1) Assunto: Consulta formalizada pelo Exmº Sr. Dr. JOSÉ ALOYSIO CA- VALCANTE CAMPOS, Procurador Geral do Estado à época, solicitando informações a respeito

Leia mais

LEI Nº 5026 DE 19 DE MAIO 2009. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 5026 DE 19 DE MAIO 2009. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 5026 DE 19 DE MAIO 2009 Dispõe sobre a qualificação de entidades como Organizações Sociais e dá outras providências. Autor: Poder Executivo O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, faço saber que

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 864.760 - GO (2006/0145586-0) RELATORA : MINISTRA JANE SILVA (DESEMBARGADORA CONVOCADA DO TJ/MG) RECORRENTE : UNIÃO RECORRIDO : SALVADOR LAUREANO DE ASSUNÇÃO ADVOGADO : LÁZARO SOBRINHO

Leia mais

RESOLUÇÃO PGJ Nº 1493

RESOLUÇÃO PGJ Nº 1493 RESOLUÇÃO PGJ Nº 1493 O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei, tendo em vista o contido no protocolo nº 1436/2009-PGJ, e considerando a

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO (Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial de 03/11/2011) DECRETO Nº 2888-R, DE 01 DE NOVEMBRO DE 2011 Regulamenta o Art. 57, III, da Lei Complementar nº 46, de 31 de janeiro de 1994. O GOVERNADOR

Leia mais

RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA Nº 82/2007 Dispõe sobre o afastamento de magistrados para participar de cursos ou seminários de aperfeiçoamento e estudos.

RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA Nº 82/2007 Dispõe sobre o afastamento de magistrados para participar de cursos ou seminários de aperfeiçoamento e estudos. RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA Nº 82/2007 Dispõe sobre o afastamento de magistrados para participar de cursos ou seminários de aperfeiçoamento e estudos. CERTIFICO E DOU FÉ que o Pleno do Egrégio Tribunal Regional

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA RESOLUÇÃO N 016/2014 DE 27 DE MAIO DE 2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA RESOLUÇÃO N 016/2014 DE 27 DE MAIO DE 2014 RESOLUÇÃO N 016/2014 DE 27 DE MAIO DE 2014 Normatiza os procedimentos para concessão de Afastamentos de Curta Duração, Licença para Capacitação, Afastamentos para Pós- Graduação Stricto Sensu e Pós-Doutorado

Leia mais

PARECER Nº 13.529-PP

PARECER Nº 13.529-PP PARECER Nº 13.529-PP COMPLEMENTAÇÃO DE PENSÃO POR MORTE EM ACIDENTE DE SERVIÇO. ARTIGO 259 DA LC 10.098/94. O servidor titular exclusivamente de cargo em comissão, desde a edição da Emenda Constitucional

Leia mais

PROVIMENTO Nº 29/2007

PROVIMENTO Nº 29/2007 PROVIMENTO Nº 29/2007 Cria o Programa de Treinamento e Desenvolvimento Funcional dos servidores do Ministério Público do Estado do Ceará e estabelece normas para o seu funcionamento. O PROCURADOR-GERAL

Leia mais

Dispõe sobre a qualificação de entidades como Organizações Sociais e dá outras providências.

Dispõe sobre a qualificação de entidades como Organizações Sociais e dá outras providências. DESPACHO 2009 N O Projeto de Lei nº 2/2009 Dispõe sobre a qualificação de entidades como Organizações Sociais e dá outras providências. Autor do Projeto: Poder Executivo SUBSTITUTIVO Nº 1 /2009 Estabelece

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR DECRETO Nº 4.076, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2008. Alterada pelo Decreto nº 16.190, de 13 de outubro de 2011. REGULAMENTA A CONCESSÃO DE DIÁRIAS AOS SERVIDORES PÚBLICOS CIVIS DO PODER EXECUTIVO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

PROJETO DE LEI. Art. 20...

PROJETO DE LEI. Art. 20... PROJETO DE LEI Altera as Leis n o 12.772, de 28 de dezembro de 2012; n o 8.958, de 20 de dezembro de 1994; n o 11.892, de 29 de dezembro de 2008; n o 11.526, de 4 de outubro de 2007; e n o 12.513, de 26

Leia mais

Prof Dr. Antonio Guedes Rangel Junior

Prof Dr. Antonio Guedes Rangel Junior RESOLUÇÃO/UEPB/CONSEPE/065/2014 Regulamenta o processo de afastamento para capacitação de Docentes da UEPB. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE, da UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA UEPB,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Conselho Superior da Universidade Federal de Juiz de Fora RESOLUÇÃO Nº 40/2010

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Conselho Superior da Universidade Federal de Juiz de Fora RESOLUÇÃO Nº 40/2010 RESOLUÇÃO Nº 40/2010 Institui o Programa de Apoio à Qualificação Graduação e Pós- Graduação Stricto Sensu mediante de Bolsas para Servidores Técnico- Administrativos em Educação e Docentes efetivos da

Leia mais

Superavit financeiro em balanço patrimonial de autarquia como fonte de recurso para abertura de crédito suplementar

Superavit financeiro em balanço patrimonial de autarquia como fonte de recurso para abertura de crédito suplementar RELATOR: CONSELHEIRO MAURI TORRES Superavit financeiro em balanço patrimonial de autarquia como fonte de recurso para abertura de crédito suplementar DICOM TCEMG EMENTA: CONSULTA CONTROLADORIA-GERAL DO

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 76, DE 2 DE DEZEMBRO DE 2014

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 76, DE 2 DE DEZEMBRO DE 2014 INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 76, DE 2 DE DEZEMBRO DE 2014 Dispõe sobre os procedimentos complementares relativos à jornada de trabalho e ao controle de assiduidade e pontualidade

Leia mais

Concessão de plano de saúde e auxílio-alimentação a servidores

Concessão de plano de saúde e auxílio-alimentação a servidores Concessão de plano de saúde e auxílio-alimentação a servidores RELATOR: CONSELHEIRO SIMÃO PEDRO TOLEDO Em acréscimo, pondero que, também, o pretendido plano de saúde deva ser estendido a todos os servidores

Leia mais

Suprimentos de fundos (adiantamentos) Manual de Suprimento de fundos Concessão, aplicação e prestação de contas

Suprimentos de fundos (adiantamentos) Manual de Suprimento de fundos Concessão, aplicação e prestação de contas Suprimentos de fundos (adiantamentos) Manual de Suprimento de fundos Concessão, aplicação e prestação de contas 1 Este manual foi desenvolvido com o objetivo de orientar e informar de forma direta sobre

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO PEÇA PROFISSIONAL A administração pública local desencadeou procedimento licitatório, na modalidade de tomada de preços, tendo por objeto a construção de uma ponte de 28 metros.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1 de 03 de Abril de 2000

RESOLUÇÃO Nº 1 de 03 de Abril de 2000 RESOLUÇÃO Nº 1 de 03 de Abril de 2000 EMENTA: Estabelece normas para a organização e funcionamento de cursos de especialização (pósgraduação lato sensu) na Universidade. O CONSELHO COORDENADOR DE ENSINO,

Leia mais

PARECER Nº 13.794. Anistia. Lei Federal 10559/02. Autonomia Estadual. Princípio Federativo.

PARECER Nº 13.794. Anistia. Lei Federal 10559/02. Autonomia Estadual. Princípio Federativo. PARECER Nº 13.794 Anistia. Lei Federal 10559/02. Autonomia Estadual. Princípio Federativo. O presente expediente administrativo tem origem na Casa Civil, a partir de solicitação apresentada por PAULO ALBERTO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 411/2009 TCE/TO Pleno

RESOLUÇÃO Nº 411/2009 TCE/TO Pleno RESOLUÇÃO Nº 411/2009 TCE/TO Pleno 1. Processo nº: 07854/2008 2. Classe de Assunto: III - Consulta 3. Entidade: Defensoria Pública 4. Interessado: Estellamaris Postal 5. Relator: Conselheiro Napoleão de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 01/2015 DO CONSELHO CURADOR DA FUNDAÇÃO DE APOIO UNIVERSITÁRIO

RESOLUÇÃO Nº 01/2015 DO CONSELHO CURADOR DA FUNDAÇÃO DE APOIO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 01/2015 DO CONSELHO CURADOR DA FUNDAÇÃO DE APOIO UNIVERSITÁRIO Define diretrizes e procedimentos relativos a gestão de recursos financeiros captados ou administrados pela Fundação de Apoio

Leia mais

PROCURADORIA GERAL DO ESTADO PROCURADORIA ADMINISTRATIVA

PROCURADORIA GERAL DO ESTADO PROCURADORIA ADMINISTRATIVA PROCESSO: PARECER INTERESSADO: ASSUNTO: PGE n 18669-197464/2008 PA N 187/2009 MARIA DE LOURDES SILVA FALTA AO SERVIÇO por mais de trinta dias consecutivos. Licença para tratamento de saúde indeferida.

Leia mais

MUNICIPAL DA PRODUÇÃO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO 01.019810.98.9.000 - COMISSÃO MUNICIPAL DE SERVIÇOS FUNERÁRIOS

MUNICIPAL DA PRODUÇÃO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO 01.019810.98.9.000 - COMISSÃO MUNICIPAL DE SERVIÇOS FUNERÁRIOS Parecer nº P1032/2001 Processo nº 01.019810.98.9.000 Requerente: SECRETARIA MUNICIPAL DA PRODUÇÃO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO - COMISSÃO MUNICIPAL DE SERVIÇOS FUNERÁRIOS Assunto: Concessão da gratificação do

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER Nº 14.422

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER Nº 14.422 PARECER Nº 14.422 Servidor do IPERGS. Anistia. Efeitos pecuniários. Readmissão levada a efeito. Pedido de enquadramento em cargo pertencente ao Poder Judiciário. Requerimento de aposentadoria. Paulo Alberto

Leia mais

ASSUNTO: Informações quanto à concessão de benefícios aos trabalhadores contratados nos moldes da Lei nº 8.745/93.

ASSUNTO: Informações quanto à concessão de benefícios aos trabalhadores contratados nos moldes da Lei nº 8.745/93. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Coordenação-Geral de Elaboração, Sistematização e Aplicação das Normas Nota

Leia mais

Licitação: publicidade

Licitação: publicidade Licitação: publicidade Parecer n o 18/00-FNB Ementa: Publicação de avisos de licitação aberta pela Câmara Municipal. A disposição do art. 21, n o II, da Lei federal n o 8.666, de 1993, que manda promovê-la

Leia mais

Controlador Geral do Município

Controlador Geral do Município RESOLUÇÃO CGM Nº 534, DE 30 DE ABRIL DE 2004. REGULAMENTA AS ATIVIDADES DE CAPACITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO. O CONTROLADOR GERAL DO

Leia mais

Dispõe sobre a qualificação de entidades como Organizações Sociais OS no âmbito municipal, e dá outras providências.

Dispõe sobre a qualificação de entidades como Organizações Sociais OS no âmbito municipal, e dá outras providências. PREFEITURA MUNICIPAL DE CAPIVARI DO SUL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL LEI MUNICIPAL Nº 884, DE 19 DE AGOSTO DE 2014. Dispõe sobre a qualificação de entidades como Organizações Sociais OS no âmbito municipal,

Leia mais

CONSIDERANDO que deve haver compatibilidade entre o motivo do deslocamento e o interesse público;

CONSIDERANDO que deve haver compatibilidade entre o motivo do deslocamento e o interesse público; ATO DA MESA Nº 500, de 15 de julho de 2015 Dispõe sobre a concessão de diárias e passagens e a respectiva prestação de contas no âmbito da Assembleia Legislativa, e adota outras providências. A MESA DA

Leia mais

https://www.cnj.jus.br/pjecnj/painel/painel_usuario/documentohtml... ACÓRDÃO

https://www.cnj.jus.br/pjecnj/painel/painel_usuario/documentohtml... ACÓRDÃO 1 de 8 23/04/2014 14:41 E M E N TA P R O C E D I M E N TO S D E C O N TR O L E A D M I N I S T R ATI V O. T R I B U N A L D E J U S T I Ç A D O E S TA D O D A B A H I A. CUMULAÇÃO DE DIÁRIAS COM INDENIZAÇÃO

Leia mais

Operacionalização e gerenciamento da folha de pagamento de servidores públicos municipais

Operacionalização e gerenciamento da folha de pagamento de servidores públicos municipais RELATOR: CONSELHEIRO SEBASTIÃO HELVECIO Operacionalização e gerenciamento da folha de pagamento de servidores públicos municipais EMENTA: CONSULTA MUNICÍPIO CONTRATAÇÃO DE INSTITUIÇÃO FINANCEIRA GERENCIAMENTO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 25/2014 Regulamenta a política de afastamento para qualificação e capacitação do Pessoal Técnico- Administrativo,

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO INSTITUCIONAL À PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU ( PROCAPS)

PROGRAMA DE APOIO INSTITUCIONAL À PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU ( PROCAPS) UNIVERSIDADE TIRADENTES Pró-Reitoria Acadêmica Pró-Reitoria Adjunta de Pós-Graduação e Pesquisa PROGRAMA DE APOIO INSTITUCIONAL À PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU ( PROCAPS) Março de 2006 REGULAMENTO DO PROGRAMA

Leia mais

Itabuna PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA

Itabuna PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA D E C R E T O Nº 11.028, de 10 de novembro de 2014 EMENTA: Dispõe sobre os procedimentos e prazos para o Encerramento do Exercício Financeiro de 2014, no âmbito da Administração Pública Municipal e, dá

Leia mais

CAPÍTULO I Das Organizações Sociais

CAPÍTULO I Das Organizações Sociais Dispõe sobre a qualificação de entidades como organizações sociais e dá outras providências O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu promulgo a seguinte

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 58, DE 20 DE JULHO DE 2010.

RESOLUÇÃO N. 58, DE 20 DE JULHO DE 2010. (Publicada no Diário da Justiça, Seção Única, de 16/08/2010, págs. 01/02) RESOLUÇÃO N. 58, DE 20 DE JULHO DE 2010. Dispõe sobre a concessão e o pagamento de diárias no âmbito do Conselho Nacional do Ministério

Leia mais

Adoção do instituto jurídico do credenciamento para prestação de consultas médicas

Adoção do instituto jurídico do credenciamento para prestação de consultas médicas Adoção do instituto jurídico do credenciamento para prestação de consultas médicas CONSULTA N. 811.980 EMENTA: Consulta Prefeitura Municipal I. Realização de sistema de credenciamento para prestação de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA RESOLUÇÃO Nº 01/2011 Regulamenta a capacitação de Pessoal Técnico-

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.169, DE 23 DE AGOSTO DE 2011

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.169, DE 23 DE AGOSTO DE 2011 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.169, DE 23 DE AGOSTO DE 2011 Disciplina o afastamento de servidores docentes e técnico-administrativos

Leia mais

Parecer nº 13.346. Enfiteuse. Expropriação do domínio útil. Cobrança de laudêmio.

Parecer nº 13.346. Enfiteuse. Expropriação do domínio útil. Cobrança de laudêmio. Parecer nº 13.346 Enfiteuse. Expropriação do domínio útil. Cobrança de laudêmio. O presente expediente originou-se de dúvida levantada pela Procuradoria-Geral do Município de Porto Alegre, manifestada

Leia mais

ORDEM DO DIA FLS.394 , ESTADO DE SÃO PAULO. OFíCIO GP. N. 196/2012 Proc. n", 3194/96. Senhor Presidente,

ORDEM DO DIA FLS.394 , ESTADO DE SÃO PAULO. OFíCIO GP. N. 196/2012 Proc. n, 3194/96. Senhor Presidente, ORDEM DO DIA FLS.394 "R" U~,.-:.-L.C. _~"'''' "'-'~ (".':N,~ -..,.~:..:-.;::..-

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 265/2009

RESOLUÇÃO Nº 265/2009 RESOLUÇÃO Nº 265/2009 EMENTA: Dispõe sobre a concessão e pagamento de diárias a magistrados e servidores, no âmbito do Poder Judiciário do Estado de Pernambuco, e dá outras providências. A CORTE ESPECIAL

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 128/2013/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 128/2013/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 128/2013/TCE-RO Dispõe sobre a concessão de folgas compensatórias e o gozo de Licença-Prêmio por Assiduidade dos servidores do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL

Leia mais

PARECER DE CONTROLE INTERNO NAS PRESTAÇÕES DE CONTAS

PARECER DE CONTROLE INTERNO NAS PRESTAÇÕES DE CONTAS PARECER DE CONTROLE INTERNO NAS PRESTAÇÕES DE CONTAS Florianópolis Janeiro/2015 GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA João Raimundo Colombo Governador do Estado de Santa Catarina SECRETARIA DE ESTADO DA

Leia mais

Secretaria do Planejamento e Gestão do Estado do Ceará

Secretaria do Planejamento e Gestão do Estado do Ceará 25 Manual de FINANCIAMENTO DE SERVIDOR PÚBLICO / EMPREGADO PARA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO Secretaria do Planejamento e Gestão do Estado do Ceará Secretária do Planejamento e Gestão Desirée Custódio Mota

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 008/2012 - PGJ

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 008/2012 - PGJ PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA Publicado no D.O.E. Nº 12.629 Edição de 21 / 01 / 2012 RESOLUÇÃO Nº 008/2012 - PGJ Dispõe sobre a concessão de diárias aos servidores do Ministério Público do Estado do Rio

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS UNIVESP BOLSAS DE APOIO ACADÊMICO E TECNOLÓGICO

PROGRAMA DE BOLSAS UNIVESP BOLSAS DE APOIO ACADÊMICO E TECNOLÓGICO BOLSAS DE APOIO ACADÊMICO E TECNOLÓGICO Normas e Procedimentos 1. DISPOSIÇÕES GERAIS A UNIVESP instituiu, por deliberação de seu Conselho de Curadores, o PROGRAMA DE BOLSAS UNIVESP, com as características

Leia mais

DECRETO Nº 39.842, DE 19 DE SETEMBRO DE 2013. CONSIDERANDO o disposto no inciso XII do art. 91 da Lei nº 6.123, de 20 de julho de 1968, e alterações;

DECRETO Nº 39.842, DE 19 DE SETEMBRO DE 2013. CONSIDERANDO o disposto no inciso XII do art. 91 da Lei nº 6.123, de 20 de julho de 1968, e alterações; DECRETO Nº 39.842, DE 19 DE SETEMBRO DE 2013. Regulamenta a participação dos servidores efetivos, civis e militares, e empregados públicos em cursos de capacitação e eventos de natureza científi ca e técnica,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 9.424, DE 24 DE DEZEMBRO DE 1996. Dispõe sobre o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização

Leia mais

ANEXO I (Anexo inserido pelo Provimento nº 28/2005. Título alterado pelo Provimento nº 39/2005)

ANEXO I (Anexo inserido pelo Provimento nº 28/2005. Título alterado pelo Provimento nº 39/2005) ANEXO I (Anexo inserido pelo Provimento nº 28/2005. Título alterado pelo Provimento nº 39/2005) REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PERMANENTE DE INFORMÁTICA TÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1 À Comissão Permanente

Leia mais

RESOLUÇÃO CA Nº 0086/2009. CONSIDERANDO a implantação do Plano de Capacitação dos Agentes Universitários;

RESOLUÇÃO CA Nº 0086/2009. CONSIDERANDO a implantação do Plano de Capacitação dos Agentes Universitários; RESOLUÇÃO CA Nº 0086/2009 Regulamenta o afastamento do serviço para capacitação dos Agentes Universitários da Carreira Técnica Universitária e dá outras providências. CONSIDERANDO a implantação do Plano

Leia mais

PARECER PGFN/CRJ/Nº 2126 /2011

PARECER PGFN/CRJ/Nº 2126 /2011 PARECER PGFN/CRJ/Nº 2126 /2011 Contribuição previdenciária. Não incidência em relação aos valores recebidos em razão do exercício de função comissionada, após a edição da Lei 9.783/99, pelos servidores

Leia mais

PARECER CÍVEL N. 2/3.027/15 ARGUIÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE DE LEI 92247-52.2015.8.09.0000 (201590922476) ÓRGÃO FRACIONÁRIO DE ORIGEM

PARECER CÍVEL N. 2/3.027/15 ARGUIÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE DE LEI 92247-52.2015.8.09.0000 (201590922476) ÓRGÃO FRACIONÁRIO DE ORIGEM PARECER CÍVEL N. 2/3.027/15 ARGUIÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE DE LEI 92247-52.2015.8.09.0000 (201590922476) COMARCA DE ORIGEM ITAGUARI/GO ÓRGÃO FRACIONÁRIO DE ORIGEM 2ª TURMA DA 4ª CÂMARA CÍVEL ÓRGÃO JULGADOR

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE - ES

PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE - ES DECRETO Nº 6.106/2013 REGULAMENTA AS LICENÇAS PARA TRATAMENTO DE SAÚDE, DE QUE TRATAM OS ARTS. 80, I; 82 A 100, DA LEI MUNICIPAL Nº 1.132, DE 02 DE JULHO DE 1990 (ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA PA nº 1.36.000.000703/2008-95/GAB.01/PRTO Os Procuradores da República signatários, no cumprimento da determinação contida na CF/88, art. 127,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 001/2014

RESOLUÇÃO Nº 001/2014 RESOLUÇÃO Nº 001/2014 Dispõe sobre a concessão de Apoio à Qualificação Funcional CONSIDERANDO que o número de docentes da AEVSF portadores de titulação de Mestres e Doutores é pouco maior que 1/3 do efetivo

Leia mais

Representante do Ministério Público: UBALDO ALVES CALDAS;

Representante do Ministério Público: UBALDO ALVES CALDAS; Tribunal de Contas da União Representante do Ministério Público: UBALDO ALVES CALDAS; Dados Materiais: c/ 01 volume Assunto: Recurso de Reconsideração Acórdão: VISTOS, relatados e discutidos estes autos

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER Nº 14.867

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER Nº 14.867 PARECER Nº 14.867 TRADUTOR PÚBLICO E INTÉRPRETE COMERCIAL. INCLUSÃO, REINCLUSÃO E HABILITAÇÃO EM MAIS UM IDIOMA, SOB CONDIÇÃO PRECÁRIA. IMPOSSIBILIDADE. Vêm ao exame desta Equipe de Consultoria, encaminhados

Leia mais

ATO Nº 32/2009. O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABA- LHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 32/2009. O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABA- LHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 32/2009 Dispõe sobre a concessão de Bolsa de Estudo de cursos de pós-graduação lato e strito sensu, na forma de reembolso parcial, para magistrados e servidores do Tribunal Regional do Trabalho

Leia mais

LEI Nº 4.081, DE 04 DE JANEIRO DE 2008 DODF DE 07.01.2008

LEI Nº 4.081, DE 04 DE JANEIRO DE 2008 DODF DE 07.01.2008 LEI Nº 4.081, DE 04 DE JANEIRO DE 2008 DODF DE 07.01.2008 Dispõe sobre a qualificação de entidades como organizações sociais no âmbito do Distrito Federal e dá outras providências. O GOVERNADOR DO DISTRITO

Leia mais

A Despesa na Contabilidade Pública

A Despesa na Contabilidade Pública A Despesa na Contabilidade Pública A contabilidade pública identifica a despesa sob uma perspectiva exclusivamente financeira. Ao contrário da contabilidade comercial, cuja composição é orientada pelo

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº, DE DE DE 2010 Dispõe sobre a concessão e o pagamento de diárias no âmbito do Conselho Nacional do Ministério Público, do Ministério Público da União e dos Estados e dá outras Providências.

Leia mais

: MIN. MARCO AURÉLIO :DICACIEL TELEMED COM EQUIP, INFORMÁTICA E SERVIÇOS LTDA - EPP :FABRICIO DE CARVALHO ROCHA :PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DA

: MIN. MARCO AURÉLIO :DICACIEL TELEMED COM EQUIP, INFORMÁTICA E SERVIÇOS LTDA - EPP :FABRICIO DE CARVALHO ROCHA :PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DA MANDADO DE SEGURANÇA 30.788 MINAS GERAIS RELATOR IMPTE.(S) ADV.(A/S) IMPDO.(A/S) ADV.(A/S) LIT.PAS.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. MARCO AURÉLIO :DICACIEL TELEMED COM EQUIP, INFORMÁTICA E SERVIÇOS LTDA - EPP :FABRICIO

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS INTEGRANTES DAS AUDITORIAS INTERNAS DAS ENTIDADES VINCULADAS AO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

ASSOCIAÇÃO DOS INTEGRANTES DAS AUDITORIAS INTERNAS DAS ENTIDADES VINCULADAS AO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ASSOCIAÇÃO DOS INTEGRANTES DAS AUDITORIAS INTERNAS DAS ENTIDADES VINCULADAS AO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ROTEIRO DE VERIFICAÇÃO TOMADA DE CONTAS ESPECIAL GT - 8 O QUE É De acordo com o art. 3º da Instrução

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ ESTADO DO MARANHÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ ESTADO DO MARANHÃO LEI Nº 1552, DE 18 DE AGOSTO DE 2011. Disciplina a dação em pagamento de obras, serviços e bem móvel como forma de extinção da obrigação tributária no Município de Codó, prevista no inciso XI do artigo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO. Resolução n 027/2011-CONSU De 22 de dezembro de 2011

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO. Resolução n 027/2011-CONSU De 22 de dezembro de 2011 Resolução n 027/2011-CONSU De 22 de dezembro de 2011 Regulamenta as normas para o relacionamento entre a Universidade Federal do Amapá e as Fundações de Apoio prevista na Lei n 8.958, de 20 de dezembro

Leia mais

ACÓRDÃO. Vistos, relatados e discutidos os autos.

ACÓRDÃO. Vistos, relatados e discutidos os autos. ADMINISTRATIVO. CONCURSO PÚBLICO. VALORA- ÇÃO DE TÍTULOS. ENTIDADE PRIVADA. REMUNERA- ÇÃO PAGA PELO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS). ADMISSIBILIDADE. 1. Admite-se a valoração, em concurso público do Município

Leia mais

Instrução Normativa xx de... 2014.

Instrução Normativa xx de... 2014. REGULAMENTO PARA AFASTAMENTO DE SERVIDORES DOCENTES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL PARA CAPACITAÇÃO EM PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU E PÓS-DOUTORADO

Leia mais

Programa de Estudantes-Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG)

Programa de Estudantes-Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG) Programa de Estudantes-Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG) O Ministério das Relações Exteriores, neste ato representado pelo Departamento Cultural, doravante denominado DC, a Coordenação de Aperfeiçoamento

Leia mais

Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) PARECER Nº, DE 2015

Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) PARECER Nº, DE 2015 PARECER Nº, DE 2015 Da Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle, sobre a Proposta de Fiscalização e Controle nº 1, de 2015, que propõe investigação sobre o processo de

Leia mais

2. Instruiu-se o processo com a documentação comprobatória exigida pela Portaria AGU nº 219/2002.

2. Instruiu-se o processo com a documentação comprobatória exigida pela Portaria AGU nº 219/2002. 1 Parecer n.º 10 /2012/EAGU/Conselho Consultivo/JSMN N.U.P.: 00590.001457/2012-81 Interessada: FERNANDA MENEZES PEREIRA Assunto: Afastamento para Estudo no Exterior sanduíche na Vienna University of Economics

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 56, DE 5 DEZEMBRO DE 2007

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 56, DE 5 DEZEMBRO DE 2007 INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 56, DE 5 DEZEMBRO DE 2007 Dispõe sobre instauração e organização de processo de tomada de contas especial e dá outras providências. O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso do

Leia mais

INSTITUTO DE ENGENHARIA NUCLEAR PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA NUCLEARES

INSTITUTO DE ENGENHARIA NUCLEAR PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA NUCLEARES INSTITUTO DE ENGENHARIA NUCLEAR PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA NUCLEARES REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO ACADÊMICO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA NUCLEARES Atualização de 30 de outubro de

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.863, DE 24 DE SETEMBRO DE 2013. Mensagem de veto Conversão da Medida Provisória nº 614, de 2013 Altera a Lei n o 12.772,

Leia mais