INSTITUTO PAULISTA DA VISÃO - IPEPO / SPDM / HOSPITAL SÃO PAULO CURSO DE TERAPÊUTICA EM OFTALMOLOGIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTITUTO PAULISTA DA VISÃO - IPEPO / SPDM / HOSPITAL SÃO PAULO CURSO DE TERAPÊUTICA EM OFTALMOLOGIA"

Transcrição

1 INSTITUTO PAULISTA DA VISÃO - IPEPO / SPDM / HOSPITAL SÃO PAULO CURSO DE TERAPÊUTICA EM OFTALMOLOGIA A G O S T O A D E Z E M B R O D E

2 O CURSO Ensino especializado, reunindo algumas das maiores e mais experientes autoridades brasileiras em Oftalmologia, visando complementar a formação médica. Em nosso curso, você poderá assistir aulas didáticas ministradas por médicos que realmente sabem o que estão falando, pois trabalham com isso e são especialistas. Nossa proposta é capacitar médicos e ensinar a fazer a coisa certa nas situações mais críticas do dia-a-dia. Nossa equipe é formada por médicos especialistas oftalmologistas e docentes, com ampla experiência profissional. Teremos aulas especialmente preparadas para a prática médica, com condutas atualizadas e discussões de casos clínicos. Coordenadores Dr. Rubens Belfort Jr Dra. Jacqueline M. Sousa MÓDULOS Refratometria Clínica e Cirúrgica Catarata Córnea e Cirurgia Refrativa Estrabismo Glaucoma Neuroftalmologia Oculoplástica Retina Tumores Oculares Uveítes 124 HORAS DE AULA INFORMAÇÕES IMPORTANTES INVESTIMENTO TOTAL R$ 3.080* PRÉ-REQUISITO Médico com CRM DIAS DE AULA Terças, quintas e sábados** *10% de desconto no pagamento à vista no boleto ou 4x de R$ 770,00 no cartão de crédito VISA ou Mastercard ** Aulas às terças e quintas entre 19h30 e 22h30 e aos sábados entre 08h00 e 13h00

3 MÓDULO REFRATOMETRIA O primeiro módulo do curso engloba a Refratometria, que ainda é uma das essências da Oftalmologia. Desnecessário dizer que, cada vez mais, a Refratometria está inserida na melhor Oftalmologia especializada, sendo importante em áreas como Cirurgia Refrativa, Catarata, Oftalmopediatria, Oftalmogeriatria, Retina, entre outras. Fazer refração adequada e correta segue em dos passos mais importantes da atividade médica, e esse curso visa desenvolver competência e habilidade específica à assistência refracional e optométrica para os pacientes. Serão ensinados métodos e técnicas corretas para refração em crianças, adultos, idosos e também em casos especiais, como usuários de lentes de contato, após cirurgia refrativa, baixa visão etc. Ensinaremos além da Refratometria e Optometria básicas, a aplicação dos recursos modernos de Refratometria automática e aplicativos em saúde ocular pelo oftalmologista e também diretamente por pacientes. Coordenador Dr. Ricardo Uras Diretores Dr. Harley Bicas Dr. Luiz Formentin Dr. Marcos Safady Dr. Mauro Campos Dr. Newton Kara-José Dr. Paulo Schor Dr. Wallace Chamon MÓDULO CLÍNICA E CIRÚRGICA Nesse módulo ensinaremos os sinais e sintomas das principais causas de acometimento visual e ocular no Brasil. Abordaremos os temas por área de especialidade da Oftalmologia: Córnea e Doenças Externas, Cirurgia Refrativa, Glaucoma, Retina, Tumores Oculares, Neuroftalmologia, Catarata, Estrabismo, Uveítes e Oculoplástica. Nossa abordagem será baseada em imagens, casos didáticos e presente e futuro da Oftalmologia; focando na identificação e tratamento das diversas doenças oculares. Também daremos enfoque nas atualidades e novidades na Oftalmologia. Coordenadores das Áreas Anestesia em Oftalmologia: Dr. José Luiz Gomes do Amaral Catarata: Dr. Lincoln Freitas Dr. Milton Yogi Dra. Norma Allemann Dr. Wallace Chamon Dr. Walton Nosé Córnea e Refrativa: Dra. Ana Luisa Höfling-Lima Dra. Denise de Freitas Dra. Eliane Mayumi Nakano Dr. José Álvaro P. Gomes Dra. Luciene B. de Sousa Dr. Mauro Campos Dra. Norma Allemann Dr. Rubens Belfort Jr Dr. Wallace Chamon Dr. Walton Nosé Estrabismo: Dra. Célia Nakanami Dr. Tomaz Mendonça Farmacologia Ocular: Dr. Acácio Alves Souza Lima Filho Glaucoma: Dr. Augusto Paranhos Jr Dr. Ivan M. Tavares Dr. Paulo Augusto A. Mello Neuroftalmologia: Dra. Luciana Noia Plástica Ocular, Vias Lacrimais e Órbita: Dr. João Amaro Silva (Vias Lacrimais) Dra. Midori Osaki (Plástica Ocular) Dr. Paulo Gois Manso (Órbita) Retina: Dr. André Maia Dr. André Romano Dr. Caio Regatieri Dr. Maurício Maia Dr. Michel Farah Dra. Nilva Bueno de Moraes Tumores Oculares: Dr. Rubens Belfort Neto Uveítes: Dra. Cristina Muccioli Dra. Heloisa M. Nascimento Dr. Rubens Belfort Jr

4 DIAS DE AULA Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro * 08 07* 05* * 24 22* * Sábado OS ALUNOS QUE OBTIVEREM MAIS DE 75% DE PRESENÇA NO CURSO RECEBERÃO CERTIFICADO LOCAL DO EVENTO Anfiteatro SPDM A G O S T O A D E Z E M B R O D E RELIMINAR CURSO DE TERAPÊUTICA EM OFTALMOLOGIA ROGRAMAÇÃO Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 Vila Clementino São Paulo - SP

5 MÓDULO I - REFRATOMETRIA Coordenador Dr. Ricardo Uras Diretores Dr. Harley Bicas, Dr. Luiz Formentin, Dr. Marcos Safady, Dr. Mauro Campos, Dr. Newton Kara-José, Dr. Paulo Schor e Dr. Wallace Chamon 04/08/2015 (terça-feira) Óptica Básica I Óptica física relacionada à refração Por que esse conhecimento é importante? - Dr. Ricardo Uras Luz: natureza e propagação (interferência, difração e polarização) - Dr. Ricardo Uras Luz: interações com a matéria (absorção, reflexão e refração) - Dr. Ricardo Uras Refração e seus fundamentos - Dr. Ricardo Uras 06/08/2015 (quinta-feira) Óptica Básica II 20h30-21h00 Refração em dioptros planos e curvos - Dr. Ricardo Uras Associação de dioptros: prismas e lentes - Dr. Ricardo Uras Pontos cardeais de uma lente: focais, principais e nodais - Dr. Ricardo Uras Lentes esféricas, asféricas, tóricas e prismas - Dr. Ricardo Uras 11/08/2015 (terça-feira) Óptica ocular 20h30-21h00 21h10 22h10 Entendendo a óptica do olho humano - Dr. Ricardo Uras Ametropias - Dr. Ricardo Uras Refração ocular e esquiascopia - Dr. Ricardo Uras 13/08/2015 (quinta-feira) Aplicações da óptica na refratometria 20h30-21h00 Refrator de Green - Dr. Ricardo Uras Testes objetivos e subjetivos para refração - Dr. Ricardo Uras Acomodação e presbiopia - Dr. Ricardo Uras Finalidades e princípios gerais das prescrições ópticas - Dr. Ricardo Uras

6 18/08/2015 (terça-feira) Refratometria em casos especiais I 20h30-21h00 Refração pré e pós cirurgia refrativa - Dr. Wallace Chamon Quando indicar e contraindicar cirurgia refrativa - Dr. Wallace Chamon Como lidar com o paciente quase présbita e com o présbita jovem - Dr. Wallace Chamon Refração nos insucessos cirúrgicos (resultados não satisfatórios para os pacientes) - Dr. Wallace Chamon 20/08/2015 (quinta-feira) Refratometria Acuidade Visual em casos especiais I 20h30-21h00 Como avaliar ou quantificar a acuidade visual dos pacientes - Dr. Paulo Schor Importância da distância para a avaliação da acuidade visual - Dr. Paulo Schor Tabelas, projetores, telas computadorizadas Qual método utilizar? - Dr. Paulo Schor Aplicativos, devices e automatização da refração - Dr. Paulo Schor 22/08/2015 (sábado) Refratometria em casos especiais II 07h30 08h00 08h00 08h30 08h30-09h20 09h20 09h30 09h30 10h00 10h00 10h30 10h30 11h00 11h00 11h30 11h30 12h00 12h00 12h30 12h30 13h30 Café da manhã O que deve ser valorizado ou não na anamnese - Dr. Mauro Campos Farmacologia na Oftalmologia - Dr. Acácio Souza Lima Refração em crianças e importância da cicloplegia - Dr. Tomaz Mendonça Influência do estrabismo ou forias na refração - Dr. Tomaz Mendonça Quando prescrever e não prescrever óculos para crianças - Dr. Tomaz Mendonça Coffee Break Refratometria na contatologia - Dr. Luiz Formentin Dificuldades na prescrição diante de irregularidades da curvatura corneana - Dr. Cesar Lipener Chegou a presbiopia! Monovisão ou lentes multifocais? - Dr. Cesar Lipener

7 20/08/ /08/2015 (quinta-feira) (terça-feira) Refratometria Presbiopia Presbiopia em casos especiais I 20h30-21h00 A presbiopia é o arauto do envelhecimento? - Dr. Marcus Safady O présbita é um paciente especial. A importância de explicar o porquê para o paciente. - Dr. Marcus Safady Lentes monofocais, bifocais, multifocais, progressivas, regressivas. O que indicar ou sugerir para o paciente? - Dr. Marcus Safady Como lidar com os insucessos? - Dr. Marcus Safady 20/08/ /08/ /08/2015 (quinta-feira) Presbiopia Refratometria em geral casos especiais I 20h00 20h40 20h40 21h00 21h40 21h55 21h55 22h10 Refração no consultório - Dr. Newton Kara-José Acomodação - Dr. Harley Bicas Correções ópticas: óculos ou lentes de contato? - Dr. Harley Bicas O que é refração dinâmica - Dr. Harley Bicas Princípios e critérios das prescrições ópticas - Dr. Harley Bicas Não haverá aula devido ao Congresso 20/08/ /08/ /09 e 03/09/2015 (quinta-feira) Refratometria Presbiopia Brasileiro de em Oftalmologia casos especiais I MÓDULO II - CLÍNICA E CIRURGIA Coordenadores Córnea e Cirurgia Refrativa Dra. Ana Luisa Höfling-Lima Dra. Denise de Freitas Dra. Eliane Mayumi Nakano Dr. José Álvaro P. Gomes 08/09/2015 (terça-feira) Dra. Luciene B. de Sousa Dr. Mauro Campos Dra. Norma Allemann Dr. Rubens Belfort Jr CÓRNEA I Dr. Wallace Chamon Dr. Walton Nosé 20h00 20h20 20h20 20h40 20h40 21h00 21h00 21h40 Distrofias corneanas - Dr. Elcio Sato Importância das disfunções do filme lacrimal - Dr. José Álvaro P. Gomes Conjuntivites agudas e crônicas - Dr. Charles Farias Entendendo as diferenças entre conjuntivites bacterianas e virais - Dra. Ana Luisa Hofling-Lima Infecções corneanas bacterianas - Dra. Ana Luisa Hofling-Lima

8 10/09/2015 (quinta-feira) Córnea II Tumores da córnea e conjuntiva - Dr. Rubens Belfort Neto Ceratoconjuntivites virais - Dr. Rubens Belfort Neto Infecções corneanas fúngicas - Dr. Luis Antonio Vieira Ceratites não infecciosas - Dr. Luis Antonio Vieira 12/09/2015 (sábado) Córnea Cirúrgica 07h30 08h00 08h00 08h30 08h30 09h00 09h00 09h30 09h30 10h00 10h00 10h30 10h30 11h00 11h00 11h30 11h30 12h00 12h00 12h30 12h30 12h45 Café da manhã Princípios da cirurgia de córnea e conjuntiva - Dr. Lauro Oliveira Cirurgia de pterígio - Dra. Telma Pereira Traumas corneanos - Dra. Luciene B. de Sousa Indicações de membrama amniótica - Dr. José Álvaro P. Gomes Transplante de córnea penetrante - Dr. Walton Nosé Transplante de córnea lamelar - Dra. Luciene B. de Sousa Transplante de limbo - Dr. José Álvaro P. Gomes Tratamento de doenças da córnea com Excimer Laser - Dr. Paulo Schor 15/09/2015 (terça-feira) Córnea III 21h10 21h50 21h50 22h10 Blefarites e Disfunções das glândulas de Meibomius - Dra. Denise de Freitas Exames de imagem em córnea (topografia e tomografia) - Dra. Caroline Ferraz Infecções corneanas por Acanthamoeba - Dra. Denise de Freitas Doenças cicatrizantes da superfície ocular: queimaduras, penfigóide e Stevens-Johnson - Dra. Myrna Serapião 17/09/2015 (quinta-feira) CÓRNEA IV 21h10 22h10 Evolução e tratamento do ceratocone - Dr. Mauro Campos Anel corneano intraestromal e lentes fácicas - Dr Mauro Campos Lentes de contato - Dr. Luiz Formentin

9 22/09/2015 (terça-feira) Córnea Cirúrgica e Cirurgia Refrativa I 21h10 21h50 21h50 22h10 Exames de imagem em cirurgia refrativa (topografia, tomografia, wavefront) - Dr Paulo Schor PRK (Indicações, técnica e complicações) - Dr. Wallace Chamon LASIK (Indicações, técnica e complicações) - Dr. Wallace Chamon Facoemulsificação para altas ametropias - Dr. Wallace Chamon 24/09/2015 (quinta-feira) Córnea Cirúrgica e Cirurgia Refrativa II 20h00 20h40 20h40 21h00 21h10 21h50 21h50 22h10 Procedimentos cirúrgicos para manutenção da superfície ocular: cola, recobrimento, micropuntura e patch - Dr. Elcio Sato Tratamento de doenças da córnea com Excimer e Femtosecond laser - Dr. Walton Nosé Conjuntivites alérgicas - Dr Rubens Belfort Jr Anel e crosslinking em ceratocone - Dra. Eliane Mayumi Nakano Coordenadores Glaucoma Dr. Augusto Paranhos Jr Dr. Ivan M. Tavares Dr. Paulo Augusto A. Melo 29/09/2015 (terça-feira) Glaucoma I 20h00 20h10 20h10 20h30 20h30 21h50 20h50 21h00 21h10 22h40 22h40 22h10 Qual a propedêutica mínima necessária no glaucoma? - Dr. Paulo Augusto A. Melo Exames subsidiários no glaucoma I (retinografia e gonioscopia) - Dr. Sérgio Teixeira Exames subsidiários no glaucoma II (CV e OCT) - Dr. Ivan M. Tavares Quais os outros testes importantes? - Dr. Vespasiano R. Santos Glaucoma primário de ângulo aberto - Dr. Ivan M. Tavares Qual a melhora cirurgia para glaucoma primário de ângulo aberto? - Dr. Paulo Augusto A. Melo

10 01/10/2015 (quinta-feira) Glaucoma II 20h30 20h45 20h45 21h00 21h10 21h30 21h30 21h50 21h50 22h10 Diagnóstico diferencial e terapias no glaucoma primário de ângulo fechado - Dr. Ivan M. Tavares Glaucoma de pressão normal - Dr. Roberto M. Vessani Parâmetros de acompanhamento do glaucomatoso - Dr. Roberto M. Vessani Glaucoma neovascular: prevenindo e tratando - Dr. Luiz Alberto S. Mello Jr Glaucoma associado a drogas e trauma - Dr. Sérgio Teixeira Qual a melhor cirurgia para glaucomas secundários? - Dr. Augusto Paranhos Jr 06/10/2015 (terça-feira) Glaucoma III 20h10 21h40 Outros glaucomas secundários - Dr. Augusto Paranhos Jr Glaucoma casos interessantes - Dr. Augusto Paranhos Jr Glaucoma congênito - Dra. Christiane R. Moura Glaucoma pseudoesfoliativo e pigmentar - Dra. Christiane R. Moura 08/10/2015 (quinta-feira) Glaucoma IV 20h10 21h40 Detalhes do pré e pós-operatório - Dr. Carlos Akira Reoperando casos de glaucoma - Dr. Carlos Akira Como utilizar as drogas e como associá-las - Dr. Tiago S. Prata Estamos tratando quem precisa, aquém ou além do necessário? - Dr. Paulo Augusto A. Mello Coordenadores Retina Dr. André Maia Dr. André Romano Dr. Caio Regatieri Dr. Maurício Maia Dr. Michel Farah Dra. Nilva Bueno de Moraes Dr. Pedro Paulo Bonomo 13/10/2015 (terça-feira) Retina I Exames de imagem em retina - Dr. Vinicius Saraiva Novas possibilidades de imagem com OCT - Dr. André Romano Oclusões de ramo arterial e venoso da retina - Dr. Luiz Filipe Lucatto Oclusões de artéria e veia centrais da retina - Dra. Juliana Prazeres

11 15/10/2015 (quinta-feira) Retina II 20h30 21h10 21h10 21h20 21h20 22h10 Endoftalmites - Dra. Ana Luiza Hofling-Lima Retinopatia por medicamentos - Dr. Rodrigo Meirelles Retinopatia traumática - Dra. Somaia Mitne 17/10/2015 (sábado) Retina Cirúrgica 07h30 08h00 08h00 08h40 08h40 09h20 09h20 10h00 10h00 10h30 10h30 11h00 11h00 12h00 12h00 12h30 12h30 12h45 Café da manhã Fotocogulação a laser - Dr. Renato Passos Injeções intra-vítreas (anti-vegf e corticoides) - Dr. Vinícius Saraiva Princípios da vitrectomia - Dr. Octaviano Magalhães Descolamento de retina - Dr. Mauricio Maia Buraco macular e membrana epirretiniana - Dr. André Maia Vitrectomia em diabetes - Dr. André Maia 20/10/2015 (terça-feira) Retina III 20h00 20h40 20h40 21h10 21h10 21h20 21h20 22h10 Retinopatia e maculopatia diabética - Dr. Caio Regatieri Coriorretinopatia serosa central - Dra. Ana Caroline Garcia Outras doenças vasculares da retina - Dr. Paulo Melo 22/10/2015 (quinta-feira) Retina IV 20h30 21h10 21h10 21h20 21h20 22h10 Retinopatia da prematuridade - Dra. Nilva Bueno Moraes DMRI seca - Dr. Francisco Stafanini DMRI exsudativa - Dr. Michel Farah

12 Coordenadores Tumores Oculares Dr. Rubens Belfort Neto 27/10/2015 (terça-feira) Tumores I 20h00 20h50 20h50 21h20 21h20 21h30 21h30 22h10 Retinoblastoma e tumores oculares na infância - Dr. Luiz F. Teixeira Metástases oculares - Dr. André Vidoris Facomatoses e lesões linfóides - Dra. Monique Mangeon 29/10/2015 (quinta-feira) Tumores II 20h00 20h50 20h50 21h10 21h10 21h20 21h20 22h10 22h10 22h30 Melanoma uveal - Dr. Rubens Belfort Neto Tumores do segmento anterior I (lesões de íris) - Dra. Melina Morales Tumores do segmento anterior II (carcinomas e melanomas) - Dr. Rubens Belfort Neto Coordenadora Neuroftalmologia Dra. Luciana da Cruz Noia 03/11/2015 (terça-feira) Neuroftalmologia I 20h00 20h20 20h20 20h50 20h50 21h00 21h00 21h30 21h30 22h10 Imagem em neuroftalmologia - Dr. Shrael Alves Pupilas - Dra. Carolina Hammer Neurites - Dr. Alessandro Finkelsztejn Neuropatia óptica isquêmica - Dra. Ana Laura Moura 05/11/2015 (quinta-feira) Neuroftalmologia II 20h30 21h10 21h10 21h20 21h10 22h10 Papiledema - Dra. Luciana C. Noia Lesões na via óptica - Dra. Luciana C. Noia Distúrbios do controle da motilidade ocular - Dra. Graciella Sakamiti

13 Coordenadores Plástica Ocular, Vias Lacrimais e Órbita Dra. Midori Osaki (Plástica Ocular) Dr. João Amaro Silva (Vias Lacrimais) Dr. Paulo Gois Manso (Órbita) 07/11/2015 (sábado) Plástica Ocular e Vias Lacrimais 07h30 08h00 08h00 08h20 08h20 08h50 08h50 09h20 09h20 10h00 10h00 10h30 10h30 11h00 11h00 11h45 11h45 12h30 12h30 12h45 Café da manhã Princípios da cirurgia da via lacrimal - Dra. Simone Bison Enucleação, evisceração e exanteração - Dra. Aline P. Miranda Lagoftalmo paralítico - Dra. Patricia Miyasato Técnicas de reconstrução palpebral - Dra. Ana Estela Sant'Ana Alterações da margem palpebral (entrópio, ectrópio e alterações dos cílios) - Dra. Juliana Sartori Blefaroptose e sua correção cirúrgica - Dra. Midori H. Osaki Blefaroespasmo essencial e espasmo hemifacial - Dra. Tammy H. Osaki 10/11/2015 (terça-feira) Lesões Palpebrais e Vias Lacrimais Lesões benignas das pálpebras - Dr. Rubens Belfort Neto Lesões malignas das pálpebras - Dr. Rubens Belfort Neto Obstruções congênitas das vias lacrimais - Dr. João Amaro F. Silva Obstruções adquiridas das vias lacrimais - Dr. Eduardo Garcia 12/11/2015 (quinta-feira) Órbita Doença de Graves - Dr. Luis Paves Celulites orbitárias - Dr. Luis Paves Pseudotumor orbitário - Dr. Paulo Gois Tumores orbitários - Dr. Paulo Gois 17/11 e 19/11/2015 Não haverá aula devido à American Academy of Ophthalmology (AAO)

14 Coordenadores Uveítes Dra. Cristina Muccioli Dra. Heloisa Moraes do Nascimento Dr. Rubens Belfort Jr 24/11/2015 (terça-feira) Úvea I 20h00 20h20 20h20 21h00 Classificação e conduta inicial nas uveítes - Dra. Heloisa Nascimento Toxoplasmose ocular - Dr. Rubens Belfort Jr Sífilis ocular e doença da arranhadura do gato - Dra. Heloisa Nascimento Tuberculose - Dra. Heloisa Nascimento 26/11/2015 (quinta-feira) Úvea II 21h00 21h20 21h20 21h30 21h30 21h50 21h50 22h10 Uveítes virais (ARN, PORN e CMV) - Dra. Cristina Muccioli AIDS - Dra. Cristina Muccioli Doença de Behçet e vasculites - Dra. Carol Marquezani Cuidados especiais na cirurgia do paciente com uveíte - Dr. Rubens Belfort Jr Corticóide, imunossupressores e terapia biológica nas uveítes - Dr. Rubens Belfort Jr 01/12/2015 (terça-feira) Úvea III 20h30 20h40 20h40 21h00 Uveítes anteriores - Dra. Jacqueline Sousa Esclerites e episclerites - Dr. Seiji Hayashi Síndromes mascaradas - Dr. Rubens Belfort Neto VKH, oftalmia simpática e sarcoidose - Dr. Cristina Muccioli Uveítes intermediárias - Dr. Cristina Muccioli

15 Coordenadores Catarata e Anestesia em Oftalmologia Dr. Lincoln Freitas Dr. Milton Yogi Dra. Norma Allemann Dr. Wallace Chamon Dr. Walton Nosé Dr. José Luiz Gomes do Amaral 03/12/2015 (quinta-feira) Catarata I 20h30 21h10 21h10 21h20 21h20 21h50 21h50 22h10 Biometria - Dra. Norma Allemann Pré-operatório e anestesia para cirurgia oftalmológica - Dr. José Luis G. do Amaral Lentes intraoculares - Dr. Milton Yogi Casos didáticos - Dr Walton Nosé 05/12/2015 (sábado) Catarata II 07h30 08h00 08h00 09h00 09h00 09h30 09h30 10h00 10h00 10h30 10h30 11h10 11h10 11h50 11h50 12h30 12h30 12h45 Café da manhã Facoemulsificação (Diversos aparelhos e técnicas) - Dr. Fernando Drudi Uso do Femtosecond laser na cirurgia de catarata - Dr. Walton Nosé Facorefrativa - Dr. Wallace Chamon Cirurgia de catarata em olhos complicados - Dr. Lincoln Freitas Cirurgia de catarata pediátrica - Dr. Walton Nosé Complicações na cirurgia de catarata - Dra. Joyce T. Melo Coordenadores Estrabismo Dra. Célia Nakanami Dr. Tomas Mendonça 08/12/2015 (terça-feira) Estrabismo I 20h30 21h10 21h10 21h20 21h20 22h10 Avaliação oftalmológica no estrabismo - Dr. Tomas Mendonça Esotropias - Dra. Monica Cronemberger Exotropias - Dra. Marcela Barreira

16 10/12/2015 (quinta-feira) Estrabismo II 20h30 21h10 21h10 21h20 21h20 21h50 21h50 22h10 Estrabismos verticais - Dr. Mauro Plut Paralisias de nervos cranianos - Dra. Marcia Keiko Uyeno Ambliopia - Dra. Célia Nakanami Princípios da cirurgia de estrabismo - Dr. Tomas Mendonça ANOTAÇÕES

17

18

19

20 CURSO DE TERAPÊUTICA EM OFTALMOLOGIA INSTITUTO PAULISTA DA VISÃO - IPEPO / SPDM / HOSPITAL SÃO PAULO Realização Patrocínio

XXVI Programa de Atualização Continuada em Oftalmologia

XXVI Programa de Atualização Continuada em Oftalmologia XXVI Programa de Atualização Continuada em Oftalmologia GRAND ROUND - 2016 Segundas-feiras, das 19:30h às 21:00h Anfiteatro Marcos Lindemberg - Edifício dos anfiteatros R. Botucatu, 862-2º Andar Programação

Leia mais

www.saudedireta.com.br

www.saudedireta.com.br H00-H59 CAPÍTULO VII : Doenças do olho e anexos H00-H06 Transtornos da pálpebra, do aparelho lacrimal e da órbita H10-H13 Transtornos da conjuntiva H15-H19 Transtornos da esclera e da córnea H20-H22 Transtornos

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA REFRAÇÃO. Sexta, dia 05 de novembro Das 08h00 às 12h00 Sala 02

PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA REFRAÇÃO. Sexta, dia 05 de novembro Das 08h00 às 12h00 Sala 02 PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA REFRAÇÃO Sexta, dia 05 de novembro Das 08h00 às 11h30 Sala 01 Casos clínicos desafiadores Apresentações de casos clínicos de 10 minutos e 20 minutos de discussão com a platéia. 08h00

Leia mais

Protocolos para exames complementares em oftalmologia

Protocolos para exames complementares em oftalmologia Protocolos para exames complementares em oftalmologia Regulamentar as indicações absolutas para a requisição dos 31 exames complementares oftalmológicos. É necessário entender que cada profissional poderá

Leia mais

DEPARTAMENTO DE OFTALMOLOGIA DA SANTA CASA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA 2013

DEPARTAMENTO DE OFTALMOLOGIA DA SANTA CASA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA 2013 Organização: Departamento de Oftalmologia e Centro de Estudos Jacques Tupinambá Objetivo: Atualização continuada em oftalmologia clínica e cirúrgica. Obrigatória para residentes, especializandos, fellows

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA PRELIMINAR

PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA PRELIMINAR PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA PRELIMINAR 07/07/2016 09:00-10:30 h Mesa Redonda CATARATA O papel das novas tecnologias na cirurgia de catarata (I) SALA 1 (QUELUZ 2 E 5) 09:00-09:10 Recursos diagnósticos (UBM,

Leia mais

CARTILHA DE ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DE GUIAS DE REFERÊNCIA EM OFTALMOLOGIA. Área de abrangência do DRS XIII

CARTILHA DE ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DE GUIAS DE REFERÊNCIA EM OFTALMOLOGIA. Área de abrangência do DRS XIII CARTILHA DE ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DE GUIAS DE REFERÊNCIA EM OFTALMOLOGIA Área de abrangência do DRS XIII HOSPITAL DAS CLINICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

Leia mais

XXIV Programa de Atualização Continuada em Oftalmologia

XXIV Programa de Atualização Continuada em Oftalmologia XXIV Programa de Atualização Continuada em Oftalmologia Programação Grand Round - 2014 Segundas-feiras, das 19:30h às 21:00h Local: Anf. Boris Casoy - R. Botucatu, 821-1º Andar 19:30-19:50 Discussão de

Leia mais

XXV Programa de Atualização Continuada em Oftalmologia

XXV Programa de Atualização Continuada em Oftalmologia XXV Programa de Atualização Continuada em Oftalmologia Grand Round - 2015 Segundas-feiras, das 19:30h às 21:00h Local: Anf. Boris Casoy - R. Botucatu, 821-1º Andar Programação 19:30-19:50 Discussão de

Leia mais

1º JORNADA PAULISTA DE OFTALMOLOGIA

1º JORNADA PAULISTA DE OFTALMOLOGIA 1º JORNADA PAULISTA DE OFTALMOLOGIA REALIZAÇÃO: DEPTOS. DE OFTALMOLOGIA DAS FACULDADES: UNICAMP DE CAMPINAS, USP DE RIBEIRÃO PRETO E UNESP DE BOTUCATU. ORGANIZAÇÃO: CREATIVE SOLUTION AGÊNCIA DE PUBLICIDADE

Leia mais

CRESEMS, CISCOPAR e 20ª. Regional de Saúde Toledo PR PROTOCOLOS CLÍNICOS ESPECIALIZADOS

CRESEMS, CISCOPAR e 20ª. Regional de Saúde Toledo PR PROTOCOLOS CLÍNICOS ESPECIALIZADOS CRESEMS, CISCOPAR e 20ª. Regional de Saúde PROTOCOLOS CLÍNICOS ESPECIALIZADOS OFTALMOLOGIA Pré-requisitos: História clínica detalhada; Exame físico completo; Exames complementares essenciais conforme o

Leia mais

Comissão de Ensino. Conselho Brasileiro de Oftalmologia. Currículo Mínimo - Refratometria

Comissão de Ensino. Conselho Brasileiro de Oftalmologia. Currículo Mínimo - Refratometria Comissão de Ensino Conselho Brasileiro de Oftalmologia Currículo Mínimo - Refratometria * O presente currículo mínimo foi embasado no Manual do CBO de Óptica, Refração e Visão Subnormal e no currículo

Leia mais

Relatório Sintético de Procedimentos

Relatório Sintético de Procedimentos Apêndice E Procedimentos em Oftalmologia da Tabela Unificada do SUS Procedimentos que exigem habilitação como Centro de Atenção Oftalmológico (504) ou Unidade de Atenção Especializada em Oftalmologia (503)

Leia mais

PLANO DE TRABALHO RAZÃO SOCIAL: Centro de Estudos e Pesquisas Oculistas Associados NOME FANTASIA: CEPOA CNPJ: 42.161.307/0001-14 CNES: 2270498 OBJETO

PLANO DE TRABALHO RAZÃO SOCIAL: Centro de Estudos e Pesquisas Oculistas Associados NOME FANTASIA: CEPOA CNPJ: 42.161.307/0001-14 CNES: 2270498 OBJETO PLANO DE TRABALHO RAZÃO SOCIAL: Centro de Estudos e Pesquisas Oculistas Associados NOME FANTASIA: CEPOA CNPJ: 42.161.307/0001-14 CNES: 2270498 OBJETO O presente Plano de Trabalho acordado entre o Gestor

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2016. Programa de Treinamento e Capacitação Médico em Oftalmologia HDO

PROCESSO SELETIVO 2016. Programa de Treinamento e Capacitação Médico em Oftalmologia HDO PROCESSO SELETIVO 2016 Programa de Treinamento e Capacitação Médico em Oftalmologia HDO O Hospital Dia Oftalmológico, através de sua Comissão do Programa de Treinamento e Capacitação Médico em Oftalmologia

Leia mais

TABELA DE HONORÁRIOS MÉDICOS FUSEX - CBHPM 4ª EDIÇÃO (SADT-PLENO) E CBHPM 5ª EDIÇÃO HONORÁRIOS MÉDICOS 5% (ATUALIZADA EM 01/01/2015)

TABELA DE HONORÁRIOS MÉDICOS FUSEX - CBHPM 4ª EDIÇÃO (SADT-PLENO) E CBHPM 5ª EDIÇÃO HONORÁRIOS MÉDICOS 5% (ATUALIZADA EM 01/01/2015) Código Anatômico Procedimento Porte Valor 10100008 CONSULTAS 10101004 CONSULTAS 10101012 Em consultório (demais especialidades) 70,00 R$ 70,00 10101039 Em pronto socorro (demais especialidades) 70,00Em

Leia mais

CEGUEIRA E CATARATA. Perguntas e respostas

CEGUEIRA E CATARATA. Perguntas e respostas CEGUEIRA E CATARATA Perguntas e respostas Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira 14. O que torna a pessoa cega? Somado aos acidentes e defeitos

Leia mais

DEPARTAMENTO DE OFTALMOLOGIA DA SANTA CASA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA 2014

DEPARTAMENTO DE OFTALMOLOGIA DA SANTA CASA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA 2014 Organização: Departamento de Oftalmologia e Centro de Estudos Jacques Tupinambá Objetivo: Atualização continuada em oftalmologia clínica e cirúrgica. Obrigatória para residentes, especializandos, fellows

Leia mais

DR. FERNANDO JOSÉ DE NOVELLI CRM 12289 RQE 6098

DR. FERNANDO JOSÉ DE NOVELLI CRM 12289 RQE 6098 DR. FERNANDO JOSÉ DE NOVELLI CRM 12289 RQE 6098 APRESENTAÇÃO PROFISSIONAL Graduado em Medicina pela Universidade de São Paulo (USP) (1990-1995). Residência médica no Hospital das Clínicas de São Paulo

Leia mais

SIMPÓSIO DE PLÁSTICA OCULAR, ÓRBITA E VIAS LACRIMAIS. 30 de outubro (sexta-feira) 16h30 às 18h Sala Pégasus

SIMPÓSIO DE PLÁSTICA OCULAR, ÓRBITA E VIAS LACRIMAIS. 30 de outubro (sexta-feira) 16h30 às 18h Sala Pégasus SIMPÓSIO DE PLÁSTICA OCULAR, ÓRBITA E VIAS LACRIMAIS Eduardo Soares (MG) Rodrigo Almeida (MG) 16h30 às 18h Sala Pégasus Marilisa Nano Costa (SP) Mitos e Verdades em Vias Lacrimais Eduardo Garcia (SP) Dacrioplastia

Leia mais

Autoria: Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Associação Médica Brasileira e Associação Brasileira de Catarata e Cirurgia Refrativa (ABCCR).

Autoria: Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Associação Médica Brasileira e Associação Brasileira de Catarata e Cirurgia Refrativa (ABCCR). Diretriz de tratamento da Catarata Autoria: Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Associação Médica Brasileira e Associação Brasileira de Catarata e Cirurgia Refrativa (ABCCR). Participantes: Dr. Armando

Leia mais

PARECER CREMEB Nº 05/09

PARECER CREMEB Nº 05/09 Expediente Consulta n o 147.353/08 PARECER CREMEB Nº 05/09 (Aprovado em Sessão da 2ª Câmara de 05/03/2009) Assunto: Indicação de cirurgia refrativa para trabalhador que necessite de utilizar equipamento

Leia mais

8:00h. INSCRIÇÕES E ENTREGA DE MATERIAL. COORDENADORES: Ubirajara Moulin De Moraes (ES) Fabio Braga Soares (ES)

8:00h. INSCRIÇÕES E ENTREGA DE MATERIAL. COORDENADORES: Ubirajara Moulin De Moraes (ES) Fabio Braga Soares (ES) 8:00h. INSCRIÇÕES E ENTREGA DE MATERIAL. Ubirajara Moulin De Moraes (ES) Fabio Braga Soares (ES) 8:40-8:50h. ABERTURA Dr. Fabio Braga Soares (ES) MODULO 1: DEBATEDORES : Dr. Ari De Souza Pena (RJ) Dra.

Leia mais

PARECER CREMEC nº 27/2007 01/12/2007

PARECER CREMEC nº 27/2007 01/12/2007 1 PARECER CREMEC nº 27/2007 01/12/2007 PROCESSO CONSULTA Protocolo CREMEC nº 003962/06 ASSUNTO Solicitações de exames pós-operatórios em cirurgia refrativa. INTERESSADO Dr. José Luciano Leitão de Alencar,

Leia mais

Objetivo: O objetivo deste trabalho é estabelecer diretrizes baseadas em evidências científicas para Cirurgia Refrativa.

Objetivo: O objetivo deste trabalho é estabelecer diretrizes baseadas em evidências científicas para Cirurgia Refrativa. Diretriz de Cirurgia Refrativa Autoria: Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Associação Médica Brasileira e Associação Brasileira de Catarata e Cirurgia Refrativa (ABCCR). Participantes: Dr Renato Ambrosio

Leia mais

PLANO DE TRABALHO OBJETO

PLANO DE TRABALHO OBJETO PLANO DE TRABALHO RAZÃO SOCIAL: CLINICA DE OLHOS AVENIDA RIO BRANCO NOME FANTASIA: CLINICA DE OLHOS AVENIDA RIO BRANCO MATRIZ CNPJ: 01.397.085 0001/56 CNES: 7165765 OBJETO O presente Plano de Trabalho

Leia mais

DR. FERNANDO JOSÉ DE NOVELLI CRM 12289

DR. FERNANDO JOSÉ DE NOVELLI CRM 12289 DR. FERNANDO JOSÉ DE NOVELLI CRM 12289 FORMAÇÃO Graduado em Medicina pela Universidade de São Paulo (USP) (1990-1995). Residência médica no Hospital das Clínicas de São Paulo pela Universidade de São Paulo

Leia mais

O descolamento de retina pode começar em uma pequena área, mas, quando não tratado, pode ocorrer descolamento de toda a retina.

O descolamento de retina pode começar em uma pequena área, mas, quando não tratado, pode ocorrer descolamento de toda a retina. PRINCIPAIS DOENÇAS OCULARES DESCOLAMENTO DE RETINA Definição O descolamento de retina é a separação da retina da parte subjacente que a sustenta. A malha de nervos que constitui a parte sensível à luz

Leia mais

EVITANDO ACIDENTES. Como evitar acidentes com os olhos. Cozinhando. Produtos de limpeza. Objetos e crianças. Plantas

EVITANDO ACIDENTES. Como evitar acidentes com os olhos. Cozinhando. Produtos de limpeza. Objetos e crianças. Plantas EVITANDO ACIDENTES Como evitar acidentes com os olhos Quando se trata de acidentes com os olhos, o melhor remédio é a prevenção, pois algumas lesões podem causar desde a perda da qualidade da visão até

Leia mais

CONSELHO BRASILEIRO DE OFTALMOLOGIA Características dos Cursos de Especialização e Programa Mínimo

CONSELHO BRASILEIRO DE OFTALMOLOGIA Características dos Cursos de Especialização e Programa Mínimo CONSELHO BRASILEIRO DE OFTALMOLOGIA Características dos Cursos de Especialização e Programa Mínimo 1. Especialidade: Oftalmologia 1.1. Pré-requisito - Seleção: Diploma de Médico, Registro no CRM e aprovação

Leia mais

PRINCÍPIOS BÁSICOS. Histórico:

PRINCÍPIOS BÁSICOS. Histórico: REFRAÇÃO Histórico: PRINCÍPIOS BÁSICOS Lei básica da reflexão era conhecida por Euclides, o mais famoso matemático da Antigüidade viveu entre 325 e 265 AC. De forma experimental, o princípio básico da

Leia mais

XXXVI Congresso Brasileiro de

XXXVI Congresso Brasileiro de 24 XXXVI Congresso Brasileiro de Um grande diferencial será a realização de Sessões Nobres, que abordarão temas da vanguarda da Ciência Médica e da Oftalmologia. Walace Chamon Assessor especial da Comissão

Leia mais

Novos Aspectos do Pré Operatório de Cirurgia Refrativa: A importância da Análise da Frente de Onda. Dr. Renato Ambrósio Jr

Novos Aspectos do Pré Operatório de Cirurgia Refrativa: A importância da Análise da Frente de Onda. Dr. Renato Ambrósio Jr - 1 - Novos Aspectos do Pré Operatório de Cirurgia Refrativa: A importância da Análise da Frente de Onda Dr. Renato Ambrósio Jr O Dr. Renato Ambrósio Jr é pós graduando em nível de Doutorado na Universidade

Leia mais

DRA. PAOLA GRECHI CRM 16594 RQE 8487

DRA. PAOLA GRECHI CRM 16594 RQE 8487 DRA. PAOLA GRECHI CRM 16594 RQE 8487 APRESENTAÇÃO PROFISSIONAL Graduação em Medicina - Universidade Estadual de Campinas UNICAMP (1998 2003). Prêmio de Melhor Aluna de Oftalmologia e Prêmio de Melhor Aluna

Leia mais

OBJETO. a) a Atenção à Saúde: prestar assistência integral e humanizada à saúde dos usuários do SUS, de acordo com a pactuação estabelecida;

OBJETO. a) a Atenção à Saúde: prestar assistência integral e humanizada à saúde dos usuários do SUS, de acordo com a pactuação estabelecida; PLANO DE TRABALHO RAZÃO SOCIAL: CLÍNICA E CIRURGIA DE OLHOS DR. ARMANDO AUGUSTO GUEDES LTDA. NOME FANTASIA: COSC CIRURGIA OCULAR SÃO CRISTÓVÃO CNPJ: 00.181.085/0001-51 CNES: 3122786 OBJETO O presente Plano

Leia mais

O que é Avançada técnica cirúrgica com excimer laser que possibilita a correção refrativa da visão.

O que é Avançada técnica cirúrgica com excimer laser que possibilita a correção refrativa da visão. PRK O que é Avançada técnica cirúrgica com excimer laser que possibilita a correção refrativa da visão. Técnica Cirurgia realizada na superfície da córnea, sem a necessidade de corte. Indicação Correção

Leia mais

EXOFTALMIA/ ENOFTALMIA. Definição Protusão do globo ocular, de volume normal, provocada por um processo ocupando espaço retrocular.

EXOFTALMIA/ ENOFTALMIA. Definição Protusão do globo ocular, de volume normal, provocada por um processo ocupando espaço retrocular. EXOFTALMIA/ ENOFTALMIA EXOFTALMIA Definição Protusão do globo ocular, de volume normal, provocada por um processo ocupando espaço retrocular. Fisiopatologia Secundário a um aumento do volume de gordura

Leia mais

Estrutura do OLHO HUMANO:

Estrutura do OLHO HUMANO: ÓPTICA DA VISÃO Estrutura do OLHO HUMANO: É um fino tecido muscular que tem, no centro, uma abertura circular ajustável chamada de pupila. Ajustam a forma do cristalino. Com o envelhecimento eles perdem

Leia mais

DR. PAOLA GRECHI ROMERO CASTRO CRM 16594 RQE 8487

DR. PAOLA GRECHI ROMERO CASTRO CRM 16594 RQE 8487 DR. PAOLA GRECHI ROMERO CASTRO CRM 16594 RQE 8487 APRESENTAÇÃO PROFISSIONAL Graduação em Medicina - Universidade Estadual de Campinas UNICAMP (1998 2003). Prêmio de Melhor Aluna de Oftalmologia e Prêmio

Leia mais

DR. PAOLA GRECHI ROMERO CASTRO CRM 16594

DR. PAOLA GRECHI ROMERO CASTRO CRM 16594 DR. PAOLA GRECHI ROMERO CASTRO CRM 16594 FORMAÇÃO Graduação em Medicina - Universidade Estadual de Campinas UNICAMP (1998 2003). Prêmio de Melhor Aluna de Oftalmologia e Prêmio de Melhor Aluna de Pediatria.

Leia mais

SINAIS OCULARES de MEDICINA GERAL(SISTEMICOS) / SINAIS OCULARES LOCAIS

SINAIS OCULARES de MEDICINA GERAL(SISTEMICOS) / SINAIS OCULARES LOCAIS SINAIS OCULARES de MEDICINA GERAL(SISTEMICOS) / SINAIS OCULARES LOCAIS SEMIOLOGIA DOS OLHOS. Sinais e sintomas: Pupilares. Aparelho neuromuscular dos olhos. Fundo de olho. Manifestações: a) cardiovasculares

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA. Resposta: Diagnóstico 1. Coriorretinopatia Serosa Central. Exames 1. Angiografia fluoresceínica 2. Tomografia de coerência óptica

PADRÃO DE RESPOSTA. Resposta: Diagnóstico 1. Coriorretinopatia Serosa Central. Exames 1. Angiografia fluoresceínica 2. Tomografia de coerência óptica PADRÃO DE RESPOSTA Questão 1: Paciente feminino de 35 anos com queixa súbita de baixa visual no OD. Sem comorbidades sistêmicas. Ao exame a acuidade visual era sem correção OD 20/60 com metamorfopsia e

Leia mais

LISTA DE EQUIPAMENTOS

LISTA DE EQUIPAMENTOS LISTA DE EQUIPAMENTOS 01 DUAS LÂMPADAS DE FENDA Utilizada para realização do exame de biomicroscopia, este equipamento serve para avaliação da córnea, câmara anterior, cristalino e vítreo anterior, sendo

Leia mais

1Oftalmologista, mestranda do Programa de Ciências da Saúde da Universidade Federal de Goiás

1Oftalmologista, mestranda do Programa de Ciências da Saúde da Universidade Federal de Goiás Análise das causas de atendimento e prevalência das doenças oculares no serviço de urgência do Centro de Referência em Oftalmologia da Universidade Federal de Goiás Maria Nice Araujo Moraes Rocha1, Marcos

Leia mais

Retina Central ou Pólo Posterior (5 6mm)

Retina Central ou Pólo Posterior (5 6mm) OFTALMOLOGIA ANATOMIA Topografia Retina Central ou Pólo Posterior (5 6mm) - Localizada entre arcadas vasculares temporais - Disco Óptico: saem fibras nervosas, entram artéria e veia central da retina

Leia mais

CAUSAS MAIS FREQUENTES OLHO VERMELHO

CAUSAS MAIS FREQUENTES OLHO VERMELHO CAUSAS MAIS FREQUENTES OLHO VERMELHO Conjuntivite Olho seco Hemorragia subconjuntival Blefarite Erosão córnea e corpos estranhos córnea Pós trauma Episclerite Uveite anterior Queimaduras químicas Esclerite

Leia mais

Por isto, o sindicalismo tende a optar pela aplicação rígida de. Assim mesmo, os sistemas administrativos tendem a

Por isto, o sindicalismo tende a optar pela aplicação rígida de. Assim mesmo, os sistemas administrativos tendem a Resistência stê dascoo coorporações Os sindicatos e associações de trabalhadores temem que a descentralização, produção atomização em suas organizações, promova a perda de direitos adquiridos, debilite

Leia mais

OFTALMOLOGIA DO HOSPITAL SÃO RAFAEL

OFTALMOLOGIA DO HOSPITAL SÃO RAFAEL II JORNADA DE OFTALMOLOGIA DO HOSPITAL SÃO RAFAEL Foto do Hospital São Rafael, Salvador - Brasil Foto do Hospital San Raffaele, Milão - Itália Salvador-BA, 4 e 5 de junho de 2010 Hospital São Rafael CFM

Leia mais

A ANS não incluiu os seguintes procedimentos, conforme solicitado pelo CBO, que já constam na CBHPM:

A ANS não incluiu os seguintes procedimentos, conforme solicitado pelo CBO, que já constam na CBHPM: ! #"$% & ' Discordâncias em vermelho: TESTE E ADAPTAÇÃO DE LENTES DE CONTATO (SESSÃO) BINOCULAR. A SOBLEC pediu para ser retirado. EXÉRESE DE TUMOR DE ESCLERA CBO pediu que retirassem, pois não existe.

Leia mais

CRITÉRIOS DE INCLUSÃO/EXCLUSÃO NAS SEGUINTES PATOLOGIAS: CATARATA E GLAUCOMA

CRITÉRIOS DE INCLUSÃO/EXCLUSÃO NAS SEGUINTES PATOLOGIAS: CATARATA E GLAUCOMA CRITÉRIOS DE INCLUSÃO/EXCLUSÃO NAS SEGUINTES PATOLOGIAS: CATARATA E GLAUCOMA CATARATA CRITÉRIOS DE INCLUSÃO Esta indicada em portadores de opacidade do cristalino que, mesmo com melhor correção óptica,

Leia mais

PROGRAMA. SEXTA-FEIRA, 22/10-10:30 às 19:00 h

PROGRAMA. SEXTA-FEIRA, 22/10-10:30 às 19:00 h PROGRAMA SEXTA-FEIRA, 22/10-10:30 às 19:00 h 10:30. 11:00 ABERTURA E APRESENTAÇÃO DO CURSO 11:00. 11:30 TIPOS DE LENTES OFTÁLMICAS Dr. Eduardo Godinho 11:30. 12:00 MEDIDA DA ACUIDADE VISUAL Dr. Osvaldo

Leia mais

Dr. Renato Neves CATARATA

Dr. Renato Neves CATARATA Dr. Renato Neves CATARATA O cristalino é uma lente natural localizada no interior dos olhos, atrás da íris, e, juntamente com a córnea, é responsável pela convergência dos raios de luz para retina, formando

Leia mais

Santa Casa CURSO BÁSICO INTENSIVO DE OFTALMOLOGIA

Santa Casa CURSO BÁSICO INTENSIVO DE OFTALMOLOGIA Santa Casa 2015 CURSO BÁSICO INTENSIVO DE OFTALMOLOGIA 2 ORGANIZAÇÃO Departamento de Oftalmlogia da Santa Casa de São Paulo Prof. Dr. José Ricardo de Abreu Reggi Centro de Estudos Oftalmológicos Jacques

Leia mais

ATENDIMENTO CLÍNICO E CIRÚRGICO DE OFTALMOLOGIA VETERINÁRIA

ATENDIMENTO CLÍNICO E CIRÚRGICO DE OFTALMOLOGIA VETERINÁRIA ATENDIMENTO CLÍNICO E CIRÚRGICO DE OFTALMOLOGIA VETERINÁRIA ANDRADE 1, Ana de Fátima de Souza BEZERRA 2, Karla Priscila Garrido BOPP 3, Simone DANTAS 1, Emmanuel Freire TALIERI 4, Ivia Carmem Departamento

Leia mais

] ] O C.R.O. Centro de Referência em Oftalmologia amplia suas instalações e torna-se agora o primeiro Hospital de Olhos de Guarulhos.

] ] O C.R.O. Centro de Referência em Oftalmologia amplia suas instalações e torna-se agora o primeiro Hospital de Olhos de Guarulhos. ] ] ] O C.R.O. Centro de Referência em Oftalmologia amplia suas instalações e torna-se agora o primeiro Hospital de Olhos de Guarulhos. Responsável Técnico Dr. Helio Fugishima CREMESP 71.955 Centro Cirúrgico

Leia mais

NOTA DE ESCLARECIMENTO

NOTA DE ESCLARECIMENTO NOTA DE ESCLARECIMENTO O MUNICÍPIO DE MARINGÁ informa aos interessados em participar do procedimento licitatório denominado - PROCESSO nº. 01673/2014-PMM, que conforme solicitação da Secretaria Municipal

Leia mais

07:30 08:15 AMETISTA PALESTRA PARA A COMUNIDADE LEIGA - OLHO DIABÉTICO NO SÉCULO XXI

07:30 08:15 AMETISTA PALESTRA PARA A COMUNIDADE LEIGA - OLHO DIABÉTICO NO SÉCULO XXI 27 DE MARÇO QUINTA FEIRA 07:30 08:15 AMETISTA PALESTRA PARA A COMUNIDADE LEIGA - OLHO DIABÉTICO NO SÉCULO XXI COORDENADORES: Abelardo Targino-CE, Daniel Lucena CE, Francisco Cordeiro PE e Javier Montero-CE

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE HOSPITAL FEDERAL DOS SERVIDORES DO ESTADO

MINISTÉRIO DA SAÚDE HOSPITAL FEDERAL DOS SERVIDORES DO ESTADO MINISTÉRIO DA SAÚDE HOSPITAL FEDERAL DOS SERVIDORES DO ESTADO PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM TRANSPLANTE DE CÓRNEA HFSE- 2014 EDITAL A Divisão de Ensino e Pesquisa do Hospital

Leia mais

Glaucoma. O que é glaucoma? Como acontece?

Glaucoma. O que é glaucoma? Como acontece? Glaucoma O que é glaucoma? Glaucoma é uma doença crônica do olho (que dura toda a vida), que ocorre quando há elevação da pressão intra-ocular (PIO), que provoca lesões no nervo ótico e, como conseqüência,

Leia mais

Nuno Lopes MD. FEBO.

Nuno Lopes MD. FEBO. Nuno Lopes MD. FEBO. 1ª Parte História Clínica Exame Objectivo 2 História Clínica Fulcral - enquadramento etiológico Orientar Exame Oftalmológico EAD Estabelecer empatia / relação MD Colaboração Satisfação

Leia mais

XXXV Congresso Brasileiro de Oftalmologia

XXXV Congresso Brasileiro de Oftalmologia XXXV Congresso Brasileiro de Oftalmologia Belo Horizonte, 24 a 27 de agosto 25 Um Congresso pra argentino nenhum botar defeito! É desta forma bem humorada que João Agostini Netto, um dos presidentes XXXV

Leia mais

Trauma ocular Professora Chalita

Trauma ocular Professora Chalita Trauma ocular Professora Chalita Mais comum em homens do que mulheres. Mais comum em jovens. Pode ser classificado em: o Globo fechado (ou trauma contuso) Contusão (como um soco, por exemplo) Laceração

Leia mais

Atlas de Oftalmologia 6. DOENÇAS INFECCIOSAS. António Ramalho

Atlas de Oftalmologia 6. DOENÇAS INFECCIOSAS. António Ramalho 6. DOENÇAS INFECCIOSAS 1 6 DOENÇAS INFECCIOSAS Toxoplasmose Congénita e adquirida. Toxoplasmose congénita é habitualmente a manifestação recorrente da doença congénita. SINTOMAS: Floaters e diminuição

Leia mais

Saúde Ocular do Idoso

Saúde Ocular do Idoso Saúde Ocular do Idoso Norma Helen Medina Centro de Oftalmologia Sanitária CVE CCD/SES SP dvoftal@saude.sp.gov.br Classificação de deficiência visual Organização Mundial da Saúde CID 10 Cegueira Acuidade

Leia mais

Mini Glossário. B Blefarite Inflamação das pálpebras.

Mini Glossário. B Blefarite Inflamação das pálpebras. A Acomodação Capacidade do olho em focar a várias distâncias, desde o perto ao longe, por alteração da potência dióptrica do cristalino. Acuidade Visual Capacidade de discriminar dois pontos próximos como

Leia mais

A consulta foi analisada pela Câmara Técnica de Oftalmologia do CFM, que emitiu seu parecer, o qual adoto na íntegra:

A consulta foi analisada pela Câmara Técnica de Oftalmologia do CFM, que emitiu seu parecer, o qual adoto na íntegra: PROCESSO-CONSULTA CFM nº 24/13 PARECER CFM nº 17/13 INTERESSADO: Dr. F.J.M.C ASSUNTO: Cirurgia bilateral no mesmo ato cirúrgico RELATOR: Cons. José Fernando Maia Vinagre EMENTA: Não há elementos definitivos

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR Acerca das complicações que podem ocorrer nos pacientes submetidos a transplante de células hematopoiéticas (medula óssea, sangue periférico e sangue de cordão umbilical), julgue os próximos itens. 41

Leia mais

LUMIGAN RC ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA

LUMIGAN RC ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA LUMIGAN RC ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA Solução Oftálmica Estéril bimatoprosta 0,01% BULA PARA O PACIENTE APRESENTAÇÕES Solução Oftálmica Estéril Frasco plástico conta-gotas contendo 3 ml ou 5

Leia mais

VISÃO: MITOS E VERDADES

VISÃO: MITOS E VERDADES Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira VISÃO: MITOS E VERDADES Quem usa óculos enxerga pior à noite? Os míopes enxergam menos à noite, mesmo

Leia mais

RESULTADO PRELIMINAR DA PROVA PRÁTICA MÉDICOS OFTALMOLOGISTAS

RESULTADO PRELIMINAR DA PROVA PRÁTICA MÉDICOS OFTALMOLOGISTAS MÉDICOS OFTALMOLOGISTAS CARGO: 06 Médico Oftalmologista Catarata Congênita - Ambulatório de Oftalmologia 20h 0000905876 SARELENA VANDERLEI ALVES 10,00 20,00 40,00 20,00 10,00 100,00 Regular.1 Avaliação

Leia mais

Pesquisa com células tronco para tratamento de doenças da retina

Pesquisa com células tronco para tratamento de doenças da retina Pesquisa com células tronco para tratamento de doenças da retina O Setor de Retina da Divisão de Oftalmologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto- USP(HCRP-FMRP-USP) está

Leia mais

PROCESSO SELETIVO FUNCAMP Nº 137/2009

PROCESSO SELETIVO FUNCAMP Nº 137/2009 PROCESSO SELETIVO FUNCAMP Nº 137/2009 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA A CONTRATAÇÃO DE PESSOAL PARA O HOSPITAL ESTADUAL SUMARÉ HES OU AME - UNIDADE DE CIRURGIA AMBULATORIAL SANTA BÁRBARA D OESTE A Fundação

Leia mais

Imagem da Semana: Tomografia de órbita

Imagem da Semana: Tomografia de órbita Imagem da Semana: Tomografia de órbita Figura: Tomografia computadorizada contrastada de crânio. Enunciado Criança do sexo masculino, 2 anos, natural de Parauapebas (PA), apresentava reflexo branco em

Leia mais

Luis Alberto Perez Alves Contatólogo e consultor Adaptação de lentes de contato rígidas esféricas Capítulo l

Luis Alberto Perez Alves Contatólogo e consultor Adaptação de lentes de contato rígidas esféricas Capítulo l Luis Alberto Perez Alves Contatólogo e consultor Adaptação de lentes de contato rígidas esféricas Capítulo l As lentes de contato rígidas esféricas ainda hoje ocupam um lugar de destaque nas adaptações,

Leia mais

Unidade IV. Aula 20.2 Conteúdo. Óptica, Ser humano e Saúde. Os defeitos da visão e as lentes corretoras e instrumentos ópticos. INTERATIVIDADE FINAL

Unidade IV. Aula 20.2 Conteúdo. Óptica, Ser humano e Saúde. Os defeitos da visão e as lentes corretoras e instrumentos ópticos. INTERATIVIDADE FINAL Unidade IV Óptica, Ser humano e Saúde Aula 20.2 Conteúdo Os defeitos da visão e as lentes corretoras e instrumentos ópticos. 2 Habilidade: Compreender os conceitos das propriedades da óptica geométrica

Leia mais

TÍTULO: RELATO DE CASO - OCT de segmento anterior na avaliação de edema de córnea

TÍTULO: RELATO DE CASO - OCT de segmento anterior na avaliação de edema de córnea NÚMERO: 18 TÍTULO: RELATO DE CASO - OCT de segmento anterior na avaliação de edema de córnea AUTORES: Nayara Nakamura Hirota¹, Eduardo Buzolin Barbosa¹, Renata Tiemi Kashiwabuchi² 1 Residente do terceiro

Leia mais

3.16.02.30-4 Anestesia/Sedação para exames especificos R$ 360,00 4.01.01.01-0 ECG Convencional R$ 50,00

3.16.02.30-4 Anestesia/Sedação para exames especificos R$ 360,00 4.01.01.01-0 ECG Convencional R$ 50,00 Consultas (1.01.01.00-4) 1.01.01.01-2 Em consultório (horário normal) R$ 150,00 1.01.01.01-2 Em consultório (horário normal) EDN R$ 300,00 1.01.01.01-2 Em consultório (horário normal) Anestesista R$ 110,00

Leia mais

Conceito de Normalidade da Visão

Conceito de Normalidade da Visão Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Conceito de Normalidade da Visão O olho é responsável pela aquisição de aproximadamente 80% do conhecimento

Leia mais

Unidade IV. Aula 20.1 Conteúdo. Óptica, Ser humano e Saúde. Os defeitos da visão e as lentes corretoras. INTERATIVIDADE FINAL

Unidade IV. Aula 20.1 Conteúdo. Óptica, Ser humano e Saúde. Os defeitos da visão e as lentes corretoras. INTERATIVIDADE FINAL Unidade IV Óptica, Ser humano e Saúde Aula 20.1 Conteúdo Os defeitos da visão e as lentes corretoras. 2 Habilidade Reconhecer características ou propriedades dos instrumentos ópticos e a óptica da visão,

Leia mais

Deficiência visual como causa de aposentadoria na região de Botucatu - São Paulo

Deficiência visual como causa de aposentadoria na região de Botucatu - São Paulo Deficiência de aposentadoria Paulo Erika Hoyama 1 Silvana Artioli Schellini 2 Maria Rosa Bet de Moraes-Silva 3 Carlos Roberto Padovani 4 Recebido em 26/10/00 Aprovado em 24/4/01 1- Pós-Graduanda da UNESP

Leia mais

NOVA ZONA ÓPTICA VARIÁVEL LÍDER MUNDIAL NO TRATAMENTO DO CERATOCONE

NOVA ZONA ÓPTICA VARIÁVEL LÍDER MUNDIAL NO TRATAMENTO DO CERATOCONE NOVA ZONA ÓPTICA VARIÁVEL LÍDER MUNDIAL NO TRATAMENTO DO CERATOCONE O mais completo e versátil sistema para remodelamento corneano existente no mercado mundial. Keraring, segmento de anel corneano intraestromal,

Leia mais

EMENTA: VISÃO MONOCULAR. CARACTERIZAÇÃO DE DEFICIÊNCIAS DECRETO Nº 5.296/04. NOTA TÉCNICA Nº 12/2007 CORDE/SEDH/PR.460/06 DA CÂMARA DOS DEPUTADOS.

EMENTA: VISÃO MONOCULAR. CARACTERIZAÇÃO DE DEFICIÊNCIAS DECRETO Nº 5.296/04. NOTA TÉCNICA Nº 12/2007 CORDE/SEDH/PR.460/06 DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO PGT/CCR/Nº 4570/2008 INTERESSADOS: EXPRESSO RODOVIÁRIO SÃO MIGUEL LTDA ASSUNTO: CONTRATAÇÃO DE PORTADORES DE DEFICIÊNCIA: MÍNIMO LEGAL EMENTA: VISÃO MONOCULAR. CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

Doenças sistémicas e implicações para a visão

Doenças sistémicas e implicações para a visão Doenças sistémicas e implicações para a visão O papel do Optometrista é cada vez mais de importante, tanto na detecção de anomalias como no acompanhamento das previamente detectadas por médico. Muitas

Leia mais

Bimatoprosta EMS SIGMA PHARMA LTDA. Solução oftálmica estéril. 0,3 mg/ ml

Bimatoprosta EMS SIGMA PHARMA LTDA. Solução oftálmica estéril. 0,3 mg/ ml Bimatoprosta EMS SIGMA PHARMA LTDA Solução oftálmica estéril 0,3 mg/ ml IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO bimatoprosta medicamento genérico Lei n 9.787, de 1999 0,3 mg/ ml Formas farmacêuticas e apresentações

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ CONSÓRCIO PÚBLICO DA MICRORREGIÃO DE SAUDE DE

ESTADO DO CEARÁ CONSÓRCIO PÚBLICO DA MICRORREGIÃO DE SAUDE DE ESTADO DO CEARÁ CONSÓRCIO PÚBLICO DA MICRORREGIÃO DE SAUDE DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO SIMPLIFICADO PARA O PREENCHIMENTO DE EMPREGOS PÚBLICOS PARA A POLICLÍNICA DE OFTALMOLOGIA LEIA COM ATENÇÃO TODAS

Leia mais

Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC) - Relatório n 23. Recomendação

Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC) - Relatório n 23. Recomendação TOMOGRAFIA DE COERÊNCIA ÓPTICA PARA AVALIAÇÃO DE DOENÇAS DA RETINA Demandante: Departamento de Atenção Especializada/Secretaria de Atenção à Saúde DAE/SAS/MS 1. O Procedimento A Tomografia de Coerência

Leia mais

OFTALMOLOGIA. IV Jornada de. do Hospital São Rafael. 16 e 17 de março de 2012 Hospital São Rafael, Salvador-BA CIRURGIAS AO VIVO.

OFTALMOLOGIA. IV Jornada de. do Hospital São Rafael. 16 e 17 de março de 2012 Hospital São Rafael, Salvador-BA CIRURGIAS AO VIVO. IV Jornada de OFTALMOLOGIA do Hospital São Rafael 16 e 17 de março de 2012 Hospital São Rafael, Salvador-BA CIRURGIAS AO VIVO Presidente: Prof. Roberto Marback (BA) Coordenação: Eduardo Marback (BA) Otacílio

Leia mais

ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA

ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA PILOCARPINA ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA Solução Oftálmica Estéril cloridrato de pilocarpina 1% / 2% / 4% BULA PARA O PACIENTE APRESENTAÇÃO Solução Oftálmica Estéril Frasco plástico conta-gotas

Leia mais

para que serve. Transplante de funciona essa cirurgia. delee que a luz funcionando, ruim. visão vai ficar O transplante que essa córnea são:

para que serve. Transplante de funciona essa cirurgia. delee que a luz funcionando, ruim. visão vai ficar O transplante que essa córnea são: Transplante de Córnea: O que é e serve. para que O Transplante de Córnea é o transplante de órgãos mais realizado no mundo e também o de maior sucesso. Vamos aqui explicar o que é e como funciona essa

Leia mais

TEMA: USO DO RANIBIZUMABE (LUCENTIS ) NA RETINOPATIA DIABÉTICA

TEMA: USO DO RANIBIZUMABE (LUCENTIS ) NA RETINOPATIA DIABÉTICA NOTA TÉCNICA 207/2013 Solicitante Juíza MARCILENE DA CONCEIÇÃO MIRANDA Processo número: 166.13.001954-9 (0019549-92.2013.8.13.0166) Data: 29/10/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura TEMA:

Leia mais

Engenharia Biomédica - UFABC

Engenharia Biomédica - UFABC Engenharia de Reabilitação e Biofeedback Deficiência Visual Professor: Pai Chi Nan 1 Anatomia do olho 2 1 Anatomia do olho Córnea Proteção Focalização 3 Íris e pupila Anatomia do olho Controle da quantidade

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O(A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização ao

Leia mais

PLANILHA GERAL - 6º PERÍODO - 2º / 2012- FUNDAMENTOS DA CLÍNICA II

PLANILHA GERAL - 6º PERÍODO - 2º / 2012- FUNDAMENTOS DA CLÍNICA II Dia Data Hora Professor Sala Conteúdo Módulo 08:50 LIVRE 204D LIVRE 10:00 LIVRE 204D LIVRE SEGUNDA 26/11/2012 TERÇA 27/11/2012 SEGUNDA 3/12/2012 SEGUNDA 10/12/2012 PLANILHA GERAL - 6º PERÍODO - 2º / 2012-

Leia mais