Hortaliças: Importância e Cultivo. Werito Fernandes de Melo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Hortaliças: Importância e Cultivo. Werito Fernandes de Melo"

Transcrição

1 Hortaliças: Importância e Cultivo Werito Fernandes de Melo

2 Importância do agronegócio para o Brasil.

3 Algodão produção de 1,2 milhões/t em 2004 (5º); cresceu 22% em 2003; exportações em de 400 mil t (3º); USDA projeta crescimento de 512% até 2013; China cresceu 57% em 2003; Turquia cresceu 51%; Brasil cresceu 91%.

4 Arroz produção de 12,8 milhões/t em 2004; 55% irrigado no Sul; sequeiro favorecido; grãos longos e finos; consumo está caindo.

5 Café 40 milhões de sacas/60 kg; plantio adensado; irrigação no Cerrado; exporta 50% em grãos (Alemanha e EUA); café solúvel (2º) e torrado (1%).

6 Cana-de-açúcar produção de 375 milhões t; região sudeste 323 milhões de t.; álcool 15 bilhões de litros; açúcar 24 milhões de t; exportação: açúcar para Rússia; álcool para Japão, Coréia e EUA.

7 Feijão consumo caiu de 16,3 para 15,8 ka/hab/ano; produção de 3,18 milhões de t; principais produtores: PR, MG, SP, BA e GO; importa comum da Bolívia e preto da Argentina.

8 Milho produção mundial de 660 milhões de t. EUA (280) e China (120); o Brasil produz 44 milhões de t.; plantio de verão; previsão de 72 milhões de t. em 2013; BR 201 Embrapa.

9 Soja EUA produziu 78 milhões de t.; o Brasil 66 milhões de t.; Argentina 39 milhões de t.; exportação de 23 milhões de t. de grãos e 17 milhões de t. de farelo. produtores: MT, PR, RS, GO, MS,BA.

10 Agronegócio de hortaliças no Brasil.

11 Hortaliças no Brasil Valor da produção: US$ 2,6 bilhões Área total anual: ha Produção: 16,0 milhões toneladas Disponibilidade per capita 89,66 kg Empregos diretos: 4 milhões Principais hortaliças: tomate batata cebola alho cenoura batata-doce melancia melão

12 Área colhida (1000 ha) de alimentos no Brasil, Soja Milho Mandioca Arroz Trigo Feijão Hortaliças

13 Produção (%) de alimentos no Brasil, % 30% 25% 20% 15% 10% 5% 0% Soja Milho Mandioca Arroz Trigo Feijão Hortaliças

14 Produtividade (t/ha) de alimentos no Brasil, Soja Milho Mandioca Arroz Trigo Feijão Hortaliças

15 Evolução da àrea, produção e produtividade de Hortaliças no Brasil no período de 1980 a Fonte: FAO-FAOSTAT Database Results 250 Equvalente de produção % Ano Área (mil hectares) Produtividade (t/há) Produção (mil toneladas)

16 Exportação anual de hortaliças feitas pelo Brasil. Espécies Valor 2002 (1000 US$) Valor 2003 (1000 US$) Quantid (1000 t.) Quantid (1000 t.) Total Melão Tomate Pimenta/tão Cogumelo Gengibre Milho doce Melancia Ervilha Outras Fonte: FAO SECEX - DECEX. Elaboração: Embrapa Hortaliças.

17 Importação anual de hortaliças feitas pelo Brasil. Espécies Valor 2002 (1000 US$) Valor 2003 (1000 US$) Quantid (1000 t.) Quantid (1000 t.) Total Batata Alho Cebola Tomate Ervilha Lentilha Grão de bico Pimenta/tão Outras Fonte: FAO SECEX - DECEX. Elaboração: Embrapa Hortaliças.

18 importância econômica: área cultivada de ha; produção de 15,7 milhões e t.; valor da produção de 2,5 bilhões de U$.

19 importância social: geração de empregos; diretos 2,5 milhões; indiretos.

20 importância Na alimentação: alimento; nutrição; saúde; segurança alimentar.

21 Hortaliças no Brasil Consumo per capita (kg/hab/ano): 29,002 Até R$ 400,00: 15,696 De R$ ,00: 22,397 De R$ ,00: 25,720 De R$ ,00: 35,010 De R$ ,00: 36,205 Mais de R$ 3000,00: 42,269

22 Início do cultivo de hortaliças no Brasil Início da produção e consumo; colonização; Imigração:Sul e Sudeste; condições de clima; solo; índice populacional; expansão: NE,CO e N.

23

24

25

26

27

28

29

30

31

32

33

34

35

36

37

38 Hortaliças: Tipos

39 Principais espécies cultivadas famílias 17; gênero 35; espécies 70; cultivares 800.

40 Principais espécies cultivadas no Brasil. hastes: aipo; aspargo. legumes: ervilha; feijão-vagem.

41 Principais espécies cultivadas no Brasil. frutos: abóbora; abobrinha; berinjela; chuchu; jiló; maxixe; melão; melancia.

42 Principais espécies cultivadas no Brasil. frutos: moranga; morango pepino; pimenta; pimentão; quiabo; tomate.

43 Principais espécies cultivadas no Brasil. raízes/tubérculos/ bulbos/rizomas: beterraba; taro; cenoura; mandioca; mandioquinha; nabo.

44 Principais espécies cultivadas no Brasil. raízes/tubérculos/ bulbos/rizomas: rabanete; batata; batata-doce; inhame; cebola; gengibre.

45 Hortaliças: Características Gerais

46 HORTALIÇAS Características a) arquitetura b) hábito de crescimento c) partes utilizáveis d) tratos culturais e) ciclos > para colheita > de vida útil

47 HORTALIÇAS CARACTERÍSTICAS Fatores de produção > ar > água > fatores climáticos = temperaturas mínimas = temperaturas máximas = luminosidade = fotoperíodo > nutrientes

48 Faixas de temperatura Faixas de temperaturas favoráveis ( C) Espécie T. mínima T. noturna T. diurna T. Máxima Alface Pepino Pimentão Tomate

49 HORTALIÇAS CARACTERÍSTICAS Suscetibilidades > pragas = insetos pragas = doenças = nematóides = plantas invasoras > problemas fisiológicos = climáticos = nutricionais = produtos químicos

50 Influências dos fatores climáticos Condições favoráveis para ocorrência de pragas Fatores Pragas Insetos Fungos Bactérias Temperaturas ( C) Umidade do ar (%)

51 HORTALIÇAS CARACTERÍSTICAS Efeitos dos fatores climáticos a) temperaturas b) luminosidade c) fotoperíodo e) chuvas f) umidade relativa do ar g) ventos h) granizo i) geadas

52 HORTALIÇAS SISTEMAS DE PROPAGAÇÃO a) por sementes b) orgãos reprodutivos = bulbilho = tubérculos = rizomas = brotos = ramas = estolhos = raiz tuberosa c) sementes e/ou órgãos reprodutivos

53 Características Tratos culturais * irrigação * raleio (espécies de semeio direto0 * controle de plantas invasoras * adubações fitossanitário * manejo das plantas (certas espécies) - Tutoramento - amarrações - desbrotas - capação ou desponte - desfolhas - desbastes de frutos HORTALIÇAS - plantas

54 Características Ciclos: A - para inicio da colheita HORTALIÇAS - plantas * muito curto = 20 a 30 dias * curto = 70 a 90 dias * médio = 100 a 120 dias * longo = + de 120 dias B - de vida útil * semi perene = + de 4 anos * perene = + de 20 anos

55 Hortaliças: Sistemas de cultivo

56 Sistemas de cultivo. A) convencional: B) protegido: cobertura morta; cobertura de área; casa de vegetação.

57

58 Sistemas de cultivo. C) sem solo: D) na palha: E) orgânico: F) hidroponia.

59

60

61 Hortaliças: Sistemas de comercialização

62 Sistemas de comercialização. A) atacado: CEASAs; mercado do produtor; na propriedade; B) varejo: supermercados; mercados; varejões, sacolões,quitandas; feiras livres.

63 Hortaliças: Pesquisa e extensão

64 Pesquisa e extensão. A) instituições oficiais: Embrapa; empresas estaduais; institutos de pesquisas; universidades; editais de Ministérios; escolas agrotécnicas.

65 Pesquisa e extensão. B) instituições privadas: empresas de insumos; produtores; cooperativas; C) organizações não governamentais (ONGs)

66 Hortaliças: Tendências

67 Tendências. A) da produção: novas fronteiras; empresas de produção; áreas extensivas; cultivo sem solo; cultivo na palha; cultivo protegido; hidroponia; espécies não convencionais.

68 Tendências. B) dos produtores: profissionalização para: produção; apresentação do produto; comercialização. organização dos produtores; organização da produção.

69 Tendências. C) do mercado: exigências: na qualidade; na apresentação. minimamente processados; contratos de produção; produtos exóticos; produtos orgânicos; marketing.

70

71

72

73 Tendências. D) da apresentação do produto: limpeza, seleção e classificação; embalagens para o consumidor; processamento mínimo; pronto para o consumo; pronto para o preparo; selo de qualidade.

74 Tendências. E) da comercialização: pontos de comercialização: supermercados; varejões e sacolões. redução das importâncias das CEASAs e feiras livres; entrega direta.

75 Tendências. F) dos consumidores: aumento do consumo: hábito alimentares; hábito de vida. exigências: aparência; qualidade; diversidade.

76 Potencial do agronegócio de hortaliças. pequena oferta; variação estacional da oferta; baixo consumo; importação maiores que exportação; disponibilidade de tecnologia; disponibilidade de espaço; mudanças dos hábitos alimentares.

77 Muito obrigado pela atenção!

78 Werito Fernandes de Melo Embrapa Hortaliças Tel. (61)

DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL

DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL CHEFE DO DEPARTAMENTO: PROF. PEDRO CHRISTOFOLLETTI DISCIPLINA LPV 0480 FLORICULTURA E PLANTAS ORNAMENTAIS : PROF. PAULO HERCÍLIO OLERICULTURA : PROF. PAULO CESAR PROF.

Leia mais

PRODUÇÃO DE HORTALIÇAS (Aula 1)

PRODUÇÃO DE HORTALIÇAS (Aula 1) PRODUÇÃO DE HORTALIÇAS (Aula 1) UAP UAP Profa. Rosana Rodrigues Dra. Cláudia Pombo Sudré Doutoranda: Cíntia dos Santos Bento (LMGV/P4/ salas 110 e 111) Hortaliças - Alguns aspectos econômicos O Brasil

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: Olericultura Geral Código da Disciplina: AGR 355. Semestre de oferta da disciplina: I e II

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: Olericultura Geral Código da Disciplina: AGR 355. Semestre de oferta da disciplina: I e II PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Olericultura Geral Código da Disciplina: AGR 355 Curso: Agronomia Semestre de oferta da disciplina: I e II Faculdade responsável: Agronomia Programa em vigência a partir

Leia mais

Importância da cadeia produtiva brasileira de hortaliças

Importância da cadeia produtiva brasileira de hortaliças 13ª Reunião Ordinária da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Hortaliças / MAPA Brasília, DF - 22/11/2007 Importância da cadeia produtiva brasileira de hortaliças as Paulo César C Tavares de Melo, D.Sc.

Leia mais

Foto: Salada de Espinafre Popeye com Frango Grelhado e Manga.

Foto: Salada de Espinafre Popeye com Frango Grelhado e Manga. Foto: Salada de Espinafre Popeye com Frango Grelhado e Manga. 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 Plantio e Consumo de Sementes As informações abaixo são indicativos gerais

Leia mais

CEASAMINAS UNIDADE GRANDE BELO HORIZONTE CALENDÁRIO DA SAZONALIDADE DOS PREÇOS DE HORTIGRANJEIROS E CEREAIS /2015

CEASAMINAS UNIDADE GRANDE BELO HORIZONTE CALENDÁRIO DA SAZONALIDADE DOS PREÇOS DE HORTIGRANJEIROS E CEREAIS /2015 CEASAMINAS UNIDADE GRANDE BELO HORIZONTE CALENDÁRIO DA SAZONALIDADE DOS PREÇOS DE HORTIGRANJEIROS E CEREAIS - 2011/2015 HORT.FOLHAS,FLOR-HASTE ACELGA FO FO FO RE RE FR FR FR FR FR RE RE AGRIÃO FO FO FO

Leia mais

INTRODUÇÃO E OBJETIVO

INTRODUÇÃO E OBJETIVO Área e produção de hortaliças no Estado de São Paulo, 2004 Ana Maria Montragio M. P. de Camargo; Felipe Pires de Camargo; Waldemar Pires de Camargo F o1 Instituto de Economia Agrícola, Caixa Postal 68.029

Leia mais

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DO DISTRITO FEDERAL CEASA-DF CEASA-DF

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DO DISTRITO FEDERAL CEASA-DF CEASA-DF 2013 Boletim Mensal Abril CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DO DISTRITO FEDERAL CEASA-DF CEASA-DF GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento Centrais de Abastecimento

Leia mais

Uma rápida visão da cadeia produtiva de hortaliças no Brasil

Uma rápida visão da cadeia produtiva de hortaliças no Brasil II CONFERÊNCIA NACIONAL DEFESA AGROPECUARIA. Uma rápida visão da cadeia produtiva de hortaliças no Brasil Maio 28,2010 ESALQ 1973 CONSULTORIA PROJETO ESPECIAL QUEM É A ABCSEM? - ABCSEM ABCSEM - Defesa

Leia mais

Comercialização de hortaliças

Comercialização de hortaliças Comercialização de hortaliças Estimativa do consumo de hortaliças em países selecionados* Israel 1022 Itália 824 China 572 Austrália Bélgica Japão Dinamarca Finlândia 479 465 454 419 381 * Consumo: g/per

Leia mais

Caracterização Técnico-Econômica da Cultura do Milho Verde no Brasil em 2006 Alfredo Tsunechiro 1 e Maximiliano Miura 1

Caracterização Técnico-Econômica da Cultura do Milho Verde no Brasil em 2006 Alfredo Tsunechiro 1 e Maximiliano Miura 1 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Caracterização Técnico-Econômica da Cultura do Milho Verde no Brasil em 2006 Alfredo Tsunechiro 1 e Maximiliano Miura

Leia mais

Componentes do Irrigâmetro

Componentes do Irrigâmetro Capítulo 1 Componentes do Irrigâmetro O Irrigâmetro é composto pela associação de um evaporímetro com um pluviômetro (Figura 1), descritos a seguir. Evaporímetro O Evaporímetro é constituído pelos seguintes

Leia mais

ÁGUA NA HORTICULTURA: NOVAS ATITUDES E USO SUSTENTÁVEL

ÁGUA NA HORTICULTURA: NOVAS ATITUDES E USO SUSTENTÁVEL 49º CONGRESSO BRASILEIRO DE OLERICULTURA ÁGUA NA HORTICULTURA: NOVAS ATITUDES E USO SUSTENTÁVEL José Geraldo Eugênio de França Diretor-Executivo Águas de Lindóia - SP Agosto/2009 OS DEZ MAIORES PROBLEMAS

Leia mais

1. Aspectos gerais da cultura

1. Aspectos gerais da cultura CULTURA DO ARROZ 1. Aspectos gerais da cultura Centro de Origem -Asiático -Africano Gênero Oryza 25 espécies dispersas Espécies Sul Americanas Ásia África América do Sul e Central Espécies utilizadas Histórico

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: Olericultura Orgânica Código da Disciplina: AGR383. Semestre de oferta da disciplina: I e II

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: Olericultura Orgânica Código da Disciplina: AGR383. Semestre de oferta da disciplina: I e II PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Olericultura Orgânica Código da Disciplina: AGR383 Curso: Agronomia Semestre de oferta da disciplina: I e II Faculdade responsável: Agronomia Matriz 120 Programa em vigência

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Hortaliças

Balanço 2016 Perspectivas Hortaliças Hortaliças 99 100 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 DESTAQUE PARA MAIS INVESTIMENTOS EM SISTEMAS DE CULTIVO DAS HORTALIÇAS Com área cultivada de aproximadamente 837 mil hectares e volume

Leia mais

OLERICULTURA GERAL Fatores climáticos e Propagação

OLERICULTURA GERAL Fatores climáticos e Propagação CURSO: ENGENHARIA AGRONÔMICA UniSalesiano OLERICULTURA GERAL Fatores climáticos e Propagação Prof. Harumi Hamamura UniSalesiano 1 Olericultura Geral Conteúdo Programático Importância e Classificação botânica

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Produtos Hortícolas Da fazenda ao consumidor M.Sc. Gustavo Quesada Roldán Universidad de Costa Rica Doutorando em Fitotecnia ESALQ/USP

Leia mais

Este guia. nutricionais, obesidade e doenças crônicas não transmissíveis.

Este guia. nutricionais, obesidade e doenças crônicas não transmissíveis. Este guia É para toda a comunidade acadêmica; Com recomendações gerais para uma alimentação prática e saudável; Contribuindo assim para um estado ótimo de saúde; Prevenindo deficiências nutricionais, obesidade

Leia mais

Metodologia. Modelos de Séries Temporais Específicos para previsão

Metodologia. Modelos de Séries Temporais Específicos para previsão Metodologia CONAB IBGE MAPA EMBRAPA FAPRI (Food and Agricultural Policy Research Institute ) USDA (United States Department of Agriculture) Modelos de Séries Temporais Específicos para previsão Foram usados

Leia mais

SITUAÇÃO DA PRODUÇÃO DE SEMENTES NO BRASIL

SITUAÇÃO DA PRODUÇÃO DE SEMENTES NO BRASIL SITUAÇÃO DA PRODUÇÃO DE SEMENTES NO BRASIL AGRICULTURA NA ECONOMIA BRASILEIRA REPRESENTA 28% PIB EMPREGA 37% DOS TRABALHADORES GERA 44% DAS EXPORTAÇÕES PRINCIPAIS CULTURAS BRASILEIRAS: SOJA, MILHO, ALGODÃO,

Leia mais

Boletim Diário de Preços Completo Data do Boletim: 22/03/2011 Mercado: CEASA MG UNIDADE GRANDE BH

Boletim Diário de Preços Completo Data do Boletim: 22/03/2011 Mercado: CEASA MG UNIDADE GRANDE BH Grupo : HORTALICAS Quantidade de Produto(s) : 96 Subgrupo : FOLHA,FLOR E HASTE Quantidade de Produto(s) : 24 ACELGA MINEIRA DZ 18,00 18,00 20,00MFR AGRIAO PRIMEIRA DZ 4 KG 15,00 17,00 18,00MFR ALFACE CRESPA

Leia mais

Comunicado. Técnico. Conservação de sementes de hortaliças na agricultura familiar. Introdução

Comunicado. Técnico. Conservação de sementes de hortaliças na agricultura familiar. Introdução Comunicado 54 Técnico ISSN 1414-9850 Junho, 2008 Brasília, DF Conservação de sementes de hortaliças na agricultura familiar Warley Marcos Nascimento 1 Raquel Alves de Freitas 2 Mariana Dierings Croda 3

Leia mais

Produção de hortaliças para agricultura familiar

Produção de hortaliças para agricultura familiar Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Hortaliças Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Produção de hortaliças para agricultura familiar Flávia M. V. T. Clemente (Editora Técnica)

Leia mais

CARDÁPIOS CARDÁPIOS DESENVOLVIDOS PELA EQUIPE HS ASSESSORIA NUTRICIONAL PARA CRIANÇAS DO BERÇÁRIO, REFERENTES À DATA DE 24/03/2014 A 30/04/2014.

CARDÁPIOS CARDÁPIOS DESENVOLVIDOS PELA EQUIPE HS ASSESSORIA NUTRICIONAL PARA CRIANÇAS DO BERÇÁRIO, REFERENTES À DATA DE 24/03/2014 A 30/04/2014. CARDÁPIOS BERÇÁRIO, REFERENTES À DATA DE 24/03/2014 A 30/04/2014. (24/03 A 28/03) SEGUNDA 24/03 TERÇA 25/03 QUARTA 26/03 QUINTA 27/03 SEXTA 28/03 Melão amassadinho Água de coco Mamão amassadinho Suco de

Leia mais

CARDÁPIO EMI (integral) SETEMBRO / 2016 DIA SEM DESJEJUM HIDRATAÇÃO ALMOÇO LANCHE JANTAR

CARDÁPIO EMI (integral) SETEMBRO / 2016 DIA SEM DESJEJUM HIDRATAÇÃO ALMOÇO LANCHE JANTAR CARDÁPIO EMI (integral) SETEMBRO / 2016 1 Q Leite c/ nutren + Tangerina A/F + Kibe + mandioquinha com salsa + maçã Salada de frutas (abacaxi + maçã + mamão + suco de laranja) 2 S Mingau de chocolate Abacaxi

Leia mais

Quantidade e Valor por Procedência dos Produtos - Estado/Município

Quantidade e Valor por Procedência dos Produtos - Estado/Município Quantidade e Valor por Procedência dos s - Estado/Município MINAS GERAIS 15.990 55.130,56 ITUETA 15.990 55.130,56 INHAME 15.840 54.986,12 LIMAO TAHITI 150 144,44 ESPÍRITO SANTO 15.893.194 36.463.630,09

Leia mais

EXTRA 24 UN. Kg. 0,90 0,95 1,00 ESPECIAL 32 UN. Kg. 0,75 0,80 0,85 Kg. 5,00 6,00 7,00 Kg. 13,00 14,00 15,00 Kg. 2,60 2,80 3,00 Kg.

EXTRA 24 UN. Kg. 0,90 0,95 1,00 ESPECIAL 32 UN. Kg. 0,75 0,80 0,85 Kg. 5,00 6,00 7,00 Kg. 13,00 14,00 15,00 Kg. 2,60 2,80 3,00 Kg. GRUPO HORTALIÇAS: FOLHA, FLOR E HASTE ACELGA KG EXTRA 8-9 UN. Kg. 0,85 0,95 1,00 ESPECIAL 10-12 UN. Kg. 0,70 0,75 0,80 AGRIÃO KG Kg. 2,50 2,80 3,00 ALCACHOFRA KG Kg. 8,00 9,00 10,00 ALECRIM KG Kg. 12,00

Leia mais

Gerência de Compra GERÊNCIA DN. Endereço : AVENIDA AYRTON SENNA, JACAREPAGUA Tel. : Fax : FORNECEDOR

Gerência de Compra GERÊNCIA DN. Endereço : AVENIDA AYRTON SENNA, JACAREPAGUA Tel. : Fax : FORNECEDOR 1 1 12/03514 ABACATE COMUM KG 1.100 2 ABACAXI MÉDIO.000 3 ABÓBORA BAHIA OU PESCOÇO KG 18.500 4 ABOBRINHA VERDE EXTRA KG 17.400 5 ABOBRINHA ITALIANA KG 1.000 6 ACELGA KG 3.000 7 AGRIÃO KG 10.000 8 AIPIM

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

IRRIGAÇÃO ENG 115. TABELA 1. Profundidade efetiva do sistema radicular (Z) de algumas culturas no estágio de máximo desenvolvimento vegetativo.

IRRIGAÇÃO ENG 115. TABELA 1. Profundidade efetiva do sistema radicular (Z) de algumas culturas no estágio de máximo desenvolvimento vegetativo. IRRIGAÇÃO ENG 115 TABELA 1. Profundidade efetiva do sistema radicular (Z) de algumas culturas no estágio de máximo desenvolvimento vegetativo. CULTURA Z (cm) CULTURA Z (cm) Abacate 60-90 Laranja 60 Abacaxi

Leia mais

Com funciona? Estadual: Box escolhe representante. Nacional: votação pelo site whole30br.com. Sem box

Com funciona? Estadual: Box escolhe representante. Nacional: votação pelo site whole30br.com. Sem box O que é? Este é o programa de nutrição e CrossFit desenhado para mudar a vida das pessoas em 30 dias. A idéia é fazer com que as pessoas se sensibilizem pela dieta e exercício, não só com intuito de perda

Leia mais

Bibliografia. EPAGRI A cultura do feijão em Santa Catarina. Florianópolis, 1992, 285p.

Bibliografia. EPAGRI A cultura do feijão em Santa Catarina. Florianópolis, 1992, 285p. Bibliografia EPAGRI A cultura do feijão em Santa Catarina. Florianópolis, 1992, 285p. Sartoratto, A.; Rava, C.A. Principais doenças do feijoeiro e seu controle. EMBRAPA, 1994, 300p. Feijão no inverno.

Leia mais

CARDÁPIO BERÇÁRIO II - AGOSTO NRI AQUARELA SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA

CARDÁPIO BERÇÁRIO II - AGOSTO NRI AQUARELA SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA 31/07/2017 01/08/2017 02/08/2017 03/08/2017 04/08/2017 Salada : Beterraba Salada : Cenoura ralada Salada: Repolho Salada : Pepino Salada : Tomate Arroz/Feijão Arroz/Feijão Macarrão à Arroz/Feijão Arroz/Feijão

Leia mais

Importância e objetivos do melhoramento de plantas

Importância e objetivos do melhoramento de plantas Universidade Federal de Rondônia Curso de Eng. Florestal Melhoramento genético Florestal Importância e objetivos do melhoramento de plantas Emanuel Maia emanuel@unir.br www.lahorta.acagea.net Introdução

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JUÍNA MT SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA, MINERAÇÃO E MEIO AMBIENTE SAMMA

PREFEITURA MUNICIPAL DE JUÍNA MT SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA, MINERAÇÃO E MEIO AMBIENTE SAMMA Palestra: Como fazer uma horta Ildamir Teixeira de Faria/Diretor de Meio Ambiente SAMMA; Roselaine Mezz/Estudante de agropecuária IFMT/Estagiaria SAMMA; PREFEITURA MUNICIPAL DE JUÍNA MT SECRETARIA MUNICIPAL

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ JUNHO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas publicações

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL Março/2014 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População

Leia mais

Aula 1 -Importância e Objetivos do Melhoramento Genético

Aula 1 -Importância e Objetivos do Melhoramento Genético Aula 1 -Importância e Objetivos do Melhoramento Genético Piracicaba, 2011 Início do Melhoramento (início do desenvolvimento de cultivares) Domesticação de plantas e animais: homem deixou as coletas para

Leia mais

AGRONEGÓCIO RIO DE JANEIRO. Coordenação Cepea: Ph.D Geraldo Barros Dr. Arlei Luiz Fachinello Dra. Adriana Ferreira Silva

AGRONEGÓCIO RIO DE JANEIRO. Coordenação Cepea: Ph.D Geraldo Barros Dr. Arlei Luiz Fachinello Dra. Adriana Ferreira Silva AGRONEGÓCIO RIO DE JANEIRO Coordenação Cepea: Ph.D Geraldo Barros Dr. Arlei Luiz Fachinello Dra. Adriana Ferreira Silva PIB AGRONEGÓCIO RJ em 28 R$ 12,2 BILHÕES 6. 4.5 5.616 4.589 3. 1.5 1.688-261 Insumos

Leia mais

Roberto Botelho Ferraz Branco Eng. Agr. Dr., PqC do Pólo Regional Centro Leste/APTA Sally Ferreira Blat.

Roberto Botelho Ferraz Branco Eng. Agr. Dr., PqC do Pólo Regional Centro Leste/APTA Sally Ferreira Blat. SISTEMA DE CULTIVO NA PRODUÇÃO DE HORTALIÇAS Roberto Botelho Ferraz Branco Eng. Agr. Dr., PqC do Pólo Regional Centro Leste/APTA branco@apta.sp.gov.br Sally Ferreira Blat Eng. Agr. Dr., PqC do Pólo Regional

Leia mais

CARDÁPIO BERÇÁRIO B MÊS DEJUNHO DE 2016 Juliana Simonetti Ribeiro/ Nutricionista- CRN moída + caldo de Feijão Carioca batido +alface

CARDÁPIO BERÇÁRIO B MÊS DEJUNHO DE 2016 Juliana Simonetti Ribeiro/ Nutricionista- CRN moída + caldo de Feijão Carioca batido +alface REFEIÇOES LANCHE DA MANHÃ ALMOÇO LANCHE DA TARDE JANTAR 30/05 Polenta mole com carne moída + caldo de Feijão Carioca +alface Papinha de batata com frango desfiado + escarola+ caldo de feijão carioca 31/05

Leia mais

11/03/2013 DADOS DA DISCIPLINA. Benefícios do consumo regular de f&h. ImportâncIa das f&h DEFINIÇÃO - FRUTAS ALGUNS PROBLEMAS. Carga horária: 80h

11/03/2013 DADOS DA DISCIPLINA. Benefícios do consumo regular de f&h. ImportâncIa das f&h DEFINIÇÃO - FRUTAS ALGUNS PROBLEMAS. Carga horária: 80h INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA RS DADOS DA DISCIPLINA Curso: Técnico em AgroindúsTriA Disciplina: Tecnologia de FruTas e HorTaliças Tema: INTRODUÇÃO AO

Leia mais

Fernando Penteado Secretário Executivo

Fernando Penteado Secretário Executivo Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista O Banco do Agronegócio Familiar FEAP-BANAGRO Fernando Penteado Secretário Executivo Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (FEAP) O que é o FEAP É um Fundo

Leia mais

CARDÁPIOS DESENVOLVIDOS PELA EQUIPE HS ASSESSORIA NUTRICIONAL PARA CRIANÇAS A PARTIR DE DOIS ANOS DE IDADE, REFERENTES À DATA DE 24/03/2014 A

CARDÁPIOS DESENVOLVIDOS PELA EQUIPE HS ASSESSORIA NUTRICIONAL PARA CRIANÇAS A PARTIR DE DOIS ANOS DE IDADE, REFERENTES À DATA DE 24/03/2014 A CARDÁPIOS PARTIR DE DOIS ANOS DE IDADE, REFERENTES À DATA DE 24/03/2014 A 30/04/2014. (24/03 A 28/03) SEGUNDA 24/03 TERÇA 25/03 QUARTA 26/03 QUINTA 27/03 SEXTA 28/03 c/ geleia, Torrada com margarina, com

Leia mais

CARDÁPIO ESCOLAR 2015

CARDÁPIO ESCOLAR 2015 Camila de O. G. Paiva 00/00/2015 00/00/2015 00/00/2015 01/10/2015 02/10/2015 COLAÇÃO - FRUTA Melão Ameixa ARROZ Arroz Integral Arroz Branco FEIJÃO Feijão Preto ****** OUTUBRO DE 01/10/2015 A 02/10/2015

Leia mais

Capítulo 7. Produtos hortícolas, plantas, raízes e tubérculos, comestíveis

Capítulo 7. Produtos hortícolas, plantas, raízes e tubérculos, comestíveis Capítulo 7 Produtos hortícolas, plantas, raízes e tubérculos, comestíveis Notas. 1.- O presente Capítulo não compreende os produtos forrageiros da posição 12.14. 2.- Nas posições 07.09, 07.10, 07.11 e

Leia mais

Composição de alimentos por 100 gramas Fonte: Tabela nutricional da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas)

Composição de alimentos por 100 gramas Fonte: Tabela nutricional da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) Composição de alimentos por 100 gramas Fonte: Tabela nutricional da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) Cereais e derivados Arroz, integral, cru 12 359 1502 8 2 0 78 5,0 Arroz, tipo 1, cru 13 359

Leia mais

APRENDENDO TÉCNICAS PARA MINIMIZAR A CONTAMINAÇÃO DOS ALIMENTOS POR DEFENSIVOS AGRÍCOLAS

APRENDENDO TÉCNICAS PARA MINIMIZAR A CONTAMINAÇÃO DOS ALIMENTOS POR DEFENSIVOS AGRÍCOLAS APRENDENDO TÉCNICAS PARA MINIMIZAR A CONTAMINAÇÃO DOS ALIMENTOS POR DEFENSIVOS AGRÍCOLAS Introdução O presente trabalho O emprego da monocultura tem sido uma prática bastante difundida em nosso país, criando

Leia mais

CARDÁPIO DO MÊS DE SETEMBO (SUJEITO A ALTERAÇÃO) Branco Integral Feijão Nuggets. 3,5kg 0,350gr 1,500kg 15kg. 3,5kg 0,350gr 1,500kg 10 kilos SABADO

CARDÁPIO DO MÊS DE SETEMBO (SUJEITO A ALTERAÇÃO) Branco Integral Feijão Nuggets. 3,5kg 0,350gr 1,500kg 15kg. 3,5kg 0,350gr 1,500kg 10 kilos SABADO CARDÁPIO DO MÊS DE SETEMBO (SUJEITO A ALTERAÇÃO) DIA QTDADE DE REFEIÇÃO / DIA SALADA SALADA SALADA SOPA ARROZ Arroz FEIJÃO PRATOS PRINCIPAIS ALFACE Cenoura Tomate rodela Legumes com macarrao Branco Integral

Leia mais

Quadro - Colheitas seguráveis e períodos de cobertura seguro horizontal

Quadro - Colheitas seguráveis e períodos de cobertura seguro horizontal Quadro Colheitas seguráveis e períodos de cobertura seguro horizontal ABACATE ABÓBORA AGRIÃO AIPO ALFACE ALFARROBA ALGODÃO Geada e ALHO ALHO FRANCES ALPERCE plena floração ALPISTA emborrachamento AMEIXA

Leia mais

CARDÁPIO BERÇÁRIO II - NOVEMBRO NRI AQUARELA SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA

CARDÁPIO BERÇÁRIO II - NOVEMBRO NRI AQUARELA SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA 30/10/2017 31/10/2017 01/11/2017 02/11/2017 03/11/2017 Leite ou Leite ou Leite ou Fruta / Suco de fruta Fruta / Suco de fruta Fruta / Suco de fruta RECESSO ESCOLAR Salada : Beterraba Salada : Tomate Salada

Leia mais

Comercialização de 12/01/2011 PRODUTOS: MIN + COMUM MAX

Comercialização de 12/01/2011 PRODUTOS: MIN + COMUM MAX GRUPO: HORTALIÇAS: FOLHA, FLOR E HASTE: ACELGA KG EXTRA 8-9 UN. Kg. 1,10 1,20 1,30 ESPECIAL 10-12 UN. Kg. 0,90 0,95 1,00 AGRIÃO KG Kg. 3,00 3,20 3,30 ALCACHOFRA KG ALECRIM KG Kg. 12,00 14,00 15,00 ALFACE

Leia mais

Situação atual e perspectivas da produção de cebola no Brasil

Situação atual e perspectivas da produção de cebola no Brasil XXII Seminário Nacional da Cebola XIII Seminário da Cebola do Mercosul Situação atual e perspectivas da produção de cebola no Brasil Prof. Dr. Paulo César C Tavares de Melo USP/ESALQ Associação Brasileira

Leia mais

Apresentação dos principais resultados do projeto compacto para levantamento de

Apresentação dos principais resultados do projeto compacto para levantamento de Apresentação dos principais resultados do projeto compacto para levantamento de Realização: Patrocínio: Comprovado através de estudos de nutricionistas e médicos, o consumo de frutas e hortaliças é de

Leia mais

E-BOOK PDF ISBN Preço 9,50

E-BOOK PDF ISBN Preço 9,50 E-BOOK PDF ISBN 978-88-98268-56-6 Preço 9,50 Cultivar uma horta 007205 Bruno Del Medico Ilustrações de Elisabetta Del Medico. Como cultivar uma horta excepcional Pequenos truques e segredos antigos 3 Copyright

Leia mais

A economia agrícola internacional e a questão da expansão agrícola brasileira ABAG. Alexandre Mendonça de Barros

A economia agrícola internacional e a questão da expansão agrícola brasileira ABAG. Alexandre Mendonça de Barros A economia agrícola internacional e a questão da expansão agrícola brasileira ABAG Alexandre Mendonça de Barros 05 de Agosto de 2013 1 Índice As transformações da economia agrícola internacional Vantagens

Leia mais

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira SEGURO RURAL BRASILEIRO Elaine Cristina dos Santos Ferreira MODALIDADES OFERTADAS DE SEGURO RURAL Agrícola Pecuário Florestas Aqüícola Penhor rural Benfeitorias e produtos agropecuários CPR Vida do Produtor

Leia mais

A MEDIDA DAS HORTALIÇAS

A MEDIDA DAS HORTALIÇAS 18 cabeças Classe 5 1A 2A 3A TIPO 12 NOIVA A B C Diâmetro Tipo 6 A B C Tipo 8 quilograma Peso 12 cabeças Extra A Grama Primeira 3A 2A 1A NOIVA Tipo 8 EXTRA Tipo 8 B CAIXA 2 ESPECIAL Boneca 8 cabeças Peso

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL ANÁLISE DA CONJUNTURA AGROPECUÁRIA SAFRA 2009/10

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL ANÁLISE DA CONJUNTURA AGROPECUÁRIA SAFRA 2009/10 1 ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL ANÁLISE DA CONJUNTURA AGROPECUÁRIA SAFRA 2009/10 OLERICULTURA Economista Marcelo Garrido Moreira Outubro de

Leia mais

Proposta de Alimentação para o campori da União Nordeste Brasileira

Proposta de Alimentação para o campori da União Nordeste Brasileira Proposta de Alimentação para o campori da União Nordeste Brasileira 15 19 de Novembro de 2017 Cardápio Sugestivo Cardápio Alimentação Campori Inabalável UNeB - 2017 15 19 de Novembro 2017 > Frutas (4 tipos

Leia mais

A semente do cooperativismo no desenvolvimento competitivo do Estado do Paraná

A semente do cooperativismo no desenvolvimento competitivo do Estado do Paraná Fórum de Competitividade da Câmara Americana de Comércio - AMCHAM Curitiba 27/setembro/2017 Curitiba/PR A semente do cooperativismo no desenvolvimento competitivo do Estado do Paraná Eng. Agr. J O S É

Leia mais

ESCOLA INFANTIL PARAÍSO UNIDADE III JUNHO 2016 Cardápio sujeito a alterações de acordo com a disponibilidade dos alimentos

ESCOLA INFANTIL PARAÍSO UNIDADE III JUNHO 2016 Cardápio sujeito a alterações de acordo com a disponibilidade dos alimentos 01/06 02/06 03/06 LANCHE DA MANHÃ Banana Manga Goiaba Yakissoba de carne com legumes (macarrão cabelo anjo) Frango desfiado com tomate Guarnição ---- Milho refogado com Bolinho de peixe com batata doce

Leia mais

CARDÁPIO DIETA DOS SHAKES PARA EMAGRECER 4KG EM 15 DIAS

CARDÁPIO DIETA DOS SHAKES PARA EMAGRECER 4KG EM 15 DIAS CARDÁPIO DIETA DOS SHAKES PARA EMAGRECER 4KG EM 15 DIAS Em primeiro quero que você saiba que, todas as dicas para você ter sucesso na sua dieta, encontra-se bem AQUI. Primeira fase da dieta: Substituir

Leia mais

ESCOLA INFANTIL PARAÍSO UNIDADE III AGOSTO 2017 Cardápio sujeito a alterações de acordo com a disponibilidade dos alimentos

ESCOLA INFANTIL PARAÍSO UNIDADE III AGOSTO 2017 Cardápio sujeito a alterações de acordo com a disponibilidade dos alimentos 31/07 01/08 02/08 03/08 04/08 Banana, melancia, melão, mamão e maçã Carne móida Pernil refogado Iscas de Estrogonofe de carne Guarnição Macarrão ao sugo Jardineira de legumes Milho refogado Batata e batata

Leia mais

DIETA VEGETARIANA-Lotes 3 e 4

DIETA VEGETARIANA-Lotes 3 e 4 Quinta-Feira Quarta-Feira Terça-Feira DIETA GETARIANA-Lotes 3 e 4 Semana 8 30 de outubro a 3 de novembro Proteínas Sopa Alho-francês 275 66 3,5 0,6 6,5 5,6 2,3 0,2 Estufado de cogumelos com tomate e arroz

Leia mais

Situação atual do cultivo de hortaliças no estado de Rondônia.

Situação atual do cultivo de hortaliças no estado de Rondônia. Situação atual do cultivo de hortaliças no estado de Rondônia. José Orestes M. Carvalho 1 ; Zenildo Ferreira Holanda 1 ; Lais Mary Lisboa de Lima 2 ; Solange da Costa Dantas 3 ; 1 - Embrapa Rondônia, c.

Leia mais

CARDÁPIO DESINTOXICANTE PARA ELIMINAR 3 KG EM 7 DIAS

CARDÁPIO DESINTOXICANTE PARA ELIMINAR 3 KG EM 7 DIAS CARDÁPIO DESINTOXICANTE PARA ELIMINAR 3 KG EM 7 DIAS Para saber tudo o que é preciso fazer e mais as receitas da dieta estão! CLIQUE AQUI! SEGUNDA FEIRA Café da manhã 7:30min 1/2 mamão papaia médio 1 colher

Leia mais

COLHEITA DE SEMENTES INTRODUÇÃO LPV : PRODUÇÃO DE SEMENTES. Objetivo Básico da Colheita de Sementes PROBLEMAS DA COLHEITA. Conceito.

COLHEITA DE SEMENTES INTRODUÇÃO LPV : PRODUÇÃO DE SEMENTES. Objetivo Básico da Colheita de Sementes PROBLEMAS DA COLHEITA. Conceito. LPV - 0638: PRODUÇÃO DE SEMENTES COLHEITA DE SEMENTES Julio Marcos Filho Tecnologia de Sementes DEPTO. DE PRODUÇÃO VEGETAL USP/ESALQ INTRODUÇÃO Planta produtora de grãos: Vegetação Florescimento Frutificação

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO JUNHO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas publicações

Leia mais

SETEMBRO/ ª Semana

SETEMBRO/ ª Semana Podemos alimentar o mundo, e alimentá-lo melhor, trabalhando com a natureza, valorizando a biodiversidade e os conhecimentos tradicionais. Slow Food SETEMBRO/ 2017 1ª Semana 6 a feira 01/09/2017 Suco de

Leia mais

Município de Chaves. Ementa Escolar Vegetariana

Município de Chaves. Ementa Escolar Vegetariana Semana de 3 de Outubro a 3 de Novembro 2-nov 1-nov 31-out 3-out 5º Feira 4º Feira Brócolos e abóbora (batata, cenoura e cebola) Rissões de vegetais com esparguete e couve Penca, nabo e grão-de-bico (batata,

Leia mais

Município de Chaves Ementa Escolar Vegetariana

Município de Chaves Ementa Escolar Vegetariana Semana de 2 a 6 de Outubro Alimenta a tua mente com alimentos saudáveis, para que possa refletir saúde! 2-out Couve coração, abóbora (batata, cenoura e cebola) massa esparguete com jardineira de legumes

Leia mais

CARDÁPIO DE ALMOÇO MAIO DE 2013

CARDÁPIO DE ALMOÇO MAIO DE 2013 CARDÁPIO DE ALMOÇO MAIO DE 2013 Semana I - de 6 a 10 de maio e Ervilha/ Agrião e Abacaxi Alface, Tomate/ Repolho Bicolor/ Alface / Pepino com Azeitonas Alface, Tomate/ Cenoura e Beterraba raladas/ Alface

Leia mais

Projetos Bayer. Culturas de Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI) Mariana Beig Jordão Marketing Estratégico

Projetos Bayer. Culturas de Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI) Mariana Beig Jordão Marketing Estratégico Projetos Bayer Culturas de Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI) Mariana Beig Jordão Marketing Estratégico Agenda/ Content Portfólio Bayer HF Projetos Bayer - CSFIs Planejamento Interno Hortifruti

Leia mais

Paulo César Tavares de Melo, D.Sc. Professor USP/ESALQ Departamento de Produção Vegetal

Paulo César Tavares de Melo, D.Sc. Professor USP/ESALQ Departamento de Produção Vegetal Melhoramento genético de hortaliças: desenvolvimento de cultivares de polinização aberta Paulo César Tavares de Melo, D.Sc. Professor USP/ESALQ Departamento de Produção Vegetal 1 Características da cadeia

Leia mais

Linha Platina, muito mais que semente.

Linha Platina, muito mais que semente. Linha Platina Com mais de quarenta anos de experiência no mercado brasileiro, a Horticeres conhece bem o que o produtor precisa. Por isso ela criou a Linha Platina, levando ao médio e pequeno agricultor

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL BENEFÍCIO DAS HORTALIÇAS O QUE SÃO HORTALIÇAS? São assim genericamente denominadas as verduras, os tubérculos, as raízes e as leguminosas, isto é, aqueles que

Leia mais

ESALQ. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo. Prof. Dr. Walter F. Molina Jr Depto de Eng. de Biossistemas 2015

ESALQ. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo. Prof. Dr. Walter F. Molina Jr Depto de Eng. de Biossistemas 2015 ESALQ Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo Prof. Dr. Walter F. Molina Jr Depto de Eng. de Biossistemas 2015 www.ler.esalq.usp.br/molina.htm Walter Molina: wfmolina@usp.br

Leia mais

Melancia FERIADO. agrião

Melancia FERIADO. agrião CARDÁPIO BERÇÁRIO I 1ª FASE MATUTINO Papa de Papa de Melancia Papa de manga 8H30 mamão goiaba baroa,, Creme de sem Couve inhame e abóbora, pele e sem flor, beterraba e 11H30 chuchu e ervilha, maxixe semente

Leia mais

Gestão de Recebíveis. Um Novo Cenário

Gestão de Recebíveis. Um Novo Cenário 2015-16 Gestão de Recebíveis Um Novo Cenário Sobre a recuperação da economia americana: No começo achávamos que viria a recuperação em V, começamos a falar em U, daí passaram para o L - Austan Goolsbee

Leia mais

Relações Brasil - China: oportunidades de negócios para o setor agropecuário

Relações Brasil - China: oportunidades de negócios para o setor agropecuário Relações Brasil - China: oportunidades de negócios para o setor agropecuário Eduardo Correa Riedel Vice-Presidente e Diretor da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil - CNA Relações Brasil -

Leia mais

CURSO: ENGENHARIA AGRONÔMICA. UniSalesiano. INTRODUÇÃO À OLERICULTURA Implantação da horta e Tratos culturais.

CURSO: ENGENHARIA AGRONÔMICA. UniSalesiano. INTRODUÇÃO À OLERICULTURA Implantação da horta e Tratos culturais. CURSO: ENGENHARIA AGRONÔMICA UniSalesiano INTRODUÇÃO À OLERICULTURA Implantação da horta e Tratos culturais. Prof. Harumi Hamamura UniSalesiano Olericultura Geral Conteúdo Programático Importância e Classificação

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja De acordo com o 5 Levantamento de safra 2015/16, publicado em fevereiro pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área plantada deve crescer 3,6%

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

No Brasil, as frutas e

No Brasil, as frutas e FRUTAS E HORTALIÇAS: FONTE DE PRAZER E SAÚDE No Brasil, as frutas e hortaliças frescas são produzidas, em diferentes épocas do ano, por milhares de pequenos produtores, distribuídos por todo o país. A

Leia mais

SEMANA 1 SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA SABADO DIA DO MÊS

SEMANA 1 SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA SABADO DIA DO MÊS SEMANA 1 SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA SABADO DIA DO MÊS 1-7-2017 2-7-2017 Arroz Feijão Carioca Carioca Iscas Suínas Coloridas Carne Moída Gratinada Parafuso ao Molho Vermelho e Manjericão kfjdkfjd

Leia mais

Edital de Seleção de Feirantes N.º 01/16 DFA/SMIC

Edital de Seleção de Feirantes N.º 01/16 DFA/SMIC Edital de Seleção de Feirantes N.º 01/16 DFA/SMIC A Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio, através da Divisão de Fomento Agropecuário, torna público que estará recebendo inscrições para

Leia mais

AGRICULTURA. Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

AGRICULTURA. Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos AGRICULTURA Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DESEMPENHO DA AGRICULTURA o o Algodão Embora não tenha alcançado recorde, as 3 últimas safras globais seguiram em recuperação

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO JUNHO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas publicações

Leia mais

Avicultura e Suinocultura: Cenário Nacional e Mundial Desafios e Oportunidades

Avicultura e Suinocultura: Cenário Nacional e Mundial Desafios e Oportunidades FRANCISCO TURRA Presidente Executivo Avicultura e Suinocultura: Cenário Nacional e Mundial Desafios e Oportunidades Brasil é o 4º Maior Exportador Mundial de Produtos Agrícolas Exportação de produtos agrícolas

Leia mais

CARTILHA DO APLICADOR

CARTILHA DO APLICADOR CARTILHA DO APLICADOR Prezado (a), PARABÉNS POR ADQUIRIR O MICROGEO! MICROGEO é um produto voltado para a sustentabilidade de sua produção agrícola. É com satisfação que apresentamos informações básicas

Leia mais

Resumo Expandido INTRODUÇÃO:

Resumo Expandido INTRODUÇÃO: Resumo Expandido Título da Pesquisa: Caracterização do mercado de sementes de hortaliças na região de Bambuí - MG Palavras-chave: Hortaliças, Comercialização, Insumos. Campus: Bambuí Tipo de Bolsa: PIBIC

Leia mais

2 a edição revista. Embrapa Informação Tecnológica

2 a edição revista. Embrapa Informação Tecnológica 2 a edição revista Embrapa Informação Tecnológica Exemplares desta publicação podem ser adquiridos na: Embrapa Informação Tecnológica Parque Estação Biológica (PqEB) Av. W3 Norte (final) CEP 70770-901

Leia mais

Imagem:https://www.google.com.br/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cad=rja&uact=8&ved=&url=http%3A%2F%2Fsitebarra.com.br%2F2012%2F01%2Ffruti

Imagem:https://www.google.com.br/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cad=rja&uact=8&ved=&url=http%3A%2F%2Fsitebarra.com.br%2F2012%2F01%2Ffruti Fruticultura Tropical Prof. Harumi Hamamura UniSALESIANO Lins Imagem:https://www.google.com.br/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cad=rja&uact=8&ved=&url=http%3A%2F%2Fsitebarra.com.br%2F2012%2F01%2Ffruti

Leia mais

BIODIVERSIDADE ALIMENTAR

BIODIVERSIDADE ALIMENTAR BIODIVERSIDADE ALIMENTAR O uso das Plantas Alimentícias Não Convencionais CAJAN Comercialização justa e Cultura alimentar NÚCLEO DE AGROECOLOGIA Monotonia alimentar & Monoculturas, como chegamos nesta

Leia mais

CARDÁPIO BERÇÁRIO B 1 e Meio MÊS DE AGOSTO/16 Juliana Simonetti Ribeiro/ Nutricionista- CRN com mandioquinha + Salada de acelga

CARDÁPIO BERÇÁRIO B 1 e Meio MÊS DE AGOSTO/16 Juliana Simonetti Ribeiro/ Nutricionista- CRN com mandioquinha + Salada de acelga REFEIÇOES LANCHE DA MANHÃ ALMOÇO LANCHE DA TARDE JANTAR 01/08 Mamão em cubos Arroz integral + feijão+ frango com mandioquinha + Salada de acelga pera Pão integral com Sopa creme de ervilha +Batata em cubos

Leia mais

Panorama Atual da Agricultura Brasileira e Desenvolvimento Sustentável: tá os Riscos do Risco

Panorama Atual da Agricultura Brasileira e Desenvolvimento Sustentável: tá os Riscos do Risco Risco e Gestão do Seguro Rural no Brasil Panorama Atual da Agricultura Brasileira e Desenvolvimento Sustentável: tá os Riscos do Risco Luís Carlos Guedes Pinto Vice-Presidente de Agronegócios do Banco

Leia mais

MANEJO DA MANCHA DE RAMULÁRIA E MOFO BRANCO

MANEJO DA MANCHA DE RAMULÁRIA E MOFO BRANCO MANEJO DA MANCHA DE RAMULÁRIA E MOFO BRANCO Luiz Gonzaga Chitarra Fitopatologista Embrapa Algodão Luiz.chitarra@embrapa.br ASPECTOS GERAIS MANCHA DE RAMULARIA Causada pelo fungo Ramularia areola Atk.;

Leia mais