FACULDADE DE MEDICINA DE BELO HORIZONTE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FACULDADE DE MEDICINA DE BELO HORIZONTE"

Transcrição

1 1 FACULDADE DE MEDICINA DE BELO HORIZONTE Denominações: Faculdade de Medicina de Belo Horizonte (1911); Faculdade de Medicina da Universidade de Minas Gerais (1927); Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (1965) HISTÓRICO Data dos tempos coloniais, mais precisamente do ano da Inconfidência Mineira (1789), a primeira tentativa de criação de um curso médico em Minas Gerais. Na proposta política daquele movimento já constava a criação de uma universidade em Vila Rica, atual cidade de Ouro Preto. Com a derrota do movimento, este propósito não se concretizou (CORRÊA, 1997). Durante o século XVIII, os que exerciam a "arte de curar" (cirurgiões, barbeiros e boticários) aprendiam seu ofício na prática, tendo como mestre um cirurgião já habilitado. Para garantirem o direito de exercer apenas a cirurgia prestavam exames diante das autoridades sanitárias competentes, quando obtinham a "carta de examinação". Esse aprendizado para obter licença na colônia geralmente se dava nos hospitais da Santa Casa da Misericórdia ou nos hospitais militares, ou ainda nas residências dos mestres das principais cidades e vilas. Com relação ao Hospital Militar de Vila Rica, foram encontrados registros referentes ao final do século XVIII, contendo informações de que nas suas dependências eram ministradas aulas de anatomia e cirurgia pelo Cirurgião-mor Antônio José Vieira de Carvalho. Este, pela Carta Régia de 17/06/1801, teria sido oficialmente provido na cadeira de "cirurgia, anatomia e arte obstétrica" (SALLES, 1971; SANTOS FILHO, 1991). Já no Brasil Império, por ocasião da Assembléia Constituinte de 1823, foi apresentado o projeto de uma universidade na província de São Paulo, de autoria do Deputado pelo Rio Grande do Sul, José Feliciano Fernandes Pinheiro (Visconde de São Leopoldo). A este projeto foram propostas várias emendas por parte de outros de putados, destacando -se as apresentadas pelo Deputado por Minas Gerais, Lúcio Soares Teixeira de Gouvea, e a do Deputado pela Bahia, Francisco Gê Acayaba Montezuma (Visconde de Jequitinhonha). Teixeira de Gouvea propôs que se fosse criada uma única universidade, esta deveria ficar sediada na cidade mineira de Mariana; e Montezuma, por sua vez, justificou a implantação da universidade na província mineira por ser "a mais populosa e a mais polida do interior", ocupando uma posição central no Império. Contudo, a Assembléia foi dissolvida pelo Imperador Pedro I e estas universidades não foram implantadas (LOBO, 1967). Em 28 de janeiro de 1829, o Conselho do Governo da Província de Minas Gerais aprovou a proposta do Conselheiro Bernardo Pereira de Vasconcelos, de que fossem contratados três lentes proprietários e um substituto para ensinarem, na cidade de Ouro Preto, as mesmas matérias que eram ministradas na Academia Médico-Cirúrgica do Rio de Janeiro. Mais tarde, em janeiro de 1832, aquele Conselho apresentou um projeto de criação de uma academia médico-cirúrgica na vila de São João d El-Rei, nos moldes da do Rio de Janeiro, mas que também não se concretizou. Naquela ocasião, os argumentos apresentados eram de que a província mineira encontrava-se desprovida de "recursos médicos pela falta de hábeis professores ainda nos lugares mais notáveis dela, por não haver na mesma Província uma Academia, onde a mocidade estudiosa beba os princípios da ciência médica" (PIRES, 1927, p.8). Finalmente, a lei provincial nº 140 de 04/04/1839, deu origem à primeira instituição de ensino na área médica na província mineira, a Escola de Farmácia de Ouro Preto.

2 2 Com a proclamação da República em 1889, as discussões relativas à estruturação de uma escola livre de medicina em Minas Gerais voltaram à tona. A partir da Constituição de 1891, ficou estabelecido um sistema educacional descentralizado, cabendo ao Congresso Nacional e à União legislar sobre o ensino superior, secundário e primário do Distrito Federal. Em contrapartida, aos Estados seria permitido organizar os seus sistemas escolares completos. Nesse contexto, a partir do início do século XX, vários cursos de ensino médico de nível superior, principalmente de farmácia e de odontologia, começaram a surgir nas capitais ou mesmo nas cidades mais importantes dos principais Estados do país. Já em 1892, o então médico e Senador Francisco Silviano de Almeida Brandão ao defender o projeto de criação do bacharelado na Escola de Farmácia de Ouro Preto, aventou transformá-la em uma escola de medicina no futuro. No ano seguinte, tentou-se viabilizar essa idéia, quando o Senador Virgílio Martins de Mello Franco apresentou ao Senado o projeto nº 37, de instalação de uma faculdade de medicina e farmácia a ser criada na capital do Estado, Ouro Preto. Essa ficaria constituída por cinco cursos: Ciências Médicas e Cirúrgicas; Farmácia; Bacharelado em Ciências Naturais e Farmacêuticas; Obstetrícia e Odontologia (art. 2º). O curso médico seria dividido em seis séries e o de farmácia seria constituíd o pelo da Escola de Farmácia de Ouro Preto, que não sofreria modificações. O ensino das matérias do curso farmacêutico seria feito em comum com o do curso de ciências médicas e cirúrgicas (art. 6º) (Apud PIRES, 1927, p ). O projeto foi aprovado no Senado em 1894, porém, quando remetido à Comissão de Instrução Pública, no Congresso, foi arquivado. Isto, apesar de durante o ano de 1893, terem sido feitos pronunciamentos favoráveis pelo Presidente do Estado, Afonso Penna, e pelo então Secretário do Interior, Francisco Silviano de Almeida Brandão. Naquela época, os únicos cursos médicos reconhecidos no país eram os ministrados pela Faculdade de Medicina e Farmácia do Rio de Janeiro e pela Faculdade de Medicina e Farmácia da Bahia. Além dessas, em 1898, a Escola Livre de Farmácia e Química Industrial de Porto Alegre, criada no ano anterior, transformou-se em Faculdade de Medicina e Farmácia de Porto Alegre. Em São Paulo, nesse mesmo ano, foi instalada a Escola Livre de Farmácia de São Paulo. Em 1902, quando já havia sido transferida a capital do Estado, de Ouro Preto para Belo Horizonte, a Sociedade de Medicina, Cirurgia e Farmácia de Belo Horizonte formou uma comissão com fins de promover a implantação de uma escola livre de medicina. A comissão ficou cons tituída pelos seguintes membros da Sociedade: Senador José Pedro Drummond (presidente da Sociedade), Olyntho Deodato dos Reis Meirelles e Benjamin Moss (secretários da Sociedade), Cícero Ribeiro Ferreira Rodrigues, Salvador Pinto, Virgílio Bhering, Aurélio Egídio dos Santos Pires, Antônio do Prado Lopes Pereira, João Luiz Alves, Antônio Ribeiro da Silva Braga e Davi Campista. Entre estes, o farmacêutico Aurélio Egídio dos Santos Pires, diplomado pela Escola de Farmácia de Ouro Preto e diretor da Escola Normal da nova capital mineira, destacou-se nos debates que se travaram através da imprensa, a favor da criação da faculdade (PIRES, 1927). A comissão contou com o apoio do então Presidente do Estado, o médico Francisco Silviano de Almeida Brandão, que a partir de março de 1902 tornou-se vice do Presidente da República Manuel Ferraz de Campos Salles. Durante o mês de julho, foi convocada uma reunião na sessão da Câmara dos Deputados pelos membros daquela Sociedade, na qual foi solicitada ao Congresso a transferência da Escola de Farmácia de Ouro Preto para Belo Horizonte, para que fosse doada à projetada faculdade de medicina. Ainda em julho, os estudantes promoveram uma manifestação pública em Belo Horizonte em prol do estabelecimento da instituição de ensino médico no Estado, na qual foram proferidos discursos pelos farmacêuticos Aurélio Egídio dos Santos Pires e Antônio Ribeiro da Silva Braga, este professor da escola de Ouro Preto. No entanto, o falecimento do Presidente do Estado Francisco Silviano de Almeida Brandão, em setembro de 1902, e a extinção da Sociedade de Medicina, Cirurgia e Farmácia de Belo Horizonte desmobilizaram esse movimento em torno da criação de uma escola de medicina (PIRES, 1927; CORRÊA, 1997).

3 3 A eleição do mineiro Afonso Penna para Presidente da República (1906) e a fundação da Escola Livre de Odontologia de Belo Horizonte (1907) deram novo incentivo ao projeto de criação de um curso médico em Minas Gerais. Neste mesmo ano, Aurélio Egídio dos Santos Pires publicou um artigo fazendo um apelo aos fundadores daquela Escola, no sentido de ampliar a idéia para uma escola livre de medicina e cirurgia. Contudo, Fernando de Carvalho Soares Brandão, um dos fundadores da Escola Livre de Odontologia, discordava de Pires, alegando que a recém-criada capital mineira não tinha os elementos indispensáveis para realização dos estudos médicos, além do que sua população ainda era pouco expressiva, não comportando grande número de doentes em seu hospital. Em julho de 1910, a Associação Médico-Cirúrgica de Minas Gerais, recriada neste mesmo ano a partir da antiga Sociedade de Medicina, Cirurgia e Farmácia de Belo Horizonte, e representada pelos médicos Cícero Ribeiro Ferreira Rodrigues e Cornélio Vaz de Mello, lançou o plano de uma faculdade de medicina para a cidade. O plano, de autoria de Cícero Ribeiro Ferreira Rodrigues, foi submetido à comissão constituída por Cornélio Vaz de Mello, Hugo Eiras Furquim Werneck e Zoroastro Rodrigues de Alvarenga, sendo aprovado em reunião plenária de 15 de fevereiro de A Associação Médico-Cirúrgica de Minas Gerais declarou, então, criada a Faculdade de Medicina de Belo Horizonte, na data de 5 de março de 1911, quando governava o Estado Júlio Bueno Brandão. Os médicos fundadores que assinaram a ata de sua criação e suas respectivas cátedras eram: Alfredo Balena (clínica médica); Cornélio Vaz de Mello (anatomia médico-cirúrgica, operações e aparelhos); Zoroastro Rodrigues de Alvarenga (higiene); Cícero Ribeiro Ferreira Rodrigues (medicina legal); Otávio Machado (clínica pediátrica médica e cirúrgica, ortopedia e higiene infantil); Eduardo Borges Ribeiro da Costa (clínica cirúrgica); Hugo Eiras Furquim Werneck (ginecologia e obstetrícia); Samuel Libânio (clínica médica, 2ª cadeira); Antônio Aleixo (clínica dermatológica e sifilográfica); Ezequiel Caetano Dias (microbiologia); Honorato Alves (oftalmologia e otorrinolaringologia); e Olyntho Deodato dos Reis Meirelles (farmacologia). Inicialmente, a Escola foi instalada no palacete Thibau, na esquina da Avenida Afonso Penna com a Rua Espírito Santo. Em 30 de julho de 1911 foi lançada a pedra fundamental para a construção de sua sede própria, localizada num terreno do Parque Municipal, cedido pela Prefeitura, na Avenida Mantiqueira, depois Avenida Oswaldo Cruz. À solenidade compareceu como paraninfo o professor Miguel de Oliveira Couto, da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Em 26 de março de 1911, reuniram-se os fundadores e organizadores da Escola, constituindo a Direção Provisória da Faculdade, com Cícero Ribeiro Ferreira Rodrigues como presidente e Otávio Machado como secretário. A 3 de maio de 1911 deliberou-se pela aprovação dos seus estatutos, tomando como base o ensino teórico e prático das matérias que constituíam a Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, incluindo os cursos de ciências médicas e cirúrgicas, de farmácia, de odontologia e de obstetrícia. Elegeu-se, então, a diretoria definitiva com Cícero Ribeiro Ferreira Rodrigues como diretor, Cornélio Vaz de Mello como vice-diretor e João Batista de Freitas como secretário-tesoureiro. No mês de junho foram empossados os 12 catedráticos fundadores e os diretores. A aula inaugural intitulada "As Coordenadas Estáticas do Corpo Humano" foi proferida pelo professor interino de física médica Zoroastro Rodrigues de Alvarenga, no dia 8 de abril de Naquele ano foram matriculados 113 alunos, sendo 104 no curso médico, seis no de farmácia e três no de odontologia. Em 10 de março de 1912 foi contratado o professor alemão Walter Haberfeld, para exercer a cátedra de histologia e anatomia patológica, cargo que ocupou até 1917; e Alfred Schaeffer para química prática. Haberfeld foi responsável pela primeira necropsia registrada na instituição. No ano seguinte, a Escola foi transferida para sua sede própria, na Avenida Mantiqueira.

4 4 De acordo com as exigências da Reforma Carlos Maximiliano, aprovada pelo decreto nº de 18/03/1915, a Faculdade passou a ser inspecionada em 1917 por Guilherme Gonçalves. Diante do relatório apresentado pelo inspetor, em 20 de fevereiro de 1918, o Conselho Superior de Ensino votou a favor da equiparação da instituição aos institutos congêneres, ato aprovado pelo Governo Federal, através de portaria de 21 de março do mesmo ano. Nessa ocasião, a Associação Médico- Cirúrgica de Minas Gerais promoveu uma solenidade na Faculdade, na qual o diretor Cícero Ferreira foi homenageado. Aurélio Egídio dos Santos Pires ao proferir discurso, ressaltou a importância da instituição "não só como oficina e laboratório de ciência, como também auxiliar da ação dos poderes públicos na debelação das grandes endemias que estão depauperando as forças vivas do Estado, sob a forma de impaludismo, de ancilostomíase e da moléstia de Chagas" (PIRES, 1927, p.155). Dois anos depois, seu corpo docente, com as respectivas cadeiras, ficou assim constituído: Alfredo Leal Pimenta Bueno física médica; Francisco de Paula Magalhães Gomes química médica; Henrique Marques Lisboa história natural médica; David Corrêa Rabello anatomia descritiva; Octaviano Ribeiro de Almeida anatomia descritiva e médico-cirúrgica; Octávio Coelho de Magalhães fisiologia; Roberto de Almeida Cunha (contratado) histologia e anatomia patológica; Aurélio Egídio dos Santos Pires farmacologia e arte de formular; Cornélio Vaz de Mello anatomia médico-cirúrgica, operações e aparelhos; Ezequiel Caetano Dias microbiologia; Eurico de Azevedo Vilela clínica cirúrgica 1ª cadeira; Alfredo Balena clínica médica 1ª cadeira; Marcello dos Santos Libânio 2ª cadeira; Antônio Aleixo clínica dermatológica e sifilográfica; Honorato Alves clínica oftalmológica; Lineu Silva (substituto) clínica oftalmológica; Olyntho Deodato dos Reis Meirelles terapêutica; Cândido Firmino de Mello Leitão clínica pediátrica; Renato B. Machado clínica otorrinolaringológica; Zoroastro Rodrigues de Alvarenga higiene; Hugo Eiras Furquim Werneck clínica ginecológica; Carlos Alberto Pires de Sá clínica obstétrica; Cícero Ribeiro Ferreira Rodrigues medicina legal; Álvaro Ribeiro de Barros clínica psiquiátrica. Durante o ano letivo de 1920, ingressaram através de concurso para ocuparem os cargos de lentes substitutos Luiz Adelmo Lodi (anatomia descritiva); Aníbal Theotônio Baptista (química analítica); João de Mello Teixeira (clínica pediátrica médica); e Martinho da Rocha Filho para o cargo de livredocente. Nos anos seguintes, ingressaram também como lentes substitutos Júlio de Godoy Tavares (terapêutica, farmacologia e arte de formular); Leontino Cunha (medicina legal e higiene); Carlos Pinheiro Chagas (anatomia patológica, histologia e citologia); Zoroastro Viana Passos (clínica cirúrgica 2ª cadeira); e como lentes catedráticos Roberto de Almeida Cunha (microbiologia) em substituição a Ezequiel Caetano Dias, e José Baeta Vianna (química médica). Diretores: Cícero Ribeiro Ferreira Rodrigues ( ); Eduardo Borges Ribeiro da Costa ( ); Hugo Eiras Furquim Werneck ( ); Alfredo Balena ( ); Antônio Aleixo ( ); Olyntho Deodato dos Reis Meirelles ( ); Alfredo Balena ( ); Luiz Adelmo Lodi ( ). ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO Em julho de 1918, o professor Eduardo Borges Ribeiro da Costa e os acadêmicos Renato Machado e Luiz Adelmo Lodi partiram para a França, como representantes da Faculdade junto à Missão Médica Brasileira na Primeira Guerra Mundial, com fins de prestarem serviços profissionais aos aliados. Ainda naquele ano, durante a epidemia de gripe espanhola que acometeu a capital mineira, a Escola prestou assistência a 420 doentes. No mesmo ano também se formaram os primeiros 33 médicos e três farmacêuticas. Quanto ao curso de odontologia, só se teve notícia de um formando no ano de 1916, o cirurgião-dentista João Segismundo de Souza e Silva.

5 5 Desde o ano de 1914, quando a Faculdade entrou em acordo com a Santa Casa da Misericórdia de Belo Horizonte, diversas clínicas passaram a funcionar em seus aposentos, estendendo-se essa utilização até a década de Em 1920, o Instituto de Assistência e Proteção à Infância de Belo Horizonte, da Sociedade São Vicente de Paulo, estabeleceu um acordo com a Faculdade de Medicina, recebendo desta uma verba para a conclusão do Hospital São Vicente de Paulo. Em troca, foram colocados à disposição da Escola duas enfermarias, dois consultórios, salas de cirurgia, sala de curativos e dois gabinetes para os chefes das cadeiras de clínica pediátrica médica e higiene infantil, e clínica pediátrica cirúrgica e ortopédica, respectivamente. Na época, aquelas cadeiras eram lecionadas pelos professores Cândido Firmino de Mello Leitão e David Corrêa Rabello. Ainda em 1920, no dia 4 de julho, foi inaugurado o Hospital São Geraldo, para sede das clínicas oftalmológica e otorrinolaringológica, cujos responsáveis eram os professores Lineu Silva e Renato Machado. Em 1922, foi fundado o Instituto do Radium, idealizado pelo professor Eduardo Borges Ribeiro da Costa, que foi o primeiro hospital oncológico do país. Em 1926, foi visitado por Marie Sklodowska Curie ( ). No ano seguinte, o presidente da República convidou o professor Eduardo Borges Rib eiro da Costa para fazer parte da comissão representativa do Brasil na Conferência Internacional de Higiene, realizada em Estrasburgo (França), onde foram exibidos o projeto e a maquete do Instituto do Radium. Naquele mesmo ano, foi fundado o Instituto de Neuropsiquiatria de Belo Horizonte, pelo primeiro catedrático de psiquiatria da Faculdade de Medicina, professor Álvaro Ribeiro de Barros. Em 1924, em homenagem ao Presidente do Estado, falecido naquele ano, sua denominação foi mudada para Instituto Raul Soares. Embora não pertencesse à Faculdade, a maioria de seus dirigentes e corpo clínico eram docentes da instituição. Em 1924, o professor Octaviano Ribeiro de Almeida apresentou à Associação Médico-Cirúrgica de Minas Gerais uma proposta de oficialização da Faculdade, como forma de obter mais recursos para reformar seus laboratórios, refazer suas clínicas e suprir a falta da publicação de trabalhos científicos desenvolvidos pela instituição, entre outras carências. As rendas obtidas através de taxas escolares e subvenções dos governos federal e estadual, eram apontadas como insuficientes. Octaviano alegava que o fato de o Governo Federal ter solicitado à instituição, no ano anterior, sua participação no plano de reforma de ensino, justificava a oficialização. A Associação, acatando a proposta do professor, nomeou uma comissão para trabalhar a favor da oficialização, junto aos poderes competentes. Esta comissão era constituída por Miguel de Oliveira Couto (paraninfo da Faculdade), Carlos Ribeiro Justiniano Chagas (membro honorário da Associação), Samuel Libânio (Diretor de Higiene do Estado), Leontino Cunha e Carlos Pinheiro Chagas (lentes da Faculdade) e Cassemiro Laborne Tavares (1º Secretário da Associação Médico-Cirúrgica). Na abertura do ano letivo de 1927, já tendo sido instituída a reforma de ensino Rocha Vaz, pelo decreto nº A de 13/01/1925, o professor João de Mello Teixeira voltou a fazer referência à falta de recursos da Faculdade: Coisa inexistente, quase tem sido para as preocupações governamentais, o ensino superior em Minas. O que há, surgiu da iniciativa particular e se vem mantendo a custo de sacrifícios inapreciáveis dos seus fundadores, tão parcos, tão incertos têm sido os auxílios oficiais (...) Minas precisa cuidar de frente do ensino superior. A Universidade mineira não é idéia de hoje. Há já um século que foi proposto criar-se a primeira universidade brasileira. Porque não realizar esse propósito secular, revivido em autorização parlamentar na benemérita administração estadual passada" (PIRES, 1927, p ) Nesse período, desde sua criação até o ano de 1927, do total de alunos matriculados na instituição, foram diplomados apenas 170 médicos e 93 farmacêuticos. Em 7 de setembro de 1927, em virtude da lei nº 956, sancionada pelo Presidente do Estado, Antônio Carlos Ribeiro de Andrada, foi criada a Universidade de Minas Gerais, que ficou constituída pelos quatro institutos de ensino superior: Faculdade de Medicina, Escola de Odontologia e Farmácia, Escola de Engenharia

6 6 e Faculdade de Direito, todos com sede em Belo Horizonte, gozando de autonomia didática e administrativa. A sua manutenção passaria a contar com o auxílio do governo estadual (arts.1º e 2º). Em 1928, a Santa Casa da Misericórdia de Belo Horizonte aprovou a criação de uma enfermaria para crianças, instalada em 1936, sob a chefia do professor Navantino Alves e freqüentada pelos clínicos com maior interesse na pediatria, formando os primeiros pediatras de Belo Horizonte. Em 1933, a Universidade tendo perdido sua autonomia didática e econômica, passou por uma reorganização de acordo com a lei federal, instituída pelo decreto nº de 11/04/1931, assinado pelo Chefe do Governo Provisório, Getúlio Vargas, e referendado pelo ministro de Educação e Saúde Francisco Campos. Seus estatutos originalmente elaborados em Belo Horizonte e assinados pelo antigo reitor, Lúcio dos Santos, foram então adaptados à legislação federal pelo Ministério da Educação, cujo titular da pasta era Washington Pires. Formou-se uma comissão para este fim constituída por Octaviano Ribeiro de Almeida, reitor e representante da Universidade de Minas Gerais, Antônio Vilas Boas, procurador-geral do Estado de Minas Gerais e representante do governo mineiro, e Carneiro Felipe, assistente técnico de ensino e representante do Ministério da Educação. De acordo com esses estatutos, publicados no Diário Oficial da União (19/09/1933), a Universidade ficava constituída pela Faculdade de Direito, pela Escola de Engenharia, pela Faculdade de Medicina e pela Faculdade de Odontologia e Farmácia, todas com sede em Belo Horizonte. Pela lei nº 971 de 16/12/1949, a Universidade de Minas Gerais foi transformada em estabelecimento federal incluindo as unidades mencionadas acima, além da Escola de Arquitetura, Faculdade de Ciências Econômicas e Faculdade de Filosofia. No mesmo ano, foi emitida a lei nº 976 de 17 de dezembro, que estabelecia a federalização da Faculdade de Medicina de Belo Horizonte, ficando esta subordinada ao Ministério da Educação e Saúde, Diretoria do Ensino Superior (art. 2º), criando no quadro permanente do referido Ministério 34 cargos de professores catedráticos para o curso médico da Faculdade (art. 5º). A partir de 1965, pela lei federal nº de 23 de agosto, todas as universidades vinculadas ao Ministério da Educação e Cultura foram designadas federais, recebendo a denominação do respectivo Estado. Dessa forma, a instituição recebeu o nome de Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais. PUBLICAÇÕES OFICIAIS Entre setembro de 1920 e outubro de 1923 foi publicada a revista acadêmica Radium, que trazia artigos de autoria dos alunos ou professores, tratando de ensaios médicos, observações clínicas, biografias de professores que se destacaram, relatórios, mensagens do Poder Executivo, música, artes plásticas e literatura. Teve como diretores Tolentino Miraglia e Lucídio de Avelar, e como redatores Clemente Medrado Fernandes, Renato Franco, Alderico Andrade, Mário Mendes Campos, Armando Pereira, Aggeo Pio Sobrinho, Antônio Alves Passig, Moacir Linhares, Hermínio Ferreira Pinto, Vicente Soares e Massilon Machado. Segundo Pedro Nava (1985, p. 153), esta foi "a melhor revista acadêmica que até então se tinha publicado no Brasil". Em agosto de 1926, saiu o primeiro e único número de nova revista acadêmica intitulada Medicina, tendo como organizadores Pedro Nava e Rafael de Paula Souza. A partir de 1929, começou a circular o periódico Anais da Faculdade de Medicina da Universidade de Minas Gerais.

7 7 FONTES - ALMEIDA, Octaviano de. A propósito do "caso da Universidade". Belo Horizonte: Gráfica Queiroz Breyner Ltda., (BN) - AZEVEDO, Fernando. A cultura brasileira: introdução ao estudo da cultura no Brasil. Brasília: Ed. Universidade de Brasília, (BCCBB) - BRASIL. Lei nº 971, de 16 de dezembro de In: Coleção das Leis da República dos Estados Unidos do Brasil de 1949, v.vii. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, (BCOC) - BRASIL. Lei nº 976, de 17 de dezembro de In: Coleção das Leis da República dos Estados Unidos do Brasil de 1949, v.vii. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, (BCOC) - CAMPOS, Ernesto de Souza. Instituições culturais e de educação superior no Brasil. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, (IHGB) - CORRÊA, Edison José; GUSMÃO, Sebastião Natanael Silva (orgs.). 85 anos da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais. Minas Gerais: Cooperativa Médica, (BCOC) - ESTATUTOS da Universidade de Minas Gerais. Diário Oficial da União, Rio de Janeiro, 19/09/1933, p (BN) - LOBO, Francisco Bruno. Uma universidade no Rio de Janeiro; contribuição às comemorações do IV Centenário da Cidade , v. I. Rio de Janeiro: UFRJ, (BCOC) - MINAS GERAIS. Lei n 956, de 7 de setembro de In: Collecção das Leis e Decretos do Estado de Minas Gerais de 1927, v. I. Belo Horizonte: Imprensa Official do Estado, (BN) - NAVA, Pedro. Beira -mar: memórias IV. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, (BCCBB) - PIRES, Aurélio. Faculdade de Medicina de Belo Horizonte: subsídios e documentos para a história da fundação da mesma. Belo Horizonte: Imprensa Oficial de Minas, (IHGB) - SALLES, Pedro. História da Medicina no Brasil. Belo Horizonte: Editora G. Holman Ltda., (IHGB) - SANTOS FILHO, Lycurgo de Castro. História Geral da Medicina Brasileira. São Paulo: Hucitec/ Edusp, 1991, v.2. (BCCBB) FICHA TÉCNICA Pesquisa - Alex Varela, Verônica Pimenta Velloso Redação - Alex Varela, Verônica Pimenta Velloso Revisão - Francisco José Chagas Madureira.

Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais ufmg da criação à federalização

Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais ufmg da criação à federalização HISTÓRIA DA MEDICINA Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais ufmg da criação à federalização Faculty of Medicine, Federal University of Minas Gerais UFMG from creation to federalize

Leia mais

ESCOLA LIVRE DE FARMÁCIA DE SÃO PAULO

ESCOLA LIVRE DE FARMÁCIA DE SÃO PAULO 1 ESCOLA LIVRE DE FARMÁCIA DE SÃO PAULO Denominações: Escola Livre de Farmácia de São Paulo (1898); Escola de Farmácia, Odontologia e Obstetrícia de São Paulo (1901); Escola de Farmácia e Odontologia de

Leia mais

CURSO DE MEDICINA E CIRURGIA DA UNIVERSIDADE DO PARANÁ

CURSO DE MEDICINA E CIRURGIA DA UNIVERSIDADE DO PARANÁ 1 CURSO DE MEDICINA E CIRURGIA DA UNIVERSIDADE DO PARANÁ Denominações Posteriores: Curso de Medicina e Cirurgia da Universidade do Paraná (1912); Faculdade de Medicina do Paraná (1920); Faculdade de Medicina

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO INVENTÁRIO DO FUNDO AURÉLIO PIRES

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO INVENTÁRIO DO FUNDO AURÉLIO PIRES GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO INVENTÁRIO DO FUNDO AURÉLIO PIRES Revisão e Atualização Diretoria de Arquivos Permanentes Diretoria de Acesso à

Leia mais

ALCATEIA ACAGRUP 2014 - SIERRA NORTE - MADRID - ESPANHA PARTICIPANTES: 26 60% INCIDÊNCIA NO GRUPO 20%

ALCATEIA ACAGRUP 2014 - SIERRA NORTE - MADRID - ESPANHA PARTICIPANTES: 26 60% INCIDÊNCIA NO GRUPO 20% ALCATEIA Sec NIN NOME NIN NOME Lob 1215050143005 Alice Neto Santos Nascimento 1215050143015 Afonso da Fonseca Machado Lob 1215050143010 Amélia Maria Mesquita Aleixo Alves 1115050143010 Afonso Jesus Dias

Leia mais

Relação geral dos Professores da Faculdade

Relação geral dos Professores da Faculdade Relação geral dos Professores da Faculdade Catedráticos, em exercício e licenciados ALBERTO DEODATO M AIA BARRETO (Ciência das Finanças e Economia e Legislação Social, licenciado desta última) Rua Rio

Leia mais

ESCOLA DE APLICAÇÃO MÉDICO-MILITAR

ESCOLA DE APLICAÇÃO MÉDICO-MILITAR 1 ESCOLA DE APLICAÇÃO MÉDICO-MILITAR Denominações: Escola de Aplicação Médico-Militar(1910); Escola de Aplicação do Serviço de Saúde do Exército (1921); Escola de Saúde do Exército (1933) HISTÓRICO Em

Leia mais

IMPERIAL INSTITUTO MÉDICO FLUMINENSE Denominações: Imperial Instituto Médico Fluminense (1867) HISTÓRICO

IMPERIAL INSTITUTO MÉDICO FLUMINENSE Denominações: Imperial Instituto Médico Fluminense (1867) HISTÓRICO 1 IMPERIAL INSTITUTO MÉDICO FLUMINENSE Denominações: Imperial Instituto Médico Fluminense (1867) HISTÓRICO Desde o período colonial a assistência pública no Brasil, direcionada para o atendimento aos doentes

Leia mais

LISTA DE CANDIDATOS ADMITIDOS E NÃO ADMITIDOS. Concurso Oferta de Escola para Contratação de Docente Grupo 110. Ano Letivo - 2014/2015

LISTA DE CANDIDATOS ADMITIDOS E NÃO ADMITIDOS. Concurso Oferta de Escola para Contratação de Docente Grupo 110. Ano Letivo - 2014/2015 LISTA DE CANDIDATOS ADMITIDOS E NÃO ADMITIDOS Concurso Oferta de Escola para Contratação de Docente Grupo 110 Ano Letivo - 2014/2015 CANDIDATOS ADMITIDOS: Nº Candidato NOME OSERVAÇÕES 1367130034 Alexandra

Leia mais

TURMA 10 H. CURSO PROFISSIONAL DE: Técnico de Multimédia RELAÇÃO DE ALUNOS

TURMA 10 H. CURSO PROFISSIONAL DE: Técnico de Multimédia RELAÇÃO DE ALUNOS Técnico de Multimédia 10 H 7536 Alberto Filipe Cardoso Pinto 7566 Ana Isabel Lomar Antunes 7567 Andreia Carine Ferreira Quintela 7537 Bruno Manuel Martins Castro 7538 Bruno Miguel Ferreira Bogas 5859 Bruno

Leia mais

RESULTADOS. Nome Global ( /100) PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1

RESULTADOS. Nome Global ( /100) PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1 PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1 PT1840721 ADRIANA XAVIER DA SILVA FERNANDES 38 Pré-A1 PT1840722 ALEXANDRA FILIPA AZEVEDO SANTOS 52 A1 PT1840723

Leia mais

Lista de Contactos do Departamento de Engenharia Informática

Lista de Contactos do Departamento de Engenharia Informática Lista de Contactos do Departamento de Engenharia Informática Gabinete/Cargo Nome Extensão E-mail Diretor Luiz Felipe Rocha de Faria 1450 lef@isep.ipp.pt Sub-diretor(es) António Constantino Lopes 1462 acm@isep.ipp.pt

Leia mais

INSTITUTO DE VETERINÁRIA DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE VETERINÁRIA DE SÃO PAULO 1 INSTITUTO DE VETERINÁRIA DE SÃO PAULO Denominações: Instituto de Veterinária de São Paulo (1917); Escola de Medicina Veterinária de São Paulo (1928); Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade

Leia mais

MESTRADOS E DOUTORAMENTOS - 2015

MESTRADOS E DOUTORAMENTOS - 2015 MESTRADOS E DOUTORAMENTOS - 2015 2ª FASE - ECT SUPLENTE EXCLUÍDO LISTA DE CANDIDATOS SERIAÇÃO CARLA MARIA CARNEIRO ALVES Doutoramento em Didática de Ciências e Tecnologias 3,9 de 5 4 CARLOS EDUARDO DOS

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DO RECIFE

FACULDADE DE MEDICINA DO RECIFE 1 FACULDADE DE MEDICINA DO RECIFE Denominações: Faculdade de Medicina do Recife (1920); Faculdades de Medicina, Farmácia e Odontologia do Recife (1927); Faculdade de Medicina da Universidade do Recife

Leia mais

152729 - Agrupamento de Escolas Dr. Júlio Martins 401535 - Escola Secundária Dr. Júlio Martins Relação de Alunos

152729 - Agrupamento de Escolas Dr. Júlio Martins 401535 - Escola Secundária Dr. Júlio Martins Relação de Alunos : A 1248 1 Ana Garcia Amarante 1239 2 André Carneiro Rodrigues 124 3 Beatriz Branco Ramos 151 4 Camila Alves Salgado 16485 5 Daniel Emídio Costa dos Santos 1648 6 Débora Barroso Fernandes 16528 Hugo Paulo

Leia mais

ESCOLA E.B. 2,3 DE LAMAÇÃES 2013-2014

ESCOLA E.B. 2,3 DE LAMAÇÃES 2013-2014 5º1 1 ANA CATARINA R FREITAS SIM 2 BEATRIZ SOARES RIBEIRO SIM 3 DIOGO ANTÓNIO A PEREIRA SIM 4 MÁRCIO RAFAEL R SANTOS SIM 5 MARCO ANTÓNIO B OLIVEIRA SIM 6 NÁDIA ARAÚJO GONÇALVES SIM 7 SUNNY KATHARINA G

Leia mais

LISTA ORDENADA POR GRADUAÇÃO PROFISSIONAL - DGAE

LISTA ORDENADA POR GRADUAÇÃO PROFISSIONAL - DGAE Nome da Escola : Agrupamento de Escolas de Almancil, Loulé Horário n.º: 27-18 horas 2013-10-09 Grupo de Recrutamento: 420 - Geografia LISTA ORDENADA POR GRADUAÇÃO PROFISSIONAL - DGAE Ordenação Graduação

Leia mais

Corrida da Saúde. Infantis A - Feminino

Corrida da Saúde. Infantis A - Feminino Corrida da Saúde Classificação geral do corta-mato, realizado no dia 23 de Dezembro de 2007, na Escola E.B. 2,3 de Valbom. Contou com a participação dos alunos do 4º ano e do 2º e 3º ciclos do Agrupamento

Leia mais

Autor Área Científica 1 Área Científica 2 Ordem Dia Hora Área Autor Área Científica 1 Área Científica 2 Ordem Dia Hora Área

Autor Área Científica 1 Área Científica 2 Ordem Dia Hora Área Autor Área Científica 1 Área Científica 2 Ordem Dia Hora Área Autor Área Científica 1 Área Científica 2 Ordem Dia Hora Área Carina Coelho Cariologia/Med. dentária Preventiva Dentisteria Operatória 1 11 15h00-16h00 Investigação Isabel Roçadas Pires Cariologia/Med.

Leia mais

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS. Gabinete do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS. Gabinete do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS Gabinete do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas Aviso n.º 6326/2003 (2.ª série). O Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas faz publicar por círculos

Leia mais

ASSOCIAÇÃO AÇÃO BRASILEIRA DE CIDADANIA PELA DEMOCRACIA - ABCD ATA DE ASSEMBLEIA GERAL DE CONSTITUIÇÃO

ASSOCIAÇÃO AÇÃO BRASILEIRA DE CIDADANIA PELA DEMOCRACIA - ABCD ATA DE ASSEMBLEIA GERAL DE CONSTITUIÇÃO ASSOCIAÇÃO AÇÃO BRASILEIRA DE CIDADANIA PELA DEMOCRACIA - ABCD ATA DE ASSEMBLEIA GERAL DE CONSTITUIÇÃO Às vinte horas e trinta minutos do dia vinte e quatro do mês de março do ano de dois mil e quinze,

Leia mais

Diretor Subdiretores Secretária do Diretor Serviços Administrativos Serviços Financeiros Recursos Humanos Serviço de Alunos Gabinete de

Diretor Subdiretores Secretária do Diretor Serviços Administrativos Serviços Financeiros Recursos Humanos Serviço de Alunos Gabinete de Diretor Subdiretores Secretária do Diretor Serviços Administrativos Serviços Financeiros Recursos Humanos Serviço de Alunos Gabinete de Pós-Graduações e Mestrados Serviços de Gestão Académica Receção /

Leia mais

JOBIM, JOSÉ MARTINS DA CRUZ Outros nomes e/ou títulos:

JOBIM, JOSÉ MARTINS DA CRUZ Outros nomes e/ou títulos: 1 JOBIM, JOSÉ MARTINS DA CRUZ Outros nomes e/ou títulos: DADOS PESSOAIS TRAJETORIA PROFISSIONAL PRODUÇÃO INTELECTUAL FONTES FICHA TÉCNICA DADOS PESSOAIS José Martins da Cruz Jobim nasceu na cidade do Rio

Leia mais

FAGUNDES, Almeida * dep. fed. RJ 1915-1917.

FAGUNDES, Almeida * dep. fed. RJ 1915-1917. FAGUNDES, Almeida * dep. fed. RJ 1915-1917. João Frederico de Almeida Fagundes nasceu em Maricá, na antiga província do Rio de Janeiro, em 24 de maio de 1856, filho de José Manuel Nunes Fagundes e de Maria

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA

COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA CLASSIFICAÇÕES DO SEGUNDO TESTE E DA AVALIAÇÃO CONTINUA Classificações Classificação Final Alex Santos Teixeira 13 13 Alexandre Prata da Cruz 10 11 Aleydita Barreto

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO COM ARMAS DE CAÇA. FOSSO UNIVERSAL CAMPEONATO REGIONAL NORTE - 2007 2ª. CONTAGEM - 24 e 25 de Março

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO COM ARMAS DE CAÇA. FOSSO UNIVERSAL CAMPEONATO REGIONAL NORTE - 2007 2ª. CONTAGEM - 24 e 25 de Março GERAL 1 1 129 00817 Herculano Lopes do Nascimento 8 C.C. Matosinhos S 25 24 25 25 1 99 2 113 00540 Rodrigo Dourado Fernandes 10 C.T. S. Pedro de Rates S 25 25 24 25 0 99 3 88 00588 Carlos Augusto Torres

Leia mais

Quadro Competitivo Xadrez CAE - Round 5

Quadro Competitivo Xadrez CAE - Round 5 List of Players Quadro Competitivo Xadrez CAE - Round 5 No Name Feder Club 1. Alexandre Aranda, Ini Conservatório de Música 2. Alexandre Alves, InfA Conservatório de Música 3. Alexandre Magalhães, InfA

Leia mais

Ministério da Educação e Ciência Resultados da 2ª Fase do Concurso Nacional de Acesso de 2013

Ministério da Educação e Ciência Resultados da 2ª Fase do Concurso Nacional de Acesso de 2013 14870896 ANA CATARINA DE JESUS RIBEIRO Não colocada 14583084 ANA CATARINA DA ROCHA DIAS Não colocada 14922639 ANA CATARINA SOARES COUTO Colocada em 7230 Instituto Politécnico do Porto - Escola Superior

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Resultados da 2ª Fase do Concurso Nacional de Acesso de 2011

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Resultados da 2ª Fase do Concurso Nacional de Acesso de 2011 14320023 ALEXANDRE VAZ MARQUES VASCONCELOS Colocado em 1105 Universidade do Porto - Faculdade de Engenharia 9897 Ciências de Engenharia - Engenharia de Minas e Geoambiente 13840715 ANA CLÁUDIA DIAS MARTINS

Leia mais

151713 - Agrupamento de Escolas de Mosteiro e Cávado 346652 - Escola E.B.2,3 do Cávado. Relação de Alunos

151713 - Agrupamento de Escolas de Mosteiro e Cávado 346652 - Escola E.B.2,3 do Cávado. Relação de Alunos 3452 - Escola E.B.2,3 do Cávado : A 137 1 Adriana Manuela Gomes Pinheiro 14 S S 20 2 Alexandra Pereira Ferreira 28 3 Ângelo Rafael Araújo Gomes S 28 4 Beatriz da Costa Oliveira S 2 5 Domingos Gonçalo Ferreira

Leia mais

AMIGOS DO PROJECTO. Ler é sonhar pela mão de outrem. Fernando Pessoa, Livro do Desassossego

AMIGOS DO PROJECTO. Ler é sonhar pela mão de outrem. Fernando Pessoa, Livro do Desassossego Ler é sonhar pela mão de outrem. Fernando Pessoa, Livro do Desassossego AMIGOS DO PROJECTO O projecto Ler Mais e Escrever Melhor nasceu a 17 de Julho de 2008. Encontra-se numa fase de vida a infância que

Leia mais

A FORMAÇÃO MÉDICA EM SÃO PAULO NO INÍCIO DO SÉCULO XX

A FORMAÇÃO MÉDICA EM SÃO PAULO NO INÍCIO DO SÉCULO XX A FORMAÇÃO MÉDICA EM SÃO PAULO NO INÍCIO DO SÉCULO XX Márcia Regina Barros da Silva Pesquisadora do Centro de História e Filosofia das Ciências da Saúde UNIFESP Mestre e Doutoranda - Departamento de História

Leia mais

ESCOLA LIVRE DE FARMÁCIA E QUÍMICA INDUSTRIAL DE PORTO ALEGRE

ESCOLA LIVRE DE FARMÁCIA E QUÍMICA INDUSTRIAL DE PORTO ALEGRE 1 ESCOLA LIVRE DE FARMÁCIA E QUÍMICA INDUSTRIAL DE PORTO ALEGRE Denominações: Escola Livre de Farmácia e Química Industrial de Porto Alegre (1897); Faculdade de Medicina e Farmácia de Porto Alegre (1898);

Leia mais

MFIG - TRABALHO Codigo Nome turma Nota Trabalho 110402106 Adriana Castro Valente 2 15,0 110402107 Alex da Silva Carvalho 3 14,9 70402122 Alexandre

MFIG - TRABALHO Codigo Nome turma Nota Trabalho 110402106 Adriana Castro Valente 2 15,0 110402107 Alex da Silva Carvalho 3 14,9 70402122 Alexandre MFIG - TRABALHO Codigo Nome turma Nota Trabalho 110402106 Adriana Castro Valente 2 15,0 110402107 Alex da Silva Carvalho 3 14,9 70402122 Alexandre Jorge Costelha Seabra 2 18,2 110402182 Ana Catarina Linhares

Leia mais

LISTA DE GRADUAÇÃO DOS CANDIDATOS GRUPO DE RECRUTAMENTO 600. Horário 28

LISTA DE GRADUAÇÃO DOS CANDIDATOS GRUPO DE RECRUTAMENTO 600. Horário 28 LISTA DE GRADUAÇÃO DOS CANDIDATOS GRUPO DE RECRUTAMENTO 600 Horário 28 Graduação Profissional Nº Candidato Nome 24,508 4716699811 Vanda Isabel do Vale Silva Almeida 24,203 8219102942 Cristina Maria da

Leia mais

CURSO: ANIMADOR SOCIOCULTURAL LISTA PROVISÓRIA DE ALUNOS SELECIONADOS

CURSO: ANIMADOR SOCIOCULTURAL LISTA PROVISÓRIA DE ALUNOS SELECIONADOS CURSO: ANIMADOR SOCIOCULTURAL Adriana da Conceição Palhares Lopes Alexandra Rodrigues Barbosa Ana Salomé Lopes Queirós Andreia Dias da Costa Bianca Patricia Gonçalves Ramos Carina Filipa Monteiro Rodrigues

Leia mais

1. Aplicação do Método de Hondt para apuramento dos mandatos (15) a atribuir ao corpo de Professores e Investigadores

1. Aplicação do Método de Hondt para apuramento dos mandatos (15) a atribuir ao corpo de Professores e Investigadores 1. Aplicação do Método de Hondt para apuramento dos mandatos (15) a atribuir ao corpo de Professores e Investigadores Divisor Lista A Lista B Lista C 1 96 99 113 2 48,00 49,50 56,50 3 32,00 33,00 37,67

Leia mais

31º Curso Normal de Magistrados para os Tribunais Judiciais

31º Curso Normal de Magistrados para os Tribunais Judiciais A 796 Neuza Soraia Rodrigues Carvalhas Direito e Processual 729 Maria Teresa Barros Ferreira Direito e Processual 938 Rute Isabel Bexiga Ramos Direito e Processual 440 Inês Lopes Raimundo Direito e Processual

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS. O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS, usando de suas atribuições legais e estatutárias,

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS. O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS, usando de suas atribuições legais e estatutárias, MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CONVOCAÇÃO - CEPEC Nº 13/2009 SESSÃO ORDINÁRIA - DIA 06/10/2009 O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS, usando de suas atribuições legais e estatutárias,

Leia mais

Por que preservar? MEMÓRIA FARMACÊUTICA: ENTREVISTA COM

Por que preservar? MEMÓRIA FARMACÊUTICA: ENTREVISTA COM MEMÓRIA FARMACÊUTICA: Por que preservar? Quatro de abril de 1839. É criada a Escola de Farmácia de Ouro Preto, fruto das transformações que o Brasil passara a experimentar, com a vinda da Família Real

Leia mais

COMISSÃO ELEITORAL REDUZIDA. Ata da Quarta Reunião

COMISSÃO ELEITORAL REDUZIDA. Ata da Quarta Reunião ELEIÇÃO PARA OS ÓRGÃOS SOCIAIS DA ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS DA UNIVERSIDADE DO PORTO COMISSÃO ELEITORAL REDUZIDA Ata da Quarta Reunião Ao sexto dia do mês de novembro de dois mil

Leia mais

Lista de Resultados da 6ª Fase de Seleção - Curso de Tripulante de Ambulância de Socorro - TAE-INEM 01/2015 NOTA 1ª F NOTA 2ª F

Lista de Resultados da 6ª Fase de Seleção - Curso de Tripulante de Ambulância de Socorro - TAE-INEM 01/2015 NOTA 1ª F NOTA 2ª F Lista de Resultados da ase de Seleção - Curso de Tripulante de Ambulância de Socorro - TAE-INEM 01/2015 106 2165 02291253122165975318 Abílio Fernando Bragança Milheiro 15,250 14,050 18,400 12,000 12,900

Leia mais

RIBEIRO, Cândido Barata * pref. DF 1892-1893; min. STF 1893-1894; sen. DF 1900-1909.

RIBEIRO, Cândido Barata * pref. DF 1892-1893; min. STF 1893-1894; sen. DF 1900-1909. RIBEIRO, Cândido Barata * pref. DF 1892-1893; min. STF 1893-1894; sen. DF 1900-1909. Cândido Barata Ribeiro nasceu na cidade de Salvador, capital da província da Bahia, no dia 11 de março de 1843, filho

Leia mais

2.037/GS/2013 - DA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE - Enviando a este Poder, resposta ao ofício nº 2.723/2013-DCO, o qual encaminhou pleito desta Casa.

2.037/GS/2013 - DA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE - Enviando a este Poder, resposta ao ofício nº 2.723/2013-DCO, o qual encaminhou pleito desta Casa. ESTADO DA PARAÍBA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA CASA DE EPITÁCIO PESSOA 17ª Legislatura 3ª Sessão Legislativa 64ª SESSÃO ORDINÁRIA E X P E D I E N T E (28.08.2013) MEMORANDO Nº: 51/2013 - DO GABINETE DA DEPUTADA

Leia mais

Certificado de Presença em Evento no ISEP

Certificado de Presença em Evento no ISEP *** Adam Silva *** ***c527078fe56b04280dcae9cc3541593d73d82015c12f65f060135ed5*** *** Adulcínio Adulcínio Duarte Rodrigues *** ***09d09b00214962ffdfefa4e2473001b55ffba6c7bbdc74ef3063ec95*** *** Alberto

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO ATA Nº 106

CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO ATA Nº 106 CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO ATA Nº 106 (4ª Reunião Extraordinária 03/ Março / 2015) De acordo com a deliberação nº2 do Conselho de Gestão, de 28 de outubro de 2010, o Conselho Técnico-Científico da ESSA

Leia mais

Escola Secundária de S. Pedro do Sul (AESPS)

Escola Secundária de S. Pedro do Sul (AESPS) Sala B5 KFS ALEXANDRE DE ALMEIDA SILVA ALEXANDRE HENRIQUE DA ROCHA OLIVEIRA ALEXANDRE MIGUEL DE ALMEIDA PEREIRA ALEXANDRE SILVA FIGUEIREDO ANA CATARINA GOMES MOREIRA ANA CATARINA MARQUES GOMES ANA MARGARIDA

Leia mais

I ATOS E PORTARIAS DA DIREÇÃO DO FORO 1. Portarias

I ATOS E PORTARIAS DA DIREÇÃO DO FORO 1. Portarias PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL DE 1º GRAU SEÇÃO JUDICIÁRIA DA BAHIA Boletim Interno Informativo Nº 186/2005 Salvador, 20 de outubro de 2005 (Quinta-feira). TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 1ª REGIÃO Presidente:

Leia mais

Notas do exame da época de recurso de Contabilidade Financeira II 2008/09 Curso de Gestão

Notas do exame da época de recurso de Contabilidade Financeira II 2008/09 Curso de Gestão Notas do exame da época de recurso de Contabilidade Financeira II 2008/09 Curso de Gestão Exame Nota No. Nome Regime Recurso Final 22528 Adriana da Silva Afonso Ordinário 1.25 R 21342 Alexandra Crespo

Leia mais

Atualizado em: 19/11/2015 03:14:34 GUIA MÉDICO. Atualizado em: 19/11/2015 03:14:34 www.unimedmorrinhos.com.br Todos os direitos reservados

Atualizado em: 19/11/2015 03:14:34 GUIA MÉDICO. Atualizado em: 19/11/2015 03:14:34 www.unimedmorrinhos.com.br Todos os direitos reservados Atualizado em: 19/11/2015 03:14:34 GUIA MÉDICO Página 1 de 8 Classe(s): COOPERADO Especialidade(s): ANESTESIOLOGIA Guia Médico Unimed Morrinhos ASTRIDE RODRIGUES LINHARES SILVA (CRM - 5939) PHILEMON XAVIER

Leia mais

H764-AEC Lista de Aprovados-AFD

H764-AEC Lista de Aprovados-AFD H764-AEC Lista de Aprovados-AFD Ficheiro gerado em: 17/09/2015 11:27:39 Nº de Oferta Ordem Pontuação Nº do Docente Nome do Docente 764 1 100 1260917894 Nuno Tiago Teixeira 764 2 100 7752957046 Lino Manuel

Leia mais

BRASIL: O ENSINO SUPERIOR ÀS PRIMEIRAS UNIVERSIDADES COLÔNIA IMPÉRIO PRIMEIRA REPÚBLICA

BRASIL: O ENSINO SUPERIOR ÀS PRIMEIRAS UNIVERSIDADES COLÔNIA IMPÉRIO PRIMEIRA REPÚBLICA BRASIL: O ENSINO SUPERIOR ÀS PRIMEIRAS UNIVERSIDADES COLÔNIA IMPÉRIO PRIMEIRA REPÚBLICA Tânia Regina Broeitti Mendonça 1 INTRODUÇÃO: Os espanhóis fundaram universidades em seus territórios na América desde

Leia mais

REDE DE ATENDIMENTO DE CORONEL FABRICIANO

REDE DE ATENDIMENTO DE CORONEL FABRICIANO REDE DE ATENDIMENTO DE CORONEL FABRICIANO POSTO AUTORIZAÇÃO / ATENDIMENTO Rua Zacarias Roque, 45 Centro Cel Fabriciano 31 3841-5029 ALERGOLOGIA CLIMED CLINICA MÉDICA RUA ARGEMIRO JOSÉ RIBEIRO, 12-6º ANDAR

Leia mais

RELAÇÃO DOS DIRIGENTES E COORDENADORES DE CURSOS Fundação Mineira de Educação e Cultura

RELAÇÃO DOS DIRIGENTES E COORDENADORES DE CURSOS Fundação Mineira de Educação e Cultura Presidente RELAÇÃO DOS DIRIGENTES E COORDENADORES DE CURSOS Fundação Mineira de Educação e Cultura Prof. Tiago Fantini Magalhães Vice-Presidente Prof. Pedro Arthur Victer Conselho de Curadores Prof. Antônio

Leia mais

Nome Profissão Instituição. A. Simões Lopes Professor Universitário (aposentado) - Economia ISEG, Universidade Técnica de Lisboa

Nome Profissão Instituição. A. Simões Lopes Professor Universitário (aposentado) - Economia ISEG, Universidade Técnica de Lisboa Nome Profissão Instituição A. Simões Lopes Professor Universitário (aposentado) - Economia ISEG, Universidade Técnica de Lisboa Adelino Torres Professor Universitário (aposentado) - Economia ISEG, Universidade

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA ADMISSÃO AO CURSO DE ADAPTAÇÃO DE OFICIAIS DA POLICIA MILITAR DO ESTADO DO PARÁ CADO/PM/2012

CONCURSO PÚBLICO PARA ADMISSÃO AO CURSO DE ADAPTAÇÃO DE OFICIAIS DA POLICIA MILITAR DO ESTADO DO PARÁ CADO/PM/2012 GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA POLICIA MILITAR DO ESTADO DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO Nº 002/PMPA/2012 EDITAL Nº 08, DE 25 DE ABRIL

Leia mais

RELAÇÃO DOS DIRIGENTES E COORDENADORES DE CURSOS

RELAÇÃO DOS DIRIGENTES E COORDENADORES DE CURSOS RELAÇÃO DOS DIRIGENTES E COORDENADORES DE CURSOS Fundação Mineira de Educação e Cultura Presidente Prof. Tiago Fantini Magalhães Vice-Presidente Prof. Pedro Arthur Victer Conselho de Curadores Prof. Antônio

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diário da República, 1.ª série N.º 82 28 de Abril de 2010 1461

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diário da República, 1.ª série N.º 82 28 de Abril de 2010 1461 Diário da República, 1.ª série N.º 82 28 de Abril de 2010 1461 Através do Decreto -Lei n.º 212/2006, de 27 de Outubro (Lei Orgânica do Ministério da Saúde), e do Decreto -Lei n.º 221/2007, de 29 de Maio,

Leia mais

151713 - Agrupamento de Escolas de Mosteiro e Cávado 346652 - Escola E.B.2,3 do Cávado. Relação de Alunos

151713 - Agrupamento de Escolas de Mosteiro e Cávado 346652 - Escola E.B.2,3 do Cávado. Relação de Alunos 3452 - Escola E.B.2,3 do Cávado Turma : A 2002 1 Ana Catarina Loureiro Silva S 171 2 André Eduardo Dias Santos S 173 3 Ângelo Rafael Costa e Silva S S 2007 4 Bruno da Silva Gonçalves S 20 5 Catarina Daniela

Leia mais

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO em Administração e Gestão de Serviços de Saúde ESEnfCVPOA Mestre Fernanda Príncipe

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO em Administração e Gestão de Serviços de Saúde ESEnfCVPOA Mestre Fernanda Príncipe Curso Coordenação Direção CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO em Administração e Gestão de Serviços de Saúde ESEnfCVPOA Mestre Fernanda Príncipe ESEnfCVPOA Mestre Henrique Pereira Código: 3451 Descrição Objetivos Destinatários

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSO SELETIVO 2015 PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTO JURÍDICO DOUTORADO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSO SELETIVO 2015 PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTO JURÍDICO DOUTORADO BANCA: D-01D LINHA DE PESQUISA: DIREITOS HUMANOS E ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO: FUNDAMENTAÇÃO, PARTICIPAÇÃO E EFETIVIDADE ÁREA DE ESTUDO: DIREITO POLÍTICO SALA: 501 Carlos Athayde Valadares Viegas Ricardo

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS COMISSÃO PERMANENTE DE VESTIBULAR PROCESSO SELETIVO 2º SEMESTRE DE 2014 CHAMADA: 3

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS COMISSÃO PERMANENTE DE VESTIBULAR PROCESSO SELETIVO 2º SEMESTRE DE 2014 CHAMADA: 3 Curso: 15201 - ADMINISTRACAO - BELO HORIZONTE Critério de Classificação: EP_CE Num class. Chamada 2: 2 Não Matriculados Chamada 2: 0 Chamada 3: 1 14603123 ANA CAROLINA ANDRADE FERNANDES 6 Num class. Chamada

Leia mais

Processo Seletivo de Residência Médica Unificado 2013. Ato Administrativo de Retificação da Quinta Chamada

Processo Seletivo de Residência Médica Unificado 2013. Ato Administrativo de Retificação da Quinta Chamada Processo Seletivo de Residência Médica Unificado 2013 Ato Administrativo de Retificação da Quinta Chamada Data 10/04/2013 1. PRM DE ANESTESIA HRT 10000392 - Bruno Campostrini Sily 2. PRM DE CARDIOLOGIA

Leia mais

500 ANOS DE HISTÓRIA DAS MISERICÓRDIAS CONGRESSO INTERNACIONAL

500 ANOS DE HISTÓRIA DAS MISERICÓRDIAS CONGRESSO INTERNACIONAL 500 ANOS DE HISTÓRIA DAS MISERICÓRDIAS CONGRESSO INTERNACIONAL Braga, 21 e 22 de novembro de 2013 Auditório São Marcos 500 ANOS DE HISTÓRIA DAS MISERICÓRDIAS APRESENTAÇÃO O Congresso Internacional 500

Leia mais

PROCESSO SELETIVO RESIDÊNCIA MÉDICA 2015 CLASSIFICAÇÃO GERAL POR CURSO

PROCESSO SELETIVO RESIDÊNCIA MÉDICA 2015 CLASSIFICAÇÃO GERAL POR CURSO Inscrição GILBRAN COSTA GUIMARÃES 003020851100087 662,64 Cirurgia Geral 1 * MARCELA SILVA VIEIRA 003027851100098 655,49 Cirurgia Geral 2 * GUTENBERG DINIZ BORBOREMA 003021851100096 619,4 Cirurgia Geral

Leia mais

LISTA DE ORDENAÇÃO ENSINO INGLÊS ANO LETIVO 2012-2013

LISTA DE ORDENAÇÃO ENSINO INGLÊS ANO LETIVO 2012-2013 LISTA DE ORDENAÇÃO ENSINO INGLÊS ANO LETIVO 2012-2013 OFERTA 2737 433133 2737 435006 2737 433645 2737 431145 2737 411431 2737 447993 2737 432457 2737 412330 2737 415973 2737 427952 2737 417413 2737 417268

Leia mais

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016 13948 5 A 2.º Ciclo do Ensino Básico Ana Gabriela Pedro Fernandes Escola Básica n.º 2 de São Pedro do Sul 13933 5 A 2.º Ciclo do Ensino Básico Ana Júlia Capela Pinto Escola Básica n.º 2 de São Pedro do

Leia mais

Histórico dos Corpos Sociais

Histórico dos Corpos Sociais Histórico dos Corpos Sociais 1920-1923 Alberto Tavares Ferreira e Castro (Provedor), António de Oliveira Rocha, Tiago Ribeiro, António Tavares Araújo e Castro, Manuel Rodrigues Simões de Sousa, Joaquim

Leia mais

RELAÇÃO DOS DIRIGENTES E COORDENADORES DE CURSOS Fundação Mineira de Educação e Cultura

RELAÇÃO DOS DIRIGENTES E COORDENADORES DE CURSOS Fundação Mineira de Educação e Cultura RELAÇÃO DOS DIRIGENTES E COORDENADORES DE CURSOS Fundação Mineira de Educação e Cultura Presidente Prof. Tiago Fantini Magalhães Vice-Presidente Prof. Pedro Arthur Victer Conselho de Curadores Prof. Antônio

Leia mais

Ordenação de Candidatos por Graduação Profissional. Horário 40 - Inglês

Ordenação de Candidatos por Graduação Profissional. Horário 40 - Inglês Ordenação de Candidatos por Graduação Profissional Horário 40 - Inglês Ordenação Graduação Profissional Nome Tipo de Habilitação 1 25,804 Alexandra Caladinho Chagas Narra Qualificação Profissional 2 25,092

Leia mais

Análise Matemática I - Informática de Gestão Avaliação da 1ª frequência

Análise Matemática I - Informática de Gestão Avaliação da 1ª frequência Análise Matemática I - Informática de Gestão Avaliação da 1ª frequência Número Nome Nota Obs 10780 ALEXANDRE JOSÉ SIMÕES SILVA 15 11007 ALEXANDRE REIS MARTINS 7,7 11243 Álvaro Luis Cortez Fortunato 11,55

Leia mais

O IMPÉRIO EM BRASÍLIA: 190 Anos da Assembleia Constituinte de 1823

O IMPÉRIO EM BRASÍLIA: 190 Anos da Assembleia Constituinte de 1823 010 A partir da esquerda, Sérgio Sampaio de Almeida, diretor-geral da Câmara dos Deputados, Doris Marize Romariz Peixoto, diretora-geral do Senado Federal, Henrique Eduardo Alves (fazendo o seu discurso),

Leia mais

PORTARIA No- 331, DE 14 DE ABRIL DE 2015

PORTARIA No- 331, DE 14 DE ABRIL DE 2015 PORTARIA No- 331, DE 14 DE ABRIL DE 2015 Concede autorização e renovação de autorização a estabelecimentos e equipes de saúde para retirada e transplante de órgãos. A Secretária de Atenção à Saúde, no

Leia mais

SOCIOLOGIA, PROBLEMAS E PRÁTICAS, LISBOA, CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E ESTUDOS DE SOCIOLOGIA

SOCIOLOGIA, PROBLEMAS E PRÁTICAS, LISBOA, CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E ESTUDOS DE SOCIOLOGIA SOCIOLOGIA, PROBLEMAS E PRÁTICAS, LISBOA, CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E ESTUDOS DE SOCIOLOGIA ACESSO AOS TEXTOS INTEGRAIS DOS N.º 34-54 (http://www.scielo.oces.mctes.pt/scielo.php?script=sci_issues&pid=0873-6529&lng=pt&nrm=iso)

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE 06 (SEIS) CARGOS DE AUXILIAR JUDICIÁRIO II (ELETRICISTA DE AUTOS), PADRÃO 2-A, DA ESCALA DE VENCIMENTOS NÍVEL ELEMENTAR, TABELA I DO SQC-III DO QUADRO DO TRIBUNAL DE

Leia mais

Seminário Nacional sobre Direito e Saúde 22 e 24 de novembro

Seminário Nacional sobre Direito e Saúde 22 e 24 de novembro Seminário Nacional sobre Direito e Saúde 22 e 24 de novembro 22 de novembro 8h às 9h Credenciamento e coffee break 9h às 9h40 Sessão de abertura Pronunciamento dos Ministros da Saúde e da Advocacia Geral

Leia mais

NOME CURSO ANA CLARA SOARES ÁVILA GESTÃO PÚBLICA UFMG BÁRBARA SAMYRA DE MELO SILVA PUBLICIDADE E PROPAGANDA PUC

NOME CURSO ANA CLARA SOARES ÁVILA GESTÃO PÚBLICA UFMG BÁRBARA SAMYRA DE MELO SILVA PUBLICIDADE E PROPAGANDA PUC NOME CURSO APROVAÇÃO- UNIVERSIDADE ANA CLARA SOARES ÁVILA GESTÃO PÚBLICA ANA LUISA ROMUALDO JANUÁRIO DUTRA 5º ANA LUISA VIDAL DE CARVALHO ANA LUIZA ANDRADE CAMARA 3º ANA LUIZA ARAÚJO ROCHA ANDRÉ FELIPE

Leia mais

Candidato Curso Turno Classificação Status Análise Data da Agenda Hora ANA CLAUDIA DE SOUSA. Em processo de análise diurno 1 INFORMAÇÃO

Candidato Curso Turno Classificação Status Análise Data da Agenda Hora ANA CLAUDIA DE SOUSA. Em processo de análise diurno 1 INFORMAÇÃO Candidato Curso Turno Classificação Status Análise Data da Agenda Hora ANA CLAUDIA DE SOUSA GABRIEL FERNANDES CYRINO GISNEI RIBEIRO CAMPOS GUILHERME MAGALHÃES SOMMERFELD JOÃO EDUARDO MACHADO JOYCE LORENA

Leia mais

Ana Carolina Pereira Pires

Ana Carolina Pereira Pires Aimê Pinheiro Pires universidades e centros de pesquisa na geração de novos negócios, Ana Carolina Pereira Pires Ana Cristina Angelo Rocha Ana Paula Andrade Galvão Andre Araujo André Lopes Andre Luiz Santos

Leia mais

Projeto de Resolução n.º 548/XII/2.ª

Projeto de Resolução n.º 548/XII/2.ª PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar Projeto de Resolução n.º 548/XII/2.ª Recomenda ao Governo a manutenção da carga letiva da disciplina de Educação Física no currículo do 3º ciclo do ensino

Leia mais

BIOÉTICA E ÉTICA MÉDICA

BIOÉTICA E ÉTICA MÉDICA BIOÉTICA E ÉTICA MÉDICA CIDES EXT. TELEFONE Direção - Doutor Rui Nunes 26845 220426845 Lic. Filipa Santos (Secretariado) 26840 220426840 Doutora Guilhermina Rego 26844 220426844 Mestre Ivone Duarte 26841

Leia mais

GORDO, Adolfo *gov. RN 1889-1890; const. 1891; dep. fed. SP 1891-1902 e 1906-1913; sen. SP 1913-1929.

GORDO, Adolfo *gov. RN 1889-1890; const. 1891; dep. fed. SP 1891-1902 e 1906-1913; sen. SP 1913-1929. GORDO, Adolfo *gov. RN 1889-1890; const. 1891; dep. fed. SP 1891-1902 e 1906-1913; sen. SP 1913-1929. Adolfo Afonso da Silva Gordo nasceu em Piracicaba (SP) a 12 de agosto de 1858, filho de Antônio José

Leia mais

5. as JORNADAS NACIONAIS ÉTICO JURÍDICAS SOBRE A INFEÇÃO VIH/SIDA

5. as JORNADAS NACIONAIS ÉTICO JURÍDICAS SOBRE A INFEÇÃO VIH/SIDA FUNDAÇÃO PORTUGUESA A COMUNIDADE CONTRA A SIDA CENTRO DE DIREITO BIOMÉDICO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE BIOÉTICA ORDEM DOS MÉDICOS SECÇÃO REGIONAL DO NORTE 5. as JORNADAS NACIONAIS ÉTICO JURÍDICAS SOBRE A

Leia mais

Relatório de Resultado por Curso 72,00 3,00 64,00 58,00 60,00 70,00 8,00 9,00 10,00 11,00 12,00 13,00

Relatório de Resultado por Curso 72,00 3,00 64,00 58,00 60,00 70,00 8,00 9,00 10,00 11,00 12,00 13,00 Av. Professor Mário Werneck, 25 Buritis 30 Belo Horizonte/MG 1º Vestibular e Exame de Seleção de 15 do IFMG Câmpus Avançado Piumhi Bacharelado em Engenharia Civil 2154 44 19995 4040 992 9 05 379 11513

Leia mais

A EDUCAÇÃO NA CONSTITUIÇÃO DE 1934: 80 ANOS DE UM CAPÍTULO ESPECÍFICO NA CARTA MAGNA

A EDUCAÇÃO NA CONSTITUIÇÃO DE 1934: 80 ANOS DE UM CAPÍTULO ESPECÍFICO NA CARTA MAGNA 180 Memória e Documentos A EDUCAÇÃO NA CONSTITUIÇÃO DE 1934: 80 ANOS DE UM CAPÍTULO ESPECÍFICO NA CARTA MAGNA Francisco José da Silveira Lobo Neto Introdução A Constituição outorgada pelo primeiro Imperador,

Leia mais

161342 - Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 340613 - Escola Básica nº 2 de Condeixa-a-Nova Relação de Alunos

161342 - Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 340613 - Escola Básica nº 2 de Condeixa-a-Nova Relação de Alunos : A 12 1 Adriana Beatriz Pinto Pereira Cortez S 13078 2 Ana Francisca Conceição Costa S 136 3 Ana Francisca Rodrigues Preces 1307 4 António José da Silva Loreto S 13084 Beatriz Moura Neves Beja Facas S

Leia mais

GESTÃO PÚBLICA EAD 2013.1 2ª E ÚLTIMA CHAMADA (LISTA DE ESPERA)

GESTÃO PÚBLICA EAD 2013.1 2ª E ÚLTIMA CHAMADA (LISTA DE ESPERA) GESTÃO PÚBLICA EAD 2013.1 2ª E ÚLTIMA CHAMADA (LISTA DE ESPERA) Todos os candidatos convocados deverão comparecer para efetuar cadastramento nos dias 03/05/2013, no horário das 8 às 11h e das 14 às 17h

Leia mais

CURSO LIVRE HISTÓRIA DO ENSINO ARTÍSTICO EM PORTUGAL PROGRAMA. 2.1. Francisco da Holanda e a sua perspectiva sobre o ensino artístico.

CURSO LIVRE HISTÓRIA DO ENSINO ARTÍSTICO EM PORTUGAL PROGRAMA. 2.1. Francisco da Holanda e a sua perspectiva sobre o ensino artístico. CURSO LIVRE HISTÓRIA DO ENSINO ARTÍSTICO EM PORTUGAL 8 de Abril a 1 de Julho (interrupção no dia 10 de Junho que é feriado) 4ª feira, das 18h 30m às 20h 30m 24h, 12 sessões PROGRAMA 1. A Idade Média 1.1.

Leia mais

ATESTADOS DE FORMAÇÃO

ATESTADOS DE FORMAÇÃO Hélio Luís Coelho Nogueira 01/2012 22/11/2012 22/11/2019 Mário João Rodrigues Matias 02/2012 22/11/2012 22/11/2019 Nuno Miguel Gonçalves Saraiva 03/2012 22/11/2012 22/11/2019 Paulo Alexandre Gonçalves

Leia mais

Alfredo de Almeida Russell

Alfredo de Almeida Russell Diretoria-Geral de Comunicação e de Difusão do Conhecimento Acervo do Museu da Justiça Alfredo de Almeida Russell Natural da cidade do Rio de Janeiro, nasceu em 3 de agosto de 1875. Estudou no Colégio

Leia mais

LISTA DE CLASSIFICADOS

LISTA DE CLASSIFICADOS LISTA DE CLASSIFICADOS Curso: Web Design Comparecer para a matrícula do dia (Segunda à Sexta) Horário:das 09h às 12h e 13h às 17h Ord Nome Candidato RG Pont Período Matrícula 1 Allana Araujo Baroni 235033068

Leia mais

161718 - Agrupamento Escolas Castro Daire 343717 - Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de Castro Daire. Relação de Alunos

161718 - Agrupamento Escolas Castro Daire 343717 - Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de Castro Daire. Relação de Alunos 343717 - Escola Básica dos 2.º e 3.º s de Castro Daire Turma : A 1498 1 Ana Catarina Costa Esteves 14920 2 Ana Francisca da Silva Fernandes 16292 3 Beatriz Monteiro Andrade 14409 4 Camila Almeida Oliveira

Leia mais

e). O ato eleitoral realizar-se-à no próximo dia 23 de janeiro, entre as 9.00 e as 17:00 horas.

e). O ato eleitoral realizar-se-à no próximo dia 23 de janeiro, entre as 9.00 e as 17:00 horas. 151660 AGRUPAMENTO be ESCOLAS be SANTA MARIA ba FEIRA - GDVEFNDD: ooac DIRECAO GERALDOS EST: 3ELECGLENTOS ESCOLJES 1 COA Drecao de Sernço da ReEao Norte Despacho Eleição dos representantes dos Trabalhadores

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE TRANCOSO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE TRANCOSO Horário da turma: 5.º A 12 9 12 12 12 9 12 12 9 12 9 12 9 12 9 12 9 12 12 12 12 12 12 RC 12 12 12 12 RC Anabela Maria Fonseca Machado e Cunha, Graça Maria Almeida Diogo,,, Paula Isabel Pereira Marques,

Leia mais

Associados Homenageados Concessão Título de Associado Emérito 2013. Celso Rubens Vieira e Silva- BA

Associados Homenageados Concessão Título de Associado Emérito 2013. Celso Rubens Vieira e Silva- BA Associados Homenageados Concessão Título de Associado Emérito 2013 Carlos Alberto Basílio de Oliveira - RJ Celso Rubens Vieira e Silva- BA Margarida Maria Fernandes da Silva Moraes - SP Marialva Tereza

Leia mais

Nome Curso Golos Amarelos Vermelhos

Nome Curso Golos Amarelos Vermelhos Nome Curso s Amarelos Vermelhos Carlos Júnior Mestrado 4 Jogo 15 Rui Nascimento Mestrado Jerónimo Mestrado 1 Jogo 15 Pedro Francês Mestrado 1 Andre Figueiredo Mestrado 3 Jogo6 Artur Daniel Mestrado 2 João

Leia mais

CUMPRIMENTO DE DECISÃO JUDICIAL.

CUMPRIMENTO DE DECISÃO JUDICIAL. CRONOGRAMA COMPLEMENTAR DE DO CONCURSO PÚBLICO PARA ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO DE SOLDADOS DO QUADRO DE PRAÇAS DA POLÍCIA MILITAR DE MINAS GERAIS, PARA O ANO DE 2016 (CFSd QPPM/2016) CUMPRIMENTO DE

Leia mais

Plataforma de Formação e Discussão para a Promoção do Emprego Qualificado Porto, julho2012

Plataforma de Formação e Discussão para a Promoção do Emprego Qualificado Porto, julho2012 Plataforma de Formação e Discussão para a Promoção do Emprego Qualificado Porto, julho2012 Enquadramento As sucessivas e dependentes crises financeiras - do subprime e das dívidas soberanas - têm levado

Leia mais