PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO. MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO. MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A"

Transcrição

1 PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A 2015

2 Equipe responsável pelo Projeto do Curso Dorival Guimarães Pereira Júnior Coordenador do Curso de Graduação em Direito Vladimir Pinto Coelho Feijó Docente Fábio Queiroz Pereira Docente Reginaldo Pinto Nogueira Júnior Docente Eduardo Senra Coutinho Docente 2

3 APRESENTAÇÃO Este projeto pedagógico é fruto de um trabalho compartilhado, e prioriza uma formação profissional que contempla os conteúdos essenciais, as habilidades e as competências necessárias ao Bacharel em Direito, de modo a instrumentalizá-lo para compreensão da realidade social e para as diferentes intervenções, seja nos aspectos micro ou macro institucionais. O presente Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Direito está plenamente adequado aos atos legais em vigor, a saber: Constituição Federal de Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) Nº , de 20/12/1996. Lei do Plano Nacional de Educação (PNE) Nº /2001. Lei do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Nº , de 14/4/2004. Decreto que dispõe sobre as condições de acesso para portadores de necessidades especiais, a vigorar a partir de 2009, Nº /2004. Decreto que dispõe sobre as Funções de Regulação, Supervisão e Avaliação da Educação Superior Nº , de 9/5/2006. Resolução CNE/CES Nº. 9, de 29/09/2004, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Direito. Resolução CNE/CES Nº. 2, de 18/06/2007, que dispõe sobre a carga horária mínima e procedimentos relativos à integralização e duração dos cursos de graduação, bacharelados, na modalidade presencial. Resolução CNE/CES Nº. 3, de 02/07/2007, que dispõe sobre procedimentos a serem adotados quanto ao conceito de hora aula, e dá outras providências. Portaria MEC Nº. 147, de 2 de fevereiro de 2007, que dispõe sobre a complementação da instrução dos pedidos de autorização de cursos de graduação em direito e medicina. Declaração Mundial sobre Educação Superior no Século XXI da Conferência Mundial sobre o Ensino Superior, UNESCO: Paris, Além da adequação à legislação, o Curso de Graduação em Direito está pautado nas Normas Institucionais estabelecidas no Estatuto da Mantenedora (na esfera das suas competências) e no Regimento, Resoluções e outros atos internos do IBMEC-BH. 3

4 O processo de construção coletiva deste PPC repousou em três dimensões: Dimensão Conceitual: forneceu os fundamentos e os conceitos chave que configuram o paradigma orientador que subsidia o PPC; Dimensão Normativa forneceu os referenciais que fundamentam o PPC; Dimensão Estrutural forneceu os elementos constitutivos do PPC. Pela sua própria natureza e função, um Projeto Pedagógico é dinâmico, não estando nunca pronto ou acabado, mas em constante verificação para que se alcancem os objetivos em nome da excelência acadêmica, comprometida com a inserção social e a função da educação como motor de evolução. Assim sendo, o presente projeto é resultado de reformulações que se mostraram necessárias em relação ao Projeto Pedagógico original, discutidas e aprovadas em reuniões com a Direção da Faculdade IBMEC, Coordenação, Colegiado e Núcleo Docente Estruturante do Curso de graduação em Direito. Formar profissionais éticos, críticos e competentes, com elevada formação acadêmica e de consciência social, qualificados para o exercício técnico e profissional do Direito, tornandoos aptos a construir seu percurso de profissionalização com sólida formação geral, além de estimular práticas de estudos independentes, com vistas à progressiva autonomia intelectual e profissional, tendo o a excelência como referencial de sua atuação profissional. Este PPC garante conteúdos curriculares relevantes, atualizados e coerentes com os objetivos do curso e com o perfil do egresso, com dimensionamento da carga horária para o seu desenvolvimento e complementados por atividades extraclasse, definidas e articuladas com o processo global de formação. Os objetivos do curso reafirmam os compromissos institucionais em relação à qualidade do ensino, da pesquisa, da extensão e da administração, bem como com o perfil do egresso, na constante busca pelo aprimoramento intelectual aplicado à evolução da própria sociedade. Coordenação do Curso de Direito 4

5 Sumário 1 IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO IDENTIFICAÇÃO DA MANTENEDORA DIRIGENTES PRINCIPAIS DA MANTENEDORA IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO CORPO DE DIRIGENTE DA MANTIDA MISSÃO DA INSTITUIÇÃO HISTÓRICO DO GRUPO IBMEC E DAS SUAS MANTIDAS POLÍTICAS DE ENSINO - PPI IDENTIFICAÇÃO DO CURSO CRONOLOGIA ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA COORDENAÇÃO DO CURSO ATUAÇÃO DO COORDENADOR FORMAÇÃO DO COORDENADOR EXPERIÊNCIA DO COORDENADOR (ACADÊMICA E NÃO ACADÊMICA) EFETIVA DEDICAÇÃO À ADMINISTRAÇÃO E À CONDUÇÃO DO CURSO ARTICULAÇÃO DA GESTÃO DO CURSO COM A GESTÃO INSTITUCIONAL NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE (NDE) CONCEPÇÃO DO CURSO JUSTIFICATIVA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE JUSTIFICATIVA DO CURSO OBJETIVOS DO CURSO OBJETIVOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE IBMEC-MG OBJETIVOS: GERAL E ESPECÍFICOS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS PERFIL DO EGRESSO COMPETÊNCIAS E HABILIDADES ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS DO EGRESSO ORGANIZAÇÃO GERAL DO CURSO VAGAS ANUAIS E PERÍODO DE FUNCIONAMENTO REQUISITOS DE ACESSO E PROCESSO SELETIVO REGIME ESCOLAR E DIAS LETIVOS

6 4.4 MODULAÇÃO NAS ATIVIDADES DE ENSINO CARGA HORÁRIA DO CURSO E INTEGRALIZAÇÃO DURAÇÃO MÍNIMA E MÁXIMA ORGANIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR PRINCÍPIOS DA ORGANIZAÇÃO CURRICULAR PRINCÍPIOS FUNDANTES PRINCÍPIOS EPISTEMOLÓGICOS PRINCÍPIOS METODOLÓGICOS DINÂMICA DA ORGANIZAÇÃO CURRICULAR MATRIZ CURRICULAR DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO TEÓRICO-PRÁTICA CONTEÚDOS TRANSVERSAIS INTERDISCIPLINARIDADE DISCIPLINAS A DISTÂNCIA DETALHAMENTO DA MATRIZ CURRICULAR UNIDADES CURRICULARES EMENTAS E BIBLIOGRAFIA METODOLOGIA DE ENSINO E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PREVISTAS NO CURSO TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TICS NO PROCESSO ENSINO- APRENDIZAGEM ATIVIDADES COMPLEMENTARES TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) PRÁTICA INVESTIGATIVA ESTÁGIO E PRÁTICAS PROFISSIONAIS PROCESSO DE AVALIAÇÃO NORMAS PARA A APROVAÇÃO EM DISCIPLINA CÁLCULO DA MÉDIA FINAL CORPO DOCENTE ESTRUTURAÇÃO DO CORPO DOCENTE DO CURSO POLÍTICAS DE QUALIFICAÇÃO DOCENTE PLANO DE CARREIRA DOCENTE REGIME DE TRABALHO ATIVIDADES ACADÊMICAS DOS DOCENTES PARTICIPAÇÃO DO CORPO DOCENTE NAS ATIVIDADES DE DIREÇÃO CORPO TÉCNICO ADMINISTRATIVO

7 9.7.1 ESTRUTURAÇÃO REGIME DE TRABALHO ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA DO CURSO ÓRGÃOS DE APOIO E ATIVIDADES ACADÊMICAS ATIVIDADES ACADÊMICAS ARTICULADAS AO ENSINO DE GRADUAÇÃO ATIVIDADES DE EXTENSÃO PROGRAMA BOLSA DE EXTENSÃO/MONITORIA INTEGRAÇÃO COM A PÓS-GRADUAÇÃO ENADE POLÍTICA DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA APOIO EDUCACIONAL POLÍTICA DE MONITORIA MECANISMO DE NIVELAMENTO ORGANIZAÇÃO ESTUDANTIL APOIO INSTITUCIONAL INFRAESTRUTURA E EQUIPAMENTOS DA FACULDADE IBMEC MG APLICADOS AO CURSO BIBLIOTECA ESPAÇO FÍSICO GERAL LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA PROGRAMAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE ATENDIMENTO À COMUNIDADE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL ANEXOS I PROGRAMAS INSTITUCIONAIS DE BOLSAS E FINANCIAMENTO II SISTEMA DE GESTÃO ACADÊMICA EDUCACIONAL

8 1 IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO 1.1 Identificação da Mantenedora O Grupo Ibmec Educacional S.A., está localizado à Alameda Santos º Andar São Paulo/SP, com registro no Cadastro no Nacional de Pessoa Jurídica CNPJ nº / , e tem como característica Sociedade Anônima com fins lucrativos. 1.2 Dirigentes Principais da Mantenedora Diretor Presidente: João Arinos Ribeiro dos Santos Diretor Acadêmico Institucional: Antônio Carlos Kronemberger 1.3 Identificação da Instituição Faculdade Ibmec-MG, Instituição de Ensino Superior credenciada pelo MEC através da Portaria n.º 374, de 22/03/2000, publicada no D. O. U. em 24/03/ Corpo de Dirigente da Mantida Diretora Executiva: Camila Ribeiro Romeiro 1.5 Missão da Instituição O Grupo Ibmec Educacional tem por missão ser um centro de excelência de formação em nível superior no âmbito dos cursos que oferece, visando formar cidadãos e profissionais que atendam às demandas requeridas pelo país, gerando valor e contribuindo para o crescimento pessoal e profissional dos discentes e da educação brasileira. Entendemos assim, como missão a sua função social, qual seja: realizar ensino de qualidade e inovador para a formação integral e continuada de profissionais competentes desenvolvendo capacidade empreendedora mediante o oferecimento de ensino de qualidade, para atuar como agentes transformadores da realidade empresarial e social brasileira. Tal responsabilidade nos imbui de um compromisso social muito grande, posto 8

9 que nossa sociedade ainda apresenta um quadro de desemprego e subemprego muito acentuado. A missão é baseada no tripé composto das dimensões ensino, pesquisa e extensão. Delas dependem a qualidade dos serviços que prestamos, igualmente enfatizando-os numa relação com a realidade socioeconômica em que a instituição é um participante ativo. Estando no âmbito de faculdade, conforme prevê o Artigo 12 do Decreto 5773/06, o foco está no ensino, que busca articular a qualificação profissional e a qualificação social e tem, no âmbito de cada curso, o desdobramento em atividades de extensão e de pesquisa. Pesquisa, entendida aqui, como ato investigativo apontando para a formação contextualizada nas questões da sociedade contemporânea com vistas ao domínio dos instrumentos nos quais cada profissão se expressa e em seu próprio processo evolutivo. A postura investigativa implica uma atitude de constante busca de compreensão dos processos de desenvolvimento profissional, assim como a autonomia para interpretar a realidade e os conhecimentos significativos. Por isso, as atividades profissionais serão o foco relevante ao trabalho de investigação. Os procedimentos básicos a serem utilizados devem ser: o registro, a sistematização de informações, a análise e a comparação de dados, o levantamento e a verificação de hipóteses e outros. 1.6 Histórico do Grupo Ibmec e das suas mantidas A) Da Mantenedora O Grupo Ibmec Educacional S.A. é o atual mantenedor da Faculdade Ibmec-MG. A companhia tem sua sede e foro na Alameda Santos º Andar, em São Paulo - SP, inscrita no CNPJ/MF sob o n / , e filiais em Belo Horizonte - MG, Brasília - DF, Campinas - SP, Rio de Janeiro RJ. Em abril de 2004, com a fusão da Faculdade Ibmec-MG e da Faculdade Ibmec-RJ com o instituto Brasileiro de Tecnologia Avançada - IBTA surgiu uma nova instituição de educação superior, denominada Veris Educacional S.A.. Na mesma data, foi aprovada a incorporação de Ibmec Educacional S.A. pela Companhia, na época mantenedora da Faculdade de Economia e Finanças Ibmec, com sede no Rio de Janeiro RJ, e da Faculdade Ibmec, com sede em Belo Horizonte - MG. 9

10 Em assembleia geral extraordinária realizada em 30/04/2009, arquivada na JUCESP sob o n /09-9 foi deliberada a alteração da denominação social para Grupo Ibmec Educacional S.A., reunindo a Faculdade Ibmec e a Veris Faculdade, unificando as Marcas IBTA, Uirapuru, Imapes e Metrocamp. O Grupo Ibmec Educacional S.A. ("Grupo Ibmec" ou "Companhia") é uma pessoa jurídica de Direito Privado com finalidade lucrativa, constituída sob a forma de sociedade por ações, em 30/01/2001, denominada à época IBTA S.A. e registrada na Junta Comercial de São Paulo JUCESP sob o NIRE Sob mantença da Companhia foram credenciadas a Faculdade IBTA de São Paulo, em 11/10/2001, Faculdade IBTA de São José dos Campos, em 04/07/2002, e Faculdade IBTA de Campinas, em 08/10/2002. Em 18/09/2007, o Grupo Ibmec adquiriu a totalidade das cotas representativas do capital social do Centro Educacional Sorocabano Uirapuru Ltda. ("CESU"), à época mantenedor da Faculdade Uirapuru, com sede em Sorocaba SP. A incorporação do CESU pela Companhia foi aprovada em assembleia geral realizada em 03/01/2008, cuja ata encontrase arquivada na JUCESP sob o nº /08-5, e a manutenção da Faculdade Uirapuru foi transferida para o Grupo Ibmec em 19/11/2008. Em 18/06/2008, a Companhia adquiriu a totalidade das cotas representativas do capital social da Sociedade Metropolitana de Educação, Cultura e Tecnologia Ltda. ("SMECT"), à época mantenedora da Faculdade Integrada Metropolitana de Campinas, com sede em Campinas - SP. A mantença dessa instituição de ensino foi transferida para a Companhia em 19/11/2008 e a incorporação da SMECT pelo Grupo Ibmec foi aprovada em assembléia geral realizada em 28/12/2009, cuja ata encontra-se arquivada na JUCESP sob o n /10-9. Em 18/08/2008, o Grupo Ibmec adquiriu a totalidade das cotas representativas do capital social da Organização Manchester Paulista Ltda. ("IMAPES"), à época mantenedora do Instituto Manchester Paulista de Ensino Superior, com sede em Sorocaba - SP, cuja mantença foi transferida para o Grupo Ibmec em 24/11/2009. A incorporação do IMAPES pela Companhia foi deliberada em assembleia geral do Grupo Ibmec realizada em 02/01/2009, cuja ata encontra-se arquivada na JUCESP sob o n /09-5. Visando à formação de profissionais qualificados e de futuros líderes empresariais, o Ibmec é um dos mais modernos centros de excelência em Economia, Finanças, Negócios, Administração do país, já tendo formado mais de 3 mil profissionais. 10

11 b) Das Mantidas Fundado em 1970, o Ibmec iniciou as atividades educacionais do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais, na cidade do Rio de Janeiro. Em 1985, em uma sala do Museu de Arte Moderna (MAM), a Instituição lançou o primeiro curso lato sensu do país MBA Finanças. Em 1997, foi a vez do MBA Gestão de Negócios e, em 1998, o MBA em Marketing. A partir daí, o Ibmec cresceu e incorporou os cursos oferecidos pelo Instituto. Assim, tornou-se referência na educação superior e, mais tarde, distinguiu-se como uma das melhores escolas de negócios do país, com mais de cinco mil alunos nos cursos de graduação e pós-graduação em suas três unidades localizadas no Rio de Janeiro, em Minas Gerais e no Distrito Federal. Em 2000, o Ibmec lançou os Cursos de Graduação em Economia e Administração em Belo Horizonte. Como prova inequívoca de excelência, os dois cursos, sempre, obtiveram conceito A na avaliação do MEC. Recentemente, os cursos de Administração e Economia receberam nota máxima no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), isto é, conceito 5. Em 2004, a Faculdade Ibmec aderiu ao PROUNI - Programa Nacional Universidade para Todos, tão logo de seu lançamento pelo Ministério da Educação, objetivando a concessão de bolsas de estudo integrais como facilitador de acesso aos alunos menos favorecidos ingressarem no ensino superior. Em 2005, o Ibmec lançou o Certificate in Business Administration CBA pertencente ao programa Lato Sensu - curso estruturado para atender às necessidades dos jovens profissionais, empreendedores e recém-formados. O programa, baseado nos tradicionais e reconhecidos MBAs do Ibmec, prepara o jovem profissional para atuar em ambiente global complexo e dinâmico, aplicando os mais modernos conceitos de gestão de negócios. Visa, primordialmente, a formação de profissionais qualificados e futuros líderes empresariais. Em 2007, a Faculdade Ibmec-MG obteve autorização para o oferecimento do Curso de Graduação em Relações Internacionais. O curso iniciou suas atividades acadêmicas no primeiro semestre de 2008, apresentando uma proposta inovadora de ensino. A IES 11

12 pretende formar um profissional com larga base cultural, visão das tendências sociais e do mercado, facilidade de expressão, espírito empreendedor, exercendo um papel de liderança e ética em todas as suas atividades profissionais. Deverá ser um profissional ágil diante das mudanças de mercado, e sempre receptivo às inovações frequentemente propiciadas pela própria natureza da sociedade. Homem público consciente dos seus deveres e direitos, capaz de ser solidário, de dialogar com profissionais de outras áreas, e de participar com responsabilidade e competência do processo de integração e desenvolvimento social, político e econômico do mundo, do Brasil e, principalmente, de Minas Gerais. Ou seja, deve ser um profissional completamente familiarizado com a nova realidade mundial, capaz de saber adaptar-se às condições locais de uma nova ordem internacional. Durante os anos de atuação, a escola sempre esteve alinhada com as tendências internacionais em educação continuada, por integrar o aprendizado dos importantes temas da gestão com as mais modernas práticas gerenciais. O corpo docente é formado por profissionais que atuam no mercado, como executivos e consultores de grandes empresas, que possuem formação acadêmica de primeira linha em instituições nacionais e internacionais. 1.7 Políticas de Ensino - PPI O Projeto Pedagógico Institucional da Faculdade Ibmec-MG tem como política de ensino o oferecimento de cursos concebidos com a finalidade de proporcionar aos egressos uma sólida formação para o mercado de trabalho, amparada por embasamento teórico e prático, que possibilite condições para adquiram uma visão abrangente da realidade em que atuarão. O Projeto Pedagógico Institucional foi estruturado e desenvolvido para atender à missão da instituição e dos cursos, cujo desempenho e conhecimento atualizados permitem contribuir de modo eficaz para o desenvolvimento sócio-econômico-cultural do Estado de Minas Gerais. A Faculdade Ibmec-MG, ciente das suas responsabilidades sociais, tem por finalidade a transformação da realidade onde está inserida, através da geração e difusão do 12

13 conhecimento, orientando suas ações de acordo com os paradigmas de excelência e qualidade almejados pelas organizações e pela sociedade. Antecipa-se quando oferece, com base na análise de cenários futuros, cursos regulares, de extensão e programas diferenciados, essenciais para a formação de um novo profissional. Assim, estruturar a proposta pedagógica pressupõe traduzir princípios ideológicos, filosóficos, políticos, econômicos e pedagógicos em normas de ação; isto é, prescrições educativas na forma de um instrumento que guie e oriente a prática educativa cotidiana. E é esta ação que cria a identidade da instituição. As atividades educativas respondem a uma finalidade intencional e necessitam de um plano de ação determinado. Entendemos que estas atividades são todas aquelas promovidas pela instituição e relacionadas com atividades acadêmicas, que acontecem dentro do espaço escolar ou fora dele. Os agentes educativos são, portanto, o corpo docente das instituições educacionais, coordenadores, diretores, funcionários e alunos. Dessa forma, essas atividades educativas estão a serviço do projeto político-pedagógico institucional. As políticas para o ensino encontram-se ratificadas nos projetos pedagógicos dos cursos, fundamentadas em pesquisas e estudos realizados a partir de dados e informações obtidos junto a órgãos e institutos de pesquisa públicos e privados, de artigos, teses e livros sobre o perfil das regiões brasileiras, bem como nas experiências educacionais consolidadas dentro da Faculdade Ibmec-MG. Essas pesquisas revelaram-se necessárias à definição e a formatação dos pressupostos e preceitos a serem praticados pela Instituição, ao mesmo tempo em que reforçaram a percepção do próprio perfil profissiográfico e, consequentemente, da definição curricular de cada curso. Neste sentido, cada projeto pedagógico busca destacar a preocupação com a qualidade de ensino em todas as suas dimensões, associado à formação e desenvolvimento do aluno e do profissional, enfatizando a competência teórica, suas aplicações práticas e suas habilidades interpessoais e sociais, através do compromisso da Faculdade Ibmec-MG para com a comunidade e, especialmente, para com a realidade que se desenha com as novas dimensões e realidades dos mercados e das próprias organizações. 13

14 A Faculdade Ibmec-MG se compromete, periodicamente, com a revisão dos projetos pedagógicos dos cursos, sua discussão e análise, envolvendo o corpo docente, discente, funcionários e dirigentes, na expectativa de melhor atender às características e demandas regionais. A instituição se propõe a realizar estruturação e orientação pedagógica, solicitando aos seus agentes educativos que reflitam sobre suas práticas, que dialoguem e que construam uma parceria inteligente. A partir do exercício de reflexão, mudanças serão introduzidas e novas práticas serão incorporadas. Ratifica-se no ato de aprender e ensinar o estabelecimento de interações entre instituição de ensino e alunos, a troca de saberes e a construção de novos conhecimentos. Quem aprende e ensina utiliza as experiências e os instrumentos cognitivos que possui para dar interpretação subjetiva ao novo conhecimento que se apresenta. Ou seja, em cada pessoa o resultado do processo do conhecimento será distinto, levando-a a interpretar a realidade também de uma forma diferente, pois apesar de ter compartilhado com os outros os mesmos elementos, há determinadas características que são únicas e pessoais. No que diz respeito ao ensino, a instituição tem como preocupação principal acompanhar o aluno, garantindo-lhe compreensão e entendimento das premissas da formação polivalente, através da averiguação das potencialidades individuais e coletivas e da orientação da aprendizagem, assegurando sua própria formação e desenvolvimento como cidadão ativo e profissional, de construção e disseminação de conhecimento, favorecendo sua iniciação científica, para imergir na realidade dos mercados. Assim, a Faculdade Ibmec-MG procura focar suas políticas de ensino segundo perspectiva que prioriza: desenvolvimento curricular contextualizado e circunstanciado; busca da unidade entre teoria e prática; integração entre ensino e extensão; promoção permanente da qualidade de ensino. As políticas de ensino da Faculdade Ibmec-MG fundamentam-se em um processo educativo que favorece o desenvolvimento de profissionais capacitados para atenderem as necessidades e expectativas do mercado de trabalho e da sociedade, com competência 14

15 para formular, sistematizar e socializar conhecimentos em suas áreas de atuação. São princípios básicos dessas políticas: formação de profissionais na área de Ciências Sociais Aplicadas e Engenharias; cuidado e atenção às necessidades da sociedade e região no que concerne à oferta de cursos e programas para a formação e qualificação profissional; valorização e priorização de princípios éticos; flexibilização dos currículos de forma a proporcionar ao aluno a maior medida possível de autonomia na sua formação acadêmica; atualização permanente dos projetos pedagógicos, levando-se em consideração as Diretrizes Curriculares e as demandas da região onde a Instituição está inserida. Esta forma de pensar exige a incorporação de uma nova pedagogia, fundamentada numa concepção mais crítica das relações existentes entre educação, sociedade e trabalho. Assim, compreender criticamente a educação implica em reconhecê-la como uma prática inscrita na sociedade e determinada por ela; implica ainda, entender que, embora condicionada, a educação pode contribuir para transformar as relações sociais, econômicas e políticas, à medida que conseguir assegurar um ensino de qualidade, comprometido com a formação de cidadãos conscientes de seu papel na sociedade. A pedagogia que se inspira nessa concepção de educação, sem desconsiderar os condicionantes de ordem política e econômica interessada em introduzir no trabalho docente elementos de mudanças que garantam a qualidade pretendida para o ensino, é coerente com esse pressuposto, e busca garantir ao aluno o acesso pleno ao conhecimento. A compreensão acerca do processo de elaboração do conhecimento implica a superação da abordagem comportamentalista da aprendizagem. Consequentemente, os métodos de ensino passam a fundamentar-se nos princípios da psicologia cognitiva, que privilegia a atividade e iniciativa dos discentes. Os métodos utilizados, além de propiciar o diálogo, respeitar os interesses e os diferentes estágios do desenvolvimento cognitivo dos alunos, favorecem a autonomia e a transferência de aprendizagem, visando não apenas o aprender a fazer, mas, sobretudo, o aprender a aprender. 15

16 2 IDENTIFICAÇÃO DO CURSO Nome do Curso: Curso de Graduação em Direito Endereço de Funcionamento do Curso: Rua Rio Grande do Norte, 300 Bairro Funcionários Belo Horizonte/MG Atos Legais: Autorização: Portaria nº 318, de 2 de agosto de 2011, publicada em 04 de agosto de Número de Vagas: 100 (cem) vagas Turno de Funcionamento do Curso: Integral Prazo para integralização Curricular: Mínimo de 10 (cinco anos) e máximo de 20 semestres (dez anos). 2.1 Cronologia Em Abril de 2011, pela iniciativa da Direção da Faculdade IBMEC e do Comitê Acadêmico nasce o curso de Direito. Em 2012, após a formalização e cadastro do curso junto ao Ministério de Educação e Cultura (MEC) e publicação da Portaria de Autorização, iniciaram as atividades letivas regularmente. O curso foi estruturado para uma duração de cinco anos, em regime seriado semestral, com aulas no período matutino, de 2ª à 6ª feira. No primeiro semestre de 2013, assumiu a Coordenação do Curso de Direito o Prof. Dorival Guimarães Pereira Júnior. Ao longo do tempo foram criados eventos buscando o enriquecimento de conteúdo e aproximação do aluno com experiências profissionais, destacando-se: Seminário As Empresas e o Processo Administrativo Tributário O seminário contou com a participação de três palestrantes da área do Direito apresentando temas ligados à gestão de empresas e com foco na área contábil. Data do evento: 28/05/2013. Ibmec Connection DIREITO, evento realizado pela coordenação em parceria com o setor de Carreiras do IBMEC, com o objetivo de colocar o corpo discente em contato com 16

17 escritórios de advocacia, departamentos jurídicos de grandes empresas e segmentos de atuação do profissional d Direito nas esferas pública e privada, apontando opções de carreira e tendências do mercado de trabalho. Edições: 23/05/2013, 24/10/2013 e 15/05/2014. VI Congresso da Associação Mineira de Direito e Economia, promovido pela Associação Mineira de Direito e Economia e pelo Ibmec. Data do evento: 26 a 27/08/ Organização didático-pedagógica A Faculdade IBMEC entende que uma organização curricular se produz a partir das ações de todos nos processos educativos da instituição. Entende ainda que os critérios de seleção e organização dos referenciais de conhecimentos, metodologias, atitudes e valores devem estar fundamentados no Projeto Pedagógico Institucional - PPI e consagrado como Meta no Plano de Desenvolvimento Institucional. Desse modo, cada curso da Faculdade IBMEC tem clareza quanto às suas prioridades, e estabelece com coerência suas estratégias de trabalho. Por meio da redação de um Projeto Pedagógico, cada curso apresenta publicamente os seus princípios norteadores, contribuindo para que suas atividades sejam organizadas dentro de orientações coerentes e fundamentadas. A matriz curricular de um curso é parte integrante de um Projeto Pedagógico. Sua construção deve ser compreendida não como enumeração de disciplinas, mas como estabelecimento de um campo de questionamento de temas relevantes, propício ao amadurecimento intelectual e motivador para a prática profissional. Sua sustentação depende não apenas de fidelidade à legislação em vigor, mas também de um plano de desenvolvimento de habilidades intelectuais e práticas, esperadas no perfil do egresso. A racionalização da matriz curricular, no interior do Projeto Pedagógico de Curso, leva em conta os modos como as disciplinas se relacionam entre si, e o papel dessas relações para chegar ao perfil de egresso. São utilizados recursos como a atribuição de carga horária a atividades de iniciativa dos alunos, ou elaboradas pelos respectivos colegiados, a serem contabilizadas na parte flexível dos currículos e a elaboração de projetos de ensino, destinados à articulação entre diferentes disciplinas, de acordo com as normas institucionais vigentes. 17

18 As conexões entre ensino, extensão e pesquisa, capazes de tornar o processo de formação mais produtivo, ocorrem por iniciativa tanto de professores como de alunos. No processo de formação, alunos e professores são responsáveis pelos resultados. Ambos devem estar atentos à realidade externa, sendo hábeis para observar as demandas por ela colocadas. Cada vez mais, problemas sociais, econômicos e culturais que repercutem na prática do cotidiano devem ser considerados na vivência acadêmica diária e nas relações estabelecidas no processo de ensino e aprendizagem. Tanto no sentido geral de um Projeto para a instituição, como no sentido específico de um Projeto para cada curso, na Faculdade IBMEC o Projeto Pedagógico é proposto como associação entre uma concepção de ensino, pautada em senso de responsabilidade pública, uma concepção de sujeito humano, contextualizado no processo de transformações histórico-sociais, e uma avaliação das condições necessárias para a formação de egressos capazes de um desempenho satisfatório, aptos a contribuir para a intervenção social, interessados na superação de problemas. O Projeto Pedagógico do Curso é expressão mais clara da sua organização didáticopedagógica e, tanto a administração acadêmica do Coordenador, quanto a ação do Núcleo Docente Estruturante NDE que são responsáveis pela execução, acompanhamento e revisão do Projeto. 2.3 Coordenação do Curso A Coordenação do Curso de Direito é exercida pelo professor Dorival Guimarães Pereira Júnior, Mestre em Direito Internacional (Université de Paris, Paris XI), contratado em regime de tempo integral. O Colegiado de Curso é composto pelo coordenador, por todos os docentes do curso e um discente. As ações e atribuições do Colegiado do curso seguem o Regimento da Faculdade IBMEC, reunindo-se duas vezes a cada semestre e extraordinariamente sempre que necessário. A coordenação de curso é apoiada: Pela Comissão Própria de Avaliação Institucional (CPA), a qual compete gerenciar a Avaliação Institucional baseada nas 10 dimensões definidas no SINAES e subsidiar a 18

19 coordenação de curso com dados e informações que propiciem a melhoria das atividades do curso; Por um Núcleo Docente Estruturante (NDE), composto por 5 (cinco) professores incluindo o coordenador, a quem compete a reavaliação, implementação e desenvolvimento do projeto pedagógico do curso, em consonância com as diretrizes curriculares nacionais, identificação das necessidades profissionais e sociais, ampliando a relação do curso com a comunidade; Pela Biblioteca, a quem compete atender aos alunos e docentes nas solicitações de objetos de estudo e pesquisa, atualização de acervo, etc.; Para suas atividades administrativas a coordenação de curso conta com um ambiente próprio com toda a infraestrutura necessária, inclusive ao atendimento pessoal dos alunos. A coordenação é atendida pela Secretaria Geral e por toda uma estrutura administrativa de apoio acadêmico baseada nesta secretaria. A natureza da gestão do colegiado é puramente acadêmica, cabendo-lhe, conforme definido no Regimento Geral, a supervisão das atividades didáticas do curso, o que envolve o planejamento, acompanhamento da execução e a avaliação das atividades previstas na organização curricular. Todos os setores de apoio pautam suas atividades no cumprimento do PPC, cujas atividades estão voltadas tanto para o apoio aos docentes quanto aos discentes Atuação do Coordenador O coordenador do curso, ciente de que a sua atuação não se restringe à gestão e articulação de recursos, mas também à gestão de potencialidades e oportunidades internas e externas, é o primeiro a favorecer e implementar mudanças que aumentem a qualidade do aprendizado contínuo. Tal processo se dá pelo fortalecimento da crítica e da criatividade de todas as pessoas envolvidas no processo, isto é, alunos, docentes, funcionários, corpo administrativo, corpo financeiro, entre outros. Cabe a ele, também, incentivar a produção de conhecimentos neste cenário global de intensas mudanças, por meio da pesquisa, e animar a comunidade acadêmica, para 19

20 implementar ações solidárias que concretizem valores de responsabilidade social, justiça e ética. Do coordenador espera-se o desenvolvimento de várias atividades capazes de articular todos os setores e fortalecer a coalizão do trabalho em conjunto, para incrementar a qualidade, legitimidade e competitividade do curso, tornando-o um centro de eficiência, eficácia e efetividade rumo à busca da excelência. De acordo com o Regimento Geral da Faculdade IBMEC, cabe ao coordenador de curso: Sugerir a contratação ou dispensa do pessoal docente; Convocar e presidir as reuniões do NDE e do colegiado de curso (Graduação); Coordenar e supervisionar as atividades desenvolvidas no(s) curso(s) sob sua responsabilidade; Sugerir a realização de cursos de graduação, especialização e extensão; Deliberar sobre pedidos de transferência e aproveitamento de estudos, ouvidos, quando for o caso, o professor responsável pela disciplina e o Comitê Acadêmico; Sugerir medidas que visem aperfeiçoamento e desenvolvimento das atividades da FACULDADE IBMEC - MG, bem como opinar sobre assuntos pertinentes que lhe sejam submetidos pela coordenação geral e pela diretoria executiva; Representar o curso de graduação e o curso de pós-graduação junto às autoridades externas e órgãos da FACULDADE IBMEC - MG; Supervisionar e fiscalizar a execução das atividades programadas, bem como a assiduidade dos professores; Nomear o professor responsável pela disciplina; Julgar em grau de recurso, os pedidos de revisão de provas dos alunos; Exercer as demais atribuições que lhe sejam previstas em lei e/ou confiadas pela coordenação geral e pela diretoria executiva; A função do coordenador é considerada estratégica, por isso é objeto de contínua atenção na Faculdade IBMEC. Nesse sentido, a unidade possui o Comitê Acadêmico que congrega os coordenadores dos cursos de graduação e o diretor executivo para apoio à atuação dos coordenadores e tomadas de decisão em conjunto Formação do Coordenador 20

21 Mestre em Direito Internacional, com ênfase em Diplomacia pela Universidade de Paris (Paris XI) Pós graduado em Direito Administrativo pela Universidade de Paris (Paris II, Apnthéon- Assas) Pós graduado em Direito de Empresa (IEC - PUC/MG) Graduado em Direito (Faculdade de Direito Milton Campos) Experiência do Coordenador A) Experiência Acadêmica no Ensino Superior Atua na docência no ensino superior desde 2006 continuadamente; É Coordenador do curso de Direito da Faculdade IBMEC desde janeiro de 2013; Leciona as disciplinas Direito Internacional Público e Privado nos cursos de Direito e Relações Internacionais da Faculdade IBMEC. B) Experiência Não Acadêmica Advogado e consultor jurídico, sócio da Guimarães Pereira Advogados e Consultores, responsável pelo núcleo de Direito Público e Internacional, com experiência nas áreas contenciosa e consultiva ligadas ao setor empresarial de transporte, infraestrutura e energia e negócios internacionais Efetiva dedicação à administração e à condução do curso A dedicação em Tempo integral ao Curso é suficiente para um amplo envolvimento junto aos professores e alunos, estando sempre em contato direto com os agentes diretos e indiretos responsáveis pela condução do curso no plano acadêmico e administrativo. Esta dedicação tem sido fundamental para que o Curso alcance os objetivos traçados, através do acompanhamento das principais atividades acadêmicas relacionadas ao projeto pedagógico. Com isso, o Coordenador propõe a participação e integração de todos no envolvimento em torno das metas e ações e na articulação com demais instituições e empresas relacionadas ao âmbito do curso. A interação do Curso com a Coordenação e Direção Geral, com o Comitê Acadêmico e com os setores de apoio logístico e administrativo se dá através do Coordenador do Curso. 21

22 O Coordenador de Curso atua na gestão de todas as iniciativas e atividades do Curso. Supervisiona o desenvolvimento e a avaliação permanente do Projeto Pedagógico do Curso, a organização e a integração entre as ações, o cumprimento dos objetivos gerais e específicos. Trata-se de docente que possui grande experiência acadêmica e profissional, através de atividades em Ensino Superior, sempre relacionada à área do Direito e das Relações Internacionais. Apresenta boa integração com os docentes e os alunos, estimulando o diálogo dentro do projeto de formação do bacharel em Direito. O atendimento ao discente é realizado através de agendamento em horários que o aluno tiver disponibilidade, normalmente nos intervalos das aulas e na parte da tarde. O contato com os alunos é facilitado pelas ferramentas de comunicação ( , mensagens instantâneas, redes de negócios e sociais) e também pelo próprio contato do coordenador em sala de aula Articulação da gestão do curso com a gestão institucional O Coordenador do Curso realiza a integração do curso com o Comitê Acadêmico e a Direção Geral. Essa articulação passa pelo processo de comunicação via órgãos colegiados, possibilitado por mecanismos de gestão e controle acadêmico e pela disposição em promover mudanças dinâmicas e sistemáticas, sempre que fatores externos (legislação, novas tecnologias, oportunidades de convênios, avaliações externas) ou internos (avaliações internas, demandas de alunos e docentes, eventos, convênios, execução dos projetos e outros) demandem providências. Em conjunto com o Colegiado do Curso, atua para a definição das diretrizes gerais e específicas, bem como para o desenvolvimento e avaliação das atividades acadêmicas, em consonância com o Projeto Pedagógico de Curso e o Plano de Desenvolvimento Institucional da Faculdade IBMEC MG. A coordenação acadêmica propõe atividades aos docentes para a supervisão das práticas didáticas, os Estágios Supervisionados, as Atividades Complementares, os Trabalhos de Conclusão de Curso, a avaliação do processo ensino-aprendizagem e os eventos acadêmicos. O Coordenador do Curso embasa seu processo de gestão em duas reuniões semestrais com os órgãos de colegiado docente e discente e uma reunião semestral com os membros do Núcleo Docente Estruturante - NDE. O Coordenador, desde o início do Curso, contribui substancialmente, em conjunto com o Núcleo Docente Estruturante - NDE, para a elaboração e atualização do Projeto 22

23 Pedagógico, das matrizes curriculares, ementas e conteúdos programáticos das disciplinas, analisando o processo ensino-aprendizagem e sua avaliação. Por esse motivo, se dedica ao cumprimento dos objetivos e da missão do curso, que é de contribuir para a formação e habilitação continuada de profissionais participantes do mercado de trabalho da área Contábil, desenvolvendo sua competência técnica com criatividade e inovação, com senso crítico, ético e empreendedor, para que possam atuar de forma socialmente responsável e contribuindo para sua realização pessoal, para o desenvolvimento das organizações, utilizando suas potencialidades como atividade-fim para o desenvolvimento científico, tecnológico, social e econômico. Esta missão se efetiva em consonância com a filosofia educacional da Faculdade IBMEC, apontadas através de seu Plano de Desenvolvimento Institucional Núcleo Docente Estruturante (NDE) O Curso de Direito da Faculdade IBMEC possui um Núcleo Docente Estruturante NDE, implantado e em pleno funcionamento. Desde a sua implantação, a composição do NDE do Curso atende à Resolução No. 01, de 17 de junho de 2010, sendo composto atualmente por 5 docentes, todos com titulação acadêmica obtida em programas de pósgraduação stricto sensu e contratados em regime de trabalho de tempo parcial ou integral, sendo dois deles em tempo integral, atendendo ao mínimo de 20%, exigido na referida resolução. O quadro a seguir informa os integrantes, titulação e regime de trabalho dos membros atuais do Núcleo Docente Estruturante do Curso de Direito, nomeados através do Ato de Diretoria N o XX / Composição Nome Titulação Regime de Trabalho Dorival Guimarães Pereira Júnior Mestre Integral Reginaldo Pinto Nogueira Júnior Doutor Integral Fábio Queiroz Pereira Mestre Parcial Eduardo Senra Coutinho Doutor Integral Vladimir Pinto Coelho Feijó Mestre Parcial São atribuições do Núcleo Docente Estruturante do Curso de Direito da Faculdade IBMEC: a) Elaborar o Projeto Pedagógico do Curso definindo sua concepção e fundamentos; 23

24 b) Estabelecer o perfil profissional do egresso do Curso; c) Atualizar periodicamente o Projeto Pedagógico do Curso; d) Conduzir os trabalhos de reestruturação curricular, para aprovação no Núcleo Docente Estruturante da Faculdade IBMEC, sempre que necessário; e) Supervisionar as formas de avaliação e acompanhamento do Curso; f) Analisar e avaliar os Planos de Ensino dos componentes curriculares; g) Promover a integração horizontal e vertical do curso, respeitando os eixos estabelecidos pelo projeto pedagógico; h) Acompanhar as atividades do corpo docente, recomendando a indicação ou substituição de docentes, quando necessário. O NDE de curso tem a seguinte constituição: Mínimo de 5 (cinco) professores pertencentes ao corpo docente do curso; 60% (sessenta por cento) de seus membros com titulação acadêmica obtida em programas de pós-graduação stricto sensu; Todos os membros em regime de trabalho de tempo parcial ou integral, sendo pelo menos 20% (vinte por cento) em tempo integral. A composição atual do NDE é de membros criteriosamente escolhidos entre os docentes do Curso, aptos a constituir uma comissão de especialistas nas diversas áreas de conhecimento do Curso. 24

25 3 CONCEPÇÃO DO CURSO 3.1 Justificativa dos Cursos de Graduação na Região Metropolitana de Belo Horizonte A Faculdade Ibmec-MG está situada em Belo Horizonte na Avenida Rio Grande do Norte 300, local onde são oferecidos os cursos de graduação em Administração, Economia e Relações Internacionais. A cidade de Belo Horizonte possui uma população municipal residente que, de acordo com o IBGE (2009), conta com uma população de habitantes, distribuídos por uma área territorial de 331 km². Com uma Renda Per Capita de R$10.429,00 (IBGE 2004), a cidade tem como principais atividades econômicas processamento de minérios, indústria, agricultura, serviços, informática e biotecnologia, além de medicina. É neste cenário que se insere a Faculdade Ibmec-MG, procurando contribuir para o desenvolvimento do município e do estado, já que, o foco de seus cursos é na qualificação da mão-de-obra, resultando na excelência do desempenho empresarial. Sua sede conta com instalações mudanças e amplas, e está situado em local privilegiado, estrategicamente posicionada no Centro Sul da cidade. Além de alunos residentes na Capital Mineira, o Ibmec atrai alunos de várias cidades do interior de Minas Gerais (conforme apresentado na tabela abaixo, 28% dos alunos do Ibmec são oriundos dessas cidades), tornando ainda mais importante uma análise de todo o estado. Nas Regiões Alunos Ibmec Metropolitana de BH 779 Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba 15 Sul/Sudoeste de Minas 20 Zona da Mata 8 Vale do Rio Doce 26 Oeste de Minas 43 Norte de Minas 5 Campo das Vertentes 7 Central Mineira 12 Jequitinhonha 2 Vale do Mucuri 5 Outros Estados 28 Total

26 O mercado de trabalho formal mineiro, com 4,18 milhões de trabalhadores corresponde a 10,61% do total brasileiro. Desta forma, Minas Gerais se posiciona em 2º lugar no Brasil em quantidade de empregos formais com mais de 417 mil empresas. Entre 2003 e 2008 foram criados mais de um milhão de novos postos de trabalho, reforçando o aquecimento do mercado, o que ratifica a importância de uma instituição séria e posicionada qualitativamente, uma vez que, desenvolvimento e crescimento populacional apresentar um cenário favorável a uma Instituição de Ensino Superior preocupada com a formação de profissionais qualificados para atender às demandas das organizações empresariais da região e do País. Numa análise macro para o estado de Minas Gerais, também se pode afirmar que no período de 2003 a 2008, o número de trabalhadores formais aumentou em escolaridade, já que o total de trabalhadores entre 17 e 39 anos com Ensino Médio aumentou 4,05%, enquanto o superior (completo ou incompleto) aumentou 8,56%. Diante do aumento no número de trabalhadores formais no país, o resultado de Minas Gerais supera a média brasileira. O crescimento do número de trabalhadores com ensino superior (completo ou não) é de 19,75% no estado e 15,35% no Brasil. A importância dada pelos trabalhadores mineiros à educação superior é crescente, visto que a Região Sudeste, com 15,45% do total de trabalhadores com ensino superior, também é inferior a Minas Gerais nesta análise, conforme tabela abaixo. Todavia, ainda percebe-se uma grande quantidade de trabalhadores entre 17 e 39 anos apenas com Ensino Médio completo. Desta forma, torna-se essencial a atenção a este público, ratificando um cenário favorável a uma Instituição de Ensino Superior preocupada com a formação de profissionais qualificados para atender às demandas das organizações empresariais da região. CAGR 2003/ Formação Educacional Trabalhadores Formais Regiões do Brasil Médio Completo Superior Completo ou Incompleto Região Norte 12,30% 23,12% Região Sudeste 11,74% 15,45% Região Centro-Oeste 12,33% 15,25% Região Nordeste 10,59% 14,65% Região Sul 11,27% 14,24% Total 11,81% 15,35% Minas Gerais 11,52% 19,75% 26

27 Houve um aumento 3,27% no número de empresas nos principais setores econômicos de Minas Gerais, ratificando o crescimento do mercado mineiro e a importância de promover qualificação profissional para os futuros trabalhadores. A tabela a seguir mostra o número de empresas no setor econômico e o crescimento de 2003 a Quantidade de empresas por setor da economia em 2008 e Setor CAGR Empresas Extração Mineral Indústria Transformação Serviços Industriais Utilidade Pública 391 Construção Civil Comércio Serviços Administração Pública Agropecuária Total CAGR 3,27% Minas Gerais apresenta o segundo melhor indicador de taxa de alfabetização e escolaridade, Na tabela a seguir observa-se a composição do nível de escolaridade no estado. Escolaridade em Minas Gerais (2009) Escolaridade Número de Alunos Ensino Fundamental Ensino Médio Ensino Superior Graduação Mestrado ou Doutorado Fonte: INEP - Dados de Graduação e MEC/CAPES - Dados de Pós-Graduação No gráfico a seguir está representada a evolução dos alunos de Ensino Médio de 2005 a Na população estudada houve um crescimento de 12% no número de egressos, apesar da redução de 14% no número de ingressantes. Este cenário mostra a diminuição das taxas de evasão, o que é positivo para o mercado mineiro. 27

28 No que diz respeito ao Ensino Superior, ocorreu nos últimos anos grande crescimento no número de matrículas, o que pode ser potencializado, como apresentado anteriormente, considerando o número de trabalhadores apenas com Ensino Médio completo. Observa-se que o setor de educação superior mineiro é predominantemente privado. Em 2002, a educação superior pública era contava com vagas, respondendo por 19% das vagas totais, já em 2008 este número caiu para Sendo assim, das vagas oferecidas, apenas 9,5% eram oferecidas pelo setor público. Somando as vagas do Ensino Superior público e privado, há crescimento no número de vagas oferecidas. Mas o número de cursos merece destaque. Enquanto as vagas em Minas Gerais, no ensino superior privado, tiveram um CAGR de 29% entre 2003 e 2008, o número de cursos oferecidos, cresceu 147% entre 2002 e 2008 no Ensino Superior Privado. Em 2008 eram oferecidos cursos, dos quais, 84% disponibilizados pela educação superior privada. Estes números ratificam a demanda de mercado existente e a necessidade de haver cursos que se destacam pela qualidade acadêmica, atendendo uma fatia de mercado específica, em que a Faculdade Ibmec-MG atua; procurando contribuir para o crescimento do município e do estado. Se excluirmos os cursos da área de saúde, e os cursos superiores de tecnologia, percebemos que o curso de Administração e o de Direito são os mais procurados em Minas Gerais., seguidos dos curso de Ciências Contábeis, Comunicação Social, Engenharia de Produção e Sistemas de Informação, respectivamente em terceiro, quarto, quinto e sexto lugar, conforme discriminado no gráfico a seguir. Engenharia Civil e Engenharia Mecânica completam o sétimo e nono lugar. O que é corroborado pela crescente demanda de empresas por funcionários qualificados, especialmente nos setores com em que há maior procura por cursos, conforme demonstrado anteriormente, neste documento. 28

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS ECONÔMICAS. MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS ECONÔMICAS. MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS ECONÔMICAS MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A 2015 Equipe responsável pelo Projeto do Curso Márcio Antônio Salvato Coordenador do Curso de Graduação

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A 2015 Equipe responsável pelo Projeto do Curso Renato Soares de Aguilar Coordenador do Curso de Graduação em

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS. MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS. MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A 2015 Equipe responsável pelo Projeto do Curso Cleberson Luiz Santos de Paula Coordenador do Curso

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA MECÂNICA. MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA MECÂNICA. MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA MECÂNICA MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A 2015 Equipe responsável pelo Projeto do Curso Renato Soares de Aguilar Coordenador do Curso de

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA CIVIL. MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA CIVIL. MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA CIVIL MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A 2015 Equipe responsável pelo Projeto do Curso Renato Soares de Aguilar Coordenador do Curso de Graduação

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

MEDICINA PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE MEDICINA (SÍNTESE)

MEDICINA PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE MEDICINA (SÍNTESE) PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE (SÍNTESE) Ao longo de mais de cinco décadas, a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas) estruturou um ambiente acadêmico intelectualmente rico

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS. MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS. MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS MANTENEDORA: Grupo Ibmec Educacional S/A 2015 Equipe responsável pelo Projeto do Curso Reginaldo Pinto Nogueira Junior Coordenador

Leia mais

Maio 2013 Macaé- RJ. Rafael Pacheco Lívia Leite

Maio 2013 Macaé- RJ. Rafael Pacheco Lívia Leite Maio 2013 Macaé- RJ Rafael Pacheco Lívia Leite Matriz do Curso de Engenharia Química 2013 Page 2 Sumário 1. APRESENTAÇÃO 2. JUSTIFICATIVA 3. DA CONCEPÇÃO DO CURSO 4. ORGANIZAÇÃO DO CURSO 5. A MATRIZ CURRICULAR

Leia mais

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente Antônio Carlos Mantida: Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 Sete Lagoas Março de 2014 Sumário 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO... 4 1.1. Composição da Comissão

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2012 PRÓ-REITORIA DE ENSINO/IFMG/SETEC/MEC, DE 05 DE JUNHO DE 2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2012 PRÓ-REITORIA DE ENSINO/IFMG/SETEC/MEC, DE 05 DE JUNHO DE 2012. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ENSINO Av. Professor Mario Werneck, nº 2590,

Leia mais

Documento orientador de um curso que traduz as políticas acadêmicas institucionais

Documento orientador de um curso que traduz as políticas acadêmicas institucionais Documento orientador de um curso que traduz as políticas acadêmicas institucionais Construção coletiva a partir das experiências, coordenada pelo Colegiado do Curso de Graduação (art. 34 do Regimento Geral

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Página 1 de 25 Ministério da Educação Nº 1229 - Segunda feira, 21 de junho de 2010 Gabinete do Ministro - Portaria nº 807, de 18 de junho de 2010 Gabinete do Ministro - Portaria nº 808, de 18 de junho

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância - Dresead Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido)

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido) FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRATIVAS DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM ES Curso de Administração reconhecido pelo Decreto Federal nº 78.951, publicado no D.O.U. de 16-12-1976 Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas.

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas. Extensão ETENSÃO A implementação da politica de Extensão, no Instituto Federal do Amazonas reafirma a missão deste Instituto e seu comprometimento com o desenvolvimento local e regional promovendo a integração

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos Superiores de Pedagogia

Instrumento de Avaliação de Cursos Superiores de Pedagogia MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior -

Leia mais

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Escola Superior de Propaganda e Marketing UF: SP ASSUNTO: Recredenciamento da Escola Superior de Propaganda

Leia mais

SEMINÁRIO DE GRADUAÇÃO ENADE 2015

SEMINÁRIO DE GRADUAÇÃO ENADE 2015 SEMINÁRIO DE GRADUAÇÃO ENADE 2015 ROTEIRO SINAES Princípios e concepções Os Ciclos Avaliativos do Enade e os Indicadores de Qualidade Enade 2015 PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO SINAES Responsabilidade : responsabilidade

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO (PPC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO (PPC) , INCLUINDO ESSE, DEVEM SER RETIRADOS DO TEXTO FINAL, POIS SERVEM SOMENTE COMO ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO DOCUMENTO FINAL> PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO (PPC)

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico Ingressantes em 2007 Dados: Sigla: Licenciatura em Educação Física Área: Biológicas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº09/2011 Aprova a estrutura curricular do Curso de Administração do Centro de

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC 1 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC O PPC, Projeto Pedagógico de Curso, é o instrumento de concepção de ensino e aprendizagem de um curso e apresenta características de um projeto, no qual devem ser definidos

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Resolução

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 28/11/2005 (*) Portaria/MEC nº 4.043, publicada no Diário Oficial da União de 28/11/2005 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação de Ensino Superior de Ibaiti UF: PR ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade de Educação, Administração

Leia mais

PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL FACULDADE CASA DO ESTUDANTE. Aprovado no CONSU Conselho Superior em 02/02/2012

PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL FACULDADE CASA DO ESTUDANTE. Aprovado no CONSU Conselho Superior em 02/02/2012 PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL DA FACULDADE CASA DO ESTUDANTE PPI 2012 a 2015 Aprovado no CONSU Conselho Superior em 02/02/2012 Diretor Geral FACULDADE CASA DO ESTUDANTE PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior- Conaes Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Bacharelados, Licenciaturas e Cursos Superiores de Tecnologia (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Bacharelados, Licenciaturas e Cursos Superiores de Tecnologia (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE FUNCIONÁRIOS - PDF ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - EMENTAS

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE FUNCIONÁRIOS - PDF ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - EMENTAS MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2012 Resolução COP Nº. 114/2011 de 08/12/2011

PLANO DE AÇÃO 2012 Resolução COP Nº. 114/2011 de 08/12/2011 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL De acordo com o Decreto 5.773/2006 PERÍODO - 2012-2015 Resolução COP Nº 113/2011, de 08/12/2011 PLANO DE AÇÃO 2012 Resolução COP Nº. 114/2011 de 08/12/2011 Lucas

Leia mais

Catálogo do Curso de Especialização em Educação Ambiental com Ênfase em Espaços Educadores Sustentáveis

Catálogo do Curso de Especialização em Educação Ambiental com Ênfase em Espaços Educadores Sustentáveis Catálogo do Curso de Especialização em Educação Ambiental com Ênfase em Espaços Educadores Sustentáveis 1. Dados Gerais 1. Área Temática: Educação Ambiental 2. Nome do curso: Educação Ambiental com Ênfase

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior Daes Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 16/05/2005 (*) Portaria/MEC nº 1.625, publicada no Diário Oficial da União de 16/05/2005 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS CANOAS PROJETO PEDAGÓGICO CURSO FIC PRONATEC Canoas

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE

REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE 2013 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE PADI DA FACULDADE DE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÃDO

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 1 FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 O currículo

Leia mais

REGIMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE (NDE) DO CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO CAFS

REGIMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE (NDE) DO CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO CAFS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CAMPUS AMILCAR FERREIRA SOBRAL CAFS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO BR 343 KM 3,5 Bairro Meladão CEP 64.800-000 Floriano PI. Fone (89) 3522-0138 REGIMENTO DO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Turismo

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE

PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE - MT 2011 Apresentação Articulado com o novo Plano de Desenvolvimento Institucional (2011-2015)

Leia mais

EDUFOR SERVIÇOS EDUCACIONAIS LTDA FACULDADE EDUCACIONAL FORTALEZA EDUFOR CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

EDUFOR SERVIÇOS EDUCACIONAIS LTDA FACULDADE EDUCACIONAL FORTALEZA EDUFOR CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO EDUFOR SERVIÇOS EDUCACIONAIS LTDA FACULDADE EDUCACIONAL FORTALEZA EDUFOR CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PROJETO DO CENTRO DE EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO CEI 2013 1. APRESENTAÇÃO Ciente da necessidade

Leia mais

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agrícola e dá outras providências.

Leia mais

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração Cursos de Administração: qualidade necessária XIV Fórum Internacional de Administração Rio de Janeiro, 18 de maio de 2015 ENSINAR, APRENDER, AVALIAR... TRAJETÓRIA DA AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO SUPERIOR CAPES avaliação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 24/8/2009, Seção 1, Pág. 16. Portaria n 816, publicada no D.O.U. de 24/8/2009, Seção 1, Pág. 16. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

Padrões de Qualidade para os Cursos de Graduação em Direito

Padrões de Qualidade para os Cursos de Graduação em Direito MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE DIREITO APRESENTAÇÃO: Padrões de Qualidade para os Cursos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 28/7/2009, Seção 1, Pág. 53. Portaria n 760, publicada no D.O.U. de 28/7/2009, Seção 1, Pág. 53. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

CETEC EDUCACIONAL S.A. Mantenedora FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ETEP. Mantida

CETEC EDUCACIONAL S.A. Mantenedora FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ETEP. Mantida CETEC EDUCACIONAL S.A Mantenedora FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ETEP Mantida PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SÃO JOSÉ DOS CAMPOS 1 SUMÁRIO

Leia mais

Formação de Formadores

Formação de Formadores REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: Formação de Formadores São Paulo 2012 1 Sumário Título I Da Constituição do Programa... 03 Capítulo I Dos Fins e Objetivos... 03 Capítulo II

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 18/9/2009, Seção 1, Pág. 47. Portaria n 890, publicada no D.O.U. de 18/9/2009, Seção 1, Pág. 47. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 Curso Superior em Tecnologia em Design de Moda Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

POLÍTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

POLÍTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL POLÍTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL Abril / 2014 Apresentação O Estágio Supervisionado em Serviço Social é um ato educativo que acontece no ambiente de trabalho e

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior Daes Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

OBJETIVOS DO CURSO PERFIL DO EGRESSO

OBJETIVOS DO CURSO PERFIL DO EGRESSO 1 APRESENTAÇÃO Segundo Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos Tecnologicos conforme RESOLUÇÃO CNE/CP 3, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2002, A educação profissional de nível tecnológico, integrada às diferentes

Leia mais

Resolução nº. 01/09. Título I Estágio Supervisionado. Capítulo I. Caracterização do Estágio:

Resolução nº. 01/09. Título I Estágio Supervisionado. Capítulo I. Caracterização do Estágio: 1 Resolução nº. 01/09 Aprovar o Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Pedagogia - considerando o art.70, VII do Regimento desta Instituição; - considerando necessidade de normatizar

Leia mais

MARLY GUIMARÃES FERNANDES COSTA Vice-Presidente

MARLY GUIMARÃES FERNANDES COSTA Vice-Presidente UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 2/2013-CONSUNIV Dispõe sobre diretrizes para estruturação e organização curricular dos Cursos de Graduação da UEA e dá outras providências.

Leia mais

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E DIRETRIZES DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO. Ji-Paraná RO, 2015.

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E DIRETRIZES DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO. Ji-Paraná RO, 2015. CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E DIRETRIZES DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO Ji-Paraná RO, 15. CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E DIRETRIZES DAS ATIVIDADES

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação UF: DF Superior. ASSUNTO: Instrumentos de avaliação para credenciamento

Leia mais

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES EDUCAÇÃO SUPERIOR BRASILEIRA ALGUNS INDICADORES¹ 2.314 IES 245 públicas (10,6%) e 2.069

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Grupo Nobre de Ensino Ltda. UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Nobre de Feira de Santana, a ser instalada

Leia mais

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME)

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) Palmas 2010 1. Apresentação O Núcleo de Apoio Didático e Metodológico NADIME é o órgão da Faculdade Católica do Tocantins responsável pela efetivação da

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior Daes Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

PLANO DE TRABALHO ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFAM (2014-2018)

PLANO DE TRABALHO ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFAM (2014-2018) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PLANO DE TRABALHO

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS INTRODUÇÃO Com base no Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais - REHUF, destinado à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados

Leia mais

Regulamenta a validação e registro das Atividades Complementares dos cursos de Graduação das Faculdades Projeção.

Regulamenta a validação e registro das Atividades Complementares dos cursos de Graduação das Faculdades Projeção. RESOLUÇÃO Nº 01/2011 Regulamenta a validação e registro das Atividades Complementares dos cursos de Graduação das Faculdades Projeção. O Conselho Superior da Faculdade Projeção, com base nas suas competências

Leia mais

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional)

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) Universidade Federal de Roraima UFRR Brasil Especialista em Alfabetização (Prática Reflexiva

Leia mais

CENÁRIO DA FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM

CENÁRIO DA FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM CENÁRIO DA FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM Nível Superior Profª Drª Márcia Barbieri Docente Depto Enfermagem/UNIFESP Membro da Comissão Assessora de Avaliação da área de Enfermagem INEP/MEC Quem

Leia mais

Coordenação de Pós-Graduação e Extensão. Legislação sobre cursos de Pós-graduação Lato Sensu e Credenciamento da FACEC

Coordenação de Pós-Graduação e Extensão. Legislação sobre cursos de Pós-graduação Lato Sensu e Credenciamento da FACEC Coordenação de Pós-Graduação e Extensão Legislação sobre cursos de Pós-graduação Lato Sensu e Credenciamento da FACEC Os cursos de especialização em nível de pós-graduação lato sensu presenciais (nos quais

Leia mais

Leis Federais. LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências

Leis Federais. LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

X Encontro Nacional de Escolas de Governo

X Encontro Nacional de Escolas de Governo X Encontro Nacional de Escolas de Governo Painel Cursos de pós-graduação nas escolas de governo A experiência da Enap na oferta de cursos de pós-graduação lato sensu Carmen Izabel Gatto e Maria Stela Reis

Leia mais

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Superior Sesu Departamento de Supervisão da Educação Superior - Desup Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria

Leia mais

AVALIAÇÃO E CREDENCIAMENT DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL

AVALIAÇÃO E CREDENCIAMENT DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL AVALIAÇÃO E CREDENCIAMENT DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL LUCE, Maria-Beatriz (UFRGS, Porto Alegre, BR) MOROSINI, Marília (PUCRS, Porto Alegre, BR) Projeto ALFA-ACRO ACRO Introdução BRASIL território e

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 06/04/2005 (*) Portaria/MEC nº 1.112, publicada no Diário Oficial da União de 06/04/2005 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES Bacharelados Interdisciplinares (BIs) e similares são programas de formação em nível de graduação de natureza geral, que conduzem a diploma, organizados por grandes áreas

Leia mais

Relatório de Autoavaliação

Relatório de Autoavaliação Relatório de Autoavaliação O CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO ESTÁCIO UNIRADIAL é uma Instituição Privada de Ensino Superior com fins lucrativos, situada no Município de São Paulo, Estado

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Educacional da Igreja Evangélica Assembléia de UF: PR Deus em Curitiba (AEIEADC) ASSUNTO: Credenciamento

Leia mais

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global Página Artigo: 6º Parágrafo: Único Inciso Alínea EMENDA MODIFICATIVA O parágrafo único do Artigo 6º do PL n 8035 de 2010, passa a ter a seguinte redação: Art. 6º... Parágrafo único. O Fórum Nacional de

Leia mais

Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1734 de 06/08/2001, D.O.U. de 07/08/2001

Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1734 de 06/08/2001, D.O.U. de 07/08/2001 ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA: EDUCAÇÃO FÍSICA (Portaria de Reconhecimento nº 428 de 28 de julho de 2014) E PEDAGOGIA (Portaria de Reconhecimento nº 286 de 21 de dezembro de 2012) ORIENTAÇÕES

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.662, DE 28 DE ABRIL DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.662, DE 28 DE ABRIL DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.662, DE 28 DE ABRIL DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em,

Leia mais