Ética e eutanásia SIMPÓSIO MEDICINA E DIREITO. Maria Elisabeth Rennó de Castro Santos5, João Alfredo de Paula e Silva6

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ética e eutanásia SIMPÓSIO MEDICINA E DIREITO. Maria Elisabeth Rennó de Castro Santos5, João Alfredo de Paula e Silva6"

Transcrição

1 SIMPÓSIO MEDICINA E DIREITO Étic utnási Hribrt Rbrth Brit Zuff Brit Olivir1, Olivir3, Eymrd An Frncisc Mri Brit Brit Olivir4, Olivir2, Mri Elisbth Rnnó Cstr Snts5, Jã Alfr Pul Silv6 N frmçã prfissinl, grn imprtânci prsntms prcupçã qui s cntrvrsis frmçã tic. sbr Pr tic ss mtiv, utnási rigins ns primórdis civilizçã grcsi, Tl gm pri sr plic, pr xpl, utná- ist s, puss, sr vintnt, mrlmnt justificávl. l vlss pr ts, rmn. A prtir jurmnt Hipócrts1, principl rl3. Ns dis tuis, ncr-s mrt lg ntu- pilr sustntçã digni prfissã mdic mrt N pss, prcurvm-s xplicçõs pr t s dis hj, dministrçã drgs ltis n pr n trtr mi s sbrnturl. stõs rltivs Hj, rcrr-s ss ssunt. mdici- pcint ss dispnívis trminl n u trpêutic missã têm trmins mtiv intns rcur- váli Prm, prmnc stinmnt: tic, bt n si sci. gni? stnr vi, prlngn sfrimnt cis Bcn1, Alguns filósfs, já dvgvm ntr ls prátic Thms Mrus2 utnási Frn- tiv mts Pr rlizçã st stu, frm utilizs s ntr sus cntprâns. O bt trnu-s cirr n finl scul XIX crrênci inúmrs bsmnt t mrl, utnási tic tiv filsófic. pssiv, trvs situr indutiv dutiv psquis, prcurn disputs mnt ns ntr imprnss dvgs ingls cintists mricn. sciis, N principl- mrl ps A cnsult bibligráfic fi stndi s cm- Knt1, vrific-s cncpçã tic sb frm curn bitic mdic-lgl prprimnt dit, pr- prcdimnt prátic, ist, univrslizçã tic, bs n finiçã çã ts sci., tvi, cits pr lguns sgmn- intrduzis smistificr lguns cncits quivcs mrlmnt b l p sr univrslizávl, u, sj, mns, l sri cujs sjávl princípis pm vlss vlr pr pr ts. Visã rligis mrt cnsciênci O hm únic sr sbr Trr t pssg nst mun su finitu, trnsitóri únic sbr v trminr su 1. Mdic, Pós-grdun Angilgi Cirurgi Vsculr, Fcul Ciêncis Mdics Mins Gris Snt Cs Bl Hriznt. xtinçã di3. Sb prism hni, trt-s 2. Mdic, Pós-grdu Cirurgi Crdivsculr, Fcul Ciêncis Mdics Mins Gris. Dutrn Educçã. Prfssr bilógic sr rlçã, sr crpór titulr, Univrsi Vl Ri Vr Três Crçõs, MG. liz intrg su mi. É, pis, mrt glb- 3. Mdic, Pós-grdun Crdilgi, Fcul Ciêncis Mdics Mins Gris Snt Cs Bl Hriznt. vzi scilmnt, su vzi snti 4. Acdêmic Dirit, Fcul Dirit Vrginh, MG. 5. Mdic crnr Pós-grduçã Angilgi Cirurgi intrcinl. Dss mnir, stu mrt Vsculr, Fcul Ciêncis Mdics Mins Gris Snt cnhcimnt mrrr u nsj criçã nv rm Cs Bl Hriznt. 6. Chf Srviç Cirurgi Crdivsculr, Snt Cs Bl cintífic, tntlgi (ciênci stu- Hriznt. Prfssr, Fcul Ciêncis Mdics Mins Gris. ntrplógic mrt), mrgulh psquis filsófic Espcilist Cirurgi Crdivsculr pl Sci Brsilir Cirurgi Crdivsculr - Assciçã Mdic Brsilir. ritulístic s divrss frms rprsntçã culturs. xtinçã vi ntr difrnts pvs J Vsc Br 2003;2(3): Cpyright 2003 by Sci Brsilir Angilgi Cirurgi Vsculr. cltiv, Sb psicsscil ss spct, mrt hm s vnt insr. públic, Pr 278

2 Étic utnási Olivir HB t lii rligiã mrt. juic, Dí pr xpl, s critris cpitçã mrt ncfálic sinônim sr ntndis mrt qulr frm. t Sgun mrt s plvrs ssssint 3. pnsr É prcis, Jn prtnt, Ziglr, xrcizr scul XVII, mrt, hm trnsfrmá-l, smnt snti-s miná-l. snhr At su vi su mrt. n mdi Cm snvlvimnt sntiss, tmbm, cintífic, snhr ncntru-s n mdiclizçã sí pr mrt dil. s Tl sguiu ft fi sscrlizçã scul ss XVIII msm u XIX. mrt, Pssu-s crru trminr pr vlt trduzi nts fss lvs mrrss ns hspitis, s cntrári cs. Ants, pls crri sígnis nts, Dus, qun incssívis mrrim s hmns, stins hns. hvi b Agr, má mrt mrt, trnu-s gvrnv lic, s mis fnômn rligis. tcnic, Nst nv n plc, mdic mrt trnsfrm-s intrrmpr t qulr tip crt trtmnt. qun- Pss sucssivs sr b prcss prndis rgulávl, frustrçõs crr pr (stágis tps Küblr-Rss4 pr pcints trminis). snhrs Dss frm, su própri n fmíli mrt. n Tl pr indivídu lhs sã ng rtir nm ciênci, msm pr, fi lin-s sgrgçã mrt, ignr- chm pr plt. fmíli nuclr, O hm st trnsfrmu-s sr stu psquis. bjt A própri mrt, mrt, crt m, v trn-s rgnism. rspnsbili Pr utr tcnic, l, s nvs n cnquists t vr t sciis stblcrm Rvluçã Industril cnquist simbólic burgusi rgn físic, trvs trnsmissã ptrimôni imrtliril indivídu. Dí, prcupçã s mrns mt- códigs dirits lis ptrimôni lbrs cupm pls hmns, lugr ns prfrncil quis s s s cgit chms sr crims viv cntr si, ms vi, quil pr xpl. l rprsnt u vl ntr mi scil stá insri. Já Eutnási s Eutnási sfrimnt signific nt sist incurávl. prcur Ess r sist mrt pribi váris píss, inclusiv n Brsil, n prátic utnási cnsir hmicídi5. J Vsc Br 2003, Vl. 2, Nº3 279 u Exist ss grn prátic. cntrvrsi As psss rspit julgm lglizçã ml ncssári têm principis rgnts utnási pupr t livir pcint ngústi trminl sus irrvrsívl fmilirs. Outr su sfrimn- imprtnt ss discussã cust finncir, spct scil pssl, cus pl prlngmnt tnt vi impssibilit cntinur. O cust scil públics stá n suprltçã rdis lits trtmnts ns hspitis sss ns pcints. gsts Pr rvlt utr pr l, prt s s ss igrjs, prátic s quis fr s lgliz, mntêm irrdutívis utrizr sus utnási psiçõs. Alm nt diss, ri prnt p vir hvrá sfrr frt sntimnt culp. Cm prgrss in tcnlgi mis plx mdic, discussã ns últims sbr dcs, ss prátic. trn-s prlhs ltrônics sã cpzs grntir lng Os sbrvi sinis vitis vgttiv sjm mntis s nts rtificilmnt, prmit msm s pcints tnçã vi trminis, trn-s pr c muit vz tp. mis Assim, discussã mnu- v sr nlis cs cs. Clssificçã A utnási, pnn utnási p sr clssific váris frms5, critri ntr cnsir, sguints: ls, s Qunt Eutnási tip tiv: çã mrt s sfrimnt t pcint, libr pr fins prvcr misricrdiss. crr Eutnási ntr pssiv qudr u indirt: trminl, mrt u pr pcint inici çã mdic u pr há intrrupçã s sfrimnt. mdi xtrrdinári, bjtiv minrr Eutnási cnsqüênci dupl indirt fit: s mrt çõs mdics clr xcuts visn lívi sfrimnt sã pcint trminl. Qunt Eutnási cnsntimnt vluntári: qun pcint tnn vnt pcint. mrt prvc cntr Eutnási vnt invluntári: pcint. qun mrt prvc- Eutnási -vluntári: qun mrt prv-

3 280 J Vsc Br 2003, Vl. 2, Nº3 c rlçã s l. pcint tivss mnifst su psiçã stblcr, Ess clssificçã últim qunt nális, cnsntimnt rspnsbili vis gnt; pr Nukmp6. n cs, mdic. Tl discussã fi prpst Distnási Distnási suicídi gni ssisti sfrimnt físic u psiclógic prlng, indivídu mrt lúci. su Ess livr trm Nisnc fi prpst t mrt, pr public Mrch, Pris 1904, pl ditr O qudr Alcn. cs s prr trn-s difícil nt pr trminl, miri s br mdi- mrt fç prt su di--di sj ft inxrávl Apsr pr ts s prbls s srs vivs. dimnt timiz pcint, clínics rlcins mdic v fclizr tn- máxim sus sfrçs s scnfrts n lívi pcint sfrimnt pr st vitr trminl. A impct r pns r t sus n pnnts. vi pcint Entrtn- t, s scnfrt tlrávl t xustã, vri própri s nçs prvcm mrt dirt u indirtmnt. tivs tmbm surg Um sri nst cntxt stõs mris vi signific- trminl (Mrczwsky7). O pcint sb fs v sbr sbr su dignóstic prgnóstic? Sgun u pr Mrczwsky7, stã básic primir xrcíci prgunt já utnmi mnir nss qu mmnt. l Só t pss css tivr livr pln sclh cnh- rt tnt, cimnt css s fts vr mdics ssncil. ligs Cntu, su nç. dirit Pr r vr vr cri s brigçã pcints? O s mdic mdics prunt spr vlirá c cs, dizr tntn vr, psr s miti-l prós u s cntrs mntir pr três diz- ltrntivs: pcint. Em su julgmnt, l vrá lvr cnt bnficênci, smnt ft prá mrl justificr muit rlvnt, çã ptrnlístic cnsqüntnt, ignrr dirit ignrr pcint dirit pcint vr, trms finir O trm s limits rttnási su trtmnt. m mrt nturl ( grg t si - rthós: us nrml, sinôni- thánts: mrt) u utnási pssiv, n qul crrt s g Étic utnási Olivir HB t lii pr xist missã t (invrsmnt issiv utnási rl induzimnt tiv, n qul uxíli suicídi). Est sri, tmbm, mnifstçã u trm mrt distnási b, sjávl. sri, prtnt, A cntrári, mrt nqunt lrs, iss, sfrimnt, pcints trminis cnfrm AIDS bsrv-s câncr, nçs frqüênci incurávis, sss indivídus, tnts utrs. sj O pr prlngmnt mi trpêutics vi u pr ns prlhs, n mis rprsntri btlh inútil rntr. prdi Pr sts, cntr s pstul mrt, mrt st sim pis, slvr ssisti, Sênc1, n grn fim s filósf sus mls, grg, pr pis, únic rzã, firm vi ml pr ning brig vivr. tnt A n prtir spct s ns mrl, 70, ms bt mis n cncntru-s justificbili çõs tic n s frmulçã limits jurídics s plítics xistnts sú ns sus públic implic- divrss trritóris. ms É prcis pr mntr stblcr pcint quis viv. mdis Exist v mdis sr t- utrs, pm in, sr chms s nminm rdináris, xtrrdináris. utrs fútis Mdis cust, puc rdináris invsivs, sã, cnvncinis grlmnt, ls tcnlgicmnt invsivs, simpls. hróics As xtrrdináris tcnlgi cstm plx. sr Sgun crs, bix Küblr-Rss8, stã muit sss finiçõs plx. crtmnt Pr xpl, simplificm tçã ntrl pr sn, n miri s vzs, limn- mdi rdinári, ms, qun utiliz n pcint st mdi vgttiv xtrrdinári prsistnt pr irrvrsívl, mntê-l viv. pss sr xistnt A futili ntr trtmnt, v sr fini trpêutic funçã cui. rlçã trtmnt cnsir fútil qun t Um prbbili tr vlr trpêutic, ist, qun b grg Vl riscs slintr crscnts çõs s bnfíci vism ssci5. pcint nunc sã fútis. As mdis cui cnfrt básic, xpls limntçã, cuis hidrtçã pm sr cntrl nmins r sã mdis cnfrt, ms pm sr chms fútis9. chnc Assim, sr mdis ficzs, fútis sã imprtn ls númr bixíssim vzs sã utilizs. Pr xpl, quimitrpi pr cs spcífic pcint trminl.

4 Étic utnási Olivir HB t lii Ms Dss frm, mrt? sri Est intrssnt cncit cncitur inntnt mrt: sciculturis? mdic u v sr cntxtuliz ntr vriávis Mrt, sn sgun cssr irrvrsívl Küblr-Rss4, funcinmnt p sr fini ts s cluls, tcis órgãs; flux spntân sngu; ts s fluís, funcinmnt incluin crçã r (últim pulmõs; suspir) funcinmnt funcinmnt spntân spntân t crçã crbr, pulmõs; incluin prçõs trnc suprirs crbrl; crbr funcinmnt (ncórtx); plt funcinmnt s crprl qus cnsciênci. plt ncórtx; cpci b O clr xcssiv númr sã finiçõs finiçõs purmnt mrt mdics, já ix, invitávis pr cnsqüênci, muit rlvnts. implicçõs mris lgis sã mrrr Sgun ssssint; Firbim10, í mtr pr lg utnási sj suicídi prcisr tr crctrístic vnt u própri A utnási indivídu u suicídi mrrrá ssisti trvs v sss sr stins prátics. dirigis bnficir pl indivídu própri indivídu, mrr tnt v n tp sr spr snt pr rintçã ntcip qulr pr- spci. bs Esss n piniã prátics trcirs pm sr impsts sri mlhr pss ls l mrrss; stã pts pm r sr prtics piniã rspit rlçã s, ns plnjrm circunstâncis ntcipmnt tuis, gstrim sus mrrr sjs, cs surjm sss circunstâncis. si, Tnt pss n sj cs prtn suicídi mrrr n tm cs inicitiv utná- pr grlmnt plnjr sã fits cncrtizr ntr sss mrt. dus As frms distinçõs sã cnsirs, trvs s tmbm mis pls pnt quis cncrtiz vist lgl, mrt, prt, st ist, m físic sfr mntl glp ftl, s ncntr, prt, pss trvs mrr u sj mrrr. l, A utnási prtir At prmiti Suicídi lglmnt. 1961, Pr utr lit criminl tr u tntr tr suicídi. Entrtnt, incitr) lg At suicir-s. trn ilgl ssistir (u jur J Vsc Br 2003, Vl. 2, Nº3 281 g Enqunt pr rfrir-s trm lg suicídi mrr grlmnt cnsqüênci us, su própri grl, çã pr intncinl, rfrir-s mrt trm utnási pr- cnsqüênci çõs prtics pr trcirs. cntc intnçã Assim, sgun pss Firbim10, t prcr difrnç frm stá n cncrtizr su própri mrt n signific pr l t mrt, qun prtic suicídi. A utnási A tuçã n mdic prspctiv mvi bitic cípis mris: prsrvçã pr vi is grns lívi prin- sfrimnt. Esss is princípis plntm-s mir prt s vzs. Entrtnt, trmins vlcr situçõs, pm sbr trnr-s utr. ntgônics, S fr stblci vn pr- princípi vi, inpnntnt básic ptr-s spr situçã, pl prsrvçã tlvz, tl titu, str ngn ft pr-s-á, vi finit. Cm cnhci, xist mmnt vluçã ch spr nç nturl, vn mrt trn-s n pn sf- bti. Assim, n pcint pssívl sr slv, sr plicçã s princípis mrl v sr put n prsrvçã n tp mrt vi, nqunt invitávl,, tuçã n pcint mdic, stá pnt vist mrl, v pririzr lívi sfrimnt. -mlficênci, A plicçã s utnmi princípis justiç tics v bnficênci, z n sqüênci priris. Dss frm, sr rli- imprtnt bsrvr s princípis bnficênci nmi -mlficênci justiç. sã priritáris sbr s ut- Cnclusã tã ntig Pr s qunt studiss própri ssunt, vi sci. utnási Sgun prátic firmm, vm ts n Grci mrt ntig, srn, Pltã liminçã Sócrts já dvg- vi pr vitr mis sfrimnt pss nt, própri nfrm, irrvrsívl, pssn s ncntr pr trrívis dint rs qudr sfrimnts. clínic Expls psss tis diss, n pls tuli, mlstis srim AIDS s css câncr, mis rspn sts mdicçã trminis, qun spcífic. rgnism s

5 282 J Vsc Br 2003, Vl. 2, Nº3 gic N mdicin, fn pr lglizçã crrnt utnási, filsófic-sciló- situçõs clínics pcint sj xist ntcipçã mrt, n, n st sfrimnt, dvgm súplic ss ts, só: mt-m, ntcipçã pr fvr!. mrt Pr só s spci tnri digni s intrsss ri ftivi pcint princípi mrrr uttrminçã N blc pss cntrári, cidir sbr su s própri cit mrt. idi discussã sbr utnási, stá grn sr jurídic miri s supr, psss sustntr vr tnt vi Est hn b mdic prsrvá-l qulr cust, vitn-s, ssim, risc. psss Evntuis sjm dirits mrts pcint clcs stã, situçã vzs, subrdins s intrsss Est, muits g çã ts s mdis visn prlngmnt vnt. O vi mdic, nt, su turn, t msm pr stõs cntr tics, su brir v mi ssistir ncssári pcint, su frncn-lh subsistênci. t qul- utnási, Qun prt-s crrnt princípi mldiç ts, instituiçã indistintmnt, prtgr strim s pbrs, imbuís vlhs, vr s ficints ncssi ls psss nts prim str situçã ts hspitl vulnrbili qulr. Evitr-s-i, tnt n lr tmbm, ntr sss psss t s puss prssõs sr psiclógics vítims indifrnç, finncirs, lvn-s prcnci- pôr fim s sus própris vis. si pri Lng cnstituir, trnr-s t msm, instituiçã n lgl, spci utná- mpr pr prátic inúmrs suicídis,, pr plnjs, dizr, pr crrênci, pcint tmbm, pri muit hmicídis induzi mrt, sbrtu l tntr b lg sr hrnç, A stã pr xpl. sóci-jurídic, sri, institucinlizçã plêmic plx. utnási N trri visã mis tnts prbls siguls, sluçõs. tnt plxi N sci nss, instituir-s prátic utnási sri tri pn mrt, muit já mis st grv pn frmlizçã implntçã prcss lgl, cusçã fs, nqunt l u, pnri induzi u pns, vnt liminr pss, própri suici vi. Rfrêncis 1. Abrã BS. Históri Filsfi. Pul: Nv Culturl; Mrus Mrin E. TA. O Utpi. Hm Mrt. Pul: Atn; Ri Jnir: Küblw-Rs E. T liv until w sy gd-by. Img; Nw Prntic Hll Prss; Yrk: 5. Gldim [sit n Jr. Eutnási. Intrnt]. Núcl Dispnívl Intrinstitucinl : URL:http:// Bitic 6. Nukmp F. Z Prbl Acss: r 21 Euthnsi. gst Brlim: Grichtssl; Dr 7. Mrczwski Dcisins. St. AS. Luis: Mrl Pp Rspnsibility Jhn Cntr; in Prlnging Lif 8. Küblr-Rss Fnts; E. Sbr Mrt Mrrr. Pul: Mrtins 9. Schnirmn Ptints nd Futil LJ, Jckr Trtmnt. NS. Wrng Bltimr: Mdicin: Jhns Hpkins; Dctrs, 10. Firbim Étic GJ. Dn Rflxõs Pssl. Trn Pul: Suicídi: Pulus; A Lingug Liturs rns Aguir, Pul: R. A Hnis; Bitic Dirit: Sbrs p s Intrpntrm. Aristótls. Xxxiii, 3ª d. A Étic Pul: Nicômc. Atn; Biblitc Clássic,Vl. Asú di pr J. Encrinlgi Cmpsión. Mntvi: y Drch Pnl: Imprnt Eutnási Ncinl; y Hmicí- Lprgnur H. Lugr Atul Mrt. Pul: Ediçõs Pulins; Mcg G Ethics 2000;9(3). Ethicl Issus in Enhncnt. Cmb Q Hlthc Nguir Olivir F. PL. Bitic: Em Dfs Um Fc Vi. Cini. Pul: Sriv; Mrn, Pul: Pssini c. L, Pul: Brchifntin Pulus; C. D Pul Funmnts Biti- Pssini Pttr VR. L. Mrrr Plstr prsnt Digni. ví Pul: n Sntuári; IV Cngrss Mundil Txt Bitic. public Tóqui/Jpã: O Mun 4 D Sú 7 nvbr 1998;22(6). Ry-Villnv Zrgz: L Acmi; RM. Cncpt y Dfinición l Eutnási. Vlls ALM. O Qu Étic. Pul: Brsilins; Crrspndênci: Dr. Ru Hribrt Lpldin, Brit 72/304 Olivir CEP Tl.: (31) Bl Hriznt - MG E-mil: Étic utnási Olivir HB t lii

Apenas 5% dos Brasileiros sabem falar Inglês

Apenas 5% dos Brasileiros sabem falar Inglês Apns 5% ds Brsilirs sb flr Inglês D crd cm um lvntmnt fit pl British Cncil pns 5% d ppulçã sb fl r Dvs lbrr stms épcs pré-vnts sprtivs s lhs d mund td cmçm s vltr cd vz mis pr Brsil pr iss nã bst dminr

Leia mais

São Paulo capta a maior parte dos fluxos aéreos, como mostra zona de influência potencial, regional, local dos aeroportos do Rio de Janeiro, vis-àvis

São Paulo capta a maior parte dos fluxos aéreos, como mostra zona de influência potencial, regional, local dos aeroportos do Rio de Janeiro, vis-àvis Sã Pul cpt mir prt s fluxs rs, cm mstr zn influênci ptncil, rginl, lcl s rprts Ri Jnir, vis-vis principis rprts vizinhs - Sã Pul, Mins Gris Espírit Snt 148 Sã ftrs strtgics ligs rprts n snvlvimnt rginl

Leia mais

Alteração da seqüência de execução de instruções

Alteração da seqüência de execução de instruções Iníci Busc d próxim Excut Prd Cicl busc Cicl xcuçã Prgrm Sqüênci instruçõs m mmóri Trdutr : Cmpilr X Intrprtr / Linkditr Cnvrt prgrm-fnt m prgrm bjt (lingugm máqui) Prgrm cmpil = mis rápi Prgrm Intrprt

Leia mais

Normalmente TI. padarias. Além. dormitórios. Assistência. Temos. Por. Nos. região. Nas

Normalmente TI. padarias. Além. dormitórios. Assistência. Temos. Por. Nos. região. Nas Aprsntçã Instlçõs ds A l A Nrmlmnt A Além sc Filipins. ds sgur mis lugr Cbu trnnd td, tmp sgurnç ficiis prsnç cm cnt rgiã diss, pdris. tips váris Strbucks Dnld's, Mc cm 24hrs ljs tmbém váris prt pr Tms

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

+ fotos e ilustrações técnicas de outras usinas

+ fotos e ilustrações técnicas de outras usinas Imgns problms mbintis no sul Snt Ctrin, corrnts s tivis minrção crvão, su lvgm su uso m usin trmlétric + fotos ilustrçõs técnics outrs usins Fotos fits por Oswl Svá ntr 1992 2001, durnt visits fits juntmnt

Leia mais

A Revolução da Longevidade: impacto na sociedade, na família e no indivíduo1

A Revolução da Longevidade: impacto na sociedade, na família e no indivíduo1 A Rvluçã d Lngvid: impct n scid, n fmíli n indivídu1 Ursul Lhr2 Rs A plstr mnstr s mudnçs mgráfics (lt xpcttiv vid, nt rápi grup ds pss iss), trzn ds d Almnh Singpur, nlisn impct sts ltrçõs d strutur ppulcinl

Leia mais

Como se tornar fluente em Inglês em todas as áreas

Como se tornar fluente em Inglês em todas as áreas Cm s trnar flunt m Inglês m tdas as áras Tds s dias rcbms muits -mails pssas rm sabr pm fazr aprnr a falar ingls bm A fórmula xist sim funcina! Qur prvar iss dand minha própria xpriência cm aprndizad da

Leia mais

Definição e Criação de Molduras

Definição e Criação de Molduras TQS - Mldur Escrit pr Eng. Cmil Ferreir Seg, 20 Mi 2013 09:47 - Ness mensg rei lg dic crir nv mldur pltg n TQS. Ain nesse mesm text, lbrrei ts sbre recurs interessnte p uxiliá-ls criçã crimbs (u sels)

Leia mais

Fabiano Gontijo. fgontijo@hotmail.com. Graduada em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Fabiano Gontijo. fgontijo@hotmail.com. Graduada em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro UZIEL, Ann Pul. Rio Homossxulid Jniro: Grmond, ção. 2007. Fbino Gontijo Doutor m Antropologi m pl Scincs Écol s Socils Huts Frnç. Étus Profssor Adjunto Bolsist Antropologi Produtivid d m Univrsid Psquis

Leia mais

Turma 2. Especialização em SAÚDE DA UNA - SUS FAMÍLIA. Universidade Aberta do SUS. Unidades de Conteúdo

Turma 2. Especialização em SAÚDE DA UNA - SUS FAMÍLIA. Universidade Aberta do SUS. Unidades de Conteúdo Espcilizçã m SAÚDE DA FAMÍLIA Turm 2 UNA - SUS Univrsi Abrt SUS Unis Cntú Scrtri Gstã Trblh Eucçã m Sú (SGTES) Scrtári: Mzrt Júli Tbs Sls Dprtmnt Gstã Eucçã m Sú (DEGES) Dirtr: Mônic Smpi Crvlh Scrtri

Leia mais

O ENSINO DA LÍNGUA ALEMÃ NO SUL DO BRASIL

O ENSINO DA LÍNGUA ALEMÃ NO SUL DO BRASIL O ENSINO DA LÍNGUA ALEMÃ NO SUL DO BRASIL Diys Knyl Fssil1 RESUMO: Nst rtig, tnt-s discutir situçã linguístic à qul s imigrnts scnnts imigrnts lãs frm /u sã submtis, qui, n Brsil. Qustin-s qul é qudr jurídic

Leia mais

COLEÇÃO LEGISLAÇÃO Atualizações Online

COLEÇÃO LEGISLAÇÃO Atualizações Online COLEÇÃO LEGISLAÇÃO Atulizçõs Onlin rquê s tulizçõs s livrs d COLEÇÃO LEGISLAÇÃO? N pnrm lgisltiv ncinl é frnt publicçã nvs diplms lgis, rgulrmnt, ltrm utrs diplms, s quis stã muits vzs incluís ns cmpilçõs

Leia mais

Eu só quero um xodó. Música na escola: exercício 14

Eu só quero um xodó. Música na escola: exercício 14 Eu só qu u xdó Músic n scl: xcíci 14 Eu só qu u xdó Ptitus Mi, hni lt Aut: Dinguinhs stáci Rgiã: Pnbuc : 1973 Fix: 14 Anj: Edsn Jsé Alvs Músics: Edsn Jsé Alvs vilã Pvt clints, sx t Jsé Alvs Sbinh Zzinh

Leia mais

TEMA 5 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. saudável? Luísa, 15 anos

TEMA 5 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. saudável? Luísa, 15 anos 2º/3º cicl s O Ã Ç T N E M I d pguns u m mu um p z pdms f ps O qu sudávl? blnç d i c n c id p Sá d p d n cm p, ic mbém é g á s n v ic. Dsc ís f m f civ b id v m u i d lóics. c s impânc s g õs sb ç n s

Leia mais

providências. parágrafos da Resolução nº 38, de 16 de julho de 2009, do

providências. parágrafos da Resolução nº 38, de 16 de julho de 2009, do LEI Nº 181/2010 Dispõ sbr Municipl quçã 051/2006 d Li 14, gst 2006, qu trt sbr Cnslh Municipl Alimntçã Esclr CMAE, s dispsiçõs d Li Frl junh 2009 MEC/FNDE/DAE-CD julh 11.947, 38, 2009, 16 Rsluçã dá 16

Leia mais

Sem a tua pedra a minha não construirá nada. ATIV. Coordenado por. alguns dias d u r a n t e o m ê s, o que é s u f i c i e n t e

Sem a tua pedra a minha não construirá nada. ATIV. Coordenado por. alguns dias d u r a n t e o m ê s, o que é s u f i c i e n t e Sm tu pdr minh nã cnstruirá n. B L E T I M CHRLES-HENR! BRBIER TIV N. 60 S E T E M B R, 1958 Crn pr Rcçã dministrçã NTÓNS Lrg Pz, 22- Lisb SÉRGÍ DISTRIBUIÇÃ á i v i 4 t â - principl: Embr n ã cnhç mvimnt

Leia mais

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte Vi vijr pr? Situ-s com nosss dics roportos trns mtrôs Chgd m Avião: Aroporto Hthrow: Situdo crc 20 km ost um dos mis movim ntdos d Europ possui cinco trminis Dpois pssr pls formlids imigrção pgr su bggm

Leia mais

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete,

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete, Cpítul 3 N ã p! Abu! On já viu? Et qu é n! Cê minh mã? Qun mnin chgm p jg nqul ming, qu ncntm? Um gup mnin. D cmit, têni, clçã muit ipiçã. E g? Afinl, qum tinh ti qul ii mluc? D qun vcê gtm futl? pguntu

Leia mais

Credenciamento de Bancos Múltiplos

Credenciamento de Bancos Múltiplos Crncimnt Bncs Múltipls mrn invr gstã ptncil cnômic-finncir d Flh Pgmnt Exrcit Brsilir. Gn Bd Ricr Mrqus Figuir Dirtr bstcimnt Exrcit Tn Cl Js Eustáqui S. Mrgtt ssssr Lgístic d Dirtri bstcimnt fnt rcits,

Leia mais

Configuração do vínculo empregatício do diarista um estudo de caso no âmbito do TRT da 17ª Região *

Configuração do vínculo empregatício do diarista um estudo de caso no âmbito do TRT da 17ª Região * Rvist Jurídic mtr - 17ª Rgiã Cnfigurçã víncul prgtíci dirist stu cs n âmbit TRT 17ª Rgiã * Klbr Crtltti Prir** 56 1. INTRODUÇÃO t O vist trblh mtril, spr r fi pnt ncssi vist psiclógic sr hn, u scilógic.

Leia mais

Lista de Exercícios 4 Cálculo I

Lista de Exercícios 4 Cálculo I Lista d Ercícis 4 Cálcul I Ercíci 5 página : Dtrmin as assínttas vrticais hrizntais (s istirm) intrprt s rsultads ncntrads rlacinand-s cm cmprtamnt da funçã: + a) f ( ) = Ants d cmçar a calcular s its

Leia mais

Paulo Honório versus Madalena: um casamento conflituoso

Paulo Honório versus Madalena: um casamento conflituoso 88 Pul Hnóri vrsus Mln: csmnt cnflitus Mrcs Himi Lim* ft-s Rs:Nst lgs rtig cnsirçõs sbr rmnc sbr S. rltiv Brnrd vigr (1934), rm Grcilin ptrircl Rms, dispunh ns primirs décs d sécul XX, xplificd pl bt ntr

Leia mais

9. MODELAGEM DE CONVERSORES: MODELO DA CHAVE PWM

9. MODELAGEM DE CONVERSORES: MODELO DA CHAVE PWM Fns Chs C. 9 Mlgm nrsrs: ml h PWM J. A. Pml 9. MOEAGEM E CONERSORES: MOEO A CHAE PWM As lgs báss nrsrs CCCC ssum um h nrl ur nãnrl sss lmns lnrs nrns n m. A njun ss us hs r nm h PWM [9.]. O bj ns íul é

Leia mais

Hino da CF 2010 ====================== & 2 C. ci - por ======================= ˆ ˆ ˆ ˆ««« ˆ ˆ« ====================== & œ ««« mui - to

Hino da CF 2010 ====================== & 2 C. ci - por ======================= ˆ ˆ ˆ ˆ««« ˆ ˆ« ====================== & œ ««« mui - to œ ====================== & 2 4 Œ = Rfr.: J sus ci v pr pri mi r um Ri n d jus ti ç_ sus v rs: "Vós nã p s ====================== & = us nhi r mui t gr & 2. j j { nh rs." "Vós nã p nh rs." dr Vz d_um s

Leia mais

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7 1) É tã bnit n tr (ntrd) cminh cm Jesus (Miss d Temp mum cm crinçs) & 2 4 m œ É tã b ni t n_ tr me s s gr d, & œ t h brn c, ve ce s. & _ Mis s vi c me çr n ns s_i gre j; _u & j im c ris ti cm e gri, v

Leia mais

OLETIM COOPERATIVISTA

OLETIM COOPERATIVISTA CPERTIVISM É DE I N I C I T I V PPULR E M T U D. TD ELE É EDIFICD PEL CTIVIDDE DS CIDDÃS LETIM CPERTIVIST R E D C Ç Ã Ru Cruzir. E CRDEND D M I N I S T R Ç Ã : 1 - Tlf. NTÓNI 63 26 49 - L i s b - 3 N.

Leia mais

Código PE-ACSH-2. Título:

Código PE-ACSH-2. Título: CISI Ctro Itrção Srvços Iformtc rão Excução Atv Itr o CISI Cóo Emto por: Grêc o Stor 1. Objtvo cmpo plcção Est ocumto tm como fl fr o prão brtur chmos suport o CISI. A brtur chmos é rlz o sstm hlpsk, qu

Leia mais

Estimativas dos impactos das mudanças climáticas nos zoneamentos da cultura da banana e da maçã no Estado de Santa Catarina

Estimativas dos impactos das mudanças climáticas nos zoneamentos da cultura da banana e da maçã no Estado de Santa Catarina Estimtivs s impcts s munçs climátics s znmnts cultur bnn mçã Est Snt Ctrin Cristin Pnlf1, Luiz Alb Hmms2, Cláudi Cmrg3, Angl Mns Mssignm4, Emnul Sl Prir Pint5 Mriln Lim6 qustã mátics t s munçs si discuti

Leia mais

Formação de professores na América: notas sobre

Formação de professores na América: notas sobre Nrms rtig Pr Submissã Artig Frmçã prfssrs Améric: nts sbr históri Brsilir Nrms cmpr Técnics (ABNT) s mis ducçã instruçõs ditriis. n sécul XX rtig submtis Rvist "Frmçã srã prcis pl Cnslh Excutiv qunt prtinênci

Leia mais

Borboletas da vida. Direção de Vagner de Almeida. Rio de Janeiro: Abia, 2004, 38 min.

Borboletas da vida. Direção de Vagner de Almeida. Rio de Janeiro: Abia, 2004, 38 min. Borbolts d vid. Dirção Vgnr Almid. Rio Jniro: Abi, 2004, 38 min. BASTA um di. Dirção Vgnr Almid. Rio Jniro: Abi, 2006, 55min. Brnic Bnto Univrsid Doutor m Brclon. Sociologi Autor pl Univrsid s livr A Rinvnção

Leia mais

CLIPPING. Destaques: Nesta edição: Superintendência de Comunicação Integrada. Transparência em tempo real - p. 01

CLIPPING. Destaques: Nesta edição: Superintendência de Comunicação Integrada. Transparência em tempo real - p. 01 ANO XXII 54 21/03/2014 Suprintndênci Cmunicçã Intgrd CLIPPING Nst diçã: Clipping Grl Prcn-MG Infânic Juvntu Mi Ambint Tráfic bus Drgs Dsts: Trnsprênci tp rl - p. 01 Nélsn Hungri, nm prsídi - p. p. 24 Minrr

Leia mais

PROFESSORA ======================= & ˆ«======================= & «G Emˆ_ «ˆ«j ˆ«

PROFESSORA ======================= & ˆ«======================= & «G Emˆ_ «ˆ«j ˆ« PROSSOR L M: Trz d átim R. rvh & # m _ Ó Œ bm cm c ri nh n si & # Ó Œ du c tm _ bém. Ns s n, qu ri ri n t, d, ju v cê tm d ns & # 2 4 _ V cê é u m grn d mi g pr fs s r qu ri d qu ns qur tn t ms tr ns s

Leia mais

Associação de Resistores e Resistência Equivalente

Associação de Resistores e Resistência Equivalente Associção d sistors sistêci Equivlt. Itrodução A ális projto d circuitos rqurm m muitos csos dtrmição d rsistêci quivlt prtir d dois trmiis quisqur do circuito. Além disso, pod-s um séri d csos práticos

Leia mais

ORION 6. Segunda Porta USB. Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda.

ORION 6. Segunda Porta USB. Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. ORION 6 Sgun Port USB Hnry Equipmntos Eltrônios Sistms Lt. Ru Rio Piquiri, 400 - Jrim Wissópolis Cóigo Postl: 83.322-010 Pinhis - Prná - Brsil Fon: +55 41 3661-0100 INTRODUÇÃO: Pr orrto unionmnto, é nssário

Leia mais

CASA DE DAVI CD VOLTARÁ PARA REINAR 1. DEUS, TU ÉS MEU DEUS. E B C#m A DEUS, TU ÉS MEU DEUS E SENHOR DA TERRA

CASA DE DAVI CD VOLTARÁ PARA REINAR 1. DEUS, TU ÉS MEU DEUS. E B C#m A DEUS, TU ÉS MEU DEUS E SENHOR DA TERRA S VI VOLTRÁ PR RINR 1. US, TU ÉS MU US #m US, TU ÉS MU US SNHOR TRR ÉUS MR U T LOUVRI #m SM TI NÃO POSSO VIVR M HGO TI OM LGRI MOR NST NOV NÇÃO #m #m OH...OH...OH LVNTO MINH VOZ #m LVNTO MINHS MÃOS #m

Leia mais

Instituto de Pesquisa Económico Aplicada (IPEA)

Instituto de Pesquisa Económico Aplicada (IPEA) Emprgs n Brsil ririds lítics Escritri d Bnc Mundil n Brsil Rgiã d Améric Ltin Crib Institut squis Ecnómic Aplicd (IEA) Vic rsint LCR: Dirtr LCC5C: Dirtr LCSHD: Ecnmist rincipl: Lír d Equip: Dvid Frrnti

Leia mais

Políticas públicas de saúde: Sistema Único de Saúde

Políticas públicas de saúde: Sistema Único de Saúde Plítics públics sú: Sistm Únic Sú Dnizi Olivir Ris, Elin Crs Arúj Luiz Crls Olivir Ccíli Sumári Aprsntçã 2 Os impsss u ificuls SUS 13 O Pct pl Sú (buscn sís pr s prblms impsss) 16 Rfrêncis 17 2 Plítics

Leia mais

PADRE JÚLIO MARIA DE LOMBAERDE

PADRE JÚLIO MARIA DE LOMBAERDE Históri Escrit pr scrmn Sg, 20 Junh 2011 17:22 - Últim tulizçã Tr, 30 gst 2011 18:44 PDRE JÚLI MRI DE LMBERDE Nscu di 7 Jnir 1878 n li Bvrn, municípi Wrgm n Bélgic. Fi btiz di 8 jnir, prssdmnt, pis nscu

Leia mais

CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES

CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES Luiz Frncisco d Cruz Drtmnto d Mtmátic Uns/Buru CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES O lno, tmbém chmdo d R, ond R RR {(,)/, R}, ou sj, o roduto crtsino d R or R, é o conjunto d todos os rs ordndos (,), R El

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO: O PLANEJAMENTO. Prof. Dr. Roberto Valdés Puentes

ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO: O PLANEJAMENTO. Prof. Dr. Roberto Valdés Puentes ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO: O PLANEJAMENTO Prf. Dr. Rbr Vdés Pus PPGED/FACED/UFU rbrpus@fcd.ufu.br MOMENTOS DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO

Leia mais

População sofre com a falta de esgoto

População sofre com a falta de esgoto Jrnl Gurpuv, mi 2009 An 5 Ediçã 4 Ppulçã sfr cm flt sgt Gbril Jcubski Jrdim s Amrics Hj, mis 40.000 psss vivm sm r sgt m Gurpuv, mis 4.000 smnt n birr Jrdim s Amrics. p. 08 09 Prfitur x Snpr Entn pr Prfitur

Leia mais

Cúpula de Santa Maria das Flores de Bruneleschi. "Cobre com sua sombra toda a Toscana." Alberti. 4 - Revista do Mestrado em Educação - UFMS

Cúpula de Santa Maria das Flores de Bruneleschi. Cobre com sua sombra toda a Toscana. Alberti. 4 - Revista do Mestrado em Educação - UFMS nrizs s scrits m Plicin su sr históric-tmprl, su prpst pdgógic, ist, n nst mun stu, bjtul sã rts m qu frm cncbis. pdggi prpst lic cnstruíd ds m mis cim bl sptácul três cluns ds bsilrs: ciss; lgs nturz

Leia mais

prático, o balconista, o professor, o industrial, 43 anos informa e atualiza sobre os Procuramos ser úteis a colaborando você nos incentiva ã

prático, o balconista, o professor, o industrial, 43 anos informa e atualiza sobre os Procuramos ser úteis a colaborando você nos incentiva ã ANO XUV N. 517 A GAZETA Um ^trnir smpr tm águ nã prcup ninguém. O di m nã funcin é um trgédi s lh dá vlr mrc. Assim é su jrnl, há d MAO DE 1975 Nss gm litrs é muit divrsificd. Dntr d frmáci st frmcêutic,

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

Violento. Presa das chamas a casa de residência do sr. Romano Guerra

Violento. Presa das chamas a casa de residência do sr. Romano Guerra Orgrsim. Oficil Mu._iicl_Dl IP. _=_. I_i"fc>rl ANQ 1 Dirtr d rdçft: CARLOS L. VALDEZ R. G. do Sul - CXÍS, 6 JulllO 1933 Grnt: EMÍLIO 1'OMM N. 21 ARETINOS; CALEM-SE! Psitivmnt nã h ngr; s hmns nscrm bix

Leia mais

Rapaz vai atrás de ladrões e é executado

Rapaz vai atrás de ladrões e é executado DIVINÓPOLIS, SÁBADO DIRETOR: PEDRO MAGALHÃES DE FARIA E DOMINGO, 26 E 27 DE SETEMBRO WWW.JORNALAGORA.INFO DE 2015 ANO XLIV R$ 2,50 Nº 11.644 POLÍCIA Rpz vi trás ldrõs xcut Crim crri ntm mrc 27º hmicídi

Leia mais

A atual relevância do ensino do inglês jurídico nos cursos de graduação em Direito

A atual relevância do ensino do inglês jurídico nos cursos de graduação em Direito A tul rlvânci nsino nos cursos grdução m Brv rflxão crc d ncssid s pssr lcionr o nos cursos grdução m sort mlhor prprr os futuros profissionis r pr o xrcício d dvocci mgistrtur promotori Cro migo litor:

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO MICHELE SANTOS DA SILVA ORIENTADOR: ------------------

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO MICHELE SANTOS DA SILVA ORIENTADOR: ------------------ UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO MICHELE SANTOS DA SILVA ORIENTADOR: ------------------ EDUCADOR E RÁDIO: APONTAMENTOS DESSA RELAÇÃO EM UMA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CONTRIBUIÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL (SGE) À EFETIVAÇÃO DA ESTRATÉGIA

Leia mais

1 A ELE A GLÓRIA 2 AINDA QUE A FIGUEIRA 3 AO ERGUERMOS 4 ATRAI O MEU CORAÇÃO 5 DEUS É BOM 6 EM ESPÍRITO, EM VERDADE 7 EM TODO TEMPO 8 EU TE QUERO

1 A ELE A GLÓRIA 2 AINDA QUE A FIGUEIRA 3 AO ERGUERMOS 4 ATRAI O MEU CORAÇÃO 5 DEUS É BOM 6 EM ESPÍRITO, EM VERDADE 7 EM TODO TEMPO 8 EU TE QUERO 1 L GLÓRI 2 IND QU FIGUIR 3 O RGURMOS 4 TRI O MU CORÇÃO 5 DUS É OM 6 M SPÍRITO, M VRDD 7 M TODO TMPO 8 U T QURO 9 LOUV 10 LOUV TI 11 MIS QU UM MIGO 12 M DLITO M TI 13 ND LÉM DO SNGU 14 O LÃO D TRIO D JUDÁ

Leia mais

EXMA. SRA. DRA. JUIZA DE DIREITO DA ia VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA CAPITALJOICV

EXMA. SRA. DRA. JUIZA DE DIREITO DA ia VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA CAPITALJOICV s GUSTAVO HENRIQUE SAUER DE ARRUDA PINTO ADVOGADO EXMA. SRA. DRA. JUIZA DE DIREITO DA i VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA CAPITALJOICV -4 ' c ri r O -4 ' -4 t-3 PROCESSO N 1003345-80.2002.8.26.0100

Leia mais

CD CORAÇÃO DA NOIVA - 1. O SENHOR É BOM INTR:E D A/C# C7+ B E D A/C# O SENHOR É BOM C7+ B E SEU AMOR DURA PARA SEMPRE ELE É BOM...

CD CORAÇÃO DA NOIVA - 1. O SENHOR É BOM INTR:E D A/C# C7+ B E D A/C# O SENHOR É BOM C7+ B E SEU AMOR DURA PARA SEMPRE ELE É BOM... C CORÇÃO NOIV - 1. O SNHOR É OM INTR: /C# C7+ /C# O SNHOR É OM C7+ SU MOR UR PR SMPR L É OM... Letra e Música: avi Silva C CORÇÃO NOIV - 2. SNTO É O TU NOM M TO TRR S OUVIRÁ UM NOVO SOM UM CNÇÃO MOR PRCORRRÁ

Leia mais

P R Ó L O G O. Ele estava sentado em uma mesa no centro do salão, obviamente. M377-01(Ficção Estrangeira).p65 9

P R Ó L O G O. Ele estava sentado em uma mesa no centro do salão, obviamente. M377-01(Ficção Estrangeira).p65 9 P R Ó L O G O r só ppl séri TV, pns prtmnt E qunt mis côm s cnts, Nv stvm Yrk. ficn Ms ppéis difícis qulr ncntrr, tip, té msm Ls Angls ts cnhcim vlr pid-àtrr s ppéis Nv ficilizçã Yrk. Além diss, divórci.

Leia mais

Para Vik Lovell, do cuco.

Para Vik Lovell, do cuco. Pr Vik Lvll, m pis diss m lvu s drgõs té sus tcs. xistim, n...n flw flw vr st, th cuck s n flw nst. * wst, Cntig ppulr rd *... vu lst, vu st, vu pr cim d ninh d cuc. UM ESTRANHO NO NINHO.p65 5 UM ESTRANHO

Leia mais

Turismo Fotografia Mergulho Técnico Naufrágios Cavernas Equipamentos Meio Ambiente Novidades PUBLICIDADE 2014

Turismo Fotografia Mergulho Técnico Naufrágios Cavernas Equipamentos Meio Ambiente Novidades PUBLICIDADE 2014 Turi Ftgrfi Mrgulh Técnic Nufrági Cvrn Equipnt Mi Abint Nvidd PUBLICIDADE 2014 2014 Objtiv ditrii d rvit: A rvit t bjtiv d trr públic rvilh d fund d r, nfcnd pct cini frind iprtânci d cnrvçã bintl. Vi

Leia mais

RESOLUÇÕES DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO E DESPACHOS DE PROCESSOS

RESOLUÇÕES DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO E DESPACHOS DE PROCESSOS Dlibrçõs ANÚNCIOS ANÚNCIOS, AVISOS, EDITAIS E NOTICIÁRIO Anúncis brtur prcdimnt N.s 0/04/DCEP 03/04/DCEP 0/04/DCEP, pág. 094 ASSEMBLEIA RESOLUÇÕES DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO E DESPACHOS DE PROCESSOS Nt: Julh

Leia mais

II L ATA N. 19/XIV. Conselheiro Fernando da Costa Soares.

II L ATA N. 19/XIV. Conselheiro Fernando da Costa Soares. jf II L Comissão Ncionl Eliçõs ATA N. 19/XIV Tv lugr no di vint qutro jniro dois mil doz, sssão númro znov d Comissão Ncionl Eliçõs, n sl runiõs sit n Av. D. Crlos 1, n. 128 7. ndr, m Lisbo, sob prsidênci

Leia mais

COOPERATIVO E COORDENADOR. dense; em 1957, levou-se a efeito o I F e s t i v a l Cooperativo, na q u i n t a da Cooperativa

COOPERATIVO E COORDENADOR. dense; em 1957, levou-se a efeito o I F e s t i v a l Cooperativo, na q u i n t a da Cooperativa BOLETIM Espr firmnt sbrã tingir cprtivism vitóri frtrnid sbr dr lut ntr s hmns. JAMES P. WARBASSE COOPERATIVISTA COORNADO REDACÇÃO E ADMINISTRAÇÃO LARGO DA PAZ, 22-A LISBOA ANTÓNIO POR N. 68 - As próxims

Leia mais

adaptativa indispensável. indispensable. 4 - Revista do Mestrado em Educação - UFMS

adaptativa indispensável. indispensable. 4 - Revista do Mestrado em Educação - UFMS Winnictt) Tmnd psicnális instrnt, (Lplnch, "stil Blichmr, instruíd Mzn, Mijll, psquis" Kës, Gy), utr s pr cm ss pç funmntl d dispsitiv (Ptr duccinl mstrcuc. Inti mstr d prfssr su pixã ts frmr, pttiv fz

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

MATRIZES. Matriz é uma tabela de números formada por m linhas e n colunas. Dizemos que essa matriz tem ordem m x n (lê-se: m por n), com m, n N*

MATRIZES. Matriz é uma tabela de números formada por m linhas e n colunas. Dizemos que essa matriz tem ordem m x n (lê-se: m por n), com m, n N* MTRIZES DEFINIÇÃO: Mtriz é um tl d númros formd por m linhs n coluns. Dizmos qu ss mtriz tm ordm m n (lê-s: m por n), com m, n N* Grlmnt dispomos os lmntos d um mtriz ntr prêntss ou ntr colchts. m m m

Leia mais

Armazenamento de Sementes de Milho em Recipientes Reutilizáveis

Armazenamento de Sementes de Milho em Recipientes Reutilizáveis Arznnt d Snt d Milh Rcipint Rutilizávi Miz Sd Strg In Rubl Cntinr SANAZÁRIO, Ann Chritin 1. kinzri@yh.c.br; COELHO, Fábi Cunh 1. fclh@unf.br; VIEIRA, Hnriqu Durt 1. hnriqu@unf.br; RUBIM, RqulL Filh 1.

Leia mais

a posição de defensor dos interesses

a posição de defensor dos interesses BLETIM Mvimnt Cprtiv v firmmnt psiçã fnsr ds intrsss firmr d cnsidr. CPERTIVIST REDCÇÃ E DMINISTRÇÃ: R u d Cruzir. 1 - Tlf. 68 26 49 - Lisb 3 CRDEND NTÓNI PR SÉRGI PRPÓSIT DE UM NIVERSRI di 19 Dzmbr já

Leia mais

FUND. Empréstimo. Empréstimo Sabesprev Uma opção segura para seu sonho virar realidade

FUND. Empréstimo. Empréstimo Sabesprev Uma opção segura para seu sonho virar realidade An XX nº 77 nvmbr/zmbr 2011 FUND PET SHO P Empréstim Empréstim Sbsprv Um pçã sgur pr su snh virr rlid Sbsprv Entr s mlhrs plns sú d pís. Cbrnç Pglirini Mrls Advgds Asscids é cntrtd pr cbrr indimplnts.

Leia mais

Mapeamento Costeiro com Apoio de Imagens de Satélites THEOS

Mapeamento Costeiro com Apoio de Imagens de Satélites THEOS Mpmnt Cstr cm Ap d Imgns d Stélts THEOS 1 Glbrt Pssnh Rbr, glbrt.pssnh@gml.cm Artur Wllcx ds Snts, rturwllcx@gml.cm Ubrtn d Suz Ds Junr, ubrtn.ds.junr@gml.cm Agrdcmnts: Rbr Brn, Gfísc/UFF UNIFESP Ls Unvrsdd

Leia mais

VIBRAÇÃO NO NÚCLEO ESTATÓRICO DO GERADOR DA UG-05 DA USINA HIDRELÉTRICA ENGº. SÉRGIO MOTTA (PORTO PRIMAVERA) 1.0 INTRODUÇÃO

VIBRAÇÃO NO NÚCLEO ESTATÓRICO DO GERADOR DA UG-05 DA USINA HIDRELÉTRICA ENGº. SÉRGIO MOTTA (PORTO PRIMAVERA) 1.0 INTRODUÇÃO GGH/008 6 de Outubr de 00 Cmpins - Sã Pul - Brsil GRUPO I GRUPO DE ESTUDO DE GERAÇÃO HIDRÁULICA - GGH VIBRAÇÃO NO NÚCLEO ESTATÓRICO DO GERADOR DA UG-05 DA USINA HIDRELÉTRICA ENGº. SÉRGIO MOTTA (PORTO PRIMAVERA)

Leia mais

1. A Ortodontia como Especialidade da Medicina Dentária

1. A Ortodontia como Especialidade da Medicina Dentária Cntribut nsin spcili rtnti n FMDUP 31.Mi.2011 1. A Ortnti cm Espcili Mdicin Dntári Sgun Wrld Frtin f Orthntics (WFO), rtnti é fini cm " ár mdicin ntári s prcup cm suprvisã, rintçã crrcçã s struturs nt-fciis

Leia mais

UMA 11CON Q!) I STA TÃO D I LATADA''. A COROA PORTUGU E SA E A MIGRAÇÃO VOLU NTÁRIA PARA A AMAZÔN IA ( S É CULO XVI I)*

UMA 11CON Q!) I STA TÃO D I LATADA''. A COROA PORTUGU E SA E A MIGRAÇÃO VOLU NTÁRIA PARA A AMAZÔN IA ( S É CULO XVI I)* UMA 11CON Q!) I STA TÃO D I LATADA''. A COROA PORTUGU E SA E A MIGRAÇÃO VOLU NTÁRIA PARA A AMAZÔN IA ( S É CULO XVI I)* RAFAEL CHAMBOULEYRON** Dsd 1 (}40, pr cupçã m pvr s cnquists d Mrnhã Grã-Prá fizm

Leia mais

Questão 1. Questão 2. alternativa E. alternativa C

Questão 1. Questão 2. alternativa E. alternativa C Quesã Pedr iru mens de um cenen de fs d fes em cmemrçã seu niversári e quer clcá-ls ds num álbum de 0 págins. Em cd págin desse álbum cbem, n máxim, 0 fs. Inicilmene, Pedr enu clcr 6 fs em cd págin. A

Leia mais

IFC Câmpus Santa Rosa do Sul capacita 18 profissionais locais para elaboração do Cadastro Ambiental Rural CAR

IFC Câmpus Santa Rosa do Sul capacita 18 profissionais locais para elaboração do Cadastro Ambiental Rural CAR IFC Câmpus Snt Ros do Sul cpcit 18 profissionis locis pr lborção do Cstro Ambintl Rurl CAR No di 10 bril 2015, no Cntro Trinmnto Arrnguá (CETRAR), foi rlizdo um curso cpcitção profissionis rgião pr lborção

Leia mais

e-manual Premium FÍSICO-QUÍMICA 9.o ANO Experimente em espacoprofessor.pt

e-manual Premium FÍSICO-QUÍMICA 9.o ANO Experimente em espacoprofessor.pt FÍSICO-QUÍMICA 9. ANO Manual Tabla Priódica (frta a alun) Fichas (frta a alun) Apis Áudi (fichirs mp para dwnlad) Cadrn d Atividads (inclui Fichas d Labratóri) Cadrn d Labratóri Matriais Manipulávis Dssir

Leia mais

Mackenzie Voluntario. Caro apoiador, Redes sociais: 8668 de 30/11/1981), que atua em solo brasileiro há 141 anos.

Mackenzie Voluntario. Caro apoiador, Redes sociais: 8668 de 30/11/1981), que atua em solo brasileiro há 141 anos. C, O Mkz Vlá é m j sl Mkz, sm fs lvs (D º 8668 3/11/1981), q m sl bsl há 141 s. Iml m 24, m m l fl ssblz, mblz g s s ss gs, gss, lbs, fsss, ls, gs ls, fs, s, mgs fmls m mvm xmçã s ms q bgm s ss m, lém

Leia mais

turismo corporate negócio noronha roma seul garopaba brasília são lu gramado brasília são paulo recife natal tóquio lisboa rio de janeiro capadócia

turismo corporate negócio noronha roma seul garopaba brasília são lu gramado brasília são paulo recife natal tóquio lisboa rio de janeiro capadócia brlim sã l brlim santg rcif curi sul punta dl st rma sul nrnha r rcif rcif garpabacapa nrnha mntvidéu r barilch punta dl st mació sã paul mació sul capadóc r mnt SUPER sã l ngóci gramad turism FÉRIAS crprat

Leia mais

Letras^Artes. 9feí: sr -1 ^19. ''**>«?sh :. v/*í******* *** 1 fciüíi 1^^ I hsíi 991 9. ^ gfllflpv>/^.j' 'A-A^mW

Letras^Artes. 9feí: sr -1 ^19. ''**>«?sh :. v/*í******* *** 1 fciüíi 1^^ I hsíi 991 9. ^ gfllflpv>/^.j' 'A-A^mW Ltrs^Arts ANO 6. N. 222 I EAN Cssu, qu ns vi- trá prximmnt chfind lgçã frn-- ês à 1.** Binl S. Pul, cb publicr um livr in-. trssnt discutívl sbr rituçâ d rt mrn. Li-. vr intrssnt prqu td bt intlignt sbr

Leia mais

NOTICIAS. "Estas. "Pravda" conclui afirmando que o

NOTICIAS. Estas. Pravda conclui afirmando que o .» r JORNL DE NOTCS NO SO PULO - Dming, 6 dc Mrç dc 947 Td NUM. 279 nrt d Prgui sb dmini s trçs rbls Crts t cmunicçõs cm cpitl Cnfirm sã s frçs d Chc ting su pnt culminnt rvlt cntr Mrinig DUENOS RES, 4

Leia mais

Imagens de problemas ambientais nas minerações de ferro (MG) e de estanho (RO),e nas indústrias metalúrgica e siderúrgica (MG, SP,RS)

Imagens de problemas ambientais nas minerações de ferro (MG) e de estanho (RO),e nas indústrias metalúrgica e siderúrgica (MG, SP,RS) Imgns problms mbintis ns minrçõs frro (MG) stnho (RO), ns indústris mtlúrgic sirúrgic (MG, SP,RS) MG RS: Fotos fits por Oswl Svá ntr 1991 2004, durnt visits técnics fits durnt consultori prstd os sindictos

Leia mais

Mother s D. Recepção. A Festa. continua...

Mother s D. Recepção. A Festa. continua... 3 Ediçã 35 Mi 2013 Fi c i cih q s ls, fsss clbs d FC cçã di ds ãs. Cd lh d Mh's Dy fi sd ibi d cih dçã dd ls ãs. Os ls si bs fz c q d ccss c fiçã: c s cgfis, s sis s ls úss. Cd sçã fi cid c bs s s sdds

Leia mais

21/07/2015 13:36:51 ARTE MODA ARTE ARQUITETURA ARQUITETURA ENTRETENIMENTO MODA DESTINO GASTRONOMIA GASTRONOMIA MODA POLINÉSIA FRANCESA. CAPA 24.

21/07/2015 13:36:51 ARTE MODA ARTE ARQUITETURA ARQUITETURA ENTRETENIMENTO MODA DESTINO GASTRONOMIA GASTRONOMIA MODA POLINÉSIA FRANCESA. CAPA 24. R 3 R R D S VL L Ó S L U D K LÃ W -S / 3 SH FW -S Ã P UL F S SP / / : 8:3 3// 8/ 3/ : 6: SPCL - PRU C VCÊ UC VU.in 7 R Ú 8 9 - R$,,9 R$ CP.in S D PP R S G GS S - R$, 9 R D : : U Q R VG D R SÃ PU L FS H

Leia mais

RECU RSOS PARA ASSIST t N CIA D E E NFERMAGEM EM GASTROENTERO LOGIA *

RECU RSOS PARA ASSIST t N CIA D E E NFERMAGEM EM GASTROENTERO LOGIA * RBEn. 33 310317, 1980 RECU RSOS PARA ASSIST t N CIA D E E NFERMAGEM EM GASTROENTERO LOGIA * Dulc Nvs d Rch ** RBEn/04 ROCHA, D.N., Rcurss pr ssistênci nfrmg gstrntrlgi. Rv. Br&,s. Enf. ; DF, 33 : 3 103

Leia mais

A PROPOSTA DE ENUNCIADO ADMINISTRATIVO

A PROPOSTA DE ENUNCIADO ADMINISTRATIVO A FUNDAMENTAÇÃO DO VOTO CONDUTOR DA EDIÇÃO DA SÚMULA ADMINISTRATIVA FAZ A DEMONSTRAÇÃO HISTÓRICA DA PORTARIA Nº 1.104-GM3/FAB. A PROPOSTA DE ENUNCIADO ADMINISTRATIVO PROCEDIMENTO DIVERSO N.º 2002.07.0003

Leia mais

Deputado fllmino Afonso: Só a Lula Pode Garantir a Defesa Das Liberdades

Deputado fllmino Afonso: Só a Lula Pode Garantir a Defesa Das Liberdades M W Cmplt Êxit d Missã Dnts Ns Piss Scilists Rp. n 7 [)éi»i< Pdr»!Ij Lrr.-j Dputd fllmin fns: Só Lul P Grntir Dfs Ds Librds GGÁRIN:--. O Rmnc d strn MjCT* Ü rrtfi i JliT ; - (TEXTO N 3 PGIN) W ^^ i BiípIH

Leia mais

w2-49-, 01 PL PROJETO DE LEÍ 01-0846/1995

w2-49-, 01 PL PROJETO DE LEÍ 01-0846/1995 (2-4- LIDO HOJE AS COMISSÕES DE: S E I 995 nnnnnnnnnnnnnnnnnnnn w2-49-, 01 PL PROJETO DE LEÍ 01-0846/1995 Dnmina "Praça Marcus França Trrs" a Praça VI, cadlg 46.573-9, situada n Distrit d Jaraguá - JAR.

Leia mais

EXMO SR. JUIZ FEDERAL DA VARA ÚNICA DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE ILHÉUS/BA.

EXMO SR. JUIZ FEDERAL DA VARA ÚNICA DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE ILHÉUS/BA. EXMO SR. JUIZ FEDERAL DA VARA ÚNICA DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE ILHÉUS/BA. ICP nº 1.14.001.000097/2011-61 ICP nº 001.0.155502/2009 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DA BAHIA, pr sus

Leia mais

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COPASA MG COMPANHIA ABERTA NIRE 313.000.363-75 CNPJ/MF nº 17.281.106/0001-03

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COPASA MG COMPANHIA ABERTA NIRE 313.000.363-75 CNPJ/MF nº 17.281.106/0001-03 COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COPASA MG COMPANHIA ABERTA NIRE 313.000.363-75 CNPJ/MF nº 17.281.106/0001-03 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 16 DE DEZEMBRO DE 2005 1.Dt,

Leia mais

Uma publicação que é referência no setor

Uma publicação que é referência no setor ublic qu é rfrêci Vlt r rfiii ii frcêuc, viári, c, bitclgi, litíci, quíic fi, quit hitlr, i vi qu cl cti é u xigêci, rvit Cl Cti fc luçõ tclógic r rli brilir. C iibui irigi, ublic g rtt ghri ut, r Quli,

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE000313/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/03/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR011016/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.003892/2013-28

Leia mais

seguida a crise governamental, i hoje resolvida, após a demissão do ministro do Interior, Gabrlel

seguida a crise governamental, i hoje resolvida, após a demissão do ministro do Interior, Gabrlel N trcir pgini DECISIV PR DESTIN D CPNH SUCESSÓRI TUL ENT PLÍTIC FLGRNTES D SSEBLÉI FTS E BTS JRNL DE NTICIS Dirtr-Suprintnntt Dmtri Nmi Hddd Dirtr-rptuvl: ndré Crrni Rdtnhft Wldimir Tl P«N IV S PUL Quint-fir,

Leia mais

CAPA. Marketing Direto - Set/10 - nº 101 - Ano IX

CAPA. Marketing Direto - Set/10 - nº 101 - Ano IX CP 10 Mrkting n linh Dirt O mrcd tlfni stá m prcss trnsfrmçã. O bm crscimnt pssu, ufri d prtbilid tmbém. O rsultd é sgmnt qu gr brig mntr ptncilizr sus clints. Pr tnt, invst m rlcinmnt n mpliçã srviçs

Leia mais

Uniforme Exponencial Normal Gama Weibull Lognormal. t (Student) χ 2 (Qui-quadrado) F (Snedekor)

Uniforme Exponencial Normal Gama Weibull Lognormal. t (Student) χ 2 (Qui-quadrado) F (Snedekor) Prof. Lorí Vili, Dr. vili@pucrs.br vili@m.ufrgs.br hp://www.pucrs.br/fm/vili/ hp://www.m.ufrgs.br/~vili/ Uniform Exponncil Norml Gm Wibull Lognorml (Sudn) χ (Qui-qudrdo) F (Sndkor) Um VAC X é uniform no

Leia mais

NEW HOLLAND VM, VL. VL6080 e VL6090

NEW HOLLAND VM, VL. VL6080 e VL6090 NEW HOLLND VM, VL Máquins Mls VM4090, Vindimr VL6040, lt VL6050, Cpcid VL6060, Plivlnt VL6080 VL6090 VL6070, 2 I3 VM, VL xclênci Nw Hllnd m td tcnlgi tip Brud: vinhs dur Há Nw mis Hllnd 30 têm ns mrc qu

Leia mais

Governo e Congresso: Emenda da Constituição

Governo e Congresso: Emenda da Constituição i M*»»«J *"»"» ^»*--ív»*»rt»wv*-t fiqmmi -,,, i, -M,,.:" ncinlism mcrci scilism... A Am m\\ Am m^am mm. Am mm%. mt fl Bl^ ^^ ^1 ^r ^1 ^^ ^1 ^^,Brnbés Nã Rcum MSxigm Jng 70 / ifl ^^B ^^^ ^^1 ^»

Leia mais

Teoria dos Grafos Aula 11

Teoria dos Grafos Aula 11 Tori dos Gros Aul Aul pssd Gros om psos Dijkstr Implmntção Fil d prioridds Hp Aul d hoj MST Algoritmos d Prim Kruskl Propridds d MST Dijkstr (o próprio) Projtndo um Rd $ $ $ $ $ Conjunto d lolidds (x.

Leia mais

Artigo de Prestes Sobre o XXII Congresso do Partido Comunista da URSS tíito PjUMA. Nação Reclama de Nasser: Revele os Nomes Dos Terroristas do MAC

Artigo de Prestes Sobre o XXII Congresso do Partido Comunista da URSS tíito PjUMA. Nação Reclama de Nasser: Revele os Nomes Dos Terroristas do MAC ' ' W/Mákã rtig Prsts Sbr XX Cngrss d Prtid Cmunist d URSS tíit PjUM ístd Lng: Ptrbrs Qur Msm Dscbrir Mis Ptról m n«.«t ét\mt,* pi*\*md\ è mplnt, ir. ' """ Mntblw (frim pt è idiil*ni «n- * cint i lbti,

Leia mais

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial º semestre de Engenhri Civil/Mecânic Cálculo Prof Olg (º sem de 05) Função Eponencil Definição: É tod função f: R R d form =, com R >0 e. Eemplos: = ; = ( ) ; = 3 ; = e Gráfico: ) Construir o gráfico d

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA #8. fonte imagem: Google Earth

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA #8. fonte imagem: Google Earth FUNCIONL ENTORNO IDENTIFICR RELÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERNDO OS TRIBUTOS DO LUGR - MSSS EDIFICDS, RELÇÕES DE PROXIMIDDE, DIÁLOGO, INTEGRÇÃO OU UTONOMI O ENTORNO D CSH #9 É COMPOSTO

Leia mais

ESPECIALIZADA EM CRIMES FINANCEIROS E LAVAGEM DE CAPITAIS DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO PAULO

ESPECIALIZADA EM CRIMES FINANCEIROS E LAVAGEM DE CAPITAIS DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO PAULO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA 6ª VARA ESPECIALIZADA EM CRIMES FINANCEIROS E LAVAGEM DE CAPITAIS DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO PAULO Auts nº:0014695-64.2013.403.6181 Inquérit Plicil nº0196/2013-11

Leia mais

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte Curso grátis Inglês pr vigm Vi vijr pr? Situ-s com nosss dics roportos trns mtrôs Chgd m Avião: Aroporto Hthrow: Situdo crc 20 km ost um dos mis movim ntdos d Europ possui cinco trminis Dpois pssr pls

Leia mais