VII CMATIC. Curso básico sobre segurança em instalações elétricas temporárias em canteiros de obras. Swylmar dos Santos Ferreira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VII CMATIC. Curso básico sobre segurança em instalações elétricas temporárias em canteiros de obras. Swylmar dos Santos Ferreira"

Transcrição

1 VII CMATIC Curso básico sobre segurança em instalações elétricas temporárias em canteiros de obras Swylmar dos Santos Ferreira Engº Eletricista e de Segurança do Trabalho s

2 Dados estatísticos

3 Dados Mundiais: Acidentes de trabalho Dados gerais 2,3 milhões de mortes por ano por acidentes e doenças do trabalho; 860 mil pessoas que sofrem algum tipo de ferimento todos os dias no mundo; Os custos globais, diretos e indiretos, chegam a 2,8 trilhões de dólares, ou quase 7 trilhões de reais; Três vidas perdidas a cada minuto; Cinco mil (5000) mortes ao dia dobro das baixas ocasionadas pelas guerras e mais do que as perdas provocadas pela AIDS; O Brasil contribui significativamente para a estatística mundial com seus mais de 700 mil acidentes e adoecimentos em consequência do trabalho por ano. O país é o quarto colocado no ranking mundial. (Fonte: Anuário Brasileiro da revista Proteção) - Dados do Anuário Estatístico da OIT

4 Fonte:

5

6 Dados de acidentes do trabalho com óbitos na indústria da construção. Fonte: STICMB Brasília ano óbitos ano óbitos ano óbitos ano óbitos vivamelhoronline.com

7 Gráfico Estatísticas Mortes por choque elétrico 2013 (números gerais) TOTAL EM 2013: 592 óbitos Fonte : estatísticas 278 óbitos

8 Relatório de Estatística de Acidentes do Setor Elétrico Brasileiro 2013 (Acidentes ocorridos) dados de 2014 ainda em elaboração Fonte:

9 Fonte: Número de acidentes fatais

10 Fonte:

11 Fonte: Evolução de acidentes com arco elétrico /ano

12

13

14 Conceituação básica

15 Energia elétrica é uma das diversas formas de energia utilizada pelo homem. Seu uso é indispensável ao modo de vida como a conhecemos hoje, sendo empregada de forma intensiva em indústrias, comércio, educação e lazer, em atividades como iluminação, refrigeração, aquecimento, transporte, comunicação, construção e em diversos processos de trabalho [Severino, 2008]. Apesar de ser essencial ao homem, a energia elétrica é também uma fonte de riscos à saúde daqueles que dela se utilizam, principalmente no ambiente de trabalho. Os principais riscos envolvendo eletricidade são choques elétricos, queimaduras e radiações [Reis e Freitas, 1983]. Uma das soluções para o uso eficiente da eletricidade com riscos mínimos para os trabalhadores, talvez a mais viável, seja a implantação nas organizações de sistemas de gestão que venham a facilitar e melhorar o seu gerenciamento. Chaib (2005) cita algumas experiências empresariais na implantação de sistemas integrados de gestão, onde relata dificuldades e benefícios conseguidos.

16 CONCEITOS BÁSICOS ELETRICIDADE FORMA DE ENERGIA MATERIAL LIGADA AOS ELÉTRONS, QUE SE MANIFESTA POR ATRAÇÕES E REPULSÕES, FENÔMENOS LUMINOSOS, QUÍMICOS E MECÂNICOS. EXISTE EM ESTADO POTENCIAL (ELETRICIDADE ESTÁTICA) COMO CARGA (TENSÃO - V), OU FORMA CINÉTICA (ELETRICIDADE DINÂMICA) COMO CORRENTE (I). CIRCUITO ELÉTRICO CONJUNTO DE COMPONENTES DA INSTALAÇÃO ALIMENTADOS A PARTIR DA MESMA ORIGEM. SISTEMA ELÉTRICO CIRCUITO OU CONJUNTO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS RELACIONADOS ENTRE SI E CONSTITUÍDOS PARA ATINGIR UM MESMO FIM.

17 Trabalho atividade coordenada de caráter físico e/ou intelectual, necessária a realização de qualquer tarefa, serviço ou empreendimento. Trabalhador toda a pessoa que exerça uma atividade de trabalho, independentemente de estar inserido no mercado formal ou informal de trabalho, inclusive na forma de trabalho.

18 Cargas de trabalho esforços físicos e mentais dos trabalhadores ao realizarem uma determinada atividade de trabalho. O conceito de carga de trabalho estrutura-se para estudar os impactos dos elementos que constituem o processo de trabalho, sob a ótica do objeto, da tecnologia, da sua organização e divisão, consumindo a força de trabalho e as capacidades vitais do trabalhador ¹. 1 - FACCHINI, L. A. Uma contribuição da epidemiologia: o modelo da determinação social aplicado à saúde do trabalhador. In: ROCHA, L. E.; RIGOTTO, R. M.; BUSCHIMELLI, J. T. P. (Org.). Isto é trabalho de gente? vida, doença e trabalho no Brasil. Petrópolis: Vozes,1994b. p

19 Prevenção de acidentes no ambiente de trabalho deve levar em consideração os seguintes aspectos: 1. Aspectos sociais e éticos: correm paralelamente a segurança social, com as seqüelas aos trabalhadores ( acidentados e colegas), familiares e dependentes. Depõe contra a empresa (falta de organização, insensibilidade, dentre outros). 2. Aspectos jurídicos: a criação da legislação trabalhista em especial a CLT e as NR S vem da preocupação histórica da segurança do trabalhador em seu ambiente laboral. Evolução para a responsabilidade social e a responsabilidade legal (ações legais impetradas contra as empresas por trabalhadores acidentados ou por familiares em caso de óbito, além de termos de ajuste de conduta e ações regressivas movidas pelo MPT contra empresas). 3. Aspectos econômicos: Qual o verdadeiro custo dos acidentes de trabalho? Qual o beneficio-custo de ter implantados na empresa a SST? Indenizações trabalhistas? Multas aplicadas pela SRTE por não conformidades com a legislação vigente? Perdas na produção após acidente? Imagem da empresa?

20 Objetivo e controle dos riscos com eletricidade Evitar contatos acidentais ou não, com partes, peças que possam ficar energizados. Choques elétricos Queimaduras Incêndios Fonte:

21 Risco toda a possibilidade de que algum elemento ou circunstância existente num dado processo ou ambiente de trabalho possa causar dano à saúde, seja através de acidentes, doenças ou do sofrimento dos trabalhadores, ou ainda através da poluição ambiental ¹. 1 Porto, Marcelo Firpo de Souza Análise de riscos nos locais de trabalho (2000:8) Risco - é a possibilidade, elevada ou reduzida, de alguém sofrer danos provocados pelo perigo. osha.europa.eu/pt/topics

22 Perigo - pode ser qualquer coisa potencialmente causadora de danos materiais, equipamentos, métodos ou práticas de trabalho. Avaliação de riscos - é o processo que mede os riscos para a segurança e saúde dos trabalhadores decorrentes de perigos no local de trabalho. É uma análise sistemática de todos os aspectos relacionados com o trabalho, que identifica: - aquilo que é susceptível de causar lesões ou danos; - a possibilidade de os perigos serem eliminados e, se tal não for o caso; - as medidas de prevenção ou proteção que existem, ou deveriam existir, para controlar os riscos.

23

24 Riscos ocupacionais são aqueles presentes no ambiente de trabalho e decorrentes do exercício da atividade, podendo causar danos a saúde e à integridade física do trabalhador, Fator de risco é a presença de um fenômeno, agente ou determinante, com características específicas, desencadeador de danos específicos às pessoas e ao meio ambiente.

25

26

27

28

29 Legislação nacional vigente - resumo

30 1. CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos: III - a dignidade da pessoa humana; Art. 6 o São direitos sociais a educação, a saúde, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição. Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social: XXII - redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde, higiene e segurança; XXIII - adicional de remuneração para as atividades penosas, insalubres ou perigosas, na forma da lei; XXVIII - seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, sem excluir a indenização a que este está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa;

31 2. CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO (CLT) CAPÍTULO V - Da Segurança e da Medicina do Trabalho ALTERADO pela Lei de 22 de dezembro de 1977 SEÇÃO IX - Das Instalações Elétricas Art O Ministério do Trabalho disporá sobre as condições de segurança e as medidas especiais a serem observadas relativamente a instalações elétricas, e qualquer das fases de produção, transmissão, distribuição ou consumo de energia. Art Somente profissional qualificado poderá instalar, operar, inspecionar ou reparar instalações elétricas. Art Os que trabalharem em serviços de eletricidade ou instalações elétricas devem estar familiarizados com os métodos de socorro a acidentados por choque elétrico.

32 Normas da ABNT: NBR 5419 Proteção de estruturas contra descargas atmosféricas; NBR 5410 Instalações elétricas de baixa tensão versão 2004; NBR 5413 Iluminância de interiores; NBR 5456 Eletricidade Geral - Terminologia; NBR 7678 Segurança na execução de obras e serviços de construção. LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR Códigos de obras dos Estados e Municípios Exigências das Concessionárias

33 3. Portaria Nº de 08 de junho de 1978 Aprovou as Normas Regulamentadoras - NR Previstas no Cap. V da CLT Contam hoje com um total de trinta e quatro Normas Regulamentadoras. NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade dezembro 2004 NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção Instalações elétricas - Itens a Portaria de 16 de julho de 2014

34 NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção Instalações elétricas ( a ) A execução e manutenção das instalações elétricas devem ser realizadas por trabalhador qualificado,e a supervisão por profissional legalmente habilitado Somente podem ser realizados serviços nas instalações quando o circuito elétrico não estiver energizado Quando não for possível desligar o circuito elétrico, o serviço somente poderá ser executado após terem sido adotadas as medidas de proteção complementares, sendo obrigatório o uso de ferramentas apropriadas e equipamentos de proteção individual.

35 LEI de 26 de julho de 2006 Determina a obrigatoriedade de as edificações possuírem sistema de aterramento e instalações elétricas compatíveis com a utilização de condutorterra de proteção, bem como torna obrigatória a existência de condutor-terra de proteção nos aparelhos elétricos que especifica.

36 Art 1º As edificações cuja construção se inicie a partir da vigência desta Lei deverão obrigatoriamente possuir sistema de aterramento e instalações elétricas compatíveis com a utilização do condutor-terra de proteção, bem como tomadas com o terceiro contato correspondente. Art 2º Os aparelhos elétricos com carcaça metálica e aqueles sensíveis a variações bruscas de tensão, produzidos ou comercializados no País, deverão, obrigatoriamente, dispor de condutor-terra de proteção e do respectivo adaptador macho tripolar. Paragrafo único o disposto neste artigo entra em vigor quinze meses após a publicação desta Lei. Art.3º Esta Lei entra em vigor noventa dias após a publicação desta Lei.

37 Sobre a NR 10 Estabelece diretrizes básicas para implementação de medidas preventivas de controle ao risco elétrico através de técnicas de análise de risco. Empresa obrigatório: Esquemas unifilares atualizados das instalações elétricas Especificação : sistema de aterramento equipamentos e dispositivos de proteção

38 Prontuário de instalações elétricas - para estabelecimentos com carga instalada superior a 75 KW (item ) a) esquemas unifilares atualizados das instalações elétricas com especificações do sistema de aterramento e demais equipamentos e dispositivos de proteção. b) procedimentos e instruções técnicas e administrativas de segurança e saúde e descrição das medidas de controle existentes c) documentação das inspeções e medições do sistema de proteção contra descargas atmosféricas e aterramentos elétricos d) especificação de EPC, EPI e ferramental de acordo com esta NR e) documentação comprobatória da qualificação, habilitação, capacitação, autorização dos trabalhadores e treinamentos realizados f) resultados dos testes de isolação elétrica realizados em EPC e EPI g) certificados dos equipamentos e materiais elétricos em áreas classificadas h) relatório técnico das inspeções atualizadas com recomendações, cronogramas de adequações, contemplando as alíneas a e f

39 Medidas de proteção coletivas Desenergizaçao elétrica e na sua impossibilidade o uso de tensão de segurança; Isolação obstáculos, barreiras sinalização, seccionamento, bloqueio de religamento Medidas de proteção individual EPI s específicos; Vestimentas: inflamabilidades, condutibilidade, influencias eletromagnéticas

40 Prontuário de instalações elétricas - empresas que trabalham com Sistema Elétrico de Potência (item ): Documentos técnicos do prontuário devem ser elaborados por profissional legalmente habilitado e mantidos atualizados e organizados e permanecer à disposição dos trabalhadores

41 Projeto de Instalações Elétricas Introdução do conceito de segurança em projetos; Prever dispositivos : desligamento de circuitos e seccionamento de ação simultânea para impedir reenergização. Considerar espaçamento e distanciamento seguros para operar e realizar serviços; Definir configuração do esquema de aterramento; Prever condições para aterramento temporário; Circuitos elétricos com finalidades diferentes identificados, instalados separadamente. Respeitar definições do projeto; Projeto: mantido atualizado, disposição autoridades competentes, trabalhadores e pessoas autorizadas, atender às normas e ser assinado por profissional legalmente habilitado;

42 Delimitação das zonas de risco, controladas e livres no entorno de parte condutora energizada Zona livre Zona livre B A R R E I R A Zona controlada Zona de risco Ponto Energizado

43 Delimitação das zonas de risco, controladas e livres no entorno de parte condutora energizada Rr Raio de delimitação zonas de risco e controlada (m). Rc - Raio de delimitação zonas controlada e livre (m). Zona livre Rc Zona de PE risco Zona livre Rr Zona controlada

44 Tabela de raios de delimitação de zonas de risco, controlada e livre Faixa da tensão nominal da instalação elétrica em KV < 1 1 e < 3 3 e < 6 6 e <10 10 e < e < e < e < e < e < e < e < e < e < e < e < e < e < e < 700 Rr Raio de delimitação zonas de risco e controlada (m) 0,20 0,22 0,25 0,35 0,38 0,40 0,56 0,58 0,63 0,83 0,90 1,00 1,10 1,20 1,60 1,80 2,50 3,20 5,20 Rc - Raio de delimitação zonas controlada e livre (m) 0,70 1,22 1,25 1,35 1,38 1,40 1,56 1,58 1,63 1,83 1,90 2,00 3,10 3,20 3,60 3,80 4,50 5,20 7,20

45 Habilitação, qualificação, capacitação e autorização dos trabalhadores É Considerado: Profissional legalmente habilitado trabalhador previamente qualificado e com registro no conselho de classe; Trabalhador qualificado - comprova conclusão de curso específico na área elétrica reconhecido pelo Sistema Oficial de Ensino; Autorizado trabalhador qualificado ou capacitado e os profissionais habilitados, com anuência formal da empresa. Trabalhador capacitado atende simultaneamente a: a)capacitação sob orientação e responsabilidade de profissional habilitado e autorizado; e b)trabalhe sob a responsabilidade de profissional habilitado e autorizado. Capacitação vale apenas para a empresa que o capacitou nas condições estabelecidas pelo profissional habilitado e autorizado responsável.

46 Sinalização de segurança Identificação dos circuitos; Bloqueio e travamento Restrições e impedimento de acesso; Delimitação de áreas; Impedimento de reenergizaçao; Identificação de equipamentos ou circuitos impedidos.

47 Procedimentos operacionais de trabalho Planejamento, padronização e responsabilidade; Ordens de Serviços específicas; Procedimentos (objetivo, competência, acampo de aplicação, responsabilidades medidas de controle,...); Supervisor em toda equipe; Avaliação prévia da equipe do serviço a ser executado; Análise de risco das tarefas

48 Responsabilidades Responsabilidades solidárias entre contratantes, contratados Os trabalhadores DEVEM interromper suas tarefas exercendo o direito de recusa, sempre que constatarem evidências de riscos graves e iminentes para sua segurança e saúde ou a de outras pessoas, comunicando imediatamente o fato a seu superior hierárquico, que diligenciará as medidas cabíveis.

49 Curso de treinamento para os profissionais: 1. Curso básico segurança em instalações e serviços com eletricidade Carga horária mínima de 40 horas trabalhadores autorizados 2. Curso complementar Sistema Elétrico de Potência Carga horária mínima de 40 horas desenvolvido e dirigido de acordo com as suas especificidades

50 PORTARIA N.º DE 16 DE JULHO DE 2014 Aprova o Anexo 4 - Atividades e operações perigosas Com energia elétrica - da Norma Regulamentadora n.º 16 - Atividades e operações perigosas. ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS COM ENERGIA ELÉTRICA 1. Têm direito ao adicional de periculosidade os trabalhadores: a) que executam atividades ou operações em instalações ou equipamentos elétricos energizados em alta tensão; b) que realizam atividades ou operações com trabalho em proximidade, conforme estabelece a NR-10; c) que realizam atividades ou operações em instalações ou equipamentos elétricos energizados em baixa tensão no sistema elétrico de consumo - SEC, no caso de descumprimento do item e seus subitens da NR10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade; d) das empresas que operam em instalações ou equipamentos integrantes do sistema elétrico de potência - SEP, bem como suas contratadas, em conformidade com as atividades e respectivas áreas de risco descritas no quadro I deste anexo.

51 2. Não é devido o pagamento do adicional nas seguintes situações: a)nas atividades ou operações no sistema elétrico de consumo em instalações ou equipamentos elétricos desenergizados e liberados para o trabalho, sem possibilidade de energização acidental, conforme estabelece a NR-10; b)nas atividades ou operações em instalações ou equipamentos elétricos alimentados por extra-baixa tensão; c)nas atividades ou operações elementares realizadas em baixa tensão, tais como o uso de equipamentos elétricos energizados e os procedimentos de ligar e desligar circuitos elétricos, desde que os materiais e equipamentos elétricos estejam em conformidade com as normas técnicas oficiais estabelecidas pelos órgãos competentes e, na ausência ou omissão destas, as normas internacionais cabíveis. 3. O trabalho intermitente é equiparado à exposição permanente para fins de pagamento integral do adicional de periculosidade nos meses em que houver exposição, excluída a exposição eventual, assim considerado o caso fortuito ou que não faça parte da rotina.

52 4. Das atividades no sistema elétrico de potência - SEP. 4.1 Para os efeitos deste anexo entende-se como atividades de construção, operação e manutenção de redes de linhas aéreas ou subterrâneas de alta e baixa tensão integrantes do SEP: a) Montagem, instalação, substituição, conservação, reparos, ensaios e testes de: verificação, inspeção, levantamento, supervisão e fiscalização; fusíveis, condutores, pára-raios,... b) Corte e poda de árvores; c) Ligações e cortes de consumidores; d) Manobras aéreas e subterrâneas de redes e linhas; e) Manobras em subestação; f) Testes de curto em linhas de transmissão; g) Manutenção de fontes de alimentação de sistemas de comunicação; h) Leitura em consumidores de alta tensão; i) Aferição em equipamentos de medição; j) Medidas de resistências, lançamento e instalação de cabo contra-peso... p) Construção civil, instalação, substituição e limpeza de: valas, bancos de dutos, dutos, condutos, canaletas, galerias, túneis, caixas ou poços de inspeção, câmaras; q) Medição, verificação... supervisões de serviços técnicos.

53 4.2 Para os efeitos deste anexo entende-se como atividades de construção, operação e manutenção nas usinas, unidades geradoras, subestações e cabinas de distribuição em operações, integrantes do SEP: a) Montagem, desmontagem, operação e conservação de:... equipamentos eletrônicos, eletromecânico e eletroeletrônicos, painéis, páraraios, áreas de circulação, estruturas-suporte e de mais instalações e equipamentos elétricos; b) Construção de: valas de dutos, canaletas, bases de equipamentos, estruturas, condutos e demais instalações;...

54 PROGRAMAS DE GESTÃO DE RISCOS Em um Sistema de Gestão a análise de riscos pode ser realizada, dependendo do método a ser utilizado, na análise inicial, na implantação, após a avaliação ou também para ajudar nas ações de melhoria contínua. Gestão de Riscos - na realidade é o gerenciamento e o controle dos riscos existentes nos diversos ambientes de trabalho.

55 Sistemas de gestão Conjunto de pessoas, recursos, procedimento qualquer nível de complexidade associados interagem organizadamente realizar tarefa e atingir resultado Assim, os sistemas de Gestão representam um conjunto de pessoas, recursos e procedimentos, dentro de qualquer nível de complexidade, que quando associados interagem organizadamente para realizar uma tarefa específica para atingir ou manter um resultado esperado [Chaib, 2005 apud Frosini e Carvalho, 1995]. Os sistemas de gestão são pensados e planejados pela alta administração para dar mais sustentabilidade à organização. Em geral, isso ocorre quando a mesma está em processo de estagnação ou quando pretende chegar a patamares mais altos no mercado em que atuam.

56 Diretrizes sobre SGSST ILO-OSH: 2001 SGSST Diretrizes OIT OIT Nacionais Específicas Objetivos Proteção aos trabalhadores Estrutura de legislação nacional Desenvolver padrões e motivação Política Elementos Organização Planejamento e implementação Avaliação Ação para melhorias

57 OHSAS NORMA Objetivos Controle de riscos Melhoria de desempenho Política Planejamento Elementos Implantação e operação Verificação Análise pela administração Pontos críticos Não apresenta critérios específicos de desempenho Não detalha o projeto do sistema de gestão

58 Guia SGSST BS8800 Documento de orientação para implantação e execução Levantamento situação atual Elementos principais Política Planejamento Implantação e operação Verificação e ação corretiva Análise crítica

59 Combinação da implantação de dois ou mais sistemas SIG Uma única política Apenas um gasto ANS/NZS 4581 Responsabilidade e liderança de gestão Identificação e análise de necessidades Política e objetivos Planejamento e implementação do sistema Alocação de recursos Comunicação e sistemas de informação Gestão de processos e atividades Medição e monitoramento Análise crítica e planos de melhorias Vantagens Economia Sinergia Tempo Recursos Humanos Materiais Financeiros

60 PROGRAMA DE GESTÃO DE RISCOS E SEGURANÇA ELÉTRICA - PSE Exigências da legislação; Justificativa Mercado de trabalho; Mercado de consumidores; Vantagens de maior produtividade. Requisitos respeito às legislações em vigor Apropriada aos riscos presentes na organização Políticas Instalações elétricas seguras Normas para o trabalho seguro c/ eletricidade

61 Compromisso Alta Administração Planejamento e Implantação PGE Prevenção, preparo e atendimento de emergências Avaliação e auditoria A análise crítica por parte da alta administração da organização

62 deve avaliar a estratégia de implantação corrigir deficiências na implantação, Alta administração averiguar os resultados de medição e o retorno de resultados encontrados, avaliar os progressos alcançados, análises precedentes tiveram eficácia e se o resultado esperado foi alcançado

63 Medidas praticas: Identificar os riscos existentes por meio de uma das técnicas análise de riscos, evitar trabalhos em circuitos e equipamentos energizados, autorização para execução; obedecer a normas e procedimentos; treinamento e qualificação; responsável pela tarefa; isolar circuitos e equipamentos; planejar a execução da tarefa; verificar ferramentas, aparelhos e equipamentos de proteção. Segurança dos trabalhadores: planejamento das atividades e avaliação da tarefa, técnicas de análise de riscos, medidas como barreiras, isolação, anteparos, colocação fora de alcance; EPI`s, ferramentas e aparelhos adequados quando trabalhar com circuitos e equipamentos energizados

BRAGA & BOUWMAN ENGENHARIA E CONSULTORIA LTDA

BRAGA & BOUWMAN ENGENHARIA E CONSULTORIA LTDA BRAGA & BOUWMAN ENGENHARIA E CONSULTORIA LTDA CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO - CLT TÍTULO II - DAS NORMAS GERAIS DE TUTELA DO TRABALHO CAPÍTULO V - DA SEGURANÇA E DA MEDICINA DO TRABALHO SEÇÃO XIII

Leia mais

PROPOSTA NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

PROPOSTA NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE PROPOSTA NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE Texto base apresentado pelo MTE como proposta de atualização da Regulamentação Normativa atual em segurança e saúde no trabalho com atividades

Leia mais

NR 10. Prof. Felipe A. Camargo

NR 10. Prof. Felipe A. Camargo QMASS NR 10 Prof. Felipe A. Camargo NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE 01 10.1 - OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 10.1.1 Esta NR estabelece os requisitos e condições mínimas objetivando

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO E A NR-10 PALESTRA PARA OS COLABORADORES DA RHMED RJ 13/03/2009

SEGURANÇA NO TRABALHO E A NR-10 PALESTRA PARA OS COLABORADORES DA RHMED RJ 13/03/2009 SEGURANÇA NO TRABALHO E A NR-10 PALESTRA PARA OS COLABORADORES DA RHMED RJ 13/03/2009 NR-10 PORTARIA M.T.E 598 DE 07-12-2004 IMPLANTAÇÃO DO PRONTUÁRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS OBJETIVO IMPLEMENTAÇÃO DE

Leia mais

NR - 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NR - 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NR - 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE 10.1 - OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 10.2 - MEDIDAS DE CONTROLE 10.3 - SEGURANÇA EM PROJETOS 10.4 - SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO, MONTAGEM, OPERAÇÃO

Leia mais

RESUMO DA PAUTA REUNIÃO NR 16, ANEXO IV ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS COM ENERGIA ELÉTRICA

RESUMO DA PAUTA REUNIÃO NR 16, ANEXO IV ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS COM ENERGIA ELÉTRICA RESUMO DA PAUTA REUNIÃO NR 16, ANEXO IV ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS COM ENERGIA ELÉTRICA 1. Tem direito ao adicional de periculosidade os trabalhadores das empresas que operam em instalações ou equipamentos

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA EM SITUAÇÕES DE RISCO QUE ENVOLVA ELETRICIDADE

NORMAS DE SEGURANÇA EM SITUAÇÕES DE RISCO QUE ENVOLVA ELETRICIDADE NORMAS DE SEGURANÇA EM SITUAÇÕES DE RISCO QUE ENVOLVA ELETRICIDADE Anderson Rocha Ramos¹, Bruna Neves de Andrade², Felipe Matos Lopes dos Santos 3, Phablo Cabral de Oliveira 4,Silvani Ramos de Oliveira

Leia mais

NR-10. Segurança em instalações e serviços em eletricidade. Antônio Fábio Dantas da Nóbrega

NR-10. Segurança em instalações e serviços em eletricidade. Antônio Fábio Dantas da Nóbrega NR-10 Segurança em instalações e serviços em eletricidade Sumário Riscos em instalações e serviços elétricos Visão geral sobre a NR-10 Medidas de Proteção Coletiva Equipamentos de Proteção Coletiva Medidas

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos Obrigatoriedade de capacitação e autorização para trabalhos em altura e com eletricidade

Orientações Consultoria de Segmentos Obrigatoriedade de capacitação e autorização para trabalhos em altura e com eletricidade Orientações Consultoria de Segmentos trabalhos em altura e com eletricidade 08/05/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA NR-10 NAS OPERADORAS METROFERROVIÁRIAS IMPACTOS E OPORTUNIDADES

IMPLANTAÇÃO DA NR-10 NAS OPERADORAS METROFERROVIÁRIAS IMPACTOS E OPORTUNIDADES IMPLANTAÇÃO DA NR-10 NAS OPERADORAS METROFERROVIÁRIAS IMPACTOS E OPORTUNIDADES Engº Wilmar Fratini Comissão Metroferroviária - GT de Gestão Integrada São Paulo - 29.08.07 Norma Regulamentadora nº 10 SEGURANÇA

Leia mais

Segurança no desenvolvimento de trabalhos em alta tensão

Segurança no desenvolvimento de trabalhos em alta tensão 1.1 Abrangência da NR-10 Segurança no desenvolvimento de trabalhos em alta tensão O primeiro capítulo da NR-10 define o objetivo e o seu campo de aplicação. Logo no primeiro item a NR-10 deixa claro que

Leia mais

EXIGÊNCIA PARA FUNCIONÁRIOS E PRESTADORES DE SERVIÇOS TERCEIRIZADOS!

EXIGÊNCIA PARA FUNCIONÁRIOS E PRESTADORES DE SERVIÇOS TERCEIRIZADOS! Treinamento: Obrigatoriedade prevista na NR-10: Todos devem ter Treinamento básico de 40 horas; Trabalhos em SEP e proximidades o Treinamento complementar, além do básico, mais 40 horas Conteúdo e carga

Leia mais

5) CEEE - Sobre a Norma Regulamentadora 10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade -, assinale a alternativa correta

5) CEEE - Sobre a Norma Regulamentadora 10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade -, assinale a alternativa correta 1) TRENSURB - Em serviços executados em instalações elétricas são previstas medidas de proteção coletiva, relacionadas a seguir. Assinale a alternativa que contém a medida coletiva prioritária: a) bloqueio

Leia mais

O Presidente da República usando da atribuição que lhe confere o artigo 81, item III, da Constituição, Decreta:

O Presidente da República usando da atribuição que lhe confere o artigo 81, item III, da Constituição, Decreta: DECRETO Nº 93.412, de 14/10/1986 Revoga o Decreto nº 92.212, de 26 de dezembro de 1985, regulamenta a Lei nº 7.369, de 20 de setembro de 1985, que institui salário adicional para empregados do setor de

Leia mais

LEGISLAÇÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO 6.514/77 -Portaria 3.214/78 de 08/06/1978.

LEGISLAÇÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO 6.514/77 -Portaria 3.214/78 de 08/06/1978. ENG GLAUBER MAURIN LEGISLAÇÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO 6.514/77 -Portaria 3.214/78 de 08/06/1978. Aprova as Normas Regulamentadoras NR do Capítulo V, título II, da CLT- Consolidação das Leis do

Leia mais

Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi. NR 8 e NR-10. Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira

Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi. NR 8 e NR-10. Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi NR 8 e NR-10 Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira NR-8 Edificações Dispõe sobre os requisitos técnicos mínimos que devem ser observados nas edificações

Leia mais

PALESTRA MINISTRADA EM EMPRESAS CLIENTES AOS RESPONSÁVEIS PELA SEGURANÇA E MANUTENÇÃO ELÉTRICA ENG GLAUBER MAURIN

PALESTRA MINISTRADA EM EMPRESAS CLIENTES AOS RESPONSÁVEIS PELA SEGURANÇA E MANUTENÇÃO ELÉTRICA ENG GLAUBER MAURIN PALESTRA MINISTRADA EM EMPRESAS CLIENTES AOS RESPONSÁVEIS PELA SEGURANÇA E MANUTENÇÃO ELÉTRICA ENG GLAUBER MAURIN NORMA REGULAMENTADORA Nº 05 - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES NORMA REGULAMENTADORA

Leia mais

Entenda a nova Norma Regulamentadora NR-10

Entenda a nova Norma Regulamentadora NR-10 Entenda a nova Norma Regulamentadora NR-10 *Autor: Engº Jaques Sherique A nova NR-10 teve como base um texto técnico, elaborado por 53 empresas do setor energético. Esta norma que teve por base o tripartidarismo

Leia mais

Diretor Executivo da ABRACOPEL Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade

Diretor Executivo da ABRACOPEL Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade Engenheiro Eletricista Edson Martinho Diretor Executivo da ABRACOPEL Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade abracopel@abracopel.org.br 11-99688-1148 PROXIMIDADE COM A

Leia mais

Certificado de Registro (Averbação) Fundaçăo BIBLIOTECA NACIONAL MINISTÉRIO DA CULTURA

Certificado de Registro (Averbação) Fundaçăo BIBLIOTECA NACIONAL MINISTÉRIO DA CULTURA Certificado de Registro (Averbação) Fundaçăo BIBLIOTECA NACIONAL MINISTÉRIO DA CULTURA NORMA REGULAMENTADORA - NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS DE ELETRICIDADE, Educação de Inclusão Social Todos

Leia mais

Segurança em instalações e projetos, conforme a nova NR-10

Segurança em instalações e projetos, conforme a nova NR-10 Segurança em instalações e projetos, conforme a nova João Cunha Algumas questões iniciais 2 Norma x Regulamento Regulamento Técnico: Documento aprovado por órgãos governamentais em que se estabelecem as

Leia mais

Palestra Técnica Interpretando a NR-10 Palestrante: Eng. Carlos Alberto Elyseo Schneider Electric Brasil Ltda. the

Palestra Técnica Interpretando a NR-10 Palestrante: Eng. Carlos Alberto Elyseo Schneider Electric Brasil Ltda. the Palestra Técnica Interpretando a NR-10 Palestrante: Eng. Carlos Alberto Elyseo Schneider Electric Brasil Ltda the Palestra Técnica Interpretando a NR-10 I. Introdução II. Legislação Brasileira III. Norma

Leia mais

NR-10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NR-10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE Segurança e Saúde do Trabalho ao seu alcance! NR-10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE PREVENÇÃO Esta é a palavra do dia. TODOS OS DIAS! PRECAUÇÃO: Ato ou efeito de prevenir ou de se prevenir;

Leia mais

MANUTENÇÃO ELÉTRICA INDUSTRIAL

MANUTENÇÃO ELÉTRICA INDUSTRIAL MANUTENÇÃO ELÉTRICA INDUSTRIAL *NORMA REGULAMENTADORA Nº 10* SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE Vitória ES 2006 D.O.U de 08/12/2004 NR-10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

Leia mais

RISCOS. Riscos de origem elétrica. Riscos de queda. Riscos no transporte e com equipamentos. Riscos de ataques de insetos

RISCOS. Riscos de origem elétrica. Riscos de queda. Riscos no transporte e com equipamentos. Riscos de ataques de insetos RISCOS Os riscos à segurança e saúde dos trabalhadores no setor de energia elétrica são, via de regra elevados, podendo levar a lesões de grande gravidade e são específicos a cada tipo de atividade. Contudo,

Leia mais

Projetos Elétricos Especiais

Projetos Elétricos Especiais Projetos Elétricos Especiais Prof. Laís Hauck de Oliveira Disciplina de Projetos Elétricos Especiais - PEE Departamento de Engenharia Elétrica - DEE Centro de Ciências Tecnológicas - CCT Universidade do

Leia mais

Isolamentos elétricos, eliminando a possibilidade de energização indesejada

Isolamentos elétricos, eliminando a possibilidade de energização indesejada CONCEITOS BÁSICOS Impedimento de equipamento Isolamentos elétricos, eliminando a possibilidade de energização indesejada Responsável pelo serviço Empregado ou empresa terceirizada que assume a coordenação

Leia mais

NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE. Prof. ª Rosana Abbud

NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE. Prof. ª Rosana Abbud NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE Prof. ª Rosana Abbud OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece os requisitos e condições mínimas objetivando

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PROGRAMAÇÃO E PLANEJAMENTO DOS SERVIÇOS PROGRAMAÇÃO E PLANEJAMENTO DOS SERVIÇOS Esta etapa consiste do planejamento das atividades que serão executadas, levantamento de recursos,

Leia mais

Medidas de controle do RISCO ELÉTRICO. Desenergização. Desenergização

Medidas de controle do RISCO ELÉTRICO. Desenergização. Desenergização Medidas de controle do RISCO ELÉTRICO Desenergização A desenergização é um conjunto de ações coordenadas, seqüenciadas e controladas. Somente serão consideradas desenergizadas as instalações elétricas

Leia mais

RISCOS ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO (APR) CHECK LIST

RISCOS ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO (APR) CHECK LIST 1 RISCOS ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO (APR) CHECK LIST RISCOS Os riscos à segurança e saúde dos trabalhadores no setor de energia elétrica são, via de regra elevados, podendo levar a lesões de grande gravidade

Leia mais

NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE D.O.U de 08/12/2004 Seção I NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE 10.1- OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 10.1.1 Esta Norma Regulamentadora NR estabelece os requisitos

Leia mais

Acidentes do Trabalho e suas Consequências Sociais e Econômicas

Acidentes do Trabalho e suas Consequências Sociais e Econômicas Acidentes do Trabalho e suas Consequências Sociais e Econômicas Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho Trabalhador é selecionado na sociedade e encaminhado à empresa, com seu estado atual físico e de

Leia mais

NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE (Texto dado pela Portaria GM n.º 598, de 07 de dezembro de 2004) 10.1 - OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Publicação D.O.U. Portaria MTb n.º 3.214,

Leia mais

Conforme a Portaria MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO nº 598 de

Conforme a Portaria MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO nº 598 de NORMA REGULAMENTADORA 10 - NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE Conforme a Portaria MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO nº 598 de 07.12.2004 10.1- OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO

Leia mais

NR-10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NR-10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NR-10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE Alterado pela Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 - D.O.U. 06/07/78 Alterado pela Portaria SSMT n.º 12, de 06 de junho de 1983 - D.O.U.

Leia mais

O que é NR10? Por quê fazer o curso de NR10? Por quê fazer o curso no NR10 ONLINE? NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 NR-10

O que é NR10? Por quê fazer o curso de NR10? Por quê fazer o curso no NR10 ONLINE? NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 NR-10 NR-10 O que é NR10? Esta Norma Regulamentadora NR estabelece os requisitos e condições mínimas objetivando a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos, de forma a garantir a segurança

Leia mais

4 - CONDIÇÕES IMPEDITIVAS PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS NO SEP

4 - CONDIÇÕES IMPEDITIVAS PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS NO SEP 4 - CONDIÇÕES IMPEDITIVAS PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS NO SEP A nova NR 10 visando garantir uma maior proteção aos trabalhadores que, direta ou indiretamente, interajam em instalações elétricas e serviços

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA ADENDO AS NORMAS DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADAS DO SISTEMA ENERGISA À NORMA REGULAMENTADORA Nº010 NR

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA ADENDO AS NORMAS DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADAS DO SISTEMA ENERGISA À NORMA REGULAMENTADORA Nº010 NR NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-021 ADENDO AS NORMAS DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADAS DO SISTEMA ENERGISA À NORMA REGULAMENTADORA Nº010 NR 010 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES...

Leia mais

NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NR 10: Portaria n.º 598, de 07/12/2004 (D.O.U. de 08/12/2004 Seção 1) Ementas: Portaria n.º 126, de 03/06/2005 (D.O.U. de 06/06/2005 Seção 1) NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS

Leia mais

Art. 2º Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 2º Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação. PORTARIA MTE Nº 143, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2005 Altera no Ementário - Elementos para lavratura de autos de infração as ementas referentes à Norma Regulamentadora Nº 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade

Leia mais

Discutindo a Nova NR-10

Discutindo a Nova NR-10 Discutindo a Nova NR-10 BIFFE, Wagner Antonio. Especialista, Engenheiro Eletricista e Segurança do Trabalho, Depto. de Operações, CEMAT, Cuiabá MT, wagner.biffe@mail.com Resumo: Este artigo apresenta considerações

Leia mais

ANEXO IV NR16 ATIVIDADES E OPERAÇOES PERIGOSAS COM ENERGIA ELÉTRICA PORTARIA N.º DE 16 DE JULHO DE 2014

ANEXO IV NR16 ATIVIDADES E OPERAÇOES PERIGOSAS COM ENERGIA ELÉTRICA PORTARIA N.º DE 16 DE JULHO DE 2014 ANEXO IV NR16 ATIVIDADES E OPERAÇOES PERIGOSAS COM ENERGIA ELÉTRICA PORTARIA N.º 1.078 DE 16 DE JULHO DE 2014 Apresentação: Eng. Aguinaldo Bizzo de Almeida Engenheiro Eletricista / Segurança do Trabalho

Leia mais

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PREVENÇÃO E CONTROLE DE RISCOS SETOR ELÉTRICO AULA 1 Prof. Luiz Paulo Corrêa Vallandro Engenheiro Eletricista Engenheiro de Segurança do Trabalho

Leia mais

NR-10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NR-10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NR-10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE Alterado pela Portaria MTPS nº 508, de 02/05/2016 - DOU de 02/05/2016 Alterado pela Portaria GM nº 598, de 07 de dezembro de 2004 - DOU 08/09/2004

Leia mais

É o trabalhador qualificado ou capacitado e o profissional habilitado, nos termos da legislação específica e com a anuência formal da empresa.

É o trabalhador qualificado ou capacitado e o profissional habilitado, nos termos da legislação específica e com a anuência formal da empresa. 1/6 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para a concessão do adicional de periculosidade pela execução de atividades de risco elétrico em áreas de risco elétrico, a empregados, requisitados e contratados

Leia mais

A INSPEÇÃO FINAL DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

A INSPEÇÃO FINAL DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS VI ESW Brasil 2013 Seminário Internacional de Engenharia Elétrica na Segurança do Trabalho A INSPEÇÃO FINAL DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Autor:Eng. Gerson Sampaio Filho. Organização/Empresa:TEKNERGIA LTDA

Leia mais

PORTARIA 598 MTE, DE (DO-U DE )

PORTARIA 598 MTE, DE (DO-U DE ) PORTARIA 598 MTE, DE 7-12-2004 (DO-U DE 8-12-2004) TRABALHO SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Instalações e Serviços em Eletricidade Modifica as normas relativas à segurança em Instalações e Serviços em

Leia mais

- NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

- NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE - NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE 10.1 - OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Item 10.1 da NR 10 alterado pelo art. 1º da Portaria MTE nº 598 - DOU 08/12/2004.

Leia mais

Port. MTE 598/04 - Port. - Portaria MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO nº 598 de

Port. MTE 598/04 - Port. - Portaria MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO nº 598 de Portaria MTE nº 598, 07 de Dezembro de 2004 - Altera NR 10 D.O.U.: 08.12.2004 Port. MTE 598/04 - Port. - Portaria MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO nº 598 de 07.12.2004 D.O.U.: 08.12.2004 / ***

Leia mais

Máquinas e Equipamentos NR - 12

Máquinas e Equipamentos NR - 12 Máquinas e Equipamentos NR - 12 Publicação - Portaria GM N. 3.214, de 08 de julho de 1978 06/07/78. Atualizações - Portaria SIT N. 197, de 17 de dezembro de 2010 24/12/10. Entra em vigor - 01 de julho

Leia mais

SECCIONAMENTO AUTOMÁTICO DA ALIMENTAÇÃO NBR 5410

SECCIONAMENTO AUTOMÁTICO DA ALIMENTAÇÃO NBR 5410 SECCIONAMENTO AUTOMÁTICO DA ALIMENTAÇÃO NBR 5410 Um dispositivo de proteção deve seccionar automaticamente a alimentação do circuito por ele protegido sempre que uma falta entre parte viva e massa der

Leia mais

LISTA DE EXERCÌCIOS 1

LISTA DE EXERCÌCIOS 1 Faculdade Anhanguera de Guarulhos Rua do Rosário, 300, Centro - Guarulhos SP. Data: / / 2014 Nota: Nome RA Assinatura Ergonomia e Segurança do Trabalho José Jorge Alcoforado Curso/Turma Disciplina Professor

Leia mais

C) Especificações dos equipamentos de proteção coletiva, individual e às ferramentas, aplicáveis conforme determina a norma.

C) Especificações dos equipamentos de proteção coletiva, individual e às ferramentas, aplicáveis conforme determina a norma. 7 norma 10.1- objetivo e campo de aplicação 10.1.1 Esta Norma Regulamentadora NR, estabelece os requisitos e condições mínimas objetivando a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC: Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça - SP Eixo Tecnológico: Indústria Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico

Leia mais

CHECK-LIST TRABALHO EM ALTURA - NR 35

CHECK-LIST TRABALHO EM ALTURA - NR 35 CHECK-LIST TRABALHO EM ALTURA - NR 35 LOCAL: INSPETOR: RESPONSÁVEL PELO LOCAL: TELEFONES DE EMERGÊNCIA: DESCRIÇÃO DO SERVIÇO: DADOS DA INSPEÇÃO DATA: TELEFONE: TELEFONE: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 Condições

Leia mais

NR-10. Rotinas de trabalho PROCEDIMENTOS. Prof. Pedro Armando da Silva Jr. Engenheiro Eletricista, Dr.

NR-10. Rotinas de trabalho PROCEDIMENTOS. Prof. Pedro Armando da Silva Jr. Engenheiro Eletricista, Dr. NR-10 Rotinas de trabalho PROCEDIMENTOS Prof. Pedro Armando da Silva Jr. Engenheiro Eletricista, Dr. pedroarmando@ifsc.edu.br Objetivo Definir procedimentos básicos para execução de atividades/trabalhos

Leia mais

Segurança em Eletricidade

Segurança em Eletricidade Segurança em Eletricidade Os serviços que envolvem eletricidade podem provocar acidentes que, na maioria das vezes, são de natureza grave. Essas atividades são responsáveis por um número elevado de mortes

Leia mais

NORMA REGULAMENTADORA N.º

NORMA REGULAMENTADORA N.º SUMÁRIO SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NORMA REGULAMENTADORA N.º 10 2. Formação profissional 2.1 Qualificação 2.2 Habilitação 2.3 Capacitação 2.4 Autorização 3. Medidas de controle

Leia mais

Conhecendo a NR-12 e Suas Obrigatoriedades

Conhecendo a NR-12 e Suas Obrigatoriedades Conhecendo a NR-12 e Suas Obrigatoriedades CLT Consolidação das Leis do Trabalho É de obrigação legal para os empregadores a Lei nº 6.514, de 22 de dezembro de 1977 relativa a segurança e medicina do trabalho

Leia mais

PLANO DE CURSO PARCERIA SENAI

PLANO DE CURSO PARCERIA SENAI PLANO DE CURSO PARCERIA SENAI 1 - NOME DO CURSO: Qualificação para instalador de equipe de serviços de Rede de Distribuição Aérea. (multifuncional) 2 - ÁREA: Energia Elétrica Sub área Sistema Elétrico

Leia mais

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Instalações e Dispositivos Elétricos Dispositivos de Partida, Acionamento e Parada Dispositivos de Parada de Emergência Clarice I. Lorenzi Eng.

Leia mais

Concurso Público para provimento de cargo efetivo de Docentes. Edital 12/2015 ENGENHARIA ELÉTRICA Campus São João del-rei

Concurso Público para provimento de cargo efetivo de Docentes. Edital 12/2015 ENGENHARIA ELÉTRICA Campus São João del-rei Questão 01 Considere um instrumento de medição básico de tensão de alcance 10 V e corrente máxima igual a 5 ma. Foi calculado um resistor de 24 Ω, com a finalidade de aumentar o calibre para 130 V. Calcule

Leia mais

Resumo de Acidente Analisado Inspeção nº:

Resumo de Acidente Analisado Inspeção nº: Morte em razão de contato com rede aérea energizada durante obra Palavras-chave: Morte Contato Rede aérea energizada 1. Dados do empregador Razão Social: Quântica Engenharia Ltda. Número de empregados:

Leia mais

EQUIPAMENTOS E FERRAMENTAS DE TRABALHO (escolha, uso, conservação, verificação, ensaios).

EQUIPAMENTOS E FERRAMENTAS DE TRABALHO (escolha, uso, conservação, verificação, ensaios). EQUIPAMENTOS E FERRAMENTAS DE TRABALHO (escolha, uso, conservação, verificação, ensaios). 10.2 - MEDIDAS DE CONTROLE 10.2.4 Os estabelecimentos com carga instalada superior a 75 kw devem constituir e manter

Leia mais

Instalações Elétricas de BT I. Odailson Cavalcante de Oliveira

Instalações Elétricas de BT I. Odailson Cavalcante de Oliveira Instalações Elétricas de BT I Odailson Cavalcante de Oliveira NBR 5410 Evolução: Primeira edição em 1941 (Norma Brasileira para Execução de Instalações Elétricas). Segunda edição em 1960. Terceira edição

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO A norma brasileira para instalações elétricas de baixa tensão é a NBR 5410 Fixa as condições que as instalações de baixa tensão devem atender; Primeira edição de 1941;

Leia mais

ASPECTOS DE SEGURANÇA EM ELETRICIDADE

ASPECTOS DE SEGURANÇA EM ELETRICIDADE ASPECTOS DE SEGURANÇA EM ELETRICIDADE Prof.: Luís M. Nodari luis.nodari@ifsc.edu.br http://www.joinville.ifsc.edu.br/~luis.nodari/ Parte 3 1 2 PIE - PRONTUÁRIO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 3 O PIE é um conjunto

Leia mais

NR-12 aplicada à máquinas da linha amarela. Marcus C. Lacerda Engenheiro Mecânico e Sócio-diretor OPERACTION

NR-12 aplicada à máquinas da linha amarela. Marcus C. Lacerda Engenheiro Mecânico e Sócio-diretor OPERACTION NR-12 aplicada à máquinas da linha amarela Marcus C. Lacerda Engenheiro Mecânico e Sócio-diretor OPERACTION Mercado de Máquinas Pesadas - Brasil (Estimativa) Retroescavadeiras Pás carregadeiras Escavadeiras

Leia mais

SEGURANÇA DO TRABALHO INTRODUÇÃO

SEGURANÇA DO TRABALHO INTRODUÇÃO SEGURANÇA DO TRABALHO INTRODUÇÃO Breve História da Revolução Industrial (1760-1830) Art. 82 Decreto-Lei 7.036 de 10.11.1944 Institucionalização da CIPA Art. 7º da Constituição Federal Promulgada em 05-10-1988

Leia mais

Legislação do Ministério do Trabalho e Emprego (NR s)

Legislação do Ministério do Trabalho e Emprego (NR s) Legislação do Ministério do Trabalho e Emprego (NR s) http://www.mte.gov.br/ NR 01 Disposições Gerais 02 Inspeção Prévia 03 Embargo ou Interdição TEMA 04 Serviços Especializados em Eng. de Segurança

Leia mais

www.maconeglian.com.br Quem Somos A MA CONEGLIAN é uma empresa dedicada ao ramo da engenharia elétrica, com 17 anos de atividade e grande experiência. Temos o intuito de oferecer à sua empresa nossos serviços

Leia mais

Submódulo Operação das instalações da Rede de Operação

Submódulo Operação das instalações da Rede de Operação Submódulo 10.12 Operação das instalações da Rede de Operação Rev. Nº. 1.1 2016.12 Motivo da revisão Adequação ao artigo nº 20 da Resolução Normativa ANEEL nº 376/09, de 25 de agosto de 2009. Versão decorrente

Leia mais

PORTARIA 598 MTE, DE (DO-U DE )

PORTARIA 598 MTE, DE (DO-U DE ) PORTARIA 598 MTE, DE 7-12-2004 (DO-U DE 8-12-2004) TRABALHO SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Instalações e Serviços em Eletricidade Modifica as normas relativas à segurança em Instalações e Serviços em

Leia mais

NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE PROPOSTA DA NOVA REDAÇÃO. Engº Aguinaldo Bizzo de Almeida

NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE PROPOSTA DA NOVA REDAÇÃO. Engº Aguinaldo Bizzo de Almeida NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE PROPOSTA DA NOVA REDAÇÃO. Engº Aguinaldo Bizzo de Almeida SISTEMA ELÉTRICO DE POTÊNCIA NÍVEIS DE TENSÃO ALTA TENSÃO TENSÃO DE TRANSMISSÃO TENSÃO

Leia mais

CAPÍTULO V. NR-10 - Norma Regulamentadora de Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade

CAPÍTULO V. NR-10 - Norma Regulamentadora de Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade CAPÍTULO V NR-10 - Norma Regulamentadora de Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade PROFESSOR: SÉRGIO QUEIROZ DE ALMEIDA 1 NR-10 - Norma Regulamentadora de Segurança em Instalações e Serviços

Leia mais

Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos Sistemas de Gestão da Qualidade. Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional

Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos Sistemas de Gestão da Qualidade. Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - QUALIDADE, MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL Empresa: Cristal Raidalva Rocha OBJETIVO Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos

Leia mais

Instituto Superior de Tecnologia. NR-34 e 35. Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira

Instituto Superior de Tecnologia. NR-34 e 35. Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira Instituto Superior de Tecnologia NR-34 e 35 Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira NR-34 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval NR-34 Tem por finalidade estabelecer

Leia mais

Elétricas e Serviços com Eletricidade

Elétricas e Serviços com Eletricidade Segurança em Instalações Elétricas e Serviços com Eletricidade 1 NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇOES E SERVIÇOS COM A ELETRICIDADE O curso é teórico e prático e tem carga horária de 40 horas. O curso será ministrado

Leia mais

Posicionamento Consultoria De Segmentos Norma Regulamentadora Nº 9 - Descrição das medidas de controles já existentes

Posicionamento Consultoria De Segmentos Norma Regulamentadora Nº 9 - Descrição das medidas de controles já existentes Norma Regulamentadora Nº 9 - Descrição das medidas de controles já existentes 04/04/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação...

Leia mais

O que representa a sigla NR? Normas Regulamentadoras

O que representa a sigla NR? Normas Regulamentadoras O que representa a sigla NR? Normas Regulamentadoras Instrumentos legais editados pelo Ministério do Trabalho e Emprego que regulamentam e fornecem orientações do conjunto de requisitos e procedimentos

Leia mais

2º Work Shop Internacional de Trabalhos em Altura engº Gianfranco Pampalon Auditor fiscal do trabalho

2º Work Shop Internacional de Trabalhos em Altura engº Gianfranco Pampalon Auditor fiscal do trabalho 14/03/2011 2º Work Shop Internacional de Trabalhos em Altura engº Gianfranco Pampalon Auditor fiscal do trabalho NR.36 TRABALHOS EM ALTURA Esta norma é aplicável a qualquer trabalho realizado acima de

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. Programa Risco Visto APR Realizada, riscos controlados, acidentes reduzidos

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. Programa Risco Visto APR Realizada, riscos controlados, acidentes reduzidos XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Programa Risco Visto APR Realizada, riscos controlados, acidentes reduzidos Walmir

Leia mais

Prevenção de riscos elétricos em locais de trabalho

Prevenção de riscos elétricos em locais de trabalho Prevenção de riscos elétricos em locais de trabalho SEGURANÇA DE PESSOAS: TECNOLOGIAS E CONCEITOS 1 Sumário Acidentes com a eletricidade. Porque acontecem Proteção contra choques elétricos Prevenção de

Leia mais

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva 1. HISTÓRICO DE REVISÕES Revisão: 02 Página 1 de 6 DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20/08/2013 00 Emissão inicial 21/08/2014 01 03/12/2015 02 Definição mais clara da sistemática de tratativa de cargas

Leia mais

ABNT NBR5410: Objetivos. Prof. Getúlio Teruo Tateoki

ABNT NBR5410: Objetivos. Prof. Getúlio Teruo Tateoki ABNT NBR5410: 5410 Objetivos Prof. Getúlio Teruo Tateoki Objetivo Estabelece as condições a que devem satisfazer as instalações elétricas de baixa tensão, a fim de garantir a segurança de pessoas e animais,

Leia mais

INFORMATIVO Sistemas de Proteção contra Quedas O QUE HÁ DE NOVO?

INFORMATIVO Sistemas de Proteção contra Quedas O QUE HÁ DE NOVO? INFORMATIVO Sistemas de Proteção contra Quedas O QUE HÁ DE NOVO? Esta proposta de texto trata-se do Anexo II (REVISÃO DO ITEM 35.5 - EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL, ACESSÓRIOS E SISTEMAS DE ANCORAGEM)

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS COMENTADAS SOBRE NR 13

PERGUNTAS E RESPOSTAS COMENTADAS SOBRE NR 13 PERGUNTAS E RESPOSTAS COMENTADAS SOBRE NR 13 O que são vasos e caldeiras para fins de aplicação da NR 13? Caldeiras a vapor são equipamentos destinados a produzir e acumular vapor sob pressão superior

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 VisÇo Geral

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 VisÇo Geral Curso Técnico Segurança do Trabalho Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 VisÇo Geral A NR18 é a norma que regulamenta a Segurança e Medicina do Trabalho na Indústria da Construção

Leia mais

Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança

Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança Aula Norma NR 12 Eletromecânica Módulo 1 Professor: Sergio Luis Brockveld Junior Objetivo da aula Informar, formar e orientar Engenheiros e técnicos no que diz

Leia mais

Curso de Engenharia de Manutenção de Linhas de Transmissão - ENGEMAN LT (Recife Novembro de 2007) Ementas das Palestras. Dia 19/11/2007(segunda-feira)

Curso de Engenharia de Manutenção de Linhas de Transmissão - ENGEMAN LT (Recife Novembro de 2007) Ementas das Palestras. Dia 19/11/2007(segunda-feira) Curso de Engenharia de Manutenção de Linhas de Transmissão - ENGEMAN LT (Recife Novembro de 2007) Ementas das Palestras Dia 19/11/2007(segunda-feira) Fundamentos de Projeto de Linhas de Transmissão O Setor

Leia mais

PROJETOS ELÉTRICOS EBOOK

PROJETOS ELÉTRICOS EBOOK PROJETOS ELÉTRICOS EBOOK ENTENDENDO SOBRE REDES ELÉTRICAS A REDE ELÉTRICA PODE SER DIVIDIDA EM 3 GRUPOS, DE ACORDO COM A TENSÃO: BAIXA TENSÃO acima de 50V até 1.000V MÉDIA TENSÃO acima de 1.000V até 69.000V

Leia mais

BEM-VINDO. Ao Seminário Estadual sobre Segurança em Máquinas com NR 12. TEMA Conceitos Fundamentais

BEM-VINDO. Ao Seminário Estadual sobre Segurança em Máquinas com NR 12. TEMA Conceitos Fundamentais BEM-VINDO Ao Seminário Estadual sobre Segurança em Máquinas com NR 12 TEMA Conceitos Fundamentais Marcelo Vandresen, Dr.Eng.Mec. 1989 - Tecnico em Mecânica Manutenção 1994 - Engenheiro Mecânico 1995 -

Leia mais

GERÊNCIA DE NORMAS E PADRÕES ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT-003/2015 (NT , NT , NT

GERÊNCIA DE NORMAS E PADRÕES ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT-003/2015 (NT , NT , NT 1 OBJETIVO A presente Orientação Técnica altera e complementa as normas de fornecimento contemplando as mudanças ocorridas em conformidade com as alterações da REN 414/2010 da ANEEL, implementadas através

Leia mais

(12) Rod. Geraldo Scavone, 2080 Jd. Califórnia Condomínio Indusvale Incubadora CEP: Jacareí/SP

(12) Rod. Geraldo Scavone, 2080 Jd. Califórnia Condomínio Indusvale Incubadora CEP: Jacareí/SP (12) 9 7404.2887 Rod. Geraldo Scavone, 2080 Jd. Califórnia Condomínio Indusvale Incubadora CEP: 12.305-490 - Jacareí/SP 02 Localizada no Vale do Paraíba, a Energy Economy surgiu com o intuito de gerar

Leia mais

CAPÍTULO 11 INFRAESTRUTURA PARA EXECUÇÃO DAS OBRAS

CAPÍTULO 11 INFRAESTRUTURA PARA EXECUÇÃO DAS OBRAS CAPÍTULO 11 INFRAESTRUTURA PARA EXECUÇÃO DAS OBRAS REV. 1 CAPÍTULO 14 INSTALAÇÃO DE CANTEIRO DE OBRAS PÁG. 1 6 ÍNDICE CAPÍTULO 11 INFRAESTRUTURA PARA EXECUÇÃO DAS OBRAS... 1 11.1 - CONDIÇÕES GERAIS...

Leia mais

TÉCNICAS DE TRABALHOS SOB TENSÃO

TÉCNICAS DE TRABALHOS SOB TENSÃO TÉCNICAS DE TRABALHOS SOB TENSÃO TÉCNICA DE LINHA VIVA São atividades realizadas sem o desligamento da linha e mediante a adoção de procedimentos que garantem a segurança dos trabalhadores. Foi desenvolvida

Leia mais

VII IEEE ESW-Brasil 2015

VII IEEE ESW-Brasil 2015 VII IEEE ESW-Brasil 2015 Engenharia Elétrica na Segurança do Trabalho 2 a 3 de dezembro de 2015 Rio de Janeiro Brasil DESENERGIZAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA E ALTA TENSÃO João Gilberto Cunha

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR Carpintaria Versão_CPN. TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões)

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR Carpintaria Versão_CPN. TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões) PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR 18 18.7. Carpintaria Versão_CPN TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões) 18.7.1. As operações em máquinas e equipamentos necessários à realização da atividade de

Leia mais