COORDENADOR LÍDER EMISSOR CEDENTE / DEVEDOR ASSESSOR LEGAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COORDENADOR LÍDER EMISSOR CEDENTE / DEVEDOR ASSESSOR LEGAL"

Transcrição

1 CRI Socicam Emissão de séries sênior e subordinada da REIT Securitizadora S/A CONFIDENCIAL Agosto/2012 COORDENADOR LÍDER EMISSOR CEDENTE / DEVEDOR ASSESSOR LEGAL Termo de Responsabilidade: Esta apresentação é confidencial e não deverá ser usada sem a autorização expressa por escrito da Sociedade Corretora Paulista S/A - Socopa. A oferta pública de CRIs descrita neste material de divulgação esta sujeita aos termos da Instrução CVM no 476, de 16 de Janeiro de 2009, assim sendo, o material de divulgação está sujeito a controle restrito e somente poderá ser entregue a no máximo 50 (cinquenta) investidores qualificados. Esta apresentação não considera ou está desenhada de acordo com objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades de qualquer cliente em particular. Nenhum investidor deverá tomar qualquer decisão de investimento por influência de informações contidas nesta apresentação, antes de qualquer decisão de investimento em produtos semelhantes aconselhamos a análise da situação particular de cada investidor e de sua política de investimentos, bem como uma profunda diligência sobre as características específicas de tal investimento. Este material não é para distribuição ao público e não poderá ser divulgado a terceiros sobre pena de danos morais conforme o determinado no código civil e na lei brasileira. Informações adicionais poderão ser obtidas através de requisição formal. O INTERESSADO EM OBTER INFORMA ÇÕES DETALHADAS DESTA EMISSÃO DEVERÁ OBSERVAR O DISPOSTO NO TERMO DE SECURITIZAÇÃO.

2 CARACTERÍSTICAS DA OFERTA PÚBLICA Emissor: Coordenador líder: Cedente / devedor: Agente fiduciário: Série e emissão: REIT Securitizadora S/A Socopa Socicam Administração Pentágono S/A Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários 1ª e 2ª séries da 1ª emissão Data e local de emissão: 10/08/2012, Rio de Janeiro RJ Rating da emissão: LF Rating: AA- As cotas seniores da 1ª emissão obtiveram a classificação de baixo risco de crédito Quantidade de CRIs: Valor global da série: 100 CRIs Valor nominal unitário: ,00 Prazo de amortização: Atualização monetária: Taxa interna de retorno (TIR): ,00 na data de emissão 84 meses Índice Geral de Preços do Mercado, apurado pela FGV-RJ 9,0% a.a. Data da primeira PMT: 10/10/2012 Periodicidade: Mensal Garantias da emissão: Emissão contando com 10% de cotas subordinadas detidas pelo cedente/devedor Cessão fiduciária de direitos creditórios e obrigação de cobrança de recebíveis em conta vinculada Fundo de reserva Aval dos controladores da cedente Créditos vinculados a emissão: CCIs decorrentes de Contratos de Locação, referentes a 246 módulos de uso comercial, com valor nominal projetado de R$ ,00 Regime fiduciário: Patrimônio de afetação 2

3 CEDENTE / DEVEDOR Fundada em fevereiro de 1972, a Socicam é pioneira na gestão de espaços públicos de terminais de passageiros, e de centrais de atendimento ao cidadão: 4 aeroportos, 50 terminais rodoviários, 2 portos, 70 terminais urbanos, 20 estacionamentos e 29 centrais de atendimento; 205 milhões de passageiros atendidos anualmente; 3,9 mil funcionários; 40 anos de experiência no Brasil e atuação internacional no Chile e no Peru. 3

4 ESTRUTURA DA EMISSÃO 4 PENTÁGONO DTVM 1) A Socicam Administração realiza a cessão definitiva de direitos creditórios oriundos de 246 contratos de locação, represen-ados por CCIs de sua emissão Securitizadora CRI CCI CCI INVESTIDORES 2) Paralelamente, a Socicam realiza a Cessão Fiduciária de outros 415 contratos de locação, em garantia do pagamento das obrigações do CRI 3 3) A REIT Securitizadora emite 100 CRIs com lastro nas CCIs CCIs CCI CCI 1 2 Contratos com cessão definitiva Contratos com cessão fiduciária em garantia Demais contratos da companhia 5 Conta vinculada ( Banco Itaú ) 4) A SOCOPA realiza a distribuição ao mercado, dos CRI emitidos pela securitizadora, nos termos da ICVM 476/2009 5) Mensalmente a SOCICAM recebe o pagamento dos aluguéis em uma conta vinculada no Banco Itaú, de onde os recursos são transferidos para os investidores, para pagamento dos juros, correção monetária e amortização dos CRI 4

5 GARANTIAS DA EMISSÃO Subordinação - Emissão contando com 10% de cotas subordinadas, detidas pelo cedente/devedor na data da emissão - Instituição de Regime Fiduciário sobre os direitos creditórios vinculados a emissão Garantias - Cessão fiduciária em garantia, de direitos creditórios compondo volume mínimo de 100% do saldo devedor dos CRIs - Obrigação da substituição de contratos inadimplentes a mais de 60 dias - Obrigação de cobrança de recebíveis em conta vinculada, na proporção mínima de 150% da prestação contratada Garantias acessórias - Fundo de reserva composto pela retenção de 10 PMTs relativos as cotas subordinadas da emissão - Aval dos controladores da cedente 5

6 DIREITOS CREDITÓRIOS VINCULADOS Contratos cedidos 26% Terminal Tietê Contratos cedidos Maior aluguel 5,13% 74% Terminal Barra Funda 10 maiores aluguéis 30,42% Contratos em garantia 25% 19% 12% Terminal Recife Terminal João Tomé Terminal Natal Terminal Petrolina Terminal Caruaru Terminal Jabaquara Terminal Antônio Bezerra Terminal Jundiaí Terminal Arco Verde Terminal Garanhuns Terminal Gravatá Terminal Serra Talhada Contratos cedidos Maior aluguel 24,7% 10 maiores aluguéis 37,27% 6

7 FLUXO DOS CRIs Juros Amortização

8 FATORES DE RISCO O investimento em CRI envolve uma série de riscos que deverão ser observados pelo potencial investidor. Esses riscos envolvem fatores de liquidez, crédito, mercado, rentabilidade, regulamentação específica, entre outros, que se relacionam tanto à Emissora, quanto à Cedente e aos próprios CRI, objeto desta Emissão. O potencial investidor deve ler cuidadosamente todas as informações que estão descritas neste Termo, bem como consultar seu consultor de investimentos e outros profissionais que julgar necessários antes de tomar uma decisão de investimento: Direitos dos Credores da Emissora: a presente Emissão tem como lastro Créditos Imobiliários, os quais constituem Patrimônio Separado do patrimônio comum da Emissora. As Leis nºs 9.514/1997 e /2004 possibilitam que os Créditos Imobiliários sejam segregados dos demais ativos e passivos da Emissora. No entanto, como se trata de uma legislação recente, ainda não há jurisprudência firmada com relação ao tratamento dispensado aos demais credores da Emissora no que se refere a créditos trabalhistas, fiscais e previdenciários, em face do que dispõe o artigo 76 da Medida Provisória nº /2001. Dessa forma, os credores fiscais, previdenciários ou trabalhistas que a Emissora, e, eventualmente, de pessoas físicas e jurídicas pertencentes ao mesmo grupo econômico da Emissora, eventualmente venha a ter, poderão concorrer de forma privilegiada com os titulares do CRI sobre o produto de realização dos Créditos Imobiliários, em caso de falência, ainda que integrantes do Patrimônio Separado. Nesta hipótese, é possível que os créditos imobiliários não sejam suficientes para o pagamento integral dos CRI após o pagamento daqueles credores; Pagamento Condicionado e Descontinuidade: as fontes de recursos da Emissora para fins de pagamento aos investidores decorrem direta ou indiretamente: (i) dos pagamentos dos Créditos Imobiliários; e (ii) da liquidação das Garantias da Emissão. Os recebimentos acima podem ocorrer posteriormente às datas previstas para pagamento dos CRI, podendo causar descontinuidade do fluxo de caixa esperado dos CRI. Após o recebimento dos sobreditos recursos e, se for o caso, depois de esgotados todos os meios legais cabíveis para a cobrança judicial ou extrajudicial dos Créditos Imobiliários e Garantias, caso estes não sejam suficientes, a Emissora não disporá de quaisquer outras verbas para efetuar o pagamento de eventuais saldos aos investidores; Risco de Revisão do Aluguel ou Modificação nos Contratos de Locação. nos termos da Lei do inquilinato, a cada três anos os locatários poderão pleitear a revisão judicial do valor do aluguel para adequá-lo ao valor de mercado. Caso os aluguéis tenham seus valores revisados de maneira que sejam diminuídos, haverá uma redução do fluxo de pagamento dos Créditos Imobiliários, o que poderá afetar, total ou parcialmente, a capacidade de pagamento das obrigações sob os CRI; Risco de Rescisão dos Contratos de Arrendamento: a presente Emissão tem como lastro Créditos Imobiliários, os quais são oriundos do direito da Cedente de realizar a exploração comercial do Terminal Tietê e do Terminal Barra Funda, nos termos dos Contratos de Arrendamento. A eventual rescisão dos Contratos de Arrendamento por qualquer motivo ocasionará um evento de recompra compulsória dos Créditos Imobiliários pela Cedente, o que poderá resultar em eventual Amortização Extraordinária ou Resgate Antecipado dos CRI; 8

9 FATORES DE RISCO Riscos Financeiros: há três espécies de riscos financeiros geralmente identificados em operações de securitização no mercado brasileiro: (i) riscos decorrentes de possíveis descompassos entre as taxas de remuneração de ativos e passivos; (ii) risco de insuficiência de garantia por acúmulo de atrasos ou perdas; e (iii) risco de falta de liquidez; Risco Tributário: este pode ser definido como o risco de perdas devido à criação ou majoração de tributos, nova interpretação ou, ainda, interpretação diferente que venha a se consolidar sobre a incidência de quaisquer tributos, obrigando a Emissora ou os titulares dos CRI a novos recolhimentos, ainda que relativos a operações já efetuadas; Risco de Resgate Antecipado: os CRI poderão estar sujeitos, na forma definida neste Termo, a eventos de resgate antecipado. A efetivação destes eventos poderá resultar em dificuldades de re-investimento por parte dos investidores à mesma taxa estabelecida como remuneração dos CRI; Risco de Integralização dos CRI com Ágio: os CRI poderão ser integralizados pelo investidor com ágio, calculado em função da rentabilidade esperada pelo investidor ao longo do prazo de amortização dos CRI originalmente programado. Em caso de antecipação do pagamento dos Créditos Imobiliários, os recursos decorrentes dessa antecipação serão imputados pela Emissora na amortização extraordinária ou resgate antecipado dos CRI, nos termos previstos neste Termo, hipótese em que o valor a ser recebido pelo investidor poderá não ser suficiente para reembolsar integralmente o investimento realizado, frustrando a expectativa de rentabilidade que motivou o pagamento do ágio. Neste caso, nem o Patrimônio Separado, nem mesmo a Emissora, disporão de outras fontes de recursos para satisfação dos interesses dos investidores; Risco de Estrutura: a presente Emissão tem o caráter de operação estruturada ; desta forma e pelas características inerentes a este conceito, a arquitetura da Emissão considera um conjunto de rigores e obrigações de parte a parte, estipulados através de contratos públicos ou privados tendo por diretriz a legislação em vigor. No entanto, em razão da pouca maturidade e da falta de tradição e jurisprudência no mercado de capitais brasileiro, no que tange a operações de CRI, em situações de stress, poderá haver perdas por parte dos investidores em razão do dispêndio de tempo e recursos para eficácia do arcabouço contratual; Risco Decorrente de Ações Judiciais: este pode ser definido como o risco decorrente de eventuais condenações judiciais da Cedente, nas esferas cível, fiscal e trabalhista; Risco em Função da Dispensa de Registro: a Oferta, distribuída nos termos da Instrução CVM nº 476/2009, está dispensada de registro perante a CVM, de forma que as informações prestadas pela Emissora e pelo Coordenador não foram objeto de análise pela referida autarquia federal; e Demais Riscos: Os CRI estão sujeitos às variações e condições dos mercados de atuação dos Lojistas, que são afetados principalmente pelas condições políticas e econômicas. Os CRI também poderão estar sujeitos a outros riscos advindos de motivos alheios ou exógenos, tais como moratória, mudanças nas regras aplicáveis aos CRI, decisões judiciais etc. Ao subscrever os CRIs, o investidor declara que conhece, avaliou e ponderou os riscos envolvidos na subscrição, incluindo mas não se limitando aos fatores de risco referidos no Termo de Securitização, tendo avaliado e tomado a decisão de investimento nos CRI com a devida atenção e cautela. 9

10 Informações adicionais, contate:

EMISSÃO DE SÉRIES SÊNIOR E SUBORDINADA DA REIT SECURITIZADORA

EMISSÃO DE SÉRIES SÊNIOR E SUBORDINADA DA REIT SECURITIZADORA EMISSÃO DE SÉRIES SÊNIOR E SUBORDINADA DA REIT SECURITIZADORA A EMISSÃO A EMISSÃO PARTICIPANTES DA OFERTA Coordenador Líder Emissor Cedente Agente Fiduciário Assessor Legal Rating Revisão jurídica Rating

Leia mais

REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S.A. (Prata Forte) 3º Série da 2ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários

REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S.A. (Prata Forte) 3º Série da 2ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S.A. (Prata Forte) 3º Série da 2ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários ÍNDICE CARACTERÍSTICAS DOS CRI s... 3 CARACTERIZAÇÃO DA EMISSORA... 3

Leia mais

REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S.A. 1ª e 2ª SÉRIES da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS

REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S.A. 1ª e 2ª SÉRIES da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S.A. 1ª e 2ª SÉRIES da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de

Leia mais

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI. Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI. Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Certificado de Recebíveis Imobiliários Instrumento de captação de recursos e de investimentos no mercado imobiliário O produto O Certificado

Leia mais

SECURITIZAÇÃO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS 28/10/2014 - IBCPF

SECURITIZAÇÃO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS 28/10/2014 - IBCPF SECURITIZAÇÃO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS 28/10/2014 - IBCPF Conceito 1 Conceito Integração dos mercados imobiliário e de capitais, de modo a permitir a captação de recursos necessários para o desenvolvimento

Leia mais

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO 1ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários Séries: 95ª e 96ª Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2009 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA

Leia mais

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO 1ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários Séries: 95ª e 96ª Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2011 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA

Leia mais

Kinea Renda Imobiliária

Kinea Renda Imobiliária Introdução O é um fundo que busca aplicar recursos em empreendimentos corporativos e centros de distribuição de excelente padrão construtivo, de forma diversificada e preferencialmente prontos. Uma oportunidade

Leia mais

Material Explicativo sobre Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI)

Material Explicativo sobre Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) Material Explicativo sobre (CRI) 1. Definições Gerais Os Certificados de Recebíveis são títulos lastreados em créditos imobiliários, representativos de parcelas de um direito creditório. O ativo permite

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS DA INDÚSTRIA EXODUS INSTITUCIONAL. 1 - Nome do Cotista 2 - Identificação do Cotista

FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS DA INDÚSTRIA EXODUS INSTITUCIONAL. 1 - Nome do Cotista 2 - Identificação do Cotista TERMO DE ADESÃO AO REGULAMENTO E CIÊNCIA DE RISCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS DA INDÚSTRIA EXODUS INSTITUCIONAL 1 - Nome do Cotista 2 - Identificação do Cotista 3 - Agência N 4 - Conta

Leia mais

ABECIP / SECOVI / ORDEM DOS ECONOMISTAS DO BRASIL IMPLEMENTAÇÃO DO SECURITIZAÇÃO NO BRASIL 05/08/2010

ABECIP / SECOVI / ORDEM DOS ECONOMISTAS DO BRASIL IMPLEMENTAÇÃO DO SECURITIZAÇÃO NO BRASIL 05/08/2010 ABECIP / SECOVI / ORDEM DOS ECONOMISTAS DO BRASIL IMPLEMENTAÇÃO DO S.F.I. SECURITIZAÇÃO NO BRASIL 05/08/2010 A IMPORTÂNCIA DO SFI NO BRASIL LEGISLAÇÃO REGULAMENTAÇÃO ARCABOUÇO LEGAL PRONTO Base Legal Fonte

Leia mais

Apresentação Preliminar. Grupo Incefra Certificados de Recebíveis Imobiliários Junho, 2014

Apresentação Preliminar. Grupo Incefra Certificados de Recebíveis Imobiliários Junho, 2014 Apresentação Preliminar Grupo Incefra Certificados de Recebíveis Imobiliários Junho, 2014 Disclaimer Esta apresentação está sendo disponibilizada para análise, em caráter personalíssimo, no âmbito da oferta

Leia mais

Material Explicativo sobre Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA)

Material Explicativo sobre Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA) Material Explicativo sobre (CRA) 1. Definições Gerais Os Certificados de Recebíveis estão vinculados a direitos creditórios originários de negócios realizados, em sua maioria, por produtores rurais ou

Leia mais

NOVA SECURITIZAÇÃO S.A. EXERCÍCIO DE 2014

NOVA SECURITIZAÇÃO S.A. EXERCÍCIO DE 2014 NOVA SECURITIZAÇÃO S.A. 17ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores

Leia mais

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO. 206ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO. 206ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO 206ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII Crédito lastreado em imóveis, alta rentabilidade e fluxo de caixa constante, com a solidez do concreto.

Leia mais

BRAZIL REALTY - COMPANHIA SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS. 1ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS

BRAZIL REALTY - COMPANHIA SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS. 1ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS BRAZIL REALTY - COMPANHIA SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS 1ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro,

Leia mais

BARIGUI SECURITIZADORA S.A.

BARIGUI SECURITIZADORA S.A. BARIGUI SECURITIZADORA S.A. 1ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários Série: 4ª Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2014 BARIGUI SECURITIZADORA S.A. 1ª Emissão de Certificados

Leia mais

TRX SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. 1ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS

TRX SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. 1ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS TRX SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. 1ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de

Leia mais

Material Explicativo sobre FIC-FIDC e FIDC

Material Explicativo sobre FIC-FIDC e FIDC Material Explicativo sobre 1. Definições Gerais Os Fundos de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIC-FIDC) são aqueles que investem pelo menos 95% de seu patrimônio

Leia mais

Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC. Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC

Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC. Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios - FIDC Uma alternativa de investimento atrelada aos créditos das empresas O produto O Fundo de Investimento em Direitos Creditórios

Leia mais

Securitização de Recebíveis Imobiliários (Emissão de CRIs) Vladimir Miranda Abreu

Securitização de Recebíveis Imobiliários (Emissão de CRIs) Vladimir Miranda Abreu Securitização de Recebíveis Imobiliários (Emissão de CRIs) Vladimir Miranda Abreu vabreu@tozzini.com.br Sistema Financeiro Imobiliário - SFI Lei 9.514/97: Promover o financiamento imobiliário em geral,

Leia mais

Alternativas de Funding para Infraestrutura no Mercado de Capitais Brasileiro

Alternativas de Funding para Infraestrutura no Mercado de Capitais Brasileiro Alternativas de Funding para Infraestrutura no Mercado de Capitais Brasileiro DEBÊNTURES DE INFRAESTRUTURA - CONCEITO Debêntures: título de crédito, representativo de dívida da companhia emissora (art.

Leia mais

GAIA SECURITIZADORA S.A 5ª Emissão de CRI 33º série

GAIA SECURITIZADORA S.A 5ª Emissão de CRI 33º série GAIA SECURITIZADORA S.A 5ª Emissão de CRI 33º série ÍNDICE CARACTERIZAÇÃO DA EMISSORA...3 CARACTERÍSTICAS DOS CERTIFICADOS...3 DESTINAÇÃO DE RECURSOS...5 FUNDO RESERVA...5 ASSEMBLÉIAS DOS TITULARES DOS

Leia mais

FUNDOS DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS FIDC

FUNDOS DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS FIDC I Curso de Férias do Grupo de Estudos de Direito Empresarial - Direito UFMG EM DIREITOS CREDITÓRIOS FIDC Evaristo Dumont de Lucena Pereira epereira@machadomeyer.com.br Patrocinadores: 2 QUE BICHO É ESSE?????

Leia mais

TRX SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. 2ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS

TRX SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. 2ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS TRX SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. 2ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de

Leia mais

Operações de Recebíveis de Royalties de Petróleo II

Operações de Recebíveis de Royalties de Petróleo II 2014 Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro Operações de Recebíveis de Royalties de Petróleo II Nota Técnica 14 Nota Técnica nº 14 Operações de Recebíveis de Royalties de

Leia mais

Cédula de Crédito Imobiliário - CCI

Cédula de Crédito Imobiliário - CCI Títulos Imobiliários Renda Fixa Cédula de Crédito Imobiliário - CCI Títulos Imobiliários Cédula de Crédito Imobiliário Instrumento que facilita a negociabilidade e a portabilidade do crédito imobiliário

Leia mais

Letras Financeiras - LF

Letras Financeiras - LF Renda Fixa Privada Letras Financeiras - LF Letra Financeira Captação de recursos de longo prazo com melhor rentabilidade O produto A Letra Financeira (LF) é um título de renda fixa emitido por instituições

Leia mais

MOVIMENTANDO OPORTUNIDADES gerando investimentos A FORTESEC. securitizadora. Home Empresa Securitização Emissões Fale Conosco

MOVIMENTANDO OPORTUNIDADES gerando investimentos A FORTESEC. securitizadora. Home Empresa Securitização Emissões Fale Conosco MOVIMENTANDO OPORTUNIDADES gerando investimentos Com credibilidade e criatividade, transformamos as novas ideias do mercado SAIBA MAIS A FORTESEC A Fortesec é uma com foco em operações estruturadas de

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI

Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Diversos veículos podem ser utilizados para securitizar recebíveis imobiliários, entretanto o uso dos Certificados de Recebíveis Imobiliários -CRI- vem caminhando

Leia mais

CIBRASEC - COMPANHIA BRASILEIRA DE SECURITIZAÇÃO

CIBRASEC - COMPANHIA BRASILEIRA DE SECURITIZAÇÃO CIBRASEC - COMPANHIA BRASILEIRA DE SECURITIZAÇÃO 2ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários Série: 153ª Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 CIBRASEC - COMPANHIA BRASILEIRA

Leia mais

Prezado(a) Associado(a),

Prezado(a) Associado(a), Prezado(a) Associado(a), Abaixo, os itens do Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para Fundos de Investimento para considerações e comentários V.Sas. A minuta trata de três mudanças, grifadas

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 531, DE 6 DE FEVEREIRO DE 2013

INSTRUÇÃO CVM Nº 531, DE 6 DE FEVEREIRO DE 2013 Altera dispositivos da Instrução CVM nº 356, de 17 de dezembro de 2001 e da Instrução CVM nº 400, de 29 de dezembro de 2003. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM torna público que o Colegiado,

Leia mais

PDG COMPANHIA SECURITIZADORA. 7ª SÉRIE da 3ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO

PDG COMPANHIA SECURITIZADORA. 7ª SÉRIE da 3ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO PDG COMPANHIA SECURITIZADORA 7ª SÉRIE da 3ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2014. Prezados Senhores

Leia mais

Julho/2008. O Que São Debêntures

Julho/2008. O Que São Debêntures Julho/2008 O Que São Debêntures As debêntures são títulos que se ajustam perfeitamente às necessidades de captação das empresas. Graças a sua flexibilidade, transformaram-se no mais importante instrumento

Leia mais

CONTRATOS COM PARTES RELACIONADAS

CONTRATOS COM PARTES RELACIONADAS CONTRATOS COM PARTES RELACIONADAS ITEM 01 Em 05 de dezembro de 2007, a Companhia firmou com o Unibanco quatro cédulas de crédito bancário, nº 044.461076-2, nº 044.461077-0, nº 044.461078-2 e nº 044.461079-6,

Leia mais

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO 1ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários Série: 190ª Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2011 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE

Leia mais

2º Congresso Internacional Gestão de Riscos FEBRABAN 23/10/2012

2º Congresso Internacional Gestão de Riscos FEBRABAN 23/10/2012 2º Congresso Internacional Gestão de Riscos FEBRABAN 23/10/2012 1. Certificados de Recebíveis Imobiliários 2. Mercado de CRI 3. Principais Investidores Conceito de Securitização Imobiliária Operação pela

Leia mais

Fundo cotado em bolsa desde seu lançamento

Fundo cotado em bolsa desde seu lançamento Fundo cotado em bolsa desde seu lançamento Esta apresentação visa apenas passar informações gerais do fundo que está sendo estruturado, e, não é e não deve ser considerada de nenhuma forma uma oferta firme,

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS CRI

CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS CRI CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS CRI Diversos veículos podem ser utilizados para securitizar recebíveis imobiliários, entretanto o uso dos Certificados de Recebíveis Imobiliários CRI vem caminhando

Leia mais

REF.: RELATÓRIO TRIMESTRAL DO MARTINS FIDC (CNPJ: 07.162.400/0001-42) - PERÍODO ENCERRADO EM 30/06/2014.

REF.: RELATÓRIO TRIMESTRAL DO MARTINS FIDC (CNPJ: 07.162.400/0001-42) - PERÍODO ENCERRADO EM 30/06/2014. São Paulo, 15 de agosto de 2014. À Comissão de es Mobiliários ( CVM ) Gerência de Acompanhamento de Fundos Estruturados - GIE Rua Sete de Setembro, 111 30º andar. 20159-900 - Rio de Janeiro - RJ REF.:

Leia mais

BB Renda de Papéis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário

BB Renda de Papéis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário BB Renda de Papéis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário Coordenador Líder Administrador e Gestor Escriturador, Controlador e Custodiante Assessor Legal Benefícios do Fundo de Investimento Imobiliário

Leia mais

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO BRASIL

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO BRASIL JANEO 2013 INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO BRASIL MEDIDA PROVISÓRIA 601/2012: BENEFÍCIOS FISCAIS DE FIDCS DE PROJETOS DE INVESTIMENTO (INCLUSIVE INFRAESTRUTURA) A. Introdução 1. A fim de aprimorar os

Leia mais

DATA, HORÁRIO E LOCAL: Em 11 de julho de 2014, às 10:00 horas, no endereço Avenida

DATA, HORÁRIO E LOCAL: Em 11 de julho de 2014, às 10:00 horas, no endereço Avenida ATA DA PRIMEIRA ASSEMBLEIA GERAL DE TITULARES DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS DAS 280ª E 281ª SÉRIES DA 1ª EMISSÃO DA BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO ("CRI"), REALIZADA EM 11

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A. Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 30 de setembro de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório dos

Leia mais

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO. CRI CERTIFICADO DE RECEBÍVEL IMOBILIÁRIO Lastro Pulverizado

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO. CRI CERTIFICADO DE RECEBÍVEL IMOBILIÁRIO Lastro Pulverizado BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO CRI CERTIFICADO DE RECEBÍVEL IMOBILIÁRIO Lastro Pulverizado 1 Brazilian Securities 8 Emissões de CRI s 8 Estrutura da Operação 8 Empresas envolvidas na Operação

Leia mais

MANUAL DE NORMAS CRI - CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS

MANUAL DE NORMAS CRI - CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS MANUAL DE NORMAS - CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS VERSÃO: 01/7/2008 2 / 11 MANUAL DE NORMAS - CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS

Leia mais

Apostila Mercado de Capitais Uninove. Parte VIII Os Títulos do Mercado de Capitais Os Títulos de Divida

Apostila Mercado de Capitais Uninove. Parte VIII Os Títulos do Mercado de Capitais Os Títulos de Divida Apostila Mercado de Capitais Uninove Parte VIII Os Títulos do Mercado de Capitais Os Títulos de Divida Titulos de Divida Debentures 2 O que são Debêntures? Debêntures são títulos emitidos por sociedades

Leia mais

Coordenador Líder Coordenador Contratado Participante Especial

Coordenador Líder Coordenador Contratado Participante Especial 1 Coordenador Líder Coordenador Contratado Participante Especial Assessor Legal 2 3 Características Os fundos de investimento imobiliário são constituídos sob a forma de condomínio fechado com o propósito

Leia mais

APRESENTAÇÃO AOS INVESTIDORES 7ª

APRESENTAÇÃO AOS INVESTIDORES 7ª APRESENTAÇÃO AOS INVESTIDORES 7ª Série da 3ª Emissão de CRI da PDG Companhia Securitizadora R$ 250.200.000,00 Os CRI estão lastreados em Cédula de Crédito Imobiliário representativa de créditos imobiliários

Leia mais

Manual para Registro de Certificado de Recebíveis Imobiliários na ANBIMA

Manual para Registro de Certificado de Recebíveis Imobiliários na ANBIMA Manual para Registro de Certificado de Recebíveis Imobiliários na ANBIMA ANBIMA Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais VERSÃO 1.0 06/10/2014 INTRODUÇÃO O presente Manual

Leia mais

"ESTE ANÚNCIO É DE CARÁTER EXCLUSIVAMENTE INFORMATIVO, NÃO SE TRATANDO DE OFERTA DE VENDA DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS"

ESTE ANÚNCIO É DE CARÁTER EXCLUSIVAMENTE INFORMATIVO, NÃO SE TRATANDO DE OFERTA DE VENDA DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS "ESTE ANÚNCIO É DE CARÁTER EXCLUSIVAMENTE INFORMATIVO, NÃO SE TRATANDO DE OFERTA DE VENDA DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS" ANÚNCIO DE ENCERRAMENTO DA DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA DE CERTIFICADOS DE

Leia mais

Conselho de Regulação e Melhores Práticas do Mercado de Capitais DELIBERAÇÃO Nº 05

Conselho de Regulação e Melhores Práticas do Mercado de Capitais DELIBERAÇÃO Nº 05 Conselho de Regulação e Melhores Práticas do Mercado de Capitais DELIBERAÇÃO Nº 05 O Conselho de Regulação e Melhores Práticas do Mercado de Capitais, no exercício das atribuições a ele conferidas pelo

Leia mais

Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII

Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII Renda Variável Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII Fundo de Investimento Imobiliário Aplicação no mercado imobiliário sem investir diretamente em imóveis O produto O Fundo de Investimento

Leia mais

ÁGUAS GUARIROBA S.A. EXERCÍCIO DE 2014

ÁGUAS GUARIROBA S.A. EXERCÍCIO DE 2014 ÁGUAS GUARIROBA S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade de Agente

Leia mais

Demonstrações contábeis em 30 de abril de 2011

Demonstrações contábeis em 30 de abril de 2011 PORTO FORTE FUNDO DE INVESTIMENTOS EM DIREITOS CREDITÓRIOS MULTISSETORIAL (CNPJ nº 09.584.892/0001-90) Demonstrações contábeis Demonstrações contábeis Em 30 de abril de 2011 Conteúdo Relatório dos auditores

Leia mais

BHG S.A. BRAZIL HOSPITALITY GROUP. Companhia Aberta CNPJ/MF nº 08.723.106/0001-25 NIRE 35.300.340.540 CVM 02090-7

BHG S.A. BRAZIL HOSPITALITY GROUP. Companhia Aberta CNPJ/MF nº 08.723.106/0001-25 NIRE 35.300.340.540 CVM 02090-7 BHG S.A. BRAZIL HOSPITALITY GROUP Companhia Aberta CNPJ/MF nº 08.723.106/0001-25 NIRE 35.300.340.540 CVM 02090-7 MATERIAL PARA A ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA BHG S.A. BRAZIL HOSPITALITY GROUP, A

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Passivo e patrimônio

Leia mais

FII e FIDC Regulação e Funcionamento

FII e FIDC Regulação e Funcionamento FII e FIDC Regulação e Funcionamento Bruno Gomes Gerência de Acompanhamento de Fundos Estruturados 12 de março de 2015 Aviso As opiniões e conclusões aqui apresentadas são de responsabilidade do apresentador

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL EXERCÍCIO 2011. GAIA SECURITIZADORA S.A 5ª Emissão de Debêntures Simples

RELATÓRIO ANUAL EXERCÍCIO 2011. GAIA SECURITIZADORA S.A 5ª Emissão de Debêntures Simples RELATÓRIO ANUAL EXERCÍCIO 2011 GAIA SECURITIZADORA S.A 5ª Emissão de Debêntures Simples ÍNDICE CARACTERIZAÇÃO DA EMISSORA...3 CARACTERÍSTICAS DOS CERTIFICADOS...3 DESTINAÇÃO DE RECURSOS...5 ASSEMBLÉIAS

Leia mais

ANEXO A. Informe Mensal

ANEXO A. Informe Mensal ANEXO A Informe Mensal Competência: MM/AAAA Administrador: Tipo de Condomínio: Fundo Exclusivo: Todos os Cotistas Vinculados por Interesse Único e Indissociável? Aberto/Fechado Sim/Não Sim/Não ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

Crédito Direto ao Consumo e Securitização via FIDCs

Crédito Direto ao Consumo e Securitização via FIDCs Crédito Direto ao Consumo e Securitização via FIDCs Jayme Bartling Senior Director 19 de fevereiro de 2008 Agenda > O Processo de Análise da Fitch > Riscos Inerentes à Securitização > Quantificando Subordinação

Leia mais

COMPANHIA PAULISTA DE SECURITIZAÇÃO. 1ª Emissão Pública de Debêntures

COMPANHIA PAULISTA DE SECURITIZAÇÃO. 1ª Emissão Pública de Debêntures COMPANHIA PAULISTA DE SECURITIZAÇÃO 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2012 COMPANHIA PAULISTA DE SECURITIZAÇÃO 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório

Leia mais

Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Março de 2015 e Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Março de 2015 e Relatório dos Auditores Independentes Fundo de Investimento em Direitos Créditórios Empírica Home CNPJ nº 17.334.148/0001-65 (Administrado pela Gradual Corretora de Câmbio Títulos e Valores Mobiliários S.A.) Demonstrações Financeiras Referentes

Leia mais

Mercado de Títulos Ligados ao Setor Imobiliário para Fundos de Pensão

Mercado de Títulos Ligados ao Setor Imobiliário para Fundos de Pensão Mercado de Títulos Ligados ao Setor Imobiliário para Fundos de Pensão Marielle Brugnari dos Santos Gerência de Produtos Imobiliários Junho/20111 Desenvolvimento do Mercado Imobiliário Cédula de Crédito

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 8.668, DE 25 DE JUNHO DE 1993. Dispõe sobre a constituição e o regime tributário dos Fundos de Investimento Imobiliário e dá

Leia mais

MATERIAL PUBLICITÁRIO

MATERIAL PUBLICITÁRIO Emissora Oferta Pública dos Certificados de Recebíveis Imobiliários da 10ª Série e da 11ª Série da 5ª Emissão da Gaia Securitizadora S.A. Lastreados em cédulas de crédito imobiliário representativas de

Leia mais

ANÚNCIO DE INÍCIO DE DISTRIBUIÇÃO DA 2ª EMISSÃO DE COTAS DO. Fundo de Investimento Imobiliário Votorantim Securities IV CNPJ/MF Nº 20.265.

ANÚNCIO DE INÍCIO DE DISTRIBUIÇÃO DA 2ª EMISSÃO DE COTAS DO. Fundo de Investimento Imobiliário Votorantim Securities IV CNPJ/MF Nº 20.265. ANÚNCIO DE INÍCIO DE DISTRIBUIÇÃO DA 2ª EMISSÃO DE COTAS DO Fundo de Investimento Imobiliário Votorantim Securities IV CNPJ/MF Nº 20.265.434/0001-20 VOTORANTIM ASSET MANAGEMENT D.T.V.M. LTDA. ( Administrador

Leia mais

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA. Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA. Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA Certificado de Recebíveis do Agronegócio Instrumento de captação de recursos e de investimento no agronegócio O produto O Certificado de

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário - FII Top Center (Administrado pela Pentágono Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.

Fundo de Investimento Imobiliário - FII Top Center (Administrado pela Pentágono Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Fundo de Investimento Imobiliário - FII Top Center (Administrado pela Pentágono Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.) Demonstrações Financeiras Referentes ao Período de 19 de Maio (Data

Leia mais

PROPOSTA REALIZAÇÃO DE ATIVOS DA MASSA FALIDA DO BANCO SANTOS

PROPOSTA REALIZAÇÃO DE ATIVOS DA MASSA FALIDA DO BANCO SANTOS Agosto/2014 PROPOSTA REALIZAÇÃO DE ATIVOS DA MASSA FALIDA DO BANCO SANTOS PROPOSTA 1. Histórico 2. Alternativa de Realização de Ativos 3. Garantias 4. Prestadores de Serviços 5. Anexo HISTÓRICO O Banco

Leia mais

LOJAS AMERICANAS S.A. CNPJ/MF n 33.014.556/0001-96 NIRE 3330002817-0 COMPANHIA ABERTA

LOJAS AMERICANAS S.A. CNPJ/MF n 33.014.556/0001-96 NIRE 3330002817-0 COMPANHIA ABERTA LOJAS AMERICANAS S.A. CNPJ/MF n 33.014.556/0001-96 NIRE 3330002817-0 COMPANHIA ABERTA Senhores Acionistas, Apresentamos, a seguir, a proposta da administração acerca das matérias constantes da ordem do

Leia mais

MATERIAL PUBLICITÁRIO

MATERIAL PUBLICITÁRIO Emissora Oferta Pública dos Certificados de Recebíveis Imobiliários da 19ª Série e da 20ª Série da 5ª Emissão da Gaia Securitizadora S.A. Lastreados em cédulas de crédito imobiliário representativas de

Leia mais

Monitoramento: Fundo de Investimento em Direitos Creditórios CEEE

Monitoramento: Fundo de Investimento em Direitos Creditórios CEEE Data de Publicação: 23 de fevereiro de 2010 Comunicado à Imprensa Monitoramento: Fundo de Investimento em Direitos Creditórios CEEE Ratings em Fevereiro de 2010 Instrumento Rating Atual Rating Inicial

Leia mais

COMPANHIA ESTADUAL DE ÁGUAS E ESGOTO - CEDAE 4ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014

COMPANHIA ESTADUAL DE ÁGUAS E ESGOTO - CEDAE 4ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 COMPANHIA ESTADUAL DE ÁGUAS E ESGOTO - CEDAE 4ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores Debenturistas,

Leia mais

Material Publicitário da Oferta Pública de Distribuição dos Certificados de Recebíveis Imobiliários da 73ª Série da 1ª Emissão da

Material Publicitário da Oferta Pública de Distribuição dos Certificados de Recebíveis Imobiliários da 73ª Série da 1ª Emissão da Material Publicitário da Oferta Pública de Distribuição dos Certificados de Recebíveis Imobiliários da 73ª Série da 1ª Emissão da RB CAPITAL SECURITIZADORA S.A. Companhia Aberta - CNPJ/MF nº 03.559.006/0001-91

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 4.0 - Março/2015)

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 4.0 - Março/2015) Política de Exercício de Direito de Voto (Versão 4.0 - Março/2015) 1. Objeto e Aplicação 1.1. Esta Política de Exercício de Direito de Voto ( Política de Voto ), em conformidade com as disposições do Código

Leia mais

Instrumentos de Financiamento Imobiliário no Brasil Jorge Sant Anna

Instrumentos de Financiamento Imobiliário no Brasil Jorge Sant Anna Instrumentos de Financiamento Imobiliário no Brasil Jorge Sant Anna 1 Março /2010 Evolução do Financiamento Imobiliário 1964 Base Legal Sistema Financeiro de Habitação Lei 4.328 /64 Lei 5.170/66 1997 Base

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta Interna nº 12 - Data 29 de junho de 2012 Origem SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DA 4ª REGIÃO FISCAL, DIVISÃO DE TRIBUTAÇÃO

Leia mais

TRIÂNGULO DO SOL AUTO-ESTRADA S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014

TRIÂNGULO DO SOL AUTO-ESTRADA S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 TRIÂNGULO DO SOL AUTO-ESTRADA S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade

Leia mais

Rio Bravo Crédito Imobiliário II Fundo de Investimento Imobiliário - FII

Rio Bravo Crédito Imobiliário II Fundo de Investimento Imobiliário - FII MATERIAL PUBLICITÁRIO Rio Bravo Crédito Imobiliário II Fundo de Investimento Imobiliário - FII Outubro 2012 MATERIAL PUBLICITÁRIO Agenda O Fundo Pipeline de Operações MATERIAL PUBLICITÁRIO Rio Bravo Crédito

Leia mais

Seguro Garantia É o seguro que garante o fiel cumprimento das obrigações assumidas pelo tomador perante o segurado, conforme os termos da apólice.

Seguro Garantia É o seguro que garante o fiel cumprimento das obrigações assumidas pelo tomador perante o segurado, conforme os termos da apólice. 2 Definição Seguro Garantia É o seguro que garante o fiel cumprimento das obrigações assumidas pelo tomador perante o segurado, conforme os termos da apólice. Partes Seguradora - Sociedade de seguros garantidora,

Leia mais

Seguro Garantia - Seguro que garante o fiel cumprimento das obrigações assumidas pelo tomador perante o segurado, conforme os termos da apólice.

Seguro Garantia - Seguro que garante o fiel cumprimento das obrigações assumidas pelo tomador perante o segurado, conforme os termos da apólice. GUIA DE SEGURO GARANTIA PARA CONSULTA FENSEG QUEM SÃO AS PARTES Seguro Garantia - Seguro que garante o fiel cumprimento das obrigações assumidas pelo tomador perante o segurado, conforme os termos da apólice.

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

TEXTO INTEGRAL DA INSTRUÇÃO CVM Nº 414, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2004, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELAS INSTRUÇÕES CVM Nº 443/06, 446/06 E 480/09.

TEXTO INTEGRAL DA INSTRUÇÃO CVM Nº 414, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2004, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELAS INSTRUÇÕES CVM Nº 443/06, 446/06 E 480/09. TEXTO INTEGRAL DA INSTRUÇÃO CVM Nº 414, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2004, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELAS INSTRUÇÕES CVM Nº 443/06, 446/06 E 480/09. Dispõe sobre o registro de companhia aberta para companhias

Leia mais

WTC AMAZONAS SUITE HOTEL S.A.

WTC AMAZONAS SUITE HOTEL S.A. WTC AMAZONAS SUITE HOTEL S.A. 1ª Emissão de Debêntures Simples, Não Conversíveis em Ações, Espécie Subordinada Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício 2003 CARACTERÍSTICAS DA DEBÊNTURE Registro

Leia mais

Estrutura do Mercado Financeiro e de Capitais

Estrutura do Mercado Financeiro e de Capitais Estrutura do Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Paulo Berger SIMULADO ATIVOS FINANCEIROS E ATIVOS REAIS. Ativo real, é algo que satisfaz uma necessidade ou desejo, sendo em geral fruto de trabalho

Leia mais

ASCENTY DATA CENTERS LOCAÇÃO E SERVIÇOS S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014

ASCENTY DATA CENTERS LOCAÇÃO E SERVIÇOS S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 ASCENTY DATA CENTERS LOCAÇÃO E SERVIÇOS S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores Debenturistas,

Leia mais

Material Explicativo sobre Debêntures

Material Explicativo sobre Debêntures Material Explicativo sobre 1. Definições Gerais As debêntures são valores mobiliários que representam dívidas de médio e longo prazos de Sociedades Anônimas ou por ações (emissoras), de capital aberto

Leia mais

LOG COMMERCIAL PROPERTIES E PARTICIPAÇÕES S.A. 4ª. EMISSÃO (PÚBLICA) DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014

LOG COMMERCIAL PROPERTIES E PARTICIPAÇÕES S.A. 4ª. EMISSÃO (PÚBLICA) DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 LOG COMMERCIAL PROPERTIES E PARTICIPAÇÕES S.A. 4ª. EMISSÃO (PÚBLICA) DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores Debenturistas,

Leia mais

(**) Renegociação de divida representada por Acordo Judicial

(**) Renegociação de divida representada por Acordo Judicial São Paulo, 15 de maio de 2015. À Comissão de es Mobiliários ( CVM ) Gerência de Acompanhamento de Fundos Estruturados - GIE Rua Sete de Setembro, 111 30º andar 20159-900 - Rio de Janeiro - RJ REF.: RELATÓRIO

Leia mais

PROGRAMA APLICAÇÃO DE RECURSOS FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITOS. Página 1 de 9

PROGRAMA APLICAÇÃO DE RECURSOS FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITOS. Página 1 de 9 PROGRAMA APLICAÇÃO DE RECURSOS FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITOS Responsável Versão Última Atualização 15/07/2015 Página 1 de 9 PROGRAMA PARA APLICAÇÃO DE RECURSOS Exclusivo para Instituições Financeiras Associadas

Leia mais

AS NOVAS REGRAS DE REGISTRO DE EMISSORES DE VALORES MOBILIÁRIOS NO MERCADO DE CAPITAIS BRASILEIRO

AS NOVAS REGRAS DE REGISTRO DE EMISSORES DE VALORES MOBILIÁRIOS NO MERCADO DE CAPITAIS BRASILEIRO REVISTA JURÍDICA CONSULEX ONLINE Conjuntura Walter Douglas Stuber Sócio Fundador de Walter Stuber Consultoria Jurídica, atuando como advogado especializado em direito empresarial, societário, financeiro

Leia mais

PROSPECTO DEFINITIVO DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS DA 168ª SÉRIE DA 1ª EMISSÃO DA

PROSPECTO DEFINITIVO DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS DA 168ª SÉRIE DA 1ª EMISSÃO DA PROSPECTO DEFINITIVO DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS DA 168ª SÉRIE DA 1ª EMISSÃO DA BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO Companhia Aberta, CNPJ/MF nº 03.767.538/0001-14

Leia mais

ANBIMA Workshop de Securitização FIDC e CRI Processo de Análise de Investimento. Jean-Pierre Cote Gil 25 de abril de 2012

ANBIMA Workshop de Securitização FIDC e CRI Processo de Análise de Investimento. Jean-Pierre Cote Gil 25 de abril de 2012 ANBIMA Workshop de Securitização FIDC e CRI Processo de Análise de Investimento Jean-Pierre Cote Gil 25 de abril de 2012 Contexto (I) Distinção entre crédito estruturado e securitização Operação de crédito

Leia mais

Cédula de Crédito Imobiliário - CCI

Cédula de Crédito Imobiliário - CCI Títulos Imobiliários Renda Fixa Cédula de Crédito Imobiliário - CCI Títulos Imobiliários Cédula de Crédito Imobiliário Instrumento que facilita a negociabilidade e a portabilidade do crédito imobiliário

Leia mais

BEMATECH S.A. EXERCÍCIO DE 2014

BEMATECH S.A. EXERCÍCIO DE 2014 BEMATECH S.A. 1ª. EMISSÃO (PÚBLICA) DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade de Agente Fiduciário

Leia mais