ANA e o Uso das Águas Residuárias na Agricultura. Campinas, 22 de junho de 2015

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANA e o Uso das Águas Residuárias na Agricultura. Campinas, 22 de junho de 2015"

Transcrição

1 ANA e o Uso das Águas Residuárias na Agricultura Campinas, 22 de junho de 2015

2 Índice Porque o recurso hídrico é importante? Quais são os nossos objetivos? Quais ações estamos implementando? Quais são os nossos planos?

3 Porque o Recurso Hídrico é importante?

4 Porque o Recurso Hídrico é importante? Precipitação média (4 anos)

5 Porque o Recurso Hídrico é importante?

6 Porque o Recurso Hídrico é importante? Disponibilidade hídrica superficial Poços tubulares (jan 2013) Região Amazônica = 81%

7 Porque o Recurso Hídrico é importante? Situação dos Recursos Hídricos Atualização das demandas consuntivas Vazão de retirada = 2373 m 3 /s

8 Porque o Recurso Hídrico é importante?

9 Porque o Recurso Hídrico é importante? Principais usos

10 Porque o Recurso Hídrico é importante? Evolução da área irrigada no Brasil

11 Porque o Recurso Hídrico é importante? Rede de abastecimento de água Rede coletora de esgosto ,76% 93,20% 53,47% 58,80%

12 Dados do PNSB - estima-se que são lançadas em corpos d água cargas de esgotos domésticos remanescentes ordem de 5,5 mil t DBO/dia na

13 Porque o Recurso Hídrico é importante? Dois pontos importantes para áreas urbanas e periurbanas Escassez de água Poluição da água Forte competição pela água limpa

14 Porque o Recurso Hídrico é importante? Consequência: Muitos agricultores, especialmente em áreas periurbanas, não têm opção a não ser usar a água disponível (poluída) para irrigar suas culturas

15 Índice Porque o recurso hídrico é importante? Quais são os nossos objetivos? Quais ações estamos implementando? Quais são os nossos planos?

16 Objetivos Promover o uso planejado da água residuária na agricultura a fim de: Maximizar as oportunidades para todas as partes envolvidas (agricultura, cidades e meio ambiente) Minimizar riscos (segurança alimentar, a saúde humana e meio ambiente)

17 Índice Porque o recurso hídrico é importante? Quais são os nossos objetivos? Quais ações estamos implementando? Quais são os nossos planos?

18 Chamamento Público ANA Nº 002/2012 apoio financeiro, para o desenvolvimento de projetos demonstrativos de práticas de reúso de água pelo aproveitamento de esgotos em municípios com menos de 50 mil habitantes.

19 Chamamento Público ANA Nº 002/2012 Convenente situação Recursos (R$) PM de Catarina/CE Projeto aprovado ,88 PM de Nova Jaguaribara/CE Elaboração de projeto ,00 PM de Tapejara/RS Obras iniciadas ,00 PM de Gramado/RS Elaboração de projeto ,00 Total ,88

20 ETE Município de Catarina/CE Milho Lagoa facultativa Palma forrageira Lagoa de maturação, cujo efluente será usado na irrigação. Bananeira maracujazeiro

21 Experiência CAGECE centro de reúso em Aquiraz Sorgo irrigado com esgoto tratado Sorgo irrigado com água da CAGECE

22 ETE Município de Gramado/RS

23 ETE Município de Gramado/RS Estrutura hidráulica - Controle Biológico Estrutura hidráulica - Controle Físico Modelo de barramento para elevação de nível da água existente no arroio Caracol (Canela/RS)

24 ETE Município de Tapejara/RS

25 Chamamento Público ANA Nº 001/2014 Seleção de propostas para desenvolvimento de ações de reúso agrícola de efluentes tratados no semiárido brasileiro Até R$ ,00 para cada projeto vazão média de esgoto para utilização no projeto de pelo menos 5 L/s (equivalentes a 432 m 3 /dia) Recebimento de propostas até 11 de agosto

26 Chamamento Público ANA Nº 001/2014 Convenente situação Recursos (R$) PM de Mauriti/CE Em fase de assinatura de contrato ,00 PM de Picuí/PB Em fase de assinatura de contrato ,00 PM de Serra Branca/PB Em fase de assinatura de contrato ,00 Total ,00

27 Porque no semiárido? aumento na oferta desse escasso líquido nessas áreas, a precipitação não cobre as demandas para o cultivo irrigado. A reutilização de águas residuais tratadas pode reforçar a produtividade agrícola visto que esse tipo de água contém nutrientes.

28 Publicações

29 Índice Porque o recurso hídrico é importante? Quais são os nossos objetivos? Quais ações estamos implementando? Quais são os nossos planos?

30 Quais são os nossos planos? Aumentar a segurança alimentar e a agricultura de subsistência em municípios de pequeno porte através de: Fonte confiável de água Fonte de nutrientes Prevenir a poluição (a jusante) Combater preconceitos e rejeição a instalação de projetos demonstrativos Gerar emprego e renda

31 Dados do Ministério da Cidades 73 % municípios têm menos de 20 mil hab. 80% municípios têm menos de 50 mil hab. e baixa densidade (menos de 30 hab/ha hab/km2) Total de municípios pequeno porte.

32 Quais são os nossos planos? Contribuir com o saneamento (melhorar a qualidade de vida e a saúde das pessoas) Diarréia: segunda maior causa de morte em crianças

33 Quais são os nossos planos? Investimentos em águas residuárias e posterior utilização na agricultura significa investir em SAÚDE, SANEAMENTO e MEIO AMBIENTE Milho irrigado com esgoto tratado, no semiárido (Parelhas, RN) 5 t / ha Sorgo irrigado com esgoto tratado, no semiárido (Parelhas, RN) 95 t / ha Água residuária como como fonte alternativa de água MENOS POLUIÇÃO e MAIOR PRODUÇÃO AGRÍCOLA

34 Quais são os nossos planos? Contribuir para a consolidação do Programa de Produção de Biocombustível

35 Obrigada! Carla Veiga Especialista em recursos hídricos (+55) (61)

VISÃO DA ANA SOBRE O REÚSO DE ÁGUA ADVINDA DE ESGOTOS PARA FINS AGRÍCOLAS E FLORESTAIS

VISÃO DA ANA SOBRE O REÚSO DE ÁGUA ADVINDA DE ESGOTOS PARA FINS AGRÍCOLAS E FLORESTAIS VISÃO DA ANA SOBRE O REÚSO DE ÁGUA ADVINDA DE ESGOTOS PARA FINS AGRÍCOLAS E FLORESTAIS Devanir Garcia dos Santos Coordenador de Implementação de Projetos Indutores Agência Nacional de Águas A ANA, o que

Leia mais

Reúso de Água no Contexto do Plano Nacional de Recursos Hídricos

Reúso de Água no Contexto do Plano Nacional de Recursos Hídricos Reúso de Água no Contexto do Plano Nacional de Recursos Hídricos Devanir Garcia dos Santos Coordenador de Implementação de Projetos Indutores - ANA 2º Simpósio Internacional de Reúso de Água ABES - PR

Leia mais

O REÚSO DA ÁGUA NO CONTEXTO DA ECOLOGIA INDUSTRIAL

O REÚSO DA ÁGUA NO CONTEXTO DA ECOLOGIA INDUSTRIAL O REÚSO DA ÁGUA NO CONTEXTO DA ECOLOGIA INDUSTRIAL Fabíola Maria Gonçalves Ribeiro Alcir Vilela Junior Apresentação O Grupo de Ecologia Industrial Aplicada (GEIA) surgiu no programa de pós-graduação do

Leia mais

ANÁLISE DA PROPOSTA DE ENQUADRAMENTO DOS CORPOS HÍDRICOS SUPERFICIAIS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANAÍBA

ANÁLISE DA PROPOSTA DE ENQUADRAMENTO DOS CORPOS HÍDRICOS SUPERFICIAIS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANAÍBA ANÁLISE DA PROPOSTA DE ENQUADRAMENTO DOS CORPOS HÍDRICOS SUPERFICIAIS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANAÍBA 35ª Reunião da CTPI do CBH Paranaíba Célio Bartole Pereira Coordenador de Qualidade de Água

Leia mais

Qualidade da Água em Rios e Lagos Urbanos

Qualidade da Água em Rios e Lagos Urbanos Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia Hidráulica e Sanitária PHD 2537 Água em Ambientes Urbanos Qualidade da Água em Rios e Lagos Urbanos Novembro 2008 Felipe Carvalho

Leia mais

PROGRAMAS DE REUSO DE ÁGUA NAS BACIAS PCJ. Sergio Razera Diretor Presidente Fundação Agência das Bacias PCJ

PROGRAMAS DE REUSO DE ÁGUA NAS BACIAS PCJ. Sergio Razera Diretor Presidente Fundação Agência das Bacias PCJ PROGRAMAS DE REUSO DE ÁGUA NAS BACIAS PCJ Sergio Razera Diretor Presidente Fundação Agência das Bacias PCJ 16º Encontro Técnico de Alto Nível: Reúso de Água EPUSP, 07 de novembro de 2016 CONTEXTUALIZAÇÃO

Leia mais

Autores: Alex Henrique Veronez - SABESP/UNICAMP Bruno Coraucci Filho - UNICAMP

Autores: Alex Henrique Veronez - SABESP/UNICAMP Bruno Coraucci Filho - UNICAMP Irrigação de eucalipto com efluente sanitário: Incremento de produtividade agrícola da cultura de eucalipto irrigado com efluente sanitário proveniente de lagoa facultativa Autores: Alex Henrique Veronez

Leia mais

Segurança hídrica no Sudeste: soluções de longo prazo

Segurança hídrica no Sudeste: soluções de longo prazo Segurança hídrica no Sudeste: soluções de longo prazo Sérgio Ayrimoraes Superintendente de Planejamento de Recursos Hídricos SPR/ANA São Paulo-SP, 21 de agosto de 2014 SEGURANÇA HÍDRICA PARA ABASTECIMENTO

Leia mais

SEMINÁRIO MINEIRO DE REUSO DE ÁGUA E EFLUENTE REUSO DA ÁGUA NO CONTEXTO DA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA

SEMINÁRIO MINEIRO DE REUSO DE ÁGUA E EFLUENTE REUSO DA ÁGUA NO CONTEXTO DA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA SEMINÁRIO MINEIRO DE REUSO DE ÁGUA E EFLUENTE REUSO DA ÁGUA NO CONTEXTO DA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA Márley Caetano de Mendonça Instituto Mineiro de Gestão das Águas IGAM Junho 2015 97,5 % da água do planeta

Leia mais

Hidráulica e Hidrologia

Hidráulica e Hidrologia 68 VI - INTRODUÇÃO À HIDROLOGIA Hidrologia: é a ciência que trata da água na Terra, sua ocorrência, circulação e distribuição, suas propriedades físicas e químicas e sua relação com o meio ambiente, incluindo

Leia mais

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS E SANEAMENTO. Prelector: Lionidio de Ceita 25 Julho 2016

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS E SANEAMENTO. Prelector: Lionidio de Ceita 25 Julho 2016 ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS E SANEAMENTO Prelector: Lionidio de Ceita 25 Julho 2016 Alterações Climáticas: Mito ou Realidade? O assunto das alterações climáticas tem sido amplamente discutido em termos políticos,

Leia mais

INTERFACE ENTRE OS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS E O LICENCIAMENTO AMBIENTAL: Exemplos com ênfase na Questão Federativa

INTERFACE ENTRE OS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS E O LICENCIAMENTO AMBIENTAL: Exemplos com ênfase na Questão Federativa INTERFACE ENTRE OS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS E O LICENCIAMENTO AMBIENTAL: Exemplos com ênfase na Questão Federativa Sérgio Ayrimoraes Superintendente de Planejamento de Recursos Hídricos

Leia mais

Recursos Hídricos. Racionalização do uso da água no meio rural. Anexo III-f. Prospecção Tecnológica. Síntese de Painel de Especialistas

Recursos Hídricos. Racionalização do uso da água no meio rural. Anexo III-f. Prospecção Tecnológica. Síntese de Painel de Especialistas Centro de Gestão e Estudos Estratégicos Ciência, Tecnologia e Inovação Prospecção Tecnológica Recursos Hídricos Anexo III-f Racionalização do uso da água no meio rural Síntese de Painel de Especialistas

Leia mais

Para Uma Alimentação Saudável

Para Uma Alimentação Saudável Segurança Alimentar e Qualidade de Água Empregue na Produção dos Alimentos Para Uma Alimentação Saudável Ângela Moreno PhD, Engª Agrónoma angela.moreno@inida.gov.cv INIDA, 02/04/2015 - Praia SEGURANÇA

Leia mais

II-270 ESTUDO COMPARATIVO DA EFICIÊNCIA DE UM WETLAND E UM FILTRO BIOLÓGICO ANAERÓBIO NA REMOÇÃO DE SÓLIDOS SUSPENSOS, DBO E DQO

II-270 ESTUDO COMPARATIVO DA EFICIÊNCIA DE UM WETLAND E UM FILTRO BIOLÓGICO ANAERÓBIO NA REMOÇÃO DE SÓLIDOS SUSPENSOS, DBO E DQO II-270 ESTUDO COMPARATIVO DA EFICIÊNCIA DE UM WETLAND E UM FILTRO BIOLÓGICO ANAERÓBIO NA REMOÇÃO DE SÓLIDOS SUSPENSOS, DBO E DQO Luiz Pereira de Brito (1) Engenheiro Civil pela UFRN. Mestre em Engenharia

Leia mais

EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS E SANITÁRIOS

EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS E SANITÁRIOS EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS E SANITÁRIOS 1. O PLANETA ÁGUA A natureza é uma grande prestadora de serviços para a humanidade. É ela quem fornece os elementos básicos para a vida humana e para o desenvolvimento

Leia mais

Ciências do Ambiente

Ciências do Ambiente Universidade Federal do Paraná Engenharia Civil Ciências do Ambiente Aula 22 Meio Aquático I Profª Heloise Knapik 1 Estudo de Caso: Salto, SP 2 Fonte: Departamento de Águas e Energia Elétrica - DAEE 3

Leia mais

Cenário Futuro do Consumo de Água no Espírito Santo. 15/12/ Vitória/ES

Cenário Futuro do Consumo de Água no Espírito Santo. 15/12/ Vitória/ES Cenário Futuro do Consumo de Água no Espírito Santo 15/12/2015 - Vitória/ES AGENDA A CESAN Principais resultados alcançados Cenário hídrico Ações e projetos futuros 52 municípios atendidos 72 % da população

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DA POLÍTICA ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS

IMPLEMENTAÇÃO DA POLÍTICA ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS SEM ARH SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS IMPLEMENTAÇÃO DA POLÍTICA ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS JOSÉ DE PAULA MORAES FILHO SECRETÁRIO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS RECURSOS

Leia mais

Uso Racional e Reúso da Água NECESSIDADES E DESAFIOS

Uso Racional e Reúso da Água NECESSIDADES E DESAFIOS Escola Politécnica da USP PHD - 2548 Uso Racional e Reúso da Água NECESSIDADES E DESAFIOS Apresentação: José Carlos Mierzwa mierzwa@usp.br http://www.usp.br/cirra cirra@usp.br Programa do Curso 1 - A necessidade

Leia mais

O DESAFIO DO ACESSO À ÁGUA E SANEAMENTO NO CONTEXTO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PERSPECTIVAS PARA OS PRÓXIMOS QUINZE ANOS

O DESAFIO DO ACESSO À ÁGUA E SANEAMENTO NO CONTEXTO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PERSPECTIVAS PARA OS PRÓXIMOS QUINZE ANOS O DESAFIO DO ACESSO À ÁGUA E SANEAMENTO NO CONTEXTO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PERSPECTIVAS PARA OS PRÓXIMOS QUINZE ANOS Antonio da Costa Miranda Neto Fórum Pernambucano de Construção Sustentável,

Leia mais

Enfrentamento da crise hídrica UFV-2017

Enfrentamento da crise hídrica UFV-2017 Enfrentamento da crise hídrica UFV-2017 Pró-Reitoria de Administração PAD Diretoria de Manutenção de Estruturas Urbanas e Meio Ambiente DMU Divisão de Água e Esgoto DAG Apresentação Contextualização Histórico

Leia mais

LINHAS DE PESQUISA SOBRE REUTILIZAÇÃO DE ÁGUAS RESIDUAIS Aplicação à Produção Agrícola. Doutora Ângela Moreno (INIDA)

LINHAS DE PESQUISA SOBRE REUTILIZAÇÃO DE ÁGUAS RESIDUAIS Aplicação à Produção Agrícola. Doutora Ângela Moreno (INIDA) SEMINÁRIO PARTICIPATIVO DE REUTILIZAÇÃO DAS ÁGUAS RESIDUAIS TRATADAS Intercambio de experiências, nova normativa, sistemas de controlo, código de boas práticas, gestão e tecnologias de tratamento 15 de

Leia mais

TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários

TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários Universidade Federal do Paraná Engenharia Civil TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários Aproveitamento de Águas Pluviais & Reúso Profª Heloise G. Knapik APROVEITAMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS Instalações

Leia mais

Prof o. LER IRRIGAÇÃO Dr. Marcos Vinícius Folegatti Aula 02

Prof o. LER IRRIGAÇÃO Dr. Marcos Vinícius Folegatti Aula 02 Prof o LER 1571 - IRRIGAÇÃO Dr. Marcos Vinícius Folegatti Aula 02 LER - 1571 Irrigação DISPONIBILIDADE DE RECURSOS HÍDRICOS E DESENVOLVIMENTO DA IRRIGAÇÃO Marcos Vinícius Folegatti DISTRIBUIÇÃO DAS ÁGUAS

Leia mais

IMPORTÂNCIA DO REUSO DE ESGOTO DOMÉSTICO NA PRESERVAÇÃO DOS ECOSSISTEMAS AGRÁRIOS

IMPORTÂNCIA DO REUSO DE ESGOTO DOMÉSTICO NA PRESERVAÇÃO DOS ECOSSISTEMAS AGRÁRIOS IMPORTÂNCIA DO REUSO DE ESGOTO DOMÉSTICO NA PRESERVAÇÃO DOS ECOSSISTEMAS AGRÁRIOS Rodrigo M. Sánchez-Román Departamento de Engenharia Rural FCA UNESP - Botucatu IV WINOTEC INOVAGRI Fortaleza, CE - 2012

Leia mais

Comitê de Meio Ambiente CTC ÚNICA. "O Setor Sucroenergético e a Crise Hídrica Avanços com Boas Práticas" COMITÊ DE MEIO AMBIENTE (CMA) CTC-UNICA

Comitê de Meio Ambiente CTC ÚNICA. O Setor Sucroenergético e a Crise Hídrica Avanços com Boas Práticas COMITÊ DE MEIO AMBIENTE (CMA) CTC-UNICA Comitê de Meio Ambiente COMITÊ DE MEIO AMBIENTE (CMA) CTC-UNICA CTC ÚNICA "O Setor Sucroenergético e a Crise Hídrica Avanços com Boas Práticas" AS MUDANÇAS DO CLIMA E A CRISE HÍDRICA A Organização das

Leia mais

CONCEITOS FUNDAMENTAIS

CONCEITOS FUNDAMENTAIS CONCEITOS FUNDAMENTAIS José Antonio Tosta dos Reis Departamento de Engenharia Ambiental Universidade Federal do Espírito Santo A palavra HIDROLOGIA é originada das palavras gregas HYDOR (que significa

Leia mais

SEMINÁRIO FIESP GESTÃO DA ÁGUA A CRISE NÃO ACABOU

SEMINÁRIO FIESP GESTÃO DA ÁGUA A CRISE NÃO ACABOU SEMINÁRIO FIESP GESTÃO DA ÁGUA A CRISE NÃO ACABOU Sergio Razera Diretor Presidente Fundação Agência das Bacias PCJ CONTEXTUALIZAÇÃO Fonte: PLANO DE BACIAS, 2010-2020 3 Área: 15.304km 2 (92,6% SP e 7,4%

Leia mais

Poluição Ambiental Matéria Orgânica e Carga Poluidora. Prof. Dr. Antonio Donizetti G. de Souza UNIFAL-MG Campus Poços de Caldas

Poluição Ambiental Matéria Orgânica e Carga Poluidora. Prof. Dr. Antonio Donizetti G. de Souza UNIFAL-MG Campus Poços de Caldas Poluição Ambiental Matéria Orgânica e Carga Poluidora Prof. Dr. Antonio Donizetti G. de Souza UNIFAL-MG Campus Poços de Caldas Matéria Orgânica Um dos principais problemas de poluição hídrica Efeitos:

Leia mais

Desafios e Perspectivas da Agricultura Irrigada. Eng. Agro. Marcos Brandão Braga

Desafios e Perspectivas da Agricultura Irrigada. Eng. Agro. Marcos Brandão Braga Desafios e Perspectivas da Agricultura Irrigada Eng. Agro. Marcos Brandão Braga Fundamentos sólidos para o aumento do consumo de alimentos Crescimento populacional, urbanização e participação dos países

Leia mais

Cultivo do Milho. Sumário. Irrigação. Viabilidade de irrigação de milho

Cultivo do Milho. Sumário. Irrigação. Viabilidade de irrigação de milho Embrapa Milho e SorgQ Sistemas de Produção, 2 ISSN 1679-012X Versão Eletrônica - 3 U edição SetJ2007 Cultivo do Milho Camilo de Lelis Teixeira de Andrade Ricardo A, l, Brito Sumário Irrigação Apresentação

Leia mais

Experiências no uso de águas residuais em irrigação em Israel

Experiências no uso de águas residuais em irrigação em Israel Experiências no uso de águas residuais em irrigação em Israel WORK SHOP- REUSO DE ÁGUAS Eng Agr Ayrton Freddi Jr Fortaleza Ce: 07 e 08 de Outubro de 2013 Linha do tempo 1937 1970 2001 2007 2012 Naan Irrigation

Leia mais

ÁGUA. Notas sobre a crise e sobre a situação do saneamento no Brasil

ÁGUA. Notas sobre a crise e sobre a situação do saneamento no Brasil ÁGUA Notas sobre a crise e sobre a situação do saneamento no Brasil Água Calcula-se que 70% do consumo mundialde água se destina à irrigação, 20% à indústria e apenas 10% ao abastecimento humano. Km3/ano

Leia mais

chapadões e vales abertos em suas porções mais altas, ideais para a agricultura tecnificada;

chapadões e vales abertos em suas porções mais altas, ideais para a agricultura tecnificada; Goiânia, agosto de 2016 A bacia hidrográfica do rio São Marcos possui relevo heterogêneo, com: chapadões e vales abertos em suas porções mais altas, ideais para a agricultura tecnificada; montanhoso e

Leia mais

Comitês das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí

Comitês das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí 1 997 Paulista "Julio de Mesquita Filho" - Centro de Estudos Ambientais - UNESP/CEA Avaliação da qualidade das águas destinadas ao abastecimento público, visando interferentes endócrinos e outros indicadores

Leia mais

Projeto Águas Novas. Alexandre Pontes

Projeto Águas Novas. Alexandre Pontes Projeto Águas Novas Alexandre Pontes de lavagem dos filtros e decantadores e tratamento do lodo da ETA Alexandre Barboza Pontes, Thiago Augusto Maziero, Silvana Andrea Pérez Echude Prolagos Objetivo O

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PESQUISAS HIDRÁULICAS DEPARTAMENTO DE OBRAS HIDRÁULICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PESQUISAS HIDRÁULICAS DEPARTAMENTO DE OBRAS HIDRÁULICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PESQUISAS HIDRÁULICAS DEPARTAMENTO DE OBRAS HIDRÁULICAS IPH 02058 TRATAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO Plano de Ensino - Curso de Engenharia Hídrica 1. DADOS

Leia mais

Hidrologia, Hidráulica Instalações Prediais, Portos, Rios e Canais. Aula 2 Introdução à Hidrologia TEXTO

Hidrologia, Hidráulica Instalações Prediais, Portos, Rios e Canais. Aula 2 Introdução à Hidrologia TEXTO Aula 2 Introdução à TEXTO Importância da Água (Texto produzido pelos professores Daniel Fonseca de Carvalho e Leonardo Duarte Batista da Silva da UFRJ - 2006) A água é um recurso natural indispensável

Leia mais

Painel I - Adaptação às Mudanças do Clima e a Segurança Hídrica. Mario Pino. Março/2017

Painel I - Adaptação às Mudanças do Clima e a Segurança Hídrica. Mario Pino. Março/2017 Painel I - Adaptação às Mudanças do Clima e a Segurança Hídrica Mario Pino Março/2017 Seminário: Mudança do Clima e Segurança Hídrica Reflexos e Impactos para a Sociedade Introdução Passado Presente Futuro

Leia mais

Diagnóstico da Gestão dos Efluentes Domésticos da Área Rural do Estado do Paraná

Diagnóstico da Gestão dos Efluentes Domésticos da Área Rural do Estado do Paraná Diagnóstico da Gestão dos Efluentes Domésticos da Área Rural do Estado do Paraná SILVA, D. F. a, ISRAEL, L. H. a, MOREJON, C. F. M. a* a. Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Toledo *Autor para correspondência,

Leia mais

ÁGUA NA HORTICULTURA: NOVAS ATITUDES E USO SUSTENTÁVEL

ÁGUA NA HORTICULTURA: NOVAS ATITUDES E USO SUSTENTÁVEL 49º CONGRESSO BRASILEIRO DE OLERICULTURA ÁGUA NA HORTICULTURA: NOVAS ATITUDES E USO SUSTENTÁVEL José Geraldo Eugênio de França Diretor-Executivo Águas de Lindóia - SP Agosto/2009 OS DEZ MAIORES PROBLEMAS

Leia mais

Década da Água e Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável

Década da Água e Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável Seminário Balanço da Década da Água Década da Água e Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável Angela R. C. Ortigara Ph.D. WWAP 15 de Dezembro de 2015 Auditório da Rede Gazeta Vitória, ES Objetivos

Leia mais

PLANO DA BACIA DO RIO MOGI GUAÇU

PLANO DA BACIA DO RIO MOGI GUAÇU PLANO DA BACIA DO RIO MOGI GUAÇU Professores: Kamel Zahed Filho José Rodolfo Scarati Martins Monica Ferreira do Amaral Porto Rubem La Laina Porto André de Queiroz Galvão 5606658 Janaina Carli de Freitas...5639342

Leia mais

CONCEITOS GERAIS E CONCEPÇÃO DE ETEs

CONCEITOS GERAIS E CONCEPÇÃO DE ETEs CONCEITOS GERAIS E CONCEPÇÃO DE ETEs PHA 3413 Tratamento de Esgoto Sanitário ESCOLA POLITÉCNICA DA USP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA HIDRÁULICA E AMBIENTAL Prof. Tit. Roque Passos Piveli Prof. Dr. Theo Syrto

Leia mais

BACIAS HIDROGRÁFICAS DO NORDESTE POTENCIALIDADES / DISPONIBILIDADE DE RECURSOS HÍDRICOS

BACIAS HIDROGRÁFICAS DO NORDESTE POTENCIALIDADES / DISPONIBILIDADE DE RECURSOS HÍDRICOS A QUESTÃO DA ÁGUA NO NORDESTE BACIAS HIDROGRÁFICAS DO NORDESTE POTENCIALIDADES / DISPONIBILIDADE DE RECURSOS HÍDRICOS JOAQUIM GONDIM Superintendente de Usos Múltiplos da ANA Brasília, 14/08/2008 O NORDESTE

Leia mais

Queimados Nova Iguaçu. Seropédica Paracambi Miguel Pereira. Itaguaí Piraí Barra do Piraí. Consórcio. Municípios LOTE I CONCREMAT - CONEN LOTE II

Queimados Nova Iguaçu. Seropédica Paracambi Miguel Pereira. Itaguaí Piraí Barra do Piraí. Consórcio. Municípios LOTE I CONCREMAT - CONEN LOTE II Municípios Queimados Nova Iguaçu Consórcio CONCREMAT - CONEN LOTE I Seropédica Paracambi Miguel Pereira ENCIBRA - COHIDRO LOTE II Itaguaí Piraí Barra do Piraí AMBIENTAL PARALELA I LOTE III Início das atividades:

Leia mais

OS INVESTIMENTOS EM ÁGUA E SANEAMENTO EM CURSO NO SUMBE P/COORDENAÇÃO DO PROJECTO ENG.º CARLOS FONSECA

OS INVESTIMENTOS EM ÁGUA E SANEAMENTO EM CURSO NO SUMBE P/COORDENAÇÃO DO PROJECTO ENG.º CARLOS FONSECA OS INVESTIMENTOS EM ÁGUA E SANEAMENTO EM CURSO NO SUMBE WORKSHOP CONSULTA PÚBLICA SOBRE EIA DO PROJECTO SUMBE SUMBE, 22 DE MARÇO DE 2013 P/COORDENAÇÃO DO PROJECTO ENG.º CARLOS FONSECA 1 1. OBJECTIVOS DO

Leia mais

Planejamento Hídrico para Habitação, Abastecimento e Saneamento

Planejamento Hídrico para Habitação, Abastecimento e Saneamento Planejamento Hídrico para Habitação, Abastecimento e Saneamento ENCOB 2015 Caldas Novas - GO 08.10.2015 BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PIRACICABA Fonte: Agência PCJ BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO CAPIVARI Fonte:

Leia mais

Política Nacional de Recursos Hídricos

Política Nacional de Recursos Hídricos Política Nacional de Recursos Hídricos João Bosco Senra Diretor de Recursos Hídricos SRHU/MMA Workshop Sobre Contas de Água, Energia, Terra e Ecossistemas Rio de Janeiro, 23 a 25 de setembro de 2009 BRASIL

Leia mais

Química Ambiental Aula 5 Química das águas Parte 3b Antonio Pedro Guimarães Departamento de Química

Química Ambiental Aula 5 Química das águas Parte 3b Antonio Pedro Guimarães Departamento de Química Química Ambiental Aula 5 Química das águas Parte 3b Antonio Pedro Guimarães Departamento de Química O esgoto, sem tratamento, provoca dois efeitos negativos na água em que é lançado: I. Diminuição do O

Leia mais

Modelagem Hidro-Econômica na Bacia do Araguari para avaliação do impacto da produção de canade-açúcar e biocombustíveis no valor econômico da água

Modelagem Hidro-Econômica na Bacia do Araguari para avaliação do impacto da produção de canade-açúcar e biocombustíveis no valor econômico da água Modelagem Hidro-Econômica na Bacia do Araguari para avaliação do impacto da produção de canade-açúcar e biocombustíveis no valor econômico da água PROF. GUILHERME FERNANDES MARQUES, PHD GUILHERME.MARQUES@UFRGS.BR

Leia mais

Recursos hídricos no Brasil: panorama da crise hídrica Brasília, 06/06/2017

Recursos hídricos no Brasil: panorama da crise hídrica Brasília, 06/06/2017 Recursos hídricos no Brasil: panorama da crise hídrica 2012-2017 Brasília, 06/06/2017 PARTE I Dados sobre a crise hídrica 2012-2017 Concentração e aumento da demanda em áreas de menor disponibilidade hídrica

Leia mais

Reuso de Água. Rafael Siais Furtado Juliana Pereira Romano Gabriel Malva Erick Jungers Raffo Mello Guilherme Vechiato Maziero Leonardo Hoshino Yoshio

Reuso de Água. Rafael Siais Furtado Juliana Pereira Romano Gabriel Malva Erick Jungers Raffo Mello Guilherme Vechiato Maziero Leonardo Hoshino Yoshio ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA HIDRÁULICA E SANITÁRIA PHD2537 Águas em Ambientes Urbanos Reuso de Água Nome: Rafael Siais Furtado Juliana Pereira Romano Gabriel

Leia mais

Uso Racional e Reúso da Água

Uso Racional e Reúso da Água Escola Politécnica da USP PHD - 2548 Uso Racional e Reúso da Água NECESSIDADES E DESAFIOS Apresentação: José Carlos Mierzwa mierzwa@usp.br http://www.usp.br/cirra cirra@usp.br Programa do Curso 1 - A necessidade

Leia mais

Prof. Vital Pedro da Silva Paz

Prof. Vital Pedro da Silva Paz Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Centro de Ciência Agrárias, Ambientais e Biológicas Núcleo de Engenharia de Água e Solo Disciplina: CCA 039 - Irrigação e Drenagem Prof. Vital Pedro da Silva

Leia mais

UMA MELHOR GESTÃO DAS ÁGUAS RESIDUAIS gera BENEFÍCIOS sociais, AMBIENTAIS E econômicos ESSENCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

UMA MELHOR GESTÃO DAS ÁGUAS RESIDUAIS gera BENEFÍCIOS sociais, AMBIENTAIS E econômicos ESSENCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization World Water Assessment Programme UMA MELHOR GESTÃO DAS ÁGUAS RESIDUAIS gera BENEFÍCIOS sociais, AMBIENTAIS E econômicos ESSENCIAIS PARA

Leia mais

PROMOÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS MEDIANTE PESQUISAS EM TRATAMENTO E REÚSO DE ESGOTO EM IBIMIRIM - PE

PROMOÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS MEDIANTE PESQUISAS EM TRATAMENTO E REÚSO DE ESGOTO EM IBIMIRIM - PE PROMOÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS MEDIANTE PESQUISAS EM TRATAMENTO E REÚSO DE ESGOTO EM IBIMIRIM - PE Patrício Rinaldo dos Santos (1); Sisgo Rachith Acuña Chinchilla (1) 1Universidade Norte do Paraná UNOPAR,

Leia mais

Encontro Gestão Eficiente de Água e Energia

Encontro Gestão Eficiente de Água e Energia Encontro Gestão Eficiente de Água e Energia 26 de novembro de 2015 10h às 17h30 Sistema FIRJAN Rio de Janeiro Estudo sobre disponibilidade hídrica na região metropolitana do Estado do Rio Paulo Carneiro

Leia mais

Água na produção de alimentos e Gestão compartilhada dos Recursos Hídricos: desafios e oportunidades

Água na produção de alimentos e Gestão compartilhada dos Recursos Hídricos: desafios e oportunidades Água na produção de alimentos e Gestão compartilhada dos Recursos Hídricos: desafios e oportunidades Prof. Dr. José Luiz Cabral Manaus, AM Brasil Algumas reflexões... Água HOJE... ÁGUA NA AGRICULTURA aprimorar

Leia mais

O meio aquático I. Bacia Hidrográfica 23/03/2017. Aula 3. Prof. Dr. Joaquin Bonnecarrère Garcia. Zona de erosão. Zona de deposição.

O meio aquático I. Bacia Hidrográfica 23/03/2017. Aula 3. Prof. Dr. Joaquin Bonnecarrère Garcia. Zona de erosão. Zona de deposição. O meio aquático I Aula 3 Prof. Dr. Joaquin Bonnecarrère Garcia Bacia Hidrográfica Área de drenagem Zona de erosão Zona de armazenamento e transporte Lago ou Oceano Zona de deposição Zona de erosão Maior

Leia mais

O meio aquático I. Aula 3 Prof. Dr. Arisvaldo Méllo Prof. Dr. Joaquin B. Garcia

O meio aquático I. Aula 3 Prof. Dr. Arisvaldo Méllo Prof. Dr. Joaquin B. Garcia O meio aquático I Aula 3 Prof. Dr. Arisvaldo Méllo Prof. Dr. Joaquin B. Garcia 2 Bacia Hidrográfica Área de drenagem Zona de erosão Zona de armazenamento e transporte Lago ou Oceano Zona de deposição Zona

Leia mais

RELAÇÃO SOLO, ÁGUA, PLANTA. Engº Agrº Nilton Brittos da Silva ESREG- ESTRELA JUNHO/07

RELAÇÃO SOLO, ÁGUA, PLANTA. Engº Agrº Nilton Brittos da Silva ESREG- ESTRELA JUNHO/07 RELAÇÃO SOLO, ÁGUA, PLANTA Engº Agrº Nilton Brittos da Silva ESREG- ESTRELA JUNHO/07 RELAÇÃO SOLO-ÁGUA-CLIMA E PLANTA A irrigação não deve ser considerada, apenas, como a captação, condução e o fornecimento

Leia mais

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NO BRASIL 2012 a 2014

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NO BRASIL 2012 a 2014 SITUAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NO BRASIL 2012 a 2014 Sérgio Ayrimoraes Superintendente de Planejamento de Recursos Hídricos SPR/ANA São Paulo, 03 de junho de 2014 Ampla variação da precipitação no território

Leia mais

Conversas Sustentáveis à 5ª Água Milhões para 1 litro vs. 1 litro para milhões

Conversas Sustentáveis à 5ª Água Milhões para 1 litro vs. 1 litro para milhões Conversas Sustentáveis à 5ª Água Milhões para 1 litro vs. 1 litro para milhões CONCEITOS GERAIS Aproximadamente 2 / 3 da superfície de nosso planeta é coberta por água, ou mais precisamente 71%. Essa "abundância"

Leia mais

GIANCARLO GERLI GOVERNADOR DO CONSELHO MUNDIAL DA ÁGUA São Paulo, 08 de outubro de 2013

GIANCARLO GERLI GOVERNADOR DO CONSELHO MUNDIAL DA ÁGUA São Paulo, 08 de outubro de 2013 GIANCARLO GERLI GOVERNADOR DO CONSELHO MUNDIAL DA ÁGUA São Paulo, 08 de outubro de 2013 DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA DOCE NO MUNDO DISTRIBUIÇÃO DA ÁGUA DOCE E SALGADA 97,5 8% 22% 70% 2,5 Indústria Agricultura

Leia mais

IMPORTÂNCIA DO REUSO DE ESGOTO DOMÉSTICO NA PRESERVAÇÃO DOS ECOSSISTEMAS AGRÁRIOS

IMPORTÂNCIA DO REUSO DE ESGOTO DOMÉSTICO NA PRESERVAÇÃO DOS ECOSSISTEMAS AGRÁRIOS IMPORTÂNCIA DO REUSO DE ESGOTO DOMÉSTICO NA PRESERVAÇÃO DOS ECOSSISTEMAS AGRÁRIOS Prof. Dr. Rodrigo M. Sánchez-Román FCA UNESP - Botucatu IV WINOTEC INOVAGRI Fortaleza, CE - 2012 INTRODUÇÃO Oceano 97,5%

Leia mais

Aula 21 Sistemas individuais de tratamento de esgotos

Aula 21 Sistemas individuais de tratamento de esgotos Universidade Federal do Paraná Engenharia Civil Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários Aula 21 Sistemas individuais de tratamento de esgotos Profª Heloise G. Knapik 1 Tratamento individual de esgoto doméstico

Leia mais

Esgoto Doméstico: Sistemas de Tratamento

Esgoto Doméstico: Sistemas de Tratamento Esgoto Doméstico: Sistemas de Tratamento TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL Saneamento Ambiental Prof: Thiago Edwiges 2 INTRODUÇÃO Qual o objetivo do tratamento? Qual o nível de tratamento almejado? Qual o

Leia mais

CC54Z - Hidrologia. Definições, aspectos gerais e o ciclo hidrológico. Universidade Tecnológica Federal do Paraná

CC54Z - Hidrologia. Definições, aspectos gerais e o ciclo hidrológico. Universidade Tecnológica Federal do Paraná Universidade Tecnológica Federal do Paraná CC54Z - Hidrologia Definições, aspectos gerais e o ciclo hidrológico Prof. Fernando Andrade Curitiba, 2014 Objetivos da aula Definir hidrologia e engenharia hidrológica

Leia mais

Saneamento I Tratamento de Esgotos

Saneamento I Tratamento de Esgotos Saneamento I Tratamento de Esgotos Prof Eduardo Cohim edcohim@gmail.br 1 QUALIDADE DAS ÁGUAS E USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NA BACIA HIDROGRÁFICA OBJETIVOS DO TRATAMENTO DOS ESGOTOS Remoção de matéria orgânica

Leia mais

União Educacional Minas Gerais Curso de Engenharia Telecomunicações e Engenharia de Produção

União Educacional Minas Gerais Curso de Engenharia Telecomunicações e Engenharia de Produção União Educacional Minas Gerais Curso de Engenharia Telecomunicações e Engenharia de Produção Orientador: Ms. Jorge Wilson Pereira da Silva Mara Rúbia da Silva Marlos Ferreira Silva Rômulo Rondinelly Mendes

Leia mais

1º SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE REUSO DE ÁGUA

1º SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE REUSO DE ÁGUA 1º SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE REUSO DE ÁGUA Quinto Encontro Técnico Ibero-Americano de Alto Nível Curitiba -17 a 19 de outubro de 2012 Controle da Poluição de Águas e Solos por Processos Biológicos 05 de

Leia mais

II SIMPÓSIO DE CITRICULTURA IRRIGADA

II SIMPÓSIO DE CITRICULTURA IRRIGADA II SIMPÓSIO DE CITRICULTURA IRRIGADA TÓPICOS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DAS ÁREAS DE CITRUS IRRIGADAS NO ESTADO DE SÃO PAULO Eng. Agr. Danilo José Fanelli Luchiari M.S. Recursos Hídricos e Saneamento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO CAPTAÇÃO DE ÁGUA Prof. Hugo Alexandre Soares Guedes E-mail: hugo.guedes@ufpel.edu.br Website:

Leia mais

Os avanços e as lacunas do sistema de gestão sustentável dos Recursos Hídricos no Brasil

Os avanços e as lacunas do sistema de gestão sustentável dos Recursos Hídricos no Brasil Os avanços e as lacunas do sistema de gestão sustentável dos Recursos Hídricos no Brasil Palestrante: Rafael F. Tozzi Belém, 10 de agosto de 2017 1 Contexto Geral A seca e escassez no Sudeste, as inundações

Leia mais

Programa missão de estudo y troça de experiências em Canárias em matéria de reutilização das águas residuais tratadas (águas regeneradas).

Programa missão de estudo y troça de experiências em Canárias em matéria de reutilização das águas residuais tratadas (águas regeneradas). REFORÇO DAS CAPACIDADES E COMPETÊNCIAS RELATIVAS A GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NAS ILHAS Coordenador: Parceiros: Programa missão de estudo y troça de experiências em Canárias em matéria de reutilização

Leia mais

ÁGUA E SUSTENTABILIDADE: IFRN CAMPUS CURRAIS NOVOS

ÁGUA E SUSTENTABILIDADE: IFRN CAMPUS CURRAIS NOVOS ÁGUA E SUSTENTABILIDADE: IFRN CAMPUS CURRAIS NOVOS Daulton Ruan Rufino de Souza; Gesianny Crispim de Azevedo; Luciano Ferreira Oseas; Márcia Maria Fernandes Silva. Instituto Federal de Educação Ciencia

Leia mais

Plano de Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco. O plano de bacias tem como objetivo a programação de ações no âmbito de cada bacia hidrográfica.

Plano de Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco. O plano de bacias tem como objetivo a programação de ações no âmbito de cada bacia hidrográfica. Departamento de Engenharia Hidráulica e Sanitária PHD - 2537 Água em Ambientes Urbanos Plano de Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco Elídio Nunes Vieira, Henrique Leite Agostinho, Lauro Dela Libera

Leia mais

Viabilidade da Irrigação de Salvamento nas Culturas de Verão. Goiânia, 20 a 22 de setembro de 2016

Viabilidade da Irrigação de Salvamento nas Culturas de Verão. Goiânia, 20 a 22 de setembro de 2016 Viabilidade da Irrigação de Salvamento nas Culturas de Verão Goiânia, 20 a 22 de setembro de 2016 Tópicos da palestra Desafios da agricultura e produçao de alimento Irrigaçao e seus desafios Regiões críticas

Leia mais

ALTERNATIVA ECOLÓGICA PARA ECONOMIA DE ÁGUA NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO, A PARTIR DO REUSO DE ÁGUA.

ALTERNATIVA ECOLÓGICA PARA ECONOMIA DE ÁGUA NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO, A PARTIR DO REUSO DE ÁGUA. ALTERNATIVA ECOLÓGICA PARA ECONOMIA DE ÁGUA NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO, A PARTIR DO REUSO DE ÁGUA. Maria Daniely Oliveira de Souza¹, Mayk Douglas Vilar Gambarra², Sávio Túlio de Sá Aguiar Silva², Alécia Lucélia

Leia mais

Qualidade e Conservação Ambiental TH041

Qualidade e Conservação Ambiental TH041 Universidade Federal do Paraná Engenharia Civil & Engenharia Ambiental Qualidade e Conservação Ambiental TH041 Parte II - Aula 06: Gestão e Qualidade de Água Profª Heloise G. Knapik 1 Indicadores Melhorias

Leia mais

PLANO ESTADUAL DE CONVIVÊNCIA COM A SECA

PLANO ESTADUAL DE CONVIVÊNCIA COM A SECA PLANO ESTADUAL DE CONVIVÊNCIA COM A SECA LANÇADO EM FEVEREIRO DE 2015 COM MEDIDAS EMERGENCIAIS E ESTRUTURANTES PARA SEGURANÇA HÍDRICA, SEGURANÇA ALIMENTAR, BENEFÍCIOS SOCIAIS, SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA,

Leia mais

Fortaleza, 05 de agosto de 2011 RV/CSB/008/2011 Relatório Técnico de Vistoria Assunto: Inspeção Técnica no Sistema de Esgotamento Sanitário de Salitre

Fortaleza, 05 de agosto de 2011 RV/CSB/008/2011 Relatório Técnico de Vistoria Assunto: Inspeção Técnica no Sistema de Esgotamento Sanitário de Salitre COORDENADORIA DE SANEAMENTO BÁSICO CSB/ARCE Fortaleza, 05 de agosto de 2011 RV/CSB/008/2011 Relatório Técnico de Vistoria Assunto: Inspeção Técnica no Sistema de Esgotamento Sanitário de Salitre 1 - FATO

Leia mais

Encontro Técnico de Alto Nível. Reuso da Água AIDIS/ABES

Encontro Técnico de Alto Nível. Reuso da Água AIDIS/ABES Encontro Técnico de Alto Nível Reuso da Água AIDIS/ABES outubro, 2016 Rede de Recursos Hídricos da Indústria Coordenação Confederação Nacional da Indústria - CNI Participação da Indústria Conselheiros

Leia mais

Perspectivas do Setor Usuários

Perspectivas do Setor Usuários Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Araguari (CBH Araguari) 1ª Assembleia Geral Extraordinária de 2015 Perspectivas do Setor Usuários Cléber Frederico Ribeiro 1º Secretário Nacional da Assemae e Assessor

Leia mais

CURSOS CIRRA PROGRAMADOS PARA 2017

CURSOS CIRRA PROGRAMADOS PARA 2017 CURSOS CIRRA PROGRAMADOS PARA 2017 CURSO 1 QUINTA FEIRA, DIA 02 DE MARÇO Tema: Conservação e Reúso de Água como Instrumentos de Gestão Bacias Hidrográficas, Municípios (reúso potáveis e não potáveis),

Leia mais

Recursos Hídricos no Brasil e no Mundo

Recursos Hídricos no Brasil e no Mundo Recursos Hídricos no Brasil e no Mundo de Aquino Lemos Filho Dr. Engenharia de Água e Solo ÁGUA E RECURSOS HÍDRICOS ASPECTOS CONCEITUAIS Universidade Federal Rural do Semi-Árido Mossoró, RN CONCEITOS BÁSICOS

Leia mais

DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM IRRIGAÇÃO NO CERRADO - PPGIC DISCIPLINAS CRÉDITOS CH MATRIZ CURRICULAR CARACTERÍSTICA

DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM IRRIGAÇÃO NO CERRADO - PPGIC DISCIPLINAS CRÉDITOS CH MATRIZ CURRICULAR CARACTERÍSTICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO GERÊNCIA DE PÓSGRADUAÇÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO PROGRAMA DE PÓSGRADUAÇÃO EM IRRIGAÇÃO NO CERRADO DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓSGRADUAÇÃO EM IRRIGAÇÃO

Leia mais

LINEAMENTOS PARA MELHORAR A GESTÃO DAS ÁGUAS RESIDUAIS DOMÉSTICAS E FAZER MAIS SUSTENTÁVEL A PROTEÇÃO DA SAÚDE

LINEAMENTOS PARA MELHORAR A GESTÃO DAS ÁGUAS RESIDUAIS DOMÉSTICAS E FAZER MAIS SUSTENTÁVEL A PROTEÇÃO DA SAÚDE Primeiro lineamento geral: O TRATAMENTO E USO ADEQUADOS DAS ÁGUAS RESIDUAIS DOMÉSTICAS CONTRIBUEM A PROTEGER A QUALIDADE DOS CORPOS DE ÁGUA E DEVERIAM SER PARTE DE UMA GESTÃO MAIS EFICIENTE DOS RECURSOS

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 55, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005

RESOLUÇÃO N o 55, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS RESOLUÇÃO N o 55, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005 (Publicada do DOU em 08/02/06) Estabelece diretrizes para elaboração do Plano de Utilização

Leia mais

Elaboração de Proposta do Plano de Ações para Instituir uma Política de Reúso de Efluente Sanitário Tratado no Brasil (Projeto)

Elaboração de Proposta do Plano de Ações para Instituir uma Política de Reúso de Efluente Sanitário Tratado no Brasil (Projeto) Elaboração de Proposta do Plano de Ações para Instituir uma Política de Reúso de Efluente Sanitário Tratado no Brasil (Projeto) Ministério das Cidades e Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura

Leia mais

Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto

Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano Sabesp 07/11/2011 Bacia do Alto Tietê Bacia do Sorocaba/ Médio Tietê Bacia do PCJ

Leia mais

Steven David Sodek. Engenheiro Civil MEng CEng MICE MAUÁ 11/06/13

Steven David Sodek. Engenheiro Civil MEng CEng MICE MAUÁ 11/06/13 Steven David Sodek Engenheiro Civil MEng CEng MICE MAUÁ 11/06/13 Mauá Dados Gerais Dados Geográficos Localização geográfica: Grande São Paulo Área: 61,866 km 2 (IBGE 2010) Divisas: Santo André, Ribeirão

Leia mais

IMPACTO DA REUTILIZAÇÃO DAS AGUAS RESIDUAIS TRATADAS NA AGRICULTURA EM S.V

IMPACTO DA REUTILIZAÇÃO DAS AGUAS RESIDUAIS TRATADAS NA AGRICULTURA EM S.V SEMINÁRIO PARTICIPATIVO DE REUTILIZAÇÃO DAS ÁGUAS RESIDUAIS TRATADAS Intercambio de experiências, nova normativa, sistemas de controlo, código de boas práticas, gestão e tecnologias de tratamento 15 de

Leia mais

Ferramentas de Transferência de Informação Concessionária-Agência e Geração de Indicadores de Qualidade

Ferramentas de Transferência de Informação Concessionária-Agência e Geração de Indicadores de Qualidade Serviços de Água e Esgoto de Joinville Ferramentas de Transferência de Informação Concessionária-Agência e Geração de Indicadores de Qualidade 1º ENARMIS 12 e 13 de novembro de 2015 Florianópolis -SC Sobre

Leia mais

HISTÓRICO DAS ÁGUAS URBANAS NO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE RS - BRASIL

HISTÓRICO DAS ÁGUAS URBANAS NO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE RS - BRASIL HISTÓRICO DAS ÁGUAS URBANAS NO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE RS - BRASIL Informações Gerais 1,4 milhões de habitantes (IBGE, 2011); Saneamento Básico municipalizado: DEP, DMAE e DMLU; 100% de cobertura de

Leia mais

O maior reservatório de água do Estado de São Paulo precisa de atenção: uma valoração das águas subterrâneas

O maior reservatório de água do Estado de São Paulo precisa de atenção: uma valoração das águas subterrâneas Imagine se uma grande maldição se abatesse sobre o Brasil... O maior reservatório de água do Estado de São Paulo precisa de atenção: uma valoração das águas subterrâneas Nós jogamos uma grande praga sobre

Leia mais

REFUERZO DE LAS CAPACIDADES Y COMPETENCIAS RELATIVAS A LA GESTIÓN DE LOS RECURSOS HÍDRICOS EN ISLAS

REFUERZO DE LAS CAPACIDADES Y COMPETENCIAS RELATIVAS A LA GESTIÓN DE LOS RECURSOS HÍDRICOS EN ISLAS REFUERZO DE LAS CAPACIDADES Y COMPETENCIAS RELATIVAS A LA GESTIÓN DE LOS RECURSOS HÍDRICOS EN ISLAS Jefe de Fila: Socios Canarias: Socios Cabo Verde: 1 Organização da apresentação Enquadramento - Motivos/oportunidades

Leia mais

SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE: Disponibilidade Hídrica, Demanda e Abastecimento Público

SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE: Disponibilidade Hídrica, Demanda e Abastecimento Público SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE: Disponibilidade Hídrica, Demanda e Abastecimento Público . MUNICÍPIO POPULAÇÃO 2010 (hab) % ATEN. ÁGUA 1 Baldim 7.917 98,85 2

Leia mais